FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Capítulo 3


Fic: stupid girls JL CAPÍTULO 13 ON!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

"Abrace a sua loucura antes


que seja tarde demais."


- Caio Fernando Abreu




__________________________


 




__________________________


 




Capítulo 3 ou


I don't give a damn!


I don't play your rules, I make my own.


Chegamos na casa e eu tinha que admitir ela era enorme e linda. Anna e Remus ainda não tinham chegado, escolhi o meu quarto. E confesso que escolhi por causa da vista da janela e não por causa do tamanho. Dava para ver a piscina e o nosso bairro e o céu... Simplesmente adorável. Ouvi vozes conhecidas e desci dando de cara com o James e o Sirius.



- E ai ruiva! – cumprimentou o Sirius, sorri e dei-lhe um beijo na bochecha e na do James também.



- O que vocês estão fazendo aqui?



- Viemos dar apoio moral para o Remus e bem, para ti também. – falou o James, sorri, percebi que fiquei um pouco vermelha. Começamos cedo a levar as caixas para os seus devidos quartos. Remus ficou com o quarto do meu lado e Petúnia, ficou com um no final do corredor, longe do nosso. Dan e Anna estavam felizes, se beijavam toda a vez que se viam, tenho que confessar que era meio perturbador e pude ver que Remus concordava comigo. Aliás, do nada ele resolveu ser paciente? Eu esperava pelo menos que ele fosse dar um chilique, mas ele simplesmente concordou. Isso foi MUITO estranho.



- Uou que vista! – exclamou o Remus, levei um susto com a presença dele, ele entrou no meu quarto de fininho, mas pude ver que ele estava carregando uma caixa minha.



- Eu também gostei. – eu sorri, não custava nada tentar (eu disse tentar) ser amiga dele, mas eu tinha que estar preparada se fosse algum jogo dele.



- Eu tenho uma vista igual no meu quarto. – Remus sorriu, consegui sentir um pouco de compaixão com isso. Ele largou a caixa e saiu, me deixando ali com meus devaneios.



O final de semana inteiro foi assim, desempacotar caixas, montar móveis, só sei dizer que estava exausta no domingo de noite. Pelo menos nós tínhamos conseguido quase tudo, ainda sobravam algumas caixas, mas nada de realmente importante. James e Sirius nos ajudaram na maioria do tempo, Sirius foi querido até demais quando ele quis me ajudar com as minhas calcinhas. Não pude deixar de ameaçar o capar se ele encostasse em alguma caixa minha, mas foi resolvido facilmente. Estava na sala, sentada no sofá da sala junto com James e Sirius, Remus tinha ido ao banheiro. Não sei, eu acho que ele estava um pouquinho decente, mas nada demais. Os garotos colocaram House e eu já tinha visto o episódio, então não estava prestando atenção.



- Você está melhorando Lily? – pediu James me acordando dos meus devaneios. Olhei para ele com uma cara de quem não estava entendendo. – Sua costela.



- Ah, sim, melhorou, quer dizer, ainda sinto dor, mas nada que um bom remédio não resolva. – Eu respondi sorrindo, mostrando o meu frasquinho de remédios. Sirius, que estava sentado no chão, sentou ao meu lado e... que folgado! Deitou no meu colo. – Sim, mas virou casa da mãe Joana.



- Ah Lily... – Sirius disse, fazendo beicinho e eu ri. Pelo jeito de um jeito BEM estranho eu estava fazendo amizade com os dois. Remus voltou para a sala com o telefone na mão, ele me passou.



- Lily, o Lee. – Ele disse, eu achei estranho, o Lee nunca me ligava em casa, o máximo era no meu celular, mas eu quase não usava. Peguei o telefone e senti uma coisa gosmenta...



- QUE DIABOS? – eu gritei, levantando e fazendo com que Sirius caísse no chão. – Isso é Super Bond? REMUS VIADO LUPIN!



- É só para te dizer que o jogo realmente começou. – Remus respondeu rindo e sentando ao lado de James, que tentava controlar um sorriso. Eu estava possessa. MINHA MÃO ESTÁ COLADA EM UMA MERDA DE TELEFONE.



- Você não sabe com quem está mexendo. – eu disse raivosa. Lembrei que a Jessica tinha me falado a mesma coisa, mas eu pelo menos falava sério. Ele vai ver o que era bom para a tosse. E não, não era xarope. Ok, essa piada foi bem fail. – Como eu vou tirar isso da minha mão?



- Eu ajudo. – disse James, sorrindo. Eu bem que poderia dar com esse telefone na cabeça do Lupin, pelo menos iria servir pra algo útil, a cabeça do Lupin, sabe. Pelo menos isso tudo iria ser divertido. Aprontar com o Lupin ia ser uma boa, não, uma ótima! Fui para a cozinha com James, diabos, como se tira isso?



- Merda. – xinguei baixinho, sentando em cima do balcão em um pulo. James pegou um pote e colocou água. Não me importei com o fato dele estar mexendo em tudo lá na cozinha, até porque ele sabia melhor os lugares das coisas do que eu, já que ajudou a desempacotar tudo. Ele foi na despensa e voltou com acetona e sabão. – Como você sabe disso?



- Ah, eu vi em Grey’s Anatomy. – ele respondeu encolhendo os braços, enquanto misturava acetona, sabão e água.



- Eu pensei que só...



- Só mulherzinha visse esse seriado? – ele completou rindo, foi a minha vez de encolher os ombros. Não, eu não estou falando mal de Grey’s Anatomy, até porque eu não podia julgar se eu nunca assisti.



- Na verdade eu iria dizer garotas e não mulherzinhas. – eu respondi sorrindo. O super bonder estava saindo aos poucos, James estava sendo extremamente cuidadoso, surpreendi-me.



- Minha mãe gosta de assistir e eu gosto de fazer companhia a ela. – ele falou, prestando atenção na minha mão, que estava vermelha. – Mas eu prefiro assistir House, ER...



- Você pretende ser médico? – pedi, James assentiu parecendo um pouco envergonhado. Não pude deixar de sorrir. – Você vai ser um bom médico.



- Eu pretendo. Pronto. – Ele terminou de e estava segurando o telefone agora. Olhei para minha mão e ela estava sem nenhuma cola. Que alívio, nada mais ridículo seria ir ao pronto socorro porque estava com um telefone grudado na mão.



- Obrigada. – eu falei sorrindo e dei-lhe um beijo na bochecha, um pouco tímida. James sorriu e sentou do meu lado no balcão.



- Então, já pensou na vingança? – Ele pediu, eu mordi meu lábio inferior, pensativa. Sempre faço isso quando estou em dúvida.



- Sim... – eu sorri logo em seguida. Descemos do balcão e fomos para a sala, Remus olhou para a minha mão e viu que já não tinha mais telefone, ficou um tanto decepcionado. – Remus, como você tinha dito mesmo? – fingi pensar um pouco. – Game on, bitch. – Eu falei rindo, James e Sirius riram comigo e ele fechou a cara. – Boa noite galera.



Subi para o meu quarto e adormeci facilmente,já que estava cansada, todas aquelas caixas para desempacotar. Durante essa semana, eu e Remus não paramos de aprontar um com o outro. Ele colocou uma aranha no meu quarto, mas para a sua infelicidade eu não tenho aracnofobia, até gosto de aranhas. A única coisa que não suporto são formigas, mas isso é outro caso. Um dia eu vi ele dormindo na sala, peguei uma caneta permanente e desenhei um bigode, uma sobrancelha dupla nele. É claro que quando eu peguei a caneta não vi que era permanente, demorou dois dias para sair e todos riram dele. Inclusive eu, é claro. Remus deveria parar de tentar pregar uma peça comigo. Era sexta feira, eu estava sentada em uma mesa do refeitório, perto da mesa onde se encontrava James, Sirius, Dorcas. Remus ainda não tinha chegado para o almoço. Ele nem sabia o que esperava por ele, ontem a noite ele estava no quarto dele, ouvindo muito alto The Fratellis, eu abri um pouco a porta e vi que ele estava cantando e dançando pelo quarto todo. Não pude deixar de filmar e colocar no Youtube. A escola inteira já sabia.



- Amor, eu não sabia que você cantava tão bem. – Dorcas falou, segurando para não rir. Remus sentou na mesa, sem entender. James pegou seu IPod e mostrou o vídeo para ele. A cara que ele fez... Sorri vitoriosa.



- LILY! – Remus gritou furioso e foi até a minha mesa. – TIRA ISSO DO AR AGORA!



- Quem disse que fui eu? – eu pedi, rindo.



- A sua conta no Youtube. – gritou James, na mesa e eu ri mais ainda.



- SUA IDIOTA. – Remus começou a gritar furioso. Idiota? Era o melhor insulto que ele tinha pensado? – EGOÍSTA!



- EU SOU IDIOTA E EGOÍSTA? – Eu pedi levantando, nessa hora todos estavam prestando atenção em nós, vi Lee se aproximar de mim, ele estava meio sumido, mas falou que era os estudos, vai saber. Sirius, James e Dorcas foram até nós. – VOCÊ QUE É EGOÍSTA, SEU MERD...



- CALEM A BOCA, VOCÊS DOIS! – Gritou Sirius, do nada. Eu e Remus ficamos quietos. – Eu não aguento mais essa briga idiota de vocês. Remus, para de tentar colar coisa na Lily com super bonder. – Sirius estava realmente bravo, isso era inédito. – Lily, tira esse vídeo do ar.



- Merda. – eu e Remus xingamos baixinho. Parecíamos duas crianças de cinco anos levando xingão dos pais.



- Agora, vocês dois vão parar com isso. Peçam desculpas. – Ordenou Sirius, PQP, quem é esse cara e o que ele fez com o Sirius de verdade?



- Desculpa. – eu murmurei, contra a minha vontade, é claro.



- Desculpa também. – falou Lupin, depois de Dorcas o olhar feio.



- Agora se abracem. – Sirius falou de novo e eu o olhei com uma cara muito: WHAT? – AGORA! – Contra a minha vontade e a do Remus eu o abracei, depressa e quase sem contato. – E agora se beijem.



- O QUE? – Eu, Remus e Dorcas gritamos, mas daí Sirius já estava rindo da nossa cara, junto com James e Lee. Idiota, nos fez de retardados na frente da escola toda. Eu peguei o IPod do James e deletei o vídeo, mas Dorcas me pediu para eu enviar para ela depois, rindo.



As aulas seguiram normais, quase toda a escola estava falando do ataque da família Lupin-Evans no refeitório. Eu sinceramente não me importava. Lee meio que voltou ao normal hoje, mas foi por pouco tempo, ele logo se afastou de novo. Eu realmente não entendo aquele cara. Remus e eu chegamos em casa depois da aula, Petúnia foi dormir na casa da Jessica Vadia.



- Trégua? – Pedi, sentando no sofá e Remus sentou no outro. Ele me olhou e suspirou.



- Trégua. – Ele falou, finalmente. – Já estava ficando sem ideias. Aliás, cadê a minha aranha?



- Coloquei no quarto da Petúnia essa tarde. – respondi sorrindo e ele riu. – Mas só amanhã ela vai ver.



- Eu vou dar uma festa aqui nesse sábado. – Remus falou e eu arregalei os olhos. – Sim, nossos pais sabem.



- Ahn... – eu não sabia o que dizer, eu meio que não gosto de festas, eu sou completamente antissocial. Fui para o meu quarto e dormi cedo. Droga, droga e mil droga. Eu odeio festas, sério. Ainda mais festas do colégio. Eu até não me importo em ir em festas onde eu não conheço ninguém, seilá, eu acho que sempre fica mais divertida. E provavelmente todos os populares iriam na minha casa, quando eu digo todos, eu digo Jessica. O sábado passou rápido, Dorcas foi lá em casa para ajudar organizar a casa, sabe como é, esconder objetos valiosos, potes que sirvam para pessoas vomitarem e coisas assim. Meu pai e Anna realmente tinham concordado com isso, os dois iriam passar a noite fora, provavelmente em um hotel. De acordo com eles, iriam comemorar a união bem sucedida deles. Algo assim. Eles saíram de casa eram nove horas, nove horas e dez minutos James e Sirius chegaram com dois barris de cerveja e várias, eu digo várias, caixas de vodka e whisky. Confesso que fiquei surpresa.



- Ruiva! – Sirius me cumprimentou, mas antes olhou para o comprimento da minha saia, consegui ficar vermelha. Não era tão curta, mas não era comprida. Eu estava com meu all star vermelho e uma camisa preta e a saia jeans. Cumprimentei Sirius e James e fiquei sentada na sala, vegetando. Quando me dei conta eram onze horas e a casa já estava infestada de gente rindo, falando alto e bebendo. A música era uma eletrônica, nada contra. Fui para a parte da piscina e vi Lee sentado na beirada dela.



- Lee. – falei, sentando ao seu lado e dei um beijo de leve em sua bochecha.



- Lily. – ele sorriu ao me ver, na verdade ele forçou o sorriso. O que estava acontecendo com ele? Antes que começasse a falar, Jessica apareceu atrás de mim.



- Bela casa, L.L. A única coisa que estraga é que você vive nela. – Ela falou e riu, como se tivesse sido muito engraçada, Lee me olhou nervoso e saiu dali. Essa eu não entendi. Levantei e fiquei de frente a Jessica, dessa vez ela estava sozinha, não tinha ninguém ali.



- Não, a única coisa que estraga é você aqui. – Eu comentei sarcástica e a deixei sozinha falando. Tentei encontrar Lee, mas não o vi em nenhum lugar. Vi James conversando com uma garota loira, toda... fútil? Não sei se essa é a palavra.



– Você viu o Lee?



- Não, mas eu te ajudo a procurar. – ele falou, a garota ficou passada com isso e saiu batendo o pé dali. Quase ri da cara dela, mas me controlei.



- Certeza que a Barbie não vai se importar? – eu pedi, passando por um bando de garotos bêbados.



- Tem várias por aqui. – ele disse encolhendo os ombros e eu ri. Eu não encontrei Lee em nenhum lugar, na verdade eu não fui ainda no escritório do meu pai, mas o que ele estaria fazendo lá? E ainda bem, pelo bom Dio (sabe, aquele cara foda, com a voz foda) eu não vi mais a Jessica. Sirius estava na cozinha rindo como um retardado de um garoto que tentava plantar bananeira no barril e beber aquilo (?) Eu nunca entendi isso. Quando eu fui abrir a porta do escritório, Remus veio correndo.



- Lily não entra ai! – ele gritou, dando um tapa no James. Eu olhei estranho para ele, por quê? – Ahn, eu vi um casal entrando ai, e bem... Não entra ai.



- Argh, que nojo. – eu falei, suspirei. Lee provavelmente tinha ido embora, desisti de procurar ele. Peguei a cerveja da mão de Remus e subi para o meu quarto, abri a porta e vi um casal sentado na cama, quase se comendo. – Sai, sai!



Os dois saíram correndo e eu terminei de beber a cerveja de Remus e deitei na minha cama. Eu realmente estou irritada, qual é a do Lee de praticamente fugir de mim? Babaca. Sim, babaca, eu gosto dessa palavra. E só porque eu estou irritada essa música está me irritando. Levantei e peguei o cd do Pink Floyd, do álbum The Dark side of the moon, apesar de gostar o Syd Barrett, o Roger Waters eu simplesmente o achava divino. Deitei na cama e fechei os olhos relaxando.



- Prefiro The Wall. – Levei um susto, abri os olhos e vi o James parado na porta, ele riu do meu susto. – Mas,The Piper at the Gates of Dawn é um dos melhores e mais ácidos álbuns do Sid.



- Uau, você conhece Pink Floyd. – eu falei sorrindo e voltei a deitar na minha cama. – Eu também gostei dessa era psicodélica deles.



- Do Sid, você quer dizer. – ele falou, rindo e deitou do meu lado da cama. O que? James Potter estava deitado ao meu lado na cama. Ok, estranho. – Porque você não está lá embaixo?



- Porque você não está lá embaixo? – Adorava rebater uma pergunta com outra pergunta, James riu. – Quer dizer, eu passo despercebida, o James Potter, capitão do time de futebol, com seus cabelos rebeldes e seu jeito sexy de ser não.



- Então você me acha sexy? – Percebi que estava ficando vermelha e ele pareceu se divertir com isso.



- Não foi o que eu quis dizer... – eu falei, realmente não tinha sido o que eu queria dizer, claro, ele é sexy, mas eu não sou de ficar falando. Ah que se foda, falei e pronto. Suspirei fundo e fechei os olhos de novo.



- Encontrou o Lee? – James pediu, depois de uns minutos de silêncio.



- Não, o idiota parece que fugiu. – Senti raiva nesse momento. Virei para James e o encarei sorrindo. – Mas nada que eu não supere.



James sorriu, nós dois estávamos deitados na minha cama, em plena festa na minha casa. O meu motivo de estar ali é porque eu sou antissocial e o do James, bom, porque ele é querido, fofo e pelo jeito se importa comigo. Ele me deu um beijo na testa e me abraçou de lado. Eu simplesmente me aconcheguei no abraço de James, o perfume dele era simplesmente... maravilhoso. Eu amo perfumes masculinos, ainda mais em um cara bonito. Eu e James acabamos dormindo ali, na minha cama, no meu quarto, na minha casa.



Acordei com o sol no meu rosto, fiquei irritada por não ter fechado a cortina. Senti um braço ao redor do meu corpo. Percebi que meu travesseiro tinha sido o próprio James, sentei na cama e me espreguicei. Fui para o banheiro e lavei meu rosto, escovei os dentes e voltei para o meu quarto.



- James... – eu cutuquei o garoto deitado na minha cama, ele parecia morto. – James...



- Hm? – ele acordou e olhou ao redor, passou as mãos nos olhos e sentou na minha cama.



- Nós acabamos pegando no sono, a conversa devia estar boa. – tentei brincar e até que deu certo, ele riu, mas provavelmente riu por educação mesmo.



- O Remus não vai gostar muito que eu dormi na cama da irmã dele. – ele falou sorrindo, eu arregalei os olhos.



- Eu não sou irmã dele. – falei rápido, sem querer. Quer dizer, eu acho que não sou irmã dele, né? – E além do mais, o Remus não gosta muito de mim mesmo.



- Você que acha. – ele disse e levantou para ir no meu banheiro. Hã? O cara colou o telefone na minha mão, pelo o que o Sirius disse ele estava dando um jeito de tentar por super bonder na minha privada. Ok, a cena iria ser engraçada, mas, ia ser trágico eu ficar presa na privada. Mas resolvi não falar muito sobre isso, assim que James saiu, nós fomos para a cozinha. A casa estava uma bagunça, Dorcas e Remus já estavam limpando. Sirius ainda dormia no sofá.



- Bom dia! – Dorcas falou animada, olhei a hora e me espantei, eram duas horas da tarde, eu nunca tinha dormido até o meio dia, nunca conseguira. O sono foi bom, tenho que admitir.



- Bom dia! – eu e James falamos, peguei um saco de lixo e comecei a ajudar. Petúnia se negou a limpar a casa com nós, de acordo com ela, as unhas dela eram muito fracas. Eu tive que rir, pelo o que eu percebi, Remus não gostava muito dela. Eu até achei normal, gostar da Petúnia era impossível, eu sou irmã dela e gosto dela porque sou obrigada, fato. Sirius acordou com James pulando nele, ele xingou o James de tudo o que era nome, alguns eu nem sequer conhecia. Anna e Dan ainda não tinham voltado da comemoração deles, na verdade eles iriam passar o domingo todo comemorando também, aposto que o motel ia dar caro, digo, hotel. Dorcas fez o nosso almoço, lasanha de queijo. Ela realmente fez a lasanha, não só tirou e colocou no forno como eu faria normalmente. E tenho que admitir, estava muito bom. Eram sete horas da noite e nós terminamos finalmente a limpeza e fomos ver um filme. Dorcas teve que ir para casa, mas James e Sirius acabaram ficando. Eu acho que os dois abusam da nossa hospitalidade, mas deixa quieto.






__________________________



 Nota da autora:


Oi geente! Eu não vou poder comentar muito, mas, espero que gostem! Queria agradecer a Ciça pela capa nova hihihihi amei! E muito, muuuito obrigada pelos comentários, espero que continuem hehehehe O quarto capítulo já está pronto, é só eu ajeitar alguns errinhos hihi!



Beijokkks, dominique.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.