FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

9. Antes de tudo...(75%)


Fic: O clã dos Potter e a Feitiçeira...cap. 11 quase chegando...


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________




CAPITULO 9


 


CLà POTTER...


 


A feiticeira estava perfeita com um vestido verde de um corte simples, com o rei Potter e sua escolta real. A pouco tinha se recuperado e estava ansiosa para visitar o Clã, estava encantada com as pessoas que lhe recebia de bom grado, todos se alegravam e lhe sorriam de alegria por finalmente conhecer a tão poderosa feiticeira.


 


Para Gina era como se fosse uma família. Falando em família a ruiva sabia que seu tempo no Clã Potter estava acabando, teria que volta logo para seu próprio Clã mas sentia como se pertencesse a esse lugar, como se esse fosse seu lar agora.


 


Se sentia frustrada muitas vezes, o rei era fantástico, gentil e fazia de tudo para que se sentisse bem e confortável mas é como se não sentisse o Desejo que tanto a deixava em chamas, era torturante para ela o desejar em quanto não sentia resposta. Era como se só ela sentisse algo, como se não fosse correspondida.


 


Sabia que tinha sido bem clara antes de salvar a vida dele, tinha dito com todas as palavras o quanto o amava e tinha certeza que tinham lhe contado esse fato mas e aí??? Não aconteceu nada, nem tocar no assunto o rei tocava.


 


Fazia até questão de sempre que se falassem ou se encontrarem estivessem acompanhados.era totalmente broxante.


 


Porra ninguém merece um homem bonzinho NE...  certo eu mereço mas mesmo assim, era bom pular as regras de vez enquanto.


 


Mas voltando ao raciocínio anterior...


 


Todos do clã a amavam sentia a vibração, sentia o sentimento forte emanar no ar. E era fantástico estar ali. Viu quando Harry desceu de seu cavalo e a puxou pela cintura e a pousou no chão. E a ruiva jurava que quase tinha gozado na hora.


 


 _ esse é nosso mercado, aqui nós trocamos nossos alimentos.


 


_ é lindo, e limpo também.


 


_ com certeza fazemos de tudo para dá uma boa aparência a nosso clã. Sabe meu pai dizia que quando todos pensam igual tudo se resolve.


 


_ desculpe a intromissão mas pensei terem me dito que não conheceu seu pai.


O moreno ficou calado por alguns estantes.


 


_ na verdade esta correto, não conheci meu pai, me esforcei muito para saber mas dele. Sabe meu padrinho o senhor Black o conheceu e adoro quando conversamos sobre isso.


 


_ imagino que sim.


 


_ mas não falemos sobre isso. O dia esta lindo e agradável, venha conhecer nossas barracas.


 


E assim fizeram conheceram as barracas e seus donos Gina sabia que não conseguiria se lembrar de todos os nomes mas nunca esqueceria seu rostos alegres pelo prazer de conhecê-la.


 


Quando chegaram no centro da fera Gina viu a grande mesa que postaram com muitos alimentos, todos os tipos de frutas e legumes com o cheiro que lhe dava água na boca.


 


_ Harry não precisava, já disse que...


 


_ mas não fui eu, isso é uma presente de todos.


 


Gina olhou ao redor todos estavam nervosos com se achassem  que ela não tinha aprovado seus presentes. E por um pequeno momento seu coração se apertou de carinho por todos que se importaram com ela. Sem se controlar os olhos da ruiva transbordaram com lagrimas, lagrimas de ternura.


 


_ eu nem sei o que dizer. Me sinto honrada por toda essa atenção.


 


O homem de aparência muito humilde, mas com um lindo sorriso se aproximou.


 


_ queremos agradecê-la, em nome de todos por acabar com essa doença que sufocava tanto nosso clã, víamos de geração a geração nossos senhores sofrerem com tal peste, e não sabe o alivio que nos dá Lady Weasley.


 


E aquelas palavras entraram em seu coração, o simples fato de tem lhe chamado de Lady ao invés de feiticeira a encantou.


 


_ me sinto emocionada com tais palavras, quero lhes dá um presente de coração. 


 


A ruiva olhou para todos os rostos que lhe ficavam. E continuou a falar.


 


_ quero que fechem as mãos em frente ao peito, todos. Olhou para todos e sorrio todos fizeram o ordenado até o próprio rei. A  ruiva falou algumas palavras numa língua estranha. _ agora quero que abram as mão. E todos abriram.


 


Um grande murmuro começou. Todos olhavam a rosa em suas mãos sem saber como ela tinha ido parar lá.


 


_ agora quero lhes disser que essa rosa nunca morrerá e sempre que precisarem de mim é só segurar à rosa e me chamar e virei para ajudá-los.


 


_ que assim seja...


_que assim seja...


 


E o dia continuou assim, todos alegres dispostos a lhe mostrar todo o clã. Gina não se cabia de tanta alegria. A ruiva se perguntou onde a jovem curandeira se encontrava, a muito ela tinha lhe informado que voltaria para sua pequena cabana, e a ruiva prometeu mentalmente que lhe visitaria um dias desses.


 


Ao chegar no castelo cansada subiu a seu aposento e se banhou, era chegada a hora sabia que precisavam dela, não entendia por que não conseguia ver o que era, mas alguém precisava dela. E imaginou que era seu pai, seu clã e por um momento ficou triste de ter que abandonar Harry.


 


Quando desceu pediu para ser anunciada ao rei.


 


Lhe foi permitido entrar. Ao entrar avistou Harry no trono lendo alguns papeis com o loiro Malfoy ao seu lado. Gina percebeu por alguns momentos que o loiro tinha uma aparência péssima.


 


_ A que devo a honra de sua companhia. Disse o rei.


 


_ tenho que lhe falar Harry.  


 


O moreno se espantou com o timbre da Voz seria e seu olhar.


 


_ algum problema? Algo não lhe agrada. E o olhar que ele deu a Gina a deixou em chamas, era um olhar faminto como se pedisse que lhe agarrasse. E Gina gostou disso, pela primeira vez dez sua chegada ele demonstrava algo por ela.


Mas lhe partiu o coração ter que dizer.


 


_ chegou a hora de volta para meu clã.


 


Todos que estavam na sala soltaram um murmuro de espanto, os serventes Draco e até o rei.


 


_ não compreendo! Deseja voltar para seu clã?  A voz de Harry saiu raivosa e oprimida.


 


_ é necessário. Eles precisam de me.


 


_ não, nós precisamos de você, esse clã precisa de você. O moreno soltou ar com força. _ Eu preciso de você. 


 


Entendendo o rumo que ia a conversa o loiro falou alto para todos se retirarem, indo junto com eles. Em poucos segundos estavam a sós.  Gina sentiu um nervosismo se espalhar por todo o seu corpo, se concentrando em seu estomago, como se ele tivesse criado vida. E aquilo foi bom.


 


A ruiva viu Harry se levantar e a passos longos se aproximar. Naquele momento Gina sentiu a masculinidade emanar dele, como se uma aura se formasse ao seu redor. E aquilo Le deu água na boca, e uma enorme vontade de morder seu lábio inferior, que era o que fazia agora.


 


Harry se esforçou para segurar um gemido quando ao se aproximar viu a ruiva umedecendo os lábios e depois dando uma mordidinha.


 


O moreno estava frustrado a mais de duas semanas sem poder tocá-la, estando tão perto  a ponto de sua ereção explodir. Tinha prometido, tinha prometido a si mesmo que esperaria o momento certo para abordá-la, afinal ela é uma princesa e deveria ser tratada com respeito e honrada com sua espera.


 


Mas não agüentava mais fica noite após noite acordado imaginando ela completamente nua em seu colo no dia que acordou curado. E piorava mais  sabendo que ela estava a algumas portas de distancias, era sufocante. Chegava a um ponto que se masturbar não adiantava mais.


 


Precisava tê-la, e precisava tê-la agora mesmo. 


 


Com o movimento bem calculado a puxou pela cintura. Sentir suas curvas e ouvir seu gemido de espanto o fez rugir de prazer antes de puxá-la e beijá-la com sofreguidão.


 


Harry não foi gentio, foi rude e Grosso lhe sugando os lábios sem piedade. Ela precisava disso, ele precisava disso. Gina já tinha presenciado varias senas de beijos e sexo, algumas até nojentas, mas nenhuma se pareceu com o beijo que Harry lhe dava.


 


Para ela aquele beijo rude só demonstrava o quando o tinha segurado, o quando queria ter dando antes e não pode. E aquilo a deixou excitada estava a ponto de arrancar-lhe o  cabelo de tanto que o puxava para mas perto, precisava tê-lo mais perto. Ficou espantada quando Harry interrompeu o beijo.


 


_ eu há quero aqui, ao meu lado, em minha cama. Você sentiu? O quando me deixou louco? A ponto de tocar-me todas as noites pensando em você. E Harry não sentiu vergonha de lhe revelar isso, a queria em sua vida para sempre, e aí de quem tentasse impedir. Uma incrível possessão lhe dominou, ela era dele, lhe pertencia.


 


Gina o agarrou pela túnica, se pudesse a rasgaria. Ela ia falar o quando estava feliz mas... nesse instante sentiu uma tontura... não mãe... por favor agora não...


 


E se sentiu rodar, sua cabeça dava giros e mais giros.  O moreno a pegou nos braços e saiu chamando ajuda. O loiro foi o primeiro a chegar, quando viu a sena ficou pálido.


 


_ o que houve? Harry o que fez?


 


 


_ nada fiz, ela ficou tonta...


 


E Gina mergulhou num redemoinho de imagens...


 


NÃOOOOOOOOOOO....


 


 


A ruiva não agüentou de angustia frente a imagens que se focava... a loira,,,, a loira Luna... Estava correndo.... correndo muito, estava descalça e os espinhos da floresta a machucava... estava desesperada... ouvia risadas atrás de si... tentava fugir mas estavam cada vez mais perto...


 


Outra sena se formou ela estava calma colhendo frutas do lado da cabana... ouviu cascos de cavalos se aproximando, estranhou... e por um instante imaginou ser a ruiva... falou baixinho..._ aposto que é Gina... e a sena da floresta voltou... 


 


E a ruiva não agüentou e deu um longo grito...


 


_NÃOOOOOOOOOOOOOOOOO...


 


Ela estava em perigo, precisava ajudá-la. Sempre que tinha essa visões nunca conseguiu chegar em tempo mas agora iria... não se perdoaria se algo acontecesse a loira...


 


Pulou dos braços de Harry espantando todos...


 


_ Gina o que ouve??? Harry perguntou assustado...


 


A ruiva respirava com dificuldade... e não respondeu nada apenas saiu correndo... sabia que ainda estava fraca... não podia se tele transportar... era impossível... seus poderes estavam fracos graças a doença de Harry...


 


Olhou para trás e todos a seguiam correndo... até mesmo os serventes estavam preocupados...


 


_ cavalos... rápido.... luna esta em perigo....... e se derramou em lagrimas.


 


Viu quando o loiro correu desesperado, e voltou com cavalou e alguns quardas...


 


_ quanto tempo?  Viu que a ruiva não respondia... e  puxou com força dos braços do moreno e  gritou_ Quanto tempo temos Gina??


 


_ EU NÃO SEI.... ME DESCULPE... EU NÃO SEI...


 


E nesse momento o loiro demonstrou seus sentimentos, ele chorou, ele chorou alto se ajoelhando frente a  Gina.


 


_ ajude-a por favor, lhe imploro.


 


E Gina soube que precisava fazer aquilo, nem que isso lhe deixasse de cama mais alguns dias.


 


_ ela esta na floresta correndo, sendo perseguida...  Se ajoelhando junto do loiro falou _ feche os olhos...


 


_ não pode Gina... ainda esta fraca... Harry tentou falar mas Gina já estava com as mão na cabeça do loiro  com os olhos fechados se concentrando. Ao mesmo tempo que todos via uma luz muito forte os rodear e com um estrondo ela se foi deixando para trás uma ruiva pálida desmaiada.


 


 


XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


 


 


 


 


 


E o loiro sentiu a força  o sugando e quando abriu os olhos estava em frente a cabana de Luna, mas sentiu que ela não estava. Entrando revirou todo o cômodo mas nada de estranho, estava tudo no lugar. Onde estaria.


 


Saiu correndo pela floresta ,conhecia bem aquela floresta e sabia que como a mata era muito densa o único caminho que podia ser percorrido era o que levava pro lago. Se apreçando seguiu o mesmo caminho que fazia quando criança para bisbilhotar a loira se banhar, ele tinha conhecimento que a amava  e seu coração não parava de bater ... batia tão forte que achou que sairia pela boca.


 


Seguindo o caminha encontrou varias frutas no chão, pisoteadas.  I o pânico o dominou... começou a correr precisava chegar logo no lago.


 


Já dava para avistar de longe o lago... ouviu gritos, essa era a hora... iria matar o desgraçado... não matar não ele merecia pior iria torturar tanto que ele pediria clemência.


 


Quando chegou deparou com a sena mais horripilante da sua visa.   


 


Ela estava esparramada no chão com as roupas rasgadas, quase completamente nua e um homem grande e gordo com aspecto mal a segurava pelo cabelo. Mas estavam arrudiados de homens. E o loiro não pensou duas vezes antes de desembainhar sua espada e começa a luta com um rosnado de fúria.


 


Todos avançavam e eram acertados por golpes certeiros, o maior e mais nojento que estava com a loira, com um olhar de fúria se adiantou abrindo as calças. Ele estava muito enganado se achava que o loiro permitiria uma ação dessa. Não com a Luna... não com a mulher que o conquistou dês de pequeno.


 


Antes do homem se quer conseguir terminar o ato de abrir as calças foi atingido pela espada que Draco  lançou ao ar o acertando no estomago.


 


Se aproximando o loiro pegou a histérica loira nos braços, enrolou-a em sua túnica e a pousou  um pouco mais longe de onde o homem agonizava.


 


Quando se voltou para o homem a loira o agarrou.


 


_ Não vá por favor...


 


_ Calma... eu estarei logo ali...


 


E se afastou sendo seguido pelo olhar da loira...


 


Ao se aproximar o loiro arrancou sua espada do estômago do  homem e com um único golpe arrancou a cabeça fora........ estava irritado ... possesso... como esse gordo fedorento e nojento se atrevia a tocar em sua mulher....bom ainda não era sua mulher mas estava perto de ser NE..........  


 


Voltou para perto da loira... e a abraçou enquanto ela chorava..........


 


_ calma Luna eu to aqui... nós não íamos ti deixar aqui sem ajuda...


 


_Nós?


 


_é nós... foi a Feiticeira que ti viu... e me transportou pra cá...


 


A loira o abraçou e voltou a chorar... se levantando com Luna nos braços, Draco voltou para cabana, e encontrou vários guardas chegando com uma carruagem.


 


Entraram e seguiram para o castelo. Luna a salvo e Draco agradecido pela feiticeira ter entrado em suas vidas.


 


 


************************************************************

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.