FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

11. Capítulo 11


Fic: Aquilo que você não vê DM-HG


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 11


 


Ele viu a decepção passar pelos olhos dela. Ela sentia-se traída. Hermione tentou se afastar, mas ele não permitiu:


 


- Não, Hermione. Chega de fugas. Está na hora de vivermos isso. E hoje você será minha. Para sempre – e voltou a beijá-la sem dar chance para que ela saísse. Ele sabia. Ela sabia. Ela nunca seria capaz de sair.


 


Ela não seria capaz de sair. E estava cansada de fugir daquilo que ambos não viram e esconderam tão bem por tantos anos. Sentiu seu corpo cair sobre o sofá. Draco se desfez rapidamente da gravata que o sufocava. O paletó foi jogado no chão. Voltou a beijá-la. Sentia o toque dele sobre seu corpo. Intenso.


 


- Draco,... – ele ouvia a voz dela gemendo por ele. Quantas e quantas vezes sonhara com isso? Sentia novamente o gosto dela. O gosto que não fora capaz de esquecer, mesmo depois de tantos anos.


 


E Hermione aceitava cada toque. Não raciocinava sobre o que estava fazendo. Sentia os lábios dele percorrerem sua pele. Sentia a língua dele invadir sua boca. Aquilo sim era um verdadeiro beijo. A mão dele pegou a coxa dela com força, sobre o tecido.


 


- Preciso sentir você... – ele murmurou contra os lábios dela. Ajeitou-se e abriu os botões da camisa que a morena vestia. As mãos trêmulas de Hermione faziam o mesmo com a blusa dele. Ela arfou ao sentir o peito dele. Não precisava mais tocá-lo como amiga. Tocava-o como amante. A camisa dela ficou aberta, enquanto a dele foi jogada longe. Hermione passou a mão, seus dedos... as unhas pelo peito dele.


 


Draco fechou os olhos. Hermione aproximou a boca e ele não segurou um gemido ao senti-la beijando seu peito, seus mamilos.


 


- Ainda bem que resolveu fazer um pouco de ginástica... Muito melhor assim que o magrelo que conheci aos 16 anos – ela brincou. Draco riu. Sua mão foi até a nuca dela, puxando-a, com um pouco de força,por seus cabelos. Cinza e castanho.


 


- A partir de agora, Granger, é o único corpo que você toca dessa forma. E eu... o único a te tocar dessa forma – ele disse enquanto apertava um dos seios. Ela gemeu. Hermione e Draco voltaram a se beijar. A mão começou a abrir o cinto, o primeiro botão da calça, o zíper,...


 


E a campainha soou.


 


- Ignore – ele pediu. A campainha continuou a soar. Depois uma batida na porta. E a voz...


 


- Hermione? Está aí? Eu soube sobre seu amigo. Hermione?


 


- Filho de uma puta! – Draco praguejou – Ignore.


 


- Eu não posso – Hermione falou – Eu...


 


- Peso na consciência? – Draco indagou irritado e levantou-se.


 


- Não... Não me arrependo do que aconteceu, do que está acontecendo... Só que eu... – ela dizia com dificuldade, a respiração entrecortada - Eu preciso conversar com ele. - Hermione abotoou a própria camisa de qualquer jeito.


 


- Certo – Draco foi até a porta e Hermione ainda murmurou um Draco, espere. Mas, Draco não ia esperar. Não perderia aquela oportunidade. Abriu a porta com raiva. Sean o olhou. E seus olhos brilharam de raiva. Draco tinha o rosto claro marcado por batom, estava sem camisa. A calça semi-aberta – Simmons – ele cumprimentou dando um passo para trás e abrindo a porta. O outro bruxo entrou e viu Hermione com o cabelo bagunçado e a camisa abotoada de qualquer forma.


 


- Sean,... – a voz dela baixa. Draco fechou a porta e passou por eles dizendo.


 


- Acho que precisam conversar. Eu espero por você no meu quarto. – Hermione olhou para Draco com raiva. Sean estava parado. Cruzou os braços sobre o peito e respirou fundo algumas vezes. Hermione via a mágoa e a decepção nos olhos dele.


 


- Não quero ouvir explicações, Hermione. Eu sei bem o que aconteceu aqui. Você sabe o que eu sinto... E sei que passou por uma perda difícil.


 


- Sean, vamos nos sentar... – ele demorou uns segundos para segui-la. Hermione pegou na mão dele. Os dois em silêncio.


 


- Você o ama, não é? – Sean perguntou – Eu pensei em pedir uma chance, mas a verdade é que nunca tive uma. Não com ele na jogada.


 


- Desculpe... Eu realmente achei que com você... Com você eu pudesse esquecê-lo.


 


Sean soltou-se da mão dela. O azul escuro carregado de tristeza.


 


- Parece que não conseguiu... – ele levantou-se – Eu... Eu queria lutar por você, mas parece que será batalha perdida, não? Você, ao menos, sentiu algo por mim?


 


- Claro, Sean... Eu realmente gosto de você, mas é que com Draco...


 


- Você o ama – o bruxo passou a mão pelos cabelos negros. Seu coração batendo descompassado. – Vamos conversar depois... Aliás, não temos muito o que conversar, não é?


 


- Sean, eu realmente sinto muito.


 


- Tudo bem. Preciso apenas que me dê um tempo. Uns dias... Eu não vou deixar de trabalhar com vocês. Temos uma doença parar curar e... Eu acho que é o mais importante... – Hermione notou que ele começou a falar de forma rápida e nervosa, como que para se defender, para não pensar. Ele tinha acabado de ser traído. De ser trocado. Ela não ouviu suas últimas palavras, mas viu que ele se dirigia até a porta.


 


Hermione o acompanhou. Não sabia o que dizer.


 


- Espero que ele te faça feliz como você merece, Hermione – foram as últimas palavras de Sean, antes que ele desaparatasse.


 


Hermione subiu as escadas e abriu a porta do quarto de Draco. Fechou a porta atrás de si e deu alguns passos. Ele estava deitado, ainda sem camisa. Tinha tirado as meias e os sapatos. Um braço atrás da cabeça e o outro sobre a barriga. A calça semi-aberta deixava entrever um pedaço de sua boxer preta. Ela mordeu o lábio inferior. Os olhos fechados.


 


- O idiota já foi embora? – ele perguntou simplesmente.


 


- Não precisava ter feito isso.


 


- Não fiz porque precisava, fiz porque quis – ele mudou de posição, deitando de lado e olhando-a – Fiz porque ele que precisa entender que agora está comigo. Venha – Draco disse, o tom autoritário.


 


- Acha que é assim? – ela perguntou segurando um sorriso.


 


- Você vem por vontade própria ou vou precisar te agarrar? – o loiro indagou, erguendo uma sobrancelha e indo até a beirada da cama. Ela não respondeu. Começou a desabotoar a própria camisa, fazendo com que caísse pelos ombros.


 


Draco levantou-se e Hermione andou para trás. Até alcançar a porta. Draco apoiou as duas mãos na porta, uma de cada lado da cabeça dela.


 


- Saiba de uma coisa, Granger. Aliás, duas: apesar de estar ficando repetitivo te prensar contra uma porta, nunca vou me cansar disso. Segunda: esse fim de semana você não sai da minha cama, – ele beijou a bochecha dela, seus lábios roçando com os lábios dela – não sai de perto de mim – ele beijou o maxilar dela, abaixou o tom de voz e completou – e eu não sairei de dentro de você.


 


Draco a puxou pela cintura, Hermione passou a mão pelos fios loiros. Beijaram-se. Logo Hermione tinha suas pernas envoltas na cintura dele. Ele levou-a até a cama. Gemeu ao sentir a intimidade dela roçando contra seu membro. Ele tirou o sutiã dela:


 


- Você é linda... Tão linda... Sonhei tanto com esse dia, Mimi... – ela sentiu a boca dele nos seus seios. Gemeu alto. O nome dele.


 


Logo as roupas iam se acumulando no chão. Os corpos se tocando como nunca se permitiram. Ele a penetrou, enquanto Hermione fincava as unhas nas costas dele.


 


- Hermione... – ele disse, ele gemeu, ele murmurou. Não era apenas o prazer físico que dominava seu corpo. Era o prazer de estar fazendo amor com a mulher que amava. – Eu te amo – ele disse enquanto a penetrava. Com força. Com desejo.


 


E a morena olhava-o, perdida no cinza. Poderia odiá-lo por ter escondido e mentido por tanto tempo, mas quanto tempo mais ficaria longe dele? Quanto tempo mais se privaria daquela sensação. De amá-lo? De tê-lo dentro de si?


 


Fechou os olhos ao sentir a excitação chegando.


- Não – ele pediu- Olhe para mim...


 


E ela olhou. E agora, ambos podiam ver a verdade que esconderam por anos.


 


---


- Você não vai me contar mesmo como faz a distribuição sem ser pego?


 


- Será que poderia parar de me encher com isso?


 


- Eu financio essa porcaria, é meu direito! – Seth disse olhando com frieza para o homem negro à sua frente que sentiu raiva. Seria sempre assim sua vida?


 


- É um peso grande saber quem me ajuda.


 


- Acho que posso lidar com isso – Seth respondeu de forma arrogante.


 


- Tudo bem... Falarei com ela.


 


- Uma mulher? – indagou com certo desprezo.


 


- Continue com esse discurso e tenho certeza que não dura muito tempo nas mãos dela. Não se preocupe. Ela saberá onde e quando te encontrar.


 


---


 


O corpo de Blaise foi enterrado no final da tarde de domingo. Era uma cerimônia simples e reservada. Draco e Hermione voltaram para casa e amaram-se mais uma vez. E outras vezes. Ambos tentando apagar um pouco a dor da perda.


 


Na manhã de segunda-feira, Hermione foi até o quarto de Molly e notou que ela estava abatida. Artur, ao seu lado, era a imagem do desespero e da desolação. Hermione respirou fundo sabendo que não poderia esconder-se para sempre.


 


Infelizmente, nada parecia curar aquela doença. Os feitiços e poções do grupo de Sean apenas retardavam o inevitável. E Hermione sabia que Molly seguia para o mesmo caminho, mas ela, entretanto, conseguia encarar os Weasley, pois sabia que estava fazendo tudo o que estava a seu alcance..


 


Quando Hermione chegou ao laboratório de Sean, acompanhada de Draco, na quarta para trabalhar os dois foram tratados com extrema hostilidade por Maris, Frank e Adam. O clima era tenso no ambiente até que Sean interrompeu o trabalho:


 


- Escutem, esse comportamento é ridículo.


 


- Não somos crianças para ouvir sermão, Simmons...


 


- Draco, por favor. – Hermione pediu olhando para o loiro. Sean ignorou o comentário e continuou.


 


- Nós temos um trabalho a fazer, uma cura para encontrar...  Cada vez mais pessoas, bruxas ou não,  estão dando entrada no hospital. E precisamos trabalhar juntos. Deve haver, pelo menos no campo profissional, o mínimo de respeito... e confiança...


 


- Confiança? É difícil confiar em alguém que te traiu – Maris falou, irritada. Hermione encarou o chão, envergonhada. Draco levantou-se para defender a morena, mas sentiu a mão dela, em seu braço, impedindo-o. Abriu a boca para falar, mas Sean tomou a iniciativa:


 


- Maris, isso assunto entre Hermione e eu. Ela... – ele respirou fundo – Ela fez uma escolha e cabe a mim perdoá-la ou não. Acontece que temos uma prioridade aqui. Achar a cura dessa merda de doença.


 


Todos se entreolharam. Hermione lançou um breve sorriso para o ex-namorado, mas ele não respondeu. Simplesmente virou de costas e voltou às suas pesquisas.


 


---


- Eu sei que esse não é um bom momento – Hermione disse encarando os amigos que a olhavam de forma curiosa. Rony estava pálido e grandes olheiras eram visíveis. Harry também parecia abatido.


 


- O que houve? É sobre minha mãe? – Rony perguntou, de pronto.


 


- Não, Rony. Infelizmente não estamos tento grandes avanços, mas Neville descobriu uma nova planta que pode surtir algum efeito na contenção das brotoejas. Eu vim falar sobre outra coisa...


 


- Então diga – Harry falou de maneira prática. Hermione tomou um gole de sua cerveja amanteiga, não sabendo por onde começar.


 


- Tem algo que aconteceu há muitos anos. Algo que nunca contei para vocês...


 


Os dois amigos se entreolharam, sem entender...


 


- Quando estávamos no sexto e fui incumbida de cuidar de Draco... Depois que – ela olhou para Harry, que tomou um gole de sua cerveja – Bom, eu...


 


- Hermione, nós sabemos que vocês acabaram ficando mais próximos, que ele mudou de lado na guerra... – o ruivo a interrompeu – Onde você quer chegar com tudo isso?


 


- Acontece que foi mais que amizade, Rony. Eu me apaixonei por Draco naquela época. Nós ficamos juntos... – Rony e Harry arregalaram os olhos - Ele pediu que eu não fosse viajar com vocês. Quando voltamos... Bem... Não conseguíamos nos entender, mas eu ainda estava apaixonada por ele.


 


- E Zabini? – Rony perguntou, de repente. Harry deu um cutucão nele. Hermione encarou o copo vazio e pediu outra cerveja, antes de continuar – Desculpe...


 


- Blaise foi uma pessoa que eu gostei muito. Muito mesmo. Mas... Nós terminamos, ele terminou por que percebeu como eu me sentia em relação ao Draco. Ele percebeu que eu era apaixonada por ele... E eu fui apaixonada por ele durante todos esses anos. Eu sou apaixonada por ele.


 


- Espera, espera – Rony disse, inclinando-se sobre a mesa. Os olhos verdes de Harry estavam fixos em Hermione – Você está querendo dizer...


 


- Serei direta, Ron. Estou dizendo que amo Draco Malfoy. Estamos juntos... Ele me ama também – Harry virou sua cerveja. Rony soltou uma risada irônica.


 


- Isso é algum tipo de brincadeira?! – o ruivo perguntou – Malfoy? Olha, esse lance de vocês morarem na mesma casa nunca me desceu muito bem... Mas você está mesmo nos dizendo que terminou com Sean para ficar com Malfoy?


 


- Não vejo problemas com isso já que ele mudou muito...


 


- Bom, eu vejo problemas... – Rony disse levantando-se e jogando algumas moedas sobre a mesa - O cara foi um escroto com você durante anos. Só espero que não fique apenas transando com ele e achem uma cura pra doença da minha mãe. Acho melhor não nos falarmos por um tempo, Hermione – o ruivo saiu, empurrando algumas pessoas e ignorando os xingamentos.


 


- Rony! – ela tentou, mas o ruivo já tinha sumido. Ela voltou-se para Harry que olhava a tudo impassível. E ela sabia que aquele não era um bom sinal – Harry,... Você sabe como me sinto em relação a ele.


 


- Você não contou que ficou com ele. Pensei que fôssemos seus melhores amigos, Hermione.


 


- Vocês são...


 


- E durante esses anos todos... Foram quase dez anos, Hermione... Tem quase dez anos que você ficou com o Malfoy e não achou que seria importante contar para nós?


 


- Naquela época eu o beijei apenas duas vezes e depois foi a loucura da guerra, caça às horcruxes e quando voltamos...  – ela deu outro gole da sua bebida - Draco não aceitou muito bem o fato de eu ter ido com vocês e não ter ficado com ele.


 


- Que novidade – Harry soltou uma risada irônica pelo nariz – Malfoy agindo como um mimado filho da puta.


 


- Não fale assim. Ele errou. E eu o perdoei. Ele foi um grande amigo.


 


- Pelo visto bem mais amigo que Rony e eu... – Harry falou, o tom amargurado - Sempre


 


- Não diga isso, Harry... Você sabe que tem um lugar especial na minha vida – o moreno levantou-se, também jogando algumas moedas sobre a mesa.


 


- Sei? Eu achei que tinha. Você escondeu isso de nós por muito tempo, Hermione. Poderia ter nos contado, óbvio que não gostaríamos... Achei que confiava na gente. Depois nos falamos.


 


Hermione viu o amigo passar ao seu lado, indo em direção à saída. Sabia que seria difícil, mas não tanto. Viu que a quantia na mesa era suficiente para pagar as bebidas e resolveu que o melhor seria voltar para casa.


 


---


Draco abriu a porta quando ouviu a campainha soar, estranhando quem poderia ser. Hermione tinha saído com os amigos para contar sobre o relacionamento deles e sabia que ela aparataria ou viria por flu. E, sem dúvida, chegaria magoada. O loiro sabia muito bem o que os babacas amigos dela achavam dele. Por isso preparou um jantar caprichado e colocou um vinho para gelar.


 


- Astoria?


 


- Posso entrar? – ela perguntou.


 


- O que você quer?


 


- Apenas conversar. Juro - Ele deu um passo para trás, dando passagem para ex-namorada – E onde está a Granger?


 


- Saiu com os amigos – ele disse, seco.


 


- Não vai me oferecer nada para beber? – Astoria perguntou, sentando-se.


 


- Você veio aqui apenas conversar. Não vou servir nada. Diga logo o que quer. – o loiro sentou-se numa outra poltrona, afastado dela.


 


- Você sabe o que quero. Quero você. – ela disse, diretamente.


 


- E sabe que isso não é possível. Ainda mais porq-


 


- Vai ficar babando atrás da Granger quanto tempo? – ela disse, irritada – Granger jamais daria uma chance para você. – Draco levantou-se, caminhou até a porta e abriu-a.


 


- Saiba que ela já me deu essa  “tal chance” e ando fazendo outras coisas atrás de Hermione. E babar não é uma delas. Melhor encerrar nossa conversa aqui.


 


Astoria encarou as mãos e suspirou resignada. Quando olhou para Draco, o loiro desviou os olhos. Viu tristeza.


 


- Eu queria apenas... tentar... Eu realmente te amo. Só que... No fundo – ela respirou devagar – Eu sempre notei o modo como se olhavam. Você nunca me olhou da maneira que olha para ela. E isso desde Hogwarts... Você nunca teve ciúmes de mim, já com ela... Eu notei. Eu sempre notei, Draco.


 


Ela levantou-se e arrumou suas roupas de forma elegante. Passou a mão pelos cabelos. Andou até a porta e parou de frente para ele. Draco não dizia nada. Não tinha nada para dizer. Astoria, assim como ele, merecia encontrar alguém.


 


- Astoria, eu...


 


- Não preciso da sua pena, Draco – ela disse levantando levemente o queixo – Espero que seja feliz...


 


Ela passou por ele e sumiu no ar. Obviamente nenhum dos dois notou um bruxo que os observava, já que ele estava sob o feitiço da desilusão. Assim que viu a bruxa sumindo, Seth fez o mesmo.


 


Hermione aparatou em casa nesse instante e encontrou o namorado parado, a porta aberta.


 


- Draco? Está tudo bem? – ela perguntou.


 


- Sim... É... – ele fechou a porta e passou a mão pela nuca – Astoria esteve aqui. Ela acabou de ir embora.


 


Hermione jogou a bolsa no sofá e cruzou os braços. Aquela não estava sendo uma boa noite...


 


- Astoria?


 


- Sim, ela...


 


- Eu sei bem o que ela queria, Draco. Não precisa falar. – ele se aproximou e descruzou os braços dela, entrelaçando seus dedos e impedindo que ela se afastasse.


 


- Eu te amo, Hermione. Há tanto tempo... e te amarei por tanto tempo... – Draco disse, puxando-a para si – Que é inimaginável minha vida sem você – sua mão direita foi rapidamente para nuca dela, e encerrou o espaço entre eles, beijando-a com paixão.


 


---


Harry chegou em casa nervoso. Bateu a porta com violência. Parvati, que estava lendo na sala, olhou-o, assustada.


 


- O que houve?


 


- Hermione. Ela está com Malfoy – ele disse passando por ela e indo até um armário, tirou de lá uma dose de uísque de fogo.


 


- Ela está feliz? – Parvati perguntou.


 


- Sim. Só que isso é uma ilusão. Qualquer um sabe disso.


 


- Por quê? – Parvati perguntou. Harry olhou para a mulher. O rosto tenso.


 


- Porque estamos falando do Malfoy.


 


- Sim, o garoto que cometeu erros na adolescência e há anos mudou de lado. Ele te ajudou e você sabe disso.


 


- Não apaga o que ele fez antes. Não quero conversar sobre isso. Não agora.


 


- Ultimamente você não quer conversar sobre nada – a indiana disse, levantando-se.


 


- O que disse? – Harry perguntou, apesar de ter entendido muito bem a resposta dela.


 


- Nada. Boa noite, Harry – ela sumiu pela escada, deixando o homem absorto em seu uísque e em seus pensamentos.


 


---


- Neville! – Gina exclamou surpresa ao ver o namorado chegar em casa. Era comum ele estar em Hogwarts ou ocupado no preparo das poções. Ele estava trabalhando muito mais agora e estava lidando diretamente com Draco Malfoy.


 


- Oi, Gina! – ele disse, a voz demonstrando todo seu cansaço. Os dois se abraçaram e ficaram um tempo em silêncio. Esconder de Neville, e de todos, seu beijo em Harry estava a perturbando profundamente. Ela tinha decidido contar à sua amiga, mas com a morte de Blaise e a doença de sua mãe, as coisas se atropelaram – E sua mãe?


 


- Hoje Bill ficará com ela. Meu pai não sai daquele quarto de jeito nenhum, mas estamos fazendo um rodízio, assim ele pode descansar um pouco. Vai passar a noite aqui?


 


- Sim, se você não se importar – ele disse. Gina sorriu.


 


- Claro que não – os dois sentaram-se, as mãos dadas.


 


- Gi, eu sei que esse não é o melhor momento, com tudo que está acontecendo, mas... Tem algo que você quer me contar? – ela sentiu o rosto esquentar.


 


- Algo? C-como assim, Nev?


 


- Eu não sou tão estúpido quanto as pessoas julgam. Eu notei os olhares entre você e Harry.


 


- Não há nada entre nós – a ruiva respondeu rapidamente, sabendo que aquele seria o momento de contar ao namorado a verdade. Ele fitou-a em silencio.


 


- Gina... Desde que estamos juntos eu luto contra a sombra que foi Harry em sua vida.


 


- Eu realmente te amo, Nev – ela disse, aproximando dele.


 


- Eu não duvido, Gina... Mas... Me pergunto se você, algum dia, deixou de amá-lo.


 


E, para isso, Ginevra Weasley não teve resposta.


 


---


 


Astoria entrou em casa e fechou a porta com força. Ordenou que seu elfo trouxesse um vinho e foi atendida prontamente. As lágrimas presas em seus olhos. O coração quebrado. Sabia que tinha perdido Draco. Só que também seria muito egoísmo continuar insistindo... Seu lado sonserino lutando contra suas emoções.


 


A campainha tocou e um elfo foi atender. Ele voltou com um cartão. Astoria arregalou os olhos quando viu o nome inscrito de forma elegante no pergaminho. Autorizou a entrada do inesperado visitante.


 


- Não acredito! – ela disse, alegremente.


 


- Astoria Greengrass – o homem falou – Quanto tempo! – eles se aproximaram e abraçaram-se amigavelmente.


 


- Quer um vinho? – ele aceitou. A loira o serviu e indicou uma cadeira – O que faz por aqui? Achei que estava na... Romênia?


 


- Sim, estava. No entanto... Voltei. Uma oportunidade de negócios chegou até mim e foi... irrecusável.


 


- Entendo... – ela disse, bebericando da sua taça – E veio até aqui por quê?


 


- E preciso de motivos senão para matar a saudade de minha amiga de infância? – Astoria riu gostosamente.


 


- Se tivesse ido para Hogwarts, certamente seria da Sonserina – ela disse, piscando – Agora me diga: o que faz aqui, Seth?


 


- De uma forma indireta você faz parte dos meus negócios.


 


- Ah é?


 


- Sim... Eu soube do seu rompimento com o Malfoy. – Astoria ajeitou-se em seu lugar e serviu mais vinho a si mesma.


 


- E o que isso tem a ver com você?


 


- Ora, ora – o homem continuou, terminando sua taça e aceitando mais vinho – Acredito que temos uma causa em comum...


 


- Uma causa em comum? – Astoria não era tão burra e queria saber aonde aquela conversa chegaria.


 


- Ele trocou você por uma sangue-ruim, não trocou? O Malfoy. Lembro muito bem dos discursos da família – Seth falou.


 


- Há muitos anos Draco Malfoy não é mais o mesmo. E há muito anos o discurso dele mudou. – Astoria falou, com firmeza.


 


- E se houvesse um jeito... Um jeito de trazê-lo para você novamente? – aquela era uma proposta tentadora. Ambos sabiam disso.


 


- Se houvesse um jeito ele seria meu, Seth – ela bebericou seu vinho. O fitava mantendo um ar superior –


 


- Há um jeito... Podemos nos tornar aliado. Eu posso te ajudar.


 


- Não há. Ele está apaixonado pela Granger e nada fará com que ele desista dela. Conheço Draco muito bem. Você não o conhece. Ele não é mais aquele garotinho magrelo e medroso, Seth.


 


- Astoria... Eu conheço sua família. Nossos pais foram grandes amigos e sei como pensam. Como sua irmã pensa... Eles apoiariam o meu plano. Você apóia meu plano e será a senhora Malfoy mais cedo do que imagina.


 


A loira encarou a taça. Sim, era seu sonho desde adolescente ser a senhora Malfoy. Casar com Draco...


 


- E qual é seu plano?


 


Ele sorriu de lado e ajeitou-se no sofá. Tinha conseguido uma aliada.


 


- Meu plano é eliminar o maior número possível de sangue-ruins – ela retesou o corpo, mas conseguiu disfarçar. Manteve o sorriso. Assassinato não estava em seus planos. Não mesmo... O bruxo à sua frente estava tão entretido na sua fala que não percebeu a pequena alteração em Astoria – Estou trabalhando com alguém que já está me ajudando nisso. O melhor é que os trouxas também estão morrendo. Sabe o que isso significa? – ela negou com a cabeça – O mundo será dos bruxos de sangue-puro. Infelizmente, alguns estão morrendo no processo, mas mudarei isso rapidamente.


 


Ele ficou em silêncio e o olhar dela dirigiu-se para o Profeta que estava sobre a mesa. Há semanas que a matéria de capa era sobre as misteriosas mortes. Ela sentira e muito a perda de Blaise. Não fora chamada para o enterro, mas compareceu no cemitério no dia seguinte.


 


- Você... Não... – ela levantou-se rapidamente, a taça escapou de suas mãos – Não, Seth... Você não pode estar envolvido nisso! – ele não precisava responder, para ela ter sua confirmação – Blaise Zabini morreu! Você brincou com ele quando criança! Seth, isso é loucura!


 


- Não, não é! Você não vê? – ele disse aproximando-se dela – É o futuro do mundo bruxo! Eles jamais encontrarão a cura. Apenas uma pessoa sabe!


 


- E você pretende o que? Matar a Granger? – ele assentiu – Draco não ficaria comigo se a perdesse dessa forma... Ele... – ela engoliu a saliva com força – ele a ama, Seth. E eu o amo o suficientepara não fazê-lo sofrer dessa forma...


 


- O que está dizendo? Está negando seus ideais? – o homem colou a taça sobre a mesa, com força.


 


- Não é isso! Mas pessoas inocentes, como Blaise, estão pagando por isso. Ele era puro sangue!


 


- Era, mas também era um traidor... – ele disse, indiferente.


 


- Saia. Saia da minha casa agora. – Astoria estalou o dedo. Estalou novamente. Seth sorriu perversamente.


 


- Precisei tomar uma precaução... Seu elfo não vai aparecer. Está imobilizado no hall... – a bruxa tentou pegar sua varinha, mas ele já tinha a sua a postos. – Última chance...


 


- Não vou me aliar a você... O que está fazendo é errado, Seth. E você vai pagar por isso.


 


- É o que vamos ver... Sectumsempra – ele disse. Astoria abriu os olhos ao ouvir o feitço e seu corpo foi ao chão com violência. Não pôde evitar um grito. Seth pegou seu cartão sobre a mesa. Ignorando a poça de sangue que se formava ao redor da bruxa. Ao passar pelo hall, lançou um Avada no elfo que estava imobilizado.


 


Sumiu no ar sem que mais ninguém soubesse da sua presença naquela casa.



 



 -------


 


N.B: Uau que capítulo hein? E as cenas de Draco e Hermione? Perfeitas. E o rolo entre Gina e Harry? Já disse para autora que o meu voto é para que Neville dê um chega para lá no Harry. O que acham? Bem é isso, chuchus. Mais um cap. betado! Bjus Maris


 


N.A.: capítulo menor e mais leve que o anterior... Aqueles caps intermediários... Acredito que não falte muito para fic chegar ao final! Obrigada por todos os comentários elogiando o capítulo e tb as partes que gostaram! Isso me ajuda bastante!!! beijosss, Ártemis

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 20

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Estefany em 23/09/2012

Uma fic extremamente viciante,achei fantástico o fato da Astoria ter sido leal ao seus sentimentos pelo Draco,e não ser aquela tipica vingancinha de mulher ressentida,sinceramente não quero que ela morra,talvez se alguém chegar a tempo...Ela poderia ficar com o Sean,iria adorar ver os dois juntos ,quanto ao Harry poderia resolver seu problema com a Gin,em fim muito perfeita esta fic,não aguento mais esperar pelo próximo capítulo,ameei dramione,simplesmente perfeito!

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Undiscovered em 04/09/2012

que surpresa a astoria! passou de menininha futil pra mulher madura de um jeito irreconhecivel! muito bom

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por H. Granger Malfoy em 24/07/2012

adorei a Astoria nesse momento, ela apesar de tudo que falavam sobre a futilidade dela e tal se mostrou realmente verdadeira quanto a seu sentimento e tambem uma pessoa com carater, nao foi aquele cliche de sempre onde a mulher desprezada quer se vingar!! Draco e Hermione finalmente juntos, lindos demais!! E essa ceninha de harry e rony...vou nem comentar, eles sabem da loucura que a mione sente pelo draco, ela eh loucamente apaixonada por ele, eles deviam pelo menos tentar apoiar!!! Acho que draco e hermione ainda tem que ter uma conversa mais esclarecedora sobre o que aconteceu entre eles durante esse tempo em que nao se declaravam, isso eh muito importante!! E qunato a harry e gina, nao acho que deveriam ficar juntos nao... gostei da gina com o nev, mas o harry tem que arranjar outra porque essa esposa dele eh muito sem sal!!! Espero que nao demore muito a postar  proximo capitulo, porque eu realmente gostei MUITO dessa fic!! E queria pedir mais cenas dramione com aquelas conversas dele sobre umas curiosidades do passado, a cena dele descobrindo sobre a pocao polissuco no segundo ano foi muito boa!! kkkk

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Rosie Bolger em 17/05/2012

Amei!!!! como sempre perfeita!

postaaaaaaaaaaa logooooooooooooooooooo vaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Júlia rodrigues valente em 23/04/2012

O que foi que eu disse mesmo sobre fanfic Dramione?

Confesso ter chorado litros no capitulo em que o Blaise morreu, não esperava isso, De verdade. Mas mais do que isso espero que eles arrumem uma cura logo, pois não poderia imaginar a doce Molly Weasley. morrendo, e muito menos a reação dos adorados filhos dela. 

Espero que de continuação nesta incrivel fanfic. Beijos  

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Serena Sly em 09/04/2012

Caraca...tu está acabando com todas as minhas suposiçoes..juro que achei que era a Astorias a mulher que distribuia e agora ela morreeeeeeeeeeee...assim não dá...No fim vai ser alguem que não fazia a minima ideia kkkkkkkk..

Nc perfeitaaaa, sexy e suave ao mesmo tempo... Tadinho do Neville, ele ama a Gina e ela tbm o ama...deveriam continuar juntos e o Harry se acertar com a esposa e o Rony se foder hahahahahahhaha que ceninha patetica dos dois..tipico deles e a famosa "amizade" que não pode ser traida....I Hate Harry/Rony.

O duro de chegar no ultimo cap escrito é que vou ter que esperar angustiadamente.... e isso é torturante... mas vamos a classica então kkkk

Postaaaaaaaaaaaaaaaaaa logoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo hahahahahahahha....
Cap perfeitoso e sei que não cabe, mas uma nczinha ia ser lindo hhahahahahha

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por juliana vieira em 07/03/2012

nossa, que capitulo mesmo

espero que ninguem estrague essa felicidade dos dois. se algum dos dois cair doente, espero que seja bem proximo da cura.

se a astoria morrer, ela poderia tentar passar uma mensagem pra draco de alguma forma, dizer quem é a pessoa que esta fazendo essas coisas

adoro essa fic

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Prado Soares em 01/03/2012

internet lesada ¬¬ ameeeei o capítulo!!! *--* finalmente os dois estão juntos!!! Ainda fico triste pelo Blás, adoro ele xD Só u-m-a pessoa sabe a cura? Jura??? Vc adora torturar a gente né??? kkkkkkkkk fiquei com dó da Mione, por causa do Harry e do Rony... A Gina e o Harry devem estar numa confusão só, depois do beijo... Que bagunça!!! Não vou pedir o próximo cap, pra vc nao me matar, mas vc sabe que não pode demorar né? pelo amor de deus!!! E não esquece de liberar spoilers sempre pra gente xD

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Tonks Fenix em 28/02/2012

Outro ótimo capitulo! 
Amei ver o Draco e Mione juntos finalmente, eles merecem tanto ser felizes...
O Ron e Harry foi bem idiotas nesse chapter, pqp nem ouviram o q ela tinha pra dizer... anyway, foi esperado, eles são obtusos.... kkkk
Fiquei com peninha da Astória, tomara que ela não morra e ajude eles a desvendar o mistério, não quero que a Molly morra!
E tb torço pro Neville, esse Harry está sendo um babaca completo, e o Nev tá tão amor...
Bjinhus e muita inspiração pra ti! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Ju Fernandes em 27/02/2012

AAAAAAAAAAAAAAAAH como eu já imaginava a cara do Sean foi impagáveeeeeeeeel!!!!!!!!!
Agora, fiquei com pena da Astória... No fundo ela era uma boa pessoa e amava o Draquinhoooooooo!
Agora esse Seth deveria morrer da própria doença, digo, provar do próprio veneno.... 
Aiii Santa mãaae, quero maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaais!
E Harry e Rony ein... Dois BABACAS como sempreeeee.
Parabéns, cap foda.
Beijooo 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por jessica salicio da silva em 27/02/2012

Lindeza demais. Acho que to enlouquecendo de tão boa que ta essa fic. Artemis sua linda! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Milena Pinheiro em 26/02/2012

e tem como nao achar bom ? gostei muito mesmo ! #ansiosa *-*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Ever Potter em 25/02/2012

faz tanto tempo que eu não me emociono com uma fic, tu não tem ideia todas as fics q eu to lendo o autor não att a uns 6 meses no minimo, eu comecei a ler a fic super curiosa e agora to chorando de morrer com a morte do blasie. a unica coisa que tenho a dizer pra voce é PARABENS voce tem um grande talento e pelo AMOR de DEUS não demora pra att!!!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Audrey Belliux em 24/02/2012

Ai, voce tem uma previsao de quando sai o proximo capitulo? To mega curiosa. 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Her Granger Malfoy em 15/02/2012

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Draco poderia gritar: Perdeu! Perdeu! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Ju Fernandes em 14/02/2012

hahahahahahahaha pagaria pra ver a cara do Sean! kkkkkkk

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Cristina Granger em 13/02/2012

Nossa estou super anciosa.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Landa MS em 13/02/2012

que fic é essa que vcs ganahm vida como personagem? Tem poste dela?

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Iasmim Costa em 13/02/2012

AAAAI NÃO VEJO A HORA DE LER O PRÓXIMO CAPÍTULO! *-*

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por jessica salicio da silva em 13/02/2012

Gostewi e muito desse comunicado *-*

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.