FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

25. Quando eu mais amo você


Fic: Lembranças Marotas


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Quando você tem que olhar pra longe
Quando você não tem muito a dizer
É quando eu amo você, amo você
Bem do jeito que você é


- Olhe Tiago, eu realmente não sei se isso vai dar certo – disse Victória olhando para o primo piedosamente.
- Mais eu tenho que tentar! E você prometeu... – disse Tiago insistente, olhando com aquela cara para a prima.
- Não vale fazer essa cara Tiago! – disse Victória virando-se brutamente para não ver a cara que Tiago fazia. Quando Victória virou a cabeça, deparou-se com o olhar de Sirius, que olhava descaradamente para a menina. Victória não conseguiu mexer-se por uns instantes, continuou olhando para Sirius, que ainda concentrava seu olhar na garota. Em aqueles poucos minutos, parecia que varias palavras haviam sido ditas, e antes que a menina pudesse virar os olhos, Sirius havia virado primeiro. Sirius encarava a porta do Salão Principal. Marshal havia acabado de entrar e olhava para Victória, de um jeito bobo, que deixou Victória perturbada. Victória levantou-se e disse:
- Eu vou te ajudar, mais agora não dá Tiago. Realmente não dá... – disse Victória apressada, pegando a bolsa e encarando o primo.
- Mais Vick... – Tiago tentou dizer.
- Agora não Tiago! – Victória havia saído apressada do Salão. Antes que Tiago pudesse reclamar, Sirius havia aparecido atrás do garoto e disse para o amigo:
- Vamos indo – disse Sirius encarando Marshal, que ao ver que Victória havia saído do salão, sentou-se na ponta da mesa da Grifinória, e começou a comer normalmente.
- Vamos – disse Tiago desanimado.

Ouvir você tropeçando em suas próprias palavras
Ou ver você caminhando com dois pés esquerdos
é quando eu amo você
Amo você eternamente


- Lily – Victória gritou.
- Oi? – Lílian disse olhando para trás. Victória vinha correndo em direção a amiga que estava sentada no parapeito da janela, olhando para o imenso jardim.
- Finalmente te encontrei – disse Victória colocando a mão no coração e respirando alto. Lílian reparou que a amiga deveria ter rodado o castelo procurando-a. Lílian exibiu um pequeno sorriso e disse:
- Deixe me adivinhar, você encontrou-se com Marshal – disse Lílian sorrindo.
- Não exatamente – disse Victória.
- Vick, se você não gosta do Marshal, e sim do Sirius, fala com ele – disse Lílian encarando a amiga.
- Engraçado, quando o assunto é a minha vida amorosa você entende e muito bem! Mais quando se trata da sua, você só se esconde para nunca comentar sobre a sua vida amorosa não é mesmo? – disse Victória encarando a amiga.
- Não há o que comentar sobre a minha vida amorosa Vick. – disse Lílian.
- A não? Só o fato de você estar sofrendo, estar arrasada, estar irritada, e estar apaixonada, não é nada? – disse Victória encarando a menina.
- Olha Vick, não estou muito a fim de falar disso agora... – disse Lílian.
- Então quando você vai estar a fim de falar Lílian? Você reprime toda a dor que sente para si própria! Você é muito independente e muito fechada Lílian! Não sei como você consegue! È muito ruim guardar tudo para nós mesmos, ainda mais quando o assunto é doloroso! – disse Victória.
- Vick, eu só não estou a fim de falar agora – disse Lílian baixo.
- Tudo bem – disse Victória fitando a amiga. Victória pegou a bolsa e saiu dali. Lílian ficou olhando a amiga indo embora, e viu Sirius aproximando-se. Lílian estranhou o fato de Sirius estar sozinho, mais agradeceu que Tiago não estava com o garoto. Não conseguiria olhar para Tiago sem chorar.

E quando você estiver bravo porque perdeu um jogo
E esquecer que eu estou te esperando na chuva
Querido eu amo você
Amo você de qualquer forma


- Preciso falar com você – disse Sirius encarando Lílian.
- Se for sobre o Potter... – Lílian ia começar a dizer.
- Não tem nada a ver com ele – disse Sirius ainda encarando Lílian.
- Então pode falar a vontade – disse Lílian estranhando.
- É sobre... – Sirius ia dizer.
- A Vick – disse Lílian voltando a olhar o jardim.
- Como você... – Sirius tentou dizer novamente.
- Se você não veio falar do Potter, concerteza você só poderia vir falar da Vick. Exatamente pelo seguinte fato: Está na cara que você gosta dela. – disse Lílian sem desviar o olhar do jardim.
- Como esta óbvio que você gosta do Tiago. E como está mais óbvio ainda que ele gosta de você. – disse Sirius encarando a menina.
- Você quer, ou não, saber sobre a Vick? – disse Lílian ameaçadoramente.
- Quero – disse Sirius sério.
- Fale então – disse Lílian fazendo um simples movimento com a mão.
- Eu só quero saber se ela gosta do Marshal – disse Sirius com a cara fechada. Lílian olhou brutamente para Sirius e disse:
- Essa resposta está óbvia demais para eu te responder. Isso qualquer um pode perceber. É claro que ela não gosta dele Black, ela não gosta nem de ficar no mesmo ambiente do que ele – disse Lílian ainda encarando Sirius.
- É sério? – disse Sirius tentando conter-se.
- É obvio que é. Eu não minto, diferente de seu amigo – disse Lílian voltando a olhar a paisagem, e deixando Sirius parado.
- Olha Evans, o Tiago realmente gosta de você. Eu nunca o vi sofrer desse jeito. E você também não esta com uma cara nada boa – disse Sirius.
- Você queria que eu estivesse como? Rindo? Gritando? O que? Mentiram para mim, e para mim, a mentira é a pior coisa que existe. – disse Lílian.
- Sabe o que é mais engraçado nessa história? – disse Sirius encarando-a.
- O que? – perguntou Lílian finalmente olhando para o menino.
- O Tiago quer tomar a poção da sinceridade, só para você perceber que ele não estava mentindo quando disse que te amava – disse Sirius encarando a garota. Lílian respirou e se pos de pé e disse:
- QUER SABER? O Potter pode tomar quantas poções ele quiser, ele pode me mandar quantas flores ele quiser, ele pode fazer o que ele quiser, mais a minha confiança que por ele já era pouca, agora já não existe. Para mim ele sumiu, ele acabou, ele não existe mais. Ninguém o obrigou e o enorme ego dele a aceitar aquela maldita aposta que você fez com ele. Vocês dois não passam de dois exibidos que se acham mais do que tudo. Parece que ele e você não têm sentimentos, parece que os dois só querem coisas que não podem ter, os dois não são quem parecem ser, os dois são dois imbecis, isso é o que vocês são. Não adianta o Potter tentar fazer qualquer coisa para tentar me conquistar, porque agora, eu não vou olhar na cara dele mais nem que seja questão de vida ou morte. Isso é para ele aprender que com os sentimentos não se brinca – disse Lílian, irritada. Sirius surpreendeu-se com a reação da menina e ficou ali parado, encarando-a. Lílian estava com lágrimas no rosto mais encarava severamente Sirius, sem dizer uma sequer palavra. Sirius respirou fundo e disse:
- Ache o que você quiser, mais só para a sua informação, se o Tiago fosse tudo isso que você acha, por que você apaixonou-se por ele? Você percebeu que ele era diferente de tudo o que você achava, e isso se provou quando ele disse a verdade para você. Ele não te usou Evans, muito pelo contrario, ele só quis que você acreditasse nele. É verdade que no começo era tudo uma brincadeira, mais você já ouviu falar que nem tudo na vida se brinca? Pelo jeito ele percebeu isso e esta tentando fazer de tudo para te conquistar de novo. Ele pode ter um ego enorme, mais o seu é muito maior. Você não consegue esperar os outros acabarem de falar sem sair gritando! Se você tivesse dado uma chance para Tiago explicar-se naquele momento, concerteza você nem ele estariam assim, mais como você também é orgulhosa, não quis ouvir a verdade, saiu correndo pensando em uma mentira. E outra, ele esta mostrando o que sente para você, enquanto você não consegue fazer nada, você não sabe nem dizer o que quer ou não. Realmente Evans, eu não sei como o Tiago apaixonou-se por você. Vocês são totalmente diferentes. Ele é corajoso de continuar lutando, e você é uma covarde, que só tenta se esconder da verdade – disse Sirius. As palavras de Sirius cortavam Lílian por dentro. A menina encarava Sirius, com muitas lágrimas escorrendo em seu rosto. Chorava porque Sirius tinha razão. Ela era uma covarde. Porque não conseguia mostrar o que sentia? Lílian respirou e disse:
- Você tem razão. Eu sou uma covarde. – ao falar isso, Lílian pegou a bolsa e saiu dali. As lágrimas já haviam secado e Lílian levava uma cara triste estampada em seu rosto. As palavras de Sirius repetiam-se em sua cabeça. Lílian entrou no banheiro e viu algumas terceiranistas sentadas em cima da pia, com um pequeno radinho, que soava uma canção. Lílian, mesmo não querendo prestar atenção, ouviu a canção calada.


Porque aqui está minha promessa feita essa noite:
Você pode contar comigo o resto da vida
Porque é quando eu te amo
Quando nada do que você faça pode mudar minha mente
O mais que eu aprendo, o mais que eu amo
É o máximo que meu coração pode agüentar
É quando eu amo você,
Quando eu amo você, nada mais importa.


- Sirius, você viu a Lílian? – Victória havia aparecido atrás de Sirius.
- Vi – disse ele olhando fixadamente para a menina.
- E... – Victória disse, tentando não olhar nos olhos do menino.
- E o quê? – perguntou Sirius ainda olhando para a menina.
- Aonde ela esta? – perguntou Victória olhando para o chão.
- Só te respondo se você olhar para mim – disse Sirius encarando-a.
Victória respirou fundo e olhou para os olhos negros do garoto. Victória arrepiou-se, mais continuou olhando para o menino.
- Aonde ela esta? – perguntou a garota.
- No banheiro – disse Sirius ainda olhando para a menina.
- Obrigada – disse Victória virando-se para ir embora, mais foi impedida por Sirius, que segurava seu braço.
- Antes preciso falar com você – disse ele olhando para o chão, sem soltar a garota. Victória novamente arrepiou-se toda, e voltou a olhar para Sirius.
- Então fale – disse a garota olhando para o chão também.
- O assunto que eu quero falar com você é sério – disse ele encarando-a.
- Pode falar – disse a menina finalmente olhando para o menino. Só que a única coisa que pode ver, era os olhos do garoto perto dos seus. Victória sentia a respiração do garoto, e Sirius sentiu o coração da garota, que acabara de disparar. Victória nem Sirius puderam pensar em mais nada, pois o que veio a seguir, levou os dois para longe. Quando os lábios de Sirius encostaram nos da menina, Victória agora tinha certeza.

Quando você se vira para esconder os olhos
Porque o filme fez você chorar
É quando eu amo você
Eu amo você cada momento mais


O liquido da penseira girou, e os quatro estavam de volta no quarto. Gina e Hermione entreolhavam-se. Gina levantou-se e disse:
- Podem continuar vendo. Vou ir beber água – disse a garota com uma cara triste, mais exibiu um sorriso amarelo quando disse isso.
- Quer que eu vá junto? – perguntou Hermione.
- Pode ficar ai. – disse Gina sorrindo para a amiga.
- Tem certeza? – perguntou Hermione encarando a amiga.
- Absoluta. Pode deixar que eu não vou me perder – disse Gina exibindo o mesmo fraco sorriso. Ela abriu a porta e saiu.
- Vamos esperá-la? – perguntou Hermione triste.
- Por mim tudo bem – disse Rony.
- Vamos – disse Harry ainda olhando para a porta.
- Você tem certeza disso Harry? – Hermione perguntou timidamente.
- Do que? De esperá-la? – perguntou o garoto surpreso.
- De não ficar com ela. Você anda triste ultimamente, e eu tenho certeza de que é por cauda dela – disse Hermione olhando para a penseira.
- Eu não posso ficar com ela Hermione. Ela vai correr perigo – disse Harry.
- Harry, todos nós corremos perigo! Todos! Todos os bruxos e todos os trouxas. Ele não perdoa ninguém Harry! Nós não sabemos o que pode acontecer no amanhã, e a Gina esta pensando nisso Harry. Ela quer passar todo o tempo dela com você, ela teme muito Harry, mais não pelo amanhã, mais sim por não poder ficar com você. – disse Hermione ainda olhando para a penseira.
- Eu não posso Hermione. Se acontecer alguma coisa com ela... – Harry tentava dizer, mais Hermione o cortou.
- Você vai arrepender-se de ter passado tão pouco tempo com ela. Você ficando ou não com a Gina, pode acontecer algo com ela. E se acontecer, você vai se arrepender mais ainda de perceber, que mesmo não ficando, aconteceu algo com ela. – disse Hermione que agora encarava a janela.
- Voltei – disse Gina entrando no quarto. Sentou e olhou a cara dos três, que olhavam para lugares diferente. Gina sentou-se do lado de Hermione, como antes e disse – Interrompi algo? – perguntou ela.
- Não é nada. Vamos continuar – disse Hermione fitando Harry.
Gina deu de ombros naquela hora, mais era óbvio que ela voltaria a fazer aquela pergunta mais tarde para a amiga. Harry colocou o conteúdo de outro vidrinho na penseira, e sentiram novamente, aquele “puxão”.

E quando você não consegue combinar suas roupas
Ou quando você ri das suas próprias piadas
É quando eu amo você
Eu amo você mais do que você possa imaginar


- Lílian – alguém batia na porta. – Lílian me deixa entrar. Lily, por favor – disse Victória. Victória estava do lado de fora do dormitório feminino, com Lupin e Sirius. Victória e Sirius, toda vez que encontravam o olhar um do outro, coravam fortemente. Lupin fingia que não via e continuava a bater na porta. Sirius aproximou-se e sibilou algum feitiço. A porta abriu e Victória olhou abismada para o garoto.
- Como você sabe o feitiço para abrir a porta do dormitório feminino? – perguntou a garota encarando-o.
- Depois eu conto... – disse Sirius tentando disfarçar.
- Meu Merlin, cadê ela? – Victória agora estava ficando desesperada ao ver que o quarto estava vazio.
- Calma Vick – disse Sirius colocando a mão no ombro da menina, fazendo a arrepiar-se toda e dar um sorriso tímido.
- Aonde será que ela esta? – perguntou Lupin.
- Lupin, você é monitor, vá procurá-la! – disse Sirius.
- O que você acha que eu vou fazer? – disse Lupin descendo as escadas.
- Eu vou com você – disse Victória agitada indo atrás de Lupin.
- Mais você não pode sair, é contra as regras... – disse Lupin.
- Danem-se as regras! A Lily é minha amiga e eu não vou deixá-la sozinha nem que me custe uma suspensão! – disse Victória saindo na frente de Lupin.
- Mais... – Lupin tentou dizer.
- Eu também vou – disse Sirius descendo as escadas também.
- Se pegarem os dois... – Lupin tentou dizer.
- Falaremos que eu estou passando mal, e que precisava ir para a ala hospitalar – disse Victória corajosamente.
- Você não vai desistir não é? – perguntou Lupin.
- Com, ou sem você, eu vou ir procurá-la. – disse Victória encarando Sirius.
- Então vamos – disse Lupin desistindo.

E quando você esquecer que nós tivemos um encontro
Ou aquele olhar que você me dá quando aparece tarde
Querido, eu amo você.
Eu você amo de qualquer forma


- Tiago, você viu a Lily? – Victória perguntou desesperada, ao ver Tiago que acabara de entrar no Salão Comunal.
- Não... Por que? – Tiago perguntou curioso.
- Ela sumiu – disse Victória choramingando.
- Como assim... Sumiu? – Tiago agora estava começando a ficar preocupada.
- Sumindo, desaparecendo, ela não esta no quarto. – disse Victória.
- Hoje é dia de vocês fazerem a patrulha? – perguntou Tiago a Lupin.
- Não – respondeu Lupin.
- Será que ela não esta na biblioteca? – perguntou Sirius.
- Não esta, eu acabei de voltar de la – disse Tiago assustado.
- Ai meu Merlin, o que aconteceu com a Lily? – Victória estava rouca.
- Você esta falando de mim? – Lílian perguntou nas costas da amiga.
- LILIAN! – Victória jogou-se no pescoço da amiga. – Ai Lílian, aonde você estava? Você não sabe o susto que nos passou! – disse Victória.
- Aonde você estava? – perguntou Lupin.
- Em nenhum lugar – disse Lílian apressadamente – Agradeço a preocupação, mais estou com muito sono e vou dormir – disse Lílian soltando-se da amiga e por um minuto, seu olhar se cruzou com o de Tiago. Lílian sentiu uma dor no coração, mais apenas olhou para a escada, e começou a andar lentamente até ela, deixando os colegas para trás, olhando-a abismados.
-
Porque aqui está minha promessa feita essa noite:
Você pode contar comigo o resto da vida
Porque é quando eu te amo
Quando nada do que você faça pode mudar minha mente
O mais que eu aprendo, o mais que eu amo
É o máximo que meu coração pode agüentar
É quando eu amo você,
Quando eu amo você, nada mais importa.


N/A: Gostaram? Ficou razoável... uahsuashua... Espero q vcs gostem! Naum tenho muito o q falar, só posso agradecer os coments! Beijossss! Juh

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.