FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

14. O Que Pode Ocorrer.


Fic: Segredos de uma Vida Quase Normal


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 14 – O Que Pode Ocorrer.


 


Tiago saiu chateado da sala. Lilian era a primeira mulher que Suzy convivia sem problemas e ele teve que estragar tudo beijando a ruiva. Agora além de magoar a irmãzinha, tinha que ver Lilian passear com o menino que tinha quase abusado de Gabrielle na festa. Snape tinha dado uma detenção nele por bater no menino, mas não tinha acreditado na historia dele. “Adolescentes são assim”. – disse o professor. Nem mesmo quando Gaby falou com ele, o idiota acreditou.


Ele acabou encontrando com Harry e os outros no estacionamento.


- E ai, cara? – disse Rony. – Estamos pensando em ir ao cimena hoje a noite. Topa?


- Fica para uma próxima vez. – disse ele. – Eu tenho um compromisso, e infelizmente não posso adiar assim do nada. Se me falarem com pelo menos um dia de antecedência eu consigo, fora isso.


- Sem problemas. – disse Neville. – Foi que decidimos agora.


- Valeu por pensarem em mim. – disse ele.


- Algum problema? – perguntou Gina.


- Pode falar. – disse Harry.


- Não é nada. – disse ele olhando para o castelo, justamente aquela janela dava para a sala de aula que ele acabara de sair e deixar Lilian com o idiota. – NÃO.


Foi o rugido que eles escutaram. Antes dele sair correndo. Todos olharam na direção que ele tinha olhado e ficaram chocados, mas correram com ele.


Todos acreditaram que ele ia sair correndo pelos corredores, mas se espantaram ao ver parando ao lado de um mural de recados. Mas para espanto de todos ele se abriu como uma porta revelando um corredor escuro.


- Passagem secreta? – perguntou Mione.


- Então é assim que você “some”. – disse Gina. – Devia ter esperado por essa.


- Reza a lenda que os fundadores...- disse Luna, mas parou ao ver a cara de Tiago.


Ele saiu em direção a abertura, não queria abrir a boca pela certeza de que ia ofender quem não merecia, tamanha era usa fúria.


- Cara, não da para enxergar nada ai dentro. – disse Rony. – Como você vai entrar ai.


- Ele é um vampiro. – disse Harry se lembrando da fotofobia, então ele poderia andar ali facilmente, mesmo com a pouca luz que parecia passar pelas outras entradas.


- Mas nós não somos. – disse Neville.


Tiago não estava gostando da demora, mas sabia que a presença deles ali seria fundamental para não ocorreu um assassinato. Então ele pegou a mão de Gina, que era a mais próxima dele e a fez segurar no seu cinto pela parte de trás e saiu andando.


Gina só teve tempo de puxar Harry, que puxou Luna, que trouxe Neville, Mione e finalmente Rony.


O ruivo ainda acabou fechando a porta, o que aumentou a escuridão, mas todos estavam mais preocupados com a cena que viram que com a falta de visão.


Mais rápido que esperavam Tiago abriu outro portal, e eles estavam em frente a sala que viram.


Tiago não se importou com o que os outros pensariam e já entrou voando.


Ele viu que Scott tinha mordido o ombro de Lilian e agora se afastava dela com as mãos em suas pernas. Se aproximou e com um único soco jogou o menino longe.


Scott nem percebeu o que aconteceu com ele, apagou caindo aos pés de Harry que vinha armando para entrar na briga.


Tiago viu que Harry estava ali, e que tomaria conta do idiota. Se voltou para Lilian e quase voltou para arrancar todos os dentes do menino e outras partes também. Mas a fragilidade dela, o convenceu que ela era mais importante. Sua roupa estava rasgada, quase revelando mais que devia, qualquer movimento faria isso. Além da mordida e da cara de pânico, ela tremia.


Então ele a abraçou. Como fazia anos antes, com todo o carinho que ele tinha por ela.


Ele sentiu que ela sentia segura ali, pois encostou a cabeça no seu peito e começou a chorar.


Ficaram um tempo ali, os meninos cuidando do inconsciente Scott, só não terminavam o serviço pois Mione disse para não fazerem nada e queriam deixar que Tiago o fizesse, enquanto as  meninas rodearam Tiago e Lilian, sem saber o que fazer.


Quando o choro de Lilian diminuiu, Tiago se afastou e tirou a sua jaqueta e colocou sobre os ombros dela, evitando uma situação mais embaraçosa. E voltou a abraçá-la.


- Ele não vai mais encostar em você. – disse ele.


- Ti, eu não queria. – disse ela, usando novamente o apelido dele.


- Vamos sair daqui.  – disse ele. – Rony, Neville cuidem desse verme.


- Eu vou avisar o diretor. – disse Harry.


- Vou falar com a McGonagall. – disse Mione.


- Também temos que falar com o Flitwick, ele o professor responsável pelos Ravenclawn. – disse Luna. – Deixem comigo.


 Então apenas Gina acompanhou os dois para a enfermaria.


- Eu quero ir pra casa. – disse Lilian.


- Não, vamos para a enfermaria. – disse Tiago.


- Você tem que olhar esse ombro. – disse Gina.


- Eu não quero que ninguém fique sabendo. – disse ela. – Ninguém vai entender. Eu dei corda, vão achar que me arrependi.


- Você devia para de escutar os outros. – disse Tiago. – Mas não tem problema, já que você vai finalmente se ver livre de mim, pois ataquei novamente o menino idiota, depois de ser pego pelo Snape, e não vou ter uma explicação plausível. Expulsão na certa.


Lilian parou de andar. Não tinha pensado nas consequências para os outros.Só não queria ninguém falando dela.


- E se ela já tentou com a Gaby no baile, e com você agora, o que vai impedir ele de tentar novamente. Ainda mais que não vou estar aqui. E possivelmente ele vai conseguir. Como você vai se sentir ao saber que podia ter evitado?


- Certo. Você tem razão. – disse ela com um suspiro resignado.


Eles entraram na enfermaria, e logo foram recebidos.


- O que aconteceu, Tiago?


- Vamos precisar de sua experiência em medicina legal.  – disse ele. – Foi uma tentativa.


- Então vou precisar avisar o diretor. – disse ela.


- O Harry já foi. – disse Gina.


- Bom, precisarei fazer o exame, e tirar fotos. – disse ela.


- Vou esperar lá fora. – disse Tiago.


- Não. – disse Lilian, e se virando para Poppy. – Ele não pode ficar aqui?


- Não é aconselhável, ainda mais no seu estado. – disse ela, mas ela olhou a cara de desânimo dela. – Mas ele pode ficar, mas atrás do biombo. A Gina fica do seu lado.


Tiago deu a volta no biombo e ficou ali parado, subitamente ele acendeu uma luz usada para exames e sua sombra apareceu no biombo. Lilian ficou mais tranquila com aquilo.


- Eu não sabia que você podia fazer esses exames. – disse Gina


- São poucos que sabem. – disse ela.


- Ela trabalhou algum tempo no IML, mas saiu por que os seus pacientes não respondiam sobre as novelas. – disse Tiago.


- Parece que o único aluno que sabia disso era o Tiago. – disse Poppy. – Eu fui médica legista por um tempo, mas percebi que não era pra mim, e acabei sendo convidada pelo Alvo para trabalhar aqui.


- Como você descobriu, Tiago? – perguntou Gina.


- Do jeito mais fácil, perguntando. – disse ele. – nosso amado diretor viu que não dava para fazer as detenções junto com os outros, e sempre inventava alguma diferente para mim. Você se lembra do orfanato. Pois, numa desta acabei aqui, E como tinha pouco serviço começamos a conversar e descobrimos que tinham alguns gostos comuns. E Poppy, eu não disse que eles estavam atrás de uma pista falsa.


- Só você mesmo para suspeitar da vítima. – disse ela.


- Ele inventou muita desculpa, e não queria as investigações. – disse ele. – E meninas nós estamos falando de um dos seriados investigativos que temos na TV. Eu venho aqui sempre para conversarmos um pouco sobre isso, eu perguntou sobre a parte médica e ela das provas.


- Você não mudou mesmo. – disse Lilian.


- Não, ainda gosto de ver televisão. – disse Tiago.


- Acabei. – disse a médica. – Pode vir pra cá, Tiago.


Ele apagou a luz e deu a volta no biombo e se sentou ao lado de Lilian que estava vestindo o seu casaco, bem fechado. Sua blusa e o sutiã estavam em um saco.


A ruiva deita a cabeça no seu ombro. De forma que ele a abraçou.


- Tirando o choque e a mordida, nada mais aconteceu. – disse a doutora.


Pouco depois, Harry apareceu.


- Dumbledore está chamando vocês. – disse ele, e depois para Poppy. – Ele pediu para você dar uma olhada no... naquele lá.


- Aff. – disse ela. – Por que eu não fui fazer direito, assim eu poderia escolher meus clientes.


No caminho para a sala do diretor, Lilian resolve perguntar algo.


- Desde quando você tem tatuagens?


- Tem um ano, as dos braços. E a das costas foi no feriado do fim do ano.


Harry e Gina, que até aquele momento estavam preocupados com a ruiva, prestaram atenção em Tiago, e viram que ele estava com uma blusa com manga curta, deixando aparecer um dragão enrolado em um braço e um tigre pulando para atacar em outro.


- É um grifo, como o da minha jaqueta. – disse ele, ao perceber a cara curiosa dos dois.


Eles pararam na porta do diretor. Tiago apertou a mão de Lilian, enquanto Harry e Gina acenavam a incentivando a entrar.


Na sala, além do diretor, já estavam os dois professores que foram chamados, assim como Luna e Mione.


- Harry, já me contou o que aconteceu. – disse o diretor, quando Lilian se sentou a sua frente à mesa. – Já repassei para os outros, e vou poupar você de ter que contar a história muitas vezes, pois já avisamos seus pais e a polícia. Só tenho uma pergunta. O que aconteceu foi com seu consentimento?


- Não. – disse ela. – Eu tinha acabado de pedir para ele se afastar de mim, digo não me procurar mais.


- Vai prestar queixa na polícia? – perguntou ele.


- Sim. – disse a menina.


- E quanto a você ,Tiago... – disse ele mais foi interrompido.


- Isso não teria acontecido se alguns professores não tivessem ressentimentos. – disse Tiago, interrompendo o diretor. – Veja o que ele escreveu para justificar a minha detenção no baile.


Dumbledore pegou a pasta de detenção e encontrou entre elas a do Tiago.


- Briga. – disse o professor. – Alegando estar defendendo a Srta Delacour. Visivelmente alterado pelo álcool.


- Mas você não bebeu. – disse Lilian.


- O professor Snape tem dificuldades para superar alguns fatos do seu passado. – disse Minerva. – Ainda mais quando se trata de bailes, Tiago, Marotos, ruivas e principalmente Potter. Bom, um Tiago que chega em um baile com uma ruiva, ostentando um anel que serviu aos Marotos, não fez bem para ele. Precisou de uma desculpa para se sentir superior.


Harry ia perguntar o que o professor de química tinha contra os Potter, quando alguém bate na porta.


- Pode entrar. – disse o professor.


- Licença. – disse uma voz feminina, entrando no recinto, revelando uma mulher com menos de trinta anos, com um colete da polícia e cabelos longos escuros.


- Detetive T. – disse Tiago para Lilian. – Ela será gentil com você.


- Eu sou a Detetive Tonks. – disse ela se apresentando. – não que todos não soubessem disso. Devia saber que você estava envolvido, Vampiro.


- Não tem graça perder acontecimentos assim. – disse ele. – E se não fosse por mim e meus amigos, poderia ser pior.


- A Dr Pomfrey já fez os exames necessários. – disse o diretor. – Acredito que você queria os depoimentos e saber onde está o agressor.


- Sim, meu parceiro já está atrás dele, algo como ter visto algo pela janela. – disse ela. – O perdi de vista assim que passei pela porta. Mas os depoimentos terão que ser feitos separadamente.


Antes que alguém pudesse se pronunciar a porta foi aberta.


- Minha filinha. – disse Julia Delacour abraçando a menina. – Eu achei que... que... Quando me contaram...


- Estou bem, mãe. – disse ela. – Eu juro, foi só o susto.


- O que esse menino fez com você? – Pierre falou olhando para Tiago.


- Pai. Ele não fez nada, comigo. Foi ele que me salvou. – disse Lilian se desvinculando da mãe e ficando na frente do Tiago.


- Se você diz. – falou ele ainda não acreditando.


- Pierre, para de cena. – disse Julia. – Você não disse que gostava dele.


- Ok, eu paro. – disse ele.


- Bom acho que devemos começar com os depoimentos. – disse Tonks.


- Vocês podem usar a sala de reuniões dos professores.  – disse Dumbledore apontando para uma porta a sua esquerda.


- Srta Delacour, você será a primeira. – disse a policial. – Se os senhores quiserem acompanhar, podem, afinal ela é menor de idade.


- Acho melhor vocês saírem um pouquinho. – disse Minerva. – Beber uma água para acalmar.


Eles seguiram o conselho da professora. E do lado de fora encontraram com Gabrielle aborrecida encostada em uma parede.


- O que a Rainha do Gelo aprontou desta vez, que até tiveram que chamar o meu pai? – perguntou ela demonstrando todo seu mau humor. 


- Se você não ficasse de picuinha com a sua irmã por motivo besta, você estaria ali com ela e saberia. – disse Tiago disse irritado, mas depois deu um suspiro. – Aconteceu o mesmo que aconteceu com você, mas o Scott foi um pouco mais longe.


- Eu avisei para ela, mas ela não quis me ouvir. – disse ela. – Falou que eu estava inventando coisas. Bom, pelo menos temos você para nos salvar.


- Não sei se será por muito tempo. – disse ele.


- Eles não podem te expulsar. – disse Gina. – Nós vimos que você só afastou o menino da Lilian, e se quisesse não teria mais agressor.


- Sim, nós podemos contar para eles. – disse Mione.


- Se você sair, nós saímos junto. – disse Luna.


- Deixe isso para depois, não quero complicar ninguém. – disse Tiago.


- Essa escola é segura, muito por você, que não deixa nenhum valentão se impor aqui. – disse Gabrielle.


- A polícia pode não ver isso. – disse ele.


Logo apareceram Rony e Neville.


- O idiota confessou. – disse o ruivo. – Nem foi preciso perguntar. Se bem que ele acredita que conseguiu algo a mais. Já foi levado para o Hospital, parece que tem uma fratura no rosto.


- Quando o cérebro dele parar de chocalhar dentro do crânio, ele vai perceber a enrascada que ele se meteu. – disse Neville. – Falando nisso, quero morrer seu amigo, e nunca precisar de levar um soco daqueles.


- Eu estava com medo de acertar a Lilian. – disse ele. – Posso ter exagerado um pouquinho.


- Não quero ver quando for muito. – disse Harry rindo.


Mais alguém entrou no corredor, e escutou a risada do moreno.


- Tiago, é você?


 


N/A:


Esse Capítulo é um presente para a Fada.


Parabéns, Carol.



Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lana Silva em 26/02/2012

Nossaaaaaaaaaaaaaaaa eu pensei em alguém tipo Sirius ? OU Tonks ???
Ahhhhhhhhhhh nossa realmente não sei como você para em uma partes dessa quer me matar do coração!
Amei o capitulo! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Deusa Potter em 16/07/2011

AHHHH COMO VC PARA NESSA  HORA????????

Eu ja estava arrancando os cabelos, louca pra saber quando o Harry seria encontrado pelos marotos e vc para aqui???? ¬¬

O jeito é esperar pelo proximo capitulo...

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.