FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

7. Mal feito feito mal feito


Fic: Além dos livros FW-HG Long


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo 7


 


 


 


Hermione acordou feliz. O coração tranquilo. Viu que Eric preparava o café, o rosto implorando por desculpas. Andando pela casa apenas com suas calças do pijama. Ele era terrivelmente sedutor. E ela se sentia atraída por ele. Mas, era apenas isso. Atração. Eric mexia com sua cabeça, com seu corpo e passava paz.


 


- Saiu ontem? – ele perguntou servindo um copo de suco de laranja para ela.


 


- Uma festa na Toca. Reunião de ex-estudantes da Grifinória, nossa casa em Hogwarts.


 


- Foi bom? – ele tornou a perguntar. A resposta dela foi um sorriso radiante. Queria gritar para o mundo que havia beijado Fred. Frederick Weasley. Seu Fred. E, ao mesmo tempo, queria guardar isso para si. Decidiu que Eric não era a melhor pessoa para compartilhar. Queria contar para Gina. E Verity.


 


- Sim. Fazia tempo que não via muitos deles – Hermione não gostava de mentir, mas mentia bem. Porque ninguém duvidava de suas palavras. Ela ficou a festa toda conversando com Fred. Nem ficara muito tempo. Não se importava realmente.


 


- Será que posso preparar aquele jantar hoje?


 


Será? Ela não sabia. E se Fred tivesse planos? Ela não iria mais trocar a companhia do ruivo por Eric, por mais... desejável e sensual que o moreno fosse. Não agora que Fred a havia beijado de maneira tão.... tão... tão o quê?


 


- Hermione? – a voz dele a trouxe para a realidade.


 


- Eu não sei. Posso responder mais tarde?


 


Ele deu a volta no balcão. Hermione virou-se na cadeira para acompanhar o movimento do espanhol e viu que ele estava muito próximo. Por Merlin... Isso não podia acontecer.


 


- Hermione... és muy hermosa... Mi Hermosa – a mão dele descendo do ombro até os dedos dela – Claro que pode responder mais tarde... Só que se lembre, será uma noite... inesquecível – a última dita num mero sussurro ao seu ouvido.


 


***


Ela trancou-se em seu quarto. Trancada. Queria, inclusive, jogar a chave fora. Lançar um feitiço e não sair mais até que Eric fosse embora. Ouviu-o batendo e dizendo que sairia para comprar algumas coisas. Hermione aproveitou para sair de casa também.


 


Aparatou no Beco Diagonal e foi direto para Gemialidades Weasley. Foi até a porta lateral que dava entrada para o apartamento dos gêmeos. Tocou a campainha e esperou.


 


Era George.


 


- Olá, Hermione... O que achou de nossa noite de ontem? – ele perguntou de forma sedutora e fingida. A garota riu. Ela encarou o ruivo e aproximou-se dele. A mão foi de encontro ao peito. George ficou imediatamente rígido. Ela fez alguns traçados invisíveis, aproximou-se e ficou na ponta do pé.


 


- A noite de ontem? – o tom era sedutor e George ficou ainda mais nervoso. Não era para isso acontecer – Que tal você refrescar minha memória?


 


- Eu... ahn...


 


-Só que eu acho que Angelina não vai gostar nada disso, não é, George???


 


- Puta merda, Hermione! Você realmente me assustou! – ela riu da expressão dele – Entre. Ele está quarto, lendo jornal... Eu vou dar uma saída, ainda mais depois dessa... E ainda dizem que você não tem senso de humor...


 


Ela não queria bater na porta do quarto dele. Os dois sozinhos... a noite anterior já tinha dado uma prévia de como as coisas poderiam terminar e ela não queria se apressar. Antes que desse mais alguns passos, a porta do quarto dele abriu e Fred saiu vestindo apenas uma cueca samba canção.


 


Hermione apoiou no encosto do sofá. Ele tinha os cabelos úmidos, como se tivesse saído há pouco do banho. Estava descalço. O peito nu e com alguns pelos claros. Era um corpo bem definido. Definitivamente. Ela mordeu o lábio inferior.


 


- Oi, Mione – ele falou sem graça – Só um instante, vou me trocar – Hermione lutou contra a vontade de pedir que ele ficasse daquele jeito mesmo, ela não se incomodava nem um pouco. Fred reapareceu minutos depois completamente vestido, para tristeza de Hermione – Tudo bem? O que faz por aqui?


 


- Apenas saber como estava e se... bem... se quer fazer alguma coisa hoje.


 


- Hoje? – Fred disfarçou o pânico que o tomou. Nunca tinha se sentido tão bem como se sentiu quando beijou Hermione, mas as coisas estavam indo rápido demais... Eles haviam apenas se beijado. Ela queria sair de novo e ele precisava de um tempo para organizar as ideias na cabeça.


 


- Sim, um bar ou um jantar... – ela falou. A segurança já falhando ao perceber que ele titubeara em aceitar seu convite.


 


- É que hoje pensei em sair com Lee – ele falou rapidamente, encarou o chão ao ver o olhar decepcionado dela.


 


- Ah ta... – momento sem graça, o silêncio incômodo e pesado. Hermione sentiu que ele havia se arrependido, apenas um beijo e nada mais... nada rolara, então... – Certo, não vou mais atrapalhar. Vou... voltar para casa...


 


- Hermione... – Fred não sabia o que dizer. Hermione ficou esperando. Esperou que ele dissesse que desmarcaria com Lee – Sinto muito, mas...


 


- Não precisa explicar, Fred – ela sorriu fingidamente e ele percebeu – depois nos falamos, então - Sem dar tempo para que ele falasse mais alguma coisa que a machucasse ainda mais, aparatou.


 


- Seu idiota, imbecil, babaca! – xingou-se a si mesmo, quase arrancando seus cabelos. Ouviu um pop e pensou que Hermione pudesse ter reaparecido, mas era Rony. Sua fisionomia mudou.


 


- Acho que devemos conversar. – Fred assentiu e fez um gesto para que o seu irmão senta-se no sofá. Ele ficou mais afastado – Qual é a sua com a Hermione? E nem pense em negar! Eu vejo as coisas apesar das pessoas acharem que sou um idiota.


 


- Hermione não acha isso de você – ele falou, o tom amargurado em suas palavras – Mesmo que você a tenha abandonado.


 


- Aquela época foi uma loucura, Fred. Apesar dela e Harry terem me perdoado, eu nunca pude. E não preciso que você fique lembrando a merda que fiz anos atrás.


 


- Você não gosta dela? Não está apaixonado? – ele perguntou.


 


- Já estive. E muito... Só que de alguma forma as coisas tomaram outro rumo. Quando ela estava saindo com Malfoy... – Fred viu seu irmão fechar os punhos com raiva – Foi... foda, mas ela sabia onde estava entrando e não estava apaixonada. Eu vejo a forma como ela olha para você. Sei que Gina e Harry sabem e sei que ela não me conta por causa do meu temperamento. Não brinque com os sentimentos dela, Fred. Hermione é... não perca o que eu perdi. – Fred não tinha palavras.


 


- Desculpe por... acusar você daquela forma.


 


- Desculpe pelo soco. Vejo que Hermione te curou – ele sorriu e estendeu a mão para o irmão. O cumprimento virou um abraço fraternal – Cuide dela. Juro que não vai se arrepender.


 


***


- Oi, Eric! – ela falou ao aparatar na sala de sua casa. Ele estava lendo um livro.


 


- Hermosa, pensou sobre meu pedido?


 


- Sim e eu aceito! Você precisa de algo?


 


Ele levantou. O sorriso nos lábios.


 


- Preciso que você relaxe que eu cuido de tudo! Veja um filme, leia um livro... vou pegar uma taça de um excelente vinho espanhol que eu trouxe! – ele saiu da sala voltando um pouco depois – Acho que o vinho cai muito bem com esses chocolates! – Hermione examinou o saco onde eles estavam e não havia o slogan de nenhuma loja.


 


- Que chocolates são esses?


 


- Uma delícia! Não deveria comê-lo depois de bem... Mas são muito saborosos – Eric pegou alguns – Foi Fred quem me deu – antes que ele pudesse coloca-los na boca, Hermione segurou a mão de Eric – Hermosa, tem mais no pacote...


 


- Você está me dizendo que você ganhou e comeu esses chocolates de Fred?


 


- Sim. Qual o problema?


 


- O problema? Eric... Fred e George têm uma loja de logros. Regra número um: Nunca, jamais, sob qualquer hipótese aceite qualquer coisa deles!!!


 


- Você está me dizendo que aquele ruivo, cabeça de cenoura, me deu, propositalmente um doce... para que eu... ficasse mal?


 


- Sim.


 


- Simples assim?


 


- Sim! Simples assim! Estamos falando de Fred Weasley! Eu não acredito que ele fez isso! E foi... ele sabia do jantar!


 


- Ele mexeu com o cara errado – Eric falou com raiva – Onde ele mora? Estou indo lá agora mesmo!


 


- Não, não! – Hermione interrompeu – Sua vingança é minha também. O troco será no mesmo galeão...


 


- Como assim? – ela então contou sobre os sapos de chocolate. Um riso sedutor e maligno nasceu nos lábios do espanhol.


 


***


- Fred, na boa, cara... Você tem merda na cabeça? – o ruivo olhou ofendido para seu amigo – E não adianta olhar assim...


 


- Não fiz nada de mais, apenas optei por sair com um amigo. Você não pôde ir ontem e...


 


- Não sabia que era tão covarde... – Lee falou bebendo seu hidromel.


 


- Covarde? – Fred olhou ainda mais irritado.


 


- Covarde. Você ainda vai perder a Granger. Ontem, ontem você beijou uma garota bonita e inteligente... e divertida. Ela chama você para sair e você sai comigo? Merda na cabeça, cara... Se eu tivesse beijado Hermione e no dia seguinte ela aparece no meu apartamento e me convida para sair eu desmarcaria até um jantar com Merlin!


 


- Estou confuso – Fred falou num suspiro bebendo um gole do seu uísque.


 


- Confuso com o quê? Você já se apaixonou antes, não?


 


- Com ela tudo é diferente... Realmente,... Não sei o que fazer, Lee.


 


- Uma pergunta simples: qual sua vontade agora? Em relação a Hermione.


 


- Mostrar que ela é minha garota. Abraça-la, beija-la,... Estar com ela – Fred falou com um sorriso bobo nos lábios.


 


- Viu? Não tem nada de confuso nisso. Apenas faça isso: abrace-a, beije-a e esteja com ela.


 


- E se não der certo? Ela é amiga da família, amiga de Ron, Gina. Meus pais a consideram uma filha! E se algo der errado? E se terminarmos?


 


- Mas vocês nem começaram a sair e está pensando se terminarem. Não pensa nas coisas boas? Ela não beija bem ou algo parecido? – Lee falou provocando.


 


Fred lembrou-se do beijo. Do sabor dela em seus lábios. Lembrou-se de como a pele dela era macia e de como o corpo dela encaixava no seu. Seu corpo reagiu às lembranças. Sabia que se ela não tivesse interrompido, teria feito amor com ela. Ali mesmo na cama de seu irmão. Teria aparatado com ela para seu apartamento e impediria que ela fosse embora.


 


- Acho que esse sorriso torto responde minha pergunta – Lee falou. Fred sorriu de volta, mas não pôde evitar o rubor em sua face.


 


***


 


Hermione e Eric estavam sentados à mesa. A segunda garrafa de vinho fora aberta.


 


- Imagina minha cara... Porque tudo bem, quero ajudar novos escritores, mas escritores de talento, certo? E o cara aparece com um rot- ele corrigiu-se rapidamente – um esboço de um texto erótico tragicômico terrível!


 


- E você?


 


- Falei que não tinha nada contra contos eróticos, mas que não era a linha da empresa e que ele precisava melhorar o texto. Mas, que eu poderia indica-lo para um conhecido meu.


 


- Boa saída... – ela comentou bebendo mais um gole de vinho.


 


- Mas, para ele não foi o suficiente. Quis explicar que o texto estava bom! E começou a ler e encenar usando os objetos do meu escritório! Almofadas, atiçador da lareira,..


 


- Não precisa dar muitos detalhes! – Hermione interrompeu sorrindo.


 


- Precisei usar magia para leva-lo para fora. Mesmo assim ele continuou falando e tentando encenar enquanto eu o levitava para a rua. – Hermione riu, porém seu riso foi diminuindo ao ver que ele a olhava sério. A cadeira dele puxada para perto da sua. Sentiu os dedos dele enlaçando os seus. O polegar percorrendo superficialmente sua pele. A cadeira um pouco mais próxima. Ela estava parada. O aroma do jantar, do vinho e da pele dele a inebriavam.


- Hermione – Eric falou o dedo brincando com um de seus cachos, os dedos ainda entre os seus – Você é linda, sabia?


 


- Eric... – ela sentiu a boca dele beijando sua mão. A língua percorrendo de forma quente os seus dedos. Não pôde evitar morder o lábio inferior – Eric! – Hermione puxou sua mão percebendo onde o beijo acabaria e com medo de onde o corpo todo dela poderia acabar.


 


- Hermione... Hermosa – o nome dela dito por ele era uma perdição. O sotaque, o sex appeal pedia que ela se entregasse. Mas, havia Fred.


 


- Eu... não posso – Eric franziu o cenho e suspirou pesadamente. A cadeira dele foi para trás. Bebeu um gole de seu vinho.


 


- Por causa daquele ruivo? O que me pregou aquela peça totalmente sem graça? Por causa de Fred Weasley? – apenas assentiu calada. - Ele não sente o que eu sinto, Hermione – ele falou pegando a mão dela dessa vez, mas com cautela.


 


- A gente se conhece há pouco tempo, Eric.


 


- Ele te conhece há quanto tempo? Viu? Não tem a ver com o tempo!


 


- Quando nos conhecemos não passávamos de crianças, Eric. É diferente!


 


- Tenho certeza que não é criança há muito tempo, mi Hermosa...


 


Ela respirou fundo. Hermione precisava respirar fundo, mas isso realmente não ajudava porque era o cheiro dele que ela aspirava.


 


- Eric, melhor eu... melhor encerrarmos a noite por aqui – Hermione falou, levantando-se abruptamente.


 


***


Hermione agradeceu ter aquele dia de domingo apenas para ela, foi pensando nisso que se sentou no sofá e pegou um livro para ler. Precisava deixar os planos de Gina de lado, porque, no fundo, sabia que aquilo era uma insanidade. Precisava se distrair de Eric e sua maldita sensualidade. Precisava esquecer Fred e seu beijo apaixonante, precisava aquietar seu coração, precisava simplesmente... que sua lareira não crepitasse e uma chama verde surgisse:


 


- Hermione?


 


- Fred? Tudo bem? – Fred... Para ele sempre haveria uma exceção.


 


- Sim... Será que posso dar uma passadinha rápida por aí? – Hermione assentiu e permitiu a entrada dele pela lareira – Eric não está?


 


- Passará o dia na casa da irmã – Hermione respondeu. Ele estava em pé, trocando o peso do seu corpo de um lado para o outro. Parecia nervoso e ela percebeu. Continuou sentada, o livro fechado sobre o colo sendo marcado pelo seu indicador – Pode se sentar – ofereceu apontando o outro lado do sofá. Ele hesitou alguns segundos, mas acabou sentando.


 


- Desculpe por ontem – ele falou de forma rápida.


 


- Tudo bem – Hermione fingiu indiferença – Acabei voltando para casa e Eric preparou o jantar que ele não pôde fazer na sexta.


 


Fred encarou o chão, sentindo um frio percorrer seu corpo. Sabia exatamente como se sentia, mas não sabia como agir. Beija-la dois dias antes foi um impulso, que ele pensava em repetir, porém não sabia como. Fred voltou a encara-la. Hermione já havia marcado o livro com um pequeno cartão e tamborilava seus dedos de forma aleatória na capa do livro.


 


O ruivo moveu-se para o lado, aproximando-se.


 


- Às vezes me sinto como Ronald aos 14 anos sem coragem de convida-la para o baile – isso não melhorou a situação, pois Hermione olhou ainda mais irritada.


 


- Você está bem longe dos 14 anos, Fred. – ela levantou-se e ele a seguiu.


 


- Ficou com Eric? – ele perguntou virando-a abruptamente.


 


- Como?


 


- Quero saber se nesse jantarzinho romântico você ficou com o Eric – Hermione sentiu os dedos de Fred em volta do seu braço. Ele não fazia força, mas era um toque firme. Ela sentiu suas pernas balançarem. Estavam muito próximos. Muito...


 


- Isso realmente importa para você? – ela perguntou com mágoa. Fred não poderia imaginar tal cena. Puxou Hermione para perto de si. Ela inclinou a cabeça mais ainda para não desviar do olhar dele. A outra mão de Fred contornou o rosto dela. Desceu seu rosto e murmurou contra os lábios vermelhos:


 


- Mais do que você imagina – e beijou-a. Sem tempo para que ela reagisse e se afastasse. Só que Hermione não faria isso. Não conseguia fazer isso. Há muito tempo era Fred. Sentiu a mão dele indo de encontro a sua nuca, fazendo com que o beijo se aprofundasse ainda mais. A outra mão dele a segurou pela cintura. Sem pensar, deslizou suas mãos para o corpo dele querendo diminuir uma distância impossível de ser diminuída.


 


Hermione começou a se afastar lentamente. Viu que ele relutou, mas logo ambos ansiavam por ar. A testa dele repousou sobre a dela. Fios de cabelos ruivos caindo sobre o rosto da grifinória.


 


- Podemos almoçar amanhã? – ele perguntou baixinho.


 


- Sem o Lee?  - ele riu da pergunta e afastou-se, puxando-a para sentar no sofá com ele.


 


- Sem o Lee! Mas não será um encontro de verdade, porque logo você precisará voltar para o Ministério. Deixaremos um encontro real para o fim de semana. Sem o Lee – ele voltou a falar.


 


***


No dia seguinte, Hermione acordou eufórica. Saiu bem cedo pra evitar a tentação que morava no quarto ao lado. Sim, porque era fato que estava apaixonada por Fred e vê-lo corresponder... bom, vê-lo beijá-la... era algo com que ansiava há muito tempo, mas Eric Rodriguez não deixava de ser uma tentação.


 


Trabalhava concentradamente, quando Alec SaintClaire apareceu e falou:


 


- Pode passar em minha sala antes de sair para o almoço?


 


- Claro – ela respondeu escondendo a euforia.


 


Lia os relatórios, mas sem a devida atenção. Ficava imaginando a conversa sobre sua promoção de diferentes formas. Será que ela gritaria e abraçaria o chefe? Muito Lavander agir dessa forma. Um sorriso contido de agradecimento? Harry. Levantar de forma agitada e destrambelhada? Rony – e ela riu perante todas as imagens que se formavam em sua cabeça.


 


Levantou-se para ir ao escritório do chefe, após consultar o relógio algumas dezenas de vezes. Fred entrou e parecia nervoso, preocupado. E ele sentia isso. Deveria continuar com o plano? Seu lado maroto dizia que sim. Ela quase o fez comer sapos de verdade. E sem motivo nenhum. Tudo bem que ele andava pegando um pouco no pé dela... mas ela era Hermione Granger. O lado piadista falou mais alto.


 


- Tudo bem? – ela perguntou estranhando a expressão dele.


 


- Sim... Vamos almoçar? Sei que cheguei um pouco mais cedo.


 


- Preciso de alguns minutos. SaintClaire vai conversar comigo – ela baixou um pouco o tom de voz – sobre aquela promoção.


 


Fred viu os olhos dela brilharem e seu estomago afundou um pouco quando ela virou e bateu levemente na porta que dava para a sala do seu chefe. Pronto. Nada mais poderia ser feito. Apenas...


 


Tirou as orelhas extensíveis e se aproximou da porta.


- Então, senhorita Granger.. Sobre sua promoção aqui no nosso Departamento... – ele gaguejou. Se soubesse a explosão que viria dela, teria desistido na hora da ideia de Fred Weasley. Sim por que tudo não passara de uma ideia dos gêmeos. SaintClaire era um grande cliente da loja. Homem com muitos filhos, sobrinhos e netos. Em troca de produtos gratuitos por dois meses, ele ajudaria Fred a pregar sua peça...


- Sim... – ela perguntou tentando esconder a euforia


- Acontece que resolvemos disponibilizar essa vaga para outro departamento, sabe? Estive conversando com colegas e seria injusto oferecer a vaga para você.


 


- Injusto? – ela perguntou engolindo em seco – Como assim, injusto?


 


- Veja bem, há muitos boatos sobre você ter chegado aqui por ser amiga de quem é, sabia?


 


- Amiga de quem sou? – ela perguntou e, mesmo através da porta, Fred sentiu a raiva na voz dela.


 


- Sim. Você não prestou concurso e nem entrevistas para conseguir essa vaga... – ele falou meio reticente.


 


- Eu fui chamada pelas minhas qualificações em Hogwarts. Não por ser quem sou.


 


- Bem, sim... mas há boatos e bem.. a decisão está tomada.


 


- Tomada? Como isso é possível? – Fred ouviu do outro lado da porta o arrastar da cadeira. Talvez seu plano tivesse saído um pouco do controle – Você me oferece a vaga. Não só essa que ocupo agora como me fala em promoção. Que porra de brincadeira é essa? – Hermione estava tão nervosa que não percebeu que o chefe mexeu-se desconfortavelmente na cadeira – Eu não contava em ser promovida, não em tão pouco tempo... Mas.. depois que me falou.. e agora vem dizer que seria injusto por causa de fofocas e boatos invejosos?! Isso é uma puta de uma sacanagem! – ela bufou contrariada – Draco está envolvido nisso?


 


- Como? – SaintClaire perguntou sem entender.


 


- Draco. Draco Malfoy está envolvido? É bem a cara dele mesmo. Que as coisas aconteçam do jeito dele... Se ele tiver algo com isso me diga agora que vou lá mesmo acertar as contas com aquele loiro filho da puta.


 


Fred gelou. A última coisa que queria era Hermione encontrando-se com um ex... Ele não sabia o que ambos tiveram, mas sabia que era algo. Quase invadiu a sala. Quase... Por dentro, um misto de emoções. Era inexplicável como gostava de ver Hermione perder a cabeça. Tinha o rosto dela estampado em sua mente: a mão na cintura, a testa franzida. O ar saiu pesadamente pelo nariz. A expressão indignada.


 


- Não, não, senhorita. Não tem nada a ver com Draco Malfoy. Apenas... decisão interna.


 


- Por causa de boatos? Não... não importa... – ela respirou fundo. Talvez por isso, ela compreendesse Ron tão bem em alguns momentos. Porque não importava os méritos dela. Sempre havia a sombra de Harry. Aliás, a sombra que inventam para seu amigo – Não importa o que façamos, não é mesmo? – ela viu o olhar sem graça dele. Um olhar que ela não entendeu – Que você e a decisão interna vão à merda. No final do dia, eu assino minha demissão.


 


Estático. Assim que Alec SaintClaire estava. Fred puxou rapidamente as orelhas extensíveis. Não era para chegar nesse ponto. Ele não esperava essa reação. Estava sendo divertido até certo ponto, não estava? Nenhum deles esperava essa reação. Fred disse que Hermione ficaria nervosa, daria uma lição de moral sobre ética ou coisa parecida. Provavelmente citaria alguma lei... mas demissão? Não... ele não poderia perder uma funcionária como Hermione Granger.


 


Antes que pudesse entender, a mulher já havia saído pela porta deixando um Fred parado e totalmente sem graça.


 


- É melhor consertar essa merda, rapaz – ouviu o tom impositivo do homem que ainda estava dentro da sala. O ruivo apenas assentiu e saiu em disparada atrás de Hermione.


 


Não imaginava que ela poderia percorrer um espaço longo em tão pouco tempo.


 


- Hermione! Espere! O que houve? – que pergunta estúpida, Fred.


 


- Como se você não tivesse ouvido tudo com as orelhas extensíveis – ela respondeu sem parar de andar. Fred a seguiu calado. Quando saíram do Ministério aparataram no Beco Diagonal. Nenhum dos dois falava nada – Desculpa o modo como falei com você – ela recomeçou ao sentarem em um lugar no Hipogarfo.


 


- Tudo bem... – a resposta foi fraca em uma voz quase inaudível. Culpa. E Fred nunca havia sentido culpa por uma brincadeira. Só que não esperava que ela...


 


- Acha que errei em pedir demissão? – Hermione perguntou encarando os olhos azuis. Fred respondeu ao olhar. Novamente o peso de que não deveria ter ido tão longe em sua brincadeira.


 


- Acho que foi precipitado... – ele pigarreou sem saber muito bem o que dizer – Às vezes essas decisões não cabem ao SaintClaire, por mais injustas que possam parecer. – Hermione escondeu o rosto nas mãos.


 


- Que merda eu fiz?!


 


Não, Hermione. Que merda eu fiz... – Fred pensou. Se contasse, as coisas que estavam indo tão bem entre os dois acabariam naquele instante. E ele sabia de algo: ela teria o emprego de volta.


 


- Fale com SaintClaire. Tenho certeza que ele não levou seu pedido de demissão a sério – o ruivo passou a mão pelos cabelos dela. Hermione tirou a mão do rosto. Ela estava chorando. Fred, seu idiota.


 


***


No final do dia, Fred recebeu uma coruja de Hermione dizendo que ela tinha conseguido seu cargo novamente. Aquilo o animou, mas ele sabia que precisava contar a verdade para ela.


 


Por um ponto final naquela história de brincadeiras e jogos.


 


Queria falar com ela e explicar algo que a sabe-tudo não sabia. Que ela era sua garota e deixar isso bem claro para o espanhol metido a sedutor que agora, naquele instante estava lá... Tão mais perto dela que ele.


 


***


Desculpemmm o atraso. Foi difícil escrever o capítulo, criatividade de greve e tempo faltando...


Agradeço todos os comentários....


 


 


 


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por marcela miranda em 20/12/2011

que maldade dele, tambem ninguem pediu ajuda da Gina, né. 

 

 

Nota: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2021
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.