FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. Segundo Grupo


Fic: Heroes -O Torneio dos Deuses


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________


Artemis piscou duas vezes, tinha certeza absoluta de um milionésimo de segundo atrás estar sentado em seu escritório fazendo simulações de como poderia fazer os treinos de Butler em menos tempo e com menos esforço, no entanto agora estava em um espaço totalmente branco e silencioso.


-O que raios está planejando agora, Artemis? –Ele se assustou ao ouvir aquilo e olhou para o lado e pra baixo, vendo Holly vestida de uma forma que fez sua pulsação acelerar e as palavras lhe fugirem por um instante. Calça de couro negra e um colete do mesmo material só que azul escuro, nas costas algo como um cristal de gelo branco. –Desde quando é sem-vergonha? –Esbraveja fazendo um gesto na direção da roupa e fechando o decote, se afastando um pouco do rapaz.


-Eu não tenho culpa se está vestida… -Artemis começa a se defender sem jeito, o que o faz olhar pra baixo e então vê que também estava vestido da mesma forma. –Mas que isso! Que raio de lugar é esse? –Diz sem gostar nem um pouco do modo como estava exposto.


-Nem ficou tão mal em você, aliás, desde quando tem músculos? Está se exercitando? –Pergunta surpresa, havia apenas uns poucos meses que não o via.


-Depois das duas últimas aventuras que tivemos acabei por me convencer de que uns músculos são necessários. –Diz sem jeito. Nisso acaba por desviar o olhar e vê um homem já de certa idade há um canto da sala. –Senhor, sabe que lugar é esse? –Pergunta cauteloso e desconfiado.


-Não e certamente tenho motivos para odiar mais as roupas. –Diz friamente, mantendo-se sentado no chão abraçado aos joelhos.


Antes que alguém falasse algo, há um breve clarão e um homem surge à frente deles, vestido da mesma forma. O que chamava a atenção era o braço direito feito de metal, tornando ainda mais intimidador o homem de aparência militar, loiro, queixo quadrado e anguloso, feições rudes e um olho verde e outro negro.


-Que prisão é essa? –Pergunta confuso e olhando para os lados.


-Essa é a pergunta de um milhão de dólares. –Artemis responde contrariado, odiava ficar ignorante sobre algo. –Tanto o senhor quanto o militar o fitaram curiosos.


Mais duas luzes surgem e outros dois aparecem, um estava em uma armadura negra, a exceção do dorso de cor azul escura, nenhuma parte de seu corpo era visível e os olhos eram vermelhos e brilhantes. A outra pessoa era uma mulher belíssima, que logo prendeu a atenção dos homens, possuía longos e cacheados cabelos ruivos e olhos de um azul gelo, aparentava ser bem jovem, talvez 25 anos.


-Se continuar surgindo gente e eu não tiver respostas, vou começar a ficar irritada. –Holly comenta ao observar que os novatos olhavam para tudo, mas pareciam não estar interessados em falar nada.


-Não se preocupe, já direi tudo o que precisam saber. –Outra mulher surge, usava uma bela túnica azul, o cabelo dourado e olhos azuis muito claros lhe davam uma aparência angelical, reforçada pelo tom musical e doce de sua voz. –Sou o que definiriam como uma deusa e convoquei-os para formar meu time em um torneio de deuses, onde cada um de nós tem um time com seis guerreiros de dimensões, mundos, distintos.


-Eu sou Sauron, comandante dos exércitos negros, Senhor da Terra-Média, não luto por ninguém. –A voz grave e profunda saiu do ser de armadura, era tão fria e poderosa que todos se arrepiaram.


-Lutará por mim porque tenho mais poder que todos vocês juntos e porque se vencerem o torneio realizarei qualquer desejo que tenham. –A voz era um canto doce e não teve qualquer inflexão, apesar da ameaça explícita na frase.


-Qualquer um? –O senhor pergunta desconfiado, quase cético.


-Vou dar um exemplo. –A deusa diz e imediatamente o senhor se ergue, o corpo magro ganha forma e a pele envelhecida rejuvenesce, os cabelos brancos dão lugar a grandes e espessos cabelos castanhos. O homem agora parecia ter trinta anos. –Entende agora extensão de meu poder, Moriarty?


-Sim e aceito fazer parte de sua equipe. – O homem diz reverente, ainda maravilhado por ter novamente um corpo jovem e saudável.


-Que tipo de competição é esta? –Artemis pergunta de forma prudente, não entraria em nada que não pudesse vencer.


-Enfrentarão outras sete equipes e os desafios desse mundo criado especialmente para o torneio. As missões serão das mais diversas e por isso escolhi uma equipe tão heterogênea. Moriarty e Artemis são gênios, grandes estrategistas assim como Sauron, que também é um grande comandante, vitorioso de muitas batalhas e guerreiro valoroso, dotado de grande poder mágico para um humano. No entanto magia é a especialidade de Morgana e Holly, ambas mulheres fortes e valorosas, dotadas de grande poder mágico e instinto de batalha. Por fim Mark, um grande soldado e mescla perfeita de homem e máquina, força, agilidade, eficiência e tecnologia.


-O que vejo são duas crianças, um velho no corpo de jovem e uma mulher. –Sauron diz reprovador. –Preferia meus próprios guerreiros.


-Criança? Eu sou uma fada seu ignorante, minha idade é muito maior do que a dela ou dele, talvez que a sua. –Holly vocifera apontando para Morgana e Mark.


-Parem. –A deusa ordena e os sons morrem. –Vocês retornarão aos seus mundos ao fim do torneio, podem fazê-lo vivos ou mortos. Se vencerem, o que eu espero que ocorra, terão seu desejo realizado. Para o torneio, lhes dei armas especiais, posso conceder um poder a cada um e dar algumas provisões. Artemis, o que deseja mais que tudo?


-Magia, quero ter uma capacidade ilimitada de magia. –Artemis diz de pronto.


-Não se preocupe, sua magia não será como a do povo das fadas, não precisará ser recarregada. O limite para uso dependerá apenas de fadiga e, após um descanso ou alimentação, poderá ser usada novamente e da mesma forma. –A deusa diz e depois se vira para Holly. –Posso fazer o mesmo por você, conceder a magia de seus ancestrais.


- Me parece muito bom… Vou aceitar. –Holly diz hesitante.


-Poderá experimentar dele nesse mundo, a magia aqui é mais latente, como você e Morgana poderão conferir. A propósito, seu desejo, Morgana.


-Meu filho, quero-o de volta. –Diz emocionada.


-Ele já é, para seus padrões, um homem. Tem consciência disto? –Pergunta olhando para Morgana, que suspira desgostosa.


-Apenas faça-me chegar a ele e que ele me aceite como mãe. –Pede de modo firme.


-Ele a amará como se por toda a vida houvesse sido a melhor mãe do mundo. –A deusa diz em tom satisfeito. –Mark?


-Quero ser o rei de Tyron. –Diz de modo firme, ao que a deusa sorri discretamente.


-Muito esperto, mas devo advertir-lhe que seu inimigo permanecerá vivo. –Mark apenas assente silencioso. –Moriarty?


-Também quero magia. –Diz pensando em todas as novas possibilidades que se abririam a sua frente.


-Quero todos os anéis. –Sauron diz logo depois.


-Agora que já disseram o que desejam, preciso que pensem no poder que acreditam seria útil ter no momento, para vencer o torneio. Enquanto isto, falarei de suas armas. Mark e Moriarty possuem uma pistola laser, ela possui carga infinita, miras das mais variadas e precisão única. Precisarão se esforçar muito para errar um tiro. Em sua potência máxima, ela pode fazer uma abertura de mais de três metros de diâmetro em uma densa muralha de pedra, e seu alcance é de dois quilômetros. –Todos olham bastante intrigados para o artefato. –A Sauron e Holly dei espadas inquebráveis, com um fio que jamais perderá o corte, são leves e manejadas com o devido cuidado, invencíveis. Morgana tem um cajado que irá amplificar incrivelmente sua magia e pode ser usado em combate físico para defesa. Artemis possui um computador tão maravilhoso que não irá acreditar ser real, a energia provém da luz do sol, então é armazenada durante o dia para possibilitar uso noturno.


-Computador? Desde quando um computador é uma arma? –Mark pergunta quase indignado.


-Dou toda razão. Não poderia dar uma pistola ou coisa assim? –Holly pergunta olhando com desgosto a bolsa cruzada ao lado de Artemis onde devia estar o computador.


-Você, mais que qualquer outra pessoa, deveria saber o quão poderoso pode ser um computador nas mãos de Artemis. –A deusa diz a Holly e Artemis parece concordar. –Agora as provisões que necessitam. Posso dar-lhes apenas um pouco de comida, alguma estrutura, porém nada para locomoção ou proteção de ataques.


-Uma móbile-base? –Mark sugere sem se importar com o olhar de dúvida dos outros.


-Excelente ideia. Darei um pouco de ração, o essencial para que vivam bem durante sete dias. –A deusa aprova e, ao ver a expressão de dúvida dos outros, faz uma maquete mágica a frente deles. –É uma mochila feita de nano partículas que ao ser aberta reproduz uma pequena unidade móvel de abrigo. Para que não fique muito pesado, fiz uma com apenas dois quartos com uniformes para troca, um banheiro e uma saleta para refeições. As provisões estão em forma de ração, pó que adicionado à água vira uma sopa nutritiva e saborosa.


-Excepcional! -Artemis exclama plenamente satisfeito, estava óbvio que o local de onde vinha Mark era uma espécie de futuro altamente tecnológico. –Sendo de nano partículas são altamente resistentes, se autorreparam e podem se camuflar em qualquer ambiente. –Conclui satisfeito.


-Não entendi absolutamente nada, mas imagino que será explicado depois. –Sauron diz não gostando do rumo das coisas.


-Terão tempo para conversar. –A deusa diz minimizando a questão e deixando a mochila com Mark, que com sua força superior poderia carregá-la sem problemas. –Todos vocês tem um colar, ele avisará quando um de vocês estiver em perigo, ajudará na localização e é o que faz de vocês um time, então não o percam. Também não podem se desfazer do uniforme. Nesta bolsa está a lista com as missões, escritas em preto estão as não disponíveis, em vermelho as abertas, em dourado as completas. Também há os mapas do mundo. Ficará com Sauron, a quem escolhi como capitão do time. –Sauron emite um som baixo de satisfação, prendendo a bolsa a cintura, do lado oposto à espada.


-Porque ele? –Morgana questiona insatisfeita.


-Ele tem mais experiência que os demais em comando. E, como sei que a perturba, ele não é um homem, não é sequer humano. –A deusa responde sabendo de todos os receios de Morgana. Contudo a reação de todos foi curiosa ao ver a armadura viva, querendo saber o que poderia haver lá dentro que não era humano. –Agora os poderes que desejam, o que acha que lhes daria vantagem em batalha?


-Uma boa montaria, algo que fizesse meus inimigos tremerem. –Sauron diz em tom grave.


-Montará um dragão, será um espírito que poderá conjurar quando estiver em batalha. Será inteligente e responderá aos seus pensamentos. –A deusa diz e uma pintura de um dragão vermelho surge no peito de Sauron.


-Quero poder me revestir com uma armadura do metal mais forte, mas que seja maleável e leve. –Moriarty diz pensando em sua defesa.


-Apenas se concentre na armadura e ela aparecerá. Quanto mais usá-la, quanto mais forte ficar, mais resistente ela será. –A deusa explica e então se volta para Artemis.


-Quero poder manipular todo tipo de metal, algo como Magneto dos X-Men. –Artemis diz e a deusa dá um meio sorriso pela analogia.


-Assim como os outros, quanto mais se exercitar, mais poderoso será. Holly?


-Não me adianta uma espada se não tenho força física e acho que é exatamente isso que necessitamos, guerreiros. Então preciso de força e velocidade, capacidade física. –Assim que ela termina de dizer, a deusa faz um gesto e Holly cresce, seu corpo ficando do tamanho de Artemis.


-É uma elfa como seus antepassados eram, antes do povo das fadas ir para o centro da Terra. Sua força é maior que a de um humano, assim como sua agilidade e velocidade.


-Quero ter uma regeneração corporal que me permita sarar os meus ferimentos rapidamente. –Mark diz de pronto, sabendo que o corpo humano era extremamente frágil.


-O Nível de regeneração aumenta com o poder, mas se seu coração parar ou arrancarem sua cabeça, nada poderá ser feito. –A deusa adverte e ele concorda.


-Quero poder ver o futuro. –Morgana diz após analisar o pedido dos outros.


-Poderá ver o futuro próximo apenas, nada mais que um dia, bastará pensar na pessoa de quem quer ver o futuro. Lembrando que o futuro se faz pelos atos do presente. O exercício do poder deixará as visões mais nítidas e o que busca mais fácil de achar, porém o tempo limite sempre será de um dia.


-É o suficiente. –Morgana diz satisfeita, apesar de ter imaginado inicialmente algo mais longínquo.


-Um último aviso: Não subestimem seus adversários, tanto os outros times, quanto àqueles nativos desse mundo. Não posso intervir em favor de vocês, mas em situações tensas poderei dar breves conselhos, porém não esperem por isso.


Dito isto, os seis são transportados para o mundo onde o torneio se daria. Era noite e estavam em uma grande campina, além do lago a alguns metros deles, nada mais era visto. Todos se entre olharam e então Sauron pegou um pergaminho de sua bolsa, estendendo-o magicamente a sua frente.


Havia um ponto azul que marcava a localização deles, outros dois pontos vermelhos marcavam as missões abertas e Sauron tocou-os com um dedo. A primeira missão consistia em encontrar um mercador que lhes daria uma missão, a outra era derrotar um animal e tirar-lhe o veneno, armazenando em um frasco de tamanho médio.


-Primeiro o mercador, assim poderemos conseguir um frasco adequado. –Morgana diz logo após ler a segunda missão.


-De acordo. –Sauron diz recolhendo o pergaminho. –Andemos para o leste. –Diz já se pondo a caminhar.


-Enquanto andamos, porque cada um não fala um pouco de si? Assim podemos saber o que esperar do outro na hora de um combate, poderemos também fazer planos mais precisos. –Artemis sugere em tom prático.


-Sou o general de um grande exército formado por homens e criaturas, e sou poderoso como mago e guerreiro. –Sauron diz rapidamente, caminhando ereto como se marchasse para um combate.


-Come, dorme, tem qualquer tipo de necessidade física? –Artemis pergunta ainda de forma prática.


-Não.


-E você Mark, tem mais partes robóticas além do braço?


-Parte do meu cérebro e o olho negro, além da perna do lado oposto. Fora isso sou humano, preciso comer, dormir, etc. –A resposta foi automática, desprovida de qualquer emoção.


-As partes metálicas são construídas com nano tecnologia e não frágeis a água? –Artemis pergunta pensativo.


-Exato.


-Que tipos de habilidades as partes robóticas te dão? –Holly pergunta também objetiva.


-Força sobre humana, maior resistência, salto e velocidade, raciocínio lógico e mais rápido, memória perfeita. Meu olho está sempre aberto e vigilante, tem visão noturna, raio X, telescópica e de calor. –Moriarty, Artemis e Holly olham para ele e depois trocam um olhar pensativo e avaliativo.


-Morgana, pode nos falar sobre você? –Holly pede lembrando-se da hostilidade a homens que a deusa comentara.


-Sou uma feiticeira poderosa, cresci aprendendo tudo sobre rituais, poções e feitiços. A muito vaguei pelo mundo em busca do meu filho, o qual nunca encontrei. Encontrava-me em uma bem sucedida guerra contra quem o retirou de mim. Também posso empunhar com habilidade uma espada se preciso. –Diz firme, o tom aristocrático, quase superior.


-Eu sou um gênio, comandei durante muito tempo uma organização que era além de fatal, muito avançada. Mas confesso que nada no meu mundo é como as tecnologias que vi aqui. –Moriarty diz rapidamente.


-Também sou um gênio, conheço muito sobre as ciências, além de ser excepcional estrategista. –Artemis fala sem um pingo de modéstia.


-Sou treinada em combate, sei atirar, lutar e uso magia tanto para ataque, quanto para defesa e cura. –Holly diz de modo simples, achava melhor deixar em sigilo que era uma policial, ao que parecia os seus colegas eram mais parecidos com o antigo Artemis.


******************************************************************


Estava amanhecendo quando chegaram à cidade onde encontrariam o mercador. Artemis jogou-se sob a primeira árvore que viu, estava sem fôlego e sentia câimbras, Morgana não estava muito melhor e Moriarty estava ainda mais acabado que Artemis.


-Mark, vamos você e eu achar o mercador. Os outros ficam aqui e aguardam, seremos rápidos. –Holly sugere e Sauron olha desgostoso para os outros.


-Precisamos de cavalos. –Sauron diz e Holly assente.


Assim que os dois entram na cidade, percebem que a cidade era em estilo medieval, os guardas estavam trocando de posto e algumas pessoas já andavam pela cidade. Perguntaram a um dos guardas onde estava o mercador e foram até o local, um casebre de madeira anexo a um estábulo com alguns cavalos.


-Mercador? –Holly chama observando os legumes e frutas ao redor.


-Pois não? –O homem pergunta observando animado os dois possíveis fregueses.


-Somos do torneio e me parece que você tem uma missão para nós, certo? –Holly pergunta incerta sobre ele saber do torneio.


-Ah, claro, claro! Sigam este mapa e chegarão a uma caverna que desce, precisam me trazer uma joia que está lá em baixo.


-Precisaremos de cavalos para isso. –Holly diz de forma prática, observando o mapa e notando que a missão parecia ser na mesma direção da outra no mapa. –Também precisamos de um frasco para depositar um poderoso veneno.


-Quando trouxerem a joia, dou o frasco. –O mercador negocia enquanto caminhava até a porta.


-O frasco agora. –Mark diz em tom tão intimidador que o mercador parou e estremeceu, depois deu meia volta e pegou um frasco na parte interna do balcão.


-Espero que sirva. Agora, por favor, me acompanhem. –Diz saindo do casebre e indo até o pequeno estábulo.


-Não há outros cavalos? –Holly pergunta desapontada, haviam apenas quatro cavalos, uma das éguas estava prenha e não poderia ser usada por eles.


-Não. Mas eles são muito bons, bebem pouca água, são fortes, razoavelmente rápidos, o único problema é que foram treinados para transporte e não para batalhas. –O mercador responde de modo hábil.


-É melhor que nada. –Mark diz já pegando as rédeas dos três.


-Se me trouxerem ao menos um ovo dos pássaros que habitam a caverna, darei os cavalos para vocês. –O mercador complementa e os dois assentem. –O prazo da missão é de três dias.


-Posso levar aquele escudo? –Holly pergunta ao ver um escudo enferrujado ao lado do feno.


-Está tão gasto pelo tempo que um golpe de espada o transformaria em pó. –O mercador lamenta, havia sido um excepcional escudo em outros tempos.


-Ainda sim o quero. –Holly diz e o homem dá de ombros. –Pesado. Leve-o Mark, deixe que eu guio os cavalos. –Pede após tentar levantar o escudo de quase um metro de cumprimento e meio metro de largura.


Holly monta em um dos cavalos e segura às rédeas do outro, Mark monta no terceiro com o escudo erguido pelo braço metálico. Ambos saem em disparada e em dois minutos já estavam a frente dos outros. Morgana repousava a um lado, Artemis e Moriarty de outro, Sauron permanecia imóvel como se fosse uma estátua vigilante.


-Só havia três cavalos. –Holly diz ao se aproximar. –Temos que pegar, além da joia que é o objetivo da missão, um ovo em uma caverna próxima da outra missão. Temos três dias para fazer as duas e voltar.


-Que porcaria é essa? –Sauron pergunta observando o escudo empunhado por Mark.


-Eu que pedi para trazer. –Holly responde desmontando. -Coloque-o no chão Mark. –Pede e se aproxima do escudo, logo depois tocando-o e fazendo a ferrugem sumir como poeira, deixando um brilhante e pesado escudo de ferro maciço. –Imaginei que podendo controlar metais, Artemis poderia usar isso como uma prancha que voaria ao nosso lado, assim Mark e Sauron podem revezar em um dos cavalos.


-Não preciso de uma montaria dessas. –Sauron diz desdenhoso.


-Ok, deixe-me ver se consigo fazer isso. –Artemis diz ignorando Sauron e concentrando-se no retângulo maciço de ferro. No minuto seguinte ele se dobrava suavemente, como se rearranjasse suas moléculas, formado um grande V. –A aerodinâmica ainda pode melhorar, mas…


-Não é um avião, não precisa ser aerodinâmico e não funcional. –Holly intervém. –Olhe a largura dele. Não irá passar com agilidade entre árvores e certamente andaremos em mata fechada.


-Ok. –Artemis diz desgostoso, porém Holly tinha razão e depois testaria seu computador projetando a forma perfeita para seu “flutuador”. No momento se concentrou em uma cadeira, ao menos estaria confortável. O metal se dobrou de modo a deixar um quadrado na horizontal ligado por um fino cabo a um quadrado menor para apoio das costas, porém o objeto logo cai no chão. –Minha mente está alerta, mas meu corpo não colabora.


-Fique com o meu cavalo até que esteja descansado. –Mark diz de forma prática, o olhar censurando a limitação de Artemis.


-Vamos de uma vez. –Morgana diz montando, Moriarty já estava sobre seu cavalo e Artemis, que pegara a cadeira, se dirigia ao terceiro. –Holly? –Convida de modo simples, ao que Holly começa a ir até Morgana.


-Pode montar comigo se quiser. –Artemis diz posicionando sua cadeira de ferro a frente da cela.


-Não, obrigada. –Holly diz em tom seco, montando atrás de Morgana que não segura um risinho debochado, Moriarty e Mark também deram meio sorrisos zombadores.


-Primeiro pegar a joia e o ovo. –Sauron determina e começa a flutuar a frente, praticamente voava impulsionado por sua magia.


De Mark ouviram um ruído metálico e logo depois viram pequenas turbinas surgirem na palma da mão robótica e na sola do pé robótico, logo depois uma luz azulada o impulsionou para frente sustentando um voo ao lado de Sauron. Aqueles sobre o cavalo os impulsionaram a frente, Holly e Morgana sustinham olhares preocupados em relação aos ponteiros voadores, já Moriarty e Artemis observavam Mark extremamente interessados, suas curiosidades científicas aguçadas pela tecnologia tão perfeitamente integradas ao corpo humano.


****************************************************************


Era noite e foi decidido que montariam acampamento, Sauron ficara do lado de fora da barraca e se acostumava com seu dragão. Morgana e Holly estavam em seu quarto, se aprontando para dormir.


-Você e Artemis parecem se conhecer de antes e parecem não se dar bem. Eram inimigos? –Morgana pergunta enquanto escovava seus longos cabelos.


-No início éramos, depois nos conhecemos melhor e nos tornamos eventuais parceiros de aventuras. –Holly responde de modo tão automático, que ficou impossível esconder a mágoa em sua voz.


-O que ele fez para te magoar? Te seduziu e jogou fora? –Pergunta de forma direta, sabia que tipos de jogos sujos homens costumavam fazer.


-Somos de espécies diferentes e Artemis é só um menino, jamais teríamos um envolvimento romântico. –Holly usava um tom forçadamente irônico, quase dando a ideia de que tal hipótese era absurda. –Artemis mentiu para mim, me fez acreditar que era responsável por uma grave doença de sua mãe apenas para que eu fosse com ele em uma missão quase impossível. Eu teria ido se ele tivesse me pedido, era meu amigo e não negaria ajuda num momento daqueles.


-Você mente bem, mas sou especialista em ver a verdade. –Morgana diz a olhando de forma penetrante, seu cabelo envolvia-se sozinho como serpentes para formar um trança. –Está apaixonada por ele, mesmo que negue isso para mim e para você. Agora escute um conselho de alguém que conhece os homens, afaste-se dele. Mentiu para que ariscasse sua vida, mentirá para se enfiar entre suas pernas, depois cuspirá a verdade na sua cara e te abandonará pisoteando em seu coração no caminho.


Holly estava chocada, não pela forma rude ou direta que Morgana usará, mas pelo ódio que vira em seus olhos, a mágoa que cada palavra carregava, até a energia mágica que se desprendia de seu corpo pareceu se tornar um espectro de fogo raivoso.


-Como já disse, somos de espécies diferentes, não importa o que haja ou o que Artemis faça, seria impossível haver qualquer relacionamento entre nós. –Diz de forma pontual, deitando-se em sua cama assim como Morgana fazia do outro lado do quarto.


****************************************************************


Artemis estava maravilhado com seu computador, que não era simplesmente potente, apresentava todo um novo conceito computacional na manipulação, armazenamento e principalmente exibição de dados, possuindo como saída imagens em 3D manipuláveis pelo toque de sua mão. Moriarty pareceu interessado no que via, mas logo ocupou-se de deitar e examinar sua arma. Já Mark parecia determinado a apenas dormir o mais rápido possível.


-Mark. –Artemis chama e o outro apenas se vira em sinal de atenção. –Enquanto dorme, seu cérebro robótico, assim como todas as demais partes robóticas, estão ativas. Certo?


-Sim. –A resposta curta veio quase que em tom curioso.


-Então faça-a enviar para meu computador todo o conhecimento que tem sobre a tecnologia de seu mundo, o uso de nano partículas e também algumas memórias de batalhas suas. Serão dados necessários para eu poder pensar em estratégias e construir armas e equipamento de defesa. –Artemis fala em um tom professoral, era um cientista trabalhando.


-Então por isso queria dominar metais. –Moriarty diz desviando sua atenção para Artemis. –Usará o computador para planejar os artefatos e seu poder com metais para montá-los. –O tom era de admiração. Internamente regozijava-se por ter um intelecto tão desafiador com o qual competir e, o melhor, ambos trabalhando pela mesma causa.


-Obviamente. Quando a deusa falou dos poderes e do que poderia nos dar, sabia que precisaríamos conquistar nossos recursos e que tínhamos que ter algo que nos desse vantagem contra o inimigo. Carros de batalha, armas pesadas de ataque de área, transporte rápido e com suporte a alta carga. –Artemis diz enquanto em sua mente já imaginava os aviões que poderia criar ou mesmo mísseis e armas mais discretas.


-Por enquanto, o melhor a fazerem é dormirem. Terão tempo para criar suas engenhocas até que achemos uma boa reserva de metal para criar seus brinquedinhos. –Mark diz fazendo a luz se apagar. –Os dados estão sendo transferidos. –Avisa por ultimo e Artemis vê em seu computador a enorme quantidade de dados entrando, a comunicação sem fio trafega terabytes em segundos.


***********************************************************


N/A: Gostei de ver os vários comentário que tive, tanto que escrevi rapidinho o segundo capítulo desta fic. Continuem comentando assim que eu atualizarei o mais rápido que puder.


N/A²: Falando em atualizar, andaram pedindo que eu atualizasse outra fic por um sistema de “aposta” como acontece com Second Chance, perguntaram se eu não torcia por outra modalidade, então pensei e resolvi topar. Adoro F1 e vou usá-la como a modalidade escolhida da seguinte forme: A cada vitória de um piloto brasileiro ou da Ferrari eu postarei um capítulo, se for o Felipe Massa o vencedor será 1 capítulo e não 2, não é cumulativo rsrsrs. Quanto a fic que será atualizada nesse esquema vocês poderão escolher entre aquelas minhas que estão em andamento, a votação durará 1 mês e cada pessoa só poderá dar um voto. Os votos devem ser enviados para o e-mail: l_k_potter@hotmail.com. A propósito, o campeonato começou e na primeira corrida o Alonso, piloto da Ferrari, venceu então a fic escolhida já começa com direito a uma postagem!


N/A³: Temos aí o segundo time que será explorado, creio que para não haver personagem demais serão esses dois os únicos que irei ficar mostrando. Para quem não conhece os personagens: Sauron –Hobbitt à Senhor dos Anéis, e, Moriarty –Inimigo de Sherlock Holmes, são vilões dessas estórias então nem aparecem com tanto destaque, por isso não precisam ir desesperados ler os livros até porque um traço ou outro poderá ser modificado. Morgana é um compendio de várias versões de Morgana Le Fay, a principal base é a série As Brumas de Avalon, mas detalhes podem ser modificados aqui e ali para torná-la mais adequada a fic, por exemplo, ela será irmã de Merlim. Artemis e Holly são personagens principais na série de livros Artemis Fowl. O Mark é, assim como Grier e Groar, um personagem original.


PâmPotter. : Porque não leria uma fic assim normalmente? De todo jeito espero que esteja gostando.


Lilly Rigotti: Minha beta! A melhor em propaganda rsrsrs. Espero que tenha gostado de sua querida Morgana e dos outros personagens. Aliás, ficou devendo o comentário do capítulo anterior rsrsrsrs *cobro mesmo*. Tentei te mandar um e-mail pra tentar te achar e enviar o cap pra vc betar, mas vc não tava on e eu não sabia que horas ia estar na net de novo.


Freya: Obrigada pelos elogios, espero que continue gostando da fic. Eu gostei da sua ideia de outra aposta, agora vai da escolha do público topar ou não.


Sirius Padfoot Black : Superei a mim mesma? Rsrsrsrs Eu acho que não tem outra fic por aí que misture os três universos, pelo menos nunca vi. Qual o problema com Crepúsculo? Só não coloquei Edward e Alice aqui porque seria muita apelação.


Eles poderiam mudar o pedido sim, desde que que seja antes do fim do torneio. Hermione não pediu o Sirius porque o Cedrico era mais jovem e tinha um futuro brilhante, além disso o Harry já terá os pais de volta. Fazer a família virar bruxa ia ser mais de um pedido e outra, ela tem orgulho da família ser como é.


Trazer um Eldunari seria como ir com Saphira ou o Mark vir com uma mega nave de batalha, ou seja, vantagem extra demais. Harry com asa tem mais estilo, mas não é prático, ele não poderia deitar direito e teria um ponto frágil, alguém poderia arrancar sua asa.


Grier e Groar não aprenderão a fazer magia. Quanto ao poder, o Grier queria poder assumir formas de pessoas e objetos, além de mudar sua forma como quisesse, tipo misturando características de animais para formar outro.


Anderson potter :As espadas tem o mesmo material e tudo mais, mas a do Harry não “pega fogo” porque Brisingr só o faz porque calhou do nome verdadeiro da espada ser “fogo”. Groar e Grier são personagens originais, criados por mim assim como Mark.


Wilhan dutra : Nada impede Harry de usar magia elementar ligada a espada, mas não é para ela ter um poder especial ou coisa assim.


Freya Jones : Arty e Holly já apareceram, agora a fic melhorou? ^^


Lucas Vinicius : Que bom que gostou da ideia. Artemis e Holly já apareceram e preferi os colocar em outro grupo porque queria a princípio grupos bem equilibrados quanto a guerreiros e estrategistas.


rosana franco : Que bom que gostou, aguardo o comentário de cada cap rsrsrsrs.


Milton Geraldo da Silva Ferreira : Que bom que gostou, espero que goste mais dessa que da outra versão.


Lari_sl : A coisa interessante era mesmo fazer times bem diferentes e que se complementassem.


JéèH G. Potter : Que bom que gostou da primeira mistura, espero que tenha curtido a segunda mistura também!Vou tentar equilibrar bem romance e ação, apesar de que inevitavelmente haverá mais ação.


Trinity : Que bom que gostou das escolhas iniciais, espero que goste dessas também, é um grupo bem mais heterogêneo que o outro. Adoro Eragon (série), mas confesso ser apaixonada por Artemis (série). Essa barraca é uma coisa, bem melhor que a estilo militar desse grupo aqui.


May33 : Que bom que prefere essa a outra. Se ler a série do Arty não irá se arrepender, vou tentar também não dar tanto spoiler dos livros, mas uma coisa ou outra será inevitável no decorrer da fic. Eu também fiquei meio assim quanto ao que ela pediria, mas é como eu disse acima, podendo reviver um jovem com um grande futuro pela frente e que teve sua vida tirada tao repentinamente pareceu o correto a fazer. Harry não estava ciumento e sim protetor, tem medo que o groar possa tentar violentar a Hermione. Groar não é sentimental, mas tentarão ensinar boas maneiras e princípios para ele e Grier. Essa barraca é demais mesmo, tudo o que poderia se querer em um acampamento rsrsrsr.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2021
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.