FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. A dúvida


Fic: Magia e sedução ... Completo


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Enquanto eu tomava banho não conseguia deixar de pensar no sonho que eu tive. Harry tinha conseguido me acalmar quando eu acordei no meio da madrugada, mas continuava a pensar que isso poderia ser um sinal de que não era para eu contar a verdade para ele. Pelo menos não agora.


Coloquei uma blusa azul e uma calça jeans e peguei a minha bolsa. Não iria dormir na casa da minha, pois tenho muito dever de casa para fazer de noite, por isso não preciso levar muda de roupa.


Assim que cheguei na sala, meu pai continuava a assistir a reprise de algum jogo na televisão.


- Eu já estou indo! - avisei fazendo com que ele se virasse para mim.


- Você vai fazer mágica para chegar lá ou vai andando? - ele qui saber – Se você for andando eu posso te levar de carro.


- Não precisa – garanti – Vou me transportar para lá. Quase não uso mágica aqui, tenho alguns bônus.


- Então está bem! - concordou – Mande um oi para a sua mãe por mim.


- Pode deixar! - garanti – Vou estar de volta de noite. Quer que eu traga alguma coisa para jantar?


- Que tal alguns hamburgeres? - pediu.


- Tudo bem! - concordei com a cabeça antes de ir em direção a porta.


Fui até o quintal. Seria um melhor lugar para eu desaparecer sem que ninguém visse.


- Transportum cabana – disse apontando os dois dedos indicadores para mim.


Quando abri os olhos estava em frente a cabana abandonada que eu usava como transporte para o mundo mágico. Esse dispositivo foi criado por Luna, pois ir para lá diretamente de casa gasta muita energia.


Fui até a entrada e abri a porta. Caminhei, lentamente até o centro da sala.


- Mundo mágico é um fato – comecei a girar no mesmo local – Me transporte em um instante.


Como da outra vez, eu fui transportada. Mas agora, eu estava parada em uma sala com um enorme lustre no teto e cheia de objetos de cristal.


- Mione! - olhei para cima da escada e encontrei a minha prima – Finalmente você chegou. Já estão todos esperando por você.


- Eu acordei tarde hoje – expliquei, isso não deixa de ser mentira – Vim o mais rápido que consegui.


- Tudo bem! - deu de ombros segurando a minha mão – Vamos logo então.


- Vamos para onde? - quis saber – Por que estão todos me esperando?


- Você é muito curiosa Mione – revirou os olhos – Em vez de ficarmos aqui conversando, vamos que você já vai saber do que estou falando.


Ela me puxou escada a cima. Andamos por um longo corredor até entrar por uma porta. Dentro do local tinham várias feiticeiras. Eu não conhecia a grande maioria delas, mas, no meio da multidão, eu pude reconhecer a minha mãe, minha tia Molly e minha prima Gina. Também percebi que tinha um caldeirão borbulhando em um dos cantos da sala.


- Mione, minha filha – minha mãe veio me abraçar – Agora nós podemos começar o ritual.


- Ritual? - agora que eu não estava entendo nada – Que ritual é esse? Não estou sabendo de nada;


- A Luna não te falou nada no caminho? - olhou para ela, que balançou a cabeça negativamente – Bom, então deixa que eu te explico.


- É melhor mesmo! - comentei.


- Quando um feiticeiro completa 16 anos ele aumenta os seus poderes – explicou calmamente – Não sei se você sabe, mas ainda não é capaz de fazer todos os feitiços existentes.


- Só costumo fazer feitiços aqui no mundo mágico – lembrei – Mas é sempre bom poder fazer todos os feitiços conhecidos.


- Ótimo! - disse satisfeita – Vamos logo começar o ritual.


- Ela me fez ficar no centro da sala e pediu que eu ficasse totalmente parada. A mulheres que estavam lá fizeram dois círculos a minha volta.


Enquanto isso, minha mãe começou a dar voltas em torno de mim.


- Essa feiticeira agora esta com 16 anos – começou a falar sem parar de andar – Agora ela poderá fazer os feitiços conhecidos, sendo uma feiticeira completa. A magia involuntárias também desaparecerá.


Ela parou na minha frente e segurou a minha mão.


- Mione! - olhou diretamente para os meus olhos – Você promete acarretar todas as responsabilidades que uma feiticeira completa precisa ter?


- Sim! - balancei a cabeça afirmativamente enquanto respondia.


- Você também promete participar de todas as atividades do mundo mágico? - perguntou mais uma vez – Sempre que for solicitada?


- Sim! - disse novamente.


Ela largou a minha mão e fez um movimento com o dedo sem dizer uma palavra (ainda vou aprender a fazer feitiços assim), surgiu um copo com um líquido azul.


- Beba! - me entregou o copo.


- O que é isso? - quis saber fazendo uma cara de nojo.


- É apenas uma porção – explicou – É um pouco amargo, mas você se acostuma.


Bebi o conteúdo de uma vez só. É amargo mesmo, mas logo o gosto ruim na minha boca passou.


Minha mãe saiu da roda e voltou, logo em seguida, trazendo o caldeirão. Com a ajuda de mais alguém jogou o conteúdo na minha cabeça e eu só tive tempo de fechar os olhos. Apesar estar no fogo até agora, a água (ou o que seja) estava gelada.


Todas começaram a bater palma e dizer, “Viva a Mione”.


- Aqui está o seu presente de aniversário – ela me entregou um livro de capa de couro.


- O que é isso? - perguntei.


- O grande de livro de feitiços – respondeu enquanto passava a mão pela capa – Todos os feiticeiros tem uma copia. Ele tem todos os feitiços conhecidos, informações sobre os rituais, que agora você vai ter que participar e alguma coisa sobre a historia da magia, que é bom você ler.


- Pode deixar que eu vou ler – garanti – Muito obrigada,.


Luna surgiu no meio do círculo e veio me abraçar.


- Parabéns Mione! - ela disse enquanto pulava – O seu ritual foi lindo. O meu não foi tão legal assim.


- Você também teve um ritual? - ela respondeu coma cabeça – Por que você está aqui no meu ritual e eu não estive no seu?


- Eu já te expliquei Mione – minha mãe disse – Somente feiticeiros completos participam dos rituais. Quando a próxima garota fizer 16 anos, você vai estar aqui também. Assim que como todos os outros rituais que existem.


- Os homens não participam dos rituais? - só agora que percebi que só tinha mulheres aqui, achei muito estranho.


- Os rituais são separados! - explicou – Os rituais masculinos são em uma sala do outro lado do corredor.


- Certo! - concordei com a cabeça.


Depois de ser cumprimentada por todas mulheres que estavam lá, fui junto com a a minha família tomar chá em uma pequena lanchonete não muito longe de onde estávamos.


- Mas nos conte Mione! - minha tia disse – Como você está indo na escola?


- Muito bem! - respondi sem muita emoção. Não estava com muita vontade de conversar – Minhas notas estão muito boas também. Meus professores acham que eu sou a melhor aluna da minha serie.


- Isso é muito bom! - ela pareceu animada – Mas você pretende fazer faculdade no mundo dos humanos ou aqui?


- Ainda não tenho muita certeza – dei de ombros – Acho que quero fazer literatura inglesa, então vou ficar por lá mesmo.


- Que bom! - ficou concordando com a cabeça.


- Mas você não parece muito animada Mione – Luna disse olhando para a minha cara – Nem parece que acabou de passar por um ritual de magia tão importante.


- Eu estou feliz por agora ser uma feiticeira completa, é serio – falei sinceramente – É só que, tem muito muitas preocupações na minha cabeça nesses últimos dias.


- É o Harry, não é? - ela quis saber e eu apenas balancei a cabeça afirmativamente – Vocês, por acaso, brigaram?


- Não é isso, estamos muito bem – expliquei rapidamente – Bem até demais, para falar a verdade.


- Então o que acontecei querida? - foi a vez da minha mãe perguntar.


- Ontem a noite, Harry decidiu que estamos em uma fase do nosso relacionamento em que não devemos esconder segredos um do outro – é claro que não contei os detalhes mais básicos da história – E então ele me contou uma história da infância dele que ninguém mais sabia.


- Isso e mesmo muito fofo! - Luna comentou, ela e Gina estavam emocionadas – Mas, eu não vejo o que isso tem demais.


- Ele não tem mais segredos comigo, mas eu tenho um segredo dele – lembrei – Ele ainda não sabe que eu sou uma feiticeira.


Minha mãe segurou a minha mão e ficou, apenas, me olhando.


- Eu vou te falar uma coisa Mione – disse bem seria – Até hoje não entendo por que você ainda não contou para ele, deveria ter dito a verdade logo no inicio.


- Acho que é essa não é uma coisa muito boa de se dizer na primeira semana de namoro – comentei rindo levemente


- Não digo com uma semana de namoro! - respondeu rindo – Mas no primeiro mês de namoro estava bom.


- Sei que devia ter contado – admito por fim – Mas agora eu não tenho mais coragem de dizer nada.


- Isso tudo por que você demorou tanto para contar a ele – Luna revirou os olhos – E eu te disse tanto para falar logo.


- Mas não é isso que importa agora Luna – expliquei – Eu tive um sonho em que eu contava toda a verdade ao Harry e ele não regia muito bem.


- Existem casos de feiticeiras que tem sonho premonitórios – Gina comentou com a mão no queixo – Você já teve algum sonho assim alguma outra vez.


- Na verdade não – admiti – Por isso eu acho que pode ser somente invenção da minha cabeça.


- Talvez ela não tem tido sonhos premunitórios por não ter todos os poderes ainda – minha outra comentou – Mas agora que ela é uma feiticeira completa.


- Você esta mesmo ajudando muito! - revirei os olhos – Agora mesmo que eu estou com medo de contar a verdade.


- Acho que não devemos falar mais nada sobre isso – minha mãe se intrometeu na conversa – Vamos deixar a Mione contar somente quando estiver preparada.


- Muito obrigada – disse.


Depois disso encerramos o assunto Harry e eu estar guardando segredo dele. Mas tinha decidido que, por enquanto as coisas continuariam do jeito que estão.


Já estava de noite quando eu cheguei em casa. Jantei junto com o meu pai e depois fui direto para o meu quarto fazer o dever de casa e dormir, em seguida.


No dia seguinte, o meu telefone de manhã, meu telefone tocou. Ainda estava um pouco sonolenta, mas consegui ver o número de Harry no visor.


- Alô! - disse.


- Mione! - ouvi a voz do meu namorado do outro lado da linha – Como foi a visita para sua mãe ontem.


- Foi ótima! - respondi um pouco indiferente.


- Ótimo! - mesmo não conseguindo vê-lo, sabia que ele estava sorrindo – Mas eu morri de saudades suas o dia inteiro.


- Eu também senti saudades suas – a noite do meu aniversário ainda não saia da minha cabeça.


- O que acha de irmos até a praia hoje? - sugeriu – Posso passar ai na sua casa daqui a vinte minutos.


- Não vai dar – demonstrei a tristeza na minha voz – Tenho um monte de coisa para fazer aqui hoje.


Isso mesmo era verdade, tinha que terminar os deveres de casa que eu não consegui fazer ontem, também leria um pouco do meu novo livro de feitiços.


- Isso é uma pena – também estava triste com isso – Então, acho que a gente se vê amanhã.


- É! - concordei – A gente se vê amanhã.


- Espera Mione! - me chamou antes que eu pudesse desligar o telefone – Tem mais uma coisa que eu quero te falar.


- O que? - perguntei curiosa.


- Agora que não temos mais segredos um com outro – senti um aperto no coração quando o ouvi dizer isso – Tem mais uma coisa eu quero te falar.


- Mas um segredo – agora sim eu estava completamente perdida – Por favor, não me diga que a sua mãe também vestia você de menina.


- Não é isso – começou a rir – Na verdade, é uma coisa que você já sabe, mas, não custa nada te lembrar disso.


- O que é? - ele estava me deixando cada vez mas curiosa.


- Eu te amo Mione! - disse isso lentamente – Eu te amo muito. E vou repetir isso todos os dias da minha vida.


- Isso é mesmo muito bonito – pude sentir as minhas lágrimas escorrendo pelo meu rosto, sou uma boba emotiva mesmo – Eu também tenho uma coisa para te dizer.


- Então diga – encorajou – Essa é a hora das verdades.


Por alguns segundos, eu pensei na possibilidade de contar tudo a ele naquele momento. Mas, esse não é o tipo de coisa para se dizer pelo telefone.


- Eu também te amo – disse por fim – Mas acho que isso não é segredo para ninguém.


- Vou desligar para não te atrapalhar mais – disse em seguida – Até amanhã.


- Até amanhã! - respondi antes de desligar.


Antes de começar a fazer o dever, peguei o som portátil e coloquei o CD que Harry me deu quando fizemos um ano de namoro, nele tem a música que ele fez para mim no piano.


Enquanto a melodia ecoava por todo o quarto eu não conseguia para de pensar no meu namorado e no grande segredo que eu estava escondendo dele.


- Coloquei as duas mãos no cabelo. Talvez seja tudo uma grande besteira, eu só estou imaginando coisas e posso muito bem contar tudo para o Harry agora mesmo. Mas o sonho pode ser mesmo uma premonição e ele nunca vai poder saber sobre a minha família mágica.


- Mione! - meu pai abriu a porta do quarto – Eu estou pensando em pedir uma pizza para o almoço. Tem algum sabor que você prefira?


- Não! - dei de ombros – Pode escolher qualquer um.


- Certo! - concordou antes de fechar a porta.


Coloquei as duas mãos sobre o queixo e apoiei os cotovelos na mesa.


- Eu não sei o que fazer! - comentei sozinha – Simplesmente, não tenho uma solução para esse me problema.


Depois do almoço eu deitei na cama para começar a ler o meu novo livro. O sono começou a bater e, logo, eu deixei a minha leitura de lado.


Eu estava correndo pelas ruas escuras de Little Whinging. Não sabia para que direção ir e o que fazer. Olhei para trás, uma multidão enfurecida cheia de tochas estava me perseguindo.


- Peguem essa bruxa! - ouvi alguém gritando e eu voltei a correr.


Passei uma rua que eu parecia conhecer e resolvi entrar, quem sabe eu conseguiria ajuda?


Depois de muito andar percebi que estava em uma rua sem saída e as pessoas estavam cada vez mais perto, agora não tinha mais jeito. Foi então que eu percebi que Harry era quem estava comandando essa rebelião.


- Agora você terá o que merece – ele disse – Vai pagar por todos os feitiços que fez contra o povo dessa cidade.


- Mas eu não fiz nada – insisti – Nunca faria nada para prejudicar ninguém aqui.


- É o que todos dizem – começou – Mas no final acaba tudo do mesmo jeito.


- Por que você esta fazendo isso Harry? - agora eu estava chorando – Pensei que você me amasse.


- Eu te amava, até descobrir de tudo que você é capaz de fazer com o seu feitiço – seus olhos estavam cheios de raiva – Peguem ela. Vamos queimá-la na fogueira.


Todos estavam vindo para cima de mim. Eu não tinha nada para fazer, a não ser fechar os olhos e gritar.


Acordei assustada. Estava suando e com a minha respiração ofegante.


- Será que isso é um sinal? - fiquei encarando o teto do meu quarto – Será que quer dizer que é melhor eu nunca contar para ele que eu sou uma feiticeira?


De uma coisa eu sei, até eu saber o que isso significa, não vou decidir absolutamente nada.


A semana que se seguiu era de provas e todos estavam muito ocupados com as matérias. Como eu e Harry estamos em series diferentes (ele é um ano mais velho que eu), não temos nenhuma aula juntos. Então, só nos vemos no almoço.


Isso por um lado é ruim, pois eu sinto muita falta do meu namorado. Mas também é muito bom, pois cada dia eu me sinto mais culpada por estar escondendo uma coisa tão importante dele.


Na sexta-feira, eu estava sentada em nossa mesa de costume. Tinha terminado minha prova cedo, então cheguei logo ao almoço.


- Oi Mione! - Harry me deu um beijo na bochecha de se sentou ao meu lado – Agora que as provas, finalmente, acabaram. O que acha de irmos ao cinema hoje?


- Acho que não vai dar – respondi – Foi uma semana muito cansativa, eu estava querendo dormir cedo hoje.


- Podemos ir em uma seção bem cedo – sugeriu – Então fazemos um lanche de voltamos logo para casa.


- Talvez! - dei de ombros – Será que eu posso te responder no final da aula?


- Claro! - concordou.


Continuei a comer o meu almoço. Harry sorriu e segurou a minha mão. Eu apenas sorri e voltei a olhar para o meu prato.


- Mione – chamou, me fazendo olhar para ele – Eu tenho percebido que você anda um pouco indiferente comigo nessa última semana.


- Não estou indiferente por você – respondi – Apenas andei ocupada. Da mesma maneira quer você estava.


- Mas eu sempre procurava ficar perto de você durante o almoço – explicou – E você sempre tentava se afastar.


- Já disse que só estava preocupada com as provas! - revirei os olhos, ele podia ser muito teimoso quando queria – Não tem nada demais.


- Você esta assim desde de a semana passada – comentou – Quando eu te contei aquele meu segredo.


- Você esta imaginando coisas – comecei a rir – Não vou desistir de ficar com você só por que a sua irmã te vestia de menina quando você era pequeno.


- Não exatamente pelo meu segredo – colocou a mão no queixo pensativo – Mas por que você está escondendo alguma coisa de mim.


Nesse momento eu gelei. Como é possível ele ter descoberto isso?


- Já disse que você está imaginando coisas – forcei um sorriso – Eu não estou escondendo nada de você.


- Eu te conheço muito bem para saber que você esta mentindo para mim, Hermione – se levantou com sua bandeja, quase intacta – Talvez tenha sido um erro achar que não devemos ter segredos um com o outro quando você não pensa da mesma maneira.


- Espera Harry! - segurei o braço dele.


Ele me ignorou e andou em direção a saída do refeitório. Todos ficaram me encarando.


- Não tem nada para vocês verem aqui – disse um pouco grossa – O show acabou – todos voltaram para as suas conversas e eu estava sozinha.


As aulas da tarde nunca passaram tão devagar quando nessa dia. Encontrei Harry no corredor enquanto ia de uma aula para outra, ele estava conversando com alguns amigos.


- Oi Harry – disse sorrindo, mas ele, simplesmente, me ignorou.


No final das aulas, tive que voltar para casa a pé. Eu morava um pouco longe da escola (cerca de 5 quilômetros de distância), mas andar um pouco sozinha iria me ajudar a pensar em tudo que aconteceu naquele dia.


Eu fui direto para o meu quarto, me joguei na cama e comecei a chorar.


- O que houve Mione? - vi Luna parada bem ao meu lado – Por que você está chorando?


- Vai embora Luna? - gritei um pouco mais alto do que planejava – Não estou com vontade de olhar para cara de ninguém agora.


- Eu só estou tentando te ajudar – explicou.


- Se você está tentando me ajudar – eu me sentei na cama e virei para ela – Por favor, me deixa sozinha.


Ela não disse mais nada, apenas desapareceu.


Continuei chorando incontrolavelmente, eu nem percebi o tempo passar. Quando olhei pela janela, já estava de noite.


- Mi! - meu pai ainda estava com o uniforme da polícia, deve ter acabado de chegar em casa – O que acha de irmos jantar fora hoje? Ainda não comemoramos o seu aniversário direito.


Não estou com vontade! - limpei as lágrimas no meu rosto para que ele não reparasse que eu estava chorando, mas não adiantou muito.


O que aconteceu minha filha – se sentou ao meu lado parecendo preocupado.


Não é nada! - suspirei pesadamente – Só estou um pouco cansada das provas essa semana.


Você estava chorando – passou a mão pelo meu rosto – Cansaço não faz a gente chorar.


Eu estou bem pai! - tentei parece firme , mas voltei a chorar.


Pode me contar o que houve! - me fez encostar a cabeça no seu ombro – Você e o Harry brigaram?


Só preciso ficar um pouco no meu quarto – respondi – Amanhã eu vou estar bem melhor. Eu prometo.


Meu pai ficou um pouco exitante, mas acabou caminhando em direção a porta do quarto.


Daqui a pouco eu trago alguma coisa para você comer – disse antes de sair.


Eu nem o vi retornar. Logo eu estava dormindo profundamente.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Bethany Jane Potter em 29/03/2011

AI Q TRISTE,SERA Q O HARRY VAI ACEITAR A MIONE?TADINHA DELA,POR Q O HARRY TA IGNORANDO ELA?

ESPERO Q TUDO VOLTE AO NORMAL.AMO HARRY E HERMIONE

POSTAAAA!!!!!!!

TA FICANDO OTIMA.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.