FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Decisão.


Fic: Eu sou seu destino - Tiago&Lílian. - Concluida.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Estava muito calor naquela manhã de domingo, porém o sol estava escondido entre as nuvens, fazendo com que o dia estivesse perfeito aos olhos da Lílian. Ela andou até as arquibancadas que estavam posicionadas no canto esquerdo do campo de Quadribol e sentou-se bem na frente. Ela olhou para o céu onde estavam os jogadores e os únicos que ela conhecia eram o Lupin e o Sirius, uma fisgada de desapontamento doeu no seu peito – ele não está aqui – ela pensou. Ela se levantou e varreu todo o campo com os olhos, olhou o banco de reservas e nada do Tiago, ela não poderia simplesmente levantar e sair, agora que veio iria assistir o treino até o final.


O jogo até que era interessante, os jogadores voavam numa velocidade descomunal, de vez em quando uma goles acertava em cheio a cara de um batedor e Lílian se sentia aliviada do Thiago não estar ali, ela não sabia se aguentaria ver ele apanhar daquela maneira, inesperadamente uma voz aguda de homem gritou bem atrás dela, apontando para cima.


- Aquele amaldiçoado avistou o pomo!


Toda a arquibancada estava olhando para o céu, ela olhou também mais não viu nada, de repente uma vassoura entra no seu campo de visão numa velocidade que ela achou que estava sonhando, à frente da vassoura voava uma bolinha muito brilhante e dourada.


- VAI TI, PEGA! – A gralha da Laís gritava em algum lugar da arquibancada.


Foi quando Lílian apurou mais os olhos e viu que era o Thiago que voava naquela velocidade tentando pegar a bolinha dourada, mesmo sem saber o que estava acontecendo realmente ela começou a torcer para que ele conseguisse, porque ele estava se esforçando tanto! Tiago esticou o braço rumo ao pomo, faltava apenas alguns centímetros.


- Vai Tiago, só mais um pouquinho – ela torceu com expectativa.


Ele deu uma guinada na vassoura e apanhou o pomo, a arquibancada foi ao delírio, gritavam e assobiavam sem parar, Laís Brow saiu de algum canto e correu para dentro do campo, pulando no pescoço do Tiago e dando-lhe um selinho nos lábios.


 Aquela filha da p* - pensou Lílian, ficando vermelha de ódio.


Ela já estava saindo do campo quando esbarrou em Sirius.


- Veio ver o seu amor Lílian – Concluiu sorrindo.


- Você contou para ele? – Ela perguntou, se odiando por só agora pensar nessa hipótese.


- Não, isso cabe a você dizer.


- Ótimo – Respondeu dando-lhe as costas.


Lílian já estava quase chegando nos gramados do castelo quando o Tiago bloqueou a passagem com a sua vassoura, vê-lo voando era magnífico.


- Indo embora sem falar comigo princesa – ele disse.


Aquilo estava ficando cada vez mais estranho, tudo mudara desde que ela finalmente percebeu o quanto ela gostava do Tiago, ela não sabia mais como se portar, ou o que dizer, ela ficava pensando coisas como: - Será que meu cabelo está bonito?


- E porque eu deveria falar com você Potter?


- Porque você veio até aqui só para me ver! – ele rebateu.


Negar ou confirmar? – Negar!


- Não seja ridículo Potter, vim assistir ao jogo só isso.


Apesar de todo o amor que Tiago nutria por Lílian há dois anos ele estava prestes a desistir, ele simplesmente não aguentava mais tantos “nãos”, tantos foras estavam destruindo a amor que ele sentia por ela.


Ele desceu da vassoura e ficou a centímetros do seu rosto, fitando-a, decorando cada pedacinho da sua face.


- Eu vou falar uma coisa que você já está cansada de ouvir, mas prometo que será a última vez, ou porque não será mais preciso, ou porque eu vou desistir.


O estômago de Lílian foi parar nas costas.


Thiago deu um suspiro exasperado.


- Fica comigo – Ele pediu todo carente.


Lílian sentiu seus ossos amolecerem, seu coração pulsava freneticamente dentro do peito e se alguém perguntasse seu nome naquele momento ela com certeza erraria.


- Essa é a última vez que eu peço – ele disse com a voz firme.


O espaço entre os lábios dos dois era mínimo, mas uma vez Tiago sabia que se desse um passo para frente a beijaria, e ele sabia no seu intimo que ela cederia, mas depois de tanta humilhação ele ainda teria que lhe roubar um beijo? Não, ela ia ter que querer beijá-lo.


- Você está me pressionando – ela disse nervosa.


- Sim estou, é sim ou não.


Lílian tinha descoberto hoje os seus sentimentos, sua mente ainda travava um batalha interna entre se render ou fugir, mas pressionada assim ela agiu como sempre fez.


- Não – Respondeu com a voz tremula.


- Ótimo – Disse ríspido subindo na sua vassoura e sumindo de vista.


Lílian ficou observando-o sumir, sua visão ficou turva e ao piscar lágrimas escorreram no seu rosto, uma dor profunda tomou conta do seu ser – Porque ela tinha que ser tão covarde?  Ela passou o resto do domingo deitada em sua cama sem falar com ninguém, se entupindo de doces – doces estes que o Tiago tinha comprado para ela.


Na hora do jantar Angélica foi chamá-la.


- Você não vem Lily?


- Estou sem fome – Lílian respondeu.


Angélica ficou com o coração partido de ver a amiga assim tão triste.


- Quer companhia? – ela perguntou tentando animar a amiga.


- Não, preciso ficar um pouco sozinha.


- Está bem, até amanhã. – Respondeu saindo do quarto


Lílian se afundou no seu travesseiro e deixou que a imagem do rosto do Tiago a invadisse, a mesma imagem que ela tentou a tarde inteira, mas agora já estava cansada e resolver se render, ela ficou imaginando como teria sido se ela tivesse dito sim para ele, ela lembrou-se da sensação dos lábios dele no seu pescoço e sentiu um arrepio percorrer a sua espinha, e foi assim pensando nele que ela adormeceu.


 


Na manhã seguinte Lílian acordou atrasada, ela estava com uma grande dor de cabeça, a combinação choro e muitos chocolates não lhe fizeram bem.


Ela tomou um banho rápido, penteou os cabelos molhados, vestiu o uniforme e correu para a sala de refeições, quando ela chegou perto da mesa de Grifinória seu coração se acelerou, ele estava lá, na mesa do mesmo jeito de sempre, rindo com o Sirius seu sorriso predileto, ela se sentou do lado da amiga Angélica, de frente para Tiago, Sirius e Lupin.


- Bom dia – ela disse.


Sirius e Lupin lhe responderam, mas Tiago não disse nada.


- Bom dia Potter – ela disse em tom de ironia.


- Ele a encarou nos olhos


- Bom dia Evans – disse num tom informal.


Aquele Evans foi pior do que um tapa na cara, onde estava o princesa?


- Você está bem? – Angélica perguntou.


- Não, estou morrendo de dor de cabeça, comi muito chocolate ontem e não jantei. - ela disse manhosa.


Lílian esperou Tiago brigar com ela, lhe dizer que ela tem que se alimentar, que chocolate não enche barriga e blá, blá, blá, mas o silêncio foi doloroso.


- Angélica apontou a varinha para a cabeça de Lílian e disse: - Exstinguere Cephalae.


A dor de cabeça da Lílian sarou na hora.


- Como fez isso? – Lílian estava impressionada.


- Serei médica no St. Mungu esqueceu-se? – Disse envaidecida.


Será que Angélica sabia um feitiço para fazer sumir aquela dor que se alojara no seu peito, porque estava quase insuportável!


Tiago ignorou Lílian durante o resto do dia, eles se encontraram diversas vezes e ele sequer a olhou, justo ele que nunca perdia a oportunidade de cerca-la pelos corredores da escola, nas refeições ele também dizia apenas o estritamente necessário. Esse comportamento do Tiago se arrastou durante a semana, deixando Lílian mais depressiva a cada dia, ela não fazia idéia da falta que o Tiago faria em sua vida, ela nem imaginava que a alegria dos seus dias era ele, suas brincadeiras, suas broncas... Agora seus dias perderam a graça, perderam a cor, o filme da sua vida começou a rodar em preto e branco desde que ele começou a ignorá-la.


Na manhã de sexta-feira Lílian acordou decidida a falar com ele, aquilo não tinha sentido, ela deixou de ficar com ele por medo de sofrer, mas agora ela estava sofrendo – e muito – sem ele.


Lílian levantou mais cedo da cama e tomou um banho bem demorado, depois fez um feitiço nos cabelos para que eles ficassem com as pontas enroladas, colocou uma calça jeans e uma blusinha frente única verde que realçava os seus olhos e também os seus seios. Maquiou os olhos com lápis e delineador deixando a cor verde ainda mais destacada e na boca passou apenas um gloss. Borrifou um pouco mais de perfume do que ela costuma passar diariamente, pegou sua capa do uniforme e levou na mão para não estragar o visual e foi para o refeitório.


Não teve um homem que não virou a cabeça para olhar para ela, Lílian tinha os traços perfeitos e um corpo escultural, ao avistar a mesa de Grifinória seu coração acelerou, não apenas pelo Tiago, mas por quem estava sentada do lado dele, Laís estava empoleirada no pescoço dele e ela se sentiu tentada a pegar sua varinha e estuporá-la para fora da mesa.


Lílian sentou-se – as mãos tremendo de raiva.


- Oi Lily – Laís disse – Está bonita hoje, qual a ocasião.


- Meu nome é Lílian – Disse enraivecida.


Seus olhos pararam no olhar do Tiago, que estavam a devorando. Ele logo disfarçou e olhou para o outro lado.


- Você vai ficar comigo hoje? – Laís perguntou ao Tiago que nada respondeu.


- Ah Ti! – ela reclamou – Você só ficou comigo no domingo e na quarta, quando você disse que aceitava ficar comigo eu achei que seria mais frequente.


Lílian sentiu o sangue congelar nas veias, ele ficou com ela no domingo –provavelmente depois do fora que ela mesma deu nele – e depois na quarta... Imaginar os lábios do Tiago beijando a Laís era como ser torturada pela maldição cruciatus, todo o seu corpo doía agora, e era uma dor invisível que ela não sabia de onde vinha, sua vontade era pegar algo cortante e cravar na sua pele, para externar a dor.


Sirius percebendo o jeito que ela ficou veio e se sentou ao seu lado.


- Não fica assim – ele disse num tom quase inaudível.


O ar do refeitório estava escasso, seu estomago revirava, ela precisava sair, precisava de ar.


- Sirius, você me emprestaria a sua vassoura? – ela pediu sem pensar.


Ele riu.


-Se eu te emprestar a minha vassoura estaria quebrando muitas regras mocinha, uma que você tem aula, duas que não se pode voar sobre o castelo, três você não...


- ESTÁ BEM! – ela gritou o interrompendo - não precisa.


- Eu disse que quebraria regras, não disse que não emprestaria – ele disse travesso – Accio Vassoura.


Sua vassoura passou voando pela cabeça de todos que estavam tomando café e parou nas suas mãos.


- Aonde vai? – Ele quis saber antes de lhe passar a vassoura.


Lílian respirou fundo.


- Sei lá voar a toa, espairecer.


Mas antes que Sirius pudesse passar a vassoura para as mãos de Lílian, Tiago a pegou.


- Ela não sabe voar seu irresponsável – Disse repreendendo o Sirius.


- Achei que você não se importava. – Ele alfinetou.


Tiago encarou os olhos de Lílian.


- E não me importo – ele respondeu – Só não quero que você seja expulso.


Lílian sentiu a dor voltando, ele não se importava, talvez nunca tivesse gostado dela de verdade, senão não teria a esquecido tão rápido. Ela puxou a vassoura com rispidez das mãos do Tiago e disse:


- Se der algum problema eu assumo a culpa e digo que roubei a vassoura dele!


Virando-se para Angélica disse:


- Guarda minha capa e minha mochila, por favor.


Nisso ela saiu bufando para fora com a vassoura nas mãos.


Lílian sabia voar, não com maestria, e nem tinha voado assim tão alto, mas estava indo bem, o vento batendo no seu rosto fazia com que a dor sumisse. Ela voou por um tempo que não saberia dizer ao certo, mas foi o suficiente para fazer com que seu coração se aquietasse um pouco, a tristeza deu lugar à adrenalina de voar e lá no alto, entre as nuvens ela decidiu lutar pelo amor do Tiago. Quando estava voltando ao castelo ela o viu na janela da torre do salão comunal olhando para o céu, quando ele a viu entrou dando-lhe as costas.


Seus cabelos estavam embaraçados, suas bochechas estavam coradas por causa do vento e ela estava radiante, entrou correndo no salão comunal e viu Tiago, Sirius e Lupin sentados no sofá ao lado da janela.


- Estava preocupado – disse-lhe Sirius – Você demorou.


- Desculpe-me, perdi a noção do tempo voando – ela respondeu eufórica.


Lílian teve a impressão que os olhos do Tiago estavam aliviados, como se ele tivesse o tempo todo aflito esperando ela voltar, ela encarou aquele par de olhos castanho avermelhados e sustentou o seu olhar, desta vez quem desviou foi ele, olhando novamente para fora pela janela, ela achou engraçado, ela queria tanto ficar com ele que chegava a doer, mas estava com tanto medo de levar um fora, neste momento ela se lembrou das inúmeras vezes que o Tiago pediu para ficar com ela e ela disse “não” , depois ela se lembrou dele a trazendo do três vassouras e dizendo que “ele pertencia a ela”... E ela pertencia a ele.


Lílian deu alguns passos e entregou a vassoura na mão de Sirius, depois foi até a janela e o chamou:


- Potter.


Ele se virou a encarando, ela estava tão linda hoje, ainda mais agora com esses cabelos bagunçados ornando com a cor da pele da sua bochecha.


- Posso falar com você – sua voz tremia.


- Já está falando – ele disse ríspido.


Lílian quase desistiu, mas afinal quantas “patadas” ela já tinha dado nele na vida!


Lílian olhou para o lado e Sirius e Lupin entenderam o recado, ambos sairam e deixaram os dois sozinhos.


Ela não sabia por onde começar.


- Eu quero te pedir uma coisa – ela disse com o coração martelando dentro do peito.


Tiago não estava entendendo nada, o que ele podia fazer por ela?


- Pode pedir – sua voz agora era mais calma.


Lílian o encarou, como aquilo era difícil, quando ele pedia parecia tão fácil, mas agora ele nunca mais iria pedir, caberia a ela fazer isso.


Lílian olhou em volta e o salão comunal estava lotado, ela não teria coragem de pedir para ficar com ele assim, na frente de todo mundo.


- Você não sabe de nenhum lugar onde agente possa conversar sozinhos? – Perguntou para ele corando de vergonha.


Aquilo estava ficando esquisito para o Tiago, mas ele estava muito curioso.


- Bem, tem uma passagem aqui perto para uma trilha inutilizada, mas é escuro lá dentro.


- Perfeito – ela disse entusiasmada.


No escuro ele não a veria corar.


Lílian sempre passara por ali, mas nunca imaginou que aquele quadro de frutas seria uma passagem secreta, a trilha era estreita fazendo com que ela e o Tiago ficassem perigosamente próximos.



*******************************************
Ain gente não me matem por parar bem nessa parte, mas preciso de tempo para escrever esse capitulo sabe, talvez hoje ainda eu já post a continuação rsrsrs 


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.