FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. (S)aint


Fic: Não Santa


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Marilyn Manson


 



 


(S)AINT


 


I don't care if your world is ending today


 


Because I wasn't invited to it anyway


 


You said I tasted famous, so I drew you a heart


 


(Não)Santa


 


Eu não ligo se seu mundo está acabando hoje


 


Porque eu não fui convidado pra isso


 


Você disse que provei a fama, então te desenhei um coração


 


 


 


Andava pelo corredor.


 


Sua vida? Uma verdadeira merda. Nada melhor que essa palavra para se identificar. Era assim que sentia-se com o fato de Rony não a querer mais.


 


Simples! Era patética. Concordara com Draco Malfoy.


 


Ela era patética, ridícula. Miserável.


 


E seu verdadeiro amor, a abandonara...


 


Seu mundo? Acabando.


 


Mergulhada em pensamentos, esbarra num corpo alto e duro caindo no chão. O olha, nunca percebera que Draco Malfoy era tão alto. O cinza dos olhos, agora grafite a olharam com desprezo. Cata seus livros e sua bolsa marrom de couro, e levanta.


 


- Olha por onde anda garotinha de sangue ruim! – ela não iria deixar sair por cima. Não mesmo. Pegou a varinha e antes mesmo que pudesse pensar no feitiço, estava com o corpo colado na parede e seus braços amarrados sobre sua cabeça.


 


- presta a atenção no que vou lhe dizer, Sangue-sujo de Merda. – ele apoiava a varinha em seu pescoço – nunca mais ouse apontar a varinha para mim, e sair viva. Nunca! – ela tenta balançar para soltar-se e a única coisa que consegue é fazer Draco rir. - você é patética.


 


- Antes patética que um comensalzinho de merda! - Draco olha para ela com ódio. Nunca odiara a Sangue sujo tanto em sua vida, tirando o terceiro ano.


 


- retire que disse Granger. Ou eu faço você querer que eu tire sua vida.


 


- nunca – ela rir pra ele. Draco espanta-se nunca vira Granger rir, não quando brigavam.


 


- O.k – Draco primeiro pensa em Lançar uma Cruciatus na trouxa a sua frente, mas uma idéia muito mais tentadora aparece em sua mente Sonserina. Com um movimento de sua varinha, tira as roupas de Granger. Deixando-a apenas de Lingeries. Da qual espantou-se ao ver o vermelho vivo das peças, que nem pareciam ser da Sabe tudo irritante.


 



- Gosta do que vê Malfoy? – ela ri alto. Draco sentiu-se como quem estava prezo por uns curtos segundos. – está com medinho? – ela riu. Definitivamente aquela não era a sangue sujo.


 


- Eu adorei – ele olha agora com mais atenção fazendo questão de olhar o corpo esbelto a sua frente.


 


Com um cordão de brilhantes com um pingente de coração igualmente brilhante indo de encontro ao vale entre os seios dos quais enchiam o soutian vermelho. A corrente do cordão era ligada a mais um detalhe que ia até o umbigo e dividia-se em dois, cada parte indo até as laterais da calcinha vermelha com detalhes em negro.


 


Photobucket


 


[Lembre-se, que ela está de braços amarrados!!]

Olhou-a de novo e Riu, ela estava desconcertada. Certamente agora, voltara a ser a mesma santinha Granger de sempre.


 


- Veste-se sempre assim, Granger? – ela não disse nada. E ele riu.


 


Quando Hermione pensa em algo realmente ofensivo pra dizer, já tinha a boca ocupada pela a do seu maior rival. Num beijo voraz e chegando a ser obsceno, principalmente com o fato de Draco parecia ter dez mãos. Pôs em segundos já tinha arrebentado as laterais da calcinha com apenas um puxão. A fazendo gemer. Sim, ela gemeu de prazer.


 


- o que foi Granger? O Roniquito não fazia isso com você.


 


- o Rony terminou comigo. Meu mundo acabou.


 


- Ótimo, não fui convidado para isso. – ele ri em sarcasmo. E a beija de novo agora apertando o seio esquerdo dela e com a mão direita invadindo a calcinha. – gostando, Granger? – Fala o loiro estimulando as feminilidade dela. Hermione arfa e solta um gemido. E a olha e sorri.


 


Sorriu de canto de lábio. Não era sarcasmo. Não dessa vez, dessa vez era de prazer. Prazer em vê-la desconcertada e sem ação. Afinal ele sabia que venceria, por que realmente Draco Malfoy tinha o melhor beijo.


 


A encostou na parede fazendo-a sentir o membro teso em sua calça. Um gemido, ele ri. Não seria bem o que ele queria. Castigá-la, mas aquilo estava saindo melhor que o encomendo. Ele desce o zíper da calça. E sente o corpo Dela retesar ao sentir o membro dele entrando lentamente.


 


- ah! – um gemido fraco de dor


 


- eu sei. Você não está acostumada com o tamanho. – ele afirma soltando o sutiã com magia o deixando no chão. Via desejo pelas Iris castanhas. E entrou fundo. Mais um gemido de dor. Ele espanta e para.


 


- Você é virgem Granger? – os olhos dela ficam úmidos e um soluço quase imperceptível sai dos lábios inchados.


 


- não mais. – Ela sorri. Os braços sobre sua cabeça começavam a ficar dormentes. Sabia muito bem como estava vulnerável, Seminua com seus seios nus.


 


Ela estava naquele jeito para deixar Rony louco. Ela o queria de volta. Maldito Malfoy conseguia ser melhor que Rony até no beijo. E isso a enlouqueceu. Draco a olhara agora. Um misto de pena com surpresa.


 


- Você não vai querer parar agora não é? – ela riu e ele a beijou. Agora estocando com muito mais força e prazer que antes.


 


Existia um troféu melhor que tirar a virgindade de sua maior inimiga?


 


Claro que não. A velocidade era maior enquanto os gemidos eram mais roucos e mais constantes.


 


Ele morde os lábios dela com certa força. Tirando mais um gemido. E estoca mais uma vez.


 


Orgasmo chega. Draco senti Hermione o apertar mais e liberar mais fluidos.


 


- gostou Granger? – ele pergunta ao vê-la com os olhos fechados tentando regularizar a respiração. Ela o olha


 


- pode soltar meus braços? Estou com dor. – os olhos dela se enchem de lágrimas. Ele a solta e se arruma de novo, a vendo se arrumar colocando a calcinha e o soutien. Esquecendo o pingente enquanto corria. Draco o pega e coloca no bolso da calça.


 


Dias se passaram...


 


But now I'm not an artist,I'm a fucking work of art


 


I've got an F and a C and I got a K too


 


And the only thing missing is a bitch like U


 


Mas não sou um artista, sou uma maldita obra de arte


 


Eu tenho um F e um C e tenho um K também


 


E a única coisa que falta é uma vadia como você


 



 


E Draco só sonhava com a noite no corredor. Acordava com o falo ereto de desejo. E a via entre os amigos de Merda. Ele sabia que ela o evitava ao máximo.


 


Na ultima aula do segundo dia de brincar de gato e rato, Draco a encontra sozinha indo pra aula de aritmância.


 


- com medo de mim Granger? – Draco fala atrás dela no corredor deserto. Hermione vira assustada.


 


- Não, Malfoy. Por que teria? –ela levanta uma sobrancelha.


 


- não sei, talvez por isso... – ele a empurra, fazendo-a chocar com força na parede a beijando com fúria. Ela luta querendo sair daquele beijo que estava se tornando perigosamente bom, e morde o lábio dele com força.


 


- Para com isso! Eu não quero ser uma peguete de qualquer um, principalmente sua!


 


- Eu. Não. Me. Importo. – ele fala puxando a pelos cabelos da nuca dela com força a beijando de novo, mas dessa vez ela cedeu e ambos entraram num depósito de vassouras abandonados.


 


Ele levanta a saia dela enquanto com a outra mão abria o zíper da sua calça. Hermione abria a blusa branca dele com urgência chegando a fazer alguns botões voarem. Estavam ambos com pressa de sentir a pele quente do outro. Logo ambos estavam praticamente nus com ânsia pelo do gozo.


 


Draco penetra de novo, e de novo...


 


- Fale Granger. Eu sei que você quer falar. – o loiro fala sussurrando no ouvido dela.


 


- Ma-mais Malfoy, por favor. Pre-preciso chega-aa-ar – ela geme. E Draco vai com mais força. E De novo, ambos gozam. Draco olha Hermione nos olhos. Aqueles olhos cor de escuridão.


 


O silêncio.


 


- espero que você esteja realmente feliz agora, Draco. – a face dela estava vermelha – Seu canalha! – ela descruza as pernas da cintura dele e começa a se arrumar.


 


- não me venha com essa Hermione! – ambos não percebiam que falavam o primeiro nome do outro; - você também quis! – ele estava furioso com ela.


 


- eu teria outra escolha, naquele dia? – ela pergunta indignada. Pega a varinha e coloca o feitiço de abafiato no armário.


 


Draco fica quieto. A beija com paixão e sai do armário sem falar nada. Deixando a morena querendo matar um.


 


You wanted perfect


 


You got your perfect


 


Now I'm too perfect for someone like you


 


Você quis perfeição


 


Você tem sua perfeição


 


Mas agora sou muito perfeito para alguém como você


 


 


 


Ela sabia que já tinha perdido muito tempo da aula de Aritmancia. Decidiu ir para seu quarto de monitora. Ficou elétrica. Talvez por causa do sexo, pensou. Não queria ficar lendo. Pegou seu caldeirão. E ligou uma pequena fogueira mágica. Pegou alguns ingredientes que comprara antes no beco diagonal, pensando no que acontecera.


 


Fez uma poção básica para os cabelos de novo, já estava passando o efeito.


 


Enquanto a poção estava descansando, aproveitou para tomar um banho. E passou uma maquiagem forte nos olhos deixando nos lábios um brilho de menta. Que logo fez ela se lembrar de certo Sonserino.


 


Saiu do quarto com os cabelos soltos e meio rebeldes deixando-a sexy. O uniforme estava um pouco curto pelo fato de Madame Malking ter errado na medida esse ano. E a blusa justa de sempre só que sem o suéter largo.


 


Mas tinha algo errado. Todos os alunos estavam a olhando e cochichando; pensou que não era pra si e continuou em direção ao jardim onde tinha uma sombra enorme de uma arvore onde sentou feliz. Paz, tudo que queria.


 


Porém, parecia que não era isso que os Deuses queriam.


 


- Mione? – Gina falava meio espantada.


 


- o que foi Gina? Alguma coisa de errado? To feia? – Hermione levanta dando uma volta pra amiga ver alguma imperfeição que não existia.


 


- na verdade Mione, você tá... – é interrompida por uma loira de olhos grandes e avoados.


 


- Está bonita Mione! Todo mundo comenta isso no Castelo.


 


- era isso que eu iria dizer. – fala Gina olhando com cara de tédio para Luna que não entendeu.


 


- obrigada, mas eu não fiz nada só uma poção para domar o cabelo só que devo ter exagerado em alguma medida. – Hermione passa a mão no cabelo e o acha estranho. Conjura um espelho de corpo todo. E fica de boca aberta. Realmente estava diferente a poção fez o cabelo cresce e com isso uma franja mal feita que Hermione fizera e escondia, estava maior e o cabelo estava num estilo rebelde e meio liso com ondas soltas. Os olhos marcados pelo lápis destacavam os olhos escuros. E a boca clara pelo brilho.


 


- seja lá o que você fez nessa poção, ficou ótimo! Continue fazendo. – fala Luna, - olha, quem tá vindo, Rony Weasley O Cara que descobriu ser um Mané. – a Luna fala e Hermione e Gina riem.


 


 


 


I was the dandy in your ghetto with


 


A snow white smile and you'll


 


Never be as perfect whatever you do


 


Eu era um almofadinha no seu gueto


 


Com um sorriso branco como a neve


 


E você nunca será perfeito em qualquer coisa que faça


 



 


- Hermione, eu posso saber o que houve em você? – fala Rony espantado e em tom de comando chegando junto de Harry.


 



 


- eu adorei Mione. Está linda. – diz Harry com um sorriso divertido.


 



 


Hermione olha Rony no fundo dos olhos, desconjura o espelho. E fala para Rony como se ele fosse uma criança que precisa entender que fogo queima.


 


– Não. Devo. Satisfações. A. Um. Traidor. – o tom muda para frio como gelo - E eu erapraticamente uma cachorrinha pra você Ronald, que fazia de tudo pra ti agradar, e sempre te apoiar, te ajudando a tirar notas boas! Quando você terminou comigo, disse que eu não era perfeita pra vocêAgora, eu sou perfeita de mais. E você nunca será bom em qualquer coisa que faça. Im. Be. Cil!– e sai andando deixando muito alunos pasmos, e um loiro com um sorriso fino no rosto.


 


Entrou no castelo com o ego inflado. A ala masculina toda do castelo a olhava e a desejava.


 



 


What's my name, what's my name?


 


Hold the S beacuse I am an AIN'T


 


What's my name, what's my name?


 


Hold the S beacuse I am an AIN'T


 


Qual é meu nome? Qual é meu nome?


 


Segure o S por que santo eu não sou


 


Qual é meu nome? Qual é meu nome?


 


Segure o S por que santo eu não sou


 



 


Sabia que Malfoy a seguia. Será que ele agora não ligava para o nome dela? O sangue?


 


- adorei o que você fez com o Weasley.


 


- e quem disse que me importo com isso? – ela entrou numa sala que parecia a de reforço para o primeiro ano da Corvinal; ou seja, sempre estava vazia. E é seguida pelo loiro. A morena estava com um tom divertido no olhar. – o que você quer Malfoy?


 


- saber por que mudou tanto. – ele fecha a porta e encosta numa pilastra da parede. – foi o fato de fazer sexo comigo? – ele pergunta estreitando os olhos e caminhando para junto da morena que senta na mesa dos professores e cruza as pernas.


 


- na verdade foi sem querer eu fiz uma poção pro cabelo e exagerei um pouco na medida de algum produto. E fazer sexo com você não tem nada a ver com isso.


 


- ótimo saber que você deu um fora e tanto no Weasel. – Hermione ri pelo nariz.


 


- o que você quer Malfoy? Primeiro você me força praticamente a transar com você duas vezes, agora com essa conversa fiada. Pelo que eu saiba você é mais direto. – ela fica mais ereta e se apóia com os braços na mesa que seria do professor.


 


Draco pega a varinha e coloca um feitiço de desilusão e Abafiato para ninguém os perturbasse.


 


- Primeiro saber por que eu não consigo parar de pensar numa maldita sangue ruim, que eu transei quase como um castigo. Segundo, saber por que você fala como se não tivesse gostado. Claro não me importo. – ele senta desleixado numa cadeira. Um sorriso sarcástico brota em sua bela face.


 


Hermione, pega a varinha da saia enquanto tenta se ajeitar, sabia muito bem quanto Draco é rápido. Discretamente, apontou a varinha pra ele, e num feitiço não verbal, o prende na cadeira com cordas.


 


- o que diabos, você está fazendo Granger? – ele pergunta querendo se soltar, mas logo desiste e começa a pensar em algum jeito de sair daquela posição de “presa”.


 


Ela ri e senta no colo dele o olhando nos olhos.


 


- Talvez, porque a Maldita sangue ruim aqui – ela aponta pra ela mesma. – seja muito mais gostosa e mais interessante que as outras garotas. E sobre a segunda pergunta, Opostos se atraem, não sei se você percebeu, somos muito opostos. Primeiro, fisicamente, eu sou morena, você loiro. Eu tenho olhos escuros os seus são claros. Meu cabelos cacheado, o seu liso, mulher, homem. Depois moralmente e você sabe do que falo. Isso causa, no mínimo, uma mistura perigosa. – ela puxa com força os cabelos da nuca dele. E morde o pescoço. Gostou de vê os pelos da nuca de Draco eriçarem.


 


- Pensei que você fosse santinha demais para fazer isso. – ele ri.


 


- sou muitas coisas, menos santa. –ela ri e o beija com fervor. Enquanto, com magia, arranca a calça dele.


 


- já? – ele pergunta zombeteiro.


 


- cínico. – era a vez dela de tirar a roupa dele toda. – minha vez agora de brincar com você meu caro. E com juros.


 


Hermione passa a língua no pescoço dele sentindo o gosto de perfume caro e para perto da orelha onde morde o lóbulo.


 


Olha nos olhos escurecidos pelo desejo. Tira a blusa por magia, estava com pressa. E o beija com fervor enquanto arranhava o abdômen definido do loiro. A Box preta, agora rasgada pela morena se encontrava pelos ares, Hermione estava engolindo com desejo o membro do homem a sua frente que gemia agoniado. Hermione poderia ser virgem, entretanto, não ignorante quando o assunto fosse sexo. Afinal, é Hermione Granger!


 


- Hermione, não irei aquentar. Vo-ou gozar. – ela ri, não era todo dia que se podia ver o viril Draco Malfoy, se agoniando em prazer. Por ela, por causa dela.


 


Ela olha para ele e faz mais movimentos, e ver Draco gemer longamente enquanto um líquido viscoso sai do membro dele. Ela passa o dedo e coloca na boca. Malfoy olha pra Hermione espantado. Ela ri.


 


- salgado. – o beija com fúria e sai do quarto, desfazendo o feitiço que colocara em Draco. Ainda queria se vingar do Weasel.


 


am a bone-top, a death's head


 


On a mopstick


 


You infected me, took diamonds


 


I took all your shit


 


Sou uma caveira, uma cabeça da morte


 


Em um pedaço de pau


 


Você Me infectou, levou diamantes


 


Eu levei toda a sua merda


 



 


Era simplesmente humilhante, passar pelos corredores – mesmo agora bonita – ouvindo uns babacas dizendo que era dor de corna.


 


Weasley era patético. Ri pelo nariz, estava andando muito com Draco.


 


Vira o corredor à esquerda. Queria chegar logo em seu quarto de monitora. Queria procurar a jóia. Sobe rapidamente as escadas pulando alguns degraus. Estava com o coração batendo muito rápido. Entra logo no quarto e começa a procurar uma jóia.


 


Mas onde poderia estar?, pensa a morena.


 


- Accio – ela fala. Provavelmente, a jóia deveria estar muito longe. – Merda! – reclama Hermione e ouve a porta sendo aberta abruptamente.


 


- nunca mais faça isso, Granger! – fala o loiro furioso. Entrando no quarto. Como ele poderia saber onde é o quarto dela?, pensa Hermione. Deixa esse pensamento tolo pra outra hora. Queria achar logo a jóia. Para perdoar Ronald ela tinha que primeiro, humilhá-lo para sentir-se melhor.


 


- não me importo. Por acaso, a minha jóia está com você? – pergunta Hermione séria. E logo percebe que estava quando vê o sorriso canalha de Draco, aquele sorriso de canto que ela adorava. Ele tira do bolso da calça a jóia que ela procurava o cordão com uma junção até o umbigo.


 


- seria esse? – ele balança o objeto no ar.


 


- me dê isso Malfoy! – ela fala mandona. Draco ri e desvia dela impedindo-a de pegar a jóia.


 


- peça como uma menina educada que você não é. – ele fala cínico a fazendo bufar.


 


- ridículo! – bufa e se rende. – por favor, Draco Malfoy, devolva-me a merda da jóia que Ronald me deu por que eu quero humilhá-lo hoje, e preciso disso.


 


- antes de te entregar, eu gostaria de saber o porquê disso. – fala Draco cruzando os braços e encostando-se no portal de entrada do quarto.


 


- eu fui humilhada, Draco. – ele franze o cenho, não estava sabendo disso. – não, você e muitas outras não sabem disso. Mas irão saber. Faço questão disso. Para me sentir melhor. E assim, tentar perdoá-lo. O que acho que não irei conseguir. – ele entrega o cordão. E ela ri saindo do quarto o deixando só.


 


Sobre o corredor indo pra sala comunal da Grifinória sabia que Ronald estaria lá.


 


You sell-by date expired,


 


So you have to be sold


 


I'm a suffer-genius and


 


Vivi sex-symbol


 


Sua data de validade acabou


 


Então você teve que ser vendido


 


Sou um gênio sofredor e


 


Um símbolo sexual


 



 


Entra no salão vê Gina, Luna, Harry, Lilá nos braços de Rony. Hermione para em frente ao casal.


 


- Ronald. Poderíamos ir pra um lugar reservado gostaria de conversar com você – ela fala em tom de humildade.


 


- não, Hermione! Se quiser, fale na frente de todos não tenho nada a esconder. – ela ri


 


- se você diz... Rony lembra quando namorávamos? – ele afirma com desprezo movimentando a cabeça. A essa altura, todos no salão olhavam a conversa. – não tem essa jóia? – ela mostra a ele – você disse que era pra usar com aquela lingerie lembra? – a morena teve gosto quando viu Lilá empalidecer – está aqui – ela joga no chão a jóia e o vê pega-la, afinal, quem pagou foi ele. – não se preocupe essa jóia foi muito bem usada com o lingerie, e pode ter certeza, que quem provou adorou. – saiu da Grifinória com o gosto muito bom de vingança na boca. E ouviu as ovações pra cima do Weasel. Ela ri estava na hora de falar com Malfoy, tinha de saber, por uma vez por outra o que tinham.


 


Ela seria o próximo, ela queria que fosse o único.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 3

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Diênifer Santos Granger em 17/04/2014

Lendo pela quinta vez!!! Continuaaa

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Diênifer Santos Granger em 09/04/2014

minha nossa! Por Mérlin continuaaaa!!!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Her Granger Malfoy em 26/07/2011

Continuaaaaaaaaa... por favorrrr! :D

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.