FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

14. Falou e disse.


Fic: Hogwarts sob um novo olhar A VOLTA DOS MORTOS!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

[N.A.: Bem, bem, bem... Quem é vivo sempre aparece! Antes tarde do que nunca! Estava relendo o que eu, uma jovem de 17 anos, disse antes de começar essa fic: "Vou tentar não demorar porque eu sei o quanto é chato ter que esperar..." Olha só q coisa curiosa, a jovem de agora quase 19 anos (q velha, meu Deus!), tem que dizer: "me desculpe, eu sou uma hipócrita!". Não vou contar o que me aconteceu nesses oito meses, porque , não é relevante!   

Bjuxxx.]

Cap. 14- Falou e disse
 
[...] como mencionado anteriormente, James Potter demonstrava certo nervosismo pré-jogo, que pôde ser confirmado na sua distração nos minutos decisivos e finais da partida.


Na perseguição do pomo-de-ouro, Haardy levou vantagem e garantiu a vitória por 160 a 30 para a favorita ao título de campeã do torneio inter-casas de Quadribol, a atual vice da competição, Corvinal.


 Potter se desequilibrou da vassoura ao receber um balaço no ombro com saudações de Connor Ginns, uma das novas armas da Corvinal para esta temporada. Ginns, o substituto do não-tão-bom batedor Grant, que se formou ano passado, demonstra ter herdado o talento para o esporte de seu tio John Ginns, batedor revelação da Grifinória na temporada 2005-2006. Pura ironia.


 No final da partida, ao ser entrevistado, o orgulhoso capitão da equipe vitoriosa disse: “Nossa equipe está ainda mais forte do que no ano passado. Mesmo com a saída de jogadores importantes na temporada anterior, estamos confiantes de que o título será nosso este ano.”


 Longbotton, atual capitão da Grifinória, também demonstrou confiança em sua declaração, “Essa foi só a primeira partida, estávamos com a vantagem, mas infelizmente um único momento de deslize fez com que perdêssemos. Coisas do quadribol... Foi bom para acordar o time, os jogadores tinham essa sensação de que a vitória já era nossa. Agora é esperar pelo próximo jogo.”


 James Potter, apanhador da equipe vermelha há três anos e astro da mesma, hoje saiu de campo como o grande responsável pela vitória da Corvinal e, até o fechamento desta edição, se encontra na enfermaria com familiares e amigos sem prestar declarações à imprensa.


 Esse primeiro surpreendente resultado só aquece ainda mais as apostas nos futuros campeões da Taça das Casas. O torneio de Quadribol, nos últimos dez anos, garantiu a vitória da Taça aos seus campeões.


 O próximo jogo será entre a terceira colocada Lufa-lufa e a recém saída de escândalos ligados ao último capitão da equipe, Sonserina. A casa das serpentes conta com um novo capitão, Cesc Fábregas e assim como a Lufa-lufa, pretende mudar os resultados dos últimos cinco torneios que tiveram o revezamento da Grifinória e da Corvinal no mais alto lugar do pódio.


 Resta a todos os estudantes de Hogwarts esperar para saber se novamente os micos e as zebras reinarão no jogo entre os texugos e as serpentes ou se dessa vez o jogo será ganho pelo melhor.


 


Cesc Fábregas


Repórter esportivo do HN


 


Eu sinceramente me surpreendo como posso ser insosso e imparcial ao mesmo tempo.


Notem que mal dar pra reparar que fui eu que escrevi esse artigo, mas beleza. Tudo pra não arranjar problemas com a problemática da Weasley...


 


Terminei de escrever minha “matéria” e a joguei de qualquer jeito dentro da mochila. Amanhã eu entrego meu conto de fadas baseado em fatos reais, devia ganhar um Nobel pelo esforço de não falar mal desses pseudo-atletas no meu texto.


 


Levantei do sofá preguiçosamente e dei de cara com a minha pequena aprendiz de feiticeira, sentada na poltrona mais próxima a lareira. Ela parecia tão tristinha... Me vi na obrigação de saber se ela está bem depois do fiasco esportivo do irmão dela.


 


- Então Pottinha... Vai dizer que não está feliz agora por ser da Sonserina? – Ela me olhou meio confusa. – Ao menos você não está compartilhando da vergonha Grifinória...


 


Juro que tento ser simpático, mas as pessoas insistem em retribuir minha simpatia com gestos obscenos e expressões de baixo calão. Me pergunto, onde Liv aprende essas coisas?


 


- Mau jeito, Cesc. –Rebeca me disse, meneando a cabeça. De onde ela saiu? – A pobrezinha está preocupada com a saúde do irmão...


 


- Quanto drama! Parece até que foi algo grave, um atropelamento de trem ou algo do tipo. – Rebeca me olhou com aquela expressão que diz “Você não cresce!”.


 


Mas venhamos e convenhamos que ela só está assim porque o precioso James Potter foi humilhado ‘em rede nacional’. Essas fãs...


 


- Quer saber o que é motivo de preocupação, minha cara colega? – ela me olhou com desdém. – Uma notícia que iria abalar as estruturas dessa escola!


 


- Olha só Cesc, se for mais uma daquelas fofoquinhas que o Tony te conta, vou logo avisando que...


 


- SHIU! Qual é mulher, me deixa falar! – Rebeca me olhou surpresa, mas depois voltou a velha expressão de tédio tão característica a nós, sonserinos. Olhei para os dois lados antes de começar a falar e ela automaticamente revirou os olhos. – Vamos para um lugar mais seguro.


 


Encaminhei Rebeca até as escadas que dão para o dormitório masculino e ela me lançou um sorrizinho malicioso. Depois sou eu que não cresço...


 


- Deixa de pensar besteira! – Sentei na minha cama. A dita cuja já estava com o rosto apoiado nas mãos, fingindo interesse, sentada folgadamente na cama de Scorp.


 


- E então? – ela disse com uma cara divertida, dando tapinhas na minha perna. – Conta o babado, amiga!


 


Respirei fundo antes de começar a contar a história sobre a Weasley, Haardy, as orgias, os favores e as outras coisas que vem deixando a minha vida um pouco mais confusa do que o normal. Mas acho que fiz um bom resumo.


 


- OMM! – Quase ri com a versão bruxa do super gay OMG! -E o Haardy contou qual é o segredo dele que a Weasley ta tentando descobrir? – Agora eu tinha conseguido a atenção da minha adorada monstra.


 


- Ainda não. Não faz parte da personalidade dos corvinais sair por aí contando seus podres, mas pelo visto a Weasley já sabe do que se trata... Ou ao menos desconfia.


 


- Minha nossa que babado! – Revirei meus olhos.


 


- Furo jornalístico Wainz, não me envergonha...


 


- Ta, ta, ta... E agora? O que você vai fazer? – Ela me olhou com uma expressão que demonstrava preocupação. Pra vocês verem o fundo do poço que nós chegamos...


 


- É uma situação delicada... A Sonserina ta saindo de um escândalo agora, se alguém, leia-se Weasley, descobrisse sobre essa proposta que o Haardy me fez... Nunca mais sairíamos do buraco.


 


- Por outro lado, se você aceitar a proposta e despistar a Weasley como você prometeu, a Sonserina ficaria definitivamente por cima.


 


- Sei não Beca, a Weasley é difícil de enrolar, ela vai acabar descobrindo tudo e a gente vai se lascar como sempre. Ta ficando até repetitivo...


 


Ela me olhou com uma expressão cansada, como se tivesse enxergando algo que o burro aqui está deixando passar. Ela tocou meu obro e começou a falar como se explicasse a Pottinha a diferença entre um trasgo montanhês e o Tony com fome.


 


- Não diga nem que sim, nem que não pro Haardy. O jogo entre vocês ainda está bem longe. Agora você só tem que arrumar um jeito da Weasley se distrair e desistir da matéria.


 


- Ela não vai desistir...


 


- Dependendo do andar da carruagem podemos conseguir fazer com que a Weasley perca o cargo de editora, com que você ganhe o campeonato de quadribol e de quebra mandar o Haardy se danar! – A empolgação de Rebeca me assusta!


 


- Não dá pra colocar a paz no Oriente Médio nesse pacote não? – Falei com meu sorriso mais irônico. Ela me olhou com cara de tédio.


 


- Quer que nós temos haver com isso? - Ela falou sério. Deus, só eu mesmo pra agüentar uma coisa dessas.


 


- REBECA! COMO. VAMOS. FAZER. ISSO? – Às vezes é necessário partir pra grosseria. Ela fez uma expressão ofendida.


 


- Convoque seus amigos idiotas que eu vou mostrar como quatro cabeças sonserinas podem bolar um super plano em três partes.


 


Depois disso, ela se levantou e saiu teatralmente, como se tivesse dito algo realmente esclarecedor.


 


- Maluca...


 


- VOCÊ SÓ PODE ESTAR BRINCANDO!


 


Olha só que surpresa, Scorp discorda totalmente da opinião de Rebeca. Realmente uma grande surpresa...


 


Deixei pra contar aos L.Ps sobre as novidades depois do final de semana, mas acho que não teria feito diferença nenhuma no caso.


 


- Pára de dar piti Scorp, ele só está relatando os fatos, não é Cesc? – Tony disse como se estivesse falando pela milésima vez.


 


- Que parte do “estamos saindo de um escândalo” você não entendeu? Estava escrito no seu artigo da edição de ontem do HN! – Scorp deu uma relaxada, mas ainda sim falou meio exasperado.


 


- Eu sei o que escrevi, mas...


 


- Eu acho que você ta pagando alguém pra escrever seus artigos! – Respira fundo, Cesc.


 


- ... talvez a Rebeca tenha razão. Só estou compartilhando a informação com vocês porque além de meus melhores amigos, vocês são os principais interessados em tudo isso.


 


- Estamos representando o resto do time, Scorp. Pense no que eles iriam desejar! – Tony disse com um brilho estranho nos olhos. Acho que ele já decidiu a opinião dele...


 


- O resto do time não pensa! – Deus, por que Scorp não é um grifinório?- Olha, eu sei que a bondade não vem facilmente pra vocês, mas...


 


- COMO É QUE É?


 


- É O QUÊ? – Scorp realmente deveria ser um grifinório! Isso é o cúmulo, ele simplesmente está desfazendo anos de caridade da minha parte!


 


- Olha só, ô Dumbledore, não sei o que você esteve fazendo nos últimos anos, mas tanto eu quanto o Cesc fizemos muitas coisas boas. Você deveria engolir seu veneno, Malfoy!


 


É isso aí Tony, é esse tipo de fala que nós esperamos de melhores amigos. Scorp nos olhou com uma cara de “Fala sério”, mas o que é que ele esperava? Só faltou ele dizer o famoso “não se ofendam”.


 


- Sério? Vocês fizeram coisas boas? Tipo o quê? – HA, olha só, o doce desdém.


 


- Pois fique sabendo você que tudo que fazemos nessa vida é pelo bem do próximo. – Ta, ok. Meio exagerado... Mas não tem necessidade alguma do Scorp ta rindo como se tivesse enfeitiçado!


 


- Quem está sendo mal agora, hein? – Boa Tony! Scorp finalmente parou de rir e limpou as lágrimas dos olhos.


 


- Ok meninos, me digam uma coisa boa que vocês fizeram essa semana, que eu juro que peço desculpas.


 


- Estou cuidando da Pottinha! – Viu como é fácil achar boas ações no meu currículo?


 


- Porque você fez um acordo com o irmão dela! – Droga.


 


- Ajudei ontem uma garota da Corvinal com os livros! – Olha que bom garoto o Tony é!


 


- Isso porque você queria sair com ela. – Droga [2].


 


- Scorp, meu querido, tudo que a gente falar você vai arranjar um defeito, porque você não tem nada melhor pra fazer, então...


 


- Quanta bondade...


 


- Vamos cortar a baboseira? Não estamos ficando mais jovens aqui. – Só eu que tenho foco nessa casa?


 


- Concordo. Como eu ia dizendo, sei que é difícil pra vocês dois fazer algo sem receber nada em troca, mas dessa vez o negócio é sério. Haardy não nos daria um jogo se ele não tivesse envolvido em algo do mal.


 


Scorp disse a última parte bem baixinho, que desgosto! Agora já sei porquê ele não é da Grifinória: falta MUITA coragem nele.


 


- O que você sugere? Que eu vá até a diretora e diga: “Mc você não vai acreditar! Sabe o Haardy? Aquele aluno super responsável e modelo de conduta? Pois é. Ele está envolvido com algo obscuro. Não eu não sei o que é. Sim, é a minha palavra contra a dele. Sim, eu sou aquele garoto que levou detenção no primeiro dia de aula. Sim, eu vou...”


 


- Pára Cesc! Você ta surtando! – Deus, agora que eu percebi, minha palavra vale bosta nenhuma! Eu acho que vou ali me afogar na privada.   


 


- Ele tem razão Scorp, a palavra dele vale bosta nenhuma pra diretora... – 1, 2, 3, 4... JÁ CHEGA! EU VOU MATAR O TONY!


 


Bem, não me orgulho do que aconteceu a seguir. Eu ignorei toda a minha ótima educação e azarei cruelmente o único que me deu total apoio nessa conversa toda.


 


Tenho que admitir o chapéu seletor tinha razão, eu realmente tenho uma parte Grifinória! Mas quem manda Tony ficar lendo minha mente? Porque agora eu tenho certeza que ele faz isso.


 


- E então Cesc, falou com... O QUE É QUE TA ROLANDO AQUI?


 


Rebeca finalmente chegou para dar o ar da graça dela. Não que isso seja uma boa notícia, porque ela soltou Tony e ele veio pra cima de mim e eu não levo desaforo pra casa, vocês sabem, então...


 


Meia hora depois...


 


- Ok, agora que estamos todos calmos, vocês, por favor, podem me dizer o que aconteceu?


 


- ELE DISSE QUE MINHA PALAVRA VALE BOSTA NENHUMA!


- E EU TÔ MENTINDO POR ACASO?


- RETIRE O QUE DISSE!


- RETIRE VOCÊ!


- E O QUE FOI QUE EU DISSE DE ERRADO, SEU RETARDADO?


 


-CHEGA VOCÊS DOIS! – Ok, perdemos um pouco o rumo da situação e admito que parte foi por minha culpa. Scorp ta nos olhando com uma cara de matar e Rebeca está com uma cara de “eu não acredito nisso”.


 


- Querida Rebeca, peço desculpas pelo meu comportamento diante de uma dama...- Comecei a falar educadamente.


 


- Dama? Que dama? – Scorp...


 


- Viu? Não é tão difícil pedir desculpas! – Mas eu não vou pedir desculpas pra você Tony. Malz aê!


 


Me joguei na cama e fiquei com minha cara de paisagem número 7, aquela com um leve sorriso no rosto e com os olhos fixos num ponto qualquer da minha roupa.


 


- Ok. Esqueçamos o que aconteceu e vamos focar no que realmente importa aqui. – Scorp disse antes que Tony pudesse dizer mais alguma coisa. – Rebeca, nós achamos que o Cesc deveria contar tudo que está acontecendo pra diretora.


 


- E quando ele diz “nós”, ele que dizer ele, porque eu, Cesc,  acho que outra pessoa deveria contar para a diretora. – Scorp não muda mesmo.


 


- E eu acho que ninguém deveria contar coisa alguma a diretora alguma. – Besta.


 


- Nossa! Vejo então que entramos num consenso! – Hein? Parece que alguém aqui não sabe o significado da palavra consenso. – Vocês não combinam em nada!


 


Talvez ela saiba o significado...


 


- E o que você sugere? Que aceitemos o trato do Haardy e acabemos de vez com as nossas chances de nos recuperar? – Scorp, sempre otimista.


 


- Se você sugerir isso, nós vamos ser dois contra um e um, apesar de que eu acho que nós vamos nos dar bem nessa... – Besta [2]. Já sabem quem disse isso, não sabem?


 


Rebeca respirou fundo e colocou um sorriso meio assustador no rosto. O que aconteceu com os sorrisos sinceros do mundo?


 


- Meninos... E se nós simplesmente desviássemos a atenção da Weasley pra outra coisa, até passar o jogo contra a Corvinal e depois que nós descobríssemos o segredo do Haardy a gente publicasse?


 


- Hã? – Essa garota não respira não?


 


- Se lembra que eu falei do plano de três etapas, Cesc? Scorp tome nota.


 


Scorp olhou com aquela cara de “Você não manda em mim”, mas acabou cedendo. Pegou um pergaminho pra tomar as “notas” de Rebeca.


 


- Primeiro escreva aí: Objetivos. – Scorp ta escrevendo e eu e Tony, acho, estamos tentando entender o que ta rolando aqui. Quem declarou Rebeca presidente do clubinho? – Tirar a Weasley da chefia do jornal, ganhar a Copa de Hogwarts e...


 


- Merlin, você não presta! – Não sei se Scorp falou pra ofender ou pra elogiar, por que ele meio que sorriu depois.


 


- E... Garantir que a verdade seja revelada e Haardy punido pelos seus crimes, ponto.


 


- Nós somos o que? Os justiceiros? – dessa vez eu tenho que concordar com Tony. – Por que se formos, vamos precisar de uniformes! – Ou talvez eu não concorde.


 


- Para isso vamos fazer um plano de três partes... – Rebeca ia continuar, mas Tony levantou a mão. – Sim Tony, eu estou te ignorando.


 


- Hey!


 


- Pelo visto você já pensou em tudo. – Tive que fazer essa observação. Rebeca me olhou com um sorriso de superioridade.


 


- Pensei em tudo não, só no básico. Anota aí Scorp.


 


- Já estou anotando, sinto que você só falou isso pra ter o prazer de mandar em mim de novo. – Scorp olhou com aquela cara de “Você não me engana”. E não engana mesmo, nem a mim.


 


- A primeira etapa vai ser tirar a Weasley do pé do Haardy, como você prometeu Cesc...


 


- Segundo descobrir o que Haardy esconde... – Eu disse.


 


- E terceiro passar a perna na Weasley e publicar, seja lá o que for antes dela. – Tony disse e eu não pude evitar pedir um high-five [N.A.: O nosso famoso “Toca aqui”, pra quem não sabe.] pra ele. Nada como irritar Rebeca pra fazer uma amizade voltar aos trilhos...


 


- Hey, esse plano é meu! – Ela disse com as mãos na cintura e batendo o pé direito no chão. Tão típico...


 


- Você já tinha dito isso antes... – Scorp disse, enquanto terminava de escrever o que ditamos pra ele. – E o que mais?


 


- Bem, é aí que vocês entram. Na verdade nós quatro vamos ter que pensar numa maneira de fazer isso dá certo! – Rebeca disse sentando ao meu lado, satisfeita consigo mesma.


 


- Vocês estão vendo? – Tony disse com um ar solene. – É tão mais fácil fazer as coisas erradas... Vem naturalmente mesmo, Scorp.


 


- Viu? – Argh, ninguém merece! Scorp ta se achando. - Tecnicamente nós estamos complicando as coisas. Seria um pouco mais fácil se contássemos a verdade sem receber nada em troca.


 


- Mas aí receberíamos NADA em troca. – Eu acho que sou o sábio por aqui... – Agora só temos que pensar num jeito de colocar os detalhes infalíveis no plano, que o resto ta tudo resolvido.


 


- Isso vai dar um trabalho...


 


Falou e disse Tony, falou e disse.


 [ N.A.: Eu sei, eu sei (Pq eu sempre começo minhas notas repetindo frases? Mistério...), capítulo fraquinho, considerem como uma volta dos mortos. Eu quase desisti da fic, mas sinceramente não gostei da sensação de desistir de algo... Eu nunca desisto!

Gostei de voltar a pensar como Cesc. E infelizmente esse capítulo não foi betado. Não tenho cara pra pedir a Rebeca pra voltar a betar! Oito meses depois... Que sem vergonha eu sou!]


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.