FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

33. Acerto de Contas


Fic: Harry Potter e o Segredo dos Black


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

- CAPÍTULO TRINTA E TRÊS –Acerto de Contas


Harry começou a escutar murmúrios... a consciência começou a voltar. Lentamente, e juntando toda a força que conseguiu, abriu os olhos. Ao seu lado, Gina estava deitada, com a testa ensangüentada, a perna arranhada – e as costelas quebradas.

Depois, estava Rony, com o ombro e o joelho em ângulos estranhos. A pele do amigo estava cheia de arranhões. Harry ouviu:

- Não se preocupe, Rony só deslocou o ombro e o joelho. – era Squall, que trazia o corpo de Anna. A bruxa estava com marcas roxas no corpo todo, arranhões e com a perna esquerda cheia de sangue. – E Anna... – continuou Squall, tristemente – só está desmaiada. Fique tranqüilo.

O bruxo levantou-se e foi até as únicas pessoas que ainda estavam em condições: Gween, com alguns arranhões e hematomas pelo corpo, e Hermione, nas mesmas condições.

A uns três metros de Gween estavam todos os comensais, amarrados fortemente, amordaçados e alguns desmaiados. Belatriz e Malfoy eram os únicos conscientes. Squall foi até Gween, cochichou alguma coisa para a bruxa. Ela acenou com a cabeça, e então Squall foi até onde estavam os comensais. Desamarrou Malfoy, e com um feitiço, levou-o até outro canto da ilha onde ficava Azkaban. E então Squall fez algo que deixou Harry de queixo caído: entregou a varinha a Malfoy.

Rapidamente o garoto levantou-se e foi até Gween.

- Professora, olhe para Squall, ele... – mas então notou que o bruxo estava duelando furiosamente com Malfoy.

- Não se preocupe Harry... é só o nosso acerto de contas. – disse Gween, sorrindo.

Harry então foi até Hermione:

- Tudo bem?

- Tudo, Harry. E você? Fiquei preocupada! – disse a bruxa.

- Tudo OK. – disse ele, sorrindo.

E então voltaram a atenção à Gween.

- E então, Bela, tudo bem? – disse Gween.

- Ótimo, sua indigna.

- Tome cuidado, titia, agora é você que está em desvantagem.

- Você que pensa! Logo o Lord das Trevas chegará e nos tirará daqui.

- Oh, que profético! Você podia ser vidente, sabia? – disse Gween, irônica.

- A ironia sempre foi uma característica irritante em você.

- Obrigado pelo elogio, titia. – respondeu Gween, dando um sorriso de deboche.

- Titia? Não ouse me chamar assim, bastarda! – respondeu ela.

O sorriso fugiu da boca de Gween. Belatriz sorriu ao ver que atingira o ponto fraco de Gween. O que ela não sabia é que não era este o ponto fraco.

- Não serei covarde como você. – disse Gween. A bruxa soltou as cordas de Belatriz e continuou – Te darei a varinha. Mas faremos um duelo como adultos, OK? Ah, claro... – Gween então pegou as varinhas dos outros comensais colocou-as em um pote. – Este pote é auto-repelente. Se auto-destruirá no momento em que alguém lançar um feitiço sobre ele. O mesmo acontecerá com as cordas... se tentar soltar teus amigos, eles morrerão.

- Ah, é? Querida, eu sei legilimência. Deixe sua ingenuidade lado e veja que já perdeu.

- Ora, mas eu também sei. E oclumência também. Você não descobrirá meu segredo tão cedo... – Gween jogou a varinha para Belatriz.

As duas se cumprimentaram e começaram o duelo.

- Avada... – começou Belatriz.

- Protego! – disse Gween.

O duelo entre as duas bruxas seguia furiosamente, e a concentração das duas era inabalável. Nem mesmo os jatos errantes de Malfoy e Squall eram capazes de desconcentrá-las.

Toda a vez que Belatriz erguia a varinha, Harry sentia um frio na barriga. Não queria que Gween morresse também. Depois de uma árdua batalha, Gween finalmente conseguiu imobilizar Belatriz.

- Você terá o mesmo destino de seu tio imundo, Gween! – disse Belatriz. – E daqueles amigos deles... Potter e Evans... mereceram o que receberam... burros, incompetentes... traidores da raça, ralé, escória... traidores do sangue, vergonha do mundo mágico, e... – Belatriz caiu no chão no exato momento em que Gween gritara “Crucio!”.

Hermione não podia acreditar no que estava vendo. Sua professora, tão admirada, tão... usando uma maldição imperdoável! Não podia ser, não podia! Squall foi até eles.

- Cadê o Malfoy? – perguntou Harry, que não estava nem um pouco impressionado com a cena que acabara de presenciar.

- Preso... e varinha dele eu quebrei e joguei no mar... – respondeu Squall com um sorriso sinistro. – E não se preocupe, Hermione, Gween sabe o que está fazendo. Ela tem muito mais motivos do que você pensa.

Gween deixou Belatriz sob o efeito do feitiço por pelo menos vinte minutos. Depois levantou a varinha e disse, tremendo de raiva:

- Já enlouqueceu? Vejo que estou vingando os Longbotton também. Agora, Bela, aprenda como se dirigir às pessoas superiores a você.

Belatriz olhou-a com raiva. Com um feitiço, a varinha voou das mãos dela e ela foi presa novamente.

De repente, eles ouviram uma voz vinda das sombras dizer:

- Srta. Gween, acho que este feitiço não foi digno de você. – Dumbledore vinha caminhando pela ilha. Mas ele não estava bravo, como Harry logo viu. Pelo contrário, trazia um sorriso no rosto. – Mas acho que teve seus motivos... Por favor, cuide destes comensais e depois vá até a minha sala. Squall, creio que posso contar com você para ajudar Gween.

- Com certeza. – disse Squall.

- Então... ajudem-me a levar os doentes de volta à Hogwarts. – disse Dumbledore. Ele pegou uma pedra, e depois de murmurar “Portus!”, disse: - Harry, Hermione, vocês vêm comigo. Gween, Squall, ajudem-me com estes aqui.

Gween pegou Gina, Squall pegou Anna e Dumbledore pegou Rony. Levaram os três até a chave de portal.

- Quando eu disser agora, encostem suas mão aqui. – continuou Dumbledore. Squall ajeitou Anna perto da chave. Hermione e Dumbledore fizeram o mesmo. – Agora.

Então todos – menos Squall e Gween – foram transportados para a sala de Dumbledore. A profª. McGonagall já estava lá.

- Minerva, leve estes alunos e esta jovem para a ala hospitalar. Eles precisam de cuidados urgentes de Madame Pomfrey.

- Eles vão ficar bem? – perguntou Harry.

- Sim, Papoula cuidará deles. – respondeu Dumbledore. – E agora, Harry, temos uns assuntos a tratar...

(N/A: Pessoal, o prox cap jah tah quase pronto!! Tah fikndo bm legal... e aew, gostaram dest cap? Please, me digam nos comments... Tah? Dolu vocês, bjux! Bom, pessoal, please, comentem e votm, tah?! Bjaunzaum!!)

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.