FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. Pega-Bandeira


Fic: Dividindo o apê, by Rê Malfoy AVISO ON


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Draco parou de frente para o pequeno portão, sem saber direito ainda o que fazer. Fora convidado, era óbvio, mas não sabia se havia sido apenas por educação ou outra coisa. Desde o fim da guerra, jamais fora plenamente aceito nos lugares... E, agora, ele se encontrava ali, parado, à porta da Toca. Tendo sido convidado...


 


Mal teve tempo de pensar. Um grito vindo ao longe o trouxe a terra novamente.


 


- Hey, priminho, seja bem vindo! – Tonks, que trajava um vestido azul elétrico e cabelos rosa chiclete disse, puxando-o para dentro, cruzando o jardim da frente, entrando na casa.


 


Draco viu o silêncio que pairou assim que entrou. Porém, fora logo bem recebido pelos Weasley, Arthur e Molly, seguido por um aperto de mão de Remo Lupin, noivo de sua prima, e por Minerva, a antiga professora de transfiguração.


 


- As crianças estão lá atrás. – Molly disse, indicando o jardim de trás com a mão – Vá. Vá se divertir!


 


Draco passou pela cozinha, onde uma enorme mesa retangular, coberta com uma toalha cor de rosa, estava disposta. Uma pilha de pratos plásticos (rosa com estrelas cor de prata), talheres e copos descartáveis roxos com abóbora encontravam-se a um canto. Diversos doces, jujubas, balas... Um enorme bolo de três andares branco, com glacê rosa e lilás no centro da mesa. Sem velas.


 


Balões nas cores rosa, roxo, prata e branco enfeitavam o ambiente. O mesmo acontecia no jardim...


 


Draco saiu da cozinha e, num primeiro momento, tudo o que conseguiu ver foi um monte de cabelos cor de fogo. Depois do choque, conseguiu identificar outras pessoas.


 


- Draco! – um dos gêmeos, ele teve certeza de que era Jorge, veio até si e o cumprimentou, sorridente – Achamos que não vinha mais!


 


O loiro sorriu, sendo derrubado em seguida por um forte abraço.


 


- Cabeção!!! – Suzie exclamou, toda alegre, os braços envoltos no pescoço dele – Nina e eu achamos que não viria!


 


Draco sorriu, abraçando a menina direito. Suzie estava um tanto quanto ‘chamativa’ em seu vestido amarelo-ovo rodado, os cabelos pretos presos num coque alto, as mechas rosas caindo em cachinhos pela lateral de seu rosto fino.


 


- Vamos! – a garota disse, puxando-o pela mão, correndo pelo meio do jardim – Precisamos de mais um para o pega-bandeira!


 


Draco tentou argumentar, mas fora calado ao ser puxado pelo braço por Jorge.


 


- Espera um segundo, criatura nefasta! – o ruivo disse, soltando o loiro da possessiva Suzana – Deixa eu terminar com as apresentações. Já já o Malfoy aparece no vale.


 


Suzie bateu com um dos pés na grama, emburrada, mas deu as costas e desceu correndo.


 


Draco olhou a sua volta, algumas pessoas acabaram de se aproximar dele.


 


- Kate, você e Draco já se conhecem. – o ruivo indicou a própria namorada, que acabara de parar ao seu lado – Draco, estes são meu irmão Carlinhos; Gui e a esposa, Fleur. A filhinha deles, Victoire, e a irmã caçula da Fleur, Gabrielle.


 


Draco cumprimentou a todos, com aperto de mãos e um sorriso. Nenhum deles parecia querer evitá-lo ou ignorá-lo. Pensou consigo mesmo se a senhora Weasley havia dado algum recado em especial para os filhos, naquele dia mais cedo...


 


Cumprimentou ainda Percy, outro irmão dos gêmeos, e sua namorada, Penélope. Conheceu os pais de Hermione, que conversavam animadamente com o pai de Luna e o gigante Hagrid.


 


Os jardins estavam decorados no mesmo estilo que a cozinha, com balões espalhados por todo o lugar. Pisca-pisca coloridos nas árvores. Uma enorme faixa com o nome de Hermione e o leão da Grifinória encontrava-se presa entre duas sebes.


 


- Só descer. – Jorge disse, indicando com um dedo o vale abaixo – Eles estão brincando de pega-bandeira. Nina e Suzie querem você no time delas. Melhor correr!


 


Draco assentiu e começou a descer. Notou diversos rostos conhecidos, espalhados pela parte mais baixa do vale. Em cantos opostos, duas bandeiras encontravam-se afixadas no chão, uma vermelha, outra azul.


 


- Draco! – Nina cumprimentou o colega de trabalho, indo até ele e o abraçando fortemente – Pegamos a próxima. Temos que esperar eles terminarem a partida!


 


O loiro assentiu para a jovem, que usava uma saia vermelha xadrez rodada e uma camiseta regata branca, com um símbolo hippie colorido estampado, os cabelos castanhos presos num rabo de cavalo.


 


Draco olhou de relance para si mesmo. Calça jeans escura. Camisa de gola alta preta.


 


- Que foi? – Suzie perguntou, no que ele desconversou, ainda rindo.


 


- Precisamos ganhar essa! – Nina disse, as mãos na cintura – Do contrário, ficará insuportável aturá-los.


 


O sonserino pensou em perguntar, mas não foi preciso. Olhou para o campo, gritos do lado vermelho!


 


- Merda! – Suzie resmungou, uma careta no canto da boca – Ganharam mais uma!


 


Draco observou o time de azul, de Finningan, Thomas e Patil, sair do campo, cabisbaixo. No extremo oposto, Fred, um rapaz que Draco não conhecia, e Hermione pulavam abraçados, animados, balançando a bandeira do inimigo contra o vento.


 


- Terceira seguida. – Suzana explicou – Ganharam de Jorge, Kate e Carlinhos. Depois, de Luna, Gina e Neville. Agora, deles...


 


- Precisamos ganhar. Vamos! – Nina disse, explicando rapidamente as regras para Draco enquanto desciam. O loiro notou o silêncio quando se aproximou.


 


- Malfoy. – Gina disse, sorrindo, educadamente, estendendo uma mão para o rapaz – Hey, pessoal! Todo mundo se lembra do Malfoy, certo?


 


Cabeças assentiram, mas poucos foram aqueles que vieram e cumprimentaram o rapaz. Entre os educados, encontravam-se Luna, Neville, Rony, que fora trazido pelo braço por Harry, já que Gina o olhava ameaçadoramente.


 


Parvati e Lilá sorriram, um tanto quanto exageradamente. Lino, que, como sempre, estava narrando a partida, deu-lhe um aceno, sorridente. Simas e Dino murmuraram um singelo ‘Olá’.


 


- Prazer. – o rapaz, moreno, que Draco não conhecia, aproximou-se, a mão estendida – Luc SunBright. Amigo da Mione.


 


Draco tentou ignorar a revirada que seu estômago estava dando.


 


- Draco. – Fred disse, meio animado, meio sério, abraçado a Hermione.


 


O sonserino reparou que o ruivo só o tratava assim, um tanto quanto friamente, quando a grifinória estava por perto.


 


- Fred. – cumprimentou, olhando, por fim, para a aniversariante – Granger. – disse, no que ouviu diversos burburinhos às suas costas.


 


- Que mané ‘Granger’, Draco?! – Suzie disse, rindo – Vocês já se conhecem há anos, de Hogwarts. Ela já foi milhares de vezes lá na loja. Custa chamar ela pelo nome?


 


- Cala a boca, Suzana! – Hermione disse, rindo, corando levemente.


 


A morena olhou para o loiro e sorriu. Draco sentiu, pela primeira vez desde que chegara, seu corpo esquentar. Era como se o sorriso de Hermione dissesse o que a morena não expressara em palavras. Que ele era bem-vindo ali. E que ela estava feliz em vê-lo ali.


 


- Ok, ok. Hora de você perderem! – Fred disse, puxando a morena, indicando o meio do campo para seus três empregados – Já sabe as regras?


 


- Uhum. – Draco assentiu, sendo puxado pelas meninas pelos dois braços.


 


Hermione foi se sentar numa parte mais elevada, ela e Luc conversando e rindo.


 


- Me digam de novo: como vocês ganharam do Potter, do Weasley e da Brown? – o loiro quis saber, posicionando-se perto da linha divisória, bem ao lado de Suzie.


 


- Roubando. – Nina disse, ao pé do ouvido – Gabrielle nos ajudou, prometeu não contar nada. – completou, rindo, indo se posicionar mais ao longe, perto da bandeira azul.


 


Draco revirou os olhos e riu. Respirou fundo, esperando o próximo time se posicionar. Tonks, Remo e Gui acabaram de chegar...


 


Pega-bandeira era uma brincadeira trouxa, adaptada maravilhosamente ao estilo bruxo. Um campo era dividido em duas metades iguais por uma linha divisória. Em cada extremo, ficava uma bandeira de uma equipe. Aqui, uma bandeira vermelha e uma azul.


 


O objetivo: pegar a bandeira alheia e levá-la até seu próprio campo. Fácil. Até ser adaptado ao estilo bruxo.


 


Três jogadores em cada time, cada um podendo usar sua varinha e até cinco itens. Em sua maioria, os itens, Draco percebeu, eram os que ele costumava vender na loja dos gêmeos.


 


Uma bolsa transversal presa ao seu corpo. Draco olhou rapidamente. Nina lhe entregara algumas bombas de bosta, estrelas explosivas e uma bola pega-fogo. O loiro riu. Aquilo seria divertido...


 


************************************************************************************


 


Hermione respirava intensamente, tentando se acalmar. Suor escorria por sua nuca. Seu vestido floral de alças encontrava-se amassado e colado ao seu corpo.


 


- Excelente aniversário, hein? – Luc disse, cutucando a morena com o cotovelo – E pensar que você dispensou tudo isso no ano passado... Doida varrida...


 


- Dispensei pra ficar com você! – ela devolveu o cutucão, sorrindo, vendo os times se preparem mais abaixo.


 


- Uhum... Sei... – o moreno disse, e Hermione olhou para a grama, sorrindo baixinho.


 


Luc era um dos poucos que sabia o real motivo da morena não ter querido uma festa de aniversário no ano anterior. Ele e Fred eram os únicos que sabiam que ela havia desistido de comemorar seus aniversários desde que encontrara um antigo namorado, Josh, a traindo no mesmo dia, três anos antes. Depois disso, a morena simplesmente desistira de celebrar a data...


 


- Quem você acha que ganha? – Luc disse, indicando os dois times no campo. Lino se preparava para dar início a partida.


 


- Tonks. – disse, dando de ombros – Mas tenho certeza de que as meninas vão dar trabalho!


 


Dito e feito. O jogo começou e os dois times avançaram. Suzie lançou um punhado de estrelas explosivas contra Remo, que facilmente se desviou com um acenos de varinha. O lobisomem lançou um feitiço para desarmar a garota, mas Nina o repeliu, à distância.


 


Gui avançava quando fora pego por uma teia inquebrável lançada por Nina. O rapaz caiu de cara no chão, contorcendo-se todo, sem, porém, conseguir se desvencilhar. Draco saiu em disparada.


 


- Idiota... – Hermione murmurou, vendo-o cortar metade do campo adversário, repelindo com um aceno de mão cada azaração lançada pela prima – É uma armadilha...


 


Draco caiu em um poço fundo, escondido por uma camuflagem.


 


Tonks correu na direção oposta, mas caiu quase em seguida. O loiro deixara cair estrelas explosivas onde a prima acabara de pisar. Tonks pulava de um pé para o outro, tentando apagar as faíscas que queimavam a barra de suas vestes.


 


- Não tão idiota assim... – Luc murmurou, um sorriso maroto, ao ver o loiro subir pelo buraco e pegar a bandeira adversária.


 


Gritos ecoaram em seu lado do campo quando o sonserino cruzou a linha divisória.


 


- É... – o moreno disse, ajudando Hermione a se levantar – Teremos um certo trabalho...


 


Hermione respirou fundo, descendo até o campo. Seus olhos e os de Draco se cruzaram. Agora, era vez de eles brigarem...


 


************************************************************************************


 


- Ok. – Hermione começou, séria, seu grupo parada ao lado da bandeira vermelha – A melhor estratégia vence!


 


- Missão suicida! – Suzie declarou, no extremo oposto, para o seu grupo, ao lado da bandeira azul.


 


- Eu fico de guarda. – Fred disse, firme – Ninguém pegará nossa bandeira, a menos que me matem!


 


- Draco, você guarda nossa bandeira! – Nina disse, olhando fixamente para o loiro – É o mais forte de nós. Cuide bem dela.


 


- Ou eu e Nina cuidaremos de você depois! – Suzie ameaçou, um sorriso demoníaco no rosto angelical.


 


- Vou pela esquerda, você, pela direita. – Luc disse, no que Hermione assentiu – Tente apenas se desviar delas. Vou atraí-las pra mim e você terá passagem livre.


 


- Vamos pular em cima do Luc! – Suzie declarou, batendo as mãos com Nina – Não é todo dia que podemos fazer isso num gato como ele!


 


- E a Granger? – Draco perguntou, confuso, enquanto elas riam.


 


- Você é capaz de cuidar dela, não é? – Nina perguntou, uma sobrancelha erguida.


 


- Não pense na vitória! – Suzie disse, piscando, maliciosamente, para o loiro – Pense que você acabou de receber permissão para agarrar aquela garota!


 


Draco estava pronto para questionar aquele tipo de estratégia quando Lino soou o apito. Nina e Suzie afastaram-se dele, indo para a linha divisória, suas sacolas presas na cintura.


 


Olhou para o campo oposto, Hermione vinha caminhando. Ela estaria no ataque. Ele, na defesa...


 


‘Pense que você acabou de receber permissão para agarrar aquela garota!’, a voz de Suzie tornou a ecoar em seus ouvidos. Riu, baixinho, remexendo em sua sacola de itens. Tinha sua própria estratégia...


 


************************************************************************************


 


O apito soou, dando início à partida. Hermione começou a correr. Olhou para o lado, parou de pronto.


 


Luc acabara de ser encurralado por Nina e Suzie. Suzana encontrava-se literalmente pendurada nas costas do rapaz, e Luc tinha exatos 1.90m de altura. Nina acabara de lançar uma azaração nas pernas do rapaz, o moreno caiu, as pernas bambas.


 


Hermione correu em seu socorro. Uma bola pega-fogo rolou em sua direção, ela deu um pulo para trás. Uma cortina de fogo envolveu o trio. Xingou baixinho, não podia atravessar.


 


Olhou para trás rapidamente, Fred corria em seu auxílio. O ruivo logo caíra com um feitiço de Suzie lançado em si, um petrificus totalis.


 


Olhou para frente, Draco avançava em sua direção...


 


O loiro lançou-lhe algumas estrelas explosivas, a morena desvencilhou-se facilmente. Recomeçou a correr, obrigando o loiro a ir atrás de si.


 


Jogou bombas de bosta, ele as desviou com um aceno de varinha. Ao fundo, puderam ouvir os gritos de nojo dos amigos e Fred resmungando. Aparentemente, uma das bombas havia caído sobre si.


 


Correu e correu, ziguezagueando. Draco não saía de seu encalço...


 


- Idiota! – berrou, lançando nele sua única teia inquebrável. Errou, atingindo o trio que se engalfinhava no chão.


 


O loiro parou, um sorriso no canto dos lábios. As íris cinzas brilhavam...


 


Estavam quase na metade do campo dele. Hermione correu feito uma desesperada.


 


Pegou a bandeira, voltou correndo. Xingou baixinho. Ele a esperara na linha divisória.


 


Caiu no chão, xingando-o, ainda no campo adversário. Estava a poucos passos do seu próprio campo. O corpo do sonserino sobre o seu. Estava imobilizada.


 


- Feliz aniversário, Granger! – ouviu-o dizer, a boca dele próxima ao seu ouvido, uma risada ao final.


 


Não sabia se estava mais irritada pelo deboche ou pelo fato de ter borboletas voando em seu ventre.


 


Chutou, debateu-se, socou. Nada o fazia sair de cima de si.


 


- Encare os fatos, Granger. – disse, segurando os punhos da morena, jogando-os por cima da cabeça dela, seus joelhos prendendo seu corpo – Você jamais vai conseguir me vencer!


 


Hermione soltou um longo suspiro, rendendo-se. Parou de se mover, de chutar e se debater. Ergueu os olhos, suas íris castanhas analisando fixamente os olhos cinzas do loiro.


 


Draco se contorceu, involuntariamente. Era sua imaginação ou Hermione acabara de entrelaçar seus dedos aos dele? Engoliu em seco. A morena, de fato, acabara de dobrar uma das pernas, prendendo-a em sua cintura.


 


Xingou baixinho, ouvindo os gritos ensandecidos da platéia que os assistia. Estava mais preocupado com sua masculinidade. Estava pulsando e ganhando volume dentro de suas calças.


 


- Granger. – disse, notando que sua voz ficara mais rouca.


 


“Merda!”, pensou. Aquilo só acontecia quando ficava extremamente excitado.


 


Hermione sorriu embaixo de si. Reparou que não lhe segurava mais os punhos quando as mãos da morena começaram a subir pelos seus braços, envolvendo seu pescoço.


 


Fora jogado de costas na grama, a morena ficando por cima de si.


 


Hermione ampliou o seu sorriso. Aproximou os lábios do ouvido do loiro e murmurou, sua voz doce, aumentando tão somente sua excitação...


 


- Encare os fatos, Malfoy... – disse, quase num sussurro, sua mão esquerda descendo pela camisa preta, a direita procurando algo acima dele – Você quem jamais vai conseguir me vencer...


 


Sentiu uma leve pressão sobre o seu peito, Hermione se levantou rapidamente. Quando se deu conta, já era tarde demais. Ela já havia cruzado a linha divisória. A bandeira azul nas mãos...


 


Levou uma mão aos olhos, a outra um pouco mais abaixo da barriga. “Merda!”, pensou. Estava duplamente derrotado...


 


************************************************************************************


 


Demorou quase quinze minutos para que todos conseguissem se organizar para cantar ‘Parabéns’. Pedaços de bolo foram distribuídos a todos duas vezes. Os homens da família Weasley, a exceção de Arthur, repetiram três vezes.


 


Conversas preenchiam o ambiente. Estava uma noite quente e enluarada. Alguns casais dançavam no jardim, ao som de uma antiga balada bruxa.


 


Hermione acabara de sair do quarto de Rony quando foi surpreendida por Fred.


 


Os dois se encararam, mudos.


 


- Errei, me desculpa. – a morena pediu, por fim, recostando a cabeça na parede. Seus corpos próximos, já que o corredor da Toca era pequeno.


 


- Não teve graça, Hermione. – o ruivo disse, apoiando o braço por sobre a cabeça dela, reclinando-se me sua direção – Aquele golpe foi baixo.


 


- Eu sei. – ela assentiu, detestando ouvir o sermão – Mas nos deu a vitória, não deu?


 


Fred murmurou algo, mas a grifinória não conseguiu entender o que era.


 


- Ok... – tornou a assentir, soltando um longo suspiro – Prometo nunca mais fazer isso de novo. Estamos de bem, agora?


 


O rapaz revirou os olhos, impaciente.


 


- Você tem consciência do que aquilo é capaz de fazer? – perguntou, sua voz baixa, porém, firme – Sério, Hermione. Tem noção?


 


- Fred, eu...


 


- Você me deixou excitado! – exclamou, fazendo-a calar-se surpresa – Quando você fez aquilo comigo, anos atrás, você me deixou excitado. O que você acha que deve ter acontecido com o Malfoy hoje?


 


Hermione não soube o que responder, apenas abaixou os olhos e deixou seu rosto esquentar a vontade.


 


- Não foi... minha intenção... – disse, num fio de voz – Só queria ganhar o jogo... Distrair ele...


 


- E conseguiu! – o ruivo disse, afastando-se, dando uma volta em torno de si, voltando a se apoiar como antes na parede – Garanto que você conseguiu. Do contrário, você acha que o Malfoy teria deixado você cruzar a linha tão facilmente? – sua voz era baixa, mas séria – Ele estava distraído, Hermione... Com uma bela distração bem no meio das pernas dele! – disse, exaltando-se pela primeira vez.


 


Hermione fechou os olhos, respirou fundo. Sentiu sua intimidade pulsar. Do mesmo jeito que pulsara enquanto tivera o loiro sentado em seus quadris. Se fosse verdade o que Fred dissera, e ela sabia que era verdade, Draco sentira-se exatamente como ela acabara de se sentir. Corou mais ainda. Não sabia o que dizer...


 


- Quê que eu faço? – perguntou, sem jeito, encarando os olhos azuis – Não tenho cara de ir lá e pedir desculpas a ele...


 


- Eu falo com ele depois. – o ruivo disse, pacientemente, puxando a morena para si, abraçando-a contra seu peito – Mas eu te prometo. Nunca mais você vai jogar pega-bandeira contra outro homem!


 


Hermione riu, seu riso abafado pelo corpo dele...


 


Inalou o gostoso cheiro do sabonete que exalava do ruivo. Ele ainda tinha os braços úmidos do banho que tomara. Fechou os olhos, aninhando-se mais ainda aquele corpo, o corpo que se encaixava tão perfeitamente ao seu...


 


Ouviu o riso na garganta dele. Ergueu os olhos, confusa.


 


- Não te desejei feliz aniversário ainda! – Fred disse, um sorriso maroto nos lábios.


 


Hermione revirou os olhos e lhe deu a língua. O ruivo tornou a rir e a puxou para dentro do quarto do seu irmão, onde estavam os presentes que ela ganhara durante todo o dia.


 


- Minha vez de dar o seu presente. – disse, fechando a porta atrás de si, puxando-a para um beijo de tirar o fôlego...


 


************************************************************************************

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Her Granger Malfoy em 28/12/2011

O QUÊ? :O:O:O
Fred agarrou mione?
Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii tô pulando nervosa aqui!!!!
aiaiaiaiaiaiai

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.