FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

34. FAJ ou JAF (revelações)


Fic: Ex-grifinória: A história de Gina Weasley


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/a: Muito obrigada pelo seu comentário Ana Slytherin fico feliz que você tenha gostado e mais uns dosi capitulos e você descobre o que o Malfoy tem a dizer sobre isso.
Sempre lembrando que eu aceito comentários de todos os tipos, elogios, sugestões e até críticas.

 
                                                     ***
                                       FAJ ou JAF (Revelações)


Tive que admitir que aquilo tinha sido bem inesperado.
-Eu falo com ele – Eu me prontifiquei – Eu converso com ele as vezes mesmo – Dei de ombros.
-Eu faço questão de ir com você – Me informou Neville – Afinal de contas você nem mesmo viu nada disso – Ele me convenceu – Deveríamos ir agora atrás dele?
-Ele não ficou para a cerimonia e eu não sei ao certo para onde ele foi... – Murmurei pensativa – E sério que você não gosta da Lauren? – Inquiri, meus olhos tentando achar qualquer pista no rosto dele.
-Gina, isso é sobre aquela noite não é? – Ele me perguntou suspirando – Você ainda fica pensando sobre aquilo não é mesmo?
-Não é nada disso Neville é só que... – Eu gaguejei nervosamente – Eu já te falei que eu não quero falar mais sobre aquilo – Me virei saindo irritada, porque todo mundo só insistia nos assuntos sobre os quais eu não queria conversar?
-Gina... – Ele me chamou uma ultima vez e eu me virei, de olhos fechados, rezando internamente para que aquilo não fosse nada de mais – Eu não estou apaixonado por você... Pode ficar tranquila. Eu gosto de você como amiga, nada mais.
-Ah... – Eu suspirei aliviada – Isso nem tinha passado pela minha cabeça... – Eu tentei improvisar, sem conseguir conter meu sorriso de alivio.
-Eu sei que não – Ele fingiu concordar rindo.
Eu acenei com a cabeça meio sem jeito e fui em direção aos jardins querendo me matar de vergonha, enquanto me afundava no alivio.
Mal havia pisado na grama quando Harry veio a passadas largas em minha direção, e eu já abria um sorriso quando percebi a expressão fechada dele, de quem não estava nem um pouco feliz com a minha pessoa. Ele abriu a boca para falar alguma coisa quando eu interrompi sua fala ainda nem iniciada.
-Não fica bravo comigo – Eu pedi – Desculpa ter te deixado sozinho lá... – Eu me aproximei insegura, abraçando-o.
-Eu não estou bravo com você, Gina, claro que não – Ele me abraçou de volta – Eu só queria conversar com você.
-Sobre...? – Eu perguntei levantando a cabeça para poder conversar olhando para ele, e bem nesse instante eu vi, atrás dele surgir uma figura que iria causar tumulto imediato se eu não fizesse alguma coisa.
-Vem! – Eu chamei Harry, me soltando dele desesperada e correndo em direção a uma radiante Angelina com um vestido rosa-chá que em nada disfarçava sua crescente barriga.
-O que esta fazendo aqui? – Eu perguntei a ela ríspida enquanto tentava empurra-la de volta ao castelo.
-Gina! – Ela reclamou meio escandalizada – Se você me dá licença eu gostaria de participar da celebração em homenagem ao pai do meu bebê.
-É sério – Eu avisei entre dentes – Sai daqui antes que alguém te veja.
-Sinto muito – Ela declarou parecendo tremendamente irritada – Mas acho que você não manda em mim.
E com isso ela me empurrou para o lado e foi em direção a minha família, que conversava com alguns dos antigos amigos de Fred, deles reconheci apenas Cátia Bell, que parecia estar consolando Jorge.
-Angelina! – Gui saudou entusiasmado, fazendo com que todos se virassem imediatamente.
Jorge parecia não acreditar em seus olhos e sua expressão pálida e apavorada me fizeram pensar que ele se arrependia profundamente de ter saído de casa. Conforme todos viam a condição em que ela se encontrava, isso é, que ela estava grávida, as vozes iam se calando uma por uma e as pessoas se tornavam cada vez mais pálidas.
-Pois não vão cumprimentar a mãe do mais novo integrante da família Weasley? – Ela perguntou sorridente.
Eu podia sentir fisicamente o silencio pesado e os arrepios que percorriam todos. Eu não conseguia entender porque ela estava fazendo aquilo, até que o olhar desafiador que ela lançou a Jorge me fez crer que ele tinha se recusado a falar com a família e ela, ansiosa por mostrar ao mundo que carregava o legitimo filho de Fred em seu ventre, resolveu contraria-lo por meio de um ato quase que teatral.
-Se você não se incomoda – Minha mãe falou em um tom tão frio que até me gelou – Nós gostaríamos de poder respeitar a memória do meu filho em paz. Com licença.
E sem mais uma palavra ela se virou e foi para outro canto do jardim, seguida prontamente pelo meu pai e meus irmãos, com exceção de Rony, ainda desaparecido e de Jorge que parecia não conseguir se mover por puro pavor.
-O-o que foi isso? – Gaguejou Angelina confusa.
-Você realmente é uma vadia – Cátia disse surpresa, quase que para si mesma – Não acredito que teve coragem de fazer uma coisa dessas.
-Olha como você fala – Ela rosnou hostil – E eu não sei o que é que todo mundo vê de tão errado em uma mulher que quer mostrar seu filho para a família dele!
-Angie... – Jorge se aproximou dela com a voz fraca – A gente pode conversar em outro lugar?
-Não! – Ela se desvencilhou dele – Sério, eu estou aqui, com o que restou do Fred, mostrando que ainda existe uma parte dele que está aqui, que está viva, e todo mundo me trata como se eu tivesse matado ele! Eu simplesmente não entendo!
Se estendeu um silêncio demorado, no qual Harry parecendo muito surpreso e assustado veio tomar minha mão, como que para oferecer algum tipo de consolo no meio daquele surreal desenrolar de acontecimentos.
-O filho não é do Fred – Disse Cátia sem se comover nem um pingo com a declaração dela – E o que você fez hoje só mostrou para toda a família dela a mentirosa que você é, querendo se aproveitar de uma família com uma perda imensa para conseguir patrocínio para o seu filho. Sem falar que, para uma pobre “viúva” enlutada sua fila anda bem rápido, não é mesmo?
-Ela não é nada disso! – Gritou Jorge sem conseguir se conter, puxando Angelina para mais perto dele.
- E o filho é dele sim! - Protestou Angelina – Como você pode achar que não é?!
-Eu SEI que não é – Cátia declarou calma – Porque eu já fui uma grande amiga do Fred e eu o conhecia bem o suficiente para saber que ele teve uma doença quando era pequeno que o deixou estéril. Quem sabe se você ouvisse um mínimo as coisas que ele dizia você saberia... – Ela se virou e começou a sair quando Angelina a segurou pelo braço.
-Você dormiu com ele! – Ela acusou possessa, tentando se agarrar a qualquer coisa que não fosse a triste constatação de que o Fred havia se ido, para sempre.
-Sim – Ela deu de ombros – Eu pelo menos não minto sobre o que eu faço.
-Como você pode?! Ele era meu namorado! – Angelina atraiu a atenção de todos que estavam ao redor.
-Da mesma forma que você pode ter traído ele, e de uma maneira muito pior, se me permite dizer – Cátia sorriu vitoriosa – Não é que afinal de contas a Molly é a avó do seu filho?
E com isso ela sumiu na multidão enquanto Angelina soltava um ganido que me fez pensar que ela iria se desfazer em pedaços. Entretanto, Jorge conseguiu ampará-la e retirá-la dali, rumo a Deus sabe onde. E eu comecei a achar que quem ia desmaiar era eu.
-Harry... – Eu sussurrei sem conseguir me mover.
-Eu estou aqui – Ele murmurou – E eu não vou te soltar.
Assenti abraçando-o com mais força, parecia que a minha vida realmente não queria voltar a ser como era antes da guerra. Em nenhum aspecto.
Eu estava sentada no salão comunal da grifinória, ainda em estado de choque, com Harry conversando com alguns colegas perto dali, volta e meia virando-se para ver se eu ainda estava viva e respirando, quando Rony e Hermione surgiram, sabe-se lá de onde, corados e rindo.
-Gina... – Ele parou ao me ver e correu, ajoelhando-se ao meu lado – O que foi que aconteceu?
Olhei para ele e, enquanto procurava palavras para começar a explicar tudo aquilo eu comecei a chorar.
-Eu estou aqui – Ele sussurrou pegando minhas mãos entre as dele – Eu estou sempre aqui... – Ele falou com mais calma, sentando-se ao meu lado e me puxando de encontro a ele – Vai ficar tudo bem...
-Rony – Eu olhei para ele devastada – Você não sabe de nada do que aconteceu hoje não é mesmo?
Harry se afastou do grupinho com que conversava e veio em nossa direção, parando ao lado de Hermione, ambos com a respiração suspensa, como quem espera que uma grande catástrofe aconteça, e paralisados como se um só movimento deles, ou uma palavra sequer proferida em nossa direção, pudesse acelerar o processo.
-O que é tudo isso? – Hermione perguntou o mais baixo que conseguiu para Harry.
Ele apenas levantou um dedo, indicando que ela ficasse quieta, e apontou na minha direção, como que pedindo para que ela me ouvisse.
-Por tudo o que é mais sagrado Gina, o que aconteceu? – Rony me segurava pelos ombros, me inquirindo furiosamente.
-A Angelina... – Eu choraminguei – Ela... Ela está grávida... E contou para nossa família achando que era do Fred.
Rony caiu para trás no sofá, sem conseguir falar nada, ou expressar uma emoção sequer.
-Quem? – A voz dele saiu quase que num ganido, os olhos fechados e os punhos cerrados.
Meu coração se contorceu ao ver aquilo, Rony realmente achava que o problema é fácil de ser solucionado, que um soco na cara do cara com quem Angelina tivesse traído Fred iria “limpar a honra da nossa família” e poderíamos todos seguir como se nada daquilo tivesse acontecido e alma de Fred poderia descansar em paz e blablablabla. Mal ele sabia que a história toda era muito, muito mais complicada.
-Esquece isso, ok? – Eu pedi.
-Me fala quem – Ele rosnou, ainda congelado, transbordando de fúria.
-Não vai fazer você se sentir melhor, eu prometo – Tentei avisá-lo uma última vez.
-Nome – Ele continuou implacável. Eu não o culpava, não tinha como ele adivinhar o que vinha pela frente.
-Jorge... – Eu solucei baixinho, assustada e magoada demais.
-Que Jorge? – Rony abriu os olhos e olhou para mim ainda mais desesperado, a voz tremendo.
-Jorge Weasley – Eu falei forças, fechando os olhos dessa vez, com medo demais da reação.
Eu ouvi uma espécie de rosnado que fez com que eu me encolhesse em um pulo, e sem abrir meus olhos eu sabia que Rony tinha ido embora. Hermione finalmente se permitiu um soluço horrorizado e eu abri os olhos, ainda com medo do que veria, quando vi ela chocada demais para conseguir sequer chorar e Harry abraçando-a, tentando consola-la de alguma forma.
Como tudo aquilo conseguia ser tão horrível nem eu mesma entendia, mas era. Tem algo de seriamente perturbador em descobrir que namorada do seu irmão recém-falecido está grávida do irmão gêmeo dele, algo completamente doentio e problemático.
-Você está bem? – Algum dos dois me perguntou, mas eu não ouvia nada.
-Vou ficar – Falei sem nem perceber o que fazia, enquanto me levantava e me dirigia ao dormitório – Vou ficar... – Repeti para mim mesma tentando me convencer.


 

Continua...
 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por vritupotter em 02/03/2021
Esse emaranhado JAF é incrívelllll! Jorge, meu filho, honra teu papel (que, pra começo de história, já era de pura desonra, né). Cátia jogando lenha na fogueira. E a treta tretíssima que o Neville contou fica em segundo plano pro Casos de Família bruxo. Continuo zonzo sem saber pra que lado olhar, tudo é bom demais.
Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Ana Slytherin em 13/05/2012

Uau ! que confusão 
A Angelina traiu o namorado com o irmão dele e teve um filho e ainda disse que o filho era do namorado que já esta morto e ficou sabendo que o namorado era esteril pela amante dele . Foi isso mesmo que aconteceu??
E ai o que o Rony vai fazer? Bater em um irmão pra deixar o outro descansar em paz hein ?
To bem curiosa então ve se não demora bjs e até o proximo  

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.