FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. O Começo do Fim


Fic: Ironia - Femmeslash


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

O Começo do fim



– Avada Kedavra...


Dizem que quando nos encontramos cara a cara com a morte toda a nossa vida passa diante dos nossos olhos, sempre achei essa teoria ridícula, mas agora tendo uma varinha apontada pro meu peito descobri que essa, não é uma teoria falsa, bom pelo menos em parte não é, pois as únicas imagens que me vem à mente são as dela, como a primeira vez que eu a vi no Expresso de Hogwarts, eu me lembro que a primeira coisa em que reparei foram em seus olhos, eles eram de um verde profundo, descobri que não era muito difícil se perder dentro deles.

Quando ela entrou naquela cabine, não passava de uma garotinha assustada, mas com olhos quentes e corajosos, sua voz chegou aos meus ouvidos como música quando me perguntou se podia se sentar ali, já que todas as cabines estavam cheias. Desde o primeiro momento ela me intrigou afinal quem era aquela garotinha de cabelos ruivos e com olhos tão verdes como o mar, capaz de fazer com que eu Bellatrix Black quisesse, me afogar dentro deles, e logo veio a resposta: Lílian Evans.

Lembro que conversamos durante a maioria do trajeto até o castelo, contei-lhe sobre as casas, os professores, a comida, e depois que ela fez uma cara de nojo, pude perceber que pudim de fígado não seria seu prato preferido, engraçado como momentos tão tolos como esses me vêem a mente agora, quando estou tão próxima do meu fim.

– Olá, será que posso me sentar aqui todas as outras cabines já estão cheias?!!
– Ahnnn, claro, pode sim.
– A propósito eu me chamo Lílian, Lílian Evans.


Ela sempre foi muito simpática, espontânea, inteligente e infelizmente uma grifinória e o pior de tudo para alguém como eu, uma Sangue Ruim, mas na hora não dei muita importância a esse fato, afinal eu ainda era jovem, era apenas meu segundo ano em Hogwarts e para mim sangues-ruins eram apenas a “ralé” e não pessoas que deviam ser exterminadas a todo o preço.

Lembro que no meu sétimo ano, Lúcius e sua turminha formada por Nott, Crabbe e Goyle um dia a encurralaram perto das masmorras. Vi-o se aproximar e a segurar de modo rude, machucando-a e aproximando aquela boca imunda da sua orelha e lhe dizendo que para uma, sangue ruim, ela era tentadoramente deliciosa.

Sabe os Black nunca foram às pessoas mais calmas do mundo, mas eu também não podia simplesmente aparecer e defender uma sangue ruim assim em publico, por sorte o idiota do Potter, meu querido priminho traidor do sangue, o cara com cara de doente e o gorduchinho paga pau, estavam indo em direção a confusão, bom percebi que obviamente o Potter e Cia iam começar a discutir com o Malfoy e ela provavelmente ia acabar se machucando, então eu agi rápido, lancei um “confundos”, entrei no meio da confusão e a tirei dali.

– Evans você ta bem?

– Ah claro to sim... Obrigada, aquele idiota do Malfoy ainda vai me pagar, se não fosse pelo James.(N/A.: Prefiro James do que Tiago).

- Ahhh... Claro o Potter otário, olha acho que você não percebeu que quem a tirou do meio da confusão fui eu... quer saber, deixa pra lá, vocês grifinorios que se ferrem.

–Bella, o que? Não espere...

O toque de sua mão em meu pulso, foi suave, mas era como brasa em minha pele, quando me virei não esperava que ela estivesse tão próxima que pudesse sentir seu hálito quente e doce tocar meu rosto, senti meu coração acelerar e parar de bater por um momento quando olhei em seus olhos, me perdi neles mais uma vez. Mas eu era uma Black, e logo reassumi minha postura de superior.

– É melhor você me soltar Evans, se não... 

Obviamente ela reagiu àquelas palavras.

– Se não o que Black???

– Se não você vai sofrer as conseqüências!

– Ah, é mesmo? Que conseqüências?

– Essas...

Havia uma porta atrás de nós e sem pensar a abri e puxei-a para dentro comigo, tranquei a porta e a empurrei contra a mesma de forma violenta e a beijei... Sim os lábios dela tinham gosto de cereja como eu imaginei, mas não foi isso o que me surpreendeu, e sim o modo como ela retribuiu ao beijo, também de forma violenta e desesperada, havia desejo e luxúria em cada toque.

Logo isso não bastou, havia muito mais a ser saciado, levei-a em direção a uma mesa ali próxima fazendo com que Lílian se sentasse sobre ela então me posicionei entre suas pernas, não havia delicadeza quando tirei sua capa e rasguei sua camisa. Também não havia delicadeza no modo em como ela com uma mão puxava meus cabelos e com a outra arranhava cada parte do meu corpo que podia alcançar. Acho que aquele foi o primeiro indicador de como seria a nossa relação, impulsiva, descontrolada, luxuriosa, voraz.

Aquela mesa apesar de desconfortável foi extremamente útil, nem mesmo agora que todas essas lembranças se tornaram extremamente claras em minha cabeça, ainda não consigo distinguir em que momento nossas roupas foram parar do outro lado daquela sala ou como de repente era ela quem controlava a situação, e bem, ela era muito boa nesse aspecto, com um feitiço mudo ela simplesmente me arremessou para o outro lado da sala prendendo minhas mãos com tiras de coro saindo das paredes, por incrível que possa parecer eu não reclamei nem um pouco, mas como poderia se a sua boca exigente começou a percorrer todo o meu corpo.

Começou pela boca, ela mordia meus lábios com mais força do que o convencional, mas eu não reclamava da dor uma vez que ela só fazia crescer a libido em mim, e então sua boca começou a deslizar pelo me pescoço, sua língua deixando um rastro de fogo em minha pele, seu dentes encontraram a pele na base do meu pescoço, por Merlin quem poderia imaginar que Lílian Evans soubesse tão bem como tocar uma garota, ou melhor, me tocar. Quando ela chegou ao colo, parou por um instante me olhou nos olhos, e eu pude ver claramente o que ela pensava, era algo do tipo “Eu só posso estar louca por estar fazendo tudo isso” e de fato estávamos ambas loucas, (fico me perguntando se teríamos seguido em frente naquela tarde se soubéssemos as conseqüências que esse momento nos traria) mas não, aquela não era uma hora para hesitar e eu por nada do mundo deixaria aquilo acabar assim...

- O que foi Evans, eu sou muita poção para o seu caldeirão?
- Não me faça rir Black, eu estou apenas – com uma pequena pausa, a cabeça levemente inclinada para o lado, uma voz rouca, e o sorriso mais diabólico e lindo do mundo ela concluiu a frase – começando.

Merlin de fato ela só estava começando, sua boca procurou a minha e nos beijamos, mas dessa vez foi diferente, tinha algo a mais, algo que na hora eu não soube identificar, ela se desconcentrou e o feitiço que me prendia cessou, minhas mãos imediatamente procuraram sua nuca e sua cintura, eu a apertava tão forte contra o meu corpo, era como se esse contato fosse vital.

Fui descendo com minha boca por seu pescoço, depositando beijos e leves mordidas por toda sua extensão, afastei gentilmente a alça de seu sutiã... Espera, gentilmente?! Merlin desde quando Bellatrix Black era gentil com alguém, que droga Evans, mas sim foi gentilmente... eu apreciava poder tocar seu corpo, sentir o cheiro que vinha dele, quando terminei de remover seu sutiã, me deleitei em seus seios, eram maiores e mais redondos que os meus, com auréolas rosadas, eram perfeitos.

Eu a deitei sobre as nossas capas jogadas no chão, me posicionei cuidadosamente sobre o seu corpo, de repente ele pareceu tão delicado e frágil e por um momento senti medo de o quebrar, como se fosse feito da mais rara porcelana chinesa, mas então suas mãos seguraram meu rosto, ela se ergueu e levemente tocou seus lábios com os meus, e foi ai que eu descobri que eu não tinha por que ter medo.

Minhas mãos percorreram seu corpo, tentando decorar cada detalhe, a curva suave de sua cintura, a textura da sua pele, a superfície do seu ventre, nossos beijos agora eram mais rápidos e nossas respirações mais pesadas, não havia porque continuar com a tortura. Retirei a ultima peça de roupa que lhe restava, e deslizei minha mão cuidadosamente pelo seu ventre até o ventre baixo, percorri o interior de suas coxas, passei levemente a ponta dos dedos por seu sexo, como se fosse um pedido silencioso de permissão, ela gemeu levemente em minha boca ao sentir o toque, aquilo foi mais que suficiente para eu saber que podia seguir em frente.

Com movimentos levemente ritmados e circulares, comecei a acariciar-lhe, seu rosto foi ficando avermelhado, suas unhas se cravaram na pele das minhas costas, ela gemia baixo, quase como se fosse uma prece, comecei a aumentar o ritmo gradativamente, enquanto beijava seu pescoço e boca, senti então que seu corpo começou a se arquear levemente, não – pensei – ainda não, fui diminuindo o ritmo, mas não parei, olhei em seus olhos, suas íris estavam escuras, quase um tom de jade.

Quando eu a penetrei, ouvi-a arfando e me senti satisfeita com o feito e então foi quando eu percebi que estava apertado demais como se ela ainda fosse vir... Merlim ela era virgem... não era prazer, era dor, na hora me desesperei, claro eu já havia estado com outras garotas e com alguns garotos também, e sempre achei que ela e o Potter bem... Rá, Potter incompetente... Droga Bella foco, será que você ainda não percebeu que está tirando a virgindade de alguém, não que eu já não tivesse feito isso outras vezes, mas dessa vez era diferente, dessa vez eu me importava...


-Líly, você ainda é... eu não... me desculpe...
-Bella, tá tudo bem, você não me machucou... eu quero.
-Tem certeza??


Com um beijo ela me respondeu, recomecei a me movimentar dentro dela, um ritmo calmo e constante, nossos corpos se moviam juntos, era como uma dança harmoniosa, algo que até então eu nunca havia experimentado. Comecei a aumentar o ritmo, e observei seu rosto procurando por algum sinal de dor, mas não havia nada, seus olhos estavam fechados à boca entreaberta as faces vermelhas quase no mesmo tom de seus cabelos.

Seu corpo começou a se mover mais rápido, um pedido para que eu aumentasse o ritmo, e eu o fiz aumentei o ritmo e procurava ir o mais profundo possível sem machucar – lá, ela procurou minha boca com a sua, me beijou no mesmo ritmo de nossos corpos, ela gemia cada vez mais alto, seu corpo começou a se contrair novamente, arqueando em direção ao meu, suas unhas pareciam cortar minha pele, mas dessa vez não parei, me movimentei ainda mais rápido, levando meus músculos aos extremos, senti então ela chegando ao ápice quando meus dedos ficaram subitamente molhados, seu corpo estava rígido e por alguns segundos ela prendeu a respiração eabraçou-se a mim, pude sentir que aos poucos seu corpo foi relaxando apesar da respiração ainda estar pesada.

Eu observava seu rosto atentamente, seus olhos se abriram e ela sorriu, me puxou para que me deitasse ao seu lado, quando o fiz ela se aninhou em meus braços, não dissemos uma palavra, apenas nos olhamos, levei a mão ao seu rosto e comecei a contornar os delicados traços, seus olhos, as maças do rosto, a curva perfeita dos lábios.

Minha mente vagava sem rumo, estava tão absorta em meus pensamentos e em tudo o que acabara de acontecer, em tudo que eu estava sentindo, era um turbilhão de emoções... rs emoções, não sabia que era capaz de às ter(além é claro do habitual desprezo que eu sentia por aqueles que eram inferiores a mim), mas ali estava ela, o tipo de pessoa que pelo meu julgamento seria a mais inferior de todas, uma sangue ruim me fez voar.

Naquele momento percebi que não me importava seu status de sangue, porém para alguém como eu haviam fatores que não poderiam nunca ser ignorados e este era um deles. Eu não podia simplesmente sair pelo castelo desfilando com alguém como ela ao meu lado, mesmo que todos pensassem que nosso relacionamento se atinha apenas pela amizade, não, era impossível, afinal ela era uma grifinória, eu uma sonserina, ela era uma sangue ruim, eu tinha um dos sangues mais puros do mundo bruxo.

Quando a olhei, vi que ela estava dormindo, ressoando baixinho, os lábios levemente abertos, ela era tão delicada, e seu rosto parecia com o rosto de um anjo, como eu queria que pudéssemos ficar assim para sempre, claro que se ela quisesse poderíamos ter um relacionamento escondido, mas cedo ou tarde os problemas surgiriam e ainda havia o risco de alguém descobrir, e eu não poderia simplesmente sair pelo castelo disparando obliviates.

Não, eu nunca a teria, mas eu a tinha naquele momento e por hora era o que bastava. Já havia decidido qual seria meu próximo passo, meu pequeno show começaria assim que acordássemos, mas por hora a única coisa que eu queria era adormecer com ela em meus braços e disso eu não abriria mão. 


 


 


 


 


N/A: Hello people... Bom nem sei se depois de tanto tempo alguém ainda vai se animar a ler está fic, mas quem sabe, eu não de sorte. Rs


Algumas explicações sobre a fic: Muitos podem achar que haverá certa descaracterização com a personagem da Bellatrix, mas é pra ser assim mesmo, com o decorrer da história ela se parecerá mais com o que estamos acostumados, sarcástica e cruel diva do mau. Nesse período ela ainda é jovem e de fato se apaixonou pela Evans, então vou mostrar um lado mais sensível e humano que só pode existir devido ao fato do amor que ela sente pela Lílian.


Não se preocupem a história não vai ser só... ah que lindo... como elas se amam... que fofas... É claro que esses momento vão existir, mas vai existir também muita mentira, intriga, duelos e brigas, então... NÃO PERCÃO.


P.S.: Peço que me desculpem por algum erro ortográfico, mas escrever uma história e trabalhar ao mesmo tempo num é fácil....


 


Saiba um pouquinho do que vai rolar no próximo cáp.....


 


Engraçado geralmente a ordem em que as coisas acontecem é essa: briga, sexo e depois as pessoas ficam bem uma com a outra novamente. Mas nós não, sempre fomos exceções, desde o começo até o fim. Nós brigamos, fizemos sexo e depois... brigamos mais um pouco.


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Willow Rosemberg em 01/01/2013

Tb gostei da Bella tirando e virgindade da Lily, achei o máximo ela "perdendo o foco".

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por MiSyroff em 30/11/2012

Ahhh, adorei a Bella! E entendo que a personagem que nós conhecemos foi se formando de algum jeito, não nasceu assim ;)
E cara, adorei ela tirando a virgindade da Lilian ;)
Amor, só o que acho que falta é mais calma. Ta tudo muito junto! Mais parágrafos, pontos e não só vírgulas! É só respirar um pouco ^^ 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.