FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

11. Ele é inocente!


Fic: Eu sou seu destino - Tiago&Lílian. - Concluida.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Sirius estava disposto a dar em cima da Bianca para ver se conseguia obter dela alguma confissão, ele sabia que era muito sedutor e ia usar este fato para ajudar a Lílian, mas para isso ele tinha que convencer à namorada.


- Eu não vou ficar com ela – Explicava para uma Angélica emburrada – eu só vou deixar ela pensar que eu estou afim.


- Eu não estou gostando nada dessa história, ela é uma biscate igual à Laís – Angélica não estava disposta a ceder.


- Paixão, é para ajudar o meu amigo e a sua amiga – Disse abraçando-a carinhosamente.


Angélica pensou um pouco dizendo:


- Você vai ter que jurar com magia que não vai ficar com ela.


Sirius estava convicto que não ficaria com a Bianca, então aceitou o juramento.


Os dois juntaram as mãos esquerdas e com a direita empunharam sua varinha.


- Eu Sirius Black juro para a Angélica, que não ficarei com a Bianca, e se eu ficar arcarei com as consequências impostas nesse momento por ela.


A consequência não era falada, era apenas pensada pela outra parte selando o juramento, Angélica pensou no Sirius todo verde, careca e cheio de caroços pelo rosto e corpo.


- Espero que você não tenha pensado em nada muito horrível – Disse.


- Eu? – Ela disse num tom falso de indignação – Imagina. Mas por quê? Está com medo?


- Nem um pouco – Sirius afirmou, beijando-a em seguida.


 


A noite no dormitório Tiago perguntou ao Sirius o que ele tanto conversou com a Lílian no salão comunal, Sirius não podia contar para ele e mentir para o amigo lhe custava muito mais do que podíamos imaginar.


- Você me entenderia se eu dissesse que não posso te contar?


- Entender não entenderia, mas se você não pode falar tudo bem. – Disse deitando-se na cama.


- É que o Dumbledore está fazendo uma investigação sobre um roubo que aconteceu em Hogwarts e eu e a Lílian estamos incumbidos de investigar – Ele revelou não aguentando ver a cara de decepção do amigo.


- Um roubo? – Tiago disse sentando-se na cama – Mas o que roubaram?


Pergunta errada. – Sirius pensou.


- Uma poção na sala do professor Borage.


- Félix Felicis! – Tiago afirmou convicto.


- Não, a Polissuco. – Sirius respondeu.


Tiago não ligou uma coisa na outra, tirou a camisa deixando seu peito musculoso à mostra, deitou-se novamente cobrindo-se até o umbigo e fechou os olhos para dormir. Essa era a pior hora do dia para ele, porque era nesse espaço de tempo entre deitar e dormir que ele mais pensava na Lílian, a lembrança dela era tão vívida que ele podia sentir o perfume dos seus cabelos e aquilo doía muito, doía também porque naquele dia ela voltara a falar com ele e doía mais ainda porque ele sabia que não havia mais chance para os dois.


 *******************


Lílian acordou na segunda-feira com a respiração ofegante, sonhara que o Tiago tinha entrado no dormitório feminino para ficar com ela e no sonho ela não era essa menina extremamente tímida que é na vida real, no sonho ela fazia tudo que realmente tinha vontade de fazer com o Tiago. - Merlin porque esse menino me persegue até nos sonhos?


Levantou-se e tomou um banho gelado, deixou que a água percorresse todo o seu corpo desconectando suas terminações nervosas, vestiu seu uniforme e desceu, chegando ao salão comunal Angélica a aguardava para irem juntas tomar café. Angélica contou para Lílian do juramento que ela e o Sirius fizeram e Lílian teve um acesso de riso com o castigo que a amiga pensara, ao chegar à mesa da Grifinória Lílian olhou para o Sirius e o imaginou verde e careca – Disparou a rir novamente, ela ria tanto que sua barriga começou a doer e lágrimas escorriam dos seus olhos.


- Qual a graça? – Tiago perguntou para Angélica apontando para a Lílian.


Angélica deu de ombros, se fazendo de desentendida, mas rindo também da cara de confuso do Sirius e do Tiago.


- Que bom ver que você está feliz – Tiago disse amargo.


Aquela afirmação acabou com a alegria da Lílian.


- Sorrir não é atestado de felicidade. – Lílian disse parando de rir com o comentário dele – Há uma grande diferença entre alegria e felicidade, eu fiquei alegre com uma coisa que ouvi, mas felicidade é um estado de espirito contínuo – ela se levantou emburrada – E se quer saber você acabou com a minha alegria também!


Dito isso ela saiu da mesa e foi para a sala de aula, morrendo de raiva do Tiago cogitar a ideia de que ela estivesse feliz longe dele.


- Porque vocês dois não voltam a namorar de uma vez? – Angélica perguntou para o Tiago se levantando da mesa.


- Porque eu não sou um objeto que você pega aqui depois largar em cima da estante, depois de algum tempo você volta lá, pega o objeto na estante, sopra o pó e volta a usá-lo, eu tenho sentimentos e ela só me faz mal – Respondeu enraivecido.


- Mas e se ela descobrisse que você é inocente e quisesse voltar? – Laís insistiu.


- Eu vou ficar muito feliz no dia que ela descobrir que eu sou inocente, mas não vou voltar com ela, sabe Angélica, no dia que ela alega que me viu com outra eu tinha dito que a amava e a única mulher que ouviu isso de mim foi a minha mãe, eu não sei que porra de amor é esse que ela achou que eu sentia por ela, aliás, a Lílian por quem eu me apaixonei tinha um senso de justiça enorme, essa que acabou de sair daqui foi extremamente injusta – ele respondeu saindo da mesa aos trancos.


Angélica e Sirius se olharam com um olhar que dizia: Ferrou!


************* 


A professora de Runas e o professor de Herbologia foram juntos a um congresso e ainda não tinham voltado, por esse motivo o professor Libatius Borage daria aula para a turma da Lílian e para a turma do Tiago juntas, Lílian corou de vergonha ao entrar na masmorra e ver que o Tiago estava lá e ferveu de ódio quando viu que ele estava conversando com uma menina desconhecida.


- Quem é aquela de papo com o Tiago – Perguntou para a Angélica.


- É a Cindy, é da sala dele, mas é muito discreta não fala com muita gente.


 **


 Sirius combinou com o professor Borage de colocá-lo de par com a Bianca que era a principal suspeita de ter roubado a sua poção junto com a Laís. O professor disse para a sala que naquele dia a aula seria atípica e que ele escolheria os pares que trabalhariam juntos em sua aula, quando ele disse o par Sirius e Bianca Angélica sentiu como se uma Goles tivesse lhe acertado o estômago.


Lílian ficou compadecida com o sofrimento da amiga, ao que parece Angélica estava gostando mesmo do Sirius, Lílian fez uma anotação mental de conversarem sobre isso naquela noite. Mas o pior ainda estava por vir, como se o destino estivesse conspirando para que aquele dia fosse um dos piores da sua vida o professor a coloca de par com o Tiago.


Tiago riu por dentro, nem ele mesmo estava se entendendo, pois ao mesmo tempo em que ele queria esquecer a Lílian ele ficava extremamente feliz de tê-la por perto.


Ele andou até a mesa que ela estava sem a olhar nos olhos, Lílian também não fez questão de puxar conversa, então ficaram assim, um do lado do outro, sentindo uma onda de vibrações passarem por seus corpos, mas sem se comunicarem.


- Hoje vocês irão fazer a poção – Veritaserum – Borage disse.


É a poção da verdade mais forte e perigosa que existe, uma vez que não tem cheiro, sabor e é transparente.


Um murmurinho tomou conta da masmorra.


Mas fiquem tranquilos porque ela demora um mês para ficar pronta.


Borage passou um pergaminho com os ingredientes para cada dupla.


- Podem pegar os ingredientes e começar a poção – ele disse.


Lílian estava indo buscar os ingredientes na prateleira quando Tiago a impediu, dizendo que ele mesmo buscaria. Lílian não disse nada apenas entregou-lhe o pergaminho, Tiago não ia revelar, mas resolver ir depois de constatar que havia apenas meninos nas prateleiras.


******************


Sirius estava flertando com a Bianca descaradamente, ele jogava todo o seu charme – que não era pouca coisa – e Bianca estava se sentindo uma coca-cola estupidamente gelada no deserto!


- Você é a menina mais llinda de Hogwarts – Sirius sussurrou no seu ouvido.


- Eu pensei que você namorasse aquela sonsa da Angélica – Bianca rebateu.


- Não é nada sério, é apenas um namorozinho sem graça, tipo o que o Tiago tinha com a Evans – ele disse e fez uma careta.


 – Casalzinho mais sem graça. – Bianca comentou.


- Também acho, por isso adorei o que você e a Laís fizeram para separar aqueles dois, eu estava realmente ficando preocupado com o namoro deles.


- Eu e a Laís? – Ela se fez de desentendida.


- Não se preocupe, eu sei da poção polissuco desde o primeiro dia – Disse cortando umas folhas azuis em formato triangular como dito na receita.


- Sabe? – Ela disse desconfiada – Como? – Se entregou.


- Sabendo oras – Sirius quase não controlava sua alegria – Sou o melhor amigo do Tiago, então saberia se ele realmente tivesse ficado com a Laís, depois foi só ligar os pontos, mas pode ficar despreocupada porque se eu não contei até agora é porque estou do seu lado – Disse tirando uma mecha do cabelo dela do rosto e colocando atrás da orelha.


- Você é muito inteligente – O elogiou.


- Você também, a ideia da poção polissuco foi genial.


- Na verdade a ideia foi da Laís, eu apenas emprestei meu corpo para me passar pelo Tiago – Ela confessou despreocupadamente.


- Dizem que a poção tem um gosto muito ruim – Ele disfarçou.


- Nossa nem me lembre, é horrível, acho que nem se a Laís se ajoelhasse me pedindo eu faria novamente!


Sirius pegou o pergaminho fingindo ler a receita, depois fez sua melhor cara de confuso e disse:


- Nossa, eu não entendi nada da terceira coluna para baixo, vou ali perguntar para o professor e já volto.


Dito isso ele saiu na direção do professor Borage, sua vontade era correr até a mesa dele, mas se conteve.


- Ela acabou de me confessar tudo – Disse mostrando o pergaminho para o professor, disfarçando.


- Bom trabalho garoto, agora volte lá e aguarde o show! – Borage disse.


*****************


Lílian cortava os ingredientes em silêncio, mas parecia que o Tiago tinha entrado em um balde com poção do amor tamanho o perfume que sua pele estava exalando.


Tiago por sua vez espremia o sumo de uma planta igualmente em silêncio, se ela não queria falar com ele não seria ele que iria falar!


Porém existem momentos em que as palavras são desnecessárias para expressar um sentimento, foi quando Tiago se virou para pegar uma faca que estava no meio da bancada e a Lílian fez o mesmo movimento fazendo com que seus dedos se tocassem, foi como se ela tivesse encostado o dedo num ferro quente e ele num fio desencapado, ambos puxaram suas mãos para longe num movimento brusco demais.


- Desculpe – Tiago falou.


-Não foi nada – ela respondeu – Quando foi que ficaram tão distantes? – ela pensou.


Lílian fez um gesto com a mão para que o Tiago pudesse pegar a faca, seu coração batia freneticamente dentro do peito, ele usou a faca e depois largou novamente em cima da bancada.


Lílian pegou a faca e sentiu que o cabo estava levemente úmido, como se as mãos do Tiago estivessem suando, mas não estava calor para tanto.


*******************


O professor Borage saiu da sala, deixando que eles terminassem sozinhos a poção, Angélica viu ali a oportunidade de ir falar com a amiga.


- Lily, posso falar com você? – Disse encostando-se na bancada que lílian usava.


Lílian percebeu que a conversa era em perticular, então seguiu com Angélica até perto da porta.


Angélica contou para Lílian o que o Tiago tinha dito há algumas horas atrás no refeitorio, ela não queria que a amiga pedisse num impulso para voltar com ele sabendo que ele diria não, ela quis prevenir a Lílian de passar por essa humilhação. Lílian ficou visivelmente abalada, seus olhos ficaram vermelhos e ela fez um esforço sobre-humano para não chorar.


- Não fica assim Lyli – Disse abraçando-a, tudo vai dar certo.


Mas Lílian não acreditava mais nisso, o Tiago estava coberto de razão, ela que sempre foi tão justa se deixou levar por um sentimento... O ciúme a cegou e ela não deu a menor chance para ele se defender, mostrar o seu lado, tentar convecê-la do contrário!  Lílian voltou para a bancada e o Tiago a encarou, seu peito apertou ao perceber quão triste Lílian parecia estar, mas ele não ia perguntar, de manhã disse que ela estava feliz e ela lhe passou um sermão, se dissesse agora que ela estava triste com certeza ela lhe passaria outro, inexplicavelmente ele sentiu uma vontade absurda de abraça-la, mas se conteve tentando prestar atenção na poção que borbulhava dentro do caldeirão.


**********************


O professor Borage voltou para a masmorra em companhia do professor Dumbledore, fez-se um silencio sepulcral assim que os dois entraram, era incrível o tamanho do respeito que os alunos tinham por Dumbledore.


- Alunos. Vou fazer um exercicio valendo um ponto na média e Dumbledore é quem vai ser o julgador, quem gostaria de se habilitar e ter a chance de ganhar um ponto?


A sala inteira levantou a mão, afinal poções era uma matéria muito difícil para se obter nota. O professor Borage passou pelo corredor  olhando todos os alunos, chamou a Angélica e depois a Bianca para participarem.


- Vou precisar que vocês abram a boca, vou colocar tres gotinhas dessa poção e vocês terão que me dizer qual o gosto que sentem.


Borage tirou um pequeno frasco do bolso contendo uma poção límpida e incolor, Bianca e Laís se entreolharam sorrindo uma para a outra.


Lílian “ganhou” na hora que era a poção Veritaserum, seu coração acelerou tanto que ela achou que iria enfartar, porque aquela poção só era usada em casos extremos e com autorização do ministério, se eles estavam usando essa poção nas duas era porque as evidências eram incontestáveis, ou seja, o lindo rapaz de olhos castanhos esverdeados, cabelos preto bagunçado que estava na sua frente com os braços cruzados no peito assistindo aquela cena era inocente de todas as acusações que ela lhe fez e pior nunca iria lhe perdoar por ter sido tão parcial.


Lílian encostou-se na bancada para não cair, como ela pode ser tão burra.


-E então meninas, qual é o gosto? – Borage perguntou.


- Nenhum. – As duas responderam em uníssono.


- Exatamente, assim é a poção Veritaserum, sem cor, odor ou gosto – ele completou.


As duas estavam imóveis, olhando para a sala como se estivessem em um transe. Dumbledore caminhou até as duas, mantendo uma certa distância para que todos na sala as vislumbrassem.


- Eu estou aqui por um motivo muito sério, e parece que o destino resolver me ajudar juntando as duas salas, assim só passarei o recado uma vez – Dumbledore disse - Não admitimos roubo em Hogwarts, de nenhuma espécie! Dito isso ele se virou para as meninas.


- Laís, queira, por favor, nos contar como você roubou a poção Polissuco do professor Borage?


- Foi fácil, ele sempre nos deixa sozinhos na masmorra em alguma parte da sua aula, eu fui até a prateleira, li os rótulos e guardei a poção Polissuco no bolso da minha capa.


Um burburinho alto tomou conta da sala, todos falavam ao mesmo tempo indignados.


- Ordem – Dumbledore pediu – Silêncio.


A mente do Tiago deu um estalo – É claro! Só podia ser. – Seu peito se encheu de alegria porque finalmente essa acusação ia sair das suas costas, ele fez questão de se virar para ver a cara da Lílian, mas a imagem que ele viu não foi bem a que ele esperava.


Lílian ainda estava encostada na bancada, a cabeça abaixada, os olhos marejados. Seu coração? – este já não batia mais freneticamente, pelo contrário parecia que ia parar de bater a qualquer momento, sua aparência era fantasmagórica.


- Está tudo bem Li... Evans? – Perguntou preocupado.


Lílian fez que sim com a cabeça, ela não tinha forças suficientes para pronunciar uma única palavra.


- Para qual finalidade você roubou a poção? – Dumbledore inquiriu.


- Para fazer a sonsa da Evans pensar que o Tiago estava a traindo comigo. – Ela confessou calmamente.


Todos na sala se viraram para a Lílian, mas seu rosto não corou, seu sangue estava congelado nas veias impedido de subir até seu rosto.


- E você Bianca, porque resolveu ajudá-la? – Dumbledore quis saber.


- Porque ela e minha amiga e eu não aguentava mais vê-la por baixo. – Bianca confessou.


- A Laís gosta do Potter Bianca? – Dumbledore fez questão de saber.


Lílian prendeu a respiração.


- Claro que não! Ela gosta do Status que ele proporciona – Bianca respondeu de pronto.


Ela me fez sofrer tanto por capricho? – Lílian sentiu o sangue esquentando nas veias novamente, tirou lentamente sua varinha do bolso da capa e apontou para a Laís, ela ia fazer a Laís sentir a maior dor da vida dela, claro que a dor da maldição crucios não se comparava com a dor que ela estava sentindo agora, mas já era alguma coisa, porém antes que ela pudesse dizer alguma coisa Dumbledore virou-se para ela:


- Você não quer realmente fazer isso quer Lílian?


Tiago voltou-se para a Lílian e a viu empunhando a varinha em direção a Laís, as mãos tremendo, os olhos duas bolas de fogo.


Lílian baixou sua varinha, o estômago convulcionando de ódio.


- Não professor – Respondeu num som quase inaudível.


Dumbledore voltou-se para as duas.


- E vocês duas me acompanhem até minha sala, vamos esperar passar o efeito da poção para conversarmos melhor.


Dumbledore foi à frente seguido pelas duas zumbis.


Espero que tenham aprendido uma lição hoje – Borage disse – Estão dispensados – Disse em seguida.


Os alunos foram se dispersando um a um, Tiago ainda estava ali a centimetros da Lílian, ela sabia que lhe devia um pedido de desculpas, ela sentia que deveria lhe pedir perdão por ter desconfiado dele, mas ela simplesmente não tinha coragem, se manter firme ali naquela sala tinha sugado toda a sua força.


Foi Tiago quem tomou a iniciativa de ir falar com ela, ele não ia perder essa chance.


- Eu te disse que era inocente. – ele jogou na cara dela.


Lílian juntou todas as suas forças e encarou o Tiago nos olhos, por um momento seus olhos se fundiram no dele e ela achou que não ia mais ter forças para sobreviver.


- Me desculpa – sua voz embargou, ela não ia conseguir falar mais do que isso.


- Isso é tudo que você tem para me dizer? – Tiago disse decepcionado.


- O que mais você quer que eu diga? – Lílian respondeu com outra pergunta.


Que me ama! Que agiu assim porque estava morrendo de ciúmes e que me quer de volta!


- Nada Lílian, nada. – Disse caminhando, antes de chegar à porta Cindy o alcançou e os dois saíram conversando.


Lílian continuava ali escorada na bancada, os nós dos dedos estavam brancos de tanto que ela apertava a varinha, aquele dia estava conseguindo ser pior do que o dia em que ela achou que o Tiago a tinha traído.


- Eu vou ficar e conversar com ela – Lílian ouviu Sirius dizer provavelmente para a Angélica.


- Você devia estar feliz, afinal ele nunca te traiu – Sirius disse para a Lílian.


Lílian levantou a cabeça e constatou que não havia mais ninguém na sala além dos dois.


- Eu sei, mas eu não estou feliz – Sua voz embargou novamente e dessa vez ela se permitiu chorar.


Sirius não sabia como agir quando uma menina começava a chorar, ele foi até ela e a abraçou, tal gesto fez com que o choro da Lílian se intensificasse, ela soluçava nos ombros do amigo, ela se permitiu chorar toda a dor que ela estava sentindo.


- Calma Lílian, não fica assim, por favor- Sirius disse suplicante.


Mas ela simplesmente não conseguia, ela precisava chorar toda burrice que ela fez. Lílian ficou ali chorando no ombro do amigo por um tempo indeterminado, depois se afastou secando as lágrimas do rosto.


- Você é um ótimo amigo – Ela disse para o Sirius.


- Você está com uma cara péssima – Ele tentou brincar.


Os dois saíram rumo ao salão comunal, Lílian precisava lavar o rosto e tentar melhorar sua aparência. Ao passarem pelo quadro da mulher gorda Lílian avistou o Tiago, sentado sozinho numa poltrona, olhando para a janela.


- Eu acho que esse é um bom momento para você ir falar com ele – Sirius disse.


Lílian fez um sinal negativo com a cabeça.


- Só vou conversar com ele quando eu consegui me expressar sem chorar – Respondeu subindo para o seu quarto.


Sirius caminhou até o Tiago.


- Aliviado? – Sirius puxou conversa.


- Pelo contrário – Respondeu .


- Ela está péssima! – Sirius disse se referindo a Lílian.


- É o remorso. – Tiago respondeu fitando o horizonte.


- É o amor – Sirius rebateu.


Tiago riu com ironia.


- Imagina então o que ela diria de mim se não me amasse... – Disse amargurado.


Sirius não insistiu, ele sabia que o Tiago ia precisar de um tempo para voltar a acreditar no amor da Lílian e ele acreditava fielmente que a Lílian não ia desistir do seu amigo e ia ela mesma fazer com que ele voltasse a acreditar no amor que ela sentia.  

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por camila prongs. em 01/04/2011

omfg! comofas? eles estão muito brigados!

nussaaa, que papelão, na frente de todo mundo elas tomaram o veritaserum! argh

o.k., eles tem que se acertar! aaaaaaaarrre Tiago, a Lily tá mega arrependida, alou! Acorda colega! hauhauaha

Afe, sai Lais, entra Cindy... Se joga 'Cindyzinha'. huahauha 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.