FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. A verdade


Fic: Grávida por acaso - Hiatos por enqnto


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

A semana tinha se arrastado na opinião de Draco. O processo no qual estava trabalhando estava dando mais trabalho do que qualquer um, nunca havia tirado tanto xérox de papéis jurídicos na vida. Sem tirar as idas e vindas do Fórum que o deixavam maluco. Ter que aturar a lerdeza das funcionarias que estavam mais ocupadas em flertar com ele do que pegar os papéis necessários era uma desgraça.


Mas graças a Deus sábado chegara e seu encontro com Hermione iria finalmente acontecer. Só de lembrar daquela única noite que tiveram se arrepia todo, incluindo seu caro companheiro de vida.


Rolou na cama mais uma vez para ver se o sono finalmente vinha, mas nada. Se levantou e foi fazer sua higiene. Tomou seu banho, escovou os dentes e se trocou, colocou uma bermuda para o pouco de calor que ainda fazia já que o outono já estava se aproximando. Desceu para tomar o café e encontrou sua mãe na mesa.


 


- Já de pé mãe? – perguntou desconfiado, após a morte de seu pai Narcisa costuma levantar um pouco tarde.


- Tive um pesadelo e não consegui pegar no sono novamente. – explicou Narcisa.


- Hum. – se limitou a dizer.


 


Tomou seu café tranquilamente, trocava poucas palavras com sua mãe, para as famílias Black e Malfoy o horário das refeições era sagrado e não se devia conversar durante eles.


Terminou o café e subiu para se arrumar, precisava preencher alguns papéis que deixara na empresa. Odiava esquecer as coisas na empresa sair de casa e ir para lá para depois ter que voltar era um saco total! Mas na noite anterior queria mais era ir para sua cama e dormir, preencher aquilo o deixava com dor de cabeça e raiva.


______________________________________________________________________


 


Aquele mal estar do inicio da gravidez era ruim, mas para ela era péssimo! Vomitar todo dia de manha, não conseguir engolir nada, ter que se apoiar em tudo para poder andar e ter que suportar o sobe e desce de seus nervos a deixavam MALUCA! E ainda ter que contar que estava grávida para um homem desconhecido era muito pior.


 


- Pense pelo lado bom Mione... – começou Gina que estava no volante. -... Você vai tirar esse peso da sua consciência e vai poder levar em frente essa gravidez mais tranqüila.


- Nisso você pode até ter razão Ginny. Mas o pior de tudo é ter que olhar para ele e dizer “Oi Draco! Tudo bem? Bom o que eu quero te contar é que aquela nossa transa teve um resultado... Eu estou grávida e o filho é seu!” – respondeu Hermione sentindo tudo rodar assim que passaram por uma rotatória (ou redondo como quiserem).


- Mi? Você esta bem? – perguntou Gina preocupada.


- Só uma tonteira por causa da rotatória. – respondeu Hermione respirando fundo.


- Virei muito rápido? – perguntou Gina.


- Não... Isso é normal em uma gravidez. – respondeu Hermione rápido, pois Gina não era lá uma ótima motorista.


- Hum... Tem certeza? – perguntou novamente.


- Tenho. – respondeu Hermione um pouco melhor.


 


Não demoraram a chegar ao ateliê, que estava cheio de madames atrás de um objeto de decoração único para o novo cômodo da casa, ou para combinar com a pintura nova.


______________________________________________________________________


 


- Cadê? Cadê? – pensava alto Draco mexendo na sua mesa.


- Procurando o que Malfoy? – perguntou uma voz grossa.


- Pqp Snape! – se assustou Draco. – Quer me matar do coração?!


- Não sabia que estava tão concentrado assim Malfoy. – riu Snape. – Mas você não respondeu a minha pergunta: o que você esta procurando? Porque não é normal você aparecer aqui em um sábado e ainda a esse horário.


- Estou procurando um papel para o meu novo caso. – respondeu Draco vendo Snape levantar uma sobrancelha. – Eu estava cansado de preencher papéis ontem e fui embora e deixei o bendito aqui no escritório. – explicou. Não que precisasse, mas conhecia o sócio e ele o conhecia.


- Hum... Então vou deixar você terminar sua ‘caça ao tesouro’. – riu Snape deixando Draco sozinho.


 


Draco deixou escapar um palavrão baixo junto a um muxoxo indignado e voltou a sua ‘caça ao tesouro’ como o próprio Snape apelidara. Demorou um pouco mais do que meia hora para achar o bendito papel e quando o olhou se odiou. Já havia preenchido o papel e anexado os documentos necessários! Não precisaria ir até o escritório se tivesse lembrado que o havia preenchido, mas esquecera desse detalhe. “E a sua manha de sono foi por água abaixo Draco! Meus parabéns!” Pensou ironicamente.


 


 


Tinha que terminar uma planta para um cliente até as quatro horas da tarde, e estava naufragando! Estava cansada, ansiosa, nervosa, com fome e por fim sem nenhum pingo de vontade de fazer aquilo. Olhou no relógio e faltava menos de vinte minutos para as quatro horas. Respirou fundo, olhou para o papel sobre a mesa e bufou.


 


- Ah quer saber?! Vai ficar pra segunda! – disse ao se levantar e pegar suas coisas. – Ron cadê a Ginny?


- Ela já foi Mi. – respondeu o ruivo que estava olhando para o computador. – Mas não é possível! – exclamou arregalando os olhos para a tela.


- Que foi? – perguntou Hermione se aproximando do amigo e ex-namorado.


- Bicharam a minha fazenda, de novo! – reclamou Rony fazendo Hermione rir.


- Mas até você se viciou nisso Ron?! – perguntou Hermione rindo.


- Não queria, para ser sincero, mas fazer o que se esse troço vicia! – riu Rony. – Bom me deixa limpar isso aqui que eu te levo para casa...


- Ah! Obrigada Roniquito! – agradeceu Hermione.


-... Porque eu também não estou a fim de ficar aqui. Pra mim chega! – terminou Rony não ligando para o apelido ‘carinhoso’ que Hermione o chamara.


 


Rony limpou sua fazenda enquanto Hermione recolhia a planta na qual estava trabalhando. Terminaria em casa mesmo, já que alguma coisa lhe dizia que o jantar com o pai do seu filho não ia demorar muito.


______________________________________________________________________


 


Olhou para o relógio no canto da tela do computador que marcava 5:55, suspirou. Ter perdido quase a manha inteira procurando aquele maldito papel e o que lhe restava de tempo para um bom cochilo antes do almoço foi interrompido pela sua mãe que resolvera fazer a compra do supermercado.


Depois de um longo tempo entre prateleiras cheias de produtos de limpeza, alimentos, coisas para animais de estimação e até mesmo pescaria, o que ele mais queria era pagar a conta e se livrar daquele carrinho com uma roda travada. Mas quem disse que seria tão fácil assim?! Teria que enfrentar uma fila nada curta, só tinha umas 10 pessoas na sua frente.


Derrotado enfrentou a fila, pagou a conta, colocou as compras no carro e ainda passou em um restaurante para encomendar o almoço já que, graças a sua mãe e a fila do caixa, se atrasaram. Agora estava sentado na frente do computador vendo seu twitter (o que na opinião dele deveria ser dado como droga digital), vendo alguns clipes no YouTube (que também deveria se juntar ao twitter) e conversando com alguns amigos no msn, sem contar que estava mais dormindo do que fazendo tudo isso.


Desligou o computador e subiu para o quarto. Tentaria dar uma cochilada antes de tomar banho. Mas mal tinha fechado os olhos quando seu celular tocou. Olhou no visor para ver quem era o fdp que estava ligando e quando viu quem era a vontade foi de não atender.


 


- O que você quer? – atendeu irritado.


- Oi pra você também Draco!  - respondeu ironicamente a pessoa do outro lado da linha.


- O que você quer Parkinson?! – quase gritou.


- Só queria saber se você ainda está irritado comigo? - respondeu Pansy.


- Não, imagine Pansy. Eu nunca ficaria irritado por você ter me ENGANADO! Imagine. – respondeu irônico.


- Será que você pode parar de ser tão irônico Draco?! Pelo menos agora! – pediu Pansy. – Eu estou arrependida por ter feito isso com você! Eu...


- Arrependida?! Você?! – contou Draco. – Será que eu estou falando mesmo com Pansy Parkinson?!


- Agora chega Draco Malfoy! Eu estou te ligando para me redimir e você fica com ironias e sarcasmos pra cima de mim?! Eu que fui a sua primeira namorada, primeira mulher e seu primeiro amor! Eu exijo respeito! – disse Pansy com sua voz alguns oitavos a mais.


- Exige o que?! – perguntou Draco.


- Respeito! – repetiu Pansy fazendo Draco gargalhar. – Do que você está rindo Draco?


- De você e do seu respeito. – respondeu Draco ainda rindo. – Você pode ter sido minha primeira namorada SÉRIA (!), pode ter sido minha primeira “mulher”, mas nunca, eu disse NUNCA, foi meu primeiro amor! Nunca foi e nunca será Parkinson, e sabe o por quê?


- N-n-não. – gaguejou Pansy.


- Porque eu te conheço melhor que ninguém, melhor até mesmo que a sua amada mamãe. E sei muito bem que você não é quem aparenta ser Pansy. Ou você pensa que eu não sei da sua “amizade” com o seu doutor? Hein? – perguntou Draco. - O que eu mais quero é distancia de você Parkinson... Distancia. – grifou.


- Draco eu... – tentou Pansy, mas não adiantava mais Draco já havia desligado.


 


O que aquela... Aquela... Aquela... Não conseguia encontrar a palavra certa para chama-la. Chama-la de v*dia ou p*ta não iria adiantar, porque “Isso ela já é” pensou Draco. Jogou o celular na cama e foi tomar seu banho e esquecer que aquela infeliz ligou.


______________________________________________________________________


 


‘Com que roupa... Eu vou


Com que roupaa...’ Nunca na vida de Hermione essa música fez tanto sentido. Não podia colocar qualquer roupa. “Não, definitivamente não” pensou Hermione. Apesar de que o restaurante não ser tão chique e refinado, não podia se esquecer da casa no qual Draco vivia.


Uma mansão que até de noite se mostrava majestosa e imponente. Então não podia ir parecendo uma qualquer, nem muito fina já que o ambiente não pedia isso. Tinha que por uma roupa que ao mesmo tempo é simples e refinada.


 


- Mione porque você não coloca aquele seu vestido preto? – sugeriu Gina.


- Qual? – perguntou Hermione, já que vestido preto era o que ela mais tinha.


- Aquele soltinho que vai até o joelho. – completou Gina indo para o guarda-roupa.


- O que o Ron me deu de presente de natal? – perguntou Hermione alguns oitavos a cima do normal.


- É. – respondeu Gina.


- Piro Gina?! – questionou Hermione, vendo a amiga e ex-cunhada negar com a cabeça. – Gina você já reparou no decote que ele tem? – Gina concordou. – E em como os meus seios estão maiores? – Gina concordou novamente sem olhar para Hermione. – Gina eu não vou lá pra transar com ele de novo!


- Sim eu sei. – disse Gina virando-se para olhar Hermione nos olhos com o vestido nas mãos. – Mas o que você acha que ele esta pensando? – perguntou com as sobrancelhas erguidas.


- Que... MERDA! – gritou Hermione deixando seu corpo cair na cama. – Ele está pensando que eu quero transar com ele de novo!


- Na mosca. – brincou Gina. – Hermione você tem que o deixar pensar que é mesmo isso que você quer ai você conta pra ele a verdade.


- Ai Ginny! Eu nunca pensei que iria passar por isso. – confessou Hermione. – Sempre fiz tudo calculado para que nada acontecesse de errado, TUDO! Desde pequena eu sou assim! Agora me acontece isso! Eu me sinto tão... Tão...


- Pequena? Impotente? Sozinha? – perguntava Gina enquanto Hermione concordava com lágrimas nos olhos. – Só que agora você tem que pensar nesse serzinho aqui... – Gina colocou a mão na barriga de Hermione. – Antes de pensar em você.


- Eu sei. – concordou Hermione sorrindo em meio às teimosas lágrimas que caiam dos seus olhos.


- Então vamos espantar essa tristeza e angustia colocar esse vestido, fazer uma maquiagem leve porque você tem um encontro com um gato! – disse Gina.


- Ok. – riu Hermione


______________________________________________________________________


 


“Colocar a preta ou a azul?” pensou Draco olhando para as duas camisas sociais a sua frente. Estava tentando achar uma blusa não muito formal, mas também que não o deixasse com a aparência desleixada. Sempre gostara de camisas sociais, desde que lembrava por gente.


Sua mãe dizia que nesse ponto era seu pai em vida. Não tinha do que reclamar sempre achara que pegara esse gosto do pai. Sempre tentou lembrar-se de alguma vez que o pai não estava de camisa social, mas nunca conseguira, mesmo estando em casa Sr. Lucius Malfoy usava suas camisas sociais.


Olhou novamente para as duas camisas e bufou. Porque estava se preocupando tanto com a aparência? O lugar era um bar/restaurante mexicano, onde as pessoas iam para comer nachos, dançar salsa e mambo ninguém iria reparar nele!


 


- ELA vai! – pensou alto.


 


Olhou novamente paras as duas camisas e para a calça jeans que usava. A calça era clara e simples, até mesmo um pouco batida mais estava inteira. Ambas as blusas dariam certo, mas porque não conseguia se decidir por qual?! Olhou para a porta do closet aberta tentando achar alguma outra cor escura.


Olhava e olhava para as camisetas e não achava nenhuma que estivesse ao seu gosto. Bufou novamente. Porque tinha que ser tão perfeccionista! Colocou ambas as camisas que ainda segurava em seus determinados lugares e olhou mais atentamente para as camisas a sua frente. Seus olhos pararam em uma camisa vinho que havia comprado para o quarto casamento de uma prima de segundo grau por parte de pai e nunca mais usara.


Pegou a camisa e experimentou. “Perfeito!” Pensou alegre. Terminou de se arrumar e saiu às presas, devia estar atrasado.


______________________________________________________________________


 


Apesar de não querer admitir em voz alta, estava linda com aquele vestido. O decote não havia ficado tão vulgar como pensara e se quisesse dançar o salto que usava não pegaria na barra do vestido. Sim, ela sabia dançar salsa e outras danças de salão. Sua mãe fora bailarina e quando jovem fizera aulas de dança de salão na academia de dança (?), da qual sua mãe era dona.


Terminou de se arrumar e saiu quase que voando com seu simples carro popular, que não chegava nem perto da Ferrari turn verde musgo de Draco. Estava atrasada e odiava isso. Nunca gostou de chegar atrasada em nenhum encontro, reunião, escola ou qualquer que seja o compromisso que tenha que ir.


Não demorou muito para chegar ao Ojos Mariños conseguiu ver a Ferrari turn dele sendo levada pelo manobrista para o estacionamento do bar/restaurante. Respirou aliviada, pelo menos não o tinha deixado esperando igual a um idiota na mesa. Se aproximou da entrada do bar/restaurante deu a chave de seu simples Chevrolet para outro manobrista e entrou no recinto. Havia feito a reserva em seu nome para que não tivesse nenhum problema.


 


- Em que posso ajuda-la? – perguntou uma moça muito bonita com um sotaque latino.


- Granger, Hermione Granger. – respondeu simplória.


- Só um instante. – pediu a atendente olhando para uma prancheta verificando as reservas. – Ah sim claro! Siga-me, por favor.


 


Seguiu a atendente para um canto afastado da pista de dança e também da maioria das pessoas. Não que fosse anti-social, mas uma revelação que tinha para fazer teria que estar em um lugar mais reservado e tranqüilo.


Ele já se encontrava sentado de um modo desleixado na cadeira, a sua frente um copo com algum drink que Hermione não conseguiu decifrar. Olhou ao redor tentando não transparecer seu nervosismo. O espaço era muito amplo, as mesas eram dispostas ao redor da pista de dança onde a salsa rolava animando vários casais, a decoração era uma mistura de varias culturas latinas, mas a que predominava era a mexicana com suas cores e tons chamativos.


Assim que chegou a mesa ele se levantou para cumprimentá-la com um sorriso que deixaria qualquer uma de pernas bambas. Inclusive ela.


 


- Oi. – Hermione cumprimentou tímida.


- Oi. – Draco a puxou para um abraço de urso. – Quanto tempo?


- Pois é. – concordou conseguindo sair daquele abraço. – Faz muito tempo que você chegou? – perguntou fingindo não ter o visto entrando no bar/restaurante.


- Não. Para ser sincero foi só o tempo de sentar, pedir o drink e tomar o primeiro gole para que você chegasse. – respondeu Draco tentando manter os olhos em seu rosto e não no decote. “É impressão minha ou eles cresceram?”.


- O que você esta bebendo? – perguntou Hermione tentando não rir diante da ‘situação’ em que o havia colocado. “Bem que a Gina disse que ele não conseguiria tirar os olhos do decote”.


- É uma mistura de absinto com tequila. – respondeu olhando para o copo. – Nunca tinha ouvido falar nessa mistura, resolvi experimentar e... Até que é bom. Quer experimentar? – perguntou com um sorinho de lado.


- Não... Obrigado. Estou dirigindo. – deu uma desculpa qualquer. Não era hora para ele saber a verdade. – Vou beber algo mais leve. Não quero ter algum tipo de desconforto com a policia ou com qualquer outra coisa.


- Da ultima vez que nos vimos, pelo que eu me lembro, você não se importou de estar em um carro que chega a 100 km em alguns segundos e o motorista estando um pouco bêbado. – brincou Draco piscando um olho.


- Se você se lembra eu também estava um pouco bêbada. – Hermione entrou na brincadeira.


 


Acabaram rindo disso e de como eles se conheceram. Hermione tentava de todas as maneiras não contar a verdade para Draco. Conseguiu adiar por varias horas de conversas banais, onde descobriu que como ela Draco também sabia dançar salsa e outros ritmos de salão.


 


- Aprendi em casa mesmo. – confessou Draco após um gole de seu segundo drink. – Minha família é dessas antigas que tudo tem que ser passado de geração em geração. Desde um simples gesto como o de sentar na mesa pra jantar a como se deve portar em uma reunião de negócios ou em um encontro. – acrescentou sorrindo. – Se eu não me engano foi a minha avó por parte de pai que me ensinou a dançar. Bom não ela – riu ao ver os olhos de Hermione arregalarem ao dizer isso. – ela falava o que se devia fazer e eu fazia o movimento com a ajuda da filha de uma empregada antiga da casa. Mas devo confessar que estou um pouco enferrujado. – riu Draco.


- Você não é o único. – concordou Hermione rindo. – A última vez que eu dancei mesmo foi na minha formatura da faculdade quando eu dancei a valsa com o meu pai e com o meu namorado na época. Depois nunca mais coloquei os pés numa pista de dança, que não fosse agitada por um DJ. – confessou.


- Não seja por isso então. – disse Draco ao se levantar e estender uma das mãos para Hermione. – A senhorita me daria o prazer dessa dança?


- Você esta brincando, não é? – perguntou Hermione ao vê-lo fazer aquilo.


- Não. – respondeu Draco a olhando nos olhos.


 


Hermione olhou para mão dele depois para ele, olhou novamente para a mão e para aquele loiro de tirar o fôlego de qualquer mulher com apenas um sorriso. Sorrindo aceitou a mão dele que a conduziu para a pista. Não tinha como negar ele era um dançarino de primeira, confessou Hermione. Draco sabia como levar uma dama entre um passo e outro da dança. Hermione apenas o seguia.


Dançaram duas salsas juntos antes dos cantores anunciarem que iriam partir para uma música mais lenta. Hermione tentou usar isso como desculpa para não ficar mais próxima dele, mas quem disse que ele queria ficar longe dela?


Com apenas um olhar e um sorriso Draco a puxou pra si a prendendo em seu corpo. Hermione que não conseguiu resistir apenas enlaçou o pescoço de Draco com os braços e encostou o rosto em seu ombro aspirando o perfume dele.


 


Why...


Porque...


 


There you are in a darkened room


Aí está você em um quarto escuro


And you're all alone looking out the window


E você está completamente sozinha olhando pela janela


Your heart is cold and lost the will to love


Seu coração está frio e perdeu a vontade de amar


Like a broken arrow


Como uma flecha quebrada


 


O ritmo da musica não era tão lento, mas também não era rápido. O ritmo permitia que os casais ficassem abraçados e se locomovessem em movimentos rápido para o tipo de musica.


 


Here I stand in the shadows


Aqui eu permaneço nas sombras


Come to me, come to me


Venha a mim, venha a mim


Can’t you see that...


Você não consegue ver que...


 


Nobody wants to be lonely


Ninguém quer ficar sozinho


Nobody wants to cry


Ninguém quer chorar


My body's longing to hold you


Meu corpo está desejando lhe abraçar


So bad it hurts inside


Tanto que dói por dentro


Time is precious and it's slipping away


O tempo é precioso e está se escoando


And I've been waiting for you all of my life


E eu estive esperando por você a toda minha vida


Nobody wants to be lonely


Ninguém quer ficar sozinho


So why, why don’t you let me love you?


Então por que, por que você não deixa eu lhe amar?


 


Draco puxou Hermione mais para si e fechou os olhos aspirando o cheiro de flores campéstres dos cabelos dela. Porque aquela musica? Era a pergunta que martela na cabeça de Hermione. Já a ouvira muitas vezes, e em todas Ron estava junto, e agora ela estava nos braços de outro.


 


Can you hear my voice?


Você pode ouvir minha voz?


Do you hear my song?


Você ouve minha canção?


It's a seranade, so your heart can find me


É uma serenata assim seu coração pode me encontrar


And suddenly you're flying down the stairs


E de repente você desce as escadas voando


Into my arms, baby


Para dentro dos meus braços, baby


 


Before I start going crazy


Antes que eu comece a enlouquecer


Run to me, run to me


Venha a mim, venha a mim


Cause I’m dying


Porque estou morrendo...


 


Nobody wants to be lonely


Ninguém quer ficar sozinho


Nobody wants to cry


Ninguém quer chorar


My body's longing to hold you


Meu corpo está desejando lhe abraçar


So bad it hurts inside


Tanto que dói por dentro


Time is precious and it's slipping away


O tempo é precioso e está se escoando


And I've been waiting for you all of my life


E eu estive esperando por você a toda minha vida


Nobody wants to be lonely


Ninguém quer ficar sozinho


So why, why don’t you let me love you?


Então por que, por que você não deixa eu lhe amar?


 


Draco começou a refletir em como a letra lhe parecia estranhamente feita para aquele momento. Ele que havia saido de um ‘relacionamento’ que nunca daria certo, que resolvera fechar seu coração, mas ao mesmo tempo estava contando as horas para levar aquela mulher que dançava para uma estadia em sua vida.


 


I wanna feel you need me


Eu quero sentir que você precisa de mim


Just like the air your breathing


Igual ao ar que você está respirando


I need you here in my life


Eu preciso de você aqui em minha vida


Don't walk away, don't walk away


Não se afaste, não se afaste


Don't walk away, don't walk away, no no no


Não se afaste, não se afaste, não não não


 


Aquele paragrafo, aquele trecho que sempre pensou que se encaixava na sua vida com Ron, ali nos braços de Draco ele parecia mais poético do que nunca. Ela precisava dele naquele momento, e como precisava. Nunca pediria para que ele se afastasse, além do mais o filho era DELE não apenas DELA. Essa criança era DELES.


 


Nobody wants to be lonely


Ninguém quer ficar sozinho


Nobody wants to cry


Ninguém quer chorar


 


Nobody wants to be lonely


Ninguém quer ficar sozinho


Nobody wants to cry


Ninguém quer chorar


My body's longing to hold you


Meu corpo está desejando lhe abraçar


So bad it hurts inside


Tanto que dói por dentro


Time is precious and it's slipping away


O tempo é precioso e está se escoando


And I've been waiting for you all of my life


E eu estive esperando por você a toda minha vida


Nobody wants to be lonely


Ninguém quer ficar sozinho


So why, why don’t you let me love you?


Então por que, por que você não deixa eu lhe amar?


 


Com os ultimos acordes da musica passando pelos seus corpos e fazendo-os se separarem para aplaudirem a banda que tocava ambos refletiam em como aquela musica parecia feita para aquele momento.


Hermione olhou para o loiro e soube que chegara a hora de cpntar tudo, não podia mais adiar tinha que ser agora. Voltaram a mesa e Hermione aproveitou para pegar uma cópia do exame médico que confirmara o que o exame de farmacia lhe adiantara. Respirou fundo e olhou para Draco que mexia no menu que estava em cima da mesa.


 


- Com fome? – perguntou Draco.


- Não... Muita. – imendou Hermione ao receber um olhar curioso de Draco.


- Por um momento eu achei que você tivesse marcado esse jantar para me contar alguma coisa grave e não para um encontro. – brincou Draco, com uma pitada de verdade.


- E o que seria, pra você, “alguma coisa grave”? – perguntou Hemrione.


- Sei lá. – riu Draco. – Que você é lésbica ou então que você esta grávida. – terminou rindo um pouco alto.


- Lésbica eu não sou Draco. – Hermione soltou uma risada um pouco forçada antes de colocar a cópia em cima da mesa. – Mas estou grávida.


- O que?!


 


 


N/A: oie gnttttttttttttttttttttttttttttttttttttttttttttttttt!!!!


Foi mals pela demora aiiii...eh ke eu acabei ficando meio blokeada no inicio...tah ateh um pouco monotuno essi inicio msm...soh ke se eu fosse arrumar TODO o cap vcs me matavam!a música eh Nobory wants to be lonely dakela perdição de homossexual do Ricky Martin com a Christina Aguileira. Quero agradecer a todos vcs leitores ke comentaram, me ameaçaram de morte, de abandono, e tudo mais.


Eu demorei mais voltei...e se vcs forem bonzinhos eu axo ke consigo postar o próximo cap ainda essa semana...eu disse ACHO!ñ tenhu certeza!vai depender de como as coisas vão acontecer pq aqui em casa tah tudo de cabeça pra baixo!


Bom pra terminar eu keria pedir desculpas novamente pelo atraso e agradecer aos coments de vcs...OBRIDAGAAAAA!!!bjossss Amélia


 


 


AAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHH!!!JOSYYYYYYYYYYYYYYY PARABÉNSSSSSS!!!!!!


 


 


N/B: ola pessoaaass!!


Ateh agora, acho q esse foi o cap em q eu mais ajudei a luh.. xD


Espero q vcs gostem e comentem muuuuuuuuuuuuuitooooo!!!


bjs

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.