FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

16. Jennifer


Fic: Tudo ou nada -All or nothing- AVISO 30.11


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Harry acordou animado. Não sabia ao certo o porquê. Tomou um rápido banho, se arrumou e desceu para a cozinha. Lílian e Thiago já estavam sentados tomando café. Harry se aproximou da mãe, a beijou e sentou na cadeira.


-         Posso saber o motivo de toda essa empolgação? – perguntou Lílian passando o leite para ele.


-         Empolgação? Que empolgação? – perguntou rindo.


-         Agora até eu estou curioso. – Thiago dobrou o jornal que lia em duas partes e deu atenção ao filho ao seu lado.


-         Não é nada – Harry bebeu o copo de leite de uma vez só – Estou indo! – ele se levantou, se despediu dos pais e saiu porta fora.


-         Entendeu alguma coisa? – Thiago se virou para Lílian.


-         Não – riu.


*****************************************************


Kate desceu do carro e Jennifer acionou o botão para trancar as portas. Seguiram juntas, conversando, para o pátio da escola enquanto aguardavam o sinal tocar.


Kate ainda estava hospedada na casa de Jennifer. As duas se entenderam logo de cara, o que era muito bom. Podia não conhecer a garota há muito tempo, mas Kate sabia que tinha alguma coisa errada com Jennifer. Quando elas se encontraram no dia anterior depois das aulas de reforço de Kate, Jennifer avisou que não iria à detenção. Kate questionou a nova amiga, mas Jennifer não quis se abrir com ela. As duas só se encontraram novamente quando Kate chegou na casa dela. Jennifer parecia estar melhor, mas qualquer que tenha sido o motivo para a mudança do comportamento dela, Kate sabia que aquilo a tinha afetado profundamente.


Elas se juntaram a Hermione e Elizabeth embaixo de uma árvore. Kate ficou observando aquele grupo de garotas no qual ela agora participava. Ao longe viu alguns integrantes de V.I.P, reunidos. Às vezes sentia saudades de andar com eles, mas não se arrependia de sua decisão.


 


Elas conversavam animadamente e nem perceberam quando Ty e Mitch se aproximaram. Ty fez um sinal para Mitch e os dois chegaram sorrateiramente. Ao chegarem até elas, eles a assustaram, fazendo-as gritar.


-         Eu mato vocês! – Jennifer se levantou. As garotas se levantaram também irritadas.


Ty e Mitch se entreolharam percebendo o problema em que eles tinham se metido. As garotas não estavam brincando, pelo menos não pareciam estar brincando. Num reflexo, largaram juntos as mochilas no chão e começaram a correr.


O que eles não contavam é que elas fossem correr atrás deles. Apressaram o passo, mas Jennifer e Kate eram rápidas. Eles correram para perto do V.I.P. ainda com as meninas atrás deles. Tentaram se camuflar entre as pessoas ali, mas as garotas pouco ligavam com quem estava na frente deles. Rony estava ali conversando com Draco e Michael. Quando percebeu o que estava acontecendo no pátio, começou a rir.


Mitch tentou se esconder atrás de Rony. Jennifer tinha tomado dianteira das garotas e partiu para cima de Mitch. O que ela não contava era que fosse segurada por Rony.


-         Com essa aqui pode ficar tranquilo! – disse Rony, segurando Jennifer que se debatia.


-         Me larga Rony! – ela tentava se soltar. Mitch agradeceu e voltou a correr, pois Kate tinha chegado até eles.


-         Não sabia que você estava tão desesperada por um homem assim – começou Rony – Para ficar correndo atrás dele! – Jennifer parou de se debater e encarou Rony. Eles estavam próximos demais.


-         Eu te pego! - disse Jennifer batendo nele. Rony começou a rir e para fugir dela, começou a correr também. Ele corria debochando dela, o que deixava Jennifer mais irritada.


Draco ficou observando os dois correndo pelo pátio. Para ele pouco importava que outras pessoas também estavam participando daquela brincadeira ridícula. A única coisa que importava para ele era aquela proximidade repentina entre Rony e Jennifer. Eles aparentavam ter uma intimidade que Draco nunca tinha percebido. Aquilo o incomodou.


Hermione, Kate e Elizabeth tentavam juntas alcançar Ty e Mitch, enquanto Jennifer só investia em pegar Rony.


Os garotos se separaram. Elizabeth começou a seguir Ty sozinha, enquanto Mitch ainda sofria tentando se desvencilhar de duas garotas. Ele correu em direção ao estacionamento. Viu Harry estacionando o carro e foi em direção a ele.


Harry ganhou um susto quando Mitch correu até ele ofegante. Não teve tempo para explicar o que estava acontecendo. Hermione e Kate tinham chegado até eles. Mitch se escondeu atrás de Harry, o usando como escudo.


-         Acabou para você – disse Hermione mais à frente.


 


-         Porque não esquecemos o que aconteceu? – Mitch tentou argumentar.


 


-         Nem pensar – Kate parou ao lado de Hermione. Mitch começou a andar para trás, trazendo Harry consigo.


-         Cara, o que está acontecendo? – Harry perguntou confuso sendo arrastado.


-         Ele mexeu com as garotas erradas, só isso! – Hermione comunicou. Mitch continuou andando para trás. Eles subiram na calçada que tinha uma grama fofa. Tinham saído da área do estacionamento e estavam nos jardins do colégio. Se o inspetor os visse andando em cima da grama, ia trazer problemas para eles, principalmente se eles danificassem alguma flor.


Num movimento quase que sincronizado Hermione e Kate deram um bote e partiram para frente. Mitch fez a única coisa que ele podia fazer. Jogar o seu escudo em cima de alguma delas. E voltar a correr da outra que estaria livre. Sua vítima foi Hermione.


Antes que Harry pudesse pensar em qualquer coisa, ele foi atirado para cima de Hermione. Os dois caíram juntos na grama, enquanto Kate saia atrás de Mitch. Harry e Hermione ficaram sozinhos, deitados na grama.


-         Desculpa – pediu Harry se levantando e trazendo Hermione consigo – Eu não sabia o que ele ia fazer... Eu te machuquei?


-         Não, está tudo bem! – ela ria da situação.


-         Tem certeza? Porque você não me parece estar em seu estado normal... – disse cauteloso. Hermione parou de rir e levantou uma sobrancelha.


-         Ora, por que você acha isso? – perguntou sapeca – Por isso? – Harry realmente não esperava por aquele movimento da morena. Hermione deu uma banda no garoto, o fazendo cair no chão novamente. Hermione começou a rir novamente.


-         Ah está achando graça, é? – Harry se levantou. Por puro reflexo Hermione se afastou dele, mas não conseguia parar de rir. Harry avançou para cima dela. Hermione deu um gritinho e saiu correndo também.


Os dois pareciam duas crianças, brincando como nunca. A parte estranha nesse quadro era o fato de serem Harry Potter e Hermione Granger as duas pessoas brincando e se divertindo.


Harry conseguiu alcança-la pouco tempo depois, fazendo os dois caírem no chão. Estavam deitados olhando para o céu, rindo daquela situação toda.


-         O céu está tão bonito hoje, não acha? – perguntou Hermione quando conseguiu parar de rir.


-         Sim, tem poucas nuvens... – ele comentou. Ficaram assim por mais alguns segundos até Hermione levantar num pulo.


-         O sinal! Já deve ter tocado e não escutamos nada – Harry levantou também. Ele pegou a mochila dele e os dois seguiram correndo para a sala, só que dessa vez eles não estavam vendo graça na situação.


*****************************************************


Alex Miller estava andando pelos corredores. O primeiro intervalo tinha começado há cinco minutos e os alunos seguiam para o refeitório. Ele ainda não conhecia muito bem o colégio e queria ver como os alunos interagiam entre si. Seguiu para o refeitório.


Ele não notou, mas quando ele entrou no refeitório, quase todas as garotas pararam de comer e ficaram olhando para ele. Amy era uma delas.


-         Pare de encarar ele desse jeito! – pediu Gina.


-         Por quê? O é bonito foi feito para ser mostrado e apreciado... – comentou passando os olhos pelo corpo do novo diretor.


-         Ele deve ser uns dez anos mais velho que você! – tentou argumentar.


-         Isso não é defeito, querida! – ela olhou para Gina – Quer dizer que ele tem uma certa experiência naquele assunto – Gina revirou os olhos.


-         Não acredito que você esteja pensando em sexo. Com o novo diretor! – disse chocada.


-         Qual é o problema? – Amy se levantou – Aprenda a viver Gina! – Amy seguiu em direção ao diretor. Gina abaixou a cabeça, sentindo vergonha pela amiga.


-         Com licença – Amy chamou a atenção do diretor e este olhou para ela - Alex Miller, certo? – ele sorriu para ela – Meu nome é Amy Taylor, estou no último ano... Enfim, eu apenas queria dar boas vindas a você!


-         Muito obrigado senhorita Taylor, agradeço – ele tinha um grande sorriso estampado no rosto.


-         Se precisar de qualquer coisa, não pense duas vezes me chamar.


-         Claro. É sempre bom saber que os alunos são interessados, assim como você!


-         Obrigada.


-         Agora se você me der licença, eu vou voltar para a minha sala.


-         Claro! – Alex saiu do refeitório. Amy ficou acompanhando o caminho dele e quando se virou, percebeu que muitas garotas a olhavam com raiva. Amy nem ligou. Jogou o cabelo para trás e foi até a mesa que estava.


-         Você viu a bunda dele? – perguntou Amy ao se sentar.


-         Não – Gina respondeu sem graça – Não acredito até agora que você fez isso...


-         Pare de reclamar tanto! Você cansa minha beleza às vezes! – disse pegando a maça na sua frente e dando uma mordida.


*****************************************************


Jennifer estava brincando com o canudo dentro do seu copo. Sua cabeça estava longe. Mas nem tanto assim. Levantou os olhos e viu a pessoa que ocupava seus pensamentos, sentada a umas cinco mesas a sua frente.


Revirou os olhos, irritada. Tinha passado a dia todo brigando consigo mesma. Por mais que não quisesse, sempre voltava a pensar no episódio com Draco no vestiário.


Hermione, Elizabeth e Kate estavam sentadas com ela. Elas conversavam animadamente. Tinham tentado chamar a atenção de Jennifer, mas ela não estava a fim de ficar conversando. Depois de alguns minutos, outras pessoas se juntaram a elas na mesa. Isso chamou a atenção de Jennifer.


Ty sentou ao lado de Elizabeth. Os dois se beijaram e começaram a conversar entre si. Mitch ficou entre Hermione e Kate. Jennifer estava olhando essa cena, quando foi empurrada para o lado.


-         Chega para lá – disse Rony sentando no mesmo banco que ela – Você está meio gordinha, não acha?


Jennifer virou o rosto e o encarou impaciente.


-         Você veio aqui para me insultar?


-         Nada! Vim aqui para dizer a verdade, porque obviamente as suas amigas estão passando mão na sua cabeça e não tiveram coragem de te dizer que você está fora de forma.


Jennifer contou mentalmente até dez. Respirou pelo diafragma. Tentou lembrar de uma situação feliz da sua vida. Mas nada foi capaz de acalma-la.


-         Rony, eu sei que eu prometi trata-lo melhor, mas não existe tal possibilidade se você continuar me irritando desse jeito!


-         Opa, me desculpe então! Quero dizer... – ele tentou se explicar – Eu falo assim com todos, os garotos estão aqui de prova!


-         É verdade – Mitch confirmou a história dele. Todos tinham parado de conversar entre si e escutavam a discussão de Rony e Jennifer – Eu também demorei a me acostumar.


-         Acontece que eu não quero me acostumar! – Jennifer se levantou – Estamos na segunda semana de aula, céus! E tem pessoas do V.I.P. sentadas comigo, na mesma mesa. Pessoas essas que até ano passado sempre nos ignoraram! Eu nem consigo imaginar como será o resto do ano se ele já começou desse jeito!


-         Ele vai terminar do jeito que está agora – disse Rony, largando o jeito brincalhão – A questão é quando você vai aceitar que as coisas mudaram? Porque nós não vamos mais embora! – Jennifer olhou para Rony e depois para Ty, Mitch e Kate.


Rony tinha razão. As coisas tinham mudado. Kate agora praticamente morava em sua casa e Jennifer gostava dela. Ty namorava Elizabeth e ela sabia que esse relacionamento ainda ia longe. Mitch era amigo de Hermione desde o primeiro dia de aula e provavelmente, num futuro não tão distante, ele finalmente ia conseguir dobrar Kate e ficar com ela. Rony parecia um chiclete chato, que não queria desgrudar. Jennifer sabia que ele estaria onde quer que seus amigos estejam. Mas e ela? Onde ela se encaixava nessa história? E quem era a pessoa que estaria do seu lado? Involuntariamente voltou a olhar para a mesa na sua frente. Encontrou um certo loiro a encarando. Não soube mais o que pensar. A única coisa que queria naquele momento era sair dali.


-         Eu preciso ficar sozinha – disse de repente – Hermione fez menção que ia acompanha-la – Não, eu preciso realmente ficar sozinha... - Jennifer seguiu para a porta de saída deixando todos sem entender o que tinha acontecido.


*****************************************************


Eles já estavam na sala de aula. Agora faltava pouco para a aula terminar. Michael encarou novamente o relógio. Normalmente ele não se incomodava com o horário. Pelo contrário, ele sempre gostou de estudar e ficar no colégio. Mas hoje ele tinha planejado dar uma passada no hospital, ver como Luna estava antes de começar a detenção.


Gina estava sentada ao lado do amigo. Já tinha percebido que ele estava meio distraído. Arrancou uma folha do caderno e escreveu. Aproveitou quando o professor se virou de costas para mexer no quadro e jogou o papel na mesa do amigo. Michael olhou para ela sem entender o que estava acontecendo. Pegou o papel e o abriu.


É a terceira vez que você suspira impaciente em cinco minutos...


 Michael revirou os olhos.


Voltamos a segunda série? Bilhetinho de papel? Sério mesmo?


Ele jogou o papel de volta. Gina o recebeu e escreveu rapidamente.


Deixa de ser rabugento. Agora conte! Por que está desse jeito?


Michael desdobrou o papel. Ficou parado alguns instantes, pensando no que escrever.


 Quero ir ao hospital, ver a Luna. Não tive coragem de ir lá, mas hoje eu acordei e pensei que isso era besteira. Luna precisa de todos os seus amigos, ao seu lado nesse momento. E isso inclui você também!


Gina engoliu seco. Também não tinha ido ver a amiga.


Estou me sentindo mal por tudo o que aconteceu... Não sei se a Luna ainda quer ser minha amiga!


 O professor virou e por pouco não pegou Gina jogando o papel para Michael.


Deixa disso! Ela é sua amiga! Se você for ligar para tudo o que dizem, você seria uma pessoa bem infeliz! Afinal, te acusam de tudo!


Não estou dizendo que você está certa, mas acho que você devia parar de pensar no que a Kate disse ontem e pensar mais no que você quer!


Luna é sua amiga há anos! Pense nisso!


O sinal tocou. Michael jogou o papel para Gina e saiu rapidamente da sala. Gina abriu o bilhete e ficou pensando o que ele tinha escrito.


*****************************************************


Eric estava cansado. E irritado. Queria sair dali. Ficar preso naquele hospital o estava matando aos poucos. Figuradamente falando.


Depois da visita de Terry no dia anterior, Eric começou a pensar com mais clareza em tudo que o tinha acontecido. Não podia mais ficar com a garota se não sentia mais nada por ela. E isso não tinha nada haver com o acidente, como Terry dizia.


Suspirou. Se estivesse na escola, estaria na detenção com Luna.


Luna... Queria tanto ver a amiga! Sabia que o estado dela não era muito bom, mas ela tinha melhorado significamente desde que tinha dado entrada no hospital.


Pegou o controle remoto ao seu lado e ligou a tv. Não tinha uma variedade muito grande de canais e nenhum deles chamou sua atenção. Desistiu e desligou a tv logo em seguida. Escutou batidas na porta. Sophia entrou no quarto fechando a porta atrás de si.


-         Como você está? – ela perguntou.


-         Indo. Meio cansado de não ter nada para fazer.


-         Eu trouxe uma boa notícia para você! – ela sorriu.


-         Qual? – perguntou ansioso. Tudo o que ele precisava eram de boas notícias.


-         Você foi liberado – ela sorriu – Acabei de falar com o seu médico. Seus últimos exames estão normais, estão ele te deu alta. Você vai poder ir para casa!


-         Quando? – perguntou animado.


-         Amanhã de manhã.


-         Só amanhã? – ele desanimou um pouco.


-         Ei! Você vai sair daqui! Pare de reclamar! – disse brincalhona.


-         Você tem razão. Eu não tenho o porquê reclamar – Sophia sorriu para ele e ajeitou o lençol que o cobria – E a Luna? Como ela está? – Eric percebeu que o sorriso de Sophia vacilou.


-         Melhor, mas continua na mesma. Os médicos não têm previsão de quando poderão tirar os aparelhos respiratórios... Mas eu tenho fé! E acredito que Luna irá acordar em breve!


-         E ela vai! E nós vamos estar ao lado dela quando ela acordar – disse firme. Sophia deu um sorriso cansado para ele e se levantou.


-         Eu passo aqui amanhã, antes de você ir embora – abriu a porta – Obrigada pelas palavras. Por mais que a gente acredite que tudo vai melhorar, é sempre reconfortante quando outra pessoa nos diz isso!


Eu sei o que você quer dizer... – Sophia o olhou pela última vez e saiu. Eric ficou pensando na amiga que estava em algum quarto daquele hospital. Começou a cantarolar uma velha música de um certo cd gravado especialmente para ele.


 


 


 



Aloha!


Bem, como eu tinha dito antes, meu pc parou por uns dois dias. O técnico só veio aqui em casa ontem, mas eu não pude postar nada. Primeiro porque eu só tinha metade desse capítulo pronto e Segundo porque eu saí e cheguei em casa muito tarde.


Viram como eu sou uma autora boa? Eu disse que ia tentar postar hoje, me desdobrei, driblei o bloqueio criativo que estava querendo se apossar de mim e postei!!! Uhhhh *me ignorem*


 


Melissa, respondendo sua pergunta:


O nome da fic, Tudo ou Nada foi escolhido por dois motivos.


Existe uma música (não me pergunte de quem é) que o nome é justamente All or nothing - que era para ter sido o nome da fic, mas eu resolvi por o nome em português, mas se você perceber, tem os dois lá em cima - e a letra se encaixava com a história. Na época, eu ainda estava pensando nessa história e tal. A música me ajudou muito!


E a outra explicação é mais ou menos uma mistura do que você disse! Desde o começo eu tracei uma mesma linha para todos os personagens.


Como assim? Bem, literalmente, tudo para eles é 8 ou 80! (sem trocadilhos com a música da Pitty - que por sinal eu não gosto dela)


Eles não aceitam o meio termo, são muito radicais! Todos os personagens! E quanto a decidir, é mais ou menos isso também, na maioria das vezes as decisões e opiniões deles são precipitadas. Exemplo como os V.I.P. tratavam as meninas sem nem ao menos conhecê-las. Mas com o tempo esse tipo de atitude vai sendo quebrado por algumas pessoas, como foi o caso o Ty se aproximando da Elizabeth.


Foi respondida sua pergunta? Eu normalmente sou meio confusa para explicar as coisas. Se você quiser eu tento explicar de outra maneira...


 


Eu particularmente também gosto muito do meu Rony. Não porque eu o criei, mas porque normalmente o vemos sendo aquele cara atrapalhado, sem um pingo tato ou então aquele fiel seguidor do Harry, sem muita personalidade, quase que um coadjuvante. Bem, isso é apenas minha opinião, e não uma verdade absoluta! Podem discordar de mim, não tem problema! rs


 


 


Bia... Eu achei engraçado quando vi sua pergunta. Não por ela, mas porque justamente você a fez! Rsrs


Motivo da risada? Meu nome é Beatriz e meu apelido é justamente Bia! rsrs


Binks é um nickname que eu uso na net por causa de HP. Mas isso é uma outra história...


 


Espero que vocês tenham gostado desse capítulo. Ele está um pouquinho menor que o costume, mas dá pro gasto. rsrs


Não sei se vocês perceberam, mas esse foi o capítulo que mais teve participação dos personagens até agora. Sério! E me deu um certo trabalho para fazer isso! Eu tinha que ficar conferindo o tempo todo quem ainda faltava... Bem, realmente faltaram alguns, mas eu não queria encaixar eles se a história não fosse fazer sentido.


 


Meninas valeu pelos comentários! Vocês são ótimas! E a opinião de vocês sobre o que está rolando é um termômetro para mim. Assim eu sei o que está dando certo e o que não está.


Mudinhos de plantão... Que tal um comentário hoje? Faça uma autora feliz!


 


Bem, nos vemos por ai.


Beijos para todos,


 


Binks


 


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.