FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. Outono


Fic: Quatro Estações


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________



Estação: Outono
Autor: Beatriz Potter
Shipper: G. Delacour | G. Weasley





Gina afastou com a mão uma folha alaranjada que caíra sobre seu ombro. Olhou para cima, fixando as copas das árvores que ladeavam seu jardim. Muitas folhas em breve se juntariam àquela única solitária, e encheriam o quintal daquele tom quente que em nada combinava com o vento frio que corria por entre os troncos das árvores.


Bateu o pé impacientemente, subindo e descendo o zíper do casaco, apenas por tédio. Então ouviu o estalo familiar e uma figura se formou por trás de seu portão. A ruiva adiantou os passos até lá e abriu-o com um aceno de varinha. Quando atravessou a saída, a mulher que tentava se entender com duas grandes malas levantou rapidamente o corpo e lhe lançou um sorriso.


Gina estacou onde estava, como se seus pés tivessem criado raízes e prendido-a ao chão. Em uma primeira olhada rápida, aquela mulher podia facilmente ser confundida com sua cunhada, Fleur.


Mas um observador apenas um pouco mais atento, repararia rapidamente em dezenas de detalhes que diferenciavam Gabrielle Delacour da irmã. Para aquela ruiva, entretanto, bastou o fato de que estava esperando uma menina e encontrou uma mulher, para que ficasse ancorada no portão, com os olhos fixos nela.


- Ginevra? - Gabrielle chamou, se aproximando para cumprimentá-la, quando a ruiva permaneceu estática - Gui e Fleur não puderam me acompanhar, Gui teve que trabalhar e Fleur estava recebendo o decorador. Disseram que você estava me esperando. - falou, de uma só vez, o sotaque levemente arrastado, muito mais suave que o de Fleur. E mais provocante.


- Eu estava. - apressou-se a responder, trocando um beijo no ar e abrindo um sorriso rápido - Harry também está no trabalho, mas pediu que eu te cumprimentasse por nós dois. Você é muito bem-vinda na nossa casa.


- Obrigada. Fleur disse que a reforma do quarto de hóspedes seria rápida. - ela deu de ombros - Mas eu chego e está tudo revirado... Eu podia ficar em um hotel, mas vocês foram tão gentis em me oferecer um quarto.


- Tem muitos nessa casa, você ficará mais confortável aqui do que em um hotel. - afirmou, vendo Gabrielle voltar-se para pôr uma mala de pé. Seus cabelos loiro platinados giraram no ar, as pontas cacheadas cascateando pelos ombros magros.


- Tenho certeza que sim. Muito obrigada por me receber. - Gabrielle agradeceu, segurando a mão de Gina por um segundo e apertando com cumplicidade. A ruiva tentou não dar atenção à onda de calor que fluiu do toque, subindo por seu braço até ruborizar seu rosto.


O que Gabrielle Delacour tinha para causar aquele efeito? Seria o efeito veela? Gina sacudiu a cabeça, observando-a acenar com a varinha para que suas malas flutuassem. Os movimentos dela eram quase melódicos, fluidos como os de uma bailarina. Gina indicou o caminho com a mão e Gabrielle atravessou o portão, deixando apenas um rastro de perfume doce no ar. Não, não era o efeito veela. Algo lhe dizia que aquela garota tinha uma magia muito mais profunda. Muito mais sedutora.


Gina se distraiu por um segundo com outra folha caída que alcançava o chão e então ergueu os olhos para Gabrielle, logo à frente, guiando suas malas. O outono chegara.

Gina adentrou o quarto vazio, correndo os olhos pelo cômodo lentamente, perscrutando os detalhes. Ela não estava ali. Caminhou até a janela, com passos preguiçosos e afastou as cortinas, deixando os raios pálidos de sol atravessarem o vidro. Então abriu a janela e o vento frio correu cada canto, cada fresta.


A paisagem do lado de fora era como um quadro clichê de uma tarde de outono. Desviou os olhos de seu quintal e voltou a percorrê-los por seu quarto de hóspedes. Sobre uma cadeira, estava o vestido azul royal que ela usara na noite anterior. Podia sentir seu fôlego se perder só de relembrar o modo como aquele cabelo loiro platinado cascateava pelo vestido azul, como o tecido se moldava às curvas dela enquanto andava. Era quase irônico que agora fosse alvo daquela sedução inexplicável que sempre subestimara.


Havia um porta-retratos na mesa de cabeceira. Duas mulheres muito parecidas sorriam para a câmera. Mas os olhos de Gina voltaram-se para a mulher mais nova, inexoravelmente. Ela não era mais uma menina.  Tinha se tornado uma mulher. E que mulher. O sorriso dela, o brilho de diversão incontido naqueles olhos, mesmo na fotografia, eram hipnotizantes. Eram os motivos para se pensar nela em letras itálicas.


O vestido e aquele porta-retratos eram os dois únicos objetos que traziam um pouco de pessoalidade ao cômodo. As únicas coisas que denunciavam a presença de sua hóspede. Ela já estava ali há duas semanas e mesmo assim não desfizera as malas. Parecia querer demonstrar que sua estadia era provisória. Passageira. Tão efêmera quanto aquela estação. Gina voltou a olhar pela janela, acompanhando uma folha flutuar até o chão. Seria assim quando ela partisse. Das alturas de volta à realidade.


- Gina? - a voz soou atrás dela, suave e provocante com aquele sotaque arrastado.


- Gabrielle. - respondeu, virando-se e pousando os olhos sobre a mulher parada na porta do banheiro, uma toalha enrolada ao redor do corpo. A atração a atingiu mais uma vez, sólida como um bloco de concreto, vaporosa como lufadas de perfume. - Desculpe. Eu só vim avisar que o jantar está pronto. Harry ainda está em uma reunião. James dormiu. Somos... hm, só nós duas.


- Ah sim, eu fico pronta em um segundo. - afirmou, adiantando-se na direção das malas - Você parecia distraída, olhando pela janela. - continuou, fazendo com que Gina parasse no caminho da saída.


- Ah... Bom, só estava reparando... É outono.


- Sim. Isso é um problema? - Gabrielle questionou, arqueando uma sobrancelha e sorrindo.


- Não. Não... É só que... há algo de triste sobre o outono.


- Mesmo? O que é?


- As folhas... caem. As árvores ficam... nuas. - sua voz enrouqueceu ao fim da frase, quando Gabrielle deixou a toalha escorrer por seu corpo até o chão. Gina sentiu a boca seca.


- Caem porque chegou a hora. - ela sussurrou, mexendo em seus cabelos loiros que grudavam-se em sua pele úmida do banho. - E não vejo nada triste na nudez... das árvores.


- Eu... - Gina respirou fundo, mas tudo que conseguia absorver era o cheiro de banho recém-tomado, da pele molhada de Gabrielle. O perfume do sabonete que escorregara por cada uma daquelas curvas... as mesmas curvas que faziam seus olhos saírem das rotas corretas e derraparem por estradas perigosas. Quando eles voltaram ao rosto de Gabrielle, havia uma provocação tão vibrante no sorriso dela que deixou Gina trêmula - Eu vou te esperar lá embaixo. - completou, batendo a porta atrás de si ao sair.

Será que ela podia deixar de ser tão... delicadamente sexy? Por um segundo que fosse? Gina fechou os olhos e praguejou baixo. Então reabriu-os e se permitiu observá-la um pouco mais. Gabrielle estendera um lençol sobre a grama do jardim, debaixo de um dos carvalhos frondosos da propriedade e agora estava tranquilamente escorada no tronco, seu caderno de desenho no colo.


Será que ela sabia que tinha mania de enrolar um cacho entre os dedos, enquanto batia o lápis no caderno com a outra mão? Então ela mordia a ponta do lápis, corria o olhar por todo jardim e voltava a desenhar. Parecia tão séria e concentrada. E um minuto depois ria sozinha e descartava a página inteira. Ela era louca. Ela era adorável.


Gina segurou duas canecas e empurrou a porta com o ombro para sair para o jardim. Seus pés pisavam sobre um espesso tapete de folhas caídas, enquanto aproximava-se dela.


- Chocolate quente? - ofereceu, estendendo uma das canecas na direção de Gabrielle.


- Sério? - ela perguntou, aceitando a caneca, os olhos brilhando - Você é a melhor anfitriã do mundo.


- Você é fácil de se agradar. - Gina replicou, sorrindo. Gabrielle bateu com a mão no lençol, chamando-a e Gina sentou-se confortavelmente ao lado dela.


- Na verdade, não sou, não. - contrapôs, dando um longo gole em sua bebida - Mas ainda não descobri nada para não se gostar a seu respeito.


- Ah. - a ruiva abriu um sorriso rápido e constrangido - Você está sendo gentil. - murmurou, deixando a caneca de lado - Está desenhando?


- Estou tentando. Ainda não acertei nada hoje...


- Bom, essa paisagem não está muito inspiradora... - Gina deu de ombros, olhando ao redor - A estação avança e fica tudo assim, dessa cor...


- Vermelho e dourado, grifinória. - ela provocou, largando sua bebida também para se inclinar na direção da ruiva.


Gabrielle ergueu um braço e tocou o rosto dela com as costas das mãos, delicadamente. Sorriu quando   Gina estremeceu de leve e deslizou o toque por aquela pele de marfim. Percorreu-lhe a linha do maxilar com a ponta dos dedos, sentiu-lhe a textura dos lábios com o polegar. Queria decorar aqueles traços até poder recriá-los com cores e sombras no papel. Até eternizá-los como eram naquele segundo, naquele dia de outono. Afastou-se tão devagar quanto havia se aproximado, e seus olhos fixaram os olhos castanhos de Gina demoradamente. Eles brilhavam com aquela luz dourada que ela aprendera a reconhecer como desejo. Brilhavam como uma fogueira incendiando folhas secas. Enfiou os dedos pelos cabelos da ruiva e os fios cintilaram por suas mãos, o vermelho como um alarme de alerta que ela ignorava deliberadamente. Queria queimar.


- Vermelho e dourado. - repetiu, sorrindo de lado - Minhas cores preferidas.


- Gabrielle... - sussurrou, inclinando o rosto para um encaixe.


O estalo afastou-as um segundo antes que o portão se abrisse. O vento zunia ao passar pelos galhos das árvores, como segredos sussurrados ao pé do ouvido.

Gabrielle sorriu, o ombro apoiado no batente da porta da cozinha. Em completo silêncio, ficou observando a mulher perto da pia. Gina olhava distraidamente através de uma pequena janela. Era cedo, muito cedo. O céu do lado de fora estava alaranjado pelo amanhecer, e todo o mundo parecia de um único tom, quando a luz se refletia nas folhas molhadas de orvalho e resplandecia suas cores quentes.
Arrastando os pés, sem fazer ruído, a loira deslizou até parar atrás da ruiva. Ela exalava aquele cheiro de manhãs de sol. Um aroma sexy demais para uma descrição tão poética. Era um perfume floral de lençóis limpos e corpos suados, gemidos e gritinhos enquanto o sol subia no horizonte depois de uma noite insone. Sim, ela exalava tudo isso e mais um pouco.
- É outono. - Gabrielle sussurrou e riu baixo quando Gina pulou de susto e virou-se rapidamente para olhá-la - Eu te assustei.
- Estava distraída. - a ruiva sacudiu a cabeça, o rosto ruborizado.
- É outono. - repetiu, apenas porque os olhos dourados de Gina desciam para sua boca quando falava e liam suas palavras, ao invés de ouvi-las.
- Sim... e faz frio. - ela respondeu, ajeitando melhor o robe de seda negra que usava. Gabrielle passou deliberadamente a língua pelos lábios. Sentiu-os secos. Podia imaginar o que havia por baixo daquele tecido fino. A pele macia e arrepiada que descobriria com a ponta dos dedos.
- Não se você chegar perto o bastante. - contrapôs, enganchando o cinto de seda do robe dela com os dedos e puxando-a para si. Seus corpos se colaram suavemente, como duas peças de encaixe. Sem sentido separadas.
Gabrielle segurou o rosto de Gina com as duas mãos e cobriu os lábios da ruiva com os seus. As bocas se entreabriram devagar, não por resistência - essa já fora vencida há tempos - mas por uma vontade inexplicável de que cada segundo se estendesse por anos. Lábios se roçaram, para cima e para baixo, as línguas tocando os cantos das bocas. Os dentes mordiscando pele e testando texturas. O frio podia ser dissipado, mas o calor não provocava menos arrepios.
- Mais perto... - Gina pediu, desamarrando o robe e encolhendo os ombros para que o tecido deslizasse por seu corpo até amontoar-se sobre o assoalho da cozinha. Estava nua por baixo.
Gabrielle sorriu, segurando a ruiva pela cintura e virando-a de costas novamente, de frente para a pia. Gina apoiou as mãos no mármore, apertando-o entre os dedos quando os lábios de Gabrielle roçaram seu ombro e a mão dela trilhou caminhos por entre suas coxas.
Pequenas letras formavam uma tatuagem no ombro de Gina e Gabrielle gemeu baixo, cobrindo-a com beijos. Seus dedos mergulharam nela, enquanto seu olhar atravessava a janela até as folhas que caíam no quintal. L'amour ne tombe pas. O amor não cairá.

Gina estava parada no portão, ainda que fizesse frio. O sol andava por demais preguiçoso. Dias nublados eram a tendência da estação. Não se assustou quando ouviu um estalo baixo e Gabrielle se materializou alguns metros adiante. Nem a loira se sobressaltou ao erguer os olhos e encontrá-la ali. Como se estivessem sempre se esperando.
- Está anoitecendo. - comentou, como se não tivessem nenhum assunto mais importante no mundo.
- Eu sei... - Gabrielle balançou a cabeça gravemente, como se entendesse o que não havia sido dito naquela frase.
- Os dias de outono são tão curtos.
- Não, não são. - ela sorriu, aproximando-se da ruiva com passos longos - São tão curtos quanto as noites. Mas essas, você não passa comigo. - completou, baixando a cabeça para mordiscar o lóbulo de Gina, provocativamente.
- O que Fleur disse? - perguntou, e a mão de Gabrielle, que tentava se esgueirar para dentro de sua camisa, recuou rapidamente.
- Que meu quarto está pronto. - respondeu, erguendo os olhos até fixá-los aos da ruiva.
- Então...
- Vou embora amanhã de manhã. - murmurou, e conteve o impulso de puxá-la para si, quando Gina deu um passo atrás.
- Entendo. Bom, se precisar de alguma coisa... - disse, formal o bastante para adiantar o inverno. Então virou-se de costas para rumar para casa. As folhas secas estalavam sobre seus pés enquanto andava.
- Gina. - Gabrielle chamou e a ruiva parou no meio do caminho para olhá-la por cima do ombro - Você tinha razão. Existe algo de triste sobre o outono.
- Mesmo? E o que é? - questionou, se balançando nos pés e sentindo seu estômago revirar enquanto o cabelo de Gabrielle cintilava ao pôr-do-sol.
- Ele acaba.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por MiSyroff em 31/10/2011

Sexy

Essa palavra que me veio na cabeça!

Sexy, sexy, sexy!

Uma veela com Ginevra Weasley!

Sexy!


E muito bem escrita Bia, parabéns amor

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Prado Soares em 06/05/2011

"ele acaba"   gosteida fic, amei o final. eu ne smp lembro que a gabrielle existe suahsauhsauhs parabéns xD

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.