FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. O Torneio


Fic: Heroes -O Torneio dos Deuses


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Harry e Hermione estavam em uma reunião da Ordem da Fênix quando de repente tudo ficou escuro por um segundo e no seguinte encontraram-se em uma sala totalmente branca, sem qualquer outra coisa senão quatro pessoas, porém suas atenções recaíram primeiramente em si mesmos.


Hermione assustara-se com suas roupas, exatamente iguais as de Harry. Calça negra e justa que parecia de couro assim como o colete da mesma cor e sem mangas com detalhes dourados que de tão justo deixava seus seios mais evidentes e quase amostra. Por sua vez Harry preocupava-se com a ausência de seus óculos que lhe deixava vendo tudo em borrões brancos e negros.


-Mas que roupa é essa? –Diz reprovadora e olhando de si para Harry, que se vira para ela, sem entender.


-Fica muito bem em você. –A voz grave e maliciosa chamou a atenção dos dois.


Hermione praticamente escondera-se atrás de Harry, que ao mesmo tempo a colocava atrás de si na intenção de protegê-la de seja lá quem fosse o borrão negro e enorme que parecia se aproximar.


-Fica na sua sujeito. –Harry avisa em tom ameaçador.


-Não acha que é muito baixinho e fracote pra ameaçar Groar? E ela é bonita demais pra ser sua mulher. –O homem passava uns bons centímetros dos dois metros, era incrivelmente musculoso e seu tom de voz quase parecia inocente perto da luxúria de seus olhos. Aquilo fez Hermione tremer e se sentir de fato como uma donzela indefesa de contos.


-Eu disse pra ficar longe! –Harry esbraveja sem se intimidar, pegara o cabo em sua cintura e lançara o feitiço de forma tão imediata que só depois dera-se conta do peso do objeto, aproximando-o bem do rosto e vendo que era uma espada. No entanto isso pouco importara, porque o homem havia sido derrubado pelo feitiço, mas já estava de pé e vinha furioso. –Pro inferno! –Esbraveja já lançando um feitiço explosivo, porém uma energia enorme o paralisa, todos veem o feitiço parar no ar e se desfazer e o homem ser transportado para o outro lado da sala.


-Chega de conflitos! –Outro homem brada em tom imponente, havia surgido em um ponto onde poderia olhar a todos. Hermione reparou que vestia calças negras que pareciam seda com uma túnica do mesmo material só que dourada. Ele possuía cabelos cor de sangue e o azul dos olhos era tão claro e delicado que era quase irreal. –Explicando de um jeito simples que todos possam compreender, sou um deus.


-Você é Deus? –Harry diz tentando focar melhor, mas sem sucesso, via apenas um borrão colorido estranhamente.


-Ele disse que é “um deus”, ou seja, existem outros. –Hermione diz o observando analiticamente. O deus riu satisfeito.


-Hermione… tão jovem e tão inteligente, sempre um passo a frente, observando os detalhes mais discretos, quase nunca deixando passar algo… mente brilhante, coração puro, moral ilibada. –Diz em tom admirado, aprovador, logo depois direcionando um olhar para Harry. –As ligações emocionais que possui com Harry são misteriosas até mesmo para mim, porém o que importa é que permitem aos dois formar uma dupla próxima da perfeição, sendo Harry a coragem em pessoa, guerreiro nato, ousado, resistente, alguém que já caiu inúmeras vezes e em todas levantou de cabeça erguida, e sempre o fará. –Após Hermione, fora a vez de Harry ficar sem jeito. –Groar, um homem duro de matar, possuidor de uma força descomunal, instintos de batalha infalíveis, um sobrevivente em todos os graus. –O gigante de cabelos negros desgrenhados e barba por fazer lembrava mais um homem das cavernas que qualquer coisa, porém parecia estar bem orgulhoso de sua descrição. –Grier, tão versátil quanto astuto, capaz de em pouco tempo saber tudo sobre qualquer pessoa ou criatura, excelente espião e investigador. –Agora as palavras foram para o homem ao lado de Groar, era só um pouco mais baixo, cabelos ruivos, olhos verdes claros, barba por fazer e dentes em um estado tão péssimo quanto os de Groar. –Eragon, assim como você Harry, órfão, com uma história familiar trágica, destinado a lutar contra um mago poderoso e alguém que vem tendo que rapidamente aprender a guerrear. Talentosíssimo espadachim, bom coração, um forte espírito protetor, um menino que rapidamente se tornou um homem. –As palavras elogiosas pareceram deixar Eragon um pouco sem jeito, parecia tão jovem quanto Harry e Hermione, cabelos loiros na altura dos ombros, olhos azuis e muito belo, um misto de homem e elfo, evidenciado pelas orelhas pontudas. –Por fim, Arya, que possui o necessário de tudo o que vocês tem e muito mais, é experiente e sábia, líder nata. –Arya era uma elfa esguia, elegante, havia usado magia para fechar o decote do colete negro, possuía longos cabelos negros e olhos verdes claros muito bonitos.


-Terminada as apresentações, o que acha de nos dizer o porquê nos ter trazido aqui? –Arya pergunta seriamente, olhava-o como uma igual, a postura aristocrática e a voz melodiosa e profunda poderiam fazê-la muito próxima de uma deusa.


-Os escolhi por serem os melhores e mais adequados guerreiros de seus mundos…


-Mundos? –Harry e Eragon perguntam confusos.


-Dimensões. –Hermione responde, chamando a atenção. –O lugar de onde nós dois viemos, com tudo o que conhecemos, poderia ser uma esfera, o mesmo com eles. Essas três esferas com conteúdos completamente diferentes caminham com o tempo em espaços paralelos, como se estivessem rolando sempre em frente e na mesma velocidade por estradas que seguem lado a lado rumo ao horizonte sem nunca se cruzarem.


-Excelente resposta! –O deus diz com um sorriso de aprovação. –Vou usá-la das próximas vezes. Há de tempos em tempos uma competição, um torneio, que alguns deuses organizam e, nesta edição, escolhi vocês para formarem o meu time, Arya será a capitã e aquela a ter sempre a palavra final.


-Não é mulher, mas é fêmea e Groar não recebe ordens de fêmeas! –Groar protesta enfático. A exceção de Grier, os outros os olham reprovadores, tão pelo machismo quanto pela péssima capacidade de fazer frases.


-Arya poderia matá-lo sem sequer fazer um movimento e tão rápido que demoraria duas vidas para entender que está morto. –O deus diz em tom de advertência.


-Se ela é mais poderosa que Harry. E ele sendo cego te derrubou sem esforço. Acho melhor ficar quieto e obedecer. –Grier comenta pensativo.


-Harry não é cego, só não enxerga nada após um palmo e meio de distância de si. –Grier olha para o deus com uma sobrancelha erguida, afinal aquilo era ser praticamente cego. –O que me faz lembrar que preciso dar um jeito nisso. –Comenta se virando para Harry, que logo depois grita de dor com a mão sobre os olhos. –Já vai passar. –Assim que ele termina de falar, Harry afasta as mãos e pisca várias vezes seguidas, todos o observavam em expectativa.


-Estou enxergando… até melhor que com os óculos. –Harry diz estranhando aquilo, olhava para Arya e Eragon, depois virou-se e buscou o gigante com os olhos, direcionando um olhar raivoso e de asco a ele.


-Me sinto honrada pela escolha, mas está havendo uma guerra no meu mundo e não posso me ausentar. –Arya diz ignorando todo o resto. –Aliás, pelo que você disse não sou a única. –Acrescenta olhando rapidamente para Harry e Hermione, que assentem.


-Eu os levarei de volta para o instante seguinte ao que os trouxe, então não importa quanto tempo demorem aqui, voltarão com estes corpos e no mesmo tempo em que deixaram o mundo de vocês, com a vantagem extra de que terão consigo os poderes adquiridos aqui e, caso vençam o torneio, poderão ter um desejo qualquer atendido. –O deus explica tranquilamente, notando em todos o pensamento dos benefícios que aquilo daria.


-Groar não entendeu. –Groar diz confuso, a expressão era a de que fizera força para entender.


-Se a gente ganhar a competição, o prêmio é uma coisa qualquer que a gente queira. E quando voltarmos pra casa seremos tão fortes como éramos aqui. –Grier explica lentamente, olhando para seu parceiro de aventuras.


-Groar quer ser o homem mais rico do mundo. –Groar diz com firmeza.


-Assim será, caso vença. –O deus diz em aprovação. –Grier, o que deseja?


-Quero ser imortal. –Diz sem parar para pensar.


-Imortais são apenas os deuses, porém posso fazer que seja como Arya. Nunca envelhecer, não ficar doente, morreria apenas por assassinato. –O deus explica pacientemente, porém a informação sobre Arya pegara Groar e Grier de surpresa, fazendo-os entender do porque ela poderia ser tão perigosa.


-Aceito. É o suficiente. –Grier diz tranquilamente, parecia uma pessoa muito calma.


-Groar quer mudar prêmio, quer ser imortal também! –Diz com uma expressão que parecia divida entre esperta e perigosa.


-Certo. –O deus diz dando de ombros, então se virando para Harry. –Diga o que sua mente está berrando.


-Quero meus pais de volta. –Harry diz controlando a ansiedade.


-Seus pais são duas pessoas, ou seja, seriam dois desejos. –O deus explica sem alterar sua expressão, para ele era insignificante.


-Errado. O amor uniu minha mãe e meu pai de um jeito tão forte, que se tornaram um. Viveram como um, sonharam como um e morreram como um, por mim. –Harry argumenta de modo sensato, ocultando a própria emoção. A declaração fez com que até Hermione o olhasse em surpresa.


-A convivência com Hermione está te deixando muito eloquente. Estou tão impressionado que farei esta concessão. –O deus diz surpreso, porém satisfeito.


-Do que é feita essa corrente? –Grier pergunta curiosamente a Harry. –Nunca ouvi falar em nada como amor. –Aquilo chocou os outros quatro do grupo, porém, de algum jeito, não era tão estranho que Grier ou Groar fossem tão obtusos com sentimentos.


-Com sentimentos. Quando uma pessoa ama outra, são os laços emocionais que as unem. Te faz bem estar junto àquela pessoa, você não suporta ficar muito tempo longe, quer sempre ter algum contato. É o tipo de sentimento que os pais têm pelos filhos.


-No meu mundo os homens são postos para fora de casa quando tem força pra erguer uma lança. Não sei se alguma das mulheres que já tive tiveram filhos meus, nunca consigo ficar tanto tempo num mesmo lugar. –Diz dando de ombros. Aquela declaração fazia-os ter certeza de que Grier e Groar eram praticamente homens das cavernas.


-Eragon, qual seu desejo? –O deus pergunta voltando ao assunto.


-Quero que Galbatorix nunca tenha nascido. –Responde de pronto.


-Foi por causa de Galbatorix que seus pais se conheceram, se eu fizer como que ele nunca tenha existido, você não nascerá e isso significa que deixarei de ter ganho o torneio que acabaria de ter vencido. Ou seja, não. Porque não pede sua mãe de volta? Harry era tão pequeno quanto você quando os pais morreram, seria um jeito de conhecer sua mãe.


-Aceito. –Diz de forma breve, ficava feliz e confuso com a ideia de que poderia conhecer a mãe, que nunca vira nem por pintura e que dera a vida por si.


-Arya?


-Um dragão como Saphira, só que macho. –Responde bastante convicta. Eragon sorriu em aprovação.


-De que cor? –A pergunta fez Arya o olhar como se ele fosse louco. –Hermione? –O deus muda o foco, preferindo não ouvir uma resposta a sua pergunta.


-Perdemos muitas pessoas na guerra, algumas muito próximas. Entretanto acho justo que se for para reviver alguém, que seja jovem, que tenha um futuro brilhante à frente, por isso escolho Cedrico. –Harry a olha aprovador.


-Ótimo! Todos já estabeleceram seus prêmios, falemos então do torneio. –O deus diz em tom prático. –Vocês irão para um mundo novo, que foi criado para o torneio e será destruído após o torneio. A língua falada e escrita é única, exatamente a que estão falando aqui e é diferente das linguagens que falam em seu mundo. Há reinos que possuem pessoas comuns e suas próprias regras, eles podem ser inimigos ou não. Haverá mais sete equipes nesse mundo, eles usam uniformes como vocês e terão que executar as mesmas missões, não exatamente na mesma ordem e não começarão no mesmo ponto que vocês. Vence o torneio a equipe que tiver mais pontos, sendo esses pontos a soma dos pontos pela missão cumprida num determinado tempo e os pontos individuais de cada um, os quais serão dados por mérito.


-Usa palavras muito difíceis. –Groar reclama já cansado de não entender todo o falatório.


-Fica quieto que depois explico. –Grier diz e Groar praticamente se joga no chão, sentando-se e fechando os olhos como se fosse dormir.


-Não podemos escolher outra pessoa? –Harry diz já sem conseguir aturar mais aquele ogro.


-Acho que um orc seria mais esperto e educado. –Eragon diz em concordância.


-Groar é um guerreiro valoroso, não desfaçam de suas habilidades sem tê-las visto. –O deus adverte. –Voltando às regras. Esses colares os definem como membros da minha equipe, permitem que saibam quando o outro está com problemas e não devem ser perdidos ou retirados. Os uniformes ajudam a identificar quem vocês e os outros competidores são, então não podem tirá-lo.


-E não podem ser diferentes? –Hermione pergunta mostrando que não gostava do uniforme, o qual já teria mudado se tivesse sua varinha.


-Porque não usa sua magia pra mudar o que não gosta? –Arya pergunta sem compreender, afinal ficar de braços cruzados não era a melhor forma de se cobrir.


-Se eu estivesse com minha varinha o faria. –Hermione diz olhando para o deus.


-Não precisa de varinha nesse mundo, na verdade nem no seu. Mas aqui sua magia está bem latente, então apenas concentre-se, algo como o que Harry fez, só que sem usar catalisador. –Assim que o deus responde, Hermione fecha os olhos se concentrando e logo sente o tecido suave sobre sua pele. Ao abrir os olhos sorri aprovando a fina e confortável camisa social branca sob o colete, que cobria seus braços e, com o primeiro botão aberto, deixava o colar a mostra.


-Groar gosta mais do outro jeito. –Groar diz desaprovador.


-Groar irá morrer se não parar de olhar pra Hermione. –Harry retruca feroz.


-Groar, nesse mundo se uma mulher não quer você, não insista e se afaste, senão irá apanhar de todos nós antes de morrer muito dolorosamente. –Arya avisa com um olhar tão mortal, que Groar apenas rosna baixo irritado, voltando a fechar os olhos.


-As armas que receberam são aquelas que julgo mais aptas a vocês. Arya e Grier têm Arcos poderosos e precisos, as flechas sempre ressurgem imediatamente então não precisam ficar se preocupando em pegar as flechas atiradas. As espadas de Harry é do mesmo tipo que Brisingr, a espada do Eragon, ele te dirá mais sobre ela e o ensinará a usá-la. O machado de Groar é quase indestrutível e junto a força dele, pode derrubar até muralhas. Hermione recebeu um cajado que pode virar uma lança, Arya poderá ensiná-la a usar.


-Essas armas poderão ir conosco quando voltarmos? –Harry pergunta observando melhor a bela espada de lâmina negra e empunhadura prata, ornada no cabo e na lâmina com algumas joias e inscrições.


-Se vencerem, posso fazer isso. Já tem muito tempo que não ganho o torneio. –O tom era um misto de lamento com cobrança.


-E você nos dará provisões, cavalos, mapas? –Arya pergunta pensando em tudo que poderiam precisar.


-Não posso dar muitas provisões, darei um mapa do mundo e um de cada grande reino. Quanto a locomoção, terão que virar-se por si mesmos. –Responde e então olha para Hermione, vendo o que ela tinha em mente. –Posso fornecer isso. –Ao dizer, uma mochila surge à frente deles.


-As provisões, uniformes extras e todo resto estão aí? –Ela pergunta surpresa.


-Sim. Tudo como imaginou. –Hermione sorri ao ouvir a resposta. –Nessa bolsa aqui estão os mapas, a lista com as missões e uma tabela. Na listagem das missões as em preto estão indisponíveis, as em vermelho estão disponíveis para ser feitas e sua indicação aparece no mapa com a descrição do que precisam fazer, em dourado as missões concluídas. A tabela possui oito símbolos, cada um representa uma equipe com suas cores e símbolo, no caso de vocês um raio dourado com escudo negro, nela estarão os pontos de cada um, assim saberão quais seus principais concorrentes e os que não valem a pena.


-É um jeito sutil de dizer que devemos enfrentá-los diretamente e enfraquecer ou exterminar se forem fortes? –Arya pergunta em um tom neutro.


-Vocês decidem como agir. Não há regras quanto ao relacionamento e tratamento de equipes. Dito isto, só resta lhes conceder minha última benção. Poderão escolher um poder especial que levarão consigo para o mundo de vocês.


-Quero poder ficar invisível quando quiser. –Arya responde de pronto.


-Feito. –O deus concede e logo depois Arya fica invisível por um momento e depois visível, parecendo aprovar o poder.


-Sou um cavaleiro de dragão e preciso de um para combater na minha melhor forma. –Eragon diz esperançoso por ter Saphira.


-Não poderia trazer Saphira, mas estou te dando o poder de conjurar um dragão. Ele será um espírito materializado que agirá como Saphira agiria e terá os mesmos poderes. Poderá vê-lo ao olhar a tatuagem em suas costas. –Eragon sentira um pequeno comichão nas costas enquanto ouvia, entendendo ao final o que era.


-Posso me transformar em animais, mas gostaria de poder me transformar em qualquer coisa. –Grier diz logo depois, parecia ter bastante certeza do que precisava.


-Feito.


-Groar quer ser rápido igual raio. –Groar diz saindo de sua distração por um momento.


-Feito.


-Quero voar. –Harry diz em seguida.


-Feito.


-Sem asas? –Harry diz olhando para trás.


-Apenas concentre em subir. Aos poucos pegará o jeito sobre direção e velocidade. –Harry entendeu, mas pareceu desapontado.


-Eu posso fazer uma capa pra você. –Hermione o provoca, ao que ele rola os olhos e faz um chiado.


-Asas seriam lentas e poderiam atrapalhar. –O deus complementa.


-Eu quero o poder de curar não só a mim como aos outros, e sem dar minha vida em troca. –Hermione diz atraindo a atenção dos demais, era um pedido mais para o grupo que para si mesma.


-Poderá fazê-lo, mas apenas se o coração do ferido estiver batendo e a cabeça grudada ao corpo. Todos vocês inicialmente se cansarão no uso dos poderes como se estivessem fazendo um esforço físico, mas assim como os músculos, quanto mais se exercitarem, mais poderão usá-los e mais fortes serão. –O deus adverte e todos parecem entender.


-Boa sorte e sejam mais rápidos que os outros. –Assim que o deus termina de falar, os seis são transportados para a área do torneio.


**************************************************************


Em uma rápida observação, notaram estar em uma clareira no meio de uma floresta densa, havia sons diversos de animais, porém nada de água. A iluminação também não era boa devido às altas e densas copas das árvores ao redor.


-Isso é uma zoação?! –Harry diz ao ver Hermione de costas e depois olhar para os outros, todos tinham um grande raio dourado nas costas.


-O que? –Hermione pergunta confusa.


-Tem um raio enorme nas nossas costas. –Diz em um muxoxo.


-Ele deve ser o deus do raio ou coisa assim, o colar também é um raio dourado. Aliás, não acha que apenas as golas em dourado era muito pouco no uniforme? –Comenta sem parecer se importar muito.


-Achei que gostasse de raios. –Eragon diz se intrometendo na conversa, olhava para a cicatriz da testa de Harry.


-Ganhei isso na noite que meus pais foram assassinados. Tinha um ano de idade e o assassino tentou me matar com a maldição da morte, mas ela se voltou contra ele e me deixou essa cicatriz, a marca do único que sobreviveu a maldição mortal, e isso por causa do sacrifício de minha mãe por mim. –Harry responde sem demonstrar muita emoção. Eragon fez apenas um gesto de que entendia e olhou para os outros, que pareciam ter parado para ouvir a pequena história.


-Vamos montar a barraca, acho que é bom para que a conheçam. –Hermione diz apontando para a mochila. –Enquanto isso poderiam dar uma olhadinha em volta, ver se estamos seguros. –Sugere se aproximando da mochila, que havia surgido no chão junto com eles.


-Vamos todos ficar em uma barraca? –Eragon pergunta estranhando, afinal parecia que Harry e Hermione quereriam manter distância de Groar.


-Ela é magicamente modificada, entenderão quando entrarem. –Hermione responde já se abaixando e abrindo a mochila.


-Grier, Groar, tentem achar um pouco de lenha. –Arya diz aos dois, mas Harry logo interrompe.


-Lenha não é necessário, temos tudo o que é importante aqui dentro. –Ao abrirem a mochila começaram a retirar as hastes metálicas e o tecido que compunham a barraca, as únicas coisas dentro da mochila.


-Vamos olhar em volta. –Grier diz puxando Groar, aproveitaria pra explicar tudo o que ele não havia entendido da conversa anterior.


Nos minutos seguintes Harry e Hermione olharam todas as hastes e então começaram a montá-la, cravando as bases no chão e fortalecendo os encaixes com magia. Depois pegaram a lona espessa e de uma cor que mesclava marrom e verde, fazendo com que no escuro ela ficasse camuflada no ambiente.


-Prontinho, eis nosso palacete. –Hermione diz contente. Era uma cabana com um metro e meio de altura e quase dois de largura.


-Desculpe, mas não acho que caibam mais do que dois de nós aí. –Eragon diz completamente confuso.


-Nossas provisões estão onde exatamente? –Arya pergunta ao ver que a mochila estava totalmente vazia.


-Aqui dentro, venham. –Harry incentiva já entrando na barraca, Grier e Groar voltavam nesse instante e olhavam confusos, mas seguiram para a entradinha.


De uma forma quase assustadora, todos entraram e viram-se em uma saleta confortável com grandes almofadas e um tapete fofo no chão, ao lado de uma lareira. Separado por um balcão havia uma mesa e bancadas, pia e um fogão.


-Essa é uma barraca de acampamento bruxa. –Hermione diz chamando a atenção para si. –Aqui temos uma saleta onde podemos descansar e fazer reuniões. Ali está a cozinha e mesa para refeições. A comida está nos armários e na geladeira. A iluminação é por velas que se acendem e apagam conforme entramos e saímos dos cômodos. –Agora ela seguia para uma escada em espiral que levava a um segundo andar. –Lá em cima teremos quartos e banheiro.


-Dois andares? –Eragon pergunta pasmo.


-O que uma geladeira faz exatamente? –Arya pergunta analisando os objetos a sua volta, alguns estranhos a si.


-Ela deixa a comida fria por meio de magia. Conserva por mais tempo os alimentos. –Harry responde de modo simples.


-Temos um quarto pra cada um, rapazes dormindo nos quartos a esquerda. –Hermione diz apontando para o lado do corredor, haviam apenas portas com nomes. –Seus nomes estão nas portas e nossos objetos pessoais como os uniformes dentro de baús em frente a cama. –Ela diz parada e observando discretamente a distribuição. Eragon dormia em frente a Arya e Harry em frente a ela, no final do corredor. –Mas o que talvez choque vocês é o banheiro, então eu quero que entrem e me deixem explicar como funciona.


-Explicar o banheiro? –Harry pergunta quase rindo.


-Harry, Grier e Groar parecem ser homens das cavernas. Arya e Eragon eu não sei, mas de todo jeito é bom que vejam como tudo funciona. Até mesmo você vai se surpreender. –Ela diz abrindo a porta e entrando.


O lugar parecia feito de mármore negro com fios de ouro, o que deu a Hermione e Harry a impressão de que iriam passar a odiar a cor. Havia logo de frente para a porta um armário em madeira avermelhada, a pia era de louça negra e a torneira de ouro.


-Isso é uma pia. –Hermione diz percebendo que não era estranha a Eragon e Arya. –Aqui nós podemos lavar as mãos, o rosto e escovar os dentes. Também poderão pegar copos e colocar sob a torneira para encher com água e poderem beber. –Vou demonstrar. –Explica lentamente olhando para Grier e Groar, que pareciam confusos.


Hermione coloca as mãos embaixo da torneira e ela liga sozinha, molhando a mão dela e, quando as mãos saem debaixo da torneira, a água desliga. Hermione segura o sabonete ao lado da torneira passa-o nas mãos e depois volta a molhá-las do mesmo modo.


-É assim que se lava as mãos. Aquilo ali é um sabonete, serve pra limpar melhor. –Diz apontando para a barrinha branca em um suporte dourado.


-Esse sabonete limpa tudo? –Grier pergunta quase assombrado.


-Se for uma sujeira muito oleosa pode ser que precise usar mais de uma vez e esfregar as mãos uma na outra com mais força. –Harry responde enquanto vê Hermione se abaixar e abrir o armário, tirando de lá escovas de dente e um tubo de pasta.


-Isso aqui é uma escova de dentes. –Hermione diz devagar, tirando-a da embalagem. –Vocês vão por um pouquinho de pasta de dente, dessa forma. –Diz pegando o tubo e espremendo um pouco. –E então passá-la nos dentes desta forma. –Diz fazendo aparecer uma arcada dentaria a sua frente e então executando os movimentos como já vira seus pais fazerem várias vezes para pacientes.


-Isso serve pra que? –Groar pergunta entediado.


-Para que não percam os dentes ou sintam dor no dente. –Hermione diz de modo simples.


-Também vai melhorar o hálito de vocês. –Eragon fala franzindo o cenho. –Aliás, seu poder de cura não pode dar um jeito nisso? –Pergunta a Hermione.


-Não sei, posso tentar. –Diz deixando a escova sobre a pia e dando um passo na direção de Grier. –Só um teste. –Diz fazendo sinal para ele se abaixar e então tocando-o no rosto. Logo depois ela sente uma espécie de eletricidade percorrendo seu braço e a temperatura aumentar no ponto de contato com Grier, logo depois os dentes dele iam clareando e nos buracos deixados por dentes outros nasciam. –Funciona.


-Mas dói. -Grier diz passando a mão no rosto e depois olhando-se no espelho, vendo que possuía todos os dentes e estavam brancos.


-Groar também quer. –Diz se aproximando de Hermione, o olhar demonstrando que era muito mais por sentir seu toque do que pela cura em si.


Harry se move junto de Hermione e permanece atento durante os segundos em que ela o toca. Logo depois levando-a rapidamente para o outro lado do banheiro.


-Depois precisamos ensinar o que é banho. –Eragon diz olhando para Harry, que assente.


-O que é aquilo? –Arya pergunta apontando para o vaso sanitário. Harry olhou surpreso, mas entendeu o porquê Hermione insistir em “explicar o banheiro”.


-É um vaso sanitário, local usado para se fazer necessidades fisiológicas. –Ela diz seriamente, usando seu tom professoral, porém nenhum dos quatro pareceu entender. –Lugar para urinar e defecar. –Ela tenta esclarecer o termo, tentando manter-se técnica.


-Depois explico melhor. -Eragon diz ao ver que Grier e Groar ainda pareciam confusos.


-Obrigada. –Hermione agradece. –O importante é saber que ele é automatizado. Então vocês vão abrir a tampa assim. –Diz mostrando como a tampa abria e revelava o fundo de louça branca com um pouco de água. –Sentarão e farão suas fezes, então depois ainda sentados irão apertar esse botão do lado, assim. –Ela diz apertando o botão e eles veem uma haste metálica surgir, se posicionar na metade de trás do vaso e então soltar um esguicho de água razoavelmente forte por alguns segundos. –Isso irá deixá-los limpos. –Até Harry parecia surpreso.


-Isso eu nunca tinha visto. –Ele confessa impressionado.


-Inovações tecnológicas úteis, já que não temos onde adquirir papel higiênico. –Hermione explica a ele. –Arya, quando formos usar para urinar apertamos esse outro botão. –Hermione mostra e a haste novamente aparece, mas desloca-se um pouco mais a frente e esguicha por um tempo um pouco mais curto. –Ao final vocês irão se levantar e apertar esse outro botão, que é a descarga. –Hermione mostra um botão no alto da caixa sobre o vaso, então todos olham a descarga, até mesmo Harry que percebe uma espuma como se houvesse sabão junto.


-Limpa sozinho, muito bom. –Harry elogia e Hermione pisca cúmplice.


-Agora a ducha. –Hermione diz apontando para o Box de vidro no canto direito. –É usado para o banho. Vocês tiram a roupa, entram sob o chuveiro –aponta o chuveiro no alto –para abrir água fria a torneira azul, para abrir água quente a torneira vermelha, se abrirem as duas a água fica morna, mas abram apenas um pouco. –Diz dando meia volta nas torneiras e deixando que vissem o jato forte que saía. –Vocês vão fechar as torneiras e pegar o sabonete que está aqui, passar em todo o corpo e esfregar, depois abrirão as torneiras e tirarão o sabão. Depois disso pegarão uma toalha que trarão dos seus quartos e deixarão pendurada aqui e se secarão. –Ela diz apontando conjurando uma toalha e pendurando no gancho ao lado da ducha, depois fazendo-a sumir de novo.


-Também não temos isso no nosso mundo, mas é muito interessante. –Arya comenta olhando melhor o Box.


-Aquilo é para que então? Porque achei que fosse a tina do banho. –Eragon diz apontando a banheira.


-Ah, sim. É para tomar banho também. Quando estivermos com mais tempos e cansados, é bom para relaxar. –Hermione responde indo até a banheira em frente ao Box. –Se estiverem muito sujos com lama ou coisa assim primeiro precisam tirar isso na ducha. –Diz apontando o Box. –Depois abrem as torneiras fria e quente para encher a banheira e podem apertar um pouco essas torneiras coloridas, elas tem sabonete liquido então escolham só um. –Diz apontando as saídas. –E vocês podem deitar aqui e quando a banheira encher de água desligam as torneiras e esfregam o corpo pra tirar a sujeira ou se quiserem apenas relaxar podem apertar esse botão entre as duas torneiras que a água vai se mexer como se massageasse vocês.


-Banheira de hidromassagem? –Harry pergunta boquiaberto, não era bem algo que esperava encontrar em um acampamento.


-Sei que com todo esforço físico pra caminhar e treinar vou precisar disso no fim do dia. –Hermione diz antecipando o sofrimento, Eragon Ri e Arya parece apenas olhar interessada.


-Mais alguma coisa ou podemos ver qual nossa missão e ditar as regras de boa convivência? –Arya pergunta olhando em volta.


-Está tudo bem por enquanto. Depois cada um pega uma escova de dentes ali. –Hermione avisa e todos começam a sair do banheiro.


**************************************************************


Estavam todos sentados a mesa, Arya na cabeceira, a sua direita Groar e Grier, a sua esquerda Eragon, Harry e Hermione. Grier parecia disperso olhando tudo a volta, Groar parecia farejar sentindo o cheiro de comida.


-Devemos começar pelas regras de boa convivência. Em primeiro lugar, mantenham-se limpos. –Diz olhando para Groar e Grier. –Não entrem no quarto dos outro se eles não chamarem, se quiser falar com alguém que esteja no quarto, bata de leve na porta e chame a pessoa, então espere que ela atenda. Não devemos passar muito tempo aqui dentro, mas isso ao significa que possa deixar suas coisas bagunçadas e largadas, suas coisas ficam nos seus quartos e só.


-Arya. –Harry chama e ela o olha. –Posso cuidar da cozinha e Hermione é muito boa em feitiços de limpeza. –Diz e Hermione concorda.


-Ótimo, vocês cuidam disso. Eragon, você ensina eles a ficarem compostos. –Arya determina e Eragon assente em concordância. –Quanto às rotinas diárias… -Se interrompe ao ver a expressão interrogativa de Groar. –Todo dia iremos fazer coisas repetidas. –Diz olhando para ele que parece entender. –Essas coisas repetidas serão: logo depois de acordar, comer, depois faremos treino de combate e depois treino dos poderes novos, então comemos de novo e caminhamos na direção da missão, depois de um tempo paramos para comer e faremos mais treino de poderes e então caminharemos mais até o anoitecer. Quando estiver de noite vamos entrar e nós vamos ensinar coisas a vocês, conceitos de tática, estratégia, matemática e tudo o que for necessário, então comemos e dormimos. Entenderam? –Todos assentem.


-Como iremos organizar a guarda? Creio que será mais seguro que de tempo em tempo revezemos na guarda da barraca. –Harry diz pensativo.


-Não será necessário. Eu raramente durmo, posso fazer a guarda, só peço que todos fiquem prontos para lutar a qualquer chamado. –Arya diz e os outros concordam.


-Tem uma coisa importante. –Hermione diz e todos a olham. –Não sabemos exatamente como o tempo passa aqui, pode ser que os dias sejam mais longos ou mais curtos do que estamos acostumados, então por isso pedi que entre as nossas coisas estivesse meu relógio e o do Harry, são objetos que marcam o tempo. Assim vamos poder saber se a rotina combina com o tempo. Também a objetos chamados despertadores no quarto de cada um, eu vou mostrar como usa depois, ele toca um alarme pra acordar a gente, o objetivo é que todos acordem na mesma hora.


-Ótimo, eu realmente não havia pensado nisso, mas concordo. –Arya diz aprovadora, havia até mesmo um discreto sorriso em seus lábios. –Quanto às missões, saibam que vamos agir inteligentemente, então só ataquem se forem atacados ou se eu mandar, só matem se houverem muitos contra nós. –Arya diz seriamente, com a mão pegava a bolsa e colocava sobre a mesa. –Vejamos o que temos. –Diz abrindo a bolsa e retirando os pergaminhos. –Aqui está a lista de missões. –Diz abrindo um em que havia mais de uma centena de linhas escritas em preto, apenas duas em vermelho. Tocou com o dedo em uma e um quadro se abriu magicamente do lado revelando a missão, depois tocou na outra e viu o mesmo.


-Esses desenhos dizem coisas? Foi mesmo isso que vi? –Grier diz espantado, Groar também parecia confuso.


-Pelo visto no mundo deles não havia escrita. –Hermione pensa alto. –Vejam bem, esses desenhos que vocês viram representam as coisas que dizemos. E assim como as palavras ditas, as escritas também podem mentir, então tomem cuidado com o que leem. Ler é o ato de decifrar esses desenhos, como vocês fizeram agora.


-Vamos falar mais sobre isso depois, nas aulas da noite. –Arya acrescenta abrindo outro pergaminho, dessa vez maior. –Esse é o desenho que simboliza o mundo em que estamos, o ponto dourado indica nossa posição. –Diz apontando para o mapa que trazia um grande continente e duas grandes ilhas, uma a media distância do continente e outra bem mais distante. A maior parte era coberta por água. –Nesse outro mapa temos um desenho mais detalhado de onde estamos e de onde devemos ir. –Aponta o outro pergaminho, onde haviam vários reinos e territórios marcados, um dos pontos estava perto deles em uma grande montanha e o outro a uma maior distância e dentro de um território.


-Esse está perto. –Grier diz apontando o ponto vermelho da montanha.


-Mas se formos para o outro, podemos passar na cidade e conseguir provisões, talvez alguma montaria, e o caminho parece fácil, da metade em diante tem uma estrada e depois outra saindo da cidade e indo pra montanha, o que torna a viagem rápida e mais segura que atravessar a floresta pra ir a montanha, depois voltar e ir a cidade. –Hermione diz analisando o mapa.


-Era exatamente o que eu ia dizer e creio que os demais concordem. –Arya diz e ao olhar para Eragon e Harry eles concordam. –Vamos à direção da cidade, teremos tempo de ensinar vocês a se comportar e avaliar tudo o que precisamos de provisões e as montarias.


-Groar com fome. –Groar diz cansado de tentar descobrir do que era o cheiro que vinha do armário e sentindo a barriga roncar.


-Ajudamos com o jantar. –Eragon diz olhando para Harry.


-Antes vou ver o que temos. Porque não vai até o banheiro e os ensina a tomar banho? Arya e Hermione me ajudam se eu precisar. –Harry responde e Eragon faz uma careta, porém concorda.


-Groar quer comer, limpar depois. –Diz cruzando os braços, parecia irritado.


-Ninguém come fedido nesta cabana, então a menos que queiram sair e procurar o próprio alimento, vão sentar-se a mesa limpos e cheirosos. –Arya determina tão séria que beirava a ameaçadora.


-Vamos Groar, não deve demorar muito e o Harry parece que sabe fazer comida boa. –Grier diz curioso com os cheiros que sentia.


-Groar não gosta disso, muitos não pode! –Resmunga irritado, se levantando e derrubando a cadeira, depois passando por cima dela na direção da escada. Eragon e Grier o seguiram.


Arya e Hermione olharam a cadeira, totalmente destruída, e Groar não havia sequer pisado mais firme, apenas a destruíra como se fosse feita de papel e não madeira sólida e de boa qualidade. Uma troca de olhares as fez concluir que não deveriam subestimá-lo e manterem os olhos atentos a ele. A cadeira foi magicamente reparada por Arya.


-Hermione, sei que não gostará disso, mas não me importo. –Harry diz seriamente, fazendo-a olhar para ele. –Eu vou ser sua sombra, onde for eu irei. Dormirei no seu quarto, ficarei de guarda na porta do banheiro quando estiver lá e estará junto a Arya e Eragon quando for minha vez de usar o banheiro. Entendeu?


-Por mais que eu odeie estar sobvigília ou dar trabalho, confesso que gosto da ideia. –Hermione assente sentindo um arrepio mórbido só em pensar em ficar no mesmo ambiente que Groar sem a presença de outra pessoa.


-Eles podem ser grandes guerreiros e tudo, mas não são confiáveis. O mundo deles é muito distante do nosso e suas regras morais também. Grier parece mais afável e inteligente, mas não devemos confiar tanto, então mantenham-se alerta e tentemos ensiná-los as coisas como o são para nós. –Arya diz a Harry e Hermione, que concordam silenciosamente.


**************************************************************


N/A: Olá! Bem-vindos a minha nova fic. Sei que eu não deveria estar postando outra fic agora, mas como tive que abandonar a outra, de mesmo nome, por causa da desistência da minha parceira e resolvi reformular, não achei justo deixá-los esperando.


N/A²: Essa fic inicialmente parece muito diferente da versão anterior de Heroes, mas será bem melhor e no fim vocês verão que acabaram quase da mesma forma.


N/A³: Gostaram do grupo? O que acharam dos poderes e desejos de cada um? Alguém além de mim moraria numa boa numa barraquinha daquelas? Rsrsrs Se quiserem dar sugestão de missões fiquem à vontade, estou aberta a sugestões e darei os devidos créditos aos autores das missões que eu resolver por na fic.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2021
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.