FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

13. Conversa entre Irmãos


Fic: O Mesmo Destino - Vários Ships - UA


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

13 - Conversa entre Irmãos


Gina acordou naquela manhã mais disposta que na maioria das vezes. Adorava estudar e ter a sensação de dever cumprido, mas gostava muito mais de dormir até tarde. Espreguiçou-se na cama felinamente e ouviu o estalo dos ossos despertando juntamente com ela.


Olhou de lado e o relógio despertador de cabeceira acusava exatas 08h36min AM. Sim, isso era dormir até mais tarde para Ginevra Molly Weasley. Levantou-se e foi ao banheiro, e depois de livrar-se das suas necessidades básicas, rumou com seu baby-doll de malha estampado de ursinhos e pantufas da Pucca para a cozinha preparar algo para comer.


Na casa dos irmãos Weasley era assim: Café da manhã sempre compartilhado, almoço e jantar por base das marmitarias da vizinhança e os lanches a base de frutas e guloseimas compradas a cada quinze dias.


Estranhou o ambiente da cozinha percebendo que havia uma chaleira sobre o fogão e que a água estava quase fervendo. Ao lado, a cafeteira estava pronta e esperava a ebulição da chaleira sobre o fogo para cozinhar o café.


Achou estranho. Imaginou que Rony e a barbie iriam dormir até tarde, já que ele estava de folga e só voltaria ao trabalho na segunda, ainda mais depois da recepção da garota naquele mini micro vestido. Porém errou.

Não havia sinal da loira aguada e ainda não havia visto o irmão. Certamente havia ido à padaria em frente ao prédio buscar pão enquanto a água fervia. Ele sempre fazia isso quando acordava antes que ela e o tempo era exato: até a ebulição iniciar ele estaria de volta.


Fitou a água que começava a borbulhar e desligou o fogo, colocando em seguida na cafeteira, deliciando-se ao sentir o aroma tão agradável de café recém-coado. Lembrou-se da chácara, dos pais, dos irmãos, cunhadas e inúmeros sobrinhos. Sorriu lembrando-se de como é divertido que mesmo que todos tenham suas casas e suas determinadas famílias, reúnem-se praticamente todos os dias na pequena cozinha da casa Weasley para tomar o maravilhoso café de mamãe-dona-Molly.


 


- Deu pra rir com a parede agora - Rony perguntou animado fazendo Gina sorrir e revirar os olhos.


- E você deu para fazer piadas idiotas, Roniquinho?


- Só quando tenho bons motivos... Tipo quando flagro a minha irmãzinha predileta paquerando a parede.


- Sou sua única irmã, Rony - ela falou sentando-se à mesa.


- Sim, eu sei. E por isso é a predileta - beijou sua bochecha - Agora me diga que tipo de caso está tendo com a parede?


- Um caso com bem mais futuro que o seu com a barbie girl.


- Começou cedo eim? - Rony parou de rir e caminhou até a mesa colocando sobre ela o pacote com pães e bolo e pegando em seguida duas xícaras de porcelana no armário da parede.


- Estava pensando na chácara. Em como toda a nosso família sempre saía cedo de suas casas só pra tomar o café da mãe.


- É verdade. Nada se compara a comida que a mãe faz - ele falou sentando-se a mesa e servindo-se. Gina serviu-se também.


- E nossa família é tão unida Rony... Mesmo sendo enorme. É tão bom.


- Estou pensando em passar esse fim de semana lá, o que acha? Vamos?


- Uou! Só não vou agora porque tenho aula! - ela exclamou animada.


- Bem. Podemos ir à tarde, então. Assim que você chegar.


- Maravilha. Quando voltar da faculdade eu faço as minhas malas.


- Gina, é só o fim de semana e você tem roupas em casa. Pra que fazer malas?


- Surpreendentemente, você tem razão desta vez. Sim, sim... Vou levar apenas algumas coisas.


- Precisamos levar lembranças...


- Oh Deus... Que maravilha é ter um irmão rico. - ela falou erguendo as mãos aos céus e ele sorriu.


- Não sou rico, Gina.


- Mas de todos os irmãos, é o que tem melhores condições, e eu tive a sorte de ser sua irmã preferida e morar com você - ela piscou os olhos fazendo cara de sonsa.


- Você é minha única irmã, sua boba.


- Por isso mesmo.


- Tudo bem. Passamos no shopping antes de irmos. O que acha?


- Acho muito bom.


- Então está combinado. Quer que te pegue na faculdade para...


- JAMAIS! Ficou louco? - ela mudou rapidamente a expressão.


- Por que tanto espanto?


- Tenho tentado a todo custo me manter sem nenhuma ligação com você na faculdade. Isso arruinaria tudo. Já basta termos o mesmo sobrenome.


- Anda renegando o sangue, Gina? - ele sorriu.


- Pelo contrário. Tenho muito orgulho de minha família, mas não quero ser conhecida como a irmã do “super-ruivo-extremamente-lindo-ah... como-eu-queria-que-ele-fizesse-um-ensaio-nú”. - ela falou com expressão de nojo e o irmão riu alto e animado.


- Você nunca comentou nada a respeito.


- Para não inflar ainda mais o seu super ego. Aff... Não consigo entender o que essas loucas veem de tão lindo e maravilhoso em você. Juro.


- É que eu sou lindo - ele falou sorrindo - E, ham... Acho que vou fazer um ensaio nu.


- Você não ousaria - ela falou ameaçadora.


- E por que não? - ele sorriu ainda mais.


- Olha aqui Ronald Billius Weasley - ela repousou a xícara na mesa e lhe apontou o dedo - Já é muito constrangedor para mim ouvir minhas colegas de curso falando atrocidades a seu respeito e me fazendo ver suas fotos, que eu acho incrivelmente horríveis, mas não suportaria ter que ouvir essas loucas falando das suas sardas nem do seu... Arh que nojo. Acho que perdi a fome - Rony gargalhou novamente.


- Acha mesmo que faria isso?


- Acho que você é um louco e que faria sim, senhor. Afinal, você também é irmão do Fred e do Jorge, e se um pouco do exibicionismo deles flui no seu sangue, não duvido.


- Ah... Você lembra de quando o Jorge foi nadar nú? - riu gostosamente recordando a situação.


- Sim... Lembro desse dia nojento. Do mesmo modo que lembro da maldita aposta que fizeram e do Fred correndo pelado no meio da plantação de soja.


- Você nem ao menos passou perto da plantação aquela época - ele sorriu.


- Olha só... Eu vi aquela coisa tenebrosa, e sei que sou a única garota dessa família, portanto tenho e pretendo manter a minha posição de nojo ao extremo de vocês quando relacionados a essas coisas.


- Realmente... É esquisito imaginar algum de vocês fazendo certas coisas...


- Sem comentários Ronald, por favor. Estou comendo - Rony riu novamente.


- Tudo bem... - ele ainda sorria - Morreu o assunto.


- E por que a barbie já foi?


- Tinha uns trabalhos para fazer - ela percebeu o semblante do irmão mudar.


- Está tudo bem com vocês?


- Sim... Tudo bem. - ele comeu mais uma fatia do bolo.


- Rony - ela o olhou e ele a encarou voltando a comer em seguida. Eram em sete, mas a proximidade e amizade dos dois era muito forte. Se conheciam. Eram os mais jovens. Aprenderam e compartilharam muita coisa juntos e a afinidade entre os dois era muito grande. - Rony?


- Não sei - ele suspirou pesadamente pelo nariz.


- Discutiram novamente? - ela não parecia animada com a ideia, mesmo não suportando a namorada do irmão.


- Na verdade, nós nos entendemos essa noite.


- E...? - ela o incentivou a prosseguir.


- Me senti meio mal.


- Não entendi.


- A Lavander é uma garota legal. Tem lá suas qualidades e eu gosto de estar com ela, mas... Não sei, sabe?


- Não sente algo mais forte por ela? - ela estava séria com sua xícara nas mãos.


- Não - ele suspirou e ela permaneceu calada - Com certeza, nao. Parece que falta alguma coisa. Não sei o que é.


- Falta sentimento verdadeiro, Rony. - ele a encarou esperando a continuação - Falta o que chamamos de afeto... Carinho, respeito. Falta amor. Relacionamentos não são feitos a base de conveniências como era seu namoro chato com a Suzana, nem de aparências como o meu e o do Dino. E ainda mais, relacionamentos não são feitos de sexo como o seu com a Lavander.

Ele a olhou pesaroso imaginando um sermão, mas sabia que ela estava certa e não reclamou quando ela continuou.
 


- Veja bem nossos pais. Acha que se eles tivessem um relacionamento baseado nessas coisas eles estariam juntos até hoje? Acha que eles teriam tido a todos nós mesmo com as condições que tinham? Acha que teriam superado tantas dificuldades e nos mantido sempre unidos se fosse um relacionamento apenas baseado em circunstâncias?

- Não - concordou. 


- Certamente que não. Eu realmente entendo o que você tem sentido - ela falou colocando a mão sobre a mão do irmão - Tenho passado pelo mesmo em relação ao Dino. Sinto que falta algo a mais do que nós temos. Sinto um carinho grande por ele, mas não me imagino superando dificuldades como fizeram nossos pais ao lado dele, e acho que você acha o mesmo da Lavander.

Ele concordou novamente com a cabeça. 


- E o mais interessante é que o papai e a mamãe namoraram apenas quatro meses. Logo veio o Gui para fazê-los casarem de uma vez, e se eles não se amassem como se amam, não acredito que estaríamos tendo essa conversa agora, Rony, porque certamente o casamento deles não teria dado certo e não teríamos ao menos cogitado a ideia de nascer.


- Você tem razão.


- Sempre tenho - ela falou sorrindo e ele sorriu junto - Mas o que pretende fazer?


- Não sei. Queria terminar, mas não sei como.


- Ela é boa de cama, não é? - ela falou simples e o irmão avermelhou, mas concordou com um aceno de cabeça - Imaginei. Tem sido um dos motivos que ainda me fazem ficar com o Dino.


- Gina! - Rony exclamou ainda mais avermelhado.


- Ah... Rony! - ela falou revirando os olhos e mudando totalmente o tom - Me polpa eim. Sem falsos moralismos, ok. Tenho 22 anos e namoro desde os 16. Acha mesmo que eu sou uma virgem pura e indefesa?


- Mas não precisa ficar contando a todo mundo.


- Estou tendo uma conversa séria com você, e também não te considero todo mundo. É meu irmão e, acima de tudo, eu te amo muito. Não tenho porque não contar minhas coisas para você.


- Sabia que você parece à mamãe, às vezes? Principalmente quando dá bronca.


- E você me lembra o papai - ela sorriu - Sempre querendo ajudar todo mundo.


- Tenho mudado meu conceito por aqui.


- Você não pode deixar que pessoas ruins levem sua essência, Rony.


- Não vejo muita bondade nas pessoas. Era bem mais fácil quando éramos crianças.


- Certamente que era mais fácil, mas existem pessoas boas e que não se importam apenas com seu próprio bem estar. Você trabalha em um meio difícil onde as pessoas tentam passar por cima dos outros para ter alguma vantagem. É normal que se sinta mal.


- Pode ser.


- Ainda chateado com a matéria da revista?


- Um pouco.


- O que a Lavander falou a respeito desse tal Krum.


- Que é mentira e que ele fez aquilo apenas para voltar à mídia porque tem estado esquecido.


- Ele se droga bastante, não é?


- Sim, infelizmente. E não duvido que a Lavander esteja certa.


- Então, por que ainda está encucado com isso?


- Não sei. Mas esquece isso.


- Tem certeza?


- Sim. Vá estudar que vou ligar pra mamãe dizendo que vamos à tarde.


- Ok... Vai ser ótimo. Vou tomar banho e sair. - ela levantou-se e beijou de leve a cabeça do irmão - Te amo muito tá?


- Eu também - ele segurou sua mão e sorriu, em seguida ela correu com suas pantufas para seu quarto.


 


 


 [...]


 


 


- Bom dia! - Gina colocou a cabeça pra dentro da pequena sala onde se editava o jornal da escola. Observou duas moças e um rapaz e depois de ser convidada, entrou na saleta.    


- Bom dia! - Luna respondeu e a olhou.


- Olá - ela adiantou-se para a loira apertando sua mão - Sou Ginevra Weasley e gostaria de saber se ainda há alguma vaga na edição do jornal.


- Sou a Luna Lovegood - apresentou-se - Vagas até que temos, mas você precisa falar com a Cho Chang primeiro. Ela é a responsável pelo jornal.


- Já falei com ela. Estudamos juntas. Inclusive ela me deu esse bilhete aqui pra falar com você porque não poderia vir na edição hoje. Acho que tem um projeto pra fazer.


- Foi isso mesmo que ela me disse - Harry falou chamando a atenção das três garotas.


- Ah, desculpe - Luna adiantou-se - Este é Harry Potter, nosso editor de esportes e esta é a Romilda Vane, amiga nossa e redatora esporádica.


- Muito prazer - Gina disse apertando a mão dos dois.


- Você é por acaso irmã do Ronald Weasley? - Romilda perguntou quando sua mão foi apertada pela a da ruiva, que revirou os olhos.


- Não. Apenas temos o sobrenome em comum.


- E a cor dos cabelos também - Romilda falou analisando a moça que virou-se para Luna em seguida.          


- Então. Existe essa possibilidade?


- Já que você falou com a Chang. Não vejo problemas.


- Que bom - a ruiva sorriu e chamou a atenção de Harry.      


- Sobre o que pretende escrever?


- Pensei em algo relacionado a Direito, que é a minha área. Gosto muito de criminalística.


- Que tal uma matéria sobre os crimes da nossa cidade? - Luna perguntou.


- Acho perfeito - a ruiva sorriu animada - E quando começo?


- Se quiser, agora mesmo - Luna falou apontando dois computadores vagos.


- Hoje realmente não posso. Preciso voltar cedo para casa porque vou viajar logo mais. Mas começo segunda com gosto de gás.


- Tudo bem então, Ginevra. Seja bem vinda. - Luna sorriu.


- Apenas um favor...


- Sim?


- Me chamem de Gina. Não sei de onde os meus pais tiveram a ideia do meu nome.


- Na verdade - Harry começou atraindo a atenção das três novamente - Ginevra é a versão italiana do nome Gwinever que, segundo a mitologia celta, é a rainha de Camelot e a esposa do Rei Arthur. - ele sentiu-se encabulado ao ver as três o olharem de forma espantada - Minha irmã adora essas coisas e acabo aprendendo junto. - as três sorriram.


- Obrigada pela explicação. Juro que nem eu sabia dessa - Gina falou espantada enquanto sorria - Vou perguntar ao papai se a origem é realmente essa ou se o nome veio de algum filme de 1900 e bolinhas que ele e a mamãe assistiram.


- Espero estar certo então. Uma furada assim, logo no dia em que nos conhecemos, seria imperdoável - eles sorriram.


- E quem mais participa do Jornal? - Gina perguntou ainda sorrindo, voltando-se para Luna.


- Temos o Harry que é responsável pelos esportes, como te falei, a Cho escreve sobre utilidades públicas e direitos do consumidor, além de ser a responsável pelo jornal, eu escrevo sobre natureza e biologia em geral, a Hermione Granger escreve sobre infinitas coisas e revisa a gramática antes de publicarmos, e a Romilda...


- Milda, por favor - a jovem interrompeu sorrindo.


- Bem... - Luna continuou sorrindo - A ‘Milda’ escreve sobre fofocas quando lhe dá na telha. Ela escreve sobre artistas, coisas da faculdade e horóscopo. Resumo de novelas e entretenimento em geral.


- Legal.


- É sim. Adoro o show business e ainda vou namorar com o Ronald Weasley. Serei uma famosa atriz e ele será eternamente meu. - Gina prendeu-se para não sorrir.


- A Milda é viciada nesse cara. Não liga, ela é assim mesmo.


- Ele é lindo realmente, mas não faz muito o meu tipo - Gina comentou ainda sufocando a gargalhada - Prefiro os morenos.


- Ôpa! Então tenho chances - Harry falou sorrindo.


- Ah... Pois o Ronald, ele é perfeito pra mim.        


- E a Hermione? - Gina tentou mudar de assunto antes que não suportasse mais o desejo de gargalhar.


- Essa é mais difícil - Harry falou e Gina o olhou - É difícil até pra mim vê-la, e olha que moramos juntos.


- São namorados?


- Não. Minha namorada, na verdad, é a Cho. A Mione e eu somos irmãos.


- Sério?


- Sim. Mas ela é muito cheia de coisas pra fazer e nem eu consigo vê-la. Geralmente ela vem no fim das aulas pra cá. Na verdade, quando acordo pra vir pra faculdade, ela já saiu. É extremamente pontual sabe?

- Sei sim... - a ruiva sorriu e ele estava encantado. 


- Quando acordo ela já não está, mas deixou café pronto junto com uma lista de afazeres diários. Então nos encontramos pelos corredores e aqui no jornal. Quando terminam as aulas ela vem pra cá, daqui ela vai pra o trabalho dela e eu pra o meu. Quando chego em casa geralmente ela já está dormindo. Ela é a cópia da mamãe.


- Nossa... Parece o dia-a-dia do meu irmão e eu. Só que eu faço as coisas que sua irmã faz porque meu irmão é meio aluado. Embora não seja tão centrada como ela.


- Seu irmão estuda aqui?


- Não.


- Ah... Se sim iria procurá-lo. Acho que seríamos bons amigos.


- Provavelmente. Quem sabe apresento vocês depois.


- Seria legal. Qual o nome dele? - Gina pensou bem antes de responder.


- Arthur.


- Isso fortalece a minha tese sobre o seu nome - Harry animou-se.


- É verdade - Gina sorriu.


- Podemos marcar de sairmos todos juntos depois - Milda meteu-se e Gina sentiu um soco no estômago. Precisava ter cuidado com a viciada.


- Pode ser.


- Bom. É isso - Harry sorriu - Você vai gostar daqui e da Mione também. Tenho certeza que vão se dar bem.


- Espero que sim. Agora preciso realmente ir. Como falei, estamos indo visitar nossos pais e eu estou ansiosa, morrendo de saudade deles.


- Onde fica? - Luna perguntou.


- Em Ottery St. Catchpole.


- Sério? - a loira sorriu - Era onde eu e o papai morávamos antes da mamãe morrer.


- Sério? - Gina disse animada ficando tensa em seguida - Sinto por sua mãe.


- Tudo bem. Eles sempre moraram lá?


- Desde que casaram.


- Nossa. Que legal. Eu mudei aos seis anos.


- Gosta de onde mora agora?


- Sim. É bem legal. Tenho bons vizinhos - a loira sorriu e Harry sorriu de volta.


- Vou nessa então.


- Boa viajem, e até segunda.


- Valeu.


 


[...]


 


- Não Rony... - Gina falava enquanto colocava os brinquedos no carrinho de compras - Vamos levar o Banco Imobiliário. A Victorie já tem cinco anos. Precisa de brinquedos mais educativos. E a Roxanne também, ela já tem três. Para o David e para o John podemos levar carrinhos ou esse monstrinhos aqui.


- Gina, definitivamente, você não sabe escolher brinquedos.


- Você que é um chato.


- Quer saber, toma - ele falou entregando um cartão de crédito para a irmã - Compra o que quiser pra pirralhada que eu vou buscar alguma coisa pra mamãe.


- Compra um perfume - ela sorriu animada olhando o cartão.


- Foi o que pensei.


- Tem uma perfumaria muito boa aqui. Acho que no terceiro piso. A Perfummage.


- Beleza. Quando terminar aqui me liga no celular, ou eu te ligo quando terminar por lá.


- Certo. E coloca os óculos e o chapéu.


- Tá... To indo.


 


Rony caminhou pelos corredores do shopping sem chamar muita à atenção do povo. Era sexta-feira à tarde e o Shopping ficava vago nesse período. Um bermudão florido, camisa discreta, óculos escuros e chapéu lhe dava um ar turístico e evitava os possíveis fãs que pudessem aparecer por ali.


Viu a fachada da loja que a irmã falou assim que saiu da escada rolante. Ficava de frente com ela, porém no fim do corredor. Ele caminhou observando as muitas lojas de roupas e joias e percebeu que estava em um andar tipicamente feminino.


Entrou na loja e viu uma senhora no balcão. Tirou o chapéu e os óculos e pediu aos céus que ali não houvesse atendentes tietes. Gostava de ganhar bem, era verdade, mas não era fã desse fanatismo que algumas pessoas costumavam ter.


 


- Boa tarde! - a senhora falou assim que ele entrou.


- Boa tarde! - ele respondeu sorrindo e animando-se por não ter sido reconhecido.


- No que posso ajudar?


- Gostaria de um perfume para a minha mãe.


- Ok - a senhora ia atendê-lo quando uma jovem apareceu saindo de uma saleta. Cabelos amarrados em um rabo de cabalo num tom castanho intenso, usava a farda da perfumaria e tinha olhos cor de chocolate incrivelmente brilhantes.


- Terminei lá dentro. Se quiser já posso atender, dona Julie.


- Ah sim, querida. Assim já vou.


- Tudo bem - a moça falou e lhe sorriu - Posso ajudar?


- Sim. Gostaria de um perfume.


- Que tipo? - ela sorriu ainda mais encantadora. E ele realmente se encantou.


- Desculpa. É uma loja de perfumes, afinal, e eu fui um pouco evasivo com o meu pedido.


- Imagina. Estou aqui pra ajudar no que eu puder.


- Eu quero um perfume para minha mãe.


- Alguma data em especial?


- Apenas um presente para a melhor mulher do mundo - Hermione sorriu encantada com o rapaz.


- Vou ajudar você com muito prazer então. É um dos melhores motivos para um presente.


- Também acho.


- Tenho uns mais amadeirados. Esses são mais adocicados - ela falava enquanto colocava amostras em cima do balcão - Esse é mais cítrico.


 


Ela borrifava o perfume nos papéis e lhe dava para que ele sentisse o aroma. Entre um e outro ela lhe dava um copinho com café, que ela explicou ser para que o nariz desacostumasse do aroma e não confundisse as essências.


 


- Pelos que você separou - Hermione começou - Acredito que sua mãe deve gostar de amadeirados.


- Sim... Ela gosta sim - ele estava meio bobo com a garota.


- Sente esses - ela colocou outros frasquinhos sobre o balcão e recomeçou a borrifar outros papéis.


- Esse é bom - ele falou colocando o papel ao lado.


- Também gosto.


- Qual você poderia me sugerir?


- Hum... Este e este.


- Nossa... Muito bons.


- São sim. E estão em promoção. Posso dividir se você quiser e em todos os cartões.


- Não, vou pagar a vista mesmo.


- Então você tem 10% de desconto.


- É? Obrigado então - Ronald estava realmente encantado com o sorriso da garota e nem ao menos sabia seu nome. Ela nem ao menos o reconheceu e o tratava de forma tão agradável que ele esqueceu da irmã, sentindo o celular tocar.


- Com licença - ele se afastou para atender o celular.
 


"-Oi!"


"- Sério? Nem percebi o tempo passar."


"- Culpa sua que me mandou vir nessa perfumaria. Aqui é muito agradável" - ele olhou para a moça do balcão.


"- Já sim. Já vou pagar."


"- Me encontra no carro, ok. Tchau."
 


- Desculpe! - ele falou voltando-se para Hermione.


- Imagina.


- Bom... Vou querer esse aqui.


- Uma ótima escolha, senhor - ela sorriu.


- Quanto custa?


- 369 dólares. Com seus 10% de desconto... Fica por 312 dólares.


- Aqui - ele passou o dinheiro para a moça que após devolver o troco começou a embalar o perfume.


- Vou fazer um embrulho bem bonito para sua mãe - ela sorriu.


- Obrigado.


 


E isso ela fez. Realmente, o embrulho ficou perfeito. Com um papel vermelho e um laço branco. Tinha certeza que sua mãe iria adorar o perfume, e além de sentir-se feliz por não precisar mendigar valores, ainda havia conhecido uma graça de moça.


 


- Volte sempre! - ela entregou o embrulho.


- Vou voltar sim.


  


~~~


Capítulo clean, mas os 'desvendares' começarão em breve...

Então, gente, nova mudança. Vou postar de três a quatro vezes por semana porque provavelmente vá viajar no fim de ano e não vou conseguir terminar até lá se continuar postando um por semana e vocês acabariam passando um tempo sem atualizações.
Desse jeito, termino OMD antes do fim de ano e posso me dedicar a Fase três de AVC.

Beijocas e ótima semana. 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Tati Hufflepuff em 13/11/2013

Encontros, encontros e mais encontros!
Como gostei desse capítulo! Tão leve e gostoso de ler que qd acabou fiquei até triste uahauhauhauahahu
Harry danadinho cantando a Gina... Amizade Gina/Luna/Hermione por vir e om isso a aproximação dos nossos casais!
Segundo encontro RoMione tb foi tão bonito... Deu pra sentir que ele se interessou por ela...
Seguindoo >>>> 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Van Vet em 09/02/2013

   Ohhhhh!!!! Harry e Gina, primeiro encontro *-* Gosto desse Harry mais solto, mais convicto, seguro de si, soltando uma sutil cantada pra cima da ruiva. Acho que nossa advogada mais a Luna vão sacudir as coisas por lá. 
   E o encontro do Rony com a Mione.... Como eu torço para que esses dois se enxerguem de verdade! Rony ficou meio balançado, deu pra notar. Mas vamos ver como a Mione vai reagir... Ah! Quando o Córmaco vai deixar de ser tão gentil. Acho que ele logo, logo mostrará suas garras. 
 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lana Silva em 16/10/2012

Tipo demorei bastante pra comentar por causa do curso e também hoje o dia foi bem mais rapido pra mim, tive que ver minha amiga ai o tempo passou voando. Eu ameio capitulo, serio eu ri muito aqui com a conversa da Gina e do Ron, achei fofo, acho que nunca conseguiria conversar nessa calma com meu irmão, sobre tudo assim. Nossa eu pensei que a Gina encontraria a Mione na sala do jornal, mas era a Romilda, ri muito disso também, a Gina dizendo que ele não faz o tipo dela e a Romilda pirando serio, o capitulo foi muito bom, eu amei o final \O/ que encontrooooo esse deles, eu imaginei que eles fossem se encontrar no capitulo e aconteceu, fiquei muito feliz *------------------------* muito legal, ser um encontro casual, mas deixar os dois encantados, eles são perfeitos um para o outro - ok estou parecendo uma maniaca falando kkk , mas é a verdade - bem flr eu amei tudo e fico feliz por ter mais postagens porque tô amando muito a fanfic.
bjoos flr *-* 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Violettaa em 16/10/2012

Nossa adorei esse capitulo confesso que eu fiquei triste porque acabou... Depois de tantas emoções esse quebrou a tensão de todas as atrocidades do Senhor Malfoy e foi uma ótima maneira de fazer Rony se encantar por Mione, Gina virar amiga a companheira de trabalho dos jovens assim pouco a pouco o destino deles vai se entrelaçando... Adorei a parte na perfumaria fofo demais apesar de ser famoso.Rony sempre humilde realmente ele merece alguem bem melhor que a Lavander, e a parte que Gina sentiu repulsa com a possibilidade do irmão pousar nu foi Super engraçado...Capitulo leve, engraçado e Super bem escrito A-D-O-R-E-I....


Aguardo ansiosamente o próximo...


Beijo, beijo ^_~      
  

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Eliana de Albuquerque Lima em 16/10/2012

Olá querida que ótima noticia, você vai postar mais capitulos por semana. Adorei o encontro deles que pela primeira vez não foi turbulento como aconteçe na maioria das história por aqui. Estou anciosa para a Gina e a Mione se encontrarem logo.  Bjos

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.