FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

8. O Resgate


Fic: Não é nada pessoal - dramione - posto essa semana sem falta


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

 



8.O Resgate 


 


  -Hermione!Hermione!


  Gina gritava caída no chão do gramado com uma das mãos repousadas perto da água escura do lago por onde a castanha fora levada tão subitamente.


  Se a ruiva fosse um pouco mais corajosa,teria mergulhado a procura da amiga.Ou ex amiga.Ela balançou a cabeça concluindo que a classificação da amizade das duas não era sua maior preocupação no momento.


  Mas se ela fosse mais covarde,não ousaria manter suas mãos tão próximas da água com receio de que aquelas criaturas voltasse e a puxassem também. 


  E por algum motivo,Gina tinha certeza que aquilo não aconteceria porque as criaturas estavam atrás de Hermione e não dela.


  O motivo daquilo ainda era um mistério para Gina que continuava a chamar pela garota.


  Aqueles gritos chamaram atenção de Harry e Ron que estavam por perto.


  -Gina,o que houve? - perguntou o irmão achando que a garota tinha enlouquecido. 


  Tendo apenas a lua como testemunha além dela do que ocorrera ali,seria estranho para qualquer um a posição que estava mas Gina sem corar respondeu com os olhos presos na água.


  -Hermione foi levada para dentro do lago - ela disse tremendo de frio.


  -O quê? - Harry se interessou se aproximando.


  -Os demônios azuis a levaram - ela disse percebendo que eles não acreditavam nela.


  -Isso não faz sentido nenhum,Gina.Demônios Azuis? - disse Rony se agachando para ficar da mesma altura que ela.


  -Sim - Gina o encarou - eles tinham olhos arregalados,chifres e dedos longos.Eles levaram a Hermione.Você tem que acreditar em mim,Ron!


  Ele a encarava como se falasse com Luna Lovegood.


  -Certo,Gi.Eu acredito em você,ok?Mas você tem que me deixar levar para a Ala Hospitalar,porque você está gelada.


  -Eu não vou sair daqui até a Hermione voltar - insistiu Gina fincando suas unhas na grama.


  -Não seja teimosa - pediu Ron tentando puxa-la contra a sua vontade - Harry,quer me dar uma ajuda?


  Gina não teve como competir com a força dos dois rapazes e se debatia no colo de Harry enquanto o irmão tentava acalma-la.


  Chegado em Hogwarts,eram uma atração e tanto com Gina esperneando para voltar ao lago.


  -Mas que confusão é essa? - questionou McGonagall com as narinas infladas de indignação - Sr.Potter,o que faz com a Srta. Weasley no colo?Solte-a!


  Mas no instante que Gina se viu livre pôs se a correr aos portões de Hogwarts e Harry teve que puxa-la novamente.


  -Srta.Weasley,aonde pensava que iria? - McGonagall cruzou os braços intrigada.


  -Eu ia voltar para o lago onde os demônios azuis levaram Hermione - respondeu Gina provocando risos nos estudantes que pararam para assistir a cena - é verdade!Eles tinham chifres e olhos esbugalhados!


  -Não sei o que deu nela,professora - explicou Rony vermelho - estávamos a caminho da Ala Hospitalar..


  -Pois então sigamos o caminho,Sr.Weasley.


  Para pavor de Gina,eles chegaram na Ala Hospitalar onde Harry praticamente a prendeu na cama para que não fugisse.Ron fechou a janela ao seu lado com medo que Gina,numa tentativa desesperada de fuga pulasse por ela.


  Madame Promfrey franziu os lábios de forma reprovadora diante daquilo.


  -Eles estão cada dia piores.. - comentou com McGonagall que sem passar recibo começou o interrogatório.


  -Agora eu quero que me explique isso direito - ela pediu.


  -Professora,por favor,é obvio que Hermione deve estar na biblioteca ou circulando pelo castelo - disse Harry em pé ao lado de Gina,que retrucou:


  -Eu já falei mil vezes que não está! -ela revirou os olhos,frustrada - eles a levaram!


  -Essa história não faz sentido! - Ron repetiu.


  -Essas criaturas que a senhorita descreveu - disse McGonagall se sentando na cama que a garota estava deitada - me lembra muito os Grindylows mas não poderia ser,eles tem pele verde-clara.


  -Talvez seja uma variação,professora.Eu estudei sobre os Grindylows e esses demônios eram muito parecidos com eles mas tem uma grande diferença e essa deve ter sido a razão de eu não ter feito essa ligação antes.


  -A cor da pele - falou Harry.


  -Não, - Gina balançou a cabeça - os olhos.Os do Grindylows,que eu me lembre eram opacos e verdes.Mas esses eram vermelhos e terríveis.Pareciam busca-la em especial.


  McGonaggal ouvia tudo com muita atenção,o que fez Harry bufar pelo nariz.


  -Algum problema,Sr.Potter?


  -A senhora não pode estar acreditando nisso!Hogwarts é segura,mesmo que essas criaturas existissem,elas não poderiam entrar nos terrenos e.. - ele parou de falar quando reparou na expressão desconfortável da professora - ..poderiam?


  -Veja bem Potter,Hogwarts é perfeitamente segura,temos feitiços de proteção ao redor de todo terreno mas.. - ela parou se levantando e andando sem parar pela Ala Hospitalar.


  -Mas..? - Madame Promfrey instigou McGonagall interessada em como aquela história ia acabar.


  -Mas nunca pensamos em uma invasão aquática,os sereianos sabiam proteger o lago,eles inclusive domesticaram os Grindylows daqui - contou a professora nervosa.


  -Mas esses não eram Grindylows normais - Gina a lembrou - e não acho que a intenção deles era simplesmente afogar Hermione.Eles estavam levando-a para algum lugar.


  -Vocês fiquem aqui,eu terei que comunicar Dumbledore - avisou McGonagall antes de sair da Ala Hospitalar.


  Gina se remexeu inquieta na cama.


  -E agora,simplesmente esperamos?


 


-/-


 


  Draco Malfoy mantinha Andrômeda sobre o seu ombro enquanto lia o pergaminho que acabara de chegar.Ele intitulava-se como "Instruções".


  Conforme as linhas iam cruzando seus olhos,sua testa se franzia mais e mais.No final da leitura seu rosto não podia estar pior.No que tinha se metido?


  Segurando o pergaminho nas mãos ele sabia quem tinha que falar agora e não seria nada agradável.


  -Potter.


 


-/-


 


  Desde o momento que Hermione sentiu a temperatura gélida do lago entrando pelas suas entranhas,ela teve certeza.


  Ela ia morrer.


  A água entrava sem permissão na sua garganta,nas suas narinas.As criaturas misteriosas continuavam puxando-a para direção contrária de Hogwarts.E ela não podia fazer nada a respeito.Seus movimentos debaixo d'água eram lentos e desconexos,enquanto as criaturas tinham uma força sobrenatural.


  Pareciam querer leva-la para algum lugar mas Hermione tinha certeza que não agüentaria sem oxigênio até chegar a superfície outra vez.


  A escuridão finalmente veio deixando a garota entregue ao vazio da inconsciência e dos longos dedos das estranhas criaturas.


 


-/-


 


  Alvo Dumbledore saía do castelo provocando assombro dos estudantes que jantavam no Grande Salão e que o seguiram sem discrição.


  McGonagall andava ao seu lado,mais calma do que estivera desde que recebera a notícia.Draco Malfoy seguiu o diretor com os olhos já sabendo o que este faria.


  E então da mesma forma do Torneio Tribruxo,Dumbledore conversou por alguns minutos com o líder dos sereianos em frente ao lago.


  Quando finalmente se deu por vencido cumprimetou o líder que voltou para as profundezas com seus companheiros.


  -Onde estão os amigos da Srta. Granger? - ele pergunto com a expressão carregada.


  -Não achei seguro trazer a Srta. Weasley para perto do lago então a deixei com o irmão e o Sr.Potter na Ala Hospitalar.


  -Teremos que ter uma conversa com eles - Dumbledore informou passando  com seu sorriso cintilante pelos estudantes assombrados.


  Na Ala Hospitalar os nervos dos garotos não ajudavam e quando o diretor chegou trazendo notícias,eles se esforçaram para ouvirem quietos.


  -Minerva me relatou do acontecido e decidi trocar algumas palavras com o líder dos sereianos.Ele admitiu que essas criaturas realmente estavam circulando pelo lago durante hoje e saíram levando uma humana.


  -Hermione - completou Gina.


  -Exato,Srta.Weasley.E para nossa desvantagem,não há nenhum registro anterior referente a esse tipo de criatura.


  -Então é isso,estamos sem pista nenhuma? - perguntou Harry irritado.


  -Se acalme,Harry.Sugiro que você e seus amigos descansem pois já é tarde e enquanto isso,acionaremos os aurores.


  Aquilo não tranqüilizou ninguém mas decidiram não entrar em uma discussão.Gina teve que ficar a noite na Ala Hospitalar sob observação e enquanto Harry e Ron voltavam para seus salões comunais sem notarem no par de olhos azuis acizentados que os observavam.


 


-/-


 


  Domingo amanheceu ensolarado contrariando o estado de espirito de Harry que no ímpeto saiu,sem acordar Ron,em direção a biblioteca.


  No terceiro volume de livro que fechara sem nenhuma informação adicional se surpreendeu com a presença de Malfoy sentando na sua frente.


  -Achei que estaria aqui -o loiro comentou e Harry fechou a cara.


  -E se foi assim,o que está fazendo aqui também,Malfoy?Não estou com o meu melhor humor.


  -Eu sei mas hoje você precisa de mim.


  Harry se levantou,concluindo que não acharia nada de bom ali.


  -Não tenho tempo para seus jogos,Malfoy.


  -Eu sei que criaturas são aquelas que levaram a Granger ontem.


  Aquilo parou Harry no ato que mirou o sonserino desconfiado.


  -E por que eu deveria acreditar em você?


  -Porque você não tem mais ninguém para acreditar.Ninguém que saiba o que eu sei - explicou Malfoy sorrindo pressunçosamente. 


  -Nem Dumbledore sabia daquelas criaturas,como você saberia?


  -Não questione os meus meios.


  -Eu questiono o que eu quiser,obrigado - Harry retrucou se levantado irritado - ótimo,supondo que você não esteja mentindo,por que me ajudaria?


  Malfoy fez cara de desapontamento enquanto se levantava também mas respondeu.


  -Porque eu não quero que aconteça nada com a Granger.


  Naquele momento Malfoy esperava muitas reações de Harry.Que duvidasse.Que risse da sua cara.Que fosse embora sem olhar para trás.


  Nada,no entanto,o preparou para o que o Escolhido fez a seguir:


   Partiu para cima dele.


 


-/-


 


  Uma petulante gota de água caía irritantemente em sua testa fazendo com que a garota acordasse,surpresa e grata por estar viva.


  Ela abriu os olhos com medo do que encontraria e foi recebida pela visão de mármore frio.Para sua alegria,não estava amarrada e pôde caminhar pelo que ela deduziu ser uma gruta escura iluminada pelo reflexo de fora.Um reflexo escuro e agitado.


  Ao chegar na ponta da gruta,gritou com o que viu do lado de fora.


 


-/-


 


  -Eu estou muito decepcionada,com os dois.


  Harry e Malfoy estavam sentados lado a lado na sala de McGonagall que estava sentada os encarando de forma reprovadora.


  Snape estava do lado da professora com os lábios franzidos.


  -Com o comportamento de vocês não me resta escolha senão aplicar uma detenção.Hoje,depois do jantar.


  Harry bufou,inconformado.


  -Algum problema,Sr. Potter? - perguntou Snape numa tentativa óbvia de tirar mais pontos da Grifinória.


  McGonagall partiu em defesa de Harry.


  -Acho que já se meteram em confusão suficiente por hoje.Estão liberados.


  Sem um segundo pedido os dois saíram rapidamente da sala e antes que Harry pudesse ir para a Torre da Grifinória, Malfoy falou.


  -Você sabe que eu sou o único que pode ajudar a sua amiga.Mas você não quer ouvir porque não passa de um imbecil.


  Harry se voltou para o loiro com o intuito de avançar neste de novo,não se importando muito em quantos pontos aquilo iria custar para sua Casa.


  -Escuta aqui,Malfoy.Você não é ninguém para me julgar,entendeu?


  -E por quê,Potter?Por que você é o Escolhido e tem que ter palavra final em tudo?


  -Não,Malfoy.Porque não tenho palavra nenhuma a trocar com você - explicou Harry impaciente fazendo menção de sair.


  -Mesmo que isso vá prejudicar Hermione? - perguntou o sonserino despertando o interesse do outro.


  -Não a chame pelo nome,vocês não têm nenhum tipo de intimidade.


  -Isso é questionável - replicou o loiro com um sorriso sacana - e ela não está aqui para discutir esse assunto,está?


  Harry passou a mão pelos cabelos incorrigíveis cansado demais para uma nova discussão.


  -Você tem 5 minutos.Nada mais.


 


-/-


 


  Hermione encarava o fundo do lago com uma expressão resignada no rosto.


  Estava perdida.


  Uma barreira invisível e intransponível estava a poucos centímetros de si.


  Quem quer que tivesse sido o responsável pelo seu seqüestro,havia pensado em tudo.Ela nunca havia deixado Hogwarts,aquele era o lago negro.Ou pelo menos,o fundo dele.


  Hermione via os sereianos,a Lula Gigante num pedido mudo mas nenhuma criatura olhava para lá.Era como se ela fosse invisível.


  -Que bom que finalmente acordou,Sangue-Ruim.


  Ela gelou ao reconhecer aquela voz e se virou apreensiva sabendo o que encontraria.


  -Você aqui?


 


-/-


 


  -Então deixa eu ver se eu entendi direito.Essas criaturas,esses Bluedylows a capturaram de propósito? - perguntou Harry andando em círculos.


  -Acho que foi isso que eu disse - respondeu Malfoy ironicamente.


  O moreno ignorou a provocação.


  -Mas quem faria isso com ela?


  -Pense um pouco,Potter.Não é tão difícil - Malfoy resmungou revirando os olhos.


  Para ele,aquilo era uma perda de tempo.Potter nunca ia acreditar em uma palavra que ele dissesse,já era surpresa o suficiente de ter conseguido chegar até aquele ponto.


  -Espera aí,se ela foi seqüestrada por quem eu penso que foi,então por que você está me ajudando?


  -A sua mania de perseguição realmente me fascina, mas não vê que enquanto está aqui me acusando,eles podem estar fazendo qualquer coisa com ela? - disse Malfoy num tom de tédio calculado.


  -É uma armadilha,não é?Tudo isso,eles a levando,você me falando isso.Tudo foi planejado - Harry disse erguendo a varinha para Malfoy que sorriu debochado.


  -Certo,você vai me azarar?Ideia brilhante,Potter.Não me admira que a Granger seja a única que pensa entre  vocês,talvez seja por isso que tenha sido a primeira a ser levada.


  -A primeira?Vão ter outros então?


  -Eu não sei,Potter - disse Malfoy frustrado - a única coisa que eu sei é que a cada segundo que estamos perdendo aqui,ela pode estar sendo torturada!


  -E por que isso seria da sua conta?Que eu saiba,vocês se odeiam! - gritou Harry abaixando a varinha mas mantendo uma distância do sonserino. 


  -Você sabe muito pouco - retrucou Malfoy agora rodando em círculos numa disputa de olhares com Harry.


  -E você sabe demais para quem não está envolvido.


  -Eu conheço essas criaturas e seus esconderijos,mas porque esse tipo de conhecimento é passado na minha família.E eu não tenho que ficar aqui convencendo um idiota como você.


  -Isso é bom porque está fazendo um ótimo trabalho - Harry ironizou.


  -Foda-se!Se você vai ficar aí fazendo interrogatórios inúteis,ótimo.Mas eu  não vou ficar aqui parado.


  Ele saiu da sala furioso com Harry em seu encalço.


  -Você deve estar maluco se acha que vou deixa-lo ir até ela.Eu não confio em você,Malfoy.


  -Mesmo? - foi a vez de Malfoy ser irônico.


  Em nenhum momento ele parou de andar em direção ao lago com um peso na consciência.Ele não devia estar fazendo isso.


  -Você não está entendendo,Malfoy.Eu não vou permitir isso.Me diga o caminho que eu vou até lá.


  -Achei que tivesse muito preocupado com a possibilidade de ser uma armadilha - comentou o loiro andando decidido para os terrenos recebendo os olhares assombrados de estudantes ao ver a improvável dupla junta.


  Também houveram os costumeiros olhares maliciosos das garotas mas uma vez na vida,Malfoy não estava dando atenção ao próprio ego.


  Harry nunca foi de nota-los e não começaria agora que estava tão preocupado com Hermione.


  -Mesmo que fosse uma armadilha,eu iria - ele retrucou ofendido.


  -Acontece que por mais que eu quisesse me livrar desse peso você nunca acharia o lugar de acordo com meia dúzia de instruções - Malfoy mentiu,sabendo que o pai não ia gostar nada daquilo.


  Quando a margem do Lago Negro entrou no campo de visão dos garotos,eles viram uma equipe de aurores ao redor do lago patrulhando.


  Era quase como se já soubesse o que eles iam fazer.


  -Merda.


  Eles falaram em uníssono e se encaram trocando um olhar cheio de estranheza.


  Harry franziu a testa pensando em alguma solução rápida enquanto Malfoy chutava o grama contrariado.


  Até que uma ideia tão óbvia chegou ao moreno fazendo com que ele se perguntasse como não pensara naquilo antes.


  -A capa.


 


-/-


 


  -Sim,quem você esperava?


  Rabicho sorriu para a menina de uma maneira que embrulhou seu estômago.


  -É engraçado como as coisas mudam.Há 3 anos eu precisei da sua ajuda,Sangue-Ruim e você a negou.


  Os olhos do homem não transmitiam nada além de um desejo cru de vingança.


  Hermione,completamente impotente sem a sua varinha que jazia no lado do homem se encostou na barreira intransponível.


  -Você traiu os pais do Harry quando eles mais confiaram em você,mais precisaram de você - ela disse lentamente evitando fazer algum movimento brusco.


  Rabicho balançou a cabeça erguendo a varinha de forma ameaçadora.


  -Eu era fiel a Tiago mas você,garota idiota,não tem ideia dos métodos do Lorde.Eu não tive escolha.


  -Você sempre tem escolha - disse Hermione incapaz de se mover - Harry escolheu não mata-lo 3 anos atrás.E como você retribuiu?Voltou para..


  -VOCÊ NÃO ENTENDE!SUA..


  Rabicho estava exaltado com os olhos alucinados em direção a garota que tentou a última cartada.


  -Agora é sua chance de retribuir.Por não ter guardado o segredo do seu melhor amigo.Por não fazer nada para impedir a morte de Sirius.Por tudo.


  Rabicho balançou a cabeça.


  -Você é igual a mim,fala tanto de lealdade mas no final se preocupa com a própria pele.


  -Não - ela negou rapidamente,o que percebeu com alguns segundos de atraso,talvez não tenha sido a coisa mais inteligente a fazer.Ela voltou a falar num tom calmo - eu sei que a única razão de eu estar aqui é atrair o Harry.


  -Mais uma vez acertou a resposta, Sangue-Ruim.


  -Você não me libertará por mim,porque eu estou pedindo.Mas por causa de Harry.Ele salvou a sua vida.Impediu que Sirius e Remo o matassem.Está na hora de retribuir o favor.


  A segurança na voz de Hermione foi abalada com a repentina gargalhada de Rabicho que usava para camuflar seu nervosismo.


  -Eu sou fiel,Sabe-tudo.Mas ao meu Lord,meu Mestre - ele disse olhando grato para seu braço de metal - ele sabe valorizar o que faço.Além disso,o que vocês têm a me oferecer?Podem me dar proteção?Te garanto que iria precisar.. - ele bufou repetindo- O que podem me oferecer?


  -Consciência limpa - ela falou e,tendo plena consciência de como aquilo devia soar insuficiente para Rabicho, completou - e é claro que iríamos protege-lo.


  Rabicho deu uma risada seca.


  -Como?Se nem conseguem se proteger?


  Depois daquilo,Hermione ficou sem resposta.


 


-/-


 


  -Onde está? - perguntou Malfoy rapidamente entendendo Harry.


  -No meu quarto,eu vou..


  Ele ia correr para a Torre da Grifinória quando viu Gina sair pelo corredor que dava da Ala Hospitalar para o salão comunal.E Harry lembrou que não queria perder mais tempo explicando tudo a Ron ainda com risco do amigo querer ir junto,o que seria impossível dada as circunstâncias.


  -Gina!


  Ele a chamou, a garota se virou e pelo seu rosto não estava particularmente feliz em vê-lo.Ela olhou desconfiada para Malfoy ao lado de Harry.


  -O que é?


  -Eu preciso de um favor seu.


  Gina o encarou sem acreditar no que tinha ouvido.


  -E por que eu faria algo para você?


  Malfoy ergueu a sobrancelha,alheio ao motivo da raiva da ruiva e surpreso com a reação dela.Ainda mais direcionada ao Eleito.


  -Porque vai ajudar Hermione,aonde quer que ela esteja.


  Aquelas palavras foram suficientes para que Gina ouvisse com atenção às instruções de Harry em pegar a capa tomando o cuidado de não ser vista pelo irmão e depois saísse andando rapidamente.


  Agradecendo internamente aos Fundadores de Hogwarts e à confiança cega que depositam nas meninas para entrarem nos dormitórios masculinos, Harry se virou para Malfoy que sorria divertido.


  -Andou fazendo merda,hein Potter?


  -Cala a boca,Malfoy.


 


-/-


 


  -É realmente admirável o seu esforço para defender o Potter.Pena que inútil.


  Rabicho ainda empunhava a varinha,o que não a tranqüilizava nem um pouco.


  Mas aquela última frase despertou a sua raiva,fervendo seu sangue e se alojando em suas entranhas.


  Ela sabia que aquela raiva não era causada por Rabicho,mas pelo seu remorso.Da última vez que falara com Harry,não tinha sido o exemplo perfeito de amiga.


  Talvez devesse ter considerado o pedido do garoto.Talvez devesse dar uma chance.Era melhor que ver a decepção nos olhos dele.


  Hermione encarou Rabicho com raiva.Naquele momento ele representava tudo que ela mais odiava.


  -Pelo menos eu tentei.Isso é bem mais que posso dizer de você.


  Ela tinha ido longe demais.E sabia disso.


  Rabicho ergueu a varinha decidido.


  -Crucio.


 


-/-  


 


  Pouco tempo depois Gina voltou descendo apressada as escadas com a capa de Harry nas mãos.


  O garoto suspirou aliviado,a imaginação lhe pregava peças com vívidas imagens de Ron correndo atrás dele exigindo explicações.


  Mas agora com a garota na sua frente,aquilo parecia alucinação.


  -Obrigado - ele disse subitamente nervoso.


  Era disso que ele falara com Hermione sobre Gina.Havia aqueles momentos que ele sentia que os dois podiam ser alguma coisa.Toda aquela proteção que tinha com a menina tinha que ser justificável.


  Mas então tinha Ron.Ele não estava pronto para arriscar a amizade por causa de algo que nem sabia definir.


  E o que quer que fosse,foi quebrado pela voz seca dela entregando-lhe a capa.


  -Boa sorte, - ela desviou os olhos para Malfoy que estava ao seu lado com ao mãos no bolso e acrescentou - vai precisar.


  O loiro deu um sorriso debochado.


  -É sério,podem falar.Vocês combinam isso,né?Esses olhares desconfiados,essas respostas hostis - ele pôs a mão no peito de forma afetada - assim vocês quebram meu coração.


  -Não sabia que você tinha um - ela respondeu friamente.


  -Mamãe diz que sou uma caixa de surpresa - ele ironizou ainda mais se divertindo com a reação irada da garota.


  Harry,que já via Gina avançando em Malfoy resolveu acabar com aquilo.


  -Nós temos que ir - ele anunciou pensando numa maneira discreta de desaparecer com Malfoy debaixo da capa.


  -Você tem certeza disso? -Gina perguntou - não que eu esteja preocupada mas...


  -Gina.


  Ela parou e o encarou.


  -Você sabe que eu nunca deixaria você ir junto - ele falou sério já sabendo onde ela queria chegar.


  -Eu não ia dizer isso.


  -Certo - Harry replicou cético - é bom mesmo.


  Gina estreitou os olhos.


  -Por quê?Por que eu não teria capacidade de me defender lá embaixo?


  -Não é isso,eu.. - Harry tentou se explicar mas foi interrompido por Malfoy.


  -E você não teria mesmo,Weasley-fêmea.A vida real é bem diferente daquelas reuniões que vocês faziam.


  Agora os olhos de Gina eram fendas de tanta raiva que a garota sentia.Ela lhe sorriu com falsa meiguice.


  -Talvez eu deva levar suas palavras à sério.Afinal,são palavras de um Comensal.


   Gina se virou andando de cabeça erguida para o Grande Salão enquanto Malfoy revirava os olhos.


  -Garota encantadora - ironizou.


  -Ela tem seus momentos - Harry disse antes de checar se a área estava limpa e cobrir os dois com a capa.


  Nada mais foi dito até eles pararem em frente ao lago.Harry não tinha a mínima vontade de discutir sobre Gina com o loiro.Ou sobre nenhum outro assunto.


  -Vê se para de pisar no meu pé,Potter.Eu já sabia que você não sabia dançar mas isso já é demais.


  -Cala a boca,Malfoy.Estou tentando me lembrar do feitiço - Harry sussurrou de volta.


  Os dois tinham tido o cuidado de se manterem o mais longe possível dos aurores para evitar uma colisão.


  -Que feitiço?


  -O de respirar de baixo d'água ou você tem esse poder especial e eu não sabia?


  -Cala a boca,Potter.


 


-/-


 


  Dos fios de cabelo até as fissuras dos dedos do pé trincados,dor era a única sensação permitida para o corpo de Hermione.


  Ela nunca saberia dizer quanto tempo estava naquele estado terrível de transe.


  Mas sabia que não agüentaria por muito mais tempo.


  Rabicho,ao contrário de Bellatrix e outros Comensais,não tinha prazer em usar a Maldição.Não era divertido para ele.


  Gostava do poder e da proteção que Voldemort o proporcionava.Ele não entrara no círculo de Comensais para ferir outras pessoas,este não era seu ofício.


  Mas Hermione o provocara e agora teria de pagar.


  O corpo da garota se afundou no chão preso em espamos.Ela comprimia os lábios para não gritar.


  Não daria esse gostinho à ele,nem a ninguém.


  Então como o mais precioso milagre,aquela sensação terrível cessou e ela pode respirar sem sentir sem pulmão bombar dolorosamente.


  Havia um gosto metálico em sua boca, provavelmente sangue do esforço de não gritar.


  -E onde está o famoso Harry Potter para ajudá-la?Logo você que fala tanto de amizade vai ser abandonada pelos seus?


  Hermione fechou os olhos tentando se desligar da voz de Rabicho.


  Aquela era a segunda tortura.A pior.A psicológica.


 


-/-


 


  Harry e Malfoy nadavam nas profundeza do lago,munidos do feitiço "cabeça-de-bolha".


  O sonserino ia na frente e Harry ia atrás em ritmo frenético,por vezes ultrapassando o próprio Malfoy que reclamava fazendo esforço para lembrar do caminho sob pressão.


  Saber que Hermione podia estar sendo torturada o deixava maluco.Se fosse Lucius que tivesse lá,as coisas ficariam muito complicadas para ele.


  Assim que Harry e Malfoy tiraram a capa para mergulharem no lago uma dúzia de aurores correram para alcança-los mas eles já estavam nas profundezas nadando o mais rápido que suas pernas treinadas de Quadribol permitiam.


  Reconhecendo a rachadura familiar na parede do lago ele foi se aproximando cada vez mais.


  E então estancou,preso na cena mais perturbadora que já presenciara.


 


-/-


 


  -Ele não vai nem se dar o trabalho de vir salva-la - Rabicho falava e Hermione tapava os ouvidos tentando não ouvir nada daquilo em vão.


  -Por que ele se daria o trabalho de vir aqui?


  Hermione finalmente explodiu de fúria.


  -Porque ele não é você!Porque ele é leal!E porque ele é mais homem do que você jamais vai ser!


  Ela empalidecera ao percebera o que dissera.


  Rabicho a fuzilava com o olhar.


  -Você me julga tanto pelo que eu fiz mas é porque você não sentiu na pele.É justamente disso que você precisa.


  "Crucio."


  A dor veio ainda mais forte,lacinante que parecia dilacerar tudo dentro dela. Entrando por suas entranhas e destruindo suas forças.Hermione nunca mais seria a mesma.


  -Agora,diga.Um segredo de Harry Potter - ele se ajoelhou ao seu lado - diga.DIGA!


  -Não - a voz fraca de Hermione foi a última coisa que ela disse antes do seu corpo ser surpreendido por convulsões causadas pela sucessão de Maldições Cruciatus.


 


-/-


 


  -Nós temos que tira-la daqui.


  Harry disse assistindo Rabicho se abaixar sob o corpo trêmulo de Hermione e falar algo que eles não puderam entender puxando seu cabelo com violência.


  A barreira era invisível,de forma que eles podiam enxergar tudo através dela mas não podiam escutar nem transpassa-la.


  Malfoy sacou a varinha,desesperado por fazer algo.


  Harry gritou ao seu lado e ao olhar para o lado Malfoy viu dois Bluedylows puxando o moreno para baixo.


  Se odiando pelo que ia fazer,mirou nas criaturas dizendo.


  -Relaxo!


  Os outros Bluedylows se afastaram assustados.


  -Você ta legal? - ele perguntou para Harry que respondeu:


  -Estou,valeu.Sabe como entrar?


  -Não,deve ser um feitiço especial - que meu pai não me avisou,Malfoy acrescentou mentalmente.


  -Bom,então nos resta uma coisa a fazer.Escute,eu não sei o quanto está encrencado por estar aqui mas quero aliviar a sua barra - explicou Harry encarando Malfoy seriamente - quando eu lançar o feitiço,você vai pegar Hermione e leva-la para a superfície o mais rápido possível.Eu cuido de Rabicho.


  Sem ideia do que Harry estava prestes a fazer mas desesperado em tirar Hermione de lá,Malfoy concordou com a cabeça.


  Harry respirou fundo e ergueu a varinha.


  - BOMBARDA!


  A barreira explodiu e água engoliu a gruta.Antes de ser atingido pela força da água,Rabicho conseguiu ver uma única pessoa.


  Malfoy.


  Seu lamento de surpresa nunca saiu Hermione foi sugada para dentro da gruta já desmaiada.


  Malfoy que também sofreu um pouco da pressão da água abraçou o corpo de Hermione e nadou com a maior velocidade que conseguiu sem checar Harry ou Rabicho.


  Quando já estava vendo a claridade e a fina linha que separa água do ar,algo puxou seus pés.


  Eram os Bluedylows.


  Sem pensar duas vezes ergueu a varinha para eles.


  -Relaxo!


  Eles o libertaram com um guincho assustado.Ele não olhou para baixo para ver que fim tinha os levado.


  Continuou nadando freneticamente sentindo seus músculos ardendo com o esforço excessivo.


  A claridade atingindo seus olhos foi a melhor sensação que podia ter.Carregando com cuidado o corpo frágil de Hermione gritou por ajuda.


  Os aurores embasbacados com aquilo ajudaram os dois a subirem pela margem.Enquanto tentavam reanimar Hermione,Malfoy se virou com urgência para Kingsley,o chefe dos Aurores.


  -O que foi,meu filho?


  -Potter está lá dentro - ele disse ofegante ainda com a cabeça em volta da bolha.


  -O quê? 


  Malfoy perdeu a paciência.


  -Ela vai ficar bem?


  Hermione agora expelia uma quantidade assustadora de água,tossindo sob a grama.


  -Vai - confirmou Thonks sorrindo segurando os ombros da garota.


  Ele não esperou por mais nada e saltou de volta ao lago se sentindo imbecil procurando pelo Santo Potter.


  -O que está fazendo aqui?


  Malfoy se virou surpreso.Harry puxava com visível esforço o corpo de Rabicho.


  -Eu achei que tivesse acontecido.. - ele balançou a cabeça - Hermione está bem.


  -Isso é bom.. - disse Harry quase sem fôlego - ele é pesado,não quer me ajudar?


  Malfoy pegou o outro braço de Rabicho puxando-o para a superfície.


  Antes que a alcançassem,Kingsley havia se jogado na água á procura deles chocando-se com a visão do corpo de Rabicho.


 


-/-


 


  -Mas todos achavam que ele estava morto - Kingsley dizia quando Harry e Malfoy,livres do feitiço cabeça-de-bolha escutavam parados no meio da Ala Hospitalar ansiosos por mais notícias de Hermione e Rabicho.


  -Muitos achavam - comentou Harry decidido - mas pelo menos agora podemos limpar o nome de Sirius.


  Hermione que já estava consciente colocou a mão nas costas de Harry fazendo Malfoy franzir a testa.


  -Ele está orgulhoso,Harry.Onde quer que esteja.


  O moreno trocou um sorriso triste com ela antes de se levantar para prestar uma série de depoimentos para outros aurores.


  Malfoy se sentou na cama dela sem saber o que esperar.Desde que Madame Promfrey passara por ali dando-lhes um potente revigorante com a ordem de que não fizessem movimentos bruscos por algum tempo,o ar parecia mais denso e se não fosse a presença dos aurores,o clima de tensão aumentaria.


  Hermione ainda abalada com a tortura mas tentando não transparecer nenhuma fraqueza o encarou duramente.


  -Por que me salvou Malfoy ?


  -Eu não sei,Granger - ele disse mais friamente do que devia soar - o que você quer ouvir?


  Ele sabia que agora era a hora que devia ser compreensivo e talvez oferecer o ombro a ela.


  Mas ele não era assim.Devia ser tudo o que não era para que a missão desse certo.Mas estava cansado de fingir.


  -A verdade.


  Ele se levantou bufando.


  -Isso eu não posso te dar - ele disse com uma sinceridade que a assustou.


  -Eu quero a verdade,Malfoy.Esse é o mínimo que pode fazer.


  -O mínimo? - ele se levantou erguendo a sobrancelha - eu te salvei,garota.Por que não pode simplesmente aceitar isso?


  -Porque como você me lembrou semana passada,você é um Malfoy.Que nunca pareceu se importar se eu estava viva.


  -Isso mudou agora.


  -Ah,é?Até quando?


  Malfoy a encarou aborrecido.


  -Eu não sei,Granger.Até eu quiser.Eu não sou que nem o Santo Potter que sai salvando todos como defensor dos oprimidos.


  -Não bote o Harry na história - ela retrucou aumentando o volume de voz.


  -Então não me questione - Malfoy mandou autoritário.


  -Eu questiono quem eu quiser,obrigada - disse Hermione e ele franziu a testa lembrando imediatamente de Harry mais cedo.


  Aquilo o frustou ainda mais.


  -Então espero que goste de ficar sem respostas.


  -Acho que está na hora de você ir,Malfoy - Harry o encarou na defensiva.Os dois não percebiam mas estavam praticamente gritando no meio da Ala Hospitalar.


  O loiro estava prestes a responder quando Madame Promfrey soltou um guincho assustado.


  Todos a encararam,curiosos.


  Ela levava a mão a boca presa numa expressão de incredulidade.Olhava fixamente para a cama que Rabicho jazia deitado.


  -Ele está morto.


 


-/-


 


  "Draco,


 


       Tudo aqui deve ser seguido a risca, qualquer falha no plano poderá ser um caminho sem volta para os Malfoys.


        Caso tenha se esquecido,está incluso nesse grupo.


 


   A instrução é simples:Convença Potter à ir no esconderijo e salvar a Granger.


 


 Regras:


 


1.Ele deverá ir sozinho,você só lhe dirá o local.


 


2.Em hipótese nenhuma vá com ele.Em hipótese nenhuma,mergulhe no Lago para procurar a Sangue-Ruim.


 


3.Caso veja algum Bluedylows NÃO o azare.Ele tomará isso como ofensa e deixará de ser nosso aliado.Lembre-se eles sabem reconhecer o sangue Malfoy.


 


4.Caso veja algum Comensal,em hipótese nenhuma o azare ou o machuque de alguma maneira.


 


5.Não permita que nenhum Comensal seja pego por alguma autoridade.


 


     Espero não me arrepender disso.


 


                Boa sorte,


 


                           Lucius Malfoy. "


 


N/A:Oii gente!!!Como vão?


 


Nossa,o Malfoy segue tudo que o pai manda hein?


 


HAHAHA


 


Ah,outra coisa.Fica meio óbvio que seria muito mais seguro para o Rabicho e a Hermione se Harry e Draco tivessem usado o "cabeça-de-bolha" mas como eles já estavam debaixo d'água não tinha como.


Só para esclarecer.


 


Algumas perguntas para te deixarem curiosas...


 


No próximo capítulo...


 


*O que aconteceu com Rabicho de verdade?


 


*Quais serão as consequências para o Draco Lindo por ter desobedecido o pai?


 


*Qual foi o verdadeiro motivo do seqüestro de Hermione?


 


*Que contrato os Bluedylows têm com Voldemort?E que relação eles têm com o sangue Malfoy?


 


+Vai rolar beijo!De quem???


 


E aí ficaram curiosas?Espero que sim!


 


Demorei um pouco para esse capítulo porque no final empaquei.Fiz 3 diálogos entre a Hermione e o Draco mas os 2 primeiros eles estavam muito despreocupados e não acho que a Mione ia sair confiando numa pessoa cegamente assim.


E também o que saiu foi um Draco muito Harry.


Aí acabou vindo essa mini discussão.


Enfim.


 


Respondendo aos coments!!!


 


*Miss Perfection:Pois é,sempre sobra para a mulher da família Malfoy.Nem vou comentar muito sobre a Narcisa que vem coisa por aí.


Não sei se a Hermione o ajudaria,ela ainda não confia nele.Deu para notar nesse capítulo,né?


A Gina é meio geniosa né mas ela ta amadurecendo,coitada.Te garanto que ela vai ficar bem melhor.Mas ela ainda vai sofrer.


Brigada por comentar aqui,viu?:)


 


*Gabi.granger:ahh brigada pelo estímulo para continuar,espero que tenha gostado do capítulo!E agora tem essa capa linda para aguçar ainda mais a imaginação.Hahahah beijo!


 


*Mariana Potter Malfoy:que bom vc ta gostando da fic!Demorei para postar mas veio um capítulo maior que aliás é isso que vai acontecer mais e mais.beijo!


 


*Landa MS:eu sempre te vejo em fic de dramione que eu acompanho então adorei receber coments seus!


Pois é,tem sempre algum prego pra atrapalhar e tadinho,é sempre o Rony.hahaha aquele negócio do pode/não pode me inspirei numa amiga que é assim.É,o Malfoy não aceitou muito bem ela com o Harry.Mas ele é otário e ainda não fez nada a respeito.


Espero que esteja gostando!beijo!


 


GENTE vi a capa hoje e AMEII ela,o que acharam dela?Tem muito haver com a fic mesmo,a Nina é um gênio!


 


Se gostaram ou querem comentar sobre algo,já sabem o que fazer!


 


É isso galera,


 


FUI!


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 


 



 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Victorie Granger em 26/09/2011

Ah, to adoraaando a fic *--*
Posta maaais, mais, mais, por favor!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Miss Perfection em 22/09/2011

Bem que voldemort podia se apaixonar de verdade por alguém e acabar por se reabilitar na sociedade...

Eu ainda acho que se o Draco explicasse o que está acontecendo com ele pra Mione, ela iria ajudar ele,pois mesmo não acreditando nele ela acredita na mudança das pessoas ainda mais agora que ele a salvou ^^

Odeio a Gina e isso nunca vai mudar ^^  se eu pudesse entrava na estoria e matava ela . ><

amando imensamente sua fanfic...

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.