FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

11. It's all about... Him!


Fic: Poker Face - porque o passado sempre volta para ficar PAUSA


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Acordei mais cedo do que pretendia! Antes mesmo do meu despertador tocar. Enrolei um pouco na cama, aproveitando as cobertas quentinhas e aconchegantes. Quando não tinha mais tempo de enrolar, saí da cama e comecei minha rotina matinal.


Após o banho, coloquei minhas calças jeans skinny, tênis, blusa de alcinha e um casaco. Ainda bem que a Fer não fazia questão de que usássemos roupas sociais para trabalhar; claro que em alguns casos, nós íamos, mas geralmente eram roupas básicas.


Tomei um copo de chá  gelado, comi torradas com cream cheese e alguns biscoitos recheados. Olhei bem para a geladeira quando guardei meu chá, e vi que precisava ir ao mercado com certa urgência.


Subi para escovar os dentes e pegar minhas coisas, desci e saí com o carro na hora de sempre.


***


Cheguei uns cinco minutos antes no prédio, estacionei na minha vaga e subi. Entrei e vi logo de cara que a mesa de Harry já estava lá; do lado da minha mesa. Me sentei, liguei meu notebook, e comecei a pensar nas apresentações que eu tinha que preparar e apresentar em breve, para os novos estudantes que estavam indo viajar à intercâmbio. Enquanto meu notebook estava ligando, fui fazer o café. Era sempre assim, quem chegasse primeiro, fazia o café. E para não ter erro, tinha uma receitinha de café na própria cafeteira; fizemos isso para que o café ficasse de agrado geral. Esperava que Harry gostasse do nosso café desse jeito!


Voltei para minha mesa, e dois minutos depois, Harry entrou com uma mochila nas costas e uma caixa na mão.


 



  • Bom dia Mione. - disse me dando um beijo na testa, já que eu levantei a cabeça para trás para vê-lo.

  • Bom dia Harry. Que cheiro delicioso!

  • Que bom que gostou. Onde posso colocar? - disse enquanto deixava a caixa na mesa e a mochila na cadeira.

  • Nós temos uma cozinha aqui. Vou te mostrar. - disse levantando rapidamente da cadeira, e sendo abraçada de lado por Harry.

  • Dormiu bem Mione?

  • Sim. E você?

  • Também.


 


Levei ele para a nossa pequena cozinha, que era bem simples: a pia com armário embaixo que ocupava uma parte da parede, fogão quatro bocas do lado, uma cafeteira que ficava perto da pia. Uma mesa, duas cadeiras, uma geladeira pequena, microondas preso na parede perto da mesa e um bebedouro. Harry colocou a caixa em cima da mesa, e eu fui esperar o café terminar de ficar pronto.


 



  • O que tem nessa caixa Harry?

  • Adivinha!

  • Bagels? - disse com os olhos brilhando.

  • Exatamente! Mas fiz recheados hoje.

  • Com o que? - disse indo bisbilhotar.

  • Azeitona e requeijão, cream cheese e peito de peru, tomate seco e alguns com requeijão.

  • Parecem deliciosos!

  • Qual você quer?

  • Requeijão com azeitona. - disse enquanto pegava dois pratinhos e duas xícaras.

  • Essa cozinha de vocês é bem prática. - disse olhando em volta depois de me entregar o bagel.

  • Obrigada. Ah sim, a Fer achou melhor ter uma cozinha, caso a gente quisesse almoçar aqui, ou guardar alguma coisa de festa. Temos alguns cardápios, e eles já sabem o endereço. Se quiser, depois te mostro.

  • Eu vou querer dar uma olhada, obrigado. Onde você almoça?

  • Geralmente no shopping; mas se eu estou ocupada, eu compro e como aqui, ou peço pelo telefone mesmo. - disse dando uma mordida no bagel. - Harry, está divino!

  • Valeu. Eu sempre gosto de testar novos recheios.

  • Eu acho que você vai engordar todo mundo aqui, isso sim! - disse rindo; deixei meu prato na mesa assim que ouvi a cafeteira terminando o café. - Aceita um café Harry?

  • Claro.

  • Não sei se você vai gostar, a gente meio que padronizou a receita aqui, já que cada dia tinha um gosto. - falei enquanto enchia nossas xícaras.

  • Vejamos. - Harry falou depois de adoçar seu café. - Está ótimo!

  • Obrigada. A receita está na cafeteira. Se você chegar primeiro, você faz! Essa é a regra.

  • Eu vou me acostumando aos poucos.


 


Tive que rir com o comentário dele. Ficamos comendo nossos bagels, e assim que eu acabei o meu, peguei um de cream cheese com peito de peru. Amava peito de peru! Ele pegou um também, e quando começamos a comer, Fer chegou.


 



  • Bom dia.

  • Oi Fer! - dissemos juntos.

  • Estamos na cozinha! - eu gritei; afinal a sala dela era longe.

  • Já estou indo! - ela gritou de volta.

  • Às vezes você precisa gritar aqui. - expliquei a Harry.

  • Percebi.

  • Olá para vocês dois! - disse Fer bem animada, abraçando cada um de nós.

  • Pode se servir Fer. - ofereceu Harry, apontando para os bagels.

  • Fer, é aquela receita americana que a gente adora!

  • Harry, você é um salvador! - disse ela depois do primeiro pedaço.

  • Imagina. Eu gosto de cozinhar, mas às vezes acaba sobrando muito. Daí resolvi trazer para vocês.

  • Muita gentileza sua Harry. Mi, você que fez o café?

  • Sim, porque Fer?

  • Não sei por que, mas eu sei diferenciar quem fez o café, apesar da receita ser padronizada.

  • Você me dá medo Fer! - disse rindo.

  • Bom, vou checar os telefonemas. Apesar de que ainda é cedo na Califórnia.

  • Eu vou preparar as apresentações.

  • Ótima idéia! Harry, você ajudaria Hermione?

  • Claro, sem problemas.

  • Acho melhor vocês apresentarem juntos. Senão você fica muito sobrecarregada Mi.

  • Por mim tudo bem.

  • Se quiserem usar a sala de reuniões, a vontade; só temos entrevistas de tarde.

  • Obrigada Fer. - agradecemos juntos.


 


Assim que terminamos nosso café, Harry lavou os pratos, enquanto eu enxugava e guardava, aproveitando para mostrar onde estava cada coisa. Avisei ele de que, se ele trouxesse comida, era bom colocar uma etiqueta com nome e data, assim ninguém pegava se não fosse para ser dividido.


Fomos para nossas mesas, pegamos nossos notebooks e fomos para a sala de reunião.


Ficamos trabalhando nas apresentações até meio dia e meio, e ainda tinha muita coisa para colocar, e detalhes para ajeitar. Dez minutos depois que todas saíram para almoçar, eu disse.


 



  • Ai não aguento mais! Vou ter pesadelos com esses slides! - reclamei.

  • Eu também!

  • E eu estou com fome!

  • Quer ir almoçar?

  • Mas Harry, você também deve estar com fome.

  • Estou ajeitando uns textos aqui Mione. Vai você primeiro.

  • Ou eu podia comprar no subway para nós e a gente come aqui.

  • Ou isso.

  • Certo, me fale o que você quer.

  • Um sanduiche. - disse ele simplesmente.

  • Além do óbvio! Preciso de detalhes.

  • Estou te enchendo. Quero um de 15cm, italiano branco, com frango, queijo suíço, dobro de queijo, tostado, alface, azeitona, molho parmesão, chipotle, maionese, sweet onion e azeite. E um cookie de chocolate branco de sobremesa.

  • Bebida? - disse anotando tudo em um papelzinho.

  • Traz um refri de 2 litros pra gente. Mais fácil.

  • Tá. Vou e volto rapidinho. - disse saindo da sala para pegar meu cartão e meus óculos escuros.

  • Não esquece de trazer as notas, pra gente dividir a conta. - disse indo atrás de mim.

  • Certo! Você fecha a porta pra mim?

  • Melhor, vou com você até lá embaixo. Preciso de um pouco de ar puro, e não ar condicionado só.

  • Está bem. Vamos. - disse enquanto colocava os óculos na cabeça.

  • Vamos.


 


Harry fechou a porta, e me abraçou pelo ombro.


 



  • Não demore, senão eu desmaio aqui.

  • Tentarei. Depende de fila.

  • Eu sei. Vai direitinho. - disse enquanto me levava até a porta.

  • Sempre vou!


 


Rimos. Quando eu olhei para frente, levei o maior susto! Victor estava parado nas escadas.


 



  • Victor, o que faz aqui?

  • Te levando para almoçar. - disse me dando um selinho.

  • Victor, esse é o Harry, trabalha comigo. Harry, este é o Victor, meu namorado. - disse meio sem graça, depois de me livrar da boca do meu namorado.

  • Prazer. - disse Victor erguendo a mão para apertar a de Harry.

  • Igualmente. - retribuiu Harry, apertando a mão dele.

  • Eu estava indo comprar sanduiches para comer aqui. Estamos com prazo para terminar as apresentações dos alunos.

  • Então eu te acompanho.

  • Até logo Mione.

  • Até Harry.

  • Até mais ver. - disse Victor.

  • Até. - retribuiu Harry.

  • Então, muito trabalho? - puxou papo enquanto começamos a andar.

  • Sim Victor. Semana que vem começam as apresentações, e temos que testar os equipamentos no salão ainda.

  • Porque não reciclam a apresentação do ano passado?

  • Para não ficar igual. Fer gosta de inovar, você sabe.

  • Claro.

  • E você, muito trabalho?

  • Hoje está folgado.

  • Que bom.

  • Hermione... Tem um jantar da empresa hoje, e eu quero que você vá comigo. Eu sei que disse que era um jantar nosso, mas preciso ir; o presidente vai estar lá. Eu compro um vestido para você, para compensar.

  • Vai demorar muito esse jantar?

  • Imagino que não. - disse enquanto entravamos no shopping.

  • Bom, temos que ser rápidos. Ainda tenho que levar o almoço de Harry.

  • Tudo bem.


 


Fomos para uma das lojas mais caras do shopping escolher o meu vestido. Decidi por um azul, frente única, comprido, e com alças de strass. Victor queria um preto, mas eu já tinha alguns vestidos de noite pretos. Ele resolveu comprar sandálias novas, para me mimar um pouco mais. Vi uma prateada, alta, linda, com tiras no tornozelo e com uma tira de strass em cima dos dedos. Fomos até as lojas americanas comprar um refrigerante, já que eu estava cheia de sacolas, e depois nos despedimos. Ele iria me mandar o endereço no celular, já que eu iria com meu carro, e ele com o dele.


Subi correndo para o Subway, e para a minha sorte, não tinha fila. Pedi o sanduiche de Harry e o meu com peito de peru, queijo cheedar, alface, azeitona, molho parmesão, maionese e mostarda. Eles estavam com uma promoção de três cookies, então pedi dois de chocolate branco com castanha e um com gotas de chocolate. Fui para o escritório o mais rápido que pude, e o porteiro abriu a porta para mim e apertou o botão no elevador. Sorri agradecida.


Quando cheguei na frente da porta, fiz um malabarismo para apertar a campainha. Harry abriu a porta e se surpreendeu com as várias sacolas.


 



  • Mione, eu só  pedi um sanduíche e um refri! - disse pegando a sacola do vestido e das sandálias.

  • Muito engraçadinho Harry. - falei indo para a cozinha, depois de fechar a porta.

  • Onde deixo essas sacolas?

  • Do lado da minha mesa. Depois eu desco para guardar no carro.

  • Não querendo me intrometer, mas... O que são? - disse atrás de mim.

  • Um vestido e sandálias. Tem jantar da empresa dele, com o presidente, e ele quis compensar pelo nosso jantar a dois ser trocado por jantar a sei lá quantas pessoas. - disse tirando os sanduiches da sacola, e o refri.

  • Qual é o meu? - disse assim que colocou os pratos e os copos na mesa, servindo cada um de refri.

  • Esse aqui. - disse após avaliar o papel; pedi para a menina do caixa marcar.

  • Obrigado.

  • Ah, comprei três cookies. Um a gente divide.

  • Ainda tem aquela promoção dos três cookies?

  • Sim!


 


Comemos com pressa, morrendo de fome! Depois que terminamos, levamos o refri para a sala, deixamos a cozinha arrumada, e voltamos para a sala.


Assim que a Fer chegou, fui até a sala dela pedir para sair uns minutos antes, para poder ir na cabelereira arrumar o cabelo e fazer a maquiagem. Claro que ela concordou! E me pediu para ver o vestido e as sandálias. Mostrei para ela, que elogiou a minha escolha, e desci correndo para guardar as sacolas no carro.


***


O resto da tarde passou correndo, e eu e Harry terminamos as apresentações; Fer aprovou, e fomos checar nossos emails, que não eram poucos. Eu consegui um encaixe na minha cabelereira, e assim que deu cinco e vinte, eu fui embora.


***


Cheguei em casa atrasada, já  que meu penteado demorou um pouco mais do que o previsto. Fiz um coque com algumas mechas soltas, presos com presilhas enfeitadas com strass. A maquiagem era maravilhosa; sombra azul e prata nos olhos, lápis preto, rímel, blush claro, e gloss pêssego.


Coloquei o vestido com muito cuidado, calcei as sandálias, peguei minha pequena bolsa prateada, e saí.


***


Cheguei ao local do jantar junto com Victor. Deixei meu carro com o manobrista, e Victor, que estava em um belo terno preto e gravata vinho, me ofereceu o braço no começo da escadaria. Sorri para ele, como a namorada perfeita. Eu sabia que naquele mundo de negócios, eu tinha que fingir. Por mais que eu odiasse isso.


Entramos e tiramos algumas fotos; Victor me aconselhou a ficar séria, mas o fotógrafo me pediu para sorrir um pouco. Fiz isso, como sempre.


Fomos para nossos lugares, que eu vi que eram com outros chefões, de certa forma. Eu era a única mulher na mesa. Desconfiei que Victor armou alguma coisa para esta noite.


Aos poucos nossa mesa se encheu, e eu conhecia metade dos homens que ali se sentaram. A mulher do chefe de Victor, Rita, me cumprimentou; ela era uma das poucas pessoas verdadeiras naquele local, por isso simpatizava com ela. Eu tinha medo de virar uma mulher para ser mostrada como objeto a ser apreciado, e ficar em casa sozinha, sabendo que meu marido tinha amantes. Sim, não uma, nem duas, mas várias.


O jantar foi servido assim que todos os convidados estavam em seus respectivos lugares. A entrada consistia em uma salada com alface, tomate, pepino, azeitonas, cenoura, croutons e azeite; apenas não comi o pepino. De jantar, tivemos uma lasanha feita com massa verde, peito de peru e queijo, com molho branco; um dos meus favoritos. Era uma porção individual, mas Victor chamou tanto minha atenção que eu comi metade apenas, e quando ia comer mais um pedaço, o garçon retirou. Jantares chiques como aquele me irritavam profundamente. Bebi um pouco de vinho, que Victor não pediu por mim, e quando a sobremesa estava a caminho, todos na nossa mesa recusaram; Victor estava conversando, não viu que a sobremesa estava quase chegando, então eu educadamente interrompi e avisei ele. Ele recusou por nós dois. Sorri sem graça para o garçon, e bebi mais um gole de vinho. Victor estava passando dos limites!


Foi anúnciado que teríamos músicas, e todos se retiraram das mesas e foram para o salão. No caminho, Victor me puxou para um canto, e me disse.



  • Ainda bem que te poupei de uma gafe querida.

  • Como assim? - olhei seriamente para ele.

  • Se você tivesse pego a sobremesa, iria parecer que você...

  • Que eu o que Victor? - perguntei rispidamente.

  • Bem, que você é uma morta de fome que nunca veio nesses jantares.

  • Como é que é? - falei um pouco mais alto; não conseguia acreditar na audácia dele.

  • Depois te explico querida. Vou conversar com meu chefe e já volto. Pode ir ao toalete.

  • Ah, você me permite? Obrigada. - fui bem grossa com ele, e fui em direção ao toalete sem esperar por uma resposta.


 


Antes de chegar ao toalete, me virei e fui para a saída.


 



  • Por favor, o crossfox vermelho, placa ABM 2024.

  • Senhorita Granger?

  • Sim.

  • Um minuto, já estaremos trazendo seu carro.

  • Obrigada.


 


Ouvi o rapaz simpático pedir meu carro pelo rádio, enquanto isso peguei meu celular na bolsa e o liguei.


 



  • Prontinho senhorita, seu carro a aguarda.

  • Muito obrigada. Ah, poderia me fazer um favor?

  • Sim.

  • Quando o senhor Krum pedir o carro dele, você poderia entregar um bilhete?

  • Sim senhorita.


 


Rapidamente escrevi um bilhete avisando que tinha ido embora, e dei ao rapaz, com uma pequena gorjeta.


 



  • Boa noite.

  • Boa noite senhorita.


 


Desci as escadas e dei uma gorjeta ao manobrista, que me esperava com a porta aberta e o carro ligado.


 



  • Obrigado.

  • Boa noite. - desejei ao rapaz.

  • Boa noite.


 


Ele fechou a porta e eu coloquei o cinto. Pus meu celular na base, e sai em disparada. Uns três sinaleiros depois, eu parei e vi que tinha uma mensagem de voz. Disquei para minha caixa de mensagens e ouvi.


Boa noite Mi. Por favor, assim que você ouvir essa mensagem, me ligue. Preciso muito falar com você ainda hoje. Beijos.


O sinal abriu, e eu vi nas últimas chamadas feitas o número dele; disquei e deixei no viva voz. Ele demorou dois toques para atender.


 



  • Oi Mione.

  • Oi Harry. Acabei de ouvir sua mensagem. O que houve?

  • Recebi um email da organização, e te mandei por email. Preciso que leia hoje.

  • Sinceramente, estou sem cabeça para ler coisas da organização hoje Harry.

  • Já esta chegando em casa?

  • Em vinte minutos eu chego.

  • Quer passar aqui, e eu te explico tudo?

  • Proposta interessante.

  • Assim você já serve de cobaia!

  • Cobaia?

  • Sim! Testei uma nova receita de mousse, e queria que você provasse.

  • Me diga que é de chocolate e eu chego ai em quinze minutos!

  • É sim. Mas porque o desespero?

  • Te digo quando chegar. Até já.

  • Até querida.


 


Bom, não comi o mousse depois do jantar, iria comer agora. Harry me salvava às vezes.


Quase quinze minutos depois, eu liguei para ele avisando que estava chegando; ele disse que deixaria a porta aberta para mim.


Quando cheguei na frente do portão, ele abriu, e eu entrei. Desliguei o carro, fechei a porta, e subi a rampa. Entrei, fechei a porta e chamei por ele.


 



  • Aqui na cozinha Mione.


 


Fui até lá, largando a chave na mesinha perto da porta, perto das chaves dele, e quando cheguei na cozinha, ele estava de costas.


 



  • Oi Harry. - disse ficando do lado dele.

  • Oi Mi... one – ele gaguejou quando me viu. - está maravilhosa com esse vestido. Bela escolha.

  • Obrigada.

  • Por que essa cara? - perguntou curioso.

  • Me estressei no jantar. Só isso!

  • O que aconteceu?

  • Victor ficou controlando o que eu comia, quanto eu comia, me impediu de comer a sobremesa, que era mousse de chocolate com raspas de chocolate em cima, e que sinceramente estava muito apetitoso, e depois teve a audácia de falar que ainda bem que ele me impediu de cometer a gafe de parecer uma morta de fome!

  • Ele falou isso? - me perguntou espantado.

  • Com essas palavras. E quando ele foi falar com o chefe dele, me deixou ir ao toalete. Peguei e vim embora morrendo de raiva!

  • Ai Mione. - disse Harry me abraçando. - Um dia te levo em um jantar de verdade, com pessoas de verdade, e não robôs controlados por dinheiro.

  • Obrigada Harry.

  • Agora sente-se ali no banquinho enquanto eu preparo seu mousse.

  • Mas já não está pronto?

  • E os detalhes? - disse me beijando na testa.


 


Me sentei e esperei um pouco. Quando Harry colocou o pote na minha frente, não pude acreditar; mousse de chocolate com raspas em cima.


Ele se serviu e se sentou ao meu lado, me passando uma colher. Eu fiquei abobada enquanto olhava maravilhada para o mousse. Parecia perfeito, uma obra de arte para ser admirada, e não estragada com colheradas.


 



  • Pode comer. Depois eu tiro uma foto e te mando.

  • Bobo!


 


Provei e era magnífico! Aerado, não muito doce, e com... menta! Amava chocolate com menta! E tinha uns pedaços de chocolate no meio.


 



  • Harry, está  maravilhoso! Adoro chocolate com menta.

  • Que bom! Pensei em te perguntar isso, mas preferi fazer surpresa.

  • Adorei!

  • Pode comer bastante, que a receita rendeu muito.

  • Obrigada por salvar meu desejo de mousse essa noite.

  • Sempre que quiser.


 


Depois que eu me empanturrei de mousse, e Harry também, ele me explicou que teríamos um treinamento online para um novo programa que a empresa estava implantando para buscas de vagas. Esse novo sistema iria facilitar muito o nosso trabalho.


Meia hora depois, resolvi ir para casa, já que teria um enorme trabalho desfazendo o cabelo, tirando a maquiagem e limpando o rosto.


 



  • Bom Harry, melhor eu ir, já que essas presilhas vão demorar para serem tiradas.

  • Quer que eu te ajude?

  • Até parece que você sabe tirar essas coisinhas.

  • Eu já ajudei minha mãe e minhas avós, para o seu conhecimento.

  • Certo Potter. Eu deixo você tirar.

  • Vamos para o meu banheiro.

  • Vamos.


 


Ele me deu a mão, e nós subimos rapidamente as escadas. Cheguei no banheiro dele e fiquei parada na frente do espelho.


 



  • Agora fique quietinha enquanto eu tiro.

  • Sim senhor! - fiz sinal de contingência, sorrindo, somente para provocá-lo.


 


Ele habilidosamente foi tirando as presilhas e colocando-as na bancada. Meu cabelo aos poucos foi caindo em volta do meu rosto, todo ondulado. Quando ele terminou, me disse.


 



  • Seu cabelo ficou muito bonito desse jeito.

  • Demorou um pouco para ficar assim. - disse virando minha cabeça de lado para olhar para ele.

  • Mas valeu a pena. - disse passando a mão carinhosamente em meus cabelos.

  • Agora tenho que dar um jeito de colocar essas presilhas em algum lugar. - disse analisando as várias presilhas em cima da bancada.

  • Eu tenho um ziploc pequeno. - disse abrindo a gaveta, pegando o ziploc e colocando as presilhas dentro, e lacrando. - Prontinho!

  • Obrigada de novo Harry. Agora me vou mesmo.

  • Te acompanho.


 


Descemos, peguei minhas chaves e fomos até meu carro. Abri a porta, só o necessário para poder colocar o ziploc com as presilhas no banco do carona e olhei para ele.


 



  • Então é  isso. Boa noite Harry.

  • Boa noite querida. - disse me abraçando.


 


Abracei ele de volta e senti seu perfume. Aquilo era tão gostoso, que me deu vontade de fazer uma coisa.


 



  • Durma bem querida. – disse, desfazendo o abraço e me dando um beijo na testa, e colocando as mãos na minha cintura.

  • Você também.


 


Olhei bem para ele, passeei com as minhas mãos de suas costas até seu peito, e fiz uma coisa sem pensar duas vezes...


 


Continua...


 
 
 


N/A: oii pessoas! alguém ai quer me matar por demorar quase 1 mês para postar?? é que eu estou em aula, saindo, e tals.. e tb pra ver se alguém além da minha beta comenta né!! sejam pessoas legais com essa pobre autora e comentem.. eu ia ficar tão feliz!! Harry.. ai sonho de consumo! e eu quero aquele mousse de chocolate!!!!  ah, não matem o Victor.. ainda! e nem a mim! senão não tem mais capítulos.. hahahaha comentem ta!! bjinhos


 


N/B: Não vou nem conseguir expressar toda a raiva que passei com o Victor. Meuuu que cara mais chato!!!!!!!!! Só o Harry pra salvar a noite mesmo. Se ela não beijar ele beijo eu! E cadê o Dracooooooooo. Saudades dele.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.