FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

23. Adaptação II


Fic: Heroes -O Torneio dos Deuses


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Cap. 23 – Adaptação II


N/A: Comentário de may33, a leitora mais fiel e presente desta fic:


AE sou a leitora número um \o/ Brigada Náy, sabes como eu amo essa fic neh?! Afinal vc não é cega, tinha que me fazer parar de comentar como uma louca e me deu o posto pra que eu aquiete. A resposta que eu te dou é: LAMENTO!! Vou continuar no teu pé ^^ Mesmo tendo que entrar no msn as 9 da manhã de um feriado ou virada pra assistir F1 rsrsrs


N/B: finalmente minha escritora favorita está de volta a ativa com mais um cap cheio de emoções, algumas nos fazendo suar frio hehehhehe... prepare-se que aí vem mais uma dose de adrenalina pura, fugas alucinantes, suspense, mistérios, paixões avassaladoras... e... vou contar naum, lê lá e depois comenta heheheh


***********************************************************


Sauron chega à clareira, de onde vinham os urros indóceis de Groar, seguido por Morgana, Mark e Moriarty, deparando-se com o homem gigantesco esmurrando o chão e se debatendo como uma criança pirracenta, enquanto um homem estranho observava.


-Olá! –Grier diz observando que procuravam sinais de Artemis e Holly. –Artemis e Holly debandaram, se uniram ao meu antigo grupo.


-Como assim? –Morgana pergunta em choque.


-Groar pertencia ao nosso grupo, quando nos esbarramos por acaso, o pessoal o atacou de imediato e eu fiquei do lado dele, assim como Artemis e Holly. Fomos derrotados, presos e ameaçados de morte, mas acabamos decidindo fazer as coisas de modo mais político, assim Artemis e Holly que tinham um perfil bem mais a fim com o outro grupo foi para lá usando os colares que eram do Groar e meu, nos dando os deles. Ou seja, foi uma troca para que ficássemos vivos… ah, Groar está assim porque castraram ele para que não estupre mais ninguém. –Grier explica de modo simples, parecendo bastante tranquilo.


Moriarty rapidamente saca sua arma e atira, porém um tronco é erguido por uma cauda que surge do chão bloqueando o raio vermelho da arma. Grier havia se erguido em postura agressiva, uma cauda que antes não estava lá podia ser vista penetrando no chão e atirando o tronco em Moriarty ao sair do chão quase dois metros à frente.


-Calma. –Moriarty diz após Mark ter pegado o tronco com uma mão e atirado para o lado. –Eu só ia fazê-lo dormir, esse choro está me deixando louco.


-Deixa comigo, eu o calo. –Morgana diz fazendo uma bolha rosa surgir em sua mão e depois flutuar até Groar, envolvendo sua cabeça e impedindo o som de os atingir.


-Muito melhor. –Sauron diz aprovador. –Agora me diga para onde foram e há quanto tempo. –Ordena olhando para o estranho, que já não possuía mais cauda.


-Não adianta, o grupo pode se mover muito rápido e sabiam que estavam a caminho. Certamente já estão fora do alcance. –Responde tranquilamente, voltando a se sentar e não ligando para o urro furioso de Sauron.


-Nos diga por que devemos te aceitar em nosso grupo. –Moriarty ordena tentando manter a calma, apesar da grande perda que o grupo sofrera.


-Porque sou inteligente, tenho grande noção e utilidade tática, posso me transformar no que eu quiser, animal ou humano. –Termina a frase se transformando na forma idêntica a de Mark.


-Isso poderia ser interessante nas missões dentro de reinos, poderíamos nos disfarçar. –Moriarty diz pensativo.


-Conheço a maioria dos reinos e posso conseguir o que quiser deles. –Diz com um sorriso de canto, o olhar astuto.


-Nos dê as informações que possui do seu ex-grupo. –Sauron ordena parecendo mais disposto a aceitá-lo.


******************************************************************


Haviam parado em um reino e combinado de descansar um pouco antes da próxima missão, a amizade com o grupo de Hermione lhes rendeu hospedagem no castelo e várias regalias, porém Annabeth permanecia em seu quarto, reparava alguns uniformes rasgados, quando Thalia se aproxima para ajudar.


-Achei que fosse estar na biblioteca ou passando um pouco de tempo com Percy. –Diz ao entrar e se sentar com a amiga na cama.


-Alguém precisa fazer os reparos, ou começaremos a andar nus. –Responde de modo prático.


-Eu te ajudo. –Diz pegando um dos coletes, que pelo tamanho era de uma das duas. –Mesmo que os reparos sejam importantes não é normal que esteja aqui, além disso, tenho notado que você e Percy não andam bem. O que aquele idiota andou aprontando?


-Não é culpa dele. –Diz de modo seguro, não deixando qualquer dúvida.


-Então? –Insiste. –Sei que não sou expert no assunto, mas é bom que desabafe.


-Eu sei. –Sorri para a amiga e deixa a calça de Percy de lado. –Acho que não há dúvidas sobre quanto amo aquele cabeça de alga, certo?


-Bom, você enfrentou praticamente sozinha um exército de amazonas antes que elas fizessem “mal” a ele. –Diz sem evitar o riso, afinal Annabeth normalmente faria um plano trabalhado para libertá-los ocultamente ao invés de entrar distribuindo socos e chutes em um bando de guerreiras habilidosas.


-Nem lembre daquilo. –Pede com uma careta.


-Mas qual o ponto? Porque apesar de tudo ele parece estar nessa tanto quanto você. –Diz pensativa, apesar de tudo ficava feliz pelos dois.


-E está, o problema é justamente esse. Estamos totalmente nessa, mergulhamos de cabeça, mas não podemos nadar para longe da praia. –Diz tentando medir as palavras.


-Ok, talvez eu esteja fora de forma, mas o que essa analogia quer dizer?


-Que aquela minha insegurança quanto a amassos ficou no passado, ele conseguiu me passar toda a confiança para irmos adiante, só que é frustrante não poder realmente usufruir da liberdade que temos aqui… você sabe, sem minha mãe vigiando.


-Você está falando que quer fazer sexo com ele e não pode? –Pergunta confusa.


-Conhece alguma farmácia que venda preservativos por aqui? –Retruca irônica.


-Entendi o mau humor dos dois. –Diz compreendendo a situação da amiga. –O importante é que mantenham em mente que de fato não podemos correr o risco de você engravidar. –Enfatiza seriamente.


-Eu sei, por isso estamos evitando ao máximo até chegar perto da tentação, mas é irritante! –Admite quase rosnando.


-Hum, já pensou em procurarmos o grupo do raio? Arya e, a essa altura, Hermione devem ter uma solução pra isso. –Sugere e vê a amiga arregalar os olhos logo antes de se atirar em cima de si.


-Você é um gênio! –Declara empolgada, largando as roupas na cama. –Vamos procurar os rapazes. –Ordena já saindo apressadamente.


******************************************************************


Heracles levara Percy até a taverna para beber e se distrair, o rapaz estava ansioso e nervoso nos últimos dias e aquilo estava deixando o filho de Zeus louco. Nos primeiros minutos Percy se mostrara reticente, tímido, porém a bebida quente e adocicada lhe dera coragem de se abrir para o companheiro e em menos de uma hora seus protestos estavam altos o suficiente para serem ouvidos por quem bebia ao seu redor.


-Mulheres sempre tendem a acabar com nosso juízo. –Diz um rapaz ao se aproximar, provocando um arrepio frio na espinha de Heracles, que se vira para observá-lo.


Era relativamente alto, algo entre 1,80 e 1,90m; a pele muito alva parecia brilhar muito levemente com o luar, especialmente quando trajava uma calça negra e camisa vinho, o material leve e refinado remetia a roupa dos mais nobres daquele mundo, entretanto o estilo era diferente de tudo que já vira. O cabelo negro e liso tocava o ombro, emoldurando o rosto masculino que apesar de anguloso e másculo, ganhava um tom delicado pela alvura da pele, os lábios róseos, quase vermelhos, a íris de um prata líquido que o lembrava dos olhos de Annabeth. O porte era forte, não exageradamente musculoso, mas o ideal para intimidar adversários e encantar mulheres, entretanto as mãos delicadas e gentis pareciam as de um nobre mimado que nunca segurara uma espada, não havia cicatrizes ou mesmo marcas de expressão que lhe revelassem a idade, porém o olhar era de quem já havia caminhado por muito tempo.


-Desculpe-me, não me apresentei. –Diz notando os olhares confusos e desconfiados de ambos. –Raziel. –Fala sentando-se sem cerimonia e fazendo um gesto pro balcão sinalizando mais uma rodada.


-O que as mulheres já te fizeram? –Percy pergunta curioso. Heracles apenas observa enquanto ele se acomoda.


-Quando eu ainda me chamava Louis Phillip e tinha mais ou menos sua idade, apaixonei-me por uma mulher cheia de curvas nos lugares certos. Era casada, porém possuía muitos amantes e eu desejava tornar-me um desses, contudo precisaria de dinheiro para ofertar-lhe presentes caros, algo com o que me aproximar. –Houve uma pausa para receberem as bebidas. –Deixei meus pais camponeses e me uni a cavalaria, bastaria fazer alguns serviços de espionagem, algumas outras pequenas coisas que não cabiam aos nobres da cavalaria e ganharia o suficiente para ser alguém e chamar a atenção daquela mulher.


-Pensou em apenas lhe falar umas quantas bobagens românticas? –Heracles pergunta quase desdenhoso.


-Obvio que o tentei, até apelei para meu porte, minha juventude. Não adiantava com tantos a competir, além disso, o marido era um nobre falido, sem os presentes de seus amantes ela não poderia manter seus luxos e abrir uma exceção poderia forçá-la a abrir outras.


-Não me parece uma mulher nem de perto correta. Há mais honestas nesta taverna. –Heracles resmunga e Percy apoia.


-Eu era jovem e deslumbrado demais para me apegar a detalhes. Suas formas, fala mansa e modos refinados me deixavam nas nuvens. –Diz pensativo, como se lembrasse de algo que acontecera há muito.


-E o que você fez? –Percy inquire ansioso.


-Certa noite, após uma grande batalha, que antecedeu uma incrível vitória, eu ajudava no trato dos feridos enquanto os cavaleiros festejavam. Um cavalariço mirrado e meio doente foi até mim e disse que o general queria me ver. Era um cavaleiro muito próximo do rei, possuía inúmeras vitórias e havia a lenda que era tão forte e habilidoso que não possuía sequer uma cicatriz. Nunca o havia visto em batalha, pois só agia sozinho e em situações muito delicadas, era furtivo e mortal.


-Me parece de fato alguém poderoso e um rei esperto o manteria muito perto de si. –Heracles diz ao pensar que nunca conhecera um guerreiro sem cicatrizes.


-Mas eu não sabia o poder que de fato possuía até aquela noite, só conhecia sua fama e seus hábitos solitários. Estive um ano inteiro com aquela cavalaria e nunca o havia visto!


-Como pode um comandante não aparecer pra dar ordens? –Percy pergunta submerso naquela estória.


-Ele aparecia, mas penas para os capitães, eu nem cavaleiro era. Apenas um serviçal incumbido de coisas que ninguém queria fazer ou podia. –Diz dando de ombros. –Claro que a minha falta de importância tornou o convite mais estranho, inicialmente pensei que ele queria algum tipo de serviço sujo, espiar um dos capitães, matar um dos feridos, roubar algo proveniente dos derrotados, enfim, algo especial.


-Você não parecia muito ético. –Percy diz enrolando a língua e quase esquecendo de como pronunciar a última palavra.


-Era uma guerra e os homens que estavam lá não eram santos, além disso, estava obcecado pela mulher e em conseguir dinheiro para estar a sua altura. –Explica calmamente, parando para bebericar de seu copo. –Quando cheguei a tenda do cavaleiro, notei que o serviçal ficou do lado de fora, me deixando a sós com o mestre. Ele vestia apenas uma calça, o que me deixou notar que as lendas pareciam reais, não havia uma cicatriz sequer! Na mesma hora tremi, transpirava medo por todos os poros e não sei como consegui me manter de pé e sem parecer trêmulo como uma criança assustada, principalmente ao notar como olhava para mim.


-Ia matá-lo? Fez algo contra ele por dinheiro? –Heracles também estava ansioso.


-Seu olhar não revelava ódio, pelo contrário, havia algo de lascivo, os olhos muito claros pareciam suster chamas, sua postura e seu andar estavam cheio de malícia. –Heracles e Percy fizeram caretas, os olhares mesclavam pena e horror. –Pensei exatamente o mesmo que vocês. Vejam bem, havia cavaleiros que pagavam e bem para saciar seus ímpetos carnais, mas poucas mulheres suportavam o ardor da guerra, morriam muitas no caminho. Violentar um homem era algo complicado, poderia chamar muita atenção, então em nome de seus bons nomes pagavam, a não ser que o infeliz fosse um prisioneiro.


-Vocês haviam acabado de vencer, devia haver vários prisioneiros! –Percy diz quase em uma defesa desesperada.


-Na verdade, o exército era muito sangrento, poucas vezes faziam-se prisioneiros. Sem falar no desagradável que deveria ser ignorar os ferimentos de batalha. –Mais uma vez, parecia não demonstrar qualquer emoção diante daquilo. –Eu estava bem, era saudável e bonito. Não era um cavaleiro, mas sabia lutar. A questão é, se nem mesmo cem inimigos eram capazes de lhe provocar uma mísera cicatriz, porque eu conseguiria sequer resistir? Era óbvio que eu não teria a mínima chance, seria tratado como um objeto e quando ele se cansasse seu servo me atiraria bem longe, provavelmente não dariam minha falta ou pensariam que morri durante a batalha.


-E como saiu dessa? Como fugiu dele? –Heracles pergunta se recusando a aceitar a hipótese de um homem, que ao contrário de Percy não estava bêbado, contar esta estória. A não ser que ele houvesse gostado da experiência e usara a revolta contra as mulheres para se aproximar deles, homens fortes e… abandonou a cabeça afastando aquilo antes que a bebida lhe voltasse.


-Não havia como fugir, ele estava a menos de um cavalo de distância de mim. Então usei de minha astúcia e do sangue frio que ganhei desde que havia me juntado a cavalaria para reverter a situação em algo favorável a mim.


Flashback


-Vejo suas intenções claramente. –Apesar do leve tremor, manteve o tom seguro e o olhar objetivo.


-Duvido, mas siga em frente e compartilhe comigo suas impressões. –O homem diz parando a uma distância em que bastaria esticar o braço e o alcançaria.


-Me quer em sua cama, deseja saciar seus desejos de luxúria comigo. Pois bem, não irei resistir, farei o que quiser e como desejar, mas quero uma muito generosa recompensa por meus préstimos. –Diz munindo-se de toda sua coragem.


O cavaleiro, ao contrário de tudo que imaginara, riu. A gargalhada era uma melodia doce e vibrante, logo sentia vontade de também rir. Como homens alegres por uma grande sorte, caminharam até a cama parando de pé ao lado do móvel de aparência extremamente elegante e confortável para um acampamento.


O homem parara de rir, o jovem continuava sem conseguir se conter até que seu rosto fora tocado pelas mãos suaves e macias, seus olhos inocentes capturados pelas fascinantes íris que pareciam arder em desejo.


-Observo-te desde que a nós se juntara. Furtivo, ágil, esperto, sangue frio, permanece invisível com extrema habilidade. Sequer sabem seu nome, a cor e seus olhos… isto é um feito para alguém de seu porte, de sua presença. –À medida que o sussurro rouco o hipnotizava, uma das hábeis mãos lhe abria a rota túnica. –Merece muito mais que tem, és muito para ser mais um dos serviçais ou se tornar um destes porcos que ousam intitular-se cavaleiros.


 Ao final do discurso, deitara com delicadeza o rapaz nos lençóis de seda, deixando-o confortável enquanto seus olhos desciam e pousavam no tórax largo e forte, levemente queimado pelo trabalho ao Sol.


-De agora em diante, será meu e terá todo o mundo aos teus pés.


A declaração fez o jovem fechar os olhos e deixar a mente o levar para todos os seus sonhos, formando a ilusão mais doce e vívida que poderia ter. Assim, não vira o cavaleiro se abaixar ou sentira os lábios tocarem-lhe a pele, porém com uma dor lancinante quase saltara, mas rapidamente fora seguro contra a cama, sentindo em poucos segundos a ardência diminuir e virar um prazer estranho, languido que o deixava mole, frágil.


Não durara mais que poucos minutos e o cavaleiro se ergue limpando o sangue de seus lábios, lambendo o que estava em sua mão enquanto as presas voltavam a se tornar penas dentes um pouco mais pontiagudos que o normal.


Fim do Flashback


-Então ele sugou seu sangue? Foi isso? –Percy diz com o cenho franzido.


-Não havia para aquele cavaleiro luxúria maior que o sangue saudável, quente, fresco. Só fui saber ou entender isso depois, quando acordei numa noite dias depois. Ele me disse que daquele dia em diante, eu não poderia mais andar sob o sol, o alimento comum me daria náuseas e enjoo, mas eu seria mais forte que cem homens, mais rápido que um tigre, mais suave que um gato, tão eterno quanto o brilho das estrelas…


-Vampiro! –Percy diz assombrado, derramando parte de sua bebida em si.


-Sim. Mas neste mundo eu posso andar sob o sol e comer como um humano, é maravilhoso estar aqui! –Confessa com um sorriso sincero e sereno.


-Então é um competidor do torneio! –Heracles diz procurando por algum sinal, mas não encontrando.


-Abandonei meu grupo assim que cheguei, eram fracos e não conseguiriam vencer. Além disto, queria simplesmente viver, aproveitar um pouco. Ficar alguns dias simplesmente sob o sol. –Diz dando de ombros.


-Quem eram eles? –Heracles pergunta curioso, vendo o vampiro pedir mais bebida.


-Não tinham se dado um nome, mas o horroroso uniforme era verde e muito desconfortável. Aliás, vocês também deveriam tirá-lo, conheço as melhores cortesãs da cidade. –Diz enquanto fazia sinal para uma mulher que acabara de descer a escada.


******************************************************************


-Esta é Arya. –Diz se transformando na ex-capitã. –Ela tem mais de 100 anos e não envelhece, pode ser morta então não é exatamente imortal. Extremamente experiente em batalha, estratégia, magia, armas e conhece muito bem as pessoas. Todos aprendemos a respeitá-la e suas decisões não são questionadas, apesar de ela ser bastante aberta a discussões.


-É a mais poderosa entre eles, certo? –Sauron pergunta se lembrando do que vira na mente de Groar.


-Sim. Logo depois vem Hermione, -nesse instante ele se transforma na jovem bruxa – que também possui grande conhecimento em magia, tanto em feitiços quanto poções, é muito inteligente como Arya, ambas acabam sendo responsáveis pelas decisões mais importantes do grupo e são elas que sentam a mesa com os reis para negociar e forjar acordos. Com o poder de cura que Hermione tem, é considerada praticamente uma deusa pelos habitantes desse planeta.


-Então não seria exagero dizer que boa parte dos reinos daqui são aliados deles? –Mark pergunta quase espantado.


-Na verdade todos são. Onde quer que o grupo chegue, são recebidos com todas as honras. Forjamos até alianças de paz entre reinos inimigos.


-Isso parece muito perigoso. –Moriarty diz trocando um olhar com Sauron.


-O que os outros fazem? Digo, se elas tomam as decisões, o que os outros fazem no dia a dia? –Morgana pergunta curiosa.


-Eragon veio do mesmo mundo que Arya, é bom com magia, mas o forte é luta com espada e o dragão, como o dele. –Diz após se transformar no ex-companheiro e depois apontando para Sauron. –Já Harry é o contrário, melhor com magia que com espada, mas muito bom guerreiro e também voa, só que sem precisar de nada, foi o poder que pediu ao tal deus. No dia a dia o grupo tem certa rotina, cavalgamos um dia e uma noite e nos dois dias seguintes acampamos ao por do sol. Nesses dias treinamos magia pela manhã e combate a noite, enquanto Hermione e Arya fazem poções ou debatem táticas e treinamentos dividíamos as tarefas de monitorar o perímetro, coisa que geralmente eu fazia de modo discreto, Harry e Eragon abasteciam a dispensa, faziam a comida e cuidavam do bebê gigante que arranjamos em uma missão, eles gostam de ser pais. –Finaliza dando de ombros, apesar de achar que sentiria falta da atual fase de Alan, que vivia tacando coisas nos outros e cuspindo a comida nos rapazes.


-Isso me parece improdutivo. Nunca se separavam? –Moriarty pergunta tentando achar rapidamente um defeito no grupo, não gostando da expressão quase chocada de Morgana.


-A mais eficiente seria elas pra um lado e os homens pro outro. Mas Arya e Eragon, assim como Hermione e Harry são casais, então não conseguem ficar longe um do outro. –Diz dando de ombros. –Certamente a melhor coisa em ficar longe deles é não ter que ver todo aquele romance. Pra um homem sozinho era uma tortura.


-Gostaria de saber de que tipo de mundo eles veem. –Morgana comenta, dividida em admirar aquele respeito às mulheres e a certeza de que Holly e Artemis já não seriam apenas amigos por muito tempo, o que lhe amargurava ainda mais a alma.


-Se nunca se separam, devem ter um ritmo lento, mesmo que sejam bons. Parece que não são uma ameaça tão grande assim. –Sauron diz satisfeito.


-Não conte com isso. Cavalgamos em animais fantásticos chamados unicórnios, além de fortes, inteligentes e imponentes em batalha, ainda possuem grande poder mágico, sempre pressentem o perigo. Hermione tem também uma montaria que voa, um cavalo alado que tem o mesmo tipo de poder dos unicórnios, mas acho que mais forte fisicamente. Como complemento Hermione ainda ensinou a Arya e Eragon uma magia que faz com que eles e quem eles quiserem levar, desapareçam de um lugar e apareçam em outro dias de distância em um piscar de olhos, basta que eles já tenham estado lá. Também funciona com os colares, é como se conseguissem rastrear o caminho até outro local, mesmo que nunca tenham estado lá. Por causa disso, um grupo amigo, o vermelho, deixou um colar com Arya, para que se estivessem em perigo, o meu ex-grupo pudesse aparatar pra junto do grupo vermelho e ajudar.


-Inferno! Quanto mais eu ouço, mais acho que vamos perder e feio. –Mark resmunga irritado. Sauron e Moriarty também encontravam-se em fúria apesar de pensativos. Já Morgana parecia completamente absorta em seus pensamentos.


-Fale como é esse grupo vermelho. –Morgana pede ao lembrar que Sauron e Mark haviam fugido de três deles.


******************************************************************


N/A: Oi, sumida há muito tempo, mas aos pouquinhos vou voltando. Estive nessas férias forçadas amadrinhando duas leitoras que resolveram escrever e as fics delas são realmente boas, elas tem jeito pra escrever. Os links são: http://fanfic.potterish.com/menufic.php?id=40856 e http://fanfic.potterish.com/menufic.php?id=41007.


N/A²: Cap com algumas surpresinhas. O que acharam da reação do grupo 2? O que esperam do Raziel? A beta adorou ele, você também gostaram?


may33: Aff, claro que meu objetivo é deixar os meus leitores felizes o máximo possível. Huahuahua sua perva, nem comento seu gosto pela “cena extra”. Mione e Arty tem muita química, pra mim poderiam ser irmãos! Eu não disse que foi sem nenhuma aula prática, foram bem poucas, de fato ela aprendeu mais por simulador. Pior que um homem bonito perto da sua mulher é um que ela possa admirar. Na verdade a Arya sabe, ela vasculhou a mente da Holly e assim pôde ver que existe um lance entre eles e ta mal resolvido. A Arya ta treinando o Eragon e ele aprende rápido rsrsrs. Minha companheira de competições esportivas rsrsrs vlw pela tentativa de manter o povo informado sobre a F1!


Angeline G. McFellou: Foi um encontro de mentes que rolou ali, agora Hermione tem quem acompanhe seu raciocínio, entenda de tecnologia e pode ajuda-la a concretizar os projetos. Mione sempre sabe como amansar o Harry, agora ela só tem mais armas rsrsrs. Alan é o xodozinho deles. Eragon estava bravo com Arya, por isso não foi tão fácil. Sabe o que dizem de quem espiona né, ninguém mandou Holly ficar espiando. Sem dúvidas Arya e Hermione precisam dar uma prensada na Holly, assim ela coloca a cabeça no lugar e deixa os preconceitos de lado.


Swdezerbelles: Nhaaa para com essa ciumeira do Arty com a Mione, que bobagem, tem espaço pra todos ali. A Mione com Arty fará coisas incríveis, principalmente quando se juntarem com Annabeth. Estava fazendo referência a Arty/Holly? Não sei se o Eagle XV vai ser tudo isso não. A Arya fez tudo de caso pensado ou esqueceu que ela leu a mente da Holly? Só que as culturas élficas são diferentes, então ainda não será tão simples assim. O Eragon estava bravo, homem tem direito a ficar bravo e não estar a fim. A Arya conhece contraceptivos, ela só não sabia se a Hermione sabia e usava, só isso!


Belladonna V.: Uau, que maratona! Deve ter ficado meio traumatizada com a fic depois de tantos caps! Pelo menos deu pra dar uma descansada nesse intervalo. Eu não aprofundei a história de Legolas não, mas esse ciuminho já passou, foi algo de momento. Tadinha da Thalia, ela é legal. Morgana é amargurada, sua vida não foi nada fácil. Groar de fato é odiável. De fato eram deslocados, afinal eles são mocinhos no estilo tradicional, mereciam estar no grupo 1. Essa fic é para dividir corações mesmo, não tem jeito. Aquela frase da Mione me veio de supetão, havia acabado de ler um dos livros de Narnia. Opa, tem que escolher 1, Eragon, Harry Arty, Percy ou Legolas? O Harry na minha mente é bem fofo mesmo, bem romântico, afinal nunca viveu amor e família antes. Fiquei vermelha com os elogios, obrigada e continue comentando mesmo, porque eu adoro.


Cleber Knies: Obrigada pelo elogio, por comentar, mas não se intimide por outros comentários, pode dizer tudo o que pensar e dar sugestões, fazer críticas, são bem recebidas sempre.


John Black: Obrigada. Estou convencida de fazer continuação sim, to cheia de ideias, e a may me mata se eu não fizer.


Punkeeslaw Potter: Não vou nem comentar essa primeira parte ¬¬ . Também acho que ela vai caprichar mais com o tempo, talvez fique melhor que você nisso, já que vc anda enferrujada né! Você tem que continuar a dar ideias sim, só não me responsabilizo pelas reações da may aos seus pedidos de sangue do Draco muahaha. Gosto da Mione comandando, ela tem mais talento que ele em muitas coisas, parece fazer sentido ela ter mais moral num mundo sem Voldemort. Huahuahua fazer o eu se o mundo é descartável né? O mundo de Groar e Grier é estranho e, além disso, o Grier aprendeu muito com o grupo em que ele caiu. Aff, vc ta chata com essa autocensura nos comentários, fala logo o que você acha que seria legal! Como assim rumor? Terá que me explicar melhor isso no MSN! Mas veja bem, com todos os poderes que o grupo 1 já tem, não precisa ria vencer o torneio para ganhar as guerras de seus mundos.  Esse seu convívio com a may está te deixando perva rsrsrs.


Não é que os elfos tenham uma distância emocional o tempo todo, usam isso para se preservarem da curiosidade alheia, mas quando conhecem a pessoa e são amigos, tornam-se normais como qualquer um. Eu de fato acho que os dois tem aquele tipo de relação romântica e pura que não se vê muito por aí, mesmo quando a dinâmica é mais quente, mais moderna. Não já? Estamos aí na metade da fic, passaram-se meses desde que Groar foi expulso. Você tem pouca imaginação para os poderes do Grier e, acredite, ele mexerá muito com esse grupo 2. Ridikulus contra o Sauron? KKK Só você mesma Pam! O Groar é amigo do Grier, existe uma relação de amizade, respeito e de certa forma carinho entre eles. Muito constrangedor estar com dois casais carinhosos e apaixonados, ainda mais quando é claro tanto pra Arty quanto pra Holly que tem algo diferente entre eles. É, poderíamos comparar o Grier com o Snape, talvez um misto de Snape e Sirius. O agito será de outra natureza, nada com romance. Harry foi de zero a cem, ou talvez de 100 a 0 em poucas horas. O lado gênio da Mione vai aflorar muito com o Arty por perto. Harry é o tipo de cara que você imagina reunindo filhos e amigos num fim de semana pra um churrasco, jogando bola com a molecada e tal. Não é bem assim, ela aprendeu no simulador, mas teve umas 5 horinhas de voo em avião e tal. Ela ta largando o medo de altura desde que começou a treinar o Pegasus com o Harry. Arya já passou pelo que Holly ta passando, então é um jeito de facilitar o caminho da nova companheira. Tão cedo o Eagle XV não dá as caras, mas eles farão algo bem caprichado enquanto isso.


luiza potter: Espero que a preguiça não tenha sido muito grande e você já tenha se achado, afinal tem cap novo!


rosana franco: Como você pôde ver o maior problema dele não foi com as mudanças e sim com o nível da concorrência.


hellen granger: Hermione tem muito potencial e isso só irá se desenvolver mais com o Arty ao seu lado. Os dois não poderiam ser outra coisa que não fofos, foi o caminho natural da relação deles. Quanto a torcida, não esqueça do grupo 3, ta cheio de boa gente lá!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Angeline G. McFellou em 20/09/2011

rssrsr Percy vai se meter numa furada gigante com esse novo amigo vampiro. CARA ISSO NÃO VAI PRESTAR, ANNABETH VAI ACABAR COM ELE.

O.o Falar Anabeth me surpreendeu nsse capítulo, quem diria que ela (justo a filha da deusa que jurou ser vingem pela eternidade) que pensaria em como dar o primeiro passo, quem diria que a THALIA (que jurou ser vingem pela eternidade) quem daria a dica para ela de como driblar o pequeno infortunio? CHOQUEI.

Agora.... Mudando completamente de assunto...

Grier até que esta se saindo bem com o novo Grupo, melhor do que eu esperava.

rsrssrsrsr Todo mundo se irrita quando descobre o quanto a Arya e a Mione podem fazer um grupo superior, eu não os culpo pelo medo.

Agora Quero só ver no que vai dar esses novos grupos, eu meio que estou sentindo que não vai prestar nem um pouquinho. (Alguém morre, não vou dizer alguém sai mutilado, porque o Groar já saiu u.u)

rssrsr Amei o capítulo, curiosa pela continuação, att assim que der, por favor.

Beijos...

P.S.: Bem-vinda de volta

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2021
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.