FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

10. A Mansão Malfoy


Fic: O Mesmo Destino - Vários Ships - UA


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/A: Capítulo meio pesado, ok


 


____________________________________________


 


CAP 10 - A Mansão Malfoy


 


A mansão Malfoy estava longe de ser um lugar aconchegante. A frente imponente e o grande portão escuro que dava para a rua faziam os pedestres passarem distante daquele lugar.


Lembrava claramente castelos medievais. A fachada era larga e de tom esbranquiçado tinha duas colunas nas laterais da porta larga. Dividida em andares, o de baixo possuía janelas laterais grandes e o de cima, os quartos, tinham portas proporcionalmente menores, mas não menos ostentativas, e davam passagem para a varanda que contemplava a bela vista ao redor.


Na frente do palacete, um rio, ou o que se podia dizer, talvez um lago, dividia a entrada em dois caminhos que iam do grande portão a porta de entrada. Nas suas laterais, árvores e flores davam o único toque agradável daquele lugar.


Dentro dela, uma grande quantidade de empregados que eram verdadeiramente tratados como tal. Eram responsáveis pela limpeza, alimentação e ordem interna. Duas mulheres responsáveis pela cozinha, três responsáveis pela limpeza, um homem que seria uma espécie de mordomo Malfoy, três motoristas sendo um para cada limusine, uma copeira e Narcisa Malfoy.


Sim, era dessa forma como ela se sentia. Uma empregada, para não se dizer, a pior de todas. Ao menos as “colegas de serviço” recebiam seu salário, e um bom e gordo salário, enquanto ela, além de ser responsável pela ordem disso tudo, era tratada como uma espécie de lixo qualquer.


Costumava não falar com o marido nem tratar assuntos com ele. Temia o simples tom de sua voz, principalmente quando esta adentrava as portas do palacete alterada. Nesses momentos, ela sempre era a culpada no ponto de vista dele, e na maioria das vezes, tentava se esconder para que no primeiro momento ele não descontasse toda a sua raiva e frustração em seu frágil e dolorido corpo.


Assustava-se ao imaginar como uma pessoa poderia mudar daquela forma e lembrava-se frequentemente de como fora feliz nos dois primeiros anos de casamento.


  


~~~


 


Era a única filha de uma família que morava em uma pequena cidade afastada do Centro de Londres. Ali perto, um jovem casal mudara-se há pouco, e com ele haviam chegado dois jovens de idades aproximadas a sua, um rapaz e uma moça.


Seus pais, como bons anfitriões, logo visitaram a recém-chegada família, e em questão de poucos dias, graças a proximidade deles, tanto em relação a casa como ao convívio, estavam amigos, pais e filhos.


A jovem Roxane Malfoy, que tinha sua idade e contava seus 19 anos, era uma moça linda. Grandes olhos acinzentados eram contornados por cílios incrivelmente negros que combinavam harmoniosamente com os fios de cabelo igualmente escuros. A pele era um pouco queimada do sol, devido ao trabalho na terra, mas era encantadora e estava sempre alegre e sorridente.


Não muito diferente era o filho mais velho, Lucio, que no auge de seus 22 anos e cabelos loiros quase brancos, apenas preocupava-se com a saúde e a tranquilidade dos pais. Assumiu os negócios assim que chegaram à pequena terra que os pais compraram a custa de muito suor, e fez esta terra produzir de uma forma que os pais e ela mesma jamais haviam imaginado.


Depois de alguns meses, o jovem Lucio e a bela Narcisa estavam comprometidos. Marcaram o casamento para dali a três meses e em uma festa simples, no quintal da casa onde vivia, o jovem casal se uniu. Depois de mais ou menos dois meses, a jovem esperava seu primeiro e único filho.


Quando nasceu, Draco, que recebeu este nome graças a um avô de Lucio, uniu ainda mais a pequena e feliz família, e tudo parecia perfeito, até que após quatro meses, Lucio descobriu uma pequena fortuna que pertenceria a sua esposa, e consecutivamente, a ele mesmo, após a morte dos pais dela.


E no maior ato de ganância e cobiça, o jovem Lucio matou os dois durante uma festa que aconteceu nos arredores do local. Esperou animado a leitura do testamento e após o recebimento do dinheiro, comprou uma casa um pouco melhor bem mais próxima ao Centro e pouco depois mudaram.


Alguns meses depois, a casa onde seus pais e sua irmã moravam foi misteriosamente incendiada, e os três morreram carbonizados enquanto dormiam. Após o luto, o próprio Lucio tratou de vender o local e com o dinheiro recebido, iniciou um pequeno negócio que lhe rendeu uma boa quantia em muito pouco tempo.


E tudo piorou depois que ele conheceu o senhor Tom Riddle, enviado por um outro que ela conhecia apenas por senhor x. Riddle era um homem bonito e muito atraente e aparentava seus trinta e poucos anos. Com um sorriso encantador e uma postura elegante e firme, ele adentrou em sua família. Ela o admiraria muito se durante uma conversa entre os dois homens, ela não tivesse ouvido atrás da porta a realidade sobre sua vida.


 


- Então senhor Malfoy, eu e meu superior teríamos imenso prazer em recebê-lo em nosso empreendimento.


- Que tipo de empreendimento é esse?


- Algo que fará o senhor conseguir em um dia o que consegue em um ano com essa lojinha.


- E como seria isso?


- Apenas as pessoas que realmente se comprometem em nosso projeto ficam sabendo o que realmente acontece lá dentro. Nós exigimos disponibilidade total da parte dos integrantes e garantimos muito dinheiro e poder àqueles que realmente se fazem merecedores.


- E se eu não quiser participar?


- Eu vou embora e o senhor jamais receberá minha visita novamente e ficaremos por aqui. Porém, eu acredito que não seja isso o que o senhor deseja, tendo em vista seu passado e sua capacidade para realizar atos que consideramos essenciais.


- O que o senhor quer dizer com isso?


- Já que perguntou senhor Malfoy, ficarei animado em informá-lo que o senhor x observa a todos os que para ele interessam, e o senhor, desde algum tempo tem interessado muito para ele.


- Não estou entendendo.


- Digamos que o meu chefe achou muito estranho que do nada um casal que possuía algumas propriedades fosse assassinado, deixando para sua filha, que coincidentemente é sua esposa, uma pequena fortuna em dinheiro.


- Olhe aqui senhor Riddle...


- Não é necessário exaltação, Lucio. Temos observado você há algum tempo e sabemos que foi o senhor que assassinou seus sogros para colocar as mãos na herança da pobre esposa órfã, assim como também sabemos que foi o senhor que mandou atear fogo na casa de seus pais com o propósito de ser o único dono das terras e assim poder vendê-las e iniciar o seu pequeno projeto de melhoria de vida, e isso nós realmente achamos formidável, e em nome de todos os nossos colaboradores, inclusive o senhor x, nós o parabenizamos por seus atos


 


Riddle sorria satisfeito enquanto Lucio estava estarrecido. Havia feito tudo com a maior cautela e nem mesmo a polícia havia achado indícios de que ele era culpado de alguma coisa. Atrás da porta, Narcisa se controlava para não adentrar naquele escritório e matar com as próprias mãos o homem que tanto amou, mas que por ganância, matara sua família.


 


- Como o senhor tem certeza do que fala?


- Ora, ora senhor Malfoy. Vai realmente tentar me convencer do contrário. O senhor acaso acha que se safou da polícia porque não deixou provas? Não, não. Fique sabendo que o senhor x, num grandioso ato de bondade, comprou o delegado responsável pelos dois casos para que o senhor fosse mantido em liberdade e ele pudesse observá-lo ainda mais.


“Também fomos nós que, através do senhor Tiberius Mclaggen, investimos cerca de $50.000,00 em sua indústria, como também ajudamos na morte trágica de seu concorrente, o senhor Evan Abercrombie. O senhor é ambicioso e é por homens assim que temos procurado, e realmente espero a sua resposta positiva para mim e para o senhor ao qual represento.”


- E o que ganho com isso?


- Já disse anteriormente: muito dinheiro, prestígio e uma facilidade incrível em se safar de pequenos problemas como mortes e roubos. E claro, terá acesso a nossas reuniões e poderá crescer muito em nosso meio.


- E se eu não quiser?


- Bem, caso não queira, como disse antes, eu realmente irei embora e o senhor nunca mais receberá minha visita ou a visita dos meus.


- E o senhor fará com que seja preso pelos meus crimes?


- Isso será apenas uma consequência senhor Malfoy, tendo em vista que o senhor não saberia nem teria nada mais da minha parte.


- Então não tenho escolha?


- Claro que tem. Sempre garantimos o direito de escolha das pessoas pelas quais nos interessamos, e o senhor pode escolher entre crescer ainda mais seus negócios e ter dinheiro e poder, ou arrepender-se de seus atos passados e confessar os assassinatos cometidos, e então, será preso e com sorte, dentro de uns trinta anos poderá viver novamente e em paz com sua esposa e seu filhinho, muito lindo por sinal.


- Posso pensar?


- Claro. Em 24h o senhor receberá a visita de um de nossos motoristas e ele o buscará para uma reunião. Nosso senhor x é um homem ocupado, afinal ele tem muitos negócios para cuidar e amanhã nós o receberemos. Ele traçará algumas metas e provavelmente o apresentará aos demais.


“Caso o senhor não compareça, já sabe o que acontecerá e eu não repetirei porque esta conversa já está me deixando irritado. Agora, por favor, chame sua esposa ou outra empregada e me mande servir uma dose de Martini... Estou com sede.”


- Claro que sim - Lucio falou, ele mesmo servindo o homem.


 


[...]


 


- Mas o que droga você está fazendo Sissi? - Lucio perguntou ao entrar no quarto e ver a esposa fazendo suas malas.


- Estou indo embora - ela foi dura.


- Embora? Para onde? Está louca?


- Louca eu estava quando casei com você, seu assassino - a mulher tinha os olhos cheios de lágrimas e o pequeno Draco chorou ao assustar-se com o grito da mãe.


- O que está falando? Está realmente louca, só pode ser - o homem estava nervoso.


- LOUCA? Ainda tem o cinismo de me chamar de louca? Eu ouvi a importante conversa que você teve há pouco com o tal Riddle. Você é um imundo... Matou meus pais... Matou seus próprios pais apenas por dinheiro.


- Queria te dar uma boa vida, ao meu filho e a você.


- Boa vida? Que droga de boa vida? Matando nossa família em troca de dinheiro. Deus... Você é um sujo... Um imundo nojento capaz de matar. Como pude ser tão idiota ao ponto de não perceber os fatos. Você me dá nojo, e eu e meu filho não vamos ficar aqui nem mais um minuto.


- Você não vai embora, está me ouvindo?


- Sim, eu vou e você não vai me impedir.


- Se você passar por essa porta, eu mando te matar ouviu - ele falou seco e a mulher gelou.


- Que tipo de homem é você?


- Um imundo nojento capaz de matar, como você mesma disse.


- Não me importo de morrer. Você já acabou com tudo o que eu amava e acreditava.


- Não? E seu filhinho, você não se importa de ver o garotinho aqui morrer?


- Mas o que está falando? Ficou ainda mais louco?


- Sissi, meu amor - ele falou acariciando cinicamente o rosto da mulher, e em seguida, segurando com força o seu pescoço - Se não tive escrúpulos ao matar os meus e os seus queridos pais por dinheiro, acha mesmo que seria você ou esse moleque chorão que me impediriam de ser muito rico e poderoso?


“Você ouviu o que o senhor Riddle falou, não ouviu? Claro que ouviu - a mulher tentava livrar-se do aperto - Terei passe livre para roubar o que eu bem entender e matar quem eu achar conveniente, e saiba que não vai ser uma vadia idiota como você ou um moleque que só sabe chorar o dia inteiro que vão me fazer desistir dos meus objetivos, está me ouvindo?”


- Você não seria capaz de machucar seu próprio filho - ela estava espantada.


- Quer mesmo saber se seria ou não?


- MONSTRO!


- Sou o que você quiser, mas antes de ir trabalhar, preciso fazer uma coisa.


 


Narcisa foi jogada com força contra a parede do quarto do filho que presenciou em sua inocência de quase um ano Lucio Malfoy espancando sem o menor pudor ou bom senso a mulher que havia prometido diante da família e da igreja amar e respeitar por toda a vida.


Depois de espancá-la, jogou a jovem senhora brutalmente machucada e dolorida com força e maldade sobre a cama, estuprando-a em seguida e lhe proporcionando uma dor muito maior do que a física: a dor de saber que nunca estaria livre.


 


- Isso é para que você aprenda a não mais ouvir atrás da porta e para que saiba que se eu voltar e você não estiver aqui, eu vou procurá-la e encontra-la nem que seja no inferno e vou matar seu filhinho querido diante de seus olhos, e caso se negue, ele receberá o que deveria ser seu, está entendendo? - uma lágrima correu no rosto imóvel da mulher - Está entendendo? - ele gritou.


- Sim. Eu estou.


- Ótimo. Estamos entendidos então. Até a noite campeão - falou bagunçando o cabelo do filho que ainda chorava - E saiba que o que te acontecer de hoje em diante é e sempre será culpa de sua mãe.


 


~~~


 


- Senhor Malfoy - o homem que lia seu jornal calmamente em seu escritório olhou para a garota a sua frente.


- Quem é você?


- Sou Cátia senhor. Comecei ontem aqui - a jovem de aproximadamente 17 anos falou nervosa - Minha tia me indicou para a senhora Narcisa.


- Certo. O que foi Cátia?


- Telefone senhor - ela mostrou o aparelho.


- Quem é?


- Um tal senhor x, senhor.


- Sim, me dê o telefone e saia. E mais tarde quero você no meu quarto, ok.


- Como assim senhor? - a moça ficou nervosa em seguida.


- Apenas quero você no meu quarto mais tarde. As empregadas bonitas sempre são bem vindas aqui.


- Mas senhor, eu sou apenas...


- Não quero saber, agora saia e volte mais tarde.


- Sim senhor - a moça fechou a porta ainda contrariada, pensando seriamente em abandonar o emprego naquele mesmo momento. Estava ali para trabalhar, e não para satisfazer os desejos de um patrão idiota. Tirou o avental rapidamente, e seguindo para as dependências das empregadas, pegou suas coisas e saiu sem que ninguém a visse.

 


- Sim senhor, no que posso ajudar? - Lucio perguntou prontamente.


- Ah... Olá Malfoy, como tem passado?


- Muito bem senhor. E muito melhor agora.


- Sem essa de o senhor é maravilhoso, Malfoy. Nada de puxar meu saco. Preciso de um serviço seu.


- Pode falar senhor.


- Lembra-se de Owen Cauldwell?


- O advogado que queria prender o Karkaroff?


- Sim, ele mesmo. Acontece que esse advogado idiota e sem noção não quis fazer parte de nosso time de defensores, e eu preciso dar um fim nele, mas estou um pouco sem tempo, tive que viajar e volto apenas na próxima semana.


- O senhor quer que eu dê um jeito então?


- Ah sim, se não for muito incômodo para você.


- De maneira alguma senhor, é sempre uma honra ajuda-lo com algo tão prazeroso.


- Ah... Sabia que você não se negaria. Preciso que dê um jeito de tirá-lo da jogada rapidamente, mas não se acanhe em fazê-lo sofrer o máximo possível por mim.


- Ah... Será uma honra senhor.


- Sinto não poder participar, mas tenho coisas importantes para resolver.


- O senhor vai querer alguma parte dele senhor?


- Hum... Não. Quando terminar de torturá-lo, pode queimá-lo ou afogá-lo... Confio em sua criatividade Lucio.


- Sim... Obrigado senhor.


- Tudo bem. Escute. O Tom ficou responsável em vistoriar um novo carregamento de cocaína com o Karkarof. Quero que você fique responsável pelos Owen.


- Mais garotas?


- Sim. O Pedro e o Julius conseguiram mais uma leva de garotas, acredito que no Chile. Pelo que me parece, todas virgens.


- Que maravilha.


- Sim. Foram sequestradas. E depois que o Dr Cadwallader informar as que realmente são virgens, nós a dividiremos entre os clubes e leiloaremos a primeira vez delas.


- Posso pegar alguma pra mim senhor?


- Sim, mas só uma Lucio... Em recompensa por seus bons serviços prestados.


- Ah... Muito obrigado senhor. Eu simplesmente adoro virgens.


- Eu já sei Lucio. A remessa chega amanhã às 23h e você esteja lá esperando os irmãos Owen.


- Estarei lá senhor, sem falta.


- Tudo bem então. Em breve você será informado de quando será nossa próxima reunião.


- Claro senhor. Ficarei aguardando.


- Por agora é só isso. Até breve.


- Até mais senhor - o homem desligou o telefone e discou no interfone da sala para a copa da casa.


- Sim senhor - uma mulher atendeu na copa.


- Mande a Cátia aqui no escritório. Quero conhecê-la.


- A Cátia foi embora senhor.


- Como assim embora?


- Eu a procurei agora e as roupas dela não estão mais aqui.


- Mas que droga. Venha você então. Preciso de uma mulher.


- Sim senhor - a mulher falou aflita - Já estou indo - e em seguida o homem desligou o fone.


- Lucio - Narcisa entrou acanhada na sala.


- O que quer?


- Vim pedir permissão para ir ao mercado.


- Sim vá. Leve o Miguel que eu vou precisar do Rogério.


- Sim. Precisa de algo do mercado?


- Estou pronta senhor - a jovem empregada entrou no salão e Narcisa a olhou.


- Precisa de algo do mercado? - Narcisa perguntou ignorando a cena.


- Não. Preciso apenas que você saia logo daqui.


- Tudo bem. O Draco vai comigo.


- Sim, sim... Leve esse moleque maricas e depois aumente o salário dessa bela moça pelos bons serviços prestados ao patrão.


- Claro Lucio. Como quiser.


 


 


* * *


 


Então, mais um capítulo postado. Por enquanto, como devem ter percebido, estou escrevendo sobre nossos personagens principais, intercalando o passado com o presente e não sei se estão gostando, por favor, me digam se gostam assim.


Estou tentando me ater a fatos e quero passar pra vocês a história de cada personagem, seus passados e como chegaram onde estão nos dias atuais... Opinem


 


PS: Tentando manter uma média mínima de 3000 palavras ^^


 


*** Sobre os comentários, estou feliz demais em ter recebido a todos e respondendo-os rapidamente, eu digo que isso mesmo Jhenny Lass, as pessoas envolvidas com o senhor x são realmente inescrupulosas e impiedosas e ainda terá muita maldade até o final, embora não vá dizer com quem - autora contra spoiller (srsrsrsr). O que você vai perceber com o passar dos capítulos é que por mais que eles tenham passados tristes como a Luna e o Draco - ai acima - a vida deles se liga de formas assombrosas... Continue acompanhando.


E não foi dessa vez que o nosso perfeito Rony brochou - talvez essa cena aconteça - Eliana de Albuquerque Lima. Jovem e másculo como ele é, seria meio que estranho mesmo tendo a Lavander como companheira de transa. Também adoro o Victor, mas precisava de um companheiro de burradas para a Pancy, e achei que ele seria ideal, tanto para o decorrer da história, como para o final que tenho preparado para seu personagem. E também tem sido estranho escrever Rony/Lilá, mas é a minha proposta inicial, então vamos lá.


E você sabia que para fazer a Gina eu estou me baseando em duas grandes amigas advogadas que tenho Lana Sodré? É engraçado porque escrevo ela falando sobre suas coisas advocatícias e parece que estou ouvindo as duas - minhas amigas - É bem gostoso, e como você sabe, adoro usar a Gina e fazê-la sempre forte e amiga. Ela é uma mulher excepcional e uma das minhas personagens preferidas, acho que por isso eu a deixo assim tão forte sempre. Acho que todas nós temos um pouco de Gina e acabamos nos identificando com ela. E sobre os demais personagens, tô agora colocando as histórias de cada um... Não tem problema que demore a ler, belezinha... O importante é que passe por aqui e deixe sempre a sua impressão sobre o capítulo. O que tem achado?


 


Próximo capítulo, provavelmente será Neviluna, mas posso mudar no nada ^^


 


Obrigada a todos os leitores, aos que comentam e aos fantasminhas que apenas o leem.


Bom domingo e ótima semana. Aguardo os Coments :) 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Tati Hufflepuff em 13/11/2013

Ahá! Sabia que Córmaco não era flor que se cheirasse!!! Se um familiar dele está ligado as Indústrias (do monstro sem escrupulos que deve morrer dolorosamente) Malfoy, ele tambéms deve estar... Hermione querida, pule fora já!
E nem vou falar mais sobre Luciius porque estou com odio dele... Nojo,nojo e maaaaais nojo!
Seguindo>>> 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Van Vet em 26/01/2013

  Como argumentar em cima de um crápula como este?  Gente, não há. Fiquei tensa pela Cátia, devo confessar, achei que ele daria um jeito de pegá-la e, bom, já sabe. Pelo menos foi uma que está aceitando ser vendida.. affff. Sobre a Narcisa, pobre mulher, está completamente refém. Se fosse sozinha poderia fugir, ou algo assim, mas teme pelo filho, e dois fugindo é sempre mais difícil que um. No passado e no presente poderia ter tramado a morte dele, mas, mesmo assim, toda aquela gang sinistra a qual ele pertence daria um jeito de trucidada no final. Não consigo imaginar como isso pode virar a favor do bem, é simplesmente uma rede de intrigas.

   Indo pro próximo, e amando ^_^
    BJOS!  

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Violettaa em 01/10/2012

Wow... Capitulo surpreendente, Lucio é um nojento sem escrúpulos nossa a forma com que matou, enganou e se apoderou de tudo ele é desgraçado... Mas acho que esse ser ainda vai dar muitosproblemas desconfio que durante esses tráfegos de mulher Draco vai conhecer Astoria ou talvez ele sequestre sinistramente Mione já que ela esta namorando o mclaggen e eu acho ele sinistro... Nossa  sem palavras... Estou adorando cada capitulo... E isso pessoa adorei *-* apesar de forte o capitulo está Super bem escrito e não deixa de surpreender do começo ao fim, não vou escrever muito senao vai acabar virando uma resenha kkkk...

Beijo, beijo ^_~ 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lana Silva em 30/09/2012

Nossa sabe o que é sentir nojo e vontade matar um personagem? Foi isso que eu senti. Nossa Luciu é nojento. Eu senti muita pena da Narcisa, não entendo como as pessoas podem ser tão gananciosas a ponto de matar alguém por isso. O pior de tudo é saber que existem pessoas como ele por ai, contrabandeando mulheres como se elas fossem nada, vendendo a virgindade de garotas, matando pessoas honestas porque não se aliam a corrupção, por mais que seja triste ver isso, sabemos que é a realidade :/ está em todo lugar no mundo infelizmente! O capitulo retratou muito bem isso, eu tive a impressão de estar lendo um livro, não só pelos detalhes, mas pela historia, realmente está fantastica.
Ahhh que legal *-* a Gina advogada está se saindo maravilhosa, você sabe dar uma vida a Gina, eu particularmente prefiro a Gina assim, forte , decidida, arrasando. Eu até leio algumas fanfics em que a Gina está mais ...Delicada. Também acho interessante,mas prefiro ler esse lado poderoso dela, é talvez todas nós tenhamos mesmo um lado da Gina, com essa determinação e força \O acho que ela vai lutar bastante contra o senhor x e toda essa falcatrua. Pra falar a verdade como a fanfic fala "O mesmo destino" acho que os 5 - sei com o Nev, ou seis com a Astoria - vão lutar para destruir esses caras.
Tive uma ideia vaga sobre quem poderia ser o Senhor x logo no começo do capitulo, pensei que poderia ser alguém ligado ao McLaggen , mas depois que eu vi o sobrenome dele ser citado não sei bem...E também pensei que pode ser alguém ligado aos personagens, tipo o pai da Cho ou da Lilá...Com o tempo eu vou dando meus palpites e tentando descobrir quem esse malvado...
 louca pelo próximo capitulo flr

Beijooos
 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.