FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

20. Aqui tudo é possível


Fic: A Revolução dos bichos


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________


cap 20


 O fim da inocência

Hermione saiu em um lugar que, apesar de ser quase deserta, lhe era muito familiar. Havia ruas, lojas, sinais .. mas as poucas pessoas que ali haviam, passavam em silêncio mórbido. E quando se viam na presença de Draco, coberto com essa capa preta, andando como se fosse dono dali, as pessoas fugiam com um medo inominável. Era um Comensal da Morte que estava a frente deles, não uma pessoa qualquer, além do mais não precisava nem ver seu rosto para saber quem é, sua presença altiva e imponente já os avisava do perigo.


O loiro se virou e olhou para Niobe falando em seguida.

Eu não quero, que se separe de mim por nada nesse mundo, entendeu? Ele não entendia como essas palavras saiam de sua boca com essa facilidade absurda. Alegava para si, que era só por vingança. Esse tipo de proteção que exercia sobre ela, era por puro extinto. Era medo de não poder completá-la. 

"Sim .- respondeu a castanha olhando em seus olhos.

Draco caminhou pela rua. Brenda olhou para a amiga e disse num sussurro:

"Está te protegendo? Por Merlim, Niobe. Ele está te protegendo! Eu estou realmente ficando com medo por você."


Hermione apenas abaixou a cabeça pensativa. Também não entendia o que ele queria com tudo isso. Mas sabia que boa coisa não seria.

Ambas caminhavam, seguindo-o. Hermione viu alguns corpos no chão, certamente de pessoas mortas por Comensais da Morte. No entanto, mesmo com toda repulsa que sentiu, e permaneceu fria. Talvez fosse insensível a todos.

"Talvez seja por questão de sobrevivência."- pensou. "Será que eu já era assim? Por que não sinto nada então?"- estas respostas infelizmente não teria tão cedo.

Algumas pessoas olharam Brenda e Hermione através das janelas de vidro, e parecia vê-las com piedade. Elas sabiam que eram escravas sob o feitiço de Obliviate, e teria dado qualquer coisa para serem capazes de identificar seus rostos. No entanto, a máscara feita as tornavam irreconhecíveis, nem mesmo seus próprios pais conseguiriam reconhecê-las.

Draco segui por um beco. Ambas acompanhava-o de perto, mas logo pararam, por que por algum motivo aparente, seu mestre havia parado. O loiro ficou estático, e em seguida recuou rapidamente antes de virar a esquerda. Fez sinal para que as duas escravas parassem. Algo impediu que ele prosseguisse e força-lo a se encostar a parede bruscamente.

Draco tinha avistado a figura de Molly, Percy e Arthur Wesley no beco diagonal. Ele não podia cogitar a ideia de ver Hermione reconhecida por eles. Com a mão direita agarrou o pulso da castanha, certificando-se que ela estava lá com ele e não com eles. Seus olhos cinzentos estavam cheios de ódio, enquanto ouvia as vozes da família que mais detestava no mundo dos bruxos.

"O Fred e George são estúpidos ... Deles eu já esperaria qualquer tipo de burrice, mas do Rony! Por Merlim .- disse Percy. Ele sempre foi mais esperto do que eles ..

Percy "Chega! Não adianta jogar a culpa neles, isso não vai resolver nada .- Arthur disse. Ele parecia exausto. - Eu já avisei do sumisso deles ao Ministério.

"Eles estão sozinhos Arthur! Eles precisam de ajuda, estão sozinhos naquela maldita floresta! Eu tenho medo que nunca mais veja meus filhos.- Hermione já se foi! Já é uma perda grande, mas não suportaria viver sem um dos meus filhos.


- Draco estremeceu ao ouvir o nome de Hermione, fazendo com que ele apertasse ainda mais os pulsos da castanha.


" Minha Gina! Tão nova e cheia de vida no meio daquela...Molly chorava inconsolávelmente.

" Vão embora, traidores de sangue." Draco pensou, ansiosamente por trás da parede. E não percebia o quanto apertava o pulso de Niobe a ponto de fazê-la lacrimejar de dor.



"O pior de tudo isto, é entender por que adentrara naquela maldita Tirania. Se estão atrás de Hermione, estão indo para o lado errado. Quem em sã consciência iria para lá. Ela está em mãos de sangues puros, isso nós já sabemos." -dizia Percy nervosamente.


Draco fechou os olhos em pavor." Será que descobriram que Hermione estaria com ele? Não. Ninguém vai tirá-la de mim. Eu a comprei! Ela é minha escrava. Minha, para fazer o que eu quiser. Se chegarem perto dela, eu os matarei! Se a pegarem eu também a matarei! Preferia ela morta do que com eles novamente." Draco estava sedento de ódio. A odiava, sabia disso. Era pura possessão. Ela era como se fosse um brinquedo, quando se cansasse, jogaria fora, ou quebraria como fazia quando era criança. Olhou para a castanha ao seu lado, ela estava de cabeça baixa, chorava baixo. Foi quando notou a pressão que fazia em seu braço. Soltou, rapidamente, não por tê-la machucado e sim por tocá-la. Se repudiou por isso. Já não era a primeira vez que fazia este tipo de contato. Teria que controlar ou perderia sua sanidade. " Ela é uma maldita sangue ruim! É uma escrava como qualquer outra!"- ele tentava se convencer disso. Parou de pensar ao ouvir novamente a voz nojenta de Percy.


"Eles são um bando de malucos! Ainda por cima levaram minha irmã e Luna. Gina, mesmo com todo treinamento que recebeu, é apenas uma menina. E Luna, cara ela vive no mundo sei lá aonde. Tudo por causa de Harry Potter.

- Não o culpe! - Molly disse, irritada. - Não se atreva pôr a culpa naquele menino outra vez! Ouviu bem? Aquele garoto está sofrendo tanto ou mais que nós! Seu insensível.

Eu não posso acreditar que, mesmo depois de tudo, vocês ainda o defendem.- disse o ruivo. - É ele sim. O culpado por todas as desgraças da nossa família. Ron se deixou influenciar por ele. Eu nunca deveria ter permitido. Quando eu estava em Hogwarts, deveria ter proibido...

Draco percebeu que as vozes começaram a desvanecer-se e desaparecem. Lentamente ele foi se movendo para ver se os seu inimigos já haviam desaparecido de suas vistas.

"Vamos! - disse respirando mais aliviado. Ela estava com ele. Eles nunca mais a teriam. E, ele garantiria isso.

Brenda olhou para Hermione, com os olhos cheios de piedade. "Merlim! Niobe estará perdida se eu estiver certa. Será? Não...não,...não, que o maior bruxo de todos não permita isso." A castanha olhou para Brenda confusa. Mas não teve tempo para pensar porque, Draco começou a andar de novo e rapidamente, deixando-as para trás.


-------------------------------------------------- ------------------------------
"Eles andaram pela floresta sem parar , até que não aguentaram mais e pararam para descansar e se alimentar. Apesar dos protestos de Rony eles tiveram que racionar a comida. Não sabiam quanto tempo ficariam por lá. Pegaram o mapa para verificar em que parte de Tirania estavam.

Harry ficou em silêncio, encostado a uma árvore, os olhos fixos no nada. Gina tentou não olhar mas, era impossível. O amava demais e desde o incidente com o animal hoje de manhã, ele não tinha feito nada a não ser olhar para ela censurando-a.Sim, ele tinha percebido agora que ela conseguiria cuidar de si mesma. Gina sabia o que estava passando pela cabeça de Harry, ele era egocêntrico demais e ela seria apenas uma distração para ele se continuasse ali.


Mas Gina não estava totalmente correta.Ele estava preocupado sim com ela. Seu coração se encheu de amargura por não ter feito nada para impedir que a fera avançasse sobre ela. No entanto,toda a raiva que sentia quando estava perto de Gina, não era de ódio, e sim pela imensa paixão crescendo dentro dele, e que se desviou do seu objetivo principal. Ela tinha de entender-lhe que era impossível, ele lutar com ela ali do lado. Ele não conseguiria nada, se alguma coisa a acontecesse.


" O que fazer? Não estou suportando essa distância. Eu queria tanto beijá-la, amá-la aqui mesmo se fosse possível. Fico com raiva de mim mesmo, por ser tão fraco a ponto de afastá-la. Em seguida fico com ódio por ela ser tão teimosa e linda. Oh, Merlim ela nunca esteve tão bonita como agora. Ah, ruiva se você soubesse, como estou sofrendo por sua causa, maldita garota teimosa!"


Ele precisava se distânciar dela, a conhecia bem, e essa ruiva não cederia. Tinha certeza disso. Irritou-se terrivelmente, e gostaria de gritar com raiva naquele momento. Mas estava acostumado a esconder e consumir a raiva em sua própria fogueira, e também seus próprios sentimentos. Olhou para ela novamente e percebeu tudo aquilo que refletia em si próprio. Mágoa.

Gina continuou a caminhar seguida por seus amigos. Parecia respirar com dificuldade, começou absorver o aroma de algo. Ela olhou ao redor, acima, abaixo e em seguida, seus amigos. Seus olhos azuis foram fixados sobre eles e não disse nada, mas depois de alguns segundos.

"Estão sentindo esse odor?

Todo mundo começou a inalar, mas nenhum pareceu surpreso.

-Não .- disse George. - Talvez seja um truque da floresta.

-Ou está enlouquecendo .- Fred disse apertando os olhos.

Luna, no entanto, permaneceu com seus olhos azuis fixos nos arbustos que estavam atrás de sua amiga. Gina percebeu e pareceu confusa.

"Há algo de errado Luna? Você também sentiu esse cheiro?

"Fique longe daqueles arbustos.- Luna disse suavemente. O rosto dela estava sereno, como se nada estivesse acontecendo na realidade.

- Por que? - Gina perguntou espantada.

"Porque há corpos por trás deles.

A resposta de Luna foi tão perturbadora que Fred sentou-se em uma rocha. Ron e Harry se afastaram dos arbustos. George aproximou-se de dela ainda não acreditando nas palavras, que ao ver dele saíram tão macabras. E não aguentou a passividade com que ela deixou que saíssem por seus lábios. Ele agarrou o braço direito da loira com um pouco de força e repreendeu-a com um olhar.

-Luna você tem alguma idéia do que você está dizendo! - George dizia com um tom bastante grave.

"Deixe-a ! - Disse Rony olhando para seu irmão, muito nervoso.

George recuou largando o braço de Luna percebendo o que estava fazendo.

"Perdoe-me, Luna.- disse envergonhado.

- Estamos ficando todos loucos.- Fred disse saindo do chão!. - Luna é a pior! Ela está sendo afetada pela floresta desde que chegou aqui."

"Chega, Fred! - Disse Gina olhando friamente para seu irmão.

"Calem-se .- Harry disse, e todos ficaram em silêncio, olhando para ele. - Se você acha Fred que Luna é louca, então porque não vai ver o que está por trás dos arbustos?

O gêmeo hesitou. Seu rosto tinha tomado um tom muito pálido e as pupilas de seus olhos dilataram. Ele colocou as mãos sobre a cabeça e lançou um olhar de raiva quando se sentou numa raiz de árvore.Harry manteve-se inexpressivo.

"Foi o que pensei, você não tem coragem de fazer, porque sabe no fundo o que vai encontrar lá.- disse Potter, enquanto seus olhos verdes brilharam. - Eu acho que todos já perceberam, mesmo que não queiram aceitar, que Luna tem poderes especiais aqui na floresta. Ela vê e senti coisas que não percebemos. Como e por que, não sabemos, mas não tenho dúvidas que ela os conhece. Talvez nos diga quando estiver preparada. -disse Harry olhando a loira a sua frente, dando um sorriso encorajador que funcionou furtivamente. Mas de uma coisa eu sei. Vamos aproveitar isso e usá-lo ao nosso favor. Pense que poderemos evitar muitos problemas se Luna nos avisar como agora, dos perigos que possam aparecer. Tudo ficou em silêncio por vários minutos. Luna revirou os olhos e caminhou abruptamente para o arbusto.

"Veja por si mesmo! -com uma das mãos estendidas para o arbusto aberto.


A imagem era nojenta. Vários corpos de pessoas mortas em decomposição. Outras era devoradas por duendes,moscas e insetos invadiam alguns que não pareciam estar ali a dois dias. Foi uma carnificina sem fim.


"Oh Merlin ... - Fred disse virando-se para vomitar atrás de uma árvore.

Gina cobriu o nariz e a boca, mas como alguns tinha estômago forte do que Fred. Luna sorriu, Ron parecia apavorado.

- Como você pode sorrir em um momento como este? - Disse irritante.


O rosto escureceu.

"Desculpe.- disse quase num sussurro, olhando para baixo.

"Desde quando os duendes comem restos humanos? - Gina perguntou enojada.

"Aqui tudo é possível .- George disse enquanto se afastava e distante. - Vamos. A próxima vez, eu vou escolho o lugar de descansar.



Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.