FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

17. Voto Perpétuo.


Fic: Eu sou seu destino - Tiago&Lílian. - Concluida.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________


Lílian acordou bem cedo na manhã seguinte, ao abrir os olhos ela se deparou com uma imagem apaixonante – a do Tiago dormindo - Muito a contra gosto ela foi para o seu quarto, ela não queria correr o risco de ser flagrada pela mãe dele. Ao deitar em sua cama ela se deu conta que acordou com um sorriso gigantesco, a sua alegria era tanta que estava quase palpável, ser completamente do Tiago a deixou em um estado de êxtase, involuntariamente ela se imaginou no futuro em um dia que ela acordaria ao lado do Tiago e não precisaria sair do seu lado, um futuro onde ela poderia começar tudo novamente como na noite anterior.


O Tiago acordou e quando a consciência o atingiu ele sorriu. O cheiro da Lílian ainda estava impregnado em seus lençóis, ele abriu os olhos pronto para admirá-la, mas ela não estava lá, ele chegou a considerar que tivesse sonhado, porém nunca teve uma imaginação muito fértil e criar todas aquelas sensações  seria impossível para ele. – Medo de ser pega! – Ele pensou sorrindo abertamente se espreguiçando na cama, como ele amava o pudor desmedido da Lílian!


Tiago levantou, escovou os dentes, lavou o rosto e trocou de roupa, ao se olhar no espelho quase não reconheceu o rosto que refletia. A fisionomia parecia à mesma, mas havia um brilho intenso em seus olhos, ele estava bem mais corado do que o normal e o sorriso, esse não deixava o seu rosto nem um minuto.


Lílian também estava se admirando no espelho enquanto lavava o rosto, o verde dos seus olhos chagava a ofuscar, a sua pupila era mínima, o rosto estava mais corado do que o habitual e no pescoço algumas marcas sutis da noite passada. – Ainda bem que trouxe minha blusinha de gola alta – ela pensou sorrindo.


Ambos abriram a porta dos seus quartos no mesmo momento, Lílian não teve tempo nem de pensar e já estava nos braços quentes e aconchegantes do Tiago.


- Como você me abandona assim? – Ele perguntou roçando seus lábios no dela.


- Eu não podia ser pega – Disse sorrindo em seus lábios.


- Deixa o mundo saber que você é minha! – Pediu sustentando o seu olhar.


- O mundo pode saber, só a sua mãe que não. – Ela disse sorridente.


Tiago a beijou com um carinho profundo, ele queria muito ergue-la no colo e deitá-la em sua cama para beijar cada pedacinho do seu corpo que ele deixou de beijar na noite passada.


- Não se empolga – Lílian disse marota empurrando o Tiago levemente pelo peito.


*


Os dias que antecederam o Natal passaram velozes. Lílian não se permitiu transar com o Tiago mais nenhuma vez, apesar de todas as noites demorar a dormir pensando que ele estava bem ali a um passo dela, ela se lembrava de como o toque dele era único e maravilhoso, de como o gosto dele a fazia perder a razão e de como o perfume dele a inebriava a ponto de esquecer quem ela era. Todas as noites antes do sono vir ela lutava duramente contra a voz que gritava na sua cabeça para ela esquecer que a Sra. Potter existia, para ela deixar o pudor de lado e se jogar na cama do homem que ela tanto amava.


Durante o dia ela confabulou uma tática infalível: Conversar. Eles conversavam sobre tudo e era incrível como os assuntos fluíam, as maiores dúvidas do Tiago era sobre os trouxas, Lílian ria muito com as caras que ele fazia quando ela tentava explicar como um avião voava sem magia, ou como era possível falar com uma pessoa do outro lado do mundo em tempo real usando a internet e não uma lareira.


Em uma das muitas perguntas que a Lílian fez para o Tiago ela quis saber qual a coisa mais triste que já aconteceu na vida dele e ficou chocada quando ele disse que foi o dia que seu pai morreu. Lílian não sabia que o Sr. Potter era falecido, o Tiago nunca falava sobre isso com ninguém. Quando o Tiago rebateu querendo saber qual foi o dia mais triste da sua vida Lílian tentou omitir, a tristeza dele fazia a dela parecer ridícula.


- Nunca tive um dia realmente triste – ela disse – Nunca ninguém da minha família morreu.


- Mas com certeza tem um que você tem como o pior dia da sua vida, todo mundo tem! – ele rebateu curioso.


Lílian corou violentamente aguçando ainda mais a curiosidade do Tiago.


- Por favor, você não confia em mim? – Disse levantando o  queixo dela com o indicador,  a encarando.


- Não sei se foi o dia que eu te vi na cama com a Laís ou o dia que te vi a beijando  na festa da Sonserina. – Disse morrendo de vergonha.


Lílian esperou o Tiago gargalhar da sua resposta, mas seu semblante endureceu, ele ficou visivelmente triste e abalado.


Tiago estava sentado no tapete da sala de frente para a Lílian, ele bateu nas suas coxas a chamando para sentar ali no seu colo, Lílian olhou para a porta apenas para checar que a Sra. Potter não estava por perto e sentou em seu colo com as pernas abertas uma para cada lado do corpo dele. O contato a fez estremecer, mas ela disfarçou com maestria.


- Me desculpa. – Tiago pediu com uma voz triste enquanto acariciava os cabelos dela.


- Não estou te entendendo – ela respondeu confusa.


- Eu sou o causador da pior lembrança que você tem na vida, da que mais te marcou, da que mais te fez sofrer, como você acha que estou me sentindo?


- Não foi nada meu amor – ela disse lhe afagando o rosto – Já passou.


Ele sorriu.


- Eu já lhe disse como é bom ouvir o timbre da sua voz me chamando de amor? – ele perguntou.


- Hoje não! – Ela respondeu levando os seus lábios de encontro ao dele.


Tiago colocou o indicador nos lábios da Lílian antes que ela colasse os seus lábios e disse:


- Prometo nunca mais te fazer sofrer princesa, eu dou minha vida pela sua se for preciso para te ver feliz.


Lílian ia dizer que sem ele não havia felicidade em sua vida , mas antes de conseguir verbalizar este pensamento os lábios do Tiago já estavam sorvendo os seus de uma forma acolhedora, já fazia alguns dias que ela não se permitia beijar o Tiago daquela forma, mas ela simplesmente não tinha forças para resistir, o amor que ela sentia por ele era muito maior do que ela poderia comandar.


- Eu preciso subir para me arrumar. – Lílian disse sem folego se afastando do beijo.


- Mas ainda faltam quatro horas para a ceia Lílian – ele disse investindo outro beijo em seus lábios.


- Então – ela disse se levantando do seu colo – Estou atrasada, a angélica já está me esperando.


Antes de ir de encontro com a Angélica Lílian deu um selinho rápido nos lábios do namorado.


- Não faz essa cara amor – ela disse sorrindo do biquinho dele – Nós não combinamos de passar o réveillon em Hogwarts? Então... Amanhã a sala precisa é nossa!


Tiago sorriu da proposta indecorosa da Lílian.


- Nossa o dia inteiro... – ele rebateu malicioso.


Lílian ficou vermelha como seus cabelos, mas não deixou de sorrir, um dia inteiro na sala precisa com o Tiago era tudo o que ela queria.


*


Aos poucos a mansão dos Potter foi enchendo de convidados, Tiago estava na sala principal fazendo um bom papel de anfitrião junto com Sirius que quase enfartou quando viu três Black adentrando a sala da Mansão.


- Mais que porra eles fazem aqui? – Sirius disse engasgando-se com cerveja amanteigada.


- Potter e Black são famílias tradicionais caro amigo ,é normal minha mãe ter amizade com eles, e sua prima praticamente cresceu dentro dessa casa – Disse tentando acalmar o Sirius.


Tiago foi cordialmente cumprimentar os Black, mas Sirius não deu um passo em direção a eles, seu coração estava saltando no peito só de ter que passar o Natal ao lado daquela corja. Sua tia Rebeca, seu tio Edson e sua prima Anne não paravam de olhar para ele.


- Nossa Tiago, que aliança enorme – Anne disse apontando para a mão direita do Tiago.


- Estou namorando sério Anezinha. – Disse sorrindo para a amiga de infância.


- Que legal – Ela respondeu falsamente.


- A qual família bruxa ela pertence? – Rebeca Black questionou.


- Ela é trouxa. – Tiago respondeu normalmente.


- Entendi... Ela é apenas um passatempo. – Rebeca afirmou.


- Pelo contrário, eu vou me casar com ela. – Tiago respondeu sentindo a raiva fluir nas veias.


- E dar esse desgosto para a sua mãe! – Rebeca disse num tom acima do normal.


- Minha mãe nunca ficaria desgostosa com a minha felicidade, agora se me der licença – Tiago deu as costas para os Black se questionando como eles podiam ser tão diferentes do Sirius.


 Tiago se enfureceu com a grosseria da Rebeca Black, quem ela pensava que era para entrar na sua casa e ofender a sua namorada.


- Idiota – Tiago resmungou antes de virar um copo de uísque de fogo.


- Vai com calma amor. – Lílian disse atrás do Tiago.


Quando o Tiago se virou toda a raiva que ele estava sentindo se dissipou e o amor preencheu completamente o seu coração, ele nunca vira a Lílian tão linda.


Lílian estava com um vestido longo colado no corpo até a cintura onde ele caía perfeitamente até os pés, o cabelo perfeitamente ondulado nas pontas dava um tom degrade de vermelho ao cair no vestido. Tiago foi até a Lílian e a abraçou, seu coração disparou quando suas mãos acariciaram as costas nuas da Lílian.


- Você está perigosamente linda. – ele sussurrou em seu ouvido.


- E você quer me matar vestindo um meio terno – ela respondeu sorrindo.


- Minha mãe me obrigou.


- Está lindo! E essa gravata verde combina com meus olhos – ela brincou.


- Verde sempre foi minha cor preferida, desde criança – ele disse.


Nesse momento a Sra.Potter chegou com um casal de amigos para apresentar ao Tiago e a Lílian, depois deles viram muitos outros, Lílian não conseguiu sair da onde estava, pois a todo o momento parava alguém para conhecê-la. Toda aquela atenção a deixava envergonhada, sem contar na cara que a maioria das pessoas fazia ao saber que ela não pertencia a nenhuma família bruxa tradicional.


- Me sinto uma plebeia. – Lílian sussurrou no ouvido do Tiago que riu da forma descontraída que a Lílian levava aquela situação constrangedora.


Onze horas da noite todos os convidados se sentaram na gigantesca mesa para a ceia. A mesa de mais de cinco metros de comprimento estava forrada com uma toalha de cetim vermelho, todas as travessas eram de prata pura e as louças de cerâmica com fios de prata, os copos eram de um cristal tão fino que Lílian tinha medo de relar os dentes neles e quebra-los, sem contar na infinidade de talheres tanto do lado esquerdo quanto do lado direito de cada prato. Lílian se sentiu imensamente agradecida pela sua mãe ter lhe obrigado a fazer aulas de etiqueta.


Ao final da ceia o Tiago virou-se orgulhoso para a Lílian.


- Para uma plebeia você se saiu muito bem! – Disse beijando-lhe os lábios.


- De tanto observar os puros sangue acabei aprendendo! – Respondeu brincando.


Tiago pegou a Lílian pela mão e juntos seguiram até a sacada da mansão, ele não queria ter que desejar feliz natal para todas aquelas pessoas e faltavam alguns minutos para a meia noite.


- Me espera aqui que vou pegar algo para bebermos na cozinha. – Disse arrumando uma mecha do cabelo dela atrás da orelha.


- Usa o Accio – ela pediu.


- Minha mãe me mataria se uma garrafa passasse voando na cabeça dos seus convidados – Respondeu sorrindo só de imaginar a cara da mãe dele.


 Ao chegar à cozinha Tiago escutou a voz estridente e irritante da Rebeca Black conversando com alguém.


- Mas ele está falando em se casar com ela! – Rebeca disse indignada.


- Eu já vivi o suficiente Rebeca, só quero ver o meu filho feliz. – A Sra. Potter rebateu.


- O Tiago tem o direito de saber e fazer a escolha dele.


- Não ouse contar.


- Me contar o quê? – Tiago perguntou entrando na cozinha.


A prataria que a Sra. Potter tinha nas mãos caiu no chão num barulho típico, ela olhou de soslaio para a Rebeca e empunhou sua varinha, porém a Rebeca foi mais rápida e num Expelliarmus a desarmou.


- Alguém me explica o que está acontecendo – Tiago pediu aflito.


- Vai embora filho, por favor- Suplicou a Sra. Potter.


- Não mãe, eu quero saber que escolha é essa... Fala Rebeca. – Disse autoritário.


A Sra. Potter começou a chorar copiosamente, havia desespero em seu olhar.


- Não é nada de mais Tiago – Rebeca Black disse serena. Quando eu e a sua mãe éramos mais novas vivíamos aprontando, brincando com magia. O destino quis que engravidássemos no mesmo mês, éramos muito amigas e então ainda sem sabermos o sexo dos bebês numa noite quente fizemos um voto perpétuo de que se tivéssemos um casal eles se casariam no ano que deixassem Hogwarts, e a consequência para quem quebra tal juramento é a morte.


Tiago absorvia as palavras lentamente, aquilo só podia ser brincadeira.


- Se eu não me casar com a sua filha ano que vem eu vou morrer, é isso? – ele perguntou confuso.


- Não meu bem – Rebeca disse numa voz falsa – Não foi você quem fez o juramento foi a sua mãe!


- Mãe... – Tiago clamou por ela para que ela simplesmente dissesse que aquilo tudo era um grande engano.


Em meio às lágrimas sua mãe lhe disse:


- Filho, o erro foi meu, eu não acreditava muito nessa história de juramentos mágicos, eu sinceramente achava que se podia quebrar a promessa, mas, por favor, não deixe de ser feliz por minha causa.


- AH CLARO, SEREI MUITO FELIZ CONSTRUINDO MEU CASAMENTO EM CIMA DO SEU CAIXÃO! – ele gritou desesperado.


Tiago foi até a sua mãe e a segurou firme pelo braço como nunca havia feito na vida.


- Ah alguma maneira de se quebrar esse voto perpétuo? Algum contra feitiço? Alguma poção?


A Sra. Potter simplesmente balançou a cabeça num sinal negativo.


- A Anne sabe? – Ele perguntou olhando para a Rebeca.


- Sempre soube – Respondeu.


Tiago saiu da cozinha sentindo a sua alma fragmentada, a dor era tanta que a sua vontade era de gritar, era uma dor invisível vinda de algum lugar dentro dele, mas capaz de matar de tão violenta. Sua cabeça trabalhava a milhão tentando encontrar uma solução para algo insolucionável, ele já tinha estudado sobre o voto perpétuo em Hogwarts e sabia que não tinha volta, não havia outro jeito de salvar a vida de sua mãe. Tiago sentia um ódio mortal de sua mãe naquele momento, como ela pode ser tão leviana!


Esse era o fim dos seus dias perfeitos, era o fim da sua felicidade, ele não podia mais namorar a Lílian sendo que seria obrigado a casar com outra pessoa em menos de um ano, não seria justo com ela, também não adiantaria de nada contar a verdade para ela, só faria com que o sofrimento de ambos se prolongasse ainda mais... Tiago estava desesperado andando pelo corredor da mansão quando o Sirius o encontrou sem rumo, quando o viu Tiago o abraçou forte e se permitiu chorar feito uma criança no ombro do melhor amigo.


- Você vai ter que me ajudar – Tiago pediu ao amigo depois de contar-lhe tudo.


- Não posso Tiago, isso não está certo – Sirius tentou argumentar.


- Eu jurei que nunca mais a magoaria, eu não vou aguentar vê-la sofrendo por minha causa, e se eu tiver que escolher entre vê-la sofrendo ou ver a minha mãe morta eu acabo com a minha vida.


- Não fala isso nem de brincadeira, eu te ajudo está bem, fica calmo – Sirius disse abraçando o amigo novamente.


Tiago lavou o rosto e voltou para a sacada, quando ele avistou a Lílian seu coração pulsou forte dentro do peito, como ele iria viver longe dela?


- O que houve Tiago? – ela questionou irritada – estou te esperando a um tempão.


Tiago a puxou para junto de si e a beijou pela última vez, seu peito doía de saber que ele nunca mais a beijaria, suas mãos tremiam ao tocar a pele dela e o desespero estava quase o dominando.


- Desculpa a demora, mas minha mãe me pegou para conversar sobre família, aí já viu! – ele disse disfarçando.


- Feliz Natal – ela disse passando as mãos em volta do pescoço dele.


Infeliz natal – Tiago pensou amargurado.


- Feliz Natal princesa. – ele desejou.


- Fica comigo por todos os natais da minha vida? – Lílian pediu num tom de brincadeira.


Tiago fechou as mãos ao lado do copo e esperou que a dor percorresse todo o seu corpo, quando ela se concentrou apenas no seu coração ele respondeu:


- Eu sempre vou estar com você Lílian, em todos os Natais, aniversários e datas importantes, você faz parte da minha vida, pode até ser que o destino nos separe algum dia, porém vai ser uma separação apenas de corpos, porque minha alma e meu coração esses nunca te abandonarão.


- O destino não seria assim tão cruel amor – Lílian disse beijando-o e aumentando ainda mais o seu sofrimento.


Como combinado na manhã seguinte Sirius, Angélica, Lílian e Tiago voltaram para Hogwarts, Sirius e Tiago usaram primeiro o pó de flu, seguidos por Angélica e Lílian. Quando as duas caíram no tapete do salão comunal da Grifinória os dois não estavam mais lá.


- Onde eles estão? – Angélica perguntou surpresa com a rapidez que eles sumiram.


Lílian olhou para os quatro cantos do salão comunal e nada do Tiago e do Sirius.


- Eles devem ter subido para ver quem está no castelo! – Lílian concluiu.


- Vamos subir também então, desfazer nossas malas e ver quem está aqui nos dormitórios. – Angélica sugeriu.


Quando as duas estavam subindo as escadas, Tiago e Sirius pararam atrás delas, escondidos pela capa da invisibilidade e com as varinhas empunhadas num uníssono disseram: - Obliviate.


Sirius apagou todas as lembranças que a Angélica tinha da Lílian junto com o Tiago e o Tiago apagou todas as lembranças que a Lílian tinha dos dois juntos, ele podia sentir as lembranças se dissipando, conforme a memória da Lílian ia apagando grossas lágrimas escorriam em sua face, porque ao apagar as lembranças da Lílian ele estava apagando a história de amor dos dois, ele estava liberando a Lílian para ser de outro, ele estava abrindo mão da sua própria felicidade pela vida da sua mãe.


Tiago saiu de baixo da capa e aproveitando a torpeza da Lílian devido ao feitiço tirou a aliança do seu dedo sem ser notado.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Patronus Holly em 23/04/2011

ah meu merlim que capitulo triste...

TEm que ser REbeca black, ja nao bastava foder nossos ouvido, ainda tem que foder com a vida do tiago e da lilian...

 

Cara nao é mais facil casar...ficar junto um dia e se separar

pronto vai ter casado, vai ter divorcaido e todo mundo vai ficar feliz...

 

ou a lily podia tar gravida (ta eu sei que ela ta na escola , mas e dai?) rsrs

okok parando com suposiçoes...guria eu adoro sua fic... ve se nao demora...

 

bj

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.