FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

8. Desonra


Fic: Heroes -O Torneio dos Deuses


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Havia se passado um mês desde que haviam chegado àquele mundo, data que deixava Hermione pensativa enquanto observava Harry e Eragon treinarem espadas e Grier tentando atingir Groar com a flecha.


-Está pensativa hoje, algo a incomoda? –Arya pergunta um pouco preocupada, visto que Hermione costumava ter inquietações bastante relevantes.


-Não, apenas fazia um balanço desse mês que passamos juntos. Grier tem ficado bastante civilizado, me surpreende o modo como aprende rápido e se encaixa com perfeição nos locais onde está, não é um mutante apenas no poder.


-Tem toda razão. É realmente muito bom tê-lo na equipe, principalmente pelos seus serviços de espionagem. –Arya concorda, enquanto lembrava-se da última missão, um reino inimigo de seus amigos tinha um prisioneiro que deveriam libertar e Grier fizera todo o trabalho com total discrição.


-Em compensação Groar parece cada dia mais assustador. Ontem mesmo Harry e ele se estranharam após um olhar nada agradável que lançou a mim, quase me sinto como uma lebre diante de um tigre faminto. –Diz apreensiva e em tom baixo para que só Arya ouvisse.


-Groar sabe que pode ser rápido e forte, mas tem uma mente incrivelmente frágil e todos nós podemos imobilizá-lo em um segundo caso seja agressivo com alguém. –Arya diz tranquilizadora.


-Espero que consigamos mantê-lo domado. –Hermione diz em um suspiro, então seu olhar recai em Harry e Eragon que riam, Harry estava no chão e provavelmente havia caído de modo engraçado. –Se tornaram amigos rapidamente.


-Ambos possuem histórias muito parecidas, quase como se uma sobrepusesse à outra. Devem entender o outro tão bem como a si mesmos. –Diz aprovadora.


-Verdade, mas ainda acho que eu entendo melhor o Harry que os dois juntos. –Hermione comenta rindo.


-Todos preferimos ignorar alguma parte desconfortável de nós mesmos. –Analisa dando de ombros.


-Seria muita pretensão minha achar que um dia poderíamos ser assim? –Hermione pergunta fitando os rapazes, que voltavam a treinar. Arya pegou-se surpresa, porém logo recobra sua postura serena.


-Considero-a uma jovem muito madura e inteligente, tem todo meu respeito e creio que sejamos boas amigas de certa forma. Porém já vivi demais para me abrir tanto com alguém.


-Às vezes ao nos abrir, permitimos que alguém nos guie através da escuridão que cerca aquilo que preferimos esconder de nós mesmos, mas que é necessário alcançar para evoluir. –Hermione diz e logo depois se levanta, desligando o alarme de seu relógio e se preparando para recolher as coisas para partirem rumo à próxima missão.


*****************************************************************


Haviam se separado há algumas horas, Arya, Hermione e Grier seguiam com os unicórnios para uma missão de caça, enquanto Groar, Harry e Eragon iam a uma missão de captura de um objeto nas fronteiras de um reino inimigo.


-Então como foi seu treino? –Harry pergunta a Eragon, que o olha sem entender, afinal ambos haviam treinado juntos. Percebendo isto, resolve explicar mais. –Não tivemos tempo longe das garotas para conversar, então só queria saber como foi seu treino no último reino. –Eragon finalmente havia entendido e corara ao pensar no que fizera.


-Acho que foi produtivo. –Responde, mas ao ver que Harry entendera errado completa. –Não foi como se eu quisesse beijar aquela mulher, você sabe, eu só tenho pensamentos para Arya, mas excetuando-se isso foi bom.


-Eu te entendo, mas não precisará mais fazer esse tipo de coisa. –Diz dando tapinhas consoladores no amigo. –Conversei com Hermione ontem mesmo, ela disse que Arya é bem fechada e cuidadosa, não deixa escapar muita coisa, então fica complicado. –Lamenta sabendo que Eragon contava com a ajuda deles.


-Tudo bem, o que importa é que estamos tentando e sendo cautelosos. –Diz tentando se manter otimista.


-Jura não tem ouvido nada de interessante? –Harry pergunta fazendo o dragão, que estava deitado, erguer a cabeça.


-Ele disse que não, Arya não pensa alto e as conversas dela com Hermione geralmente são sobre conhecimento de uma ou outra, não falam muito de nós. –Eragon transmite a Harry o que o dragão lhe dissera.


-Estamos em baixa com as duas, porque aposto que quando falam de nós é para reclamar. –Harry conclui desanimado e Eragon e Jura riem, porém logo param.


-Uma mulher precisando de ajuda. –Eragon diz já levantando rápido.


Harry vira para onde Jura olhava e já voava a toda velocidade e em linha reta, Eragon e Jura voavam logo atrás. Esperavam por uma aldeã frente a frente a uma besta selvagem, só não imaginavam que esta seria Groar. Ao invés de estar caçando e comendo sua generosa porção de carne, o gigante estava sobre a desesperada mulher cujas roupas estavam rasgadas.


Harry, tomado por um verdadeiro ódio, lança com toda força um feitiço de extinção em Groar, que é lançado para longe da mulher, derrubando algumas árvores antes de parar de pé e furioso.


-Seu demônio maldito, havíamos te avisado que morreria! –Eragon brada enquanto Jura lançava fortes chamas na direção de Groar, que dá passos rápidos para o lado e salta desviando do fogo.


Harry sabia que aquele era o único ponto onde Groar poderia se abrigar das chamas e lançara um feitiço explosivo, que explode no peito de Groar, lançando-o para o alto, onde Jura o acerta com a cauda espinhosa, quebrando-lhe vários ossos.


-Impedimenta. –Harry brada e o feitiço atinge Groar, paralisando-o caído no chão. –Está paralisado!-Avisa a Eragon, que pousa com Jura.


-Devíamos bater mais nele. Esse covarde não sentiu dor o suficiente! –Eragon estava completamente transtornado e Jura mostrava que adoraria mastigá-lo e cuspi-lo várias vezes.


-Não podemos subestimá-lo, além disso, precisamos ajudar a garota. –Harry diz já com sua espada em punho. –Vamos decapitá-lo e jogar a cabeça longe, só pra garantir.


-Não! –Harry e Eragon ouvem a voz de Grier e se viram para olhar o companheiro de equipe. –Hermione e Arya aparataram conosco para o local de onde veio o aviso de companheiro ferido, estão com a mulher.


-Se quer defender seu amigo, então é melhor pegar sua arma. –Eragon vocifera mostrando que nada os impediria de matar Groar.


-Sei que neste mundo as coisas são diferentes, eu aprendi como funciona e sinto que ele não tenha aprendido. Não peço que o perdoem ou deixem-no livre, apenas que se respeite uma única tradição de meu mundo: o sacrifício do guerreiro. –Grier diz tentando soar firme, apesar de visivelmente abalado com a situação.


-Então você quer escolher como matá-lo? –Harry pergunta observando Grier atentamente.


-Groar e eu fomos companheiros por muito tempo, vencemos e perdemos muitas batalhas juntos. Ele pode nunca ter sido um homem formidável, mas seu valor como guerreiro é incontestável e isso em meu mundo significa muito.


-Faça como quiser então, iremos ajudar Arya e Hermione, que não merecem aguentar tudo aquilo. –Eragon diz recolhendo Jura. Logo depois Harry os aparata.


*****************************************************************


Era a primeira vez que seus colares indicavam um sinal de perigo tão forte a um membro do grupo e imediatamente Arya e Hermione aparataram levando Grier e os unicórnios consigo, ambas gratas por terem estudado e aperfeiçoado a técnica de aparatar baseado na magia dos colares.


Ao chegar no local, surpreenderam-se ao encontrar apenas uma mulher desmaiada, as roupas pareciam rasgadas de qualquer forma e havia muito sangue pelo corpo. Ao redor viram o machado de Groar e ouviram sons de batalha.


-Vou até lá, melhor cuidarem dela. –Grier avisa antes de correr na direção da grande chama, sinal da presença de Jura.


-Groar a violentava quando Harry e Eragon chegaram. –Arya diz com dentes cerrados, a vontade de espancar Groar tão forte quanto a de fazer algo pela jovem.


-Vou apagar a mente dela e curá-la, por favor, restaure suas roupas com magia. –Hermione diz tentando não pensar que se não fosse Harry, poderia ser ela mesma ali.


-Pode mesmo apagar suas memórias? –Arya pergunta surpresa.


-Sim. E depois que curá-la, posso fazer o mesmo com você. –Responde sabendo que provavelmente Arya preferiria não ter as memórias da mulher.


-Eu agradeceria. –Diz antes de começar a reparar os trapos.


Em poucos minutos Hermione havia curado a jovem, apesar dos graves ferimentos sofridos por ela. Suas habilidades de cura tendo melhorado muito com a frequência de uso nos treinos do grupo e nas frequentes “bênçãos” que ofertava ao visitar vilarejos.


-Como estão? –Harry pergunta assim que surge com Eragon, ambos olhando para o chão e ficando aliviados por verem a mulher já vestida e aparentemente curada.


-Ela está bem, a curei e obliviei. Agora vou apagar também as memórias da mente de Arya. –Hermione diz notando que os dois estavam bem.


-Eu gostaria que fizesse o mesmo comigo. –Harry diz tendo certeza de que não iria querer mais aquele motivo para ter pesadelos durante a noite.


-Também gostaria de receber o favor. –Eragon ecoa o pedido do amigo, o grito agonizante da mulher ainda reverberando em seu ouvido.


Não demorou muito até que Hermione fizesse o trabalho nos três, tempo necessário para que Grier surgisse por entre a mata, as roupas sujas de sangue e em sua mão algo grande e sangrento, que logo ficou evidente como sendo um coração.


-Como eram companheiros de batalha de Groar, trouxe seu coração para dividirmos como manda a tradição. Assim sua força e poder permanecerá conosco. –Grier diz em tom profundo e respeitoso. Porém aquilo só fazia os estômagos dos outros revirarem.


-Não fazemos questão de participar do seu costume e não queremos honrar Groar de maneira alguma. Se quiser prosseguir com seu ritual, que o faça sozinho. –Arya diz com visível asco, não pela tradição, pois esta não era exatamente algo estranho vindo de um povo guerreiro em essência, mas sim ao guerreiro que desonrara o grupo de todas as formas.


-Como quiserem. –Grier diz voltando pelo caminho que havia usado para chegar.


-Melhor acordarmos ela e ver onde podemos deixá-la em segurança. –Hermione sugere e os outros concordam com um aceno.


*****************************************************************


A conversa com a mulher fora, de certo modo, assustadora. Haviam ouvido o relato de duas bruxas que invadiram o reino, para o qual iam, e começaram a transformar as pessoas em estátuas de pedra ou gelo.


Não fora preciso muita discussão para que fossem ao reino próximo, aliado a eles, deixarem a mulher e buscarem por reforços para que juntos enfrentassem o grupo divino que ao invés de cumprir sua missão, destruía todo o reino.


Montados em seus unicórnios, Hermione galopava a frente e, ao chegar ao portão do reino, imediatamente mostrou seu anel e viu os guardas o abrirem enquanto os da torre badalavam os sinos anunciando a visita de amigos. Passaram rapidamente por todo povoado e pararam apenas na porta do castelo, onde entraram sem cerimônia.


-Desculpe-nos pelos modos rudes, porém a situação é de emergência. –Arya diz ao representante real, com o qual se encontraram em um corredor.


-Neste caso, me digam o que há enquanto voltamos à sala do trono, nobres sacerdotes. –O homem forte e de traços muito semelhantes ao de Arthlan diz fazendo sinal para que sua guarda retornasse.


-O reino vizinho ao seu foi atacado por sacerdotes de outro Deus. O relato desta aldeã que fugiu a procura de ajuda é assustador, faz nos crer inclusive que este reino será o próximo a ser atacado por estar simplesmente bem próximo ao outro e no caminho para uma possível missão. –Arya explica a situação de forma resumida.


-Fico grato por terem vindo nos alertar. –O homem diz no momento em que chegam ao elegante salão real. –Sou o Príncipe Heigel. –Anuncia fazendo uma respeitosa reverência em frente ao trono –Gostaria de primeiramente agradecer por terem salvo meu irmão de sua terrível doença, Arthlan fez questão de fazer a notícia de sua benção percorrer todos os reinos. Em seguida, queria dizer que a jovem e todos vocês são muito bem-vindos em meu reino. E, por fim, gostaria de pedir que me informassem mais detalhes sobre o perigo iminente. –Diz de modo respeitoso, ao final fazendo sinal para que seguissem-no até a sala adjunta, onde havia uma grande mesa e cadeiras, além de mapas e instrumentos de medições.


-Uma de nossas missões é nas montanhas há dois dias daqui, creio que eles possuam a mesma missão, pois a outra de nossas missões era justamente no reino atacado. –Arya explica após se sentar, já colocando o mapa que tinham a frente do rei e apontando as montanhas logo atrás daquele reino.


-O caminho mais curto seria atravessando minhas terras. –Concorda Heigel. –Que tipo de poder essas criaturas tem exatamente? E quantos são? –Pergunta olhando para a jovem que não estava vestida como os sacerdotes.


-Eu só vi duas mulheres. Uma era muito alta, bonita e usava magia, transformava as pessoas em gelo. A outra eu vi de costas, tinha ao invés de cabelo serpentes e todos a sua frente viravam pedra, coisas explodiam, a guarda foi rapidamente derrotada. –Explica ainda assustada com as lembranças.


-Como imaginam que podemos vencer tais criaturas? – Heigel pergunta esperançoso de que os sacerdotes tivessem a resposta.


-Em primeiro lugar, devemos abrigar todos os aldeões, levá-los para um lugar escondido e seguro. Depois passar a guarda que em hipótese nenhuma olhem para os olhos da mulher de cabelos de serpente. –Hermione diz de modo prático.


-Nós iremos lutar contra as duas, se houverem mais que duas, seria bom que os guardas interviessem. –Eragon acrescenta para alívio do príncipe.


-Podemos desenvolver mais estratégias se nos mostrar seu reino e nos informar sobre seus cavaleiros. –Arya completa e Heigel assente.


-Com vossa permissão. –Ouvem uma voz feminina vinda da parte direita e se viram, observando uma mulher em vestes nobres se aproximar.


-Esta é minha esposa, Princesa Dinara. – Heigel apresenta se erguendo e tomando a mulher pela mão.


-Muito prazer, alteza. Sou Arya, estes são Grier, Hermione, Harry, Eragon e Tâmara. –Enquanto Arya os apresenta, a princesa retribui os cumprimentos dos outros, porém seu olhar demorara-se um segundo a mais em Harry.


-Estamos em uma reunião importante e grave, então se puder levar aquela jovem a um quarto de hóspedes e providenciar outros para eles e um grande jantar em honra dos sacerdotes, ficarei muito grato. – Heigel diz a esposa, que sorri compreensiva.


-Por favor, Tâmara, me siga. –A princesa a chama e a jovem obedece de pronto. –Pedirei para avisarem quando o jantar estiver pronto. Se houver algo mais que possa fazer para os sacerdotes, ficarei feliz em satisfazê-los. -Se dispõe de modo gentil, apesar dos olhos estarem fixos em Harry.


-Não há nada que desejemos por enquanto. –Arya diz e a princesa faz uma reverência antes de se retirar seguida pela jovem.


-Voltemos então a questão. –Heigel diz colocando um desenho do castelo “visto de cima” sobre a mesa.


*****************************************************************


Hermione fora a biblioteca pesquisar sobre as ervas daquele reino, se iam lutar contra Medusa, era melhor saber que ervas poderia usar para fazer a poção de retorno, a mesma que madame Pomfrey havia usado em seu segundo ano para trazer de volta os alunos transformados em pedra pelo basilísco.


-Aqui? Não é muito arriscado? –Hermione para ao ouvir a voz de Harry soar baixa.


-Meu marido está entretido com a preparação da guerra e, fora ele, só os empregados da limpeza entram aqui e ainda há muitos dias até o dia da limpeza dos livros. –A voz da Princesa Dinara respondera em tom malicioso. Junto a isso havia o som de corpos esbarrando em estantes e de coisas sendo atirada ao chão.


-Se é desta forma, melhor aproveitarmos nosso tempo enquanto não precisam de mim. –Harry responde tão malicioso quanto.


Hermione, apesar de chocada, segue pelo corredor abrigada pelas estantes até alcançar um ponto onde podia ver a mesa de estudos. Sua surpresa fora ainda maior ao ver a mulher semidespida sendo vorazmente beijada por Harry, que àquela altura estava sem o colete e com a calça nos calcanhares, prestes a ser retirada pela princesa.


Após o minuto de torpor, Hermione se volta e sai silenciosamente. Não era de sua conta o que o amigo fazia quando nos reinos, com outras mulheres, só lhe era inexplicável o como pudera se deixar seduzir por uma mulher casada, cujo gentil marido os ajudava e até se dispusera a ir ao outro reino em busca de feridos e desabrigados.


*****************************************************************


Durante o jantar ficara alheia à conversa sobre a batalha iminente e a fuga dos aldeões, sua atenção voltada para Harry e Dinara, ambos se portando como se o “interlúdio romântico” não houvesse acontecido. Aquele comportamento dissimulado tirara seu apetite e a fizera vagar pela vila, curara uma e outra enfermidade dos que lhe procuravam e tentara ordenar os pensamentos.


Foi já tarde da noite que encontrara-se com Harry e Eragon no estábulo onde os unicórnios estavam descansando. Ambos entraram sorridentes, porém ficando surpresos e com semblantes graves ao vê-la, como se sua presença houvesse atrapalhado a conversa.


-Hermione, o que faz por aqui? –Harry pergunta atencioso, porém observando os unicórnios para ver se havia algum ferido.


-Nada demais. Aliás, desculpe-me por interromper a conversa dos dois. –Responde de forma ríspida, o olhar gélido e reprovador sobre Harry, que na mesma hora se põe defensivo.


-Não interrompeu nada, só jogávamos conversa fora. –Harry diz sem jeito, Eragon se afastara um pouco dos dois.


-Imagino o tipo de conversa que jogavam fora. –Retruca ácida, porém se interrompe. –Deixa pra lá, você definitivamente não vale a pena. –Diz lhe atirando toda a decepção antes de sair a passos firmes e rápidos porta a fora.


-Vocês tinham brigado? –Eragon pergunta totalmente perdido pela reação dela.


-Não, mas seja lá o que for, vou tentar entender agora. –Diz decidido, saindo tão rápido quanto Hermione.


-Hermione? O que houve? –Arya pergunta ao ver que a jovem pareia em chamas.


-Nada, só preciso de um tempo. –Diz tentando conter o mau humor.


-Precisamos falar sobre a poção de cura. –Arya diz com tato, não querendo aborrecê-la ainda mais.


-Não estou com cabeça pra isso agora. –Hermione diz já passando por Arya em direção ao castelo, porém Harry aparata a sua frente.


-O que houve? Porque falou comigo daquele jeito? –Pergunta em tom firme, apesar de estar confuso.


-Examine sua consciência e saberá. –Praticamente cospe as palavras antes de passar por ele, fazendo questão de “esbarrar” nele no caminho.


*****************************************************************


N/A: Olá, estou pagando mais uma parcela da dívida, agora resta apenas um capítulo de dívida. Infelizmente na última corrida não teve Ferrari ou brasileiro no pódio, então fiquem na torcida no dia 30/05 quando terá corrida na Turquia, uma pista onde Felipe Massa se dá muito bem.


N/A²: Tivemos aí um vislumbre de como o mundo de Groar e Grier eram e de como Groar era tão perigoso quanto Harry imaginava. Agora a equipe tem apenas 5, uma baixa importante, e terão que enfrentar Medusa e Jadis. O que vocês acham que acontecerá? Por fim, tivemos outra briga dentro do grupo, desta vez entre Harry e Hermione, será que isso pode atrapalhar a batalha?


Freya Jones: Que bom que gostou do grupo 3, o que espera do encontro dele com o grupo 1? Já que você odeia o Groar, agora um pouquinho mais imagino, acabei com ele! Harry e Eragon estão cada vez mais cúmplices, agora Harry e Hermione meio que azedou agora. Já que gostou da comparação das equipes nas missões, o que espera da comparação versus o grupo 3?


Tainá Yumi Watanabe: Hentai não é minha praia, mas posso dar uma pinceladas tipo a ceninha mais quente do Harry com a Dinara, talvez um pouquinho mais até, o que acha?


Punkeeslaw Potter: Eu adoro que seja instintivo que escreva muito e que se divirta com isso! Não critiquei você por ter se enganado, acontece quando se lê uma informação no meio de tantas outras. Eu sempre me preocupo com meus leitores, são todos muito importantes para mim. Você tem “razão” ao dizer que está pequeno, na verdade está um pouco “menor” que o habitual que são 10 págs de Word (times 12), o cap 7 e o 8 tiveram apenas 8 págs, mas é normal que as vezes o capítulo fique menor ou maior de acordo com o conteúdo e a inspiração da autora medida pelo número de comentários. Tem razão, Harry às vezes só pensa depois que faz, além de estar ainda mais protetor nesse mundo que no outro. Por enquanto Harry ainda não se tocou de que gosta da Hermione e parece que está em maus lençóis agora.


Se enganou ao falar sobre a “prática”, por mais que seja um pouco desagradável, Harry e Eragon concordaram de que era necessária. Se houver continuação mostrarei sim todos os abençoados pelo Torneio dos Deuses. Arya só ficará mexida se souber dos treinos de Eragon. Já pensei na hipótese do reino inimigo sim, aguarde e verás! Acho que Arya respondeu sua dúvida quanto à utilidade de Grier. As missões ficam muito mais difíceis com o passar do tempo sim! O capítulo veio rapidão, né? Adorei o Cruj, Cruj, tirou do fundo do baú hein? Rsrsrs, aliás, isso me faz ficar curiosa para saber sua idade, se não te ofender.


luiza potter: Groar não é um gigante no sentido estrito da palavra como Grope, só é um homem muito alto. Harry muito fofo e bravo, mas acho que você não está gostando muito dele agora né? Será que se você disser isso para Arya, ela se toca e resolve agarrar ele antes que você ou outra o faça? Rsrsrs

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2021
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.