FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. Quatro.


Fic: Lições do amor - HHr - Capítulo 22 ON LINE!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Quatro.


Lições do amor - o amor ensina mais do que se pode esperar.




Para Hermione, futebol americano era um jogo brutal. No entanto, naquele campo ela não prestava atenção na partida. Prestava atenção em Harry, apenas nele. E mesmo que não entendesse o jogo, vibrava quando ele e a torcida comemoravam algo. Ou até mesmo quando algo de errado acontecia, não podendo conter um sorriso ao ver Harry furioso. Ele ficava incrivelmente lindo daquela forma.


Os gritos de incentivo das líderes de torcida animavam algumas pessoas que assistiam ao jogo. Hermione fazia questão de ignorá-los. Tão pouco lhe importava sentir-se animada por Gina Weasley, a capitã das líderes de torcida e a mais exibicionista do local. O jogo já estava bem agradável ao observar apenas o moreno no campo.


O apito soara e o movimento de pessoas na arquibancada lhe indicara que era intervalo. Hermione suspirou, aconchegando-se mais em seu casaco. Sorrira ao olhar o irmão, comemorando a vitória que ainda prevalecia ao time que torcia. Certamente Harry estava satisfeito com o time também.


- Mione. - Richard a chamou, retirando o boné vermelho do time com os dizeres "Crows" bordado de preto. - Vou comprar algo pra comer. Quer alguma coisa?


- Só um chocolate, aquele com recheio de caramelo. – Ela falou, retirando uma nota de dinheiro do bolso. – Aqui, está... – então a estendeu para o irmão.


- Está bem. Eu não demoro. Não vá se juntar as líderes de torcida na minha ausência, hein. - O irmão dissera em tom de brincadeira, afastando-se.


- Até parece que faço esse estilo. – disse alto antes de Richard afastar-se completamente.


Quando não mais o vira, sorriu, e sentou-se de volta na arquibancada. Os jogadores estavam reunidos com o técnico, e seus olhos buscavam sempre a Harry. O vira jogar água nos cabelos que estavam úmidos já pelo suor. E Hermione não pudera evitar o suspiro. Apesar do frio, eles estavam acalorados pelo exercício.


Juntou as mãos no colo, e encolhera-se mais quando um vento frio lhe batera no rosto. Aquele casaco já estava gasto, pouco a protegendo do gélido clima da noite.


Seus olhos vagaram pelo campo outra vez, parando nas líderes de torcida. Lembrara-se do comentário recente do irmão e rira, meneando a cabeça. Definitivamente não eram seu estilo as saias curtas, tops e pompons. Muito menos exibir-se para todos com coreografias ousadas.


Entretanto focara-se involuntariamente na ruiva, que conversava sorridente com as amigas. Pode ver Gina comentar algo com uma amiga enquanto fitava Harry, enrolando uma mecha de cabelo nos dedos. Porém a atenção da ruiva dirigira-se para Hermione quando outra amiga dissera que estava sendo observada. Rapidamente Hermione desviara seu olhar, mas pode sentir os risos de Gina e as amigas sobre si.


Só não contava que, segundos depois, a ruiva apareceria na sua frente. Um sorriso cínico se desenhava os lábios finos e brilhantes pelo gloss. Hermione tremera, dessa vez não havia ninguém que pudesse salvá-la do veneno da Weasley. A presença de duas líderes de torcida ao lado da capitã a intimidara. Estava sozinha.


- Ora, ora. Não sabia que nerds sem graça frequentavam jogos de futebol. - Gina comentara com sarcasmo. - O que perdeu aqui no campo, Granger? Seu dicionário? - Indagou provocando risos nas amigas.


- Não, e isso não é da sua conta, Gina. – Hermione respondeu séria. – Todos podem ver os jogos, pensei que soubesse disso, sendo líder de torcida...


- Tão ingênua. - Disse Gina fingindo pena. - Você não veio para ver o jogo, queridinha. Veio pra ficar de olho no meu Harry. Ou pensa que não vi seus olhos fixos nele o tempo todo? Você disfarça mal, Granger.


Hermione corou intensamente, desviando os olhos. A ruiva tinha razão, mas não havia o porquê de ter algo de errado nisso. Não quando a relação com Harry estava se firmando.


- E isso a interessa? – perguntou baixo, e a líder de torcida erguera a sobrancelha. – Pensei que não se importasse com as garotas insignificantes como eu.


- Acha mesmo que eu dou importância para você? Como você disse querida. Você é insignificante. - Afirmara em um tom ameaçador, as amigas em suas costas assentiram. - Contudo eu não aceito a idéia de que Harry está se envolvendo com alguém como você. Mas eu te garanto que é só uma fase. Logo ele se cansa de você e irá te descartar, como faz com as outras garotas. E adivinha quem será a primeira garota que ele irá procurar?


- Gina Weasley. - As outras duas líderes de torcida responderam, fazendo um sorriso triunfante cobrir os lábios maldosos da ruiva.


- Ele... Ele não é assim. – falou Hermione na tentativa de pensar como seu coração mandava. Os olhos, porém, mostravam que as palavras de Gina surtiram efeito desejado. O olhar castanho estava marejado, e a morena mordia o lábio.


- Oh, Granger, ele é Harry Potter. - Gina ajoelhou-se diante da morena, tocando-lhe as mãos com uma falsa compreensão. - Tem a mulher que quer na hora que quer. E, julgando pelos trajes que você usa você não dá o que ele precisa. Não vai demorar muito para que ele canse de você. Você é só uma aventura para ele.


Hermione baixara a cabeça. Talvez Gina tivesse razão. Ainda não sabia qual era a fonte de interesse de Harry, já que ela não era nada bonita, nem tinha atributos que pudesse de fato conquistá-lo. Então qual outra coisa seria, senão o prazer da atração? E quando esta se findasse, ela seria descartada... Sentira o peito se comprimir e a garganta queimar.


Não tivera coragem de fitar a garota a sua frente, pois as lágrimas caíam sem pudores dos olhos tristes. Mas podia sentir o calor do sorriso dela, e da satisfação que via em seu choro contido.


- Não se preocupe tá? Prometo que quando Harry me procurar vou saciar a fome que você despertara nele. - Gina dissera ao se levantar, sua mão quase tocara os cabelos castanhos de Hermione, mas ela puxara rapidamente e expressara uma careta de nojo.


Gina descera a arquibancada, rindo junto com as amigas. As palavras dela ainda ecoavam dolorosamente na mente de Hermione. Algo lhe dissera que esse relacionamento com Harry era errado, mas pela primeira vez decidira ignorar a voz da consciência e arriscar-se em algo repentino. Se não tivesse arriscado não teria escutado palavras tão cruéis de Gina.


- Desculpa a demora. A fila estava enorme. - Disse Richard ao sentar-se do lado da irmã. - E a moça me entregara o pedido errado e... Mione? - Ele a chamara, assim que se deparara com o rosto da irmã coberto por lágrimas. - O que houve?


- Nada... – disse com a voz tremida. – Está tudo bem... Acho que não estou mais com vontade de ver o jogo. Importa-se de vê-lo sozinho? Vou voltar pra casa...


- Não, eu vou com você. Eu não quero ficar aqui sozinho e muito menos deixá-la ir assim.


- Desculpe, você queria tanto ficar, mas é que... – falou e sua voz tremera outra vez. Hermione calou-se, contendo as lágrimas. – Queria ficar sozinha agora.


- Está bem. Se você quer ficar sozinha eu vou logo em seguida. Mas vai direto pra casa, ta bem? - Richard aconselhou, beijando-a na face.


- Não se preocupe, eu vou direto pra casa. – sibilou um sorriso, e levantou-se, deixando o irmão intrigado. Ela parecia tão animada, e de repente, ficara naquele estado.


Hermione saiu passando pelas pessoas, subitamente tudo ficara mais frio, e o que Gina dissera não saía mais de sua cabeça. Precisava pensar sobre tudo, e chegar num consenso. Não sabia se dava atenção à razão ou ao coração. Antes era vitima quase que constante das brincadeiras dos mais populares, mas quando ficara próxima de Harry elas aumentaram muito.


E tinha medo...


Seguia com a mente embaralhada, os pensamentos vagavam confusos diante de si. Por mais que tentasse pensar em algo, não chegava à conclusão nenhuma. No entanto, o que não esperava era uma mão segurar seu braço, fazendo-a virar. Hermione abaixara seu olhar ao reconhecê-lo dentro do uniforme do time de futebol. Ele parecia feliz demais para notar sua tristeza.


- Eu espero que você não demore muito pra voltar. Vou dedicar meu próximo ponto a você. - Harry disse entusiasmado. Hermione forçara um sorriso ao olhá-lo, fora então que ele notara o rosto molhado e os olhos vermelhos e marejados. Ele a tocou no queixo, fazendo-a olhá-lo, preocupado. - O que aconteceu?


- Não aconteceu nada, só vou pra casa. – respondeu tentando encurtar ao máximo aquele momento.


- Por quê? - franzira a testa, confuso. Colocou o capacete sobre um lugar vago na arquibancada, olhando-a. - Se não aconteceu nada porque está chorando?


- Coisa minha... – murmurou, limpando as lágrimas sutilmente. Talvez aquele momento fosse o ideal para dar um fim a tudo. Abdicar de Harry, e voltar pra sua vida. – Olha Harry, eu preciso falar seriamente com você.


- Então fala. - Ele disse impaciente ao revirar os olhos. - Eu estou aqui. Fala de uma vez o que houve.


- Acho melhor agente parar com isso logo de uma vez. – disse, impulsivamente. – Antes que um dos dois se machuque...


Harry a fitara fixamente, engolindo em seco. As expressões contraídas em sua face fizeram Hermione deduzir que ele chegara ao limite de sua paciência. Estava furioso.


- E eu posso saber o que te fez chegar nessa conclusão?


- A realidade, Harry. Não fomos feitos um para o outro, e por mais que diga o contrário, é a verdade. – Hermione disse angustiada. – Eu não quero sofrer, não mais do que já sofro. Não sabe nada do que é, e não pode entender. – emendou chorando outra vez. Tremia-se toda. – Então, tomei uma decisão importante, por nós dois, e... Vou pedir a outra pessoa que dê suas aulas de reforço.


O moreno passara a mão entre os cabelos, praguejando. Virou-se de costas para Hermione, respirando fundo e tentando recuperar o fio de paciência que esvaíra de si. Não entendia porque Hermione estava dizendo tudo isso, mas não a perderia tão facilmente. Não agora que a tinha para si. Seu olhar encontrara o sorriso cínico de Gina ao observar a cena e ele soube de imediato, que havia dedo dela nessa história. Mas não lhe daria esse gostinho de vitória.


Voltou-se para Hermione, que reprimira um soluço ao olhá-lo. Ele então se aproximou, ignorando os olhares curiosos de todos sobre a cena. O que lhe importava agora era fazê-la mudar de idéia. A morena estremecera quando ele a puxara pela cintura, unindo seus corpos. Sentira a mão dele afagar sua face delicadamente, enxugando as lágrimas. Os olhos verdes fitaram os castanhos, revelando sentimentos.


- Então me diz, olhando nos meus olhos... - Harry sussurrou, contornando os lábios dela com o polegar. - Que não fomos feitos um pro outro e que não me quer mais por perto. Diz que isso que tá acontecendo entre a gente foi um erro. Diz Hermione.


- Não… Eu… - gaguejou, tentando desviar o olhar. Mas em um momento tivera que encará-lo. – Não posso dizer isso... Não torne tudo mais difícil...


- Se não pode dizer é porque chegara à conclusão errada. - Murmurou tocando-a no queixo. - O que Gina te disse?


- Porque acha que ela me disse alguma coisa? – retrucou não tendo forças para soltar-se dele. Na verdade, nem queria.


- Porque eu não sou idiota. Conheço Gina Weasley e eu sei que, nesse exato momento, ela está sorrindo achando que vamos terminar. - Harry sorriu. - O que ela disse?


Hermione suspirou vencida.


- Disse muitas coisas, das quais ser descartada quando você se enjoar de mim, entrar para lista das conquistas, e... Gina ser a garota que vai procurar quando isso acontecer. Essas coisas estão entre as mais colocadas. – disse pesarosa. – Não quero ser só mais uma garota. Tenho sentimentos e quero que os respeite, se for só isso, uma aventura, prefiro não arriscar.


- Inacreditável. - Harry praguejou entre dentes, furioso. Tivera que lutar contra a vontade de ir atrás de Gina Weasley e tirar satisfações, contudo tinha algo mais importante para fazer. Suspirou, recuperando a calma. Seus dedos acariciaram a face de Hermione. - Posso te chamar de Mione? Eu acho que tenho esse direito já que estamos tanto tempo juntos, hum? - Disse fazendo-a esboçar um pequeno sorriso.


- Porque faz isso comigo? Eu não consigo reagir... – murmurou rendendo-se ao jeito carinhoso e apaixonado a qual era tratada por Harry.


- Porque eu não seria tão cafajeste a ponto de brincar com seus sentimentos, Mione. - Harry sussurrou, vendo-a respirar fundo ao ouvir o apelido. Ele sorrira disposto a revelar todos seus sentimentos. - Porque desde o momento em que decidi que queria você, eu sempre a respeitei. E por mais que Gina diga asneiras tentando nos separar, nada disso vai adiantar. E você não pode me deixar, Mione. Não deve ou me verá louco.


- Louco? Louco de que? – indagou, sentindo-o colar mais seu corpo ao dele.


- De amor. - Ele a olhou nos olhos, as expressões de seu rosto sérias. - O que eu sinto por você nunca senti antes por nenhuma garota. Eu me apaixonei por você, Hermione.


- E… Eu sempre fui apaixonada por você, como metade das garotas da escola. E ainda não consigo discernir se isso é um sonho.


Harry sorrira diante a revelação de Hermione. Ouvira de longe seu nome ser chamado, provavelmente o intervalo estava acabando. Mas isso não lhe importava agora. Não agora que tudo estava saindo da forma que sempre ansiara. Ignorara os chamados, roçando seus lábios aos de Hermione.


- Isso não é um sonho, Mione. - Harry sussurrou, dando início ao beijo.


Ela gemera baixo quando os lábios dele exigiram os seus. As mãos grandes de Harry ocupavam-se em repousar na cintura fina da morena, apertando-a gentilmente. Já sua boca, ousava mais, deixando Hermione a mercê de suas vontades. As quais eram idênticas as dela.


Levou os dedos aos cabelos negros e molhados do jogador, e enterrara-os lá, massageando os fios macios.


O beijo era intenso e apaixonado e Hermione sentira a sinceridade das palavras dele naquele gesto. A gritaria e os assobios dos presentes no campo anunciava que, de agora em diante, a relação entre o casal não era mais segredo para ninguém. Estava ali diante dos olhos de todos, para quem quisesse ver. Após alguns minutos, Harry cessara o beijo em busca de ar. Ele dera uma leve mordida no lábio de Hermione, fitando-a nos olhos.


- O que te disserem de agora em diante, ignore. Se importe apenas com o que eu sinto e com o que eu penso. Não dê ouvidos a quem não quer o nosso bem. Entendeu? - Indagou colocando uma mecha castanha dela atrás da orelha.


- Está bem, você tem razão... Agora é melhor voltar pro jogo. – ela disse, sorrindo, ruborizada.


Harry olhara para trás por um momento, rindo ao ver os outros jogadores ao meio do campo impacientes, esperando-o. Ele pegou o capacete sobre a arquibancada, voltando-se para Hermione.


- Vai ficar até o fim do jogo? - Perguntou vendo-a assentir. - Ótimo. Tenho algo importante para você no final. - O moreno a beijara na testa, colocando o capacete e voltando para o centro do campo.


...


Caminhara até o centro do campo, vazio naquele momento. A vitória do Crows contagiara todos os presentes. Ainda podia ver a bagunça no campo, papéis picados para todos os lados, garrafas de água pelo campo. Sentia-se feliz também, afinal o time do seu colégio havia ganhado. Isso animaria os ânimos do local durante a próxima semana.


Cruzou os braços para se proteger do frio, sentindo-se mais aliviada após a conversa que tivera com Harry. Suspirou, não contendo o sorriso nos lábios. Ele estava apaixonado, assim como ela. Era praticamente difícil de acreditar nisso.


- Prefiro o campo assim, silencioso. - Disse a voz masculina atrás de si, fazendo com que ela se virasse e sorrisse ao olhá-lo. Os cabelos ainda molhados e bagunçados o deixavam incrivelmente lindo. - Me ajuda a pensar. Quando preciso pensar em algo sempre venho pra cá. - Harry retirou a mochila do ombro, colocando-a no chão.


- Eu também prefiro assim. Não gosto de multidões... Jovens arruaceiros e garotas dando cambalhotas. – Hermione disse e riu.


- Hã... Sobre a arruaça que eu fiz após o jogo... - Disse Harry ao apontar para o gramado do campo, repleto de sujeira. - Me desculpe, mas eu tinha que comemorar. - Riu junto com ela.


- Você mereceu, e eu não me referia a isso. – a morena respondeu, sorrindo de lado. – A torcida estava um tanto eufórica, Richard quase foi pisoteado.


- Sinto muito pelo seu irmão. - Ele sorriu ao se aproximar, puxando-a para mais perto pela cintura. - Se sente melhor agora em relação ao que aconteceu?


- Me sinto sim. Eu não sei o que me dá, me desculpe por duvidar de você e do que sente por mim. – afagou o rosto anguloso de forma suave.


- Você não tem culpa. Eu não fui uma pessoa confiável desde o começo, tem todo o direito em duvidar de mim. - Harry sorrira sincero. - Mas eu não a fiz esperar para falar sobre isso. Queria tratar outro assunto com você.


- E qual assunto seria? – perguntou curiosa.


- Nós. - Harry disse, rindo quando ela erguera uma sobrancelha e sorrira marota, incentivando-o a continuar. - Eu estive pensando ultimamente. As pessoas andam implicando com você porque ainda não assumimos nenhum compromisso, acham que isso é motivo para dizerem que eu só estou me aventurando com você. E eu não quero que você pense que o que eu vou fazer é por pena ou apenas para evitar que te magoe novamente, como Gina fez hoje. O que eu vou fazer é porque eu quero. É porque o que eu sinto por você me fez ver que vale à pena tentar.


- Então faça logo, antes que eu morra de ansiedade. – disse Hermione sorrindo nervosamente. O coração não se cabia dentro do peito, imaginando o que seria.


- É eu acho que você não é a única aqui. - Harry murmurou, sorrindo. Sua mão acariciava o rosto corado e bonito de Hermione, olhando-a nos olhos. - Aceita namorar comigo?


 O susto ao ouvir aquela pergunta, a qual sonhara tanto escutar, se transformara rapidamente em uma imensa alegria. O sorriso ao qual Hermione esboçava com tanta suavidade, era sinal claro de que estava transbordando de emoção. Não precisava nem comentar em que situação estava o ritmo do coração. Este era desconcertante.


- Você... Você quer namorar comigo? – retrucou ainda sem acreditar. Precisava ouvir outra vez.


- Foi exatamente isso que eu disse. - Harry comentara, rindo. - É a primeira vez que realmente assumo um relacionamento sério com alguém, mas é isso que eu quero Hermione. Eu quero namorar você.


- Quero muito ser sua namorada... – ela respondeu, vendo os olhos verdes dele, brilharem.


- Não sabe o quanto fico feliz por concordar com isso. - O moreno sorrira, acariciando a face da garota. Hermione esboçara um pequeno sorriso, corada com o olhar intenso e apaixonado que ele a fitava. Harry sorrira ao tocar-lhe o queixo, fazendo com que ela o olhasse. - Vai ter que deixar sua vergonha de lado agora, senhorita. É minha namorada de agora em diante.


- Juro que farei um enorme esforço... Na verdade já me acostumei a ter você por perto. – então riu-se e o beijou levemente nos lábios, corando logo em seguida. – Eu ainda nem acredito que estamos namorando.


- Então acredite. Estamos namorando. - Sussurrou distribuindo beijos pela face corada da morena. Harry então a fitou, mordendo o próprio lábio. - Bom tem outra coisa também. Deixei a parte mais difícil para o final.


- Mais difícil que pedir uma garota em namoro pela primeira vez? O que poderia ser? – brincou e ele riu.


- Dizer pra namorada que minha mãe a convidou pra jantar em casa amanhã. - Harry dissera de imediato, vendo-a arregalar os olhos surpresa.


- Jantar na sua casa? – indagou num eco. – Não acha que é um pouco cedo... Mal começamos a namorar, eu não quero pressioná-lo quanto a isso.


- Mione, você não está me pressionando. Eu a convidei porque quero apresentá-la à minha família. Sem falar que o convite surgira da parte da minha mãe desde aquele dia em que você fora lá em casa. Ela gostou de você. - Completou sorrindo.


A morena suspirou, sabia que não adiantara nada discutir com ele. Mas tinha tanta vergonha de aparecer por lá outra vez, que não podia parar de pensar nisso. Se envergonhasse Harry na frente dos pais, nunca se perdoaria. No entanto, se a própria mãe dele a convidara, seria ainda mais rude recusar. E por nada no mundo queria começar seu namoro com ele assim...


- Tudo bem, eu irei, sim. – respondeu com um sorriso nos lábios.


- Fico feliz em ouvir isso. - Harry disse ao vê-la se abraçar e encolher do vento frio. Retirou seu casaco, colocando-o no ombro de Hermione e ajeitando. - Quer ir pra casa?


- Quero. – ela disse, sentindo o perfume dele atingir-lhe os sentidos. Suspirou, enquanto ele a abraçava de lado. 


- Então vamos. - Harry pegara sua mochila, jogando-a no outro ombro e seguindo ao lado de Hermione, deixando o campo.


...


Caminhava pela rua em passos rápidos, desejando imensamente que a amiga estivesse em casa a essa hora. Precisava de sua ajuda, assim como precisara no dia da festa. Se não fosse pela insistência e a produção da amiga, não estaria sentindo-se imensamente feliz como estava agora, ao lado de Harry.


Subira rapidamente os degraus da varanda, tocando a campainha. Esperara alguns segundo até que a porta fosse aberta, sorrindo e suspirando aliviada quando vira o rosto sorridente se sua amiga recebendo-a.


- Bom dia, minha margarida. - Katie disse ao abraçá-la, afastando-se para prender os cabelos. - Infelizmente você chegou depois das fofocas. Já soube que rolou um beijão entre Harry e você ontem no jogo.


- Puxa como essa gente fala, não? – Hermione brincou sorridente.


- Querida eu ouvi essas fofocas quando fui ao mercado mais cedo com a minha mãe. Você sabe como o povo aqui adora fofocar. - Comentou ao puxar a amiga para o interior da casa, subindo a escada para o seu quarto. - Vi Gina Weasley também no mercado. Ela parecia furiosa.


- Estava? – Hermione indagou, num meio sorriso. Katie ergueu a sobrancelha e assentiu. – Bem... Não tenho tempo para me preocupar com Gina agora, preciso da sua ajuda.


- Já sei. - Os olhos azuis de Katie brilharam. - Você precisa da minha ajuda para acabar com Gina Weasley? - Indagou entusiasmada ao sentar-se na cama. - Eu tenho uma idéia. Nós podemos pegar cola e grudar todos os fios de cabelo dela e depois...


Hermione gargalhou, sentando-se ao lado dela na cama.


- Sabe que eu não faria isso, nem mesmo ela merecendo, porque não quero pagar na mesma moeda. E além do mais, ela poderia nos acusar de plágio. Já que ano passado ela colou os meus cabelos. – a morena comentou. – Preciso de você para outra coisa, é muito importante.


- Então fala de uma vez o que é, Mione. Vai me matar de curiosidade. - Disse Katie fingindo desespero.


- Harry me convidou para jantar na casa dele hoje a noite, só que não tenho nada para vestir. Não quero me parecer com uma mendiga, todos os meus vestidos são simples demais.


- Espera aí. - Katie a fitara, confusa. Ficou em silêncio por alguns segundos, tentando processar a informação, mas nada fazia sentido. - Por que Harry te convidou pra jantar na casa dele?


- Ora... Porque sou a namorada dele. – Hermione respondeu, e a amiga arregalara os olhos.


- Como é? - Ela indagou, boquiaberta. - E você esquecera-se de me contar esse detalhe ou pensou que não fosse importante? Quando ele te pediu em namoro? Quando? Onde?


- Bem… Ele me pediu em namoro ontem no fim do jogo. – a morena contara, mordendo o lábio.  – Ah, Katie... Foi tão lindo, ele se declarou para mim. Disse-me coisas bonitas, e foi tudo perfeito. Desculpe-me se esqueci de contar, é que estava tão agitada e... Nem sei explicar, que acabei esquecendo.


- Você está namorando Harry Potter, inacreditável. - Katie dissera com um largo sorriso nos lábios, levantando-se de sua cama em um pulo e abrindo seu closet. - Minha amiga eu já te fiz ser digna do Potter uma vez. Posso fazer isso de novo com facilidade.


- Acha que milagres acontecem mais de uma vez? – Hermione perguntou rindo. – Estou tão nervosa!


- Mione você é linda. Só é tímida e tem vergonha de valorizar o que tem. - Dizia a amiga ao revirar algumas peças de roupas. - Se Harry está com você é porque ele reconheceu isso. Você não precisa ser vulgar como a Weasley. Aliás... - Katie virou-se, sorrindo maroto. - Vou deixá-la mais linda que ela. Pode apostar.


 




 




N/A: Capítulo quatro mais maroso, não é gente?! *-*
Casal mais cute que Harry e Hermione realmente não existe. Fato. <3

Ficamos felizes em saber que temos novos leitores na fic.
Esperamos que continuem acompanhando e gostando da história. E comentando também, claro.
Somos bem exigentes com comentários. kkkk

Aah e não se preocupem quanto à Gina.
Ela terá o que merece. Vacas sempre se dão mal com a gente. kkk

Sabem como funciona as regras, não é?!
Comentem bastante que o próximo capítulo vem voando. Rapidinho. *-*
Então, Comentem. kkk

Beijo das autoras.


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Isis Brito em 05/08/2011

Awnn... Eu quero um Harry desse pra mim... *-*

Capítulo lindo demais!! =D

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.