FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

20. Decepção.


Fic: Eu sou seu destino - Tiago&Lílian. - Concluida.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Tiago caminhava desesperado de um lado a outro de fronte a porta da enfermaria de Hogwarts, Lílian já estava lá dentro a mais de meia hora e a Senhorita Pomfrey não tinha lhe dado nenhuma informação do quadro clínico dela. A angústia estava o enlouquecendo, ele se sentia extremamente culpado, porque se não fosse o seu maldito obliviate ela não estaria ali naquele momento. Mais alguns longos minutos se passaram até que finalmente Pomfrey abriu a porta e o chamou, foi só nesse momento que o Tiago percebeu que estava com as mãos fechadas em punho com toda a sua força, os nós dos seus dedos doíam e os músculos das mãos protestaram quando ele as abriu antes de entrar na enfermaria.


- Ela acabou de acordar e está te chamando. – Pomfrey disse – Lílian está com uma estafa mental muito grande, por favor, não a canse.


Tiago caminhou nervosamente até a maca onde a Lílian estava repousando, assim que ele a avistou ele sorriu aliviado, como era bom vê-la consciente. Tiago encostou-se ao lado da maca e segurou à mão da Lílian, ela o olhou nos olhos com tanta intensidade que ele se sentiu despido.


- Como você está se sentindo? – Ele perguntou num tom baixo.


- Confusa. – Lílian respondeu.


Fez-se um silêncio doloroso para o Tiago, ele sabia o que viria a seguir. Que Merlin me ajude! – ele pensou.


- Eu vi a sua lembrança mais forte. – Lílian disse corando violentamente – Como eu fui me esquecer da noite mais perfeita da minha vida? – Questionou com os olhos marejados.


Tiago respirou fundo até sentir os pulmões protestarem, o fato da Lílian ainda estar o encarando estava dificultando as coisas consideravelmente para ele.


- Primeiro quero que prometa que vai ouvir toda a minha história – Suplicou.


Lílian não entendeu o pedido, mas concordou com ele.


Tiago então relatou com riqueza de detalhes toda a conversa que ouviu entre a Rebeca e sua Mãe na noite de Natal. Lílian ficou estarrecida sem entender muito bem onde aquela história toda estava os levando.


-...E então, quando voltamos para Hogwarts na manhã de Natal eu apaguei a sua memória, para que fosse como se eu nunca tivesse ficado com você. – Tiago concluiu apreensivo.


Lílian sentou-se na cama tentando assimilar essas novas informações, seu cérebro estava trabalhando lentamente devido aos remédios que a Srta. Pomfrey lhe dera.


- Como você fez isso? – Ela quis saber.


- Obliviate... – Tiago respondeu receoso.


Lílian fechou os seus olhos e levou à mão na testa, ela simplesmente não estava acreditando no que acabara de ouvir.


- Você apagou minhas lembranças pelas minhas costas? – O acusou.


- Eu não tive opção. – Ele retrucou


- Me contar a verdade nunca foi uma opção? – Lílian disse exasperada.


- Você iria sofrer Lílian.


- Quem você pensa que é para se achar no direito de manipular a minha vida desta forma, eu não sou uma marionete Tiago, você não tem o direito de escolher quais os sentimentos que eu posso ter. – Lílian explodiu de ódio


- Me perdoa Lílian, eu imploro. Eu tive muito medo de perder a minha mãe. – Tiago disse com a voz desesperada.


- Você não me conhece mesmo não é, é claro que eu te perdoo! – Disse tirando a sua mão de junto da dele.


Tiago sentiu uma alegria imensa, finalmente aquela história ridícula tinha acabado e ele finalmente ia voltar a ser feliz ao lado da mulher de sua vida. Ele foi para beijá-la e matar toda a saudade que ele estava sentindo, mas quando seus lábios estavam a centímetros do dela, ela desviou o rosto.


- Que foi princesa? – Disse com o rosto a centímetros do dela.


- Não me chame mais de princesa Potter – Lílian pediu – Eu disse que te perdoo e não que voltamos a namorar.


- Mas por que?


- Eu nunca mais vou confiar em você Potter, eu me decepcionei profundamente, imagine se um dia eu te flagro com outra menina, vem você e apaga a minha memória, ou se nós brigarmos por algum motivo e eu ficar irritada... Obliviate nela!


- Você está sendo ridícula, eu tive um motivo muito forte.


- Não me fazer sofrer Potter? Pois bem, tenho uma notícia para você, eu estou sofrendo, e bem mais do que se você tivesse simplesmente me contado o que ouviu na cozinha na noite de Natal. Mas não, você se achou no direito de manipular meus sentimentos.


Lílian se levantou da maca e tonteou, Tiago levou as mãos até a cintura dela para ajuda-la, mas ela empurrou as mãos dele para longe com violência.


- Eu tinha o direito de escolha Potter – ela disse o encarando – O que te faz pensar que eu desejaria apagar as minhas lembranças mais perfeitas por medo de sofrer? As lembranças são minhas, me pertencem... E eu ainda custo a acreditar que você teve coragem para tanto.


Tiago estava perdido, ele não tinha mais argumentos, ele sentiu o peso do remorso nas costas.


- Eu me arrependo tanto – ele confidenciou.


- Que bom – Lílian disse enfática – Isso mostra que eu você não é de todo ruim.


- Então é isso, você não vai me dar uma segunda chance? – Tiago pressionou


- Você não queria que eu te esquecesse? Pois bem, desejo realizado.


- Se eu quisesse realmente que você se esquecesse você não teria se lembrado – Disse nervoso.


- Isso não quer dizer nada, você pode simplesmente ser péssimo neste feitiço! – Rebateu


- Eu te juro que nunca mais te escondo nada, nunca mais te lanço um feitiço. – Os olhos do Tiago eram suplicantes.


- Eu não confio mais em você Potter! Aqui é o fim do jogo. Porque você não pede ao Sirius para me apagar da sua memória?


- Eu prefiro sofrer uma eternidade sem ter você e ter as melhores recordações da minha vida, do que viver feliz ignorando o fato de que eu já te tive em meus braços.


Lílian olhou profundamente nos olhos do Tiago, o ódio inflamando dentro dela.


- Hipócrita! – Disse revoltada.


Dito isso ela saiu da enfermaria depressa, ela tentava aparentar frieza, mas por dentro estava destruída, seu corpo inteiro doía, sua cabeça latejava violentamente, mas as duas dores juntas não chegavam nem perto do tanto que estava doendo o seu coração.


Com muito custo Lílian chegou até o seu dormitório e se assustou ao encontrar a Angélica deitada de bruços na sua cama chorando litros.


- O que houve? – Lílian perguntou sentando-se aos pés da cama.


- Terminei com o Sirius. – Ela disse entre soluços.


- Mas por quê? – Lílian questionou assustada.


- O filho da mãe me lançou um obliviate pelas costas. – Angélica respondeu sentando-se na cama.


Lílian ficou sem ação, aquela conduta tinha virado mania entre os amigos?


- O Sirius me contou o que aconteceu entre você e o Tiago – Angélica disse secando as lágrimas do rosto – Então me contou que precisou apagar da minha memória as minhas lembranças de você e o Tiago juntos, só que você se lembrou porque o Tiago não queria realmente fazer isso, mas eu não me recordo de nada, o que quer dizer que o Sirius queria sim apagar a minha memória, que ódio Lílian, o Tiago tinha um bom motivo para fazer o que fez, mas o Sirius não, porque ele não contou para mim?


Ver a sua amiga sofrendo daquela maneira só aumentou a raiva da Lílian.


- Dois covardes – Lílian disse abraçando-a


Nem preciso dizer que o sábado estava perdido para a Lílian, ela se trancou no dormitório, deitou-se na sua cama e fechou a cortina vermelha que separava a sua cama das outras, ficando ali isolada durante todo o dia. Angélica fez o mesmo que ela, também não estava a fim de conversar e nem de ver ninguém.


Apesar de tentar a todo custo afastar as lembranças do Tiago da sua mente, Lílian não conseguia esquecer a cena que viu na memória dele, uma coisa eram as sua lembranças, outra bem diferente era o mesmo episódio visto na percepção de uma segunda pessoa, detalhes que ela nem tinha percebido como o quanto ela gemia estavam bem nítidos na lembrança dele. Lílian sentiu seu rosto corar pela simples lembrança do porque ela não conseguia conter os gemidos baixos de satisfação, Tiago era bom, e muito bom em fazê-la perder a razão. A percepção dele em conjunto com as lembranças dela davam vivacidade a recordação, Lílian sentiu um calor descomunal se abater sobre ela, como ela iria fazer para viver longe do Tiago, porque as coisas tinham que ser assim, porque ele tinha que ter a enganado?


Lílian se levantou ainda com os batimentos cardíacos descompassados devido as fortes lembranças, ela precisava de um copo com água gelada. Abriu a cortina da sua cama e percebeu que a Angélica não estava mais deitada, olhou para a pequena janela que tinha no dormitório e se assustou ao constatar que à tarde já estava no fim, o céu estava completamente alaranjado. Sem vaidade Lílian se olhou no espelho e penteou os cabelos com as mãos, ela estava com um semblante péssimo, os olhos inchados de tanto chorar e dormir e as olheiras delatavam a extensão do seu sofrimento.


Desceu as escadas lentamente, rezando internamente para não encontrar com um certo alguém, mas é claro que seus pedidos não foram atendidos, era incrível como ela sempre tinha que esbarrar com o Potter.


Ele estava sentado na poltrona do salão comunal a mais de quatro horas, olhando para as escadas do dormitório feminino. – Uma hora ela terá que descer. – ele pensava. Ele imaginou infinitas coisas para dizer a ela, desde dizer que tudo bem, ela que o esquecesse até ajoelhar aos pés dela e pedir perdão, mas quando ele a viu descendo as escadas tudo que ele pensou durante essas quatro horas se dissipou, seu coração acelerou tanto que ele teve medo de um enfarte.


Tiago se levantou e caminhou até ela a tempo de chegar aos pés da escada no mesmo momento em que ela tocou no último degrau. Ele não disse uma só palavra, ele apenas a abraçou de uma forma encantadora, ele precisava senti-la mais do que tudo na vida. Apesar de não estar disposta a perdoar Lílian se permitiu ser abraçada, ela nunca teria coragem de afastar um abraço do Tiago, porém ela não o abraçou, ela se contentou em inalar o perfume concentrado do Tiago em seu pescoço, ela podia sentir o compasso do coração dele em sincronia com o seu, ambos com batidas aceleradas.


- Eu quase fiquei louco de preocupação – Disse apertando-a mais contra ele.


Lílian não sentia mais as pernas, a voz macia do Tiago rente ao seu ouvido dizendo que estava preocupado com ela a enlouquecia. Instintivamente ela passou seus braços pelas costas dele e deitou a cabeça em seu ombro.


- Volta pra mim – Ele suplicou.


Lílian não conteve as lágrimas, porque ele estava fazendo aquilo com ela...


- Eu não consigo – Respondeu ainda abraçada nele – Não nesse momento, eu estou tão magoada, eu não sei se vou conseguir confiar em você novamente, e eu acredito que a confiança é a base de qualquer relacionamento, se o namoro não tem uma base sólida ele tende a ruir...


Tiago entendia perfeitamente o que a Lílian estava dizendo por que compartilhava da mesma opinião. Ela se soltou dos braços dele e sentiu um frio descomunal, um frio que era sentido de dentro para fora.


- Será que um dia você vai conseguir ser pelo menos minha amiga? – Tiago perguntou com os olhos marejados.


- Isso apenas o tempo poderá responder. – Ela respondeu tristemente.


Tiago levou a mão até o rosto da Lílian e o acariciou com delicadeza, o toque da sua mão na pele dela era abrasador, Lílian fechou os olhos e sentiu a dor tomar conta do seu corpo.


- Desculpe-me – Tiago pediu mais uma vez e seguiu para o quadro da mulher gorda.


Lílian se sentou na escada, seu corpo ainda tremia com a proximidade do corpo do Tiago, mas o que ela podia fazer se para ela não havia nada mais devastador para uma relação amorosa do que a quebra de confiança?


Tiago caminhou sem rumo pelos corredores do castelo, ele tinha perdido a mulher da sua vida, a única que despertou nele os sentimentos mais puros e verdadeiros, seu peito estava apertado, a dor estava o sufocando, ele saiu para os jardins de Hogwarts em busca de ar e o que encontrou foi um frio congelante, o vento açoitava o seu rosto sem piedade, mas aquela sensação apenas refletia o que ele estava sentindo internamente. Por tanto tempo ele sonhou em ter a Lílian em seus braços, por tantas vezes a imaginou dizendo que o amava e quando finalmente seus sonhos se realizaram vem o destino e muda a direção dos ventos, fazendo-o sofrer mais do que ele já tinha sofrido na vida. Eles já tinham se separado uma vez, mais ele era inocente e sabia que uma hora ou outra a Lílian descobriria isso, mas desta vez ele era culpado das acusações e ele viu a decepção nos olhos da Lílian, aquilo estava acabando com ele.


*


Os dias foram passando e a Lílian evitava o Tiago de todas as maneiras possíveis, ela não se sentava mais perto dele nas refeições e não estudava mais no salão comunal, todas as tardes quando ela queria estudar ela ia para a sala precisa que se transformava na cópia perfeita do quarto do Tiago, ela amava a cama do quarto dele por motivos óbvios!


Angélica ficou apenas uma semana separada do Sirius que não deu um segundo de brecha para ela até que finalmente aceitasse voltar a namorá-lo, Lílian ficou feliz pela amiga que conseguiu perdoá-lo de coração e esquecer completamente da mentira imposta a ela.


- Amiga, o Sirius me contou que o Tiago está muito mal – Angélica disse certa noite para a Lílian – Ele disse que todas as noites escuta o Tiago chorando.


Lílian sentiu seu coração partir, imaginar o Tiago chorando era demais para o seu psicológico.


- E eu também te escuto chorando todas as noites – Angélica revelou.


Lílian corou.


- Eu o amo tanto! – Lílian confidenciou para Angélica.


- Você está sofrendo de bobeira Lílian, deixa de besteira e volta logo com ele que eu sei que é isso que você tem vontade de fazer.


Lílian sorriu, a amiga fazia tudo parecer tão fácil.


- Você não tem medo que o Sirius apague sua memória novamente? – Lílian a questionou


- Não! – Angélica disse enfática. – Ele errou, se arrependeu e eu resolvi dar-lhe uma segunda chance, eu confio nele.


Lílian se deitou e puxou o edredom até a altura da cintura, será que o Tiago estava chorando naquele momento – ela pensou. Céus a quem eu estou querendo enganar? Minha vida simplesmente não existe sem ele!


Ela virou-se na cama com o coração a mil por hora, será que ela tinha finalmente tomado uma decisão?


Lílian desceu as escadas correndo e encontrou o Tiago sentado na mesma poltrona de sempre ao lado da lareira, sem pensar em nada se jogou no seu colo, sentando-se de frente para ele e colou seus lábios nos dele como há muito tempo desejava fazer, quando a língua dele a invadiu ela arfou de satisfação – aquilo era o céu – Lílian enroscou seus dedos nos cabelos negros e bagunçados dele e aprofundou ainda mais o beijo. Tiago a levantou segurando-a pelo quadril e a deitou no tapete do salão comunal deitando por cima dela, as mãos dele percorriam cada pedaço do seu corpo fazendo-a perder a noção de tudo, quando ele afastou suas pernas e se encaixou perfeitamente nela ela não conteve um gemido baixo, como ela amava aquele homem! Tiago pressionava seu membro rijo contra seu sexo enquanto sorvia a pele do seu pescoço, Lílian sorria de satisfação quando uma luz incomoda bateu em seus olhos... Lílian... Uma voz no fundo da sua mente a chamava... Lílian acorda!


Lílian se sentou na cama num rompante, o coração acelerado, o pijama colado no corpo. Ela olhou para o lado e seus olhos focalizaram a sua amiga Angélica.


- Tudo bem Lílian? Você estava se contorcendo na cama... – Angélica disse com um semblante preocupado.


- Tudo bem – Lílian disse com a voz entrecortada, ela passou a mão na face para secar o suor que escorria na lateral do seu rosto.


- Teve um pesadelo? – Angélica questionou.


- Acho que sim, não me lembro. – Mentiu descaradamente.


Lílian acordou sentindo dentro do seu coração um aperto violento, ela sentiu o calor do Tiago, sentiu o gosto, o perfume dele perfeitamente, ela o desejava mais do que tudo na vida naquele momento, ela não conseguia pensar em mais nada, apenas nele. O sonho fora tão real que ela chorou por ter acordado.


Lílian olhou no relógio e constatou ser cinco e meia da manhã, ela não conseguiria mais dormir, não com aquela chama queimando dentro dela. Tomou um banho bem demorado, deixou que a água morna relaxasse seus músculos, depois se vestiu, secou os cabelos com magia e deitou-se novamente esperando dar sete horas, novamente ela pegou o relógio para consultar as horas e só ai prestou atenção no calendário. Trinta de janeiro, dia do seu aniversário! Ela estava tão perturbada com a ausência do Tiago que nem se lembrava.


Angélica veio até a sua cama com um sorriso enorme nos lábios.


- Parabéns amiga! – Ela disse estendendo-lhe um embrulho cor de rosa.


Lílian abriu o embrulho e tirou de dentro um par de brincos de prata maravilhoso, todo trabalhado e em formato de argola do jeito que ela gostava. Lílian o colocou no mesmo momento.


- Obrigado – ela disse para Angélica enquanto admirava os brincos no espelho.


As duas desceram para o café, e desta vez depois de muitos dias Lílian caminhou junto da Angélica para o seu lugar habitual, ela estava feliz, tinha acordado bem demais naquela manhã. Sirius se levantou meio sem jeito,pois depois do ocorrido ele e a Lílian não conversaram mais, ele estava receoso de que a Lílian estivesse com raiva dele.


- Posso te dar um abraço? – Sirius perguntou sorridente.


Lílian deu uma gargalhada.


- Claro seu bobo! – Ela respondeu.


Sirius deu um abraço forte na Lílian e a levantou do chão.


- Parabéns Lily – Desejou – E desculpe qualquer coisa – disse sem graça.


- Tudo bem Sirius, esquece. – ela disse bagunçando o cabelo dele.


Tiago aproveitou que a Lílian estava de pé e se levantou colocando-se na sua frente.


- E eu posso te dar um abraço? – ele perguntou sorrindo para ela.


Puta que o pariu. – Foi a única coisa que ela conseguiu pensar no momento.


- Claro que sim. – Respondeu.


Tiago sorriu calorosamente e a abraçou com ternura, ele tirou uma mecha de cabelo que estava no seu pescoço e a colocou para trás, deixando a pele do seu pescoço à mostra, depois a beijou ali demoradamente tirando toda a capacidade de pensar da Lílian, ela se segurou ao máximo para não levar o corpo para trás oferecendo-lhe todo o pescoço e colo para ele beijar.


- Feliz Aniversário Evans. Disse formalmente.


- Obrigado meu amor. – Ela respondeu sem pensar.


Lílian percebeu o que tinha dito no mesmo momento em que as palavras saíram, ela sentiu as mãos do Tiago se afrouxarem nas suas costas, ela se afastou dele e o fitou, ele estava piscando atônito.


- O que você disse? – Perguntou incrédulo.


- Desculpe-me, foi à força do hábito. – ela disse afastando-se dele.


Tiago sentia o coração acelerar dentro do peito, ele realmente achou que nunca mais a ouviria chamando-o de amor, ele olhou para os lados e viu o refeitório apinhado de alunos, ele queria beijá-la, ele precisava beijá-la ali, naquele momento, mas antes que ele pudesse tomar uma atitude ela foi se sentar ao lado do Sirius.


- Deu bandeira – Sirius zombou com ela.


- Nem ligo – Respondeu brincalhona.


Neste momento várias corujas adentraram o refeitório, mas uma em especial chamou a tenção de todos os alunos, Era uma coruja com asas enormes, toda branca e com olhos dourados penetrantes, nos pés ela carregava um buquê de rosas colombianas vermelhas enorme e no bico trazia um cartão. Lílian quase teve uma síncope quando a coruja parou na sua frente estendendo-lhe o bico para que ela pegasse o cartão. Lílian pegou o cartão e o abriu sem jeito.


Feliz aniversário Princesa!


Lílian olhou estarrecida para o Tiago que sorria abertamente para ela. Lílian pegou o buque com as mãos tremendo, jamais vira flores tão lindas, o perfume que emanava delas era perfeito.


- Quem te deu esse presente? – Angélica perguntou.


- Não sei, o cartão não tem nome – ela respondeu.


Mas ela sabia perfeitamente quem tinha lhe dado aquelas rosas, só havia um homem no mundo que a chamava de princesa!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por vitorialarissa em 07/05/2011

Hehe! Minhas colegas dizem exatamente isso " De anjo vc ó tem a cara, pq por dentro..." Hehe...

Voltando ao assunto, vamos DF ( descutir a fic).  Que Porra ( Hii, foi mal pelo plavrão, só consiguo me expressar bem com ele.) foi aquela de Lily se jogar nos braços de Tiago e a coisa ficar quente, e dps ser só um sonho?!  MEU MERLIN DE CEU!!!   FAÇA ESSA CRIATURA ATUALIZAR LOGO ISSO! ( Nossa q delicadeza a minha não?! ) Bom, sou sua fãa, já te disse? ( Se não agora vc já sbe) TE amodoro! Bjs docess

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.