FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Capítulo 3


Fic: Não Podia Ser Você


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Oi leitores! (isso é, se ainda existe alguém aqui xD)


Demorei mais um pouco para escrever o capítulo, mas tudo foi devido aquele ENEM desgraçado e aos vestibulares da vida... Espero que compreendam!


Mais um capítulo de Não Podia Ser Você, espero que curtam bastante!


Boa leitura!


***




BONANÇA E TEMPESTADE


 


             Dylan Stuborn acordou no sábado com um humor incrível, o mundo abria-se de uma forma completamente diferente para ela, uma forma diferentemente bela e encantadora. Sempre se sentia assim quando o assunto era quadribol, ficava completamente fora de si, era visivelmente viciada na adrenalina do esporte e o simples pensar em jogar mais tarde já fazia com que a loira perdesse o pouco juízo que tinha.


            Dylan chutou as cobertas e espreguiçou-se com um sorriso radiante nos lábios, as outras garotas ainda dormiam profundamente, olhou pela janela e viu que ainda era muito cedo, o sol mal havia nascido. A loira levantou-se silenciosamente e foi até o banheiro, onde tomou um banho e fez sua higiene matinal. De volta ao quarto, deu de cara com Lizzie deitada na cama com a cabeça apoiada em um dos braços e a encarando entediada, a morena bocejou e perguntou mal-humorada:


            - Será que você é tão vidrada em quadribol que perde a noção da hora quando fica ansiosa para jogar?


            - Minha querida Elizabeth, hoje nada que você disser será capaz de tirar o belo sorriso que eu tenho em meus lábios! – Dylan respondeu animada enquanto vestia a calça jeans e procurava uma blusa em meio a bagunça em que se transformara seu armário naquela primeira semana de aula. Lizzie bufou impaciente e colocou o travesseiro no rosto, virando-se novamente para dormir. Dylan calçou os tênis e preparou-se para sair do dormitório quando ouviu Lizzie perguntar sonolenta:


            - Aonde você vai?


            - Verificar se o café já saiu, caso não, vou até o campo arremessar um pouco! – Dylan respondeu apanhando sua goles e sua vassoura debaixo da cama, Lizzie tirou o travesseiro do rosto e a encarou com uma expressão contrariada. A morena levantou-se da cama e preparou-se para ir ao banheiro, Dylan surpresa disse:


            - Eu não pedi para você vir comigo!


            - Nem quero ir com você, acontece que precisamos conversar seriamente e isso que me obrigou a levantar, não te acompanhar! – Lizzie respondeu irritadiça enquanto praticamente passava por cima de Dylan em direção ao banheiro. A loira deu de ombros inocentemente, sabia muito bem que dessa vez não fizera nada e não precisava temer as reações exageradas da amiga, saiu do dormitório e desceu as escadas rapidamente. Sentou-se em uma das poltronas próximas a lareira e contemplou as poucas brasas que ainda restavam ali com um sorriso sincero nos lábios e que a deixava mais bonita ainda.


            A loira não conseguia conter-se de tanta alegria que carregava dentro de si, desde a noite de ontem que a sua cabeça estava a mil e ela só conseguia pensar em duas coisas: Gina Weasley e quadribol. A ruiva parecera finalmente ter baixado a guarda e ter procurado entendê-la e Dylan começava a julgar que talvez, Lizzie tivesse mesmo razão ao comentar que ela estava gostando da ruivinha. Nesse instante, quando esse pensamento passou por sua cabeça, Dylan mordeu o lábio inferior visivelmente nervosa e preocupada, não queria se apaixonar novamente e muito menos, quebrar a cara de novo.


            Seus pensamentos foram interrompidos por passos vindos da escada, Dylan levantou-se rapidamente e virou-se para falar com Lizzie, mas calou-se no mesmo instante, pois não era Elizabeth Lively que a esperava ao pé da escada. Gina Weasley aproximou-se com um carinha de sono e um sorriso cansado na face, em seguida, cumprimentou visivelmente sonolenta:


            - Bom dia Stuborn!


            - Bom dia, você pode me chamar de Dylan se quiser! – A loira respondeu brincalhona enquanto observava Gina sorrir e jogar-se na poltrona ao seu lado. Dylan ficou observando-a por alguns instantes, mesmo pela manhã, Gina conseguia ser extremamente bela e estava completamente hipnotizada por todas as atitudes da ruiva. A loira notou que Gina ainda bocejava e perguntou:


            - Você parece cansada, por que acordou agora?


            - Preciso fazer um trabalho de Astronomia e quanto antes eu começar, melhor. – Gina respondeu enquanto observava as brasas com um olhar perdido, Dylan deu uma gargalhada fazendo Gina virar-se para ela completamente confusa. A ruiva fez uma careta de desagrado e perguntou:


            - O que foi?


            - Nada Weasley, só achei que você não fizesse o tipo de garota nerd! – Dylan respondera com um sorrisinho irônico, Gina bufou impaciente e em seguida deu um sorriso mais ameno. A ruiva levantou-se e apanhou o material que estava em cima de uma das mesas dizendo:


            - Mas não sou esse tipo, acontece que ano passado eu quase levei bomba e resolvi estudar um pouco mais esse ano.


            - Levar bomba em Astronomia é para fracos Weasley, sorte a sua que eu estou aqui! – Dylan respondera com o tom dividido entre a ironia e a sinceridade, a ruiva voltou a se sentar na poltrona com uma expressão questionadora. Gina puxou o livro de dentro da bolsa e falou sarcástica:


            - E o que a sua presença tem a ver com a minha sorte? Ah não ser o fato de que eu costumo relacionar a sua presença a um azar comparado ao gato preto na esquina e a passar por debaixo de uma escada...


            - Muito simpática Weasley, mas realmente é muita sorte sua me ter aqui nesta manhã linda de sábado. Digamos que Astronomia é um dos meus fortes além do quadribol! – Dylan respondera visivelmente desconcertada com a brincadeira de Gina, não queria que a ruiva relacionasse a sua presença a coisas daquele nível e sim, a coisas boas. A ruiva arqueou a sobrancelha, visivelmente desconfiada e questionou:


            - E como é que você sabe Astronomia Stuborn? Você mal sabe como fazer uma poção do esquecimento...


            - Estou começando a me arrepender por ter oferecido ajuda! – Dylan respondera mal-humorada enquanto encarava a ruiva com um olhar perfurante e desgostoso, Gina deu uma gargalhada e com um sorriso meigo nos lábios que derreteu toda o aparente desagrado da loira, respondeu:


            - Mas você não me ofereceu ajuda Stuborn, aliás, eu pagaria para ver você me oferecendo ajuda em algum momento.


            - Fique sabendo que eu não sou tão cretina assim Weasley, estou oferecendo minha ajuda agora, não percebeu? – Stuborn respondera com a voz amarga depois do súbito efeito que o sorriso de Gina provocara em si, a ruiva deu um sorriso encantador e sentou-se no chão, batendo no local ao seu lado em um pedido mudo para que Dylan sentasse ao seu lado. A loira respondeu prontamente e sentou-se ao lado de Gina, puxando o pergaminho e o livro da outra, iniciando a leitura do trabalho com afinco.


            Enquanto observava o texto do trabalho, Gina não conseguia absorver nada. O perfume de rosas de Dylan estava começando a deixá-la tonta, a ruiva levantou os olhos e pegou-se observando os lábios da outra com desejo, imaginando se ela beijaria bem ou se seria comprometida com alguém de Durmstrang... Caiu em si quando esses dois últimos pensamentos preencheram sua mente, não podia estar sentindo-se atraída por uma garota, ainda mais por Dylan Stuborn! Quer dizer, não que Dylan não merecesse sua atenção, mas ela era uma garota e Gina Weasley não se sentia atraída por garotas. A ruiva balançou a cabeça e fechou os olhos tentando esquecer todo o turbilhão de pensamentos que povoara a sua mente há pouco.


            - Hey Weasley, você me ouviu? – Dylan perguntou preocupada enquanto encarava Gina, a ruiva piscou várias vezes enquanto entrava em foco e sibilou:


            - Desculpa, estava viajando.


            - Realmente... O fantástico mundo de Gina estava muito mais divertido que meu falatório não é? De qualquer forma, estava comentando que o trabalho é complicado, não são poucas constelações que você vai ter que desenhar e nomear... – Dylan continuara tranquilamente enquanto apanhava o livro e procurava avidamente por algo. Gina bufou impaciente, irritada não com Dylan, mas com o que estava acontecendo dentro de si, em seguida, respondeu:


            - Eu sei, mas não quero desenhar todas as constelações do hemisfério norte!


            - Mas vai ter que desenhar, vamos começar com Andrômeda... – Dylan disse com um sorriso no rosto enquanto apanhava a pena e desenhava habilmente no pergaminho, Gina aproximou-se e viu o que para ela aparentava ser um simples traço no pergaminho. A ruiva deu um sorrisinho irônico e falou:


            - Não estou vendo Andrômeda nenhuma aí, só um risco.


            - Mas a graça da Astronomia está em imaginar os desenhos! Cada constelação tem uma história e cabe a você descobrir senão, a matéria vai se tornar chata mesmo! – Dylan respondeu repleta de entusiasmo e Gina não pode deixar de achar aquilo engraçado, quem a vira jogando ontem com certeza não imaginaria que a mesma Dylan Stuborn agressiva do campo de quadribol era apaixonada por Astronomia. Gina abraçou as próprias pernas e encostou o rosto no joelho, virou-se para Dylan e perguntou interessada:


            - E qual é a história de Andrômeda?


            - Bem, é um pouco sombria, na realidade. Ela foi acorrentada a um rochedo na costa da Etiópia pelo deus Poseidon, pois sua mãe, Cassiopeia, dizia que ela era mais bela que as nereidas que acompanhavam o deus... – Dylan respondera prontamente enquanto continuava a trabalhar no desenho com afinco, Gina continuava a observar totalmente hipnotizada, a ruiva queria saber mais e pior, queria ouvir mais daquela estranha paixão de Dylan. Por isso, a ruiva perguntou curiosa:


            - Só isso? Esse é o final?


            - Claro que não, por ser mitologia, sempre tem um final feliz. Ela foi salva pelo Perseu, aquele que cortou a cabeça da medusa e tudo mais... Casaram-se e tiveram seis filhos. Um final careta se quer saber minha opinião! – Dylan disse entre risadas enquanto parecia escrever algo no desenho que fazia, Gina acompanhou-a na deixa e ambas foram interrompidas ao ouvirem passos na escada.


            Levantaram-se e deram de cara com Lizzie, a morena estava de cara fechada e com os braços cruzados, visivelmente descontente com o que acabara de presenciar. Lizzie tentou dar um sorriso que se transformou em careta, em seguida, disse bom dia as duas e perguntou mais calma para Dylan:


            - Você me acompanha?


            - Claro, espera só um minutinho. – Dylan disse tranquilamente e em seguida, virou-se para Gina que observava a cena confusa e sem entender a súbita mudança de atitude de Lizzie que sempre a tratara bem, inclusive melhor que a própria Dylan. A loira virou-se para ela e deu um sorriso que parecia ser um pedido de desculpas mudo, em seguida, lamentou:


            - Tenho que ir Weasley e a propósito, continue a fazer o trabalho, creio que vai acabar gostando.


            - Duvido muito, mas obrigada de qualquer forma. – Gina agradeceu com um olhar sincero que foi muito bem recebido por Dylan, a loira entregou-lhe o pergaminho e foi juntar-se a amiga que esperava impacientemente. Gina que não era nada burra, notou quando Lizzie empurrou Dylan porta a fora quando a loira ameaçou virar-se para dar um aceno e temeu que tivesse criado problemas para a loira. Mas afinal, por que Lizzie mudara tanto?


            Gina virou o pergaminho e observou o que Dylan tinha feito. Para sua surpresa, era um desenho perfeito de uma mulher acorrentada a um rochedo feito a partir dos traços rudimentares que representavam a constelação no céu, no cantinho do pergaminho, Gina leu a seguinte frase: “Não faça seus os trabalhos dessa forma, é muito cansativo. Eu sempre me empolgo quando falo das estrelas... Bom trabalho!” Não pode deixar de rir, no fim das contas, Dylan Stuborn parecia ser mais sensível do que aparentava.


            A ruiva apanhou o livro e o pergaminho do chão, sentindo o perfume de rosas invadindo seu olfato novamente. Foi como se flutuasse a um local onde tudo parecia ser perfeito, era piegas, mas estava começando a temer o que sentia e a grandeza que ele aparentava ter. Em tão pouco tempo, Dylan estava mudando sua cabeça e até mesmo, domando o seu gênio difícil, coisa que nem mesmo Harry conseguira em dois anos de namoro... E isso a assustava.


 


            - O que você pensa que está fazendo com a Weasley? – Lizzie perguntou indignada enquanto caminhava com o nariz empinado pelo corredor, ela estava furiosa e os passos estavam cada vez mais rápidos. Dylan formou um ponto de interrogação na testa, realmente não sabia e nem imaginava porque Lizzie estava quase tendo um filho naquele momento de tão nervosa que estava. As duas desceram um lance de escadas correndo enquanto Dylan perguntava:


            - Eu é que pergunto! O que você pensa que está fazendo Lizzie? Pra que toda essa raiva?


            Lizzie estacou em frente a Dylan, quase derrubando a loira nos últimos degraus. A morena respirou fundo várias vezes e quando julgou estar calma o bastante, apontou o dedo para a face de Dylan e disse friamente:


            - Chega de gracinhas Stuborn! Eu perguntei primeiro!


            - Eu não estou de gracinhas Lizzie, só estou tentando entender o motivo desse seu ataque! Eu não estou fazendo nada demais, estou? – Dylan respondeu incisiva enquanto encarava os olhos da amiga com cólera. Lizzie afastou-se visivelmente espantada com a atitude de Dylan, as duas estavam realmente falando sério e tendo uma discussão como há tempo muito não tinham.


            A amizade que nutriam era baseada sempre em risadas, carinho e acima de tudo, confiança mútua. Lizzie sabia muito bem que Dylan era extremamente impulsiva e teimosa e a loira sabia muito bem que a morena sempre se importava mais com os outros do que com ela mesma. Mesmo sabendo disso tudo, ali estavam as duas tendo uma discussão que talvez nunca antes tiveram. As faces estavam concentradas e nutriam raiva e confusão, os olhos semicerrados não desviavam o foco e as respirações estavam ofegantes. Tudo isso por causa de Gina Weasley.


            - Eu não vou dizer o que você está fazendo Dylan, você sabe muito bem o que faz e que isso, pode terminar muito mal, principalmente para você! – Lizzie respondeu mais calma, já respirando quase que normalmente enquanto abaixava a cabeça desanimada. A morena não gostava de discutir com Dylan, ela era sua única família e seu porto seguro em todos os momentos, não saberia viver sem a amiga. Dylan deu um muxoxo e encarou o teto visivelmente contrariada, em seguida, disse:


            - E por que não dar uma chance Lizzie? Você mesma disse que eu não sou tão desprezível para ela, não custa nada tentar!


            - Claro que custa! Pode custar seu coração Dylan! Será que você não entende o meu lado também? – Lizzie questionou com as lágrimas chegando aos olhos rapidamente, Dylan ficou passiva, sem saber o que pensar ou em como agir diante daquela súbita atitude desesperada da amiga. Mas mesmo estando com o coração quase partindo diante da cena, a loira retrucou:


            - Pois como você mesma disse Lizzie, é o MEU coração e eu me responsabilizo por ele muito bem!


- Ah claro, quem sou eu pra te falar alguma coisa não é? – Lizzie falou indignada enquanto encarava a amiga com lágrimas nos olhos, Dylan ficou sem entender a reação da outra que a olhava com um misto de preocupação e fúria. A loira se aproximou para abraçar a amiga, mas esta se afastou limpando as lágrimas com dificuldade. Lizzie respirou fundo e abrandou um pouco a expressão, em seguida, disse:


- Eu não te entendo Lizzie e estou cansada de tentar entender.


- A única coisa que você não entende Dylan, é quem realmente gosta de você e quem está querendo te proteger! É isso que você não entende! – Lizzie disse em tom melancólico, querendo dar a conversa como encerrada e retomando seu caminho pelo corredor que se estendia frente à escada. Dylan a apanhou pelo pulso e mesmo diante da luta da amiga, não a soltou, a morena voltou a encarar com indignação enquanto ouvia a outra falar:


- E se ela gostar de mim? Eu não vou deixar essa chance passar, eu estou com medo de sofrer? Sim! Mas não vai ser esse medo que vai me impedir de ao menos tentar!


- Ah claro, mas e se a ruiva for alguém parecido com a Christine? O que você vai fazer? Vai se apaixonar novamente, ficar totalmente fora de si, fazer coisas terríveis e depois terminar sozinha! – Lizzie disse com um tom que beirava a ironia e a seriedade, Dylan a soltou completamente estupefata diante das palavras da amiga. Ambas prometeram que nunca mais voltariam a falar de Christine seriamente, era uma relação que Dylan procurava esquecer. A loira bufou impaciente e disse:


- Você não tinha o direito de falar isso.


- E você não tem o direito de me fazer ficar tão transtornada e tão preocupada com você! – Lizzie disse com a voz amena, respirando normalmente e procurando encerrar a briga. A morena odiava brigar com Dylan porque ao mesmo tempo que tinham gostos tão diferentes, eram tão parecidas que ela tinha certeza de como a loira estava sentindo-se nesse momento: completamente melancólica e triste. Lizzie deu um sorriso amigável e abriu os braços, em um pedido mudo para que Dylan a abraçasse. A loira obedeceu e disse com a voz embargada:


- Nunca mais me diga isso, tudo bem?


- Então comece a pensar nas coisas que eu te falo, acredite, se eu não quisesse o seu bem, eu não estaria do seu lado até hoje... – Lizzie repreendeu com um sorriso enquanto afagava os cabelos da amiga e encarava o corredor, Dylan nem imaginava no que estava se metendo. Dava para ver nas ações dela, nos olhos dela e principalmente, na enorme mudança de comportamento que ela estava perdidamente apaixonada pela inalcançável Gina Weasley.


            E como Lizzie sabia disso? Sabia por que estava perdendo-se no mesmo caminho que a amiga.


 


***


 


            Gina ficara estranhamente mexida enquanto observara Dylan sair da sala comunal ao lado da amiga. Lizzie parecia tão diferente e tão brava com a loira e rapidamente, a ruiva concluiria que toda aquela fúria fora justamente por encontrá-las sozinhas na sala àquela hora da manhã. Mas o que Lizzie poderia ter contra ela? Parecera ser tão amigável quando se esbarraram na plataforma, inclusive, mais amigável que a própria Dylan por sinal.


            A ruiva ficou na sala comunal terminando o trabalho e tendo suas indagações como companhia, precisava terminar aquele trabalho antes do almoço, sabia que não ia conseguir terminá-lo depois do jogo, ainda mais se vencessem a Sonserina. Gina começara a achar o trabalho extremamente chato agora que Dylan não estava ao seu lado, na realidade, a ruiva estava começando a gostar da companhia da outra.


            Nunca vira Dylan daquela forma, quando se tratava de quadribol, a loira parecia ser tão egocêntrica e agora, diante das estrelas, ela quase parecia outra pessoa. Gina não pode deixar de sorrir quando apanhou o desenho que Dylan fizera de Andrômeda, ela desenhava muito bem, ficou alguns minutos contemplando o desenho até que uma voz masculina interrompeu seus pensamentos.


            - Bom dia amor! – Harry dissera animado enquanto descia as escadas correndo e preparava-se para sentar-se ao lado da namorada no chão, a ruiva escondeu o desenho rapidamente, pois algo lhe dizia que o moreno não ficaria muito contente em saber que Dylan Stuborn estivera ali antes dele. O rapaz deu-lhe um beijo de bom dia que não foi bem retribuído, a ruiva plantou o melhor de seus sorrisos na face e perguntou:


            - Dormiu bem?


            - Um pouco nervoso pelo jogo de hoje, mas estou bem. – Harry respondera fechando uma expressão confusa, enquanto tentava entender o porquê da namorada estar tão diferente com ele. Rapidamente, a imagem de Dylan viera à cabeça do rapaz e ele ficou ainda mais com raiva. Aquela “aprendiz de sonserina” estava tirando as coisas do eixo, Gina mudara com ele e parecia que ele estava perdendo sua posição de capitão.


            - Nervoso por quê? É só um amistoso Harry, podemos perder tranquilamente... Vamos jogar para nos adaptarmos a Dylan e ao jogo dela. – Gina respondeu calmamente enquanto guardava o material e escondia o desenho de Dylan entre os muitos pergaminhos dentro do livro de Astronomia. Harry olhou zangado para a namorada sem entender o que ela quisera dizer com aquilo, tudo envolvia Dylan nos últimos dias, o rapaz pigarreou e disse incomodado:


            - Eu não suporto perder para Sonserina, você sabe muito bem disso.


            - Claro que eu sei, mas temos que ser racionais também! Temos uma excelente jogadora recém-chegada no time, eu vou ter que me adaptar a jogar com ela. Assim como Rony e os batedores! – Gina justificou rapidamente, estava começando a perceber que Dylan povoara todas as suas últimas conversas com Harry. O moreno também percebera isso e agora estava emburrado, lançou um olhar irônico para a namorada e disse ácido:


            - Tudo em que falamos agora é na Dylan... Temos que nos adaptar a ela? Não seria ela que deveria se adaptar ao nosso jogo?


            - Você não entende Harry. É complicado jogar com um artilheiro novo no time, ainda mais quando é um jogador tão completo como a Dylan, você a viu nos treinos, ela joga demais. – Gina justificou completamente impressionada diante da agressividade de Harry, o rapaz arqueou a sobrancelha e ainda detinha um sorriso sarcástico nos lábios, aquela atitude dele estava irritando Gina profundamente. O rapaz respondeu:


            - Eu só sei que eu não vou ficar baixando a cabeça para o egocentrismo dela, sinto muito.


            - Egocentrismo Harry? Você não viu que ela elogiou o Rony por ter pegado aquela arremesso dificílimo? – Gina questionou indignada enquanto observava o namorado se acabar de rir. Harry respirou fundo e respondeu ainda rindo:


            - Elogiar? Ela só fez aquilo porque ela mesma errou o arremesso! Elogiou o Rony para não assumir o erro que cometeu!


            - Realmente, você não confia no Rony! Será que é difícil aceitar que ele tornou-se um excelente goleiro? E outra, eu não vejo o porquê de tanta cisma com Dylan, ela até nos deixou em paz! – Gina justificou e dessa vez, estava completamente furiosa, seu rosto estava vermelho de raiva e sua expressão estava explosiva. Implicar com Dylan a primeira vista era normal, ela viera de Durmstrang, mas agora? Estava conhecendo-a melhor e percebendo que a interpretaram erroneamente. Harry aproximou da namorada, sério e frio. O rapaz olhou fundo nos olhos da namorada e questionou:


            - E eu te faço uma pergunta tão complexa como a que você me fez: por que resolveu defender a Stuborn? O que aconteceu entre vocês pra você estar tão amiguinha dela hoje?


            “Aconteceu que ela me mostrou ser uma pessoa completamente diferente do que você um dia será”. Esse pensamento ecoou na mente da ruiva, mas ela não ousou proferi-lo em voz alta, em vez disso, deu as costas ao namorado e disse:


            - Não vou me desgastar com você, vou tomar café!


            Saiu rapidamente da sala comunal deixando um Harry furioso, o rapaz andou várias vezes de um lado para o outro convencido de que Gina estava sendo manipulada por Dylan. Será que só ele percebera como Dylan era egocêntrica e individualista? O rapaz sentou-se na poltrona em frente à lareira, passando a mão pelos cabelos e sendo povoado por pensamentos terríveis a respeito da amizade de Dylan e Gina que poderia colocar fim ao seu namoro. Mas não ia deixar que uma qualquer destruísse o que ele e Gina tinham criado em dois anos, passos foram ouvidos na escada, um Rony saltitante aterrissou na sala e disse radiante:


            - Bom dia! Lindo dia para quadribol, não é?


            - Rony, me poupe do seu ânimo, por favor! – Harry respondeu irritadiço enquanto encarava a lareira com fúria. Rony aproximou-se completamente chateado com o ânimo do melhor amigo, deu um sorrisinho e disse:


            - Você não vai conseguir tacar fogo na lareira com esse olhar, desista!


            - Eu nem vou te responder! – Harry respondeu frio enquanto deixava a sala, Rony encarou o amigo confuso e logo após, Hermione desceu as escadas elegantemente. O ruivo deu bom dia a amiga e perguntou:


            - Qual a probabilidade de homens terem TPM?


            - Nenhuma Rony, pelo amor de Merlin não é! – Hermione respondera indignada antes de empurrar o rapaz agressivamente para fora da sala e ambos irem tomar café.


 


***


 


            Harry irritou-se mais ainda quando chegou ao salão e foi recebido com os olhares fuziladores da equipe de quadribol Sonserina, ficou ainda mais explosivo quando notou que Gina não estava na mesa da Grifinória. Irritar-se-ia mais ainda se soubesse onde a namorada acabara de chegar e com quem estava.


            Ao saber que Dylan não tomara café, a ruiva decidira ir atrás dela no campo de quadribol e a encontrou dando uma série de arremessos. A loira movimentava-se elegantemente em cima da vassoura e qualquer movimento mais arriscado parecia ser muito fácil para ela. No momento, Dylan estava brincando de acertar os aros e pegar o rebote. A ruiva chegou à beira do campo e não conseguiu tirar os olhos dela, ao perceber que estava sendo observada, Dylan virou-se e deu um aceno, seguido de um belo sorriso. As pernas de Gina bambearam por alguns segundos e ela deu um sorriso tímido, em seguida, a outra desceu da vassoura e perguntou animada:


            - O que faz aqui ruiva?


            - Ahm, acabei de brigar com Harry. – Gina respondera rapidamente e logo se repreendeu, sem saber por que dissera aquilo, ainda mais a Dylan que tanto agourava o namoro dos dois. Dylan fez uma careta engraçada e visivelmente confusa, deu um sorriso encantador e perguntou novamente:


            - E o que isso tem a ver com o fato de você ter vindo aqui?


            - Na realidade não sei, acho que o fato de você ter me feito rir e ter me ajudado me fez vir aqui para ver se você poderia fazer de novo! – Gina respondera sorrindo e corando levemente, Dylan percebera o rubor da outra e deu um sorriso para os próprios pés. Era impressão ou algo muito especial estava surgindo entre elas? A loira jogou os cabelos e mexeu na franja, fazendo Gina suspirar silenciosamente e respondeu irônica:


            - Não sou nenhum bobo da corte para te fazer rir Weasley!


            - Ah achei que fosse, palhaçada é o seu forte! – Gina disse aproximando-se de Dylan com uma expressão sarcástica na face, a loira suspirou profundamente, exalando um hálito doce que embriagou Gina. Dylan encarou-a com determinação e um sorriso, a loira pigarreou e sibilou:


            - O Potter sequer imagina a mulher que você é, não sabe como te tratar também.


            Gina corou ferozmente, a ruiva ficou sem saber o que falar e um sorriso formou-se timidamente na sua face, ligeiramente desconfortável. As duas ouviram uma gritaria vinda do lado de fora e rapidamente se separaram, o time da Sonserina acabara de entrar no campo pensando em fazer um último treino antes do jogo. Draco Malfoy, ao ver as duas incomodadas, perguntou acidamente:


            - O que as duas fazem aqui?


            - Eu que deveria perguntar Malfoy, estava tão confiante ontem, veio treinar mais um pouco para ver se tem chance contra nós? – Dylan respondeu no mesmo tom, com um sorriso malvado na face. Os brutamontes sonserinos, incluindo Crabbe e Goyle mexeram-se incomodados e Malfoy assumira uma expressão de quem fora obrigado a comer algo do qual não gostara. Draco reassumira a expressão superior e ameaçou:


            - Se eu fosse você, tomava cuidado com as palavras Stuborn.


            - Ah é? O que você vai fazer? Vai mandar seus batedores jogarem todos os balaços em mim? Vai mandar seus artilheiros me derrubarem da vassoura? – Dylan questionou com o rosto ligeiramente furioso, o rapaz deu uma gargalhada ao perceber o efeito que a frase proporcionara em Dylan, Gina segurou o braço da outra delicadamente, pedindo para que ela ficasse calma. Draco respirou fundo, contendo o riso e disse ameaçador:


            - Pode ser ou pode não ser, eu mesmo posso me encarregar de derrubá-la da vassoura com um feitiço.


            - Pode mesmo Malfoy? Acha que essa sua Nimbus 2001 tem capacidade de enfrentar a minha Firebolt? Ou melhor, acha que você tem capacidade para me enfrentar? – Dylan sussurrou ironicamente, se aproximando do rapaz com aquele mesmo sorriso malvado. Malfoy engoliu em seco diante da ameaça da artilheira, Dylan respirou aliviada e convencida antes de dizer:


            - É, foi o que eu pensei.


            Então, ela e Gina saíram do campo com os egos inflados e deixando para trás os sonserinos que bufavam de raiva. A ruiva deu uma gargalhada contida ao notar que estavam longe dos sonserinos e disse:


            - Espero que vençamos, senão vamos ter que agüentá-los nos enchendo.


            - Ruiva, entenda uma coisa. Vocês me tem no time, garantia de vitória na certa... – Dylan disse dando uma piscadela cúmplice a outra, Gina deu uma gargalhada e empurrou Dylan em cima de uma árvore.


            As duas estavam bem, estavam se entendendo e Harry Potter sequer imaginava o que estava acontecendo entre elas.


 


            A manhã passou rapidamente e Dylan foi bombardeada pelos olhares furiosos de Harry Potter que parecia fazer questão de beijar Gina sempre que possível ao perceber que ela estava observando. A loira percebia o incômodo da ruiva e ria silenciosamente sentada ao lado de Lizzie que inexplicavelmente, ainda estava irritada.


            Logo depois do almoço, Harry chamou o time da Grifinória e levou todos ao campo de quadribol. Assim que entraram, o capitão começou:


            - A visibilidade está boa apesar do tempo nublado, o vento está fraco... Então vai dar para executarmos jogadas mais cadenciadas* entre as artilheiras.


            - Ahm, capitão? Se me permite, o time da Sonserina parece bem lento, poderíamos usar da velocidade contra eles. – Dylan disse com uma estranha vergonha na voz, Gina concordou silenciosamente com a loira, assim como Demelza. Harry lançou um olhar furioso para Dylan e não respondeu, só continuou:


            - Como estava dizendo, a visibilidade está excelente então, sem desculpas dessa vez. Inclusive você Rony que insiste em culpar o sol pelas bolas perdidas!


            O time ficara ligeiramente incomodado com a atitude autoritária do capitão, Gina revirou os olhos e bufou impaciente enquanto seguia Harry para o vestiário. O time trocou-se e Dylan sentiu-se bem no uniforme vermelho e dourado (mesmo após ter levado aquela de Harry). Olhou-se no espelho e deu um sorriso, em Durmstrang não tinham campeonatos, sequer tinham times e ela tinha que jogar praticamente sozinha todos os dias se quisesse manter o nível. Gina veio atrás dela e tinha um sorriso radiante nos lábios, olhou para a outra através do espelho e disse:


            - Harry está querendo todo o time reunido lá atrás.


            - Ele está meio irritado hoje, não é? – Dylan questionou enquanto calçava as luvas de couro e amarrava o cabelo, a loira apanhou a Firebolt e amarrou uma fita branca na altura do punho, Gina afirmou com a cabeça e em seguida, perguntou curiosa:


            - E essa fitinha aí?


            - Ah... Bem, não ria. Mas eu acho que essa fitinha me dá sorte, ganhei de uma pessoa especial. – Dylan respondera incomodada e coçando a cabeça, a ruiva entendera que Dylan não queria falar sobre aquilo, não naquele momento. Aproximou-se da fitinha e viu que ela estava bem desgastada, quem quer que tenha dado aquilo para Dylan era especial. A ruiva deu uma risadinha e disse:


            - Mas está bem velha não? Prometo te dar alguma coisa que dê sorte para você abrir mão disso.


            Dylan corou furiosamente e ficou sem saber o que falar, em seguida, corou ainda mais quando a ruiva apanhou sua mão e a puxou para onde Harry as esperava. O moreno lançou um olhar sério e disse:


            - Até que enfim as madames resolveram nos dar a honra de suas presenças.


            - Não temos culpa se você está mal humorado Potter! – Gina retrucou antes de sentar-se ao lado de Dylan e encarar o rapaz com tédio. Os outros integrantes do time ficaram atônitos com a cena e Rony conteve uma risadinha assim como Dylan. Harry arregalou os olhos, mas não respondeu, só começou a preleção dizendo:


            - Cadu e Jaquito, quero que mantenham Gina e Demelza protegidas... Não podemos perdê-las por causa da grande potência no ataque.


            - Legal gênio, mas e a Dylan? Vai deixá-la vulnerável mesmo? – Gina questionou indignada enquanto encarava Harry incrédula diante da falta de maturidade do rapaz. Tudo aquilo por causa de ciúmes, epa... Gina pensara em ciúmes? Mas Dylan não estava fazendo nada, ou estava?


            - Espero que ela faça jus à fama e consiga esquivar-se dos balaços. – Harry respondeu tranquilamente enquanto mantinha a luta de olhares com Gina, a ruiva bufou raivosa e cruzou os braços. Dylan estava cansada da imaturidade do Potter, não conseguia entender como alguém como ele era capitão. A loira respirou fundo e respondeu:


            - Tudo bem Potter, ao contrário de alguns, eu penso no time antes de pensar em mim mesma.


            Dylan percebeu que Harry acabara de conter um sorriso irônico. O rapaz não deu mais atenção a Gina e seu humor, quanto mais à expressão de revolta de Dylan e continuou:


            - Rony, quero que você observe o jogo antes de repor a bola e principalmente, feche o ângulo de arremesso dos artilheiros. Mas tome cuidado com Harper, você sabe muito bem que ele tem a mania de deslocar o corpo antes de arremessar. Quanto ao nosso ataque, sem força, apenas na habilidade. Na marcação, quero marcação individual, cada um pega o seu, o mesmo combinado do ano passado. Stuborn, você cuida de Vaisey.


            Pelos olhares aflitos que recebera, Dylan entendera perfeitamente que seu jogo ficaria anulado pela marcação que deveria destinar a Vaisey, com certeza, esse era o melhor artilheiro sonserino. Gina levantou a mão incomodada, a ruiva pigarreou e perguntou:


            - Acontece capitão que você sabe muito bem que a gente sai perdendo na marcação individual. Eles tem vassouras mais rápidas, deveríamos marcar por zona*.


            Harry calou-se e a sineta tocara avisando que os times deveriam estar prontos. O time da Grifinória preparou-se para entrar em campo, como os artilheiros entrariam quase que por último, Gina puxou Dylan e Demelza em um canto e disse:


            - Ignorem o que o Harry disse, a marcação é por zona e eu quero que ataquemos pelas laterais. Aproveite da velocidade da sua vassoura Dylan!


            As outras duas artilheiras acenaram afirmativamente e prepararam-se para entrar, Gina deu um último sorriso encorajador a Dylan que mesmo um pouco nervosa, retribuiu. Nesse momento, a voz da narradora do jogo pode ser ouvida:


            - E agora, o time vitorioso da Grifinória! Weasley, Cootes, Peakes, Weasley, Robbins, Stuborn e… Potter!


            Sete borrões vermelhos entraram em alta velocidade no estádio, sob os aplausos e gritos da apaixonada torcida vermelha-ouro da Grifinória. Rapidamente, Dylan sentiu aquela já conhecida adrenalina preenchê-la por inteiro. A loira não conteve um sorriso encantado enquanto observava o estádio que estava cheio, pode reconhecer alguns rostos das outras casas, mas a maioria era sonserina ou grifinória. A narradora, Luna Lovegood, disse animada pelo amplificador de voz:


            - Lembrando que Grifinória tem uma surpresinha nesse amistoso. Dylan Stuborn, comprovando todas as expectativas, conseguiu passar nos testes e é a nova artilheira grifinória. Stuborn tem um excelente currículo que inclui uma convocação para a seleção da Inglaterra no amistoso do ano passado contra a Croácia! Desejamos toda a sorte do mundo e com certeza, Grifinória é a favorita mais uma vez ao título...


            Dylan deu um aceno para o estádio que urrou diante dessa atitude, a loira arregalou os olhos divertida com situação. Em Durmstrang, as pessoas achavam que quadribol era perda de tempo e ela nunca imaginaria que fosse tão bem recebida em um campo de quadribol como estava sendo naquele momento. A arbitragem dera o apito e chamara os times ao centro do campo, Madame Hooch deu um sorriso e disse:


            - Boa tarde a todos! Quero que joguem limpo, não tolerarei nenhum tipo de agressão seja ela verbal ou física. Estamos em um amistoso, podem manter a rivalidade desde que mantenham também o respeito! Preparados?


            Os times acenaram afirmativamente e subiram os céus, pelos sorrisinhos malvados dos jogadores da Sonserina, Dylan percebera rapidamente que aquilo não seria nada fácil. Madame Hooch soltara os balaços e o pomo que foi rapidamente acompanhado por Harry e Draco, em seguida, a goles foi lançada ao ar e o jogo começara.


            Na bagunça de braços e vassoura, a goles passou rente aos dedos de Dylan mas ela não conseguiu apanhá-la, em compensação, Gina a apanhou logo depois e lançou para Demelza que voava pela lateral do campo.


            - Robbins avança pela lateral do campo, tenta um passe para Stuborn que avança pelo meio, o que é uma surpresa já que a mesma sempre jogara na lateral esquerda. Opa, passe interceptado por Urqhart que lança Harper pelo meio que tem o caminho livre em direção ao gol da Grifinória!


            Assim que Demelza errara o passe por falta de entrosamento com Dylan, a loira deu meia volta e saiu no encalço de Harper logo que ele recebera o passe. Dylan o acompanhou pelo meio sem exercer nenhum movimento, o artilheiro que era um grandalhão habilidoso arremessou, mas Dylan bloqueou seu ataque, lançando imediatamente para Gina.


            - Stuborn consegue um bloqueio incrível pelo meio, fecha a porta para o artilheiro sonserino e lança Weasley no mesmo ato! Weasley desvia de um balaço bem lançado por Crabbe e continua seu caminho em direção, vai arremessar e não... Foi deslocada, falta a favor da Grifinória.


            Dylan que estava cobrindo a sobra* de Gina viu o exato momento em que Vaisey avançou sobre a ruiva propositalmente visando derrubá-la da vassoura. Voou imediatamente para o local reclamando enfurecida com Madame Hooch que a ameaçou de expulsão caso gritasse mais uma vez, Dylan apanhou a goles e perguntou para Gina enquanto se posicionavam para a falta:


            - Você está bem?


            - Sim, ele não conseguiu me pegar inteira. Eu joguei o corpo em cima dele para cavar a falta! – Gina respondeu ofegante observando a marcação sonserina em cima de Demelza que estava no rebote, os sonserinos estavam fechando o rebote porque aquela era a jogada clássica da Grifinória. Dylan arregalou os olhos diante da resposta da ruiva e disse indignada:


            - Você é maluca? Ele poderia ter te derrubado!


            - Seria apenas mais um machucado para a série de cicatrizes que eu tenho Stuborn. Agora, quando cobrar a falta, faça o mesmo que fazia de manhã. Arremesse forte no aro esquerdo, vou entrar por trás no rebote. – Gina respondeu dando de ombros enquanto ia se posicionar bem atrás da defesa, Dylan ficou observando e em seguida, virou-se para Vaisey na barreira que a encarava com um sorrisinho sarcástico e dizia:


            - Três menininhas frágeis no time da Grifinória, pelo visto, os homens dessa casa não estão com nada.


            - Muito menos os homens da Sonserina, não é? – Dylan sorriu maldosa antes de arremessar propositalmente na mão esquerda de Vaisey, pode ver que um dedo fora deslocado no trajeto da bola. Em seguida, Gina fizera exatamente o que dissera, entrara por trás da defesa só tendo o trabalho de empurrar a bola pro gol.


            - Ai Vaisey, acho que temos um dedo deslocado não é mesmo? Ele ainda não aprendeu que as meninas da Grifinória não são nada delicadas. Incrível assistência de Stuborn usando o aro esquerdo como quarto artilheiro, Gina Weasley só teve o trabalho de empurrar a goles para o aro direito de Thomason. Perfeita sincronia entre as duas, dez a zero para Grifinória.


            Dylan foi cumprimentar Gina com um sorriso, Demelza veio logo atrás e recebeu um elogio das duas por ter carregado os dois artilheiros sonserinos em sua marcação. Sonserina recolocou a goles em jogo e começou a usar do físico de seus artilheiros para passar pela boa defesa Grifinória, não havia sinal nenhum do pomo.


            - Sonserina recomeça o ataque tentando furar o bloqueio grifinório na base da força, Vaisey avança pela extremidade esquerda ganhando no jogo de corpo* de Robbins, chega ao limite do campo e tenta passar para Urqhart que vinha livre atrás... Eu disse “vinha” porque Gina Weasley intercepta a goles no ar e parte para cima de Harper que segura a sobra, o artilheiro sonserino se perde nas fintas em ziguezague* da ruiva que consegue avançar pela direita tendo o caminho livre a sua frente.


            Dylan acelerou a Firebolt e saiu da marcação de Vaisey que tentava segurá-la pelas vestes e logo depois, pela vassoura. A loira deu uma guinada na vassoura jogando Vaisey na extremidade do campo, próxima as arquibancadas e recebeu uma comemoração da torcida da Grifinória seguida de um sorriso vitorioso dada pela própria. Dylan Stuborn era uma garota marrenta, não cavava falta e não deixava ninguém impedi-la de jogar.


            - Stuborn vem livre pelo meio após deixar Vaisey no vácuo, ele deve estar procurando a artilheira grifinória na arquibancada. Weasley percebe e lança... Que jogada! Stuborn apanha a bola com a mão esquerda e prestes a ser interceptada por Harper que se recuperara, troca de mão e arremessa e... GOL DA GRIFINÓRIA! Vinte a zero e nenhum sinal do pomo no momento.


            Dylan recebeu aplausos e gritos da torcida, pode ver Rony comemorando lá do outro lado dando loops. As três artilheiras grifinórias voltaram para o campo de defesa e Dylan deu um soco carinhoso no ombro de Gina que sorriu, as duas pareciam treinar juntas há anos. O jogo continuara com Sonserina detendo a posse da goles.


            - Draco Malfoy acaba de dar uma bronca em seus artilheiros, Crabbe e Goyle também recebem uma bronca. Mas convenhamos, impossível acertar as artilheiras grifinórias que estão esquivando-se muito bem e sendo super protegidas pelos dois eficientes batedores grifinórios: Cadu Cootes e Jaquito Peakes. Uma salva de palmas para os dois.


            O estádio obedeceu a Luna e os dois batedores receberam aplausos acalorados da torcida. Ambos agradeceram levantando os bastões e preparando-se para mais um ataque sonserino. Era um jogo de paciência, coisa que Sonserina não sabia ter, então, quando Gina avançava livre para fazer o terceiro gol, recebeu uma trombada de Urqhart.


            - Gina Weasley acaba de receber uma forte trombada de Urqhart, a artilheira está visivelmente tonta e voa direto para o chão. Harry Potter pede tempo para orientar o time enquanto Dylan Stuborn avança com violência para Urqhart.


            Dylan voa com agressividade para cima de Urqhart, o artilheiro magrelo e desengonçado da Sonserina tinha um sorrisinho vitorioso na face que irritou ainda mais a já explosiva grifinória. A loira grita furiosa:


            - Você tá maluco? Podia ter matado ela! Senão sabe jogar, vai ser gandula seu desgraçado!


            - Ora Stuborn, tome cuidado, Madame Hooch está olhando para cá. Lembre-se que ela te ameaçou de expulsão da última vez! – Vaisey dissera com um sorriso maldoso na face feia dele. A loira deu às costas ao trio e desceu furiosa para o chão, mal saltou da vassoura e Harry gritou com ela:


            - Pare Stuborn ou vai acabar sendo expulsa!


            - Mas eles estão sendo inescrupulosos, vão acabar matando alguém! – Dylan gritou de volta olhando preocupada para Gina que estava sendo amparada pelo irmão, a ruiva tentou dar um sorriso dizendo que estava bem, mas em troca, fez uma careta de dor deixando Dylan ainda mais preocupada. Harry segurou Dylan fortemente pelo braço e disse autoritário:


            - Eles jogam assim! Na base da catimba* e da força, o que temos que fazer é não nos deixarmos levar, está me ouvindo?


            Dylan não respondeu, Harry chacoalhou-a de novo e perguntou:


            - Está me ouvindo Stuborn?


            - Estou Potter, satisfeito?! – Dylan gritara na cara do capitão antes de ir ver como Gina estava. A ruiva olhou-a com pena diante do olhar de preocupação, rapidamente, disse:


            - Já agüentei coisas piores, relaxe.


            - Não vou deixar que te machuquem! – Dylan disse agressivamente antes de subir aos céus novamente, deixando Gina e Demelza para trás. A loira lançou um último olhar zangado para Harry e posicionou-se para cobrar a penalidade, arremessou forte e converteu no aro central.


            - Stuborn parece estar bem zangada e quem pagou o pato foi Thomason com mais um gol convertido, agora a pergunta é: está assim pela falta que Weasley sofrera ou pela bronca de Potter? Mesmo estando trinta a zero, Grifinória está tensa na partida devido a instabilidade de alguns de seus jogadores...


            Dylan estava decidida a não colocar bola mais nenhuma para Gina, não iria arriscar perdê-la, ainda mais naquele jogo em que ela desafiara a Sonserina por puro egocentrismo e orgulho, a culpa era dela mesma. Colocaria a cara a tapa, chamaria o jogo para si e se machucaria por ela se preciso.


 


            O jogo estava ficando cada vez mais violento depois de uma hora de duração, Dylan levara dois balaços no ombro direito e mesmo sendo balaços fracos, estava com uma dor incômoda. Gina estava cada vez mais possessa de raiva, inexplicavelmente, Dylan parara de dar assistências e estava sendo individualista ao extremo. Esse individualismo refletia-se no placar, o jogo estava 70 a 50 para a Sonserina.


            - Mais uma bola perdida de Stuborn que parece estar querendo jogar sozinha... Harper avança pelo meio após a interceptação, o ataque sonserino forma agora a cabeça de falcão, clássica jogada. Stuborn, Robbins e Weasley passam a marcar individual e opa, Ronald Weasley acaba de deixar o fraco e torto arremesso de Urqhart passar entre suas mãos... Gol da Sonserina, 80 a 50.


            Harry estava a procura do pomo quando viu o oitavo gol da Sonserina, não podia acreditar que aquilo estava acontecendo depois do começo avassalador. Mas era o esperado, estava com Dylan Stuborn no time e como prevera, estava começando a ser egoísta e chamando o jogo para si. Observou Rony dar um soco no aro central e jogar a bola para Dylan que rapidamente livrara-se dela lançando Demelza marcada em vez de Gina que se deslocava bem para direita.


            Harry então, notou um ponto luminoso próximo ao pé de Stuborn no exato momento em que ia xingá-la. Era o pomo, a chance de encerrar aquele jogo e sair dele como herói, o rapaz voou com sua Firebolt até lá, sentindo Malfoy sair em sua perseguição e o mesmo gritar uma série de xingamentos.


            - Uma movimentação estranha dos apanhadores e calma... Aquele é o pomo? Sim senhora e senhores! Potter e Malfoy estão perseguindo o pomo por todo o campo enquanto seus times mantém as jogadas programadas e Stuborn perde mais uma bola ao tentar passar sozinha pelos três artilheiros. Stuborn, você é uma craque, mas não é nenhum gênio.


            Dylan já deixara de dar atenção para a torcida, a narradora e para os xingamento de Gina há muito tempo. Apenas torcia para que Potter apanhasse logo o pomo e finalizasse aquele jogo de uma vez, assim, Gina poderia xingá-la a vontade, mas estaria segura e ela, estaria com a consciência tranqüila por proteger a outra. Enquanto voltava para interceptar a goles, Gina ouviu uma estranha comemoração.


            Harry Potter acabara de apanhar o pomo e era ovacionado com vivas, palmas e suspiros de alívio. Grifinória vencera por 200 a 80


            Dylan desceu para o chão aliviada enquanto observava a torcida Grifinória invadir o campo e carregar Harry nos ombros, mal notou quando uma outra pessoa aterrissou ao seu lado.


            Gina Weasley estava com uma expressão contrariada na face, a ruiva crispou os lábios e disse friamente:


            - Resolveu jogar sozinha? Deixou finalmente o egocentrismo sobressair-se sobre aquela menina gente boa que estava comigo de manhã?


            - É, talvez eu tenha deixado ou talvez, eu tenha tentado preservar a sua integridade física! – Dylan retrucou cansada enquanto colocava a vassoura nos ombros e caminhava para o vestiário, mesmo gostando de saber que Dylan não era o monstro egoísta que Harry tanto retratava, a ruiva não vacilou e disse:


            - E talvez eu não queira ser protegida! Para que me proteger se você vai arriscar a Demelza? Melhor todo mundo se arriscar da mesma forma!


            Dylan bufou irritada, protegera Gina o jogo inteiro, mais que os batedores e era isso que recebia em troca? A loira jogou a vassoura no chão enquanto dizia furiosa:


            - Ótimo! Da próxima vez eu deixo que a derrubem da vassoura e também, mando dois balaços no seu ombro!


            Dizendo isso, a loira saiu caminhando a passos rápidos e pesados pela grama fofa do campo. Gina ficou observando-a preocupada ao constatar que Dylan remexia o ombro incomodada, ao perceber que a loira não voltaria para terminarem a conversa, Gina Weasley fez uma careta triste. Claro que fora muito bom sentir-se protegida por Dylan, ainda mais quando Harry sempre a mandava se matar desde que não perdesse o gol. Mas não estava acostumada com aquilo e seu ego ficou ferido.


            A ruiva voltou para o centro do campo e foi recebida com um beijo por Harry que estava quase extasiado de tanta felicidade por ele ter sido o herói do jogo e não Dylan. A loira virara para o campo antes de entrar no vestiário e deparou-se com a cena, de longe, achou que Gina estivesse extremamente feliz com tudo aquilo. Lizzie veio com dificuldade entre a multidão, com uma expressão de velório pior que a da amiga e disse:


            - Eu bem que te avisei.


            - Acho que vou começar a te escutar... – Dylan respondeu fúnebre enquanto caminhava para dentro do vestiário. Lizzie abraçou os ombros da amiga e percebeu que onde a mesma levara os balaços estava inchado, a morena preferiu não dar nenhuma bronca diante do estado emocional da amiga. Em vez disso, fez uma careta e zombou:


            - Você joga melhor quando não está apaixonada!


            Dylan deu uma gargalhada e abraçou a amiga com um sorriso triste no rosto, parecia que a briga das duas havia sido há muito tempo. A loira tirou suas coisas do armário e tomou uma ducha rápida antes de juntar-se a Lizzie, as duas não conseguiram sair a tempo como desejavam, o time da Grifinória entrou no vestiário logo depois, dando vivas e totalmente eufóricos.


            As duas permaneceram de cara fechada e quando os olhares de Dylan e Gina, que vinha aninhada nos braços de Harry, se cruzaram, aquela tensão agressiva característica de quando se conheceram tomou o pequeno espaço que as separava. Harry aproximou-se de Dylan com um sorriso e disse sincero:


            - Bom jogo!


            - Me poupe Potter, só me informe quando são os treinos porque eu realmente não aguento mais ficar aqui. – Dylan respondeu mal-educada enquanto guardava o uniforme dentro da bolsa e penteava o cabelo ignorando completamente os olhares repreensivos dos demais jogadores. Harry lançou um olhar indignado a Gina que apenas baixou os olhos sem saber o que fazer, o rapaz disse que eram nas segundas, quartas e sextas e aquela foi a deixa para Dylan sair dali com Lizzie sob os olhares cansados e confusos do resto do time. A morena deu um sorrisinho satisfeito e disse:


            - Essa é a minha Dylan!


            - A Dylan que você reclamava tanto da falta de educação e de tato, não é? – Dylan disse rindo da amiga e retomando o caminho para o castelo. As duas tagarelavam a respeito do jogo e Dylan ria de Lizzie tentando encontrar as palavras adequadas para descrever as jogadas.


            - Aquela hora em que você arremessou para Demelza...


            - É “tocar” Lizzie, não acredito que você me conhecendo há cinco anos mal sabe a diferença entre tocar e arremessar! Eu procuro até hoje aquela inteligência que o Chapéu tanto mencionou na seleção! – Dylan retrucou as gargalhadas e Lizzie rapidamente emburrou, mas a loira rapidamente desfez o mau humor da amiga com alguma piadinha infame sobre um artilheiro sonserino.


            - Dylan!


            A loira virou-se ao reconhecer a voz de Rony Weasley, o goleiro vinha com os cabelos molhados e despenteados correndo pelo gramado. As duas pararam e ficaram observando enquanto o rapaz juntava-se a elas, assim que chegou perto o suficiente, Rony deu um sorriso e disse:


            - Antes de tudo, queria te parabenizar pelo jogo.


            - Me parabenizar? Mas eu joguei mal pra caramba Weasley, acho que você não percebeu pela distância, está tão cego quanto o Potter! – Dylan disse rindo e dando um abraço em Rony, estava apegando-se ao rapaz como se ele fosse Ryan, seu irmão. O ruivo sorriu e coçou a cabeça, ele não parecia mais incomodado diante da presença de Lizzie, em seguida, disse:


            - Você está sendo modesta e isso não combina com seu egocentrismo e seu orgulho. Você defendeu como eu nunca tinha visto nenhuma artilheira defender...


            - Obrigada Rony, mas eu estava tentando consertar as besteiras que fiz na frente... – Dylan agradeceu sincera olhando para Lizzie que deu um sorriso orgulhosa, ouviram as vozes e risadas de Gina e Harry e localizaram o casal vindo um pouco mais atrás. A loira deu as costas e um aceno a Rony e preparou-se para ir, mas antes, o rapaz pigarreou e disse:


            - De qualquer forma, não sou que nem a Gina. Vi o que você fez por ela e agradeço muito Dylan, mamãe teria um negócio se Gina se machucasse.


            A loira murmurou um “obrigada” e continuou a caminhar pelo gramado ao lado de Lizzie, tinham o sábado pela frente e estava começando a cogitar a hipótese de estudar um pouco apesar da dor que sentia no ombro. Precisava preencher a cabeça com alguma coisa depois da cena que tivera com Gina.


            Já a ruiva, vinha logo atrás com Harry e mesmo parecendo bem ao lado do namorado, estava incomodada com o que acabara de acontecer. Ninguém nunca a protegera daquela forma em um jogo de quadribol, sentira-se lisonjeada e não sabia como lidar com aquilo. Cometera uma injustiça com Dylan e não imaginava como poderia remediar a situação.


 


***


Esclarecimentos:


- Jogada cadenciada: em todos os esportes, seria aquele jogada mais cerebral do que impulsiva. Uma jogada melhor distribuída.


- Marcação por zona: no basquete, futsal e handbol, é uma marcação coletiva em que o time pega determinada área do campo/quadra e quem nele estiver. Uma marcação que produz melhor efeito contra times mais fortes.


- Ziguezague: guinar o movimento de um lado para o outro visando confundir o adversário, pode ser chamado de finta, drible.


- Cobrir a sobra: ser o último jogador que fecha o ataque. Aquele responsável por parar o contra ataque adversário. Ficar no rebote.


- Catimba: jogar em cima do psicológico do adversário. Inclui provocações e agressões físicas e verbais.


 


E aí? O que acharam do capítulo?


Comentem por favor, como sempre digo: comentários ajudam e muito os autores!


Sei que demoro pra atualizar, mas acho que mereço um comentáriozinho não é? haha


Beijos e até a próxima x)

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.