FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

33. Neville


Fic: Ex-grifinória: A história de Gina Weasley


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/a: Ana Slytherin e Sabrina Lopes, muito, muito, muito, muito obrigada pelos seus comentários, vocês nem imaginam o quanto eles significam para mim.
E o jogo de quadribol ainda vai demorar um pouco, mas vai a conversa do Harry e da Gina. Espero que gostem!


                                                        *** 
                                                      Neville


Aquilo tudo passou como um borrão para mim. Os apertos de mão, abraços, comentários, choros e consolos. Eu não sei se respondi ou se realmente prestei atenção em algo do que era dito. Eu estava aérea, presa em minha própria mente, em minhas lembranças, em meus sentimentos. Juro que tentei ouvir os lamentos e consolos de meus familiares e conhecidos e que tentei prestar atenção no discurso de McGonagall – que discorria sobre os heróis que com valentia e habilidade haviam salvo a todos nós, sacrificando-se para que todos nós pudéssemos viver em um mundo que não fosse regido pela ambição e sede de poder de um único bruxo – mas toda minha atenção estava voltada para a estátua, colocada exatamente onde Voldemort havia encontrado seu fim.
Quando eu havia tentado me aproximar dela, mais cedo, ela estava completamente coberta por um negro e grosso pano, mas eu nunca tive a menor duvida sobre o que se tratava e eu sabia que, ali em algum lugar, estaria Fred. Quando finalmente o discurso se encerrou, eu mal conseguia conter minha empolgação. McGonagall finalmente fez um aceno com sua varinha e o pano evaporou-se.
Agora eu podia ver claramente a estátua reluzente que mostrava, em vários níveis diferentes, aqueles que haviam falecido lutando contra comensais encapuzados. Ora, afinal de contas os amigos de Malfoy tinham ganhado uma homenagem, eu quis procura-lo para lhe dizer aquilo, mas lembrei-me de que ele não tinha comparecido a cerimonia, além do que, eu acho que ele não teria achado muita graça naquilo.
Foi então que eu notei a única pessoa naquela estatua com a qual me importava de verdade, logo atrás de um grupo de comensais que duelava com um sem numero de pessoas que eu nem me atrevia a contar. Fred sorria, travesso, um sorriso que ninguém mais no mundo conseguiria reproduzir, enquanto calmamente se apoiava na parede, braços cruzados as costas, com a varinha pendendo de sua mão e um pé, quase distraidamente, colocado a frente, exatamente onde os comensais tropeçariam se dessem mais um passo para trás.
Eu tive que rir. Era tão a cara do Fred, que tinha que ter sido ideia do Jorge, ninguém mais nesse mundo teria uma ideia dessas para uma estatua cujo objetivo era homenagear aqueles que morreram lutando bravamente em meio a uma terrível guerra.
-Ele ia ter adorado isso... – Eu voz sussurrou ao meu lado, enquanto seu dono parava perto de mim, nossos braços se encostando. Ele olhou inseguro na minha direção, como se não soubesse qual seria minha reação, e eu sorri de leve para ele, enquanto entrelaçava nossos dedos, selando a paz entre nós sem dizer uma palavra.
-Você viu isso? – Perguntei feliz indicando a figura de Fred – Ele deve estar dando cambalhotas de felicidade em algum lugar.
-Sem a menor dúvida – Ele riu e nossos olhos se encontraram sem se desviar mais.
-Você esta melhor? – Ele perguntou sinceramente preocupado, seus olhos verdes fixos nos meus.
-Melhor do que o que? – Perguntei confusa, constatando que ficava realmente difícil de pensar quando eu estava além de muito feliz, afogada nos olhos dele.
-Do que hoje mais cedo?
-Ah... Aquilo – Murmurei fazendo pouco caso – Já passou – Sorri feliz de novo.
-Então você não acha que deve um pedido de desculpas para ela? – Seus olhos me inquiriam como um professor que esperava que o aluno encontrasse a resposta correta.
Eu desviei o olhar, subitamente retraída.
-Depois, ok? Não quero perder o lanche – Falei enquanto me afastava na direção das grandes mesas colocadas nos jardins, onde todo tipo de comida era servida, levando Harry comigo pela mão.
-Tudo bem – Ele concordou – Mas eu realmente acho que você devia...
-Eu já entendi Harry – Cortei-o – Sério, eu errei, desculpe, mas a gente pode falar disso outra hora?
-Claro... Desculpa – Ele pediu encerrado o assunto.
Por todos os lados ecoavam lembranças e histórias, momentos tristes e momentos alegres todos eram compartilhados em meio a lágrimas e risadas e na minha triste família surpreendentemente as duas coisas conseguiam coexistir, graças aos casos hilários que apareciam aos montes enquanto gente ia e vinha. Não pude deixar de notar que novamente Rony e Hermione não estavam em parte alguma, o que me levou a crer que ele tinha afinal se convencido de que ela não era uma comensal da morte disfarçada.
As coisas estavam correndo muito bem para falar a verdade quando tudo resolveu desandar de uma vez. Harry e eu tínhamos acabado de nos afastar do grande grupo que falava sobre Fred e tínhamos ido pegar alguma coisa para comer quando eu percebi uma coisa que não tinha notado até então, imagens de todos os que haviam morrido ali estavam penduradas no ar ao nosso redor, como se tivessem sido colocadas nas paredes, e por um momento, parecia que estavam realmente vivas, rindo ou conversando. Foi quando eu vi uma figura, sombria e imóvel, que eu não esperava de forma alguma ver ali.
-Por que dragões colocaram um comensal da morte para ser homenageado? – Eu perguntei a Harry confusa.
-Gina, do que você está... – Ele começou perdido com a minha pergunta, quando viu a imagem para qual eu apontava e ficou muito pálido – Ah... Snape.
-E Até hoje eu ainda não entendi porque você aplaudiu ele no primeiro dia de aula – O fato me voltou a mente – Sempre achei que você odiasse ele.
-É complicado Gina...
-Complicado como?
-É que... É uma longa história... A gente não pode falar disso outra hora? – Ele claramente procurava uma forma de escapar daquela pergunta.
-O Malfoy sabe? – Perguntei tão logo me ocorreu que eu podia descobrir a história por outra fonte.
-Ele... – Harry começou antes de ser interrompido por um grupo de meninas aproximadamente de nossas idades, de diferentes casas, que começaram a conversar animadamente com ele, como se não percebessem que ele estava no meio de uma conversa comigo.
-Ai Harry, você deve estar tão feliz vendo que você conseguiu para com as mortes! – Uma menina sorriu meiga até demais para o meu gosto.
-Tipo, teriam morrido muito mais pessoas se não fosse por você! – Outra completou ainda mais animada.
Como é que todas elas conseguiam ter exatamente a mesma voz irritante e o mesmo jeito “estamos sempre tão alegres e somos sempre tão ridiculamente simpáticas com namorados alheios”?
-Deviam totalmente ter colocado você na estátua! – Mais uma se juntou a puxa-saquice geral.
-Ou feito uma estátua só para você, porque você é tão incrivelmente merecedor de uma! – Eu completei com minha vozinha mais irritante e animada.
-Deviam mesmo! – Outras completaram alegres, sem notar o menor traço de ironia na minha voz.
Eu me preparava para por um fim a algumas vidas nem tão inocentes assim quando avistei Neville a certa distancia dali, me chamando por gestos desesperadamente. Eu sai dali batendo os pés, feliz por finalmente me ver livre daquelas “coisas” que pareciam ter a extrema necessidade de estarem sempre cercando algum menino, principalmente se ele fosse meu namorado.
-Gina... – Harry tentou me chamar, mas eu segui em frente como se não tivesse ouvido.
Ele não viria atrás de mim, não deixaria seu fã-clube para trás por medo de parecer mal-educado, ou por que gostava da atenção mesmo. E naquele momento, eu gostava muito disso.
-A gente precisa conversar – Neville me chamou nervoso tão logo eu me aproximei dele.
-Eu sei! – Respondi eufórica ao me lembrar da noite anterior – Eu não acredito nisso tudo! Você tem que me explicar isso direito! – Eu praticamente ordenei.
-Aqui não... – Neville disse sem jeito, olhando para os lados – Em particular.
-Claro – Sorri piscando.
Eu estava tão animada com aquilo! Morrendo de dó do Neville, é claro, e muito surpresa com ambas as revelações, mas ainda sim. Aquilo era tão legal!
-E então... – Eu comecei animadamente quando já estávamos em meio aos corredores do castelo – Posso te fazer uma pergunta?
-Claro... – Ele murmurou um tanto confuso.
-Há quanto tempo você gosta dela? – Eu não conseguia conter minha empolgação com tudo aquilo.
-O QUE?! – Neville parou chocado olhando para mim como se eu tivesse acabado de falar que Voldemort tinha um unicórnio cor-de-rosa de estimação que era seu xodó.
-Ué... Você realmente achou que eu não tinha percebido? – Eu perguntei como se ele fosse retardado, o que, aparentemente, era – Sério, eu sei que é muito extremamente estranho e perturbador o fato de que a Lauren, dentre todas as pessoas, está tendo um caso com o Brandon e é claro que eu vou falar com ela sobre isso e talz, mas do jeito como você tá reagindo a isso deixa meio... Obvio que você gosta dela.
-Gina – Ele parou olhando para baixo, parecendo sem a menor paciência – Você realmente acha que tudo isso é por causa da Lauren?
-Não é? – Eu perguntei percebendo a besteira que eu tinha acabado de fazer.
Neville levou as mãos ao rosto e respirou fundo tentando se acalmar.
-Gina... Eu não estava falando de nada disso e eu não estou gostando dela... – Ele olhou para mim fixamente – O motivo pelo qual eu estava perturbado tinha mais a ver com a Sarah, sua colega de quarto, desenhando a marca negra distraidamente no braço dela com tinta.
-Ah... – Eu parei completamente perplexa – Isso faz mais sentido.
-Pois é – Ele resmungou parecendo meio irritado – E eu estou achando que talvez ela tenha passado para o outro lado em segredo durante a guerra ou esteja sendo manipulada por alguém – Ele me explicou – Em ambos os casos eu acho que só tem uma pessoa nessa escola que pode nos ajudar.
-Harry Potter – Eu falei quase entediada.
-Eu estava pensando mais em senhor Draco Malfoy mesmo – Ele me disse – Mas como você achar melhor.



Continua...
 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por vritupotter em 02/03/2021
Em qual capítulo a gente descobre mais sobre o unicórnio de estimação que era o xodó do Voldemort? Quer dizer... Perguntando pra uma amiga... E amei a surpresa da pose do Fred na estátua! Muito foda!
Nota: 0

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Ana Slytherin em 03/05/2012

Adorei o capitulo 
A homenagem ao FRed e aos outros
eu acho sinceramente que a gina não devia ir se desculpar mas td bem  
Gina tirando conclusões sobre Neville e seus sentimentos foi otimo  
E agora rsta saber se o Draco vai ajudar ele a descobrir se a Sarah é mesmo uma comensal 
eu espero que o proximo venha tão rapido como esse
 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.