FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. Capítulo 02


Fic: Aquilo que você não vê DM-HG


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

 


Capítulo 2


 


 


Era uma sensação nostálgica entrar novamente no castelo de Hogwarts. Muitas partes do castelo estavam sem acesso, já que nem tudo havia sido reconstruído após a guerra. Mal sentia fome. Foi direto para o quarto que dividiu com Hermione enquanto se recuperava da maldição lançada por Potter. Cheio de lembranças. Sorriu. Não a viu durante o verão e também não se corresponderam. Ela havia passado as férias de verão na Austrália, auxiliando na recuperação da memória de seus pais. Tornou a vê-la no trem, quando Minerva passava as funções dos monitores chefes. Só que não puderam conversar.


 


Após arrumar suas coisas, sentiu a fome bater e viu que o jantar ainda era servido. Sempre no primeiro dia em Hogwarts, esse horário era estendido. Entrou no grande salão e percorreu os olhos pelas mesas. Não gostou nada do que viu. Hermione estava próxima demais do Weasley. Já era de conhecimento geral o namoro de Harry e Gina. Olhou para o casal e não entendia como ninguém percebia que Harry não gostava mais da menina. Andou em direção à mesa da Sonserina sem tirar os olhos de Hermione. Viu como ela sorria para o ruivo. Como ele mexia no cabelo dela, colocando um fio solto do rabo de cavalo atrás da orelha. Viu que ela pegava comida do prato dele. Pareciam mais namorados que o Potter e a caçula Weasley.


 


- Draco! Estou tão feliz de estarmos no mesmo ano agora! Sempre o admirei, sabia? – ele olhou para o lado e viu uma bruxa loira e bonita falando com ele. Astoria Greengrass. Sorriu falsamente. Seu pensamento ainda preso em Hermione.


 


Hermione só reparou que Draco havia chegado quando o observou sentado à mesa, sorrindo para uma bruxa loira. Ela desviou seus olhos para seu prato. Como se ele fosse realmente gostar de alguém como você. O sexto ano deles pareceu distante. Borrado. Em pouco tempo estavam próximos demais e depois... um abismo abriu-se entre eles. No entanto, não desistiria. Conversaria com Draco. Afinal, dividiriam o mesmo quarto durante todo o sétimo ano.


 


O jantar acabou e ela passou na biblioteca antes de ir para o quarto. Entrou e encontrou o loiro olhando firmemente para a lareira.


 


- Draco...


 


Ele levantou-se ao ouvir o nome dele sendo dito por ela. A voz dela. Virou-se e a encarou. Como nunca percebeu a beleza única daquela menina? Mulher?


 


Hermione sentiu seu coração bater. Ninguém soube com detalhes sobre o que ela e Draco compartilharam dois anos atrás. Depois de tanto tempo estavam a sós novamente. Sorrindo, ela percorreu a distância que os separava. Abriu os braços. Precisava senti-lo perto de si.


 


Draco viu-a se aproximando. Um misto de emoções tomou conta de si. Viu que ela ia abraça-lo. Lembrou-se do toque dela no Weasley. Relutante, deu um passo para trás e estendeu a mão. Impossível não ver a decepção nos olhos dela, mas resolveu ignorar.


 


- Como você está, Granger? Seus pais?


 


Hermione demorou um pouco para encontrar as palavras. Um nó subindo em sua garganta. Desviou seu olhar.


 


- Bem – sua voz saiu engasgada, pigarreou para continuar – Como foi seu verão?


 


Ele nada respondeu, apenas um leve mexer de ombros e, depois, um silêncio incomodo caiu entre eles.


- Draco...


 


- Estou cansado. Depois conversamos. Boa noite – ele virou-se e saiu, deixando uma Hermione parada e totalmente sem graça no pequeno salão comunal.


 


***


As salas de sétimo ano estavam cheias e, para variar, teriam aula dupla de poção com a Sonserina. Apesar da mudança de lado de alguns bruxos como Draco e Blaise, a rivalidade entre as casas ainda era a mesma. Um pouco mais acirrada para alguns, que tiveram familiares presos ou mortes por membros da Ordem ou do Ministério que lutaram contra os seguidores de Voldemort.


 


Outros alunos como Greegrass, Parkinson e Nott permaneciam calados. Não se juntaram declaradamente ao Lorde das Trevas, mas tampouco ajudaram para sua derrota.


 


Slughorn falava de forma entusiasmada. Não parecia que uma guerra havia acabado de acontecer. Dizia sobre a importância que ele teve para a descoberta das horcruxes e a sua destruição. Harry olhava com desdém, Hermione rolava os olhos e Ron desacreditava naquela baboseira toda. Afinal, sabiam da dificuldade que foi para ter aquela memória recolhida.


 


Harry trabalhava com Gina, que irradiava felicidade. Sem nem notar a insatisfação do namorado. Hermione e Ron trabalhavam juntos, quer dizer... ele lia as instruções e ela executava a poção. Depois da guerra, eles encontraram um jeito de se relacionar que não envolvesse briga e discussões. Hermione olhou rapidamente para Draco. Ele estava ao lado de Astoria, concentrado em cortar filetes de tronco de salgueiro. De repente, o olhar deles se encontraram. Hermione sorriu, mas logo mudou a sua feição ao ver que ele a ignorara e olhava para a sonserina.


 


Eles mal se falavam, como explicar o que acontecera entre ela e Ron...


 


- Hermione? – o ruivo estalou os dedos em frente a ela enquanto sua outra mão a cutucava no ombro.


 


- Desculpe.


 


- Por que estava encarando o Malfoy?


 


- Eu não estava encarando o Malfoy! – a voz saiu estremecida.


 


- Estava sim!


 


- Rony! Leia o que precisamos fazer, senão nossa poção dará errado! – ela disse mudando completamente de assunto.


 


***


Já se começava ver em Hogwarts os primeiros preparativos para a festa de Halloween. Hermione sempre gostara dessa festa, mas esse ano estava sentindo-se completamente diferente. Ela já havia tentado de todo jeito se aproximar de Draco, puxar conversa, mas ele respondia com palavras curtas, sempre de forma evasiva. Aquilo doía. Não entendia o motivo de tanto desprezo.


 


Ela entendia que ele deveria estar chateado pela viagem e por ter ido embora. Hermione sabia que ele também precisava dela, mas será que mesmo sabendo sobre a busca pelas horcruxes ele continuaria a culpando? Encarou o teto, imersa em pensamentos. Ouviu uma batida na porta e seu coração acelerou.


- Pode entrar! Ah... oi Gina.


 


- Nossa, Hermione! Depois dessa vou embora! – a ruiva disse realmente sentida pela falta de emoção na voz da amiga.


 


- Não! Desculpe! Entre... – ela sentou-se sobre a cama e chamou a amiga para fazer o mesmo.


 


- Certo. Agora me conte.


 


- Contar o quê? – a morena perguntou.


 


- O que está havendo entre você e Malfoy. E não me olhe assim! Acha que eu não vejo os olhares que vocês trocam?


 


Após contar toda a história, Hermione percebeu o olhar de descrença da amiga.


 


- Eu gosto dele! O que posso fazer?


 


- Esqueça! Hermione... você está falando do Malfoy!


 


- Sim, o cara que nos avisou da invasão em Hogwarts!


 


- O sonserino que possibilitou a invasão! – Gina respondeu já em pé. Hermione a imitou.


 


- Ele mudou!


 


- Ahhh mudou tanto que está te desprezando... da mesma maneira que ele fez... deixa eu ver... – ela bateu o dedo no próprio queixo – da mesma maneira que ele fez isso por mais de seis anos!!!


 


- Ele mudou no último ano, Gina!


 


- Hermione, você é minha melhor amiga. Deixe de ser ingênua. Você precisa encontrar alguém para ter uma relação como a que eu tenho com o Harry.


 


- Você e Harry? Será que não percebe que Harry não gosta mais de você?


 


Gina saiu do quarto batendo a porta, mas Hermione a seguiu. Draco, que estava sentado no sofá observou a discussão das duas.


 


- Só está dizendo isso porque tem inveja!


 


- Não! Eu digo isso porque qualquer um pode ver que ele não te ama!


 


- Olha quem está falando! Vai correr atrás dele até quando? Não percebe que ele NUNCA gostaria de alguém como você? – Gina gritou encarando Hermione com frieza. Depois, saiu batendo a porta novamente.


 


Draco sentiu raiva de Gina. Como podia falar assim com Hermione? Depois sentiu raiva de Hermione. Óbvio que Gina estava falando do seu irmão e do sentimento de Hermione. Só que ele tinha certeza que a ruiva estava errada. O caçula Weasley era apaixonado pela amiga.


 


Hermione sentiu as lágrimas vindo e sentou-se ao lado de Draco e, antes que ele pudesse protestar, deitou a cabeça no colo dele e começou a chorar. Sem saber o que fazer, ele acabou passando a mão pelos cabelos dela. Fechou os olhos. Merlin, como sentia falta...


 


- Granger, levante-se, eu preciso dormir.


 


Ela já estava irritada pela briga, levantou-se mas segurou a mão dele.


 


- Até quando vai continuar fugindo de mim?


 


- Não estou fugindo de você. Só estou com sono. Amanhã é dia de aula.


 


- Está fugindo sim. Agindo como se... como se nada tivesse acontecido.


 


Ele respirou fundo. Olhou-a com firmeza. Que tipo de brincadeira era aquela?


 


- Nada aconteceu – ele puxou sua mão e levantou-se. Hermione foi atrás.


 


- Como assim: nada aconteceu? – Draco virou-se.


 


- Você fez sua escolha. Eu fiz a minha.


 


- Draco... por favor. Eu precisei ir com eles. Precisávamos destruir as horcruxes!


 


- Eu disse que precisava de você... – não, ele não demonstraria mais esse lado para ela – Mas, quer saber? Eu me virei muito bem. Espero que tenha aproveitado bem seu passeio com o Weasley. Acredito que ele não deva ter muitas oportunidades de pagar outra viagem para vocês.


 


- De que merda está falando? Ou você não se lembra de como chegamos na sua mansão? Ou do que sua tia fez comigo?


 


A dor da lembrança invadiu seu pensamento. Os gritos dela ainda o atormentavam.


 


- Eu vi a forma como Weasley entrou e te resgatou. Vai dizer que é apenas amizade? Que durante os meses que ficaram juntos não rolou nada? Absolutamente nada?


 


Draco viu a culpa nos olhos dela. Hermione, sentiu-se lida e desviou seu olhar.


 


- Como eu disse: você fez suas escolhas. Eu fiz as minhas.


 


E saiu sem dar chance para que Hermione explicasse.


 


***


Todos estavam entusiasmados e o salão já estava lotado. As pessoas dançavam alegremente, cada um comemorando ao seu modo o fim da guerra. Claro que houve perdas, mas havia também a alegria da paz conquistada. Sorriu ao ver Rony dançando com uma bruxa da Corvinal. Ele retribuiu o sorriso, mas parou a dança assim que a olhou com mais atenção.


 


- Continue sua dança, Ron. Ela não vai gostar nada de ver você conversando aqui comigo.


 


- Hermione, é só uma dança. E você... bom... – ela sorriu, mas Ron ainda via tristeza no olhar dela – Gina, vai se desculpar...


 


- Harry está sendo um idiota.


 


- Eu sei... Falei que ele roubou meu papel – os dois riram – Já disse para terminar com minha irmã. Parece que ele tentou, mas conhece Gina...


 


Hermione olhou para a pista de dança e não pôde evitar ver Draco dançando com Astoria. O loiro também olhou e viu Hermione sentada próxima demais de Ronald, que tinha um braço em volta do ombro dela. Com raiva, puxou a loira para fora da pista.


 


- Vai continuar negando que anda olhando para o Malfoy?


 


- Não...


 


- Ele não é para você, Mione...


 


- Você não sabe disso. No final, ele nos ajudou.


 


- Sim, ajudou. Só que ele continua sendo um imbecil sem sentimentos. Um Malfoy mimado. Aposto que tudo precisa ser do jeito dele.


 


Com isso, Hermione tinha que concordar. Infelizmente.


 


***


Ela estava lendo em sua cama. Pensando em sua sanidade, resolveu dar um tempo nas tentativas de conversar com Draco Malfoy. De repente, a porta do quarto foi aberta sem nenhum aviso.


 


- Só para avisar que na próxima sexta farei uma festa aqui.


 


- Ok – Hermione respondeu sem tirar os olhos do livro. Ele ainda parado na porta.


 


- Pode trazer alguém se quiser.


 


- Ok.


 


- Pode vir com o Weasley – nisso ela fechou o livro com força.


 


- E por que acha que eu viria com Ron?


 


- Ele é seu namoradinho, não é? – ela viu a ironia nos olhos dele e aquilo a irritou.


 


- Se é o que pensa... Problema seu. Ultimamente você não quer me ouvir, então... faça o que achar melhor.


 


Draco sentiu-se ferido pelas palavras. Ela estava certa, mas não conseguia agir ou pensar corretamente ante a possibilidade dela estar com outra pessoa. Especialmente, ele.


 


- Granger,... eu... – nesse momento, ele foi empurrado para o lado e Gina apareceu chorando.


 


- Hermione! Ele terminou tudo!


 


A morena levantou-se e abraçou a amiga, levando-a até a cama. Draco estava parado na porta, Hermione foi até lá e com um olhar pediu que saísse. Ele obedeceu, contrariado. Viu a porta fechando-se.


 


- Eu me sinto tão idiota, Mione... E o que eu te disse...


 


- Tudo bem, Gina.


 


- Ele já me amou. Ele disse que sim! Eu vou reconquistá-lo.


 


- Gina... Não faça isso consigo mesma. Harry não se sente do mesmo jeito. Você precisa seguir em frente – a ruiva ouviu as palavras, mas não queria saber de seguir em frente. Ela queria Harry. Só que sabia de cor o discurso da amiga, então precisava de uma desculpa.


 


- Tudo bem. Só se você fizer o mesmo. Esqueça Draco Malfoy e fique com outro cara.


 


Hermione encarou a amiga. Esquecer Draco, isso era uma insanidade. Então percebeu o que pedia para a ruiva que chorava no seu colo. Precisava ser forte, sabia que Harry não voltaria para ela.


 


- Combinado. Malfoy fará uma festinha aqui. Venha e não chame o Harry.


 


- Nem você chame o Ron.


 


Elas apertaram as mãos e combinaram de se encontrar mais cedo naquele dia para se arrumarem para a festa.


 


***


Aquilo era, sem dúvida, a sensação mais idiota. Sempre que havia uma festa, uma reunião de amigos ou o que fosse, todos envolvidos ficavam com a ansiedade à flor da pele.


 


Muitos ali não tiveram uma adolescência comum. Entre eles, Hermione. Apesar de levar uma vida bem comum até seus 11 anos, tudo mudou ao conhecer Harry e Ronald. Esteve envolvida com dragões, trestálios, fugas, torturas e roubo a banco. Então, uma simples festa era motivo de ansiedade.


 


Ron não gostou muito de saber que a amiga e a irmã estariam na festa organizada por Malfoy e que não fora convidado. Tentou o apoio de Harry, que no fundo agradeceu por estar longe de Gina.


 


Sentia muito carinho por ela, verdade. Mas precisava de um tempo. Após anos passando por todo o tipo de dificuldade, não achava que era hora de namorar. E Gina, apesar de bonita, inteligente e irmã do seu melhor amigo, conseguia irrita-lo de uma forma única. Quanto a Hermione, não precisava se preocupar. Sabia que amiga poderia se livrar de qualquer pessoa incômoda.


 


- Você realmente, realmente não está chateado, Harry?


 


- Claro que não, Hermione. Vá se divertir com Gina. Na próxima semana faremos uma aqui e você pode vir, claro.


 


- E quanto ao Rony? – ela perguntou lançando um olhar para o ruivo emburrado que estava do outro lado da sala.


 


- Logo passa – nisso Gina chegou e houve um momento de silêncio. Ela ficou vermelha quando Harry a encarou. Antes que a ruiva pudesse falar alguma coisa, Hermione levantou-se e puxou-a pela mão em direção ao quadro da Mulher Gorda.


 


- Tchau, Harry! Tchau, Ron!


 


Elas entraram no quarto rindo e pensando em roupas e combinações. As duas pararam ao ver que Draco estava organizando a sala com a ajuda de alguns elfos.


 


- Eu trouxe a Gina.


 


- Achei que viria com o Weasley – ele disse escondendo a alegria.


 


- Ela é uma Weasley – e com isso, foi em direção ao quarto ainda puxando Gina pela mão.


 


***


As duas estavam próximas a uma longa mesa onde havia vários tipos de bebidas. Um som tocava ao fundo, possibilitando que as pessoas conversassem e dançassem. A sala estava cheia, especialmente de sonserinos. Mas havia muitos corvinais, pouquíssimos lufas e apenas as duas como representantes da Grifinória.


 


Hermione notou na festa, e também ao longo dos meses, como Astoria estava sempre rondando Draco. Ele não fazia questão de afasta-la, apesar de nunca tê-los visto se beijando, Draco sempre estava sorrindo, tocando-a... e aqueles pequenos gestos faziam com que ela sofresse. E pior, ele sempre a olhava. Para ele, não passava de uma provocação. Irritada, serviu-se de um copo de uísque de fogo.


 


- Hermione, o que você está fazendo?


 


- Bebendo coragem. Espere-me aqui – dizendo isso, foi em direção ao loiro. Vendo que ela se aproximava, puxou Astoria e depositou um longo beijo em seus lábios. Hermione ficou parada olhando aquilo. Sentiu as lágrimas vindo, mas as engoliu. Continuou andando até lá.


 


- Preciso falar com você – os colegas de Draco a olharam. Claro, eles nunca conversavam publicamente. Apenas trocavam curtos cumprimentos ou informações nas reuniões dos monitores. Astoria a encarou friamente.


 


- Ele está ocupado, Granger – ela retribuiu o olhar e depois encarou Zabini que apenas... olhava de forma divertida. Hermione estranhou.


 


– Então? – voltou a falar com Draco.


 


Ele acenou e seguiram para o quarto dele.


 


- Você é um completo idiota, sabia? Não, não quero ouvir. Realmente é um mimado filho da puta! Eu precisei ajudar meus amigos. Sem a destruição das horcruxes, Voldemort jamais poderia ser morto. Não fiz só por mim ou por Harry ou por Ron, como você adora falar. Fiz por você também. Só que é cego demais para enxergar além das cores da sua casa.


 


- Granger...


 


- Não... Estou há meses tentando falar com você. Logo teremos o Natal e gostaria que pensasse nisso. Posso ser sua amiga, pois sei que jamais assumiria algo, além disso, comigo.


 


- Granger...


 


- Você nem me chama pelo nome, Draco – ela viu o olhar dele de tristeza, só que ela que estava cansada de sofrer por ele – Ao contrário do que pensa, não há nada entre mim e Rony. Sim, ele me beijou – Draco fechou o punho de raiva – Eu o afastei, porque era de você que eu gostava. Que eu gosto. Só que ficou bem claro para mim, que o sentimento não é recíproco.


 


- Espere... – ele falou quando ela virou-se para sair.


 


- Não, Draco. Eu tenho esperado por muito tempo.


 


Hermione fechou a porta atrás de si e foi ao encontro de Gina, não a encontrou então começou a procura-la com o olhar.


 


- Sua amiga está conversando com Steve Diggory.


 


Ela olhou para trás, querendo identificar quem havia falado com ela.


 


- Zabini.


 


- Blaise. Ou Blás... Ela está logo ali – e apontou para um canto. Hermione viu sua amiga entretida numa conversa com o primo do falecido Cedrico.


 


- Obrigada. Acho que vou indo, então...


 


- A festa acabou de começar! – ela riu do comentário. Blaise riu junto, gostando do som daquela risada.


 


- A festa está acontecendo há pelo menos umas três horas, Zabini.


 


- Então... Agora sim é que ela está começando! Tome pelo menos uma bebida comigo. Estudamos há tantos anos juntos e nunca conversamos – ele disse servindo um copo de cerveja amanteigada.


 


- E você nem imagina por que isso aconteceu?


 


- Oh, Granger! Essa me atingiu bem aqui – e ele apontou o coração. Hermione não pôde evitar outra risada. Após um tempo de conversa ele se afastou, dizendo que pegaria algo para os dois comerem. Ela concordou e sentou-se em uma cadeira para espera-lo. Gina? Bom, ela estava conhecendo Steve de uma forma mais... aprofundada.


 


Blaise caminhou até uma mesa onde havia uns sanduíches. De uma forma estranha ele havia gostado imensamente da conversa que acabara de ter. Seus pensamentos foram interrompidos, por um puxão em seu ombro.


 


- Ei! Draco! Que merda foi essa?


 


- O que está fazendo de papo com a Granger?


 


- Achei que o papo de sangue ruim já tinha sido superado – ele falou cruzando os braços.


 


- E foi – Draco respondeu encarando os olhos negros do amigo.


 


- Então, qual o problema da conversa entre a Granger e eu?


 


- Qual o motivo dessa conversa? – o rapaz negro riu sonoramente, chamando atenção de alguns bruxos.


 


- O motivo? Bom, Granger é inteligente, bonita e tem uma ótima conversa. Qual o seu motivo para ficar com ciúmes?


 


- Não tenho ciúmes dela!


 


- Não? – ele olhou desconfiado para o amigo, que negou com a cabeça – Certo. Então, me dê licença por que tem uma bruxa linda me esperando e estou bem interessado em conhecer o que mais ela tem a oferecer além de uma boa conversa. – Blaise passou ao lado de Draco que o segurou pelo braço com força.


 


- Não te devo explicações e te considero um bom amigo. Mas se fizer alguma coisa com ela, vai se ver comigo.


 


- Não fui eu que a fiz chorar – Blás percebeu o olhar de dúvida do amigo – Acha que sou idiota? Não sei que merda aconteceu entre vocês, mas eu a vi limpando as lágrimas depois de sair do seu quarto. Agora me solte, senão é você que vai se ver comigo.


 


Ele aproximou-se de Hermione, mas ainda tinha a feição séria.


 


- Está tudo bem? – Blaise viu a preocupação no tom de voz dela e desfez a expressão.


 


- Sim, desculpe a demora. Então, a senhorita Granger monitora – ele disse após sentar-se em frente a ela – assaltou um banco e fugiu num dragão? Quando li essa reportagem achei que fosse alguma piada.


 


Ela riu. Zabini se pegou gostando mais e mais daquele sorriso.


 


- Vamos dançar? – ele levantou, oferecendo a mão para ela que aceitou.


 


Desde que saíra do quarto, Hermione decidiu que não olharia mais para Draco. A companhia de Zabini estava sendo extremamente agradável e a perspectiva de vê-lo com Astoria ao seu redor não lhe agradava nem um pouco. Blaise olhou para baixo e viu tristeza nos olhos de Hermione. Procurou Draco e viu que ele os encarava com raiva. Não sabia o que havia acontecido entre os dois, mas também não queria saber naquele momento. Sussurrou no ouvido dela:


 


- Hermione, será que domingo, no passeio a Hogsmead, você gostaria de ir comigo? 


 


- Eu? – ele a pegou desprevenida e gostou disso.


 


- Hummm tem outra Hermione dançando comigo? – Blaise, perguntou sorrindo e piscando.


 


- Não... E Sim. Eu aceito ir com você, Zabini – o sonserino lançou um olhar ofendido.


 


- Ainda pelo sobrenome?


 


- Quem sabe depois do nosso encontro eu mude de opinião – e foi a vez dela piscar. Ele riu.


 


***


Hermione acordou cedo e se arrumou. Tomou café da manhã rapidamente e ficou esperando por Zabini. Ignorou os protestos de Harry e Ron. Aceitou sugestões de Gina, que também teria um encontro com Steve.


 


Eles passearam pelo povoado e conversavam sobre tudo. Pararam no Três Vassouras e Blaise agradeceu intimamente por ela não querer ir ao Madame Poodfoot.


 


- Eu fui um idiota – ele disse de repente.


 


- Quê? – Hermione perguntou sem entender.


 


- Eu fui um idiota.


 


- Do que está falando, Zabini?


 


- Essa ideia toda de pureza do sangue. Isso não significa nada. Olhe só você!


 


- O que tem eu?


 


- Você é nascida trouxa e é mais bruxa que muito sangue puro que eu conheço! É melhor do que eu! – ela corou perante o comentário. Blaise a olhou com intensidade.


 


- Você fica linda quando envergonhada – isso apenas fez com que ela se envergonhasse ainda mais. O rapaz aproximou-se dela, dos lábios dela.


 


- Não sabia que estava se envolvendo com grifinórios, agora.


 


Ele afastou-se e encarou Astoria, depois olhou para Teodore Nott.


 


- Ué? Não está correndo atrás de Draco? – ela gaguejou sem resposta.


 


- Não sabe responder aquilo que não foi treinado com antecedência, Greengrass?


 


- Cale a boca, sua... – ela apontou sua varinha e Hermione fez o mesmo.


 


- Por favor, termine essa frase... Vou adorar te azarar e ainda ver você recebendo uma detenção ou, melhor, alguns meses em Azkaban. Então, por favor, termine sua frase.


 


Blaise tinha sua varinha apontada para Nott que o olhava friamente, mas não falava nada. Os dois sonserinos se retiraram rapidamente.


 


- Melhor voltarmos – Hermione disse olhando para cima e encontrando os olhos de Zabini.


 


- Sim, é melhor – ele respondeu tentando controlar a raiva.


 


***


- Não acredito que realmente saiu com ela! – Draco gritou para o amigo.


 


- E eu não acredito que não estava lá para ajuda-la quando Nott e sua namoradinha apareceram!


 


- Como?


 


- De que adianta ter mudado de lado na guerra, se agora você continua agindo como um completo idiota? – ele empurrou Draco e seguiu pelo corredor em direção ao salão da Sonserina.


 


O loiro entrou em seu quarto batendo a porta com força. Odiou-se ainda mais quando percebeu que Hermione não tentava mais falar com ele.


 


 


 


***


N.A.:


Oi!!!!
Espero que estejam gostando! Não, não vim pedir comentários! Esse capítulo, como perceberam, se passa no passado. O capítulo 3, também será assim. Quanto ao 4, eu não sei... vamos ver que rumo a história toma.


 


Obrigada para quem dedica os minutinhos para comentar!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 7

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Brenda Moreira Marques em 11/02/2012

"Acha que sou idiota? Não sei que merda aconteceu entre vocês, mas eu a vi limpando as lágrimas depois de sair do seu quarto. Agora me solte, senão é você que vai se ver comigo." ZABINE E DRAAAAAAAAAAAAAAAAAAACO *-* é pedir perfeição olha!

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Ju Fernandes em 21/01/2012

Não sei ... O Draco é minha paixão, mas o Zabini me conquistou! hahaha

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Fernanda Toledo em 12/10/2011

Tô adorando!!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Jess Mesquita em 11/09/2011

Amando essa fic não par não tá!! :D

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Queen Malfoy. em 26/08/2011

Aaaahhhh! Não para, não para, não para não ♪
Ta otima to amando cada capitulo!

Continua continua continua ... ♪

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Láh Daldegan Alcazar em 25/08/2011

To amandooo !!Super Perfeita !!!

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Elisa Carvalho em 22/08/2011

A ideia da fic é muito boa! Estou adorando!

Bjs e muita inspiração!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.