FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. Mudanças e decisão.


Fic: Lagrimas e Sangue


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

NT/A: Bem como voces podem ver ate agora, a historia não é um segmento, ela vai pulando, explicando aos poucos o que aconteceu e o que acontece, e o que acontecerá.
porem esse capitulo ficara apenas num unico lugar, a casa dos blacks.porem mostrara um pouco o que provavelmente aconteceu com a Hermione.
_---------------------------------------------
Aproveitar esse espaço e também agradecer o comentario da Anna, muito obrigada ^^ amei o seu comentario. e espero que esse capitulo ajude um pouco mais suas duvidas XDDD
e obrigada para quem esta lendo a fic também ^^mas não comenta u.u

comentem i.i

apreciem o quinto capitulo, pois eu mesma amei em escreve-lo *.*


5° capitulo: Mudanças e decisão.

Quando ele saiu do quarto, senti-me angustiada, queria gritar, xingar, bater e chorar. E em meio a tudo isso eu apenas consegui fazer a ultima opção. Chorei durante um longo tempo, estava me sentindo sozinha ali, estava nas mãos daquele que sempre odiei, mas o mesmo me surpreendera, ele poderia de continuado sem que alguém descobrisse o que se passava ali, afinal a Ordem não fazia idéia que Hermione Granger estava no mesmo teto que o desprezível Draco Malfoy. Porem ele não o fez, não terminou o que começara, e ainda pedira desculpas para mim. Definitivamente aquilo mexera comigo. Contudo as lagrimas caiam, elas tinham que cair, eu precisava que elas caíssem.
Fiquei encolhida na cama, tinha sobre mim o lençol da mesma.Minhas lagrimas caiam desesperadamente dos meus olhos, enquanto eu soluçava. Ele adentrou o quarto minutos depois, e se se encostou ao batente da porta, meus olhos embaçado o olhou de relance, e mesmo que não visse o rosto dele claramente, via que o mesmo tinha uma expressão dolorosa. Estaria ele sofrendo ao me ver daquele jeito?
-eu pequei uma camisa minha, e encontrei essa calça no quarto onde eu estou, parece a sua cara.-disse ele em tom de brincadeira, como se quisesse quebrar aquela atmosfera perturbadora que nos envolvia.
Dei um sorriso fraco, e sequei a minha lagrimas, sentando na cama.
Ele colocou a roupa sobre a cama, e reconheci a calça, ela realmente era minha, esquecera ela ali na ultima vez que tinha ido para a casa dos Blacks.
-obrigada.-agradeci pegando as roupas.
-não foi nada.-disse já virando as costas.
-malfoy.-o chamei, se eu queria entender o que se passava na mente dele aquele era o momento.
-sim Granger. –disse ele se virando me encarando com uma expressão seria no rosto.
-o que esta acontecendo, aonde você que ir com tudo isso?
-onde eu quero ir?-perguntou ele se mostrando mais confuso que eu.-definitivamente não sei Granger, a única coisa que eu tenho certeza é que não suporto mais essa guerra, como também não agüento a incerteza de sair vivo ou morto de tudo isso.
-eu entendo, é o mesmo que sinto...-falei olhando firmemente em seus olhos.-alem disso eu queria rever meus amigos, meus pais...E tirar de cima de mim a culpa...
As lagrimas começaram a cair novamente, virei meu rosto e fitei a parede com manchas.
-chorar não adianta.-disse ele friamente.-eu pensei que você já tivesse percebido isso.
-e quem disse que choro para resolver algo.-disse com firmeza, mesmo que as lagrimas ainda caiam.-eu choro, pois necessito chorar, as magoas que estão dentro de mim não saí sozinha, eu preciso libertar ela...E as minhas lagrimas é um modo de fazer isso.
Ele me olhou intrigado, ate parecia que podia ler tudo que estava em minha mente, será que não poderia? Afinal para quem trabalhara ao lado de Voldemort, quem teve um pai comensal, ser leglimence, seria só uma conseqüência.
Dei um suspiro frustrado, e desviei o meu olhar do dele, secando novamente as lagrimas.
-é melhor você se trocar, depois desce para comer, o monstro preparou o almoço.-disse ele saindo dali.
Eu me levantei, encostei a porta e por fim vesti a roupa que ele trouxe-me. Arrumei o cabelo da melhor forma possível, e sai do quarto. Logo que cheguei na cozinha, monstro começou com seu discurso de sangue ruins e tudo mais, dei de ombro e me sentei.
-monstro nem pense nisso.-malfoy disse ao adentrar a cozinha.
Olhei para trás e vi Monstro com uma faca na mão, e só merlim sabia o que o ele pensara em fazer.
-guarda isso e coloque a comida para mim e para senhorita Granger.-disse ele docilmente.
Encarei Malfoy nervosa, ele realmente estava enlouquecendo, cada minuto ele tomava uma nova personalidade.
Ele se sentou defronte a mim, e deu-me um leve sorriso, enquanto monstro ainda resmungando servia comida para mim e para Malfoy.
-monstro terminou senhor, monstro vai vê a senhora black.
-ok monstro, ela esta no lugar que eu lhe mostrei.-disse Malfoy sorrindo.
Após o elfo se aparatar olhei curiosa para Malfoy, com tudo que tinha acontecido havia ate me esquecido de fatos tão simples como aquele, o quadro da mãe de Sirius.
-nem me lembrava do quadro daquela mulher horrível.-disse olhando para o loiro.
-horrível mesmo, chamava-me de traidor toda hora, então fiz a coisa mais sensata.-disse ele cortando um pedaço de bolo de carne.
-o que?
-retirei o quadro da parede, e tranquei num dos quartos, e quando monstro me perguntou sobre o mesmo disse que tinha guardado ele num lugar seguro, onde só ele poderia vê-la.-comentou rindo.
Dei um sorriso, imaginando como as coisas tinham mudado, era mesmo a mesma pessoa, era Draco Malfoy ali na minha frente?
Dei um fraco suspiro e comecei a comer, uma deliciosa comida por sinal.
Quando eu estava terminando, Malfoy me encarou com uma expressão de quem estava curioso.
-diga-me Granger, o que você veio fazer aqui?
-queria um lugar para pensar eu acho, onde eu poderia analisar tudo o que estava acontecendo, para então seguir com o meu plano.-disse de uma única vez, parecendo que éramos grandes amigos. Eu estava começando a suspeitar que a razão de me sentir traída por aqueles que parecia conhecer muito bem, levava-me a crer que os inimigos eram mais confiáveis.Ou quem sabe, a razão dele demonstrar humanidade num momento tão crucial como aquele que vivemos no quarto, dera para mim um motivo para acreditar nele.
-plano, o que pensa em fazer granger, matar o inimigo sozinha?-disse ele em tom de deboche.
-não malfoy, penso em segui a minha vida sem mais Harry Potter ao meu lado.-disse fracamente.
E parecia que as minhas palavras socaram Malfoy, ele ficou me olhando por um longo tempo, para depois dá um sorriso irônico.
-pelo jeito a coisa na Bulgária não saiu bem, não é?
-na verdade não...Sabe, sempre tive orgulho de se uma nascida trouxa, mas quando estive lá, e depois de tudo que aconteceu...-parei de falar estava me revelando demais, e os 12 meses naquele país frio, com pessoas ainda mais frias, eu descobri que revelações nem sempre era um bom caminho.
E malfoy pareceu entender que o meu silencio era sinal que tudo que eu queria dizer era aquilo. Pois ele simplesmente se levantou e seguiu para saída da cozinha, mas o que me surpreendeu mesmo foi o que ele fez depois disso.
-não deveria temer ao sentir orgulho daquilo que você Granger, pois quando mais foge da sua essência, mas fraca fica.
Deixei ele sair sem perguntar nada sobre aquilo que ele falara, senti que não teria uma explicação se perguntasse, mas sim mais questões para se resolver...
S#O#N#H#O

Havia sangue em todos os cantos, sentia fortes dores pelo corpo todo. Ouvia vozes e mais vozes vindo em minha direção. E mesmo que quisesse correr, não conseguia, meu corpo estava amarrado. Eu conseguia sentir o cheio acre do lugar, mas não via ninguém, mesmo ouvindo as vozes eu não consegui ver ninguém.

-sangue ruim...

Aquela palavra me feria a cada momento que a ouvia, eram cinco pessoas na minha frente agora, todas elas com suas varinhas em punhos. Pareciam determinadas a fazer algo, mas o que elas teriam em mente?

-sou nascida trouxa...

O olhar de Uglus encarando Krum, fez uma sensação de que o meu corpo estava imundo me dominar, mas o que eu podia fazer, era verdade não era? Todos não estavam atrás aqueles que não mereciam ser chamados de bruxos?Ela então não era uma sangue ruim, uma suja?

-sim Klays, sou uma sangue ruim...

Sussurrei, enquanto eles ainda tinham suas varinhas na minha direção, Será que eu merecia aquilo? No fundo eu sabia que não, mas parecia que eu tinha que senti aquela dor, eu precisava sentir.

-crucius!!!!!!!!

-ahhhhhhhhhhhhh

S#O#N#H#O

Acordei com Malfoy me sacudindo.
-ficou louca?-perguntou ele me soltando.
Eu olhei em volta, eu estava sentada numa poltrona na sala, onde eu tinha ido depois do almoço, onde monstro a mando de Malfoy trouxera-me os livros que ele achara em suas expedições pela casa dos blacks.
E os livros ainda continuavam ali, a maioria tratava sobre famílias de linhagem pura, poderia ser essa a explicação do meu sonho, ou os acontecimentos na Bulgária.Sendo esse ultimo mais provável.
Coloquei uma mecha do meu cabelo atrás da orelha, e fitei Malfoy.
-eu tive um sonho.-falei me arrumando na poltrona.
-isso já deu para perceber.-disse ele se sentando na cadeira de balanço.-eu estava aqui enquanto você dormia, ouvi você pronunciar sangue ruim duas vezes, sabe Granger eu sei que você gosta de se uma, mas não precisa ficar falando o tempo todo.-disse ele com sarcasmo.
-eu não gosto de se uma Malfoy, eu percebi que a pior coisa é ser uma “sangue ruim”.
Foi a segunda vez naquele dia que vi ele chocado com alguma coisa que eu dizia. Eu me levantei e comecei a arrumar os livros que estavam no chão.
-o que aconteceu na Bulgária?-ouvi ele me perguntar.
Dei um suspiro doloroso, e continuei a pegar os livros, respondendo para ele só depois de um tempo.
-nada de mais, as coisas não saíram como eu pensei que tinha que sair.
-sei como é isso.
Vi ele desviar o seu olhar do meu e fitar a mesa onde estava a minha varinha, o olhar dele era sem vida, nunca tinha visto ele daquele jeito, parecia que a qualquer momento ele começaria a chorar. Tenho que admitir que aquela visão cortou o meu coração, fui dominada por um sentimento de abraça-lo e protege-lo, e dizer que tudo ficaria bem. Mas segurei, fiquei só olhando para ele, enquanto equilibrava os livros no meu braço.
-lamento pela morte dos seus pais.-disse fracamente.
Ele olhou para mim, com os olhos cheios de lagrimas. Senti um aberto no coração. Imaginando o quão dolorido era aquilo, e ainda por cima esta num lugar onde aqueles que ele considerava seus inimigos o protegiam.
-não lamente Granger.-falou ele friamente.-eles não lamentariam se caso você morresse.
As palavras dele me atingiu como uma adaga, perfurando o meu ser. Fazendo o meu rosto queimar como fogo.
-eu sei disso.-disse apenas por dizer, saindo enfim da visão dele.
A nova personalidade de Malfoy estava me deixando ainda mais confusa que a primeira, aquela que quase me violentou, a mesma que me humilhou. Mas entre as duas, eu preferia a segunda, pois pelo mesmo com esta ele dava a mim um pouco mais de alento. Que era a coisa que eu mais precisava.
Entrei no quarto e deixei os livros sobre a cama, deixando aos poucos Malfoy de lado, e começando a analisar o sonho. Eu sabia o por que do mesmo, todos os dias que estive naquele país eu sentia aquilo, eu vivi aquilo. Eu quase morri por causa daquilo. Mas Harry, Rony, meu melhores amigos, pouco se importaram. Tudo bem que as cartas que mandava para eles fingia que estava tudo bem, que o meu sangue não estava atrapalhando na missão, mas os mesmos nunca me respondiam, somente no começo, mas depois eles se calaram. Caso não fosse as noticias que Carlota trazia uma vez por semana da Inglaterra, eu acharia que toda a ordem, estariam mortos.
Tentara ate uma vez em mandar uma carta atrás de Carlota, mas a mesma achara arriscado.Contudo era melhor assim, pois a ansiedade e frustração naquele lugar, estavam me matando, provavelmente as verdades numa hora ou outra apareceriam nas cartas.
Deitei na cama, fechando os olhos, quando estava quase caindo no sono novamente, ouvi o barulho do chuveiro. Levantei-me devagar, uma sensação de curiosidade passou por mim, uma batalha começava a se travada naquele instante. Dei um passo em direção a porta do banheiro. Quando a minha mão estava perto da maçaneta, resolvi voltar para o quarto...

Faz oito dias que estamos aqui, malfoy adquiriu realmente uma personalidade diferente, algumas vezes passamos horas e horas conversando sobre tudo, menos sobre o assunto que nos refugia, que neste caso é sobre a guerra. Na verdade adquirimos uma proteção em volta de tudo isso, um pacto silencioso. Estamos fingindo que nada esta acontecendo, e que nada aconteceu.
No inicio não queria ficar naquela casa, mas a cada dia que se passa mais necessito me esconder na mesma. Malfoy cuida de mim, e eu dele. Dois inimigos unidos num único objetivo, ‘fingir que tudo acabara bem’.
As lagrimas que sempre soltava, cessaram, dando lugar aos sorrisos.
Malfoy se mostrou uma excelente companhia de leitura, quando estou lendo, ele pede para ler um trecho, após fazer isso discutimos o assunto. Em meio a tudo isso, vi que nos dois temos muito em comum.E depois das leituras, a gente ficava em silencio apreciando chá ou chocolate quente que Monstro fazia para nos.
E neste dia não fora diferente, depois de discutimos sobre bruxos na idade media, sentamos no sofá ficando um de frente para outro, a fim de conversar sobre outros assuntos enquanto bebíamos chá.
-sabe Granger você é louca.-disse ele rindo, meia hora depois que monstro levara o chá.
-e por que você acha isso?-disse olhando para ele.
-porque?Oras Granger você quer fazer eu acreditar que você não odeia o monstro, ele xinga você o tempo todo, e mesmo assim você fala com ele como se o mesmo fosse um amor com você.
-bem Malfoy eu adquirir a bom senso sabe.-disse sorrindo.-eu sei que ele foi ensinado assim, e os elfos seguem aquilo que os ensinam, portanto o monstro não tem culpa daquilo que faz ou fala, e você tem que concordar comigo que seria uma idiotice se odiasse ou sentisse algo parecido em relação ao monstro.
Ele me encarou por um tempo, e depois deu uma risada gostosa, tal como fizera em muitas de nossas conversas.
-viu como você é louca.-ele se levantou ainda rindo e seguiu em direção a janela, olhou para o lado de fora com um olhar sonhador. Sempre olhava a rua daquele jeito, talvez pensando como seria bom sair daquela mansão e andar pelas ruas livremente como ele fazia antes de começar tudo aquilo.
-você sente saudades também, não é?-perguntou ele se virando para mim.
Aquele era a primeira vez que entraríamos num assunto em relação ao mundo de fora depois de dias.
-sim.-disse o olhando com firmeza.-todos os dias.
Ele pegou a varinha dele e apontou em direção a minha varinha.Eu segui cada movimento dele, um jato branco saiu da varinha dele, sem ele ao menos mover os lábios, sem duvida ele era bom em feitiço não verbal.
-você esta livre Granger.-disse ele voltando a olhar a rua.
“Livre?” Perguntei em pensamento.”Como assim livre?”
Aquilo realmente me deixara atordoada. Por alguma razão eu precisava continuar ali, eu sentia saudades sim, mas da minha vida antes daquilo tudo acontecer, e não daquele ultimo ano. Não do Harry e Rony preocupado só nas buscas, não de um mundo sem Hogwarts, não de uma vida longe dos meus pais, e muito menos não sentia falta de uma Hermione sem rumo e insegura de si mesma. Naquela casa, junto com ele, eu reencontrei tudo aquilo, eu estava em meio ao meu mundo de estudo, eu tinha com quem discutir aquilo que lia, eu tinha onde dormir, e onde me proteger, eu tinha uma pessoa que aparentemente cuida de mim. O que mais eu queria? Mais nada.
Ele se virou para mim e me lançou um olhar confuso.
-não ouviu o que eu disse Granger?
Eu balancei a cabeça indicando que sim.
-então?
-eu não quero ir Malfoy.
Ele me analisou com os olhos, parecia tão confuso ou ate mais que eu.
-viu como você esta louca.-disse ele com um sorriso fraco.-eu estou deixando você ir, você poderá ir para a casa do pobretão do weasel, ou sei lá onde você quer ir.
-eu sei que posso, mas eu não quero ir, não preciso ir.
Eu mesma me surpreendi com o que eu disse.
Ele deu um outro sorriso, parecia que ele estava ate aliviado com a minha decisão.
-bem se você quer assim.-ele pegou a minha varinha e levou a mesma ate a mim.-mesmo assim fica com ela, o dia que você quiser sair e só sair.-e seguiu para saída da sala.-bata na porta com a mesma e diga uma vez” puro sangue”.
Dei um sorriso de lado.
-muito criativo.
Encostei-me na poltrona analisando com cuidado o que eu tinha acabado de fazer, e para falar a verdade nunca me sentira tão bem...

___________________________________

e para quem esta esperando que draco e mione fiquem mais pertinhos, eu juro que no proximo cap tera isso ^^

=***

comentem xDD


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.