FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. Capítulo 1


Fic: stupid girls JL CAPÍTULO 13 ON!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

"Renda-se, como eu me rendi.


Mergulhe no que você não conhece


como eu mergulhei.


Não se preocupe em entender,


viver ultrapassa qualquer entendimento."


- Clarice Lispector.


__________________________




__________________________




Capítulo 1 - Game on, bitch.


Eu nunca vou conseguir entender minha irmã. Sério, ela é louca, na verdade ela é idiota. Petúnia não consegue parar de inventar o personagem que ela está vivendo. Sabe aquelas garotas de Meninas Malvadas? Bom, ela é pior que aquela abelha rainha, aquela que a Lindsay Lohan estava tentando derrubar. O pior pesadelo dela sou eu, eu Lily Evans que sempre a deixa envergonhada por ser irmã dela. Como se eu me importasse. Só porque eu uso all star, não uso maquiagem e o pior de tudo, amo rock.


Eu sou a filha mais nova, tenho dezessete anos e posso dizer que sou a mais brilhante. Meu pai? Meu pai é tudo pra mim. Ele é o meu melhor amigo, meu pai é meu herói, ele sempre faz de tudo por Petúnia e eu. Quer dizer, que pai que inventa o Sr. Guardanapo só para divertir as filhas? Ele colocava um guardanapo no rosto só pra fazer eu e a Pet comer verduras, que pai faz isso? Só o meu mesmo. É eu não tenho mãe, mas não é uma coisa que me abate. Pode ser sem coração, mas eu nunca a conheci, como eu vou amar alguém que nunca conheci? Ela fugiu logo depois que eu nasci, não aguentou a pressão e pegou suas coisas e bem... nos abandonou. Petúnia ficou com raiva de mim, ela disse que foi minha culpa, que eu a fiz ir embora. Vai saber, talvez tenha sido realmente a minha culpa.


- Petúnia! Vamos de uma vez! – gritou meu pai, nós vamos jantar fora, eu realmente não sei onde, ele disse que era segredo. Mas algo me diz que tem alguma coisa a ver com uma mulher. Faz semanas que meu pai não para em casa de noite, ou chega cedo demais, ou sai da sala pra atender o celular... – Droga. Droga, eu vou me atrasar. Nós, eu digo.


- Onde nós vamos hein pai? – Eu já estava pronta faz tempo, estava com meu all star preto, uma camiseta do Led Zeppelin e jeans. Meu pai não me respondeu, só sorriu misterioso.


- Lily, vai lá chamar a sua irmã, se eu ir lá e ela estiver em um momento... – Só ri do meu pai, a única coisa que ele não era bom é em assuntos de puberdade, ou coisas assim. Ele chorou comigo quando eu menstruei pela primeira vez, a enfermeira da escola teve que me ensinar as coisas, ele estava desolado que a sua caçulinha tinha virado mocinha. Subi as escadas e entrei no quarto de Petúnia, ela estava passando o lápis de olho pela milésima vez e se olhando no espelho. Ela parecia um poodle rosa ambulante, simplesmente extravagante. Revirei os olhos, só uma palavra: superficial.


- Vamos Pet, o pai ta nos esperando. – eu disse, ela virou para mim como se fosse a coisa mais óbvia do mundo. Eu acho engraçado chamar a Petúnia de Pet, sempre com um duplo sentido, é claro.


- Eu sei, mas como nós vamos encontrar a tal de Anna, não vi porque não me atrasar. – ela sorriu maligna, confesso que tenho que tirar o chapéu para ela, não tinha pensado nisso. – Eu vi no celular dele, hoje de manhã.


- Impressionante, qual vai ser o plano? – a única coisa que eu e Petúnia nos unimos é para afastar as possíveis namoradas do nosso pai. Quando eu tinha dez anos ele nos trouxe uma namorada para nos apresentar, digamos que não foi uma boa experiência... para ela. O nome dela era Vanessa, a louca parecia uma modelo, com um vestido da Dior, parecia que ia para um baile. Quando eu tinha dez anos digamos que era viciada em Cinderela, na verdade em todos os filmes da Disney e não estava disposta a ter uma madrasta que nos mandasse sei lá, para um internato.


- Oi garotinhas! – Vanessa falou com a voz afinada dela de gralha mexendo nos nossos cabelos, primeiro erro dela. Diminutivo nunca era bem visto quando se é apresentado para as filhas do namorado e o segundo foi encostar nos nossos cabelos. Ela nos deus dois pacotes, quando eu abri vi que era aqueles kits maquiagem, Petúnia teria amado se fosse em outra ocasião.


- Não acha que somos um pouco nova para isso? – eu pedi revirando os olhos, meu pai pigarreou. – Obrigada.


Digamos que o nosso plano nesse dia foi um pouco cruel, mas eu me diverti a beça rindo dela. Sentamos na mesa para jantar e a mulher não parou um minuto de falar. Coisas fúteis, como ela era rica, como o empresário dela dizia sempre que ela era linda demais e blábláblá. Quando finalmente acabou aquela tortura e ela se levantou para ir embora... Ai foi tão lindo de ver, meus olhos chegam a ficar marejados... not. Ela entrou na nossa casa com um vestido lindo da Dior, mas foi embora sem a metade dele. Super Bonder sempre ajudando quem necessita. Depois desse dia ficamos de castigo por um mês e meu pai aprendeu que não deveria nos apresentar suas namoradas.


- Aleluia! – falou meu pai quando eu e Petúnia descemos, corri até o carro e fui na frente. Era meio criança, mas quem ficava na frente cuidava dos cd’s e já que Petúnia estava de salto, aproveitei. Resolvi honrar minha camiseta e coloquei Led Zeppelin, comecei por algo leve, como Thank you. Aquela letra me inspirava. – Chegamos! Bom, garotas, hoje vocês vão conhecer uma pessoa muito especial para mim. Se comportem garotas.


A casa era linda, tradicional, uma moça loira, muito linda estava nos esperando. Tenho que admitir que meu pai tem bom gosto. Respirei fundo, o meu plano e da Petúnia era o básico, fazer ela acreditar que ele tinha outras, só depois vem as coisas pesadas.


- Oi! Você deve ser Lily! – Ela sorriu e me deu um beijo. Tive que dar um sorrisinho também. – E você Petúnia, muito prazer, eu sou Anna Lupin.


- Elas não costumam ser assim tão tímidas... – falou meu pai dando um beijo nela.


- Ah tudo bem, aposto que o meu Remus também não vai falar muita coisa... – Ela disse Remus? Será que é o mesmo Remus Lupin que eu estou pensando? Por favor, por favor, diz que não. – Vamos ali na sala, os garotos estão ali.


- Garotos? – eu murmurei baixo, quanto filhos ela deve ter? Isso não estava no contrato, vai que sejam um daqueles garotos chatos de sete anos que recém descobriram que “porque não” não era resposta? Mas não, era pior que isso... James Potter, Remus Lupin e Sirius Black estavam parados na minha frente. Fuck, fuck e mais fuck.


- Remus, James e Sirius, essa é a Petúnia e a Lily Evans. – Anna sorriu nos apresentando, será que ela não se tocou que estudamos na mesma escola? Ainda mais sendo eles. Droga, droga, droga.


- Nós estudamos na mesma escola mãe. – o Remus falou, nossa, pensei que ele iria fingir que não me conhecesse, já que a LL aqui não passava de uma reles mortal. Anna sorriu e saiu da sala com o meu pai, suspirei fundo e sentei num dos sofás, Petúnia num completo estado de choque me acompanhou. Não acredito ainda, simplesmente não acredito. Esses garotos me infernizam na escola o dia todo... Na verdade não são eles, mas sim a Jessica e eles não fazem nada para que isso não acontecesse. Digamos que eu sou o alvo dela desde que eu tenho treze anos, é uma boa história se você quiser saber... Eu aposto que você não quer saber, mas vou contar do mesmo jeito. Até os treze anos de idade eu e Jessica éramos melhores amigas, íamos na casa uma da outra para brincar de Barbie e um dia ela parou de ser minha amiga e virou a abelha vadia, fim. Nada clichê né? Vai ver ela ficou com inveja de mim ou simplesmente acordou com uma vontade de ser uma vaca. Acho mais fácil a segunda opção.


- Então... nada constrangedor... – arriscou falar o James Potter, se olhar matasse os três estariam mortos e eu feliz. – Led Zeppelin hein... bom gosto...


- Eu sei. – respondi seca.


- Você não é a namorada do Leeland? – pediu Sirius, Petúnia ficou me encarando sem entender. – Você não é a...


- LL? Lily Lésbica? – eu o interrompi, sem mais nem menos.


- Eu ia dizer só Evans, mas já que você tocou nesse assunto, é isso ai também. – continuou Sirius achando que era o cara mais divertido que tem no mundo. James deu um tapa na cabeça dele.


- Sou sim a namorada do Lee. – respondi, é eu namorava, mas não fazia nem um mês que estava namorando com o Lee. Ele é o goleiro do time de futebol da escola e foi o único que me defendeu na escola. O único. Nós somos amigos faz um ano, só nos últimos três meses que a nossa amizade sem cor virou colorida, eu gostei até, ele beija bem e ainda não transamos para eu saber se ele era bom nisso também. Sorri até de pensar na possibilidade, não eu não era santa e não seria minha primeira vez.


- Porque tu não me contou Liils? – pediu minha irmã fingindo estar espantada, tive vontade de rir, mas me controlei.


- Não estava com vontade. – balancei os ombros, olhei para o Remus, ele parecia estar muito irritado. Garoto estranho. – O que aconteceu com ele? Virou surdo e mudo?


- Não. – Oh, milagre, ele fala. Mas tive que me controlar com o sarcasmo, esse Remus era mais estranho do que eu tinha imaginado. – Eu não quero o seu pai tentando ser o meu pai.


- Hm, que bom para você. – eu respondi sorrindo sarcástica. Vai dizer que era por isso que ele tava todo quieto? Mongo.


- Não, vocês não entenderam... – ele continuou, James olhou para o Sirius preocupado e posso dizer que isso tornou o Remus um pouco menos desinteressante. – O pai de vocês não vai namorar por muito tempo a minha mãe. Eu não vou deixar, eu não quero isso. Eu já tenho um pai e não vai ser ele que vai tentar ser o meu. Assim como vocês não irão ser minhas meias irmãs ou qualquer merda assim.


- Uou. – eu parei para refletir, a Petúnia ia falar algo, pelo jeito concordar, mas acho que ela estava muito ocupada em pensar que ser meia irmã de Remus Lupin, no que isso ia mudar na escola. Eu comecei a me irritar, mesquinho idiota. – Como você é egoísta, acho que nunca tinha visto uma pessoa tão mesquinha como tu. Que merda.


Eu me levantei do sofá e encarei o Remus, ele fez o mesmo e chegou bem perto de mim, como se fosse me ameaçar ou algo assim. Vi o James e o Sirius levantarem, assim como a Petúnia, acho que ela achou era hora do jantar ou algo assim.


- Você percebeu quantas vezes falou “eu” nessas frases. Eu, eu, eu. Eu sou o filhinho do papai, eu não quero que a minha atenção seja desviada, eu, eu, eu. Egoísta. Não percebe o quanto a sua mãe está feliz? O quanto ela sorri por nada? Ou está ocupado demais pensando no teu umbiguinho? Tu deve se achar o centro das atenções. – parei para respirar fundo, não tinha diminuído a distância, podia sentir a respiração dele. – Se você quer guerra vai ter, porque eu não vou deixar a felicidade do meu pai acabar assim.


- Game on, bitch. – WHAT THE FUCK? Eu tive que rir disso, Remus Lupin, falando Game on, bitch? Ele não poderia ter pensado em algo menos clichê?


- Crianças, o jantar está pronto! – falou Anna da cozinha, o Remus ainda não tinha se afastado de mim, então ao passar pra cozinha dei um esbarrão forte nele. Idiota. Não sei como esse cabeça oca tem namorada. Nunca pensei que ia odiar uma pessoa assim como eu estava odiando ele agora, mentira, já pensei sim, eu ainda não odeio ele como odeio a Jessica, vadia. Sentamos na mesa, eu infelizmente sentei ao lado de James, na frente do Remus. Senti uma vontade infantil de chutá-lo por baixo da mesa. Olhei para a Anna e vi que os olhos dela praticamente brilhavam, não parava de sorrir. Meu pai não era diferente, não pude deixar de sentir compaixão pelos dois. Meu plano de acabar com o relacionamento deles já tinha sido deixado de lado.


- Lily, eu fiz uma lasanha vegetariana para você. – Anna me falou sorrindo, confesso que fiquei aliviada ao ouvir isso, não estava com vontade de comer apenas verduras hoje.


- Você é vegetariana? – pediu James, parecia intrigado, mas não sei com o que.


- Sim, faz três anos e eu também não bebo refrigerantes... – antes de acabar, fui interrompida.


- E bebidas alcoólicas? – o Remus falou, sorri cínica.


- Socialmente, sim. – meu pai não era um pastor ou algo assim, ele sabia que eu bebia, só não sabia o quanto eu bebia e que eu transava e tinha um namorado, mas nada demais. Remus correspondeu o sorriso e James pigarreou do meu lado. Estou com a pequena impressão que os amiguinhos dele não estão gostando da nossa rixa.


- Então Anna, o que você faz? – Petúnia finalmente resolveu abrir a boca e sair do transe de olhar o Sirius Black. Até eu tenho que confessar, que o Sirius é lindo e o James... sem comments, tenho namorado. Para de confessar Lily.


- Eu sou responsável por trailers de filmes. – ela sorriu, fiquei impressionada, eu queria ter essa profissão, imagina! Minha segunda maior paixão depois da música é o cinema, amo muito filmes antigos.


- Eu amo filmes antigos, são minha paixão, depois da música, claro. – comentei sorrindo e... uou aquela lasanha vegetariana estava divina.


- A gente podia fazer uma sessão de filmes antigos. – sugeriu Anna, eu olhei para o Remus e sorri vitoriosa. – Poderia ser nesse final de semana!


- Mãe, nesse final de semana o meu pai nos convidou para jantar. - Como eu queria matar esse garoto.


- Não, tudo bem, até porque eu iria estar me concentrando para o torneio de Tae kwon do. – Eu sorri amigável, Anna assentiu. – Mas pode ser no outro, sem problemas.


- Claro! – dessa vez meu pai concordou, ele nem ficou incomodado com o fato dela ter que jantar com o ex, vai ver ele já sabia.


- Você luta Tae kwon do? – pediu Sirius, com um sorriso meio estranho.


- Sim, desde quando eu tinha seis anos e posso dizer que eu sou boa. – respondi sorrindo, encarei o Remus, ele parou de sorrir na hora. Adoro colocar medo nas pessoas.


- O Leeland, seu namorado, também luta? – QUE DIABOS. Só ouvi os talheres caindo na mesa, encarei o Remus, ele sorria como um abobado. Meu pai me olhou assustado eu respirei fundo.


- Como você sabe que eu tenho namorado e não namorada? Na escola vocês me chamam de LL, não? – ele queria brincar com o fogo? Ele ia se queimar. E não eu não estou fazendo uma analogia ao meu cabelo. – LL, Lily Lésbica, não?


- Remus John Lupin! – Anna exclamou furiosa, meu pai se levantou e coçou a cabeça.


- Acho melhor nós irmos... – Eu segui o exemplo do meu pai, assim como Petúnia, James e Sirius. Não podia sorrir agora, mas me sentia tão bem. – Querem uma carona garotos?


- Claro, seria ótimo. – concordou James, eu suspirei. – Tchau Anna, a janta estava ótima.


- Muito obrigado! – agradeceu Sirius, os dois deram um abraço na Anna e foram saindo. Eu abracei Anna e agradeci, olhei para o Remus e acenei com a cabeça, sorrindo.


Meu pai ficou um pouco mais, não demorou cinco minutos para ele aparecer. Petúnia se aproveitou e foi na frente no carro, legal, eu ia sentar atrás com os dois patetas. Suspirei pesado, meu pai abriu o carro, James sentou do meu lado, ou seja no meio.


- Lily, que história é essa de namoro? – meu pai quis saber, assim que entrou no carro. James me olhou e fez uma cara meio estranha. Suspirei fundo de novo e coloquei meu melhor sorriso no rosto.


- É recente pai, eu ia contar pra vocês depois do torneio, sabe, não quero distrações até lá. – grande mentira, eu não ia contar pra eles, merda, mas fazer o que.


- Quem é o rapaz? – ele pediu, o rosto dele ainda não amenizou.


- O Lee pai, você o conhece, até elogiou ele um dia. – eu disse. – Eu posso convidar ele pra jantar lá em casa depois do torneio.


- Primeiro: eu elogiei ele porque eu pensava que ele era SÓ amigo e segundo: convida ele para jantar na quarta, eu vou estar livre. – Finalmente ele sorriu, James e Sirius me olharam assustados, eu simplesmente sorri encolhendo os ombros. – Onde vocês moram garotos?


- No final dessa quadra você pode virar a direita e depois de três quadras a direita de novo. – James respondeu meu pai, estranho.


- E o Sirius? – meu pai pediu.


- Ah, eu moro com o James. – o Sirius respondeu, mais estranho ainda.


- Interessante. – eu murmurei, percebi então que Petúnia escolheu Katy Perry, Firework, bem, eu gosto até dessa cantora, não sou cem por cento rock and roll, curto a diva Madonna e Lady Gaga, por exemplo. Nós deixamos os garotos em casa, tinha muito o que refletir. Com certeza o Remus está planejando agora como acabar com a relação do meu pai e Anna. Garoto egoísta e ainda por cima falou do Lee. Que coisa chata, amanhã eu teria que conversar com o meu namorado e ainda por cima teria que convidá-lo para uma janta com a família. Merda, isso não era pra acontecer, mas já que aconteceu, vou aproveitar.


 


__________________________


 


Nota da Autora:


Fala galeraa! Sim, eu já resolvi postar, porque bem, eu já tenho esse capítulo pronto há tempos! Sim, não vai ter prólogo essa fic e ela não vai ser muuuuito comprida, no máximo sete capítulos, eu ACHO. A fic não foi inspirada totaalmente na música stupid girls mas o título é um jeito de mostrar que a Lily é diferente! Espero que tenham gostado!


Cecília Potter. : ohhhhn tu foi a primeira comentar! brigada ciça! mesmo mesmo, eu amo seus comentários!!Eu que to louca pra que seu computador seja consertado! To louca pelas suas fics! Elas também tem um poder sobre mim! *-* Brigada mesmo ciça! Espero que tu goste dessa nova fic!


Carolina Sponchiado: ohhn, espero que goste!!


Suria Colombi: espero que tu goste e sim a frase do Sirius é a melhor, eu acho, depois da do Remus HIUSHAIUSA


MMck: ok, nem preciso dizer que amo os teu comentários e responder eles! HUAIHAUISHA Sério, sou super fã de tu escrever uma fic com a música U + Ur hand, eu ia super ler e amar! Tu sabe como eu amo tuas fics! AUIHEIUAHEIUA Cara, eu tenho uma lista do que fazer antes dos trinta anos, eu já to quase na metade da lista, espero conseguir completar. Mas confesso que ser presa não vai ser tão bom, já que eu quero ser advogada HIUSAHUIHIUSHAIU e criminal ainda por cima. Mas acredite, eu vou fazer a lok! E eu já fiz, aproveitei meus dois últimos anos mais do que nunca, aprontei caaaaada uma! e cara, a Scarlett Johansson é DIVA, e uma loira magnífica! E tem também a Meryl Streep toda poderosa loira no filme Mamma mia que eu amoooooooo demais HSIAHSIUA mas de novo, nada contra as loiras aiudhaiuhsiauhsuiasa Espero meesmo que tu goste dessa fic, fale a verdade *-* bejooookkks


Nina H. : Sério, estou honrada pelos teu comentários, tipo, a diva aqui é tu! HAHA sério, amo tuas fics! Pois é, eu não controlo muito os meus 'tu' na fic! Acho muuito estranho quando escrevo 'você' shaiushuiahsuai e sim, eu juro que vou me controlar nos números de fics pra dar conta!! Sério amei a tua fic Two is better than one, muuuito linda! Me apaixonei pelo jeito que tu escreve *-* Brigada meesmo por comentar! Bejoookkks


Gabriela Machado: Postei logo! Gostou? *-*


 


Bom, gente, eu espero mesmo que tenham gostado da fic! Recomendo minhas outras fics também HAHA


Beijokkks, dominique.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.