FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. Capítulo 2


Fic: Não Podia Ser Você


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Oi pessoas! Desculpe pela demora, mas estava em semana de provas e nem deu para escrever! Mas aqui está o capítulo 2, espero que gostem! Boa leitura! x)


 


***          


QUADRIBOL


 


            - Já que todos comemos e bebemos até nos sentirmos cheios o bastante para nos sentirmos ainda mais cansados, quero comunicá-los de um evento extremamente importante que acontecerá na escola durante esse ano letivo. – Dumbledore disse caloroso enquanto observava o Salão com um sorriso brincalhão nos olhos, Lizzie e Dylan entreolharam-se com cumplicidade enquanto observavam o Salão se encher de ansiedade e expectativa. Com certeza, Dumbledore comunicaria que Durmstrang estava a caminho da escola para os jogos de quadribol. A loira deu um sorriso e assentiu com a cabeça enquanto Gina Weasley a observava, tentando decidir se tinha raiva ou inveja da outra. Aliás, nem sabia mais o que estava sentindo agora que Dylan estava na Grifinória, seria alívio ou decepção?


            Dylan percebeu que a ruiva a observava, virou-se abruptamente para a outra, pegando-a no flagra, deu uma piscadela e um sorriso antes de virar-se novamente para prestar atenção no diretor. Gina remexeu-se ligeiramente incomodada e rapidamente, o vermelhidão tomou-lhe a face. Estava começando a se sentir idiota, apertou os punhos sobre a mesa e olhou de cara feia para a loira. Dylan deu um sorrisinho e sibilou no ouvido de Lizzie:


            - A Tocha Humana não consegue parar de me olhar...


            - Mas que porra de “Tocha Humana” é essa? Da onde você tirou isso? – Lizzie perguntou visivelmente irritada com a audácia da amiga em dar um apelido para a Weasley (por mais insuportável que ela fosse) antes de conhecê-la melhor. Dylan revirou os olhos, depois, respondeu como se estivesse explicando a uma criança de três anos de idade que ela não deve voar na vassoura em um subúrbio trouxa:


            - Elizabeth, cadê a sua “inteligência digna de admiração” comentada pelo Chapéu Seletor? Relacione cabelos ruivos mais um humor de cão... Logo você terá a Tocha Humana Weasley, capaz de explodir, queimar e torrar alguém a qualquer momento.


            - Me admira você falar de humor de cão... Pelo que eu sei, quem trombou com a garota na plataforma e iniciou uma discussão agradável sobre o que era vir de Durmstrang foi você e não ela! – Lizzie disse em tom repreensivo enquanto bebericava um gole de seu suco de abóbora, Dylan ia dar uma resposta mal educada quando foi interrompida por Alvo Dumbledore. O homem pigarreou pedindo silêncio e continuou:


            - Como vocês sabem, há três anos, Hogwarts sediou o Torneio Tribuxo e tivemos o imenso prazer de receber nossos companheiros de Durmstrang e Beauxbatons para uma estada agradável em nossa escola. O Torneio terminou com a vitória de nossa escola e agora, nossos companheiros de Durmstrang estão demonstrando muito espírito esportivo e exigem um revanche...


            Nesse exato momento, o Salão preencheu-se de um burburinho excitado e curioso. Gina Weasley olhou para Dylan Stuborn esperando que a loira reagisse de alguma forma diante da menção de sua antiga escola, mas ela permaneceu em silêncio mesmo diante das perguntas que os outros membros da Grifinória lhe faziam, Harry apertou a mão da namorada e disse:


            - O que você acha que pode ser?


            - Olha Potter, posso te passar de primeira mão que vai ser algo do qual você precisará muito de mim. – Dylan sibilou venenosa, estava escutando a conversa, pronta para irritar o “casalzinho perfeito” da escola, realmente, ela encrencara com os dois de uma forma inimaginável. Gina, dessa vez, ignorou o olhar do namorado que pedia para que ela não dissesse nada e retrucou:


            - Dá pra você parar de se meter nas nossas conversas por um minuto? Sei que você tem déficit de atenção e é mal educada o bastante para se intrometer, mas chega por hoje Stuborn!


            Dylan fez uma careta de ironia e abriu a boca para responder, porém, pareceu pensar melhor e se calou. Gina respirou fundo e olhou para o namorado que a encarava surpresa, Harry suspirou e disse abismado:


            - Espero nunca ter que te enfrentar dessa forma!


            - Se você fizer tudo certinho e me obedecer Potter, você nunca mais me verá dessa forma! – Gina respondeu com um sorriso radiante, Harry riu da namorada e lhe deu um beijo na bochecha antes de voltar a prestar atenção em Dumbledore. Gina sentiu a face corar e ao virar-se para o lado, viu Dylan desviando os olhos rapidamente, a ruiva respirou fundo e voltou a ouvir o professor que dizia:


            - O Prof. Karkaroff, um grande amigo meu, propôs uma partida de quadribol entre as duas escolas. Mas antes que vocês novamente fiquem extasiados, a seleção de Hogwarts será formada por um dos quatro times das quatro casas da escola. Ou seja, esse ano, a Copa de Quadribol entre as casas definirá quem jogará com Durmstrang no final do ano...


            Gina sentiu a emoção de Harry vir a tona, o distintivo de capitão do time de quadribol da Grifinória pareceu reluzir em seu peito. Mas as atenções não estavam no capitão e sim em Dylan que parecia estar bem tranqüila diante de todas aquelas informações. Os capitães das demais casas pareciam estar nervosos e olhavam para mesa da Grifinória e principalmente para Dylan, o time da casa já era forte e tinha ganho um reforço e tanto.


            Draco Malfoy parecia ter engolido uma meia velha, estava visivelmente desconfortável enquanto seus companheiros de time faziam perguntas a ele. Dumbledore deu os demais avisos comuns ao início do ano e em seguida, todos foram dispensados para os dormitórios.


            Dylan e Lizzie foram obrigadas a esperar que Hermione Granger organizasse a ação dos monitores para levá-las, juntamente aos calouros, para o Salão Comunal da Grifinória. Lizzie estava há uns dez minutos sem falar com a amiga, Dylan estava visivelmente incomodada encarando os próprios sapatos. O silêncio rompeu-se quando Dylan bufou irritada e perguntou:


            - O que raios eu fiz dessa vez?


            - Sabe Dylan, você tem que aprender um pouco mais sobre boas maneiras. Intrometer-se na conversa dos outros é falta de educação! – Lizzie disse séria enquanto observava o Salão esvaziar-se aos poucos, a loira deu uma gargalhada e recebeu uma cotovelada nas costelas em troca, Lizzie a olhou feio e a loira disse na defensiva:


            - Eu tinha que tirar uma casquinha deles, eles vão implorar para que eu entre no time, você vai ver!


            - Deles que não era... Você tinha que tirar uma casquinha dela! – Lizzie disse apontando para as costas de Gina Weasley que saía pelas portas de carvalho abraçada a Harry e com um sorriso enorme na face. Dylan fez uma pequena careta diante da cena (sem nem saber por que) que passou despercebida por Lizzie, pigarreou e respondeu:


            - O que eu tenho a ver com ela Lizzie? Já te disse que foi um ódio recíproco à primeira vista.


            - Para de mentir para mim Stuborn! Eu te conheço bem, se você a odiasse, já tinha dado um passa-fora nela na plataforma. Pode confessar de uma vez, você ficou encantada pela ruivinha não foi? – Lizzie disse venenosa encarando a amiga, Dylan baixou os olhos e abriu a boca diversas vezes sem conseguir formular uma resposta sequer. Passados alguns segundos, a morena riu e disse cheia de si:


            - Eu sabia, aliás, ela não é tão indiferente como tenta demonstrar com você...


            - Hã? Como é que é? A Tocha Humana tem sentimentos em relação a mim? – Dylan perguntou tentando disfarçar seu interesse, Dylan passou o braço sobre o ombro da amiga e zombou:


            - Dylan Stuborn, você deveria disfarçar mais seus sentimentos, como o Chapéu Seletor disse, você e suas emoções à flor da pele...


            - Ah vai a merda Lively, ainda não sei por que paro para te escutar! – Dylan disse mal humorada antes de ajeitar o uniforme e sair acompanhando Hermione Granger que acabara de chegar para levá-las a Torre do Sétimo Andar. 


 


            - O dormitório de vocês é junto com o meu... – Hermione disse cansada após levar os calouros aos respectivos dormitórios, Dylan que estava encostada na parede da Sala Comunal ainda impressionada com o aposento e visivelmente com sono, disse mal humorada:


            - Ótimo, achei que teria que dormir com as tampinhas falantes.


            - Não ligue Hermione, a Dylan é ainda mais simpática quando está com sono! – Lizzie disse com um sorriso sem graça e dando uma olhada feia para a amiga que fez sinal de inocência. Hermione respondeu com uma risadinha e fez um sinal para que as outras a acompanhassem pelas as escadas.


            As três garotas subiram as escadas sentindo as pernas pesarem pelo cansaço, quando Dylan estava se perguntando quando a escada em caracol acabaria, elas aterrissaram em um corredor onde haviam sete portas, cada uma representando o respectivo ano das alunas que a ocupavam. Hermione ia à frente, ela e Lizzie pareceram se entender bem, a monitora-chefe dizia:


            - Se vocês duas tiverem alguma dificuldade com o conteúdo, podem falar comigo, estou disposta a ajudá-las.


            - Só se eu tiver algum problema com o conteúdo, Lizzie é extremamente nerd quando quer ser... – Dylan respondeu simpaticamente, Lizzie percebeu que ela estava fazendo um esforço para não ser tão babaca, Dylan só começava a ser idiota durante as 24 horas do dia quando conhecia a pessoa há algum tempo e tinha intimidade o bastante para isso. Hermione sorriu e disse tranqüila:


            - Então nós duas podemos te ajudar Dylan, quero muito que vocês se dêem bem em Hogwarts e também, não quero problemas para Grifinória.


            - Como toda monitora que se preze não é? – Lizzie disse com um sorriso natural surgindo em seus lábios, Dylan deu um pequeno muxoxo de impaciência, fez um sinal de juramento que arrancou risadas das outras duas e disse séria:


            - Prometo não cometer nenhum ato que infrinja as regras da escola!


            - Não acredite nela Granger. – Lizzie zombou arrancando uma risada rouca de Dylan e Hermione. As três continuaram a caminhar pelo corredor, estavam passando pela porta do 6° ano quando Gina Weasley (a própria) saiu do dormitório com uma camiseta verde escura das Holyhead Harpies bem gasta que ia até os joelhos e um short curto que acabaram revelando um pouco da mulher que tinha por trás da figura de menina. Dylan ficou boquiaberta observando a ruiva que logo corou. Lizzie começou a ter uma pequena crise de riso e Hermione disse repreensiva sem perceber nada:


            - Gina, já te disse que você poderia pelo menos botar uma calça para andar pelos corredores.


            - E eu vou começar a pensar seriamente em acatar a sua ordem! – Gina respondeu visivelmente envergonhada ao constatar o olhar que Dylan lhe lançou, a loira pareceu se tocar que estava fazendo besteira, pigarreou e disse:


            - Você também torce para Holyhead Harpies?


            Mesmo estando envergonhada, Gina Weasley não baixou a guarda e sem responder a pergunta da loira, voltou para dentro do dormitório com um ar de superioridade. Assim que Gina saiu de seu alcance visual, Dylan pareceu recuperar toda a pose e disse em alto e bom tom:


            - A boa educação te mandou lembranças!


            - O sujo falando do mal lavado. – Lizzie comentou ácida enquanto limpava as lágrimas de riso provocadas pela reação da amiga ao ver Gina em tais trajes, Dylan lançou a ela um olhar mortífero. Hermione bocejou e falou cansada:


            - Bem, desculpe por isso. Gina de vez em quando esquece que vem para a escola. De qualquer forma, nosso dormitório é a última porta do corredor, acho que as meninas já estão lá dentro.


            Lizzie e Dylan dirigiram-se até lá, Lizzie estava toda sorrisos e achava graça de cada passo que davam enquanto Dylan estava emburrada e visivelmente constrangida. Lizzie abriu a porta do dormitório, porém, nenhuma das garotas estava lá.


            O dormitório era amplo, com camas de colunas e um banheiro na extremidade oposta a porta. Dylan procurou sua cama e a encontrou ao lado de uma das janelas da Torre, Lizzie estava logo ao seu lado direito.


A loira remexeu na mala e começou a colocar todos seus pertences no criado-mudo, seus pôsteres de quadribol foram colocados na parede ao lado da janela, com destaque para o que continha o time completo do Holyhead Harpies. Também deu o devido destaque a um pôster que sua mãe mandara fazer dela própria com a goles no amistoso que jogara pela Inglaterra. Lizzie comentou algo como “egocêntrica” enquanto arrumava seus livros trouxas em ordem alfabética na estante, mas a loira estava visivelmente ocupada com seus pensamentos.


Não conseguia tirar Gina Weasley da cabeça e não sabia por que.


A loira respirou fundo e pegou uma calça de moletom e uma camisa antes de ir ao banheiro. Lizzie deu uma risadinha e perguntou:


- Vai tomar banho de água fria?


- Não, você sabe que eu odeio água fria. – Dylan respondeu mal humorada enquanto abria a porta do banheiro, Lizzie sibilou ácida:


- Achei que ia sabe? Você tá precisando depois da cara que fez quando viu a Weasley...


Dylan apanhou a primeira coisa que viu no banheiro e jogou na amiga, Lizzie conseguiu desviar-se de uma pasta de dente que acertaria seu rosto em cheio. A loira entrou no banheiro emburrada e pode ouvir, do outro lado da porta, as outras meninas entrarem no quarto.


 


            Gina Weasley estava acordada no silêncio do dormitório feminino do sexto ano. A ruiva encarava o teto buscando respostas para tantas perguntas e confusões que se instalaram em sua mente desde a chegada de Dylan Stuborn. A memória da loira, assim como a própria dona, era teimosa o bastante para não querer sair de sua mente.


            E por um momento, Gina Weasley agradeceu por não conseguir tirar o tom exato dos olhos azuis quase cinzentos de Dylan de sua mente. Mas no outro momento, estava socando o travesseiro e a cama de raiva por não conseguir tirá-la um momento sequer da sua cabeça.


            A ruiva tentava entender o que a outra tinha que a prendia tanto... Afinal, não conseguia tirar os olhos de Dylan e quando não a estava observando, fazia questão de que a loira soubesse que estava no mesmo aposento. Aquilo tudo lhe soava tão infantil e ao mesmo tempo, tão gostoso que ela não sabia o que era e nem o que sentia.


            Mas a loira a irritava. Irritava de uma forma que nenhum garoto sequer fora capaz de irritá-la... Gina Weasley estava confusa, não sabia o que pensar, só sabia que Dylan Stuborn estava começando a deixá-la maluca.


            A ruiva virou de lado na cama e respirou fundo, em tão pouco tempo, Dylan Stuborn já virara sua vida de cabeça pra baixo e agora, com certeza, passaria um bom tempo com ela no time de quadribol. O que esperar de tudo aquilo?


            Gina Weasley não sabia, mas o sono a pegou de jeito e ela adormeceu, um sono calmo e um sonho com uma certa loira que com certeza, ela não se lembraria pela manhã.          


 


***


 


            - Pare de babar Stuborn! Levanta logo dessa cama e vai se aprontar! – A voz irritadamente animada de Lizzie preencheu o dormitório, Dylan acordou sonolenta, mas sequer moveu-se na cama. Estava com a cabeça doendo, aliás, era típico acordar com a cabeça doendo. A loira remexeu-se na cama e colocou a coberta vermelha sobre a cabeça, ignorando completamente mais um chamado de Lizzie:


            - Vamos! Levanta logo, nós vamos chegar atrasadas!


            - Você sabe muito bem que eu pouco me importo com pontualidade! – Dylan retrucou com a voz mole abafada pelo cobertor, Lizzie foi até ela e puxou as cobertas, a loira xingou-a de todos os nomes possíveis e imagináveis. Porém, a morena não se importou e disse com ironia:


            - Mas sei que se importa com comida e com a Weasley, portanto, levante já daí e vai se arrumar se você ainda quer vê-la antes de ir assistir às aulas!


            Dylan mostrou o dedo do meio para a amiga e a contragosto, levantou-se da cama. O dia já tinha amanhecido, mas ainda havia uma aura matinal na paisagem da janela da Torre da Grifinória, com certeza, não deveria ser mais de sete horas da manhã e pensar que em Durmstrang elas acordavam às dez... Por um breve momento de descontrole, a loira desejou ainda estar no castelo gélido do instituto.


            A loira caminhou para o banheiro, esbarrando em Lizzie e derrubando-a na cama enquanto ouvia um xingamento. Escovou os dentes e encarou-se no espelho, os olhos estavam inchados, o cabelo completamente desalinhado e uma expressão de mau humor refletiu-se. Dylan respirou fundo e cuspiu o conteúdo da pasta na pia, Lizzie entrou no banheiro e disse ácida:


            - Melhor tomar um banho, a Weasley não vai te notar se você ir com essa cara de morta-viva pro salão...


            - Primeiro, eu não tenho cara de morta e segundo, pouco me importa o que a Tocha Humana acha da minha cara! – Dylan respondeu emburrada, voltando ao quarto e pegando a toalha para o banho, será que estava tão evidente o seu encanto pela ruiva? O uniforme de Dylan estava pendurado em um cabide na porta do armário. Pela primeira vez, a loira observou o uniforme e achou-o relativamente melhor que o de Durmstrang, apesar de que tinha certeza que teria problemas em usar a gravata.


            - Ah claro, você pouco se importa com o que a Weasley pensa não é mesmo? Quase babou quando ela apareceu praticamente seminua no corredor! – Lizzie disse com uma falsa voz afetada, Dylan voltou-se para ela e arqueou a sobrancelha em sinal de incompreensão, em seguida, respondeu irônica:


            - Você falando da Weasley como se ela fosse o demônio em forma de gente. Ela é gostosa Lizzie e não podemos negar, só que você não pode ficar toda afetada, já te vi em trajes muito piores gata!


            Dizendo isso, Dylan correu para o banheiro, sabendo que Lizzie ficaria completamente indignada com o que acabara de dizer. Dez minutos depois, a loira saiu do banho completamente vestida, com os cabelos soltos e com uma expressão vitoriosa no rosto. Lizzie a encarava com desprezo e em seguida, disse:


            - Eu nem vou revidar pra manter a amizade.


            - Você não vai revidar porque não tem coragem Lizzie! – Dylan respondeu dando uma piscadela, Lizzie revirou os olhos enquanto apanhava a bolsa. A loira olhou-se no espelho do quarto, estava muito elegante com o uniforme da escola e ao contrário do que previa, não se sentiu estranha nele, sentiu-se bem até... Arrumou a gravata no pescoço e disse convencida:


            - Vai ser difícil não me notarem nesse uniforme.


            - Claro, você está idêntica àquelas colegiais de filmes pornô, falando nisso, tome cuidado para que nenhum professor comece a ter fantasias sexuais com você! – Lizzie comentou maldosamente, olhando para a amiga através do espelho. Dylan revirou os olhos e apanhou a mochila antes de sair porta a fora. A morena a acompanhou e as duas encontraram algumas alunas saindo dos dormitórios dos demais anos, desceram as escadas e rumaram para o salão.


Sem motivo aparente, Dylan sentiu como se tivesse borboletas no estômago.


 


            Gina revirava o prato de mingau com um olhar perdido e cansado nas paredes do Salão Principal, ficara até tarde da noite tentando chutar Dylan Stuborn para longe de sua mente até que resolveu dar-se por vencida e o cansaço fez com que adormecesse. Harry Potter chegou ao salão com um sorriso enorme no rosto, o rapaz deu um beijo na bochecha da ruiva e perguntou animado:


            - Como a minha ruiva amanheceu hoje?


            - Péssima Harry, tô com um dor de cabeça horrível e com sono... – Gina respondeu manhosa aconchegando-se nos braços do rapaz. Harry a recebeu em um abraço carinhoso e afagou-lhe os cabelos ruivos dizendo:


            - É estranho te ver sem o humor matinal tradicional dos Weasleys... Estava até me acostumando a ele.


            - Que humor tradicional? – Gina perguntou visivelmente contrariada, Harry gaguejou um pouco não sabendo o que responder, mas foi salvo por Rony que chegara à mesa e jogara-se no banco irritado. Harry sorriu, apontou para o amigo e disse:


            - Esse humor matinal.


            - Nem vem falar do meu humor Harry! Você estaria assim se acordasse com Hermione em cima de você às 5 da manhã ordenando para que você ensinasse as passagens secretas aos calouros! – Rony respondeu carrancudo enquanto puxava para si o prato de bacon, a jarra de suco de abóbora e os pães. Harry deu uma risadinha e Gina encarou o irmão com piedade antes de dizer irônica:


            - Ela te ama Rony, não se esqueça disso.


            - Imagina se me odiasse não é mesmo? – Rony disse ainda carrancudo e empurrando um garfo repleto de bacon para a boca. O salão começara a encher e a conversa já estava rolando solta pelas mesas das Casas, o trio não pode deixar de notar que muitos garotos percorriam a mesa da Grifinória com os olhos em busca de alguma coisa, ou melhor, de alguém em especial. Ao ver um quintanista da Corvinal particularmente bonito suspirar decepcionado, Gina disse cansada:


            - Parece que temos a nova musa do colégio...


            - Estava falando de mim Weasley? – A voz rouca e sedutora de Dylan Stuborn pode ser ouvida nas costas da ruiva, Gina Weasley corou rapidamente, ficando quase da cor de seus cabelos. Um burburinho percorreu o salão e alguns garotos mexeram-se cheios de si em seus lugares, porém, a loira parecia sequer notar o que estava acontecendo ao seu redor, pois encarava Gina com intensidade. Gina respirou fundo, abrandando um pouco a vergonha e perguntou irritada devido ao susto:


            - Você tem mania de aparecer do nada quando as pessoas comentam sobre você?


            - Ah... Então você confessa que estava falando de mim de novo ruiva? Cuidado que isso pode virar um vício e um vício muito bom, diga-se de passagem. – Dylan respondeu com um sorriso que aos olhos de Gina parecia ser sincero e sem sarcasmo. A ruiva fechou a cara justamente por isso, parecia que Dylan fazia questão de chamar a atenção sempre que a via. Harry pigarreou e disse:


            - Bem, você não vai tomar café Stuborn?


            - O que foi essa demonstração de educação inesperada Potter? Agora que estou na Grifinória, subi no seu conceito? – Dylan lançou-se ácida para Harry que cerrou os olhos com raiva, Lizzie deu-lhe um pisão no pé e a encarou irritada. Depois, a morena sorriu e disse educadamente:


            - Obrigada Potter, iremos tomar café agora mesmo.


            Harry segurou Gina pelo braço e saiu dali com ela, mas antes, o rapaz voltou-se para as garotas e aproximou-se de Dylan Stuborn. Tinha um sorriso brincalhão nos lábios e tão próximo a ela (que Dylan foi capaz de sentir seu hálito), disse:


            - Você nunca vai subir no meu conceito Stuborn. E para deixar bem claro, vou fazer de tudo para que você não entre no time.


            - Bom saber Potter, adoro desafios! – Dylan respondeu prontamente com um sorriso sarcástico nos lábios e as mãos na cintura, num visível sinal de que aquilo que o rapaz lhe dissera não fazia a menor diferença. O rapaz fez uma careta incomodado com a resposta, mas sem saber o que dizer e saiu dali carregando uma Gina completamente atordoada.


            Dylan suspirou vitoriosa e olhou em volta, reparando que a maioria das pessoas acabara de observar a discussão com olhos arregalados de surpresa. A loira sentou-se a mesa do lado de Lizzie e disse educadamente:


            - Me passe o bule de café?


            - Eu devia quebrá-lo na sua cabeça depois de tamanha demonstração de maturidade! – Lizzie respondeu friamente, jogando o bule na amiga e queimando alguns dedos dela, sob os risos de Rony Weasley e o olhar curioso de Dino Thomas.


 


            - Não precisava ser tão infantil Harry! – Gina disse ao namorado enquanto os dois aproveitavam o que restava do tempo do café-da-manhã sentados na grama fofa dos jardins. Harry lançou um olhar revoltado a namorada e disse:


            - Como não Gina? Aquela garota tem que colocar-se no lugar dela! Ela veio transferida ontem e acha que já é alguma coisa na escola!


            - Então! O que nós temos a ver com o egocentrismo dela? – Gina questionou seriamente a Harry que se calou por um minuto, a ruiva aproximou-se dele e abraçou-a trazendo o corpo forte do rapaz para junto do seu. Harry a enlaçou com possessividade e a ruiva sorriu diante dessa ação, sentia-se tão protegida com o moreno que não conseguia imaginar-se sem ele. Por mais que certa loira povoasse mais seus pensamentos do que o rapaz no momento.


            Aliás, Gina estava quase conseguindo se convencer de que ficara encantada momentaneamente pela beleza quase surreal de Dylan Stuborn. E que esse encantamento tinha tudo a ver com o frio na barriga quando a via e a necessidade de ser notada por ela, mesmo que isso lhe custasse o próprio orgulho.


            Gina Weasley respirou fundo nos braços de Harry, sentindo o perfume amadeirado e masculino do rapaz preencher seus pulmões. Estava confusa por causa de Dylan e aquilo era só mais um motivo para odiá-la. E outra, por que tanta preocupação com a loira? Ela era egocêntrica, insuportável, infantil e ainda podia tomar uma das vagas de artilheiro no time da Grifinória!


            Por que ficar surtando e tentando entender o que sentia por aquela loira que caíra de pára-quedas e revirara sua cabeça? Gina estava de olhos fechados, sentindo o corpo de Harry próximo ao seu, mas seus pensamentos estavam no Salão, tomando café junto com Dylan Stuborn.


            - Gina? Você ouviu o que eu disse? – Harry perguntou incomodado, afastando a garota de si e a encarando. O rapaz notara que desde a chegada de Dylan, Gina estava mais distraída e julgava que aquilo fosse resultado da possibilidade de ficar sem um companheiro de time por causa da loira intragável e ainda, julgava que era seu dever garantir que a loira deixasse sua garota em paz, por isso aquela atitude no Salão. Gina chacoalhou a cabeça e sorriu, logo em seguida, disse:


            - Desculpa Harry, estava viajando...


            - Percebi que você estava no fantástico mundo de Gina Weasley! Espero que eu seja seu príncipe encantado nesse mundo! – Harry respondeu com um tom de voz brincalhão, Gina gargalhou, mas não conseguiu dar continuidade a brincadeira. Os dois pararam de rir e um silêncio incômodo preencheu o espaço entre eles, parecia que alguma coisa estava se prendendo entre eles e Gina atribuiu àquilo a Dylan. A ruiva fez pequenos cachos nas pontas dos cabelos ruivos e perguntou:


            - Do que você falava Harry?


            - Ah então... Sobre os testes para o time. Você acha que a Stuborn é tão boa como dizem? – Harry perguntou ligeiramente incomodado diante da normalidade da namorada em relação à brincadeira que fizera, as coisas não costumavam ser tão travadas entre eles, parecia que Gina estava querendo manter-se longe. O rapaz encostou-se no tronco da árvore e Gina ficou alguns centímetros a sua frente, mas Harry sentia como se ela estivesse bem distante. A ruiva ficou séria rapidamente e respondeu:


            - Não sei Harry, mas você bem sabe que a Durmstrang não tem tradição no quadribol, mas quando revela alguém, revela alguém muito bom. É só ver o Krum.


            - Então você acha que se ela for boa o bastante, quer dizer... Melhor que Demelza ou Dino, nós devemos colocá-la no time? – Harry perguntou ligeiramente incomodado com a idéia de ter alguém tão cheio de si como Dylan Stuborn no time, era quase a mesma coisa que chamar Draco Malfoy para jogar na Grifinória durante as férias. Gina arqueou a sobrancelha e aproximou-se de Harry, enlaçou a cintura do namorado e deu-lhe um selinho antes de responder:


            - Eu acho que se ela for melhor que qualquer um dos artilheiros, até melhor do que eu mesma, ela merece ter uma chance no time.


            - Ela não vai ser melhor que você e mesmo se for, eu não vou te tirar do time. Minha primeira opção é o Dino! – Harry respondeu obstinado enquanto encarava Gina com intensidade, a ruiva deu uma risada melodiosa e disse maliciosamente:


            - Nessas horas que eu gosto de ser a namorada do capitão.


            Vendo que a “sua” Gina estava de volta, Harry abriu um sorriso e colocou na própria cabeça que era apenas uma impressão. O rapaz segurou a face de Gina e perguntou sorrindo:


            - É só por isso que você gosta de ser minha namorada?


            Gina não respondeu, melhor, respondeu com um beijo que fez o moreno esquecer rapidamente de todas as suas preocupações.


 


***


 


            - Poções no primeiro tempo da manhã? Essa escola é boa demais pra ser verdade! – Lizzie disse quase dando saltinhos de felicidade pelo corredor enquanto ela e Dylan encaminhavam-se para as masmorras acompanhadas de Rony, Lizzie adorava Poções, era a sua matéria preferida. O ruivo fez uma careta e disse enojado:


            - Você vai começar a odiar Poções quando conhecer o Snape.


            - O professor Snape não é Rony? Olá meninas! – Hermione Granger veio logo atrás deles, com o uniforme perfeitamente alinhado e o distintivo de monitora reluzindo no peito. Lizzie e Dylan cumprimentaram com um aceno desconcertado diante da careta que Rony fizera e logo em seguida, Lizzie perguntou preocupada:


            - O que tem o professor?


            - Digamos que ele odeia qualquer um, menos os sonserinos. Esqueci de algo? Ah sim, ele odeia principalmente os grifinórios! – Rony respondera carrancudo com a chegada de Hermione na conversa, a monitora-chefe revirou os olhos e disse séria:


            - Ele não odeia todos, só é um pouquinho disciplinador demais!


            - Ahm... Vai ser um problema para Dylan, ela não costuma se dar bem com professores disciplinadores! – Lizzie disse sorrindo, Dylan jogou os cabelos visivelmente envergonhada e em seguida, disse:


            - Errada Lizzie, eu não me dou bem com qualquer que seja o professor. Tenho problemas com disciplina.


            - Então somos dois Dylan, já perdi as contas de quantas vezes eu ganhei uma detenção por respirar na sala de Snape. De alguma forma, ele sempre arranjava algum motivo para me botar em detenção... – Rony respondera com um ar de quem entendia muito bem o que Dylan passava, Lizzie arregalou os olhos e disse:


            - Você não entendeu Rony, Dylan não costuma ser disciplinada mesmo! Ela leva detenções porque merece e não por acaso!


            - Nossa Lizzie, muito obrigada mesmo! – Dylan respondeu com um sinal de positivo na mão direita e repleta de ironia, a Lizzie levantou as mãos em sinal de inocência, arrancando risos de Hermione e Rony. A monitora apontou para frente e falou um pouco temerosa:


            - Parece que a sala já está aberta.


            - O que foi Hermione? Snape não era só disciplinador para você? – Rony perguntou achando graça da reação da amiga diante da sala de aula de Poções nas masmorras. A morena empinou o nariz e saiu andando na frente visivelmente afetada, o ruivo a seguiu, provavelmente para sentar perto dela, deixando Lizzie e Dylan estacadas no corredor. As duas se entreolharam e Dylan disse:


            - Ele não pode ser pior que as aulas de Artes das Trevas e se for pior, eu vou fazer questão de dar um recadinho a ele.


            - Dylan, não estamos em Durmstrang. Você pode perder pontos para Grifinória, não lembra o que a Prof.ª Minerva disse? Tem que pensar nos outros, chega de ser individualista não é? – Lizzie disse com ar superior antes de entrar na sala, Dylan nem sequer ligou. Antes da Grifinória, vinha ela própria e ela não levaria desaforo nenhum por causa de algum professor, não mesmo.


 


            Lizzie e Dylan estavam erradas, a aula de Poções de Severo Snape era pior que qualquer outra aula de Artes das Trevas. Após quinze minutos trancadas na masmorra fria escutando a voz arrastada do professor, Dylan estava quase implorando para ter Karkaroff de novo como professor.


            Severo Snape era tudo o que um professor não deveria ser. Extremamente disciplinador, frio, severo (como o próprio nome já dizia) e o pior de tudo: extremamente injusto. Sem mencionar a aparência dele, os cabelos negros oleosos, aquele nariz enorme e aquele ar de superioridade.


Naqueles quinze minutos de aula, Dylan e Lizzie observaram-no tirar vários pontos da turma da Grifinória sem possuir algum motivo aparente. A situação piorou quando Harry Potter chegou atrasado à masmorra.


            - Ora, ora... O Sr. Potter se acha tão importante que é incapaz de ser pontual como os demais, não é mesmo? – Snape disse sarcástico, enquanto virava-se abruptamente para a turma ao ver o moreno entrar na sala e bater a porta. Harry estava com um olhar firme, querendo não aparentar nada diante do professor. Dylan viu Lizzie morder o lábio preocupada e Hermione suspirar pelo amigo, Rony estava com uma expressão amedrontada e Dylan revirou os olhos entediada. Harry respirou fundo e disse firmemente:


            - Me desculpe professor, eu realmente perdi a hora.


            - Então você vai ter que me desculpar por tirar alguns pontos de sua casa também! – Snape dissera com um sorriso cruel, arrancando risos satisfeitos da turma da Sonserina que assistia aula no mesmo aposento. Harry Potter baixou a cabeça e Dylan sibilou um “covarde” recebendo de Lizzie uma expressão colérica. A loira balançou a cabeça negativamente, desaprovando não só a atitude do professor, mas também a do próprio garoto. A loira bufou impaciente enquanto ouvia o professor dizer:


            - Grifinória acaba de perder 10 pontos graças ao capitão da casa que parece ter sérios problemas com horários...


            Os sonserinos riam enquanto os grifinórios suspiravam derrotados e continuavam encarando os livros de Poções. Dylan cruzou os braços e cochichou para Lizzie:


            - Cadê a honra e a vontade desse povo? Vão deixar as coisas assim mesmo?


            - Ele é professor, nós somos alunos e ninguém está indo contra a decisão dele porque pensam na casa e não em si próprios como alguns egocêntricos que eu conheço! – Lizzie respondeu repreensiva, Dylan arqueou a sobrancelha e perguntou:


            - Isso, por acaso, foi uma indireta?


- Se a carapuça serviu Stuborn, vou fazer o que? – Lizzie respondeu repleta de ironia, ganhando um bico mal-humorado de Dylan. As duas permaneceram caladas durante a meia hora seguinte e só foram voltar a se falar quando tiveram que preparar suas soluções redutoras. Lizzie usou a mesma bancada com Dylan e não parava de sibilar instruções para a amiga:


            - As raízes de margarida devem ser picadas e não destruídas Dylan!


            - Não tenho culpa se eu não sou delicada! – Dylan respondia nervosa, sua poção estava em um tom de verde musgo, completamente diferente do tom verde ácido que o professor disse que ficaria se estivesse sendo feita corretamente. Lizzie bufou decepcionada e cochichou:


            - Mude a ordem dos ingredientes, acrescente primeiro o sumo de sanguessuga e depois os outros na mesma ordem do quadro!


            - Mas ali tá dizendo que o próximo ingrediente é o pinhão! – Dylan questionou confusa enquanto segurava as sanguessugas numa mão e o pinhão na outra. Nesse exato momento, Dylan sentiu um farfalhar de capa atrás de si, encolheu os ombros e fechou os olhos assustada assim que ouviu a voz fria de Snape perguntar:


            - Você sabe ler Stuborn?


            - Sei, sim senhor. – A loira respondeu obediente, deixando Lizzie abismada diante de tanta educação, quem sabe Dylan não tivesse salvação? O professor postou-se em frente à aluna e apontou para o quadro, em seguida, questionou:


            - Então me responda, o que está escrito na ordem dos ingredientes?


            - As raízes de margarida devem ser picadas e colocadas sob fogo lento, em seguida, acrescente o pinhão, completamente descascado e... – Dylan começou a ler quando foi interrompida pelo professor:


            - Está vendo Stuborn, é o pinhão depois, não o sumo de sanguessuga... Agora me diga, o que você está fazendo com as sanguessugas em sua mão?


            A sala começou a rir novamente, os grifinórios estavam abalados sentindo que iam perder mais alguns pontos naquele dia. Dylan olhou para sala e notou que Harry Potter a observava com um pouco de compreensão nos olhos, Rony Weasley estava mais amedrontado que ela mesma e Hermione Granger roia as unhas nervosa. Tentou olhar para Lizzie, mas a morena abaixou os olhos e fez um sinal para que ela prosseguisse, a loira engoliu em seco e respondeu corajosamente:


            - Eu já tinha feito um estrago com as raízes de margarida, então pensei que se colocasse o sumo de sanguessugas para aliviar o efeito das raízes destruídas e prosseguisse com a poção na mesma ordem, talvez eu conseguisse algum resultado.


            Lizzie levantou os olhos e encarou a amiga surpresa, Dylan parecia tão segura na resposta que até ela mesma acreditara, realmente, mentir era um dos pontos fortes da amiga, tinha que admitir. A turma ficou em silêncio enquanto tentava prever o que iria acontecer dali em diante, Snape a encarava com uma expressão impassível no rosto. O professor deu-lhe as costas e disse:


            - Vejo que a Profa. Aurelia conseguiu alguns progressos com você.


            - Quer dizer que estou certa, professor? – Dylan perguntou temerosa, ouvindo um burburinho começar a se formar atrás de si, Lizzie fez-lhe uma cara feia, repreendendo-a por ainda querer continuar a conversa. Snape virou-se abruptamente e respondeu:


            - Continue a fazer sua poção Stuborn, se abrir a boca mais uma vez, irei tirar pontos da Grifinória.


            - Prontamente, senhor! – Dylan respondeu lançando um sorrisinho sarcástico ao professor e observando os olhos dele cerrarem-se de raiva. Era complicado para Severo Snape aceitar que algum aluno fizesse uma coisa diferente do que ele impunha e que essa coisa desse certo. Depois disso, os alunos da Sonserina ficaram decepcionados e os da Grifinória sentiram-se orgulhosos da nova aluna.


            Quando o sino bateu, a poção de Dylan estava no mesmo verde ácido da poção de Lizzie e de Hermione e a loira a entregou em um frasco de vidro. Dylan sorriu satisfeita e abraçou a amiga, Lizzie deu-lhe um sorriso e as duas saíram da sala, assim que passaram pela porta, Harry e Rony vieram até elas. O ruivo gargalhou e perguntou:


            - Como conseguiu se safar dessa Stuborn?


            - Graças a Lizzie, senão fosse ela sibilando as instruções, eu estaria ferrada! – Dylan respondeu enquanto cutucava a amiga, Lizzie sorriu encabulada e defendeu-se:


            - Não foi bem assim, só consertei o estrago que você fez!


            - O melhor de tudo foi a cara de Snape quando você entregou a sua poção, ele estava muito incomodado e ainda mais feio que o normal! – Rony disse entre risos, arrancando sorriso dos outros três. Nesse momento, uma voz seca e arrastada pode ser ouvida:


            - Ora Weasley, o professor vai adorar saber que você anda chamando-o de feio nos corredores...


            - Nossa e como tem gente criança nessa escola, não é? – Dylan revidou irônica enquanto encarava Draco Malfoy. O loiro estava ladeado pelos dois brutamontes, Crabbe e Goyle. Draco deu um sorrisinho e disse sarcasticamente:


            - Você não tinha como escolher pior Stuborn, caiu na casa dos fracassados.


            - Claro que tinha como escolher pior: ir para Sonserina e ter que agüentar essa sua cara convencida todos os dias! – Dylan respondeu tranquilamente, sem perder a pose, Lizzie tentava convencer a amiga a parar com aquilo, mas ela queria continuar com a troca de elogios. Os olhos cinzentos de Malfoy arderam em fúria e o rapaz disse:


            - Ao menos na minha casa, você seria titular na equipe de quadribol e não precisaria ficar se humilhando diante do Potter para entrar no time!


            - Lógico que eu seria titular, você notou o nível dos artilheiros que tem? – Dylan questionou irônica arrancando risos não só de Lizzie e Rony, como de alguns grifinórios que saíam da sala, inclusive de Hermione. O loiro pareceu ter engolido um sapo, em seguida, retomou a pose e disse:


            - Então vamos ver isso no campo, isto é, se você entrar pro time não é?


            - Eu já estou no time e por isso te desafio Malfoy... Quadribol no sábado a tarde, tá bom pra você? – Dylan questionou com um sorrisinho vitorioso nos lábios, Rony abriu a boca assustado e Harry a encarou visivelmente irritado, já Lizzie não sabia onde enfiar a cara. Draco abriu um sorriso satisfeito e ameaçou:


            - Você vai aprender como jogamos quadribol aqui.


            - E você vai saber por que eu fui convocada pela seleção da Inglaterra! – Dylan tornou a dizer, dessa vez, deixando o egocentrismo sobressair-se em suas palavras. Draco Malfoy deu-lhe as costas e saiu caminhando pelo corredor, quando o loiro saiu do campo de visão do grupo, Dylan foi aplaudida pelos grifinórios. Porém, Harry Potter a puxou bruscamente e perguntou fora de si:


            - Quem você pensa que é para desafiar a Sonserina dessa forma?


            - Eu já te disse Potter, eu já estou no time, o único que não sabe disso aqui, é você! – Dylan zombou cheia de si, Harry a soltou e saiu pisando duro pelo corredor, com um Rony desconcertado em seu encalço. Dylan virou-se para Lizzie e nem teve tempo de dizer nada, pois a amiga disse irritada:


            - Não fala mais nada, se você abrir essa boca, eu sou capaz de te matar.


 


            Dylan foi para aula de Transfiguração calada e completamente revoltada, não fazia menor sentido aquela súbita irritação de Lizzie com o que acontecera entre ela, Malfoy e Harry. Estava apenas deixando bem claro ao capitão da Grifinória que ele teria que colocá-la no time de qualquer forma e para o sonserino que ela jogava tanto quanto falava. Porém, Lizzie estava de cara fechada e sequer a olhava.


            As duas entraram na sala no exato momento que a turma do sexto ano da Grifinória saía. Um garoto loiro com um ar excitado chegou aos pulos até Dylan e logo foi se apresentando:


            - Prazer, meu nome é Colin Creevey, você é Dylan Stuborn, certo?


            - Ahm claro, meu nome é Dylan Stuborn sim, por quê? – Dylan perguntou confusa para o garoto loiro que parecia estar tendo espasmos de felicidade diante de sua presença. O garoto tirou uma máquina fotográfica antiga da pasta e bateu uma foto, cegando a garota por um breve momento. Dylan piscou diversas vezes enquanto ouvia o rapaz despedir-se:


            - Até mais Dylan, obrigada pela foto!


            - Já está tirando fotos Stuborn? Realmente você é muito egocêntrica! – Dylan reconheceria aquela voz em qualquer lugar, Gina Weasley vinha caminhando até a loira com um sorriso sarcástico nos lábios. Dylan deu um sorrisinho irônico e respondeu:


            - De forma alguma Weasley, não tenho culpa se as pessoas querem uma foto minha. Aliás, se você quiser uma, peço para o rapaz revelar pra você em formato de pôster, o que acha?


            - E o que te faz crer que eu gostaria de ter uma foto sua hein? – Gina aproximou-se e perguntou bem próxima a loira. A ruiva podia sentir seu coração acelerar, sua respiração perder o ritmo e os olhos de Harry cravados em suas costas, mas o magnetismo que Dylan exercia sobre ela era anormalmente forte. Dylan aproximou-se de Gina também, ficando a centímetros dela e respondeu maliciosamente:


            - Seria um excelente consolo para alguém que quer chamar a minha atenção o tempo todo!


            Mesmo sentindo o hálito quente em sua face, Gina Weasley não perdeu a pose, apenas afastou-se da loira. A ruiva deu uma gargalhada e retrucou:


            - Eu? Chamando a sua atenção? Acho que você inverteu os papéis Stuborn, de qualquer forma, nos vemos sexta, no teste de quadribol. Vamos ver se você não é mais uma propaganda enganosa!


            - Não duvide de mim Weasley ou você vai quebrar a cara mais uma vez! – Dylan parecia ter todas as respostas na ponta da língua, a loira encarou os olhos castanhos de Gina com intensidade e percebeu que a ruiva vacilou momentaneamente, mas logo se recuperou, antes de dizer:


            - Meus problemas no campo, eu resolvo no campo Stuborn. Até mais!


            Gina saiu caminhando majestosamente e hipnotizando Dylan que ficou boquiaberta a observando. Gina Weasley era, ao mesmo tempo, tão menina e tão mulher que conseguia seduzir a maioria das pessoas ao seu redor. Dylan era bonita, mas sua personalidade ás vezes irritava qualquer um que estivesse perto e ouvisse suas posições. A loira recebeu uma cotovelada forte nas costelas, virou-se irritada para Lizzie e perguntou mal-educada:


            - Voltou a falar comigo?


            - Você deveria parar de ser tão simpática com a Weasley. – Lizzie disse irônica enquanto caminhava-se para sentar na frente. Dylan acompanhou-a e sentou-se ao seu lado antes de responder:


            - Eu adoro vê-la irritada, ganho meu dia com isso!


            - Se você não percebeu, ela tá entrando no seu jogo e nem liga mais para o que você diz! – Lizzie disse sensatamente, nesse momento, Harry passou pela mesa das duas garotas e trombou propositalmente em Dylan que se sentava. A loira levantou os olhos repleta de fúria e disse:


            - Olha por onde anda Potter ou você é míope?


            - Desculpa Stuborn, eu não costumo prestar atenção em quem não merece! – Harry respondera repleto de sarcasmo, a loira cerrou os olhos e ia responder quando Lizzie fez com que ela se sentasse com um olhar repreensivo. Assim que conseguiu colocá-la sentada, Lizzie disse:


            - Para de irritar o Potter também, senão você nunca vai entrar no time! Ainda não percebeu que você depende dos outros pra jogar quadribol aqui em Hogwarts?!


            - Eu nunca dependi dos outros Lizzie, não vai ser agora que o casal perfeito formado pela artilheira sensação e o capitão babacão, vai tirar o quadribol de mim! Os dois vão ter que me engolir! – Dylan exclamou cheia de ira enquanto observava Harry a encará-la com um sorrisinho irônico. O rapaz parecia nem escutar Hermione que parecia lhe dar uma bronca, Rony chegou depois e deu um aceno envergonhado as duas antes de ir se sentar perto do amigo.


            - Você é bem cabeça-dura mesmo Dylan! Mas faça o que quiser, se você quebrar a cara, não venha me encher o saco depois! – Lizzie disse em tom de ameaça antes de afundar a cabeça na mochila atrás de seus livros de Transfiguração. Dylan ia responder quando foi interrompida pela Profa McGonagall que se materializou na sala, a loira cutucou Lizzie e perguntou abismada:


            - Ela é um animago?


            - Não Dylan, de certo ela acabou de conjurar a si mesma do nada! – Lizzie disse com uma cara de quem explica a uma criança de dois anos o que é uma vassoura, Dylan mostrou o dedo do meio para a amiga e virou-se para a professora de aparência severa e autoritária. Profa McGonagall deu um pequeno sorriso à sala da Grifinória e disse:


            - Sejam bem-vindos de volta! Espero que esse ano consigamos colocar um pouquinho mais de juízo na cabeça de vocês para que possam realizar os N.I.E.M’s com afinco. E outra coisa, espero que mantenham a Taça das Casas e a Taça de Quadribol na minha sala, tudo bem Potter?


            Harry Potter sorriu e estufou o peito em que reluzia o distintivo de capitão. Dylan revirou os olhos e Lizzie a olhou com desagrado. A loira olhou para a professora que a observava com atenção e parecia reconhecer que era ali que morava o problema, Dylan sorriu encabulada e sua cabeça não parava de dizer para que tomasse cuidado com aquela professora.


 


            A aula de Transfiguração seguiu-se calmamente, alguns alunos, como um garoto de rosto redondo chamado Neville Longbottom, conseguiu transfigurar a própria orelha em duas cornetas quando tinha que fazer isso com os dois ratinhos que estavam em suas mesas de estudo. Dylan e Lizzie conseguiram de primeira, aliás, Transfiguração era uma das poucas matérias que a loira tinha vontade de aprender e a aparência intimidadora da professora só estava ajudando para que ela se esforçasse ainda mais em Hogwarts.


 


***


 


            No restante da semana, Dylan e Lizzie conheceram os professores da escola. Tiveram que se dividir em apenas uma matéria, pois Lizzie optara por Aritmancia em vez de Adivinhação. O que fez Dylan se arrepender profundamente, a Profa Trelawney era uma verdadeira charlatã e previu que a loira morreria na próxima sexta a noite, diante disse, Dylan sibilou para Rony:


            - Só se Harry ou Gina me assassinarem durante os testes!


            O ruivo deu uma gargalhada tão alta que quase custou uma detenção aos dois, aliás, Rony estava sendo a sua companhia frequentemente, procurava deixar bem claro que não aprovava a atitude do amigo e mantinha-se longe dele quando Dylan estava sozinha nas aulas.


            Tiveram mais algumas aulas de Poções com Snape que sempre procurava algum defeito na poção de Dylan, mas nunca encontrava graças a Lizzie que mesmo brava com a amiga, se esforçava para que ela não levasse bronca e nem perdesse pontos para Grifinória. A Profa Minerva continuava a observá-la de perto durante as aulas, mas também não tinha o que reclamar.


            Inexplicavelmente, Dylan estava absurdamente quieta durante a semana, se concentrando ao máximo para os testes de sexta à noite, como se a sua vida na escola dependesse da sua aprovação ali. Lizzie estava até assustada e ficou ainda mais quando acordou com sede na madrugada de sexta e encontrou Dylan sentada na cama encarando o teto. A loira disse que não conseguia dormir.


            Dylan foi dormir quando o dia já raiava, dormiu durante toda a explicação do Prof. Binns sobre o Estatuto dos Lobisomens e também, durante a aula de Adivinhação do dia. Só acordou na aula de Defesa Contra as Artes das Trevas para prestar atenção no que o Prof. Lupin dizia sobre Maldições Imperdoáveis, mas que ela já sabia tudo por ter visto em Durmstrang.


            Quando a última sineta da sexta-feira tocou, encerrando a aula de Trato das Criaturas Mágicas no jardim, Dylan deu um tchauzinho apressado a Lizzie e correu até o dormitório e tirando o malão debaixo da cama, encontrou sua Firebolt. A loira deu um sorriso feliz enquanto a apanhava e saiu correndo pelos corredores, chegando ao campo de quadribol em menos dez minutos.


            Dylan assustou-se com a quantidade de gente que estava nas arquibancadas. Conseguiu visualizar Malfoy e o time da Sonserina, alguns alunos da Lufa-Lufa e outros da Corvinal e parecia que Grifinória inteirinha estava presente. A loira deu um sorriso cheio de si nos lábios rosados e encaminhou-se até a mesa no centro do campo, onde Harry estava sentado segurando um pergaminho. O moreno olhou-a de cima a baixo, em seguida, fechou a cara e perguntou grosseiramente:


            - Que posição Stuborn?


            - Artilheira Potter, até parece que você não sabe! – Dylan retrucou com a mesma “fina educação” que o rapaz dirigira a ela, os dois jovens fuzilaram-se com os olhares repletos de desprezo. Nem ao menos parecia que Dylan Stuborn pertencia à mesma casa de Harry Potter, tamanha energia pesada que pairava entre os dois. A luta de olhares foi interrompida pela voz de Rony Weasley chamando Dylan, o ruivo veio com um sorriso enorme na face e disse brincalhão:


            - Hoje você não vai fazer gol algum Stuborn!


            - Olha bem o que você diz Weasley, já conhece minha fama não é? – Dylan disse com um sorriso sincero, estava aprendendo a gostar muito de Rony, ele era um rapaz e tanto, completamente o contrário da irmã que por falar nela, apareceu logo atrás de Rony e disse repleta de veneno na voz:


            - Finalmente vamos observar você parar de falar e começar a fazer né Stuborn!


            - Gina Weasley e seu bom humor! Escuta ruiva, você tem esse humor o dia todo? Achei que fosse apenas durante a manhã! – Dylan disse sarcástica, cerrando os olhos e encarando a ruiva ficar rubra de tanta raiva, Rony conteve uma risada transformando-a em um acesso de tosse, o ruivo sabia que seria hilário ter as duas discutindo o tempo todo no time e seria bom para Gina baixar o topete por ser namorada do capitão. Por falar em Harry, o moreno pigarreou incomodado e perguntou:


            - Você joga mais pelo centro ou pelas laterais do campo?


            - Precisa de todo esse inquérito Potter? Eu vou tirar um dos artilheiros titulares do seu time, isso é certeza. Depois a gente vê o posicionamento! – Dylan respondeu achando graça da situação, Potter era extremamente certinho e a loira sabia que as conversas pré-jogo seriam longas e repletas de estatísticas e jogadas, alguém tinha que ensinar aquele garoto que quadribol era impulsivo, uma explosão de emoções e que no caso de Dylan, era uma explosão de paixão pelo esporte. Harry arqueou a sobrancelha e fez uma careta incomodada, Gina abraçou o namorado e assim que se recuperou do rubor, disse mal-educada:


            - Sua preferência Stuborn, só isso.


            Dylan olhou pelo campo e localizou quem procurava. Dino Thomas era um garoto negro, alto e extremamente forte. A loira andara se informando de que entre os três artilheiros da casa, ele era o mais fraco. Alguns alunos do sexto ano lhe disseram que Gina Weasley era a melhor dos três (o que não foi nenhuma novidade) e que Demelza Robbins dava conta do recado como ninguém, o que deixava Dino bem atrás das duas garotas. Também ouvira dizer que Grifinória se acostumara a ter artilheiras mulheres e que ano passado foi a única exceção, por isso, estava na hora de tirar o homem do meio. A loira sorriu maldosamente para Harry, apontou parar Dino por cima do ombro e perguntou:


            - Ele joga de que?


            - Dino? É artilheiro e o que faz a função de central, por quê? – Harry perguntara completamente confuso, pelo pouco que convivera com Dylan, acreditava que ela iria querer tirar Gina do time só parar irritá-lo. Mas ali estava ela, pensando no time e querendo tirar o mais fraco dos artilheiros. A loira o encarou e disse:


            - Faço a função de ala e central, mas se for pra manter o time todo do mesmo nível, eu faço a função de central pra tirar o babaca ali de trás!


            - Achei que você ia querer disputar com Gina na ala... Você foi convocada fazendo a função de ala em Durmstrang! – Rony questionou curiosamente e completamente perdido, Gina Weasley lançou a Dylan um olhar repleto de perguntas e de uma energia mais amena do que aquela que estava presente antes ali. A loira deu um sorriso sincero e mantendo os olhos em Gina, disse sinceramente:


            - Eu sei reconhecer quando alguém joga bem e vamos admitir, sua irmã é um achado! Não tem ninguém que faça a ala direita melhor do que ela! E eu fazia a ala esquerda, não iria jamais tirar a posição que é dela!


            Gina quase não coube em si ao receber o elogio de Dylan, mas por que aquela súbita alegria? Tantas vezes já recebera um elogio de Harry, mas jamais ficara tão eufórica como naquele momento em que Dylan Stuborn a encarava com um pouco de admiração e tinha um sorriso sincero nos lábios. Um sorriso formou-se involuntariamente no rosto de Gina e Harry percebeu, ficando visivelmente irritado.


            Dylan também parecera ficar subitamente perdida quando Gina sorrira. A loira não conseguia mais negar que a ruivinha estava conseguindo encantá-la ainda mais, apesar do mau humor e das brigas constantes, só esperava que pudessem ter ao menos alguma afinidade no campo. A loira deu um aceno ao casal e a Rony e saiu de cena para ir alongar-se com os demais candidatos ao time da Grifinória.


            Rony virou-se para o casal, Harry emburrado e Gina sorrindo (ainda). O ruivo disse feliz da vida:


            - Ela é gente boa! É só darem uma chance a ela!


            - Ela acaba de subir no meu conceito! – Gina disse enquanto observava Dylan alongar os braços e a musculatura definida da loira esticar, Dylan fizera questão de ir fazer o teste com uma baby look colada que estava começando a deixar Gina incomodada. A ruiva recebeu um olhar repleto de significados em troca e um sorriso que tirou seu juízo momentaneamente, talvez fosse por isso que ela não ouviu Harry dizer furioso antes de sair pisando duro e amassando o pobre pergaminho:


            - Ela nunca vai subir no meu conceito, por mim, ela e Malfoy podiam dar-se as mãos e jogarem-se de um abismo que não iam fazer falta!


 


            Harry parecia estar gostando do público que o teste para o time da Grifinória reunira, o rapaz fizera questão de deixar o teste dos artilheiros por último. Nos outros testes manteve-se a base do time do ano passado: Rony como goleiro; Cadu Cootes e Jaquito Peakes como batedores e Harry ainda sendo o apanhador, aliás, para apanhador nem tinham candidatos.


            Quando Harry anunciou os batedores do time, sem nenhuma surpresa, chamou os candidatos a artilheiro. Parece que assim que Dylan chegara a escola, a maioria dos futuros candidatos desistira. Só estavam ali ela, Gina, Demelza e Dino. Harry encarou os quatro e disse autoritário:


            - Vamos começar com cinco chutes para cada um, depois, um jogo mano a mano, todos contra todos. O que fizer o gol primeiro ganha, aquele que perder mais, está fora. Prontos?


            Todos assentiram com a cabeça, Demelza estava tremendo da cabeça aos pés, Gina parecia centrada, Dino estava com medo e Dylan estava concentrada prendendo os longos cabelos loiros em um rabo de cavalo. Harry lançou um olhar esperançoso aos três e perguntou:


            - Quem é o primeiro a enfrentar Rony?


            - Pode ser eu Potter, vim de Durmstrang até Hogwarts só para isso! – Dylan dissera com um sorriso brincalhão nos lábios, mas os olhos jorrando experiência e concentração. A loira recebeu a goles de Harry com uma força desproporcional, mas conseguiu apanhá-la enquanto o rapaz recebia um olhar feio da namorada. Dylan subiu na Firebolt e deu um impulso.


            Assim que Dylan ganhou os céus, a maioria dos que estavam presentes perceberam a visível diferença entre ela e qualquer outros jogador. Dylan Stuborn era segura e agressiva nos céus, voava com facilidade, movimentava-se com rapidez e seus movimentos eram perfeitamente naturais e o principal, repletos de habilidade.


            Dylan Stuborn avançou velozmente em direção ao gol, ignorando a gritaria que estava a sua volta e focando-se apenas em Ronald Weasley. Pode perceber que o rapaz era um bom goleiro pela maneira que tentava fechar seu ângulo de arremesso, mas era inexperiente e ao fechá-la, deixou seu canto esquerdo aberto. A loira mudou a goles rapidamente de mão e arremessou, gol. O primeiro arremesso estava concluído.


            No segundo arremesso, Dylan foi mais devagar, deu uma finta de corpo em Rony e fez o segundo gol no aro central das balizas. No terceiro arremesso, tentou repetir o primeiro lance e Rony conseguiu apanhá-la, a própria Dylan o aplaudiu com um sorriso divertido nos lábios. Mas ela deixara seus dois melhores lances para o fim.


            No quarto arremesso, voou com violência para cima de Rony e quando o rapaz achou que ela ia arremessar, a loira executou um giro da preguiça e arremessou de cabeça para baixo, apoiando apenas os pés na vassoura. Rony que nunca imaginaria uma jogada do tipo em uma artilheira estudantil, nem foi na bola, apenas deu um sorriso derrotado para a loira que mandou uma piscadela para ele. Mais aplausos e no chão, Gina estava boquiaberta sem saber o que pensar do lance.


            No quinto arremesso, Dylan arremessou a goles com muita força de longe. Rony deu o rebote e quando a loira o apanhou de soco, acertou a bola certeiramente no aro oposto ao que vinha voando. O estádio se calou enquanto ela descia para o chão e antes da vassoura parar, ela saltou para o chão, deu um sorriso e disse a Harry:


            - Pela sua cara Potter, parece que o que eu disse fez sentido não é?


            - Quatro acertos em cinco, não quer dizer nada Stuborn! – Harry disse contrariado, mas visivelmente derrotado pelo que acabara de ver. Assim que Dino Thomas subiu aos céus e errou o primeiro arremesso, Dylan virou-se para Harry novamente e disse:


            - Eu quero que você olhe para o que eu fiz Potter e para o seu goleiro, Rony pegou aquela bola porque é muito bom!


            - Ah claro, você nunca erra não é mesmo? – Harry perguntou sarcasticamente enquanto observava Dino errar o segundo arremesso para seu desespero, daquele jeito, teria que aceitar Dylan no time de qualquer forma. Dylan bufou irritada antes de responder:


            - Eu admito quando alguém é bom e Rony é muito bom!


            Harry calou-se e continuou observando os outros artilheiros. Dino errara os três primeiros arremessos e desceu com vaias em suas costas, Demelza acertara quatro também, mas sem o brilhantismo de Dylan, apenas a eficiência. Antes de Gina arremessar, Dylan sibilou sorrindo:


            - Boa sorte, não que você precise, é claro.


            Gina sorriu agradecida antes de voar com elegância, era uma tremenda jogadora, com um porte leve e muita habilidade. Fez os cinco arremessos e desceu ovacionada pelos alunos da Grifinória. Assim que os pés tocaram o chão, Harry anunciou:


            - Vamos aos jogos! Primeira dupla: Dino e Dylan!


            Dino engoliu em seco enquanto a loira dava um sorrisinho irônico ao rapaz. Além de ter uma vassoura melhor que a dele, a loira era mais jogadora. Assim que o jogo começou e Dylan apanhou a goles lançada por Harry, Dino apelou para o físico e nem nisso conseguiu tirar vantagem. Dylan esquivava-se muito bem e quando tinha que enfrentá-lo, enfrentava de igual para igual. Não deu outra, diante disso, cinco minutos depois Dylan fizera um golaço deixando Rony de um lado e a goles de outro.


            No segundo confronto, Gina e Demelza fizeram um jogo leve e disputado que só foi resolvido no último minuto quando Gina tirou uma bola da cartola e fez um gol do meio da rua, pegando Rony desprevenido nas balizas. Alguns alunos da Sonserina vaiaram o goleiro e Harry o xingou de uma série de nomes impronunciáveis.


            Assim os jogos se seguiram: Dylan ganhou de Demelza e Dino, Demelza venceu Dino e perdeu para Gina, a ruiva também ganhara de Demelza e Dino deixando o confronto dela contra Dylan por último. Harry estava visivelmente nervoso, não queria que Dylan ganhasse de Gina, isso significaria agüentar o mau humor da namorada e o sorrisinho vitorioso da loira por bastante tempo. Por isso, antes das duas subirem aos céus, Harry deu um beijo no rosto da namorada e disse:


            - Ganhe, está bem? Mas independente disso, você está no time!


            - Vou fazer meu melhor! – Gina sorriu e não notou quando Dylan mexeu-se incomodada logo atrás. Quando as duas subiram, a loira encarou a ruiva e disse sincera:


            - Você me surpreendeu Weasley, faz jus ao DNA que tem!


            - Obrigada Stuborn, mas vamos deixar as gentilezas de lado! – Gina disse brincalhona antes de ser mais rápida e apanhar a goles que Harry lançara. As duas iniciaram um jogo repleto de marcação e roubadas de goles, nenhuma conseguia chegar perto de gol e não arriscavam para não dar chance a oponente. Gina estava sendo superior, sua Cleansweep 7 não se comparava a Firebolt de Dylan, mas a ruiva estava fazendo um bom trabalho e bloqueando todos as jogadas imprevisíveis de Dylan. A jogo das duas entrou na noite, quando Harry gritou lá debaixo:


           - Vamos, desçam! Vocês duas não podem ficar a noite inteira aí!


           Dylan olhou surpresa ao seu redor, ao notar a noite estrelada e que a maioria dos alunos foram embora, restando apenas alguns grifinórios ali. A loira limpou o suor e deu um sorriso derrotado, jogou a goles para Gina e disse:


           - Você é boa ruiva!


           - Você também insuportável, minha vassoura vai precisar de um bom descanso antes de voltar a voar! – Gina disse as gargalhadas enquanto arremessava a bola e ela acertava Rony que parecia morto em cima de sua Cleansweep 11. O ruivo desceu junto com elas e disse:


           - Eu pedi para descer quando vi que vocês duas ficariam só se cercando!


           - Mas o Harry não deixou, garanto! – Gina disse com um ar piedoso enquanto dava algumas palmadinhas nas costas do irmão, Rony fez uma cara de cachorrinho abandonado antes de começar a rir. Abraçou as duas garotas e disse:


           - Vocês duas se entenderam, ainda bem que ninguém feriu o ego de ninguém!


           - E você acha que a ruiva não feriu meu ego por não me deixar passar por ela? – Dylan perguntou tentando fingir seu ar irônico, mas não conseguindo e gargalhando logo em seguida com os outros dois. Quando chegaram a Harry, o rapaz parecia ainda mais mal humorado, ele apenas jogou o uniforme do time em Dylan e disse:


          - Você está dentro e o Dino saiu, disse que não era justo competir com uma do seu nível! Faça jus a fama que adquiriu hoje e arrase a Sonserina amanhã no amistoso!


         Harry dissera furioso antes de trombar em Dylan propositalmente e sair caminhando pelo gramado. Gina repreendeu o namorado com o olhar e Rony deu de ombros constrangido, Demelza passou por eles assustada e parabenizou Dylan antes de sumir na escuridão, Rony saiu dizendo que precisava ver se ainda tinha dedos depois da bolada de Dylan e foi ao vestiário. Gina e Dylan ficaram sozinhas e um silêncio incômodo pairou entre elas.


         - Eu só...


         - É, eu queria...


        As duas riram ao notar que falariam juntas. Dylan deu um sorriso constrangido para os próprios pés e fez um sinal para que Gina prosseguisse, a ruiva colocou a vassoura sobre os ombros e disse dando as costas:


        - Você não é tão chata quanto parece!


       - E você não é tão criança quanto aparenta ser Weasley! – Gina deu uma gargalhada satisfeita, talvez por Dylan mudar a impressão que tinha dela ou porque tinham uma excelente artilheira no time, ela não sabia. Só sabia que estava bem, foi com um sorriso iluminado nos lábios que Gina deu as costas e acenou para Dylan.


       A loira ficou parada na escuridão do estádio sorrindo para o chão, perdida na euforia e na bagunça que tinha dentro de si.


 


***


 


E aí? A espera valeu um pouco a pena? HAHA


Espero que tenham gostado, comentem por favor! Comentários ajudam os autores a pensar!


Beijos e até o capítulo 3 x)

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.