FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

7. Capítulo 1 ao 7 (novo)


Fic: EU QUERO TE ODIAR MAS NÃO POSSO fic antiga com capítulos novos


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

1º  CAPÍTULO



 



Ela não conseguia segurar uma raiva incontrolável que sentia naquele momento, havia 7 anos que ele a provocava de todas as maneiras possíveis e imagináveis, com risos e humilhações.



Depois de tanto tempo, exatamente naquele dia ela chegara ao limite, não agüentava mais, toda a paciência já havia se esvaído, não havia mais volta, era o dia de fazer o sonserino pagar por tudo que já havia feito.



Hermione sentia um cansaço físico e mental, uma exaustão que acabava com seu corpo, porém, algo dentro de si ainda a motivava a ficar de pé, a vontade de encontrá-lo.



Porque tinha que ser daquele jeito? Porque fizera isso com ela? No fundo ela sabia o motivo, ele  simplesmente a ODIAVA. Não um ódio comum, mas uma cólera de inimigos mortais.



Ela tremia, suava, queimava por dentro. Estava cansada, abatida, mas ao mesmo tempo que seu corpo ruía, ela sabia que não seria covarde mais uma vez, não seria a Hermione ponderada e diplomática que aceita tudo ou que tem medo de tomar alguma atitude impensada.



Naquele dia ela estava com a razão, porque iria temer?



Ela caminhava pelos corredores a passos largos e barulhentos, era como se não visse as paredes (e de fato não as via!).



Algo dentro dela fazia com que esquecesse que seu corpo era humano, que precisava se conter, descansar, refletir, pensar... Toda coerência que lhe era intrínseca voou pelos ares.



Havia tantos sentimentos dentro de si, todos ruins a respeito do sonserino, mas o que prevalecia acima de todos era a vontade de VINGANÇA.



Com os nervos a flor da pele e o coração apertado dentro do peito, corria pelos corredores a procura daquele rosto que dali a pouco estaria totalmente desfigurado se ninguém a impedisse.



De fato nada mais a sua volta importava a não ser encontrá-lo e dar tudo que ele merecia. As pessoas que por ela passava ficavam pasmas ao ver a reação de Hermione, que era totalmente diferente de seu jeito habitual.



Seu coração pulsava rápido a ponto de pular do peito, mas Hermione Granger estava determinada a encontra-lo - podia ser a hora que fosse, aonde fosse – se dependesse dela não sairia vivo, não dessa vez....



“Eu vou matá-lo, eu  juro que vou pegá-lo hoje. Dessa vez ele passou dos limites, eu juro que se eu encontra-lo (e eu vou) vão demorar vários anos para concertar todas as fraturas que eu vou deixar nele. Quem ele pensa que é? Pode falar o que quiser, fazer o que quiser, todos esses anos e ficar por isso mesmo? Não hoje Malfoy, a bomba está prestes a explodir você vai ver todo estrago que a dinamite Hermione pode fazer....!!!!!”



A cada curva que fazia no castelo o calor que seu corpo emanava subia. Seu rosto queimava, suas mãos suavam, mas o choro...esse não saia de jeito nenhum...



Os cabelos volumosos voavam de forma selvagem, ao  passo em que caminhava. Sentia que estava perto, só faltavam alguns metros e chegaria até a entrada do salão principal, onde ele provavelmente estaria.



Quando ela pisou os pés na entrada pareciam sair faíscas de seus olhos, e alguns primeiranistas sentiram medo ao verem a sua feição.



Haviam muitos alunos, e quase todos sabiam o motivo que trazia ali Hermione Granger.



Um silêncio começou a pairar no ar, todos olhavam curiosos para ela, pois queriam ver qual seria a reação quando identificasse o rosto do sonserino no meio da multidão.



- Onde está Draco Malfoy?_ela perguntou, olhando terrivelmente para um grupo de alunos menores.



- A...a....al...ali....- responderam abrindo caminho para que ela passasse.



O enorme silêncio que pairava no ar, que foi quebrado apenas pelas próprias risadas de Malfoy e seus colegas,  que não haviam se dado conta  de que “ela” havia chegado.



Hermione olhou com absoluta fúria para ele, que estava de costas para ela, apertando nas mãos o papel – que teria dado causa a todo o problema.



A imagem queimava entre seus dedos. Era um misto de mágoa, desprezo e ódio, que faziam com que ela mudasse totalmente de estado....Ela estava realmente perigosa!!!



Caminhou determinada até ele, tocando apenas no seu ombro...



- Háháhá....o que foi_ disse ele sem se ver quem era, mas ao se virar tranqüilo foi bombardeado por um incrível soco certeiro no nariz, caindo para trás...



- Boa Noite Malfoy, está feliz em me ver_ disse ela irônica.



Atrás dela se ouvia muitos “Ohhh”s vindos da plateia que assistiu a gladiadora Hermione batendo no pobre e indefeso Draco Malfoy...



Draco caído no chão, tinha parado de rir apenas a fitava assustado. Aos poucos tentava se levantar devagar, ainda tonto, tentando ordenar seus pensamentos para saber de onde vinha aquilo que tinha acertado seu belo nariz...



Se havia algum medo nela, acabava de sumir, e certamente se naquele instante Voldemort aparecesse ali ela o faria chorar como um bebezinho.



 



*



-Harry, Harry...Maninho..._corria desesperada Gina ao encontro dos dois.



-Ei! Gina esse aqui é o vestiário masculino, vou contar tudo a mamãe..._disse Rony tentando se esconder atrás de um armário.



- Fique quieto Ronald Weasley, eu vim aqui... por uma caus... por uma causa muito importante _ ela quase não conseguia respirar, pois havia corrido muito até chegar.



- O que foi Gina? _disse Harry prontamente se levantando de onde estava sentado. Os dois tinham acabado de terminar o treino de quadribol.



- Não tenho tempo de explicar muito, preciso que venham comigo...



- Mas porque? O que aconteceu? _ disse Harry.



- É Gina, o que pode ter acontecido? Ou melhor, boato sem importância?_ zombou Rony...



- Olha se pra você Hermione é sem importância então....



- O que que aconteceu com ela?_ Rony terminava de vestir a camiseta e já acabara de ficar atento ao que a irmã dizia.



- Com ela ainda não aconteceu nada... Já com o Malfoy... acho que ele vai passar umas férias na enfermaria!!!



- Hãmm????



- Tentei impedi-la, mas não consegui preciso que venham comigo agora. Ela vai se meter em encrencas!!!



- O Malfoy!!! Tinha que ser, o que ele fez dessa vez? Eu juro que ele vai se ver comigo_ disse Rony já preparando os punhos.



- Rony não temos muito tempo, ela foi até ele, e no estado em que estava é capaz de pegar uma detenção, suspensão, expulsão, ou pior tomar um feitiço do Malfoy... Eu não sei do que os dois são capazes!



Rony enfurecido, pegou no braço de Harry antes mesmo que ele pensasse, já estavam correndo em busca da fera Hermione.



 



*



Ela estava em pé perante ele, rodeando como uma leoa em cima de carne fresca esperando para atacar. Deixou que ele recuperasse os sentidos, e levantasse a cabeça, para pedir “delicadamente” explicações sobre o papel que tinha em seus dedos.



- O SIGNIFICA ISSO?_ disse esfregando a foto em seu rosto...



Ao olhar novamente a foto que ele tinha conseguido dela no banheiro dos monitores, riu debochadamente.



-É uma foto para provar_ ele começou a rir novamente_ como as sangue - ruins, são ridículas...



Toda sonserina começou a rir, mas parou instantaneamente.



-Estou perguntando seu imbecil PORQUE FEZ ISSO?_dizendo isso enquanto picava a foto em pedacinhos e segurava nas mãos...



-Ué Granger não gostou do meu trabalho artístico sobre as CDF´s medonhas de Hogwarts. Sabe que você conseguiu ser destaque? Ninguém consegue ser mais ridícula que você!!!_ riu ainda mais.



Ela bufou mais uma vez e pegou ele pelo colarinho, dando mais um soco em seu nariz. Sentou em cima de seus braços deixando ele indefeso, o que fez com que arregalasse os olhos.



- Ei Granger o que aconteceu com a monitora chefe, e o exemplo, não vai deixar que os alunos menores vejam você...



- Esse distintivo? Ela tirou de seu peito, e ainda olhando nos olhos dele, jogou para trás. Mostrando a ele que pouco ligava para seu título de monitora.



Nesse momento ele começou a não duvidar mais do que poderia acontecer ali.



- Bem Malfoy ESPERO QUE O SEU TRABALHO ARTÍSTICO SEJA TÃO REPUGNANTE QUANTO APETITOSO...



- Porque Granger.... você pretende come-lo? Não come muito, porque você já está acima do peso.



- É claro que eu não vou comê-lo. É VOCÊ QUEM VAI!!!!_e quando ele foi tentar dizer alguma coisa já nadavam em sua boca vários papeizinhos picados...



- Pare..Gran..fff...._tentou dizer algumas coisa mas ela colocava de um a um em sua boca.



- Você foi um menino muito mau_ dizia ela rindo sarcasticamente, fazendo todos ficarem com um certo medo da forma psicótica que ela aparentava naquele momento.



Depois que ele tinha engolido tudo, quis se mexer, mas ela o prendia fortemente.



- Você me paga Granger, me paga!!!!!!



- Malfoy você não consegue nem se mexer, como você vai me fazer pagar alguma coisa? Faz 7 anos que não tenho paz, porque você faz questão de estragar os meus dias, quando eu tenho o desprazer de me cruzar com você. Sério, eu pensei que me encher o saco sempre com ofensas, provocações, sabotagens bastaria para você ser feliz, mas pelo jeito não né? Precisou ir ao extremo da ofensa para poder satisfazer esse seu ego.  Será que eu não tenho razão de te dar uma boa surra?



Ele tentava se mexer e sair dali, mas não podia. Estava sendo humilhado na frente de todos, porque não conseguia se desvencilhar de Hermione, que estava mais forte do que nunca.



- NÃO SE MEXA MALFOY PODE SER MUITO PIOR. VOCÊ ACABOU COM TODO O MEU JUÍZO. PORQUE EU NÃO TO LIGANDO SE VÃO ME EXPULSAR, OU SE VÃO ME CASTIGAR, OU SE VÃO ME TIRAR O CARGO DE MONITORA....A ÚNICA COISA QUE EU QUERO AGORA É FAZER UMA COISA QUE NUNCA ACONTECEU... ME SENTIR FELIZ PERTO DE VOCÊ.... E COMO EU VOU CONSEGUIR ISSO? DESCARREGANDO TODA ESSA RAIVA QUE EU SINTO AGORA EM CIMA DO SEU COURO, ATÉ VOCÊ GRITAR POR SOCORRO AO SEU PAPAIZINHO.....AAA ME DESCULPE...ELE NÃO VAI PODER VIR TE SALVAR NÉ? PORQUE SERÁ?....SERÁ QUE É PORQUE ELE ESTÁ EM ASKABAN LUGAR ONDE VOCÊ DEVERIA ESTAR FAZENDO COMPANHIA A ELE!!!!!!!!!!!!!!!!!?



-Sua ...Sang..._ele tentava falar mas ela interrompeu



- VOCÊ NÃO ESTÁ EM CONDIÇÕES DE FALAR QUALQUER COISA...PORQUE SE ESSES MEUS OLHOS CHEGAREM A VER ESSES SEUS DENTES EU SOU CAPAZ DE ARRANCA-LOS  AGORA MESMO UM POR UM  E SEM ANESTESIA!!! Eu não sei o que eu fiz para você me odiar tanto! Eu tentei por muitos anos me controlar, tentar entender que você era muito infantil e fazia essas coisas porque não tinha maturidade, mas hoje foi o limite! Você queria que eu te odiasse? Pois agora você conseguiu!!! E nem queira saber o quanto! E saiba que só não falo tudo o que eu penso de você porque tem primeiranistas aqui ouvindo entendeu? Mas, eu me contento em deixar você com dois olhos roxos para o dia da formatura, porque aí eu tenho certeza que toda vez que você olhar as fotos vai se deparar com uma cara inchada e feia – que só vai piorar, porque sinceramente você é horrível – e vai lembrar de mim!



Quando ela acabou de falar, os alunos deram uma grande salva de palmas frenética, gritos e muitos já tinham se posicionado em torcidas a favor de Hermione!!!



Aquela seria uma das noites que ficaria pra história de Hogwarts.



Draco imobilizado pelas grossas pernas de Hermione, não conseguia pensar em nada no momento, ele nunca tinha escutado tantas coisas de alguém, como ouviu dela.



Sua boca tinha uma lesão e só agora percebera porque o gosto de sangue se misturou com os restos de papel que Hermione havia feito ele comer.



Ele percebeu que estava em uma situação constrangedora, todos olhando, rindo, gritando, uma garota sobre ele...(não era necessariamente do jeito que ele queria), e o estranho de tudo era que não sabia o que fazer, não esperaria uma atitude daquela por parte dela nem em 100 anos!!!



Contudo, ele sabia que precisava revidar, como ela poderia ganhar tão fácil? Jamais se utlilizaria de violência, mas sabia que poderia ganhar apenas com as palavras, já que Hermione era apenas uma garota boa nervosa, enquanto ele era uma cobra astuta e bastante inclinada para o mal.



- Espero que esteja satisfeita Granger...._disse rindo como se nada tivesse acontecendo..



- Satisfeita Malfoy? Não conte com isso, eu ainda nem comecei a me divertir.



-.....Daqui a pouco vão chegar os dois coleguinhas patéticos, para te salvar, vamos ver quantos segundos eles demoram pra vir até aqui, e mais uma vez vai provar que você não é capaz de nada além de enfiar a cara nos livros e encher a cabeça das pessoas de teorias sem fundamento, como sempre, simplesmente para poder esquecer o recalque que tem dentro de por ser uma inútil...que não tem nem ao menos um NAMORADO... Afinal, quem ia querer algo com alguém que tem esse cabelo todo desleixado, que se veste como um menino e não tem o mínimo de delicadeza...



Ela ficou imóvel por um instante ele a olhava nos olhos, e ali se transmitiam os piores sentimentos...



- Como pode ver, eu não preciso que os meus amigos venham me salvar, eu estou aqui emcima e você está aí embaixo. Sabe de uma coisa, pelo menos eu tenho amigos, e você não tem ninguém! E se eu não tenho namorado é porque eu não quero... Quer saber? O que você tem a ver com a minha vida? Não lhe devo satisfações..._disse ela ficando totalmente desconcertada, ele havia tocado na ferida, ela odiava esses assuntos, ela já tinha Harry e Rony seus melhores amigos, porque iria querer alguém para abraçar? Alguém com quem pudesse se sentir uma garota feliz? Alguém para beijar? Alguém para chamar de amor?...ela não precisava daquilo... Pelo menos, era o que pensava, porém, no fundo sabia que por mais que tentasse ter o controle sobre tudo, essa era uma área de sua vida que pudesse controlar.



- Granger, como consegue ser tão patética, tenho pena de você. Eu consegui??? Simm, eu sabia que eu chegaria no seu ponto fraco, mas não sabia que seria tão rápido! Ao contrário de você que é uma fracassada eu tenho tudo o que quero, tenho dinheiro, sou de família nobre e não trouxa, sou bonito, popular, e quando eu quero uma coisa eu consigo, inclusive, quem eu quero eu consigo! SE VOCÊ FOSSE METADE DO QUE EU SOU...



Toda a fúria inicial que Hermione sentia, começava a dar lugar para a mágoa e tristeza que Draco sempre conseguia despertar nela. Por mais que tudo que ele disesse não fosse realmente verdade, a forma como ele falava a deixava arrasada.



Seus olhos estavam marejando, mas aquele momento não merecia que soltasse nenhuma lágrima.



“Não definitivamente essas palavras não estão te afetando, ele não pode me magoar assim... eu devia ....eu devia...porque eu to com vontade de chorar...porque Merlin ele me conhece tão bem?”



-SE EU FOSSE METADE DO QUE VOCÊ É EU SERIA UMA BOSTA DE DRAGÃO!!!



“Eu falei isso mesmo? Me diz alguém, eu falei isso mesmo? O que está acontecendo? Eu não sabia que eu sabia falar palavrões!!! Até isso esse sonserino asqueroso me faz fazer. Além de neurótica, psicopata (porque eu to com uma vontadinha de acabar com ele!!!), eu estou ficando mal criada, será que eu preciso de terapia? Não, eu não preciso, quem vai precisar de terapia daqui a pouco vai ser o Malfoy.....Unidade de TERAPIA intensiva (UTI) porque você não perde por esperar.”



Por essa realmente Malfoy não esperou...e ainda levou uma salva de palmas da torcida de Hermione.



Eles se olharam novamente. Ela tinha um ar de satisfação no rosto, mas por dentro havia um vazio tomando lugar. Quando ela olhava para ele sentia nojo e desprezo mas não tinha mais vontade de bater nele, neste momento o seu lado racional começava a apontar, e o que parecia divertido já se tornara tedioso.



Malfoy começava a falar alguma coisa que ela não estava mais ouvindo, apenas pensava no que ele lhe dissera antes sobre sua vida. Não podia ser verdade, ele não entendia nada dos seus sentimentos...ele era só seu ...INIMIGO...



“Ei Hermione, porque você está parando, nãooo você não pode! Precisa continuar! Precisa continuar batendo nele, falando algumas coisas horríveis para magoá-lo... Vamoss!!”



- Malfoy ...._disse ela levantando o punho alto..._quais são suas últimas palavras? _ terminou com um tom de desanimo...que logo ele percebeu, e aproveitou a deixa.



-Me bate Granger!!!_aquela boca vermelha proferia calmamente e com um olhar nada desafiante...



-O que v..vo..você disse?_perguntou incrédula..



-É Granger...me bate...



-Não preciso que você me diga o que eu tenho que fazer entendeu?_a garota não estava entendendo aquela reação.



-Você não tem coragem......_disse ele bolando um plano para fazer com que ela caísse.



-Porque eu não teria Malfoy...? Não fale asneiras, você sabe muito bem que a qualquer momento posso te dar uma surra....se eu fosse você não pagava para ver.



-Tenho certeza que não pode ...não seria capaz...você está só esperando seus amiguinhos chegarem, para resolverem tudo por você...e mais uma vez prova que é uma inútil...



-Fique quieto Malfoy..._agora os olhos estavam cheio de lágrimas, não podia ouvir ele falar. Ergueu o punho, mas o braço não obedecia. Ela fitava o rosto pálido dele, um talhe perfeito, olhos cinzentos, e cabelo levemente caídos sobre a testa, e um corte no lábio inferior, que deixava a boca dele mais vermelha ainda...



Em um momento de distração, enquanto pensava no que deveria fazer, Draco conseguiu soltar uma das suas mãos e segurar a dela com força...



Nesse momento ela estava derrotada, ele acabava de dominá-la e a platéia gritava novamente ao ver que ela caíra no chão se debatendo, e gritando, enquanto ele sobre ela segurava fortemente seus braços...



-Viu só Granger como o jogo pode mudar...!!!_riu chegando bem perto do rosto dela.



-Me solta seu imbecil, eu te odeio Malfoy, eu te odeio seu ...



- Granger, como você é insolente, mais respeito comigo! Agora você está nas minhas mãos. Eu não te disse que tudo o que eu quero eu consigo?



Ele olhava para os olhos dela, grandes, expressivos, furiosos. Sua pele rosada e suada, fazia com que vários cabelos grudassem em sua testa, um conjunto perfeito nariz, olhos, e boca....lábios rosados, de aparência macia, que Malfoy, apesar de tudo, não conseguia tirar os olhos.



Sem forças, Hermione estava ali pensando como poderia fazer para se desvencilhar dele, enquanto isso reparava na face branca e fria que ele tinha. Algo que não poderia ter reparado em nenhuma outra ocasião, pois jamais tinha chegado tão perigosamente perto dele.



“Até que de rosto não é tão mal. Ei! Hermione, claro que ele é, é sim e de caráter também. Mas esse perfume, como esse bosta cheira bem... Ele tem bom gosto para perfumes... Para tudo garota: concentração, pense em fugir dele...em fugir...”



-Problemas é você quem vai ter se não me soltar agora mesmo...._dizia Hermione tentando se soltar.



-Como eu tenho medo de você... dá para notar a minha cara de preocupação?



-Malfoy eu te odeio, a hora que eu botar as minha mãos em você novamente, não vai sobrar um fio de cabelo nessa sua cabeça loira... Eu vou  te dar um chute naquele lugar que o sol não bate, que você não vai mais poder ter filhos...eu juro Malfoy...



-Se você não ficar quietinha eu vou fazer algo que você não ia gostar nada...



-Não comece com as suas ameaças infames... Não acredito em você... Seu animal, trouxa, imbecil, canalha _ ela estava ofegante, cansada, e ele ali só assistindo ela proferir todas aquelas palavras grosseiras. Ele não se mexia apenas olhava para a os lábios rosados dela, que pareciam hipnotiza-lo com tanta personalidade. Suas mãos agora suavam e conseguia sentir o perfume dela que claramente sufocava suas narinas..._seu escroto, tosco, pau-mandado ....ei, não vai se defender?_disse ela indignada, porque ele estava olhando para ela daquele jeito calmamente, de uma forma ameaçadora. O que ele poderia fazar?



-Malfoy seu idiota, porque não me encara, seu..sh.....



Ela não esperava por aquilo, ninguém esperava, mais um “Ohhhh” foi ouvido do público. Mas dessa vez era seguido de assovios e de murmurinhos.



Um corpo despencou, era Pansy Parkinson, mas ninguém deu muita atenção para o desmaio dela, todos queriam ver o BEIJO que iria ficar para a história de Hogwarts!



Hermione parou de respirar no momento em que Draco tocou os seus lábios com os dele, um beijo... Aquilo era improvável, impossível, inesperado, fatal...



Não havia descrições para uma cena daquela. Os lábios quentes e macios de Draco, tocaram delicadamente os lábios de Hermione. Naquele momento a surpresa de Hermione a paralisou, como se um misto de emoções invadissem o seu corpo que relaxou imediatamente se entregando ao que estava acontecendo. Draco tocou o rosto dela com os dedos e fez com que seu braço arrepiasse. Aos poucos ele sabiamente percorria sua boca com carinho e ao mesmo tempo com um sentimento de domínio, que ela não conseguia decifrar. A respiração de Hermione começou a mudar, e embora estivesse ofegante no início, uma calmaria estranha a invadiu, como se ali fosse o lugar mais seguro de todo o mundo. A sala inteira boquiaberta, enquanto os mais terríveis inimigos, pareciam trocar carícias abertamente e com tanta sincronia que pareciam se conhecer intimamente a anos.



Ele selou as palavras grosseiras dela com um beijo, e o salão todo festejava, Hermione estarrecida, não conseguia raciocinar “o que diabos esse Malfoy está fazendo, eu juro que ... eu vou....” Ela não conseguia pensar em nada, algo irreal e totalmente incrível. Enquanto os pensamentos dela buscavam uma explicação, sentia que não queria ou precisava de nenuma, e sim implorava inconscientemente para que aquele momento perdurasse.



Ele não fez quesão de segura-la mais, havia soltado os seus braços, e instintivamente ela tocou nos cabelos dele.



Depois daquele instante, Hermione olhou fundo nos olhos dele e ele a fitava como se estivesse encantado, porém, mais do que depressa ela voltou a consciência a tempo de enterrar seu joelho, naquele lugarzinho que fez Malfoy gritar, amaldiçoando e soltando vários palavrões, se contorcendo no chão quase cego de dor.



-Eu avisei Malfoy..._disse séria...se levantando e olhando para ele, que não conseguia mais dizer nada, além de gemer.



Enquanto estava ali parada olhando para ele, Hermione ouviu passos chegando por trás, sua intuição acusava que os pés seriam de uma pessoa muito importante e que certamente estaria encrencada. E como ela queria que esse pressentimento estivesse errado, mas não estava.



-O que está acontecendo aqui?_Pronto! Suas suspeitas confirmadas, agora era só esperar o castigo inevitável... “Eu já sabia que estava perdida, mas agora eu tenho certeza”.



Tentou manter a calma e a serenidade ao se voltar para a vice-diretora. Se tivesse sorte ela esconderia a parte da história que ela massacra o Malfoy e ficaria por isso mesmo, mas não podia, haviam testemunhas demais por ali, então, era dizer a verdade ou dizer a verdade..



-Me diga senhorita Granger! O que está acontecendo aqui, onde está seu distintivo de monitora?_falou em tom severo.



-Er... está ali, professora, eu pego..._sentiu suas bochechas ficarem vermelhas, ao abaixar para pegar, o distintivo e dar de cara com Malfoy ainda se contorcendo no chão, meio desnorteado pela pancada.



-Malfoy, levante-se! _ Ordenou a professora Macgonagal.



Malfoy sabia que se levantasse, teria culpa no cartório, estava muito encrencado, precisava ser a vítima agora...



-Você quase me aleijou Granger...se pensa que vai sair impune pode esquecer.



Hermione bufou colocando a mão na testa e se levantando, e ajeitando a blusa com o distintivo pendurado...



-Muito bem, comece as explicações...



-Ai AI AI ....acho que vou morrer..._gritava Malfoy, e atuava como um profissional.



Hermione não sabia o que dizer todos estavam olhando para ela esperando uma manifestação.



“Pense Hermione, pense....”



-...na verdade, professora, o Malfoy, tirou uma foto minha no banheiro dos monitores, e espalhou por todos os quartos.



-Senhor Malfoy!!!_disse a professora horrorizada, olhando para o aluno_ prossiga Srta.



-Como pode ver professora , foi uma atitude incorreta...e..



-Prossiga...



-EU vou morrer eu vou morrer, não sinto a parte inferior do meu corpo..._gritava Malfoy esperando que alguém desse confiança a ele, mas todos estavam mais interessados em ouvir Hermione se explicar.



-Bem eu resolvi.... bem...fazer justiça com as próprias mãos....e...



-Não acredito que a Srta. resolveu partir para a agressão física, em vez de usar os bons costumes civilizados. Não posso conceber isso Srta Granger, isso terá consequências_ Malfoy sorriu no canto da boca vitorioso, encarando Hermione que estava vermelha de raiva_ Para os dois! Os dois se dirijam a sala do diretor, lá iremos ajustar a melhor solução para toda esta confusão.



Malfoy se levantou, de onde estava ainda com uma certa dor, e com cara de espanto, achava que a sua ceninha comoveria a vice-diretora, mas desta vez não funcionou. Hermione seguiu, Macgonagal sem pestanejar, pois sabia que era o melhor a fazer.



Só neste momento é que Harry, Rony e Gina chegaram ao salão correndo.



-Tarde demais _disse Rony sentando ao ver apenas Hermione na outra extremidade do salão caminhar atrás da vice-diretora.



-O que aconteceu?_perguntou Harry a Dino Thomas que foi testemunha do ocorrido.



Gina sentou ao lado do irmão. Cansados de tanto correr, mas muito tristes por não conseguirem impedir Hermione de se meter em encrencas.



-Eu não acredito que não consegui chegar a tempo. O que vai acontecer com ela agora Gina?_ disse Rony preocupado.



-Bom meu irmãozinho isso é o que a gente vai saber depois que ela sair da sala do Diretor.



 



                        *                                 *                                 *



Depois que saíram do salão, Minerva acompanhava aos dois em direção a sala do diretor, Hermione, atrás dela com a cabeça doendo, só conseguia pensar nas coisas insensatas que havia cometido há alguns instantes...um inimigo, uma foto, uma briga, um beijo.



Mas o pior era saber que todo o seu autocontrole, fabricado e tão cuidadosamente cultivado por anos, havia acabado em poucos minutos.



“Merlin, o que eu fiz de tão errado que mereço um castigo como esse? Me diz porque tudo acontece comigo? Tá, tá, eu sei que eu procurei isso tudo, pois eu podia ter me calado! Mas dava mais...né? Pelo menos ele pagou um pouco do que me fez, e tem me feito por tantos e tantos anos. E, eu estou feliz... eu estou feliz? Como que eu não consigo ficar feliz? EU sei o motivo, é porque aquele verme me beijou. Acho que eu vou vomitar, ainda to sentindo aquele gosto de menta na boca, e está decidido, eu nunca mais chupo bala de hortelã na minha vida! Foi simplesmente repugnante, horripilante, nauseante, elefante, borbulhante... Será que eu to passando bem? Definitivamente, eu não eu não estou passando bem... Foi ele aquele Malfoy que acabou com o meu raciocínio lógico e eu não sei mais nem o que eu to falando... Vamos Hermione se concentre, você está prestes a entrar na sala do diretor e prestes a ouvir um sermão de meia hora sobre ‘as regras dessa escola, e a conduta dos monitores...’ Se você tiver sorte, daqui a pouco sua cabeça para de doer, aí você vai ter uma crise de choro, seu nariz vai trancar e você não vai conseguir pregar o olho a noite toda.... Eu to pensando no depois? Espero que Dumbledore esteja bem humorado. Eu ainda nem sei se eu vou ser expulsa do colégio, ou na melhor das hipóteses vão me trancar na masmorra do Snape. Hermione como você é otimista!!! Já que eu estava arriscando minha reputação, porque eu não quebrei o nariz dele?...”



Enquanto Hermione pensava, suas pernas caminhavam automaticamente até a sala, naquele momento não conseguia ver onde Malfoy se encontrava, se estava atrás dela, não sabia.



Hermione só queria que todo aquele suposto pesadelo acabasse logo, queria entrar naquela sala o mais rápido possível, e depois subir para o seu quarto tomar um banho e dormir. A dor de cabeça a estava destruindo, embora já estivesse mais calma.



Finalmente chegaram na porta da diretoria, Minerva bateu com delicadeza e fez sinal para que entrassem. Com passos curtos Hermione entrou. Draco vinha atrás dela a contra gosto, mas Hermione só percebeu quando ele passou alguns passos na sua frente, de modo que parecia querer acabar logo com aquilo.



O diretor estava sentado em sua cadeira, alta e imponente, perante os dois. Com os dedos cruzados e um olhar que nenhum dos dois pode decifrar, com uma das mãos convidou ambos a sentarem, nas luxuosas cadeiras também vermelhas.



-Muito bem, Sr. Malfoy e Sta. Granger, como devem saber já estou informado, sobre o ocorrido, bem, foi o que os trouxe aqui não é mesmo?_sorriu dele mesmo _ não vou me ater a sermões, isso não será preciso_ Hermione pode ouvir Malfoy respirar aliviado na cadeira e naquele momento ela apenas massageou as têmporas_ os senhores já são praticamente adultos, e quero que entendam que o que fizeram não foi uma atitude correta, principalmente, por serem monitores, deveriam ser exemplo. Mas como já disse, não vou me ater a sermões.



Os dois permaneceram em silêncio, aguardando pelo veredito.



-Como estão no sétimo ano e daqui a um mês será a formatura de vocês, e acho que seria com terminarem com essas briguinhas infantis. Para ajudar, quero garantir que ocupem suas mentes com um pequeno trabalho que darei a vocês.



-Trabalho?_disse Malfoy sentando mais pra trás ainda e recostando os braços no encosto_á essas alturas?



Hermione sentiu a cabeça latejar mais uma vez, mas ainda estava satisfeita pela decisão de Dumbledore, pelo menos  um trabalho já era melhor que a masmorra do Snape.



-Não diria bem que seria um trabalho_ Dumbledore, abriu a gaveta da escrivaninha e tirou dois envelopes, e deu aos dois..._essa semana recebi essas duas correspondências.



-De que se trata_ Hermione perguntou examinando com cuidado o envelope.



-Há alguns anos que esse evento não acontecia mais, pra ser mais exato, mais ou menos 7 anos, portanto duvido muito que tenham ouvido falar.



“Evento?, mas não era um trabalho?...ai ai ai....”



-É um campeonato entre escolas, cada escola manda dois representantes, serão uma série de competições, pra ser mais exato provas para testar as suas habilidades. E sei que os Senhores tem muitas, além disso, espírito de competitividade não falta. Venho pensando em quem mandar para este campeonato, mas acabei não tendo absoluta certeza. Então, acabei tendo um pressentimento de que os seus talentos cabiam nos requisitos, e como vocês dois precisam aprender um pouco sobre companheirismo, resolvi manda-los pra lá.



“ Masmorra do Snape, Masmorra do Snape, Masmorra do Snape!!!”_pensava Hermione...



-Como assim?_disse Malfoy não entendendo nada..



-Vocês irão entender melhor quando chegarem lá. Como o campeonato irá começar logo, eu sugiro que se dirijam aos seus quartos e leiam bem essa carta e já separem tudo o que vão precisar. Pelo jeito está descrito tudo que será necessário, horários de café almoço e janta nos alojamentos, e como se darão as provas.



-E quanto  tempo ficaremos lá? E as aulas como faremos?_pediu Hermione..



-Bem ficarão lá por 15 dias, e voltarão na semana da formatura. E a respeito das aulas mandarei a vocês todos os deveres, via correio-coruja_sorriu Dumbledore satisfeito esfregando os oclinhos meia lua _será na certa um trabalho diferente, uma experiência única, e peço aos senhores que façam bom proveito, do tempo que ficarem por lá. Tenho certeza que se sairão bem nas provas. Aproveitem essa oportunidade, pois é única. Grandes bruxos participaram e se saíram bem a ponto de garantirem seus futuros. Eu os alerto de que terão apenas hoje para arrumarem suas coisas. Vocês partem amanhã cedo.



-Mas professor Dumbledore...



-Srta, sem mas, de certa forma será a punição de vocês._ Dumbledore sorriu e depois olhou para Hermione com um olhar firme.



“Punição? Ser trancada na masmorra do Snape é punição, mas isso é praticamente a morte!!!”



-Tenho certeza que trarão orgulho para a nossa escola não é mesmo? Os dois melhores alunos do sétimo ano, tem muito  o que mostrar.



Agora era a hora em que Hermione se arrependia profundamente do que havia feito, suas últimas semanas de aula desperdiçadas em um campeonato idiota com um garoto mais idiota ainda.



-Já sabem o que devem fazer, portanto, podem ir _Dumbledore fez um aceno com a mão e Hermione pediu licença e saindo. Quando chegou na porta suspirou fundo e caminhou rapidamente  pelo corredor. Malfoy vinha logo atrás, e correu atrás dela segurando firmemente o seu braço.



-Ei Malfoy me solta.



-Você tem noção do que fez? _ disse com um olhar furioso.



-Eu? Olha a minha cara de alegria. Você acha que essa foi a melhor notícia que eu recebi? Eu vou desperdiçar meus últimos dias de Hogwarts me juntando a você em um campeonato. Por sinal, como você está caminhando se a dez minutos não sentia as pernas?_debochou  ela.



-Você se acha a engraçada né? Mas só vou dizer uma coisinha sangue ruim. Quem ri por último, ri melhor. Cuidado Granger, quem brinca com fogo, pode acabar queimado._falou seriamente para ela.



-Não me diga? Já deu pra ver que eu tenho medo de você. Te garanto: esses próximos dias vão ser os piores da sua vida, pode apostar.



“E conseqüentemente da minha também....humf...”_ pensou Hermione.



Ele chegou mais perto, e deu de dedo na cara dela.



-Vamos ver quem torna a vida de quem um inferno, Granger_ ele olhou mais uma vez para os olhos castanhos dela, e sorriu debochado, soltando o braço dela e indo em direção ao próprio quarto.



Quando ele saiu, Hermione segurou firmemente a carta ao ponto de amassá-la levemente, e colocou a mão na cabeça, respirando fundo.



“Ainda não consigo acreditar, é comigo tudo isso? Vou passar ao meus últimos 15 dias de colegial na companhia da pior pessoa do mundo, que tem o perfume mais gostoso do universo...Hei!!! Dá pra parar de pensar um pouquinho no perfume dele? Não deprime por favor, concentra...um, dois, três, pense em coisas boas Hermione...._e ela de imediato, ali parada no corredor tocou os lábios_ nãoooo! Menos! Isso não foi bom, não foi bom.”



Ela caminhou em direção ao quarto o mais rápido que pode. Queria afastar os pensamentos da sua cabeça, queria esquecer pelo menos um pouquinho e fingir que nada aconteceu. Impossível! Naquele momento estavam correndo em sua direção o trio, Harry, Rony e Gina.



Os três a abraçaram, e ela sentiu que estava protegida ali, seus amigos, o que mais poderia querer. Neste momento todas as lágrimas que segurava desceram pelo rosto.



-Não chora Mione, nós estamos aqui, com você_ disse Gina.



-Nos perdoe por favor, não conseguimos chegar a tempo..._disse Rony.



-Obrigada, por estarem aqui agora..._disse ela ainda derramando lágrimas.



Ficaram ali por alguns segundos, mas Hermione sabia que precisava ir para o quarto, arrumar suas coisas.



-Preciso ir não tenho muito tempo...preciso fazer as malas..._ disse angustiada.



-As malas? Te expulsaram do colégio?_disse Rony desesperado.



-Não Rony, é só uma viagem.



-Pra onde???_perguntaram os três juntos.



-Acho que para o inferno...._Falou cabisbaixa, limpando as lágrimas e sorrindo amarelo _venham no caminho eu explico.



 



*                                 *                                 *                                 *                                 *



Draco caminhava em direção ao seu quarto, ainda dolorido. Deitou em sua cama do jeito que estava, abriu a carta rapidamente, e leu. Antes mesmo de terminar, levantou, pegou o malão e começou a atirar as roupas dentro sem rodeios, estava uma fera não conseguia pensar em nada a não ser Vingança. Aquela palavra soava como música em seus ouvidos Sabia que era isso que faria, só não sabia como fazer.



“Sangue-sujo...você me paga, minhas ultimas semanas de diversão e vou ter que trocar tudo para viajar com você, ir para um raio de uma competição em que teremos que ser parceiros!!!???....Por Merlin ...eu mereço?..._ele pensou melhor _Não responda! Como um lindo  e louro, sangue-puro, popular, vai viajar com a gentalha, com uma sangue ruim, feia, idiota, que tem um beijo maravilhoso, um perfume delicioso... Ei! Malfoy pare com isso imediatamente! Ela não é nada disso, o fato é que você foi acertado diversas vezes no rosto e está delirando! _enquanto terminava seu monólogo, dramático, um de seus colegas, Joe entrou no quarto e começou a debochar dele.



-E aí Malfoy o que ta fazendo? Está muito frouxo pro meu gosto_disse batendo no braço dele.



-Não seja trouxa, to apenas pensando alto idiota, você não vai acreditar cara, vou ter que viajar com a Grifinóriazinha!



-A das fotos?



-Essa mesma, o velho caduco me obrigou a ir a uma competição com ela... espere até meu pai saber disso...



-Quando você vai?_disse ele mexendo nas próprias coisas..



-Amanhã de manhã...



-E vai perder o encontro com a garota da Corvinal?



-É mesmo! Tinha esquecido! Essa Granger me paga, já prometi que vou fazer o inferno da vida dela_ disse Malfoy enterrando um murro do travesseiro.



-Então quer dizer que eu posso ir no seu lugar?_ falou esperançoso.



-Faça o que quiser, minha diversão vai ser muito melhor que essa, vou me vingar daquela estúpida..._sorriu malicioso.



-Quer dizer então que vai dar uns amassos na grifinória né?_disse Joe rindo.



-Claro que não seu idiota, vou fazer ela sofrer, você acha que eu ia me meter com uma Sangue sujo daquela espécie?



-Bom você até já beijou ela, mais um pouquinho, já podemos marcar a data do casamento _disse Joe e Malfoy irritado pegou o travesseiro e jogou nele, depois de um segundo estavam quase rolando no chão os dois, um batendo no outro, mas Joe apenas ria.



-Você é quem sabe né?Até que ela é bem bonitinha!_ Joe ria.



-Ah não enche Joe, você sabe muito bem que só beijei aquela garota, para que ela calasse a boca.



-Jeito estranho de calar a boca de alguém em Malfoy, a menos que haja uma atração entre dois corpos...e assim._ Joe riu ainda mais da situação.



-Vê se entende de uma vez por todas que eu não tenho nada a ver com aquela garota besta! “Besta que beija bem....muito bem...”



-Malfoy....Malfoyyyy...acorda...ta pensando em que? Estou te achando muito esquisito hein? Sabia que a Pansy desmaiou quando você beijou a mocinha lá?



-Pansy? Que Pansy?.... ahhhhh ....é mesmo? _falou desinteressado.



-É... a Pansy sua namorada...esqueceu? Você não vai vê-la?



Ele pensou, terminou de arrumar as malas, e jogou-as para um canto.



-Não tenho tempo para ela...e além do mais ela não é minha namroada.



-Humm...to vendo que a grifinóriazinha te virou a cabeça mesmo..._disse ainda rindo Joe...



-Abra essa boca mais uma vez, que você fica sem a língua..._disse saindo do quarto, num tom não muito alterado, mas rapidamente.



Bateu a porta e começou a caminhar pelo corredor.



*                                 *                                 *                                 *                                 *



 



-Foi isso que aconteceu..._disse Hermione aos três que escutavam a sua narrativa atentos.



-EU VOU MATAR O MALFOY_ disse Harry alterado.



-E EU AJUDO_ terminou Rony, arregaçando as mangas.



-Ei calma vocês dois!!!!...Já tem gente de mais encrencada por causa desse mala, vocês sabem muito bem que ele não vale a pena, é um covarde. Por favor, não façam nada que me faça sentir culpada depois.



-Mas Hermione...



-Nada de mas... não quero vocês encrencados por conta desse monstro. O que eu fiz não foi certo, mas agora não tem mais jeito. Além disso, pra que bater nele? Existem coisas piores,  a se fazer do que isso_ riu ela.._eu sei me defender...garanto a vocês que ele não passará impune.



-Bem Hermione se você diz... Mas no momento em que você disser que podemos, a gente dá uma lição nele.



-Ta bem ta bem...._disse sabendo que não deixaria que eles fizessem isso..._Garotos depois a gente se fala_ deu um beijo na bochecha de cada um _ vou arrumar minha mala, saio pra lá amanhã cedo. Preciso de tudo em ordem, Gina..vamos comigo?



-Claro que sim amiga..._até depois garotos.



As duas foram para o quarto de Hermione, Gina estava pensativa, queria fazer muitas perguntas para Hermione, mas não sabia a reação dela, então limitou-se a esperar o melhor momento.



Hermione pegou sua mala e abriu, pedia para Gina pegar algumas, roupas, alguns livros, enquanto lia o que dizia a carta, em voz alta.



 



                        IIV Campeonato de duplas de WHITEVILLE



 



Parabéns!Se você está lendo essa carta é porque é mais uma dos muitos alunos e alunas que participarão da IIV campeonato de duplas de Whiteville.



Aqui está a lista de trajes principais  que deverá consigo na viajem.



 



 



*Traje para o jantar de confraternização e demais festividades



*Trajes de Banho



*Traje para as competições (de verão)



*Trajes para passeio



*Uniforme da equipe



*Traje para a festa de encerramento (traje a rigor)



 



Os atletas deverão se hospedar, no hotel CANTO DA FÊNIX, e deverão respeitar a política do lugar, (horários de saída, de chegada, das refeições).



As instalações estão de acordo com as necessidades dos hóspedes.



Serão um total de 30 atletas, de 15 escolas, do mundo todo.



Ao chegarem no hotel,os atletas se encaminharão para a recepção e retirarão, a chave do quarto, em que se instalarão, juntamente com o programa, dos 3 dias em que permanecerão lá antes do início das provas oficiais.



 



Desde já agradecemos



 



A comissão Organizadora.



 



 



-Uniforme da equipe?_ perguntou-se Hermione_Não temos um uniforme...e...



Nesse momento uma aluna do primeiro ano bateu na porta trazendo um grande pacote.



-Senhorita Hermione, o diretor mandou entregar isso pra você.



Hermione deu um sorriso e pegou o pacote, agradecendo.



- Acho que isso responde a sua pergunta!._sorriu Gina..._abra logo Hermione  vamos ver.



-A Gina se quiser pode abrir, não estou com a mínima vontade._disse colocando muitas coisas na mala, e deixando o pacote de lado.



-Hermione..._perguntou Gina indecisa.



-Pode falar_virando de costas para ela e escolhendo que livros ia levar.



-Então você beijou mesmo o Malfoy?_disse com meio sorriso.



Hermione ficou muda, porque ela havia lembrado aquilo? Ela ainda não tinha parado para refletir o quanto aquele beijo representou, porque de fato foi alto inesperado e increvilmente imprevisível. Gina estava trazendo a tona a situação que Hermione não queria mesmo ter que lidar.



-Gina eu não... foi ele quem... sabe aquilo não foi um beijo, foi terrível, um pesadelo...



Hermione respirou fundo, e os olhos começaram a marejar, uma raiva súbita tomou conta de si junto com uma repentino nervosismo, que a fez tremer, mas não soltou lágrimas. Não deixou que Gina notasse.



-Você gostou daquele beijo não é mesmo...?



 -Gina, pode pegar pra mim aquela pilha ali de roupas? _ Hermione mudou de assunto.



-Hermione você não respondeu a minha pergunta..._parou na frente dela e esperou a resposta..._Você pode até enganar o Harry e o tonto do meu irmão, mas a mim você não engana. Alguma coisa aconteceu, que mexeu com você. Espero que você me conte, porque mais do que ninguém eu entendo você.



-Aquilo não foi um beijo Gina e..._disse olhando para a amiga, mas em seguida desviando  o olhar...



-Hermione....você gostou daquele beijo não foi?



-Eu? É claro que não, eu detestei  aquele beijo! Está satisfeita Gina. Como eu poderia gostar de algo que tenha vindo daquele ridículo sarcástico, ignorante, tudo de pior... O que te fez pensar que eu gostei do beijo dele?_Hermione se jogou na cama e tampou o rosto com o travesseiro.



Gina apenas ria.



-Eu te conheço muito bem, e eu tenho muita percepção, meu radar pra detectar pessoas que estão tentando esconder a verdade, está sempre ligado.



-O que? Acho então que esse seu radar está com defeito, porque eu não estou mentindo pra você_ disse atirando o travesseiro em Gina._ Que fique claro! Eu não gosto do Malfoy, eu detestei aquele maldito beijo, foi a pior sensação que eu já senti, o gosto mais amargo que eu já provei. Algo inexplicavelmente ruim, e além disso eu não gosto dele, ele é asqueroso, nojento, repulsivo, ignorante. Você já reparou no cabelo dele que coisa mais horrível? E aqueles olhos sem graça? Além da voz dele insuportável, combinada com aquele jeito arrogante, metido a besta. E o pior é quando ele te olha e você tem vontade de simplesmente bater na cara dele, e sabe o perfume, também é horrível, tipo cheiro de bosta de dragão....



-Nossa pra uma inimiga você sabe bastante detalhes dele hein?_Gina riu mais uma vez.



-Sabia que essa conversa ta me estressando? Acho melhor você me ajudar aqui se não eu não acabo isso nunca.



-Ta bem ta bem..._Gina ainda ria da amiga.



-Que que foi hein?_Hermione riu jogando um chinelo nela.



-Quem sabe quando você voltar de viajem não chega aqui de mãozinhas dadas com o sonserino mais gostoso do colégio?



-GINAAAAAAAAAAAAAA...._disse enfurecendo de brincadeira.



-Posso abrir o seu uniforme?_disse Gina.



-Pode sim...vai enfrente_ Hermione sabia que não conseguiria impedir, e no fundo tinha uma certa curiosidade, mas era teimosa demais para admitir.



-Hermione, que lindo isso...venha ver.



O uniforme, era uma calça prateada, com detalhes em azul, uma bota cano médio, e uma blusinha azul, uma jaqueta prata como a calça, com detalhes em azul também.



- Que roupa linda Hermione, você vai arrasar_ os olhos das duas encheram ao ver todos os detalhes da roupa...ao virarem a jaqueta puderam ver o nome da equipe AUDACIOS, bem destacado nas costas, e o nome de Hermione na frente. Era um uniforme muito bonito, que encheu os olhos das duas.



-É muito bonito realmente..._disse Hermione pasma..._é incrível..._sorriu ela...



-Prova ele..._disse Gina ansiosa.



-Bem, vamos ver como essa coisinha fica em mim_disse ela pegando a roupa e indo para o banheiro.



Não demorou mais que um minuto e ela estava de volta, havia ficado muito bonito.



-Amiga, ficou lindo_disse Gina _imagina só como não vai ficar um desses naquele corpão do  Malfoy.



A cara de Hermione fechou de repente, porque ela tinha que sempre falar nele?



-Gina ...porque que você fica repetindo esse nome repugnante...? Você é minha amiga ou é amiga da onça?



-A Mione...eu só brinquei, não tem porque ficar mal humorada_ terminou Gina rindo da cara dela.



-Não tem a menor graça...deixa eu tirar logo essa roupa, que a gente ainda tem muito serviço, Srta. Folgada _ela também rira agora...atirando o chinelo em Gina.



 



*                                 *                                 *                                 *                                 *



Ele apenas andava pelos corredores, tentando de alguma forma esfriar a cabeça. As provocações de Joe realmente mexeram com seus pensamentos. Não conseguia entender como as coisas poderiam ter tomado um rumo tão diferente do esperado. Caminhava devagar com as mãos no bolso e olhando para os pés de vez em quando.



-Draquinho, meu amor..._ Pansy gritava histérica, enquanto imediatamente pulava no pescoço de Draco e dava um beijo ardente...



-O que está fazendo aqui?_disse tirando as mãos do bolso e tentando se livrar um pouco das garras da sonserina desesperada..



-ORA, EU SOU SUA NAMORADA..._dizia ainda gritando.



-Que tal você falar a palavra namorada, mais baixo. Sabe muito bem que só estamos ficando _disse Draco enquanto se desvencilhava dos beijos, que ela insistia em dar.



-E daí meu amor, eu te amo e você também me ama... é assim que as coisas devem ser... se não somos namorados em breve seremos né fofinho?



-Olha garota, amanhã estou saindo de viagem, vê se cuida da sua vida...Que eu...



-Viajar... mas Draquinho querido...



-Para de me agarrar aqui ta legal?_disse ele praticamente a empurrando.



-Draco você não era assim...o que está acontecendo? Foi aquela trouxa quem fez isso com você? Draco porque a beijou?_agora a garota gritava alto, e as lagrimas corriam na sua face...



Aquela era uma pergunta sem resposta para Draco. Ele ficou mudo, mas precisou prosseguir, precisava sair dali se livrar dela.



-Só estou te avisando que não quero mas preciso ir a esse lugar com  a ......



-É com aquela trouxa né? Você não vai você é meu entendeu Draco, ela não vai se meter entre nós. Ela não vai destruir o nosso amor...Porque a beijou?Agora vai viajar com ela... Draco você está gostando dela?



-Me dê licença Pansy não sou de ninguém, e por mais que eu esteja louco eu nunca iria me meter com um tipo daquele, e eu beijei....porque......porque....  para ver se você  parava com esse escândalo que fica fazendo toda vez que me vê... dá um tempo garota... já te disse que estamos ficando... e se você não parar com isso, nem isso você vai ter.._falou rudemente com ela...



-Mas Draco...



-Chega de mais, que agora eu preciso ir...



Ele deixou Pansy falando sozinha, e continuou impassível.



Caminhou um pouco mais e encostou o braço em uma parede, respirou fundo e passou as mãos nos cabelos...



 



“-Você ... háháhá...é quem ...hihaihaiha  sabe né?Até que ela é bem gostosinha...



-A não enche Joe, você sabe muito bem que só beijei aquela garota,para que ela calasse a boca...



-Jeito estranho de calar a boca de alguém em Malfoy, a menos que haja uma atração entre dois corpos...e assim...”



 



“-Não preciso que você me diga o que eu tenho que fazer entendeu



-Você não tem coragem......



 -Porque eu não teria Malfoy...?Não fale asneiras, você sabe muito bem que a qualquer momento posso te dar uma surra....se eu fosse você não pagava para ver..



-Tenho certeza que não pode ...não seria capaz..”



 



Precisava tirar aquilo tudo da cabeça. Era estranho como já não tinha mais controle sobre seus próprios pensamentos. Definitivamente, não queria voltar para o dormitório antes que Joe estivesse dormindo, estava cansado das besteiras que ele insunuava sobre ele e Hermione, então resolveu que não iria ficar ali parado, tiraria tudo aquilo da cabeça. Ódio não era a palavra exata para definir o que sentia, raiva tão pouco, só o que sabia era que podia ser algo muito forte, pois só conseguia sentir a intensidade dentro do seu peito.



Continuou caminhando pelos corredores, e as vezes olhava para seus polidos sapatos negros, por vezes admirava os quadros sem muito interesse. O que sabia era que apartir daquele dia algo mudaria, pois era o que acusava o seu sexto sentido.



 



*                                 *                                 *                                 *                                 *



Depois de ter arrumado as coisas, Gina saiu do quarto de Hermione, a deixando sozinha.



-Se precisar de alguma coisa, é só falar tá bem?



-Pode deixar Gina...boa noite. _ despediu-se exausta.



-Boa noite...



Estava cansada, acabada, agora Hermione só precisava de uma cama e um banho e uma boa noite de sono.



Entrou no banheiro, tirou a roupa e ligou o chuveiro no frio. As gotas de água escorriam por seu corpo e ela apenas fechava os olhos tentando não se concentrar na horrível e teimosa dor de cabeça, que ainda não desistira de atormentá-la, desde aquela fatídica hora em que começara.



Se deixou levar por pensamentos enquanto permanecia ali parada esperando os pingos caírem.



“Que dia horrível Hermione, em questão de horas sua vida se transformou no caos, pelo menos, eu espero que esse lugar para onde vamos seja no mínimo agradável. Que água gostosa geladinha, vai me garantir uma boa noite de sono, e assim vou esquecer aquele débil, mas, falando no oxigenado, como será que ele ficou no uniforme? A Gina tem cada ideia. Sabe que eu não deveria estar pensando nisso? Eu não deveria! Hermione acho que você está desenvolvendo algum tipo de neurose ou algo assim. Nossa eu estou pensando com toda essa calma nesse assunto. Deve ser isso, e isso é muito grave! Deixa eu desligar logo esse chuveiro, e partir para o meu sono dos justos.”



Saiu do banheiro e vestiu o pijama, agora a dor de cabeça parecia ceder um pouco, assim deitou na cama, e tentou não pensar em nada...Mas ele continuava em seus pensamentos seja para o bem ou para o mal.



 



*                                 *                                 *                                 *                                 *



Demorou algumas horas para que Draco, se  rendesse ao sono e voltasse para o dormitório, tudo estava silencioso (a não ser pelos roncos de Goile, que parecia ter engolido um trator)



Colocou seu pijama, e rapidamente, deitou se entregando ao sono profundo. 



 



2º CAPÍTULO



 



*                                 *                                 *                                 *                                 *



A manhã chegou rápido, para ambos.



Hermione levantou rapidamente, trocou de roupa, pegou a sua mala.



Olhou-se no espelho, não estava com a melhor aparência do mundo, mas pra ela pouco importava.



-Vê se se anima garota! Pense pelo lado bom, você vai se ver livre por uns dias dessas aulas chatas, do professor Snape, das provas e...ainda vai ficar do lado do garoto mais gato dessa escola!_ disse Padma tentando levantar o astral de Hermione.



-Preferia mil vezes poder estar no seu lugar Padma, do que ir à essa viagem.



Padma e Patil apenas se entre olharam, enquanto Hermione terminava de calçar os sapatos...



-Estou pronta, acho que já vou..._Hermione abraçou as duas, e sentia que embora fossem quinze dias, aquilo pareceria uma viagem de um ano, por tudo o que sabia que iria passar junto de Draco.



-Espere Mione, temos uma coisinha aqui pra você lembrar da gente..._disseram.



Padma foi até o seu criado e tirou uma caixinha para fora, abriu-a com cuidado e tirou um vidrinho dela.



-Olha essa aqui é um pouquinho de uma poção que conseguimos. É um perfume para ser mais exata, caso o Malfoy encha o seu saco ou torre muito sua paciência você espirra duas gotinhas nos seus pulsos.



-Humm...e o que vai acontecer?



-Nossa Hermione, olha a hora!!!_disse Patil, fazendo Hermione se dirigir para a porta.



-Se quiser fazer passar o efeito, faça uma mistura de água com açúcar e beba três goles.



-Mas... mas o que que ela faz?



-Vamos Hermione já está em cima da hora....adeus amiga.



Disseram as duas colocando Hermione para fora do quarto e fechando a porta.



-Ótimo, não quiseram me dizer, obviamente porque não deve funcionar..._olhou para o vidrinho, e abriu cuidadosamente e o cheiro era muito agradável..._pelo menos para perfume isso deve prestar...



Desceu até o saguão, alguns alunos desjejuavam, ela porém pegou apenas um pãozinho, e saiu caminhando arrastando a mala e atraindo olhares desconfiados pra si.



Tinha uma vontade incrível de gritar: “O que estão olhando? Por acaso ou sou verde?”.. Mas sabia que esse comentário além de ser muito ofensivo – e isso era algo que ela deveria mudar, além dos palavrões que descobriu que sabia falar – era desnecessário, pois naturalmente todos queriam saber qual seria a punição ou o que teria acontecido na sala do diretor depois que ela e Malfoy terminaram a briga.



Caminhou quase até a porta, viu uma poltrona grande ali perto, tinha uma estátua do lado e ficava quase escondida, atrás dela, ali parecia ser um lugar bem esquecido, ótimo para fugir de todos.



Ela começou a pensar, e ficar comovida com a estátua e com a poltrona, pois muito embora conhecesse a escola toda tão bem, nunca havia reparado naquele lugar. Sempre que entrara pela porta, mal olhava para os lados, era sempre um momento de tamanha alegria que era impossível notar o que havia na entrada. Mas hoje, que precisava sair do local com tanta tristeza, aquele parecia ser um lugar incrível, camuflado, escondido e privado. Privacidade era o que mais queria dado as circunstâncias e por isso achou uma boa ideia sentar ali. 



Comeu o pãozinho, quase empurrando goela a baixo, estava sem fome.



Olhou para a mala, e começou a resmungar uma música, dali de onde estava dava para ver perfeitamente todo o salão, principalmente a mesa da Sonserina. Deifinitivamente, não era o que queria ver naquele momento e isso a revoltou, era perseguição ou o que? Agora tudo que via, parecia ter a ver com o imbecil do Malfoy.



 “Isso é definitivamente um complô contra mim, acabei de não mais simpatizar com esse lugarzinho...”



Encostou a mala na poltrona, e olhou para a mesa da Grifinória, seus amigos ainda não tinham descido...Precisava se despedir deles...



“White Ville... estranho como esse nome é familiar...”



Estava ali pensando, pensando, pensando, quando ouviu alguém falar, alguém não... “alguéns” ...



-Olha aqui Pansy, eu não tenho nada para falar com você.



-Mas Draquinho meu anjo...eu ...



-Olha eu não sou seu anjo coisa nenhuma ok? Quer parar de agarrar o meu pescoço?



-Meu amor eu quero um beijinho de despedida....e eu quero agora...



-Vê se me esquece entendeu, não sou seu namorado, não pertenço a você, estou cheio desses seus ai ai ais....vê se entende de uma vez por todas...NÂO AMO VOCÊ!!!



-Mas Draco tudo que a gente viveu e....



Draco parou e virou para ela segurando os braços dela pra que ficasse uma distância considerável dela...



-Olha Pansy... a gente só ficou, eu não quero e nunca quis ter nada mais sério com você, entendeu?



Ela ficou quieta por alguns instantes.



-Foi ela né?



-Ela quem?



-Foi a Grifinóriazinha, não foi?



-Do que está falando? Pirou?



-Você está saindo com ela, não é mesmo? Foi aquela idiota que fez isso com você.



-Escuta aqui Pansy, comeu fezes de dragão? Você acha que eu ia querer alguma coisa com aquela Nerd? As minhas decisões ninguém influencia compreeendeu? Ela não é nada, é uma inútil.



Hermione que escutava tudo teve vontade de voar no pescoço dele e acabar de uma vez por todas com o infeliz, mas se conteve, precisava escutar tudo...estava cada vez mais interessante.



-Olha Draco não estou brincando, ela vai me pagar.



-Desencana menina, eu não gosto de você porque eu não gosto de você, não é porque eu gosto de alguém. Agora me dá licença que eu estou de mau-humor e você me irritando _ele virou as costas pegou a mala e começou a caminhar na direção onde Hermione estava.



Essa imediatamente, começou a ler a revista e disfarçou. Logo o sonserino chegou caminhando calmamente como se nada tivesse acontecido, não puxou papo, nem sequer dirigiu uma palavra a Hermione, que parecia centrada totalmente no que lia, atrás da revista ela estava ali, mordendo o lábio inferior, com uma tremenda vontade de rasgar a droga da revista, e partir pra cima do Malfoy. “Sou uma dama, sou uma dama, eu preciso controlar os meus impulsos, eu preciso controlar o meu sistema nervoso, meu coração ta batendo a 120 por minuto...lá lá ri lálá....”



Ela cantarolava por dentro tentando se acalmar, mas uma voz disse alguma coisa, que fez sua respiração parar...



-Granger, não que isso me importe mas...Você é tão nerd que lê revistas de cabeça pra baixo agora?



Foi nesse momento que ela olhou para a revista que tava na sua frente e constatou que estava de cabeça para baixo... O que dizer nesta hora? É claro que ele percebeu que havia algo de errado, que provavelmete ela não estava bem.



“O que que eu to fazendo? Ótimo Hermione, agora que que você vai dizer pra esse mala, porque você vai ter que dizer alguma coisa, tentar inutilmente reparar o mico. E na 1ª opção temos: a verdade, que poderia ser ‘Olha Malfoy eu estou com essa revista de cabeça para baixo, porque eu tava escutando a tua conversinha com a Pansy-Cheira-Gambá Parkinson, e confesso fiquei muito satisfeita ao saber que estou jurada de morte por ela, e que ela sente ciúmes de mim, pois acha que eu e você estamos tendo um caso’. E na 2ª opção temos: uma quase verdade que poderia ser ‘Olha Malfoy, eu não lhe devo explicações, a revista está assim porque peguei ela quando caiu, porque você me deu um tremendo susto a hora que chegou, e claro que isso é de se esperar com essa sua cara ridícula’. E, na 3ª opção temos: a mentira que poderia ser: ‘Veja bem, eu estava aqui tranquilamente treinando a minha leitura de cabeça pra baixo quando você chegou, me atrapalhou, e ainda vem me dizer que a minha revista está virada... mas claro que isso eu já sabia, porque fui EU QUEM A COLOCOU ASSIIIIIIIMMMM!!!!!E agora vê se me dá licença que eu ainda não acabei de ler a matéria sobre os gnomos pernetas da Malásia!!!!’. Isso tudo é muito confuso, nenhuma dessas se encaixa no contexto, o que eu vou dizer pra essa mala? Bem, eu sempre fui ótima em improvisos...”



-Obrigada, eu não tinha percebido...



Ela desvirou a revista e deu uma breve olhada pra Malfoy que agora escorava o pé sobre a mala.



“Alguém poderia me informar por gentileza o que eu acabei de fazer? Sim, sim, Hermione você acabou de falar a maior besteira da face da terra...Sim, você acaba de fazer a maior cagada (agora eu já me conformei...eu uso esses palavrões...) do século...Você admitiu que estava com a revista de cabeça para baixo...você deixou ele pisar em você...e o que você fez? Você falou palavras suaves e delicadas, e ainda agradeceu o infeliz por te fazer passar de idiota!!! Quando Malfoy disse que você estava com problemas eu acho que ele apenas constatou o seu estado de neurose aguda...é preocupante, muito preocupante...”



Os dois ficaram ali por mais ou menos 15 minutos, nenhuma palavra de nenhum dos lados. Hermione fazia caretas atrás da revista, e seu rosto estava vermelho. Alguns passos foram ouvidos, Hermione respirou fundo, se sentia aliviada, provavelmente era Dumbledore.



-Senhores...estão prontos? Iremos partir daqui a 5 minutos, peguem suas malas e se dirijam para a porta..._disse Dumbledore com a mesma suavidade na voz de sempre.



Ambos pegaram as malas, e finalmente Hermione tirou a revista da frente dos olhos, percebendo várias gotículas de suor nas mãos. Assim, guardou a revista, e saiu rapidamente dali.



Nesse momento viu se aproximar correndo, Harry, Rony e Gina que a abraçaram em conjunto, ela adorava aqueles momentos.



-Mione, viemos nos despedir de você...



-Vê se se cuida, e se o Malfoy fizer alguma coisa a você...qualquer coisa...eu e o Rony acabamos com aquele idiota...



-Calma garotos, pode deixar que nada vai acontecer...



-Mas Mione...



-Sem nada de mas, eu sei que vocês me amam, e que vão me cuidar sempre de onde estiverem, mas pode deixar que eu vou me virar e vai dar tudo certo.



-Mione, vê se me manda notícias...se você esquecer de mim te transformo em um sapo com bolinhas amarelas quando você voltar_sorriu Gina..._olha, você esqueceu isso...Gina entregou, uma pequena maleta a Hermione.



-Mas isso não é meu Gin.....



-É sim Mione, você vai levar isso..._Gina colocou na mão dela, e ela segurou mas olhou para a amiga sem entender. Gina piscou para ela, e ela entendeu que não poderia falar nada ali, pelo menos não na frente dos garotos. O que quer que tivesse dentro daquela maleta era extremamente confidencial.



-AAA...aham...eu havia me esquecido..._disse Hermione piscando de volta.



-Perfeito, então... Meninos ela precisa ir, e vocês tem uma agradável aula com o Snape.



-Mione não quer me levar junto com você dentro da tua mala?_dizia Rony..



-Se eu pudesse eu levava todos vocês.... hehehe...



-Vamos sentir sua falta..._disse Harry choroso abraçando ela mais uma vez.



-Eu sei, eu também vou sentir falta de todos vocês..._terminou ela com os olhos marejados..._agora eu preciso ir.



Ela se distanciou deles, saindo pela porta, mas antes deu uma breve olhada para a escola. Ainda não era a despedida final que teria que dar dali alguns dias, mas era como se fosse. Era mais um agravante, para piorar o seu humor naquela manhã: o fato de saber que estava no 7º ano e que logo iria se despedir definitivamente de Hogwarts.



Draco já estava do lado de fora, acompanhado do Diretor, Ninphadora e Lupin, o que surpreeendeu muito Hermione.



-Oi Tonks _disse ela abraçando-a.



Draco só fazia aquela cara crônica de desprezo.



-Olá Hermione, quanto tempo..._sorriu para ela feliz.



-O que está fazendo aqui?



-Eu e o professor Remo, vamos levar vocês até o local do campeonato.



-Acho melhor vocês irem, se não chegarão atrasados..._dizia Dumbledore.



-É melhor mesmo Ninphadora, temos coisas importantes a resolver hoje..._olhou Lupin de esguelha para ela, que corou imediatamente, e quase soltou um risinho malicioso.



-Sim sim, temos coisas importantíssimas a resolver...vamos...



-Boa sorte, nos comunicaremos em breve..._disse Dumbledore rapidamente.



-Adeus Professor Dumbledore..._disse Tonks apertando a mão do diretor.



-Até logo, Alvo..._ disse Lupin fazendo o mesmo e esboçando um sorriso.



-Bom garotos chegou a hora de vocês partirem, vocês irão para o hotel onde o profº Lupin e a srt. Tonks, ajudarão os senhores a se instalarem. Bom como não tiveram tempo para treinarem para a competição juntos, terão 3 dias para bolar uma estratégia.



“Estratégia? A única coisa que vou bolar é uma tortura dolorosa pra esse sonserino...!!!”



Draco apenas fez uma cara de desgosto.



-Perfeito_ disse Malfoy irônico.



-O que disse Sr. Malfoy?



-Perfeito professor, que bom que vamos ter tempo... _ concertou rapidamente sua frase.



-Pensei ter ouvido um tom de ironia na sua colocação..._disse Dumbledore sorrindo mais uma vez..._Bem de qualquer forma, conto com os dois, tenho certeza de que trarão ótimos resultados para a nossa escola.Boa sorte.



-Vamos precisar..._replicou mal humorado mais uma vez...



-Sr. Malfoy...



-Nada, nada professor_ disse novamente, tentando ignorar o diretor.



-Foi o que pensei...Adeus.



Foi aí que os 4 apartaram até a estação de trem.



Chegando, entraram no trem e Ninphadora muito empolgada conversava com, Lupin que respondia no mesmo tom animado a ela.



Hermione e Draco ficaram para trás, Hermione caminhava rápido tentando se distanciar de Draco, sentir a presença dele era sempre uma trauma. Ele percebeu o distanciamento e foi atrás dela, puxando seu braço.



-Se pensa que isso vai ficar assim Granger, pode esquecer.



-Você pediu para estar aqui Malfoy...a culpa não é só minha.



-Não é só sua? É claro que é só sua...você quem deu aquele escândalo sem sentido. Pode esquecer que essa vai ser uma viagem feliz.



-Crianças, achamos um vagão aqui..._gritava Tonks animada.



-Bla, Bla, Bla...Vamos ver quem vai ser o terror de quem...agora me dá licença que eu não estou com paciência pra te agüentar.



Ela puxou o braço deu um sorrisinho, e saiu. O sangue de Draco queimava, mas foi caminhando atrás dela, sem parar.



A viagem seguiu. Lupin lia um jornal, enquanto Tonks, permanecia alguns segundos em silêncio, de vez em quando falava, alguma coisa sobre pegar alguns comensais. Hermione sentada olhava para a janela e pensava.



“Quer capturar comensais Ninpha? Que tal começar aqui pelo vagão...hehehe...vai pegar um que tem capacidade no futuro de substituir Voldemort...e  com louvor....hehehe!!!”



Na outra janela estava Draco, olhando para a paisagem, mas seu rosto era totalmente inexpressivo e fechado.



Lupin, baixou um pouco o jornal e piscou para Tonks que entendeu a mensagem, e logo chamou Hermione...



-Hermione, quer ir comigo comprar algo para comermos?



A garota permanecia ali, concentrada.



-Mione....você está me ouvindo?



-Oi...o que você disse?



-Eu perguntei se quer ir comigo com....



-Vamos..._falou levantando antes que ela terminasse...



-Quer alguma coisa em especial Remo?



-Não, não, confio no seu bom gosto..._ piscou para ela.



Ninphadora ficou vermelha, mas logo saiu do vagão junto com Hermione.



-Pode me contar o que está acontecendo?_ disse Tonks preocupada.



Hermione baixou a cabeça, mas levantou imediatamente.



-O que exatamente você sabe?



-Sei que estamos levando vocês para uma competição, e pelo jeito você e o gatinho malvado brigaram...porque não estão se falando.



-Então você não sabe de nada...._riu Hermione tristemente...



-Você vai me contar ... ou vou ter que arrancar de você?_Terminou Ninphadora, sorrindo de canto...



-Bem, senta...porque é uma longa história...



Depois de tudo esclarecido, as perguntas que Hermione temia vieram.



-E você beijou aquele gatinho?



-Primeiro aquilo não é gatinho nem aqui nem na lua, segundo não foi um beijo , foi praticamente como desentupir uma fossa com a boca, a mesma sensação. Aliás, a mesma não porque a fossa é bem mais educada!



-De qualquer modo Hermione, gostando ou não dele, aturando ou não aquele gato, a competição é séria, e é uma oportunidade única...



-Porque essa  droga de competição é tão importante?



-A dupla que ganha essa competição, tem emprego garantido, no Ministério da Magia...Se você não sabe, muita gente influente hoje venceu nessa competição, ou ficou entre os primeiros colocados... Só os melhores conseguem. Além disso, dentre as premiações está  uma viagem  para qualquer parte do mundo, com tudo pago. Não é tentador?



-Tentador? Isso é muito tentador...só tem um coisa que eu não entendo... porque Dumbledore mandou justamente nós dois? Ele poderia ter nos punido de tantas formas diferentes, mas não.



-Olha, Dumbledore é muito sábio. Tenho certeza de que ele mandou vocês é porque sabe que são competentes. Não acho que se trata só de um castigo, acho que tem muito mais do que isso.



-Sabe que estou começando a ter dúvidas sobre  a sanidade de Dumbledore..._riu Hermione tentando achar alguma coisa engraçado na sua própria colocação.



Tonks maneou a cabeça reprovando a garota, mas riu em seguida.



-Além do mais, eu não disse que essa competição é algo fácil. Muitos alunos de Hogwarts, foram, mas nenhuma dupla foi campeã.



- Claro, foi por isso que ele nos mandou, porque sabia que íamos perder como todas as outras equipes...._falou com ironia..._ e isso já é uma punição!



-Pode ser que sim...mas aí é que está a chance de vocês provarem que podem. Queira ou não, você e o Malfoy são ótimos alunos, dominam a magia muito bem, são inteligentes, e muito corajosos.



-O Malfoy? Corajoso? O Harry é muito mais macho que ele.



-Pode até ser, mas mais falso não é mesmo...



-E de que a falsidade adiantaria?



-Para vencer essa competição, não basta ser apenas corajoso, você tem que ter lábia, saber jogar como mestre. Isso é coisa de que o Harry não entende, é puro demais. Essa competição garante um emprego de uma certa importância no ministério, você sabe que o ministério não é um lugar pra gente muito digamos, não é um lugar para alguém como o Harry...



-Você está me assustando Tonks...



-Não se assuste Mi...só estou tentando fazer você entender porque você e o Malfoy formam uma boa equipe, e tem muitas chances de chegar a uma ótima colocação. Além do mais... não vai ser sacrifício nenhum ficar do lado de um gatinho desse por alguns dias vai?



-TONKSSSS....!!!!!!!!!!!!!!!_falou nervosa...



-Já parei, já parei.... _ ela riu se divertindo da situação_ ...agora vamos comprar alguma coisa e voltar pro nosso vagão, pois tem dois gatinhos nos esperando...._disse a garota olhando para Hermione.



-AAAA...Não vai me dizer que está rolando alguma coisa entre você e...



-Por enquanto é segredo....eheheheh _riu Tonks adorando o comentário de Hermione...



As duas voltaram para o vagão conversando, e com os braços cheios de guloseimas, sentaram e logo o clima pesou novamente, a garota passou um olhada, pelo vagão de forma rápida e eficiente, conseguiu ver Draco, ainda olhando para a janela, do mesmo modo que estava quando elas deixaram o lugar, Lupin ainda lia o jornal.



-Trouxeram alguma coisa para mim?_perguntou Remo , tirando finalmente os olhos do jornal.



-Sim, se quiser, esses azuis estão uma delícia_ antecipou Tonks, sentando do lado do professor.



Chegaram depois de alguns minutos, já podiam sentir o trem parando na estação.



-Finalmente chegamos, peguem suas malas_disse Lupin, aliviado.



Os quatro desceram do trem e começaram a caminhar. Tonks conversava animada com Lupin, parecia que ela é quem fazia parte da equipe. Andaram por algumas quadras, e logo chegaram ao Hotel dos competidores.



O local era muito bonito, tudo muito colonial, parecia mais um vilarejo do século 18. Tratava-se de um grande casarão todo amarelo com as aberturas brancas, dotado de uma delicadeza, e tranqüilidade rancheira. Uma faixa, logo acima da entrada que dizia em letras garrafais: BEM VINDAS EQUIPES DO VIII CAMPEONATO DE WHITEVILLE...



Logo a baixo vinha a placa pintada nas mesmas cores do casarão estampado o nome do lugar: CANTO DA FÊNIX.



Os qautro olharam para o hotel, examinando rapidamente o conjunto da obra.



-Viu que lugar adorável?_disse Tonks para todos.



-Muito bonito_ concordou professor Lupin, adentrando e chamando os outros dois...



Entraram pela porta seguiram no hall, mas a tranqüilidade de fora não tinha nada a ver com o que acontecia dentro do lugar.



Uma saleta perto da entrada estava cheia de adolescentes, empolgados, eufóricos, conversando animados, rindo, gritando, se cumprimentando. Mais a frente havia uma bancada que não parecia com uma recepção, a não ser a placa que indicava que ali era realmente uma recepção.



-Fiquem aqui eu e Lupin vamos até ali buscar as coisas de vocês....._disse Tonks puxando Lupin até o a bancada que estava sendo disputada por vários professores também muito eufóricos.



Draco e Hermione, ficaram ali relativamente perto um do outro, com as caras amarradas, apenas observando o que estava acontecendo ali. Várias garotas e garotos, animados e aparentemente felizes, o que era totalmente ao contrário dos dois...



Draco com aquele ar de superioridade fajuta, tentava ignorar a todos. Sentou-se em uma poltrona e colocou sua mala perto, pegou uma revista e começou a folhear, já Hermione se irritava com aquele tipo de atitude, que expressava extremo desprezo e ignorância.



Não se conformava de maneira nenhuma com a ideia de estar ali com ele, enquanto poderia estar ali com Harry ou com Rony, rindo e se divertindo como todas as outras pessoas da sala, ou mesmo estar na escola aproveitando seus últimos dias de aula, junto com seus amigos. Começava até a sentir uma certa falta das aulas dos Snape... (É ela estava desesperada mesmo!)



Hermione passou os olhos pela sala, mas os pousou por alguns segundos sobre Draco, e foi surpreendida no mesmo momento por um olhar cinzento dele que acabava de desviar da revista.



-O que está olhando? Eu sei que eu sou lindo mas, não me olha muito não se não vai pegar muito mal pra mim por aqui._ falou em tom sarcástico.



-Sabia que até o ridículo atrai olhares? Esquece esse negócio de bonito, isso é só nos seus sonhos. Sorte nossa que essa competição não tem nada a ver com beleza, porque nesse caso tiraríamos o último lugar e é claro por culpa sua...._terminou Hermione, se saindo da pergunta, e imediatamente levantando, a fim de tomar um ar do lado de fora, porém, percebeu que Lupin e Tonks já voltavam, suados, descabelados mas com um sorriso vitorioso nos lábios.



-Com....con...conseguimos, a ...cha..chave do quarto de vocês..._disse Ninphadora ofegante...



-As chaves né? Foi isso que quis dizer_disse Hermione tranqüilamente..



-Não, não, é uma chave só, uma chave pra cada dupla. Ou seja, um quarto pra cada dupla.._finalizou Lupin sentando na cadeira e limpando o suor das têmporas com um lenço.



-O quê?_disseram os dois em coro, Draco que até agora não participou de nenhuma conversa coletiva, agora já estava em pé, e atordoado.



-É claro que tem duas chaves, tem que ter, vocês não estão entendendo, eu não posso dividir, um vagão com ele, quanto mais um quarto..._bradou indignada, implorando para tudo aquilo não ser verdade.



-É a primeira vez que eu concordo com a Granger. Eu não vou dividir um quarto com ela e...



-Calma garotos, vocês vão se acostumar _ disse Lupin calmamente.



”Se acostumar? Bom consolo né? Nossa eu posso me acostumar com uma cama cheia de espinhos, ou com agulhas em baixo das unhas. Mas me acostumar com tudo isso, aí já é pedir demais!!!!”_ pensou Hermione nervosa.



-Qualquer dúvida que tiverem, consultem a recepcionista a Srta. Meredith. Aqui está o programa de vocês dos três dias antecedentes ao campeonato. Bem acho que é isso, eu e o professor Lupin estamos atrasados, sei que ficarão bem_nesse momento Ninphadora foi até Hermione e a abraçou..._Boa sorte, e se quer um conselho, relaxe e curta esse momento.



-Espero que tragam bons resultados_ disse Lupin abrindo um sorriso, e cumprimentando Draco que fazia cara de nojo.



-Boa Sorte para os dois, adeus_ saíram os dois apressados, lado a lado.



Hermione tinha a chave na ponta dos dedos, a apertou como se a pobre peça de metal tivesse culpa daquilo. O ódio fervia novamente, mas estava muito exausta para por tudo pra fora. Agora eles estavam sozinhos, ele era a única referência de Hogwarts num raio de 500Km.



-O que está esperando Granger, quero ir para o meu quarto logo, se você não percebeu você é que está com a chave dele.



-Nossa, sabe que eu nem percebi? Se não fosse você pra me avisar o que essa pecinha de metal estava fazendo na minha mão, não sei o que seria de mim.Vê se para de encher Malfoy, ainda são muitos dias pra te agüentar.



Os dois subiram as escadas carregando as malas. O casarão tinha 3 andares, na chave dizia dormitório 12, caminharam por um longo corredor no primeiro andar, mas obviamente o quarto não era ali, demorou até que constatassem que teriam que subir mais um lance de escadas.



-Se não fosse por mim estaríamos dando voltas no andar de baixo, sorte que aqui tem alguém que pensa...



-Se você calasse um pouco a sua boca, quem sabe sobraria tempo para que eu pudesse falar. Aliás ao invés de reclamar, abre logo essa porta, que eu não agüento mais essa sua voz enjoativa.



-É o que eu to fazendo, não está vendo?



Na porta estava uma placa com o nome da equipe: AUDÁCIOS, e logo a baixo o número do quarto.



Ao abrir a porta os dois se depararam com um quarto com duas camas iguais uma encostada em cada parede, divididas por um criado mudo, e uma janela que pegava o fundo da parede, ao lado da cama direita havia uma porta, ali estava o banheiro e na frente das duas camas um closet, parecia ser um ambiente super agradável, se não fosse pela presença colérica um do outro.



-Ótimo, eu durmo na cama direita_ disse Hermione.



-Quem disse_ Draco parou de puxar a mala, e riu..



-Eu disse...



-Mas e se eu quiser dormir na cama direita...? Que eu saiba o quarto não é só seu...



-Bem, mas eu disse primeiro _finalizou colocando a mala sobre a cama...



Malfoy não protestou, abriu o closet,e falou ironicamente...



-Essa lado aqui é meu...



-Ei isso não é justo!!!_ disse Hermione indignada.



-Porque não? A lei no quarto não é essa? Quem fala primeiro escolhe o que quer? Então, eu só estou pondo em prática o tratado que você mesma assinou..._ria e falava com ela tirando o cabelo da frente dos olhos.



-Mas nesse caso é injusto, porque eu carrego muito mais coisas que você, eu preciso de mais espaço..._começou a se irritar.



-Mas o problema é que as minhas roupas são finas e sensíveis, e precisam de muito mais espaço que esses seus trapos.



-E onde é que eu vou colocar todas as minhas coisas_ urrava a garota cerrando os punhos, com a feição mudando de meiga para assassina a cada segundo...



-Se vira....joga em baixo da cama, ou melhor....joga pela janela..._ria cinicamente tranqüilo, enquanto ela praticamente tinha um ataque nervoso.



-AHHHHHHHHHHHHHHH.............. Seu idiota, vou te matar...



Hermione batia nele e ele tentava se desvencilhar, dos tapas...



-Vai começar tudo de novo Granger?



TOC TOC...uma batida na porta, e de imediato alguém abriu a porta.



-Olá...tudo bem com vocês?_disse a garota, olhando assustada para os dois que pareciam estar travando uma luta  livre.



-Olá..._disse Hermione disfarçando e soltando o colarinho dele e desamarrotando as roupas do garoto, esboçando um sorriso falso..._eu só estava...



-Ela estava me mostrando uns golpes...._agora Draco deu um tapa forte nas costas de Hermione.



-AHHH é claro...eu tava mostrando uns golpes pra ele..._Hermione devolveu o tapa, com mais intesidade com que recebeu...



-Hum...bom...hehehe...eu sou Núbia, sou vizinha de vocês!!!_a menina era bonita, cabelos loiros lisos, olhos azuis, um corpo até mais ou menos na opinião de Hermione, mas aparentemente muito metida.._estou hospedada no 11, eu e o meu parceiro Gregory. Vocês são da onde mesmo?



-Nós viemos da escola de Hogwarts, conhece?



-Não_ disse estupidamente para ela, mas trocando olhares com Draco, e esse correspondia...



-Não... nunca ouvi falar. Nós viemos de uma escola bem superior a essas que tem por aqui , a nossa escola é dos EUA, mas vocês não devem conhecer_ disse esnobemente, mexndo no cabelo..._bom, acho que a nossa conversa vai ter que ficar para depois, preciso ficar bem bonita para o jantar de hoje a noite..,a gente se fala ...como é mesmo o seu nome garoto?



-Malfoy....Draco Malfoy...ao seu dispor_ disse ele beijando a mão dela.



-A noite vou estar no jantar é claro...você vai não é?



-Se você estiver...é claro que vou.



“Náuseas, náuseas....essa garota é um nojo...se alguém não tirar essazinha daqui, eu vou estragar esse lindo carpe, estou passando mal... Merlin, socorro, o Malfoy é irritante, mas ele perde pra ela... é sério, essa ceninha que eles estão fazendo está me provocando uma ância de vômito...”



-Nossa que cavalheiro, muito simpático você _ disse Núbia sorrindo, e fitando os olhos dele.



“O Malfoy.... simpático? O cérebro dessa garota derreteu...”



Saiu do quarto rebolando, fazendo Draco olhar para ela.



-Acho que vou acabar gostando daqui..._ disse Draco malicioso.



-Perfeito Malfoy, já achou uma garota daquele tipo que você curte: mal educada igualzinha a você..._disse indo para o closet organizar as coisas.



-Granger, você está com inveja, mas como eu sou muito bom, vou te dar um conselho: tenta ser um pouquinho parecida com ela, que daqui há uns 20 anos você consegue virar uma garota..._debochou ele mais uma vez..



Hermione, não sabia o que falar, se virou para o closet e entro nele com a sua grande mala, para desfazer. As palavras dele doíam agora, e por mais que tentasse esquecer as provocações que ele fazia a incomodavam seriamente, não apenas a irritavam, mas faziam com que pensasse nos seus reais defeitos, naquilo que as vezes ela não notava em si mesma... Aquilo mexia com ela ao ponto de não saber mais se era verdade ou não.



Não era uma menina chorosa, não queria ser, muito menos uma garota fresca e romântica... Ela tinha convivido demais com Rony e com Harry, talvez por isso aprendeu a ser mais dura e menos delicada. De fato dividia problemas de meninos no dia a dia, e apesar da amizade de Gina, era com seus dois amigos homens que ela tinha mais contato.



“É claro que eu sou uma garota, só não sou uma oferecida como essa menina. E ele acha que ser garota é isso? Bom então ele tem razão mesmo ...eu não sou uma menina!!!”



Enquanto filosofava mentalmente, olhou novamente para o pequeno espaço no closet, e olhou para a mala. Uma mala enorme cheia de coisas que certamente não caberiam naquele espacinho minúsculo.



“Bem, se concentre Hermione não perca a calma querida, ele quer que você se descontrole, mas não é isso que você vai fazer, você vai organizar tudinho e depois vai arrumar um jeito de se vingar dele ...”



Abriu a mala e retirou, um pequeno aparelho de walk  man, colocou as pilhas que havia trazido e ligou os plugues em duas caixinhas de som, e pos ali dentro do closet...



Ela só conseguia relaxar com músicas, escolheu o seu CD favorito, algo para esquecer de pensar naquilo ...que atormentava sua cabeça...



 



Depois que saiu percebeu que Malfoy não estava mais ali, mas sim no banho. O vapor saia pelas frestas, a água devia estar muito quente. Constatou que foi bem não ter dado de cara com ele. Pegou a maleta que Gina tinha dado para ela, e foi se encaminhando para o closet, mas enquanto se distraía com a música, seus olhos pousaram sobre a cama de Draco. Sim, ali estava ela, entre aberta, ali sobre o colchão...toda verde escura com muitos bolsos...



A mala do Draco... (não, não era o Draco... apesar de que ele é uma mala. Nesse momento, não se tratava do nosso antagonista...).



Ela estava ali, parada, semi aberta....e sabia telepatia!!!



SIM, essa mala fazia aulas de oclumência, porque sem mais nem menos ela parecia se comunicar com Hermione.



MALA: “Olá Hermione, meu nome é Lisa, eu sou a mala de Draco Malfoy muito prazer!”



HERMIONE: “Como você sabe meu nome? (eu estou falando com uma mala...mas e daí? Quem disse que ela não pode falar?)”



MALA: “É claro que eu sei...Precisamos conversar, você precisa me ajudar... eu estou com uma baita coceira, no meu lado esquerdo.... Não sei o que é que está me incomodando...você poderia me ajudar?”



HERMIONE: “Coceira? Como eu poderia te ajudar? (eu não estou surtando, eu apenas estou sendo prestativa oras...a mala precisa de mim...!)



MALA: “É fácil...é só abrir aqui do lado e tirar dali o que está me provocando essa terrível coceira...Por favor linda moça ...eu sei que você está morrendo de vontade de saber o que eu guardo em minhas entranhas...”



“Além de conversar, a mala está me induzindo a fazer coisas proibidas! Eu não posso fazer isso! Não posso e não quero mexer nas malditas coisas dele!!!!! E você mala feche essa boca que eu estou ficando nervosa, e daqui a pouco eu vou jogar você pela janela...e isso não é apenas uma ameaça...”



-Com quem está falando Granger?_bradou Draco de dentro do banho que parecia escutar a discussão. Envolta em seus pensamentos e na sua curiosidade, mais do que na hora, gritou com ele, usando o tom de voz que agora era habitual em suas conversas, especialmente com Draco.



-NÃO É DA SUA CONTAAAAA!!!!



HERMIONE: “Dona Mala, se você acha que eu vou levar a sério as suas provocações, você está redondamente enganada. Eu estou sempre sob controle (que mentira..!) não vai ser por conta da sua coceira que eu vou fazer a besteira de mexer nas coisas imundas do Malfoy...”



MALA: “É uma pena Srta. Hermione, porque há muitas coisinhas legais aqui dentro...”



HERMIONE: “Você não entende _ disse agora em um tom inconformado_ eu não posso mexer nas coisas dele...”



MALA: “Mas é só uma mexidinha, ele não vai descobrir. Além do mais, ele vai demorar bastante, ele está no banho agora....vamos...só uma mexidinha...”



HERMIONE: “Só uma mexidinha?.....mas eu.....”



“Vamos, devem ter coisas muito legais, aqui...você nem imagina....” (É isso mesmo que está acontecendo? Eu estou praticamente caindo na lábia de uma mala barata, que pratica oclumência e provavelmente deve ter pensamentos malignos? Ela está me induzindo a mexer nas coisas daquele imprestável, está tentando me persuadir?)



HERMIONE: “EU NÃO VOU FAZER ISSO, sabe porque? Nem você e nem aquele loiro estúpido mandam em mim! Eu estou bem, definitivamente você não está colocando pensamentos na minha cabeça! Você é só uma mala idiota, que pertence a alguém muito mais idiota que embora tente não vai conseguir me tirar do sério, que não vai conseguir me fazer perder a cabeça, que não vai conseguir arrasar com os meus dias aqui! Eu não vou mexer em nada dessa mala, porque nada dele me interessa. Não importa o que tenha aí dentro, certamente é algo do mal, de comensais, de Voldemort, e que não me diz respeito. Ele não me diz respeito. É isso eu tenho que ficar aqui e aturá-lo mais alguns dias, e depois é a formatura, eu vou sair de Hogwarts vou conseguir um trabalho incrível com as minhas habilidades, e nunca mais vou precisar olhar para a cara dele! Eu me chamo Hermione Granger, eu sou uma bruxa muito boa, eu sou sim!



Nessa hora, Hermione estava parada a um metro de distância da suposta mala falante, pensante e com personalidade, enquanto Draco abria a porta do banheiro fazendo o vapor sair e tomar o quarto. De fato, ele parecia um deus reluzindo em meio a nuvens, musculoso, forte, loiro, e com o seu corpo perfeito envolto em apenas uma toalha branca na cintura.



Ele chegou a tempo de ver a discussão que Hermione travava com “não se sabe quem”. Embora ela estivesse olhando para sua mala, era impossível saber o porque daquele monólogo. A princípio ele ficou assustado, mas achou divertido, pois ela era divertida, engraçada em meio a tantas teorias e convicções. Um jeito sério e ao mesmo tempo hilário de lidar com as coisas.



-Está tendo uma crise de dupla personalidade?_disse o Mister Mundo Bruxo, secando os cabelos com outra toalha.



-Vê se me deixa em paz eu e a ...._ela não podia falar que estava desfrutando de um papo cabeça com a mala dele, porque isso é totalmente irracional. É certo que aquilo não era racional em nenhum nível, mas ele não podia perceber a que grau de loucura ela se encontrava _ eu e a minha dupla personalidade. E já vou logo avisando que ela não é tão boazinha como eu!



-Você a cada minuto me surpreende Granger _disse ele abrindo a própria mala, e ela não tirava os olhos dali, estava hipnotizada, pensava na conversa que teve com a mala, mas que por óbviu era o seu próprio inconciente lhe pregando peças..._quando eu penso que você não é tão louca, você me aparece com uma nova e me faz ter certeza de que você tem problemas.



-É claro que eu estava brincando seu idiota, e é que claro que você não é tão inteligente para saber que há diferença entre brincar de falar sério.



Ela foi até o closet e pegou as coisas que precisava para também tomar banho.



-Granger você sabe que infelizmente temos que ir juntos a esse jantar de abertura não sabe?_disse arrumando as vestes em cima da cama.



-É claro que eu sei. Já estou me preparando psicologicamente para não vomitar a comida, por estar na sua presença._bradou Hermione, indo para o banheiro e batendo a porta forte.



Hermione fechou a porta e fitou seu rosto no espelho, olhou fundo em seus próprios olhos “um jantar com o Malfoy, isso é só o começo da tortura”.



Ela não queria que fosse uma noite terrível, mas inevitavelmente seria, com ele sempre é... as coisas sempre conseguem ficar péssimas ao lado dele.



Havia uma música tocando do lado de fora do quarto. Ela reparou que se tratava de uma das suas músicas preferidas, então não se deu ao trabalho de gritar novamente com ele. Aquele som agradável, fez com que ficasse um pouco menos irritada, e decidida a tomar agradavelmente o seu banho, relaxante e quentinho...



TOC TOC TOC...



-Granger, só pra avisar, acho que acabou a água quente..._ gritou Malfoy para ela.



Depois que Hermione entrara em baixo do chuveiro, é que as palavras dele chegaram ao seus ouvidos... estava gelada, seu corpo entrara em contato com aquele líquido de temperatura antártica, fazendo tremer de cima em baixo.



-AAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!! Eu não acredito!_você me paga Malfoy....



-Aiii....essa água está geladdaaaaaa......BRRRRR......O que você fez com a água quente Malfoy?



Hermione tomou o banho rápido, lavou os cabelos, e saiu do banheiro tremendo...Mirou o quarto mas ele não estava mais lá.



“Ele tem sorte de não estar aqui...” Se dirigiu até a porta e a trancou para que não houvesse a chance dele entrar.



Aparentemente, ele tinha guardado todas as suas coisas nos lugares porque a terrível mala não estava mais lá.



Abriu o closet, e pegou um vestido rosa claro, que estava no pequeno cubículo, tinha medo que quando tirasse alguma peça, despencasse todo o resto.



As suas coisas estavam compactas, um movimento mal calculado e ocorreria um avalanche.



Estava sem ânimo. Olhou para ao relógio, faltavam ainda faltavam várias horas para o jantar, daria tempo de se arrumar e sobraria ainda muitos minutos livres.



Então decidiu ter calma para ficar pronta, vestiu uma meia fina, e logo colocou o vestido que não era sofisticado, ou deslumbrante, mas ela se sentia bem nele. Aparentava uma certa discreção e fineza, nada de muito chamativo. Lembrava muito o estilo anos 50, com a cintura bem marcada e com um corte godê. Ao contrário do que Malfoy poderia dizer, ela estava parecida com uma dama. Escolheu bem um par de sapatos de bico redondo, em um tom claro. Decidiu que precisava de uma maquiagem leve, então caprichou nos detalhes. Finalizou o cabelo em um coque alto. Destrancou a porta do quarto, para o caso de Draco querer entrar.



-Ótimo, ao menos já acabei com isso...aaaa tchim.......eu não acredit...tchim..... por culpa dele eu acabei de pegar um resfriado. Era só o que faltava....porque Merlim....tudo tem que acontecer comigo, acho que a lei daquele tal de Murphy foi feita especialmente pra mim. Tenho a impressão de que tudo está conspirando contra mim. Eu sou só uma adolescente tentando passar pela adolescência da forma mais suave possível!!! O que eu fiz de tão errado, pra merecer isso?....aaaaa tchim...



Sentada na cama ela esperneava, entre os muitos ataques histéricos costumeiros. A música de Draco ainda estava no quarto, mas não se tocara disso, pois era tudo que ela mais gostava de ouvir. Estranhamente ele tinha um gosto musical compatível, mas ela jamais admitiria, e quando ele chegasse no quarto, bem... ela reclamaria.



Mas aos poucos, depois do banho, de estar pronta e por ainda faltar muito tempo para o jantar, acabou por deitar na cama, e em meio a exaustão física e mental dormiu.



 



*                                 *                                             *                                             *         



Draco ria cínico, saiu do quarto ainda ouvindo os gritos da garota. Ria, mas não era um riso feliz. Ele queria que fosse, mas não era, e porque não podia estar feliz? Ela estava berrando de raiva, e ele estava conseguindo transformar a vida dela em um inferno. Mas porque não se sentia alegre?



“Viu Granger, com quem você mexeu? Vai ser assim de agora em diante: você me odeia? Ótimo, porque eu também te odeio, você apronta comigo? Ótimo, eu também apronto... Eu te odeio, eu te odeio....eu vou te odiar...sempre...”



Caminhava a passos lentos, as mãos nos bolsos, mas a cabeça altiva como sempre. Passou pela porta do quarto 11, o quarto de Núbia. Ela era uma garota linda. Com certeza desde a primeira vez que a viu gostou dela, quem sabe as coisas não poderiam evoluir, e pensando bem, ele viu isso como uma possibilidade não muito remota.



Desceu as escadas. Alguns jovens passeavam por ali, pelos corredores que lembravam muito a estética de Hogwarts. Naquele momento pensou que não seria tão mal estar ali, apesar de estar inevitavelmente colado em Hermione.



Quem sabe conseguiria conviver com ela em paz... Não, definitivamente não! Ele havia prometido que seria tudo terrível para ela, a filhote de dragão merecia sofrer...ela iria sofrer.



Várias garotas conversavam no andar de baixo, ele as olhou, e fez aquela sua típica expressão de galã de novela mexicana, que, consequentemente fazia as garotas irem ao delírio.



Draco era um típico conquistador barato, fizera muitas garotas caírem aos seus pés e posteriormente serem enxotadas. Ele era bonito e sabia usar dessa beleza, somada a um carisma natural que aperfeiçoava constantemente. Seu jeito de ser era frio e calculista quando se tratava de envolvimento afetivo, talvez tivesse herdado isso de seu pai. O fato era que não pretendia deixar com que seu coração se apaixonasse por alguém. O amor, a seu ver, era para perdedores, pois deixava fraco e vulnerável. Ele era um Malfoy, aquele que tem tudo, é tudo, e não perde o foco por nada ou por ninguém.



Disse um “olá” educado e muito polido para as garotas que davam sorrisinhos e agora cochichavam entre si. Ele sorriu de volta e continuou caminhando, tendo a certeza de que espalhara um pouco mais do seu charme por entre os corredores do hotel.



*                                 *                                 *                                             *



Depois de mapear o local, decidiu que era hora de voltar para o quarto. Já passava das 7 horas, precisava se arrumar, para o jantar, a porta estava fechada, e deu uma boa olhada na na placa que indicava o nome da equipe.



-Audácios, da onde que aquele velho caduca, tirou esse nome infame?



Girou o trinco da porta e entrou, já se preparou para dar de cara com Hermione psicótica conversando sozinha ou mesmo gritando com ele por acabar com a água quente do chuveiro. Mas não, ela estava deitada na cama em um sono profundo, porque mesmo com o barulho que Draco fez ao entrar ela não se moveu. A música tocava baixo, a respiração dela era leve, parecia estar tendo um ótimo sonho. Sua figura frágil, inocente ali, não se assemelhava ao temperamento alterado que Draco sempre tinha o costuma de presenciar. Encantadora! Sua boca entre aberta, suas pálpebras delicadamente cerradas, o rosto delicadamente tranquilo permanecia sobre o travesseiro. O corpo da garota inerte, delicadamente posicionado como um cisne. Ela tinha um ar de princesa, como se fosse uma Bela Adormecida, pronta para ser despertada.



Draco se surpreendeu por não parecer nada com a Hermione de sempre, era outra garota.



A surpresa era boa, mas não boa para Draco, porque todas as vezes que Hermione se aproximasse de uma garota normal, ele temia não poder mais odiá-la como antes. Tudo que ele havia dito sobre ela não ser uma menina, ser estranha ou indelicada, acabava de cair por terra. Não havia argumentos para destruí-la ou ofendê-la, porque nada estava errado ali.



Ela jamais saberia o quanto conseguia despedaçá-lo apenas com a sua presença, sem usar nenhum argumento, nem gritos, nem choros e nem ofensas. Naquele momento ele acabava de perder. O conquistador barato que estava ali perante a figura terna de menina, não estava mais compreendendo as sensações que seu corpo produzia...



 (NOTA DA AUTORA: Musica que estava tocando....A letra dessa musica tem muito a ver, com o momento... The Blower's Daughter _Damien rice )



Ele chegou mais perto de onde ela estava e parou para olhá-la. Era uma Hermione que ele não conhecia, a Hermione sem as expressões de nojo, sem o olhar arrogante. Era a calmaria, a serenidade, era aquela Hermione que ele nunca sonhou conhecer. E embora ele lutasse para desviar o olhar e se concentrar em outras coisas, ele sentia que precisava admirá-la, como se fosse uma obra de arte.



Toda aquela raiva que ele sentia, pareceu se dissipar perto da fragilidade dela. Suas narinas se encheram com o perfume doce, tão doce como ela parecia ser, ali dormindo, embalada pela musica ao fundo.



Draco respirou fundo, pois não pretendia que aquilo acontecesse, estava começando a pensar nela de um jeito improvável, e não eram pensamentos malignos, o que o deixou muito furioso consigo mesmo, por perder o controle.



Entrou dentro do closet e fechou as portas.



-O que que ta acontecendo comigo? Pelo jeito a loucura dela é contagiante, eu não estou bem!! Minha mente está repleta... dela! Isso tudo só pode ser uma estratégia que ela criou para te atormentar. O que você tem na cabeça para achar a Granger angelical? Não você só pode ter merda na cabeça, é,  é isso que você tem uma grande merda dentro dessa cabeça. Entenda de uma vez por todas: a Granger é um monstro, monstros não são bonitos, nem angelicais, nem meigos, nem nada. Monstros são monstros, horríveis, asquerosos, nojentos. E a Granger é um MONSTROOOOO....Ela é feia, nerd, e você odeia ela....odeia ela....Se concentra e vai para o martírio, mas não olha pra ela em hipótese alguma. Faz o seguinte, imagina a medusa deitada naquela cama, se você olhar ela te transforma em pedra. Lembra: A MEDUSA!!! Porque você não consegue parar de pensar nela? E essa maldita música tocando, espera! Fui em quem colocou essa música! Mas ela vai se arrepender por fazer isso comigo, com os meus sentidos, com a minha vida. Ela está acabando com a minha droga de vida, com a minha sensatez, e isso tudo em um dia só... um maldito dia... Eu não vou agüentar...eu vou enlouquecer...”



Bateu o pé no chão e passou a mão nos cabelos... respirou fundo, contou até 10...



Ele saiu mais uma vez do closet agora vestido com uma camisa preta e uma calça social preta, tentou não olhar para ela, mas ela não era a medusa, nem por perto, e havia uma vontade incontrolável de mirá-la. Penteou os cabelos loiros, e passou o perfume mais uma vez... Mas era inevitável, ele a olhou mais uma vez, olhou para aquela boca....que ele havia beijado...e que beijo...!!!



Nervoso e se sentindo rendido por um turbilhão de emoções, Draco não sabia o que fazer.



-Será que eu vou ter que acorda-la? Não! Só o que me falta, eu não vou tocar nela, eu não posso tocar nela...._a barriga esfriou...depois de um giro de 360º...



O relógio acusava ser quase 8 horas...e eles não poderiam se atrasar para o jantar!



“Vou jogar um balde de água nela. É issoooo... péssima idéia... se essa doida resolver trocar a roupa aí definitivamente vamos chegar depois da sobremesa.... O que eu faço o que eu faço!?”



Draco caminhava de um lado para o outro no quarto como se tivesse uma tarefa mortal a fazer, não tinha como adiar....teria que fazer...e os minutos se esgotavam, a cada sapatear com os lindos sapatos caros.



Nesse momento tomou coragem e se aproximou, como quem chega perto de um animal feroz. Estendeu a mão aos poucos, pois não sabia se o seu corpo obedeceria, e direcionou seus dedos para tocar exatamente no braço da garota.



-Gr..Granger....acorda....a gente tem que ir..._disse seco, e desviou o olhar dela...da boca linda macia e rosada....



Não se movia, o sono era realmente profundo.



-Granger...acorde...._Draco estava ficando nervoso... precisava acorda-la o mais rápido possível, mas aquele perfume estava deixando nele um certo desconforto – que no fundo gostou muito.



A beleza dela era como uma chama que incendiava Draco, e sentia que não deveria tocá-la pois iria se queimar, então resolveu apelar para sua voz, e gritar mais alto o nome dela



- GRANGER.....acorde agora_ dizia ele decididamente evitando precisar tocar em seu corpo.



Agora para o alívio dele ela parecia acordar. Se espreguiçou, e ele saiu de perto dela alguns centímetros, não queria que ela tivesse qualquer impressão de que se aproximara tão perigosamente. Para que ela não desconfiasse, fechou a cara, e deixou o mau humor transparecer no rosto.



-Por que você me acordou?_falou Hermione ainda bocejando.



-Bom, nós vamos chegar atrasados, será que você acha isso um motivo aceitável?



-Que horas são?_falou assustada fitando os olhos nos dele...mas falava calmamente



-8:15....



-E eu, preciso terminar de me arrumar_ disse esquecendo que já estava pronta.



-Bom..._disse ele levantando dali de onde estava, e mudando a cara para aquela costumeira, agressiva,e irônica..._não que vai adiantar muito, porque você fica feia de qualquer jeito...



-Olha aqui...voc....aaaaaa tchim!!!!!!!!_mal levantou e espirrou..._viu o que você fez? Agora eu estou resfriada, por culpa sua!!!!



-Tô pouco me lixando para você e para as suas frescuras. Além do mais, você é uma bruxa, porque não esquentou a água do chuveiro?_disse dando os ombros e virando de costas.



Hermione maneou a cabeça, não tinha tempo para discutir. Olhou no espelho e percebeu que já estava arrumada o suficiente.



Embora não quisesse admitir, ele tinha razão sobre o banho, ela era uma bruxa, poderia ter feito um feitiço para esquentar a droga da água. O problema é que Draco sempre a tirava do sério nas piores horas, fazendo com que seu cérebro não funcionasse direito.



Ao entrar no closet sentiu novamente o cheiro de Draco. “Ele passou aquele perfume de novo? Agora ele infestou esse closet, e as minhas roupas com esse cheiro horrível. Se eu digo que esse cheiro é horrível, é pra ele ser horrível e não para grudar no meu nariz e me fazer sentir flutuar. Não é isso que os cheiros de horríveis fazem...”



Draco deitado na cama com os braços atrás da cabeça esperava Hermione.



-Vai demorar muito pra sair daí, ou eu vou ter que te tirar a.... (boca aberta, baba escorrendo no canto da boca, coração acelerado, respiração bloqueada....hehehe) força...!!!



Nesse momento Hermione saiu do closet com toda a sua beleza. Draco não entendia como, mas ela estava incrivelmente bela, não que naquele momento ele admitisse isso. As outras com certeza estariam mais belas que ela, mas nenhuma delas era ELA. Naquele momento ele teve certeza que a Granger de antes tinha sido abduzida e os ETs haviam sido muito generosos, trocando o monstro pela princesa.



-Malfoy....._Falou enquanto pegava um lenço.



Ele não respondeu porque não conseguiu pensar em nada para ofendê-la.



-Malfoy...eu estou falando com você...Hora de ir, vamos?_agora ela estava na frente dele, mas Draco não se mexia.



-Garoto você está surdo? Ou eu to falando japonês?



-Etês?_disse Draco, olhando enigmático para ela, retornando parcialmente do mundo da lua...



-Do que você está falando? Faz mais ou menos 5 minutos que eu estou te chamando e você parece estar hipnotizado, pensando não sei no que... Eu entendo que você é sequelado, mas não deixe que isso atrapalhe a vida das outras pessoas que não tem culpa dessa sua disritmia mental.



-Você demorou muito, eu estava quase dormindo.



-Agora a culpa é minha? Você precisa é urgente  de um psiquiatra....seu desequilibrado.



-Então somos dois... Porque não era eu que até algumas horas estava conversando com objetos inanimados com por exemplo uma mala..._disse dando os ombros e depois, soltando o sorriso arrogante de sempre, deixando-a compre sempre furiosa.



Hermione caminhou para fora do quarto, ficou quieta, pois sabia que se alguém precisava de ajuda de um psicanalista era ela, mas não iria admitir, não para ele...



“Como ele sabia que eu tava conversando com a mala, será que deu pra notar? Ou será que foi a mala que me dedurou? Por Merlin Hermione não viaja! Você não falou com a mala foi apenas uma alucinação da sua cabeça. Mas ele viu, ele viu sim, e agora eu to passando de doida para ele. Quer saber eu não me importo com o que ele pensa, eu me importo? Eu não sou doida! Eu confesso que às vezes a minha razão está quase se mandando da minha caixa craniana ....mas ela ainda está aqui dentro... mesmo que com as malas prontas para ir embora. (Definitivamente, eu não vou mais usar a palavra ‘mala’, ela acaba de ser extraída do meu vocabulário)...”



-Que tal você me esperar?



-Eu estou parada aqui te esperando, vamos nos atrasar, e mais uma vez você vai jogar a culpa em mim..._disse saindo do transe e voltando-se para ele que agora fechava  a porta.



Hermione naquele momento mantinha uma distância de aproximadamente 4 metros de Malfoy, e depois que ele trancou a porta, começou a caminhar em direção a ela.



Ele desfilava pelo carpet como se flutuasse, munido de uma elegância que surpreendeu Hermione. Como ele poderia ter tanta classe? A camisa preta bem alinhada, em conjunto com a gravata vinho, calças escuras, e um sapato de verniz, eram o suficiente para deixá-lo incrível. O cabelo loiro, penteado para trás deivdamente alinhado, possuía alguns fios que insistiam em cair em sua testa, os quais eram colocado no lugar pelos dedos brancos dele. Os olhos? nunca estiveram mais azuis, e provocantes. Sua postura era altiva e ao mesmo tempo transparecia uma naturalidade de como quem faz isso habitualmente sempre precisar forçar qualquer movimento ou ensaiar seus passos.



Se haviam mais pessoas naquele espaço, naquele corredor ou passando por ela, era impossível notar, pois toda sua atenção estava focada no caminhar do sonserino, que aos poucos se aproximava.



É claro que ela tentou por diversas vezes desviar o olhar dele, mas Draco era magnético, e não havia meios de se defender desse tipo de ataque que é tão preciso e eficaz, que a deixou desarmada e vulnerável. 



Os 4 metros pareciam 8, 12, 16... Ela olhava para ele como se nunca o tivesse visto, como se aquela fosse uma versão nova de Draco, ao menos um que de maneira alguma poderia a magoar, a machucar ou a ferir com palavras e ações. Naquele momento ele era um “invólucro” tão perfeito que era impossível imaginar que seu “conteúdo” poderia ferir ou envenenar. 



Todas as brigas e discussões do quarto, pareciam ter desaparecido, pois aquele ser tão exemplar não seria capaz de fazer todas aquelas coisas.



Ele chegou bem perto dela e deu o braço, dizendo com suavidade.  



-Vamos?



Nesse momento Hermione pode até perceber um tom de educação da voz dele, um olhar tímido mas fatal, mas que causou um tremendo efeito sobre ela.



Somente com aquele “vamos?” ela tinha certeza que iria para qualquer lugar que ela a levasse... Porque ele fazia isso? Era proposital? Era um teatro? Fazia parte do seu show? Hermione não entendia como poderia sentir uma montanha russa de emoções o tempo todo com relação a ele. Era ódio, era medo, era atração, era vontade de esganar, vontade de abraçar, vontade de beijar...



-É...É...é Claro que sim..._ gaguejou, mas instantaneamente se recompôs e não deixou que ele notasse o seu nervosismo e a ansiedade.



Ela tocou no braço dele e sentiu o tecido macio da camisa muito bem escolhida, lavada e passada. O perfume marcante que estava em sua roupa aos poucos tomava as narinas de Hermione e parecia envolve-la percorrendo todo o seu corpo. Seu próprio perfume aos poucos desaparecia, deixando lugar apenas para a essência imponente que dele emanava.



Aquele jantar seria um marco para os dois, deveriam fingir uma amizade que jamais houvera, um bom relacionamento que de maneira nenhuma cultivavam, mostrar uma parceria que jamais foi selada. Se ainda não estavam atuando, deveriam começar.



Qualquer um que olhasse para aquele casal caminhando pelos corredores não duvidaria de que eram perfeitos juntos, por mais que no fundo ambos jamais admitissem que havia harmonia nos seus gestos, olhares e movimentos.



E embora nenhum deles acreditasse no que estava acontecendo, e estivessem sentindo repulsa pelos próprios sentimentos que inconsciemente iam e vinham dentro de seus corações, aquele tornei sequer havia iniciado, e muitas surpresas ainda estavam por vir.   



Nada mais sábio que o tempo, nada mais misterioso que o coração, nada mais forte que o amor...ou ódio? Paixão? Cólera?... Qual seria o mais forte?



Em uma noite especial, uma linda moça, um lindo rapaz, desciam as nervosamente para um jantar inesquecível.



 



 



3º CAPÍTULO



 



 



O casal perfeito (ao menos aos olhos de quem observava) chegou ao início da escadaria, e se preparava para descer.



De lá de cima, já podiam ouvir as conversas animadas dos competidores que estavam no andar de baixo.



-Vamos evitar chamar a atenção, eu não quero que me vejam com você..._disse Draco Espiando o andar de baixo, e comentando.



“Sem abrir a boca ele até pode parecer um príncipe encantado dos livros de história, mas quando isso acontece eu só consigo ter certeza de que ele é um sapo verde, gosmento e nojento”.



-É..._pausa para uma meditação_ pela primeira vez eu concordo com você, não quero que me vejam ao seu lado, pegaria muito mal para mim!!!_ “Raiva, ódio, raiva, ódio....” (Hermione bufando por dentro, mas com uma cara sincera de preocupação concordando com cada palavra dele.)



-Granger, eu estou falando sério, é vergonhoso ter que ir com você neste jantar..._disse Draco esperando uma reação de revolta da parte dela, um chilique, um escândalo... Mas....



-Eu também to falando sério, vamos descer as escadas, e escapar pela esquerda, teremos sorte se aquele garoto de óculos encostado na parede não nos vir juntos... Não concorda que é um ótimo plano?!!_disse ela olhando séria para ele, mas escondendo a vontade de encher ele de tapas e entrando no mesmo jogo que ele acabava de começar..._ daqui consigo ver  a mesa. As cadeiras tem o nome da equipe, agora me ajude a encontra-las daqui, para que possamos nos sentar nelas sem caminharmos muito, e consequentemente, não aparecermos muito tempo juntos..._Hermione fez uma cena espetacular: olhava insegura para os lados, como se estivesse temendo que alguém a visse olhando de espreita... Por dentro, se segurava para não pular no pescoço dele e arrancar a aorta com os dentes.



Draco olhou para ela assombrado, pois certamente achou que a Granger-doida, iria fazer um pequeno show, por ele não querer aparecer com ela em frente ao público, porém, ao contrário disso ela o colocou como como um ser digno de vergonha por também não querer aparecer com ele em público.



Draco não estava preparado para provar de seu próprio veneno, e aquilo doeu, seu ego estava completamente ferido.



Ele não compreendia aquela reação, pois qualquer garota do mundo desejaria ir com ele a qualquer lugar (pelo visto Hermione não era “qualquer garota”).



Embora tudo isso tenha de alguma forma lhe afetado, um Malfoy que se prezasse não ia deixar que lhe fizessem passar de bobo.



-Claro Granger, tirou as palavras da minha boca, vamos ver... Estou vendo daqui... Vai ser ótimo, ninguém irá nos ver _adiantou Draco que olhava para onde estava a mesa, tentando parecer mais empolgado que ela para fugirem.



-Tomara mesmo _dizia falando firmemente olhando para as largas costas dele que agora estavam na sua frente.



-Olha lá Granger, as cadeiras estão lá!



-Ótimo , deixa eu ver... Ei... mas... mas tem 3 cadeiras escrito AUDÁCIOS.....



- Três? Como assim três?_disse Draco olhando para o lugar e constatando que Hermione estava certa.



-Não entendo....somos dois_ a garota pensava alto enquanto caminhava para trás...



-O que vocês estão fazendo aí?_disse uma voz vinda atrás deles.



-Bem nós já estávamos..._dizia Hermione sem ao menos ver quem a empurrava, para que descesse escada a baixo.



-Vocês precisam descer agora...._insistia a voz, nas suas costas.



-Mas...a gente...nós..._sem entender o que estava acontecendo Draco pegou no braço de Hermione em um ato instintivo e finalmente começaram a descer as escadas.



Quando perceberam, já estavam atraindo olhares, e fazendo uma entrada triunfal, por estarem relativamente atrasados.



Núbia que estava lá embaixo quase teve um ataque de nervos, por perder a vez, depois dos dois entrarem. Afinal, ninguém olhava para mais nada a não ser para os dois que pareciam flutuar pela escadaria com um misto de imponência e elegância.



Para piorar a situação, vários fotógrafos esperavam para registrar o momento em uma foto, que com certeza iria para o jornal preferido de Hermione “O Profeta Diário”.



Finalmente perceberam que quem os havia empurrado com tanta rudeza, só poderia ser uma pessoa: Rita Skeeter, que estava muito interessada em apresentar aquele novo casal em seu jornal por meio de uma matéria venenosa, como era de costume.



Logo que desceram, ela já os puxou pelos braços enquanto rapidamente enquanto tirava do bolso o caderninho, e a sua famosa pena, que já havia causado tanta dor de cabeça em Hermione.



-Viram meus queridos não doeu nadinha... Coitadinhos! Pareciam tão aflitos e com medo de descerem para a festa, são tímidos?... Ou estariam, como posso dizer, entre os beijos se escondendo de todos? Willian, bata uma foto agora... (e os flashs exagerados cegavam ambos). Como ia dizendo, que segredinhos guardam essas duas almas jovens e inocentes, amor? Paixão? O que Harry Potter pensaria disso? Você o está traindo minha criança?



-Chega disso agora mesmo, eu me recurso a responder essas suas PERGUNTAS IDIOTAS! _ disse Hermione irritada, mas ao mesmo tempo evitando qualquer escândalo.



-Tenha calma minha querida. Estão tão agressiva! E neste ponto que nós nos perguntamos, como profº Dumbledore, escolheu essa garota para participar de um campeonato tão ilustre. Pelo que podemos notar (e não é de hoje) tem sérios distúrbios emocionais, e uma personalidade peculiar. O que leva a esse diretor, colocar o prestígio de Hogwarts, nas mãos de uma pobre garota desequilibrada?_ela ditava para o papel enquanto Hermione pasma ficava sem reação nenhuma.



Draco do lado de Hermione, não sabia se concordava com Rita, se ria da cara de Hermione, ou se tomava alguma atitude para defendê-la.



-Dá pra parar com isso agora, sua maluca..._dizia Hermione tentando arrancar o papel da mão da repórter.



-Ei Granger, calma, vamos nos sentar_ disse Draco vendo o perigo iminente se aproximando, já que Hermione começava a se alterar.



-Eu não vou sentar até que ela retire o que disse de mim!!!_terminou Hermione pronta para pegar em seu bolso a sua varinha.



Naquele momento Draco segurou firmemente no braço dela e olhou em seus olhos, tentando convencê-la a sair de perto de Skeeter de forma silenciosa e discreta evitando maiores problemas.



-Não vá ainda, garoto loiro misterioso, preciso fazer umas perguntinhas a você também _ disse Rita chamando ele para que voltasse.



Mas os Draco já havia dado as costas, caminhando firmemente, arrastando Hermione pelo braço até a mesa.



Hermione se deixou levar, tinha noção do quanto estava nervosa, e se ficasse mais alguns instantes ali com a repórter, faria ela engolir todo o papel da caderneta (isso tinha se tornado um hábito – fazer as pessoas comerem as besteiras que fazem).



-O que pensava fazer? Transforma-la na sobremesa?_disse Draco depois de sentar  na mesa com Hermione, que por sinal tremia de raiva.



-Não, eu só ia me defender de todas aquelas palavras mentirosas que ela escreve daquele caderninho e depois as usa contra mim e contra os meus amigos. Não entendi porque você está tentando bancar o salvador da Pátria, mas Malfoy você, definitivamente, não é Harry Potter. Esse papel de mocinho não combina com você.



-Eu agradeço todos os dias  por não ser Harry Potter, agradeço por não ser patético como ele. Tudo que consigo é por mim mesmo, e não porque tenho uma cicatriz na testa ou uma historinha triste. Agora vê se fica quieta que eu não quero mais chamar a atenção dessa repórter e correr o risco de aparecer com você na matéria de capa daquele jornaleco. As coisas já ficaram ruins depois da nossa entrada triunfal que não deu para disfarçar. Não vê que a minha reputação já era?



 -Que reputação? Que eu saiba pra perder uma reputação, você precisa ter uma primeiro..._ disse Hermione com ironia.



-O que pode entender uma “desequilibrada” sobre reputação..._agora ele apenas puxava o canto da boca, em mostrar os dentes, irritando a garota.



-Eu não sou desequilibrada!



-Sabe Granger você me cansa, essa discussão acaba aqui, vou falar mais nada porque eu sei que eu tenho razão. Sua sanidade mental não é minha pauta desta noite.



-Ótimo, mas não pensa que eu vou esquecer disso. Depois que estivermos sozinhos, você vai me pagar por cada palavra que acabou de dizer...



-Hummm.... quer ficar a sós comigo... eu sei que eu sou tentador Granger, eu sei que é difícil estar perto de mim sem me querer_ ele tocou no pulso e arrumou a camisa, jogando todo o seu charme.



Hermione ia abrir a boca para falar qualquer coisa, para revidar Draco, mas foi contida por seus olhos que avistaram algo que não poderia passar despercebido, e que finalmente garantia uma noite de paz para ela!!!



Um alívio imediato foi o que ela sentiu, ao contrário de Draco, que ficou meio paralizado mas sussurrou um palavrão baixo.



Hermione esboçou um sorriso vitorioso perante Draco que agora tinha mudado totalmente a expressão de arrogância.



-Profº Dumbledore!!!



-O velho caduco!!! Que emoção Granger, o que ele veio fazer aqui?



-É por isso que temos mais uma cadeira, eu não sabia que Dumbledore viria!!!_ falou animada.



O diretor entrou pela porta principal e logo foi atacado pelo bando de fotógrafos, que a todo custo conseguir uma boa foto. Além deles, já era sentida a presença inconveniente de Skeeter, que se aproximava do diretor, enchendo-o de perguntas inconvenientes e absurdas. Tanto Draco como Hermione acompanhavam com seus olhos o diretor, para saber o que aconteceria. Dumbledore se aproximou de vários outros diretores de escolas e autoridades cumprimentando-os.



-Imagina se o velho caduco não iria comparecer a uma boquinha livre como essa...



-Eu estou vendo que o nosso acerto de contas, vai ser aqui mesmo se você não parar de insultar o profº Dumbledore..._ disse Hermione.



-Não sei porque você defende este senhor, já que é por conta dele que estamos aqui, não é?



-Você mereceu!!!!



-Eu não tenho culpa de você ser uma DESEQUILIBRADA e não conseguir segurar os seus malditos impulsos de lutador de boxe_ disse Draco tentando a todo custo irritá-la.



-Vejo que já estão se dando bem!!!_disse o diretor finalmente conseguindo sentar  ao lado deles.



-Boa noite profº Dumbledore!!! Que surpresa agradável vê-lo aqui..._ perguntava Hermione rapidamente levantando da cadeira onde estava.



-Bem não eu não pude recusar o convite para esse jantar de abertura, afinal vocês estão representando Hogwarts, em tão ilustre campeonato. Pode sentar Srt. Granger, agradeço a gentileza.



Draco estava enjoando com aquela conversa animada entre o diretor caduco e a puxa-saco. Enquanto a conversa dos dois não terminava, e sem vontade de ouvir qualquer assunto vind deles, passava o tempo observando as pessoas ali, jogando o cabelo, piscando para algumas garotas, atacando de don Juan mexicano novamente.



-Como são as instalações? Gostaram do lugar? Confesso que fiquei surpreso ao ver  os Senhores conversando, estava disposto a vir aqui e encontrar os dois em pé de guerra, e consequentemente aumentar a carga de deveres, mas pelo visto...



-Sim, muito, eu e o Draco já estamos nos dando bem sim..._ mentiu Hermione.



“Garota gostosa no vestido azul, filho dos Madison...aquele é um nerd... garota gostosa de verde...não essa não é tão boa assim...”



-....DRACOOOOOOO????????????????????_disse Malfoy quase tendo um ataque..._o que você que está...



-O que foi que disse Sr. Malfoy?_ perguntou o diretor agora se voltando para ele.



“Ah não! Se esse sonserino lerdo colocar tudo a perder eu pego ele. Dumbledore precisa acreditar que eu e esse monstrinho somos amigos... e para isso preciso pronunciar o nome dele. Será que ele não entendeu a tática? Preciso de uma ideia urgente!”



-Não é nada... É que ele ainda não está acostumado a me ver pronunciando o seu nome, eu sempre o chamei de Malfoy, mas agora me sinto confortável em chama-lo de Draco_disse ela contornando de forma explêndida toda a situação, e olhando para Draco expressivamente, pedindo, um “Pelo amor de Merlim” me ajude a convercer o diretor de que...



-Do que você está..._disse expressivamente irritado...



“Você vai querer me matar, mas não tem outro jeito...” Pensou Hermione tomando uma atitude. Naquele momento, com o seu lindo sapato acabava de cravar o salto no pezinho dinamarquês de Draco.



-Aiii... o que...você....aaaa sim diretor...eu estou bem, apenas uma dor lombar por carregar a minha mala e dela para cima, nada grave...hehehe, eu e a Gran... eu e a HERMIONE... estamos nos dando muito bem... _ disse tentando parecer convincente.



-Espero que não seja nada grave Sr. Malfoy, uma dor lombar pode perjudicar o seu rendimento na competição... Sei um feitiço ótimo para dores lombares...e...



-De modo algum Professor, não precisa, eu até já estou melhor...eu e a Gran...a Hermione, nós vamos..._agora Draco olhava para ela, e pedia para saírem dali...



-Diretor, pode nos dar licença um minuto... Vou apresentar uma garota ao meu novo amigo que adora conhecer pessoas novas._ ela sorriu levantando da cadeira e pedindo para que Draco a acompanhasse.



Hermione pegou no braço de Draco e ambos levantaram ainda esboçando aquele sorriso forçado e caminhando para fora do campo de visão do diretor.



Draco ainda com o pé parcialmente amortecido, caminhava com certa dificuldade.



-Granger o que pensa que está fazendo? Isso doeu sua maluca, quase amputou meu dedão com esse salto!_ gritou baixo.



-Não tenho culpa se você é um tapado e não conseguiu me entender. Você não deveria ter se metido quando falei o seu nome ridículo, eu estava convencendo ele de que nós  estamos nos dando muito bem.



 -HÁ HÁ HÁ... Granger aquele velho é caduco, mas não é burro... Somos praticamente inimigos mortais (e sempre seremos) você acha que ele vai acreditar nesse papinho furado de que somos amigos e que de uma hora pra outra? Acha que ele vai acreditar que  nossas desavenças desceram pelo ralo, e agora estamos adorando estarmos juntos, e isso tudo, apenas porque viemos nessa maldita competição?



-Bom, se essa história vai colar eu não sei... Só sei que se Dumbledore perceber que estamos brigando de novo, ele já disse e prometeu que vai aumentar consideravelmente a nossa carga de deveres. Eu não quero passar todo esse tempo com você e ainda por cima  ter que fazer trabalhos em dobro.



-Ele não faria isso, faria?



-Bom, eu não quero pagar pra ver... Então como eu disse, é melhor você fingir, e fingir muito bem, porque se eu tiver que fazer esses trabalhos, A TINTA QUE EU VOU USAR VAI SER VERMELHA-SANGUE-DO-MALFOY!!!!



-Eu vou fingir, mas não pense que é porque você quer. Afinal eu não sou idiota, e se você não parar de gritar senhorita delicadeza em pessoa, nós vamos atrair aquela Skeeter pra cá novamente, e como eu já disse, eu não quero aparecer com você na capa do Profeta Diário...Embora eu tenha certeza de que amanhã ela vai publicar alguma coisa infame sobre nós _disse preocupado e pensativo.



-Então está decidido, agora somos os amigos Draco e Hermione. Acho melhor voltarmos para que Dumbledore não desconfie.



-Se não tem outro jeito..._disse ele bufando e olhando nos olhos dela.



-Não, não tem outro jeito mesmo... E é melhor ir sorrindo, e dessa vez menos falso, que como você mesmo disse Dumbledore é esperto.



-É caduco..._disse rindo gostoso agora,e parecendo soltar um pouco os músculos da face.



Hermione respirou fundo, mas sentia que as tensões estavam só aumentando desde a hora que chegaram: encarar Draco fantasiado de deus grego, Rita Skeeter tentando arruiná-la com matérias mentirosas, Dumbledore esperando que ela tolerasse seu pior inimigo, e uma competição por vir. Seu sonho naquele momento era ter trazido a capa de invisibilidade do Harry e ficar sumida por tempo indeterminado.



Draco pegou no braço dela, agora sem instinto e de propósito. Ela parou para pensar nas repetidas vezes que já haviam se tocando acidentalmente ou por necessidade desde o fatídico dia em que se desentenderam, e constatou que já estava se acostumando com o calor que emanava do corpo dele, com o seu cheiro e com o seus movimentos. Eram sensações com as quais não deveria se habituar, contudo, a sensação de ter alguém por perto que, de alguma forma estranha, estava ali e poderia ser um apoio, ou uma proteção, a tranquilizava. 



Não podemos dizer que Draco estava completamente indiferente à Hermione, porque ela realmente estava encantadora naquela noite (de boca fechada, é claro) talvez pela escolha bem sucedida do traje, ou pela delicadeza de seus movimentos, podia jurar que por um instante se sentiu muito bem perto dela, como se não quisesse estar em outro lugar do mundo se não fosse de braço dado com ela. Sua boca ainda senti o nome dela que havia soltado para convencer Dumbledore. Aquilo era novidade, ele sempre criara um distanciamento falando apenas o seu sobrenome. Não lembrava de tê-la chamado pelo nome, e por isso sentia um temor infantil de pronunciá-la novamente, como se fosse um feitiço.



-Estamos chegando..._disse Hermione voltando do transe em que se encontrava e olhando para ele esperando ver a sua expressão.



-Se prepare para ver a melhor atuação de toda a sua vida, vou entrar no personagem!_ Draco falou de forma engraçada.



-Eu espero sinceramente que tudo que você se gaba e se acha, seja mesmo verdade, e que a sua atuação seja impecável a ponto de convencer Dumbledore.



-Você já teve provas da minha impecável atuação: eu fingi perfeitamente uma dor lombar..._ria ele agora daquele jeito sarcástico, com a postura perfeita, ficando assim muitos centímetros mais alto que Hermione.



-Merlin, o que faz esse garoto ser dotado de tanta auto-estima? Malfoy, se foi a sua mãe que disse isso pra você não acredite, ok? Todas as mães tem costume de superestimar seus filhos, até mesmo no seu caso (que seria muito difícil de superestimar!).



Draco não respondeu, olhou para Núbia e piscou, sorrindo logo em seguida. Hermione naquele momento foi tomada por uma incontrolável vontade de estuporar a  oxigenada.



-Voltamos..._disse Hermione animada para o diretor, que agora conversava com um homem rechonchudo, de bigode ruivo, muito elegante, parecia ser alguém importante ali, pelo modo a qual Dumbledore se dirigia a ela.



-Garotos este é o Sr. Montvilla o presidente da competição.



-Muito prazer senhor, eu sou Hermione Granger..._disse a garota se apresentando de maneira simpática.



-O prazer é meu, seu diretor falou muito bem de você, disse que é a melhor aluna de Hogwarts, é verdade?



-Imagina, bondade dele..._falou Hermione corando as bochechas.



Draco torceu o nariz e roubou a cena.



-Olá Sr. Montvilla_ disse Draco sorrindo...



“Eles se conhecem??? Como assim?”_ pensou Hermione assombrada.



-Sr. Draco Malfoy, como está? A quanto tempo não o via mais, cresceu está um homem.



Disse o homem admirado, parecia conhecer muito bem Draco, e isso deixou o clima ali mais familiar.



-É uma honra para mim tê-los aqui, conosco, desculpe qualquer imprevisto. Este ano temos mais competidores, apesar de toda a organização, sempre acontece uma ou outra situação atípica. Mas  se precisarem de alguma coisa, qualquer coisa, informe a recepção que eu mesmo farei o possível para resolver_ sorriu o homem dando a mão para Draco_ Agora me dêem licença que eu o dever me chama.



-Até logo Sr.Montvilla.



-Os senhores demoraram...._disse Dumbledore seriamente.



-É... é que ...._Hermione corou, mas não precisou contar mais um mentira, Dumbledore já havia começado a falar novamente.



-Isso é irrelevante, o que importa é que chegaram a tempo, sentem-se, já vai começar.



O Rechonchudo, conhecido do Malfoy e presidente da competição, se aproximou do seu lugar de honra bem na ponta da mesa.



Todos os alunos e diretores já se colocaram em seus lugares, aguardando pelo discurso de início.



-Estamos com sorte..._disse Draco, quase murmurando para Hermione, que ficou surpresa ao ver que ele agora conversava com ela mesmo que Dumbledore não os tivesse observando.



-Deixa me ver....aposto que aquele senhor é um comensal da morte, amigo do seu pai. E por você ser o candidato a substituto de Voldemort, conclui-se que ele vai dar um jeito de fazer a gente ganhar esse troço, isso? Então, estamos com sorte, porque ele vai nos ajudar, acertei?



-Se eu fosse o substituto de Voldemort, eu já tinha levantado a minha varinha e lançado um Avada em cima de você à pelo menos uns seis anos. Mas Granger, tenho que admitir que você não é de todo uma ameba. Montevilla já deveu muito dinheiro ao meu pai, tem uma amizade de longa data, e provavelmente vai nos ajudar se eu pedir. Agora se ele é um comensal ou não, isso eu não sei. E mesmo que soubesse não seria a você que eu iria contar.... e...



-Senhoras e senhores, estamos aqui todos pelo mesmo motivo, hoje damos início a mais uma edição do tradicional Campeonato de Duplas de Whiteville. Gostaria de me apresentar, sou Argânius Montevilla, o presidente dessa competição, eu e a minha equipe composta de mais de 50 pessoas, organizamos esse campeonato que vem revelando brilhantes e promissoras mentes desde a sua primeira edição. Bem como todos sabemos, desta vez, o encontro foi maior do que esperávamos, em vez de 10 serão 15 equipes que participarão deste campeonato _ ele sorria, e olhava com um ar gratificante para todos ali presentes _ um número considerável, mas que nos deixa muito mais satisfeitos, pois sabemos que somente os melhores dos melhores levarão a taça..._ Hermione por mais que quisesse não conseguia prestar atenção no discurso, porque de canto de olho conseguia observar Draco piscando e jogando charme para algumas garotas que estavam na mesa, atacando novamente com aquela pose de galã fajuto.



“Irritante....!!!!!!!”_mentalizava Hermione.



-Pois bem caros alunos, vamos falar da parte interessante. Bem, a premiação deste ano, além da já conhecida, que se trata do emprego no Ministério da Magia, e a viagem para o lugar escolhido pelos vencedores, o Ministro da Magia foi generoso e ofereceu desta vez, o emprego diretamente em sua assessoria, um cargo de muita responsabilidade e oportunidade. A premiação do segundo lugar, este ano, também está muito mais satisfatória...



Embora Draco estivesse terrivelmente frustrado por estar ali naquela competição, ao ouvir a Draco Ministério da Magia seu estômago deu um salto, e percebeu que este campeonato era a oportunidade da sua vida, pois se ganhasse poderia estar ao lado do Ministro da Magia, o que seria mais fácil chegar ao seu objetivo: Vingança. Se conseguisse, todos iriam pagar... Sorriu consigo mesmo, e prontamente cessou a performance de Don Juan, e começou a prestar atenção nas palavras do bolachudo.



Mas a premiação não só atraiu a atenção de Draco, mas também Hermione ficou muito interessada, pois aquilo era uma oportunidade única em sua vida. Mas ao mesmo tempo teve um desânimo repentino ao lembrar que os competidores se tratavam de alunos prodígios. Além disso, para somar negativamente, ela e Draco não haviam se preparado ou treinado para aquele momento, e todo o peso do seu ódio mútuo não permitiria que formassem uma parceria eficaz para ganhar o prêmio. Ou seja, não havia uma equipe de verdade.



- ...Portanto, eu declaro esse campeonato aberto..._ Montevilla terminou o discurso e foi ovacionado por todos com palmas e assovios.



Finalmente o jantar iria ser servido. Porém, depois do discurso tanto Hermione como Draco não tinham mais fome, cada um estava envolvo em seus pensamentos relacionados a sua nova meta: vencer a competição, mesmo não sabendo como fariam isso.



-A fome faz isso com você Granger, quer dizer, melhor amiga Hermione? Fica com os olhos paralizados, olhando para o nada, como se estivesse vendo um fantasma? É melhor comer alguma coisa, antes que você assuste todo mundo.



-Eu não estou com fome amiguinho, mas obrigado por se preocupar comigo _disse rindo falso e chutando a canela dele por baixo da mesa.



-Você tem que parar com essa mania amiguinha, de ficar me chutando por baixo da mesa. Do contrário vou pensar que você quer entrar pra o meu fã clube..._Draco se divertida por fazer Hermione ficar nervosa, se aproveitando da situação para provoca-la, enquanto ela assistia a comida sendo posta em seu prato.



Depois o Elfo enchia o copo da garota com um líquido amarelado e cremoso, e ela esperava que ele a servisse o mais breve possível, para que pudesse molhar a garganta seca. Desejava que fosse um suco de maracujá, porém, no mesmo instante tirou a ideia de cabeça, pois não queria se acalmar, pois do contrário não teria ânimo para esgoelar o sonserino.



Ergueu o copo distraída, e imediatamente Draco também levantou o seu, mas antes de leva-lo a boca, pousou um olhar irônico em Hermione e tilintou a sua própria taça na dela.



Ela olhou para ele, tentando entender, o que ele tinha feito.



-Tim Tim..._Ele disse, rouco, sorrindo no canto da boca depois disso, mas sem tirar os olhos dela.



“Olha a cara dela. O que deve estar passando naquela cabecinha de nerd chata? Parece que eu estou conseguindo ser bastante irritante.”



“Porque ele fez isso? Ou melhor, porque eu estou olhando para ele? Bom, que tipo de fim ele vai ter depois que eu conseguir sair desse transe? Cadeira elétrica? Tortura? Espinho embaixo das unhas? Arrancar todos os pelos dele com cera quente? Eu... eu... eu vou... Mas porque é que eu não consigo para de olhar pra ele? Ou melhor, pra maldita boca desse infeliz... Porque ele faz isso com a boca? Fica tão atraente, e aliás ele é todo atraente... Ei! Voltando para terra Hermione! Preciso urgente expressar minha cara de cólera, porque do contrário ele vai achar que eu estou olhando para a droga da linda boca dele! Vamos lá, cara de ódio, de ódio.... onde que está todo o meu ódio está quando eu mais preciso dele? Será que alguém notou que meus olhos estão sobre ele e que não consigo tirá-los dali? Acho que essa gripe ta me dando febre, porque eu to delirando!!! Preciso voltar ao meu estado normal... (esqueci: eu não tenho mais estado normal faz tempo). Hermione pense em coisas boas! Coisas boas, vejamos... um arco íris ...é um lindo e colorido arco íris, com um pote de ouro no fim dele... Espere... não é um pote de ouro, é um pote de prata... e prata é a cor dos cabelos do Malfoy!!!NÃÃÃÃÃOOOOO.... é melhor pensar em coisas ruins, como .....como.....deixa pra lá!....é impressão minha ou essa comida tem algum tipo de veneno que paralisa os músculos? Aaaa... esqueci, eu ainda não comi... Bom, e pra que comer quando você tem a vista da coisa mais charmosa do mundo...”



Draco também tinha perdido o controle da situação.



 “Bom, até que deu pra irritar bem a Granger, deu pra sentir nos olhos dela isso, ela pisca rápido, e eu consigo ver suas pálpebras tremerem de leve, fora a respiração dela que fica ofegante, e ela tenta inutilmente esconder isso de mim. E ao mesmo tempo ela morde o lábio inferior, com os dois dentes da frente. Depois ela sempre os deixa entre abertos, e é por aí que ela respira. As mãos ela aperta como se fosse socar alguém, ou como se tivesse a varinha entre os dedos... Como é que eu sei de tantos detalhes? Draco, você anda observando ela? Como eu sou tolo, nem eu sabia que eu fazia isso... Foi um erro e dos graves, mas é só você começar a ignorá-la e parar de pensar nela que você conserta isso. Mas olha lá, agora é o momento que ela aperta os olhos, e me fuzila com apenas um olhar e... Você está olhando pra ela novamente? O que deu em você? Vê se não pira cara... Ei, ela ta parando, porque ela não está mais nervosa? Ela está calma... e... olhando para mim... Draco você precisa fazer aquela cara de esnobe que ela detesta, aquela que só você sabe fazer... Porque os meus músculos faciais não me obedecem? Vamos seus inúteis, se movam e façam aquela expressão que a Granger odeia. Não músculos, vocês não estão me entendendo, eu disse que é para vocês... Ei! a minha boca sexy não, a boca sexy é para outra garota... A BOCA SEXY NÃOOOOO! Ok, é a última vez que eu estou mandando, o cérebro é meu e eu é quem comando a minha boca! Parece que é a Granger que está me controlando, eu quero fazer a boca sexy pra ela, para que ela me veja, para que ela me... QUEIRA! Desvie o olhar, não mire nos olhos dela, eu repito: não mire nos olhos dela.”



Antes que qualquer um dissesse alguma coisa, o Sr. Montvilla parecia ter sido inspirado por aquela cena dos dois, e resolveu propor um brinde coletivo.



-Ótima idéia Sr. Malfoy e Srta. Granger, propomos um brinde agora mesmo. Peço a gentileza de que todos fiquem em pé.



Draco, virara distraído para o senhor que agora parecia dar a palavra a ele, já que a ideia do brinde era de sua autoria. A pele alva do rapaz começou a enrrubescer, mas como sempre manteve a pose e elegância.



-Bem, eu... Um brinde ao....._agora olhava para Hermione expressivamente. Ela ainda séria, mas começava a contorcer os lábios, e levantou a taça com ele.



-...Ao Campeonato de duplas de Whiteville....._disse ela agora retribuindo o mesmo olhar  e terminando a frase, enquanto os outros levantavam a taça brindando.



Núbia não havia gostado do brinde, pois seus olhos fuzilantes atingiram Hermione em cheio, porque ela acabava de roubar cena.



Dumbledore, tinha ficado muito satisfeito de ver Draco fazer o brinde, e depois o parabenisou pela atitude.



Agora finalmente poderiam jantar, os dois continuavam sem fome, principalmente depois daquela troca de olhares tão comprometedora e significativa, que deixou os estômagos rodopiando.



 



O jantar havia terminado, e Dumbledore precisava ir embora, e com ele ia também o sentimento de “lar” que Hermione sentia por aquela presença.



-Adeus diretor, foi um jantar muito agradável _disse Hermione se despedindo.



-Para mim também Srta. Granger, e agora eu espero que todo esse entrosamento traga o primeiro lugar para Hogwarts!!!



Os dois sorriram amarelo.



“É com a gente que ele ta falando? A esperança de Dumbledore definitivamente é o que de mais forte existe neste mundo.Agora eu entendo porque ele confia no Snape, pois até nesta dupla capenga e desajustada ele confia... põe esperança nisso!!!” Pensou Hermione.



 -Adeus alunos, cuidem bem um do outro _disse Dumbledore aos dois....Draco nesse instante abraçou Hermione de lado, e acenava com uma das mãos para o diretor. Hermione sentiu um arrepio que percorreu o seu corpo na velocidade da luz, pois não estava preparada para aquele toque, mesmo que fosse completamente falso e forçado.



-Adeus_ responderam em coro abraçados,  sorrindo.



Quando Dumbledore foi, eles se desencostaram e fingiram tirar o pó da roupa, para deixar evidente que aquilo era apenas um teatro.



-Será que eles tem sal grosso aqui? Preciso um banho urgente..._disse Hermione fazendo cara de nojo para ele.



-Me avise se eles tiverem...e peça pra mim também..._sorriu Draco, mas logo fechou a cara.



 



Depois do jantar, os alunos se dirigiram para outra sala, a imprensa logo se retirou, a mando do presidente da competição, e com ela Rita Skeeter, que estava inconformada por não ter tirado fotos suficientes e por não especular as vidas particulares de todos para escrever suas matérias falaciosas.



Se tratava de uma sala grande, com várias poltronas, embalada ao som de uma músiva agradável. Os Elfos se apressavam em servir doces de sobremensa e deixar todos satisfeitos. Embora tivesse o intuito de confraternização, no fundo estava mais para uma arena onde os jogos já haviam começado, já que todos aproveitavam para analisar discretamente seus oponentes.



Draco e Hermione entraram juntos mas não haviam se tocado mais, já que não precisavam mais fingir pois Dumbledore não estava mais ali.



“A não de novo não, a nojentinha está presente para ajudar a arrasar a minha noite. É pedir muito ter um minuto de paz? (Mas quando mesmo foi o meu último minuto de paz? Desconfio que pelo menos deve fazer uns 7 anos! Lembrei, era quando eu não conhecia esse louro arrogante! É melhor eu sair com urgência daqui antes que eu seja infectada com todos esses assuntos inúteis que eles vão ter a partir de agora.”



Hermione saiu de perto de Draco pisando sem querer querendo no pé dele, e indo em direção a uma das poltronas vazias onde poderia estar a salvo e ao mesmo tempo observar todo o movimento dos alunos que estavam muito empolgados.



Um elfo passou com uma bandeja perto dela, e tentadoramente havia um doce de chocolate olhando fixamente para Hermione, essa não resistiu a tentação, e o pegou.



Saboreava, enquanto sentia certa culpa em pensar na triste vida dos elfos que estavam ali servindo, e no que ela poderia fazer para melhorar a vida desses seres escravos se entrasse no ministério.



A cabeça da garota estava nos elfos, mas os olhos estavam em Draco. Percebeu que ele e Núbia conversavam e o papo parecia muito interessante, porque eles riam parecendo se divertir, porém, ela estava muito longe para ouvir o que diziam de “tão divertido”.



-Aquela oxigenada adora aparecer, horrível! Quem ela pensa que é?



-Ela é sobrinha do Ministro da Magia...._disse uma voz atrás dela que a pegou de surpresa, sentindo vergonha por deixar seus pensamentos trancenderem às palavras.



-Você me assustou..._disse delicadamente, se voltando para a pessoa que tinha adentrado nos seus pensamentos.



-Não foi a minha intenção, permita que eu me apresente, meu nome é Bryan, Bryan Sccot.



 -Eu sou Hermione Granger.



-Seu sobrenome eu já sabia. Foi você quem brindou hoje não é mesmo?_disse o rapaz relembrando o momento.



-Ah sim! Fui eu... e o meu colega de equipe.



 - Se isso te anima, teve gente que não gostou muito da idéia...._disse ele olhando para Núbia, e em seguida Hermione também olhou.



-Deu pra perceber que eu não gosto dela?_disse Hermione antes de por o último pedaço do doce na boca.



-Pra ser sincero, está na cara que você não pretende ser a melhor amiga da Núbia. Eu vi como vocês duas se olhavam no jantar...e...



-Você estava me observando?_ Hermione enrrubeceu.



-Eu costumo fazer isso, observo muito as pessoas e seus comportamentos. Foi inevitável perceber, que há um pequeno atrito entre vocês duas.



-Pequeno atrito? A gente se raspou tanto que deu pra arrancar toda nossa pele!



-HEHHEHE.... você é engraçada..._ ele se divertiu com a piada.



Hermione acabou rindo da risada dele.



-Posso te dar um conselho?_ Bryan acabava de pegar uma baqueta que estava ao lado e sentar.



-Pode...._disse ela atenta...que agora fitava Draco, que parecia ter percebido que ela falava com Bryan, e ela para provocar dera um sorriso cínico.



-Fique longe da Núbia.



-Porque eu deveria?



-Acredite em mim ela é uma víbora.



-O que você sabe sobre ela?



-Bem....eu sei um pouco_ o garoto tossiu, mas logo retomou a voz _ela é sobrinha do ministro da magia, tem 17 anos, é do signo de Áries. Gosta de perfumes extremamente cítricos, seu prato preferido é Baba de Dragão ao molho de maçã verde, embora ela não seja a melhor aluna ela é espera, e quando quer alguma coisa não desiste. As pessoas fazem as coisas para ela, talvez seja um certo magnetismo – como ela sempre diz – mas eu acho que é só medo mesmo. Graças a influência da família dela, ela conseguiu participar desse campeonato. Contrataram um gênio, como parceiro dela, para que pudesse ensiná-la e fazer a frente em todas as provas. Se isso é ilegal eu não sei, mas não importa, o “titio” dela não vai permitir qualquer auditoria. Além disso, é uma legitima patricinha mimada. Tem duas amigas Tífany e Felícia que são suas fiéis escudeiras. Gosta de ganhar joias que tenham sua inicial. Anda muito bem de cavalo. Ela fez aula de canto, e isso tenho que admitir canta muito bem. Namorou mais de 20 caras famosos, incluindo 2 jogadores de quadribol dos Cannons, e o seu último namorado foi traído com um desses jogadores, ela pinta o cabelo – acho que nem preciso dizer isso - e aqueles olhos são lentes, tem uma rosa vermelha tatuada no pé esquerdo...



Hermione emudeceu.



-Você é uma espécie de fã dessa menina?



-Não, eu... bem...eu fui o último namorado...._falou sorrindo amarelo...e deixando o ar repleto de constrangimento.



-Nossa sinto muito pelo que ela fez com você.



-Não tem porque sentir, já passou... Aliás, todo mundo sabe disso, achei que você também deveria saber, já que inevitavelmente vão haver murmurinhos sobre este assunto.



Hermione não sabia o que dizer.



-Não se importe com isso... Hermione...posso te chamar assim...



-Claro que pode! Depois de tudo que me contou, já quero muito ser sua amiga. Você sente muita raiva dela?



-Não, isso não...eu já me conformei... E agora, olhando de fora me parecer ser um feliz livramento que me aconteceu. Embora não tenha como parar de pensar nela assim, de imediato.



-E você não se vingou...? Quero dizer, não derrubou tinta vermelha no cabelo dela? Não contou todos os seus segredos sujos – que com esse caráter deve ter muitos. Porque você não diz pra todo mundo o que ela faz com as pessoas?



-Não eu não fiz nada disso, acho que não tive forças.



-Como você consegue... Eu te admiro!!!_disse Hermione jogando-se no sofá mais confortavelmente e pensando em como passa muitas horas do dia refletindo sobre alguma vingança para fazer Draco sofrer_ Posso te fazer uma pergunta?



-O que quiser...



-Você ainda gosta dela?



O garoto ficou em silêncio.



(Veja a minha situação...agora ataquei de terapeuta de corações partidos, sendo que eu mesma não consigo resolver a minha própria vida, e estou presa em um lugar com meu pior inimigo).



-Tá tão na cara assim?_disse desanimado.



-Bem, não sou como você que observa as pessoas... Mas tenho uma amiga que é praticamente uma psicóloga amadora_ falou lembrando de Gina_ ...a convivência faz a gente aprender a ser um pouco assim também. Pelo que me contou, ela simplesmente arrasou a sua vida, e você ainda quer falar sobre ela, tanto que a narrou para mim. Se isso não é gostar eu não sei o que é.



-Depois de tudo que ela me fez... Eu ainda sei lá...sinto que...



-...Que mesmo odiando tudo que ela faz... Você a ama do jeito que ela é...



-Como você leu meus pensamentos?



-Acho que foi intuição...._disse pensando que sentia o mesmo por Draco, embora não confessasse nem para si mesma. Bem no fundo conseguia entender o que Bryan sentia.



-Não entendo porque eu estou te falando tudo isso. Sabe, eu não tenho muitos amigos, ela conseguiu acabar com todas as minhas amizades. E acho não lembro da última vez que me senti confortável para falar sobre essas coisas com algué, ainda mais com uma desconhecida.... _meditou ele, pensando ter falado demais.



-Ei! Assim você me ofende eu não sou mais uma desconhecida... Atchim... Desculpe... sou Hermione Granger... Você já me conhece agora...._sorriu ela deixando o garoto menos tenso.



-Está gripada?



-Acho que peguei um resfriado essa tarde...(maldito Malfoy...)



-Doente não vai conseguir competir, precisa se recuperar.



-Isso passa logo... Atchim..._espirrou mais uma vez_ Desculpe...



-Aquele com a Núbia é seu companheiro de equipe certo?



-É sim...somos só companheiros de equipe....apenas isso...não somos muito amigos...



-Hummm..entendo....você gosta dele?



-Ei! Essa fala era minha..._disse rindo..._mas porque a pergunta?



-É que quando eu escutei você reclamar, me parecia muito ciumenta.



-Não pra falar a verdade eu o detesto... Mas estamos aqui juntos, por ordem do diretor da minha escola, e por isso eu preciso aguentá-lo até o final da competição.



-Você está em que quarto?_perguntou interessado.



-Dormitório 12 , terceiro andar...



-Que coincidência estou no 10... Então era do seu dormitório que hoje a tarde saíam uns gritos estranhos?



Hermione segurou a respiração, mal chegaram no hotel e a dupla Draco-Hermione já havia conseguido demonstrar que não era uma equipe normal.



-Era eu e o meu companheiro Malfoy, disputando em que cama iríamos dormir..._ ela ficando rubra de vergonha...._Como eu te disse, não podemos dizer que somos os melhores amigos... Entende?



-Claro que sim..._agora sorria mais uma vez aparentando ter compreendido a situação.



-Que bom que você entende, não vai pensar que eu sou maluca!



“Bom, as gafes e as vergonhas só começaram... Merlin...é sério agora...Eu sou uma piada para você?”



-Não, eu não pensei isso de você, pra falar a verdade você é muito legal, não é igual a essas meninas que eu estou acostumado a conviver...



-Não sou? E como elas são?...”Pronto...o Malfoy já disse que eu não pareço uma menina, agora vamos escutar uma segunda opinião. De antemão ele já disse que eu sou diferente das outras meninas, provavelmente deve pensar que eu sou sequelada, ou que tenho algum tipo de distúrbio psíquico... (Bom na verdade eu devo ter...) O que eu sou Merlin? Não responda...”



-Bom, em resumo, elas são exageradamente fúteis....só pensam eu jogadores de quadribol musculosos, tem apenas um neurônio, e geralmente tem vozes irritantes e falam coisas inúteis_disse ele olhando para Núbia..._e, claro gostam muito de chamar a atenção....



-E eu não sou nada disso?



-Aparentemente não....estou certo?



-Completamente..._Hermione agora olhava e puxava a boca apenas de um lado em um sorriso sem mostrar os dentes..._eu não sou extremamente fútil, eu não penso apenas nos jogadores musculosos, eu também penso nos altos e atléticos. Estou brincando, é claro_disse sorrindo_ Eu prefiro na verdade os inteligentes, divertidos e principalmente que tenham um bom coração. Sobre mim, até onde eu sei eu tenho mais de um neurônio_ ela riu_ Gosto de livros, de sentar a sombra de uma árvore, olhar o céu.



-Você tem um ótimo senso de humor.



Ela olhou para o rapaz e percebeu uma enorme semelhança com Harry. Bryan, tinha cabelos negros, mas nada desgrenhados, sua pele era extremamente branca, e tinha as bochechas rosadas. Os olhos não eram claros como os de Harry, porém tinham um certo brilho que deixava a cor indefinida, se eram verdes ou castanhos não havia uma resposta certa.



Ele era um pouco mais alto que Draco, esguio. Era um rapaz bonito, e apesar do jeito sério, parecia não ser do tipo conquistador, mas transpirava uma certa sensibilidade e sinceridade.



A conversa ia muito bem, a noite parecia não ter sido tão horrível assim.



Draco ainda estava conversando com Núbia, e quando ele percebia qualquer olhar de Hermione para ele, dava um sorriso, de satisfação e olhava para Núbia com interesse visível para provocar.



-Você não tira os olhos do seu amigo.



-Eu não estou olhando para ele, eu estava olhando para... para aquele quadro.....é...para aquele quadro...



-Sei...



-Olha se você soubesse o quanto ele me tira do sério com seu jeito arrogante...



Hermione tentou não pensar e mudar rapidamente de assunto...



-Não olhe agora, mas o Malfoy...é assim que ele se chama não é? Ele está olhando pra cá, com uma cara bem feia.



-O que? Não deve ser nada, ele sempre tem a cara feia, porque estaria diferente?_perguntou Hermione sem tirar os olhos de Bryan.



-Nossa, agora parece que ele está estressado, mas não está tentando demonstrar....Continue sorrindo...e não olhe...



-Mas...



-Agora ele está largando a taça, e dando um beijo no rosto de Núbia...acho que ele vai sair dali. Mas ele não para de olhar pra cá...



-Nossa....o que eu faço agora.... meus músculos faciais estão paralisados....



Bryan sorriu. Mas olhava para Malfoy tentando registrar cada movimento dele a fim de repassar para a garota.



-Bom, ele subiu as escadas, acho que vai para o dormitório. Ele não está com a cara muito boa...



- Como eu disse, não há com que se preocupar, ele tem mesmo a cara estranha, isso é costumeiro... Já posso me mexer?



-Claro...ele já foi..._disse o rapaz agora sentando mais confortavelmente... Olhou para o relógio e suspirou_ acho que também vou dormir, já está tarde e amanhã vai ser um dia cheio para todos nós... Se eu fosse você iria dormir também.



-Há não acredito, agora vou precisar subir e dar de cara com o estressado!!! Mas como você disse, amanhã teremos um dia cheio.



-Posso te acompanhar?



-Claro! Vai ser ótimo_disse Hermione sorrindo e levantando.



Os caminharam até a escada, mas já dava pra notar que muita gente já havia se recolhido, afinal todos estavam bem conscientes do que estavam fazendo ali. Menos Hermione e Draco que eram os únicos não-competidores até o momento, os quais pareciam ter vindo a passeio.



Bryan ao passar por Núbia (que na verdade parecia não te-lo visto) olhou expressivamente para ela , esperando chamar algum tipo de atenção...



-Ela não te viu Bryan... Definitivamente não...



-Quem disse que eu estava olhando para ela?_respondeu o garoto.



-Te conheço a menos de uma hora, mas eu já sei que você gosta dela, não adianta tentar me enganar. Você me parece uma pessoa ótima, não precisa de migalhas dessa garota que não te merece.



Bryan não disse nada.



-Olha Bryan, não vai ficar com essa cara só porque eu disse isso, né?



-Não, não...eu só estou pensando..._disse ele sorrindo para ela agora..._Você é muito legal sabia?



-Obrigada pelo elogio... Mas não sou legal...hehehe_ esse não é o seu quarto?_perguntou a garota, ao se deparar com a porta do quarto de Bryan.



-É sim...vou ficando por aqui...



-Boa noite então...Bryan_ disse Hermione dando um abraço no garoto.



-Boa Noite Hermione, adorei te conhecer!!!



-Eu digo o mesmo Bryan...até amanhã...



-Até Hermione.



*                                 *                                 *                                 *                                 *



-Idiota...ela ultrapassa a idiotice normal...



“Draco....você está com ciúmes? É isso? Você ficou com ciúmes da Granger? Você só pode estar doente mesmo!!!”



-Eu não estou com ciúmes..._urrava enquanto pegava uma de suas camisetas e jogava no chão...



“Então porque toda essa raiva?”



-Ela vai por tudo a perder... E eu não quero perder... Não agora que eu estou tão perto de conseguir..._esbravejava._ Ela vai ficar amiga desse garoto, e está claro que vai contar tudo pra ele... Que a gente brigou, que a gente tem divergências, e todo mundo vai ficar sabendo disso. Assim vai haver um motivo pra todos tirarem vantagem sobre a nossa dupla.



“Então não era um ciúmes realmente....”



-É claro que não é ciúmes! Porque eu teria ciúmes dela? Só porque hoje ela parecia uma garota dentro daquele vestido? Não, isso não é motivo..._dizia irritado para os seus próprios pensamentos traidores.



“Porque você não faz uma parceria com ela?”



-Parceria? Não....Não daria certo...... ou daria......?



Draco começava a se acalmar, pensando na possibilidade de uma parceria para que pudessem criar uma estratégia para competição.



Vestiu o pijama, e logo percebeu que teria que dormir no mesmo quarto que Hermione.



Essa era uma intimidade inimaginável.



Estar tanto tempo junto era uma ideia que o assustava, pois de fato não sabia quais seriam as reações tanto suas como dela. Era um campo desconhecido.



Agora havia um objetivo que iria muito além de apenas aguentar alguns dias em uma competição. Havia um propósito muito maior que poderia ser concretizado caso tudo desse certo: Trabalhar com o Ministro da Magia.



No fundo sabia que era impossível vencer sozinho, precisava de Hermione, e tinha que reconhecer que ela poderia ser útil, pois de fato era a melhor aluna de Hogwarts.



Sua vingança era seu objetivo de agora em diante, mas e se o seu orgulho o impedisse de firmar essa parceria?



Era ferir a sua honra, e isso era algo que ele prezava muito.



 



 



*                                 *                                 *                                 *                                 *



Hermione bateu na porta, mas Malfoy não respondeu, então ela girou o trinco, e entrou.



A garota exausta entrou no closet e fechou as portas, para que não houvesse nenhum risco de Draco entrar ali. Se olhou no espelho e começou a pensar em tudo que Bryan havia dito e sentiu pena dele, e ao mesmo tempo teve certeza de que Núbia era exatamente aquilo que aparentava: uma víbora.



Tirou a roupa e vestiu um pijama curto, azul petróleo de cetim, desatou o cabelo e escovou um pouco apenas para desembaraçar algum eventual nó, pegou sua escova de dente e saiu do closet dando de cara com Draco, que também já havia vestido o pijama de seda que era de um tom verde escuro, característico da própria sonserina.



Era diferente ver ele assim de pijama, uma cena um tanto íntima para alguém que não tinha nenhuma intimidade com ela. Mas de fato concluiu que embora detestasse ele – e tudo que saía de sua boca - não havia um momento do dia que ele não aspirava elegância e fineza.



-Saiu cedo da festa_ disse irônica.



-E que diferença isso faz pra você... Não estava acompanhada?_alfinetou ele.



-Bom, não é só você que tem direito de fazer novas amizades aqui...



-Só podia ser o trouxa do Scott, evidentemente ficaram amigos, já que os iguais se atraem.



-Você o conhece?_perguntou Hermione enquanto via Malfoy arrumar o travesseiro da cama.



-Só você que não ficou sabendo que Núbia largou ele... Aliás você não sabe muito sobre a elite bruxa não é mesmo?



-Não sei mesmo... fofocas sobre a vida de patricinhas inúteis e almofadinhas com mania de playboy, não é bem o tipo de leitura que eu aprecio.



Hermione ficou quieta e se dirigiu ao banheiro, e Draco começou a pensar alto.



-Se eu não consigo nem ao menos ter uma conversa civilizada com ela, imagina então propor uma parceria? Isso é impossível!!!_Draco perdia a esperança.



Depois de entrar no banheiro, enquanto escovava os dentes, Hermione começou a fazer uma retrospectiva de tudo que havia acontecido durante o dia, principalmente começou a pensar sobre a competição e em como poderia fazer para ganhar.



Ao mesmo tempo, um certo desânimo tomava conta, porque de todos os contras que envolviam a busca pelo título, havia um em especial que a deixava muito nervosa, e com o qual não saberia lidar: Draco Malfoy.



Com essa variável chata e muito prepotente era quase impossível chegar ao objetivo. Como elaborar uma estratégia para vencer se ela e Draco eram pessoas totalmente opostas, não concordavam com nada, e ainda havia muito orgulho permeando a convivência?



Se aliar a ele? Impossível, ele jamais concordaria. E sendo tão diferentes como seria possível criar uma forma de vencer?



Acabou por suspirar e deixar a idéia de lado.



Voltou para o quarto e Draco tirava os chinelos para deitar, somente a luz do abajur estava acesa, mas oferecendo luz suficiente para que ela pudesse ver seu rosto.



Draco deitou, mas não disse nada, Hermione fez o mesmo.



-Posso desligar a luz?



-Pode_disse Hermione em um tom nada áspero.



-Boa noite _disse Draco tentando parecer menos agressivo.



-Boa noite.



Ambos viraram de lado tentaram dormir, mas era uma tarefa difícil.



Draco só conseguia pensar em uma maneira de convencer Hermione a aceitar a parceria. Sabia que teria que encontrar uma forma de dizer isso sem que ela se ofendesse, sem ferir o seu próprio orgulho ou parecesse que ela era essencial para a competição.



Em meio aos pensamentos Hermione adormeceu, mas demorou tanto que somente conseguiu porque seu corpo sucumbiu ao cansaço.



 



Era quase duas da manhã e Draco ainda não tinha dormido.



Levantou da cama, precisava falar com ela e decidiu que era exatamente aquilo que faria.



Aproximou-se com cuidado da cama dela e a observou, notando que ainda estava bonita, mesmo sem toda a produção de antes. Ela era naturalmente assim embora admitir isso estava fora de cogitação.



Fitou-a por um instante e saiu do quarto, desceu as escadas e foi até a cozinha onde Elfos domésticos ainda estavam empenhados em arrumar tudo, pois não tinham acabado seus afazeres.



Pediu duas xícaras quentes de chá, e  subiu.



Abriu com cuidado a porta do quarto, para que não acordasse a garota.



Era um cuidado instintivo, para que ela despertasse somente quando ele tivesse as palavras certas na boca.



Colocou as xícaras no criado, e respirou fundo e se preparou. Era agora, ou nunca.



-Granger..._dizia ao tocar no braço dela..._acorde.



A garota imóvel, apenas envolvida pelo sono profundo, não esboçava nenhum gesto de movimento, a não ser pela respiração suave.



Assim, Draco tentou mais uma vez acordá-la.



-Granger....vamos acorde.._tocou mais forte no braço da garota, e afastou alguns cabelos que escondiam o rosto.



-O que... que horas são? Ei! Por que você me acordou _dizia Hermione inconformada ainda grogue pelo sono, mas percebendo que ainda era noite.



-Preciso falar com você..._dizia Draco seriamente centrado, naquilo que tinha de fazer.



-Mas essa... Essa hora....aaaaaaaaaaaaaatchimmmmm!!!_dizia ela esfregando o nariz depois do espirro_ eu não tenho nada pra falar com você...



-Mas eu tenho...



Draco pegou as duas xícaras, e ofereceu uma a ela.



-O que é isso?_disse esfregando os olhos.



-Chá, vai fazer você se sentir melhor...



-Desde quando se importa comigo?



-Eu fiz você ficar doente não fiz? E por mais que você tenha uma idéia errada sobre mim, eu não sou isso que você pensa.



-Será mesmo que uma xícara de chá vai fazer eu mudar 7 anos de impressões horríveis que eu tive com você?



-Pega a xícara e para de ranhetar..._falou enérgico.



-Como posso ter certeza de que você não quer me envenenar?



-POR MERLIN GRANGER...VOCÊ ESTÁ CONSEGUINDO ME TIRAR A PACIÊNCIA... Porque não pega essa xícara e toma esse chá? Você acha que eu iria te acordar a uma hora dessas pra te envenenar? Sendo que a culpa recairia sobre mim inevitavelmente? Você acha que eu sou idiota a ponto de fazer uma coisa dessas? Você é louca mesmo....



-Então me dá o seu chá e me prova...._insistiu Hermione.



-O que?_Draco estava começando a se irritar verdadeiramente, ela realmente tinha esse poder sobre ele.



-É, eu quero a sua xícara. Algum problema?



-Você é doida mesmo.



-Não... Eu estou completamente sã. Não confio em você!



-Bem, já que insiste..._deu a própria xícara a Hermione, e nessa hora houve um leve roçar de mãos, quase imperceptível (quase... mas for percebido sim, por ambas as partes).



Hermione tomou um gole do chá quente, era mesmo daquilo que precisava, e no fundo ficou feliz por ele ter feito este gesto.



Mas como Draco não era a pessoa mais altruísta da terra, ela sabia que aquele gesto não poderia derivar de bondade gratuita. De qualquer forma, aguardou pela conversa que ele iniciara com bastante curiosade pelo que havia de vir. 



-Escute Granger...._dizia ele com a voz rouca e preocupada_ estive pensando...



-Nossa!!!! Agora sim entendo porque você me acordou... É um motivo mesmo importante...



-Mas eu nem falei nada ainda e...



-Claro... Você não costuma fazer isso frequentemente, costuma?_ironizou.



-Fazer o que?_perguntou o garoto, dando um gole no chá..



-Pensar! Você não costuma pensar. Quando isso acontece você tem que anunciar pra todo mundo não é mesmo? Vamos logo!!! Temos que chamar a Skeeter, é um furo de reportagem!!!!_dizia Hermione sarcástica, rindo sem parar, enquanto Draco apenas olhava pra ela.



O garoto respirou fundo, sabia que deveria manter a calma acima de tudo, porque se não conseguisse lançaria um feitiço imperdoável em cima dela.



-Muito engraçada, mas muito mal educada, agora posso falar sério com você? Bom Granger é o seguinte. Eu não sei se você percebeu, mas essa noite o senhor Montevilla, anunciou a premiação para essa competição. Não sei se você chegou a ouvir...



-...Um emprego no ministério da magia, e uma viagem.



-Do pouco que eu te conheço, mas pelo seu perfil de nerd, eu tenho certeza que dentro dessa cabecinha há uma vontade imensa de trabalhar ao lado do Ministro da Magia não tem?



-Bem, eu... quem não gostaria disso? É uma oportunidade única... seria... seria....como um sonho_ dizia Hermione sonhando alto.



-Bom....Mas você sabe que para conseguir esse emprego “único”, você teria que ganhar essa competição, certo?



-Certo....e...



-E é aí que entra a minha proposta..._disse Draco sorrindo.



-Que tipo de proposta?_ Hermione olhando nos olhos dele e afastando o cabelo.



-Parceria....e por conseqüência uma ....TRÉGUA...._as palavras saiam relutantes.



Hermione ficou por um instante séria, e atônita pois jamais esperava algo assim dele.



-Não vai dizer nada?_terminou Draco esperando uma resposta...



-Estou chocada



-Como assim?



-Estou absolutamente chocada, você está me propondo uma trégua para ganharmos a competição? E porque você iria querer uma parceria comigo? Eu não sou louca? Insuportável? Chata? Nerd? E todos os atributos que você costuma me rotular? É muita coragem! Estou admirada, o que te faz pensar que eu aceitaria isso? E ainda por cima, veio me comprar com um “chá”? Você acha mesmo que é possível ter um diálogo entre nós? Estamos aqui por sua culpa, porque você foi estúpido e fez e disse coisas estúpidas a meu respeito. Agora você quer que eu esqueça tudo o que você fez para ser sua parceira de competição como se nada tivesse acontecido? E fora tudo isso, ainda tem a parte técnica, você vai respeitar as minhas opiniões ou vou ser o seu peão neste jogo? Malfoy, se você fosse um bom inimigo você me conheceria ao ponto de saber que eu não sou como você, eu não sou manipulável como você acha que eu sou!



Draco ficou ali pensando o quanto fora idiota pra poder pensar que ela concordaria com tal proposta, a raiva estava consumindo por dentro.



- Eu sabia que era uma péssima ideia!



- Certamente é uma péssima ideia! Pode ficar com o seu chazinho sabor segundas-intenções! 



Hermione estava muito nervosa, mas no fundo estava surpresa com a atitude dele.



- Eu só achei que tanto pra você como pra mim, existem coisas mais importantes do que isso tudo de ruim que sentimos um pelo outro. Eu achei mesmo que você fosse inteligente o suficiente para não desperdiçar essa oportunidade, mas se é assim, eu te garanto que eu vou tentar fazer o meu melhor para vencer, a minha parte eu vou fazer. Mas eu realmente confesso que subestimei você “cara inimiga”. Quer saber mesmo? Isso nunca daria certo.



Depois daquela fala Hermione sentiu-se mal, as palavras embora não estivessem eivadas de veneno como sempre, foram como uma faca em seu peito, pois pareciam mesmo representar uma verdade que ela não queria enxergar.



Como poderia dormir agora com tanto peso na consciência? Ficou claro que ela não tinha poder sobre seus sentimentos, pois se tivesse certamente conseguiria ser racional o suficiente para encarar uma parceria com ele. Mas pelo jeito, seu coração ainda era uma montanha russa de emoções, e uma trégua poderia revelar coisas que estavam dentro de si e que a assustavam, melhor dizendo, os seus reais sentimentos por ele.



“Você é incrível Hermione, tem a impressionante capacidade de piorar qualquer coisa. Ele veio em missão de paz e você nem ao menos foi compreensiva? Que tipo de pessoa você é?



CONSCIÊNCIA 1: Lindo atrás uma xícara de chá e você faz isso?”



CONSCIÊNCIA 2: “Você está contra mim é? Dando razão pra ele? Quer me jogar na fogueira, só porque eu não aceitei fazer aquilo que ele queria?



CONSCIÊNCIA 1: “Bom, agora se ele não quiser mais ser seu parceiro... Aí o problema é seu... porque a ideia dele é muito boa, admita!”



CONSCIÊNCIA 2: “Será que ele vai desistir? Será?.. Ele não desiste tão fácil das coisas.”



CONSCIÊNCIA 1: “Ele tem toda a razão se quiser desistir, depois do jeito que você tratou a situação, isso é para você aprender a parar com essas grosserias...”



CONSCIÊNCIA 2: “Para de ralhar comigo!!!! Já estou sofrendo muito com tudo isso. Primeiro o Malfoy, depois essa competição, depois a chata da Núbia, depois a maldita Skeeter, e agora toda essa culpa... EU NÃO MEREÇO TUDO ISSO”.



CONSCIÊNCIA 1: “To com sono, vamos dormir...”



CONSCIÊNCIA 2: “Porque é sempre você que diz a hora de dormir?”



CONSCIÊNCIA 1: “Porque eu sou a mais racional...e você é a mais infantil...”



-Dá pra parar...minha cabeça ta doendo..._disse Hermione pra si mesma...enquanto tentava parar de conflitar com os seus pensamentos...



 



 



4º CAPÍTULO



 



*                                 *                                 *                                 *                                 *



O hotel estava silencioso, todos pareciam dormir. Todos menos Draco Malfoy que rolava na cama inquieto.



Detestava o jeito como Hermione sempre conseguia desconcerta-lo, com suas colocações expressivas, que embora não admitisse pareciam ser muito coerentes.



Era impossível uma parceria com ela, pois como ela havia dito, haviam muitas variáveis que impediam que aquilo desse certo. Hermione não só lhe provocava dores de cabeç, mas também dores no coração, pois ela sempre conseguia tirá-lo do sério.



Todas as vezes que falhava Draco sentia que um fantasma vinha lhe assombrar materializado numa retrospectiva de sua vida que se resumia a lembranças de seu pai e de todos os ensinamentos e principalmente as cobranças sobre uma postura forte, intransigente e astuta.



Lucios agora estava em Azkaban em meio a terríveis prisioneiros, de passados sujos... talvez até piores que o dele.



Draco tinha ciência que o pai não era inocente, sabia que era seguidor e amigo íntimo de Voldemort, e que já havia feito muitos bruxos sofrerem.



Ter o pai como o dele, não era simples. Havia uma exigência perpétua de provar ser o melhor, sem sentimentos, sem culpa, com frieza e superioridade, passando por cima de qualquer um que viesse a atrapalhar seu caminho.



A cobrança trouxe disciplina e muitas vantagens, já que com o que aprendeu Draco se saia muito bem quando o assunto era conseguir o que queria.



Mesmo que fosse o terror de muitos bruxos, Lucius era o seu pai e sempre o tinha tratado como filho, mesmo que esta relação fosse baseada em exigência, cobrança e muita rigidez  Draco sempre soube que seu pai esperava que ele se tornasse um comensal da morte como ele. Para um adulto fazer uma escolha para uma criança é fácil, mas ser essa criança da qual o destino já tinha sido traçado, é que era difícil.



Draco passou a sua infância em Hogwarts, e periodicamente enviava para seu pai as mais diversas informações sobre a escola, sobre os professores, sobre tudo o que acontecia ali dentro, era sua missão, mesmo que naquele momento não fosse ao expressiva. Era certo que havia uma pressão do pai, para que fosse útil e aos poucos tomasse o caminho do mal.



Lucius e Draco eram duas pessoas diferentes, embora Draco se inspirasse muito no poder dele, replicando os trejeitos, os modos de falar e de agir. Draco queria ser o que Lucius esperava dele. E ele nunca achou demais atender aos seus pedidos, pois julgava justo fazê-lo em troca talvez de amor, já que vivia em um mundo em que não tinha amigos verdadeiros, nem pessoas para se apegar.



Ninguém se aproximava dele a não ser por puro interesse. Em embora isso representasse poder, qualquer relacionamento dele era uma farsa, e no fundo isso o revoltava.



O pior de tudo era ver Harry Potter, o garoto perfeito, com amigos perfeitos, tachado de “O salvador da Pátria” fazendo tudo a favor do bem. Irritante, para alguém que nunca conseguira alcançar nada senão na base do medo, trocas e interesse. Temia, no fundo de seu âmago, ser visto como apenas um pobre menino rico, que inspirava pena e cujo único destino seria o mesmo do próprio pai.



O afeto que Draco julgava ter de seu pai, não eram mais do que palavras, duras, secas e agressivas, das quais fingia não perceber o desprezo contido.



Por vezes abominava Lúcios, por predestiná-lo a busca do mal, e por ter aos poucos plantado a semente da arrogância dentro dele, enquanto apenas era uma criança. Em outras vezes, sabia que já não tinha mais escolha, ele havia se tornado a cópia de seu pai em em tantos aspectos, que agora seria muito difícil saber diferenciar o que era influência de seu pai do que era sua real personalidade.



Seu objetivo agora era cumprir o plano de seu pai, e como nunca, a oportunidade estava mais perto ainda. A vingança estaria completa, e o pai se orgulharia muito dele.



Mas, antes teria que conseguir a parceria com Hermione e tudo estaria encaminhado. Tinha plena consciência da dificuldade, mas apesar da covardia, nunca desistiu de lutar pelos seus próprios objetivos, ambição era o que ele mais tinha dentro de si.



Além de todos esses pensamentos que o deixavam tenso, sua cabeça tinha que dividir espaço com pensamentos que podiam ser mais aterradores que os já citados.



 



“-Viu só Granger como o jogo pode mudar...!!!_riu chegando bem perto do rosto dela



-Me solta seu imbecil....eu te odeio Malfoy, eu te odeio seu ...”



 



O beijo... E as palavras grosseiras de Hermione ainda podiam ser ouvidas por ele. Lembrava de cada uma delas, mesmo que tivesse vontade nesse momento de fazer uma lobotomia e arrancar cada imagem, cada frase, cada arrepio, cada olhar, de sua mente.



O gosto do beijo se repetia na memória, as mesmas sensações estavam ali, como se tivesse acabado de acontecer.



O pior de tudo era que a deusa metamórfica responsável por todo o delírio, estava repousada na cama ao lado... e podia a qualquer momento voltar para a forma normal de monstra aterrorizante.



A cama parecia desconfortável, e não conseguia pregar o olho sequer um minuto, pois os pensamentos gritavam e se misturavam como um mar de sensações boas e ruins. Diante disso, desistiu de tentar, ficou ali imóvel, esperando que o sono viesse e tentando parar de pensar em tudo, tentando relaxar, porque sabia que o próximo dia seria bastante decisivo.



 



*                                 *                                 *                                 *                                 *



A noite de sono não foi boa para nenhum dos dois. Ambos poderiam ter chegado a um consenso, já que se não tinham sono poderiam ter se distraído contando piadas, ou jogando baralho enquanto a vontade de dormir não viesse. Mas é claro que isso era uma utopia se tratando daquela dualidade Draco-Hermione.



Era óbvio que Hermione percebia cada movimento descontente de Draco rolando na cama ou mesmo quando emitia sussurros, e sabia que ele estava acordado. Igualmente, Draco também percebeu que a garota estava inquieta, porque também se movimentava. Assim foi o jogo de “deixar o outro perceber que estou acordado”, se prolongou até as 5 da manhã quando finalmente dormiram.



Hermione acordou mais cedo que Draco, caminhou até o banheiro...Tomou um banho (quente agora), percebeu que estava melhor, o chá que Draco oferecera a ela tinha sido muito útil, embora não tivesse tomado por inteiro.



“Pelo menos não tinha veneno!!!”_pensou.



“Malfoy terá uma surpresa a hora que eu disser a ele que aceito, mas ele não pense que será fácil assim, vou impor alguma condição para isso parecer mais difícil, se ele soubesse o quanto eu quero e preciso ganhar essa competição, era ele quem colocaria as condições.”



O banho revitalizou, precisava daquilo para iniciar o seu dia.



“Hoje preciso escrever a Gina, sei que ela vai me matar, já devia ter feito isso....iiiii....eu ainda não abri a maleta dela...ai.... ando perdendo muito tempo com esse sonserino, e isso me faz esquecer de todo o resto.”



Saiu do banheiro, junto com o vapor, e com todos os pensamentos.



Entrou no closet, e antes mesmo de vestir-se colocou baixinho uma música para ajudar a relaxar, e se preparar para dar a grande notícia ao rapaz.



Ao tirar o uniforme da pilha de roupas e coisas que estavam amontoadas em seu pequeno espaço no guarda roupa minúsculo, várias outras peças acabaram caindo no chão.



“Isso é irritante. Toda vez que eu tenho que mexer nessa droga de guarda roupa, minhas coisas caem em cima de mim como um avalanche...Espere Hermione...o que não te irrita? Atualmente não há nada que “não faça você se descabelar...”



A castanha, agora acabava de vestir o seu uniforme, e se olhar no espelho.



-Sabe que até que me caiu bem? Eu nunca fiquei bem de azul..._sorriu pela primeira vez na manhã...



“O que será que a peste vai pensar quando me ver? Será que vai me achar bonita?... Claro, se eu me importasse com isso, pra mim a opinião dele não presta pra nada. Ele não tem que me achar bonita, pelo contrário tomara que eu pareça pra ele como um trasgo nojento...é isso que eu tenho que parecer...”



Pronta, recolheu as coisas do chão, equilibrou mais uma vez tudo dentro do closet e saiu.



 Olhou no relógio e percebeu que já era hora dele acordar, mas ele não estava acordando!



“Porque você mesmo não acorda ele? Não eu não vou encostar um dedo naquele sonserino!”



Assim, Hermione começou a caminhar nervosamente pelo quarto. De vez em quando parava, e fitava o corpo imóvel na cama.



Como acordar alguém pode ser um momento de tanta tensão? Para Hermione era por seus batimentos cardíacos a prova. Tocar naquele estranho corpo de jovem, provocava tremendas sensações (todas indesejadas) que poderiam retomar lembranças das quais queria esquecer.



“Vamos lá... Não é tão difícil assim... você só precisa  acordá-lo e dizer que concordou é só isso e pronto... Aí ele fica feliz, levanta da cama com aquele pijama sexy, sorri pra você, te olha daquele jeito que só ele consegue olhar, tira os cabelos despenteados da face, e para completar toda a mais diabólica provocação, coloca o uniforme da equipe (que como diz Gina deve ter ficado o maior gato...) aí pronto acaba a tortura...Vai ser fácil... ”



Hermione se aproximou da cama de Draco, como quem chega perto da jaula de um leão (de fato era mais perigoso). O garoto parecia dormir profundamente, Hermione sentia um pequeno alívio, o corpo de Draco estava inclinado para a parede, assim não teria o desprazer de ver o loiro dormir (desprazer? Será mesmo?)...



Tocou nas cobertas, com a esperança que ele acordasse com apenas esse leve movimento, mas não foi o suficiente.



-Malfoy... é hora de acordar..._disse com a voz tremendo...quase gaguejando...



“Porque você tem medo dele? Não! Então, para que ficar nesse impasse? Você parece uma criança ridícula...Ele não merece toda essa delicadeza...Vá, dê um chacoalhão, arranque as cobertas dele... faça algo expressivo... ” Ela mesma se encorajava.



-Malfoy acorde...._agora dizia energicamente..._ACORDEEEEEE...



Draco apenas, se mexeu e tudo o que Hermione temia aconteceu, ele se virou para ela, ainda dormindo. Seu rosto relaxado transparecia suavidade. Não havia gestos irônicos, palavras ácidas ou olhares esnobes, era só um rosto perfeito e tranquilo repousado em um travesseiro. Sua boca cerrada delicadamente ainda mantinha uma seriedade. Seu cabelo levemente sobre a testa desarrumado, tiravam um pouco da postura elegante que ele mantinha sempre, e traziam mais um ar de jovialidade muito interessante naquele contexto.



Nem é preciso comentar como Hermione ficou. Seus olhos não a obedeciam e procuravam o rosto de Draco, existia coisa mais perfeita que aquilo? Se existia, Hermione não conseguia lembrar o que poderia ser.



Qualquer um que olhasse para ele naquele momento não diria que todo aquele “espetáculo” era um demente, metido, mini - comensal, repugnante.



Se mirasse para aquelas pálpebras cerradas com cílios platinados enormes. Se pudesse ver aquela boca entreaberta, ou fitasse o cabelo desgrenhadamente arrumado, teria vontade de levá-lo pra casa. Aquela carinha inocente e desprotegida, vulnerável a qualquer ação, fez com que Hermione ficasse tentada a ver de perto.



A garota hipnotizada com aquela cena tão serena acordou do transe e bufou.



“Definitivamente ele não vai acordar? Dá vontade de...dá vontade de....de azarar esse chato!! Já estou perdendo a paciência...Droga...”



Por óbvio que ela estava exaltada, também pudera ele estava desarmado, ali deitado em uma cama, imóvel, e ainda assim era ela quem ficava a mercê dele, não podendo dominar seus impulsos, e sem saber o que fazer (e ficar sem saber o que fazer era uma coisa extremamente irritante, para quem estava acostumada a ter uma solução pra tudo!!!)



“Claro Hermione mantenha a calma, e vê se não faz nada de errado, pegue essa sua mãozinha e coloque em cima do ombro dele, depois faça um movimento brusco... ele vai acordar...e pronto...você pode fugir pra onde você quiser....MAS ANTES DISSO, VOCÊ PRECISA ACORDÁ-LO!!!!!!!”



A mão trêmula e leve de Hermione pousou no ombro dele como uma pena, e foi assim que ficou durante os 5 segundos, em que tomava coragem para chacoalhar o corpo quente do garoto.



-Vamos Malfoy é hora de acordar!!!!...” Por favor, não me faça ter que fazer isso novamente” _ pensou em tom suplicante.



Finalmente ele resolveu dar algum sinal de que iria acordar.



“Ótimo, acorde rápido e acabe logo com essa tortura...”



Era um mero sinal, nada mais...ele não acordava... Hermione se via obrigada a.... Bom, ela conjurou uma jarra de água...é isso mesmo!!! Uma jarra de água...



“Quem sabe molhado ele resolva sair dessa cama!”



Mais um ato, impensado de Hermione! Naquele momento ela derramou de uma vez todo líquido da jarra sobre o garoto que dormia profundamente.



-COF, COF, COF....



-Agora você acordou!!!!_disse Hermione satisfeita.



-O que ...COF....você está tentando fazer? COF COF...._disse Malfoy, extremamente assustado, com o rosto molhado, e os cabelos pingando, tossindo e dando um escândalo...(típico dele).



“Perfeito! Agora ele não está mais tão atraente, posso voltar a ter o controle de mim mesma”.



-Ah Malfoy, eu estava tentando te matar...porém foi uma tentativa frustrada como você pode perceber..._ finge ela uma decepção.



Ele levantou ainda meio atordoado...e quase pulou no pescoço da garota que estava ali com as mãos na cintura...



-Olha o que você fez!!!!!!Cof... quase me afoguei, sua doida, maluca, desequilibrada, eu, eu vou te...



-Ei...vê se para com isso, vai molhar meu uniforme!!!_disse tranqüilamente, para deixá-lo profundamente nervoso. Afinal, ele havia deixado ela nervosa, apartir do momento que a fizera olhar para o seu rosto angelical.



-Eu devia te estrangular Granger, você é muito petulante, acha que pode tudo, não sabe com quem está lidando e ....



-SIM..._disse rapidamente...antes que ele terminasse de falar...



-É é bom você saber com quem está lidando, porque se não...



-Não estou falando disso... EU ACEITO A PROPOSTA...._terminou seriamente.



-Eu sabia que você não ia querer e.....o que você disse? Disse que aceita??????????????



-É Malfoy... não me faça repetir.



-É, é sério!!!!???_disse ele desacreditado.



Hermione pode notar perfeitamente a reação de surpresa, a qual ele estava. Achou até um tanto infantil, mas viu graça nele, parecia uma alegria tão sincera que lá no fundo sentiu uma alegria também, por ele...



Ficou calada, só observando a cena.



-Granger, Granger, teremos muito trabalho você sabe né? Vai ser muito empenho nisso, mas juntos a gente vai conseguir, vamos ganhar esse prêmio, vamos sim...Que horas são?



-São 7 e ...



-Estou atrasado preciso me arrumar... Porque demorou pra me acordar? Hoje vai ser um longo dia... o sorteio das provas!!!!_disse nervoso... e ao mesmo tempo eufórico..._ Granger..._segurou ele os braços dela...e surpreendeu-a quando olhou a garota nos olhos..._você fez a coisa certa.



Um olhar daquele, nunca havia sido lançado para ela, não era um olhar típico de um Malfoy. Parecia traduzir uma certeza tão grande e certa confiança nela que a deixou sem ar.



“O que você está fazendo Malfoy? Não me olhe assim... eu só aceitei, não era pra você me olhar desse jeito... Não segure os meus braços por favor, isso causa um tremendo desconforto...Você devia estar bravo comigo... eu te ensopei sabia? Eu deixei você irritado, mas a sua cara não é de alguém que quer matar alguém... Fique irritado por favor, faça qualquer coisa comigo, mas não me olhe como está me olhando!”



- E....est...está... me molhando..._disse Hermione ainda olhando nos olhos dele...



- Hãm?...a  aaa...me desculpe...eu vou tomar um banho..._Draco soltou o braço dela, e os olhos não se cruzaram mais.



“Ele me pediu desculpas? Ele não está bem!”



-Vou descer, tomar café da manhã...estarei lá em baixo...



-Ok...ok...mas não coma muito.



Hermione, saiu do quarto.



“Droga! EU te odeio Malfoy te odeio de todo o meu coração, recupere as forças Hermione, ele é só um garoto idiota, apenas um garoto idiota!!!”



Começou a caminhar lentamente, e a organizar na cabeça, todas as coisas o que teria que passar naquele dia.



Audácios, era a sua equipe, a equipe mais anormal que poderia existir. Se daria certo é que seria um eterno mistério por enquanto. Chegava a rir sozinha só de pensar que há alguns dias atrás, estava dentro de Hogwarts, sossegada, estudando para as provas, lendo os livros, passando a mão no pelo do Bichento, rindo com Harry, contando segredos para Gina e discordando de tudo que Rony dissesse.



Mas agora estava tão distante daquilo, inacreditavelmente distante.



Olhava para o próprio uniforme, e não era aquele a qual estava habituada a usar, olhava as paredes, e não via o quadro da mulher gorda, e esperava ansiosa por Nick-quase-sem-cabeça, que vinha sempre cumprimentar a todos pela manhã.



Estava perdendo tudo aquilo, seus últimos dias em Hogwarts, os melhores... E por conta de uma terrível confusão, se encontrava longe do seu segundo lar.



A mesa, estava cheia de comida, coisas deliciosas, igualmente como a mesa do salão principal da escola. Sentou no seu lugar, mas não chegou a olhar para quem estava na mesa, pois não tinha a mínima intenção de ver a cara de Núbia.



Escutou a voz de Bryan de longe, deduziu que ele estivesse descendo as escadas, e realmente estava. Depois de descer, o garoto foi até onde ela estava sentada.



-Bom dia Hermione!!!



-Bom dia Bryan! Como está? Dormiu bem?_o garoto sentou momentaneamente na cadeira de Draco.



-Tudo bem Hermione, dormi bem sim, essas camas são bem macias!!!_comentou ele_ muito ansiosa para o sorteio da prova de amanhã?



“Ansiosa??? É o mesmo que medrosa? Porque se for é isso mesmo que eu sou...”



-AAA claro, claro que estou, acordei a noite por conta disso... (claro que não foi bem por causa disso...hehehe...mas pelo menos não menti sobre a parte do acordar a noite).



-Onde está seu companheiro de equipe?



-Ainda não desceu, acho que daqui a pouco ele consegue chegar. Mas para que falar de coisas insignificantes, né?



-Você e esse ódio né Hermione...olha que ódio e amor andam lado a lado...



-Não foi engraçado_disse fechando um pouco a cara_ você parece muito com o jeito de uma amiga minha a Gina...vive insinuando coisas...



-E essa sua amiga, é tão bonita quanto você?_ o garoto disse olhando para ela docemente e ela se surpreendeu com o elogio. Mas algo estava errado, não se lembrava de ter dado chances para que ele se aproximasse dessa forma. Achou por bem, não levar em conta o que ele disse, ele era apenas seu amigo... e era só isso que queria que ele fosse.



-Não acho que sou parâmetro de beleza, mas minha amiga é muito bonita sim... é ruiva, tem olhos verdes. Já eu sou castanha, tenho os olhos castanhos nada que possa chamar a atenção de alguém..._ela riu de si.



-Vários garotos olham para você por aqui!_disse ele afirmativamente _Se fosse tão comum assim porque você acha que eles olhariam...?



-Conheço os homens...eles olham para qualquer coisa que vista saias, e aparente menos de 90 anos!!!_ Hermione constatou.



Depois disso depois riram.



Draco já havia decido e estava ali, quase atrás da cadeira dele.



-Scott, acho que essa cadeira é minha_ disse com uma voz meio rouca, e mal humorada.



-Ah...com licença...A gente se vê depois Hermione!!!_ sorriu para ela enquanto que para ele não olhava diretamente. Retirou-se em um instante, depois de se despedir.



A cara de Draco não estava nada boa, e Hermione sabia que fora a presença do amigo que o deixara assim.



-Nem imagino o quão interessante deve ser a sua conversa com o idiota do Scoot. Suponho que já recomendou algum tipo de poção, ou feitiço para polir os grandes chifres dele...



-Você põe defeitos de mais no Bryan, desconfio que esteja com algum tipo de vontade incontrolável de ser ele..._ concluiu a garota.



-Porque eu teria interesse de ser um fracassado, idiota, com cara de bobo?_Draco sentado na cadeira dava os ombros para ela, falando naturalmente, sem alterar o tom de voz.



-Talvez porque ele seja mais atraente que você, mais gentil e muito mais educado.



-Isso vindo de você Granger para mim é um elogio. O que eu menos quero é parecer alguém atraente para você, a nossa relação é meramente profissional, você deve saber disso_ o garoto encheu a própria xícara com leite, e café.



Hermione não respondeu, terminou de comer, e se levantou.



-Estarei lá fora te esperando, é melhor você não se atrasar..._tentou lançar as palavras com indiferença.



Draco apenas fez uma careta, mas nada que Hermione já não tivesse cansada de ver. Não deu a mínima importância.



O dia estava lindo, não havia uma nuvem no céu, o clima nem quente nem frio, prometendo uma tarde alegre, o dia perfeito para qualquer programa divertido com Harry e Rony. Mas claro, ela esquecia de que estava ali, na competição. Nada poderia ser feito, lamentar... de que adiantaria? Não poderia fugir dali de qualquer modo. O destino era se conformar, falar alguns palavrões, ficar vermelha de raiva, e suportar nos ombros toda a pressão que sentia em seu peito.



Tentou relaxar por alguns segundos, respirar o ar matutino. Mas sua cabeça começou a trabalhar novamente, lembrou que deveria escrever para Gina e para os garotos quando chegasse, provavelmente teria deveres para fazer também. Além de ter que se preocupar com a formatura, que não tardaria a chegar.



Alguns minutos se passaram e logo Hermione percebeu que varias pessoas começaram a se aglomerar em torno de um poste que havia no meio do jardim...Aquela era a chave de portal para irem até os lugares que precisavam conhecer.



Draco levantou da mesa, ainda um tanto aborrecido.



Hermione sempre estava alguns pontos em sua frente, ele podia ter todos os argumentos do mundo, todas as palavras ásperas, e ofensivas, mas no final das contas ela sempre ganhava. Ele sempre perdia, toda vez ela fazia os seus batimentos cardíacos aumentarem, atrapalhava o fluxo de sua respiração, fazia suas mãos suarem inexplicavelmente, quando sorria sarcástica, quando balançava os cabelos naturalmente, quando ela aparentava não se abalar com as suas implicâncias, quando ela o ignorava e o deixava de lado.



(música Lifehouse, ONLY ONE... tem tudo a ver com o romance...espero que gostem da minha escolha)



 



She's got a pretty smile



it covers up the poison that she hides



she walks around in circles in my head



waiting for a chance to break me



chance to take me down



now I see this burden you gave me



is too much to carry



too much to bury inside



 



Ela tem um lindo sorriso que



disfarça o veneno que ela esconde



Ela anda em círculos na minha cabeça



Esperando por uma chance para me quebrar



Uma chance para me humilhar



Agora eu vejo que este fardo que você me deu



É muito pesado para carregar



É demais para enterrar por dentro



 



 



I guess you're the only one



that nobody changes



I guess you're the only one



left standing when everything else goes down



 



Eu acho que você é a única



Que ninguém muda



Eu acho que você é a única



Que resta quando tudo mais afunda



 



you're still the only one, yea



you're still the only one



 



Você ainda é a única



Você ainda é a única



 



it's so shallow and all so appealing



I'm up to my ankles and I'm drowning anyway



in a sea of sarcastic faces



familiar places



everything looks quite the same here



it's all confusingly amusing



bitter and tainted the picture you painted to me



 



É tão superficial e tudo tão agradável



Eu estou de pé em meus calcanhares e estou me afogando



de qualquer jeito



Num mar de rostos sarcásticos



Lugares familiares



Tudo parece o mesmo aqui



É tudo divertido de forma confusa



Amarga e manchada, a pintura que você pintou pra mim



 



I guess you're the only one



that nobody changes



I guess you're the only one



left standing when everything else goes down



 



you're still the only one



who will never change faces



I guess you're the only one



left standing when everything else goes down



 



just 'cause it's all in your head



doesn't mean it has to be IN MINE and



I don't believe what you said



still can't get it out of my mind



I've tried to find myself in approval



I've already been there already done that



it got me nowhere it brought me nothing



but a good place to hide in



no one to confide in now



 



Só porque está tudo na sua cabeça



Não significa que precisa estar na minha e



Não acredito no que você disse



Ainda não consigo tirar da minha cabeça



Eu tentei achar a mim mesmo em aprovação



Eu já estive lá, já fiz aquilo



Não me levou a lugar algum, trouxe-me nada,



Apenas um bom lugar pra esconder



ninguém para confiar agora



 



I guess you're the only one



that nobody changes I guess



guess you're the only one



That will never change faces



I guess you're the only one



 



Você ainda é a única



que nunca mudará de rosto



Eu acho que você é a única



Que resta quando tudo mais afunda



 



 



Caminhou até ela, e os passos pareceram não avançarem. Hermione estava de costas para a porta, parada ali no sol, parecendo admirar a manhã. Ficou um tanto satisfeito por ela estar sozinha, e não conversando com Bryan.



Chegou perto dela e tocou no seu ombro, e a garota virou para ele, mas não disse nada.



-Acho que deveríamos ir, para mais perto da chave de portal.



-Ah sim, pensei que ficaria lá e devoraria toda a comida da mesa_ agora Hermione riu deixando Draco um tanto desconfortável, com aquele sorriso



Mas junto dela caminhou até mais perto do lugar.



Logo as risadas e as conversas altas de Montevilla, puderam ser ouvidas. O homem vinha a passos largos, se aproximando da chave de portal, acompanhado por diversas pessoas, das quais pareciam fazer parte da comissão de organização.



Hermione ficou feliz por não ver Rita Skeeter, mas sabia que essa sensação poderia durar pouco tempo, já que tinha certeza que mais cedo ou mais tarde a víbora apareceria, e como sempre, para arruinar sua vida.



-Meus queridos competidores_ disse Montevilla animado_ bom dia a todos, serei breve. Aqui está a chave de portal que usarão para chegarem até o primeiro local de provas, Meredith vai chamar por ordem alfabética o nome das equipes, e poderão de aproximar e ir...Meredith _disse ele se referindo a secretária_ pode começar.



-Bem_ disse Meredith um tanto atrapalhada, com os papéis_ Primeira equipe, ANIMUS_ uma garota e um garoto, ambos altos e morenos se aproximaram e assim colocaram a mão na chave de portal, que os levou_ Segunda equipe AUDÁCIUS_ Hermione e Draco se aproximaram tocaram na chave de portal, e logo estavam no lugar.



Assim foram chegando as duplas, e depois por fim Montevilla e sua equipe.



Os dois não conversaram, ficaram esperando todos chegarem.



Quando todos já estavam ali, Montevilla, pediu silencio e começou a falar.



-Senhores competidores, é com muita honra que hoje eu saúdo todos vocês, e como sabem hoje é o dia em que faremos os sorteios da prova de amanhã. Como bem sabem, a nossa competição é feita de inúmeras categorias, e os senhores serão testados das mais diversas formas. Como todos os anos as provas serão realizadas em duas semanas, ou seja, sem contar os dias de festa, confraternizações e preparações, serão um total de 5 provas.



As regras para cada prova, serão entregues a vocês, depois do sorteio, juntamente com o cronograma de amanhã. Não tive a oportunidade de apresentar a vocês algumas das pessoas  que terão papel muito importante nessa competição. Aqui ao meu lado direito está Joan Sorvivor, Fiscal, que vai ser o responsável, pela auditoria de todas as provas, juntamente com os seus dois assistentes..._ele era um homem, baixo, corpulento, e usava um casaco tomate, totalmente fora de moda. Passava a impressão de ter mais de quarenta anos. Pois os cabelos brancos já eram mais abundantes que os cabelos negros, possuía um bigode massudo e que tampava sua boca_Ao meu lado esquerdo está Meggy Flynsburg, será responsável, pela correção e verificação da validade dos resultados das provas, juntamente com a sua equipe_ essa era uma mulher também aparentemente de mais de 40 anos, e possuía um cabelo pela altura dos ombros, castanho escuro, os olhos expressivos verdes.  Era uma mulher risonha, e até parecia infantil por possuir bochechas rosadas, usada uma saia longa, e uma blusa de mangas largas, se fosse vista no mundo trouxa, com certeza seria uma Hippie_ Bom ainda teremos várias pessoas que irão supervisionar o andamento da competição, pessoas que cuidarão da segurança e bem estar de todos os participantes. Não sei se falei tudo o que queria, mas vejo nas suas carinhas adolescentes que estão cansados de escutar, portanto qualquer dúvida que tiverem poderão se dirigir a nossa recepcionista do hotel Srt. Meredith, que foi treinada especialmente para ajudá-los sobre qualquer informação que precisarem. Bom, acho que é só isso, agora sintam-se a vontade e dêem uma conferida nesse primeiro local de provas o Estádio  Druida Cliodna.



Todos bateram palmas, enquanto  se dispersavam, ao longo do campo. Porém, antes Rita Skeeter, pediu “gentilmente” para que todos posassem para uma foto.



Hermione desejou fazer uma careta, mas antes que pensasse seu assistente já havia batido o retrato.



*                                 *                                 *                                 *                                 *



O sorteio das provas seria em seguida, todos estavam ansiosos, para saber o que enfrentariam. Os alunos davam voltas pelo campo, tentando se familiarizar com o espaço.



-Bem, senhores competidores se aproximem_ dizia a voz animada de Montevilla, que fazia sinal para que todos se aproximassem em volta de uma mesa que havia ali, que na qual estavam atrás dela, Montevilla, Meredith, com uma cara de cansada, a “Hippie”, o cara do casaco fora de moda, e todos aqueles assistentes com cara de estagiários.



-Agora vamos sortear a prova de amanhã!_ em cima da mesa, havia um aquário de vidro, com um líquido estremamente azul, submerso nesse líquido estavam diversas bolinhas brancas.



Montevilla, fez um gesto rápido com a varinha e uma das bolas submergiu, e Montevilla retirou da água.



-Veremos agora o qual será a tarefa dos senhores.



Um dos fiscais abriu a bola branca, e retirou um pedaço pergaminho de dentro dela, e leu o que dizia ali.



-A prova sorteada é.... CORRIDA DE VASSOURAS...



O murmúrio começou entre os competidores, que comentavam sobre a prova sorteada.



-Silêncio!!!_ pediu a atenção Montevilla_ a prova será realizada, nesse Estádio, será amanhã logo cedo, pois a tarde haverá mais um sorteio de provas.



-Corrida de Vassouras?



-Ótima prova...Com certeza ficaremos entre os três primeiros...!!!_disse Draco animado



Hermione ficou em silêncio.



-Podemos relaxar por enquanto, vamos nos preocupar com outras provas, por que essa já está no papo!!!_Draco se espreguiçava, e sorria satisfatoriamente.



Hermione ainda calada.



-Perdemos a Granger...Granger...cadê você....garota você está me escutando...?



Hermione em profundo silêncio.



-Você está ouvindo o que eu estou falando?



Draco esperou mais alguns segundos mais ela estava de braços cruzados, olhando fixamente para o nada, com uma expressa vazia, que ele mesmo chegou por um instante a ficar preocupado.



-Temos um problema Malfoy...



-A finalmente saiu alguma palavra dessa boca, pensei que estivesse petrificada Granger. Quem pensa que é pra me deixar falando sozinho?



-Eu não sei voar_ disse com toda a convicção do mundo.



-Pensei que fosse algo sério e.....O QUE VOCÊ DISSE????????????



-É Malfoy... exatamente o que você escutou... eu não sei voar.



-Você só pode estar brincando!!! Como não sabe?



-Não sei voar Malfoy, não sei. Detesto altura, não tenho a menor habilidade... Não vai dar...Você vai ter que correr sozinho.



-IMPOSSÍVEL GRANGER..._Draco com os gritos, já começava a chamar a atenção de algumas pessoas, resolveu baixar o tom de voz. Apesar de ser difícil depois de uma notícia daquela_ somos uma equipe, uma equipe! E essa corrida é para duplas entendeu? DUPLAS!!!!



-E o que o senhor pretende fazer? Eu já disse que não sei voar... E não há como competir assim... Melhor a gente esquecer isso Malfoy.



-Você ta doida? Eu não vou esquecer nada! Não vou desistir disso Granger, e não é você que vai fazer com que eu tire isso da cabeça.



-E o que você pretende fazer hein?



-Treinar você...



-Pirou??????



-Não eu estou falando sério... Agora espere aqui...eu já volto...



-Não, você não...ei aonde você vai?_disse ela gritando para ela já caminhava rapidamente para longe dela.



Draco nem respondeu, apenas se afastou dela, e a garota cruzou mais uma vez os braços indignada.



“O que esse demente pensa que vai fazer? Eu definitivamente não vou treinar com ele, só pode estar brincando quando cogita uma possibilidade dessas! Não há como eu aprender a voar, para uma competição dessas em um dia... é magicamente impossível...”



Draco demorou a voltar, a garota ficou ali mais algum tempo, esperando, até que o loiro apareceu, um tanto mais calmo, porém, com o semblante preocupado.



-Granger..._disse Draco vindo ao seu encontro.



-O que foi Malfoy..._disse cansada de esperar.



-Tenho uma boa e uma má notícia pra te dar...



-Pode falar, estou ouvindo...



-Bom, consegui um lugar pra gente treinar, com vassouras...e tudo mais.



-...Com o Montevilla imagino...



-Na mosca!!!_ disse ele sorrindo para ela, maliciosamente.



-MAS ISSO É TRAPAÇA..._gritou de imediato...



-SHIIIIIII....que tal a senhorita falar mais baixo, se tem algum protesto também não precisa gritar ele pra todo mundo ouvir.



- Malfoy, eu não vou trapacear...é injusto com os demais, você sabe que eu ...



-Escuta Granger, não querendo acusar você mas, já tive provas suficientes essa semana pra ter certeza de que você adora uma confusão..._constatando o fato.



Hermione ficou rubra, de certa forma ele tinha razão.



-Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Nós vamos fazer algo muito errado e muito injusto... Eu não estou de acordo..._disse virando de costas e saindo, em direção a Bryan.



-Teimosa, a rainha da teimosia_ urrou Draco batendo o pé no chão e socando o ar _o pior de tudo é que ela tem que fazer a cena. É só questão de tempo pra ela voltar atrás, e vir correndo pedir pra treiná-la. Mas enquanto isso, acho que vou tomar um suco de abóbora..._relaxou, e foi até o lugar onde serviam lanches.



 



-Quem eu vejo aqui... _disse Bryan, olhando tranqüilamente para Hermione.



-Olá Bryan!!! Tudo certo?



-Eu estou bem Hermione...um pouco desapontado mas bem...



-Desapontado? Posso saber porque?_disse parecendo interessada e ao mesmo tempo imaginando que deveria ser culpa da Núbia novamente.



-Me dá vergonha falar mas... Sabe o sorteio das provas? Ele foi um desastre mim. A nossa primeira prova é corrida de vassouras né?



-Sim..._concordou ela.



“Pelo jeito que ele está falando ele não deve saber voar como eu. Aí eu vou poder me livrar dessa terrível missão de treinar com o Malfoy. Se eu pagar um mico pelo menos não vou pagar sozinha!!!”



-Bom, é que eu e minha companheira de equipe, treinamos apenas 8 meses para essa corrida, pois não tínhamos certeza se ia ter esse ano...agora estamos ferrados, acho que não vai ser  o suficiente, só a elite corre aqui..._disse desanimado.



“Game over, acabou, amanhã estarei voltando pra casa! Ah, esqueci que não posso voltar, tenho que ficar aqui e divertir todo o povo com o meu vexame em cima de uma vassoura. Vai ser algo espetacular. Acho que eu mesmo vou mandar uma coruja pra Skeeter avisando sobre o que vai acontecer amanhã, pois vai render a ela o maior furo de reportagem da história. Cá entre nós, Merlim não gosta mesmo de mim. Claro que não gosta, quando penso que as coisas podem melhorar um pouco ele vem com todo o seu bom humor pregar peças em mim, somente em mim! Mas vamos lá, vamos agüentar a triste sina de ser o boba da corte de Merlim. A equipe de Bryan desanimada porque só treinou 8 meses...blábláblá.... Malfoy voa bem, isso eu sei, mas a competição é preciso que duas pessoas voem e eu não vou conseguir fazer essa proeza. E assim acaba de “voar” a chance de um emprego no ministério da magia.”



-Hermione...acorda...



-Hum??? Me desculpe, estava só distraída...



-Dormiu bem essa noite?_perguntou.



-Dormi sim e você?



“Porque eu digo tantas mentiras?”



-Também..._finalizou a conversa delicadamente.



-Dia lindo não?_sorriu ele espreguiçando-se agradavelmente.



-Maravilhoso, uma manhã extremamente agradável. Nem quente, nem fria, não há vento demais nem vento de menos, ótima para dar um passeio...



“Ótima, se eu não estivesse aqui, quase morrendo de tensão. Claro que eu sei que seria simples de resolver isso: eu iria até o Malfoy me humilharia e diria a ele VOCÊ TINHA RAZÃO MALFOY...PRECISAMOS FAZER ISSO!!! E acima de tudo iria contra os meus princípios, aceitaria trapacear com ele, tentaria treinar e quem sabe aprenderia sobre voar em vassouras. Claro, assim teria pelo menos uma chance (apesar de ser tão mínima) de ficar em alguma colocação melhor do que a última. Seria tão simples, se eu fosse uma garota daquelas que dá o braço a torcer...”



-Se sobrar tempo Hermione...a Senhorita , com todo respeito gostaria de passear comigo a tarde?_disse expressivamente, olhando para ela, pelo jeito queria alguém apenas para conversar e Hermione além de ser uma boa ouvinte estava no mesmo barco dele, precisando muito de conselhos, desabafar, relaxar com um agradável passeio. E ela apenas teria de aceitar e teria uma tarde feliz... Mas o que ela não contava era que sua boca à traísse...como fez...



-Eu iria adorar passear com você Bryan, mas essa tarde será impossível, eu e meu companheiro de equipe estamos bem atarefados. O diretor da nossa escola vai nos mandar nossos deveres de casa, via correio-coruja. Temos que deixar tudo pronto até amanhã..._disse a garota como se as palavras não fossem filtradas pelo seu cérebro, brotavam do nada!!!



-Que pena..._Bryan terminou desanimado com a negativa.



-Não Bryan_ Hermione tocou no braço dele_ não fique assim, terão inúmeras oportunidades, quem sabe no final de semana a gente não sai!



O garoto sorriu docemente, assim pareceu sumir o desânimo do rosto.



-Por mim está bem Hermione!



-Não vai ficar ofendido?_perguntou Hermione com uma certa duvida, ao moreno.



-Não , não Hermione ta tudo bem!!! Claro, eu entendo perfeitamente!



Hermione sorriu para ele, enquanto trocavam um olhar fixo.



-Preciso ir agora..._disse Hermione sorrindo, delicadamente e virando de costas para ele, caminhando rapidamente em direção de Draco, que não estava olhando para ela.



CONSCIÊNCIA 1:“Todo mundo estraga seu dia Hermione. Porque você não pode estragar o dia de alguém...?”



CONSCIENCIA 2 “Acho que conviver com Malfoy, faz brotar em mim todos os tipos de pensamentos perversos, estou sendo egoísta...”



CONSCIENCIA 1: “Bem...na verdade não, você está sendo apenas racional, está pensando no seu próprio bem...está pensando no seu futuro...está pensando no seu emprego, como qualquer competidor que está aqui...Não há nada de errado nisso...há?”



CONSCIENCIA 2: “Não há! Mas eu não sei porque eu não topei passear com ele, minha boca estava pronta para dizer que sim, e algo dentro de mim, fez com que eu dissesse não, como se eu tivesse algo de muito agradável para fazer. Algo que seria verdadeiramente melhor que passear com ele...”



CONSCIENCIA 1: “Essa questão é fácil de resolver, você simplesmente sente uma vontade louca de passar alguns minutos ao lado daquela ‘perfeição’... É compreensível, você é apenas uma vítima dos mil encantos do rapaz, não tem porque se culpar e ...”



CONSCIENCIA 2: “Quer parar com isso? Você sabe bem o quanto eu o detesto, e não suporto a presença dele...ou será que eu preciso repetir?!”



CONSCIENCIA 1:”Só porque você não consegue admitir, que ELE foi o responsável, pelo beijo mais maravilhoso da sua vida?”



CONSCIENCIA 2: “Já cansei de repetir que aquilo não foi um beijo...a Gina disse a mesma coisa, agora você? Porque todos acham eu gostei daquele maldito beijo. Ninguém sabe como foi!!!! EU NÃO GOSTEI, e PONTO FINAL!!!!!!!”



CONSCIENCIA 1: “Sei...continue tentando se enganar...”



CONSCIENCIA 2: “Cale a boca de uma vez...”



CONSCIENCIA 1: “Pode continuar me rejeitando...eu não vou mudar minha opinião em relação os seus sentimentos sobre o Malfoy...”



Hermione caminhou por todo o espaço enquanto sentia-se atormentada pela sua consciência, ou melhor, consciências....(e muito teimosas por sinal).



Chegou até ele, e o olhou nos olhos.



-Malfoy..._disse seriamente



-O que foi Granger? _disse ele calmamente, sabendo perfeitamente do que se tratava, mas paciente esperando escutar da boca dela o que ele tinha previsto...



-É.... bem é que....._falou nervosamente.



-Vamos Granger desembucha..._disse ele terminando de tomar o suco de abóbora...mexendo o canudo dentro do suco, e sugando as últimas gotas.



-Resolvi aceitar a sua proposta..._deixou apenas as palavras passarem pelo meio dos dentes, quase inauditamente.



-O que? Não to escutando direito..._ queria que ela falasse em bom som para satisfazer o ego e humilhá-la um pouquinho mais.



-Olha Draco, você me entendeu... eu quero treinar...e de preferência se pudermos começar o mais rápido possível!!!_disse relutante.



-Nossa! Você muda tão rápido de opinião. Mas e os seus princípios?_riu gostosamente dela_ devia ser mais firme nos seus conceitos.



-Vai demorar muito pra parar de tripudiar? Eu sei que mudei de idéia rapidamente, mas foi por uma justa causa. Não que eu faça isso sempre, tenho a opinião bem sólida sobre as coisas, e mesmo assim não continuo achando certo o que vamos fazer?



-Bom...se você diz..._falou ele ignorando o que ela tinha dito.



Ficaram em silêncio.



-Você não vai dizer nada?



-Você quer que eu diga o que?



-Estou esperando você dizer que hora vamos treinar...e...



-Você está com pressa mesmo hein? O que te fez mudar de ideia?



-Bom...isso não importa...o que importa agora é que eu realmente não sei voar.Você vai me ensinar  ou não?_ disse irritada, colocando a mão na cintura.



-Tudo bem Granger_ disse ele pegando no braço da garota e puxando-a um pouco para trás, para conversar, deixando-a um pouco desconfortável_ é o seguinte, você sabe que não podemos deixar pistas, rastros, desconfianças, ninguém pode saber que iremos treinar. Isso seria a desclassificação. Deixa eu te explicar a situação...ás 3 horas voltaremos para o hotel, é quando termina o reconhecimento dos locais de prova. Como você sabe são três os lugares, pela manhã ficaremos aqui... almoçaremos no segundo lugar, ás 2 horas, vamos para o terceiro lugar, e finalmente voltaremos para  o hotel. Depois das 3 horas, todos ficarão ocupados com as suas próprias coisas, será o nosso tempo livre.



-Então depois das 3 horas poderemos treinar....treinar até a noite suponho...



-Você não me deixou acabar de falar...



-Tudo bem...prossiga...._disse impaciente.



-Esse tempo livre só vai até o horário do jantar, que se dará as 8 horas. Portanto, teremos apenas 5 horas para ficarmos fora entende? Porque se não tivermos na hora do jantar, vão sentir a minha falta e perceberão algo de estranho!!!



-Pretensioso você hein? O que te faz pensar que alguém vai sentir a sua falta?



-Bom, é lógico que todas as garotas vão dar falta do garoto mais sexy de todo o hotel, não vivem sem a minha presença.



-Há Há Há... Você tem um senso de humor..._riu-se ela..._ mas e como chegaremos no lugar do treino?



-O senhor Montevilla, vai mandar um Elfo doméstico para nos acompanhar até o local, ele me deu as chaves do lugar, pelo que me consta é um campo de quadribol abandonado.



-E as vassouras?_disse ela respirando fundo.



-Estão lá. Fazia parte do pacote..._riu ele, ajeitando a jaqueta.



Hermione meio tensa, sabia da responsabilidade, e sabia que era difícil confiar no Malfoy, como conseguiria aprender algo com ele? Não estava particularmente acreditando que aquilo fosse funcionar, mas ela tinha escolha? Não. Então era aceitar e torcer para que nada de tão grave acontecesse.



-Vejo uma certa inquietação da sua parte... está nervosa?



-Como você estaria se tivesse que aprender a voar, tendo medo de altura?



-Você com medo Granger? Isso é inédito..._agora ele rira mesmo... e ela se perguntava o porque de estar sendo tão sincera.



-Todos temos fraquezas e eu tenho certeza que você estaria pior do que eu, se tivesse que voar de hipogrifo.



Por vezes era fácil de calar o Malfoy invocando uma palavra que ele detestava: HIPOGRIFO, devido as más experiências tidas com o animal. E Hermione não acreditou ao olhar os olhos dele paralisados, não nos dela, mas em qualquer coisa e a garota tinha certeza que nesse momento ele se lembrara daquela aula  de Trato de Criaturas Mágicas, a mais engraçada de sua vida, quando Draco quase virara o jantar de Bicuço.



E realmente ele mudou inesperadamente de assunto, fazendo Hermione gargalhar por dentro. Mas ela achou melhor não debochar de algo tão terrível. (De fato, ela não teve coragem de humilhá-lo nessa hora, pois até os inimigos tem limites e aquilo iria ferir demais o ego de Draco... Ela decidiu que BICUÇO era um assunto intocável... ou então, pensou em guardar um argumento desses para uma hora mais propícia que fosse necessário irritá-lo).



-O que achou daqui? Tecnicamente, esse campo o que achou dele.



-Vou ser sincera com você, ainda não sei o que vamos enfrentar, se familiarizar com os lugares de prova, é muito pouco. O que eu queria conhecer previamente, eram as provas.



-Bom isso a gente pode dar um jeito..._riu mais uma vez Draco... ele estava engraçadinho demais...



-Não Malfoy, você não vai pedir para o Montevilla de jeito nenhum_disse nervosamente.



-Relaxa Granger, você é muito medrosa. Montevilla não sabe as provas, esqueceu que serão sorteadas??? Porém a gente pode dar uma olhadinha no histórico das provas... todos os anos existem provas repetidas...na maioria das vezes... as provas clássicas sempre estão presentes... Essa noite a gente dá um pulinho na Biblioteca e dá uma verificada em alguns documentos... Você só pensa que eu faço coisas ilícitas??? _fazendo uma cara como se fosse a mais santa das criaturas.



-Olha quem falando, se eu não te conhecesse Malfoy... Você é um trapaceiro e dos piores.



-Mas você deve reconhecer que além de trapaceiro, eu sou muito convincente, porque consigo fazer com que PESSOAS....trapaceiem junto COMIGO!



-Já estou começando a desistir da ideia de treinar.



-É claro que você não vai desistir Granger.Você quer demais esse prêmio, como eu, e não há nada que eu fale que vai te fazer mudar de ideia. Como não há nada que você diga ou faça que vai me fazer desistir de ser o vencedor dessa competição..._concluiu decididamente



-Você tem razão, as babaquices que você diz não devem ser levadas em consideração. Aliás, mudando de assunto, eu não sabia que tínhamos uma biblioteca.



-Bom Granger se fosse uma boa observadora, iria notar que ao lado da recepção tem uma porta com um letreiro dizendo BIBLIOTECA.



-Isso é maravilhoso!!!_disse sorrindo, aquele sorriso tão feliz incomodou profundamente Draco.



-Bom mas que horas são agora?_Draco rapidamente mudou de assunto.



-Faltam 5 minutos para as 11...



-Bom daqui a pouco vamos conhecer o próximo lugar..._disse Draco lembrando Hermione.



-Você tem idéia de para onde vamos?_ perguntou interessada.



-Granger, deixa eu te fazer uma breve perguntinha.... Você por um acaso chegou a ler, o programa de três dias?



-Claro que li.... “Eu li? Será que eu li mesmo? Nossa...eu esqueci de ler, até essa ameba leu...eu esqueci...onde eu ando com a cabeça...Pergunto eu a Merlim onde o senhor escondeu meu cérebro...O senhor anda receptando minha memória? Me privando de ter acesso a ela? Isso é contra a lei!!!Eu quero os meus direitos!”



-Você disse para mim que estava atrás da porta pregado. No mínimo eu te conhecendo deduzo que tenha lido, interpretado e traduzido para umas 5 línguas...



-Eu li...mas não lembro os nomes...tive um lapso de memória e...



-Eu não acredito Granger! Estou pasmo, preciso tomar um como d´agua antes que eu desmaie...



-Pirou Malfoy?_disse colocando as mãos na cintura enquanto ele fazia  a cena.



-Você não leu...o programa...a CDF mais CDF do mundo, não leu o programa....eu preciso de ar....



 - Por acaso você é meu tutor agora? Já tenho 17 anos, e sei exatamente o que fazer, e o que não fazer...



-Granger, que agressiva! Não perguntei nada, só constatei que você esqueceu de ler porque anda com a cabeça não sei aonde...e isso me preocupa muito...



-Te preocupa?



-É Granger como vamos ganhar essa droga se você está aluada desse jeito? Só vou te avisar que é melhor você voltar para Terra, antes que qualquer um desses imbecis pegue a taça da vitória, primeiro que nós. E o que é principal, consiga essa droga de emprego no ministério da magia...



-Malfoy, que preocupação toda é essa? Que eu bem me lembro você chegou aqui amaldiçoando Dumbledore, e principalmente a mim, por estar participando disso. Agora você está todo angustiado, como se tivesse apostado sua vida nisso!!!



O garoto ficou com as bochechas vermelhas, e quentes. Passou alguns segundos mudo, mas logo formulou uma resposta e que apesar de parecer, irrelevante...para a castanha foi como uma adaga atravessando seu peito...



-As coisas mudam Granger, apesar de a sua incrível teimosia lhe dizer que as coisas “são assim e ponto final”, mesmo que a sua cabeça dura insista que tudo tem que ser do jeito que sempre foi. Desculpe decepcioná-la AS COISAS MUDAM, mesmo que você não aceite. Eu por exemplo peguei algo ruim que me aconteceu e transformei em algo bom, você pode fazer o mesmo? Acho que não, porque tem muita chatisse aí dentro desse coraçãozinho!



-Isso me deixa um tanto conformada, quem sabe um dia você consiga mudar, se transformar em um ser humano de verdade... Com sentimentos talvez...



MALFOY: “Droga... o que eu estou falando? Porque eu disse isso... não tem nada a ver... não era para eu ter dito isso... porque eu estou dizendo que as coisas mudam... eu nunca vou mudar, eu sou um Malfoy... nasci predestinado... nunca vou ser como Potter, como qualquer um daqueles idiotas da grifinória metidos a “salvadores da Pátria”. Não, eu não gosto da Granger, eu não mudei meus sentimentos por ela, continuamos sendo inimigos e.... Porque eu tenho que ficar pensando nela? EU NÃO MUDEI... E NÃO VOU MUDAR!”



-Eu disse que as coisas mudam... Não as pessoas!!!



-Então, infelizmente você vai ser esse monstro a vida toda!!!



Apesar de por fora Hermione, estar fingindo segurança, por dentro estava acabada. Aquelas palavras foram extremamente incomodas, e pareciam que se encaixavam perfeitamente na sua vida. Ela estava mudando seus sentimentos por Draco, e sabia disso... Em resumo, a discussão acabou ali. Draco já perdia a paciência, na mesma proporção que a garota.



-Olha...chega ta...não quero me irritar mais do que já estou.Vamos dar uma volta por aqui, até nos chamarem para irmos ao próximo lugar.



Hermione deu os ombros mas acompanhou Draco, por todos os lados. Foram para o segundo local de provas o Ginásio Oenghus, e nesse ela se trombou muitas vezes com Núbia o que fez seu almoço ficar entalado.



Depois, foram até o terceiro local de provas, o Clube Heinrich Cornelius Agrippa, por fim às 3 horas retornaram ao hotel.



-Olha Granger, você fica aqui. Eu vou sondar se já podemos ir para o treinamento, nada de sair pelos corredores. Ah, e troque o uniforme da equipe quanto melhor parecermos discretos melhor.



-Tá, té já entendi..._ disse ela enquanto ele já estava saindo do quarto.



-Ei....Malfoy....



-O que foi?_disse ele impacientemente voltando para ver o que ela queria.



-Vê se não demora...!!!



-Eu já poderia estar lá em baixo essas horas, se não fosse você me amolando!



A garota entrou no closet e vestiu um capri jeans, e uma blusa rose discreta. Mas ficou intrigada sobre o que poderia ser discreto para Draco Malfoy? Não iria dar atenção a ele, não iria mesmo! Colocou o tênis, e sentou na cama.



“Não acredito que vou fazer isso! Vou treinar com ele! Porque meu estômago não para de dar voltas? Isso só acontece quando fico muito ansiosa, E EU NÃO ESTOU ANSIOSA!!! Ele está demorando muito... Onde ele foi?  Vamos no atrasar, e se eu me atrasar quase não vou ter tempo para treinar. Porque ele não chega?”



Esse discurso atormantava sua cabeça, e suas pernas forçavam um caminhar dentro do quarto de um lado para o outro.



-Vai furar o chão se não parar de caminhar assim..._disse ele chegando atrás dela e quase a matando de susto.



-Que mania ridícula você tem de me assustar!_ disse ela colocando a mão sobre o peito.



-Vamos Granger, não temos tempo a perder.



Hermione quase saiu pela porta, quando ele a barrou.



-Espere... É o seguinte, a gente desce pela escada, vai até a cozinha, pega um suco e vai até a sala. Ficamos ali uns 5 minutos tomamos o suco fingimos uma conversa “amigável” e depois fingimos que estamos levando os copos na cozinha, neste momento damos no pé...



-Porque temos que fazer toda essa cena..?



-Quer que nos descubram? Tem gente muito inteligente aqui, só esperando algum burro, dar um passo em falso, para ser desclassificado e assim uma equipe a menos. E eu não vou ser um desses idiotas que será pego.



-Da pra gente ir agora?_ disse Hermione tentando passar pelo braço dele.



Ele fez sinal para ela passar na frente, fingindo um cavalheirismo, depois trancou a porta do quarto.



Os dois caminharam com tranqüilidade, alguns garotas que estavam ali olharam para Draco, e soltaram risinhos tímidos, Hermione evitou olhar tal cena, era demais para ela ficar o tempo todo tendo náuseas.



Chegaram na cozinha, onde o Elfo designado por Montevilla, já os esperava, com os sucos na mão.



-Olá_ disse Hermione com um sorriso.



O Elfo fez uma demorada reverência, e se apresentou.



-Senhorita, a senhorita não poderia falar assim com Ming, Ming obedecer a tudo o que a senhorita disser.



-Não precisa fazer isso_ falou a castanha com um olhar piedoso. Na verdade fazia isso sempre que via um Elfo doméstico.



-Ei Granger, vamos... Não podemos demorar...



-Prazer em conhecê-lo Ming.



-Vamos..._dizia Draco puxando a garota pelo braço.



Os dois saíram da cozinha e se dirigiram, a sala. A poltrona estava ocupada por uma garota que lia uma revista, e parecia não ver os dois ali. No outro sofá, haviam alguns garotos jogando xadrez bruxo, resultado: todos os lugares estavam ocupados a não ser em um sofá, do qual cabiam exatamente duas pessoas. Draco sentou, Hermione disfarçou e ficou em pé.



-Não vai sentar?_ disse ele tomando o suco.



-Não estou cansada.



-Senta logo Granger, não vou te morder... A menos que você não me morda..._riu ele tomando mais uma vez do suco.



Ela resmungou, torceu o nariz mas sentou.



-Granger, você tem um cérebro de minhoca, porque você acha que vai salvar todos os Elfos domésticos do planeta?



-Eu só quero libertá-los e conferir uma vida digna. Como sabe disso?



-Como eu não iria ter conhecimento, daquele seu movimento ridículo, da qual você nomeou F.A.L.E.!!!_disse calmamente, bebendo um gole de suco.



-Você anda bem informado sobre mim Malfoy! Estou surpresa!



-Não sei se você já chegou a ouvir aquela célebre frase... “mantenha os amigos perto... e os inimigos mais perto ainda...”_disse em tom ameaçador olhando de canto de olho para ela.



-E como você não tem amigos, eu suponho que toda sua atenção está voltada a mim? Por favor. Direcione isso para outra pessoa, isso é tóxico!



-Muito engraçada Granger, mas você não é a única que eu tenho o desprazer de conviver, tenho muitos outros inimigos _ disse se gabando_ Olha, eu até poderia ficar aqui ouvindo seu monte de idiotices, mas temos que ir!!!



- Que pena..._Sorriu ela...



Os dois caminharam até a cozinha, muitos Elfos trabalhavam ali, mas pareciam não ver Draco e Hermione passarem, seguindo Ming. Chegaram até a porta dos fundos, e saíram.



Os fundos do Hotel, eram algo totalmente diferente da frente. Davam em uma floresta, escura, e fechada, mas que na verdade não parecia assustadora. Parecia se tratar apenas de uma mata fechada, da qual tinha um caminho aberto no meio dela.



-É por ali que vamos passar?



-Sim, sim, é por ali sim, senhores, se seguirem Ming, não serão vistos. Não se preocupem, Ming vai ser o guia dos senhores, e nada, nada vai acontecer aos protegidos do amo, não senhor!!!!_disse Ming, maneando a cabeça.



Os dois seguiram Ming, por um caminho, Draco e Hermione não trocaram palavras, pois sabiam que quanto menos atrito, maiores seriam as chances de terem êxito no treino.



O lugar não era tão longe, ficava mais ou menos como uma clareira no meio da selva.



Muitas árvores contornavam o velho campo de quadribol.



-Chegamos senhores, agora Ming precisa voltar, se não alguém pode desconfiar, e pressionar Ming a contar!!! Não é bom... não senhor...



-A que horas você vem nos buscar?



-Antes do jantar senhores, Ming vem. Se Ming não vier, os senhores podem voltar sozinhos. Ming vai estar na cozinha esperando os senhores.



-Não podemos, voltar sozinhos, não sabemos o caminho_ terminou Hermione, temerosa.



-Sabemos sim...é só seguir a trilha não é?



-Sim, senhor, senhor...



-Nós vamos, só quero que fique nos esperando._ disse Draco muito convicto.



-Mas..._retrucou Hermione.



-Nada de “mas” Granger.



-Senhor, o Senhor, deve saber a senha para entrar, os senhores devem bater na porta e falar a senha, para Ming ter certeza de que são os senhores...



-E qual é a senha?_pediu Draco impaciente.



-A senha é “Tuatha De Danaan”.



Mal terminou a frase, Hermione não teve tempo de dar um passo, o Elfo já estava longe.



-Viu o que você fez? A gente não sabe voltar..._ o medo maior de Hermione era ter que voltar sozinha com Draco, ela sentia que não podia confiar nele e estava com medo.



-“A gente”, Granger, não me inclua nessa sua listinha de seres incompetentes. Acha que eu não vou lembrar de um simples caminho desses? É só seguir a trilha, entendeu? Além do mais, se aquele Elfo burro sair novamente, é bem capaz de alguém começar “ligar nomes à pessoas”, e nos desmascarar.



-Me sinto tão suja por estar fazendo isso. Não é do meu feitio participar de planos ilícitos como esse, ao contrário de certas pessoas que...



-Suja, você já é...por conta do..._Draco não terminou a frase...lembrava muito bem do que havia ocorrido, da última vez que pronunciara “sangue-sujo”. Mas mesmo sem pronunciar, Hermione havia entendido perfeitamente, a finalidade das palavras.



Precisa dizer o que aconteceu? Hermione, sacou a varinha, e colocou no pescoço dele...



-O bom é que eu vou te matar...e ninguém vai escutar os gritos! Eu jogo seu corpo no mato e ninguém vai dar falta!



-Você não, vai querer fazer isso vai?_ Draco ficou visivelmente assustado.



-Querer? É A COISA QUE EU MAIS QUERO É FAZER VOCÊ ENGOLIR CADA PALAVRA DESSA QUE VOCÊ PENSOU, MAS FOI UM COVARDE PARA DIZER.



O semblante de Draco era o mesmo, de quando era um terceranista., no dia em que Bicuço foi executado (na verdade não foi), e ela colocou a varinha no pescoço dele antes de socá-lo. Aquela cena era familiar, o mesmo covarde, o mesmo medroso, daquele dia. Impressionante, como ele não havia mudado, só que dessa vez com uma pequena diferença, ele era uma escultura, um rapaz lindo, que tinha o poder de hipnotizá-la. E foi o que aconteceu, ela ficou olhando para ele e se distraiu, até que Draco colocou a varinha no seu pescoço.



-Você não acha que estamos perdendo muito tempo com essa idiotice?_falou ele.



-Se você acha, abaixe essa varinha, que está apontando para o meu pescoço.



-Nossa, que coincidência, você também tem uma varinha apontada para o meu pescoço, que tal você abaixar primeiro.



-Que tal os dois juntos..._disse seriamente, mas parecia não estar mais tão brava.



Os dois abaixaram, lentamente as varinhas e pareciam mais calmos, era incrível, como passavam da guerra para a paz em segundos.



Caminharam pelo campo, analisando, mas Hermione seguia de qualquer modo Draco. E esta se dirigia para um galpão que ficava em baixo das arquibancadas, como se fosse uma espécie de vestiário ou depósito.



 -Bom Granger, é esse o lugar.



-Mas esse campo está caindo aos pedaços.



-Foi o que deu pra arranjar, os lugares estão todos sendo monitorados, pelos fotógrafos da Skeeter. Esse campo aqui pelo que ele me disse, é o único que foi esquecido, justamente por estar bem antigo. Aliás pelo que me disse faz muito tempo mesmo que ninguém vem aqui.



-Porque diz isso?



-Bom a última partida de quadribol que foi jogada aqui, já fazem uns 200 anos...



-Além de abandonado, é muito distante. Quase invisível, em meio a tantas árvores.



-Isso quer dizer que para nós é um lugar ótimo para treinar.



-Não, isso quer dizer que é sombrio, e se aparecer qualquer coisa de anormal, ninguém vai poder nos ajudar, nem ouvir socorro, e muito menos nos salvar...



-Nossa Granger, que pessimismo. Eu, um experiente bruxo, praticamente formado, que sabe muitos feitiços, e não teme nada...e...



-Mas é disso mesmo que eu tenho medo... Se fosse Harry eu estaria totalmente tranquila.



-Nossa você não consegue mesmo esquecer o Santo Potter, quatro olhos, amor platônico da sua vida né? É com ele que você trai o cabeça de fósforo?...ou seria com jogadorzinho brutamontes sem cérebro?_ riu irônico.



-EU NÃO TENHO NADA COM O HARRY, NADA COM O RONY, e MUITO MENOS COM O VITOR...!!! E MESMO QUE TIVESSE QUAL SERIA O PROBLEMA...SE A PANSY PARKINSON, PRATICAMENTE LATE, E VOCÊ SAI COM ELA.



-Nisso tenho que concordar com você. Ela não é uma sabe-tudo metida, é meio burrinha sim, mas tem outros tipos de atributos que..._ Draco fazia cara de desdém para Hermione_ você não tem.



- Como pode ser tão machista e asqueroso? Não quero saber o que ela faz com você, isso me dá nojo..._a garota fez uma cara de repugnância para ela, que retribuiu, mas sem levá-la a sério.



-Nojo você vai sentir a hora que eu abrir isso aqui..._Draco mostrou as chaves para ela.



-Suponho que é aí que estejam as vassouras.



-Nãooooo... não acredito Granger...você deduziu isso sozinha? Por isso te chamam de nerd? _Draco conseguia ser realmente irritante quando queria_ claro que estão ali.



Draco destrancou, a porta, o cheiro de poeira era por demais desagradável, Hermione se recusou a entrar.



-Eu não vou entrar aí.



-A você vai, porque é a maneira, mas rápida e fácil de espantar os ratos _disse ele segurando o braço dela, que havia acabado de cruzar_ Lumus!!!



-Ei Malfoy..._protestou, mas ela entrou no lugar.



A varinha que tinha em punho acendeu, Hermione fez o mesmo, agora com a claridade Draco podia notar o semblante nada confortável de Hermione.



A garota apontou a varinha para as paredes a fim de achar onde estavam as vassouras, para poder sair logo dali.



Não foi difícil de encontrar, como Hermione previra, estavam encostadas em uma parede.



-Estão aqui...mas... Elas estão praticamente podres...me explica como a gente vai voar nelas...?



-Granger, elas não estão podres, estão apenas cheias de poeira, e teias de aranha...



-Sei..._disse a garota descrente.



-Desde quando você é tão nojenta? Você é amiga do Potter e do Weasley...não pode ser tão nojenta assim!



-A sua sorte é que eu não consigo enxergar bem a sua cara de babaca, porque eu estou com uma tremenda vontade de repetir aquele soco do terceiro ano. Saudades daquele dia...



Draco não disse nada, pegou as vassouras, e fez sinal para ela ir na frente. Saíram do lugar tenebroso, escuro, e que tinha um terrível, e insuportável cheiro de mofo.



“Pelo menos o cheiro do mofo, é mais agradável do que o cheiro do perfume desse idiota”_ constatou Hermione.



*                            *                             *                               *                                 *



Os dois já estavam no meio do campo, e era hora de começar a treinar.



-Bom Granger, presta bem atenção, agora eu sou seu professor, e aposto que você nunca teve um professor tão lindo como eu, por isso eu entendo que deve ser um momento único na sua vidinha medíocre.



-A Malfoy, por Merlim nem a tua mãe te acha bonito...e...



-Como seu professor eu não dei licença para você falar...



-E será que você consegue falar se eu arrancar a sua língua?



Hermione começava a bufar de raiva. Mas Malfoy não quis abusar mais.



-Bem, voar é simples, o segredo é ter “equilíbrio”_ nessa hora Draco riu dissimuladamente, mas Hermione sabia que ele rira dela, por causa dos constantes ataques de histerismos que ela dava._e principalmente concentração.



-Vamos agora para a parte complicada, o que eu tenho que fazer?_disse ela impaciente.



-Pegue..._ disse ele ao jogar a vassoura para ela.



-Posso montar? Isso eu aprendi...



-Então monte...



-Assim?



-É...tá mais ou menos...



-Bom e agora...??????



-Dê um impulso com os pés..._disse Draco demonstrando na própria vassoura.



-Assim?_ quase não pode terminar a palavra, e já estava no ar, voando a uma velocidade enorme, mas sem direção alguma.



-MAAALLLLFOYYYYY!!!!! SOCORRRROOOOOOOOO



Draco pegou rapidamente a própria vassoura, e voou atrás de Hermione que estava prestes a cair.



E caiu, mas Draco já estava embaixo da sua vassoura, e a pegou, antes que levasse o tombo, a vários metros do chão.



-AHHHHH!!!_ Ela não quis olhar, achou que era seu fim, mas não estava tão enganada assim, pois quando percebeu estava no colo de Draco, voando de vassoura com ele, abraçada no seu pescoço.



Isso o deixou extremamente desconcertado, com ela e consigo mesmo, por se encontrar em uma situação como aquela.



Quando Draco alcançou o chão, Hermione apenas gritava, desceu do colo dele e se ajoelhou no chão.



-Não, eu nunca mais vou subir em uma vassoura na minha vida!!!!_choramingava.



-Para com isso Granger, não seja medrosa, eu peguei você não peguei? Então, vamos novamente, achei que ia ser mais difícil, fazer uma baleia voar, mas até que você superou as expectativas_ Draco secou algumas gotas de suor da testa e remangou, as mangas da camiseta, preta que vestia, deixando os músculos a mostra.



-Você está maluco? Eu nunca mais vou subir em uma vassoura, na minha vida entendeu?, da altura que eu caí, eu podia, eu podia, ter morrido!!!!!!



-Menos drama Granger, vou refrescar a sua memória, eu não sou o Potter, e não dou atenção para as suas ceninhas de frescura, portanto, pare de fazer corpo mole, e continue treinando, porque estamos perdendo tempo!!!_falou sem alterar o tom de voz.



Hermione engoliu o choro.



“Pense no prêmio...pense no prêmio”_ enquanto pegava novamente a vassoura.



Draco, se segurava, a vontade de sumir dali. Era uma vontade tão forte dentro dele, quase incontrolável, que se tornava cada vez mais difícil de agüentar a pressão! Mas sabia que não podia, era a única chance que tinha, e dependia do empenho de uma monstrinha de cabelos volumosos. Buscou paciência, no mais íntimo do seu ser e continuou a tarefa árdua que tinha a fazer.



-Vamos lá Granger, monte da vassoura...



A castanha, envolta em um medo constante, e fazendo de tudo para que isso não transparecesse, montou desajeitada na vassoura.



-Assim está bom?_segurava o cabo da vassoura tremendo...



Draco foi até ela, e pegou na vassoura, montou atrás dela, e segurou nas mãos frias, e nervosas.



-Você segura assim, incline um pouco o corpo, para dar a direção do vôo. Tenha os pés firmes no chão, são eles que te impulsionarão e te farão voar.



Era Draco quem sentia uma certa insegurança, seu corpo tão perto do dela, e suas mãos delicadamente pousadas sobre as dela, aquilo era um pouco constrangedor. Aquele perfume que emanava dos cabelos volumosos e soltos que balançavam ao vento, podiam ter tirado a concentração dele e até um certo momento tiraram, mas Draco lutava para que isso não acontecesse, e controlou seus olhos que insistiam em fitar a nuca da deusa à sua frente.



Com um impulso rápido dos pés, Draco junto de Hermione voou.



A garota não disse nada, seu corpo tremia, e por vezes olhava para trás, mas ali estava o rosto de Draco, o lindo e perfeito rosto de Draco.



-Percebeu Granger? Não é necessário entrar em pânico, depois que descermos você vai fazer isso sozinha.



-Voando com você, até parece ser uma coisa fácil..._ Hermione disse aquilo naturalmente sem pensar.



Draco engoliu a seco.



-E é...você se apavora sem motivos... Vamos, segure a vassoura...



-Você não acha que está cedo pra fazer isso? Acabamos de levantar vôo!!!



-Não tem segredo nenhum Granger..._disse tirando as mãos da vassoura, deixando Hermione louca.



-O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO?



-Deixando você “pilotar”_ riu.



Hermione desesperada segurou a vassoura, que naquele momento descia em queda livre.



-Você é maluco Malfoy... Completamente doente! O que se passa dentro dessa cabeça oca, você é suicida? Ou homicida? Aliás, é os dois porque quer morrer e me levar junto,mas eu não vou permitir que você faça isso, seu louco! Fique sabendo que você é um péssimo instrutor e...



-Granger para de reclamar, faz uns 5 minutos que a gente ta voando e você ta pilotando mesmo, e bem...



-Eu... Eu... Consegui... Estou voando_ disse extasiada com a conquista.



-Bom...agora tente descer.



Hermione, um tanto insegura, encheu-se de coragem, e inclinou o corpo por um instante desceu. Nenhum dos dois pode acreditar, não seria tão difícil de fazê-la voar, porém, faltava praticar.



Hermione desceu radiante.



-Eu ainda não acredito que consegui_ ela ria e pulava eufórica.



-Não vencemos a batalha ainda, precisa muito mais que isso.



-Nossa como você me deixa animada!!!_disse totalmente frustrada, se apoiando na vassoura.



-Você precisa voar sozinha agora...



-Não sei se consigo_ refletiu, olhando para a vassoura.



-É claro que consegue, você acabou de voar, claro que com uma certa dificuldade, mas voou, e vai voar sozinha agora.



“Eu não tenho medo de altura, eu não tenho medo de altura, eu adoro lugares altos... Essa técnica de mentalização comigo não funciona!!!”



-Para de me pressionar, a hora que eu estiver pronta eu vou.



“Que perfume é esse na minha roupa... Ah! eu quase esqueci, a quase 5 minutos atrás um estava agarrada no pescoço do sonserino metido. Se eu soubesse voar não teria passado por isso... ‘AINDA BEM QUE EU NÃO SEI VOAR’ Quem disse isso? Tem vozes estranhas na minha cabeça, passando influências negativas para o meu cérebro. Estou ouvindo vozes, isso quer dizer que eu estou ficando louca? E isso quer dizer que é TUDO CULPA DO MALFOYYYYYYYY!!!!!!!!”



-Vê se não demora muito, porque enquanto fica pensando na morte do centauro, o tempo vai passando. E que fique bem claro que eu não estou te pressionando!



Hermione virou o rosto para ele.



-Se isso não é pressionar alguém, eu sinceramente não sei o que é!



Draco deu os ombros para ela, e Hermione tentou voltar à concentração...



“Respirar fundo, segurar firme, segurança nos pés, impulsioná-los...e ....voar”



A garota já estava no ar. Conseguiu se equilibrar perfeitamente e agora até sentia-se um tanto segura.



“Bem, estamos indo bem até agora...vou tentar um pouco mais alto!”



E foi, começou aos poucos ganhar as alturas, e quando se deu por conta estava a vários pés do chão, o medo foi desaparecendo os poucos, e percebeu nisso como podia sentir-se livre no céu, a sensação de liberdade que há muito tempo não desfrutava.



-GRANGERRRRRRRR!!!!!_gritou ele impaciente.



Um grito daqueles a fez, despertar da alegria em que se encontrava. Desceu para ver o que o idiota queria dessa vez.



-O que foi agora?_disse ela a uma certa altura do chão sem descer da vassoura.



-Não querendo desmanchar esse seu momento de diversão, mas quantas horas você pretendia ficar lá em cima hein?



-Olha, eu estava me acostumando à vassoura, ao vento, a ficar lá em cima...e...



-E...... com isso você esquece que precisamos treinar. É necessário muito mais do que saber dar uma voltinhas lá em cima para vencer essa competição, agora _disse ele montando na própria vassoura com uma extrema facilidade e rapidez_ vamos voar de verdade!!!



Sorriu para si mesmo, e lançou o cabelo para o lado.



“Lá vamos nós novamente...”_bufou ela.



-Preste bem atenção, vou correr de vassoura, você apenas observe, vou dar a volta naquela árvore.



“Olha só o Malfoy se achando o gostosão, corredor profissional, gostosão até que ele é, falta ver se é corredor profissional.”



Draco impulsionou os pés com força, e voou rapidamente, deixando o vento para trás, usando toda sua admirável habilidade acima do chão, voava ao mesmo tempo que dava giros, desviando até de uma borboleta que se atrevia a estar na frente dele. Draco deu a volta na árvore e voltou na mesma velocidade surpreendente que atingia.



Parando em frente da garota (que por sinal nem respirava...)



-Bom, temos algumas horas para você aprender a fazer isso.



-Você deve estar brincando né? Aliás como sempre...



-Nunca falei tão sério_ desceu da vassoura, ajeitou a roupa, que estava um tanto desgovernada.



-Não querendo desanimar, mas não existe a mínima possibilidade de aprender a fazer o que você fez em alguns dias, quem dirá horas?!!!?



-GAROTA!!!! VOCÊ É PESSIMISTA DEMAIS, MEDROSA DEMAIS, CHATA DEMAIS, INSEGURA DEMAIS E TEM SORTE DEMAIS! PORQUE PODE TER CERTEZA QUE SE EU NÃO TIVESSE SUFICIENTEMENTE EMPENHADO, EM GANHAR ESSA DROGA DE EMPREGO NO MINISTÉRIO DA MAGIA, EU NÃO ESTARIA TENDO TODA ESSA PACIÊNCIA PARA FAZER ENTRAR ALGUM TIPO DE ENSINAMENTO ÚTIL NESSA SUA CABEÇA DE VENTO. EU ESTOU TENTANDO CONTROLAR UMA VONTADE IMENSA DE TE AZARAR OU DE FUGIR DAQUI, E VOU TE FALAR ESTÁ SENDO UMA TAREFA ÁRDUA. E EM VEZ DE VOCÊ PELO MENOS COLABORAR, PARA O BEM COMUM, VOCÊ SÓ PIORA AS COISAS TOMANDO ATITUDES DIGNAS DE UMA CRIANÇA MIMADA. NÃO SEI SE VOCÊ JÁ PERCEBEU MAS TEM 17 ANOS, É PRATICAMENTE UMA PESSOA ADULTA. NÃO FALE MAIS COISAS PATÉTICAS E SEM SENTIDO COMO FICA DIZENDO. SE VOCÊ TIVESSE ALGUMA CONSIDERAÇÃO POR SI MESMA, PEGARIA ESSA VASSOURA E TENTARIA FAZER ALGO, AO INVÉS DE FICAR REPETINDO FRASES DE GENTE COVARDE COMO ESSAS QUE VOCÊ NÃO CANSA DE FALAR “EU NÃO CONSIGO”.... OU  “VOCÊ É LOUCO MALFOY”, SE NÃO QUER FAZER POR MIM, FAÇA POR SI MESMO.



Um banho de água fria. Foi essa a sensação que Hermione teve, ninguém nunca falara assim com ela, uma terrível experiência por sinal. Draco não parecia estar brincando, falou com um ar paternal repreendedor, que a fez emudecer, e em um respeito interior, não soltar nenhum palavrão.



Fez uma breve auto-análise e percebeu o quão infantil estava sendo, porque até ele era capaz de vê-la assim.



Estava se mostrando cada vez mais fraca e na realidade não era.



Até Draco conseguia demonstrar uma atitude mais madura que ela.



Antes que ele proferisse mais alguma palavra como as outras, que tinham sido arremessadas como adagas no peito de Hermione, ela segurou a vassoura na mão, montou seguramente, e voou com garra.



A velocidade atingida, foi satisfatoriamente grande, e que foi capaz de deixar Draco, um tanto surpreso, quando Hermione virou a volta na árvore, retornou até o lugar de partida, onde estava Draco, parou e desceu da vassoura, não tão habilmente como ele, mas de certa forma melhor do que o esperado.



Não existiam palavras para definir a surpresa de Draco, ele não esperava isso dela. Agora ele sentia o ânimo voltar, porque tinham uma chance de ganhar...



-Eu tenho cara de palhaço Granger?_ falou esbravejando_ você quis me fazer de idiota?_agora ele abrira um pequeno sorriso de vencedor, e colocou a mão no ombro dela_ porque disse que não sabia voar?



-Conhece aquela historinha da “Sorte de Principiante”? Como eu me saí?



-Bom_ ele fechou a cara_ temos uma grande chance, se você fizer isso que acabou de fazer...



-Ótimo_ interrompeu ela_ vamos treinar!



Os dois sorriram e se olharam, agora parecia que havia um início de uma parceria. Se daria certo e quanto tempo duraria, era difícil de prever, se tratando de pessoas tão antagônicas, era tudo um enigma.



Os sorrisos trocados eram cessados logo, os olhares duravam alguns segundos, mas quando percebiam esse ripo de “contato perigoso”, logo quebravam a corrente, porque sabiam que dentro de cada um brotava um sentimento de culpa, e arrependimento terrível, entretanto ao mesmo tempo o desejo incontrolável de mais uma vez fixar os olhos no do outro.



Algo estava acontecendo entre os dois, mas nada faria com que Draco aceitasse que estava com o coração entregue, e muito menos existia alguma coisa que fizesse Hermione admitir que era impossível lutar. Convencê-los de que se sentiam atraídos, era um coisa que só poderia ser feita por eles mesmos.



Treinaram, e as ofensas não passavam de meras provocações que não eram levadas em conta (pelo menos não tão seriamente!).



Hermione havia aprendido num instante e Draco realmente ficara surpreso, sabia que ela voava bem e que agora tinham chance real de ganhar.



Ao final de treino Hermione suava, e o garoto apenas tinha as têmporas úmidas.



-Precisamos voltar...já está tarde...



-Mas já? Agora que eu estava gostando de voar. Tenho que confessar, é apaixonante, se eu soubesse que era algo tão bom, teria começado a praticar antes...



-Me admira, alguém que goste tanto de aprender, ter uma LIMITAÇÃO tão grande, numa coisa tão fácil...



-Todos temos limitações Malfoy. Mas pelo jeito para você eu sou um ser impecável! Todos falhamos, apesar de ter gente que acha que é mesmo invencível_ disse ela entregando a vassoura a ele, enquanto ele abria a porta do vestiário.



Draco entrou sozinho e encostou as vassouras na parede, enquanto Hermione esperava do lado de fora.



-Vou fingir_ disse ele tirando o pó da roupa_ que esse indireta não foi pra mim...



Hermione prendeu a respiração, enquanto os dois caminhavam para fora do campo. Como ele sabia? Bem, era de imaginar mesmo que a carapuça lhe serviria perfeitamente...Ou era ela que começara a ser previsível demais?



-O gato comeu sua língua Granger? Que eu saiba aquele seu animal fedorento e peludo não está por aqui...como é o nome mesmo? Bichera...não Bexiga? Não, como é mesmo?



-Eu...eu, não estava me referindo a você..._disse ela sem escutar as provocações de Draco.



-É claro que estava Granger, você me qualifica como alguém que tem certeza que é infalível, acha que eu penso que sei tudo. Sinto lhe informar mas está errada, conhece pouco seus inimigos, e isso é um ponto a menos  pra você. Por mais que eu seja do meu jeito confiante “eu”, me conheço muito bem, a ponto de saber que sou mortal.



Hermione mais uma vez muda.



-Porque está surpresa, não pensou que eu fosse o SUPERMAN ? É assim que vocês do mundo trouxa falam né? Espero não ter decepcionado você_ disse rindo calmamente, virando o riso para um riso sarcástico de repente_ eu sou bonito como ele, mas não tão poderoso...pelo menos, não por enquanto...



-Não pensei que você fosse levar para o lado pessoal..._ “é lógico que eu pensei”_é que às vezes você se acha tão dono de si, tem uma autoestima surreal, que passa a impressão de que pensa ser um semi-deus, e que nunca erra. Bem duvido muito que seja apenas impressão minha, pois eu nunca vi você admitir um erro...



-Isso te incomoda?_rebateu ele.



-De maneira nenhuma, porque eu ligaria para o que você “pensa ser”, se eu sei o que você é de verdade...



-Então o que eu sou de verdade?



Hermione muda de novo.



-Porque a indireta que você deu deixou a impressão de que você quer me corrigir, ou melhor corrigir o meu jeito de ser. É que deve ser a força do hábito, você adora fazer isso não é Granger?



-Corrigir?



-Na mosca...



-Claro que não, eu apenas auxilio as pessoas, para que não errem da próxima vez que forem fazer algo e...



-E isso não é corrigir Granger? Sejamos honestos você sempre faz isso....pensa que é a dona da verdade...você também se acha infalível...



-Como sabe que eu costumo corrigir as pessoas? Você anda me observando?



Foi a vez de Draco emudecer.



-Não seja patética, você detesta erros, é a senhorita politicamente correta de Hogwarts, e grande e número 1 das CDF´s. Se você esqueceu, participei de centenas de aulas com a Grifinória, e qualquer um pode observar como você implica com os seus amiguinhos cabeçudos.



-EU SÓ NÃO QUERO QUE ELES TIREM 0 NAS PROVAS, gosto de ajudá-los, e tem algo de errado nisso? Querer o bem dos outros?



-Nada de mais, só não pense que eu sou como eles. Você não vai conseguir me dobrar tão facilmente...



-E quem disse que eu tenho a intenção de te “dobrar”. Para mim, você pode ser o que quiser, eu não ligo a mínima, não vai mudar nada, mesmo que eu consiga converter as suas idéias nas minhas, a essência continuará sendo a mesma... a de um Malfoy...



-Ainda bem que você tem plena consciência de que não vou acatar os seus conselhos.



-Porém, se nenhuma dessas baboseiras que você pensa, forem prejudiciais a equipe...



-O que você quer dizer com isso?



-Que dizer que para mim pouco importa as suas convicções pessoais, desde que nenhuma delas atrapalhe a busca pelo objetivo principal.



O lugar começava a ficar escuro, era uma mata um tanto fechada, e Hermione não estava ao lado de alguém confiável. Temia que algo acontecesse, então começou a acelerar o passo.



-Eu não vou permitir que a sua ideologia, acabe com a minha grande chance... Não mesmo.



-Porque você considera os meus pensamentos errados “senhorita dona da verdade”?



-Se eu não batesse de frente com seus pensamentos, você acha que seríamos inimigos?



-Nisso tenho que concordar... Infelizmente... Detesto seu jeito garota, simplesmente te detesto...



-Malfoy..._sorriu Hermione de uma forma totalmente debochada_ Acredite... Isso é recíproco!



Os dois falavam do ódio que sentiam um pelo outro, como se falassem sobre o que iam comer no jantar.



-Não pense que uma trégua como essa, vai mudar o que eu penso sobre você.



-O mesmo digo eu...



Cada sistema nervoso fervia, pulsava, pulava por dentro, mas qual dos dois colocaria a raiva para fora primeiro? Quem se deixaria levar pelos impulsos, e daria motivos para o outro falar mais e ter razão? Nenhum dos dois pretendia ceder ou dar a certeza para o outro de que estava certo.



“Hermione fique calma...conte até 10...10 é pouco...até 20...30...100...200...quem foi o burro que disse que contar acalma, nesse momento, atirar o Malfoy de um precipício seria algo mais tranqüilizante...”



O vento que não havia ali, começou a surgir aos poucos, como uma leve brisa, o caminho cada vez mais escuro, fazia com que os sons da mata parecessem cada vez mais altos, e assustadores.



-Lumus_ falou Hermione erguendo a varinha.



-Não vai me dizer que está com medo?



-Ora, porque eu teria medo...estando com você, em uma floresta fechada, com uma trilha que só passei uma vez, arvores altas e velhas me rodeando, todas as espécies de animais escondidos prontos para um ataque surpresa, e ainda mais no escuro...isso lá é motivo pra ter medo?



-Já estamos chegando..._disse seguro.



E de fato estavam, a floresta começava a ser menos densa, e já podiam ver as luzes do hotel. A trilha terminou e finalmente chegaram, a porta dos fundos estava ali bem na frente deles.



Hermione bateu na porta prontamente.



-Vamos ver se esse Elfo burro vem nos atender.



Uma janelinha pequena se abriu e apenas dois olhos apareceram ali.



-A senha por favor...



-Senha???_Draco esbravejou_ que droga de senha?



- Não lembra da senha que Ming falou? A gente só ia poder entrar com a senha, esqueceu cabeção?_disse Hermione dando um tapa nos cabelos louros dele.



-Eu não vi direito o que ele falou...era...eu ..eu não lembro...ABRA ESSA DROGA DE PORTA AGORA MING, somos nós!!!



-Não vai adiantar você ficar gritando...precisa lembrar da senha..._disse sorrindo..._Será mesmo que o Elfo é que é burro????_agora ela rira com vontade



-Fique quieta Granger, ao invés de atrapalhar bem que você poderia ajudar a lembrar a senha...você também estava lá...também ouviu...



-É, mas não fui eu quem tive a infeliz idéia de voltarmos pra casa sozinhos.



-Então você quer dormir aqui no relento? Porque se a gente não lembrar da senha é isso que vai acontecer...e o pior...o tempo está passando e a gente precisa estar naquele jantar...!!!!



Hermione começou a pensar...o que era a senha mesmo?



-Eu lembro que começava com T, e tinha três palavras. Mas o que eram?_disse Draco sentando na pequena escada que havia ali...



“Pense Hermione, pense...o que era...Você tem uma memória ótima...é só lembrar...”



-Acho que era Tuat.... Tuatha.... É ISSO!!! Tuatha... De Danaan..._disse eufórica _lembrei..._A SENHA É TUATHA DE DANAAN!!!



A porta se abriu, rapidamente.



-Como conseguiu lembrar?



-Bom...eu lembrei na verdade do significado da palavra... Tuatha De Danaan, são deuses que vivem no mundo subterrâneo e lá são invisíveis. Mitologia Celta.



-CDF..._murmurou Draco, um tanto mal humorado..._a hora que eu pegar aquele Elfo burro eu vou transformá-lo em sapo!!!



-Primeiro vai ter passar por cima de mim..._disse Hermione.



Os dois caminhavam por entre a cozinha, e aconteceu como na hora em que saíram, nenhum Elfo moveu a cabeça para olhá-los. Passaram despercebidos, chegaram na porta que dava para a sala. Draco espiou para ver se havia alguém ali que poderia vê-los, mas a sala estava vazia. Todos pareciam estar em seus quartos, se aprontando para o jantar de fato estavam, por sorte.



-A barra está limpa...podemos subir.



Hermione não respondeu, caminhou atrás de Draco, e depois de alguns instantes já estavam no apartamento 12.



Logo depois que entraram alguém bateu na porta.



-Quem pode ser..._disse ela vagamente...



-Se...senhorita, Ming veio pedir que a senhorita castigue Ming pelo que fez, Ming é mau, é um ser mau_o Elfo segurava da mão um bastão_ se quiser a senhorita pode fazer o que quiser com Ming, Ming tinha uma missão, e não cumpriu, Ming deixou os protegidos do amo esperando..._o Elfo entregou o bastão para Hermione e fazia sinal para que ela lhe acertasse a cabeça. Nessa hora Hermione quase chorou.



-Não Ming!!!!! Não farei nada com você..._ela o transformou em uma almofada_ a gente está aqui, conseguimos, você não falhou!!!!_sorriu ela depois.



-A senhorita é muito boa para Ming, mas Ming precisa ser castigado. E  o Elfo saiu pelos corredores dando murros na sua própria cabeça.



Hermione fechou a porta, emocionada. Não teve tempo de dizer adeus para o Elfo, ficara tão comovida com ele. Draco a essas alturas já havia tirado a camiseta que vestia, e assim se espreguiçava.



-O que você vê nesses vermes inferiores que fedem a lixo?_disse secamente.



-Há pessoas que fedem mais a lixo, que essas pobres criaturinhas desprotegidas, que só sabem servir e serem humilhados. O que eu vejo neles? Eu vejo sofrimento, mas claro que com a sua sensibilidade que se equipara a um grão de ervilha, isso seria impossível de ser detectado.



-Nossa, você toma as dores deles como se fosse a suas...quer ser a Granger “A grande protetora do elfos domésticos”, me poupe..._debochou.



-Defendo, e defenderia mais se pudesse, de pessoas como você, tiranos sem coração, sem escrúpulos, exploradores, e pode ter certeza que o que eu puder fazer para torná-los livres eu farei, mesmo que isso te incomode eu...



Hermione que estava de costas para ele se virou e vislumbrou a escultura. O que era aquilo? Será que era feito de cera?... Não, era humano, não...definitivamente não podia ser humano...era perfeito demais... Draco era atlético, mas na medida certa. Hermione só conseguiu engolir a seco e fingir que ele não estava ali. Mas como fazer isso???? Era muito complicado olhar para aquele deus grego, e segurar a incrível vontade de estar em seus braços.



-Continue Granger...



-E....eu ...já...já...disse o que queria dizer_ os olhos dela paralisados sobre ele...a garota saiu rapidamente dali, tropeçando nos pés e quase caindo.



-Cuidado..._Draco sorriu, sabia que ele tinha visto o seu belo corpo, e era por isso que agira daquela forma, e portanto havia ganhado a discussão, porque ele parara de falar.



“Golpe baixo, foi golpe baixo... Ele tira a camiseta e acha que eu não vou olhar? Mas é claro que esses olhos estúpidos, precisam colar no belo tórax, nos braço cobertos por músculos, e no abdomem incrivelmente definido. Ele sabia que eu ia fazer isso e eu não fui forte o suficiente para me controlar, não olhar, e continuar com o diálogo... Eu precisava fugir????? E ainda por cima tropeçar???? É, claro eu sempre esqueço que eu sou a palhaça do destino, e quanto mais micos eu pagar mais eu vou divertir o SENHOR MERLIN!!!!!!!!”



Tirou a roupa dentro do closet, e jogou no chão, escutou o barulho do chuveiro, e claro Draco novamente ia tomar banho primeiro, porém se ela tivesse que tomar banho da água fria novamente, ela deceparia a cabeça dele.



Olhou para as roupas apertadas no closet, e suspirou, viu a mala da Gina!!!A MALA DA GINA!



-Gina!!!!!! Não acredito!!! Não escrevi para ela, estou morta, com certeza ela vai me matar...Abriu a porta do closet rapidamente, saiu dali semi nua...., olhou para o chão ...e ali estavam várias cartas.



Fechou os olhos e os contraiu, como os olhos de alguém que leva bronca, e fez uma cara de desânimo, tinha plena consciência que Gina estaria nervosa com ela, não tinha coragem de pegar os papéis do chão.



As cartas estavam ali, as suas e as do Malfoy. E essa parecia ser a parte interessante: saber quem afinal tinha escrito pra ele.



“Deixe-me ver, carta da Gina...(como se eu não soubesse), carta... olha até os garotos me escreveram...meu profeta diário... o profeta diário dele... carta da Pansy Parkinson.....CARTA DA PANSY PARKINSON?...Não acredito aquela filhote de Gorila sabe escrever!!! Que mais, uma carta...sem remetente...hummm, curioso...mas não é pra mim...o nosso dever de casa...Droga...não é que Dumbledore mandou mesmo...?



Aquela carta sem remetente chamou a atenção dela...mas não tinha como saber de quem era, então tentou deixar pra lá...e não pensar mais naquilo “deve ser mais alguma das milhões de fãs desse sapo nojento”.



Hermione deixou as cartas do Malfoy sobre a cama dele e foi ler as suas primeiro, pegou a dos garotos primeiro...



 



                                   Mione querida,



 



            Queremos saber como você está aí, o que anda fazendo...e porque até agora não nos escreveu...!!!???



            Estamos com muita saudade e torcendo por você o tempo todo, essa competição está dando o que falar. Bom eu e o Rony estamos muito curiosos para saber porque você estava de braço dado com aquele verme, no jantar de confraternização. O Rony quase teve um ataque cardíaco quando viu aquilo, e já jurou ele de morte, espero que esteja tudo bem, e espero que ele não tenha colocado nenhum feitiço “Impérius” em você, porque nesse caso, sou eu quem faria picadinho dele! Vamos ficando por aqui, eu e o Rony temos aula agora com o “Gorduroso”...Nos escreva...



            Beijos dos amigos Harry e Rony.



 



“Calma Hermione, o que está acontecendo aqui? É o que eu estou pensando? Se for....bom...aí não sei o que pode acontecer com Rita Skeeter, só tenho certeza de que vão demorar para encontrar o corpo dela...ah! isso vão!!!!!!!!!



Hermione agora um tanto tensa abriu a carta de Gina.



 



                        Querida amiga,



 



Olá, antes de pedir como você está, acho melhor eu pedir que fique calma, sei que você leu a carta dos meninos primeiro, e deixou a minha pra depois. Bom, acho melhor eu começar por partes, não sei se você viu a matéria no profeta diário, se viu deve estar falando uma série de palavras feias, e bufando de raiva.... Se você não viu, é melhor que fique calma antes de tudo para não fazer nenhuma besteira... (recomendo que sente antes de ler).



Mione, não exijo respostas do que aconteceu, mas adoraria se me contasse o que houve...e desmentindo se algo daquilo for mentira...



Como está tudo aí? Como está se virando com tudo? Aqui estamos todos bem, tirando o Rony que quase teve um desmaio ontem, depois que leu aquilo... Enfurecido deu um murro na parede e quebrou o dedo mindinho...nada de tão grave que Madame Pomfrey não possa consertar.



Está tendo muitas discussões com o Malfoy? Acho que não precisa nem responder né?



Você já se deu ao trabalho de abrir a maleta que eu mandei? Se eu bem conheço ainda não...Bom...acho melhor você abrir, depois eu te explico em outra carta...



Como está sendo passar o tempo com o gato loiro? Ta bom, ta bom....não se enfureça foi só uma brincadeirinha...



Bom não tenho muitas novidades...acho que está tudo normal, do mesmo jeito que estava quando você saiu.



Estamos com muitas saudades...responda logo hein, do contrário vou ficar muito brava com você!!!



Beijos da sua amiga Gina.



 



 



Não é preciso descrever como Hermione ficou com uma notícia daquelas, a raiva tomou conta de seu corpo, e não sabia onde descarregá-la. Furiosa, muito furiosa! Ao mesmo tempo tinha medo, medo de ler a matéria que ela havia escrito. Largou as cartas sobre a cama, e pegou o Profeta Diário. Não tinha coragem para abri-lo...mas mesmo assim fechou os olhos e contraiu-os, com grande pavor... Desenrolou o jornal, e abriu os olhos com cuidado...era a matéria de capa... se não estivesse sentada na cama, com certeza levaria um tombo... A sua foto e a de Malfoy naquele momento fatídico, do qual queria esquecer estava, por ironia do destino, estampado na capa do jornal mais lido pelo mundo bruxo!



 



 



5º CAPÍTULO



 



 



“O célebre e famoso Campeonato de Whiteville, está na sua VII edição. Depois de tantos anos, a cidade de Whiteville pode novamente dar boas vindas, as mais brilhantes cabecinhas do mundo bruxo. A competição dessa vez organizada pelo Senhor Agilbert Montevilla, um dos mais respeitados nomes do mundo bruxo, apesar de haver comentários de que por algum tempo Agilbert, teria tido contato com um grupo secreto, que tentava reerguer Lord Voldemort. Os murmúrios não pareceram afetar o renomado bruxo, descendente de uma das famílias de sangue puro, pois desmentiu os boatos sem aparente preocupação, alegando estar em uma operação de infiltração, por designação do ministro da magia. Dessa vez os competidores, que vem de escolas de bruxaria de várias partes do mundo, estão hospedados no hotel da cidadezinha cujo nome é “Canto da Fênix”, desde a última sexta-feira. Eu que estive participando do jantar de confraternização, pude observar as carinhas inseguras e ao mesmo tempo destemidas dos competidores esse ano, porém o mais poderá chamar a atenção, além da sobrinha do ministro da magia, que participa esse ano da competição, são os notáveis representantes da escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Desta vez surpreendentemente, Alvo Dumbledore, resolveu testar a capacidade de outro aluno, e não mandou para a competição Harry Potter. Ainda não entendemos o intuito do diretor, mas é estranha essa decisão, já que desde que entrou na escola o garoto-que-sobreviveu tem sido motivo de “orgulho” e heroísmo infantil. Qual será a intenção de Dumbledore? será que ele pensa que a competição é difícil demais, e não quis expor seu aluno preferido? Ou será que está subestimando as forças de Harry Potter, considerando-o incapaz de participar e ter êxito?



O representante eleito é o herdeiro dos Malfoy, Draco Malfoy, o garoto da Sonserina, filho de Lúcios, que habita hoje em dia a prisão de Azkaban. Porém, o mais intrigante ainda é a outra representante mandada por Alvo, Hermione Granger. Decisão surpreendente, sendo que a garota passa por um momento um tanto turbulento em sua vida, como ela mesmo me revelou em uma entrevista. Mostrou-se nervosa, com a minha presença, e teve um breve ataque de histerismo. Isso é um tanto perigoso, pois a garota já não possui muito controle sobre suas emoções, e talvez possa colocar em risco o resto dos competidores.



Talvez a seqüela tenha nome, a pobre garota é filha de trouxas, e amiga íntima de Harry Potter, coincidência? Bom, isso é um enigma, sendo que por algum tempo houve comentários de que ela e Harry tinham relacionamento além da amizade. O pior é que foi na mesma época que o Torneio Tribruxo aconteceu, e que nele a garota problemática apareceu no baile, como par de, nada mais nada menos, que o jovem jogador mais famoso e bonito de sua geração: Vítor Krum. A garota que saia com Harry Potter, depois com Vítor Krum, não se contenta em se envolver com bruxos anônimos, ela possui uma fascinação, por aparecer, e estar na mídia, por causa de suas aventuras amorosas ilustres. Pelo jeito agora a mocinha não descansou, depois dos seus dois namoros polêmicos, ela está tentado se aproximar de alguém um tanto diferente, o seu companheiro de equipe Draco Malfoy. Os Malfoy são de sangue puro, e pelo que sabemos dão valor a isso, então será que Draco Malfoy vai mesmo dar uma chance para a garota prejudicada emocionalmente e filha de trouxas? O que seu pai mesmo preso em Azkaban vai dizer quando souber disso?



Só podemos vê-la como uma caçadora de bruxos cobiçados, ou como apenas uma garota infantil sedenta de atenção? Sabemos que Draco é um dos bruxinhos mais bonitos e ricos da escola de Hogwarts, um bom partido para ela (que provavelmente não terá mais sorte como a que teve algum tempo atrás) a garota problemática me revelou em um conversa íntima, que sabe que não é tão bonita e nem tão interessante, e está desesperada para encontrar algum namorado que a ature, e acha que não tem mais oportunidades, está praticamente encalhada. Agora é aguardar para ver, quando os dois pombinhos assumirão o namoro em público, é o que todos os meus leitores ávidos desejam ver. Mas com certeza quando isso acontecer Rita Skeeter será a primeira a publicar a matéria.”



 



Hermione não conseguia acreditar no que acabara de ler, escutou a porta do banheiro abrir e correu para o closet, ainda segurando o maldito jornal entre os dedos.



“Skeeter, vou te amaldiçoar, eu vou enfiar aquela sua pena de repetição rápida, onde você menos imagina!!! Hogwarts deve estar rindo de mim, o mundo bruxo inteiro deve estar rindo de mim, tudo por causa de você, anomalia da natureza!!!”



Hermione vestiu um roupão rapidamente e saiu do closet, Draco com todo o seu físico a mostra, apenas com uma toalha amarrada na cintura, e com outra em suas mãos enxugava os cabelos.



-Qual o motivo do histerismo dessa vez?



-Histerismo???? Você ainda não viu nada, dá uma olhadinha na linda matéria que Rita Doida Skeeter escreveu_ Draco pegou o jornal que ela tinha na mão, e jogou a toalha que segurava na cama, e voltou a atenção para a matéria.



Olhou, leu com calma, enquanto Hermione esperava a hora que ele ia gritar. Mas ele acabou de ler e isso não aconteceu.



Olhando para ela com calma, entregou o jornal, e pegou a toalha que tinha jogado na cama, sua expressão facial parecia não ter mudado muito.



-Você não pensava que depois de ontem, ela ia nos deixar impune, pensou?



-Não está surpreso? Não vai gritar? Não vai rasgar o jornal? Não vai explodir?_disse ela tremendo, e alterando o tom de voz.



-Isso eu deixo pra você fazer_ terminou ele serenamente.



-Não entendo a sua atitude Malfoy, não entendo mesmo!!!!!!!!!!_ Hermione estava pasma.



-Se é uma coisa que eu aprendi Granger, é dar o troco na hora certa e da maneira certa, e acho que seria bom que você, também aprendesse esse tipo de coisa, se você fizer um escândalo, no mínimo vão te chamar de louca, doente mental, desequilibrada. Como aliás ela já insinuou que você é. Se você tomar uma atitude precipitada, só vai fazer com que todos confirmem o que ela escreveu!



Hermione sentou na própria cama, e colocou uma mecha de cabelo atrás da orelha.



-Pode ser que você tenha razão... mas ela vai me pagar...isso vai!!!



-Confie em mim, sei do que estou falando..._Draco riu alto e ela se irritou, mas foi para o banho, depois que tinha entrado no banheiro e se despido, o garoto gritou de fora do banheiro_ a vingança a gente guarda na geladeira...



-Não vai reclamar da água fria de novo hein!_ disse Draco provocando-a.



-O QUEEEEEEEEEEEEEEEEEE?????????_gritou desesperada do banheiro.



-Eu to brincando, senhorita invocada. Agora nosso destino está em jogo nessa competição, você acha que eu seria burro, a ponto de fazer você ficar doente...de novo?



-Eu não duvido de nenhuma atitude que você possa fazer!!!



Draco continuou a gargalhar alto.



Hermione ligou o chuveiro, e se calou, estava cansada até para discutir, só deixou que a água morna escorresse pelo seu corpo. Fechou os olhos e começou a lembrar das voltas de vassoura, do momento da queda e isso fez com que arregalásse os olhos, acordando do transe.



Cheirou o braço, confirmando as suspeitas: o perfume dele estava ali fixado na sua pele, friccionou rápido com a espoja esperando que saísse dela, o mais rápido possível, e se livra-se da essência de Malfoy.



“Droga esse perfume que ele usa, deve ser diluído em cola, porque não quer sair de jeito nenhum, aposto que ele toma banho disso, porque toda vez que sai do quarto, impregna o ambiente com esse aroma, e faz com que eu fiquei o tempo inteiro lembrando dele... Droga!!! Isso não quer sair! Vai ver que é porque eu estou com o cheiro dele na minha cabeça, a e mesmo que eu gaste o braço de tanto lavar, eu nunca vou poder eliminar isso da minha corrente sanguínea...Não isso é um pesadelo e não pode estar acontecendo!!!!”



Saiu do quarto, irritada, e pra variar Draco não estava ali, mas o seu perfume estava. As cartas dele também não estavam lá...



Hermione notou que a carta de Pansy estava no lixo, quando caminhava pelo quarto. Hermione riu, satisfeita, mas logo parou por perceber a consideração que Draco tinha pela garota da sonserina, e se pôs no lugar dela.



Por mais que ela fosse do jeito que fosse, ela gostava de Draco e ninguém deveria sofrer por amor, ninguém deveria ser humilhado, por gostar de alguém.



Era injusto, ele se aproveitava de Pansy quando queria, mas não demonstrava nenhuma pitada de sentimento, por ela e isso fez Hermione sentir um pouco pena dela.



Foi até no lixo, e retirou a carta de Pansy, nem ao menos havia sido aberta, estava rasgada, Draco não havia nem aberto. Hermione tinha vontade de ler, mas achou melhor não fazer isso, a garota já tinha sido bastante humilhada, o que pensaria ela se soubesse que Hermione leu? Sua ética interior não permitiu que fizesse isso.



Respirou fundo, e foi até o closet, mais calma que antes, vestiu um camisete de manga longa preto, e um jeans, calçou uma bota e prendeu o cabelo que agora estava extremamente cacheado, com uma presilha, passou uma maquiagem leve, no rosto, e decidiu que tinha algo muito importante a fazer. Responder a carta de Gina, e dos garotos.



 



                                   Querida amiga Gina



 



            Você vai ser professora de adivinhação um dia.Como sabia que eu ia abrir a sua carta depois? As vezes você me dá arrepios...hehehe



            Bom, pode me chamar de amiga desnaturada, eu mereço esse título. Não vou mentir a você (mesmo porque não adianta), eu pude te escrever antes, tive tempo pra isso, mas infelizmente tive que usá-lo para curar minhas dores de cabeça e ofender o Malfoy de todos os nomes mais feios possíveis.



            Você já deve imaginar como eu estou me sentindo aqui. Sem dúvida, chego a conclusão de que o inferno é mais agradável do que essa estadia com ele.



            O hotel é uma gracinha, tenho certeza de que você iria adorá-lo, e essa, até agora é uma das únicas vantagens que consegui computar!



            Bom, estou dormindo no mesmo quarto que Malfoy. Gina, eu não conseguia dividir a mesma escola com ele...como você acha que eu estou conseguindo dividir um quarto com ele???



            Deixa eu contar tudo, começando pelo Malfoy, o principio de toda a minha dor de cabeça e dos meus prováveis ataques de histerismos. Tenho certeza que o objetivo principal da vida dele é me fazer passar umas longas férias no St. Mungos. Fora isso ainda tive que dar uma jeito em uma gripe que peguei graças a um banho gelado, pois “Alguém” acabou com a água quente do chuveiro. Agora estou estou bem, ele fez um chá pra mim. Fiquei surpresa, quando fez aquilo pensei que estivesse tentando me envenenar, mas fui mais esperta e fiz ele trocar o chá dele comigo e surpreendentemente o líquido não estava envenenado.



            Pensando bem, ainda isso é o de menos, perto de todos os incômodos que estão por vir.



            Meu guarda-roupa é minúsculo, tive que equilibrar minhas coisas em meio metro quadrado, quanto aquele ser ficou com uma espaço que dá pra organizar uma manada de elefantes.



            Para piorar o jantar de confraternização foi um desastre para mim, tive uma recepção de nada mais nada menos que Rita Skeeter, aquela barata cascuda. Por Merlim Gina, tive vontade de socar a cara dela, Rita me provocou seriamente, e eu me controlei para não fazer uma besteira.



            Para completar o time “NÓS VAMOS ACABAR COM HERMIONE GRANGER”, faltou a componente principal, Núbia, a sobrinha do ministro da magia, ela é ridícula, se acha a “popular”, mas que na verdade é uma garota mimada e arrogante. Adivinha de quem ela ficou amiguinha? Acertou quem disse Oxigenado!!! Ela e o Malfoy juntos conseguem provocar uma náusea incontrolável.



            Fora essa parte, aconteceram algumas coisas relativamente boas. Dumbledore apareceu por aqui no dia do jantar de abertura, e sentou conosco a mesa, a presença dele foi como se eu tivesse um pouquinho de Hogwarts aqui.



            Conheci um garoto muito legal chamado Bryan Scott. Além disso, descobri que o prêmio dessa competição é um emprego no ministério da magia, e uma viagem para qualquer parte do mundo, não é maravilhoso? Uma oportunidade única na minha vida.



            Claro que eu poderia estar mais animada, se não fosse pelo simples fato de que para conseguir ganhar o prêmio eu preciso vencer!!! E essa droga não é um campeonato individual.



            Você como uma garota esperta deve imaginar, que eu faço parte de uma equipe, e que essa equipe é o MALFOY!!! Significa portanto que, para ganhar é necessário que sejamos uma equipe. É necessário que nasça um “espírito de equipe”. Agora, me diz aonde eu encontro um desses pra comprar?????? Porque é mais fácil Voldemort adotar o Harry, do que um “espírito de equipe”, nascer dentro do meu coraçãozinho, e principalmente dentro da pedrinha gelada que bombeia o sangue dele!!!!!!! (veja, não muitos pontos de exclamação que representam toda a minha raiva).



            Bem não importa, isso não é o pior. A coisa mais intrigante do mundo aconteceu na madrugada de ontem, o inacreditável, o impossível, o incabível!!! Malfoy me acordou as 2 da manhã, para me propor uma parceria, para tentarmos ganhar a competição! Dá pra entender???? E com isso ele quer uma trégua!!! Agora me explica como que isso vai acontecer? Bem, eu nem imagino onde que eu estava com a cabeça quando aceite a proposta dele!!! É GINA eu aceitei... me diz...será que eu estou ficando louca???? Será que eu estou sobre a magia Impérius?



            Hoje a foi o sorteio da prova de amanhã... vai ser CORIDA DE VASSOURAS. Bom, você lembra como eu não gosto muito de voar não é mesmo? Quanto mais ter que correr com uma vassoura.



            A gente fez uma coisa ilegal, quebramos regras! Nós treinamos Gina, ele me ensinou a correr de vassoura. Malfoy foi meu professor, um péssimo professor claro, asqueroso, nojento, sarcástico... (que raiva!)



            A prova é amanhã, e seja o que Merlim quiser!!! Só espero que não aconteça um vexame muito grande, e asssim, aumentar a coleção dos meus fracassos.



            Bem, acho que é melhor eu parar de escrever, porque se não a coitadinha da Coruja não vai conseguir carregar esse longo pergaminho.



            Mas me diz como está o Bichento??? Ele ta sentindo minha falta????



            Acho que não vou escrever para os garotos, essa noite será longa. Acho melhor você dar as notícias para eles. Diz que eu mandei um beijo para os dois e estou morrendo de saudades de todos. Gina só te peço para não falar nada sobre o que está acontecendo realmente aqui. Você sabe camuflar as notícias não sabe??? Claro que sim, então faz isso por mim e não deixa o Harry e o Rony ficarem preocupados!!!! Qualquer novidade me escreva!!!



Muitos beijos obrigada por tudo amiga...



            Até mais.... Hermione G.”



 



 



Hermione terminou de escrever, pegou o pergaminho, e saiu do quarto, caminhou normalmente até o corujal, que ficava numa escadaria, depois dos quartos, por sorte no mesmo andar que ela estava, o único problema, é que teve que descer e pedir para a secretária Meredith, onde que ficava o corujal, porque naquele momento não avistou ninguém que poderia lhe fornecer essa informação.



A mesa já estava posta, e ela se apressou para terminar logo com aquilo.



Depois de subir todas aquelas escadas, estava um tanto cansada, mas já se recompôs, ao ver que Bryan estava lá.



- Olá..._disse ela olhando para ele que estava perto de uma janela.



-Hermione...



-Como sabia que era eu?_ perguntou surpresa, pois com a pouca iluminação ele não poderia conhecê-la tão facilmente.



-Conheci pela voz_ disse ele se virando para ela com um sorriso.



A garota sorriu levemente, mas ainda estava mau humorada pela matéria no jornal.



-Você está bem?_ Bryan perguntou, notando que o sorriso dela, não era intenso.



-Eu, eu estou...._ disse mas não o convenceu.



-Me desculpe, mas você está assim por causa do jornal não é?



-Como você sabe???_ Hermione ficou trêmula por um momento, não esperava que ele já tivesse lido, a essas alturas todos já deviam ter lido...era terrível.



-Todos nós recebemos o Profeta Diário, e não querendo piorar a sua situação, mas acho que todos aqui já leram...Hermione sinto muito pelo que aconteceu.



-Sabe, não é a primeira vez que isso acontece, Rita Skeeter, adora fazer matérias desse teor, referentes a mim, Rony e Harry...



-Posso te fazer uma pergunta?



-Claro...



-Harry...Harry Potter...você o conhece mesmo?



-Somos amigos desde o primeiro ano já enfrentamos muitas coisas juntos.



-E ele é tudo isso que dizem mesmo?



-Como assim?_perguntou ela tentando esclarecer a direção da pergunta.



-Bem, pelo que a gente lê sobre ele, ele faz coisas incríveis... além de estar sempre em evidência pelos seus feitos, ele já teve algo que não pediu...(Bryan se referiu ao episódio quando Harry era bebê)...



-Harry é um garoto normal_ Hermione pensou se teria empregado a palavra correta...Harry não era normal na verdade, era alguém muito além da normalidade. Era um garoto formidável_Bem, na verdade, nem sempre ele é tão normal, tem muitos lados dele que são especiais, tem uma coragem incrível, um senso de justiça, e uma força interior que não vi em mais ninguém, não conheci até hoje alguém com mais virtudes que ele. Somos um trio, eu ele e meu outro melhor amigo Rony. Mas nós três nos completamos, cada um tem um jeito pessoal que inspira os outros, que ajuda e faz tudo acontecer. Acho que não imagino minha vida sem aqueles dois..._suspirou ela com um ar de saudade.



-Entendo_ disse Bryan escutando atento..._e...e são apenas amigos?



Aquela era uma pergunta que Hermione não precisou pensar para responder.



-Não, somos irmãos!_ ela riu agora.



-Bom acho que meu estômago está dizendo que está ficando tarde, eu vou descer...ou melhor...você quer que eu te espere?



-Não não é necessário, a gente se encontra lá em baixo



-Tudo bem então...até depois...



-Até.



Bryan a deixou sozinha.



Hermione, se dirigiu ao lugar onde estava uma das muitas corujas ali presentes, deu as coordenadas, e amarrou o pergaminho na sua perna. A ave obediente, saiu pela janela, voando serenamente, e Hermione caminhou até o parapeito da janela, e a observou distraída.



-O Potter....normal?????? De onde tirou essa idéia?



Draco havia entrado no lugar, mas parecia ter escutado perfeitamente a conversa.



-De onde você surge??? Está sempre no lugar que eu menos espero para me assustar e claro, sempre rastejando por aí e escutando as conversas alheias...



-As suas conversas em especial..._ Estupendo! A palavra que definia o sonserino. Hermione ainda não tinha o visto depois do banho. Ele estava indescritivelmente perfeito, vestia uma calça jean azul escura e uma baby look vermelha, que delineava perfeitamente seu corpo. O cabelo quase seco, e jogado para trás, não caia como sempre em sua face. Mas estava prestes a sair do lugar. Perder a concentração era inevitável, e para manter a mente perfeitamente funcionando, era necessário fechar os olhos, e canalizar todas as suas forças para a organização dos argumentos, e evitar ao máximo cruzar o olhar com o dele.



-Sabia que isso é falta de educação extrema? Mas eu sempre esqueço, você não tem educação nenhuma_ Hermione falou enquanto prendia o pergaminho na coruja.



-Olha, as vezes é necessário que eu  “supervisione” esses papinhos que você tem, para que evite falar coisas erradas, mesmo que for para esse trouxa. Mentiras como a que disse antes... A verdade é que Potter é uma anomalia...



-Bom...._Hermione soltou um sorriso ameaçador..._ que o Harry seja anormal...



-Eu sabia que depois de um momento você ia concordar com o que eu disse.



-...e que você seja normal então..._ continuou Hermione.



-Nossa Granger, você está começando a ficar espertinha, é isso que faz quando se convive com alguém que pensa de forma esperta.



-Veja, não terminei, ele anormal, consegue mais feitos que você que diz ser normal... Então, sinto lhe informar _disse ela batendo de leve no ombro dele_, mas você está em extrema desvantagem... Que vergonha hein?_ depois disso ela levantou as sobrancelhas, com sarcasmo...e depois piscou pra ele.



-Agora se me dá licença eu preciso jantar, você não quer que eu esteja fraca para amanhã quer?_ Draco ficou sem voz.



Hermione saiu dali rapidamente, antes que gritasse. Caminhou como um raio, desceu as escadas como um furacão, quase esqueceu o que havia lido no jornal por um instante. Depois daquela terrível humilhação que ela tinha feito, não estava se sentindo bem, com a própria atitude, uma vez que sabia que foi Draco que começou a provocação, e na verdade ela tinha dado o que ele mereciam tentou esquecer o episódio, porque sabia que o jantar não cairia bem se ficasse pensando.



-Vocês viram que idiota? Ri tanto depois que li, coitadinha dela... quer chamar atenção_ Núbia riu de escárnio_ tenho que dar o braço a torcer, Rita Skeeter, escreve matérias melhores a cada dia, extremamente hilária..._ ela falava com um grupo de garotos que estava ali, e parecia ser a coisa mais divertida do mundo rir da palhaça Hermione Granger.



Núbia estava virada de costas fingindo não perceber a presença de Hermione, que claro...bufava de raiva atrás dela, e tentava a todo custo unir forças para manter o seu auto controle, e não cometer um crime.



Hermione foi direto para a mesa, sentou na cadeira e esperou o jantar calada, percebia vários olhares sobre ela, e cochichos, algo que a incomodava profundamente, e que fazia cada vez mais ter sede de vingança.



“Depois desse maldito jantar, quero ir para aquele quarto e dormir, dormir, dormir, até amanhã cedo, esquecer que estou nesse lugar pelo menos até amanhã. Eu tenho certeza absoluta que se eu ficar aqui eu vou estapear o rostinho horrível dessa garota...”



Draco desceu alguns minutos depois, e sentou ao lado dela, mas a sua presença não foi notada, estava distraída demais. Foi aí que ele tocou no braço dela.



-Poderia me passar o sal?_ disse educadamente.



-HÃN?? Sal?_ disse olhando para ele como se olhasse através, seu braço foi até o saleiro, e pegou, mas na verdade não tinha plena noção do que estava fazendo, passou para ele rapidamente, ainda com os olhos meio estáticos.



-Não vai comer Granger?



-Comer???_pediu mais uma vez, desatenta_ cl...claro que eu vou comer..._mas ela não vazia menção de por comida nenhuma no prato.



Draco olhou para ela limpou a boca no guardanapo, e depois olhou para ela de frente.



-O que está acontecendo Granger? Você está mais estranha que o normal!



-Nã...não devo satisfações a você...já cansei de ouvir isso você já não cansou de escutar????



-Somos uma equipe agora, se você virou um zumbi é problema meu, se você tem algum tipo de problema que possa interferir no seu desempenho, é problema meu, e se você come também é problema meu!!! Como eu acho que nenhuma das duas primeiras alternativas eu posso resolver, vamos para a que eu posso resolver... _ disse ele enchendo o prato dela de comida_ vamos Granger você é meio crescidinha pra fazer greve de fome...COMA...



-Você não manda em mim!!!_bradou revoltada, cruzando os braços.



-Não discuta comigo... se quiser me azarar, me amaldiçoar, me transformar em uma lagartixa, faça isso depois, agora coma... ou será que eu vou ter que fazer tudo o que está no seu prato descer pelas suas orelhas?



Hermione ficou quieta por um segundo, e retomou a posição nervosa.



-Eu vou comer_ disse pegando o seu garfo, da mão dele estupidamente_ mas não pense que é porque você mandou, eu sei o que é bom pra mim, não preciso que me diga o que eu tenho que fazer.



Draco deu os ombros, ela tinha concordado em comer então não discutiria mais.



Núbia sentada do outro lado da mesa fazia gracinhas para Draco, e esse retribuía sem muita discrição.



-Porque não vai lá sentar do lado dela? Assim você faz a “equipe” passar menos vergonha.



Draco parou de acenar para ela, bebericou o líquido no seu copo, limpou a garganta, se preparando para falar, e olhou para Hermione.



-O que o ciúmes faz com as pessoas né Granger?



Hermione ficou surpresa com a colocação dele, mas manteve a posição defensiva.



-EUU? Com ciúmes de você??? Seja menos ridículo Malfoy, de onde você tirou essa ideia idiota? Como poderia sentir qualquer coisa que não seja ódio por você? É pretensão demais pensar que eu estou com ciúmes de você não acha?



-Olha Granger, foi o que pareceu, não me vem com essa história de envergonhar a equipe. Isso é um álibi perfeito pra você disfarçar, ou pelo menos tentar disfarçar (porque a mim não engana), que está morrendo de vontade de me beijar...mais uma vez...



A garota estava surpresa, e assustada, o que ele queria dizer com aquilo, ficou vermelha, mas mexeu rapidamente o cabelo para que caísse um pouco na frente de seu rosto, que estava quente, e ela tinha medo que ele notasse. Soltou uma gargalhada desesperada e fingiu ter achado nele a coisa mais ridícula do mundo, por algum momento funcionou perfeitamente, e quem ficara vermelho fora Draco, que pensou ter dito uma coisa estúpida demais.



Mas quando esse momento de euforia exagerada passou, os dois que haviam se constrangido, pousavam o olhar calmo um no outro, e aquilo era revelador, naquele momento, nenhum dos dois poderia fingir, poderia se esconder atrás de um gesto, de uma risada, muito menos de movimentos bruscos e palavras brutas. Nada poderia ser feito, nada precisaria ser esclarecido com palavras. Estava tudo ali, escrito nos olhos castanhos dela e nos acinzentados dele.



O que estavam comendo? O que estavam bebendo? Porque estavam brigando? Não eram essas as respostas que buscavam e nem essas que iriam encontrar.



Hermione levantou, sem dizer nada da mesa, olhou mais uma vez para Núbia, e teve vontade de jogar toda a panela de sopa na cabeça dela, mas se conteve, porque a sopa parecia estar tão gostosa, não merecia acabar no cabelo dela.



Havia comido pouco, mas a fome havia desaparecido, resolveu que não ficaria mais ali. Por mais que estivesse sem sono, sabia que seu corpo estava exausto e tinha plena consciência de que se quisesse voar de verdade precisava estar descansada. Suas pernas estavam doloridas, e por isso subiu devagar a escadaria, sem pressa.



Draco subiu logo depois dela.



Quando a garota chegava perto da porta, sentiu uma mão tocar seu braço, e se assustou um pouco, mas como o toque fora suave, não sentiu tanto medo.



-Passou por mim e não me viu!!_ disse a voz conhecida de Bryan.



-Não vi você sair da mesa, aliás estou um pouco distraída...



-Entendo, o que aconteceu, no jornal deve ter te deixado assim, sei como se sente...



-Meio, seria um jeito bem fácil para tentar descrever como eu deveria estar. Na verdade estou péssima, a hora que desci para o jantar, ouvi Núbia, aquela maldita...(desculpe, sei que você gosta dela), falou da matéria, debochou, riu de mim e eu não fiz nada, deixei ela falar, me apunhalar. Fora que tenho vontade de matar o Malfoy, pelas coisas que ele diz, faz, por tudo... Mas eu não deveria estar falando essas coisas para você, te enchendo com os meus problemas...então Boa noite, até amanhã...



-Ei Hermione espere, se eu te chamei foi porque vi que você estava mal...agora somos amigos lembra? Quero te ajudar, se você estiver precisando de alguma coisa....



-Obrigada Bryan_ disse ela se jogando nos braços dele, e o abraçando como fazia sempre em Harry e Rony, quando estava triste.



Momento breve, mas estratégico... Draco subia as escadas, e flagrou toda a cena e paralisou.



“Que diabos está acontecendo aqui!!!! É a Granger??? É ela mesmo? Junto com aquele Bryan de novo, está se aproveitando da fragilidade dela, porque estão abraçados??? Draco você não tem nada a ver com isso a vida dela, e você quer mais que ela se ferre, você a detesta, não quer estar perto dela, não suporta o perfume dela. Ou melhor, você precisa detestá-la. O que há de errado comigo, de onde surgiu essa vontade imensa de enfeitiçar esse tal de Scott?!?!”



O loiro esfregava a testa, arranhava o corrimão da escada, queria definitivamente fazer alguma coisa.



“A não ser que eu esteja com ciúmes dela... Essa é boa!!! Claro que não é ciúmes, eu apenas não fui com a cara desse imbecil e não quero que ele abrace ela, eu não quero que ninguém abrace ela...e nem chegue perto dela...”



Os dois se soltaram do abraço.



-Não é nada Hermione, como dizem, para que serve os amigos?



-Bom, obrigada de qualquer modo, vou dormir...boa noite_ sorriu ela, meio amarelo ainda.



-Boa noite..e vê se melhora essa carinha



-Vou melhorar_ disse e piscou pra ele.



Hermione se dirigiu ao quarto e Draco caminhou, passou por Bryan, e esbarrou propositalmente nele, que não disse nada, apenas o olhou surpreso. No fundo Draco esperava alguma ação por parte dele, para poder começar uma desavença, e quem sabe se ele tivesse a sorte dele reagir, cacetear o nariz do garoto...mas nada aconteceu...



Quando Draco entrou no quarto Hermione saia do closet de Baby Doll azul, cena que Draco evitou olhar, apesar de seus olhos desejarem incessantemente flagrá-la. Entrou no closet rapidamente e colocou o pijama, mas mastigava as palavras baixo.



-Será que seria muito incomodo pra você PARAR DE RESMUNGAR para eu PODER DORMIR?



-Rapazinho petulante metido a confidente, ridículo....ridículo!!! Parece que a tonta da Granger não percebe que ele está querendo é mais que ser amigo dela, ela não vê isso!!!!!!! Mas eu vou fazer alguma coisa, se não, não me chamo Draco Malfoy!!!



-É o último aviso antes de eu ir aí, arrombar essa porta, e enfiar uma meia suja na sua boca!!!!



Draco abriu as portas do closet decidido, e disse asperamente, a garota que já estava com uma meia na mão, em pé, como uma deusa, vestida com aquele baby doll!!!



-Granger precisamos conversar!!!



-E o que teríamos para conversar??? Meu ouvido não é penico, e eu não sou analista pra ficar escutando os seus problemas, que aliás são muitos né...



-É relacionado a equipe...Porque acha que eu iria me abrir com você hein??? O que te faz pensar que tenho outro assunto pra falar com você a não ser sobre a equipe???



A garota torceu a boa e ficou quieta por um instante.



-Então_disse ela jogando a meia para um lado e cruzando os braços_ o que é tão importante assim?_ Hermione sentou na própria cama, e virou os olhos, como se estivesse pouco ou nada interessada.



-Uma equipe, precisa de regras....



-Regras??? Do que está falando...poderia ser mais claro???



-Olha, tem coisas que precisam mudar...coisas que são essenciais para que a equipe tenha alguma chance de ganhar...



-E a nossa parceria não é o suficiente???_ disse pasma.



-Sejamos francos, nossa parceria não é uma coisa que tem tendência a funcionar...Você sabe, ainda não competimos a primeira vez, e a gente não para de brigar, a gente não consegue parar de jogar coisas um na cara do outro, o tempo inteiro. Não que eu me incomode... Mas sei que quando EU faço isso... te afeta então...



-Pode parar com isso ok? Você também detesta o que eu falo...Você sabe que se sente extremamente provocado!!!



-Viu? Já estamos brigando novamente... cheguei a conclusão de que não conseguimos ficar sem discutir, e se pararmos de fazer isso vai ser pior!!!



-Nisso, infelizmente, tenho que concordar. O que você está propondo que continuamos a brigar, e deliberadamente?



-Isso com ou sem parceria acontece Granger...acho difícil conseguir evitar...



-Tudo bem então. Mas onde que entra o negócio das REGRAS em tudo isso???



-Bom...vamos ver se essa cabecinha fértil sua, vai entender onde eu quero chegar...



Hermione olhou para ele nervosa, mas ele continuou a falar...



-Não brigarmos, é uma coisa humanamente impossível de acontecer...Porém sabemos que isso pode afetar e muito no nosso desempenho, da mesma forma que pode afetar, se não o fizermos... O negócio é que antes de tudo precisamos vencer, e há certas atitudes que independente de qualquer coisa, poderíamos evitar... E isso não seria humanamente impossível... Eu proponho que criemos algum tipo de Manual, estatuto, constituição...tanto faz o nome... que discipline certos tipos de comportamentos, que possamos ter ao longo da competição que eventualmente poderiam ser prejudiciais, mas que se previstos antes e com ameaça de punição, não acontecerão...entende?



-Claro que entendo, você quer criar um conjunto de regras, para caso o “meu” descumprimento de qualquer uma delas... Você aplica algum tipo de castigo, pra você mais uma vez se vingar de mim... É isso não é? Boa noite Malfoy... e tente não sonhar muito acordado..._disse ela agora arrumando as cobertas, pronta para deitar...



-Pare com isso Granger_ disse ele arrancando as cobertas das mãos dela_ as regras vão ser para os dois...para os dois!!!!!!



-Parece ser justo... Mas eu desconfio disso... Vindo de você...



-Vindo de mim??? O que você está insinuando?



-Algum motivo tem pra você fazer isso, não se ofenda ...mas você não faz nada sem tirar proveito da situação... Não acredito que não haja um interesse por trás disso e...



Draco abriu a boca surpreso e ergueu os braços, colocando depois eles na cabeça.



-Você é a pessoa mais desconfiada que eu conheço, de onde você tira todas essas teorias de conspiração??? Granger, você sempre acha que está sendo perseguida, sendo caçada por alguém. Você precisa confiar mais nas pessoas!!!



-Nas pessoas eu confio. Não consigo confiar é em você..._ terminou grosseira...



Draco que caminhava no quarto por alguns instantes parou de falar...



“Como eu vou fazer ela aceitar essas regras??? Ela cabeça dura demais....não entende que... é...é...pa...para o bem dela....Mas que DROGA, não é para o bem dela....eu não quero o bem dessa garota, eu quero que ela desapareça...que ela deixe os meus pensamentos em paz...eu quero que ela.... quero...eu não quero que ela fique perto daquele idiota...é para o bem da equipe...tudo pela equipe...não é por ela, nunca vai ser por ela, eu a odeio, só sinto repulsa...”



-Eu nem sei o que dizer Granger..._ disse ele caminhando pelo quarto_ aliás eu sei sim... Se você quiser ganhar precisa confiar em mim, não existe outro jeito ou você confia. ou a gente perde. Você sabe disso, você tem perfeita consciência de que precisa depositar a sua confiança em mim..._ agora ela estava sentada na cama, e ele parado na frente dela, discursando enquanto ela colocava os cabelos atrás da orelha_ sabe que não existe outro meio... Mas fica esperando eu fazer a proposta, pra poder recusar... o que ganha com isso? Estar o tempo inteiro me contrariando.



-Isso não tem absolutamente nada a ver...



-Você sabe que tem, você está destinada a me ferrar, e ferrar todas as idéias que eu tenho... Mas que droga, porque você sempre faz isso Grifinóriazinha chata!!!!



-Como você se altera fácil... não consegue levar um NÃO que se transforma em um predador!!!???



-Não é um simples NÃO!!! Isso põe tudo em jogo!!!



Hermione ficou quieta, depois de um tempo, levantou de onde estava sentada...Draco já tinha ido para o closet, jogado metade das suas roupas no chão...e resmungava...



Hermione levantou de onde estava, e foi até o closet que estava com a porta fechada, bateu de leve na porta.



-Oi...com licença... eu quero dizer uma coisa...



Draco não parecia ouvir...



-Malfoy... vamos elaborar logo essas regras...



Draco parecia não escutar o que ela dizia, estava louco de raiva... Pois sabia que estava impondo essas regras, na esperança de controlá-la, saber os seus passos, e impedir que se aproximasse de Bryan, era para isso que ele tinha tido essa ideia, e isso conseguia irritá-lo também.



Draco de vez em quando parava e pensava racionalmente, como um Malfoy, que não se importa com uma sangue ruim inimiga, mas logo depois ele mudava e só consegui pensar nos lábios macios de Hermione. A confusão tomava conta do seu cérebro, e era difícil entender como havia chegado a tal ponto.



“Droga Draco, como consegue fazer isso? Pensar em um plano para afastar a Granger do Scott? O que você quer com isso? Eles seriam o par perfeito, iriam ser a chacota do mundo bruxo e você poderia dar muitas risadas. Mas como você vai deixar isso acontecer? Ele vai se aproximar dela e eles vão ficar juntos...JUNTOS...e ele vai beijá-la... e fazê-la muito feliz. Não posso permitir que isso aconteça, claro que eu posso!!! Eu devo esquecer que essa menina existe, e esquecer aquele maldito cheiro, aquele beijo, mas é incrível que eu burro-desgraçado, não consigo fazer isso. Porque eu não deixo essa ideia idiota de REGRAS pra lá???? Porque eu não vou dormir e paro com essa idiotice???... Droga... sei que vou me arrepender, mas....”



-Como quiser Malfoy....estou indo dormir...



-NÃOO... ESPERA..._disse ele abrindo, o closet rapidamente..._ vamos elaborar isso logo e pronto!



-Ótimo...



Os dois sentaram cada um em uma das camas, enquanto ele apanhou rapidamente um pedaço de pergaminho, e uma pena...



-Bom eu já tenho algumas sugestões..._disse Draco enquanto anotava algumas coisas no papel.



“Claro que ele já tinha sugestões...eu só quero ver, a bomba que ele preparou. Vamos descobrir o que ele quer de mim, pelo menos assim fica fácil saber quais os planos estão por de baixo daquele cabelo loiro desgrenhado. Irritante, será que ele não relaxa, não esquece, não perde a chance de inventar maneiras de me manipular. Como pode? Eu por vezes até me esqueço que estou em um jogo e ele não... Eu até esqueço que somos inimigos, mas ele não esquece nunca.”



-Posso ver..._Hermione tomou o papel da mão dele logo depois que ele acabou.



Hermione leu em voz baixa e depois segurando o papel ergueu os olhos para ele, questionando.



-Se alimentar adequadamente? Por acaso você escreveu essa regra porque, eu não comi direito na hora do jantar?



-Como você espera estar bem preparada fisicamente para as provas, se come mal???



Hermione torceu a boca, mas continuou lendo.



-Dormir cedo,  mas eu não tenho dormido tarde... Que necessidade tem isso?



-Mas é super importante!!!... por enquanto está indo dormir cedo, mas nunca se sabe, é sempre bom lembrar...



-Se você diz... _se conformou Hermione, não iria discutir por tão pouco...



Ficaram em silêncio...até que Hermione continuou..



-Treinar a todo custo para as provas, mas é lógico que eu vou fazer isso né? Por acaso você pretende não fazer...???



-Mas é apenas para reforçar, claro que a gente vai treinar, mas se a gente se comprometer a fazer isso, no contrato...a coisa fica mais séria.



Hermione estava achando aquilo ridículo. Draco não poderia criar uma coisa tão sem noção, sem algum interesse por trás, mas já estava esperando alguma coisa dele.



-Não discutir durante o momento das provas e no treinamento... Não quero te desanimar, mas isso é meio impossível não acha?



Draco ficou um pouco em silencio, mas logo começou a falar com calma.



-Sabia que as nossas discussões tiram a concentração, não seria bom que evitássemos...É mas acho que você tem razão...é meio impossível... pelo menos podemos tentar.



-Podemos tentar, mas duvido que vamos conseguir!!!_disse ironicamente.



Hermione olhou para ele por um segundo, parecia estar sabendo das regras idiotas que havia inventado, mas tentava a todo custo provar para ela que estava certo.



-Malfoy, aí já é demais...Não esconder nada um do outro???? Que maldita regra é essa? Por acaso você acha que eu vou ficar contando da minha vida pra você???



Ela jogou o papel do chão, com raiva e começou a caminhar de um lado para o outro do quarto, deixando Draco um pouco preocupado.



-Eu sabia que tinha alguma coisa por trás!!! VOCÊ NÃO CONSEGUE FAZER NADA QUE NÃO SEJA UM PLANO SUJO CONTRA MIM???_ Hermione queria chorar, estava muito nervosa, porque ele sempre estragava tudo?



-Eu não estou tentando fazer nada contra você!!!! É tudo para o bem da equipe sua tapada!!!! Você não consegue ver que eu não me importo com você, pra mim a sua vida é o mesmo que nada, eu apenas estou interessado em ganhar, só isso!!! Além do mais, que interesse eu teria na sua vida, algo tão insignificante!!!



Claro que  garota estava nervosa, ele tinha falado que a vida dela era algo insignificante para ela, mas estava nervosa não pelo fato dele ter dito algo assim, mas ela ter sentido que não tinha importância nenhuma para ele.



-Não vejo o que eu posso contar de tão precioso?



Draco agora caminhava mais nervosamente pelo quarto, temia não convencê-la do pacto...



-Granger, você é mesmo burrinha... Se você por exemplo ficar sabendo de um ponto fraco do seu amigo sonso, isso seria útil para colocá-lo para fora da competição.



-ISSO É O CÚMULO MALFOY, INCABÍVEL, isso seria trapacear da pior forma.



-Querida criança ingênua, se você não fizer isso alguém vai, e você pode ser o alvo, por enquanto não sabemos quem é hábil aqui, quem é bom, quem tem chance de vencer. Mas a hora que soubermos, o infeliz será um alvo de todos aqui.Você não espera que dentro desses coraçõezinhos gananciosos seja plantada a sementinha da bondade, né?



 -Você pode ter razão, mas eu não vou fazer coisas fora de ética porque você quer.



Por dentro Draco sentiu um alívio percebeu que poderia muito bem convencê-la...



-Curioso isso, gostaria de saber porque sempre se refere ao Bryan??? Não admito que fale dele assim!!! Por acaso você pretende fazer o mesmo contra a sua amiguinha mimada Núbia?



-Eu vou fazer o que puder pra ganhar, não importa o que eu tenha que fazer...



-Como você pode ser tão falso??? O que você tem contra o Bryan?????



-Ui!!!!! Pronta pra me socar por causa daquele sonso? Se for me bater pelo menos encontre um motivo que valha a pena!!!!!_disse se defendendo e rindo de Hermione.



Hermione resolveu abaixar o braço que a essas alturas já estava com o punho cerrado.



-Bom Malfoy, quem sabe ele foi traído, porque tinha uma namorada, ao contrário de certas pessoas... “Agora vamos ver o que você vai dizer Malfoy”



-O que você está insinuando??? Que eu...



-Que ninguém quer você...exatamente isso..._Hermione aproveitou para rir o máximo que podia, tentando irritá-lo dessa forma.



-A hora que eu estalar os dedos a.....



-...Pansy Parkinson? Por Merlin Malfoy, se o Filch estalar os dedos ele sai com ela.



O garoto emudeceu.



-Se você quer saber é ela que corre atrás de mim, até já me escreveu...se quiser pode conferir no lixo se não acredita.



-No lixo? Você joga as cartas dela no lixo? Se eu fosse você guardava bem, vai que você não arruma nada melhor, né? E isso é uma chance bem grande de você virar um solteirão, velho, rico mas totalmente infeliz, e com apenas um Elfo doméstico que te suporte.



-Ahhh CHEGA GRANGER!!!!!



-Te irritei_ disse a garota sentada na cama, cruzando as pernas de leve, e fazendo cara de paisagem_ nossa que coisa, é sempre você que faz isso comigo, achei que poderia também!!!



“Quem você pensa que é Granger... Me chamou de encalhado???Acho que você não sabe com quem está falando... Sou o mais desejado de Hogwarts, não há uma garota naquele lugar que não queira ficar comigo, aliás tem uma sim, você sua idiota! Mas se pensa que eu vou dar o gosto de pra você está bem enganada... não vou dar o braço a torcer que eu não consigo esquecer aquele beijo!!!”



-Não me irritou_ disse ele sorrindo calmamente_ mas acho melhor continuarmos.



-Qual é a próxima regra idiota e sem sentido?



-Confiar um no outro _disse Draco olhando nos olhos dela.



-O que???? Confiar???Como assim confiar???



-Confiar, e pronto, sem questionar, sem discutir, sem ficar o com o pé atrás...



- Ok Malfoy, se hipoteticamente eu aceitar essa regra, de que maneira você pensa que eu irei confiar em você? Se você achar um jeito de me fazer mudar o pensamento, então me avise...



-Porque é tão difícil de confiar em mim???



-Você é simplesmente uma serpente, e serpentes não merecem confiança.



Draco sentiu um tremor por dentro, como se aquela fosse a pior ofensa que já recebeu.



-Você quer ou não ganhar?



-É claro que eu quero, mas você está apelando, como vou poder confiar em você? Depois de tudo que você me fez. E é lógico que você também não vai confiar em mim, acho melhor esquecer isso.



Draco ficou calado, Hermione passou as mãos nos cachos.



-Ta certo Granger... o que eu posso fazer pra você confiar em mim?



-Como disse?



-O que você ouviu, o que eu faço pra que ganhe eu ganhe um voto de confiança?



Hermione respirou fundo, ele estava mesmo pedindo um voto de confiança? Ele estava louco. E Hermione queria mas não estava conseguindo ficar brava com ele, porque isso acontecia???



-Olha, mesmo que eu quisesse, me diga como vou confiar em alguém que me odeia.



-Tente pensar que sou eu, mas que sou apenas seu companheiro de equipe.



-O problema é que meu companheiro de equipe e você são a mesma pessoa...e eu não consigo olhar pra você e ser demasiadamente profissional, a ponto de “diferenciá-los”, agora me diga, você consegue? Claro que não.



-Não consigo, ainda. Mas vou tentar, e tentar muito para ver se consigo te olhar com menos cólera. E eu tenho certeza que o meu esforço valerá a pena, só que eu espero que você se esforce também para que tudo isso não seja em vão.



“Ás vezes ele fale tão sério, que consegue parecer convincente...”



-... olha, eu não louco, a ponto de jogar para fora da janela todo esse sonho, por uma questão apenas de “preferência”... Em resumo, estou disposto a confiar em você.



-Você não está bem..._disse Hermione sorrindo e balançando a cabeça como se não acreditasse em nada que acabava de ouvir.



-É um risco que eu vou correr, mas vale a pena, garanto! Pense na recompensa_ Draco caminhou para perto dela, que estava em pé de braços cruzados, e começou a falar suavemente, como se a fizesse se visualizar dentro do ministério, trabalhando ao lado do ministro_daqui alguns dias, de uma simples aluna, você estará onde quase todas as pessoas do mundo bruxo almejaram estar.



-É, eu estou pensando_ disse Hermione apertando os olhos..._ aliás eu penso o tempo todo_ agora ela falou num tom nervoso, e rapidamente. Não era o papo que a deixara exaltada, mas a presença de Draco perto o bastante, para que todo o seu corpo arrepiasse_é a única coisa que me motiva, ter a certeza de que vou poder trabalhar em um lugar, do qual me fará uma garota com um futuro brilhante.



-Então Granger...vai confiar em mim?



Hermione parecia prender a língua no meio dos dentes, com uma vontade subumana de não desatá-la dali, pelo menos não para responder o que havia de responder.



-Eu...



-Você..



-Eu vou co-confiar em você..._Draco olhou para ela e sorriu, mas ela ainda estava firme _e não é porque eu disse que eu confio, que você vai poder fazer o que quiser, e eu vou deixar, nada disso, existem limites para a confiança.



-Ei...sei perfeitamente senhorita medrosa, mas você parece que esquece que a confiança é recíproca.



Os dois ficaram quietos, Hermione como se carregasse uma tonelada sobre as costas e Draco pisando nas nuvens, transpirando alívio.



-Eu só não entendo _disse Hermione_ porque você quer ganhar tanto essa competição, ou melhor esse emprego a ponto de confiar em mim, ser meu parceiro. Imagina se alguém soubesse disso você...



-Ninguém vai saber e respondendo a sua dúvida: “Os fins justificam os meios”..._ pensou alto_ bom , mas eu ainda não acabei..



-O que mais você vai querer impor? Vamos ver pela sua cara, quem sabe você vai alegar, que tenhamos de jurar fidelidade eterna a Voldemort. Ah, acabei me esquecendo, nesse caso somente eu teria que jurar..._riu sarcástica.



-Granger, porque você toca em assuntos, dos quais primeiro: você não entende e segundo: não lhe dizem respeito?



-Nossa, ficou nervoso, mas não é pra tanto, é claro que se não fosse verdade, você não ficaria tão exaltado quando eu toco no assunto. Mas sabe de uma coisa, porque então que seu pai está em Azkaban? Injustiça do ministério???



-Olha Granger já disse pra não falar desse assunto..._Draco tentou se acalmar...e respirar fundo, não cairia naquela provocação.



Hermione, percebeu que Draco não revidava, e ao invés disso tentava se acalmar.



“Porque eu não consigo tirá-lo do sério??? Será que eu estou sendo muito repetitiva, ou ele que está cansando até das minhas provocações? E afinal porque eu queria tanto tirá-lo do sério? Ele está ficando mais maduro do que eu, e eu estou parecendo uma criança mimada...AAAAAHHHHHH, mas que droga”



-Retiro o que disse_ disse Hermione, mas ela não sabia porque tinha dito aquilo.



-Outra regra que eu considero importante...



-Pode falar_ tentou apressá-lo



- É: Não haver envolvimento afetivo, com nenhum outro integrante de qualquer outra equipe.



-Você quer mandar também na minha vida efetiva?



-Essa regra é essencial, acredite...



-Não vejo motivo para isso ser importante, afinal essa regra só vale pra mim, pois como você teria afeto por alguém se não ao menos possui coração??? É um absurdo!



-É para o seu bem, aliás para o bem da equipe. Raciocine comigo, imagine você boba desse jeito, bom antes imagine um desses nerds (mas claro que tem que estar em um estágio de loucura irreversível), resolver por um acaso dar bola pra você,e você como só conseguiu ter algum tipo de contato com duas pessoas do sexo masculino como o verme do Potter e o seu escudeiro pobretão Weasley, cai na lábia dele, se apaixona, e conta todas as nossas preciosas táticas.  É por tudo a perder.



-Como você é ridículo, porque acha que só um nerd se interessaria por mim_ disse a garota, sentando devagar na cama e cruzando as pernas delicadamente_Draco tentou não olhar_eu sou mais que muitas dessas garotas por aí, não preciso que você veja isso em mim... Ser bonita por fora, e oca por dentro, e ser tratada como um objeto, se é isso que você considera como ser uma garota boa... Então, definitivamente, não estou dentro dos seus padrões.Você pensa que é superior a mim, ou a qualquer um, mas não são as roupas caras que vão fazer de você melhor, ou pior um grupinho de riquinhos mesquinhos como companhia? Bom, não sei porque você ataca tantos os meus amigos, talvez é porque sinta uma tremenda inveja de mim, porque com 17 anos, não conhece o que é uma amizade.



-Inveja de você? Porque, parece que eu tenho inveja?_ riu ele.



-Você adora me ver mal, porque te dá prazer me aborrecer?...Só porque você não foi com a cara de uma pessoa, você não tenta azucriná-la pelo resto da vida.Talvez você queria ter alguém que se importasse de verdade com você, e como não tem inveja quem tem a sorte de ter...



-Você diz coisas totalmente sem fundamento...



-Só eu? Você diz o tempo inteiro, as vezes chego a pensar que você não sabe falar outra coisa a não ser besteiras, para me ferir, e ferir a todos que não estão no grupinho de pessoas ruins como você. Se para ser uma pessoa agradável a você eu tivesse que ser como você, bom eu prefiro que você me odeie para sempre!!!



-Você leva as coisas para o lado pessoal... Eu estava propondo soluções para a equipe...



-Não fui eu quem começou com isso...



-Não foi? Porque falou do meu pai??? Você fala que eu faço isso com as pessoas, mas você fica o tempo todo dizendo que o meu pai serve a Voldemort, que eu sou um comensal, que eu sou a pior pessoa do mundo. Se quer que eu pare, então comece calando a sua própria boca e evitando falar de coisas das quais não sabe...



-Pois bem então...agora eu quero colocar uma regra.



-7- A vida particular de cada um não diz respeito ao outro, desde que não viole os interesses da equipe...



-Ótimo, saiu algo de bom dessa cabeça finalmente...



-Acabou?



-Eu acho que sim_ disse Draco com os olhos em brasa, escrevendo a última regra no papel.



Colocou o papel sobre a cama de Hermione e a puxou pelo braço para que ficasse em pé.



-A gente não combinou uma sanção para o descumprimento de qualquer regra...



-Bom eu acho que a sanção deve ser algo escolhido pelo outro, depois do descumprimento da regra...o que acha?_disse Hermione sem olhar para ele...



-Por mim tudo bem...



Hermione pegou a própria varinha, e a segurou sobre o pergaminho, Draco fez o mesmo...



-Fale...



-Eu, Hermione Granger, prometo respeitar as regras formuladas no dia de hoje, até o final do campeonato, ciente da sanção que irei receber, caso descumpra qualquer dos itens, e não duvidarei da sabedoria antiga da magia que classificará meus atos e dará o direito a Draco Malfoy de escolher minha punição. Que assim seja. ADDUCTUS



-Eu, Draco Malfoy, prometo respeitar as regras formuladas no dia de hoje, até o final do campeonato, ciente da sanção que irei receber, caso descumpra qualquer dos itens, e não duvidarei da sabedoria antiga da magia que classificará meus atos e dará o direito a Hermione Granger de escolher minha punição. Que assim seja. ADDUCTUS



Quando Draco terminou um jato de luz azul saiu da varinha de Draco e depois um jato vermelho saiu da ponta da varinha de Hermione, e os dois jatos de luz invadiram o quarto e provocaram um vento um tanto assustador que movimentou as cortinas do quarto e tudo o que estava ali.



Depois de passearem no quarto, o jato azul entrou na varinha de Hermione como se tivesse emanado dela e a varinha de Draco recebeu o jato vermelho. Isso Fez com que quase caíssem no chão com o impacto das luzes.



Os dois ficaram mudos.



-O o q-que, aconteceu?



-Eu não sei....Granger, você já fez essa magia antes?



-Adductos? Não não fiz, mas pelo que eu li...Você já fez?



-Já já fiz, mas...o efeito não foi esse...o que deu errado???



Hermione pegou o papel, mas as assinaturas feitas pela varinha estavam ali, parecia estar tudo normal...



-Eu não creio que tenha dado algo errado, mas também eu não entendo o que aconteceu...



-Bom não vamos pensar nisso agora... Vamos dormir que amanha teremos um dia cheio...



-Concordo, mas isso foi muito estranho, amanhã precisamos saber o que aconteceu.



Cada um foi para a sua cama, e antes de Hermione guardar a varinha algo fez com que ela a sacasse instintivamente, um barulho na frente da porta do quarto.



-O que foi isso!!!!!?????_disse Hermione levantando da cama... Draco já estava em pé...



-Parece que tem alguém na porta..._Draco caminhou até a porta de vagar e abriu-a repentinamente, mas o corredor estava vazio.



-Não tem ninguém..._Hermione ficou atrás dele, mas pode ver...



-Será que alguém estava escutando a nossa conversa?



-Pouco provável, todos estão dormindo, e não estamos falando alto...quem pensaria que ainda estamos acordados...



-E se alguém viu as faíscas que saíram das nossas varinhas???



-Esqueça Granger, vamos dormir e pronto...



-Estranho, levei um susto... aquele barulho...essa hora...



-Vamos dormir, estamos seguros aqui, não deve ter sido nada...



Draco pegou o papel do contrato, e colou dentro do closet...



-É, não deve ter sido nada_ Hermione deitou na cama, mas não parecia convencida.



Os dois em silêncio agora deitavam na cama. Depois de alguns minutos Draco resmungou.



-Posso te fazer uma pergunta Granger?



-Pode fazer qualquer pergunta, se você vai receber alguma resposta, eu não sei...



Draco ficou alguns segundos calado, mas fez a pergunta como se não estivesse interessado no que ela havia dito antes...



-Você não concorda de primeira com os meus planos porque: meus planos são bons demais, e você fica pensando “porque eu não tive essa idéia antes?”, e assim não quer de jeito nenhum dar o braço a torcer... ou você discorda de tudo exclusivamente pra me irritar?



-Nossa, talvez seja porque confiar em você é algo tão difícil que eu procuro de todas as formas, achar as falhas nos seus planos pra te desmascarar...



-As duas vezes que você tentou foram um fracasso, quantas vezes mais você vai ficar contra os meus planos, porque eles são perfeitos. Quando vai para de tentar me superar e admitir que eu sou melhor que você.



- Tentar provar que é melhor que eu, seria apenas mais uma prova de que você não está seguro das suas próprias habilidades, e não é capaz de pensar em outra coisa que não seja criar formas de mostrar que tem mais talentos que eu, porque na realidade não se garante. Por mim pode continuar perdendo tempo com esses “lances de mestre” que você dá de meia em meia hora... Só espero que você não se desconcentre do objetivo principal, a não ser que esse seja seu objetivo principal: ficar o tempo todo em um embate de talentos....



-É isso que parece a você? Um embate de talentos? Talvez porque eu tenha tido uma porção de ideias brilhantes e estrategicamente perfeitas, e você esteja se contorcendo de inveja, e isso lhe pareça que quero confrontar minhas aptidões com as suas. Não quero, apenas estou concluindo, que até agora sou eu quem dei as melhores sugestões. Mas se isso te incomoda tanto, quem sabe seja porque essa cabecinha esteja um tanto enferrujada. Ou pensando em coisas que não dizem respeito a competição... Bom, eu já havia mesmo notado que você estava um tanto aérea, e é por isso mesmo que fiz questão de ressaltar a importância das regras que criamos hoje. Talvez você esteja mesmo apaixonada pelo Scott...esteja caindo nas graças dele.



Hermione parecia agora ter entendido perfeitamente. O “click” foi dado na sua cabeça. Parecia uma ideia absurda, mas da forma como ele havia mencionado Bryan na conversa, em uma hipótese remota mas real Draco poderia estar com ciúmes, embora isso fosse uma situação incogitável.



Era estranho, mas Hermione ligou alguns fatos anteriores: 1- ela havia subido as escadas... 2- encontrou Bryan na escada... 3- Eles se abraçaram... 4- Draco chegou logo em seguida no quarto (detalhe: extremamente furioso)...



“Bem, é meio improvável, mas será que ele me viu abraçando Bryan??? Pode bem ser, o tempo se calculado dá quase na mesma. Mas que ridículo... ele não pode estar com ciúmes de mim, eu devo ter pirado, essa teoria é totalmente infundada. O meu sexto sentido só pode ter falhado. Mas se ele então não está com ciúmes, porque criou essa maldita regra? Ele me acha feia, ridícula, ogra, na cabeça dele não teria qualquer possibilidade de alguém gostar de mim, ou me iludir por alguém. Qual é o medo dele...? Eu não faria com que isso atrapalhasse a competição... Ciúmes. Pode ser uma explicação bem plausível quando não se trata de Draco Malfoy X Hermione Granger. Vamos parar de pensar abobrinhas e cair na real, que o loiro maléfico não está sentindo nenhum tipo de desejo possessivo por você.”



-E se estiver? Que mal pode ter nisso? Talvez se você me disser eu até posso entender, porque eu não deveria me envolver com ele...



-Granger ele é um Mané, um perfeito idiota, você já viu a cara de pastel que ele tem? Por favor, pessoa mais estúpida que ele não existe...um Nerd...



-Porque então está preocupado que eu me envolva com ele??? Você não me odeia? Então porque não deixa eu me dar mal com ele??? Se ele é tudo que você está dizendo, ficaria feliz de me ver com ele, para que assim você possa rir, debochar, falar mal...A não ser que você esteja com... Ciúmes...



- EU?? CIUMES??? Você só pode estar brincando? Só o que me falta, eu não tenho ciúmes de você..._ disse ele ofendido, e muito nervoso, por ser encurralado.



-Nossa, não precisa gritar assim, foi só uma palavra. Você acha mesmo que eu pensaria que você sente ciúmes de mim??? Não sou tão tapada assim pra não ver que você me odeia, do mesmo modo que eu te odeio!!!..._Hermione riu.



Draco não respondeu mais, estava completamente desmascarado.



-Boa noite..._disse Hermione, mas ele não respondeu. Era só isso que Hermione precisava para confirmar a certeza da sua linha de raciocínio.



HERMIONE: “Ele realmente parece estar com ciúmes, e se sentiu pior a hora que eu dei as pistas pra ele, de que sabia que ele estava com ciúmes... Estranho demais, deve ser um surto dele, mas amanhã passa. Acho que é a única vez que vou ver isso. portanto é melhor eu rir bastante da cara do Malfoy...”



DRACO: “O que ela quis dizer com ciúmes? Como ela chegou nessa conclusão??? Eu não estou com ciúmes, estou fazendo isso pelo bem da equipe e pronto! Não quero me envolver com ela, não quero conquistá-la, o que será que a fez pensar que eu poderia estar querendo isso? Se ela é minha companheira de equipe eu não vou deixar ficar perto de gente como o Scott isso pega mal para mim também. É melhor eu dormir antes que esses pensamentos idiotas me tirem a concentração, porque amanhã de qualquer forma preciso levantar mais cedo que ela, pois do contrário meu plano não vai funcionar...”



Mais uma noite depois de um dia exaustivo. Até que isso era bom, as cabeças cansadas dormem melhor, e isso os deixou em um sono profundo.



Hermione ainda não conseguira tirar da cabeça o vôo com Draco, Draco ainda estava mordido de raiva, com vontade de estrangular Bryan e inconformado por Hermione ter descoberto seu segredo.



Sentimentos nascendo, e sendo renegados...



O ciúmes crescendo e sendo camuflado...



O ódio aos poucos se convertendo em amor, potente, e vivo...



O outro dia seria bastante tumultuado, e poderia arriscar dizer....revelador!!!



*                                 *                                 *                                 *                                 *



 



6º CAPÍTULO



 



Draco dessa vez acordou mais cedo, meia hora antes do horário previsto para levatar. Aquela cabecinha loira não descansava, era perspicaz demais. Porém, muitas vezes uma cabeça perspicaz, não é uma cabeça racional. Talvez seja rápida em demasia e esqueça as conseqüências de atos impensados. Ele tramava bem seus planos, e executava tudo de forma imatura, correndo o risco de cometer um erro fatal.



Vestiu o uniforme que já se encontrava no armário - os elfos domésticos lavavam as roupas e entregavam na mesma noite, tudo com absoluta eficiência. Depois que estava arrumado, olhou para a cama de Hermione que dormia profundamente, e esboçou uma certa preocupação, mas mesmo assim abriu a porta com cuidado para que ela não acordasse e saiu.



Era visível a expressão de indecisão sobre o que estava prestes a fazer. O corredor estava vazio, e ele percorria com calma, pensando em todos os detalhes do seu novo plano.



“Não dá pra confiar na Granger, mas nesse chá eu aposto todas as minhas cartas...eu não posso correr nenhum risco hoje, meu destino está nesse campeonato, e eu não posso deixar que nada me atrapalhe. Sempre tem a possibilidade daquela nerdzinha descobrir, e se isso acontecer? E se algo der errado? Pode ser perigoso... Mas me perdoe senhorita sabe tudo, eu não posso perder essa taça de maneira alguma.”



No fundo Draco sabia que iria quebrar uma das regras que ele mesmo havia criado na noite anterior, mas classificou o ato como necessário e embora estivesse sujeito a uma punição pela garota decidiu arriscar.



Ele ainda não tinha certeza, se iria colocar em prática a sua ideia, desceu as escadas, pegou um papel e uma caneta que estavam em cima da mesinha da sala de recepção e foi até a biblioteca. O livro que ele queria já estava reservado, ele já havia lido a poção algumas vezes e sabia onde procurar, anotou a receita da poção. Depois a colocou discretamente no bolso, e guardou o livro na prateleira.



Foi até a cozinha, e pediu para que Ming o ajuda-se.



Em alguns minutos, as mãos de Draco traziam, uma xícara de porcelana branca, com as bordas douradas, que exalava um aroma doce de maçã, para dentro do quarto.



Hermione ainda dormia. Draco sentiu-se aliviado por isso, no chão havia a correspondência do dia, colocou a xícara com cuidado sobre o criado, e pegou o que havia no chão...



“Uma carta para a Granger, de quem será? Há da ruivinha mendiga. Vamos ver Profeta Diário, jornalzinho de quinta categoria. Carta para a Granger, deixa eu ver de quem... Ah! Debbie Potter, e Lóide Wesley, dever de casa, mas aquele diretorzinho insolente me paga, Carta da Parkinson... lixo. E carta de... bom essa carta, eu preciso responder... mas acho que aqui não é muito seguro...”



Draco resolveu entrar no closet, fechou a porta, e deixou o resto das cartas sobre a própria cama ainda desarrumada, pretendia responder uma carta em especial em sigilo.



Em poucos minutos Hermione acordou, espreguiçou-se, e sentou na cama. Olhou para a cama de Draco instintivamente, mas não o viu, sobre ela havia apenas algumas cartas. Desconfiou que ele tivesse olhado a sua correspondência, e sentiu um certo medo, mas lembrou que Gina não deixaria de por um feitiço para que ninguém pudesse violar sua carta.



Esfregou os olhos bastante cansados, e ainda meio embaçados pelo sono.



Ainda em transe mirou a escrivaninha, e notou que havia uma xícara de chá quente, imaginou ser se Draco, e seu corpo começou a reagir, por esperar que ele não estivesse muito longe dali, ou que estivesse no quarto.



Antes de levantar, ouviu um barulho muito forte na janela, quase gritou de susto mas se conteve, parecia que algo havia se chocado contra ela.



Correu para verificar e abriu a janela o mais rápido que pôde. Olhou para baixo, mas não viu nada, nem ninguém, será que ela teria imaginado? Será que alguém mais teria ouvido? O barulho foi estrondoso.



Havia telhado embaixo da janela, Hermione se esforçou muito para olhar, mas talvez isso a atrapalhasse.



Então colocou os dois pés na janela e se segurou.



“Eu não vejo nada, será que alguma coruja se chocou contra a janela? Seria uma possibilidade. Mas acho que Malfoy tem razão quando diz que eu sou pessimista, afinal eu sempre penso que há algo de errado?”



Draco que agora saia do closet ao se deparar com a cena de Hermione sobre a janela aberta, gritou:



-GRANGERRRRRR!!! Sua louca está tentando se matar??????????



Hermione totalmente distraída, com o susto escorregou a mão da janela, e caiu.



Draco saiu correndo para tentar pegá-la, mas esqueceu completamente de que havia telhado em baixo da janela, e Hermione estaria bem provavelmente. Mas o susto foi enorme...



-Não precisa vir me salvar eu estou bem..._disse Hermione tranqüilamente.



Draco já não tinha mais coração, o dele havia saído pela boca, e estava jogado no tapete...



-VOCÊ QUERIA SE MATAR OU ME MATAR????????????????



A ideia estranha de que por um segundo pudesse perdê-la, com certeza, não estava vinculada a nenhum tipo de interesse na competição. O que aconteceria com Draco se deixasse ela cair??? Não poderia imaginar uma situação como aquela. Era definitivamente bizarro.



-Me matar? Porque pensou que eu quisesse me matar_ dizia ela enquanto rastejava pelas telhas até a janela._Bom, até que pensando bem motivos eu teria não é mesmo? Você é meu parceirinho!!!!



-Você estava sobre a janela, tentando pular!_ Draco tinha a testa suada e as mãos trêmulas.



-Eu estava apenas olhando para baixo. Agora vai ficar aí parado ou vai me ajudar a subir?



Draco apenas deu a mão para ela e se apoiando na janela conseguiu subir para dentro do quarto, Draco puxou tão forte que Hermione acabou caindo em cima dele.



-Ei, tenha mais cuidado_ disse Hermione mal percebendo onde seu corpo de se encontrava.



-Não jogue a culpa em mim, como sempre, eu apenas puxei você, agora se você é uma maria-mole eu não...eu não..._ “Você está sobre mim? Eu sinto uma pele macia tocar no meu braço, é tão delicada... mas, mas o que eu...DROGA, isso de novo? Pare de pensar nela, tire logo ela de cima...”



Os corpos pareciam não obedecer.



-Granger, você poderia sair de cima de mim?



-Mas é claro, se você soltar o meu braço!!!_disse furiosa, assoprando os cabelos que caiam em seu rosto..



DRACO: “Porque eu estava segurando o braço dela? Instinto? Tem que ser esse maldito instinto...”



HERMIONE: “Porque eu não saí de cima dele, o que houve comigo, eu não entendo, na verdade eu queria ficar ali... Por alguns segundos eu... Droga!”



Draco soltou rápido como se estivesse segurando uma barra de ferro ardente. Logo Hermione se levantou e tirou o pó da roupa. Draco também levantou e logo mudou de assunto...



-Mas me diga porque você estava tentando olhar para baixo...?



-Eu não sei, mas algo bateu bem perto da nossa janela.



-Bateu? Eu não ouvi nada...



-Não me admira mesmo, no que você presta atenção se não for na sua própria imagem no espelho? Que provavelmente era isso que estava fazendo dentro do closet, venerando o seu próprio reflexo, esquecendo do mundo em volta.



-Ah Granger, não perde a chance né? Olha, se você ouviu mesmo alguma coisa, então deve ter imaginado. Você não acabou de acordar?



-É, mas...eu...



-Então Granger, foi uma continuação do sonho e pronto...



-Não acredita mesmo em mim né?



-Eu não ouvi nada... e é nisso que eu acredito. E acho que agora seria bom você se trocar, que daqui a pouco temos algo importante para fazer, ou melhor pra ganhar...



Hermione ainda estava inconformada, com o que tinha ouvido. Mas porque discutiria com Draco? Era o mesmo que falar com as paredes. Depois ela perguntaria a Bryan se ouviu alguma coisa...



-...Mas antes, Granger, eu trouxe esse chá pra você..._ falou em um tom estranho de gentileza, totalmente fora dos padrões.



-Chá? Você pretende me envenenar?_ ela rebateu.



-Porque sempre acha que eu vou te envenenar? A gente vive brigando Granger, quando eu faço algo para que as coisas entre a gente não fiquem tão insuportáveis, você desconfia, ontem a gente combinou que iríamos confiar um no outro... e o que você faz? Na primeira oportunidade me acusa de algo que eu não tenho culpa..._ Draco continuava com o joguinho emocional, mas era piegas demais. Ele conseguia fazer um teatrinho tão ridículo, mas aparentemente convincente, que para quem conhecia Draco aquilo não era mais que uma daquelas suas ceninhas baratas.



-Ok seu chato, mas é que muito difícil, acreditar que você esteja fazendo política da boa vizinhança. Só que eu vou tomar o chá depois que eu me vestir, ta?



-Como quiser Granger_ disse Draco parcialmente aliviado, seu sufoco só iria terminar depois que ela bebesse o líquido.



Hermione entrou no closet, e fechou as portas. Tirou a roupa do micro guarda roupas, enquanto pensava.  Havia algo de errado ali, Draco oferecer chá aquelas horas da manha, não era algo normal.



“Vamos pensar, porque Draco ofereceria um chá de maçã, logo pela manhã, para sua maior inimiga? Ora, ele não tentaria me envenenar tentaria? Ou será que ele... É ISSO! ...Chá de maçã... não é um simples chá de maça...é a poção da rapidez, mas é claro que eu conheceria esse cheiro em qualquer lugar... MAS COMO É IDIOTA... Se ele pensa que eu vou beber a poçãozinha, ele que está muito enganado!!! Ele me paga!!!!! Ele não confia em mim, ele acha que eu não vou conseguir voar...GRRRRRR...!!! Mas eu dou um jeito nisso se não, eu não me chamo Hermione Granger”



Hermione já vestida com o uniforme, saiu do closet.



-Malfoy, você bem que podia pegar uma coisa pra mim que não alcanço aqui!



- O que você não alcança baixinha... _disse um tanto debochado.



-Naquela mala ali, eu não consigo pegar...



-Ok e como você colocou ela ali?_disse Draco tranqüilamente



-Eu subi nas prateleiras... Mas agora elas estão cheias como você pode ver, você poderia pegar para mim?



Draco foi até o closet, e Hermione pegou a varinha, bateu no canto da xícara que estava ali, sem que ele visse, o líquido se transformou em um inofensivo chá de maça.



“Bom, eu poderia ter jogado o chá fora, mas quero ter certeza de que ele me veja bebendo esse chá...para que não tenha dúvidas de que eu bebi...”



Draco pegou a mala para ela, e depois saiu do closet.



-É, essa aqui né?_ perguntou olhando a mala, desconfiado



-Obrigada_ disse ela fingindo não parecer furiosa_ fingindo fazer algo com a mala, mas em seguida guardando-a no closet.



-Não vai tomar seu chá?_disse Draco apontando para a xícara.



“É esse mesmo o seu plano não é? Você quer que eu tome de qualquer jeito sua poçãozinha...Mas é claro que eu vou tomar, só que vai ser o meu chá de maça!!! Ah Malfoy, se você soubesse a vontade que eu estou de jogar esse chazinho quente nessa sua carinha... Isso seria uma ótima idéia, quem sabe de uma cara deformada como a sua ela ficasse um pouquinho melhor mais tostadinha!!! O que acha???”



-Já que você insiste_ a garota, com os dedos leves pegou na xícara e tomou todo o líquido que tinha dentro_ uma delícia, mas o gosto está um pouco estranho, tem certeza que não pos nada aqui dentro?_ Draco ficou pálido...



-Mas claro, que não, que bobagem é essa!!! Eu não coloquei nada aí, é apenas um chá de maça!!!_Draco totalmente tenso, e Hermione segurando o riso, para que não estragasse tudo.



-Não precisa se defender, eu não disse ontem que confiava em você? Então...eu estou confiando, bebi o chá e agradeço pela gentileza..._ terminou secamente.



“Agradeço sim seu doido, envenenador barato, acha que eu sou idiota? Realmente você pensa que eu sou uma completa idiota, a ponto de não te conhecer o suficiente para saber que, caras como você não oferecem chás amigáveis pela manhã, aos seus inimigos.”



-Bom, acho melhor você ficar pronta em um instante, precisamos descer...COMER, e comer bem. Entende onde eu quero chegar né?



- Já entendi Malfoy, mas você não vai precisar esperar muito, não sou uma daquelas patricinhas frescas, das quais você costuma sair_ depois disso ela sorriu, um comentário alfineteiro mas sem iniciar uma longa discussão, esperava que Malfoy não desse bola realmente, e ele não deu.



Draco, torceu a boca, e saiu do quarto.



Hermione não demorou mais que 5 minutos, com os cabelos cacheados presos em um rabo firme, perfumada, e alinhada dentro do uniforme, Draco não tinha como criticar, ela parecia bem, e centrada.



“O chazinho milagroso já deve estar começando a fazer efeito” Pensou o sonserino.



Os dois sem trocarem palavras, fizeram o percurso até a mesa onde estava servido o desjejum.



Hermione e Draco sentaram e ela puxou papo.



-Espero que Skeeter não esteja lá...



-Vai estar..._disse Draco com convicção



-Sério??? Mas que droga_ suspirou Hermione um tanto decepcionada.



-Ela tem um contrato com a competição, ela faz a cobertura total de todos os acontecimentos, dentro e fora desse casarão, locais de prova, resultado das provas, e os comentários peculiares, aqueles dos quais alguns ficam com raiva, e outros ficam sorridentes quando leem, se é que me entende_ Draco fez com quem ela lembrasse do jornal_ tudo! Essa mulher vai monitorar cada pedacinho de WhiteVille...vasculhar cada parte disso, onde estaremos ela estará.



- Juro que se ela escrever algo sobre mim de novo eu...



-Você o que? Vai amarrar Skeeter num penhasco? Vai arrancar os cabelos dela? Granger, você profere todas as ameaças mas sabe que lá no fundo, não vai fazer nada a respeito disso, e eu penso que é melhor que se estiver falando sério mesmo, não faça nada...



-Como não vou fazer nada? Deixar ela falar o que quiser sobre mim, e meus amigos? Como consegue ser frio a ponto de não se sentir lesado por ela?



-É claro que me senti lesado, mas Granger, tente entender, Skeeter, tem sem sombra de dúvida sua legião de cabeças de vento, que adoram o que ela escreve, veneram cada palavra que ela edita naquela droga de profeta diário. Porém tem gente que não acredita, e que sabe como ela é uma fraude. Tem que manter a calma, pense bem, você faz algo contra ela, e ela sobrevive... Bom, no outro dia ela escreve que você está possuída por Lord Voldemort, como iria se sentir??? Ela mente, é falsa, e acima de tudo sensacionalista. Ignore e seja discreta..ainda é a melhor forma de se livrar dela.



-Eu sinceramente, não entendo esse seu “jeito” de lidar com as coisas_ Hermione serviu no prato um pedaço de bolo_ aliás, de onde tirou tanta diplomacia??? Isso não faz parte dos seus hábitos...



Draco riu baixo para que apenas ela escutasse, apoiou os braços na mesa, e sem colocar as mãos nos cabelos jogou pro lado as mechas que atrapalhavam.



Hermione bebeu um pouco de suco, mas ainda resmungava um tanto decepcionada.



- Mas um dia Rita Skeeter há de me pegar em um dia de TPM..



- Tenho curiosidade de saber em que espécie de animal você se transforma quando está na TPM? Certamente algum tipo de que precise de uma jaula com grades bem forte revestidas de um metal bem forte _depois ele riu.



-Não queira pagar para ver...engraçadinho_ela fingiu se sentir ofendida.



Por mais que os dois conversassem coisas sem importância, apenas Hermione parecia tensa, o fato de haver feito uma poção com o intuito de fazer Hermione ganhar velocidade, era o que tranqüilizava Draco, mas não Hermione, que parecia estar com um peso enorme nas costas.



Naquela manhã Hermione ainda não tinha visto Bryan, mas não demorou para que ele aparecesse, e tomasse seu lugar na mesa, um tanto longe do dela. Os nomes nas cadeiras não eram obrigatórios para as demais refeições que não fossem as formais e ele bem que poderia ter sentado mais perto dela, mas evitou pois a presença de Draco era incomoda para ele. Hermione acenou para ele de leve, e ele retribuiu com um sorriso e um aceno com a cabeça.



Draco o encarou e ele logo desviou os olhos da direção em que os dois estavam.



A percepção de Hermione, foi direto ao ponto, havia entendido porque Bryan desistira de olhar para ali, Draco já conseguira ser desagradável com ele.



Os dois não trocaram mais palavras, apenas um breve “vamos”, por parte de Draco quando terminou de tomar o café da manhã, limpou a boca rapidamente no guardanapo, e levantou. Hermione foi atrás dele, no mesmo momento.



Se dirigiram para o gramado dos fundos do hotel, o lindo jardim que despontava, Hermione olhou para cima, e pode ver a janela do quarto fechada.



Havia tantas coisas em sua cabeça que esquecera do barulho que ouvira pela manhã, agora seu peito estava cheio de nervosismo e ansiedade. Olhava para a tranqüilidade de Draco e sabia o motivo e isso a deixava pior. Não sabia se sentia raiva dele ou se sentia medo de não conseguir se sair bem.



Muitos dos competidores já estavam ali esperando, não tardaria muito todos estariam e se dirigiriam para o local da prova, porém enquanto isso teriam que esperar, e quanto mais a espera aumentava, mais Hermione ficava apreensiva.



E a pergunta fulminante veio:



-Está nervosa?



Ela respondeu de cara, como se as palavras fossem atiradas para Draco.



-Se você tivesse que fazer uma prova, sobre algo que você aprendeu na véspera, e nessa prova você fosse obrigado a tirar a nota máxima, como estaria se sentindo?



-Bom acho que isso responde a minha pergunta. Não fique nervosa_ Draco segurou no ombro dela e olhou nos olhos dela, e Hermione sentiu-se mais nervosa que o normal_ Você irá se sair muito bem, eu garanto.



E aquelas palavras ficaram no ar ‘...eu garanto...’ conseguiram fazer o sangue de Hermione borbulhar. Ele não tinha consciência da trapaça que fizera, e o pior de tudo sem que ela (a mais interessada) fosse avisada.



As contas, ela pensava, se acertariam depois. Daria tudo de si para vencer a prova, faria o possível para se tornar hábil em voar, agora seria questão de honra, mostraria a todo custo, que não precisava de poção nenhuma para vencer.



A poção da rapidez era interessante, pois depois de tomá-la, uma mancha azul, de alguns centímetros aparecia nas costas de quem a tomara, uma marca fácil de identificação, mas que não estaria visível no corpo de Hermione, pois não tinha consumido o líquido.



“Se eu conheço Draco, em algum momento ele vai pedir para olhar as minhas costas, tenho certeza, mas acho que vou deixar a surpresa para um minuto antes da corrida, para que ele realmente sinta medo de perder...”



Os minutos correram rapidamente, e antes que percebesse, todos os componentes das equipes estavam ali prontos. O nervosismo era algo presente, por mais que tentassem parecer seguros, eles não estavam.



Meredith, surgiu por entre os participantes, esbarrando em um deles e quase deixando que seus óculos caíssem, ela era uma mulher de cabelos castanhos, e que sempre estava com eles em um coque não muito firme, de estatura mediana, parecia alguém um pouco desatualizada, mas extremamente organizada e séria.



Apenas respondia o que lhe era perguntado, era magra, naquele dia vestia uma calça, e sapatos de salto baixos e grossos, uma camisa branca alinhada, por dentro da calça marrom, e um broche antigo na camisa, as cores das roupas pareciam mudar mas o estilo era o mesmo.



Segurava nos braços muitos papéis, e parecia sempre estar preocupada, essa manhã em especial, Hermione já havia visto algumas vezes sua expressão centrada e aflita, Montevilla devia cobrar muito dela, e ela parecia ser alguém que obedecia muito bem as ordens.



-Bem, espero ter a atenção de todos, preciso que me escutem e sigam as instruções_ ela pegou alguns papeis mais rapidamente do que o esperado, e começou a ler_ vou chamar cada equipe em ordem alfabética, e assim que chamar, se aproxime como no outro dia e através da chave de portal, irão se direcionar para o estádio Druida Cliodna. Quero ressaltar que a partir do momento que chegarem se dirijam a tenda da comissão que estará montada, à direita do estádio, perto das arquibancadas da direita, obviamente. Ficarei aqui até que a última equipe se direcione para a chave de portal, depois irei também.



Todos se olharam e houve burbúrios como sempre, mas as equipes já estavam quase todas organizadas.



-ANIMUS_ ela chamou a equipe e logo essa atravessou a chave de portal_ AUDACIUS_ eles se dirigiram até a chave e em instantes estavam no estádio.



Depois da viagem desconfortável, e um tanto nauseante, os dois puderam ouvir a voz de Montevilla com uma empolgação maior do que nunca, chamar a equipe ANIMUS, e a dupla que havia chegado antes deles, atravessou todo o estádio correndo, e acenando para todo o publico que estava nas arquibancadas torcendo e assistindo, se dirigindo desse modo até a tenda da comissão.



-Ei Malfoy, ninguém disse que teria gente assistindo!!!!!!!!



-E você pensou que ia ser algo anônimo????_disse Draco, duvidando da inteligência dela.



-...E a próxima dupla, vinda da Escola de Magia e bruxaria de Hogwarts, é ..AUDÁCIUS!!!



-Vamos, acene, e tente conquistar o público!!!



-Mas eu...mas....



A garota começou a tremer. “O que eu estou fazendo aqui..??????”_aquilo martelava na sua cabeça.



Draco pegou na mão dela e a puxou para o meio do estádio, muitas pessoas gritavam, outras acenavam, outras vaiavam, enquanto Draco acenava e jogava beijos ao público, Hermione um pouco constrangida tentou imitá-lo. Estava vermelha de vergonha depois que conseguiram entrar dentro da tenda, que parecia estar a muitos quilômetros de distância, inatingível.



“Mas que droga!!! Agora além do vexame que eu vou dar, ainda vai ser em exibido para o mundo bruxo todo. Isso é uma maravilha, quem sabe depois que eu for arruinada, o Cirque de Soleil me contrate como principal atração”



O desespero tomara conta de Hermione, respirar estava ficando difícil, e já começara a se arrepender de não ter tomado a poção.



-Você não pensou mesmo que um evento dessa categoria seria entre quatro paredes não é mesmo? O mundo bruxo está louco para ver, a juventude promissora que está chegando...os melhores dos melhores!!!_ os olhos de Draco brilhavam, como podia ser tão exibido?



-E saber que nós não somos os melhores dos melhores..._disse Hermione vagamente.



-Quer parar de pessimismo? Olha, até podemos não ser os melhores, mas pelo menos somos os mais sortudos...isso somos...



-O que te leva a pensar assim?



-Brigamos, discutimos, e como castigo, ganhamos a maior oportunidade das nossas vidas. Além disso, temos o Montevilla que nos ajuda muito e com a minha esperteza, e a sua inteligência...Bom, acho que temos boas armas para vencer...



“Se esperteza, for o mesmo que fazer uma poção ridícula, para ganhar uma competição dessas...então você é muito esperto....dãããã!!!!”



-Nossa...você está progredindo Malfoy, está até admitindo que sou inteligente...



-Você pode estar cheia de defeitos Granger, mas você é inteligente!!!É uma cdf!!!é sim...



-Que gentileza a sua..._disse sorrindo amarelo.



-Bom, você já deveria saber que sou um gentleman, é por isso que tenho o dom de conquistar as mulheres. Sabe, elas vem até mim, me desejam, caem aos meus pés. Confesso que no começo eu não entendia o porque, mas com o tempo eu cheguei a feliz conclusão de que era praticamente perfeito, e que eu tenho um carisma especial para atrair garotas, mas infelizmente, não são todas que me agradam, e não posso ficar com as mais feias, não sou chegado a fazer caridade...se é que me entende...



Nessas alturas Hermione já tinha saído de perto dele, pois aqueles comentários narcisistas davam nojo.



Quase todos os competidores haviam chegado, e agora faltavam poucos minutos para que a grande corrida começasse.



Bryan já estava lá, mas ele não pode conversar com ela, apenas sorriu e passou. Hermione não teve a felicidade de escapar de Núbia, ela passou por ela e esbarrou com vontade. Hermione fingiu não ver, já tinha problemas demais para dar atenção para uma fedelha de cabelo lambido.



O fato de ter uma biblioteca no hotel, havia a deixado mais tranquila, pelo menos saberia onde tirar as suas freqüentes dúvidas, sobretudo a da noite passada, a do feitiço Adductos.



Pegou a varinha que estava no bolso e examinou, mas ela parecia estar igual, porém ainda não fizera nenhum feitiço depois daquele, e não sabia se ainda estava normal. Mas deixou isso pra depois, não utilizaria a varinha no momento a menos que por algum motivo tivesse que transformar Núbia em papel de parede cor cocô.



Os 30 competidores estavam ali, Montevilla tinha um palanque dentro da tenda, do qual daria com certeza as ordens, para o início da competição.



-Já chegaram todos?_ Montevilla perguntou a mulher da fiscalização, e ela acenou com a cabeça afirmativamente.



-Bem, Senhores e senhoritas, já que todos chegaram, tem muita gente aí fora não é mesmo?_o bonachão riu eufórico_ Isso quer dizer que não temos muito tempo a perder, e portanto devemos começar o mais rápido possível!!!



Hermione pouco ouvia o que se passava em volta, quem na situação dela prestaria atenção, em outra coisa que não fosse na sua própria responsabilidade, que caminhava numa corda bamba.



Ninguém disse nada, estavam esperando ávidos as coordenadas para darem início a competição.



-Alguns de nossos monitores estarão, ao longo do trajeto para caso alguém se machuque ou precise de socorro, vocês poderão identificá-los certamente pelo uniforme azul escuro e o chapéu com o emblema da competição. Bom, alguns deles irão auxiliá-los também para que se posicionem no local correto. Como já sabem um membro da equipe ficará no início, o outro estará na metade do percurso. As vassouras são todas iguais e foram conferidas previamente, por isso a vantagem dependerá de vocês e não da vassoura que terão.



O percurso como sabem é em linha reta, e não colocamos obstáculos dessa vez. Como o estádio possui 4 km, que é o trajeto. Porém não pensem que não estão sendo observados, se verificarmos trapaças, mesmo que o competidor ganhe a corrida, ele será posto em último lugar com 10 pontos.



-Não haverá desclassificação?_perguntou um rapaz que estava no fundo.



-Jovem Filip, não haverá. Bom, essa competição não tem o intuito de retirá-los, mas sim provar quem é o melhor, a pontuação decidirá tudo, mas creio que 10 pontos é uma significativa desvantagem.



Os burbúrios começaram, mas pararam em seguida.



-Sem mais perguntas?_disse Montevilla.



-Acho que agora então é a hora da foto!!!!_uma voz de fora adentrou na tenda, chamando toda a atenção... Rita Skeeter_ Antes da corrida, vocês precisam tirar a foto!!! Que tal você garoto, na frente...todos vocês, fiquem do lado dele aqui...



Bom. era algo totalmente esperado. Hermione fez questão de não sorrir.



-Então agora podem se dirigir para fora, os ajudantes mostrarão a vocês seus lugares_ disse Montevilla.



Os rapazes e moças de azul, deram as vassouras a cada um, e pediram que os acompanhassem subindo até as marcas.



Antes Draco olhou mais uma vez para Hermione que parecia estar extremamente distraída e séria. Caminhou até ela e pegou na sua mão...



-Para de tremer!!! Porque está assim...



-Eu não sei se consigo _disse olhando para ele, enquanto em vez de tremer suas mãos suavam..._eu não vou....conseguir...pelo menos ao na frente de tanta gente.



-Relaxa, é duro admitir, mas você voou bem ontem, faça o que fez no treino e nos sairemos bem. Se esforce pela equipe Granger...pela equipe. É impossível que passando tanto tempo com o Potter e não ter aprendido nada com aquele idiota!!!



Hermione ainda não era muito hábil, mas tentou montar na vassoura com segurança.



Na subida Draco olhou para Hermione e sorriu para ela confiante.



-Você vai conseguir...eu sei disso!!!



-Boa sorte pra você...



-Se deseja sorte para quem não está preparado Granger. para quem está se deseja sucesso...



-Então...sucesso..._disse Hermione com dificuldade para sorrir_ mas eu me conformo com um “boa sorte”.



Draco riu. Ela não. Ainda se sentia confusa, porque por mais que desconfiasse do chá, ela não tinha certeza, e ele falava tão sinceramente que por alguns instantes ela até acreditara que ele não teria capacidade de enganá-la.



Os dois foram para os postos, Hermione já não conseguia ver perfeitamente os competidores. Teria então que se concentrar, para sincronizar perfeitamente, com ele para que não perdessem. No momento que ele chegasse e lhe entregasse o bastão, teria que correr, o máximo possível. Tremia, tinha medo de mostrar aos outros que estava com medo.



“O que eu vou fazer, preciso me concentrar...Vamos Hermione você consegue, claro que sim... Precisa confiar em si mesma e voar...é só isso voar...não desista agora...precisa fazer o seu melhor, Harry te apoiaria, Harry diria para confiar em si mesma, se meus amigos estivessem aqui... Preciso vencer, Dumbledore confiou em mim, e não vou desapontá-lo!!!”



-Preparada para perder garota neurótica?



A voz era inconfundível, Núbia o esterco da galinha que se locomove, acabava de chegar.



-Eu não sabia que os urubus falavam, é a primeira vez que vejo um assim, seria uma magia, ou um milagre da natureza...



-Posso te pedir um favorzinho???



“Só se for pra te ajudar a descer da vassoura mais rápido”



-Diga ao Draco que estarei esperando para comemorar a “minha vitória” com ele...



-Ótimo, quem sabe vocês não acasalam e criam uma nova espécie de animal fantástico!!!!



“É, claro que eu vou passar o recado pra você, só me diz certo, se quer que eu diga no dia 30 ou no dia 31 de fevereiro de 2080”



Núbia torceu o nariz.



-Tenho pena do Draquinho por ter uma coisa tão ridícula da equipe dele, mas quem sabe quando você estiver fora... Ele não terá de passar mais tanta vergonha.



“Draquinho???Porque ela me lembra Pansy Parkinson ????Porque será que eu tenho a impressão de que as duas são da mesma laia??? Será que é porque as duas são desprovidas de cérebro, e possuem uma obcessão estranha ao se referirem ao Malfoy???”



Se Hermione não estivesse segurando a vassoura, teria agarrado o pescoço dela ...porém, naquelas condições, qualquer movimento poderia ser fatal, então se conformou em fazer isso em outra oportunidade. Núbia atirava facas pelos olhos, mas Hermione retribuía na mesma medida.



-Você falando de equipe? Quantos galeões seu titio rico teve que pagar pra te colocarem aqui? Deve ter sido muito, ele não costumam aceitar animais nas equipes.



-Olha aqui sua..._Núbia parou de falar quando viu um dos ajudantes da comissão se aproximar.._a nossa conversinha não termina aqui...



-Nossa, eu não sabia que estávamos conversando? A esqueci que você é uma raridade na sua espécie!!!”



-PREPAREM-SE COMPETIDORES!!!!........NAS SUAS MARCAS.....FOGO!!!!



Estava dada a largada.



Hermione segurava a vassoura firmemente, enquanto esperava Draco, tinha medo de olhar, será que ele estaria se saindo bem? Ele precisava correr bem, para que tivessem alguma chance, e ele ia correr Hermione acreditava nele.



Draco vinha com velocidade, nenhum membro da equipe parecia querer atrapalhar, por enquanto as máscaras não haviam caído, e ele sabia que mais cedo ou mais tarde, muitos dali seriam inimigos, e tentariam deixá-lo em desvantagem, mas era a lei da sobrevivência, e ele não se sentia alarmado por isso, era apenas mais uma etapa do jogo: a concorrência.



Ele voou, e ganhou terreno, estava chegando. Ele voava, quase tão bem quanto Harry Potter, a diferença entre eles, era que Draco voava com a técnica, e a prática, Harry voava com o talento e o coração, e isso era o que fazia a diferença.



Mas o que importava naquele momento não era se Harry voava melhor, mas sim se os outros 15 voavam melhor que ele.



Um rapaz castanho, magro e ágil, estava na sua frente, mas era rápido demais. Em dois km não conseguiria passá-los, seus pensamentos foram até Hermione, era a esperança da virada, e na verdade não confiava nela, mas sim na poção que ela havia tomado.



“Tomara que aquela porcaria faça efeito, é a nossa chance de vencer...Vamos Granger, corra com toda a sua força...”



Draco se aproximava, Hermione com a mão firme na vassoura, estendeu o braço na direção de Draco esperando o bastão que ele trazia.



“Vamos Malfoy, por favor...vamos logo...”



Hermione estava mais tensa que o normal, era a hora de voar...



Draco chegou até o posto e entregou o bastão em questão de segundos, e ela só pode escutar ele gritar, depois que estava há alguns metros dele...



-VAMOS, GRANGER VOCÊ CONSEGUE!!!



“Eu consigo???Espero sinceramente que você esteja certo”



Hermione podia ver 5 garotas a sua frente, ela precisava tirar o atraso, mas como? Aquelas garotas voavam muito...



“O que vou fazer por mais que eu corra, não consigo alcançá-las...ei mas espere aí, quem é aquela menina na 2ª posição? É A NÚBIA....!!!! Hermione, você vai deixar aquela ridícula te vencer? Vai agüentar as provocações dela quieta, sem poder responder??? Vai agüentar a humilhação??? Onde está a Hermione forte, brava, e determinada que estava aqui dentro??? Vai deixar ela vencer???????? VOCÊ VAI DEIXAR ELA VENCER HERMIONE???????????????”



Hermione segurou com mais vontade a vassoura, e se firmou nela como se estivesse no chão, ganhou estabilidade, e agora podia avançar



-MAS É CLARO QUE EU NÃO VOU DEIXAR ESSE URUBU ME VENCER!!! HOJE NÃO NÚBIA COCÔ DE BARATA!!! HOJE É O MEU DIA, VOU VOAR E VOU PASSAR VOCÊ!!!!OU EU NÃO ME CHAMO HERMIONE GRANGER...



O que poderia ser mais forte que a vingança???? Aquele era o jato que impulsou Hermione, e teria algum mais poderoso que esse???



Draco não conseguia ver como Hermione estava na competição, mas podia ver que estava em desvantagem e isso diminuiu suas esperanças para metade.



Começava a esfregar as têmporas nervoso, o que estava acontecendo com ela? Porque a poção não havia dado resultado?



“Droga, mas a corrente sanguínea da Granger deve ser protegida com um dispositivo contra trapaças...será possível que fiz errado essa poção??? Vamos perder!”



Draco havia parado de olhar para Hermione, só conseguia criticar o seu desempenho...



Dois garotos do seu lado começaram a conversar.



-Mas quem é aquela garota???



“Agora vamos perder ficar em desvantagem. Não vamos mais ser funcionários do ministério e fim de história. Como pode voar tão mal, não adianta nem que te treinassem por séculos você seria uma nulidade. Mas claro só sabe usar esse cérebro é a única habilidade que tem nesse seu corpo...”_ Draco parecia não acreditar, as lágrimas quase saíam dos seus olhos, o nervosismo era visível.



-Olha como ela voa rápido!!!



-Sim parece que ela deixou para correr no final, uma boa tática, espero que não passe Damodara...



-Bom acho que ela passou Áquila, eu sempre soube que ele não voava bem, mas espero conseguir recuperar os pontos nas próximas provas!!!



-Nossa ela está passando a Núbia, eu nem quero ver a cara dela quando essa corrida acabar...



Quando o garoto disse isso, Draco resolveu olhar para a corrida, e a garota que havia passado Núbia era Hermione...



Suas esperanças voltaram e o seu sorriso quase rasgou a boca, e começou a gritar.



-É ISSO GRANGER!!!EU SABIA QUE VOCÊ IA CONSEGUIR!!!EU SEMPRE DISSE QUE VOCÊ VOAVA BEM!!!_Draco vibrava, estava muito feliz, como há muitos dias não se sentia.



Depois de uns poucos minutos, os garotos vestidos de azul marinho, pediram para que todos descessem pra o encerramento das atividades.



Draco saiu eufórico em disparada para o chão.



Hermione nos últimos metros do trajeto havia fechado os olhos, não sabia se era o nervosismo, a vontade de vencer, ou se era o medo de saber o resultado, que fazia com que perdesse a noção do tempo, e do espaço depois de cruzar a linha de chegada, ela parecia ainda estar em transe...o que teria acontecido então??? Teria perdido a corrida? Pra ela era a resposta mais provável, e menos desejada..



“O que aconteceu? Perdemos? Vencemos?Não tenho coragem de olhar, nem mesmo de pensar...”



-Vamos descer garota!!_disse um rapaz bonito, de roupa azul escuro..._O que está fazendo aí...todo mundo já está descendo, e você ficou parada....está se sentindo bem?



Ela havia aberto os olhos e dado de cara com um rapaz muito gato!!!



“Eu estou no céu? Será que eu caí da vassoura, e estou vendo anjinhos??? Se eu caí então e vim pro céu é porque eu não sou tão má assim. Então só posso acreditar que tudo o que fiz ao Malfoy, foi certo, e atrapalhar a vida dele foi uma atitude correta. Bem quem sabe agora eu serei recompensada!!! Não pira o cabeção Hermione...”



-Eu...bem eu.. eu estou bem...eu acho...



-Acho que você precisa tomar uma água, não parece muito bem, quer que eu te ajude a descer?



As bochechas dela ficaram rosadas...



-Não...eu estou bem_ ela sorriu para ele...



O rapaz não acreditou, mas seguiu ela até o chão.



-Quem ganhou a corrida???_Hermione se sentiu boba ao perguntar.



O rapaz riu dela.



Ela achou um tanto deboche dele, e o encanto da primeira impressão, caiu por terra. Só uma pessoa conseguia ser indelicada e estúpida e mesmo assim ser extremamente atraente: Draco Malfoy.



Hermione finalmente aterrizou, sentir o chão de baixo dos pés era muito melhor do que não ter nada em baixo deles. Desceu da vassoura com cuidado, podia cair a qualquer momento, a adrenalina no seu corpo ainda o deixava trêmula e vacilante.



Todos os componentes das equipes estavam dentro da tenda, e o público do lado de fora gritava e esperava ancioso o resultado, que ainda estava incerto. Hermione caminhando devagar, foi para a tenda, mas alguém puxou o seu braço assustando-a.



-Vai levar a vassoura com você senhorita....?_o garoto dos olhos castanhos, olhava para ela e ainda ria debochando.



-Porque eu deveria falar o meu nome?_ela jogou a vassoura para ele e saiu.



-Porque mesmo que você não fale eu vou ficar sabendo qual é..._o rapaz ainda ria.



Hermione se sentia constrangida pelas gracinhas, do garoto.



-Você não é a garota da reportagem do profeta diário é?



-Não se preocupe, não te achei bonito e nem atraente, a menos que você seja famoso ou seja herdeiro de uma super fortuna, aí sim irei me interessar por você. Não foi isso que aquela maluca disse sobre mim?



-Não precisa se defender desse jeito...só fiz um comentário... _o garoto caiu na risada.



-Não era minha intenção ser tão direta, mas você não é o primeiro a me amolar por causa disso, já recebi vários comentários, nada agradáveis, se quer saber isso aqui é uma selva e está cheia de animais perigosos e não quero me tornar o “almoço” deles...



O garoto parou de rir dela, como se a resposta mexesse com ele. Ela baixou os olhos, e entrou na tenda se dizer mais nada.



O barulho era imenso no local e Hermione teve certeza de que estava certa, a respeito de ter empregado a palavra “selva”, para aquele bando de competidores sanguinários...



Ela ficou em um dos lados da tenda, observando os gritos, os risos, e as reclamações de todos, a quietude do momento “pré-corrida”, não se parecia nada com o “pós-corrida”. Resolveu não se meter em nenhum tipo de conversa. Ainda não conseguia ver onde Draco estava, mas também aquilo não fazia muita diferença. Procurou Bryan por alguns instantes, mas pensou tê-lo visto conversando com uma equipe do Egito, e não quis atrapalhar.



-Nossa, a garota neurótica também, é anti-social...???_ Núbia riu, se aproximando da garota junto de mais alguns competidores que a acompanhavam.



A voz de taquara quebrada, som inconfundível, importunaram os ouvidos de Hermione, já sabia quem era, e apenas respirou fundo, sabia que por mais concentrada que estivesse, a sua paciência se consumiria em breve, se ela continuasse a falar.



“Talvez se eu não responder, ela pare, e caia fora...”



Hermione fingiu não ouvir, e tocou a mão no bolso instintivamente, e segurando a varinha nas mão, mas sem sacá-la.



-Nossa além de anti-social, ela é muda!!! Ou talvez ela não se sinta bem perto de gente normal. Pessoas com transtornos emocionais, não devem estar no convívio de pessoas normais..._todos pareciam rir.



Núbia chegou bem perto do ouvido dela, e disse em tom baixo:



-Não pense que isso vai ficar assim garotinha imunda, eu vou vencer essa competição por mais que você tente, não vai conseguir, então é melhor que desista logo, se não quiser sofrer as conseqüências. Você vai passar muita vergonha ainda, nesse campeonato...e isso não é uma ameaça é uma promessa.



Hermione não tinha mais controle...agüentaria tanta provocação? Mas é claro que não...



-Não tenho medo de você _Hermione sorriu suavemente_ porque eu teria? Quem é você pra ameaçar alguém? Passar vergonha...é tem razão você entende bem disso...aliás já está me fazendo passar vergonha com esse seu jeito de ser insuportável que as pessoas tem nojo e só aguentar porque querem algo de você porque é riquinha...Bom, não sou de dar conselhos, mas se eu fosse você, colocava um saco de papel na cabeça antes que a sociedade protetora dos animais bruxos processe os seus pais por contrabando de animais silvestres... Aliás eu queria saber de uma coisinha, no que eu estou te atrapalhando nessa competição? Você vem me azucrinando desde que cheguei e eu ainda não entendi porque. Se pudesse me explicar porque me odeia tanto eu entenderia toda essa provocação infantil e sem sentido...



-Você é muito petulante mesmo, sabe com quem está falando?



-Bem, até onde eu sei, com uma menina metida, que pensa que por ser sobrinha do ministro da magia, pode pisar em todo mundo...me parece não ter caráter nenhum, e educação, muito menos...



-Você vai se arrepender por isso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



-Por eu ser precisa nas descrições????? Não mereço castigo por falar a verdade!!!Ou mereço?



-Você é filha de trouxas, não devia estar participando de um campeonato para bruxos. Nem sei porque permitiram. Isso não é lugar para você, garotinha de sangue-ruim, espero que não se anime, ninguém vai permitir que alguém como você, vença um campeonato como esse!!!!Sangue sujo...sujo por trouxas, seres desprezíveis, inferiores...e junto deles está você, que mancha a honra de qualquer bruxo puro!!!!



Ela tinha pegado pesado, por enquanto não havia tocado nisso. Mas era um assunto que Hermione não gostava. Passava de uma simples provocação, para um terrível pesadelo, como ela poderia falar assim? Ser filha de trouxas...o que teria de mal nisso? Porque tanta repulsa por trouxas???Isso conseguia deixar Hermione sem chão...



Mas antes que pudesse dizer qualquer coisa, uma voz parecia ter chegado para acabar com a discussão.



-Por que não deixa ela em paz Núbia?



-Você??? Defendendo “essazinha”, bom já era de se esperar... está fazendo certo, em se envolver com gente do seu nível...



-O nível dela com certeza é bem melhor que o seu. Aliás ela é uma pessoa bem melhor do que você!!!



-O que???



-Isso mesmo que você ouviu...você não chega aos pés dela...o que você é Núbia??? Dê uma olhadinha na sua repugnante história, e veja o que você fez de bom...NADA...enquanto seu esporte favorito for, humilhar as pessoas, garanto que você nunca passará de uma garota insuportável, de vozinha irritante!!!!



-Você esquece que já fez parte dessa “repugnante” história..._rebateu Núbia, sem se estressar.



-Era só porque eu ainda não tinha acordado pra vida, e visto quem é você de verdade...



-Por favor!!! FUI EU QUEM LARGUEI VOCÊ... EU QUEM NÃO QUIS VOCÊ...Você é um perdedor Bryan...um PERDEDOR!!!



-Não fale assim com ele, porque a conversa é entre eu e você!!!_Hermione começou a falar antes que Bryan se expusesse mais do que já estava.



-Já que ele tomou suas dores, tem que arcar com as conseqüências, ou é covarde para isso também?



Antes que qualquer dos lados pudesse dizer mais alguma coisa...Montevilla tomou a palavra, e fez com que todos se calassem.



-Senhoras e senhores, antes de passar o resultado definitivo da corrida, peço que tenham paciência que tenho um comunicado muito importante a fazer.



Nessa momento, Draco surgiu, do meio da multidão e caminhou até Hermione, enquanto os atletas paravam de falar...



-Onde você estava????_perguntou reclamando.



-Aqui, nesse mesmo lugar...



-E porque demorou para chegar, achei que tivesse acontecido algo...



-É, quase aconteceu_ pensou ela, na discussão que teve com Núbia, por pouco não havia transformado ela em um inseto.



-O que, você disse?_perguntou Draco um tanto confuso.



-Pensei alto...só isso...



-Granger!!!_disse ele sorrindo..._ eu não sei ao certo, mas acho que fomos muito bem, ficamos muito bem colocados!!!!Eu disse que você iria conseguir...



Hermione tinha ouvido direito??? Eles tinham ido bem??? Agora uma ponta de esperança começou a brotar dentro dela, será que ela havia conseguido mesmo???



-Acho melhor escutarmos o que Montevilla tem a dizer..._ponderou...



-Granger, como consegue fazer uma cara dessas numa hora dessa?A gente foi bem, escutou o que eu disse!!!???? Você voou muito bem!!!



-Em todos os anos de campeonato_ continuou Montevilla_, muitas foram as trapaças usadas para que as equipes alcançassem a vitória. Em decorrência disso surgiram muitas injustiças, pois não se fazia nenhum tipo de verificação ou controle. Muitos foram os prejudicados, sendo que os meios ilegais utilizados para atingirem os resultados, eram descobertos somente depois do campeonato, quando já não se podia fazer mais nada. Esse ano a comissão organizadora achou por bem, evitar esses constrangimentos, e injustiças. Portanto antes de darmos o resultado definitivo, faremos um exame nos atletas, de forma que saberemos, se houve utilização de magia, poções ou feitiços que auxiliaram no desempenho da corrida. O exame será simples, e será necessário, apenas um fio de cabelo do participante, colocaremos em uma poção específica, e essa mudará de cor, e acusará se o participante usou ou não métodos “alternativos” , para se sair bem. Como já disse anteriormente, não haverá desclassificação, apenas passará para último colocado na competição, e será creditado apenas 10 pontos no score. Vamos então começar, pela equipe que tirou o 1º lugar na prova, venha até aqui equipe HIC ET UBIQUE, aproximem-se!!!



Draco que ria, parou imediatamente, e sentiu o estômago pular de pára-quedas para um abismo sem fim. Ele havia dado o chá para Hermione, ela havia tomado, eles iriam detectar a poção no organismo dela e sendo assim passariam para a última colocação, além de todo o vexame que passariam por terem trapaceado de uma forma tão óbvia.



Hermione percebeu logo de cara a reação de Draco, ele estava mais branco do que o normal.



“Agora chegou a hora da vingança Malfoy...”



A equipe chamada se aproximou, e os dois sentaram na poltrona, enquanto um fio de cabelo de cada um era arrancado, e posto dentro da poção pela fiscalização.



-P-porque eles precisam fazer esse teste???...Ninguém...quer dizer...ninguém...



-Nada mais justo_ disse Hermione com toda calma do mundo_quem vence, deve vencer de forma correta, pense bem se você estivesse em uma das últimas posições, iria aprovar esse teste “anti-feitiço”, não ia...???



“Vamos ver se com um susto desse você aprende a lição!!!”



-Mas..._Draco gaguejava...isso...não, não pode ser feito!!!



-Porque Malfoy!!!???_Hermione fingiu uma preocupação.



“É seu imbecil queria que eu bebesse o chá, não é??? É por isso que está nervoso? Você merece passar por essa agonia...e eu que não vou te contar. O erro foi seu, agüente as conseqüências!!!”



-Porque...é desnecessário....oras...



-Você parece meio nervoso...o que está acontecendo com você Malfoy? VOCÊ ANDOU TOMANDO ALGUMA COISA??? “Agora Hermione você vai ganhar o oscar!!!”_ Não vai me dizer que tomou...!!!! Se algo der errado nesse teste eu vou cortar o seu...



-Relaxa Granger...eu...eu ...não tomei nada...



-Tomara...para o seu próprio bem...



Hermione tentava conter o riso, Draco passava as mãos nos cabelos, limpando as têmporas suadas. Estava sendo muito divertido, ver Draco passando mal.



O teste dos dois foi negativo.



-Bem, agora vou chamar a equipe que ficou em segundo lugar, AUDÁCIUS...



Hermione olhou para Draco, aumentando a euforia...



-MALFOY!!! Nós tiramos o 2º lugar!!!!!!!!!!Não está feliz????????_ela pulou e o abraçou, tudo para deixar que ele ficasse pior do que estava...



-VOCÊ NÃO ESTÁ FELIZ???_perguntou a ela_ vamos que eles estão nos chamando para fazer o teste...!!!



Hermione caminhou decidida. Draco caminhava em direção a forca.



“Draco seu idiota, viu o que fez??? A Granger, vai te picar em pedacinhos e atirar seu corpinho sexy para os crocodilos. E você sua besta, acabou de jogar seu emprego no Ministério na fossa... por Merlim, o que eu fiz???”



Ele suava, suava frio, e podia escutar dentro de si previamente, os gritos de Hermione, ele tremia, as palavras saiam com sofrimento da sua garganta.



Primeiro retiraram um cabelo seu, e colocaram na poção, nada de anormal.



-O Sr. Malfoy passou no exame, agora vamos ver a senhorita Granger...



Hermione não tirava os olhos de Draco, o garoto não estava bem, ela nunca o vira tão nervoso.



“É, assim que você tem que ficar, nervoso, com medo, muito medo...quem sabe você não tem um ataque de nervos, cai durinho e me deixa em paz de uma vez...”



Os segundos não passavam, se arrastavam diante de Draco, que estava no limite do nervosismo, já pensava na reação de Hermione, e não gostava nada do que imaginava...



-Bem, agora vamos colocar o cabelo da senhorita Granger_ dizia Montevilla.



O cabelo ao ser colocado na poção parecia cair em câmera lenta, Draco visualizava a cena como se a poção fosse ficar negra, no momento que o cabelo de Hermione tocasse o líquido.



“Agora é o meu fim...” o garoto agonizava.



Mas a poção ficou azul, e ela havia passado no exame.



-A Senhorita Granger, também passou no exame, próxima dupla!!_chamou Montevilla enquanto dispensava os dois...



“Mas...o que aconteceu, tinha que ter...tinha que.... ter ficado escura... Ela, ela, ela... Tomou a poção!!! Eu mesmo vi!!!”



Hermione saiu caminhando furiosa, a vida estava sendo injusta e cruel demais com ela. Tinha que se defender de tantas coisas que não podia fechar os olhos por sequer um momento. Estava decepcionada, seus sorrisos falsos, foram trocados por um semblante fechado e lábios cerrados.



Draco atônito, por um instante, ficou parado ali tentando organizar os pensamentos, e entender o que acabara de acontecer.



Hermione saiu da tenda, com os olhos marejados, mas sem deixar que as lágrimas rolassem. Draco resolveu correr atrás dela, pois precisava entender toda a situação, porém. tinha medo de dizer qualquer coisa.



-Onde vai Granger!?!



Ela não pretendia falar com ele.



-Ei, Granger, me espera...



Ela ainda não falava nada, apenas caminhava com um passo constante.



Draco correu até ela e resolveu acompanhá-la, e naquele momento percebeu que algo estava errado.



-Porque que não me esperou???



Ela ainda esta em silêncio.



-Vai falar alguma coisa, ou vai me deixar aqui feito um idiota, conversando com as nuvens?



Hermione sentiu o braço dele segurar o seu, mas não se alterou.



-Poderia soltar o meu braço, como pode ver as minhas roupas estão amassando...



-Só se você parar de caminhar como uma neurótica, e conversar...



-Tudo bem..._ela concordou e ele soltou o braço dela. Mas a garota virou de costas e começou a andar novamente...



-EIIII, volte aqui..._ele a puxou novamente..._porque não fala comigo?



-Você quer conversar???_disse ela intrigada _ então tudo bem, já que insiste...que tal eu começar...



Draco ficou mudo, e se arrependeu amargamente por tê-la chamado.



-Ainda está nervoso? Tremendo? Suando frio? Parece que não, não é mesmo? Ficou tão tranqüilo de repente... reação curiosa. E eu pensei: Porque Draco Malfoy, um rapaz tão poderoso, cheio de si e confiante ficaria tão nervoso em um examezinho insignificante como esse, já que tecnicamente não está devendo. Ele é um rapaz inteligente, uma serpente venenosa e esperta, que bola planos geniais... Não tentaria de modo algum trapacear de uma maneira tão evidente, não é mesmo?  Malfoy, olha pra mim..._disse ela segurando o queixo dele que estava para baixo..._Foi por pouco não? Você não pensou que eles seriam idiotas, a ponto de não realizarem nenhum exame “anti-feitiço”, para pegar os trapaceiros de primeira viagem pensou? Acho que você subestimou a inteligência de um monte de bruxos experientes que já faziam magia muito antes de você nascer...



Draco agora apertava os lábios, com força.



-...foi a inteligência deles, mas principalmente a minha que você subestimou, a minha inteligência, o meu esforço a minha capacidade. Eu não treinei o suficiente Malfoy? Eu não me esforcei? Eu não levei a sério? Eu voei tão mal assim? Você foi ao extremo, ao extremo da idiotice, da canalhice, do desrespeito. Sabe onde nós poderíamos estar agora? Na última posição, sendo motivo de risos daquele bando de bruxos traiçoeiros, que só sabem humilhar e passar rasteira nos demais... Malfoy, temos inimigos demais para nos colocarmos como nossos próprios inimigos! Aqui ninguém está tem interessado em quem você é ou deixa de ser, aqui só estão interessados em vencer e somente VENCER... E não pouparão esforços para nos derrubarem...



-Mas então você não...



-Não, eu não tomei a poção se é isso que quer saber..._Hermione interropeu bruscamente.



-Como você...sab...



-Como eu sabia? Por Merlin Malfoy! Qualquer bruxo que esteja no último conhece muito bem o cheiro de maça que essa poção exala. Se fosse outra ocasião eu poderia ter tomado sem problemas, mas essa poção é de Rapidez, e ficou muito óbvio, sendo que se tratava das vésperas de uma prova de rapidez!!!



-Ta bom... e você queria que eu fizesse o que? Deixasse você e voar e perder???



-Ainda acha que está certo???



-Não Granger, mas entenda que...



-E por acaso eu voei mal? Se estamos em segundo lugar, não foi por causa da sua poção Malfoy. Nada vai servir de justificativa para isso...



Draco passava as mãos no cabelo e Hermione já não podia conter as lágrimas nervosas que saíam dos seus olhos.



-Você foi um irresponsável Malfoy_ agora Hermione soluçava_ é com certeza a única palavra capaz de definir uma atitude dessas. Tem noção da gravidade disso? Quase botou tudo a perder...



-Granger, você não sabia voar, queria que eu fizesse o que? Deixasse você perder se fazer absolutamente nada?



-Você não tinha o direito de arriscar sem me consultar, não tinha esse direito...



-E porque não me contou que não havia tomado o chá, eu quase morri lá dentro sabia????



-Porque eu iria contar??? Não era um simples e inocente chá de maça para acalmar os nervos???_ Os lábios de Hermione tremiam, e ela tentava a todo custo parecer forte na frente dele.



-Mas você sabia que não era, e não me disse nada, eu estava com os nervos a flor da pele! Eu estava mesmo mal lá dentro!!!



-Acredite você mereceu..._disse Hermione convicta.



Draco agora respirava com dificuldade, ela conseguia deixá-lo com uma vontade tremenda de sair dali.



-Está querendo me passar sermão??? Vá em frente...é sempre assim...você pensa que é a fonte de sabedoria do universo, ou que é a minha mãe...



-Mesmo depois de tudo, você não abaixa a cabeça e admite que está errado. Continua achando que fez a coisa certa, que sou eu a errada, que eu sou apenas uma moralista fajuta. Pode ser que eu seja, mas não fui eu quem arriscou toda a nossa jornada nessa competição, eu não fui inconseqüente...não fui irresponsável...



-Agora se acha a salvadora da pátria porque não tomou o chá e teve uma sorte tremenda de ter voado bem?



-Estou muito longe de ser a salvadora da Pátria, e eu não acredito que seja apenas sorte. Não quero jogar na sua cara o seu erro, você humano, até onde eu sei e os humanos erram, as vezes cometem loucuras. Mas entenda que eu também sou humana e pra mim é difícil de admitir certas coisas, principalmente vindas de você!!!!



-Eu não tenho que te escutar Granger, não tenho e eu vou sair daqui antes que..._Draco virou de costas para ela, não suportava aquela discussão, admitir erros não era uma coisa que ele fazia com freqüência.



- Agora, de tudo isso sabe a coisa que mais me dói???



Draco parou lentamente de caminhar, mas não virou para ela.



-Saber que eu não posso confiar em ninguém, saber que não valeu de nada o que você me propôs. Malfoy, por um instante ontem, eu percebi que não estava tão sozinha como eu imaginava, por um instante eu percebi que jogava no time de alguém, e que confiaríamos um no outro enquanto estivéssemos lutando pelo mesmo objetivo.Você disse isso pra mim, e hoje quebrou a própria promessa (e espero que seja punido igualmente pelo acordo). Devo ter entendido mal, e me enganado muito, afinal, porque alguém me apoiaria dentro desse lugar? Porque você me apoiaria? Já ouvi coisas terríveis nesses dois dias que estive aqui, de você, de Núbia, da Skeeter...Todo mundo resolveu acabar com a minha vida e me defendi sozinha. Agüentei firme no meu canto, e estou tentando não me deixar abater. Ontem eu não sabia voar em uma vassoura, hoje eu ajudei a conquistarmos o segundo lugar, em uma competição com os melhores. Me esforcei muito, fique preocupada, pensando que não iria conseguir!!! Mas nós conseguimos Malfoy, pelos seus e pelos meus méritos... meus Malfoy, e não de uma poção... Eu entendo que foi um golpe de sorte, eu poderia ter perdido, mas o que seria pior, ficar em uma posição inferior ou ficar na última posição...? Eu costumo ser mais moralista, e gritar mais em situações como essa... Mas você não me irritou tanto, quanto me decepcionou... Frustração me deixa cansada então, eu vou caminhar um pouco, respirar, e você pense melhor nas suas atitudes se quiser mesmo ganhar essa competição...



Apesar das lágrimas, Hermione tentava a todo custo se manter calma, na verdade ela se sentia mais arruinada e pisada do que irritada.



Por melhor que fosse a sensação de ter ganho, a quebra da promessa de Draco, cravou uma faca no seu peito esvaindo toda a sua energia.



O estádio era grande, e ao longe ela ouvia as pessoas agitadas esperando o resultado que demorava a chegar, enquanto as coisas não se resolviam. Fora da tenda, haviam tendas menores com mesas e abaixo de uma tenda maior haviam um local onde serviam comes e bebes, provavelmente serviriam ali o almoço também.



As mesas estavam vazias e resolveu sentar ali, descansar um pouco, raciocinar, até que Montevilla acabasse com o teste e anunciassem o resultado definitivo.



-Por que você não assume as próprias besteiras Malfoy?_ apoiou os braços na mesa._ Ei garota, você já repetiu isso mais de 500 vezes pra você mesma. A culpa não foi sua, foi dele, ele é quem deveria estar sofrendo e não você!!!



Hermione retirou a varinha do bolso e começou a manuseá-la distraidamente.



“Estou me sentindo tão cansada. Não, não é só cansaço, é pior que isso, é uma sensação de derrota, de batalha perdida... Droga...porque eu me sinto como se o meu sorvete de chocolate tivesse caído no chão? Você venceu uma corrida dificílima, e ainda está desanimada...”



Hermione começou a olhar para a varinha nas suas mãos, e fazer uma breve retrospectiva. Um simples pedaço de madeira para um trouxa, era a alma de um bruxo... Aquela varinha já salvara sua vida tantas vezes, e a vida de seus amigos também. Sem ela era como estar frágil e vulnerável. Hoje mesmo com a segurança dela, se sentia desprotegida. Se sentia sozinha.



“Meus amigos, minha escola, meu gato, meus livros!!! Nunca pensei que teria tanta saudade!!! E o pior de tudo é que ainda terei muitos dias nesse inferno, enquanto Merlim, racha a barriga de tanto rir da minha carinha de paspalha, eu fico aqui esperando  que ele se canse de mim e arrume outro bode expiatório!!!”



Os olhos fixos na varinha, rastreavam detalhes da sua vida, e era no momento o objeto que a levava mais perto do seu mundo. Não pode notar que naquele instante, alguém sentou ao seu lado no banco, mas estava distraída, e não houve nenhum susto.



-Bela varinha..._ o rapaz de olhos castanhos, disse tentando começar uma conversa com ela, mas Hermione ao ouvir a voz, não mudou a posição que estava...



-Não tão bela, quanto eficaz..._pensou alto_ você não quer servir de cobaia para uma demonstração quer? Veio pra rir de mim novamente???



-Não, não... de forma alguma...só vim ver se você está melhor...



-Porque insiste na idéia de que eu estava mal?



-Sabe para que fomos contratados??? Para auxiliarem todos vocês, para que tenham a assistência necessária... Será que eu não posso fazer o meu trabalho?



-Eu já disse que estou bem...



-Mas você não me pareceu nada bem...e eu vim me certificar...



-Como pode ver eu estou ótima. Então já que terminou o seu trabalho, poderia me deixar sozinha...?_ disse um tanto quanto grossa, mas isso não fez com que o seu interlocutor indesejado mudasse de tom.



O rapaz ficou um instante em silencio, enquanto mexia no boné, que tinha na cabeça.



-Porque não está com os outros? Estão todos esperando ansiosamente que algum dos competidores reprove naquele teste e...



-Um bando de estudantes sanguinários, como se isso fosse valesse suas próprias vidas...



-Sabe de uma coisa, senhorita Granger..._disse o rapaz levantando_ não acredito no que Rita Skeeter disse sobre você..._Hermione respirou fundo_ se precisar de alguma coisa, estou às ordens...



Depois que o rapaz saiu, Hermione olhou para ele, que se dirigia ao encontro de outros jovens com o uniforme igual ao dele



“Agora esse rapaz sabe o meu nome. Bem, é claro que ele saberia mesmo que eu não dissesse, muitas pessoas hoje devem saber o meu nome, mas a ele devem associar coisas como ‘a fanática por atenção’ a ‘ esquizofrênica destrambelhada’, bom mas pelo menos ele disse que não acredita na Skeeter, uma pequena porcentagem poderá talvez me salvar de um apedrejamento quando sair daqui!!! Já posso até ver, todos aqueles estudantes primeiranistas me olhando com aquelas caras de surpresa, e comentando ‘Olha a garota esquisita do jornal...será que ela tem mesmo verrugas verdes no traseiro?’ e o outro fedelho respondendo ‘Claro que tem, minha mãe disse para ficar longe dela, porque a pele dela fica amarela nas noites de lua nova, e pode ser contagioso.....’ Todos vão me olhar como um mostro, uma criatura do mal, vestida de uniforme. Mas se eles pensam que eu vou aturar as provocações eles estão bem enganados porque eu vou. A coisa nem começou e eu já estou me tornando uma criatura do mal de verdade...ameaçando até criancinhas!!! Você nunca ameaçou criancinhas...o que há de errado com você!!!?????”



Das pessoas que ela conhecera ali, o rapaz de azul, cujo nome ela não sabia, estaria bem classificado dentro da categoria dos menos hostis. Ele não fora nem grosso, e nem mal educado, tentara uma conversa amigável, e não insistiu. Isso era bom...quanto menos gente implicando melhor. Mas por mais que desviasse seus pensamentos para coisas não tão desagradáveis, o imã a puxava de volta para o problema: o até então insolucionável enigma chamado Malfoy!!!



 



“É bom pra você aprender, a parar de fazer as coisas pelo instinto, sabe o que você conseguiu? Que ela ficasse com raiva de você!!! Não só raiva, a garota não vai mais acreditar em você!!! E tem noção de que se você não vencer, coisas muito ruins vão acontecer, o seu plano jamais vai se concretizar, e seu pai quando souber que você não conseguiu, não vai poupar feitiços imperdoáveis. O que eu devo fazer agora???? Pense você é mais que um rostinho bonito, sensual, perfeito, você tem um cérebro funcionando e precisa pensar em um jeito de fazer com que ela... ah não! Eu terei que pedir..... DESCULPAS...!!!!!!!! Isso é o fim, me façam de prato principal de um dragão, mas não me façam pedir desculpas a ela!!!! Granger vai rir de mim, pelo resto da vida dela e eu não quero ver ela sorrir, e principalmente por minha causa!!! E será que não tem nenhum outro jeito para que ela esqueça isso??? Por Merlin...o que eu faço agora?”



Pedir desculpas, não era uma coisa muito fácil, para um garoto como Malfoy.



Draco se encontrava fora da tenda, parado perto dela, e tenso, quase como estava antes do teste começar.



Logo, os participantes foram chamados de volta para a tenda, para que houvesse o sorteio das provas, e finalmente serviriam o almoço, Hermione sentira o seu estômago roncar, e parte do mau humor, se devia a esse fato.



Alguns haviam permanecido na tenda, incluindo Núbia, e seus simpatizantes... Hermione sentiu que ela não iria deixar barato o acontecimento de antes, mas a garota não fez menção de levantar de onde estava sentada. Mesmo assim, conseguiu atirar longe o seu veneno, porque Hermione sentiu que riam dela.



Não encontrou Draco, pelo menos até onde seus olhos buscaram,  não estava ali. Menos mal, a última pessoa que ela queria ver era ele.



-Bem senhores, já estão todos aqui presentes para o sorteio da próxima prova, como todos podem ver, aqui está o nosso globo misterioso, de onde sairão os seus piores pesadelos..._ o velho tentou fazer com que todos rissem, mas isso não aconteceu, porque aquilo não parecia ser uma piada_ bem, então aqui vamos nós, Sr. Sorvivor (o fiscal), retire a bola branca, e diga a esses jovens ansiosos, o que terão de enfrentar...



-Então, a próxima prova sorteada é PROVA DE POÇÕES....



Todos bateram palmas, Hermione acompanhou, mas sem nenhuma empolgação.



-Magnífico!!!_disse a fiscal de bochechas rosadas, com euforia...



-O regulamento da prova estará aqui nessa mesa, para que possam ler, peguem, e depois será servido o almoço. Do lado de fora desta tenda, há uma outra, com tendas menores, poderão sentar ali e se servirem. Caso desejem ir para o hotel, os nossos ajudantes de azul, guiarão você até a chave de portal, eles estão todos a disposição para o que necessitarem. Alguma pergunta???_perguntou o homem, enxugando o suor do rosto com um lenço.



-Quando será a prova?_disse uma garota que estava na frente.



-Amanhã. Mais alguma pergunta? Se não houverem mais perguntas, nos dirigiremos para fora, e enquanto almoçam, anunciaremos ao público a colocação das equipes.



Ninguém se manifestou, todos deviam estar cansados e com fome.



 



Uma fila grande se formou de garotos, que apesar de estarem saindo da adolescência tinham um apetite incrível, os pratos depois de servidos pareciam montanhas. Hermione entrou na fila para se servir, e naquele momento pode ver Draco já sentado em uma mesa comendo sozinho. Por um instante sentiu uma vontade de sentar com ele, mas aquilo era apenas um delírio passageiro, Núbia já se aproximara dele e pedira para sentar.



“Imagina se a patricinha não tinha que sentar perto do mauricinho!!! Ela não tinha que estar sentada com o companheiro de equipe dela??? Mas que metida a besta. E se eu quisesse sentar lá com ele? A preferência seria minha claro e ela teria que sair... é ..mas eu não vou sentar com ele...então...deixa pra lá...é melhor eu parar de olhar que se não, quem vai ter indigestão sou eu!!!!”



Hermione mal viu o que servia no prato, Bryan estava sentado em uma mesa perto da deles.



“Vou sentar em uma mesa sozinha, mas se o Bryan me convidar eu sento com ele, e pronto!!! Vamos agora você precisa caminhar lentamente até a mesa, passar por eles, e fingir que não viu. Mas claro que a minha real vontade é ver esse prato cheinho de macarrão cair na cabeça dela, imagina que coisa mais linda ela ficaria, aquele cabelo, todo engordurado e de amarelo passa para vermelho, molho-de-tomate...que visão perfeita!!!”



Draco estava virado de frente para Núbia que estava de costas para a direção de Hermione.



“É só respirar fundo, caminhar bem devagar, para não tropeçar, e não chamar a atenção. É simples, cabeça erguida, você não está vendo Draco Malfoy, você não quer ver Draco Malfoy...”



Foi assim, caminhando como se estivesse em uma passarela, Hermione passou entre a mesa de Draco e Núbia.



-Ela é tão esquisitinha...Você não acha Draquinho?



“Será que eu ouvi direito, o comentário que você teceu sobre mim, sua lombriga, agora vamos esperar, o que você vai responder seu imbecil, você não está em condições de me agredir verbalmente.”



Apesar dos seus pés estarem a frente, seus ouvidos estavam colados na conversa dos dois, principalmente na resposta de Draco.



- Em vez disso porque, não me conta sobre a sua viagem, ao Nepal?



-Bem..._disse um tanto nervosa, mas imediatamente se acalmou, e começou a falar rápido com muita empolgação_ Minha viagem foi demais.



“É assim, não vai responder??? Prefere me ignorar? Eu acho que você ficou com medo de falar alguma coisa... Creio que já começa a me conhecer bem...e principalmente, a ter medo dos meus instintos...”



-Hermione!!! Hermione!!!_uma voz gritou a alguns metros de distância, era Bryan convidando-a para sentar..._Aqui!!!



Antes de Hermione, fazer qualquer movimento, notou que Núbia e Draco, olharam no momento que Bryan a chamou, fazendo Núbia parar de falar sobre a “interessante viagem”.



Hermione olhou para Draco, que olhou para Bryan, que olhou para Hermione, que olhou para Núbia, que olhou para Draco...e esse rosnou! Estava perfeito, para Hermione não precisou mais que uma expressão facial, tinha entendido perfeitamente que apesar do loiro ter desviado o assunto, e a ignorado, ele não gostaria de vê-la almoçar ao lado de “Bryan o aproveitador” segundo sua filosofia conspiracionista.



Mulheres são seres muito interessantes.



Altamente perceptivas, porque na verdade não foi só Hermione que notou, a insatisfação de Draco. Núbia também havia compreendido que perdia Draco por um segundo, e a atenção não era mais sua. Imediatamente começou a falar, e segurou a mão dele, para que tivesse total exclusividade. E foi a hora que Hermione, também detectou a aproximação dela nele, e não controlou os movimentos faciais, esboçando um tipo de descontentamento.



Draco ao contrário, não percebeu, só concentrava os pensamentos na sua raiva enrustida. Homens não são antenas parabólicas da melhor qualidade!!!



O garoto, fingiu a prestar atenção no que Núbia dizia, mas entrava em um ouvido e saia no outro, seus olhos estavam vigiando, todos os movimentos futuros de Hermione.



“Ela vai sentar com ele??? Vai comer ao lado dele??? Se ela fizer isso eu...eu juro que... Por acaso eu queria que ela sentasse comigo??? Lógico que não... Mas também ela não precisava sentar ali, tem tantas mesas vazias, porque ela vai sentar justo na dele????”



-Bryan!!!_acenou Hermione, e no mesmo momento se dirigiu até a mesa enquanto os olhos de Draco a seguiam.



Apoiou sua bandeja na mesa dele.



-Olá!_cumprimentou a garota, que estava com ele, a garota sorriu e Bryan tomou a palavra.



-Essa é minha companheira de equipe Teka Minort.



-Muito prazer, eu sou Hermione Granger.



-Parabéns pelo 2º lugar!!!_disse a garota rizonha, tinha o estilo de Bryan...



-Muito obrigada _Hermione tentou parecer gentil, mas na verdade não tinha se dado ao trabalho, nem ao menos de conferir a lista, ficou constrangida de pedir em que posição a dupla havia ficado, mas para sua sorte Bryan se adiantou.



-Nós ficamos em 6º, mas acho que é uma boa posição...



-É sim, a primeira prova é apenas um aquecimento, eu não acho que logo de cara os participantes mostrem suas qualidades..._disse Hermione, a garota apenas observava e sorria.



Bryan fez menção de levantar, para puxar a cadeira para ela.



-Bem mas eu já vou..._disse Hermione segurando mais firmemente a bandeja.



-De maneira alguma, sente-se conosco...



-Não imagine, adoraria ficar aqui, mas eu não quero me sentar a uma distância em que aquela cobra, possa me atirar um pedaço de torta..._ela disse discretamente para ele.



Bryan sorriu, a garota do lado agora parecia não entender muito bem, mas não perguntou, estava suficientemente claro que Hermione não gostava de Núbia.



- Já que prefere assim Hermione, não vou insistir, sei que você é teimosa..._Bryan piscou para ela, entendendo perfeitamente que ela queria ficar longe de Draco_ depois nos vemos_ ela deu um pequeno beijo no rosto de Bryan (propositalmente).



-Até mais então..._sorriu antes de respirar fundo e medir exatamente o que fazia.



Pegou a bandeja e se dirigiu até uma mesa, que estava quase fora da tenda, onde poderia ficar longe dos dois.



A questão é que apesar de não querer ficar perto de Núbia, ela queria que Draco a visse, e pensasse no motivo que a levara a não almoçar com Bryan. O mistério é intrigante, e sabia que Draco não entenderia nada da atitude que ela havia acabado de tomar.



“Bem se eu almoço sozinha, também é por causa de Bryan, já basta a humilhação que ele passou, se for visto comigo não vão parar de cassoar dele. Se me odeiam venham me pegar sozinha porque eu não preciso de ninguém para me servir de sombra. A vingança eu guardo no freezer. E até que guardar Núbia nesse mesmo lugar não seria má idéia... Mas vamos afastar agora esses pensamentos de psicopata, e almoçar em paz, porque a única coisa da qual você vai poder cortar, espetar e esmagar é esse empanado de frango!!!”



Por mais que estivesse com raiva, cada vez faltava mais espaço dentro de seu peito, a angústia sufocava e a decepção consumia sua vitalidade. E foi assim que almoçou naquele dia, a comida passava com dificuldade pela garganta, enquanto ela podia por vezes olhar de longe a figura de Draco. Estar perto dele era tão incrível, tão interessante, maquiavelicamente interessante.



Era como descobrir dentro de si uma outra Hermione, da qual lutava, falava, se impunha, uma Hermione que jogava para fora os sentimentos, tanto os ruins (na sua maioria), mas também sentimentos bons, sentimentos de uma garota da sua idade, que acabava de descobrir que efetivamente poderia ser uma garota.



A garota sentiu os olhos de Draco sobre ela, e sabia que estava sendo vigiada, era importante agora que se mantivesse calma.



*                                 *                                 *                                 *                                 *



A conversa de Núbia era insuportável. Para ele tanto fazia porque não estava escutando, Núbia nesse momento era o melhor disfarce, para encobrir a espionagem de Draco. Mastigava a batata frita, e se perguntava porque Hermione não teria sentado com o panaca e sua escudeira, mas sim, sentado sozinha. O porque disso??? Era o que ele queria entender.



O perfil de Draco, é aquele de “sou um homem sensível, até que você durma comigo”, aquele tipo conquistador gentil para as garotas, e para os garotos um adolescente influente, e misterioso da alta sociedade.



Era isso mesmo que ele fazia, queria ser temido, e tendia a uma figura burguesa, de classe, e de sobrenome forte. Queria todas as garotas aos seus pés, entrava em ação sob a figura do mais doce dos príncipes, porém sua sensibilidade nada mais era do que a camuflagem, até que conseguisse seu objetivo. Depois dava um jeito de se livrar de qualquer pessoa e situação sem o menor remorso.



Era essa a sutileza exprimida por ele até então: totalmente superficial.



Então, como alguém assim conseguiria entender o que Hermione sentia naquele momento??? O antigo Draco, aquele sem escrúpulos, sem sentimentos e coberto de frieza, jamais tentaria entender. Mas esse novo Draco que estava emergindo - esse que ainda era impossível de traçar um perfil definitivo - inacreditavelmente, tentava saber o que se passava no coração de sua pior inimiga.



-...depois de todo aquele transtorno, todos queriam saber se eu era realmente a Núbia dos jornais, das revistas... Você percebe como é complicado ser alguém importante?



-A sim...claro..._Draco segurava o guardanapo, enquanto não prestava a atenção em absolutamente nada do que a garota falava, mas sabia que poderia responder afirmativamente, ou negativamente sem o menor problema, o que ela queria mesmo era falar sobre si, e ele já conhecia esse tipo de diálogo.



Investigava de longe, os movimentos de Hermione, esperando que ela desse uma pista, mas ela se limitou a pegar a bandeja e sentar em uma mesa...sozinha.



Ela não esperava, mas essas situações de tensão sempre traziam a tona aquela crise existencial, que se traduzia na forma de uma discussão dentro da sua cabeça.



“Essa comida eu sei que não vai passar pela garganta...



CONSCIÊNCIA 1: Era mesmo bom que não passasse, porque daqui a pouco você vai estourar.



CONSCIÊNCIA 1: Você de novo?



CONSCIÊNCIA 2: Sentiu a minha falta?



CONSCIÊNCIA 1: Nossa, a mesma falta que um pingüim sente de um pote de bronzeador...



CONSCIÊNCIA 2: Ui...que antipática... eu sempre apareço nas horas certas, e dou os melhores conselhos, modéstia a parte!!!



CONSCIÊNCIA 1: Que humilde você é, tem aprendido com o Malfoy?



CONSCIÊNCIA 2: É claro que eu sou, humilde, caridosa, generosa....



CONSCIÊNCIA 1: Te dou dois segundo pra sumir daqui. Esse terreno é meu...ninguém pode entrar aqui...



CONSCIÊNCIA 2: A é querida??? E como foi que eu entrei...? Eu te respondo: Hermione me deixou entrar, ela quer os meus conselhos, porque os seus são insuficientes, e ineficazes...



CONSCIÊNCIA 1: Ela não precisa de você, eu sou a consciência dela, e ela não precisa de uma outra, ainda por cima desequilibrada, e louca...



CONSCIÊNCIA 2: Eu acho que ela não pensa assim... não sei se você percebeu mas está deixando ela confusa...está prejudicando e não ajudando. Até agora o que você fez com ela??? Deixou a garota em depressão, e daqui a pouco ela se joga num poço. Mas é claro isso não vai acontecer, porque EU estou aqui!!!



CONSCIÊNCIA 1: Aé??? E como você pretende ajudar?



CONSCIÊNCIA 2: Simples, Hermione, conversa com ele e pede desculpas, depois esquece esse negócio de briga, e dá um beijo nele. Pronto, ela vai acabar com essas neuroses e esse estilo feminista revolucionário, que hoje em dia não está com nada...



CONSCIÊNCIA 1: Hahahahahha...é pra rir??? Foi engraçado...acho que a sua carreira como humorista poderia ser bem melhor, do que essa se terapeuta. Hermione nunca faria isso, Hermione jamais vai beijar aquele monstro de novo, ela vai se vingar dele, ignorá-lo, mas nunca, vai se envolver com ele...



CONSCIÊNCIA 2: Tudo bem, já que você diz... Mas cuidado com o que fala, Hermione é uma garota, Draco é um rapaz tudo de bom... Ela não é de ferro, qualquer garota normal no lugar dela, não desperdiçaria uma oportunidade dessas...



CONSCIÊNCIA 1: Hermione é um poço de razão, ela jamais se deixaria levar por um pensamento pervertido como esse.



CONSCIÊNCIA 2: Hermione pode ser racional, mas é humana, e os humanos também conseguem amar, se apaixonam, e precisam de carinho!!! Hermione precisa muito disso, todo esse estresse que ela passa é devido a fragilidade do seu coração... Você está privando Hermione do amor, está privando Hermione de ser feliz...!!!



CONSCIÊCIA 1: Posso te garantir que a felicidade de Hermione não está nesse tal de Draco Malfoy, ele é a pior pessoa do mundo, faz com que ela sofra, como pode pensar que ela irá se apaixonar por ele??????



CONSCIÊNCIA 2: Ela não irá se apaixonar por ele, porque simplesmente ela já está apaixonada. E não existe nada que você possa fazer, que irá tirar isso dela..



CONSCIÊNCIA 1: Você só diz besteiras...some daqui...agora...



CONSCIÊNCIA 2: Eu posso até ir embora, mas Hermione vai me chamar novamente, quando ela sentir que o seu lado racional, ou seja, “você” , já não consegue resolver todos os problemas dela...



(A consciência 2 que assim denominamos, acabou sumindo, enquanto deixava a outra falando sozinha...)



Aquilo era incrível, a parte emocional de Hermione, já estava certa do que acontecia com ela, mas a parte racional não queria de maneira alguma entender que não era a única que poderia resolver problemas, que não era suficiente para tornar sua dona feliz, que Hermione em seu íntimo buscava saídas que ela não poderia oferecer...



Ou seja, lá no fundo Hermione tinha conhecimento do sentimento que a tomava aos poucos e com isso seu lado racional contra-atacava como nunca, para que ela parasse de alimentar aquele fogo que ardia, e estava a ponto de tomar proporções catastróficas.



“Bem, quer saber... Eu não vou olhar pra ele, não quero saber se ele está me olhando, ele já fez tudo o que não poderia ter feito hoje... Essa decepção logo vai passar, não vou permitir que eu me abale com essa besteira..._ “... Se eu pudesse sair daqui...!!!!!! Espera, mas eu claro que eu posso e aliás, é isso que eu vou fazer...Viu!!! Hermione nessas situações você até que não demora a achar uma saída... Não vou mais comer... na verdade eu nem estou com fome...Vou para o hotel, tentar relaxar, quem sabe escrever para a Gina e depois dormir e esquecer tudo o que se passou aqui.”



Deu apenas algumas garfadas rápidas na comida do prato, limpou os lábios no guardanapo, não esperou mais.



Não demorou mais do que cinco minutos, até Hermione sentar, ter uma briga em seu cérebro, decidir que já tinha se alimentado o suficiente, e levantar da cadeira.



 



Draco, ficou mais intrigado do que já estava, não agüentava mais todo aquele suspense...o que Hermione estava fazendo???



Ele sabia que não entenderia, a menos que conversasse com ela. E aquilo por enquanto estava fora de cogitação...depois da grande merda que havia feito, ele não era tão burro a ponto de chegar de uma forma tão estúpida nela e tentar dialogar. Ele sabia que deveria ter tato. Bolar em sua mente brilhante uma forma de se aproximar, e assim fazer aquilo que tinha que fazer...



Não tinha tempo a perder, sabia que aquele não era o lugar. E portanto, já não era interessante ficar ali. Com o regulamento da prova no bolso, no mesmo que guardava a varinha, era só o que precisava para que se ausentasse dali...



-Núbia, preciso resolver uns problemas, depois nos falamos...



-Tudo bem Draquinho, eu já ia mesmo precisar te deixar, tenho uma entrevista coletiva pra responder, e muitas coisas pra fazer...hehehe...até mais então_ disse mandando uma beijinho_ outra hora eu continuo te contando sobre a minha viagem...



“Você nem imagina o quanto eu estou ansioso por isso.”



-Tudo bem então...até mais...



Draco não esperou a matraca terminar e foi saindo, levou a bandeja no lugar, e foi para o hotel.



 



Os rapazes e moças de jaquetas azuis, parados por todos os cantos daquele lugar, seria fácil de que algum deles a acompanhasse até o hotel.



Resolveu abordar um deles sem escolher algum em especial.



-Por favor, com licença, será que o senhor poderia me acompanhar até o hotel, estou cansada e...



-Claro que sim senhorita Granger. Espere apenas um momento.



Hermione assentiu com a cabeça, enquanto o rapaz tirava do bolso uma espécie de hoc-toc, e se comunicava com alguém...



Foi nesse momento que a sua mente resignada, nos pensamentos mais racionais, foram dispersados quando uma música começou a tocar....



 



Nobody´s perfec (Hannah Montana)



 



Everybody makes mistakes



Everybody has those days



1, 2, 3, 4!



 



Todos cometem erros,



Todos têm aqueles dias,



1, 2, 3, 4!



 



Everybody makes mistakes



Everybody has those days



Everybody knows what, what I'm talking about



Everybody gets that way



 



Todos cometem erros,



Todos têm aqueles dias



Todos sabem do que eu estou falando,



Todos ficam daquele jeito



 



           



 Parecia que aquela música ecoava na sua cabeça, como uma constante...dizendo que todo mundo tem o direito de errar. Não era o que Hermione queria ouvir, definitivamente NÂO!!!!!!!!!!



“Eu sei que ninguém é perfeito, eu sei que ELE NÃO É PERFEITO!!!!! MAS QUE DROGA, EU SEI DISSO... Até essa maldita música toma o partido dele, será que eu sempre tenho que ser a vilã? Não estou sendo injusta, ele merecia muito mais do que eu fiz, merecia que eu gritasse, berrasse, e falasse um monte de palavrões, mas incrivelmente eu não estou com a mínima disposição para fazer isso. Eu sinto um aperto no meu peito, uma mágoa, que se eu analisar não tem motivo para existir, afinal EU NÃO ESPERAVA NADA DELE, mas mesmo assim estou triste...mais triste do que irritada...EU NÃO SEI DE ONDE VEM TODA ESSA VONTADE DE CHORAR...”



 



Everybody makes mistakes



Everybody has those days



Everybody knows what, what I'm talking about



Everybody gets that way



 



Todos cometem erros,



Todos têm aqueles dias,



Todos sabem do que eu estou falando,



Todos ficam daquele jeito



 



Sometimes I'm in a jam,



I gotta make a plan,



It might be crazy



I do it anyway



 



Às vezes eu estou com um problema,



Eu tenho que fazer um plano,



Pode ser loucura,



Eu faço de qualquer jeito



 



 



Eu preciso sair logo daqui, antes que essa musica me enlouqueça....



 



 



The way to know for sure



I figure out a cure



I'm patching up the holes



But then it overflows



 



A maneira de saber com certeza



Eu descubro uma cura



Eu estou arrumando os buracos



Mas então isso transborda



 



 



If I'm not doin' too well



Why be so hard on myself



 



Se eu não estou indo tão bem,



Por que ser tão dura comigo mesmo?



 



[CHORUS]



Nobody's Perfect!



I gotta work it!



Again and again,



Till I get it right,



Nobody's Perfect!



You live and you learn it!



And if I messed it up sometimes



Nobody's Perfect



 



[REFRÃO]



Ninguém é perfeito!



Eu tenho que melhorar



Muitas vezes



Até eu entender



Ninguém é perfeito!



Você vive e aprende!



E se eu errei às vezes,



Ninguém é perfeito,



 



Sometimes I work a scheme,



But then it flips on me



Doesn't turn out how I planned,



Gets stuck in quicksand



 



[VERSO 2]



Às vezes eu faço um esquema,



Mas então dá errado



Não sai do jeito que eu planejei



Fica preso na areia movediça



 



The problem can be solved,



Once I get involved,



I try to be delicate,



Then crash right into it,



 



O problema pode ser resolvido,



Assim que eu me envolver



Eu tento ser delicada,



Mas falho



 



But my intentions are good, (Yeah, Yeah, Yeah)



Sometimes just misunderstood,



 



Mas minhas intenções são boas, (Yeah, Yeah, Yeah)



Algumas vezes apenas mal entendidas



 



Chorus:



Nobody's Perfect!



I gotta work it!



Again and again



Till I get it right



Nobody's Perfect!



You live and you learn it!



And if I messed it up sometimes



 



Refrão:



Ninguém é perfeito!



Eu tenho que melhorar



Muitas vezes



Até eu entender



Ninguém é perfeito!



Você vive e aprende!



E se eu errei às vezes,



 



Nobody's Perfect!



I gotta work it!



I know in time I'll find a way



Nobody's Perfect



 



Ninguém é perfeito,



Eu tenho que melhorar



Eu sei que com o tempo encontrarei um jeito



Ninguém é perfeito



 



Sometimes I fix things up,



And they fall apart again, (Nobody's Perfect)



I know I mix things up,



But I always get it right in the end,



 



Às vezes eu conserto as coisas



E elas quebram de novo (ninguém é perfeito)



Eu sei que eu misturo as coisas,



Mas eu sempre entendo no final



 



Next time you feel like,



It's just one of those days,



When you just can't seem to win,



When things don't turn out the way you planned,



Figure something else out,



Don't think ahead, Try again!



 



Da próxima vez que você sentir que



É apenas um daqueles dias,



Quando você não consegue vencer,



Quando as coisas não saem como você planejou,



Descubra outra coisa



Não pense adiante



Tente de novo!



 



Everybody makes mistakes



Everybody has those days



Everybody knows what, I'm talking about



Everybody gets that way



 



Everybody makes mistakes



Everybody has those days



Everybody knows what, what I'm talking about



Everybody gets that way



 



Chorus:



Nobody's Perfect!



I gotta work it!



Again and again



Till I get it right



 



Ninguém é perfeito!



Eu tenho que melhorar



Muitas vezes



Até eu entender



 



Nobody's Perfect!



You live and you learn it!



And if I messed it up sometimes



 



Nobody's Perfect!



 



Ninguém é perfeito!



Você vive e aprende!



E se eu errei às vezes,



Ninguém é perfeito,



 



 



               -Senhorita Granger…senhorita…Não poderei levá-la… _disse o rapaz, sério, e extremamente educado...



               -Como não...eles disseram..._Hermione já estava começando a ficar tensa.



               -Espere, se acalme, EU não poderei levá-la mas outro colega designado sim...



Hermione deu os ombros, ficou feliz pela música ter terminado, estava irritando-a profundamente...



               -E onde ele está? Vai demorar muito, porque eu realmente preciso descansar...



               -Estou aqui Korbin..._disse uma voz atrás dela, que ela infelizmente conheceu. Era ele, o rapaz ajudante chato!!!



               -É ele quem vai me levar???



               -Sim, senhorita Granger...



               -Podemos ir então. Korbin me informou que está com muita pressa, se não precisar fazer mais nada aqui, poderemos partir...



               -Mas... _ disse confusa.



               O rapaz, fez um gesto chamando a garota, para que o acompanhasse, e essa não sabia o que dizer, apenas o seguiu, sentindo que já não poderia fazer mais nada.



               Depois que uma certa distância foi tomada do outro ajudante com cara de soldado da rainha da Inglaterra, que não parecia nada amigável, Hermione sentiu-se na liberdade de falar com o rapaz de azul que caminhava a passos largos, e que mal Hermione conseguia seguir.



               -Poderia andar um pouco mais devagar. Eu não tenho as pernas do mesmo tamanho que as suas, e estou exauta...



               -Senhorita Granger, me perdoe, mas acho que gostaria de caminhar como eu, caso soubesse que Rita Sketter, está vindo por aí. Meu colega ao se comunicar com um dos meus chefes, houve nessa conversa uma interceptação, e Rita, já sabe que você está saindo daqui. Então vim o mais rápido que pude, antes que ela pudesse chegar e te induzir a mais alguma entrevista inconveniente...



               -Bem, obrigada..._disse um tanto agradecida, mas ainda um pouco confusa.



               -Em outro caso eu não faria isso, mas como eu sei que a senhorita não gosta muito de Rita Skeeter, eu achei por bem, livrá-la de mais um desconforto desses...



               -Desculpe por ter sido grossa com você antes..._disse um tanto quanto constrangida



               -Não precisa se desculpar, são ossos do ofício..._o garoto era muito simpático, e educado. Hermione pensou que talvez fosse mesmo o papel dele, ser gentil e servir aos competidores, mas na verdade ele parecia um tanto atencioso com ela, o que dispensaria se fosse apenas por obrigação do trabalho.



               Hermione já havia acompanhado o passo dele, e agora caminhava ao seu lado, rapidamente...



               -Aquele cara lá trás não parecia muito amigável...



               -O Korbin? Ele é assim mesmo, um pouco sério demais...



               -Quantos de vocês tem aqui?



               -Vários...



               -Só aparecem nos locais de provas?



               -Não necessariamente...



               -Mas eu nunca vi vocês em qualquer outro lugar daqui, onde vocês estão instalados???



               -Senhorita Granger, a senhorita faz perguntas demais...



               -Não posso fazer perguntas?



               -Pode...mas eu não sei se poderei respondê-las...



               Hermione ficou um instante quieta, mas foi apenas um instante, pois as perguntas recomeçaram...



-Vocês não podem ter contato mais detalhados conosco certo? -Certo...



               -Entendo..._ disse pensativa.



               Hermione não falou mais nada. Logo chegaram a chave de portal, e os dois, se dirigiram ao hotel...



               -Bem, chegamos...



               -Obrigada...senhor...eu não sei seu nome...



               -Dorian, pode me chamar de Dorian..._o rapaz falou suavemente.



               -Se eu posso te chamar de Dorian, é porque seu nome não é Dorian é?



               -Eu já disse que você faz perguntas demais?_ Ele riu como se, se não incomodasse com a curiosidade dela.



               -Já já me disse... E essa incerteza eu posso considerar como uma confirmação de que seu nome não é Dorian, e o do Korbin não é Korbin...._falou desafiando.



               -Normalmente, seus concorrentes quando solicitam algum serviço se limitam a apenas um obrigado quando satisfeitos...



               -Eu acho que não sou alguém tão normal assim..._disse Hermione sorrindo mas com os lábios cerrados.



               -Bom, se eu puder fazer mais alguma coisa por você...._mudou de assunto, olhando para ela com ar servil.



               -Me trouxe sã e salva...já fez um ótimo trabalho...



               -Se precisar de qualquer coisa, me procure por esse nome que eu lhe disse “Dorian”...há... e não conte a ninguém sobre que eu te livrei da Skeeter, pode pegar mal para mim...



               -Skeeter??? que Skeeter? Não se preocupe, isso fica entre nós. Você salvou a minha vida!!! Eu tenho que ser grata a vida toda por isso!!!



               -Um conselho, descanse, vocês apenas começaram, ainda tem um longo caminho, até o final dessa competição...



               -Vim pra cá por isso, não estava muito bem, lá, achei melhor descansar mesmo...



               -Você é prudente...a maioria dos competidores fica deslumbrado com a fama que essa competição trás, e não percebe que não estão aqui para se tornarem celebridades, mas para provar que são os melhores, na competição. Para que isso aconteça, é preciso concentração....



               -Sei disso...



               -Preciso ir agora...até mais...



               -Er... Dorian...



               - O que foi?_perguntou ele se virando...



               -Você não é tão chato, quanto pareceu aquela hora, sabe? Desculpe, por ter sido rude com você eu estava um pouco nervosa...e...você foi legal comigo...



               -Não tem que se desculpar...já passou...e além do mais, você pareceu uma garota legal...com problemas...eu tentei ajudar só isso!!!



               -Obrigada então...hehehe..._disse ela sorrindo...



               -Por nada...até mais Hermione Granger...



               -Até mais, Dorian...



               O rapaz olhou rapidamente para ela, e depois se virou e voltou a caminhar para a chave de portal enquanto Hermione acompanhava com os olhos, depois que ele sumiu, ela se virou e ensaiou alguns passos, até a porta.



               “Bem cheguei, finalmente em ‘casa’ , bem, em casa mesmo só quando eu pisar no chão de Hogwarts!!!...”



               O vento estava forte, e conseguiu despentear quase o todo o cabelo de Hermione que estava amarrado em  um rabo de cavalo. Ela soltou para poder sentir a bravura do vento... Respirou fundo...Fechou os olhos...



               “É hora de entrar...”_ disse a si mesma.



               Hermione caminhou para dentro do Hotel, aparentemente vazio, os pés dela faziam um ruído fraco, e deduziu então que mesmo que tivesse alguém ali não escutaria o seu caminhar, olhou para todos os cantos, esperando ver alguém, mas como havia imaginado não havia ninguém ali...



               O silêncio daquela sala, só fazia com que ecoasse, na sua cabeça insistentemente aquela música, frizando uma única frase irritante... Ninguém é perfeito!!!...e ter que aceitar isso era muito para ela. Ter que aceitar Draco Malfoy, e seus defeitos...era demais...



               Agora ela teria algum tempo para ficar sozinha, sem ele por perto, sem muita gente circulando naquele hotel, dava pra se sentir menos sufocada. Seria bom, poderia escrever para os seus amigos em paz. Tinha tanta coisa pra contar...



               Subindo degrau por degrau, sem pressa. Olhou para as paredes e viu quadros, como todos os quadros do mundo bruxo eles se movimentavam.



               Haviam quadros quietos, quadros falantes, todos pareciam de pessoas importantes, cenas históricas... Haviam quadros também de serem elementares, unicórnios, serem mágicos, paisagens, com certeza não havia coerência e bom gosto. As gravuras eram misturadas demais, para estarem combinando. Mas talvez fosse assim mesmo, faltasse um certo bom gosto ali, afinal Whiteville, parecia apenas uma cidadezinha do interior.



               Um dos desenhos conseguiu assustá-la, quando perguntou, com voz forte:



               -Elle, Elle, minha querida, é você mesma..._dizia um homem com uma barba comprida verde,  e com um chapéu pontudo, estranho, que Hermione nem se deu ao trabalho de reparar



               E ela respondeu rispidamente que não conhecia nenhuma Elle. Deixou o quadro falando sozinho enquanto subia as escadas.



               Os corredores estavam vazios. A garota alcançou o quarto, abriu a porta com a chave que tinha e entrou. Trancou a porta, ao entrar, queria se sentir mais segura.



               Abriu a porta do closet, precisava de papel e caneta para escrever, pegou e depois de sentar na cama relaxada começou seu monólogo no papel.



 



 



Oi Gina



 



Sabe, há momentos que você tenta esquecer, e direciona o seu cérebro para apagá-los a todo custo, porque você não suporta viver com essas terríveis lembranças. Quando sair daqui, vou apagar, tudo o que acontecer, vai ser como se não tivesse acontecido, como se essas duas semanas não existissem.



Minha raiva, já nem é tão grande...e por isso é que estou com medo... Tenho a impressão de que todo esse sofrimento está servindo apenas para me fazer querer desistir...me render...



Ficamos em 2º lugar na primeira prova, mas já vou te adiantar não estou feliz. Acho que porque sei que por enquanto é apenas uma prova, e tenho que mostrar mais do que “sorte”, para conseguir vencer...



Núbia, aquele cocô gigantesco, agora decidiu me incomodar pra valer. Acredita que ela está me ameaçando, e eu estou sozinha aqui, contra ela e seus coleguinhas da mesma espécie!!! Bem, totalmente sozinha não, tem o Bryan que “ajudou” a me defender na última discussão, mas ele não consegue por respeito nem nas meias dele. Ela é ex-namorada dele, e terminaram porque ela o traiu. Quando ele tenta me auxiliar, ele acaba pior do que quando entrou na discussão! Quando eu tiver um tempo eu vou dar umas dicas de como falar com uma garota como aquela!



Eu e o Malfoy, além de aliados decidimos confiar um no outro, e o pior é que eu caí no jogo dele Gina, eu pensei que ele quisesse mesmo se aliar...de verdade...confiar...Mas eu me enganei e agora me arrependo por ter dado crédito pra ele. Aquela besta foi capaz de me dar um chá de rapidez, para ganhar a corrida, sem me falar nada...



Eu, é claro, não tomei, porque eu notei que aquilo era estranho demais. E eu fiquei arrasada por ele ter tentado me enganar de uma maneira tão baixa e cruel. EU fui ingênua, eu devia imaginar que UMA COBRA DAQUELAS SERIA CAPAZ DISSO. Mas eu confiei, entende? E essa foi a pior coisa que ele já fez na vida dele, eu jamais vou me esquecer disso, e ele vai pagar, não agora, porque isso pode por em jogo o meu interesse. Mas um dia...um dia ele vai me pagar...



Bem, não sei se tenho mais novidades, amanhã vai estar no jornal a colocação dos vencedores. Tentei de todas as formas fugir da Skeeter para que não pudesse por nenhuma merda sobre mim no jornal. Saí cedo daquela porcaria de competição, vim direto pra cá te escrever, quero ficar um pouco sozinha, pensar... E me concentrar para a próxima prova que vai ser de Poções!!! Só pode que o carma da minha existência seja o Snape, porque provavelmente eu vou me obrigar a lembrar  daquelas aulas idiotas dele, pra vencer essa prova!!! EU MEREÇO??? (não responda...hehehe)



Por favor me escreva logo contando coisas daí de Hogwarts, de vocês, me mande notícias do Bichento, estou com muita saudade dele!!! Claro que de vocês também!!!!hehehehe...



Mande um lembranças para os meninos!!! Um beijo com carinho,



Hermione



 



 



A pena terminou de rabiscar o papel, e Hermione selou o pergaminho. Ela podia escutar o vento forte, as árvores se movimentavam rapidamente do lado de fora, sabia que não seria bom enviar uma coruja com o clima instável. Resolveu mandar depois, pelo menos a carta já estava escrita.



Queria relaxar, mas sabia q teria uma prova para competir no outro dia. Porque não juntar as duas coisas...??? Só havia um lugar, que poderia unir o útil ao agradável e estava no andar de baixo...a Biblioteca!!!!



Hermione chegou a soltar um breve sorriso de satisfação. Mas, logo murchou novamente, porque uma angustia apertava seu peito...



Desceu as escadas com um nervosismo estranho, uma mistura de ansiedade com uma amargura. O vento do lado de fora derrubava com violência as folhas, ela podia imaginar seu coração, em meio a elas, sendo arrastado sem pena nenhuma pelo cruel e invencível soprar.



Abriu timidamente, as portas imponentes de madeira grossa e entalhada, o letreiro era um tanto discreto, mas ela não entendeu como esteve tão distraída a ponto de não notá-lo, o seu jeito observador não deixaria passar algo assim, tão despercebidamente.



O silêncio pairava no ar. Jamais havia parado para pensar como o silêncio era por si só o melhor dos ruídos, principalmente quando só se quer ficar sozinho. O silêncio é o companheiro mais bem vindo, nesses momentos.



As prateleiras também entalhadas, e de madeira grossa, estavam abarrotadas de livros. Em uma das paredes havia uma lareira, muito parecida com a de Hogwarts, e acima dela um vitral, o desenho era meio impossível de ser identificado, Hermione deduziu ser apenas um mosaico sem formas significativas.



Haviam diversos corredores de prateleiras sem espaços entre os livros, fazendo com que deixasse a moça muito encantada com a fartura de títulos que havia ali, ficou imaginando quanto tempo demoraria pra coletar tanto material, para que uma biblioteca como aquela fosse possível. E assim, começou a caminhar pelos corredores, vidrada, e atenta a cada exemplar, que conseguia identificar.



O sons dos passos de Hermione eram abafados pelo carpete oponente vermelho, e isso permitiu que ficasse mais a vontade. Os corredores aparentemente infindáveis, terminavam em muitas mesinhas, de estudo bem no final da grande sala. E sentado em uma delas ele estava ali...



Hermione distraída sentiu estar sozinha, apenas quando virou o rosto, que no momento olhava para as páginas de um livro em suas mãos, não pôde acreditar no que seus olhos acabavam de detectar, e um grito, foi transformado em apenas um suspiro rápido e forte (Hermione começou a desenvolver um certo domínio em situações em que não poderia expressar seu real sentimento…), que foi seguido de uma frase dentro de sua cabeça: O QUE ELE ESTÁ FAZENDO AQUI????



A garota não pensou, seu corpo reagiu primeiro, seus calcanhares giraram, e o livro caiu de suas mãos, pois elas estavam trêmulas demais para segurar qualquer coisa.



Ela precisou se concentrar para abaixar-se sem cair, juntar o livro rapidamente, e assim, não esboçar nenhum tipo de espasmo, que o fizesse pensar que ela estava verdadeiramente incomodada com a aquela presença “surpresa”.



-Ei, espere, eu já estava de saída…_ele disse levantando-se da cadeira.



“Não levante seu imbecil, fique aí onde está…_Hermione sentia um pavor enorme, sabia que a presença dele não significaria uma coisa boa.”



-Não não_ “agora concentre-se Hermione…”, eu é quem não devia estar aqui_ disse enquanto se segurava em cima dos pés, enquanto levantava com o livro na mão.



-De maneira alguma, fique…_ disse enquanto passava ao lado dela, bem devagar, espalhando todo o perfume, e esbarrando de leve sobre o ombro dela, para que ela fosse inconscientemente a loucura, fazendo soltar mentalmente aqueles palavrões para maiores de 18 anos_ eu só espero que esse ódio que você está sentindo passe logo, porque infelizmente você não poderá se livrar de mim por enquanto, e a prova de poções é amanhã.



Hermione não esperava por aquilo… “eu queria tanto que ele tivesse ido embora sem dizer nada, mas a língua desse traste insiste em me infernizar…Eu não quero resolver nada com ele agora, será que ele não vê que eu não estou em condições de discutir…é claro que ele não viu, eu evitei transparecer, eu sempre tenho que me mostrar mais forte do que eu sou, e acabo sempre me dando mal…”



Draco já estava saindo, caminhando do jeito mais elegante possível, um pouco cabisbaixo e cauteloso, mas com uma nobreza de um cavaleiro.



-Ódio…esse é um sentimento que eu carrego sempre, não vai passar. O que eu estou sentindo agora se resumiria em frustração.



Ele parou de caminhar e virou-se para ela…



-Menos mal, pois sabe que a frustração passa a partir do momento que se consegue algo que se quer muito e…. nós conseguimos, por enquanto estamos em 2° lugar na competição…



- Não estou nenhum pouco triste com o resultado..



-Bom, então se você está frustrada comigo, é porque esperava que eu fosse melhor…se era isso que pensava de mim, logo, nunca me achou a pior pessoa do mundo… Sendo assim, não pode me odiar tanto quanto diz me odiar..



“Ele disse mesmo isso?...ei ei …porque ele chegou tão perto assim de mim… o que há de errado comigo..”



A presença de Draco conseguiu deixar Hermione nervosa, ela estava extremamente magoada, mas se ele abrisse os braços ela correria, para que ele a protegesse.



-U..U..Uma coisa, não tem nada a ver com a outra…eu só pensei que depois do que conversamos ontem eu tivesse alguma chance de fazer uma parceria com você. E eu acreditei que ela poderia dar certo…_agora ela se apoiava em uma das estantes, para que não caísse…os olhos começaram a encher de água…_Malfoy, você mesmo quebrou a regra que propôs…O que você queria que eu fizesse? Confiasse em você, e bebesse aquilo mesmo sabendo que você queria me “envenenar”?...Eu espero pelo menos, que isso te sirva de lição, porque pra mim serviu… “agora eu sei que as pessoas não mudam mesmo”



Draco vendo que ela pretendia sair dali, segurou o braço dela, e a fez olhar em seus olhos.



-Ei Granger…eu…eu sei que fiz a coisa errada…mas olha, quem nunca errou? (ninguém é perfeito…ela acaba de lembrar da música) Não desista dessa parceria agora, estamos tão bem classificados. Pode ser que não tenhamos uma oportunidade como essa…Você sabe disso….por favor…



-Em algum momento você me ouviu mencionar a palavra desistir? Malfoy, penso que não há nada hoje, que me faça abdicar objetivo que tracei. As besteiras que você faz, ou que você diz, não serão motivo suficiente pra me fazer desistir nem da minha sobremesa. Eu só penso que se continuar assim, nossas chances podem diminuir consideravelmente…_ disse exausta mas sem alterar o tom de voz, que parecia mais fraca a cada segundo.



-Granger_ Draco agora sentia que ela pudesse cair.



-Não diga nada, eu te entendo Malfoy, acho que é melhor não tentar se justificar, porque eu sei que aí dentro _ela tocou no peito dele, como se aquilo fizesse seu corpo esquentar como brasa _você deve estar revoltado e com vontade de proferir algum feitiço imperdoável…sei disso…conheço bem meus inimigos_ ela soltou um breve sorriso irônico, mas muito triste_ portanto, é melhor que não diga nada, nenhum tipo de desculpa que não venha do que está realmente sentindo, que não sejam verdadeiras e que não venham apenas como uma forma de se redimir, como um meio de ficar as boas comigo, para vencer a competição.



Depois que terminou de falar, ela esperou que ele fizesse algum movimento, alguma reação brusco, mas ele parecia confuso, pensativo, talvez as palavras dela tenham penetrado na sua consciência, ele estava completamente racional.



-Sei que não vai adiantar nada, eu falar que estou arrependido, pois para você eu estarei mentido…_ele respirou fundo, e se aproximou mais dela, a ponto das respirações serem sentidas_ talvez, se estivéssemos em último lugar nessa competição, eu estaria praguejando, uivando como um animal enraivecido, te chamando de todos os nomes feios possíveis. Entretanto, tudo o que eu disser agora, vai soar falso, mesmo assim sei que não teria o direito de me defender e implorar para que você acreditasse em mim… Mas de todos esses anos em que fomos rivais, jamais senti tanta vergonha de ter feito algo a você…estou me sentindo péssimo, e o pior de tudo estou admitindo isso a você…_Draco riu_ eu estou me sentindo uma merda Granger, como ninguém me fez sentir… Se eu pudesse voltar atrás…eu juro que nada disso estaria acontecendo, eu te garanto…



-O tempo não volta (que mentirinha né Hermione?), e tudo isso teve o seu lado bom, acabei tendo certeza de quem você é, que não posso me iludir achando que as pessoas mudam…



-Talvez elas não mudem…somos nós que passamos a vê-las de um jeito diferente…



Os dois ficaram mudos, mas Hermione não entendeu bem o que ele queria dizer com aquilo, ou não queria entender...



-Olha, eu acho melhor eu ir de uma vez, antes que...



-Antes que o que?_indagou o rapaz que ainda estava próximo demais dela...



-Nada Malfoy, me deixa..._ela disse tentando a todo custo se desvencilhar da presença incomoda do rapaz...



Malfoy respirou fundo, esperava uma resposta dela, desejava que ela falasse o que tinha acabado de omitir.



-Antes do que Granger!!!_ e saiu na direção dela



A garota começou a andar depressa, e passou voando pela saleta, em direção as escadas, Malfoy caminhava atrás dela.



-Granger, porque você evita responder as minhas perguntas...



-Sou uma bruxa livre, até onde eu seu eu não preciso responder se eu não quiser...



-Não responde porque tem medo...



-Medo? Isso é ridículo!



Os dois adentraram no quarto, Malfoy por ultimo fechou a porta, para que ninguém pudesse ouvir a discussão.



            -Como a sua covardia é uma coisa visível!!!



            -Eu covarde? Me poupe, porque você não..._antes de terminar a frase, Hermione pode ouvir novamente um barulho batendo na janela, mas dessa vez um barulho continuo como se alguma coisa estivesse presa.._está ouvindo isso?



            -Isso o que? O barulho dos galhos na janela?



Hermione mal prestou atenção no que ele dizia, foi até a janela e olhou para baixo.



            -Garota, não se aproxime dessa janela!!!!



            -Cale a boca Malfoy, e me ajude aqui....



Draco chegou mais perto, e pode ver o que ela estava vendo...



            -Não são galhos, há alguma coisa aqui, mas eu...eu não consigo pegar...



            -Se você se afastar talvez eu possa...



O coração curioso de Hermione, não conseguia suportar a ansiedade...



Draco esticou os braços, e puxou aquilo que parecia estar preso no telhado abaixo da janela, trazendo para dentro do quarto.



Hermione mal conseguia respirar...



Draco colocou o objeto em cima da cama de Hermione.



-Mas o que é isso????_perguntou ele



-Eu não faço a mínima idéia, mas é uma bela peça.



            Os dois concentravam seus olhares para uma pequena caixa aparentemente de madeira escura, gravada de detalhes em prata, mas que pouco poderia notar a beleza que estava em ao seu redor, devido a uma espessa poeira, que Hermione ao notar, a poliu com uma toalha.



            -De onde isso veio?_perguntou Draco, mas sabia que não receberia nenhuma resposta satisfatória.



            -Não posso te dizer de onde veio (pelo menos por enquanto), mas sei quando veio. Hoje pela manhã, ela bateu em nossa janela, e não caiu...Não sei como mas ficou presa do lado de fora...



            -Abra_ disse Draco_ quem sabe ela nos responda de onde veio...



            -Pode ser perigoso _disse Hermione que ainda tinha a pequena caixa sobre as mãos_ Bem, na verdade mesmo que eu quisesse abrir essa caixa eu não poderia, ela não possui fechadura...



            -Uma caixa sem fechadura....? Deixe me ver isso..._disse Draco estendendo as mãos, enquanto Hermione lhe passava o objeto enigmático.



            Draco visualizou todos os lados da caixa, mas ela não parecia uma caixa mas um cubo. Draco resolveu movimentar a caixa para ver se podia escutar alguma coisa, que poderia vir de dentro dela...



            -Não há nada., algum dos nosso rivais tentaram quebrar nossa janela com essa porcaria, e não conseguiram...



            -Porque alguém acordaria tão cedo para tentar destruir nossa janela, estamos sendo monitorados...e porque a nossa janela... e... me parece meio ridículo...



            -Me explique então de outra forma...



Hermione ficou quieta pois realmente não tinha nada a dizer sobre aquilo.



            Draco sentou na própria cama, e passou a língua pelos lábios...



            -Eu ainda não tenho como... mas isso não lhe deixa curioso?



            -Talvez..._Draco levantou, e saiu dali, a conversa havia terminado, o que estavam discutindo, já não era mais importante.



            Hermione, colocou a caixa sobre a escrivaninha.



“Isso mesmo Malfoy saia correndo, como sempre, quem liga pra você monte de bosta, quem liga para as suas desculpas esfarrapadas”.



O quarto parecia o único lugar seguro para ela. Pegou seu pergaminho, estava na hora de leva-lo para o corujal.



            Depois de meia hora a porta do quarto se abriu, e Draco entrou com os braços abarrotados de livros, e os jogou em cima de sua própria cama. Hermione deitada em sua cama levantou com o barulho.



            -O que está fazendo?



            -Trouxe o nosso material de estudo, temos uma árdua tarefa até amanhã...



            “Ele realmente está obstinado!!! Isso é um tanto engraçado...” Hermione segurou os lábios para que não risse do jeito dele.



            -Vamos, pegue um...



            -Espere_ disse Hermione levantando da cama_ está tudo errado, temos um tempo curto, não teremos condições de ler tudo isso... precisamos de um esquema...



            -O que você sugere???_o garoto indagou.



            -Lermos o regulamento juntos...pra ver do que se trata...



            Draco pegou o regulamento e começou a ler:



 



“Mais uma etapa da competição deverá ser superada...e dessa vez teremos como obstáculo, a prova vulgarmente chamada de PROVA DE POÇÕES. Isso seria algo um tanto fácil, se tratando desse campeonato, entretanto, a prova tem o intuito de testá-los, e portanto antes de que uma poção seja fabricada é necessário que um dos companheiros ingira a poção, para que tenhamos certeza de que está correta. Vocês serão as cobaias! Portanto é melhor que não errem, pois qualquer erro fatal, poderá comprometer a sua própria conquista! A prova será por tempo! E a poção será sorteada na hora da prova.



As trapaças detectadas, desclassificarão os competidores para aquela prova, que não conquistarão pontuação alguma.”



 



 



-Só isso? _perguntou Hermione



-Parece que sim..._o que achou...



-Como são suas notas em poções?_perguntou Hermione



-Satisfatórias....



-Eu me refiro as suas reais notas, e não aquelas que o Snape concede a você...



-Ele não me dá notas, eu as conquisto..._Draco disse com uma certeza absurda.



            -Mesmo assim, está decidido, eu faço a poção... e você bebe _disse Hermione.



            -Você anda comendo cogumelos?



            -Dá pra parar de ser criança, você sabe que eu entendo dessa matéria, apesar do Snape minimizar as minhas notas, não há como errar.



            -E se você errar... o que eu faço Granger... se eu MORRER!!! Você bem que pode me envenenar.



            -Acho que eu mereço um voto de confiança depois do que você tentou me fazer beber...



            -Tá bom garota, você venceu... Mas não pense que você não vai ler todos os detalhes dessas poções, pois eu vou fazer você comer esses livros, até você decorar cada palavrinha...



            -Fique tranqüilo... se você morrer eu apenas vou fazer um favor a humanidade! Além de ser aclamada em todo mundo bruxo, por ser autora de um gesto tão nobre!!!_Hermione ria_ Agora falando sério, dá pra ganhar essa competição!!! Confie em mim...



            Draco sentiu segurança no que ela falava, e precisou reconhecer, ela realmente era inteligente, e talvez fosse melhor deixar isso a cargo dela.



            -É mas temos um trabalho duro pela frente...e temos apenas um dia para isso...



 



*          *          *          *          *          *          *          *          *          *          *          *          *



 



            Os dois estudaram todos aqueles livros de poções, não saíram do quarto até sugarem infomações preciosas, e guardarem na memória os detalhes importantes. Mas o estudo fez bem para os dois, o diálogo sem gritos, exaltações, e xingamentos, totalmente centrado no objetivo, fez com que mudassem um pouco de comportamento, deixando o jeito agressivo de lado, e fazendo com que a racionalidade imperasse.



            Hermione fechou o livro que segurava, depois que terminou de ler sobre as propriedades da folha de Calcucida.



            -Estou exausta, e já são 8 horas da noite... Meu estômago está roncando...



            -Acho que terminamos isso depois... vamos jantar?



            -Tirou as palavras da minha boca...



            Os dois desceram para o jantar, e mais uma vez Hermione passando a frente do quadro estranho, ouviu ser chamada por um nome estranho.



            -Senhor Dimitri!!!_o homem do quadro fez uma reverência.



            -Esse quadro está falando com comigo?_perguntou Draco.



            -É parece que sim, mas não dê importância, ela erra o nome de todo mundo, essa tarde ele me chamou de Elle....só pode ser um doido...



            -Só não exagere... no jantar_Draco falou e riu imediatamente, Hermione não se importou, pois sabia que nesse momento ele estava brincando.



-Não vai me bater?



-Nem que eu quisesse, preciso repor minhas energias, estou sem forças!!!_ Hermione riu também.



O jantar foi tranqüilo, alguns competidores pareciam ter chegado a pouco tempo, alguns já haviam jantado, e se recolhido em seus aposentos, outros estavam curtindo uma música na sala. Hermione agradeceu por não ter encontrado Núbia pelo caminho, pois não estava muito disposta a discutir.



Draco saiu da mesa, e foi conversar com algumas garotas, na verdade Hermione sabia bem que ele iria se exibir, mentir, e impresisonar, aquele bando de meninas alienadas. Isso a deixava irritada, mas aquela cena logo a distraiu quando olhou pela janela e viu um corpo passar correndo, se não tivesse olhando para a janela no momento, certamente não teria visto. Mas não achou que fosse nada, na verdade não queria se preocupar com coisa alguma.



Levantou da mesa, e sentiu alguém puxar a sua roupa.



-Senhorita... a senhorita gostaria de um docinho?



-Ming!!!_ Hermione estava surpresa ao ver o Elfo, sentiu um lampejo de alegria.



-Claro que aceito, do que são feitos?



-São feitos de chocolate e cereja, senhorita!



Hermione pegou um deles, e depois tentou puxar papo com o Elfo, mas ele parecia não se sentir digno, e Hermione não resolveu insistir.



Naquela noite Hermione não viu Bryan, aliás, ela tinha visto poucos alunos. Não tinha mais o que fazer ali, resolveu voltar ao quarto, a responsabilidade que recaia sobre seus ombros era bastante grande, deveria se dedicar ao máximo para acertar, a poção que fosse.



Ela subiu as escadas, e o quadro mais uma vez a chamou de Elle, se não fosse educada mandaria o quadro plantar batatas.



Abriu a porta do quarto, entrou, e achou um espaço sobre a cama empurrando alguns livros, para que pudesse sentar. Seus olhos distraídos, acabaram se voltando para a caixinha novamente. Segurou o objeto nas mãos e começou a analisar todos os detalhes possíveis.



-Poderia ser um lindo porta joias se tivesse como abrir...



Largou a caixa sobre a mesa, mas enquanto retomava o estudo dos livros, olhava para ela, com uma curiosidade latente.



“Quer saber? Amanhã depois da prova quando tudo terminar, vou descobrir o que é isso afinal.”



            Logo Hermione ouviu algumas risadinhas femininas subindo as escadas, e já sabia o que era...Draco e seu fã clube se aproximando.



            A porta do quarto se abriu, e Draco ainda permencia conversando e rindo.



            -Você vai me escrever Draquinho?



            -É claro que vou, sou um cavalheiro!



            -Ah que lindo!!!



            -Boa noite meninas, sou um homem ocupado e nesse momento preciso escrever para meus avós, para meus pais, eles são muito atenciosos, e eu não seria um bom filho se deixasse eles preocupados!



            As garotas iludidas, em unissono suspiraram.



            Hermione quase vomitou...



            -Boa noite garotas_ ele disse beijando a mão de cada uma delas.



            -Boa noite Draquinho!



            O rapaz entrou e fechou a porta do quarto.



            Hermione tratou de repetir com uma voz nojenta.



            -Você vai escrever pra mim Draquinho? Como você é cavalheiro!!! Essas garotas estavam bêbadas??? Se estavam alguma autoridade precisa saber que estão servindo drogas aqui!!!



            -Não tennho culpa por ser assim encantador, elas me amam!!!



            -Elas se deslumbrar porque acham que você é tudo isso que diz ser! Porque não é franco com elas dizendo por exemplo: Meninas eu sou a pessoa mais egoísta que o mundo bruxo já viu, sou um covarde aproveitador, eu sou muito cruel e superficial!



            -Não quero nenhuma delas para casar!!!! Quero aproveitar Granger!



            -Quer dizer que a sua futura esposa vai saber de tudo isso?



            -Provavelmente, ela vai gostar de mim como eu sou...



            -É...aí sim vai ser algo praticamente impossível: gostar do jeito que você é! Mas sabe de uma coisa? Eu me sinto cumplice dessa palhaçada, por não alertá-las, do monstro que você é!



            -Granger, pense comigo em quem elas acreditaríam? Em mais uma garota apaixonada por Draco Malfoy, inventando mentiras para tirar as garotas da disputa, ou no Draco angelical, o homem perfeito?



            - Sem comentários..._Hermione entendera perfeitamente que não importava o que ele dissesse elas morreríam por ele.



            -O que está lendo?



            -Olha Malfoy estou pensando em uma coisa...



            -O que?



            -Não vai adiantar eu ler tudo isso, eu só vou me confundir...E isso é potencialmente perigoso não acha?



            -Realmente! Perigosíssimo para mim principalmente...



            -Então eu pensei, porque você não me explica um pouco do que sabe, se trocarmos dicas tudo ficará mais fácil, talvez coisas que a mim passaram despercebidas você lembra... uma troca de experiências...e quem sabe eu possa...



            -Você tem razão!



            -Eu já sabia que você não ia...ei ei_disse a garota levantando pasma_ você disse que eu tenho razão?



            -Sim, porque, falei algo de errado?



            -Não, só não achei que fosse concordar...



            -Mas foi uma idéia boa Granger... sabe que você é muito perturbada?_Draco estava completamente confuso, Hermione fazia com que ele ficasse assim as vezes..._ta bom e por onde começamos...



            Hermione passou algumas páginas do livro, com as mãos um tanto nervosas, parecia que Draco havia conseguido lhe surpreender, ela não esperava que ele concordasse.



            -Você poderia me dizer uma forma fácil de usar uma Acônito Lapelo em qualquer poção?



            - Uma vez eu ouvi o Professor Snape dizer que se ela for uma folha grande, e tiver como enrrola-la você poderá esmagá-la, e soltará a seiva.



            -Muito bom!



            Draco sabia muitas dicas, e Hermione imaginava que ele soubesse, Snape podia ser um professor extremamente chato, e cheio de defeitos como pessoa, mas era um ótimo profissional, e sabia muito da matéria que ministrava.



            Os dois conversaram por horas, e Hermione ainda permanecia apreensiva.



            -Malfoy, que poção você acha que eles vão colocar para o sorteio?



            -Eu desejaria muito saber, tentei descobrir algo com os competidores, mas ninguém sabe de nada, ou parece não saber...não acho que seria tão fácil vazar informações como estas. Bem, pensando racionalmente, acho que não colocarão nenhuma que não pudéssemos fazer, só não acho que vai ser tão fácil como pareceu no regulamento...



            -É, as supresas é que me preocupam...



            -Granger, vai dar tudo certo...eles não podem nos matar...



            -Você é bastante otimista... eu não confio neles...



            -Então confie em você mesma...e em tudo que já aprendeu...não há nada além disso que possa fazer...



            Hermione ficou olhando para sua própria varinha, Draco não tinha razão, ela tinha sua varinha, e poderia confiar nela, caso saísse algo de errado. Ao olhar para ela e ver cada detalhe, achou algo estranho...



            -Minha varinha... ela.. tem algo errado, ela está queimada...tem algo queimado nela...Você mecheu na minha varinha Malfoy???



            -Você está louca, porque eu mexeria na sua varinha?



            -Eu não sei, mas algo aconteceu com ela!!!!!_ Hermione estava completamente transtornada.



            -Fique calma Granger!!!



            -Se não foi você, quem foi???



            -Eu não sei Granger, mas podemos descobrir, deixe-me ver a varinha...



            Hermione não queria entregar nas mãos dele, mas precisava saber se ele estava falando a verdade.



            -Granger...não é uma queimadura normal, tem uma palavra gravada aqui...



            -Uma palavra?



            -É, uma palavra... parece que está escrito E-L-L-E... Elle! Isso lhe parece familiar?



            -Familiar? Não conheço ninguém com esse nome. Mas quem fez isso vai pagar...pode apostar!!!



            -Só notou isso agora Granger?



            -Parece que eu notei antes? É claro que eu só vi isso agora...



            Draco pegou sua própria varinha, e olhou também tinha um nome gravado nele: Dimitri.



            -Granger, parece que alguém fez uma brincadeirinha de mal gosto comigo também, minha varinha também está gravada...



            -O que? Deixa eu ver isso?



            Draco sentou na cama, aquilo parecia muito estranho porque em nenhum momento ele soltara a varinha.



            -Mas o que está acontecendo_disse Hermione caminhando pelo quarto.



            Draco levantou, e caminhou em direção a saída do quarto.



            -Ei, Malfoy, aonde você vai..?



            Ele não respondeu, e correu em direção as escadas, Hermione foi atrás sem pensar.



            -Malfoy!!!



            Draco só parou de caminhar quando chegou na biblioteca, e Hermione nesse momento pôde alcança-lo.



            -Vai ficar correndo de mim, e não vai me dizer o que está fazendo aqui???



            O rapaz começou a caminhar pela prateleiras, e procurar livros. Até que encontrou o que queria e abriu o livro sobre a mesa, folhando freneticamente em busca do assunto que procurava.



            -Está aqui!_disse Draco com a voz séria.



           



“Varinhas mágicas, não são objetos danificáveis com facilidade, a madeira quando se torna varinha, ela tem uma durabilidade do tronco que ela saiu. Se a varinha for tirada de um tronco frondoso com estará a força que árvore carregava. As varinhas podem ser danificadas facilmente por magia. O uso de alguns feitiços poderão lesionar a varinha, com feridas momentâneas ou permanentes, depende do poder do feitiço.”



 



            -Olhe isso...



            -Você acha que alguém fez um feitiço para danificar nossas varinhas? Isso não faz sentido!



            -Não, acho que algum feitiço feito por essas varinhas, é que causou isso...



            -Ótimo, mas eu não lembro de ter feito nenhum feitiço poderoso por esses dias...



            Draco abriu mais páginas do livro.



 



“Feitiços que podem danificar varinhas



Qualquer feitiço mal feito pode danificar uma varinha, trincar, rachar, ou até quebrar. Entretanto existem feitiços que a sua marca é um dano visível a varinha, poucos são os feitiços capazes de gerar uma lesão como esta. Uma combinação de feitiços também pode fazer com que a varinha seja danificada, bem como feitiços novos sobre feitiços antigos, podem causar danos como queimaduras, rasgos, mudança das cores da madeira, podendo deixá-las fracas, entretanto, existem casos em que o dano na varinha não indica perda de poder, mas de um poder exagerado.”



 



            -Eu não lembro de ter feito nenhum feitiço aqui que poderia ter..._Hermione falava, mas quando olhou para Draco entendeu o que ele estava pensando.



            Os dois falaram ao mesmo tempo.



            -ADDUCTUS!



            -Foi isso Granger... foi esse feitiço que deixou as nossas varinhas assim...



            -Totalmente ilógico_ Hermione começou a caminhar de um lado para o outro com os braços cruzados tentando raciocinar.



            -Ilógico? Você viu o que aconteceu com as nossas varinhas? Faíscas azuis e vermelhas, um furacão dentro do nosso quarto... como disse, eu nunca fiz essa magia...mas já tinha ouvido falar, e não era pra ter acontecido o que aconteceu!



            -Eu já havia feito, e não foi nada daquilo...mas achei que não pudesse ser nada sério...



            -Ainda não sabemos a gravidade da coisa...



            Hermione, caminhou em direção as prateleiras, e começou a procurar um livro.



            -Me ajude a encontrar o livro “Linhas Gerais da Feitiçaria vol. III”



            -Aqui está_ disse Draco entregando o livro a ela.



            Hermione abriu freneticamente o livro, e começou a procurar no índice, até que achou o que estava procurando.



            -Aqui está, ADDUCTOS



 



“ADDUCTOS, é um feitiço bastante antigo, primeiro utilizado para formalizar contratos entre os bruxos da Idade Média, logo após esse período o feitiço foi aperfeiçoado, e passou de um meio de fazer com que eles fossem cumpridos coercitivamente. Se um dos contratantes não cumprisse, a sançao imposta deveria ser efetuada, entretanto, o feitiço era poderoso demais, e se um dos contratantes desistisse de pedir o cumprimento da obrigação, o feitiço se encarregaria de fazer com que houvesse o cumprimento. Esse feitiço foi usado também para fazer votos de silêncio, para guardar segredos. Esse feitiço é de extrema maleabilidade, permitindo a abertura de cláusulas diversas, da maneira que os contratantes acharem mais satisfatório.”



            -Mesmo assim isso não explica o que aconteceu!



            -O que mais tem aí?



“O feitiço adductus por vezes funciona como imã, podendo atrair a magia antiga, se esta existir, entretanto, todas as vezes que ela atraiu o poder existente no lugar da conjuração do feitiço, os danos as varinhas dos bruxos foram desastrosos. O feitiço quase foi proibido, pela sua presunção de perigo, mas ainda hoje é feito indiscriminadamente, pois nunca houveram vítimas fatais”



            -Será que existe magia antiga nesse lugar?



            -Bem provável, esse lugar é bastante antigo, e poderia sim existir algo de misterioso por aqui...



            -Precisamos investigar isso Malfoy. Nossas varinhas podem estar seriamente danificadas.



            -Concordo, mas não podemos desviar o nosso foco. Nosso principal objetivo é ganhar essas competição!



            -Eu sei, mas como vamos fazer para ganhar com as nossas varinhas danificadas? E se elas perderam poder Malfoy? O que vamos fazer?



            -Não sabemos se isso aconteceu, para saber precisamos fazer um teste.



            -Confesso que tenho medo de fazer isso aqui, porque nem eu e nem você sabemos o que poderá acontecer...



            -Poderíamos ir lá para fora...Só que alguém pode ver e...



            -Claro, seria muito arriscado...vamos fazer isso amanhã, depois da prova de poções.



            -Vou ficar nervosa demais até amanhã...



            -Você não pode, Granger, precisa estar extremamente equilibrada para a competição.



            Hermione baixou os olhos, e respirou fundo, olhou para varinha, e segurou entre os dedos com segurança e proferiu um feitiço, apontando para um livro que estava no chão.



            -Vingardium Leviosa!



            O livro voou com extrema força e rapidez atingindo o teto com tanta força que querbrou um pedaço, fazendo um estrondo.



            -Granger o que fez?



            -Corre.



            Draco segurou a sua mão e os dois saíram em disparada antes que alguém pudesse descer e ver o estrago.



            Os dois só pararam quando chegaram no quarto, mas não acenderam as luzes.



            -Enlouqueceu GRANGERRRRR?



            -Fale baixo...!!!Você acha que eu ia conseguir ficar calma sem saber o que está acontecendo com a minha varinha?



            -Mas poderia ter me avisado que ia cometer uma loucura dessas, eu teria te impedido.



            -Por isso mesmo que eu não falei...apenas fiz!



            -Ótimo sua doidinha, e se alguém descobre que fomos nós?



            -Ninguém vai descobrir, além do mais foi um acidente...



            -Granger, eu preciso pensar..._Draco começou a caminhar pelo quarto.



            Hermione ficou quieta, e abriu as cortinas.



            Draco sentou na própria cama, tentando reunir os pensamentos e achar uma explicação lógica para os fatos.



            -Granger, o que você fez de verdade...o feitiço, como foi que...



            -Eu fiz o feitiço, mas a minha varinha se descontrolou, como se a força dela tivesse triplicado...



            -Se a sua está assim, a minha consequentemente também está, mas não vou testar ela hoje, é arriscado demais.



            Hermione ficou muda, só conseguia pensar no que poderia acontecer se ela tentasse usar a varinha novamente.



            -Malfoy, e se eu tivesse usado para atacar alguém, o que poderia ter acontecido?



            -Com a força dessa varinha, teria deixado esse alguém bastante machucado.



            Hermione mais um vez ficou muda, olhando para a lua cheia. Draco perbebeu a preocupação dela, mas não quis que ela ficasse assim, no outro dia a competição não seria fácil, então se aproximou dela e tentou tranquiliza-la.



            -Ei_ puxou o rosto da garota para que pudesse olhá-la_ fique tranquila, amanhã vamos resolver isso. Escute, na prova de amanhã não usaremos as varinhas, e quando chegar a tarde resolveremos isso, vamos estudar, vamos ler, testar as varinhas novamente, quem sabe isso foi só um excesso de poder e passará da próxima vez que enfeitiçar algo.



            A garota estava nervosa, tinha as mãos tremulas.



            -Eu sei que está tentando me acalmar Malfoy, mas desse jeito eu me sinto indefesa, eu não poderei usar a varinha para me proteger, você sabe que eu poderia matar alguém desse jeito! Esse lugar não é seguro Malfoy, e sem a minha varinha eu...



            -Não vai estar desprotegida, eu não vou deixar você se machucar_ Draco olhava para ela sério, como se esse juramento fosse o mais importante de sua vida.



            O coração de Hermione disparou como se fosse saltar pela boca. Ela olhou para o chão como se não quisesse demonstrar o seu nervosismo.



            -Não precisa fazer isso eu...



            -Granger, somos uma equipe...eu vou protegê-la querendo ou não...



            -É, uma equipe_ O desapontamento da garota era visível, no fundo ela queria acreditar que ele estava sendo seu escudeiro por que sentia algo por ela, e não pela equipe.



 



*                                 *                                 *                                                 *



7º CAPÍTULO           



 



Era o dia da competição, Hermione não havia pregado os olhos a noite toda, mas não estava cansada. A preocupação não dava lugar para qualquer outra coisa, mesmo assim não falou nada para Draco, que parecia bastante animado.



            Os dois tomaram um café da manhã agradável, e evitaram tocar no assunto das varinhas, era melhor se concentrar.



            Como de costume apartaram para o local da prova, na ordem de colocação.



            - Não acha estranho..._  Hermione cortou o silêncio.



            - O que é estranho Granger...



            -Tudo está correndo assim tão...normalmente.



            -E porque deveria ser diferente? Sempre tem que estar acontecendo algo de ruim para estar normal? Que mania de conspiração!



            -Não sei se é bem uma “mania” pq desde que eu cheguei aqui, estou sendo surpreendida a todo momento...



            -Relaxa, e aprecia essa paisagem, esse vento no rosto...



            -Mais uma das coisas que eu não sabia sobre você Malfoy, que gostava de dias bonitos como este...



            -Pois é eu gosto mesmo...meu pai comprou uma casa de praia para mim no verão passado, para curtir com meus amigos, dar festas... agora que você é minha amiga terá o prazer de passar uns dias naquele paraíso...



            -Não somos amigos!!!



            -Você dá importância a esse detalhe insignificante? É sério que você acreditou? Acha mesmo que eu esqueci disso Granger???



            Agora os dois riam, não poderíam imaginar um final de semana juntos, em nenhuma hipótese. Por um instante Hermione conseguiu esquecer um pouco da tensão, ela teria que admitir que Draco podia fazer ela rir as vezes.



            -Tem falado com aquele seu amiguinho Bryan?



            -Claro, como você disse: meu amiguinho!



            -Hummm...



            Dessa vez Hermione evitou uma confusão, poderia ter dito várias coisas, mas preferiu se calar.



            Hermione tinha razão quando dizia que as coisas estavam calmas, a tranquilidade do local era visível, apesar do grande público que comparecia aos dias de prova como espectadores, não havia a mesma empolgação do dia anterior.



            A mesma tenda para os competidores foi montada, e para lá que todos se dirigiram. Do lado de fora dela Draco e Hermione já haviam observado como estavam dispostas as mesinhas onde seriam feitas as poções, mas mesmo que quisessem saber como seria a prova, não havia nenhuma pista naquele momento.



            Era fácil notar como a reação dos competidores era diferente do outro dia, a empolgação e os sorrisos simpáticos começavam a sumir, e a postura séria e competitiva tomava o lugar em seus rostos.



            Núbia estava lá, mas não se aproximou, até mesmo ela parecia concentrada. Obviamente os olhares fuzilantes entre as duas rivais não faltaram, mas nada que pudesse vir a verbalizar a raiva naquele instante.



            Montevilla não demorou a falar.



            -Bom dia meus queridos competidores, vamos a mais uma etapa de nosso campeonato, sem delongas por hoje, a prova de poções será composta de duas etapas, a primeira como todos já sabem, será aquela onde terá de ser preparada a poção que será sorteada para cada competidor...como sabem nem todas as poções são iguais, e existem algumas que possuem tempo diferente, modo diferente de preparo... Todos esses pequenos detalhes nós resolveremos dependendo da poção sorteada, lhes garanto que nenhum subsídio lhes faltará para o preparo da poção. A segunda etapa é aquela onde um dos participantes irá beber a poção feita. Entretanto, nosso campeonato é por demais interessante e cheio de surpresas..._nesse momento Montevilla riu, e como sempre sozinho, porque não era muito feliz nas supostas “piadas”_ vocês vão entender toda emoção quando se dirigirem para o lado de fora.



            Todos caminharam para fora da tenda, e puderam observar mais de perto a estrutura. Haviam quinze mesinhas uma do lado da outra, todas com um pequeno caldeirão, e alguns objetos básicos no preparo de qualquer poção. O resto dos objetos, produtos estavam dispostos em uma espécie de “mercado”, onde haviam várias prateleiras repletas, que ficavam de frente para as mesinhas.



            -Como podem ver nessas prateleiras temos tudo o que vocês precisarão! Mas aí é que está a parte difícil. Sem a ajuda de seu parceiro vocês deverão procurar o que necessitam, e correr contra o tempo, pois seus colegas estarão presos dentro dessas quinze cabines, que serão preenchidas com esse líquido negro. Esse líquido negro funciona como um sonífero, seu odor provoca uma certa moleza e diminui os reflexos, os participantes deverão ficar em pé, enquanto o líquido sobe... o efeito para cada um é diferente existem pessoas que suportam mais os seus efeitos, e outras que suportam menos, vocês terão uma chave e irão abrir a cabine para que seu companheiro tome a poção. O objetivo de vocês é fazer a poção com perfeição e com rapidez, a tempo de fazer o seu colega beber a poção antes de cair no sono... Ou seja, quem fizer a poção em menos tempo, e conseguir que seu companheiro de equipe a ingira vencerá. As colocações dos vitorisos serão determinadas pelo tempo, depois pela ingestão da poção e por fim à critério de desempate pela perfeição da poção. Alguma pergunta?



            Todos estavam sem palavras, ninguem poderia imaginar que a prova seria desta maneira, mas ninguém perguntou nada, pois mesmo com dúvidas estavam perplexos e tentando digerir tudo que foi dito.



            -Começaremos a prova em 10 minutos.



            Todos foram para as posições, Hermione ficou atrás da mesinha, Draco parecia centrado, ele chegou perto de Hermione, e começou a falar bem calmamente e olhando em seus olhos.



            -Granger, sei que você está preocupada como eu, mas eu sei que você vai fazer tudo direitinho, dependemos disso! Eu vou tentar me concentrar o máximo lá dentro, mas não sei quanto eu poderei aguentar, então tente não demorar...



            Hermione não conseguia falar o que estava sentindo no momento, estava preocupada com o que poderia vir.



            -Não fique nervosa... você é a Granger CDF que entende tudo de poções_ ele sorriu encantadoramente para ela...E ela entendeu o que ele queria dizer com aquilo...



            -E você é ao Malfoy durão, chatão e esnobe...não vai deixar que um soníferozinho acabe com você vai?



            Ele piscou pra ela, daquele jeito convencido que sempre fazia, e se dirigiu à cabine.



            Hermione olhava para ele caminhando até lá: “Eu não posso errar, eu tenho que me concentrar nisso...rapidez e eficiência...e que Merlim não me pregue mais nenhuma peça!!!”



            Hermione olhou para tudo que tinha na mesa e pode visualizar coisas que ela certamente precisaria.



            -Agora vamos passar com o globo e vamos sortear as poções!_ disse Montevilla eufórico.



            Esse momento era decisivo para Hermione, ela estava com medo do que pudesse sortear, e se fosse algo desconhecido? O que faria?



            Hermione pode ouvir a cada passo de Montevilla, as poções sorteadas mas aquilo pouco interessava, ela estava tensa, seus músculos enrigecidos sofriam.



            -Equipe LUX. Pode retirar a esfera meu jovem...vamos ver... poção AMORTENTIA!



            A garota acabava de ficar feliz por não ter pego essa poção, ver Draco apaixonado como um idiota não seria nada agradável.



            -Agora Equipe AUDACCIUS_ Hermione trêmula retirou uma esfera_ aqui está _seu coração batia acelerado_ POÇÃO POLISSUCO!



            Quando os ouvidos dela entenderam o que Montevilla acabava de dizer, seu alívio foi tamanho que quase caiu das pernas, o competidor que estava ao lado, olhou para ela com uma expressão confiante.



            -Nossa Poção Polissuco, achei que não colocariam essa, acho que você não teve muita sorte.



            Hermione olhou pra ele e segurou o riso.



            -É acho que estou sem sorte mesmo_ e lembrou da primeira vez que havia feito a poção  alguns anos.



            A expressão de Draco não era das melhores, parecia que ele também chegara na mesma conclusão do rapazinho.



            “Poção Polissuco, minha especialidade... vamos ver se consigo caprichar nessa”.



            Montevilla caminhou para frente das mesas e com sua varinha apontou para o céu.



            -Todos prontos? Então que comece a prova!!!!!_largou faíscas com sua varinha, e todos imediatamente correram para as prateleiras.



            “Vamos ver o que eu preciso hemoróbios, sanguessugas... onde estão vocês”



Hermione procurava freneticamente os ítens, tentando não perder o tempo precioso que tinha. “Se eu pudesse fazer magia...estaria tudo em minhas mãos, mas essa varinha está sem controle... mas já que eu não posso, vou precisar apelar a minha memória e agilidade, espero que eu consiga...”



Draco parecia estar bem, a prova começara e ele estava bastante controlado, seus pés começavem a ser manchados pelo líquido preto. Ele não tirava os olhos de Hermione como se pudesse ajudar. O garoto estava bastante nervoso, afinal era ela quem deveria fazer a Poção Polissuco, e esta não era uma poção que se prepara com facilidade, precisaria de muita calma e concentração para executá-la.



Hermione achou por bem começar a fazer a poção, mesmo sem conseguir encontrar todos os elementos que precisava, o que pudesse ir adiantando faria. A poção para sua sorte estava em sua cabeça, e sabia perfeitamente como ministrá-la, isso não era a sua maior preocupação, mas sim quanto tempo Draco poderia aguentar dentro da cabine.



Não havia nada que pudesse fazer Hermione olhar para os lados, estava concentrada demais para poder verificar a evolução de seus rivais.



 



Já havia passado quase trinta minutos desde o início da competição. Hermione ainda procurava alguns ítens. “Por Merlin preciso encontrar...”.



-O que a Granger está fazendo??? Ela ainda não achou as coisas...? O tempo está terminando!!! GRANGER!!!!_ele começou a gritar_ VAMOS, VOCÊ CONSEGUE!!!



Todos os outros ficaram olhando o comportamento de Draco, que logo percebeu e conteve os sentimentos. Aquilo foi suficiente para deixar Hermione de bochechas rosadas. “O que esse sonserino está fazendo? Pelo menos enquanto grita, ele não sente sono! E posso ficar um pouco menos desesperada!!!”



Finalmente Hermione conseguiu encontrar o que faltava, e enquanto voltava para o posto, levantou a mão mostrando a Descuraínia, para que ele se acalmasse.



Hermione estava bem adiantada, mas mesmo assim a poção ainda não estava terminada para que Draco bebesse, e isso não podia garantir que conseguissem cumprir a prova.



“Bem, vamos conferir o que está faltando...temos aqui Hemeróbios, Sanguessugas Descurainia, Sanguinária, Pele de Araramboia picada, Pó de Chifre de Bicórnio o que está faltando é um pedacinho da pessoa em quem quer se transformar...Ei...” Hermione tinha acabado de lembrar que teria que Draco se transformaria, no DNA que ela colocasse na poção!!! E quem seria? Inevitavelmente seria seu próprio fio de cabelo, ou um pedaço de unha... mas seria o seu gene...que transformaria Draco em Hermione. De todo o descontrole emocional que aquela prova provocara, nada pareceu mais assustador do que aquele pensamento...



“Draco vai ser Hermione...por uma hora... Esquece isso você não tem tempo para essa reflexões egoístas...coloque seu DNA ali e faça tudo dar certo”



Em meio aos seus pensamentos ela não tinha notado que Draco parecia não estar muito bem, ele encostara a cabeça na cabine, enquanto sua cintura era banhada pelo veneno.



“Aguente firme Draco”, Hermione colocava o acelerador de tempo na poção, adiantando os 21 dias de cozimento dos Hemoróbios.



Enquanto isso acontecia, ela deveria esperar, mas parecia não haver muito tempo para isso... Mais uma vez ela lembrou de observar Draco, e foi possível notar que ele começava a ficar zonzo em meio ao líquido preto. Neste momento seu coração deu um salto, aquela cena de alguma forma a assustara. Foi quando ela decidiu que não poderia ver daquele jeito, e correu até a cabine.



-Malfoy!!!! Malfoy..._ela batia na parede da cabine, na esperança de que o barulho atraísse a atenção de Draco que tinha a cabeça baixa e imóvel...



-Malfoy, por favor, olhe para mim...estou quase lá... não durma agora!!!_ela batia nervosamente, implorando para que ele não se rendesse ao sono.



O rapaz parecia ter ouvido, começou a se mexer e a levantar a cabeça, onde seus cabelos loiros cobriam quase por completo o rosto...



-G..Granger_ele falava com dificuldade.



-MALFOY!!! Está quase acabando, eu estou terminando, aguente firme por favor!



-Eu estou...co..com tan..to sono..._Draco queria estava perdendo o controle de seu corpo e de sua mente, o líquido exalava seu poderoso sonífero.



-Não!!! Você é forte Malfoy!!! Aguente, por você... por mim..._Nesse momento Hermione já perdia a noção do que estava dizendo, tudo era assustador, o medo de perder, o medo de que acontecesse algo que pudesse estragar tudo, mas sobretudo o medo de que algo pudesse sair errado e ele pudesse sofrer as consequências.



Draco respirou fundo e parecia retomar o ânimo e recarregar suas energias...



-Eu volto logo, vai ficar tudo bem!!!!



Hermione saiu correndo e terminou a poção, colocou em um frasco, e correu com a chave nas mãos, mas pode ver que Draco já estava fora de si.



-Malfoy!!!!! Acorde!!! Ela pegou a chave com as mãos trêmulas, e abriu a fechadura. Puxou a porta da cabine e todo líquido saiu, cobrindo suas pernas da gosma negra. Neste momento Draco caiu em seus braços, e ela o apoiou, mas com o peso do corpo mole, caiu sentada no chão. Depois segurou a cabeça dele em seus braços tentando reanimá-lo.



-Por favor Malfoy, não faça isso comigo agora... fale comigo..._mas o garoto parecia não escutar.



-Vamos_ os olhos de Hermione marejavam_ Malfoy seu molóide,  porque não se mexe!!!



Ela acariciava os cabelos dele, olhava em seu rosto pálido, um sentimento de impotência paralisava todas as possíveis reações que desejava ter. Se ele não retomasse a consciência poderiam perder a prova.



-Seu loiro metido, o que pensa que está fazendo comigo!!?? Eu estou aqui Malfoy, e você não olha para mim! Porque não me xinga como sempre faz... estou esperando_ ela começou a dar tapas leves no rosto dele...Mas o garoto estava em sono profundo.



Hermione não sabia mais o que fazer, algumas lágrimas de desespero rolaram de seus olhos e atingiram o rosto de Draco.



Imediatamente ele sentiu e respirou ofegante. E quando ele abriu um pouco os olhos, ela pegou a poção e colocou na boca dele para que bebesse.



-Agora está tudo certo...conseguimos_disse ela aliviada_ a poção vai fazer efeito logo...



O rapaz não falou nada começou a se contorcer, e logo os traços do rosto mudaram, e se tornaram familiares à Hermione....ele estava se tranformando nela mesma!



Logo um bando de fiscais apareceu. Hermione tinha uma Hermione perfeita em seus braços, confirmando que a poção estava correta.



-Bem, Srta. Hermione Granger, a poção de sua equipe está correta pelo que acabamos de verificar, agora só teremos que apurar qual equipe foi a vencedora. Vocês podem se dirigir a tenda, os monitores vão dar a vocês roupas limpas, e um bom lugar para descansarem.



            Hermione limitou-se a um obrigada, e ajudou Draco-Hermione a levantar, pois ainda estava bastante grogue. Aquilo era completamente estranho, ter que ver o seu corpo, suas formas, do lado de fora, como se fosse um espírito!



            Havia um tenda onde ficavam todos os participantes depois da prova para que se recuperassem até que o resultado fosse divulgado, e pudessem ir para o hotel. No lugar haviam várias dependências tendas, para que pudesse conferir um pouco de privacidade as equipes.



            Hermione pôde escolher uma delas com os olhos, e ajudando na locomoção de Draco se dirigiu a ela e felizmente estava vazia.



            Havia um colchão bastante fofo no chão da tenda, e muitas almofadas, uma mesinha baixa de madeira tinha um jarro de água, e comida, a decoração tinha muito a ver com a índia. Hermione acomodou Draco no colchão e levantou para fechar as cortinas. Dava para ver vários vultos caminhando do lado de fora.



            Encheu um copo de água, e sentou perto de Draco, enquanto ele estava de olhos fechados ela pode observar como fica dormindo e se sentiu desconfortável por ter um clone perfeito ali ao seu lado.



            -Malfoy..._ela tocou no braço dele com receio, pq via seu proprio braço_ beba!_ ela ofereceu o líquido e ele bebeu, mas estava exausto que mal consguia parar sentado.



            -Como fomos?_ ele perguntou com os olhos fechados.



            -Não pense nisso agora, durma um pouco...



            Draco obedeceu, não tinha forças para nada, muito menos para pensar.



            Hermione não tinha sono, mas sentia as pernas tremerem, como se fosse cair se não sentasse, o peso que carregou até a tenda não era de costume, percebeu que precisava fazer um regiminho já que era o prórpio peso que acabara de transportar (jamais admitiria que poderia não estar tão em forma assim na frente de Draco).



            “Se o Malfoy pudesse se ver em pele de Hermione, talvez cortasse os pulsos!!! Tenho até medo da hora que ele acordar, parece que ainda não se deu conta de que ele sou eu! Mas não tem problema quanto mais tempo ele ficar inerte melhor...”



            Seus pensamentos foram quebrados pela presença de alguém que acabava de mexer nas cortinas que separavam a tenda das outras.



            -Olá_ era Dorian que falava tão baixo que Hermione mal poderia ouvir_ posso entrar?



            Hermione sorriu para ele também, enquanto levantava.



            -É claro que sim! _respondeu no mesmo tom de voz, para que não atrapalhasse o sono de Draco.



            -Cansada?_perguntou o rapaz olhando nos olhos dela, com um sorriso no rosto.



            -Um pouco...mas estou bem.



            -Se precisar de alguma coisa já sabe, estou aqui pra isso!_disse batendo continência_ na verdade vim verificar se vocês estavam bem...é nossa função.



            -Eu sei, obrigada por todo esse cuidado_A garota mal conseguia falar, começava a sentir que estava esgotada.



            -Não sei se sou a melhor pessoa para dizer isso, mas tenho boas notícias a vocês!



            -Sério? Que notícias (pra falar a verdade faz um tempo que não recebo boas notícias)!



            -A sua equipe ficou entre as primeiras.



            Quando Hermione ouviu isso ficou eufórica e abraçou Dorian, que ficou um tanto surpreso com a atitude inesperada da garota.



            -Me desculpe, mas é que isso é tão importante pra mim que eu precisava abraçar alguém, prefiro que seja você, ao invés dele...ou melhor dela!_apontando para Draco que parecia desmaiado no colchão.



            -Estaria abraçando sua irmã gêmea, seria uma experiência boa!



            -Ela não sou eu!!!!!!!!_disse Hermione com uma leve revolta.



            - Mas ela felizmente ou infelizmente tem o seu DNA! Haha_disse o rapaz achando engraçado a repugnância da garota por seu parceiro - Tenho outra notícia de primeira mão para você!



            -Mesmo?



            -Amanhã o Campeonato vai organizar um jantar um pouco mais especial, parece que o Ministro da Magia vai estar no nosso hotel, e já lhe previno que vai ser algo um pouco mais formal...



            -Porque está me dizendo isso?



            -Rita Skeeter vai estar por lá...e como sei que não gosta dela...



            -Poderia ter me dado a notícia ruim primeiro ehehhehe... Muito obrigada pela informação, já evitar passar perto daquela reporterzinha sensacionalista destruidora de reputações!!!



            -Se tenho a informação porque não repassá-la?



            -Tem sido muito gentil comigo Dorian, acho que um dos únicos por aqui!



            -Acho que seu clone está acordando, eu já vou indo, se precisar estou as ordens!



            -Muito obrigada mesmo Dorian...não sei como vou retribuir toda essa atenção!



            -Um dia eu lhe cobro_o garoto riu e reverenciou indicando que estava de saída.



            -Até mais!



            -Até!_respondeu o assitente.



            Hermione se aproximou de onde Draco estava deitado, o rapaz (digo, menina) se mexia parecendo desconfortável.



            -Resolveu acordar Bela Adormecida!_disse Hermione rindo, e observando todos os movimentos naturais dele em seu corpo, estranhíssimo, na opinião dela!



            -Quanto eu dormi?



            -Alguns minutos...



            -Me pareceu uma eternidade..._nesse momento ele se deu conta de que sua voz estava diferente e levantou rapidamente da cama_ por Merlin!!! Eu não quero nem me ver!



            -Calma...você vai voltar a ser repugnante em uma hora!_Hermione acabava de deitar no colchão, enquanto Draco caminhava e olhava para o próprio corpo.



            -O que fez comigo Granger!!!! Agora eu sou você, que sensação horrível!!!_ nesse momento ele começava a achar tudo engraçado.



            -Se eu tivesse escolha você acha que colocaria um precioso fio dos meus cabelos nessa poção, sabendo que teria que me ver agindo como você, caminhando como você, falando as besteiras que você fala!?!_Hermione acabava de desembrulhar um chocolate.



            -Ei não coma esse chocolate não!!! Olha o tamanho que você está _e apontava para si mesmo_ uma balofinha!



            Hermione fez cara de brava e atirou uma almofada nele.



            -E o resultado da prova? Como fomos, eu apaguei não lembro de quase nada!



            -Ainda não saiu, mas segundo fontes seguras estamos entre os primeiro colocados!!!



            -Está falando sério??? Pelo menos essa caracaterização valeu a pena!_ disse ele tossindo para ver se conseguia deixar a voz um pouco mais grave_ a propósito, que fonte segura é essa?



            -Dórian, um assistente da Competição. E veio nos avisar que amanhã teremos um jantar importante no Hotel, e terá a participação do Ministro da Magia... o seu titiozinho né, já que está de rolinho com a sobrinhazinha tontinha dele!_ disse ironia, mas evidentemente mordida de raiva.



            -Interessante_ disse ele não dando atenção a provocação_ bem preciso sair daqui, respirar novos ares, ir ao banheiro...já volto maninha!



            -Ei, você não pode sair daqui vestido de MIM!!!!!!!!_Hermione levantou e correu rapidamente atrás dele, segurando o braço dele.



            -É claro que posso, afinal eu preciso suprir minhas necessidades fisiológicas!



            -Ah mas você não vai ver partes do meu corpo desnudas!!!!!!!!!Eu mato você... vou junto, está resolvido!!!



            Enquanto ela falava ele começou a correr, e se escondeu dela em meio a tantas tendas e pessoas.



            “Eu tenho que achar esse maldito Malfoy, antes que ele posso pensar em fazer alguma coisa se passando por mim! Mas como eu fui burra, é claro que ele iria fazer alguma coisa imbecil! Isso é mais do que lógico, mas a hora que eu pegar ele, depois que ele virar Malfoy novamente – é claro! -, eu vou picá-lo em pedacinhos e servir no jantar de amanha!!!!Mas onde ele se meteu?”



            Quando Draco conseguiu despistar Hermione, ele foi até o banheiro feminino... E ficou muito feliz com o que viu, garotas e mais garotas, contando segredinhos, se arrumando! Ele se sentiu no céu!



            Depois que saiu reletiu: “ Acho que estou começando a gostar de ser a Granger!”



Caminhando encontrou Bryan, que imediatamente puxou papo com ele (digo, ela).



            -Hermione!!! Como está!!!?



            -Ah...ach..acho que estou bem_ Draco pensou se iria se passar por ela ou não. Mas mesmo sendo totalmente antiético era uma oportunidade única de fazer com que o rapazinho sumisse da vida de Hermione!



            -Já estava sentindo sua falta!



            “Mas como esse corno é petulante...com saudade dela? Como alguém pode sentir saudade dela? Aposto que esse metido está com intenção de destruir a nossa equipe, mas ele vai se arrepender por isso, e vai ser agora mesmo que ele nunca mais vai chegar perto da Granger!!!!”



            -Mas que coisa incrível, eu não senti a mínima saudade!_Draco disse parecendo seco_ e já que está aqui é bom eu lhe dizer agora, que é melhor você se afastar de mim, porque eu agora estou me concentrando mais nas provas e tenho muitas coisas para pensar, não posso ficar com amizadezinhas paralelas...



            -Oh, me desculpe, achei que você gostasse da minha presença_ as bochechas brancas de Bryan começaram a ficar rubras_ não pensei que pudesse atrapalhar...



            -Pra falar a verdade está sim, é melhor que se afaste antes que eu me irrite mais!!!_Draco mostrava uma agressividade capaz de amedrontar qualquer pessoa fragil como Bryan_ADEUS_ disse saindo de perto dele.



            Depois que ficou longe alguns metros, Draco não conteve o riso, gostara tanto da idéia de colocar Bryan fora do caminho de Hermione que não percebeu que ela acabara de encontrá-la, e só percebeu mesmo quando ela alcançou sua orelha com as pontas finas dos dedos e começou a puxar com força.



            -Te peguei, seu safado! Onde pensa que estava indo? _Hermione começou a puxá-lo para a tenda dos dois que estava bem próxima dali, e ao chegar empurrou Draco no colchão e o prendeu com uma algema que conseguiu por ajuda de Doryan, já que até segunda ordem não poderia usar a varinha para paralisá-lo.



            -Pronto agora o senhor vai ficar aqui até que o feitiço termine, e você volte a ter a aparência asquerosa de sempre!_Hermione olhou no relógio, e podia ver que faltavam apenas alguns minutos para a transformação.



            -Ei, você não pode me deixar preso Granger!!!!!_ começou a resmungar.



            -Eu disse pra você não sair por aí usando da minha aparência,  você não me ouviu, resolvi adotar medidas extremas, agora me conte...você andou se vendo no espelho?



            -Porque eu perderia tempo, não quero ver você nua Granger!!!



            -Eu espero para o seu bem que você esteja dizendo a verdade! Porque eu não me importo de te deixar aí preso...



            -Eu estou! Me diga porque raios eu ia querer tomar um susto com tamanha feiúra?_Draco começou a rir do que acabara de falar, sabia que deixaria ela nervosa, e neste mesmo intante a transformação começou, e Draco começou a aparentar a antiga forma.



            Hermione ficou observando até que terminasse.



            -Agora já pode me soltar!_disse Draco feliz por poder ouvir a própria voz novamente.



            “Já estava sentindo falta dessa vozinha irritante! Até parece mesmo Hermione que você sentiu saudade de ver esse imbecil!”



            -Você fica melhor assim, de castigo!_Agora quem ria era Hermione, até expressando uma certa alegria por não ver mais Draco com a sua forma.



            -É sério Granger, me solte!



            -Ta bom, mas deixa eu te ver preso só mais um pouquinho_e ela ficou observando ele com um sorriso no rosto.



            -Olha, eu acho melhor você me soltar, pois se continuar me observando vai querer fazer algumas coisas comigo, e eu tenho que confessar que não gosto muito de masoquismos quando se trata de intimidade!



            Hermione ficou rubra, ele sempre tinha algo constrangedor para falar, colocando ela sempre em desvantagem. Tirou a chavezinha do bolso, e caminhou devagar até as costas dele, e chegou bem perto do ouvido dele, respirando suavemente para que ele sentisse todo o calor.



            -Tudo bem Draco, já que você não gosta de masoquismos, podemos fazer tudo com carinho_Hermione segurou o riso, queria ver a reação dele, afinal ela estava contratacando.



            Draco estava mudo, enquanto ela passava os dedos sobre suas mãos abrindo as algemas devagar, quando sentiu que estava solto, levantou o mais rápido possível!



“O que essa menina está dizendo, enquanto tocava as minhas mãos, ela falou perto do meu ouvido!!!! Louca, porque ela fez isso? Estou começando a sentir um frio estranho na barriga...Granger, você é completamente...completamente estranha!!!”



            -Você acha mesmo Granger que iria fazer algumas coisa com você???



            -Você pareceu tão convincente... que achei que poderia rolar alguma coisa_ ela deitou no colchão de uma forma sensual, que começou a assustar Draco. Ele estava paralisado sem saber o que dizer, por um instante esqueceu que odiava ela, definitivamente ela estava sabendo constrangê-lo. Mas antes que ele pudesse acreditar no que estava acontecendo, ela cortou o barato.



            -É claro que não seu idiota! Você acha que eu estou falando sério? Eu pularia na frente de um rinoceronte antes de pensar, imaginar, sonhar em fazer algo com você!!! Estou brincando seu bobo. Mas bem que você gostou!!! Não foi???



            Draco começou a sentir ódio de si mesmo, e dela também. Faltou terra em baixo dos pés, sua brincadeirinha tinha saído caro demais.



            -Eu soube o tempo todo!



            -É claro que sim!_ Hermione agiu naturalmente, rindo pra prórpia brincadeira, enquanto ele parecia desnorteado_vamos, precisamos ver o resultado da prova!



            -É vamos_ Draco concordou, tentando sair do transe, tentando parar de pensar em tudo o que acabava de acontecer, tentando parar de se sentir um trouxa.



            Hermione e Draco caminharam pelas tendas, ate chegarem ao local onde estavam apurando os pontos de cada equipe, poucas pessoas acompanhavam o procedimento.



            -Estranho não ter muitos competidores por aqui..._disse Draco perplexo.



            -Mas desconfio que isso deva ser por conta da prova, você desmaiou, outras pessoas devem ter tido algum tipo de reação também.



            O Senhor Montevilla e seus acessores caminhavam de um lado para o outro na mesa onde estavam organizando e computando os resultados da prova, os quesitos de desempate fariam com que a prova demorasse a ter resultado. Draco e Hermione sentaram em cadeiras que tinham por ali.



            Hermione ficou feliz porque naquele momento não via nem Núbia e nem Skeeter, lembrou de sua varinha que estava guardada desde o início da manhã no bolso. Parecia ter medo até de observá-la.



            Draco ao ver que ela tirou a varinha do bolso, fez o mesmo.



            -Relaxe Granger, hoje descobriremos o que houve com as varinhas, e segundo o meu pressentimento acho que elas vão nos trazer mais sucesso do que antes!_Draco sabia muito bem que poderia não ser exatamente isso, mas se não tranquilizasse Hermione alguma forma ela não se concentraria mais em nada.



            -Eu espero sinceramente que você esteja certo (pela primeira vez na vida)! Eu sei que está tentando me acalmar Malfoy... Porque nem você e nem eu sabemos o que aconteceu naquela noite.



            Enquanto conversavam, uma movimentação começou onde estava Montevilla, parecia que já tinham o resultado, e todos foram convidados a irem para fora das tendas, para que anunciassem a classificação.



            -Bem senhores, não temos muitos participantes aqui, porque alguns ainda estão se recuperando da prova!_ o barriguro limpava o suor das temporas com um lencinho_ Vamos anunciar agora o resultado da prova.



            -Como eu já havia dito no começo os critérios seriam: 1º a rapidez da prova; 2º a ingestão da poção; 3º a sua eficácia. Todos os participantes fizeram a poção dentro do tempo, portanto todos estão classificados, e estão colocados de acordo com o menor  tempo. Entretanto apenas 8 dos participantes conseguiram terminar a poção e fazer com que seus companheiros a bebessem, e estes oito estão nas posições de acordo com a ingestão da bebida. Agora vem a parte decisiva.



            Todos começaram a ficar tensos porque ainda não haviam dado o nome de nenhuma equipe. Hermione e Draco se olharam concentrados, um tentando procurar a certeza de que iriam conseguir, no outro.



-Apenas 4 equipes conseguiram obter a eficácia da poção. Porém, 3 delas tiveram pequenas e ínfimas falhas em relação a eficácia da poção, ou seja, funcionaram bem, mas não perfeitamente. Uma equipe conseguiu executar a prova, em tempo, ingestão da poção e eficácia “perfeita” da poção. Segundo as nossas avaliações, a equipe que completou a prova e está neste momento com a pontuação máxima da prova, é AUDACIUS.



Draco e Hermione levantaram eufóricos, expressando uma alegria imensa, tanta que os dois mal podiam conter o sorriso.



-Parabéns aos dois_disse Montevilla enquanto apertava as mãos deles, e Rita Skeeter aparecia para titar uma foto.



Hermione mal pode ver a repórter purgante, o que estava sentindo era algo que nada poderia estragar. Muitos dos competidores que estavam ali bateram palmas, mas era visível a inveja nos olhos deles.



Depois que a foto foi tirada e eles recebera os parabéns de todos, o Senhor Montevilla continuou informando a classificação mas os dois caminharam para o refeitório dentro da tenda maior.



-Eu estou com as pernas bambas, se não sentar eu posso cair!!!_disse Hermione empolgadíssima.



-Missão cumprida, vamos almoçar!_ os dois caminharam juntos, e nesse momento esqueceram de todas as diferenças, e conversavam como membros da mesma equipe.



Entraram no refeitório, se serviram e encontraram uma mesa isolada para sentarem.  



-Acho que fazia tempo que eu não sentia um gosto tão agradável na comida_disse Hermione sinceramente para Draco.



-Não é o gosto da comida, é o gosto da vitória. Mas sabe que desde antes eu queria te perguntar, como é que você fez com tanta perfeição a poção Polissuco?



Naquele momento Hermione gelou, não poderia contar a ele que desde o segundo ano de escola ministra a poção polissuco, e a primeira experiência foi exatamente para saber os segredos de Draco.



-Deve ter sido sorte..._disse ela olhando para o prato de comida, tentando não mirar os olhos dele, que agora estavam direto no seu rosto.



-Sorte? Você é maluca Granger, aquilo não foi sorte, eu confesso que precisaria um pouco de prática para ministrar aquela poção!



-Tá bom Malfoy, então eu sou uma ótima aluna, com sorte!_ Hermione agora olhava para ele e bebia um pouco de suco.



-Juro que ainda não entendo! Você já fez essa poção alguma vez?



-Já, em sala de aula _ “Para com essas perguntas Malfoy!!!”_ mas eu sou uma aluna bem dedicada, como você diz uma CDF!



Draco agora lembrava de todas as vezes que a chamava de CDF de forma pejorativa.



-Sabe que eu vou jamais vou te chingar de CDF, mas sim vou elogiar com essa palavra_ essa foi uma das vezes raras que Hermione pode ver uma felicidade sincera no rosto de Draco, algo precioso que ela acabara de flagrar e degustar.



-Sou esforçada em relação aos estudos! Se eu não fosse essa hora VOCÊ estaria ferrado, porque eu poderia bem ter te transformado em algum tipo de monstro, de animal, de objeto...sabe-se lá que cor eu poderia ficar...



- Por Merlin!!!_ disse Draco colocando as mãos na cabeça_ como eu tive a coragem de me submeter aos seus experimentos!!!! Você está passando a sua doideira pra mim Granger!!!_depois ele riu.



-Viu só, eu não disse que ia te enlouquecer e infernizar? Estou conseguindo heheh_Hermione lembrou de como a raiva havia diminuído desde o dia que entrara naquela competição.



Os dois riram. E pareciam um pouco mais relaxados confiantes, e unidos...Talvez estivesse começando a confiar mesmo um no outro. Hermione sentiu depois de tanto tempo um alívio estranho, como se tudo estivesse bem, porém, mesmo com essa tranquilidade temporária, a idéia de que algo estava para acontecer a atormetava.



            Depois de algum tempo de conversas informais e risos, o anúncio do sorteio da próxima prova foi dado, e a tenda se encheu novamente.



            Senhor Montevilla tomou a palavra enquanto Meredith organizava o globo de onde saíria a próxima prova.



            -Competidores, a próxima prova será sorteada, mas antes eu queria comunicá-los que amanhã a noite teremos um jantar com a ilustre presença do Ministro da Magia nas dependências do nosso hotel, portanto, só teremos prova daqui dois dias devido a esta visita tão memorável.



            Draco e Hermione se olharam e fizeram uma expressão de alegria, teriam tempo para treinar, e para resolver o problema das varinhas antes da próxima etapa.



            Montevilla tirou uma das bolinhas do globo e anunciou:



            -A próxima prova será a... _o homem ficou mudo e mudou um pouco a expressão do rosto quando olhou para a prova_ bem, essa prova tem o nome da única equipe que fez a prova completamente: Horus. Bem, o regulamento será entregue para vocês nesse momento, e é só isso. Boa sorte a todos.



            Os competidores que até o momento estavam quietos, comçaram a conversar freneticamente.



            Senhor Montevilla parecia tenso, saiu as pressas dali, como se algo não estivesse correndo bem, chamou os fiscais para que o acompanhassem, fez questão que apenas esses os seguissem.



            Draco fez sinal para que Hermione saísse com ele dali, depois que pegaram o regulamento. Ela entendeu o que ele estava pensando.



            - Tem alguma coisa de errado acontecendo aqui, você percebeu não é mesmo Granger.



            - Claro, eu ainda não tinha visto o Montevilla com cara de assustado, o rosto dele mudou no momento que leu aquele papel, parecia que ia desmaiar de tão nervoso. Além disso, não deu qualquer explicação sobre a prova, como sempre fazia, saiu correndo da tenda como se o mundo fosse acabar!



            - Precisamos descobrir o que é, mas eu aposto com você de que tem a ver com a próxima prova.



            - Se tem vamos descobrir!



 



 ************************************************************************



           



            Depois do sorteio da prova, todos voltaram para o hotel, Draco e Hermione foram para o quarto um tanto aliviados por conseguirem a vitória, porém, era fato que algo estava errado, e a tensão permanecia no ar.



            - Hoje a noite temos o jantar com o Ministro da Magia _ disse Draco se jogando na própria cama _ acho que vai ser uma boa oportunidade para Montevilla fazer uma reuniãozinha com ele.



            - Não temos certeza do que aconteceu ainda Malfoy, nem sabemos se foi por conta da prova que ele ficou daquele jeito estranho, quanto mais se ele vai falar isso para o Ministro da Magia.



- Minha cara bruxinha inocente, você acha mesmo que o Ministro da Magia tão ocupado como é, viria aqui só para passar férias neste hotelzinho feio de beira de estrada? É claro que um jantar sempre será a fachada para uma reunião a portas fechadas, para tratar assuntos de gente grande. Eu acho que nada nos impede de ficarmos de olho nele e em tudo o que vai acontecer hoje a noite.



            -Tudo bem, mas temos que saber onde vai ser essa reuniãozinha, e como faremos para escutar o que vai se passar, se é que isso vai acontecer_ Hermione começou a organizar algumas coisas no quarto, caminhando uma pouco mais tranquila do que costumava.



            - Precisamos dessas informações privilegiadas não acha?



            - Bem, eu tenho uma idéia, eu sei que não vou me perdoar por isso mas... Eu acho que você deveria falar com a sua amiguinha ridícula Núbia, e tentar pegar qualquer informação...._disse Hermione fechando os olhos e abrindo lentamente, como se estivesse sofrendo para falar.



            Draco percebeu que ela se contera para não ofender tanto Núbia, e que por mais que fosse útil a sua comunicação com ela, Hermione odiava pensar nisso.



            - É uma boa idéia Granger, se você concordar posso fazer isso, faço ela falar qualquer coisa...



            - Me poupe dos detalhes nojentos de como você vai conseguir as informações. Só espero que você consiga ser bem discreto, e ela não perceba o que você quer, ou melhor o que nós queremos!_ Hermione ficou quieta e Draco sorriu para ela, e imediatamente ela sorriu também_ Eu acho que não preciso dizer isso a uma cobra como você!



            - Ok Granger, já entendi. Agora deixa eu me preparar para fazer o meu trabalho.



            - Fique a vontade! _disse Hermione abrindo espaço para que ele passasse para ir até o closet.



            Hermione sentou na cama. Ainda não se perdoara por encorajar Draco a ir falar com Núbia, mas não teria outra forma de saber as informações de que precisavam.



            Enquanto estava ali, conseguia fazer uma retrospectiva da prova de poções, lembrou do desespero que sentiu ao ver ele desacordado. Como ela poderia ter se sentido tão mal por isso? Estava bem agora, pois ela conseguia vê-lo caminhando, conversando normalmente...ele estava ali em sua companhia.



            Organizar esse pensamento naquela caixinha de dúvidas era o mais complicado, porque o medo que sentiu por ele, era algo que jamais pensou que pudesse manifestar.



            -Malfoy, não podemos esquecer o que temos que fazer hoje!



            - O que seria?



            -Você tem titica de galinha na cabeça mesmo! Temos que testar nossas varinhas!



            -É claro, eu sabia disso...



            -Sei..._disse Hermione desacreditando



            Hermione sentada na cama, olhava para a caixinha, segurou-a em suas mãos. E analisou, mais uma vez seus detalhes.



“Bem o que temos aqui, madeira, mais ou menos 10 cm cúbicos, entalhes minúsculos, sem feixe...entalhes? Deixe me ver isso...”



Hermione sacou a varinha, mas lembrou que não poderia usá-la nem para conjurar uma lente de aumento, que era sua intenção.



            Olhou para a caixa, mesmo sem qualquer auxilio, focando os olhos com dificuldade nos desenhos.



            Começou a perceber que algo parecia ter sentido naquele estranho objeto. Parecia que os entalhes formavam figuras em cada um dos lados do cubo, mas era algo tão confuso que não daria pra identificar o que poderia ser.



            A curiosidade era tanta que ela queria de qualquer maneira possuir uma lente de aumento, para poder decifrar aquilo.



            “Não vou conseguir ver isso assim...se eu pudesse ao menos conjurar algo que pudesse me ajudar...mas com essa varinha assim... Bem, uma hora vou ter que usá-la novamente...” _ a tentação de fazer um feitiço era grande demais para segurar Hermione, e além disso Draco não estava por perto para censurá-la.



“Vou fazer tudo com prudência...mas vou fazer...”



Quando Hermione tirou pela segunda vez a varinha do bolso. Ela começou a se movimentar sozinha como se tivesse vida própria, flutuando no ar. O cubo que estava em suas mãos também flutuou junto coma sua varinha. Quando isso aconteceu os entalhes do cubo começaram a brilhar refletindo uma cor vermelha, a mesma cor que a varinha também refletia. E nesse flutuar que permaneciam a varinha e o cubo, ambos iluminados, começaram a girar rapidamente no ar, e emitir uma espécie de energia fazendo ventar dentro do quarto, Hermione começou a respirar diferente aterrorizada.



-Malfoy!!!_ela gritou.



E ele saiu do closet meio nervoso abotoando os botões da camisa preta que estava vestindo.



-O que você quer...Granger!!!!_ ao ver todo aquele movimento no quarto ele ficou estático, e sentiu algo voar do seu bolso. Sua varinha acabava de se juntar aos objetos flutiantes no quarto, jorrando uma luz azul, da mesma maneira que fazia sua varinha. Ela subiu e começou a girar ao lado do cubo, e este começou a mesclar a luz vermelha e a luz azul.



O vento começou a aumentar, e enquanto isso acontecia Draco correu para perto de Hermione e a abraçou tentando protegê-la do furacão que se formava dentro do quarto.



- O que está acontecendo aqui!!!_Draco perguntou a Hermione que mal conseguia respirar em meio a ventania.



-Eu não sei, não fiz nada Malfoy!!!



A luz ficou extremamente intensa, que não permitia que nenhum dos dois visse nada do que estava acontecendo.



Draco abraçou Hermione com força e ela da mesma forma tentando se proteger da ventania que aquilo estava produzindo.



De repente os objetos pararam no ar ainda emanando uma luz cegante, e o vento também parou.



As varinhas começaram a flutuar devagar em direção a Hermione e Draco, parando na frente deles para que as segurassem.



A caixa permanecia no ar.



-Não podemos segurar essas varinhas_disse Draco soltando Hermione, pois tinha percebido o que estava fazendo, agora ele se concentrava na próxima atitude que teria que tomar.



-Tudo bem, mas me parece que elas desejam que as seguremos...



-E se essas coisas...



Antes que Draco pudesse dizer alguma coisa, Hermione segurou a própria varinha que emanava luz, e nada aconteceu.



-Pode pegar Malfoy_ encorajou.



No momento que Draco tocou a varinha as duas começaram a interagir como se fossem uma só. Os dois começaram a sentir um poder entranho sobre seus corpos.



-Você está sentindo isso Malfoy?_ Hermione falou a ele perplexa_ eu me sinto poderosa... tem algo estranho acontecendo!



-Eu consigo sentir_ Draco começou a rir_ eu sinto correr nas minhas veias...



A caixa que flutuava no teto despencou no chão e desmontou-se. A luz cessou dentro do quarto, do mesmo modo que a energia que eles estavam sentindo.



Nenhum dos dois conseguia falar direito. Estavam assustados, estranhos, empolgados, com medo.



Hermione olhava para a sua varinha, enquanto arrumava a roupa e os cabelos que estavam completamente bagunçados.



Draco sentou na cama e começou a pensar.



- O que está acontecendo?_ Hermione disse...



- Cansei de ouvir essa frase Granger, mas mais uma vez vou responder EU NÃO SEI, e sabe que essa resposta também me irrita... só que infelizmente eu não tenho outra coisa a dizer!!! Estou confuso...



Hermione se ajoelhou perto dele, que estava sentado na cama, e fez com que olhasse para ela.



- Você sentiu o que eu senti não? Que loucura é essa? Um poder que apareceu não sei de onde, e tomou conta das nossas varinhas, e quando a tocamos esse poder era nosso!



- É claro que eu senti isso! Eu ainda estou tentando voltar a um segundo atrás, eu me senti o ser mais poderoso desse lugar, talvez do mundo bruxo, eu senti que podia tudo!



Hermione via nos olhos dele o mesmo sentimento que ela tinha desfutado, mas logo voltou a ser racional e saiu daquele trase em que estava infiltrada.



Caminho até a caixa que estava partida no chão, na verdade agora não era mais uma caixa mas 6 pedaços de madeira e no meio deles algo que brilhava, parecia uma joia, uma não duas! Hermione retirou as duas joias do meio dos pedaços da caixa.



- Malfoy vem ver isso aqui.



- O que é?_ disse ajoelhando do lado dela.



- A caixa, se partiu... e olha o que tinha dentro.



- Dois anéis.



Eram dois anéis, cada um com uma inicial gravada: D e E.



- Como são bonitos..._disse Draco olhando - Tudo isso está cada vez mais estranho...eu só queria saber o que você fez para que essa coisa começasse a funcionar... aliás, é só deixar você um minuto sozinha que coisas acontecem, da última vez peguei a senhorita tentanto pular pela janela, agora desencadeia um processo de magia dentro dessa sala sabe-se-lá como!



- O que você está insinuando???



-Nada não, só fico surpreso dessas coisa não acontecerem comigo, aliás a aparição dessa caixa também é coisa sua, porque eu não havia ouvido nada bater na janela naquele dia, como vc diz que ouviu!



-Malfoy eu sou tão inocente quanto você nisso, eu não sei de onde isso veio, e muito menos como começou a ter vida própria!!!_ Hermione começava a ficar furiosa_ aliás se isso fosse apenas coisa minha toda essa luz e essa energia teriam me afetado, e não a você...portanto, não venha se esquivando, porque o senhor está nessa tanto quanto eu!



- Tá bom Granger, e o que devemos fazer então?



-Ora, eu não sei... talvez tenhamos que pesquisar mais sobre isso...Como fizemos..._ isso tudo me parece que é magia antiga, nosso feitiço ADUCTOS acabou atraíndo a magia antiga desse lugar, talvez tenhamos quebrado algum feitiço antigo, algum pacto...



-Bem essa caixa me parece antiga, talvez faça parte de um pacto, que conseguimos quebrar...



-Quantos anos tem esse lugar? Não sabemos...não temos a mínima idéia do que pode ter acontecido aqui...



- Eu preciso descer e fazer aquele servicinho sujo... Então vá para a biblioteca, e em meia hora estarei lá para te ajudar...o que acha?



- Tudo bem_ “vai lá ver a tontinha... e se puder cuspa na cara dela por mim...”_ eu vou levar isso comigo...



-Mas leve escondido... não sei em que tipo de confusão podemos estar metidos...



Hermione maneou a cabeça afirmativamente, enquanto Draco caminhava em direção a porta.



-AH Granger já ia esquecendo...vê se não se mete em mais problemas!_ o rapaz arrumava os cabelos despeteados, e saia do quarto antes mesmo que Hermione pudesse retrucar.



Ela ainda sentia o perfume dele grudado em sua roupa, pois ele havia abraçado seu corpo protegendo da ventania que se formara dentro do quarto, e aquilo podia desconcentra-la de seu objetivo. Pensou em tomar um banho, mas aquele perfume fazia com que ele estivesse mais perto dela e desistiu.



-Vamos Hermione, o que temos aqui_ disse ela sentando no chão do quarto e analisando as partes da caixa_ temos uma caixa desmontada, a parte de fora já era conhecida, nada de especial, mas a parte de dentro... tem inscrições...tem uma receita...mas do que pode ser? Vejamos...temos dois anéis...porque isso estaria dentro da caixa? Caixa que só pode ser aberta por magia... talvez... porque não tinha nenhuma forma de abertura... Temos as letras D e E... que podem ser iniciais, não? Ei.. espere... as mesmas letras que estavam na minha varinha e na do Malfoy!!!!!!!!!!!! E as cores, vermelho e azul. Por Merlin!!! ISSO ESTÁ FICANDO MUITO INTERESSANTE! Dentro de cada anel temos uma data 11.11.1865... só... tudo bem, vamos então para a biblioteca, quem sabe lá eu encontre algumas das respostas.



Ao descer as escadas os quadros que estavam nas paredes começaram a chamar a gritar mais uma vez pelo nome Elle.



-Vocês são todos malucos, eu já disse que não me chamo ELLE, será que é difícil de entender?_ ela já começava a se irritar com aquela insistência.



“Será que eles não sabem falar outra coisa? Uma hora dessas arranco todos e faço uma fogueirinha no quintal desse hotel!”



O hotel ainda permanecia vazio, muita gente não havia chegado, e aquele silêncio era algo precioso para Hermione. Seus pés não venciam os passos apressados, a sua curiosidade chegava a incomodá-la, queria descoscobrir o que era aquilo tudo.



Abriu a porta da biblioteca, e a cerrou logo após entrar, caminhou suavemente pelo carpê sem fazer ruídos, a biblioteca parecia vazia. Encontrou a mesa que estava mais escondida, para que fizesse seu trabalho discretamente sem chamar a atenção de quem pudesse entrar ali.



Tirou com cuidado de debaixo da blusa os seis pedaços de caixa que havia se partido, e do bolso tirou os dois anéis.



Foi até a prateleira e começou a procurar algum livro que pudesse ajudar mas sua busca estava sem qualquer avanço.



“Por onde começar Hermione...talvez você precise saber mais sobre esse lugar...mas como?” Hermione pensou que devesse procurar um livro que pudesse falar de magia antiga, então retirou um que eal sabia que poderia lhe ajudar, e começou a folhear.



Ficou uma meia hora sobre o livro, mas não encontrou nada de tão útil... “ Talvez eu devesse procurar... estou completamente vazia... de onde eu tiro idéias para perquisar..?”



Hermione levantou da cadeira e começou a caminhar pelo lugar segurando os anéis, olhando para aquelas letras.



“Bem Hermione vamos abrir a mente.... temos duas jóias...aparentemente de prata, com duas letras gravadas neles... duas letras D e E, geralmente quando se grava duas letras em qualquer lugar, significa que se tratam de pessoas apaixonadas, namorados talvez... eu odeio esse assunto, só para frizar... pessoas apaixonadas...que babaquice... bem vamos lá, sem desfocar... se são namorados, quem são eles?... Bem, eram pessoas que fizeram um feitiço aqui... se fizeram um feitiço aqui, é porque estavam aqui... e porque estávam aqui...?”



Enquanto Hermione caminhava, e pensava alguém se aproximou dela, mas antes que pudesse tomar um susto, virou-se pois aquele perfume só podia ser de uma pessoa...Draco Malfoy.



-Já?_disse Hermione olhando para ele sem esboçar qualquer espanto.



-Como sabia que era eu? Eu não fiz barulhos...



- Eu já estou conseguindo detectar a sua presença Malfoy repulsiva, sem sustos...Mas mudando de assunto, foi rápida a conversa com a lambisgóia! Espero que tenha arrancado dela alguma informação...



-O que você acha Granger? Eu sou especialista nisso, mas antes de contar meus resultados, me mostre os seus.



Hermione respirou fundo e começou a caminhar nervosa, até agora não tinha conseguido nada de tão importante.



-Bem, temos esses dois anéis de prata... com duas iniciais gravadas D & E, o que poderia significar que as duas pessoas são namoradas, amantes... geralmente quem grava iniciais juntas tem esse intuito... aí é que começa a ficar difícil... essas pessoas fizeram um feitiço aqui... se é que eram duas... e porque estávam aqui...? é tudo tão confuso!_ Hermione quase não conseguia falar, se sentia uma incompetente.



-Só isso Granger? Assim você me decepciona, todo esse miolo de nerd e nada!!!_ Ele disse rindo.



-Quer parar de gozação? Fale o que conseguiu de tão bom com o trocinho de dragão.



-É o seguinte_ agora Draco se empolgava para contar_ chegue mais perto, não posso falar muito alto, as paredes tem ouvidos, mas não que eu faça muita questão de que você chegue perto viu, não vai se animando...



- Deixa de ser idiota, e fala logo.



-Ela me disse que as provas aqui são sorteadas, e tiradas de dentro daquele globo, só que as provas que estão ali foram colocadas desde a primeira edição desse campeonato. A parte interessante de tudo isso é que existem provas que foram sorteadas nas primeiras versões do campeonato e depois nunca mais foram... Quem decide isso é a magia, o destino como queira chamar, não são os organizadores...



- Até agora não vejo nada de tão interessante...



-Espera eu contar??? O que acontece é que essa prova que foi sorteada, não foi sorteada já fazem mais ou menos 150 anos! E a única equipe que conseguiu completar a prova foi aquela que leva o nome da equipe: HORUS.



-Só isso?



-Queria mais o que...? Quer saber, isso deve ser bastante importante, porque deixou o gordão grilado! Preciso te mostrar uma coisa Granger...



Draco fez com que ela o acompanhasse até uma estante de vidro, onde guardava muitas coisas, na verdade se asemelhava a um pequeno museu.



-Está vendo aqui? Temos a foto da equipe HORUS, essa foi a equipe que conseguiu vencer a prova...



Hermione começou a olhar para a fotografia antiga emoldurada, e abaixo estavam os nomes: DIMITRI & ELLE.



Parecia que a mente de Hermione se abrira e conseguia ver tudo o que estava tão obscuro e tão óbvio... retirou rapidamente do bolso a varinha e olhou para o que estava gravada: ELLE...



-Malfoy me mostre a sua varinha.



-Porque você a quer?_ disse Draco desconfiado.



-Isso não é hora para crianices, deixa eu ver_ Hermione tirou a varinha das mãos dele, e viu o que estava gravado: DIMITRI.



            -Está vendo isso Malfoy? DIMITRI, a sua varinha está gravada com o nome desse bruxo... e a minha varinha com o nome dela!!!



            -Por Merlin!!! Isso significa, que o feitiço tem algo a ver com eles, foram eles que fizeram a magia... eles são os responsáveis pelas nossas varinhas estarem tão estranhas...



            -Malfoy, precisamos saber o que eles fizeram, precisamos saber que feitiço era esse, e logo, antes que mais coisas aconteçam_ precisamos achar um álbum que nos fale sobre esse campeonato, sobre essas pessoas... deve ter algo por aqui.



            Hermione começou a olhar freneticamente para as prateleiras, enquanto Draco trancava a porta da biblioteca.



            -Aqui está, o histórico do campeonato...Pelo que diz aqui eles participaram desse campeonato em 1865, eles não eram a equipe favorita, mas venceram.



            -Bom, agora sabemos que eles foram competidores vitoriosos aqui, mas veja se diz de onde eles eram...



            -Aqui está escrito que eles estudavam na Escola de Bruxaria MANVÉRUS, mas aqui não disse onde fica...



            -Onde encontramos uma lista que tenha a procedência dessa Escola?



            -Poderíamos ver se tem alguma escola com esse nome na competição!



            Os dois iniciaram a pesquisa na lista de participantes e respectivas escolas que estava colocada no mural de avisos.



            -Não tem nenhuma escola com esse nome... é estranho pois a maioria de Escolas de Bruxaria está inscrita, e além dessas não lembro de mais nenhuma famosa..._Draco desanimou.



            -Talvez eles não fizessem parte de alguma escola conceituada, já que nem ao menos eram cotados para o título_ disse Hermione finalizando.



            -Tem razão_concordou Draco, para o espanto de Hermione que engoliu a seco, era tão dificil fazer com que ele concordasse com algo do que ela dizia..._ mas então vamos para a parte difícil: procurar escolas não conceituadas... Vai saber quantas existem...?



            -Quer parar de reclamar, não temos outra escolha...



            Voltaram para a biblioteca e apanharam um livro, onde começaram a procurar foram na letra M, mas não existia escola nenhuma com aquele nome...



            -E agora o que fazemos sabichona?



            -Eu não sei Malfoy, preciso pensar...



            Os dois ficaram em silêncio, mas Draco era impaciente demais as vezes.



            -Eu vou na cozinha buscar algo para gente comer, tá a fim do que?



            -Não estou com fome Malfoy, e mesmo que tivesse eu mesma iria buscar algo pra comer... você poderia tentar me envenenar mais uma vez, e eu não gostaria de correr esse risco.



            Draco fez uma careta e saiu.



            Foi até a cozinha, e encontrou Ming sentado em um banquinho descascando batatas.



            -E aí elfo, que que tá pegando!!!_disse todo animado.



            -Se...senhor protegido do amo, o sseee...nhor não pode ficar entrando aqui toda hora!!!_disse espantado, largando as batatas e a faca caiu no chão fazendo um estrondo.



            -Relaxa, estou com fome, você tem algumas bolachas, algo pra comer?



            -Si...sim... Ming fez biscoitos de chocolate meio amargo, especialidade de Ming._O Elfo correu para buscar uma caixinha com alguns dos biscoitos que orgulhosamente apresentava.



            -O senhor, está com um olhar estranho senhor protegido, não gostou das bolachas de Ming?



            -Não, estão uma delícia_disse quase de boca cheia_ estamos com um probleminha, por acaso você já ouviu falar na Escola de Bruxaria  MANVÉRIS, MANVÉRUS...acho que é MANVÉRUS...



            O elfo engoliu a seco, e começou a gaguejar.



            -O senhor não deveria estar aqui senhor Malfoy...não deveria, o amo não vai gostar nada de vê-lo entrando e saíndo daqui, a se não vai!!!



            -Ei Ming, você não respondeu a minha pergunta...Você sabe não é mesmo??? Onde fica essa Escola_ Draco fez um olhar ameaçador..._ não minta pra mim Ming!!!



            -Pode fazer mal a Ming, mas Ming não vai dizer, para o bem do protegido do amo!!!



            -Ming você vai me dizer agora onde fica essa escola!!!_ Draco fez uma cara um tanto tenebrosa para Ming.



            -Ming não vai dizer nada!!! Nada!!!_ e o elfo voltou para a suas batatas, mas agora tremia, parecia um tanto assustado.



            Draco quase esmurrou as paredes, mas saiu rapidamente da cozinha, voltando a biblioteca.



            Hermione estava debruçada sobre os livros, folheando as páginas freneticamente.



            -Esse elfo doméstico vai falar, nem que eu tenha que enfiá-lo dentro de uma panela fervente!!!_ Nervoso caminhava pelo carpê, batendo os pés fortemente no chão.



            - O que houve Malfoy, não encontrou os biscoitos?_ Hermione não tirou os olhos dos livros para falar com ele.



            - Granger, o aquele elfo doméstico de araque sabe onde fica a escola que estamos procurando mas ele não vai dizer, eu quase peguei ele pelo pescoço e aquele diabinho não fala!!!



            -Como assim? O Ming?



            -Esse mesmo! Ele sabe! Mas veio com a história de que não ia contar, e de que não era bom pra mim saber...bla bla bla... Não sei porque ele não quer falar!!!



            Hermione começou a pensar.



            -Eu já volto me espere aqui!!!



            Draco não se moveu, quando ela saiu apenas sentou na cadeira que ela ocupava.



            Hermione correu escada acima, entrou no quarto depressa e começou a fuçar na mala.



            -Tem que estar aqui em algum lugar...eu sempre tenho um reserva...Aqui!!! Achei!_ pegou o que queria e saiu do quarto.



            *          *          *          *          *          *          *          *



            Hermione entrou sorrateira pela cozinha, e avistou Ming na mesma posição que se encontrava quando Draco chegou para buscar os biscoitos.



            -Olá Ming!_disse Hermione em um tom baixo.



            -Sem...senhorita protegida do amo! O que faz aqui!



            -Eu vim porque eu preciso conversar contigo...tem um minuto?



            -Ming está ocupado, volte mais tarde!!!_disse sem olhar para ela, descascando mais rapidamente a batata com as mãos trêmulas.



            Hermione caminhou até ele e ajoelhou-se ao seu lado.



            -Ming, eu sei que você sabe sobre o que eu vim perguntar... Eu preciso saber onde fica essa escola Manvérus... Eu e o meu colega estamos pesquisando a algum tempo e não sabemos onde fica! Eu sei que você sabe Ming, nos ajude! Por favor...



            Ming ainda com os olhos baixos, parou de descascar as batatas e disse com a voz rouca.



            -Ming não pode falar...é perigoso...



            -Como Ming pode ser algo perigoso?



            -Ming seria castigado se algo de ruim acontecesse aos protegidos do amo!



            -Eu não entendo, Ming não somos medrosos, conte para mim!



            -Senhorita, não deve mexer no passado, não é bom pra ninguém, pra ninguém!



            -Do que está falando Ming...essa escola ainda funciona? Onde ela fica?



            -Ming não vai falar..não vai!!!!



            Hermione respirou fundo.



            -Eu confio em você Ming, eu sei que não vai me desapontar..._ Antes de sair Hermione deixou ao lado dele um par de meias de lã coloridas, e saiu.



            - Ei senhorita!!! Espere!!!Ming quer falar!



            -Oh Ming _ Hermione sorriu e voltou correndo para conversar com ele.



            -Ming fala, mas a senhorita tem que prometer que não vai se meter em encrenca!



            -Eu prometo Ming, agora me conte!



            -Está vendo esse Hotel senhorita? Ele foi a escola!



            -Quer dizer que esse hotel não foi sempre um hotel!



            O elfo balançou a cabeça.



            -Ming, mas porque não é mais escola, e porque ninguém fala sobre isso? Não existem livros na biblioteca que falem disso!



            -Ming só fala onde fica a escola! Ming precisa voltar para as atividades domésticas!



            Hermione sabia que ele não falaria mais nada, pelo menos naquele momento, e então saiu.



            Correu para a biblioteca, não conseguia segurar a vontade de contar a Draco o que tinha conseguido com Ming.



            -Malfoy, Malfoy!!! Eu consegui!!!



            -Não vai me dizer que aquele saco de pulgas contou??? O que você fez pra ele abrir a boca?_ pasmou Draco.



            -Digamos que eu sei como lidar com os elfos domésticos, mas isso não importa agora! Sabe onde fica essa tal escola Malfoy?



            -Onde, fala logo?



            -Aqui, você está diante dela! Dá pra acreditar???



            -Você está me dizendo que isso aqui foi a Escola Manvérus?



            -Pelo menos foi Ming quem disse, ele não me pareceu mentiroso, já que estava extemamente receoso por nossa segurança, me fez prometer que não não meteríamos em problemas (como se já não estivéssemos com problemas)... Mas eu sinceramente não entendi o que isso tem a ver...



            -Aquele elfo é meio louco, não podemos dar atenção.



            Hermione ficou quieta para evitar uma confusão por conta de suas opiniões sobre os elfos domésticos.



            -Malfoy, agora as coisas parecem ter sentido... A Escola é aqui, e se eles fizeram alguma magia, fizeram aqui, essas paredes são testemunhas! Agora trouxemos de volta, de alguma maneira ativamos a magia deles, deslacramos algum pacto, não sei!!! Mas se algo aconteceu foi aqui, eles estudaram aqui! E pelo jeito nossas varinhas trazem algum poder que eles tinham ou que intencionaram produzir!!! Isso é tão estranho!



            Hermione tensa sentou na cadeira, e olhava para a sua varinha, tentando organizar os pensamentos.



            Draco suspirou.



            -Precisamos nos localizarmos no tempo, precisamos de alguém que conheça a história desse lugar...alguém velho o bastante pra nos dizer alguma coisa...mas quem???



            -Alguém que nunca saiu daqui Malfoy!!! É ISSO!!! JÁ SEI!!! Vamos Malfoy!



            -O que? Onde? Não entendi?



            -Vem comigo!



            Hermione saiu correndo, enquanto Draco a seguia. Subiu alguns degraus da escada e parou na frente dos quadros que estavam pendurados na parede.



            -Senhorita Elle!!! Como fico feliz em vê-la!!! Estou tomando um chá delicioso deseja também um chá? Nunca mais veio me visitar querida!_ dizia o homem de barba verde.



            -Elle, princesa de Manvérus, porque não conversa conosco?_ uma vozinha em outro quadro começou a falar.



            Hermione olhou para Draco e ele se aproximou dos quadros também.



            -Senhor Dimitri!!!! Senhorita Elle, os dois juntos novamente!!! Finalmente vamos ter dias de alegria neste lugar!!! Um brinde de chá aos dois!!!_ o homem da barba verde e do chapéu pontudo provocava todos os outros quadros para um brinde, e todos aplaudiam e gritavam.



            -Você viu isso Malfoy? Eles acham que somos Elle e Dimitri!



            -Elfos loucos, quadros loucos!!! Isso é um hospício e não um hotel!_Draco começou a rir, sem acreditar muito no que ouvia.



            -Como você é burro Draco, esses quadros vão nos dizer tudo, agora não fique aí parado e me ajude!



            -Eu queria saber uma coisa de vocês...



            -Querida Elle o que quiser!!!_disse um dos quadros.



            -A quanto tempo esse hotel não é mais escola de bruxaria?



            -A minha doce Elle, desde que vocês se foram a escola fechou, por muitos anos ficamos sozinhos na poeira, na escuridão, e teve algum tempo que muita gente veio vasculhar esse lugar, vinham de todos as partes, e procuravam, procuravam... Mas agora ressucitaram o campeonato, trouxeram de volta todas as pessoas pra esse lugar, estão revivendo os acontecimentos, estão competindo novamente, isso não é bom, eles vão procurar novamente... coisas ruins vão acontecer... mas vocês voltaram!!! E agora não precisamos temer mais!!! Um brinde a Elle e Dimitri!!!



            -O campeonato acontecia aqui, nas dependência de Manvérus?



            -Sim o campeonato sempre acontecia aqui, mas depois do último, quando vocês sumiram, e todos começaram a procurar, procurar, fecharam a nossa Escola! Que tempo de tristeza!



            -Mas eu não entendi, agora que chegamos vocês não tem que temer, mas temer o que?



            -O poder do mal...Minha querida Elle, eles estão por aí, rodeando esse lugar, e eles querem encontrar o poder que está escondido nessas paredes! Vocês precisam cuidar deles, vocês vão cuidar deles! Viva Elle e Dimitri!



            -Viva!!!_ os quadros entoavam.



            -Quem são eles!?!_Hermione agora começava a sentir uma ponta de medo.



            -Bruxos das trevas!



            Hermione estava confusa, deveria reformular melhor as perguntas, mas com os dados novos que conseguiu, não conseguia direcionar nada para eles no momento.



            -Obrigada senhores!



            -Nós que agradecemos minha querida Elle!



            Hermione olhou para Draco confusa, indicando a ele que voltassem para a biblioteca.



            -Você entendeu o que eles quiseram dizer não?



            -No meio daquela maluquice toda, aqueles quadros idiotas o tempo todo brindando, e se embebedando em nome daqueles dois bruxos....entendi pouco coisa, se quer mesmo saber!



            -Eles pensam que somos nós!!! Eu não sei se parecemos realmente com eles, mas eu penso que eles sentem a energia, sentem as varinhas...e sentem o mal. Eles sabem que algo aqui não está correndo como deveria! E Ming sabe disso como eles, tanto é verdade que não quis nos passar a informação, temendo por nós dois!



            -Estamos piores do que marido traído, somos os últimos a saber das coisas!!!_Draco riu para descontrair.



            -Quer parar de gracinha? Ele disse que “nós” sumimos, e depois a escola fechou! Não é coincidência, “fomos” o motivo da escola ter sido fechada, e precisamos saber o porque disso!!!



            -Ta bom, então me diga espertona, onde vamos encontrar alguém que nos conte o porque disso, já que ninguém quer falar disso com a gente?



            -Sempre eu tenho que pensar em tudo?



            Silêncio, os dois se encaravam.



            -Eu não sei, só sei que tenho algumas coisas para fazer Granger, afinal temos que pensar na festa de hoje a noite.



            -Porque a “Barbie” tem que arrumar o cabelo, fazer as unhas...?



            -Já esqueceu Granger, nós vamos espionar o Montevilla e a reuniãozinha à portas fechadas, com todo aquele povo que se acha importante e manda alguma coisa no Ministério da Magia!



            -Inclusive seu pai?



            -Meu pai não faz parte desse bando asqueroso de imbecís! Eu já te falei Granger, se quiser ter um pouco de paz comigo, NÃO FALE DO MEU PAI! Entendeu?_ Draco mudou o tom e acabou assustando Hermione.



            Draco quase se descontrolara, e por isso saiu o mais depressa possível da biblioteca, correu para fora do Hotel, e começou a pensar, parecia terrível, como havia esquecido por algum tempo de seu pai, e de tudo o que tinha que fazer ali...



            Passou a mão pelos cabelos, e apertou a cabeça com força, agora ela começava a latejar, ele não entendia como havia se desfocado dos ensinamentos de seu pai...estava menos inflamado, mais relaxado com a incrível missão de VINGANÇA! Hoje iria encontrar ali o Ministro da Magia juntamente com seu bando de puxa-sacos, com todas aquelas pessoas que Draco sentia repulsa, e que um dia receberiam seu ódio em grande escala.



            Antes de mais nada ele teria que entrar no Ministério da Magia como alguém importante... e isso ainda fazia parte do caminho a ser trilhado naquela competição... Mas de tudo isso tinha algo que ele não se conformava...ele havia perdido o foco, nem esperava mais com tanto afinco as cartas que o pai mandava...O ódio com que tinha chegado não era o mesmo que sentia agora... tinha diminuído.



            O rapaz começou a avistar os alunos chegando, caminhando nas proximidades do lugar e não resolveu ficar ali, foi para o quarto.



            Hermione ainda estava na biblioteca, mas agora se sentia mal por ter tocado no assunto do pai de Draco.



            “Hermione como pode ser tão besta, ele não gosta de falar no pai dele porque você insiste nisso? Se eles tem problemas você não é da familia para estar se metendo...agora vai ter que pedir desculpas... Espera, não! não vou mesmo!”



            A garota começou a se concentrar em algo que não fosse em Draco, colocou a mão no bolso e retirou os anéis, cujas inicias gravadas ela já sabia de quem pertenciam.



            “Elle e Dimitri, mas quem eles eram? Bem, eles eram da equipe Horus... que segundo a vaca da Núbia, foram os únicos que cumpriram a prova (sei lá como é essa prova...) e pelo jeito Montevilla não gostou nada disso! Pensando racionalmente eu poderia jurar que aconteceu algo de ruim nessa prova...será que eles se machucaram?  Ou pior morreram!!!??? A prova deve ser difícil pois só eles conseguiram cumprir! Se essa prova for perigosa??? Acredito que hoje nessa suposta reuniãozinha que eles devem fazer vão decidir sobre isso!!! Mas como vamos invadir essa reunião? Se ao menos eu tivesse algum gravador, algum jeito de saber... ORELHAS EXTENSÍVEIS!!!! Como eu não pensei nisso antes? Preciso falar com o Malfoy!....Ah não! esqueci que ele tá de cara virada pra mim!!! Melhor nem falar nada...”



            Hermione decidiu que precisava de mais informações e como os livros não estavam ajudando em nada, seria perfeito se encontrasse alguém que pudesse falar sobre isso. Mas quem???



            Hermione guardou os anéis, e no mesmo instante sentiu que alguém se aproximava dela, pensou logo que era Draco, quem mais saberia que ela estava ali?



            -Doryan!!??_disse frustrada ao levantar da cadeira a perceber que não era quem esperava.



            -Espero não tê-la assustado, estava passando por aí e vi a porta aberta, resolvi entrar, e olha quem eu encontro, a grande favorita ao título desse ano!!! Que honra!



            -Menos Doryan, esse campeonato mal começou! Só demos sorte..você vai ver!



            -Por toda a minha experiência, eu não diria que é só sorte...



            Hermione sorriu.



            -Experiência? Participou de muitos campeonatos Doryan?



            -Eu já lhe disse que você faz perguntas demais não???_o rapaz sorriu, fazendo charme.



            -Eu esqueço que não posso fazer perguntas!?!_Hermione iria sair, e verificar na sua mala se estava com as orelhas extensíveis que precisaria usar a noite.



            -Pesquisando muito Srta. Granger?_ perguntou Doryan pegando alguns livros que ela usava nas mãos.



            - Pesquisando mas sem sucesso... Talvez você pudesse me ajudar...mas odeia responder perguntas..._ disse Hermione.



            -Por exemplo....



            -Por exemplo, quem foi Elle e Dimitri? O que aconteceu com eles depois que venceram o campeonato? E porque não tem nenhum livro que pode me explicar isso?_ sua voz ficou um tanto irritada.



            -Srta. Granger, porque não disse logo, isso eu posso te responder... Bem, Elle e Dimitri, foram considerados vencedores no ano de 1865, faziam parte da equipe Horus, eram estudantes da Escola de Magia Manvérus, que era nesse hotel. Eles conseguiram a proeza de cumprir uma prova, que quase foi banida do campeonato, pois foi depois dela que eles sumiram...



            -Não morreram então?



            -É provável, mas na verdade ninguém encontrou nenhum dos dois, nenhum corpo, nenhum vestígio... E depois disso o Conselho de Bruxos da época, mandou fechar a escola. Alguns dizem que fecharam a escola porque o local não era mais seguro, e os pais dos alunos não queriam que seus filhos corressem riscos por aqui...outros disseram que...



            -Disseram que???



            -Srta. Granger, eu o que eu vou lhe falar é mera especulação... Dizem que eles sumiram propositalmente, porque tinham um grande segredo a esconder...parece que haviam descoberto algo muito poderoso, e que todos os bruxos estavam interessados... Mas ninguém nunca encontrou nada de verdade...por isso que eu disse que era só especulação.



            -Entendo... _Hermione começou a lembrar o que os quadros haviam falado sobre “pessoas procurando algo”.



            -Bem, Srta. Granger, eu preciso ir, só estava fazendo meu trabalho, e acabei me distraindo hehe! Preciso ir, mas foi um prazer conversar contigo!_ o rapaz chegou perto de Hermione e deu um beijo no rosto dela.



            -Eu digo o mesmo! Também tenho coisas para fazer. Até mais!



            Doryan saiu da sala silenciosamente, do mesmo modo que entrou nela. Hermione ficou ali mais alguns segundos guardando os livros sobre a mesa, e pensando no que ele tinha dito.



            “Essa história é tão maluca... Elle e Dimitri descobriram algo...e essa coisa atraiu muitos bruxos...tanto que fecharam o lugar para procurar o que eles encontraram... Mas porque eles sumiram? Para onde foram... e esses anéis, o tem a ver com tudo isso? Nossas varinhas danificadas, como se ganhássemos o poder deles... se é que estou certa... Eu e o Loiro chatinho, sentimos algum tipo de poder...pode ter sido só isso... Mas porque tanto mistério? Porque Ming não queria me contar onde ficava a tal escola...tem muita coisa mal contada, e estou ficando apreensiva com isso... E eu não vou sossegar até não descobrir o que está acontecendo...”



            Hermione lembrou novamente das orelhas extensíveis que deveria providenciar para a noite, pensou em contar toda a história para o Harry, ela sabia que ele teria a resposta, mas desistiu, era melhor que ninguém soubesse. Hermione sentia medo, um vazio estranho, por não estar com seus amigos para resolver o problema.



            Ela tentou evitar, mas sabia que teria que trocar mais cedo ou mais tarde uma idéia com Draco.



************************************************************



Draco estava no quarto, e para ele era ótimo estar sozinho naquele momento, Hermione as vezes era insuportável demais, principalmente quando ela tocava em suas feridas.



Ele se sentia estranho, ele começava a perder o controle da situação! É meus caros, o nosso Malfoy super poderoso, estava se desviando da tarefa que seu pai lhe incumbira, nem as cartas do pai eram um incetivo para ele. Teria que voltar a ativa, se não ele certamente não chegaria ao objetivo principal dessa competição: a Vingança.



Hermione entrou de sopetão no quarto.



-Malfoy! Não vai acreditar, tenho mais notícias!_ a garota eufórica, tentava iniciar um papo.



Draco não respondeu pra ela, fingiu que ela não estava ali.



-EEEEE vai começar com a ceninha... Já não acha que está grandinho pra ficar se importando com o que eu falo? Malfoy... você é meu inimigo, não pode agir assim! Não me envergonhe!!!_ Hermione falava em tom divertido com ele.



-Como você é infame Granger, acha que estou mesmo me importando com o que você fala? “Sim eu estou...” – Estou pensando em como vamos fazer para escutar a reunião!



- Ufa, você me assustou! Finalmente meu inimigo favorito está na ativa, sempre soube que você não tinha coração mesmo, estava surpresa por você demonstrar algum tipo de sentimento...



-É claro Granger! porque eu esboçaria algum tipo de emoção? Vamos me conte as novidades (e também me diga, como você consegue tantas novidades?).



-Eu sempre estou no lugar certo na hora certa_ Hermione piscou pra ele, e se sentia aliviada por ter encontrado uma forma de falar com ele sem maiores brigas.



Depois que tinha explicado o que Doryan havia dito, ela não quis dizer o nome da fonte a ele, sentia que não era algo bom naquele momento.



-Granger de alguma forma fomos beneficiados, estamos potencialmente mais fortes, vamos vencer a competição por conta da energia daqueles bruxos!!! Eu sou sortudo mesmo_ Draco começou a rir.



-É mas simplesmente não podemos usar esse poder, pois na verdade nem sabemos no que isso é util, se é permanente, se é temporário...simplesmente não temos a menor idéia do que está acontecendo....E o principal não sabemos se alguém mais sabe disso... se isso é perigoso... se estamos correndo algum tipo de risco... Como eu te disse, eles encontraram algo que muita gente queria...



-Hummm, pode ser...mas quer saber mesmo, eu to louco pra testar isso!



-Aham, e você acha que vamos sair fazendo magia por aí, pra todo mundo ver? Não temos um lugar pra fazer isso esqueceu?



-E aquele lugar onde treinamos o vôo de vassoura?



Quando Hermione lembrou daquilo seu estômago caiu de paraquedas.



-Arriscado, se alguém vê a gente?



-Tá e o que vamos fazer?



-Acho que deviamos nos preocupar em saber como vamos escutar a reuniãozinha, e depois vemos o que fazemos com nossa magia.



-Eu pensei nisso a tarde toda, e vasculhei o lugar, provavelmente vai ser em um local que não tenha possibilidade de muita gente ouvir. E eu encontrei uma velha sala de reuniões, que fica longe do salão de festas. Eu acredito que será lá...afinal vi uns elfos domésticos limpando o lugar, e arrumando uma cadeiras...



-Bem, já temos uma pista pelo menos...



            -Eu pensei que deveriamos nos esconder dentro da sala... Mas como entrar lá sem sermos vistos... nisso ainda não pensei.



            Hermione começou a caminhar em direção a sua parte do mini-closet, e procurar em uma caixinha, aquilo que achava ter trazido.



            -O que está fazendo Granger, isso não é hora de arrumar guarda roupas!_disse Draco irritado.



            Hermione pegou a caixinha e sentou na cama.



            -Gemialidades Weasley!



            -Ham???



            -Está vendo isso? São Orelhas Extensíveis! Perfeitas para escutar conversas clandestinamente!



            -Não vai me dizer que isso é coisa daquele bando de mortos de fome!



            Hermione olhou com cara feia pra ele.



            -Vamos colar isso na parede e ouvir tudo...



            -É, um de nós, o outro vai ter que distrair os curiosos...



            -Exatamente, não podemos deixar que ninguem nos veja...



            -Isso vai ser difícil... Então quem vai ficar na escuta, e quem vai vigiar?



            -EU VIGIO!!!_ disseram os dois juntos



            -Ei Malfoy!!! EU disse primeiro!!!



            -Sai fora garoto, eu vigio, você iria estragar tudo!



            -Ta bom Granger, agora pense racionalmente, eu sou ótimo em convencer as pessoas, eu vou ser um bom vigia, e afinal seria arriscado demais pra você...certamente daria uma bola fora e nos pegaríam...



            -Você vai fugir se a coisa fritar!!! Eu te conheço!!!



            -Granger, nos prometemos confiar um no outro, que tipo de parceiro eu seria se te deixasse na mão????_ele fez uma cara de santinho, e ela teve vontade de bater nele até vomitar sangue.



            -Você quem está dizendo, eu estou confiando em você...cumprindo o pacto...Se você me ferrar eu vou arrancar a sua língua!



            -Quanta agressividade!!! Eu não vou fazer isso Granger!!!



            -Sei...já ouvi isso antes....Mas deixando de lado esse detalhe, e supondo que você não vai me deixar na mão...não podemos dar pistas de que estamos investigando alguma coisa!!!



            -Relaxa Granger! Vai dar tudo certo... _agora temos que nos preparar... nos arrumarmos para o grande jantar com o Ministro da Magia...



            *                                 *                                 *                                 *



            A tarde já caia, Draco estava deitado na cama, enquanto Hermione tomava banho.



            Um ruído na janela o assustou, e fez com que levantasse de sopetão.



            Uma coruja negra acabara de pousar na janela do quarto, trazendo uma carta. Draco sabia de quem era.



            Ao ler o que recebera Draco ficou começou a ficar preocupado, pois tudo o que seu pai havia escrito já não era importante pra ele naquele momento.



            Amassou a carta com raiva e atirou na parede.



            “O que o meu pai quer? Que eu vire um escravo dele? Não posso fazer tudo que ele me pede...parece que não tem noção do que está acontecendo, dos riscos que estou correndo com o envio dessas cartas...ele quer mesmo me ferrar! Não vou mais responder essas drogas, vou cuidar da minha vida, e fazer as coisas do meu jeito! Chega disso.”



            O vapor saiu do banheiro no momento que Hermione abriu a porta, da cortina embaçada ela saiu enrrolada em uma toalha, Draco evitou olhar para ela (e para isso usou todas as suas forças...).



            - Ei Granger, eu sei que você está com os anéis... eles são nossos, eu também gostaria de vê-los de vez em quando..._ neste momento ela acabava de entrar no closet.



            -Eles estão seguros comigo Malfoy, e além disso quanto menos pessoas verem estes itens melhor!



            -Acontece que precisamos saber o que tem neles, e enquanto você fica escondendo eles nos seus bolsos, ficamos sem qualquer norte.



            -Tá bom seu chato_ Hermione abriu o closet e jogou os objetos para Draco_ é melhor você cuidar bem disso, do contrário eu...



            -“Arracanco sua língua...”, eu já sei!!!



            -Eu ia dizer, eu pico isso que você chama de cara e ofereço para um Hipogrifo de café da manhã... apesar disso, eu fico feliz de você ter começado a entender o espírito da coisa!_Hermione se fechou novamente no closet.



            Draco bufou por um instante, e começou a visualizar os anéis.



            - Granger você já colocou algum dos anéis no dedo?



-Não de jeito nenhum, não sou louca! Mal toquei nessa caixa e ela já estragou nossas varinhas, imagina se colocar esses anéis...



            -Ei Granger, como você fez para abrir a caixa de madeira?



            -Eu não sei o que eu fiz... eu apenas levantei a varinha e... o resto você já sabe, aquele poder saiu louco de dentro da caixa.



            -Humm... e esta data gravada nos anéis, poderíamos tentar descobrir o que significa... 11 de novembro de 1865...



            Ficaram em silêncio até que Draco gritou eufórico.



            -Granger! Elle e Dimitri não foram campeões em 1865??? Claro, isso deve ter a ver com isso, não acha?



            -Pode ser Draco, mas que tipo de data seria?



            -Um palpite poderia ser o dia da final do campeonato....O que acha?



            -Tenho que admitir que é um bom palpite Malfoy...



            Draco amou a aprovação de Hermione, os elogios dela faziam com que ele se sentisse muito bem (por mais que não admitisse).



            -Massss...é só um palpite...E o que eu acho melhor agora é o senhor ir se arrumar, porque especialmente hoje não podemos nos atrasar..._Hermione saiu do closet pronta, vestia um vestido chumbo, de uma alça só, longo, justo que suas curvas ficavam todas salientadas. Ela calçou uma sandália preta de salto fino, enquanto Draco não podia acreditar na figura que acabava de ver.



            Hermione havia feito uma trança imbutida nos cabelos, e Draco chegou a conclusão de que jamais tinha visto a garota tão bonita.



            -Ei Malfoy, tá olhando o que? Se disser que eu to feia eu te arrebento...! Foi o melhor que pude fazer com esse pouco tempo que temos!



            Draco pensou que não poderia controlar a própria língua, pois gostaria de dizer tantas coisas lindas pra ela naquele momento... Era quase impossível não adorar a divindade que Hermione parecia naquele momento... Era verdadeiramente uma princesa, graciosa e encantadora... Mas ele sabia que não era sua, nunca poderia ser sua, que era uma miragem no deserto, a mais louca ilusão... Então precisava sair dali antes que perdesse o controle.



            -To indo tomar banho, tchau..._voou para dentro do closet, fazendo todo esforço do mundo para não encostar nela, e se sentiu vitorioso por escapar.



            -Você é um grosso Malfoy_ gritou Hermione.



            “Prefiro ser um grosso, do que parecer um idiota hipnotizado olhando para ela...EEIIII SEU BURRO, ELA É UM MONSTRO, UM BICHO FEIO, PARE DE REAGIR COMO SE GOSTASSE DELA, VOCÊ NÃO GOSTA!!!”



            *******************************************************



            Draco não demorou muito pra estar pronto, um banho gelado ajudou a acalmar os ânimos.



            -Até que enfim Malfoy, achei que não ia sair nunca!_ Ela abriu a bolsa e mostrou as orelhas extensíveis para Draco_ isso é que vai nos dar todas as informações que precisamos.



            -Espero que funcione!



            -É claro que vai!_ disse Hermione guardando o aparelho dentro da bolsinha inocente preta cravejada de cristais.



            -O plano é simples...



            -Temos um plano?_ Draco disse enquanto arrumava com dificuldade gravata.



            -Sim, ou achou que ia ser tudo na sorte? Você tem cada idéia..._ Hermione soltou a bolsa, e caminhou até Draco.



            -Deixa eu arrumar isso pra você..._ Hermione chegou tão perto, tão rapidamente com as mãos prontas para arrumar a gravata dele.



            -NÃOOOO, eu to quase conseguindo, não precisa vir aqqqquii, eu to legal!



            Quando Draco percebeu que ela poderia chegar na zona de perigo, ele pulou para longe dela antes que algo acontecesse.



            -Nossa Malfoy que mal agradecido..._Hermione ficou nervosa, mas insistiu_ eu vou arrumar essa bosta dessa sua gravata nem que seja a última coisa que eu faça...quer sair parecendo um bêbado?



            Nesse momento Draco não teve como evitar que ela viesse, porque ela era rápida o bastante para que ele pudesse se esquivar.



            A essa altura as têmporas do garoto já estavam banhadas em suor, ele tremia. As mãos suaves dela estavam tão perto do seu rosto, torciam o tecido da gravata seguramente, e leves puxões no seu pescoço diziam para que ele avançasse e a beijasse.



            Sua respiração faltava, e quando conseguia fazer com que o ar entrasse nos pulmões apenas se concentrava no perfume doce que ela exalava, antes que a razão lhe faltasse e se aproximasse mais dela instintitavamente, ela terminou (e o pobrezinho ficou no vácuo!).



            -Doeu?_ Hermione disse olhando com cara de nojo pra ele



            “Não, mas bem que um segundo banho gelado cairia bem...”



            -Está suado, parece nervoso...está com medo seu cagão!?!



            -Está calor mostrinha, não percebeu? Se você estivesse de terno, em vez de estar vestindo essa indescência...



            -O que? Está insinuando que o meu vestido não é descente?



            -Não estou insinuando, estou dizendo com todas as letras animal!



            -O que você entende de descência, se sai com essa cara na rua todos os dias!!!???



            -Não tinha nada menos justo pra vestir?



            Hermione não podia acreditar no que estava ouvindo, Malfoy controlando as suas roupas! Essa era completamente inédita.



            -Malfoy, é isso mesmo que eu estou ouvindo, você está com ciúmes??? HAHAHA



            “Oh, por Merlin ela me descobriu!”



            -De onde tirou isso sua maluca?



            -HAHAHA, você me mata Malfoy, é uma por segundo...não posso controlar o riso!!!



            -Muito engraçado...quem seria idiota o bastante pra sentir ciúmes de você???



            -Você é bastante idiota...será que seria o suficiente? hauhuhahuauh



            Draco estava vermelho de vergonha e de raiva.



            -Para de ficar rindo que nem uma tonta e vamos ao que interessa, qual é o plano!?



            -Ah é mesmo, o plano! Uhahuahua



            Draco olhou para ela com olhar fuzilante, e ela percebeu que por mais engraçado que fosse teria que controlar o riso se quizesse evitar maiores confusões.



            -Nós descemos agora e damos uma sondada no que está acontecendo, eu acredito que se existe uma reunião esta vai acontecer depois do jantar...e se for assim temos que achar uma desculpa para sumirmos...eu pensei em você dizer que eu não estou passando muito bem e resolvi me recolher...é uma desculpa para que eu saia de cena.



            -Parece bom...



            -Bom ou ruim eu acho que ainda é a coisa mais viável a se fazer...



            -Tá bom então Cérebro, como eu te aviso se alguém resolver ir na sua direção no caso do meu poder de persuasão falhar (claro que essa possibilidade é extremamente remota, mas sabe como é né?)



            -Envie um sinal luminoso com a varinha, que eu dou um jeito de fugir.



            -Esqueceu que não podemos usar a varinha?



- Nossa, verdade. Então assovie três vezes.



-Parece bom.



            -Podemos descer agora?



            -Claro, vamos...



            Por mais que a conversa tenha distraído Draco, era difícil para ele parar de olhar para Hermione e não sentir vontade de tê-la em seus braços, ela estava mostrando todos os dias uma beleza que ele jamais imaginaria que ela pudesse ter. O jeito com que a garota se movia, a expressão do rosto eram coisas originais, coisas que ele não havia encontrado em nenhuma garota até então.



            A escadaria parecia não ter fim, Malfoy deu o braço a ela e ela entrelaçou o seu, passos nervosos e rápidos, tentavam dar aos dois uma certa certeza de que esse momento acabaria logo.



            Hermione e Draco rastrearam discretamente com os olhos o lugar, e se separaram enquanto cada um tomava um acento na grande mesa que estava sendo posta.


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.