FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

18. Lembranças.


Fic: Eu sou seu destino - Tiago&Lílian. - Concluida.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Lílian estava desfazendo a sua mala no dormitório que estaria vazio se não fosse a companhia da sua amiga Angélica.


- Caramba Angélica, você jura que eu passei o natal na mansão do Potter, eu não me lembro de absolutamente nada. – Lílian disse colocando as roupas dobradas em sua gaveta.


- Não sei que raio de bebida nós bebemos porque eu me lembro de pouquíssimas coisas também. – Angélica respondeu com um semblante assustado.


- Se eu continuar tendo lapsos de memória vou me internar no St. Mungus. - Lílian exclamou.


- Que dia é hoje mesmo? – Angélica perguntou confusa.


- Dia 25 eu acho – Lílian afirmou também na dúvida.


Angélica disse a Lílian que desceria a procura do Sirius para ver se obtinha algumas informações sobre a noite passada, Lílian não quis ir, preferiu ficar em seu quarto e deitar um pouco, ela não sabia o motivo, mas estava se sentindo estranhamente deprimida, como se alguém tivesse lhe roubado algo muito importante e valioso, por conta desse sentimento ela contou novamente suas peças de roupas, verificou a quantidade de perfumes na penteadeira e as suas penas de coleção, tudo que ela tinha de importante estava em seus devidos lugares, então porque ela estava com aquele sentimento de perda a flor da pele?


Tiago subiu para o seu quarto e se jogou na cama, ele não conseguia ficar em pé, era como se ele pesasse uma tonelada, talvez fosse a sua consciência que estivesse assim tão pesada, ou fosse o peso do seu coração inchado de tanta dor, ele não sabia ao certo o que tanto doía, por inúmeras vezes ele ouvira falar em pessoas que se auto flagelavam para externar uma dor invisível, ele nunca entendera, mas naquele cenário que  estava vivendo uma atitude como essa era compreensível, seria mais fácil para seu cérebro superar a dor se ele estivesse vendo o corte aberto e sangrando externamente, pois quando se sangra por dentro a dor é generalizada e quase insuportável.


Devido ao cansaço mental Lílian dormiu praticamente o dia inteiro, só desceu a noite para jantar e não encontrou nenhum conhecido no refeitório, Hogwarts estava notoriamente vazia, parecia um castelo mal assombrado, enquanto caminhava pelos corredores Lílian pensava em como ela queria estar em casa com os seus pais naquele momento, ela nunca se sentiu assim na vida, mas ela desejava muito poder abraçar a sua mãe. Quando ela passou pelo quadro da mulher gorda, avistou o Sirius, a Angélica e o Tiago sentados no tapete do salão comunal. Tiago encostado em uma poltrona e o Sirius em outra com a Angélica deitada em seu colo.


Mecanicamente Lílian caminhou até eles, o coração do Tiago acelerou tanto que ele colocou a mão no peito com medo que ela percebesse algo. Lílian parou de frente para a janela e fitou os jardins de Hogwarts cobertos pela neve.


-Oi Sirius, Oi Potter. – Os saudou virando-se para eles.


Aquele Potter rasgou o peito do Tiago, como ele iria se acostumar com aquilo sendo que ele já ouvira por tantas vezes ela o chamando de amor.


Lílian encostou a testa no vidro da janela, sua respiração embaçando a sua visão, ela fitou um floco de neve que passou bem de frente aos seus olhos e o seguiu até cair no chão, do nada seus olhos se encheram de lágrimas que ao piscar rolaram pelo seu rosto.


Sirius viu a Lílian chorando e imediatamente levantou para consolar a amiga.


- O que foi Lily? – Perguntou a abraçando.


- Não sei Sirius, não tenho nenhum motivo para chorar, mas hoje eu sinto como se um dementador estivesse seguindo meus passos, roubando a minha felicidade, a minha alegria de viver. – Lílian disse aos prantos.


- Vai passar... – Foi a única coisa que Sirius conseguiu dizer para a Lílian.


Apenas Angélica viu o Tiago chorando antes de se levantar e ir para o seu quarto. Será que ele estava com ciúmes da Lílian com o Sirius? – ela pensou – Não, aquilo não tinha cabimento, mas então porque ele saiu chorando do salão comunal?


*


Os últimos dias do ano foram estranhos para a Lílian, ela passou a maioria do tempo lendo em seu quarto, às vezes nem descia para comer deixando o Tiago preocupado, mas ele tinha colocado na cabeça que não tinha mais o direito de controlar a vida dela, o seu destino estava traçado, não havia nada que pudesse livrá-lo do seu carma, ele já havia perdido o pai e sabia da dor descomunal de perder um ente tão querido, ele não podia perder a sua mãe, ainda mais por sua culpa. Mesmo não estando junto da Lílian, ele ainda podia vê-la, sentir o seu perfume... E quando eles deixassem Hogwarts e ele não a visse mais, a lembrança e a certeza de que ela estaria viva em algum lugar já seria o bastante para fazer dele um homem realizado, não feliz, mas realizado.


*


- Vamos Lílian é Réveillon... – Angélica insistia para uma Lílian visivelmente abatida.


- Não estou em clima de comemoração – Lílian respondeu.


- Faz um esforço – Angélica insistiu.


Angélica foi até o guarda-roupa de Lílian e pegou o vestido branco que a sua mãe havia mandando no mês de novembro para a filha passar a virada do ano.


- Vamos, vista-se.- Angélica disse lhe entregando o vestido.


- Está bem – Lílian disse exasperada.


Cada casa de Hogwarts fez a sua comemoração de Ano Novo em seu próprio salão comunal, estava muito frio do lado de fora do Castelo e o refeitório era muito grande para as poucas pessoas que estavam ali.


Lílian não se esforçou para se arrumar, mas parecia que quanto menos ela se preocupava com sua beleza mais ela se sobressaía, Tiago sentiu como se uma goles tivesse o atingido em cheio no estômago assim que a viu, como ela podia ser tão linda? Tiago evitou ao máximo ficar perto dela, ele sinceramente não confiava em si próprio, temia a qualquer momento por tudo a perder e beijá-la loucamente.


Lílian por sua vez sentou-se em uma poltrona e afogou todas as suas mágoas ocultas no copo de uísque de fogo, ela cortava qualquer um que fosse falar com ela, queria ficar sozinha. A conduta do Tiago era outra coisa que a intrigava bastante, ele nunca perderia uma oportunidade como aquela para enaltecê-la ou pedir para que ela ficasse com ele e, no entanto ele a evitava, aquilo não fazia sentido. Quando o relógio deu 12 badaladas ela nem se deu ao trabalho de se levantar para desejar feliz ano novo aos seus colegas de casa, as únicas duas pessoas que ela cumprimentou foi o Sirius e a Angélica.


Lílian viu quando o Tiago estava rumando para o quadro da mulher gorda sem cumprimenta-la – aquilo era o cúmulo do absurdo! – Ela correu até ele e o puxou pelo braço, ao se virar ele deu de frente com ela e sentiu o ar se esvaindo dos seus pulmões.


- Feliz Ano Novo Potter! – ela desejou embriagada, abrindo os braços para ele.


Tiago não teve saída, deu dois passos para frente e passou seus braços pelas costas da Lílian que fechou seus braços no pescoço dele, ele manteve uma certa distância entre seus corpos, mas Lílian a tirou com maestria e por instinto colou o seu corpo ao dele. Tiago se permitiu afundar o rosto na clavícula da Lílian e se embriagar com o seu perfume, Quando Lílian sentiu o perfume do Tiago a invadir ela tonteou, sua mente se apagou como que para reprimir uma forte lembrança que aquele perfume trazia.


Você disse que nunca mais pediria para ficar comigo, e eu quero, eu preciso ficar com você, fica comigo vai, por favor. - Lílian escutou sua própria voz dentro da sua cabeça.


Lílian se afastou do Tiago e levou à mão na cabeça, que estranha sensação foi aquela, ela se ouviu perfeitamente, mas para quem ela tinha dito aquilo?


- Você está bem Lily? – Ele perguntou assustado com o seu comportamento.


- Sim, acho que bebi demais.  – Respondeu dando-lhe as costas e indo para o seu dormitório.


Tiago encostou-se na parede ao lado do quadro da mulher gorda e esperou a dor em seu peito passar, depois foi dormir, não havia clima para comemoração.


*


Hogwarts voltou a encher depois do recesso de fim de ano e Lílian se alegrou com isso, com a volta das aulas ela focou nos estudos e aquela sensação de vazio não a afligia mais, já na primeira semana mandou uma coruja para sua mãe querendo saber da sua viagem e como tinha sido a sua virada de ano. Lílian continuava se sentando de frente para o Tiago e o silêncio dele estava a enlouquecendo dia a dia, ela queria perguntar se tinha feito algo no Natal, se desculpar se fosse preciso, mas estava com medo de ter feito algo muito grave, não haveria outro motivo para o desprezo do Tiago.


Na segunda quinta feira do ano todos tomavam seu café habitualmente quando várias corujas adentraram o refeitório, Lílian de longe avistou a coruja de sua mãe, branca com manchas marrons e a sua frente o Tiago também recebeu um pergaminho trazido por uma coruja muito bonita, completamente cinza.


Lílian tirou o pergaminho da curta perna da coruja e lhe deu permissão para voar até o correio de Hogwarts para se alimentar e descansar da longa viagem, Lílian abriu o pergaminho ansiosa.


Querida Lílian,


A viagem foi ótima, conhecemos lugares incríveis, tiramos muitas fotos para você ver nas próximas férias. Espero que tenha se divertido na casa do seu namorado e se comportado também. Te amo.


Seu namorado? Sua mãe nunca foi sarcástica, então porque ela havia escrito aquilo? O Tiago seu namorado... Que idiotice. Lílian baixou o pergaminho e seus olhos encontraram o do Tiago a encarando, sua mente deu um estalo tão violento que ela teve que fechar os olhos, num rompante à voz do Tiago invadiu a sua mente:


- Lílian, eu te amo mais do que eu pensei um dia amar alguém, ficar com você é a felicidade plena para mim e eu pretendo nunca mais deixar de ser feliz. Você aceita namorar comigo?


Lílian abriu os olhos injetados de adrenalina, o coração saltando no peito, a respiração ofegante, suas mãos tremiam.


- Tudo bem Lílian? – Tiago perguntou segurando sua mão direita que estava em cima da mesa.


Com esse gesto Lílian viu nitidamente a mão dele colocando uma aliança enorme em seu dedo.


Merlin! Estou enlouquecendo – ela pensou assustada.


- Tudo bem Potter, não foi nada. – Disse forçando um sorriso.


O estômago da Lílian estava revirado, de repente ela percebeu que a tristeza que se abateu sobre o seu peito era por causa do Tiago, ela o amava tanto e há tanto tempo e sempre foi covarde, nunca teve coragem de pedir para ficar com ele como ela tinha ouvido na alucinação que teve na festa de Réveillo e seu maior desejo era ouvir ele pedindo para namorar com ela, era isso, sua cabeça estava criando situações que ela sempre quis viver, mas repreendeu por todo esse tempo.


Tiago fez uma cara de poucos amigos ao terminar de ler o seu pergaminho.


- É da sua futura noiva? – Lupin que tinha voltado das férias e já estava sabendo de toda a história questionou.


Tiago fez que sim com a cabeça.


- Eu mandei uma coruja dizendo para ela fazer tudo o que fosse necessário e da sua maneira, que no dia combinado para o casamento eu apareceria, agora ela me respondeu que tudo bem!  – Tiago disse sem vontade.


Lílian se esqueceu de como se respirava, o Tiago noivo? De quem? Desde quando? Então era por isso que ele estava a evitando, ele iria se casar... Lílian quase pode escutar o som do seu coração se partindo em mil pedaços.


- Quem é a noiva? – Lílian perguntou com a voz embargada.


- Minha prima – Sirius fez o favor de responder pelo Tiago.


Lílian não sentia mais as suas pernas, de todas as mulheres do mundo o Tiago iria se casar com a prima do rapaz que ela considerava seu melhor amigo.


Tiago podia ver nitidamente a dor percorrendo os olhos da Lílian, e aquilo acabava com ele, naquele momento ele considerou a hipótese de largar os estudos e ir embora de Hogwarts, ele não tinha mais coração para viver ao lado dela, ele não sabia mais como agir ao seu lado ou o que dizer para ela em um momento como aquele.


Lílian juntou seus pedaços e se levantou, pegou seus livros que estavam em cima da mesa, respirou fundo e saiu sem dizer uma só palavra. Ela não tinha o direito de sofrer porque o Tiago iria se casar, ela nunca aceitou ficar com ele e agora teria que pagar o preço por ser tão covarde.


Tiago entrou na sala de aula e já foi se sentar na última carteira, ele não iria prestar atenção na aula, ele queria apenas baixar sua cabeça na carteira e esquecer que estava vivo. Quando ele se sentou e olhou para o quadro negro deu um sorrisinho sarcástico – Aquilo era perseguição.


O professor de Teoria Geral da Magia chamou a atenção da turma dizendo:


- Hoje aprenderemos as consequências e exigências para se faz er um Voto Perpétuo e se der tempo no final da aula falaremos sobre o Obliviate. Alguém na sala poderia me dizer algo sobre o voto perpétuo? – o professor questionou.


O Tiago quase levantou a mão e falou o que ele achava do voto perpétuo, mas se o fizesse seria expulso com certeza.


- A primeira coisa que vocês devem saber é que o voto perpétuo não pode ser quebrado, de nenhuma forma, uma vez feito é para sempre e se o bruxo o descumprir terá como consequência a morte!


Um alto burburinho se instaurou na sala.


- Como a maioria dos feitiços, ele deve ser feito por vontade própria, um voto feito por meio de coação, por exemplo, não tem validade. – O professor continuou.


- Existem mais duas situações que fazem o voto perpétuo ser nulo, ou seja, não ser aceito. Quando feito por menores de dezessete anos, e quando feito em nome de outra pessoa.


Tiago se endireitou na cadeira e viu o Sirius levantando a mão.


- Como assim feito em nome de outra pessoa? – Sirius questionou ao professor.


- Eu, vou até outro bruxo e faço um voto perpétuo em seu nome, sem você nem saber – disse o professor – Suponha que eu, vou até o diretor Dumbledore e juntos fazemos um voto perpétuo onde você terá que arrumar as carteiras da sala todos os dias... Esse voto é nulo, se você não arrumar as carteiras nada vai acontecer, porque não se pode fazer votos em nome de outros bruxos, entendeu?


Sirius fez que sim com a cabeça, já se virando para olhar o Tiago, que estava inerte em sua cadeira, seu sangue congelou nas veias e doía quando o ar entrava em seus pulmões, num rompante ele se levantou e saiu da sala, deixando o professor e os outros alunos olhando-o assustados, ele correu para a biblioteca, coisa que ele raramente fazia.


Ele se aproximou da bibliotecária e pediu um livro que falasse tudo sobre voto perpétuo, longos minutos se passaram até que ela voltou com um grosso livro nas mãos com uma capa aveludada vermelha. Tiago se sentou, abriu o livro no índice e já foi direto na página que falava sobre nulidades do voto perpétuo, depois de ler todo o capitulo se convenceu de que o voto de sua mãe com a Rebeca não teve validade. As mãos do Tiago ainda tremiam sobre o livro quando o Sirius chegou; as bochechas vermelhas de tanto correr a procura do Tiago.


- Achei que fosse te encontrar com uma fisionomia melhor – Sirius disse sentando-se de frente para o Tiago.


- Eu estou pior do que antes – Tiago confessou – Apaguei a memória do meu amor por nada.


- Mas a Lílian ainda te ama, eu vejo isso nos olhos dela, é só você reconquistá-la – Sirius disse otimista.


- Eu nunca mais conseguiria me olhar no espelho se eu fizesse isso, eu não posso enganar a mulher que eu amo dessa forma, eu não consigo. – Tiago disse com os olhos marejados.


- Então conte para ela. – Sirius sugeriu.


- Você fala como se fosse fácil, vou chegar na Lílian e dizer: - Você finalmente assumiu que me amava sabia, então namoramos um tempo, você até se entregou para mim, ai eu me enganei por conta de um maldito voto perpétuo e manipulei a sua vida, sumindo com as suas lembranças com um feitiço pelas costas... – Tiago disse amargurado.


Sirius ficou sem palavras, exposta daquela maneira a coisa era um pouco mais complicada do que ele imaginava.


- E agora o que você pretende fazer? – Sirius questionou o amigo.


- Dar tempo ao tempo! – Tiago respondeu desanimado.


*


Naquela noite durante o jantar o Tiago não conseguiu ficar indiferente a Lílian, ele queria conversar com ela, apesar de saber que eles não iriam mais namorar ele se sentia livre para ser seu amigo.


- Está precisando de ajuda com os estudos Lílian – Disse a primeira coisa que surgiu na sua cabeça.


- Porque, você conhece alguém mais inteligente do que eu para me ajudar? – Lílian estava grossa até o fio do cabelo devido ao noivado do Tiago.


- Eu estava pensando em estudarmos juntos. – Ele disse sem se importar com a grosseria da Lílian.


- Desde quando você voltou a falar comigo Potter? – Perguntou irritada.


- Eu nunca parei de falar com você – Ele se justificou.


Lílian ia retrucar quando a Laís passou bem na sua frente, ela sentiu um arrepio na espinha.


- Não sei por que, mas essa Laís me irrita profundamente, não gosto dela. – Disse para a Angélica que estava do seu lado.


- Também não a suporto! – Angélica disse encarando a Laís que desviou o olhar e foi se sentar na outra ponta da mesa.


Lílian já ia se voltar para o Tiago quando de longe ela avistou a Cindy vindo em direção a eles, aquela era outra que ela tinha um pé atrás. Ela cumprimentou a todos e voltou-se exclusivamente para o Tiago.


- Nessas férias eu fui para a Itália e te trouxe um presente de lá – Ela disse estendendo um embrulho prata para o Tiago – Espero que goste, eu trouxe azul, é a sua cor favorita não é? – Perguntou mostrando todos os dentes da boca num sorriso maior do que o necessário.


- Não, não é – Lílian respondeu sem conseguir se segurar – A cor favorita dele é verde, desde criança.


- Espero que o agrade mesmo assim. – Cindy disse sem graça.


Tiago abriu o embrulho que continha uma camiseta azul que a Lílian achou horrível, aquele definitivamente não estava sendo o dia dela, já acordou sabendo que o Tiago estava noivo, passou a tarde toda sem ver ele e agora isso.


- Obrigado – Tiago agradeceu gentilmente.


Cindy saiu saltitando da mesa deixando a Lílian possessa de ódio.


- Como você sabe a cor favorita do Tiago? – Angélica perguntou provocando a amiga.


Lílian tentou descobrir, mas não conseguiu... Ela simplesmente sabia.


- Sei lá – ela respondeu dando de ombros.


Tiago sabia perfeitamente que tinha dito a Lílian qual a sua cor favorita na ceia de Natal, seria possível que a Lílian estivesse recuperando a memória? Ou o seu feitiço foi mal feito e deixou alguns resquícios da memória da Lílian?


- E então aceita estudar comigo? – Tiago voltou a puxar conversa com a Lílian.


Você vai estudar só até as oito e depois vai namorar comigo até não aguentar mais de sono. – Lílian escutou a voz do Tiago ecoar na sua mente.


 Lílian levou a mão esquerda até a sua cabeça, aquilo já estava ficando incomodo. 


- Hoje não posso Potter, tenho que fazer a ronda nos corredores, amanhã também. Se você quiser podemos estudar no sábado depois da nossa aula de defesa contra as artes das trevas – Disse se levantando da mesa.


 - Por mim tudo bem – Tiago disse sorrindo.


 Lílian sentiu seu coração dar um solavanco, há quanto tempo que ela não via aquele sorriso magnífico dirigido a ela.


 - “Eu nunca mais conseguiria me olhar no espelho se eu fizesse isso...” – Sirius disse fazendo uma péssima imitação da voz do Tiago.


 - Não me irrita pulguento – Tiago respondeu sorrindo. 


- Depois que você deixou a sala de aula o professor disse algo interessante sobre o Obliviate – Sirius disse para o Tiago. 


- O que?


 - Que se o bruxo não tiver certeza se quer realmente fazer aquilo, ou tiver sendo forçado o feitiço dura no máximo três meses e às vezes dura apenas dias – Sirius disse sorrindo – Mas é claro que essas coisas não acontecem não é mesmo, ninguém vai apagar a memória de outra pessoa sem querer realmente que isso aconteça.


Tiago entendeu o recado, com certeza a memória da Lílian estava voltando, e ela se lembrar da sua cor favorita era prova irrefutável disso.


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Patronus Holly em 29/04/2011

aeeeeeeeeee quem aqui acha o tiago o tapado quatro olhos fofo mais sortudo do mundo ergue a mao \o/

 

uahuahuahuah graças a merlim aquilo nao era valido...se nao ia ser obrigada a contratar os serviços da tia bella em relaçao a anne =D

 

guriaaaaa posta rapidao ta super legal =D

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por vitorialarissa em 28/04/2011

Coitadinho so nosso Ti!

Sabe como vc faz para ela recuperar a memória rapidinho?

É só ele dar "Uns Pegas" nela aai em um estante as lembranças voltam...

"- Está precisando de ajuda com os estudos Lílian – ele disse a primeira coisa que surgiu na sua cabeça.


- Porque, você conhece alguém mais inteligente do que eu para me ajudar?"

 

MORRI!

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.