FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

31. A Prisão dos Bruxos


Fic: Harry Potter e o Segredo dos Black


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

- CAPÍTULO TRINTA E UM –A Prisão dos Bruxos


Quando Harry abriu os olhos, um pouco enjoado com a “viagem”, viu que lá não estavam só os Comensais que foram buscá-los na Casa dos Gritos. Ao todo, estavam dez comensais: Avery, Macnair, Crabbe, Belatriz, Malfoy, Rockwood, Dolohov, Goyle, Rabicho e Rodolfo.

Harry viu um jato azul sair da varinha de Avery. Pulou e desviou. De novo o mesmo jato azul índigo saiu da varinha de Avery. E desta vez, quando Harry desviou, Macnair lançou o mesmo feitiço, que atingiu em cheio o peito de Harry. O garoto ficou zonzo e sentiu cordas se amarrarem fortemente em volta de si. Então, de súbito, com a visão de seus amigos sendo atingidos pelo mesmo feitiço, desmaiou.

Sentiu um enjôo muito forte e acordou com uma vontade intensa de vomitar. Viu ao seu lado seus amigos presos. Apenas Gween continuava solta. Mas sem varinha. Ao seu lado estava Hermione. Ela murmurou:

- Estamos em Azkaban. Logo, logo, podem chegar dementadores. Harry, nossos patronos não são fortes o suficiente! E mesmo que fossem, estamos sem varinhas!

- Temos a profª Gween. Calma.

- Temos uma Gween sem varinha, Harry, que não pode fazer absolutamente nada! – respondeu Hermione, nervosa.

Harry suspirou. Em fim chegara seu fim? Ele não sabia.

- Pensa então que é páreo para mim, sua traidora? – disse Belatriz.

- Não, Belatriz, não sou a traidora. Não fui eu que me vendi ao mal em busca de poder. Poder que corrompe. Que destrói. Acho que isso sim é traição. – respondeu Gween.

- Oh, que comovente! – disse Belatriz, sarcástica. – Por favor, Gween. Não venha com discursos furados para cima de mim. Você sabe que foi sua mãe que traiu a linhagem dos Black. Nem puro-sangue você é.

- Puro-sangue? Ser puro-sangue me faz pior ou melhor? Acho que não. – disse Gween séria. – Se fosse assim, Srta. Granger não seria muito mais inteligente do que o idiota do Malfoy. Pelo amor de Deus, Lúcio! Você não ensina nada na sua casa? Ele não teve aulas? Pensei, que por ser puro-sangue, ele tivesse adiantado na matéria! Ainda mais filho de bruxos das Trevas. Pelo menos em Defesa Contra as Artes das Trevas eu achei que ele tivesse bom desempenho. Mas devo dizer que me decepcionei ao constatar o quanto seu filho é obtuso. Tem certeza que ele não tem problema mental? E os Srs. Crabbe e Goyle não ficam atrás. Burros como ninguém! Olha Lúcio, isso não veio da família Black, posso te garantir. A tia Belatriz, embora extremamente idiota para assuntos “nobres”, era muito inteligente. Tá certo que a tia Narcisa sempre foi bem burrinha, mas eu pensei que vocês fizessem mais do Draco... Além disso...

- Crucio! – berrou Malfoy.

Hermione soltou um grito abafado e Harry virou o rosto ao ver Gween se contorcer no chão.

- Pare com isso, Lúcio! – disse Belatriz. – Você sabe que não pode matá-la! Logo, logo, o Lord das Trevas virá cumprir sua missão. – então Belatriz baixou muito sua voz, e disse num sussurro quase inaudível – E não sabemos que outros poderes ela pode esconder. Ainda mais tendo o pai que tem.

Malfoy levantou a varinha e o feitiço se desfez. Gween levantou como se nada tivesse acontecido, sem mostrar nem um resquício da dor imensa que sentira segundos atrás.

- Bela! – chamou Dolohov – Porque não matamos os outros?

- Calma, Dolohov. Se o matarmos, Potter não ajudará.

- Precisamos ainda de Potter?

- Sim, o Lord pediu. Vamos cumprir. – disse Belatriz. Assim, murmurou dois feitiços, prendendo Gween e soltando Harry.

- Vamos, garoto. – disse Belatriz. – Você sabe do que somos capazes. E nós sabemos que você sabe o que dizia a profecia.

- Profecia? – murmurou Harry.

- Ora, Potter! Draco me falou que você era burro, mas não pensei que fosse tanto! – disse Malfoy, ríspido.

- Vamos, Lúcio! Ele sabe do que estou falando... mas pensa que salvará a pele dos amiguinhos se negar tudo. E aí que ele se engana. – Belatriz deu um sorriso maldoso. – Sabia, Potter, que este seu gesto é nobre?

Harry olhou-a com raiva.

- E isso não é um elogio. – ela continuou. – Seus pais também foram nobres... e veja onde eles estão agora? – completou, com um sorriso maldoso e ao mesmo tempo divertido.

Harry sentiu o sangue pulsar mais forte. Fechou os punhos.

- Brabinho, querido? – ironizou Belatriz. – Quer seus amigos? Tudo bem. Eu irei soltá-los. Se você me disser o que diz a profecia.

- Mentira! – berrou Harry.

- Ora, até que você não é tão burro. – disse Belatriz. Com um feitiço, soltou Hermione, Gina e Rony. – Pronto. Soltei-os. Agora me diga.

- Não irei dizer nada! – disse Harry.

- Tudo bem. – disse Belatriz. – Não quer dizer por bem? Então diga por mal! Crucio! – Gina caiu no chão se contorcendo de dor.

- Pare! – berrou Harry.

Belatriz levantou a varinha, e disse:

- Vejo que você é sensato...

- E todos os seus comensais são burros! – respondeu Harry.

- Não seja tão hostil, Potterzinho – respondeu Belatriz – ou você sofrerá as conseqüências.

- Então porque só você cuida disso? Porque seus comensais não fazem nada?

- Quer que eles façam algo, Potter? Então tá. Vamos lá, pessoal... eu digo: só não matem Potter e Gween!

- Avada Kedavra! – vários jatos verdes saíram das varinhas.

Harry, Rony, Hermione e Gween entraram por uma porta da prisão, deixando a rua com a claridade da lua para trás. Agora, estavam na escuridão absoluta.

Harry pegou a mão de Gina, e depois de beijar a garota, perguntou:

- Tudo bem?

- Sim. – murmurou ela.

Rony e Hermione seguiam lado a lado, e foram correndo pelos corredores. A prisão era como um labirinto, e depois de um tempo correndo, eles já não sabiam mais como voltar.

- Não podemos fazer nada! – disse Hermione, brava. – Estamos sem varinhas!

- Hermione, Gina, Rony, eu estou seguro. – disse Harry. – Se acharmos uma varinha, peguem para vocês. Vocês viram, eles não vão me matar... pelo menos por enquanto. Então encontrem um lugar seguro!

- Harry, vem com a gente! – pediu Gina.

O garoto olhou-a e depois de pensar um pouco, murmurou:

- Tudo bem... vamos.

E saíram a correr silenciosamente pela prisão. De repente, chegaram em uma encruzilhada. Do lado direito, ouviram:

- Por aqui, Dolohov!

Então, saíram apressados pelo lado esquerdo. Corriam com tal velocidade, que foi possível ouvir o caminho que eles seguiram.

Harry, Rony, Hermione e Gina ouviram passos atrás deles. Então começaram a correr mais rápido ainda. Logo, chegaram a uma nova encruzilhada. De repente, se sentindo a salvo, Hermione disse:

- Harry, acho que podemos parar por enquanto.

Mas não ouviu resposta. Apenas ouviu a voz de Gina ao seu lado:

- Harry. Harry! HARRY!

- Gina, você está aqui? Está bem?

- Tá tudo bem, Hermione. E você?

- Também. Rony? Rony?

- Hermione, nós nos perdemos deles! Vamos voltar!

- Não Gina! Vamos seguir por aqui. Acho que sairemos desse labirinto. Daí encontraremos Gween. Com ela, pensaremos no que fazer.

As duas foram caminhando lentamente. De repente ouviram:

- NÃÃÃÃÃÃO!

Foram correndo até onde achavam que o grito vinha. Acabaram chegando na rua. Harry estava de pé na frente de quatro comensais. Ao seu lado, Rony estava deitado.

Malfoy virou-se para as duas e disse:

- Ora, ora... mais companhia.

- Rony! – murmurou a garota, indo ao encontro no namorado. Ela chorava muito. Ao seu lado, Gina, soluçando, também foi até ele.

- Se machucarem mais um eu não falo nada! – berrou Harry.

- Calma Harryzinho. Ele só foi desmaiado. Não irá morrer. – respondeu Belatriz. – Agora essa aí... – disse apontando para Hermione. – Está dando muito trabalho... o que ela merece mesmo é a morte. Avad...

- Expelliarmus! – berrou uma voz masculina vinda de longe.

- Expelliarmos! – berrou outra voz, desta vez de mulher.

Os comensais ficaram desorientados. Procuravam de onde vinha a voz. Logo, depois de vários Expelliarmos, as duas novas figuras haviam recuperado as varinhas de Hermione, Gina, Harry, Rony e Gween.

- Estupefaça! – bradou Gween, que vinha junto com as duas novas pessoas.

Rapidamente, Harry pegou Rony e sinalizou para Gina e Hermione. Juntos, eles entraram mais uma vez no labirinto da prisão.

Depois de subir várias escadas, chegaram ao patamar mais alto. E de lá, avistaram as duas novas pessoas.

(N/A: Oieee!!! Goxtaram desse cap?? Bom, não fico muito bom, neh?! Tipow, eu qria + ação... maix o prox cap eu jah planejei todinho [soh falta falah uns negocio lah com o meu primo, da fic www.lupin.cjb.net] e vai ser mtoooooo 10... dpndndo eu posto nome aki nos comments. Ah, e quanto + comments eu receber, + rápido eu posto, prometo. Então, comentem e votem!!! Ah, e vocês viram? 500 votos!!! Uau!!!!!! Continuem assim, pessoal... vocês são o que me motivam a continuar... tah?! Espero ver comments e votos, ok?! Bjaunzaum, dolo vocês!!!!!!!)

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.