FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

12. Baile.


Fic: Segredos de uma Vida Quase Normal


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 12 – Baile.


 


Outubro passou voando. Harry teve outras festas para fotografar e estava bem animado por não precisar ficar muito tempo com o tio e sua irmã. Ele já estava sendo reconhecido pelas pessoas onde ia, e não era mais um dos garotos do Marcus, ele era Harry Potter.


Ele teve que explicar para a atendente da loja de roupas, que ele queria um traje de gala, não uma fantasia. Apesar da desta ser justamente no Halloween.


Ele se arrumou rapidamente, ao contrário do primo, que precisou que o pai o tirasse de debaixo do chuveiro para que a tia pudesse usar o banheiro, mesmo depois dela bater na porta por 3 horas.


O moreno tinha combinado de encontrar com Gina na casa dela para poderem ir juntos. Sabia que Mione ia se aprontar lá também.


Ele desceu as escadas esperando não encontrar ninguém, para não estragar seu bom humor dele. Felizmente somente Petúnia estava na sala.


- Você está lindo. – disse ela.


- Obrigado, tia. – respondeu ele.


- Sua mãe ia ficar orgulhosa do filho que ela teve.


- Eu queria que ela tivesse aqui. – disse ele meio pra baixo.


- Não fique triste, ela te amou. Pode ter sido por pouco tempo, mas foi a coisa mais bonita que eu vi.  – disse ela com lágrimas nos olhos . – Me deixe tirar uma foto, antes que eles desçam.


Ela tirou uma câmera do bolso e tirou uma foto dele.


- Agora vai, um Potter não pode deixar uma ruiva esperando, Dá azar. – disse ela. – Seu pai adorava falar isso, mesmo antes deles começarem a namorar.


Ele deu um abraço e um beijo na testa da tia e saiu. O táxi que ele chamou do quarto chegou depois de alguns minutos.


A casa dos Weasley não era realmente longe da dele, mas não era um dia para se caminhar pelas ruas. Ele ficou observando as crianças fantasiadas indo pedir doces nas casas, pensando em como isso devia ser divertido.


Desde pequeno ele queria participar, mas seu tio sempre o impedia até mesmo de conseguir uma fantasia.


Pagou o táxi, e ficou parado na frente da casa. A casa era maior que qualquer uma que ele morara. Mas não exagerava em demonstrar luxo. Mas não era esse o motivo para que ele estivesse relutante, era por conhecer os pais de Gina. A ruiva, Rony, Mione, Tiago e até mesmo Lilian o asseguravam que não haveria problemas, mas ele ainda ficava desconfiado das pessoas, aquele era o primeiro lugar que as pessoas se aproximaram dele sem receios.


Respirou fundo e se adiantou para a porta.


Quem o recebeu foi uma senhora ruiva com uma cara bem simpática.


- Você deve ser o Harry. – disse ela. – Entre. Eu sou Molly. Fique a vontade, vou avisar a Gina que você chegou.


- Não liga pra ela. – disse alguém que estava sentado no sofá. – Ela fica empolgada quando tem uma festa, mesmo que ela não vá participar. Eu sou Arthur, o pai da menina que você vai levar ao baile.


- Bom levar não vai ser bem leva-la, o que vou fazer. Não vamos juntos. – disse ele.


- Gostei da resposta. – disse ele. – Gui me disse que você era um bom rapaz. Ele não erra quanto a isso.


Os dois se viraram para a escada quando escutaram passos. Gina descia ostentando um belíssimo vestido azul marinho.


- Você está linda. – disse Harry indo receber a menina no pé da escada.


- Você também. – disse ela, corando.


Os dois ficaram alguns segundos se encarando. Até que ouviram um pigarro.


- Espero que meu pai não tenha te incomodado. – disse ela.


- Acho que ele podia fazer coisas piores. Mas ele foi bem simpático. – disse ele.


Ela deu um sorriso para o pai, agradecendo.


Rony e Gui saíram do escritório.


- Parece que eu sou mesmo o chofer de vocês. – disse o mais velho. – Mas não se preocupem não viro abobora depois da meia-noite.


Logo Mione desceu as escadas, e Rony ficou literalmente boquiaberto quando viu a menina. Gaguejou muito e ficou mais vermelho que os cabelos.


- Eu não fiquei assim, né? – perguntou Harry para Gina.


- Não, essa cara de bobão é exclusividade do meu irmão. – disse ela. – Mas o brilho dos seus olhos quase me fez cair das escadas.


- Bom, ainda bem que não era eu, senão tinha caído. – disse ele.


Logo os dois casais e Gui estavam no carro, claro que tomaram cuidado com os vestidos.


Em poucos minutos estavam na escola.


A festa seria no ginásio do colégio, que foi decorado de forma a parecer que era mais um salão do castelo.  As arquibancadas foram recolhidas e o espaço aumentado.


Mesas foram espalhadas, e uma pista de dança foi feita perto do palco.


Eles viram Neville dançando com Hannah na pista com outros casais. E Luna estava em uma mesa com um cara que Harry sabia se chamar Scamander.


Foi para mesa da loira que decidiram ir, aproveitando e pegando com um garçom um copo de bebida cada.


Conversaram um pouco, até que uma súbita parada nas conversas forçaram todos a olhar para a entrada.


- Ele sabe fazer uma entrada inesquecível. – disse Mione.


 


Tiago estava parado na soleira da porta da Lilian, segurando um buque de rosas brancas. Ele recebido pelo pai dela.


- Flores? – perguntou ele. – Achei que não era mais costume entregar flores em um encontro.


- Não são pra ela. – disse Tiago. – Se fosse era capaz dela me bater com elas.


- Então para quem? – perguntou ele.


- Você verá. – disse de forma enigmática.


Os dois entraram na casa. Lá se encontrava a mãe da menina.


- Boa noite, Júlia. – disse ele. – Essas flores são para você.


- Oh, que gentileza a sua Tiago. – disse ela. – Faz um bom tempo que eu não ganho flores.


- Primeiro a minha filha, agora a minha mulher. – disse o homem parecendo magoado.


- Nem vem Pierre. – disse Júlia. – Você sabe que eu gosto de você. Não teria casado com você. E ele é o acompanhante da sua filha. Eu não pensaria em roubar nenhum dos garotos das meninas. Ele fez a mesma cena quando o Gui apareceu aqui a primeira vez depois de começar a namorar a Fleur.


Eles ficaram conversando por um tempo, esperando Lilian descer.


Tiago já tinha visitado a casa antes, quando era amigo de Lilian, mas depois da briga ele não havia passado por lá. Júlia queria saber o motivo da separação, mas nem mesmo Gaby sabia direito o que tinha acontecido e não queria conversar sobre isso com a ruiva, sempre que tentava via a tristeza dela.


A menina desceu as escadas sem fazer barulho, e pode observar seu par conversando tranquilamente com os seus pais, sentiu falta disso.


Ele estava diferente do que era na escola, estava com roupa de gala, toda preta, pelo menos o que ela podia ver, já que ele estava de costas para ela. Seu cabelo estava penteado em um rabo comportado, e havia um brinco que mais parecia piercing ocupando toda a orelha direita.


- É deselegante escutar a conversa dos outros, Rainha. – disse Tiago se virando. – Mas como estamos em sua casa, eu posso te perdoar.


- Não sei se sou digna de seu perdão. – ela entrou na brincadeira sem saber por quê.


- Eu é que não sou digno de andar na presença de tamanha beleza. – disse ele, o que fez a menina corar, Júlia abrir um sorriso e Pierre fechar a cara.


- Gentileza a sua. – disse ela, que estava com um vestido roxo.


- Vamos? – perguntou ele estendendo um pequeno enfeite com uma flor, daquelas que antigamente os jovens ofereciam para as suas companheiras em dias de festas.


- Cla...claro. – disse ela se derretendo enquanto ele colocava o mimo em seu braço.


Eles estavam já na porta, quando ela se lembrou de algo.


- Você se importa em levar a Gaby. O par dela não é tão cavalheiro como você.


- Sem problemas. – disse ele.


- GABY. VAMOS LOGO, ELE VAI TE DAR CARONA. – berrou ela, e a loira desceu as escadas rapidamente.


- Você não veio de moto, veio? – perguntou ela.


- Claro que não. – disse ele. – não teria condições de levar a sua irmã em uma moto com esse belo vestido.


- Eu acreditei no boato que você ia entrar com moto e tudo no ginásio. – disse a loira. – Devia ter visto que você não ia fazer isso quando fiquei saber que a Lily era seu par.


Eles seguiram para o Audi vermelho do rapaz.


- Vermelho? – perguntou Gaby.


- Eu gosto desta cor. – disse ele, olhando para Lilian, que pode ver perfeitamente que ele usava óculos diferentes do habitual.


- Esses óculos são diferentes.  – disse ela.


- E melhor para dirigir a noite, e para ambientes de festa.  – disse ele.


Eles foram conversando para a festa, como se fossem amigos.


Tiago ajudou as meninas as descerem do carro por causa dos vestidos .


- Eu não perco a entrada de vocês por nada. – disse Gabrielle correndo para dentro do salão.


- O que ela quis dizer com isso? – perguntou a ruiva.


- Nem eu, nem você contamos para ninguém com quem íamos vir. – disse ele. – Somente os professores, Pontas e Princesa de Fogo sabem. E pela nossa historia vai ser uma surpresa para todos.


- Então vamos acabar com esse sofrimento logo. – disse ela.


 Tiago nada disse apenas estendeu o braço para ela. Mas não olhou para ela, e só colocou um sorriso no rosto quando passaram pelo caminho enfeitado que levava para o salão.


Quando entraram, as pessoas mais perto da porta simplesmente pararam o que quer que estivessem fazendo e ficaram olhando para eles.


- Podemos fazer isso de dois jeitos. – disse Tiago. – Como Reis, e esnobando a todos, ou como ladrões, e fugindo. Qual você prefere?


- Eu não vou fugir. – disse ela.


- Então sorriso no rosto, e olhar superior, o mesmo que você me olha. – disse ele.


E assim foi feito. E mais gente foi notando o casal, e parando. A pessoa que estava responsável pela iluminação, vendo a reação de todos, decidiu escurecer o ambiente e iluminar somente os dois.


- E isso for ideia sua, eu te mato. – disse Lilian sem mexer os lábios.


- Eu não sou suicida a esse ponto. Deve ser coisa do Dr White. – disse ele quase no ouvido dela. – Mas com quem você prefere passar o baile, com suas amigas que estão te olhando feio, ou com os Marotos?


- Seja quem for os Marotos, prefiro eles. Não quero ter que ficar me explicando o baile todo.


Eles foram em direção aos amigos. O que fez com que ela ficasse aliviada ao ver quem eram.


- Se tivéssemos votação para Rei e Rainha do baile, acho que teríamos um casal favorito. – disse Luna.


- Ainda bem que não tem. – disse Lilian. – Já estou cansada de sorrir e fingir estar emocionada no palco não ia aguentar.


 


Ficaram conversando, dançando em grupo as músicas mais agitadas perto da mesa mesmo.


Dumbledore parou a música para fazer um discurso.


- Boa noite para todos. Fico contente com a presença de todos aqui nessa noite especial para nossa escola. Hoje os ideais de nossos fundadores estão presentes nesta festa. – ele falou por mais alguns minutos. – Não vou me alongar mais, Divirtam-se.


Uma música lenta começou a tocar, e vários casais começaram a se deslocar para a pista. Isso incluía todos os marotos.


- Você gostaria de dançar comigo? – perguntou Tiago para Lilian, oferecendo a sua mão para ele.


Ele o olhou, até aquele momento parecia ser o velho amigo, então pelo menos por este dia, ela ia.


- Achei que não ia me convidar. – disse ela aceitando a mão, e se levantando da mesa.


Mas eles não conseguiram chegar até a pista. Alguém parou na frente de Tiago.


- Ela vai comigo. – disse o rapaz.


- Ela concorda com isso? – perguntou Tiago, olhando para a menina.


- Quem em sã consciência ia preferir um drogado como você. – disse o menino.


- Não sou eu quem precisa de um estimulo em uma festa. – disse Tiago colocando a mão no peito do rapaz revelando algo que parecia um cigarro pequeno. – Mas ela quem decide.


- Vamos Tiago. Não vamos perder tempo com quem não merece.  – disse ela o puxando para a pista de dança.


- Eu vim com você. Vou permanecer ao seu lado, não será nenhum qualquer que vai me fazer sair daqui. – disse ela quando se aninhava nos braços do rapaz.


 


Tiago precisou sair um minutinho, e Harry o substituiu.


- Não entendo como alguém pode falar mal de você. – disse a ruiva. – Você fez algo para seu primo para ele fazer isso?


- Nada. – disse Harry. – Meu tio não gosta de mim, acho que por precisar me criar. Então o filho segue o pai.


- Eu senti algo bom vindo de você, quando vi você entrando no salão.  – disse ela. – Não me entenda mal, eu sei que você e a Gina já tinham se ligado. Parecia que você é um primo meu, que eu não via a muito tempo.


- Bom, eu também sinto isso. – disse ele.


- Espero que possamos conviver mais. – disse ela.


- Se você não se importar em não ser a única ruiva da minha vida, minha mãe era ruiva, e tem a Gina. E me parece que não vou conseguir me livrar do Tiago.


- Eu posso viver assim. – disse ela encostando a cabeça no peito dele.


 


Na mesa Gina olha a cena com interesse.


- Parece que você foi trocada.  – disse Miguel Corner chegando perto dela.


- Acho que devemos completar a troca. – disse Tiago. – Vamos dançar, Princesa de Fogo?


- Claro, Vampiro. – disse ela.


- Ei, eu cheguei primeiro. – disse Miguel.


Mas os dois não prestaram atenção nele, o que o deixou com mais raiva. 


- Mais uma vez você me salva dele. – disse ela depois de começarem a dançar.


- É minha função como herói salvar donzelas, não podemos deixar que elas estraguem suas unhas batendo em ogros com ele. – disse ele. – Eles têm mais em comum que todos pensam.


- Você não consegue falar nada diretamente?


- Depois que as pessoas pararam de acreditar no que eu falava acho que acostumei a falar assim.


- Você deu um anel pro meu irmão e pro Neville. Gui quando viu entrou em choque. – disse ela depois de um tempo. – Tem alguma diferença entre os anéis.


Ela olhou para o anel dele, e percebeu que a mão dele estava machucada, coisa bem recente, se ele permitisse ela teria percebido que fora feito há poucos minutos.


- O que é isso?


- Tem gente que não sabe o que significa ‘não’. Eu tive que lembrar. Mais do que isso, é melhor que você não ficar sabendo. Não quero estragar sua festa, nem seu ano. – disse ele.


- Melhor mesmo. – disse ela.


Pouco depois os casais foram destrocados.


 


Gaby pediu para ir embora quando a festa começou a esvaziar. Ela parecia mais aborrecida que cansada. Lilian apesar de ter se divertido bem, estava cansada dos olhares e dos cochichos, então ela resolveu que poderiam ir sem problemas. Tiago não reclamou e os três seguiram para a casa das meninas.


Chegando lá a loira disse alguma coisa no ouvido dele, deu um beijo na sua bochecha e entrou.


- Não me arrependo de ter ido com você. –disse Lilian. – A conversa não se concentrou nos vestidos as outras ou em futebol. Eu pude dançar as músicas que quis e não me preocupar em explicar por que não queria beber álcool. Deve ter sido a melhor festa que fui na escola. Obrigada.


- Não fiz nada de especial, só fui eu mesmo e deixei você ser você mesma. – disse ele.


- Meu pai deve estar acordado até agora. – disse ela olhando rapidamente para a porta. – ele sempre fica preocupado.


- Vamos dar um motivo para essa preocupação. – disse ele puxando-a pela cintura, e a beijando.


Lilian se entregou ao beijo.


 


Harry viu quando Tiago saiu com as duas irmãs. Esperava que o amigo se acertasse com a sua ruiva.


Ele estava com Gina em um canto do salão conversando, se beijando, dançando juntinho independente da música que tocava.


Pelo menos uma hora depois eles chamaram Gui para irem embora.


Rony e Hermione entraram rapidamente em casa, a morena ia dormir na casa dos ruivos.


- Eu vou garantir que eles vão para quartos separados.  – disse Gui. – Vou te levar pra casa, Pontas. Vocês têm cinco... não quinze minutos.


Ele aumentou ao ver a cara da irmã.


- Eu não quero incomodar seu irmão. – disse Harry para Gina, depois que o ruivo entrou. – eu posso ir muito bem sozinho.


- Ele não está fazendo isso para garantir que você segue em segurança.  – disse ela. – E para garantir que você vá para casa. E eu vou ficar sozinha.


- Bom, então vamos aproveitar esse tempo. – disse ele. – Ginevra Molly Weasley, quer namorar comigo?


- Quem te disse o meu nome? – perguntou ela.


- Só te digo se você me responder. – disse ele.


- Sim, eu aceito.


Harry puxou a para um beijo.


- Hem hem. – disse Gui atrás deles minutos depois. – O tempo de vocês acabou.


- Você não me respondeu. – disse a ruiva.


- Só tem uma pessoa que ano tem medo de se queimar, seja no fogo ou no gelo. – disse ele.


- Tiago. – disse ela pelos dentes. – Incrível, não consigo ficar com raiva dele. Boa noite, meu motoqueiro.


- Boa noite, minha ruiva.


 


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Lana Silva em 26/02/2012

Concordo com a Sâmara o suspense está me matando. 
Nossa que capitulo lindo *-*
Todos são
amando muito a fic *-----------* 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Sâmsara em 20/06/2011

To adorando a fic, é realmente muito boa, e você escreve muito bem^^

Continue logo, o suspense da história está me matando xD

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.