FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

10. Judith e a descoberta de Draco


Fic: A Revolução dos bichos


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________


Cap. 10


Judith e a descoberta de Draco


A noite chegou rapidamente no Castelo dos Malfoys. Hermione havia treinado exaustivamente durante todo o dia, e sentiu muito orgulhosa do que ela tinha conseguido. No seu primeiro dia tinha derrotado três das escravas que tinham semanas e meses de treinamento. Era muito boa com a espada. " Será que já havia lutado com uma. Com as facas então, que mira. Seus alvos eram sempre perfeitos. Mas ainda não era suficiente. Eu tinha que alcançar a meta e venceer Saskia para tomar seu lugar. Hermione tinha coisas importantes tirar de Draco, e ele precisava dela de alguma forma;

Tomou um banho e na sua cama havia uma bandeja de comida. Estava com fome. Disparou a comer, olhando as gotas de chuva caindo como cristais nas vidraças das grandes janelas.

"Como é horrível não se lembrar de nada .. pensou, olhando para baixo com tristeza. Então a porta de seu quarto se abriu entrando uma bela jovem com cabelos pretos e pele de porcelana.

- Eu vim para comer com você .- disse Brena trazendo sua bandeja. - É terrível para comer sozinha.

Hermione sorriu.

"Sabe quem eu vi nos corredores? - Brena disse ao morder uma maçã.

-Quem? - Perguntou a castanha tirando da cama seu pesado corpete de treinamento.

- Draco Malfoy .- disse Brena umedecendo os lábios vermelhos.


-Hermione estava tomando um copo de água e engasgou na hora.


- Brenda sorriu. "É muito estranho vê-lo caminhar pelos corredores das guerreiras, na verdade, eu nunca o vi aqui. Achei..., - falou chegando mais perto da castanha somente para que ela ouvisse.


Ele estava vigiando a porta do seu quarto ...

Hermione olhou pensativo por alguns segundos.

"Sério, ele nunca vem aqui? - Perguntou Hermione. Brena disse, olhando-a.Sério ele nunca fala com suas guerreiras.

Hermione riu, como se Brenda tivesse contado uma piada.

"Ele nunca dirigia a palavra a nós a menos que necessário. Você sabe, porque nós somos mestiças.


Ah desculpe, nem mesmo sei seu nome. Seu nome verdadeiro.- disse Brena.

"Não me lembro de nada ..- disse Hermione. Embora em sua mente, ele se perguntasse por que Draco era tão frio com ela e ao mesmo tempo estava disposto a ajudá-la.

-Obliviate .- Brena disse. - Niobe, você perdeu a memória não é claro?

"Sim, disse Hermione .-

"Você sabe que é um pesadelo? - Brena disse, quase sussurrando. - É a namorada de Draco. O nome dela é Pansy.

Hermione se sentia que já havia ouvido este nome, mas ignorou esse sentimento.

"Ele tem uma namorada?

"Sim, ela é a encarnação do mal. Mas é puro sangue, então temos que tolerar seus insultos. Cuidado com ela! Ela é uma vaca! Ah, quanto tempo quis dizer isso para alguém!- Ela disse mordendo a maçã novamente. - Que bom que você está aqui Niobe, é difícil não ter ninguém para conversar.


-------------------------------------------------- ------------------------------ Pansy puxou a blusa de Draco violentamente e jogou no chão. As mãos do loiro percorria furiosamente o seu corpo. Ela observou, que seus beijos estavam desesperados e a força exercida quando tocado, como se quisesse provar alguma coisa para si mesmo. De repente ela parou, algo estava acontecendo.

"Draco! - Disse colocando as mãos sobre o peito nu do loiro. - Basta!

O loiro bateu um de seus punhos na cama, ainda permanecendo em cima de Pansy. Ela fixou os olhos escuros dele.

"O que está errado com você?

"Nada .- disse secamente se levantando e abotoando a camisa. - Não estou no clima.

"Eu não vou sair até que você me diga o que você tem! - Pansy disse resolutamente. - É a sangue ruim, não é? Você está muito estranho desde que a comprou e a trouxe para cá.

Draco olhou para ela friamente.

"Eu a odeio. Odeio-a tanto, que... suspirou cansado- sabe o quanto tenho que me segurar para não correr neste exato momento e matá-la com minhas próprias mãos?


-Você tem que se controlar, Draco!


- Eu... estou tentando. Mas seu cheiro imundo está impregnado em mim. Ela está tão perto. É muita tentação, e não sei se posso suportá-lo.


- Você precisa.
.
"Eu sei. Agora, vá.

Pansy se vestiu e foi como ele ordenou. Mas antes o olhou mais uma vez.-" Draco, Draco..., isso não é só ódio! É muito mais que isso.Só você ainda não percebeu."- pensou Parkison.


Draco se sentou na beirada da janela e pensou em Hermione. "Desde que ela chegou ele dormia, comia, vivia e transava pensando nesta maldita sangue ruim!"


É, Pansy estava mais certa do que poderia imaginar.


-------------------------------------------------- ------------------------------
Era tarde demais. A tempestade castigava o castelo. Um raio caiu e sacudiu as vidraças. Hermione estava mergulhada em um sono profundo, mas de repente algo a fez acordar.

"O que é isso? pensou ouvindo a batida do seu coração. Um cheiro estranho, mas inebriante a tinha envolvido. Mas de onde ela vem?

Levantou-se lentamente, e seus pés descalços tocaram o frio mármore preto. Ela caminhou até a porta arrastando a cauda de sua camisola transparente longa e branca. Seus olhos castanhos estavam em transe e olhou através do corredor escuro.

O cheiro se intensificou.

Hermione saiu de seu quarto e fechou a porta atrás dela. Sentiu a curiosidade falar mais forte, que o medo dela. Além disso, havia algo que estava chamando. Ela podia sentir que seus pés estavam congelados pelo piso frio, e os relâmpagos iluminavam o corredor enquanto ela caminhava até o fim, em seguida, viu a escada que sobe.

"É proibido ir ao terceiro andar", lembrou que o servo tinha dito. No entanto, ela não poderia resistir.

Que erro.

Quando chegou ao andar superior, o som de seus batimentos cardíacos aumentaram. Depois, seguiu o cheiro, que era mais forte. Ela caminhou por alguns minutos, até o final do corredor. Uma porta enorme preta estava entreaberta. Duas gárgulas estavam uma ao lado da outra. Em qualquer outra época teria sido intimidado por elas, mas não naquele tempo. Hermione empurrou a porta devagar, com os olhos espiando para dentro.

O que ela viu a surpreendeu bastante.

À sua frente era uma sala grande, talvez o dobro do tamanho do seu. Em uma grande cama estava uma mulher ligada com algemas e correntes. Hermione não pensou, a mulher continuava a chamar-lhe. Ela foi entrando.

O raio caiu drasticamente. Ela caminhou lentamente a ver aquela mulher. Os lençóis eram de seda branca e brilhante, o vestido era assim, tanto que combinava com tudo o resto. pele da mulher era extremamente branca, e chamou claramente as veias em sua pele. Seu cabelo era dourado, louro, folhas brilhantes, espalhados. Havia uma cruz de metal pendurada em seu pescoço e uma coroa de rosas brancas em sua cabeça.

A mulher abriu os olhos.

Hermione queria voltar, mas algo a deteve. Ela olhou diretamente nos olhos desse ser, e reparou que a íris estava completamente cinza. A mulher estava sentada na cama, e as correntes se partiram. De repente, sem Hermione conseguiu entender o que estava acontecendo, ela caiu na cama, como se suas forças tivessem desaparecido completamente. A mulher se aproximou dela e tomou seu pulso.

"Adeus... minha criança...- disse quase num sussurro. E então ela abriu a boca mostrando longas presas.

-Expelliarmus! - Draco gritou da porta. O vampireza voou até onde as cordas estavam a envolvendo simultaneamente, os seus pulsos e as pernas da jovem.

Hermione recuperou a vontade dela e ficou horrorizada. Draco irritado partiu para cima de Hermione pegando ela pelos ombros e sacudindo-a enquanto falava mortalmente.

" Você é burra ou o quê? Essa área é proibida! Quantas vezes vou ter que explicar para entender! Sua idiota!

As lágrimas começaram a correr pelo rosto da castanha. Ela estava apavorada. Draco virou os olhos pegou em seus braços e arrastou-a bruscamente a força. Saiu pelos corredores puxando a para seu quarto enquanto ela estava aos prantos.



Draco repente a soltou de vez em seu quarto e fechou a porta atrás de si. Seus olhos cinzentos fixaram com fúria nela. Hermione se desesperou. Sabia o que virira a seguir.

"Perdoe-me, perdoa-me eu não ..

"Mas você fez! Eu nunca deveria ter tirado você do calabouço! Nem deixado Elisa ir! - Você disse que ia  obedecer! Ele gritava com ela desesperadamente.

"Eu não! Eu não! - Ela repetiu, segurando a cabeça. - Aquele cheiro me acordou, e algo me chamou .. e depois o meu coração que batia num ritmo acelerado ... eu não sabia!

Draco parou de repente. As palavras de Hermione o surpreendeu. Seus olhos permaneceram fixos nela, observando-a com cuidado. Seus longos cabelos castanhos caindo até a cintura em ondas constantes. Ah, Merlin! Só agora reparando que a castanha estava de camisola. E que camisola. Ele mesmo a havia escolhido. Mas não esperava vê-la nela tão cedo.


Sentiu-se um pouco estúpido por não ter percebido o que estava acontecendo antes.

Hermione tirou suas mãos do rosto, expondo suas bochechas rosadas e os olhos cobertos de lágrimas. Não entendo por que ele tinha parado de gritar. Mas ela sentiu-se envergonhada de como ele a estava assistindo. Era como se ele pudesse ver através dela.

Draco caminhou em sua direção e parou a poucos passos de distância. Não era seguro se aproximar muito dela, mas era inevitável. Seus olhos cinzentos estavam fixos em seu corpo, estava congelando-a, comendo-a.

"Você diz que levantou sentindo um cheiro estranho. Como era.? .- Perguntou secamente.

"Foi .... Eu acho que eram de rosas brancas .- disse ela parando para pensar como é o cheiro.

Draco passou a mão pelo seu cabelo loiro, sem tirar os olhos dela.

"Você está certo, não foi culpa sua.

Hermione ficou surpresa com isso. Draco andou até a janela e se sentou na beirada da mesma.

"Você pode ir. Não vai acontecer de novo com você.

"Mas eu não entendo .. ..- disse ela.

Draco se virou e olhou-a de cima baixo. Novamente ela se sentia nua.

"Você é virgem, isso é tudo.

As bochechas de Hermione coraram escandalosamente e olhou para baixo. Draco estava olhando para ela e notou que ela ficou envergonhada com seu comentário. Parecia uma adolescente."Não entendo como não havia percebido que mesmo sendo sangue ruim continuava sendo uma mulher. Parece que nem ela pensou nesta possibilidade. De ser pura. Virgem, casta e "dele."- pensou possessivamente.


"Judith é minha irmã. Foi transformada em uma vampira contra sua vontade. Vampiros alimentam-se de sangue, mas outros apenas gosta de transformar outras pessoas e dar-lhes a vida eterna. Eles particularidades por virgens. Eles sentem a presença delas a distância. Se você é virgem e um vampiro está próximo, ele a atrai imediatamente. E como você sabe, as rosas brancas são como o órgão feminino da mulher. Daquela que ainda está casta. Pura.Que não foi tocada por nenhum Homem. -Draco falava roucamente baixo se aproximando devagar de sua escrava. E um sentimento de posse tomou conta de seu ser, ela não havia sido de ninguém. "Nenhum outro homem, ousou tocá-la. Será que outro já tinha tomado-lhe os lábios?" O loiro se exultou por dentro, sentia uma alegria inesperada. Para momentos em seguida lembra-se de quem era e sentir muito ódio de si mesmo.


Hermione estava envergonhado, mas conseguiu olhar para cima.

"Como sabe que isso não vai acontecer de novo? - Perguntou, quase num sussurro.

"Se acontecer. Eu cuidarei de você.

Hermione se virou e caminhou até a porta, antes de sair ela se voltou por um instante.

"Obrigado por me salvar, por Elisa, e, portanto, por me ajudar a descobrir quem eu sou .- disse Hermione humildemente.


-"Não me agradeça, tudo tem um preço .- loiro disse que fixando seus olhos cinzentos dela.
Por um momento,ela pensou que ele estivesse protegendo-a. Mas ele era uma pedra de gelo, que não derreteria.


Mal sabia Hermione que a geleira de Draco estava mais perto de derreter do que nunca. E o primeiro passo foi dado por ela, ao agradecê-lo. Ele nunca admitiria. Mas foi a primeira vez que recebia um sincero agradecimento.


-Ah, sangue ruim, o que você está fazendo comigo, Maldita!- falou Draco, e não no sentido de raiva, mas sim de rendição.


Nesta noite Hermione mal pode dormir.


 


 -----------------------------------------------------------------------

Fresquinho, fresquinho! a história agora começa esquentar para os lado desse casal lindoooooooooo!
Beijos!
nana- moraes malfoy


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.