FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

36. Não Para a Minha Casa


Fic: Harry Potter e o Segredo dos Black


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/A: Olá pessoal! Vocês devem estar pgtando porque eu botei a Nota da Autora no inicio do cap, não eh?! Pois bem... eh porque eu tenho uns avisos para dar... é MUITO IMPORTANTE que vocês leiam, tah?! Eh comprido mas eh necessário e importante. Tah?! Bom, vamos à eles:

Aviso 1: Eu não continuarei a Segredo dos Black. Claro, terá o ultimo cap e um extra, mas não terá um “livro 7” da SdB. É que eu fiz essa fic para ser uma “apresentação” da Gween. Já que eu vou fazer uma fic dos marotos, e ela vai ser mais sobre a Gween, não tem necessidade da SdB existir. Portanto eu vou escrever outra fic “livro 6”, utilizando coisas da SdB (como aulas, como os casais se acertam, capitulos e etc) mas com outro mistério de fundo. Tá?!

Aviso 2: a Saga Gween será composta por três fics. A dos marotos (que provavelmente vai se chamar Amores Marotos), um HP6 e um HP7.

Aviso 3: bom, eu sempre planejo tooooooda a fic antes de começar a escrever. E com Amores Marotos não foi diferente. Faz mais ou menos dois meses que eu comecei a planejá-la, mas só há um mês que eu terminei o planejamento e comecei a escrever. Semana passada eu li a fic “A Tríade do Poder” (muito boa) e “Harry Potter e o Caminho das Sombras (continuação da Triade, muito boa também, eh do fanfiction.net) e percebi que essas fics, principalmente a Tríade, tem muito em comum com minha fic dos marotos... mas eu qro dxar claro que não eh plagio! Eh que eu também estou utilizando mitologia celta (usada na Tríade e em Caminho das Sombras) e a lenda de Avalon (também usada nas mesmas fics) na minha fic. Entendido?

Aviso 4: eu me cadastrei no fanfition.net (minha pagina eh www.fanfiction.net/~gweenblack) e não sei se vou continuar no Floreios & Borrões. Talvez eu passe a usar apenas o fantiction. Ainda estou em dúvida. Mas eu prometo que aviso vocês se for usar soh o fanfiction.net, tah?! Mas provavelmente eu continuarei com o F&B.

Aviso 5 (e último, graças a Deus!!!): terça feira que vem (dia 25) eu vou viajar para Garopaba (SC), e na minha casa da praia não tem computador e minha mãe não quer levar o meu pc. Então eu vou ter que me contentar em ir em Lan House uma ou duas (no maximo) vezes por semana. Então as atualizações da fic dos marotos (em breve online) serão semanais.

Bom, era só (?!) isso... Bjux, espero que gostem do cap, e por favor, comentem e votem, ok?!


- CAPÍTULO TRINTA E SEIS – Não Para Minha Casa


Aquela última semana fora realmente muito chata. A marca da morte de Sirius estava mais uma vez forte. Havia também a antigo sentimento de perda, aquele que todos sentiram quando Lupin deixara de dar aulas. Também estava a tristeza do ano letivo que estava acabando. Mas, como toda e qualquer semana, esta também passou. E logo chegou o dia do banquete, na véspera da volta para a casa.

- Mais um ano se passou. – Dumbledore estava de pé no meio da mesa dos professores, dando seu rotineiro discurso. – Durante este ano aprendemos muita coisa, e crescemos, nos tornando pessoas melhores do que éramos. Portanto, parabéns a todos vocês que superaram mais esta etapa da vida.

“Agora vamos às premiações. Em quarto e último lugar, ficou a casa Lufa-lufa, com quatrocentos e dezesseis pontos. Em terceiro lugar, está a casa Corvinal, com quatrocentos e trinta e dois pontos. Em segundo lugar, – nessa hora a atmosfera do salão era de extrema tensão e ansiedade – ficou a casa Sonserina, com quatrocentos e cinqüenta e nove pontos. E em primeiro lugar, pelo sexto ano seguido, com quatrocentos e oitenta e quatro pontos, uma salva de palmas para a casa Grifinória!”

Os alunos da Grifinória levantaram-se em meio à algazarra que todos faziam. Mesmo a Lufa-lufa, em último lugar, aplaudia feliz porque a Sonserina, pela sexta vez seguida, não conseguia vencer.

- Vamos agora ao nosso banquete. – anunciou Dumbledore, sentando-se entre a Profª. Gween e a Profª. McGonagall.

As travessas se encheram das mais gostosas e diversas comidas, e naquele momento, em meio à felicidade de todos os colegas, Harry conseguiu esquecer seus problemas.

Na mesa dos professores, uma professorinha que por acaso era mulher do seu padrinho, o olhava com carinho. E Harry, da sua mesa, pôde observá-la. Ela estava olhando para ele. Harry sorriu. Sentia-se feliz agora. Sabia que Sirius a havia amado, então porque ele não podia amá-la também? Seria como Sirius fora para ele: uma mãe, uma amiga.

Então Gween virou-se e perguntou uma coisa a Dumbledore. Ele sorriu e respondeu.

- Harry? – perguntou Hermione, tirando o garoto de seus devaneios.

- Sim. – respondeu ele.

- O dia não está maravilhoso?

- Sim, Mione. Está. – disse, sorrindo. E voltou-se para seu prato de comida.

***


O outro dia amanheceu com um sol banhando os campos verdes e deixando o lago dourado. Harry, Rony, Hermione e Gina levantaram-se cedo naquele dia. Depois de arrumar a mala os quatro desceram para o Salão Principal, onde tomaram café. Então os dois casais – Harry e Gina, Rony e Hermione – de mãos dadas foram caminhar pela propriedade, em especial em volta do lago, que estava lindo.

Depois de terem caminhado pela margem do lago, conversado e namorado, eles entraram novamente, pegaram suas malas e embarcaram.

O trem estava cheio, mas eles conseguiram uma cabine vazia em frente à cabine onde Katie Bell conversava com suas amigas.

Depois de jogarem duas partidas de xadrez de bruxo – onde Harry perdeu lindamente para Rony – Hermione disse:

- Está na hora de irmos para a cabine dos monitores.

- É verdade. – comentou Rony. – Temos que ir.

- Tudo bem. – disse Harry. – Contanto que voltem depois... – acrescentou, rindo.

- Pode deixar. – disse Hermione, enquanto deixava a cabine.

Harry e Gina ficaram sozinhos por alguns minutos, mas logo a porta da cabine se abriu novamente.

- Posso ficar aqui com vocês? – era a Profª. Gween.

- Claro. – disse Harry.

Ela entrou. Estava muito bonita, Harry não pôde deixar de notar. Vestia um longo vestido de cetim preto por baixo da capa de bruxa.

- E então... estão melhor? – perguntou ela.

- Muito melhor. – respondeu Gina.

- Pronto para voltar pra casa, Harry?

- Não. Não estou indo para minha casa. Minha casa é Hogwarts. – respondeu o garoto.

Gween apenas sorriu. E então voltou a olhar pela janela. Harry notou que uma lágrima tímida escorreu pelo rosto da professora.

- Professora? – perguntou ele, inseguro. – Aconteceu alguma coisa?

- Não, Harry. Não aconteceu. – disse ela, serena. – E pode me chamar de Gween.

- Então... Gween... porque você está chorando? – perguntou Harry.

- Lembranças... – murmurou ela, no mesmo instante que outra lágrima teimou em cair pelo seu rosto.

- Hum... – fez Harry. – Mas... se me permite... que lembranças?

- Você é muito curioso. – constatou Gween. – Como seu pai... Lembranças, Harry, de um passado incrivelmente feliz. Foi nessa mesma cabine aqui que eu vim para o meu sétimo ano em Hogwarts. Eu lembro muito bem, como se fosse ontem. Sua mão estava sentada aí – disse ela, apontando para onde Gina estava sentada. – e seu pai onde você está, para desagrado de sua mãe. – ela sorriu. – Eu ainda sinto saudade dos gritos dela, ralhando com seu pai por chamá-la de Lily... “É Evans, Potter, E-V-A-N-S, ouviu?” – falou ela, imitando a mãe de Harry. – Mas no fundo todo aquele ódio era um amor disfarçado... Emilly estava aí nesse lugar ao seu lado, e Remo na frente dela. Eu estava exatamente onde estou agora, do lado de Sirius. Ele também teve que fazer uma campanha para me conquistar – disse ela, e seus olhos estavam desfocados, como remotando a um tempo distante – mas devo dizer que eu tinha outras maneiras, que não gritando, de irritá-lo.

Harry sorriu. Estava ouvindo histórias do passado de seus pais.

- Então... – perguntou Harry, lembrando-se de um fato. – Aquela garota que eu vi na penseira era você?

Gween alargou o sorriso.

- Era, Harry, era eu. – e então desviou o olhar para a janela. – Bom, garotos, acho que já passei tempo demais por aqui... os outros professores devem estar me procurando. Tenho que ir.

- Tchau, Gween.

- Até mais, garotos. – disse ela, deixando a cabine.

***


Pouco depois Hermione e Rony voltaram, a garota segurando um jornal.

- O que é isso, Hermione? – perguntou Gina.

- É o Profeta. Ele traz o resultado das eleições para Ministro... querem ver?

- Se você quiser ler pra gente... – pediu Harry.

- Tá legal... vou ler só a parte com o resultado, tá bom? – disse a garota, sorrindo. – “As eleições para o novo Ministro da Magia foram encerradas, e o resultado é o seguinte: em último lugar, Fudge, com seis por cento dos votos bruxos; em terceiro lugar, Robert Crutch, com nove por cento dos votos bruxos; em segundo lugar, Alastor Moody, com vinte e sete por cento dos votos bruxos; e, em primeiro lugar, com cinqüenta e oito por cento dos votos bruxo, temos a nova Ministra da Magia, a auror Lindsay Weston.”

- É, foi a sua candidata, Mione. – disse Rony.

- Que bom. – disse ela. – Agora teremos uma boa campanha contra Voldemort.

- Tomara. – murmurou Gina.

***


Quando o trem estacionou na plataforma nove e meia, os quatro desceram, atravessaram a parede de tijolos que escondia a plataforma dos trouxas, e foram ao encontro de um bolinho de pessoas.

Molly Weasley abraçou longamente os filhos – Gina e Rony – e então abraçou Harry e Hermione também. Hermione então avistou os pais e foi até eles, trazendo-os para junto dos Weasley e de outros membros da Ordem.

Moody então abraçou o Harry, murmurando um “Vigilância Constante, garoto” no ouvido do bruxo; depois o garoto foi abraçado por Tonks, e então Lupin.

Então Harry viu, do outro lado da estação, uma bruxa loira, com um longo vestido de cetim preto vindo em direção à eles. Várias pessoas – em especial homens – abriram caminho e pararam para avistar a bruxa linda e imponente que passava. Ela então chegou até eles, o barulho dos saltos chamando atenção.

- Olá Remo. – disse ela.

- Olá. – respondeu ele, no que eles se abraçaram longamente.

- Então, Harry, – falou Gween – aqueles ali são seus tios?

- São. – disse ele.

- Eu vou dar uma palavrinha com eles, posso? – perguntou ela, com um ar falsamente inocente.

- Claro... – concedeu Harry, para depois abraçar Gina. Tinha que curtir aqueles últimos poucos momentos ao lado da namorada.

Minutos depois Gween voltou e disse:

- É, Harry, acho que esse verão não será tão detestável assim...

- O que você fez, Gween? – perguntou Lupin. – Te conhecendo como eu te conheço posso tranqüilamente considerar esse ato suspeito.

- Eu?! – perguntou ela, pousando a mão no peito teatralmente. – Assim você me magoa, Remo... justo uma pessoa tão pura e inocente como eu...

- Tá bom, Gween. – disse Lupin, rindo. – Se você é inocente hoje vai chover hipogrifos.

- Que previsão mais estranha essa, né? – ela ironizou, no que os outros riram. – Bom, Harry. Acho que tá na hora de nos despedirmos.

Harry então abraçou a professora e disse:

- Adeus.

- Adeus, não, querido. Esqueceu que eu sou quase sua madrinha? Até logo. Em breve iremos nos rever. Não vou te deixar o verão inteiro naquela prisão, prometo. – disse ela, sorrindo.

- Obrigada, pr... Gween.

- De nada, querido.

Harry então abraçou Rony, Hermione, beijou Gina e foi até os tios.

- E então, moleque? – bradou Tio Valter. – Porque demorou tanto?

- Sabe aquele meu padrinho assassino? – perguntou Harry.

- Aquele que morreu? – perguntou Valter, estupidamente.

- Isso mesmo. Descobri que ele tinha uma mulher e uma filha, que têm o gênio bem parecido com o dele. Foi aquela que veio aqui falar com vocês agora há pouco, sabe? Pois é... – disse ele, sorrindo ao ver a expressão dos tios.

“Realmente, esse vai ser um verão melhor do que eu esperava!” pensou, ao entrar no carro.

FIM

(N/A: Mas vcs ainda nao se livraram de mim!!!!! Ateh o findi eu posto aki um EXTRA tah legal?! Bjux e mtooooo obrigada a todos q votaram, comentaram e leram a fic. Vcs me deixaram mto felix!!!! BjuxX!)

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.