FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

17. E o Treinamento Começa


Fic: Harry Potter e O Enviado da Luz


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

- Capítulo 16 – E O Treinamento Começa




Quanto mais o navio chegava mais definidas ficavam as formas dos dois que estavam na frente.

- Não sabia que o navio seria tão grande. – disse Rony.

- Este é um navio de viagem da Família Real Élfica. – disse Galadriel indo até a frente do barco e dissipando a névoa com um acenar de mãos, mostrando que este já se encontrava atracado e com os jovens descendo a rampa. – Como vão meus amigos?

- Muito bem minha querida amiga. – disse a mulher élfica

- Assim como eu Galadriel. – disse o elfo – E você?

- Muito bem meus queridos Príncipe Ereinion e Princesa Lúthien. – disse ela andando até eles enquanto todos observavam os recém chegados.

Ela de cabelos longos loiros e olhos castanhos escuros com um vestido longo branco que contrastava com as jóias de ouro que usava por cima, tudo coberto por uma capa prateada longa presa por um broche em forma de folha. E o homem de cabelos longos negros, mas com incríveis olhos azuis trajando uma roupa também branca com uma capa longa prateada por cima também presa pelo broche em forma de folha. Ambos usando uma fina coroa de ouro que mais parecia um fio de seda de tão rico em beleza.

Logo após Galadriel deu os braços aos dois e caminhando dentro do corredor que os jovens bruxos formaram os apresentava enquanto estes apenas os cumprimentavam com acenos de cabeça.

- Estes são, Rúmil e Felagund. – disse ela apontando para Felix e Luna.

- Prazer. – disseram polidamente os príncipes.

- Nessa e Lólindir. – disse Galadriel mostrando Lyra e Draco e seguindo mostrando os gêmeos Fred & Jorge e logo após Isaias e Juliana. – Elrohir e Feanáro. E logo depois Arafinwe e Enelya.

- É um real prazer conhecê-los. – responderam novamente de forma polida.

- Agora Caranthir e Míriel. – disse ela apontando pra Rony e Hermione e logo após pra Gina e Harry. – E por fim Aredhel e Elerosse Tinehtele.

- O famoso líder dos descendentes. – disse o elfo olhando nos olhos de Harry como se pudesse ver toda a vida dele naquele instante.

- Aham, aham. – fez Thiago à frente deles.

- Ah, sim. Este é Maglor Tinehtele. – fez Galadriel sorrindo apontando pra Thiago. e logo após mostrando Alvo e Lupin. – E aqueles são amigos. Alvo Dumbledore e Remo Lupin.

- É um grande prazer recebê-los em nossa casa. – disse Harry se juntando ao irmão. – Príncipe Ereinion e Princesa Lúthien.

- O prazer é todo nosso. – disseram ambos, mas sem tirar os olhos de Thiago que chegou a dar um passo para trás ao perceber os olhares em cima dele.

- Vamos subir. O jantar esta a nossa espera. – disse Galadriel subindo as escadas. – Pedi para que fosse preparado um banquete bruxo para recebê-los de forma adequada.

Ao chegarem à varanda onde seria servido o jantar os elfos se depararam com algo que já se esperava não ser muito bom.

- Elfos das Trevas? – perguntou Lúthien a Galadriel pondo a mão na cintura onde havia um círculo dourado.

- Não necessariamente. Eles são uma forma élfica que não quis se desenvolver. – disse ela chamando os dois elfos domésticos que estavam ali. – Estes são Dobby e Winky, elfos domésticos.

- Como assim? – perguntou Ereinion com os olhos seguros em Harry e Thiago – Elfos não são escravos!

- Nós escolhemos a submissão! – disse Winky observando as orelhas pontiagudas provenientes dos outros – E os nossos mestres respeitam isso.

- Respeitamos, mas não concordamos. – disse Thiago se sentando a mesa, suando frio após o olhar do príncipe.

- Se eles escolheram isso meu irmão. Nos não podemos fazer nada. – disse Lúthien se sentando numa cadeira ao lado de Galadriel.

- Você esta certa. – disse Ereinion retirando uma espada da cintura e se sentando ao lado dela com os olhos fechados.

- Esta é ...? – perguntou Galadriel em uma língua que somente os elfos entendiam.

- Anduril? Sim é ela. – disse na mesma língua ao desembainhar a espada, mostrando a ela. – Nossos pais nos deram antes de virmos para cá.

- Eu recebi a Catra. – se intrometeu Lúthien mostrando a argola grande que estava em sua cintura. – Mas falemos do que interessa a todos nós.

- Correto. Este é o grupo que nós treinaremos Galadriel? – perguntou Ereinion observando a todos que até o momento estavam apenas observando a conversa deles, ou melhor observando a eles já que não entendiam sobre o que conversavam – Eles parecem estar em transe.

- Vocês sabem que a beleza élfica faz isso com qualquer um que não os conheça. – disse Galadriel sorrindo. – Além do que eles não entendem élfico.

- Claro. Eles já sabem quem são? Ou pelo menos despertaram alguma parte do poder?

- Ainda não. Ainda faltam cinco despertarem. Os que já despertaram estão tomando água purificada diariamente para que não ocorra nada de errado. – disse Galadriel observando-os – E apenas Um sabe quem é. Já sabem como treiná-los?

- Eu treinarei os rapazes. – disse Ereinion – Começando as cinco da manhã.

- Eu treinarei as garotas. – disse Lúthien – Começando no mesmo horário.

- De inicio separaremos os treinos por força cósmica. Eles estão muito diferenciados em nível. – disse Ereinion observando-os.

- Logo após eles ficarem estabilizados começaremos com os treinos específicos em cada poder que despertar neles. – disse Lúthien – Além do treinamento com armas.

- E por último. Eles farão o teste, sua responsabilidade, e somente ai saberemos se eles são tão bons quanto você nos contou. – disse Ereinion

- Desculpem-me mas, – perguntou Hermione muito curiosa. – que tipo de treinos vocês prepararam para a gente?

- Alguma coisa referente a parte física, outra referente a aprender a magia pura, e a ultima que é saber usar o poder da natureza. – disse Ereinion olhando-a o que fez com que Rony chegasse mais perto dela.

- Não se preocupe meu jovem. – sorriu a princesa – Meu belo irmão não poderia competir com o amor que você sente por essa jovem.

- O–ok. – disse Rony ficando mais vermelho que seus cabelos assim como Hermione enquanto os outros apenas riam.

Após o jantar Lúthien foi junto aos outros para sala de estar onde estava contando a história dos seus antepassados. Mas Ereinion e Harry ficaram na varanda de trás observando o lago escuro e frio daquela noite clara, onde apenas a lua os iluminava.

- É um belo lugar aqui. – disse o príncipe.

- Com certeza. – disse Harry sem se virar para ele. – Me conte. Você acredita que sejamos capazes de deter Voldemort?

- Porque me faz perguntas sobre coisas as quais não compreendo? – disse o elfo olhando-o – A única coisa que posso afirmar é que vocês tem grande potencial. Mas caso não batalhem muito não adiantará em nada esse potencial, e então as trevas irão reinar.

- Ok. – disse Harry bocejando.

- Vamos entrar. Vocês devem dormir eu e minha irmã trouxemos algumas ervas para que os que ainda não despertaram liberem seu poder. Amanhã começaremos tudo.

- Certo. – disse Harry finalmente olhando-o – Incrível como parece que o conheço de algum lugar.

- Talvez nossos espíritos tenham se encontrado em uma outra época. – disse o elfo enigmaticamente ao ver Harry entrar, enquanto uma nuvem espessa aparecia ao céu com um rosto feminino e idoso.

- “Que bom que você chegou bem.” – disse a mulher idosa aparecendo lentamente a frente do elfo.

- E eu espero ser digno desta confiança que você nos deu Mãe-Terra. – disse ele se ajoelhando.

- “Assim como os deuses vocês elfos são meus filhos, portanto merecem essa chance.” – disse ela olhando o céu.

- E meus irmãos deuses já aceitaram? – perguntou o elfo a ela.

- “A maioria sim. Mas ainda existem alguns que ainda temem a essa guerra.” – disse sumindo.

- Não sei por quê. Não serão eles que iram lutar. – disse ele com amargura.

- “Estes jovens possuem o mesmo espírito deles, um espírito irmão que a muito foi prometido. Se eles morrerem uma era de terror e escuridão cairá sobre a terra. Vocês também deviam temer isso, ou vocês acham que ela só ira atingir aqui, e as terras perdidas continuarão sãs e salvas?” – disse ela firme.

- Você está certa. Avalon e Lothlórien não ficaram de fora. Agora deixe-me ir. Devo começar a preparar as ervas. E não se esqueça de manter os olímpicos bem atentos amanhã. – disse ele já entrando

- “Eu os deixarei. Até mais ver meu filho.” – disse ela sumindo totalmente.

- Até, Gaia. – disse o Elfo por fim.

Após mais alguns minutos de conversas todos foram para seus respectivos dormitórios enquanto Dobby ficava a espera de Ereinion, pois este com a ajuda de Lúthien preparavam as ervas que estavam no navio, para o dia seguinte.

***

Quando o dia ainda amanhecia todos foram acordados por Dobby que ainda estava com os olhos inchados pela noite mal dormida e por Winky.

- Aff... que férias ótimas. – zombou Malfoy bocejando enquanto desciam as escadas junto aos outros.

- O que você queria? Estamos aqui para treinar. – disse Thiago balançando os ombros – Isso não é um acampamento.

- Ah não. Neste caso vou descer na próxima estação, devo ter pego o trem errado. – disse Malfoy sarcasticamente.

- Hunf. Idiota. – disse Thiago nem ligando enquanto os outros olhavam feio pra Malfoy.

- Até que fim vocês chegaram. - Disse Hermione junto às outras garotas que já estavam no varandado, todas vestindo uma roupa branca com detalhes verdes, uma blusa que vinha até a metade da barriga com manga comprida e uma calça que moldava suas pernas torneadas.

- Que roupas são essas? – perguntou Rony vermelho pra Hermione que corou tentando esconder a barriga.

- Para o treinamento. – disse Lúthien atirando roupas pra os rapazes que chegavam, enquanto todos olhavam para ela babando – O que foi?

- N-nada. – disse Fred sorrindo enquanto olhava a roupa similar à das garotas só que de uma cor verde musgo, e sem barrigas de fora. – Apenas achamos as roupas legais.

- Vão se trocar e venham logo para irmos treinar. – disse Ereinion que vinha logo atrás com as mesmas vestes que os rapazes, atraindo a atenção das garotas.

Algum tempo depois todos desciam pelas escadarias para o navio onde iriam começar o treinamento.

- Bem vindos ao Navio Real Élfico. – disse Lúthien – Hoje começaremos com os que ainda não possuem os poderes despertados.

- Porque? – perguntou Fred – Porque não esperamos o nosso poder despertar como os dos outros?

- Você realmente acha que vocês tem esse tempo todo? – perguntou Ereinion abrindo uma porta do navio – Quanto aos outros... bem... talvez precisemos de sua ajuda.

- Ahm. Porque? – perguntou Felix ao entrar.

- Porque nós conseguiríamos controlar o poder de 1 de vocês sem problema. Mas de 5 juntos. Não sei se seremos tão capazes. – disse Lúthien simpática como sempre.

Após todos entrarem e Lúthien fechar a porta às luzes que já eram poucas se apagaram mostrando o teto numa coloração petróleo onde algumas estrelas brilhavam distantes. E no meio do local onde eles se encontravam um círculo brilhando em azul com diversas inscrições em uma língua que nem mesmo Hermione conhecia.

- Os cinco que ainda não despertaram entrem no círculo e se ajoelhem no chão um em frente ao outro e segurando as mãos uns dos outros. – disse Ereinion firme – Os outros rodeiem o círculo e se concentrem na queima de sua energia.

- Aqui está meu irmão. – disse Lúthien entregando um cajado branco como as nuvens e com um cristal na ponta da cor do vento, enquanto ela mesma segurava um igual só que com um cristal lilás na ponta.

- Obrigado. Agora vamos. – disse o príncipe apontando o cajado para o centro enquanto a irmã fazia o mesmo do outro lado.

Logo após fez-se o silêncio todos com os olhos fechados, se concentrando e buscando aumentar a energia que emanava deles. Observavam através desta concentração tudo que existia ao redor a madeira que vibrava energia, as formigas que caminhavam fazendo seu trabalho, os peixes que nadavam logo abaixo do navio procurando algum alimento, até que sentiram a magia emanada de cada um deles e ai sim a magia começou.

Aqueles que estavam no centro estavam tentando descobrir o que estava acontecendo quando perceberam uma música começar a ressonar por todo o lugar e uma chama que não queimava rodeá-los enquanto os elfos soletravam diversas palavras em uma língua diferente e os outros apenas exalavam magia para fora do corpo em diversas cores.

Quando os elfos terminaram de falar os cristais nas pontas dos cajados soltaram rajadas de luz para o centro do círculo juntamente com rajadas de luz desferidas dos corpos dos outros para o mesmo ponto, formando uma imensa bola de luz que rodava intensamente até que jogou 5 raios um em cada componente não despertado e erguendo-os do chão como se fossem apenas marionetes.

- O que está havendo com eles? – perguntou Harry com dificuldade.

- Estão recebendo um choque de magia. – disse Lúthien – Mas em breve eles irão devolver essa energia para vocês.

- Vocês devem criar uma redoma os protegendo. – disse Ereinion – Sem Varinhas. Apenas com o desejo de proteger.

- Parece que vai ser como o que houve comigo. – disse Isaias aumentando o fluxo de energia e criando parte da redoma.

- Oh-oh! – fizeram todos aumentando a energia rapidamente.

- Vocês já fizeram isso? – perguntou Lúthien

- Quando fizemos o espelho... – começou Felix sem conseguir terminar pois uma rajada vinda de dentro quase quebrava a redoma.

- Vai começar! – disse Ereinion firmando os pés.

***
Alguns quilômetros muito longe dali no topo de uma montanha que ultrapassava as nuvens, treze seres com imenso poder se reuniam em silêncio esperando a hora de agir.

- Chegou à hora. – disse a mulher com cabelos ruivos cacheados presos por uma diadema guardando seu cetro e seguindo junto a outros três seres que estavam ali até o centro da sala, onde começaram a exalar energia por todos os lados.

Logo depois um estrondo seguido de um jorro de luz saiu de cada um deles viajando pelo céu até onde os descendentes estavam, quebrando o teto do navio e descendo diretamente em Gina, Fred, Jorge e Luna que após algum tempo foram jogados para fora da redoma apenas um pouco machucados. Ao se levantarem viram que a redoma estava bem fraca, e voltaram para ajudar os outros e proteger o último descendente, foi então que os raios voltaram de onde tinham vindo o deixando flutuando inconsciente.

- Só falta um. – disse Gaia para os Seres que estavam no topo da montanha.

Sete dos seres que apenas observavam se juntaram aos outros no centro e se concentraram em mandar energia par o último.

- Só falta você, meu irmão. – disse um com traços da raça negra e cabelos longos negros opacos. – Não adianta mais resistir, foi uma decisão do conselho.

- Eu sei. – respondeu o ultimo dos seres levantando-se do seu trono no topo da sala e seguindo até eles após guardar seu cetro em forma de raio. – Mas meu espírito não o aceita com facilidade. Talvez pelos antepassados deste jovem. Porque sempre a família dele é quem sofre, Hades?

- Em uma outra hora discutimos isso Zeus. – respondeu Hades olhando para o terceiro irmão.

- Chegou à hora de mostrar a supremacia dos Deuses contra estes vermes malignos. – disse Poseidon com sua pele branca caucasiana e cabelos longos azulados.

- Todos juntos. – responderam aumentando suas energias que ao se tocarem formaram um único cosmos branco, que foi lançado numa velocidade estonteante aos céus caindo diretamente naquele que já alguns acreditavam ser o 13º descendente.

- Arghhhhhhhhhh! – gritou Thiago absorvendo toda a energia durante um bom tempo até que sobrou apenas um leve fio de luz que o segurou até tocar no chão, enquanto os outros caiam desmaiados no chão sem conseguir resistir ao esforço gasto naquele momento.

- T-thiago...? – chamou Harry antes de desmaiar por completo.

- Eles conseguiram. – disse Ereinion apoiado no cajado demonstrando algo que os elfos costumavam esconder perfeitamente, o cansaço. – Entrem, agora.

Logo depois Galadriel, Dobby e Winky entraram sem nem perguntar o que houve, pois o choque foi tão grande que pode ser sentido a quilômetros de distancia, levando-os para o merecido descanso em seus dormitórios.

***
Enquanto isso numa ilhota a alguns muitos quilômetros dali um ser maligno estava incomodado com o que sentiu a pouco.

- Lucio! – chamou ele com firmeza

- Sim, mestre! – disse o servo que acabara de aparatar.

- Vá ao ministério. Descubra se eles conseguiram identificar este aumento de magia. – disse com as mãos cruzadas

- Como? – perguntou Lucio sem entender.

- Apenas vá! E chame Belatriz aqui! – respondeu com ignorância.

- Sim, senhor. – disse o comensal fechando a porta com medo.

- Estou aqui meu amo. – disse ela pouco depois.

- Chame alguns comensais. Organize um ataque ao Beco Diagonal e faça isso rápido. – disse ele se erguendo – Leve Snape, a muito ele não vai a campo.

- Agora mesmo mestre. – disse ela desaparatando.

- Seja lá o que for isso eu não estou gostando. Talvez esse ataque me diga o que houve. – disse Voldemort com firmeza.

- Você não deveria gostar mesmo. – disse uma voz vinda da escuridão da sala que por um instante pareceu brilhar intensamente.

- Quem está ai? – perguntou Voldemort já de pé – Como ousa interromper meus pensamentos.

- Cale-se!! Sou um daqueles que fez seu poder despertar seu verme! O titan Hyperion ! – disse a voz mais forte.

- Hyperion? Do que você estava falando? – perguntou Voldemort ignorando o poder que emanava da escuridão e voltando a se sentar em sua poltrona.

- O Enviado da Luz despertou. Você tem que descobrir como nos libertar e rápido. Pois sozinho você só conseguirá a morte. – disse a voz sumindo. – Encontre a descendente da 1ª mulher. Ela o ajudará.

- O Enviado? Mas como eu matei a mãe dele antes do seu nascimento! – falou Voldemort – E quem é a mulher?

- Você matou a mãe e não o feto seu verme nojento! – disse a voz de forma mais fria – Procure a descendente de Pandora! Ela possui a chave! Somente ela poderá nos libertar.

***
Na montanha, no entanto todos já voltavam para seus lugares cambaleantes.

- Fizemos nossa parte, agora é com eles. – disse o mais poderoso – Hermes!!

- O que deseja Zeus, Deus supremo. – perguntou Hermes meio cambaleante mas ainda firme.

- Vá até a Oráculo dos Deuses e informe que dentro de um mês faremos o teste com os jovens. – disse Zeus andando por uma escada que os levava a uma piscina subterrânea.

- Com prazer meu pai. – disse sorrindo safadamente.

- Nem pense em tentar nada com ela. Ou você ira se ver comigo! – disse um outro deus com cabelos de fogo que ouvia a conversa da ponta da escada.

- Apollo e suas virgens! – satirizou Hermes antes de desaparecer.

***
Galadriel acabava de colocar uma compressa de água fria na testa de Thiago quando sentiu uma energia nova emanar naquela sala.

- O que faz aqui Hermes? – disse Galadriel sem olhá-lo

- Que frieza minha cara sacerdotisa. – disse Hermes chegando atrás dela. – Vocês não falavam assim comigo...

- Até descobrirmos que você foi a causa da desgraça de muitas mulheres devido as suas ambições. – disse ela observando que os garotos já estavam voltando ao normal – Diga logo o que quer.

- Hunf. Elas não foram nunca enganadas. – disse ele fechando a cara – Zeus pediu para avisá-la que dentro de um mês haverá o teste com esses jovens.

- Ok. – disse ela o olhando – Só isso?

- Só. – disse sumindo – Apollo manda lembranças.

- Agradeço, mas se você quer me fazer o favor.... desapareça. – disse ela firme.

- Adeus.

- Insuportável. – disse Galadriel andando até Fred e Jorge que já tinham algumas feridas curadas

- Você não achava isso antes. – disse Ereinion entrando e se sentando numa poltrona.

- Mas as coisas mudaram e ele não é de confiança. – terminou ela se ajoelhando a frente de Ereinion e curando alguns ferimentos superficias – O que faremos agora com eles?

- A energia de todos já foram despertadas e eu já sei a que Deus cada um descende. No entanto eles são despreparados, toda a magia eles precisam usar essa varetinha.

- Varinha. E você também tem o seu cajado.

- Mas é diferente. Eu não o uso sempre.

- Então a próxima parte do treinamento vai ser magia sem varinhas?

- Isso.

- Neste caso vou preparar a sala de treinamentos no estilo élfico para que vocês possam treinar logo mais. No segundo andar uma grande porta que não possui nenhuma cortina encobrindo.

- Assim que eles acordarem iremos para lá.

Algum tempo depois pouco a pouco todos foram acordando lentamente e tomando uma dose de chocolate quente para recuperar as energias.

- Ai, estou todo dolorido.... – disse Malfoy segurando o cotovelo

- Vamos. Todos entrem. – disse Ereinion sem ligar para o que os garotos e garotas resmungavam

- Agente vai treinar ainda depois do que houve lá embaixo? – perguntou Harry enquanto ajudava Thiago a caminhar para dentro.

- Vocês sim. Ele não. Não agora. Ele recebeu muita energia, vocês morreriam se lutassem contra ele sem ele saber controlar o próprio poder.

- O que você disse? – perguntou Hermione

- A partir de agora vocês já tem como saber quem é o seu Deus ascendente.

- Nos fale por favor. – disse Isaias sentando numa pedra alisando o antebraço.

- Fred e Jorge são descendentes, do deus Mensageiro e do deus do Fogo, Hermes e Hefesto.

- Luna e Felix são descendentes, dos deuses da Lua e Sol, Ártemis e Apollo.

- Malfoy e Lyra são descendentes, dos deuses da Guerra e Amor, Ares e Afrodite.

- Isaias e Juliana são descendentes, dos deuses do Submundo e Colheita, Hades e Deméter.

- Rony e Hermione são descendentes, dos deuses do Mar e Sabedoria, Poseidon e Athena.

- Gina e Harry são descendentes, dos deuses do Matrimônio e Céus, Hera e Zeus.

- Enquanto Thiago.... é descendente dos 12 deuses olímpicos.

- Então ele é? – pergutnou Julyana levantando rápido – O Enviado da Luz?

- Sim.

- Não, não pode ser. – disse Harry olhando para o irmão com os olhos molhados.

- Eu prefiro assim. – disse Thiago se sentando com dificuldade.

- Você é louco? – perguntou Harry segurando-o pelos ombros – Você sabe que o objetivo de Voldemort é destruir você para conseguir a imortalidade!

- Claro que eu sei. Mas eu prefiro que seja eu e não você. – disse Thiago sorrindo – Você já passou por muita coisa ruim. Eu fico bem mais feliz em saber que você não é o Enviado.

- Eu já suspeitava que seria algo do tipo. – disse Isaias olhando Thiago – Desde o dia no Expresso de Hogwarts quando o Malfoy e a Lyra brigaram.

- As cores que eu vi rodeando eles? – perguntou Thiago recebendo a confirmação

-Hey! Porque você não me disse nada? Eu podia ter impedido isso. – disse Harry com raiva

- E o que você faria para impedir? – perguntou Isaias olhando-o com firmeza – Existem coisas Harry que nem mesmo nós podemos ou temos como interferir.

Após alguns segundos onde apenas os dois se olhavam Ereinion voltou a falar.

- Não a mais nada que vocês possam fazer. Ele mesmo aceitou isso. Agora só nos resta continuar o treinamento.

- Façam duplas. – disse Lúthien – Quero um duelo entre vocês. Não se preocupem com ferimentos ou dores pois elas podem todas serem curadas.

- Só a uma regra. Vocês devem usar magia, mas sem varinhas, e sem falar o feitiço.

- C-como??? – perguntaram quase todos

- Andem logo, façam suas duplas ou eu vou começar pela parte difícil do treino. – disse Lúthien andando por eles

- Se concentrem no feitiço e na pessoa em quem você vai usá-lo e depois deixe a magia fluir. Assim é realizada a magia. A união da magia com algumas palavas que podem ser apenas pensadas. – disse Ereinion se sentando junto a Thiago, com as pernas cruzadas.

Algumas horas depois apenas quatro dos doze jovens conseguiam efetuar algum feitiço sem as mãos.

- Ah eu desisto! – falou Malfoy após levar uma surra de Isaias que desde a primeira tentativa vinha conseguindo causar muito dano nele – Como você consegue?

- Eu já te disse, nós quatro temos algum conhecimento sobre este tipo de magia. – disse Lyra que duelava com Gina apontando para si mesma, Isaias, Felix e Julyana.

- No Brasil nós tivemos aprendizado sobre diversas culturas, incluindo a japonesa onde a magia é feita sem varinhas. – disse Julyana

- Quantos mais segredos vocês escondem? – perguntou Harry antes de lançar um feitiço na porta a destruindo e sair correndo

- Harry! – gritaram Rony e Hermione correndo atrás dele mas antes que conseguissem a porta se reconstruiu e se fechou.

- Não. – disse Ereinion – Ele deve enfrentar isto sozinho.

- Enfrentar o que? – perguntou Rony com certa rudeza

- O medo. – disse Thiago – O medo de perder mais alguém valioso para ele.

- Eu não queria que fosse assim também Harry, mas não consigo contar todos os meus segredos... – sussurrou Isaias antes de ir treinar com Rony que o olhava com uma cara feia – O que foi Ron?

- Eu concordo com ele. – disse Rony tentando concentrar energia com as mãos – Você esconde muitas coisas.

- Apenas o necessário. – disse Isaias fazendo o mesmo – Me desculpe, mas assim como vocês tem seus segredos eu tenho os meus, na hora certa vocês irão saber deles.

- Ok. – disse Rony abaixando a cabeça e olhando para a porta – Só espero que ele esteja bem.

- Eu também.

***
Harry corria por todos os cômodos da sua mansão parando exatamente a onde queria ir desde a noite passada, mesmo que fosse um mero acidente devido a sua raiva.

- Aquele, idiota! – insultou Harry se jogando no sofá em frente ao quadro de Godric Gryffindor

- O que o aflige, jovem? – perguntou Godric olhando-o enquanto Harry saltava ficando em pé

- Go-go-dric. – começou Harry vermelho e branco ao mesmo tempo.

- Gryffindor. – sorriu o fundador da casa mais corajosa de todas – Como vai Harry?

- Co-como sabe meu nome? – perguntou Harry se aproximando do quadro

- Seus avós, digo meus muitos tatara-netos me contaram. – sorriu firme – Mas me conte o que fez você baixar ao nível de insultar um de seus amigos.

- Aquele... – começou Harry apertando a mão – Ele não me disse nada. Achei que fosse realmente meu amigo.

- Você já pensou por acaso que ele se importa demais com você para vê-lo sofrendo e que isso poderia ser prejudicial se você soubesse antes? – perguntou Godric como se já soubesse de tudo

- Ah.. – tentou argumentar Harry mas não conseguiu – Porque estão sempre tentando me proteger? Eu não sou mais uma criança.

- A muito tempo, eu estive do mesmo modo que você está agora. Quando eu descobri a traição de Rowena Ravenclaw. – disse o velho sentando-se em uma poltrona que havia junto a sua moldura.

- Como? – perguntou Harry surpreso – Vocês não foram sempre amigos?

- Claro, que não, todos bons amigos sempre brigam. – riu Godric – Nos já fomos grandes amigos, sim e hoje somos novamente. Mas, assim como este jovem, ela me escondeu muitas coisas do passado como quando conhecemos Salazar e fundamos Hogwarts junto com Helga.

- O que houve? – perguntou Harry curioso

- Ela não me contou da fúria de Salazar quando se tratava de bruxos nascidos trouxas, ou como ele dizia os sangues impuros. – fez Godric – Quando descobri achei que ela estava errada, que se eu houvesse descoberto isto antes, muitos trouxas não teriam morrido nas mãos malévolas de Salazar Slytherin.

- E você estava certo não?! – perguntou Harry mais afirmando do que perguntando

- Durante muito tempo pensei deste jeito Harry. – disse ele voltando os olhos para a cicatriz em forma de raio – Do mesmo modo que você pensa deste seu amigo agora.

- Mas.... – começou

- Não há mas, nem meio mas. – disse Godric o detendo com uma mão – Se eu soubesse disso antes, não teria ficado amigo de Salazar, no entanto não teríamos fundado Hogwarts, pois já não existiram mais as 4 casas e seus fundadores e nem mesmo muitos jovens que foram salvos do submundo dos trouxas teriam chegado a onde chegaram.

- Eu ate entendo. – disse Harry cabisbaixo – Mas Thiago é meu irmão.

- Eu sei disso. E não estou pedindo que você o perdoe agora, mas que pense a respeito. Pois assim como alguns morreram nas mãos de Salazar muitos outros foram salvos, por causa do segredo de Rowena. – disse saindo do quadro – Nos vemos quando voltar de viagem meu muitos tatara-neto. Se empenhe no treinamento! Procure o lugar onde o tempo passa mais devagar!

- Viagem? Tempo passa mais devagar? – perguntou Harry estranhando, enquanto olhava o quadro vazio – Godric? Ah! Ele sumiu!

Um suspiro cansado e Harry se sentou na poltrona ao lado da janela observando o movimento nas docas do lago.


-OFF-

N/A: Opa.... cabo? É é é cabo!!!! Gracias dio !!! cap 16 finalizado....!!!!
Bem.... ele ta frakin... porque? O Objetivo dele é mostrar o que cada um dos olímpicos seram... mas bem, isso não é nada... o verdadeiro treinamento os espera nos próximos capítulos!!! Agora vo mandar pra Lyra Betar.....

N/B: Pessoas!!! Olha eu escrevendo uma n/b de novo!!! Então. O cap. n teve nenhuma briga surreal, mas valeu. E o melhor. Parece q zay deu um surto de criatividade, pq me mandou o esse cap para betar e o começo do outro!!! E, por isso, é capaz de o prox n demorar uma eternidade...hihihihi
Valew e até a próxima...

N/A2: HEY como assim eu tive um surto de criatividade?? Eu sou a criatividade em pessoa!!! Só não to tendo tempo....... ¬.¬! Quem sabe até o fim da semana eu posto o cap 17.... hmmm talvez talvez.... e nada de gritarem comigo!!!! Podem chamar com carinho que eu ouço :x hehehehe

-OFF-

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.