FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

6. Capítulo 6


Fic: stupid girls JL CAPÍTULO 13 ON!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

"Me perco, me procuro


e me acho.


E quando necessário,


enlouqueço e deixo rolar."


- Clarice Lispector



__________________________



__________________________



Capítulo 6


Help! I need somebody



Acordei com dor de cabeça, belo jeito de começar o dia. Não estava mal humorada, pelo menos isso. Levantei correndo e vesti uma roupa qualquer, uma simples camisa preta, calça jeans e tênis (all star, como sempre). Deixei meu cabelo solto, pela primeira vez eu o olhei no espelho e gostei do jeito dele, o que era milagre. A única diferença entre o meu cabelo e palha de aço, é que o meu cabelo não tem mil e uma utilidades. Peguei minha mochila e desci correndo, Remus, James e Sirius já estavam na cozinha tomando café da manhã. A Petúnia tinha realmente dormido na casa da Jessica.



- Bom dia. – eu cumprimentei e peguei um copo me servindo de leite. Eu sei que parece estranho, mas depois que eu vi um filme que o cara (um assassino de aluguel) estava ensinando uma garotinha de nove anos ser uma assassina, eu passei a tomar leite todo o dia. Por quê? Bem, o assassino obrigava a garota tomar leite, então tinha algum motivo, apesar de não ser muito grande, ah podia falar algo também sobre cálcio... mas ai sim o motivo não ia ser grande. Ok, parei de tentar ser sarcástica, sou como o Sheldon de TBBT quando o assunto é esse.



- Vamos? – pediu Remus, e eu assenti, colocando o copo na pia. Eu estava nervosa, no carro ficava constantemente mexendo no meu cabelo, isso deveria ser porque iria ver Lee e a Jessica. Sério, eu não quero ser aquelas garotas que juram vingança ao ex namorado, ou coisas assim, mas só o fato de pensar que eu ia ver eles meu estômago parecia subir pela garganta. James tirou minha mão do meu cabelo e a segurou, ele não falou nada, só sorriu. Por algum motivo desconhecido completamente por mim, aquilo me acalmou. Chegamos na escola rápido, tive que rir do Sirius cantando Pink, So What?.



- Se você tiver algum problema, pode me procurar ruiva que eu cuido pra ti. – Sirius falou quando saiu do carro. Eu ri, ele me deu um beijo na bochecha e correu ao ver Marlene. Os dois até que dariam um casal bonitinho, ele estava ajudando ela com os livros. Remus foi com a Dorcas, assim que a viu. James não segurava mais minha mão, mas bem que eu queria que ele segurasse, a presença dele me fazia bem sim, os beijos dele eram viciantes, mas não, eu não estava apaixonada por ele. Talvez eu realmente tenha a fobia de amar, quem sabe com isso a vida não ficava mais fácil? Respirei fundo e ajeitei minha mochila.



- Você está bem? – ele pediu antes de entrarmos na escola. Assenti com a cabeça, pelo menos eu queria ficar bem. Entrei na escola junto com James e logo Lee me avistou, ele teve a intenção de vir falar comigo, mas Jessica chegou por trás dele, o abraçando. Pelo jeito os dois estavam juntos. Os períodos da manhã passaram rápidos, Lene me fez rir a maioria do tempo e os professores ficaram com a desculpa que eu já havia sido suspensa, se fosse tirada da sala iria me prejudicar mais ainda. Quando saímos da sala, Dorcas nos esperava para irmos almoçar. Vi um monte de pessoas olhando uma folha do painel, fiquei curiosa, mas me segurei até sentar com os garotos.



- Qual é o motivo do alvoroço? – pedi, sentando do lado do James, Lee continuava a me encarar ao lado de Jessica, o fato de eu o tratar com indiferença talvez estivesse o deixando intrigado. Indiferença rules, assim eu não mostrava para ele que estava sofrendo (o que não estava). Fato.



- Baile de Primavera. – Dorcas respondeu sorrindo, toda animada. Tenho que confessar que sempre odiei bailes, de qualquer gênero. As garotas ficam literalmente no cio quando se trata de arranjar pares, óbvio que estou generalizando, nem todas são assim. Antes de Dorcas continuar a falar, Lee parou no canto da mesa e me olhou nervoso.



- Lily, posso falar contigo? – ele pediu, James fez menção de levantar, mas coloquei a mão em seu ombro, o acalmando, ou pelo menos tentando o acalmar. Não era só ele, Remus e Sirius não estavam nada contentes.



- O que você quer Leeland? – pedi, rude. Ele estava claramente nervoso.



- Eu queria falar com você, a sós. – ele falou de novo, suspirei. Por mais que todas as células do meu corpo gritassem não, eu levantei e o acompanhei até o corredor da escola.



- Fala. – eu disse, cruzando os braços.



- Eu não queria que as coisas acabassem desse jeito...



- Se você vai ficar se lamentando, eu não quero ouvir. Quer comer a Jessica? Come, fica a vontade. Agora nunca mais ouse falar comigo. Eu não estou com raiva de ti, você para mim agora... não passa de um idiota. – Tentei me controlar nas palavras, ia chamar ele de filho da puta, vadio, estrume... Revirei meus olhos e voltei para a mesa, Lee veio atrás de mim e segurou meu braço, de novo. – Você tem três segundos pra soltar meu braço.



- Lily, eu ainda te amo... – Leeland falou, quase numa lamúria, puxei meu braço e sentei ao lado de James e ele sorriu para mim, segurando minha mão. Lee ficou parado no lugar, como se tivesse raciocinando o que tinha acontecido. – Então quer dizer que você já está com o Potter?



- Leeland, você já estava com a vadia da Jessica ainda antes de nós terminarmos o namoro. Não acho que pode ficar me julgando. – eu respondi, o mais calma possível, ignorando o fato de estar com o Potter, eu não estava com ninguém, eu não sou de ninguém.



- Primeiro o goleiro, agora o atacante do time, cuidado Meadowes, ela vive na mesma casa do Lupin, o próximo vai ser ele, ou pode até ser o Black. – Leeland falou, venenoso, aquilo me feriu. Ele acima de todos me conhecia, sabia como eu era, mas no fim, quem não reconhecia mais alguém era eu.



- Cai fora Leeland. – falou o Sirius, ele já tava começando a se irritar com o Lee.



- O que foi Black? Vai dizer que nunca pensou em comer a ruiva também? – Já era a gota da água, James levantou da mesa e foi pra cima do Lee. James começou a bater nele, foi no mínimo uns três socos, Lee já estava com a boca sangrando.



- JAMES, PARA! – Lene gritou, por mais que quisesse que ele continuasse batendo no filho da puta, fiz uma careta. Remus segurou James e Jessica correu para socorrer o Leeland. Esse se livrou da garota e saiu dali. James sentou de novo e ficou analisando a sua mão, vermelha.



- Eu vou buscar gelo. – falou Lene, levantando-se. Sirius foi com ela.



- Você não precisava fazer isso... – eu falei, mas logo sorri, dando-lhe um beijo na bochecha. – Mas adorei que o fez.



- Precisava, não ia deixar ele ficar falando daquele jeito de ti... – ele respondeu e foi baixando a voz, ohn, ele tava ficando envergonhado, eu ri disso. Lene voltou rindo com Sirius e entregou o gelo para James. Essa briga não foi boa, porque agora James iria ser suspenso, ou pelo menos eu pensava que ia. Não vi nenhum professor se aproximar, ou até mesmo o diretor. Todos do colégio me olhavam e apontavam, acho que fiquei com uma fama de vadia, ou de foda mesmo, por ter batido na Jessica. Confesso que não era uma boa sensação ser notada por todos. Gostava de ser antissocial, sem ser notada. As aulas da tarde seguiram normais, não estava em nenhuma classe com Marlene, mas com a Jessica sim. O nariz dela estava perfeito até demais e ela nem ousou em chegar perto de mim. Pelo menos isso foi uma coisa boa ao meu favor. Terminou a última aula e Dorcas veio correndo com Lene ao seu lado.



- Você não vai acreditar! – falou Dorcas animada, rindo. Lene estava vermelha, envergonhada, mexendo no cabelo. – A Lene foi convidada para o Baile de Primavera!



- Sério? – falei sorrindo, guardando meus materiais no armário. – Quem?



- O Josh! – Dorcas continuou, mais ainda animada ainda, tentei controlar a minha careta o máximo que pude. Quem não ia gostar era o Sirius, dei um sorriso, tentando ao máximo parecer animada. Josh era um cara legal, reserva no time de futebol, titular no de natação e isso o fazia ter músculos. Ele não era tão burro, apesar de aparentar, se dava bem com matemática e não com português. Lene provavelmente se aproximou dele por isso, ela era ótima em português e Josh como qualquer interesseiro deve ter feito amizade com ela.



- Ahn... você aceitou? – perguntei, fechando meu armário, segurando apenas um livro. Hoje Remus tinha treino até mais tarde e Petúnia tinha ensaio das cheerleaders, então eu ia esperar os dois na arquibancada. Marlene fez uma careta, mordendo o lábio inferior.



- Não, disse que ia pensar. – ela me respondeu, sorri, eu tinha que fazer ela mudar de ideia. Apesar de não querer me meter nisso, no fim eu sempre acabo me metendo em tudo! Sirius ia ter que me dar algo MUITO bom em troca, por causa desse favor. Dorcas fez outra careta.



- Pois deveria ter aceito! – Dorcas falou rindo, nos deu um beijo na bochecha e saiu correndo, murmurando algo como atrasada, vacas, cheerleaders. Não pude deixar de rir, ainda não entendia como uma garota tão legal como ela estava no meio de garotas fúteis como a minha irmã e a Jessica. Falando na Petúnia ultimamente ela estava estranha e quando eu digo ultimamente eu falo nos últimos dois dias. Ela estava na casa da Jessica a maior parte do tempo, mas quando chegava em casa se trancava no quarto e não saia. Se eu me preocupasse com ela, com certeza essas horas eu estaria conversando... Mas como se trata dela e da nossa relação, preocupada era a última coisa que iria estar. Lene não falou nada durante o nosso percurso para a arquibancada.



- Penso, logo existo. – falei para ela. Lene me olhou e sorriu, óbvio que ela sabia de quem era essa frase. Uma coisa interessante da Marlene é que o fato dos pais dela apreciarem Artes e Literatura fazia dela uma pessoa expert quando o assunto era filósofos, autores clássicos...



- Descartes. – ela falou se sentando, olhando os garotos jogarem. Lee não estava no gol, havia sido substituído por um garoto mirrado, mas que sabia defender tão bem quanto ele. James, Sirius e Remus estavam no meio do campo, riam e se bobeavam enquanto o treinador xingava um garoto por ter atravessado o campo do nada. – Eu nunca entendi bailes, porque sempre tem que ser os homens a convidarem as mulheres?



- Na verdade, porque nós temos que ter acompanhantes? – eu suspirei, encostando-me na arquibancada, sentada. – Não sei o porque do alvoroço disso tudo, por mim iria sozinha a essa Baile, como um protesto.



- E é o que nós vamos fazer! – falou Lene decidida, olhando-me, eu comecei a rir. Eram poucas pessoas que acompanhavam a minha loucura, as minhas decisões ou pensamentos. – Eu irei agora dizer ao Josh não e ai de ti Lily se aceitar o convite de alguém.



- Até parece que alguém vai me convidar... – murmurei a fazendo rir, enquanto ela corria ao banco de reservas, para dar notícias para o Josh. Comecei a rir, realmente aquilo era loucura, mas quem disse que realmente precisamos de pares para o Baile? Josh fez uma cara de decepcionado, mas Lene tentou melhorar as coisas o abraçando, vi Sirius acompanhar a cena, ele parecia um tanto ciumento. O lado bom disso era que Sirius não ia ficar bravo, decepcionado por Lene ir com outro para o Baile. O que eu mais gostava em Lene era que quando ficava perto dela não tentávamos forçar uma conversa, ela vinha naturalmente. Não ficávamos falando o tempo todo, coisas banais, se cada uma tinha um livros nós prestávamos atenção nesse livro. E foi o que fizemos, passamos o treino todo lendo e algumas vezes trocando poucas palavras. Remus estava de carro, Marlene teve que ir no meu colo no banco de trás, enquanto Petúnia ia emburrada na frente, como sempre. Remus deixou Sirius e James na casa deles, pela primeira vez na semana eles não iriam lá em casa. Em compensação, Lene iria dormir hoje lá, iríamos tomar sorvete e ver filmes, passar a madrugada assim. Dorcas e Remus iriam sair, fazer algo romântico, ou alguma besteira assim. Anna e Dan saíram também nessa sexta, algo romântico, codinome para sexo também.



- Você escolhe os filmes, enquanto eu preparo a pizza, pode ser? – falei quando estava apenas eu e Marlene na sala, Petúnia estava trancada no quarto. Até que tentei convidar ela para nos acompanhar, mas a única coisa que ela fez foi uma careta. Acho que isso foi um não. O motivo de a gente ficar em casa, numa sexta a feira a noite era dinheiro mesmo. Eu não estava afim de gastar minhas economias e Marlene estava economizando para comprar livros. De quem? Ela falou tanto nomes que eu já me esqueci da metade. E por isso a pizza de forno também, money. Coloquei a pizza no forno e fui para a sala e vi uma pilha de filmes da Marlene já no canto na mesa e arregalei os olhos. Ela não esperava que nós iríamos conseguir ver os vinte filmes que ela separou.



- Eu sei, eu sei. – ela falou quando viu meus olhos arregalados e já foi se explicando. – Se nós não assistimos todos eu quero emprestado.



- Si... – antes que eu pudesse concordar, a campainha tocou, quando abri a porta minha primeira reação foi revirar os olhos. – Vocês não querem fazer a mudança para vá de uma vez?



- Que animação, ruiva! – falou Sirius, rindo. Dei um sorriso e dei um beijo nos dois, eles realmente não deveriam ter mais nada para fazer. – Qual é a programação?



- Pizza, sorvete e filmes. – falei fechando a porta, enquanto os dois iam para a sala. James como sempre estava lindo e Sirius impecável.



- E whisky. – completou Sirius tirando uma garrafa de whisky de uma sacola, fazendo a alegria da nação, leia-se: minha e da Lene. Fui para a cozinha e separei mais uma pizza, sentei ao lado de Lene.



- E a Petúnia? – pediu James, depois de Lene dar todo o paradeiro a minha família.



- Trancada no quarto, ouvindo Britney Spears. – falei, dando os ombros. Não foi preciso esperar nem cinco minutos e a primeira pizza já estava pronta. Sirius ficou reclamando por mais de dez minutos que nós tínhamos que beber sem comer, só nos sonhos dele, mas parou assim que Lene disse que não era acostumada com bebida. Coincidência? Claro que eu tive que dar um soco no braço dele, quando eu vi a intenção, mas ele só riu e me mandou relaxar que estava brincando.



- E aí Lene, o Josh te convidou para o Baile? – pediu Sirius, tentando fingir puxar assunto por nada, segurei-me para não rir, olhei para James e ele fazia o mesmo. – Você sabe que ele é reserva do time, não?



- Sei sim... – falou Lene, ingênua, sem perceber o interesse total de Sirius e o fato dele estar desfazendo totalmente o Josh. - ... Mas não, não vou ao baile com ele. Nem com ninguém.



- Você não vai? – agora foi a vez de James pedir, enquanto eu me servia de outro pedaço de pizza.



- Não, eu e a Lily decidimos que não vamos ter acompanhantes na formatura, que não iremos seguir essa tradição ridícula. – falou Lene enquanto os dois arregalavam os olhos. Segurei-me de novo para não rir.



- Então... não adiantaria tentar convidar vocês? – pediu James, olhando eu e Marlene, consegui ficar vermelha.



- Não, iremos com o nosso plano até o fim! – falei e Lene riu. Sirius ficou falando besteira e piadinhas sem graça, que mesmo sendo sem graça, fez todos nós rir. Lene lavou a louça, eu tirei a mesa, James secou e Sirius ficou nos olhando e rindo e isso que ele nem tinha bebido nada. Peguei um energético da geladeira, copo, gelo e o whisky e começou a preparar a bebida.  Eu não queria me embebedar, muito mesmo com o James na minha casa, mas bebi um pouco.  O programa não era dos melhores, colocamos um Mamma Mia! e ficamos rindo dos cantores que apareciam do nada. Eu amo ABBA, demais e a junção de ABBA e Meryl Streep... Divino! Estava deitada no colo de Sirius, rindo, pude notar uns olhares de James, o que não me deixou mais chocada do que nota uns olhares da própria Marlene.



- Meu Deus. – falei quando vi a garrafa de whisky pela metade, olhei para Sirius e ele ria abertamente. Já entendi o porque.



- Vamos parar de ver filmes, põe uma música! – falou Sirius e eu concordei, levantei e fui até meu quarto e comecei a separar meus CDs, tinha que passar no quarto da Petúnia e pedir alguns CDs dela, mas quando me virei James estava parado na minha porta.



- Eu ia te convidar para o Baile. – ele falou se aproximando, enquanto eu ficava estupefata com a revelação. Ele percebeu e riu, pegou os CDs de minha mão e colocou em cima da mesa, de volta. Ele se aproximou, colocando uma mão no meu cabelo. – Agora, pelo jeito eu vou ter que ir sozinho, para acompanhar alguém que não quer ser acompanhada.



- James... – comecei a falar, quase rindo da última frase dele, mas antes que pudesse terminar, ele começou a beijar de leve meu pescoço e senti um arrepio, o que o fez dar uma mordida de leve. Mordi meu lábio inferior, tentando lutar contra a tentação em pessoa, mas ele parou e me olhou. - ... Eu iria adorar que você não fosse meu acompanhante.



James sorriu maroto e roçou de leve seus lábios nos meus, colei meu corpo contra o dele e mordi levemente seu lábio inferior. Os beijos dele eram viciantes, o beijo começou a ficar intenso, senti a mão de James em minha cintura, segurando firme, enquanto a outra segurava meu cabelo. Senti a cama quando dava pequenos passos para trás e deitei devagar, com James em cima de mim. Já estava com as mãos em suas costas e o arranhava de leve, sentia ele morder meu lábio inferior, fazendo-me rir. Paramos e ficamos nos olhando, tirei uma mão das costas dele e coloquei em seu rosto, fazendo carinho de leve.



- Melhor não contar para a Marlene do nosso acordo de não nos acompanharmos ao Baile. – ele falou por fim, sussurrando, sexy, apesar de o que ele falava não ser nada sexy. Assenti.



- É melhor nós voltarmos. – falei, quase hipnotizada pelo olhar, cheiro, pela presença de James. Ele me deu um selinho demorado e por pouco não comecei a beijá-lo de novo, controlei-me.



- Quem está por cima agora sou eu. – falou James rindo, lembrando do nosso treino, saindo de cima de mim.



- Porque eu deixei. – eu falei num muxoxo, subi nas costas de James, ele não fez nenhuma piadinha sobre o meu peso, como Lee sempre fazia. Segurou-me como se fosse algo normal. Apontei os CDs e ele pegou de cima da mesa e me alcançou, mordi a nuca de James e ele riu, ora, ele também fazia isso comigo. Quando descemos, Marlene ria sem parar de Sirius que dançava em cima da mesa, James me jogou no sofá e eu alcancei para ele o cd do Bon Jovi, começou a tocar It’s my life. Não fiquei deitada por muito tempo, Marlene me puxou e começamos a dançar no meio da minha sala de estar, nunca me senti tão livre. Por algum motivo desconhecido, James me puxou e me deu um beijo, na frente de Sirius e Marlene. Os dois começaram a rir e gritavam palavras que juro que não entendi metade. Separei-me de James vermelha, aquilo não significava nada demais, não podia. Eu não podia estar me apaixonando por ele, nem nada do estilo, eu não estava. Eu não sou uma garota que quer um namorado sossegado, que fica na fossa porque o ex traiu (apesar de ter sido com a vadia da Jessica), nem nada do estilo. Eu só comecei a namorar o Lee porque ele pediu e eu até que gostava dele, mas eu já o conhecia há tempo! Peguei o copo da mão de Sirius e bebi um gole grande, James dançava com Marlene agora, os dois riam muito.



Subi de novo no segundo andar para ir ao quarto de Petúnia, para pegar emprestado mais CDs. Esqueci completamente meus modos, entrei e vi que ela estava no banheiro, com a porta semiaberta. Ouvi ela tossindo sem parar e abri a porta, Petúnia estava ajoelhada, com o dedo em sua goela, forçando vômito. Arregalei os olhos com aquela visão. Sempre soube histórias de garotas bulímicas, anoréxica, mas nunca pensei que minha irmã estava passando por algo assim. Petúnia me olhou e levantou-se do chão, puxando a descarga e lavando o rosto. Escovou os dentes em silêncio, e eu continuava ali, olhando para ela, perplexa.



- Eu passei mal. – ela me disse no fim, podia ser isso, tinha que ser isso. Sai do banheiro, a dando passagem. – O que você quer?



- CDs emprestados. – disse, indo para a sua mesa enquanto ela deitava na sua cama, pegando seus fones. – Você quer alguma coisa? Chá...



- Não precisa fingir que está preocupada. – falou Petúnia, cortando-me. – Agora cai fora do meu quarto.



Por algum motivo eu fiquei preocupada, afinal ela era minha irmã. Se ela estava passando mal ou não, o fato era preocupante, demais. Peguei os CDs e desci de novo para a sala, passei a maior parte da noite rindo, tentando transparecer que estava feliz e não preocupada. Não sei o horário que fomos dormir, só sei que foi ali na sala mesmo, acabei adormecendo de novo abraçada a James, Marlene e Sirius também. Acordei com Remus gritando, nos chamando para o café da manhã. A claridade quase me cegou, levantei e vi o estado da sala, meu pai ia me matar se não limpasse tudo. Cutuquei James e ele acordou devagar e me deu um beijo na testa. Levantei e comecei a recolher os copos, antes de começar uma limpeza, James acordou Marlene e Sirius, fui para o meu banheiro e lavei o rosto. Eu precisava falar com alguém de ontem, sobre a Petúnia, mas não sabia ao certo quem.



- Lily? – chamou Remus, batendo na minha porta. Sai do banheiro e o olhei. – Só para avisar que hoje eu vou sair com o seu pai...



- Ah, tá. – Remus sorriu e sentou na minha cama.



-... e a Anna vai sair e pelo jeito a Petúnia vai para a Jessica. – ele disse, encolhendo os ombros. – Como foi a noite?



- Boa, engraçada... – eu falei, sentando do lado dele. - ... Remus, posso te contar um segredo?



- Se for sobre James eu não quero saber. – falou Remus, rapidamente e eu ri.



- Não, não... É sério... – falei e ele começou a me olhar atentamente. – Ontem eu entrei no quarto da Petúnia e ela... Ela estava vomitando.



- Passando mal?



- Eu acho que não era bem isso, eu acho que ela estava...



- Forçando? – Remus falou e eu assenti, ele ficou sem falar nada por um minuto. – Tem certeza?



- Bom, ela me disse que estava passando mal. – falei, coçando a cabeça. – Eu queria saber se você me ajudaria ficar de olho nela... Sabe...



- Claro...



- E por enquanto não comentar com ninguém, nem com a Dorcas. – Acrescentei rapidamente.



- Pode deixar. – Remus disse, deu-me um beijo na testa e saiu do meu quarto. Troquei minha roupa e desci, para arrumar a sala. James, Sirius e Marlene já estavam de pé, os três estavam rindo, lembrando da noite. Sirius não falava muito, de acordo com ele era ressaca. Eu era a única sem dor de cabeça, eles eram fracos. Na verdade eu não bebi muito, nem Sirius, nem Marlene, nem James e muito menos eu comentamos sobre o beijo que rolou ao vivo ontem, mas sabia que Lene não ia ficar quieta por muito tempo. Petúnia saiu cedo de casa para a Jessica, eu realmente estou preocupada com ela, afinal, ela era a minha irmã, apesar de tudo. E por mais que ela fosse uma garota totalmente estúpida, eu iria ajudar ela, a pelo menos não tomar decisões tão erradas. Como vomitar para ter um corpo perfeito, mesmo ela sendo magra.



__________________________



nota da autora:


fala galerinha do mal! e ai, como estão? eu to bem, melhorando. as coisas estão calmas aqui, apesar de eu ter começado a faculdade e estar correndo feito uma louca! maluco, sério, é MUITO estranho estar na faculdade, em pensar que nem quatro meses atras eu ainda levantava o dedo para pedir para ir ao banheiro AHAHAHA. desculpa mesmo pela demora do capítulo e por ele estar curtinho, só acabei agora de escrever e vim aqui correndo para postar! e a inspiração, foi foooda, mas consegui (eu acho). e desculpem, não sou muito boa em descrever cenas com beijos e afins, simplesmente não sou :((


espero que tenham gostado, to com várias ideias para o próximo capítulo e vou ver se aproveito esse feriadão para escrever mais! pelo menos pra isso serve o carnaval :)) sim, tenho aversão ao carnaval, horrores.


queria agradecer aos que comentaram: hell yeah, bela moony., Vivilovegod, Julii.Weasley, Camila W. Potter, Fê Black Potter, leehginap, Paty Poynter Judd, Cecília Potter, nath krein e Poly_Malfoy



passou 23 minutos desde que acabou o sábado, DESCULPA! espero que vocês gostem! e finjam que eu não postei no domingo em vez de sábado.



bejokkks, dominique. (00:23)

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.