FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. O jantar de aniversário


Fic: Magia e sedução ... Completo


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Eu estava sonhando que estava voando, eu cruzava o céu junto com os pássaros que olhavam para mim quando eu passava por eles. Estava me sentindo livre enquanto sentia o vento batendo no meu rosto e no meu cabelo. De repente vi um muro bem na minha frente e não tive tempo de desviar, no momento em que bati nele, acordei.


Não foi surpresa nenhuma quando vi que estava flutuando de verdade em cima da minha cama. Logo em seguida cai de uma vez só. Isso estava acontecendo muito nas últimas semanas.


Tudo bem, não é uma coisa que aconteça o tempo todo com uma adolescente normal de 16 anos, mas eu não sou uma adolescente normal de 16 anos. Eu sou uma feiticeira.


Na realidade, eu sou meio humana, meio feiticeira. Quando minha mãe terminou a os estudos na escola mágica resolveu passar um tempo na terra e conheceu o meu pai e, alguns meses depois, eu nasci. Os dois ainda continuaram casados por mais dois anos.


Logo depois que eles se divorciaram, minha mãe resolveu voltar para o mundo mágico, mas continuei morando com o meu pai. Quando eu fiz 10 anos, minha perguntou se eu não queria me mudar para o mundo mágico e freqüentar a escola mágica, mas eu preferi ficar aqui, já estava acostumada com tudo aqui e também tinha muitos amigos e não queria abandoná-los.


- Mione! - ouvi a voz do meu pai do outro lado da porta – Esta tudo bem com você? Eu ouvi um barulho.


- Está tudo bem pai! - respondi – Eu já vou descer.


- Estou preparando o seu café da manhã – disse antes de ouvir passas em direção ao andar de baixo da casa.


- Eu me levantei e fui até o meu armário. Quando eu olhei a minha mesinha de cabeceira, percebi um envelope que não estava ali há um segundo atrás.


Retirei o papel que estava lá e reconheci, imediatamente, a letra perfeita da minha mãe.


 


Hermione,


Estou mandando essa carta pois queria ser a primeira a te desejar feliz aniversário. Os 16 anos é uma idade muito importante na vida de uma garota e tenho certeza de que, logo, você vai descobrir todas as responsabilidade que vem com essa idade.


Gostaria muito de estar ai junto com você nessa data tão especial. Mas tenho muitas coisas para resolver aqui e não posso ir ao mundo humano nem por um segundo.


Apesar de tudo, tenho certeza de que você vai comemorar o seu aniversário de uma maneira muito especial.


Vejo você amanhã quando vier me visitar no mundo mágico..


Um beijo,


Mamãe.


 


- Está certo mãe! - revirei os olhos enquanto dobrava o papel e colocava novamente na minha mesa.


- Você sabe que ela se preocupa com você! - eu pulei quando percebi que tinha mais alguém comigo no quarto – E muito.


- Luna! - sorri levemente assim que eu a vi – Não sabia que você estava aqui.


- Sabe que eu não aviso quando apareço – deu de ombros – Eu simplesmente apareço.


Luna é minha prima feiticeira. Ela também vive no mundo mágico e, às vezes, ela se materializa no meu quarto para saber como eu estou.


- Eu vim aqui te desejar feliz aniversário – me abraçou com muita força – Não acredito que você já esta com 16 anos Mi.


- Nós duas temos a mesma idade Luna – lembrei enquanto me afastava um pouco – Você só faz aniversário alguns meses antes de mim.


- Exatamente! - continuou – Fiz 16 anos três meses antes de você.


- Você é impossível Luna! - revirei os olhos.


- Mione! - era meu pai novamente – Você pretende ficar ai a manhã toda ou vai descer para tomar café?


- Eu já estou indo pai! - gritei de volta para ele.


- O Harry já esta aqui em baixo – disse por fim.


- Avisa para ele que eu já estou descendo! - disse antes de me virar para Luna – Você tem que ir embora. Tenho que ir logo ou vou chegar atrasada na escola. Não é só por que é meu aniversário não significa que eu possa matar aula.


- Mas eu quero ficar aqui! - ela cruzou os braços e se sentou na beirada da cama – Quero, finalmente, conhecer o gato do seu namorado.


- Até parece que você ainda não viu ele – disse – Sei muito bem que você fica invisível para ficar andando atrás de mim.


- Mas ainda não fomos apresentados formalmente – respondeu – Isso seria, no mínimo, simpático da sua parte, Mi.


- Ainda não esta na hora de te apresentar para ele! - expliquei enquanto olhava as minha roupas – Só vou apresentá-lo para a família da minha mãe no dia em que eu contar toda a verdade para ele.


- E quando você pretende contar para ele que é uma feiticeira? - quis saber – No dia do seu casamento?


- É claro que não! - revirei os olhos, não gostava de ser pressionada, principalmente nesse assunto – Mas eu ainda preciso de um tempo. Ainda não estou preparada, não é uma conversa muito fácil de ter com o namorado.


- Acho que você precisa contar logo para ele – sugeriu – Não acho que o seu namorado vá ficar muito feliz por você esconder isso por tanto tempo.


- Acho que eu conheço o meu namorado melhor do que você – respondi – E eu vou contar quando estiver na hora certa.


- Tudo bem! - deu de ombros – Não vou falar mais nada.


- Perfeito! - conclui – Agora vai embora, por que eu ainda preciso trocar de roupa.


- Eu posso te ajudar a escolher uma roupa – sugeriu – Tenho várias amigas no colégio me pedem conselhos de moda.


- Não precisa Luna – garanti – Eu estou mesmo com pressa. Daqui a pouco o Harry vai ficar cansado de me esperar.


- Garotos são tão impaciente – revirou os olhos e eu não pude deixar de rir – Então está bem, até amanhã.


Acenei para ela. Poucos segundo depois ela já tinha desaparecido.


Sentei na minha cama e apoiei o queixo com as mãos. Eu sabia que não era certo esconder uma coisa tão sério do meu namorado, mas eu simplesmente não consigo falar a verdade, tenho medo que aconteça a mesma coisa que com os meus pais (por mais que ninguém tenha me falado nada, sei que eles se divorciaram por serem diferentes) e eu quero que tudo entre nós seja perfeito e que sejamos muito felizes um dia. É claro que eu vou precisar contar um dia, mas tem que ser no momento certo.


Resolvi parar de pensar nisso, pelo menos por enquanto. Fui até o armário escolher uma roupa. Escolhi uma blusa rosa e uma calça jeans. Troquei de roupa rapidamente, peguei a minha mochila e corri para o andar de baixo.


- Desculpe a demora! - disse assim que os encontrei na cozinha – É que eu não sabia que roupa usar hoje – inventei a primeira desculpa que veio na minha cabeça, embora eles saibam muito bem que eu nunca fui de me preocupar com esse tipo de detalhe.


- Não se preocupe Mione, estamos com tempo – Harry me avisou – É que eu cheguei mais cedo hoje.


- Tudo bem! - olhei para o relógio do microondas, estava mesmo bem cedo – Quer tomar café da manhã comigo?


- Já comi antes de sair de casa – explicou - Vou ficar só aqui te esperando.


- Então está bem! - concordei enquanto pegava duas torradas e começava a passar geleia de morango.


- Eu já terminei de comer – meu pai disse se levantando – Vou trocar de roupa para poder ir trabalhar.


Concordei com a cabeça enquanto ele saia da cozinha.


- Já ia me esquecendo – Harry segurou a minha mão – Parabéns! - ele me deu um selinho. Ainda bem que meu pai já tinha saído, ou eu ficaria mais vermelha que um pimentão.


Eu apertei a mão dele e continuei a comer.


- Não esqueça que eu vou te levar para jantar hoje – lembrou – Você já avisou para o seu pai?


- Eu me esqueci! - coloquei a mão na testa – Mas ele já deve estar imaginando que vamos fazer alguma coisa junto hoje. Foi a mesma coisa no ano passado.


- Mesmo assim é importante avisar – explicou – Ele pode estar querendo comemorar o seu aniversário com você hoje de noite.


- Meu pai nunca ligou muito para aniversários – dei de ombros – Quem gosta de grandes comemorações é a minha mãe.


- Ouvimos passos vindo do corredor, meu pai apareceu alguns segundos depois.


- Eu já estou indo para a delegacia – disse – Tem um policial de plantão desde ontem lá.


- Está bem então! - sorri levemente – Boa sorte no trabalho.


- Jonh! - meu pai parou na porta assim que Harry o chamou – Vou levar a Mione para jantar hoje, espero que não se importe.


- É claro que não me importo – disse logo em seguida – Vai passar um grande jogo hoje na televisão e o Arthur vem para cá assistir, não iria dar para Mione a atenção que ela merece – continuou – Então divirtam-se.


- Obrigado Jonh! - meu namorado completou – Prometo que vou trazer a Mione em segurança para casa.


- Espero mesmo! - fez um olhar severo e depois começou a rir.


Assim que ele saiu voltei a comer a minha torrada com geléia.


- Está vendo! - Harry me olhou – É muito melhor conversar com ele e contar a verdade para ele.


- Não acredito que meu pai me trocou por um jogo de Futebol – revirei os olhos – Mas, pelo menos, vamos ter o nosso jantar sossegados.


Ele chegou perto do meu ouvido e mordeu de leve o lóbulo, isso me deixou totalmente arrepiada.


- Essa vai ser a noite mais especial de todas – sussurrou – Você vai ver, vai ser um jantar que você nunca vai esquecer.


- Mal posso esperar por isso – completei antes de me virar para beijá-lo.


Não demorei muito para terminar de comer e levei o meu prato e xícara para a pia.


- Vamos embora! - disse para ele – Ou então vamos chegar atrasados no colégio.


- Tem razão! - concordou se levantando também.


Fomos em direção a Mercedes prata dele. Harry abriu a porta do passageiro para mim (é uma das coisas que gosto nele, é um perfeito cavalheiro), depois deu a volta e entrou pelo outro lado do carro.


- Como se sente tendo 16 anos agora? - perguntou, de repente, sem retirar os olhos da estrada.


- Normal! - dei de ombros – Até agora esta mesma maneira que era quando eu tinha 15 anos.


- Você já pode aprender a dirigir! - lembrou – Não esta animada para aprender a dirigir? Todos estão sempre ansiosos por isso.


- Eu quero aprender a dirigir sim – garanti. Na realidade, não é uma coisa que eu esteja muito animada, já que eu ando de vassoura sozinha pelos seus do mundo mágico desde que tinha 12 anos. Mas eu não podia contar isso para ele.


- Eu posso te ensinar a dirigir! - avisou – Nós podemos treinar no final de semana.


- Por mim tudo bem! - concordei com a cabeça – Se você quer arriscar a sua vida dentro de um carro comigo dirigindo.


- Eu confio em você meu amor! - passou a mão pelo meu cabelo – Sei que você vai ser uma ótima motorista.


- Está bem então! - revirei os olhos.


No colégio todos me cumprimentavam no corredor e me desejavam feliz aniversário. A maioria das pessoas gosta de toda essa atenção, mas eu nunca gostei de ficar em destaque na multidão. Não precisa dizer que meu rosto atingiu tons de vermelho que nem sabia que existiam.


Fora isso, o dia correu normalmente. No fim das aula, Harry me deixou em casa para eu me arrumar para o nosso jantar de mais tarde.


Tomei banho e fiquei mais de meia hora tentando decidir que roupa eu iria usar. Não podia ser umas das roupas que eu uso no dia-a-dia, tem que ser uma coisa muito especial.


Então eu olhei para a minha cama e tinha uma vestido preto de alça que era, simplesmente, perfeito. Junto tinha um pequeno bilhete.


 


Mione,


Esqueci de dar o seu presente de aniversário quando estive ai hoje de manhã. Boa sorte no encontro de hoje a noite.


Luna.


 


- Ela não tem jeito mesmo! - revirei os olhos sorrindo – Mas essa loucura acabou de salvar a minha vida – olhei para a parede branca na minha frente – Sei que você esta me ouvindo Luna, muito obrigada pelo vestido, é lindo.


Um outro bilhete surgiu na minha mão.


 


De nada.


 


Fui secar o meu cabelo e fiz uma maquiagem bem básica no rosto. Não demorou muito para o estar pronta.


Quando cheguei no andar de baixo, meu pai e Billy já estavam com o olhar ligado na televisão.


- Oi pai! - disse enquanto descia as escada.


- Mione – ele sorriu assim que me viu – Você está linda.


- Obrigada! - sorri ligeiramente sem graça.


Foi então que eu ouvi uma buzina do lado de fora da casa.


- É o Harry! - disse indo até a porta – Espero que não se importe dele não entrar. É que nos temos reservas no restaurante.


- Está tudo bem! - concordou com a cabeça – Divirtam-se.


A Mercedes estava ali parado. A porta do carro estava aberta então eu entrei.


- Oi Mione! - ele me deu um selinho – Você está linda.


- Obrigada! - sorri ligeiramente sem graça – Então, vamos logo?


- Claro! - concordou ligando o carro – Estou com bastante fome. Imagino que você também está.


- Estou mesmo! - admiti.


Fiquei olhando a paisagem do lado de fora tentando imaginar aonde ele estava me levando. Passei a aula inteira tentando convencer Harry a me dizer qual restaurante nós iriamos, mas não adiantou, ele não me disse.


 


Música: Lova Just Is – Hilary Duff


 


Quando ele, finalmente, estacionou o carro, quase não pude acreditar. Era um dos meus restaurantes preferidos, mas já fazia muito tempo que eu não ia almoçar ou jantar lá (todas as vezes em que estive aqui foi junto com Harry).


- Feliz aniversário! - disse antes de me dar um beijo na bochecha.


- Mas esse restaurante é muito caro! - comentei enquanto ele abri a porta do passageiro para mim – Não posso permitir que você gaste esse dinheiro comigo.


- Você merece somente o melhor! - respondeu me interrompendo.


Entramos no restaurante e a recepcionista nos recebeu com um enorme sorriso. Em seguida, ela nos levou a nossa mesa a entregou o cardápio.


- O garçom já vem para anotar os seus pedidos – completou antes de sair.


Harry segurou a minha mão e deu um beijo de leve na ponta dos meus dedos.


- Você tem que me deixar fazer as coisas para você Mione – disse calmamente – Eu sou seu namorado, tenho que te mimar.


Eu deixo você fazer as coisas para mim, afinal, quantas vezes nós já saímos para jantar ou ir ao cinema e você pagou tudo – lembrei – Mas é que você exagera um pouco, às vezes.


- Tudo bem, eu concordo que, às vezes, eu te convido para jantar sem motivo algum – concordou por fim – Só vamos ter “encontros” como esse em ocasiões especiais. Hoje é seu aniversário, então, é uma ocasião mais do que especial.


- Acho que você tem razão! - ri levemente antes de falar – Eu concordo. Não vou mais reclamar do jantar de hoje, não importa quanto você gaste.


- Boa noite! - o garçom apareceu trazendo um bloco de notas – Já posso anotar os seus pedidos.


- Eu vou querer um Ravióli com cogumelos – dei uma rápida no cardápio. Das vezes que tinha ido nesse restaurante esse era o prato que eu mais tinha gostado.


- Vou querer o mesmo que ela! - meu namorado disse logo em seguida – E dois refrigerantes.


- Já vou trazer as suas bebidas – completou antes de pegar os cardápios a na nossa frente.


- Mais uma coisa! - Harry disse o fazendo voltar – É que eu estive aqui mais cedo e pedi uma coisa para a nossa mesa.


- Claro! - ele parecia saber exatamente o que era – Só me dê um minuto.


- Ele concordou com a cabeça e eu fiquei olhando de um jeito desconfiado.


- O que foi Mione? - ele estava rindo da minha cara.


- Só estava querendo saber o que você está aprontando dessa vez – foi tudo que disse.


- Não estou aprontando nada! - prometeu – É só uma coisinha para incrementar o nosso jantar. Tenho certeza de que você vai gostar.


O garçom votou trazendo uma bandeja. Em cima tinha dois copos de refrigerante e um castiçal. Agora mesmo que eu não estava entendendo nada.


- Aqui estão as bebidas – colocou os copos na nossa frente – E o castiçal – pôs o objeto bem no centro da mesa.


Em seguida, pegou um fósforo e acendeu as velas antes de sair.


- Um jantar a luz de velas – disse dando de ombros – Existe coisa mais romântica do que isso.


Eu não pude deixar de rir.


- Sabe que às vezes você é extremamente irritante? - perguntei colocando a mão sobre o queixo.


- Como é que você pode me achar irritante? - me olhou em dúvida – Todas as coisas que eu faço são para você.


- É exatamente por isso. Você é extremamente perfeito – revirei os olhos – Essa é uma das coisas que eu odeio em você.


- Mi está se mostrando muito cruel – se fingiu de assustado e riu – Agora eu quero saber quais são todas essas coisas que você odeia em mim.


- Nem são tantas coisas assim! - revirei os olhos – Na verdade, são sete coisas que eu odeio em você.


- Sete! - se fingiu de espanto – Então já que me você falou a primeira coisa que você odeia em mim. Agora me fala qual é a sétima coisa que você odeia em mim.


- A sétima coisa que eu odeio em você – coloquei a mão no queixo pensativo – É que você me faz te amar tanto. Mas essa também é uma das coisas que eu mais amo em você.


Ele sorriu e se esticou para me beijar. Mal teve tempo de encostar os lábios nos meus e o garçom já nos interrompeu.


- Aqui estão os pratos de vocês – disse – Bom apetite.


- Obrigado! - dissemos ao mesmo tempo.


Jantamos sem dizer, absolutamente, nada. Às vezes eu levantava a vista para olhar o meu namorado e ele também fazia a mesma coisa.


- Posso trazer o cardápio com as sobremesa? - o homem perguntou assim que terminamos de comer.


- Pode trazer um pedaço de torta de chocolate! - Harry pediu.


- Com dois garfos! - completei – Nós vamos dividir.


- Está bem! - concordou com a cabeça antes de sair, novamente.


Harry ficou me encarando com um sorriso divertido nos lábios.


- O que foi? - quis saber.


- Depois você fica falando das minha idéias românticas – começou rir – Acho que dividir uma fatia de torta também inclui nisso.


- Eu não tinha pensando isso – revirei os olhos – Eu só não estava querendo consumir tantas calórias. Já comi muito no jantar.


- Vou fingir que acredito – comentou – Você nunca se preocupou com o seu peso, e nem precisa. Não é agora que você vai começar a fazer isso.


- Tudo bem, você me pegou – resolvi admitir logo de vez – Eu vi isso em um filme e achei que podia ser muito romântico.


Ele não disse mais nada, apenas continuou a rir.


- Para de rir! - pedi tentando bater nele – Eu estou falando sério. Não é para você rir da minha cara.


- Está bem, eu parei! - ficou sério e segurou a minha mão – Quer saber de uma coisa. Eu amei essa idéia. Vou amar dividir esse momento romântico com você.


Sorri levemente e ele beijou a ponta dos meus dedos.


- Mas antes! - ele se ajeitou um pouco para mexer no bolso da calça – Eu tenho mais um presente para você.


- Não precisa me dar nenhum outro presente – falei, mas sabia que isso não adiantaria muito – Só esse jantar já basta. Você já gastou muito dinheiro comigo hoje.


- E você disse que não iria reclamar de mais nada que eu fizesse hoje – lembrou – Essa é a nossa noite especial.


- Tudo bem! - acabei concordando, por fim – Mas esse é o último presente.


Ele pegou uma caixinha azul de veludo e me entregou. Fiquei alguns minutos apenas encarando o objeto na minha mão.


- O que é? - perguntei, por fim.


- Abre que você descobre – foi tudo que ele disse.


Abri a caixa bem devagar. Foi quando eu vi o pequeno anel de ouro branco com uma pedra da mesma cor.


- Isso... - minha voz estava começando a falhar – Isso é o que eu estou pensando que é?


- Se você estiver pensando que é uma aliança – respondeu – É exatamente o que você esta pensando.


- Uma aliança – essa palavras saíram totalmente cortadas da minha garganta – Você esta mesmo me pedindo em casamento? Por que eu não sei se estou preparada, só tenho 16 anos, quero pelo menos estar na faculdade antes de começar a pensar em...


- Calma Mione! - ele colocou os dedos sobre os meus lábios para me calar – Eu não estou te pedindo em casamento. Não ainda.


- Não? - ele balançou a cabeça afirmativamente em resposta – Mas então, para que essa aliança.


- É somente uma aliança de compromisso – explicou – Quer dizer que eu te amo muito e planejo continuar sendo seu namorado por muitos e muitos anos.


- Nesse caso! - dei um sorriso sem graça para ele – Eu amei o presente.


Logo nossa sobremesa chegou. Foi mesmo o momento romântico que eu tinha pensando, nós dávamos garfadas e nos beijávamos por cima da mesa (tomando cuidado para não derrubar as velas). Assim que terminamos de comer, Harry pediu a conta.


- O jantar foi maravilhoso! - disse enquanto esperávamos – Esse foi o meu melhor aniversário.


- Fico feliz que você tenha gostado! - seu rosto estava a centímetros do meu – Por que essa noite ainda não acabou.


- O que mais você esta planejando? - quis saber – Você tem que me levar cedo para casa.


- Nunca prometi isso para o seu pai! - começou a rir – E quanto ao que eu estou planejando, aguarde mais alguns minutos e você descobre.


Suspirei levemente. Ele estava começando a me deixar curiosa, eu, decididamente, não gosto disso.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.