FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

8. A Ameaça


Fic: O clã dos Potter e a Feitiçeira...cap. 11 quase chegando...


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

O grande banquete estava esplendido, como o rei gostava, os plebeus que moravam em todo clã participava. Todos comiam e bebiam a vontade, e por convite do rei todos os príncipes participavam do banquete. Estava o rei em seu trono e os príncipes ao seu redor e como pedido do mesmo a morena estava ao seu lado esquerdo.


 


 


_ Então minha jovem o que achou do  banquete que fiz em sua homenagem?


 


 


_ Senhor, lhe comuniquei que não era necessário, mas mesmo assim esta esplendido.


 


 


_ muito obrigado, todos do Castelo se esforçaram muito para lhe agradar, não os vejo assim dês que Gina completou quinze anos.


 


 


O banquete ocorreu perfeitamente, todos encantados com a convidada. A morena de vez em quanto sentia os olhos de um certo ruivo sobre si mas não se pronunciava, ainda achava a atitude que ele teve muito errada afinal ela era uma convidada, não se sai agarrando qualquer uma por aí. Ele com certeza era um tarado, e o pior é que ela gostava, ela gostava quando sentia seu membro duro se insinuando contra seu ventre, gostava do seu toque áspero mais firme, e mais que tudo amava seus beijos, não sabia como mais o ruivo passou a freqüentar muito seus pensamentos ultimamente.


 


 


Saindo de seus devaneios ela sentiu um arrepio quando olhou pro ruivo e confirmou que ele a olhava, por um segundo imaginou que ele tinha piscado mas foi só impressão. Mas ele fez de novo e dessa vez apontou pro terraço.


 


 


Hermione não sabia o que fazer, na verdade ela sabia mas tinha medo. Certo medo não era a verdade, ela sentia... ela se sentia excitada, era isso ela se sentia tão excitada que quando viu o ruivo se levantar e caminhar na mesma direção que lhe indicou seu coração queria parar.


 


 


Mas o que fazer? E atrás para vê o que acontecia ou ficava ali mesmo fingindo que não viu. Mas sabia que não teria uma segunda chance, e a verdade era que estava louca pra dá uma pega nele...


 


 


Após contata que ninguém estava olhando se levantou em silencio e seguiu o mesmo caminho. Quando chegou não viu ninguém e prendeu a respiração em expectativa. Mas continuava sem ninguém, imaginando que o ruivo só queria brincar com ela, ela começou a voltar ao salão.


 


 


Mas sentiu uma mão lhe segurando pelo pulso. E como as outras vezes foram para as sombras. Sentiu os braços fortes lhe rodeando a cintura mas não se importou. Era exatamente isso que ela queria, queria sentir seu corpo moldando ao dele, queria sentir seu hálito fresco em seu pescoço, a morena não resistiu e soltou um pequeno gemido.


 


 


Ao sentir o corpo da morena tremer Rony não agüentou e a beijou com raiva, raiva de se sentir tão bem com ela, raiva de querê-la só pra ele. Com uma mão no pescoço da amorena e outra no quadril o ruivo delirava de prazer sabia que aquilo não era nada comparada a relação sexual na prática mas não sabia como só de olha Hermione, seu pênis endurecia, passava horas e horas em sua cama imaginando como seria tê-la em seus braços não sabia como ia fazer, mas tê-la ele ia.


 


 


Por impulso o ruivo baixou mais a mão apertando seu redondo bumbum, aquilo foi como ter aceso fogo na morena que no mesmo instante o prensou contra a parede e se esfregou mas. Ela queria senti-lo, queria poder acabar logo com esse tormento, queria tê-lo em suas mãos. E teve no instante que baixou sua delicada mão e o apertou sobre a calça, ele gemeu alto.       


 


 


Sem controlar co ruivo levantou seu vestido e a suspendeu, encostando seu corpo na parede, sem saber como ela enroscou suas pernas ao redor de sua cintura.


 


 


_ É isso que você quer? Aqui? agora?


 


 


 _ Eu faria em qualquer lugar com você.


 


 


Rony não esperou mas a prensando novamente contra a parede. Mas dessa vez foi carinhoso, lhe beijou os lábios de uma forma quase meiga, suas mãos se uniram, eles tinham uma ligação, sabiam que tinham mas não sabiam qual era. Nesse momento ouviram as trombetas tocaram anunciando a chegada de alguém.


 


 


_ Vamos entrar. Falou o ruivo. _ Mas depois quero terminar o que começamos. Me dia que também que.


 


 


_ Eu quero, quero muito.


 


 


- Excelente. Vamos.


 


 


Quando chegaram viram que os convidados que estavam em frente ao rei era de um clã adversário, e isso preocupou Rony. O ruivo se aproximou pela esquerda do rei falando com autoridade.


 


 


_O que este homem que com o senhor meu pai. Falou segurando a espada na cintura.


 


 


_ Calma meu filho ele apenas quer conversar.


 


 


_ Nós sabemos meu pai que tipo de conversa ele se prestam a conversar.


 


 


_Seu filho esta me insultando Arthur, pensei que tinha lhe ensinado a como receber um convidado , mas vejo que não. Mas voltando a nossa conversa anterior, vejo que sua feiticeira não esta presente.


 


 


_ o que deve ser dito será dito a me.


 


 


 


_ Vejo que você continua o mesmo, tão confiante, mas devo lhe dizer que a muito tempo sabe que estou a procura de uma solução, a solução para nós dois.


 


 


_  E para que seria essa solução? Meu clã não precisa de solução. Esta aqui para pedir ajuda?


 


 


_Ajuda? Eu?,Sabe muito bem que eu não sou homem de pedir ajuda.


 


 


_ Diga logo o que veio fazer aqui e vá embora, não vê que não é bem vindo? Dessa vez que falou foi Carlinhos o  filho mais velho.


 


 


_Que eu não sou bem vindo eu sei, sabe Arthur dês que  fui expulso de seu clã, eu progredir muito. Agora sou dono do meu próprio clã, me aliei a outros quatros e tenho muito poder. Pode-se dizer que nossos clãs desejam  suas terras, queremos unir-mos e tomar o que é nosso por direito.


 


 


Quando o homem sorrio como se fosse um prazer vê a raiva estampada nos rostos de todos. Todos inclusive Hermione se revoltaram. O que aquele homem penso que é para chegar num clã e querer tomá-lo. Isso era uma audácia.


 


O rei se levantou irritado. Era estampada a raiva em seu semblante.


 


 


_Saia de meu clã, e se voltar será executado, esta entendendo Voldemort.


 


 


Quando Arthur pronunciou seu nome todos se agitaram, todos sabiam quem ele era, era um antigo cavaleiro que se voltou contra seu rei, ameaçando a vida de todos inclusive de sua família o mesmo homem que envenenou a rainha.


 


 


O homem de aparência horrenda, cabelos brancos e unhas grandes e escuras dava uma aparência assustadora. Seu olha se endureceu, tinha percebido que foi descoberto.


 


 


_ Não imposta quem sou, o que importa é que estou pronto para ataca-lo , já tenho minhas tropas prontas só a espera do meu7 comando, quero apenas fazer um acordo.


 


 


_ E qual seria seu acordo sujo? Rony perguntou o ridicularizando.


 


 


_ Dei-me sua feiticeira e pouparei seu clã.


 


 


Todo o salão explodiu em gritos, como ele era capaz de querer tal coisa.


 


 


_ Como ousa vim em meu clã e me fazer uma proposta dessa.


 


 


_É pegar ou largar Arthur, mas devo Le avisar que tenho mais de 25 mil homem sobre meu comando, e vocês poderia ser esmagados facilmente.


 


 


_ Guardas o escoltem até a saída do clã, não quero este homem em minhas terras.


 


 


_ Meu pai, este homem nos ofende e o deixa sair vivo. Se pronunciou Percy enraivecido.


 


 


_ A hora dele esta perto meu filho.


 


 


Enquanto o rei falava tais palavras todos tinham a atenção virada apara ele, não viram que irritado com a resposta do rei, Voldermort desembainhou sua espada e a lançava no rei que seria um golpe certeiro se Hermione não tivesse previsto tal ato e com a espada que pegou as pressas de Rony tivesse desviado o golpe.


 


 


Impressionado com tal força de uma mulher, iniciou uma luta rápida e perigosa, todos impressionados com sua coragem tentavam interferir até mesmo Rony e seus irmão se levantaram de indignação.


 


 


_ Olhe só! Acho que esse clã cresceu muito depois de minha pequena fuga, uma mulher com uma espada lutando deste jeito merece um duelo.


 


 


_ Vá embora enquanto ainda pode, seu covarde. Gritou a morena irritada.


 


 


_ Covarde? Eu?


 


 


_ Um homem que ataca as escondidas é covardia.


 


 


_ Hum que boca Felina. Acho que vou mudar de idéia Arthur, quero a feiticeira e esta esplêndida mulher.


 


 


Sem dá tempo de ninguém se pronuncia a morena falou antes de qualquer  reação.


 


 


_ O desafio numa luta.


 


 


_ Aceito seu desafio.


 


 


_ Esta louca, pare agora mesmo Hermione, você não sabe onde esta se metendo. Falou Rony irritado.


 


 


_ miinha jovem por favor, ele não vale essa luta.


 


 


E sem avisa Voldermort avançou com a espada em mãos, ele atacava e a morena se saia muito facilmente. Ela o ridicularizava na frente de todos, os golpes não eram tão leves mas já tinha estado em guerras muito piores. Todo o salão em silencio observando cada movimentos da luta.


 


 


Alguns medrosos e outros orgulhosos, a muito não se via uma luta tão acelerada. Era como se estivessem  lutando de igual pra igual. Mas em um movimento já conhecido pelas pessoas do clã, Hermione rodou com a espada zunindo no ar o golpeando pela direita ao mesmo tempo que botava toda sua força em um chute na cocha direita fazendo o seu adversário cair com tudo no chão.


 


 


Com a espada ainda apontada em seu pescoço o homem falou.


 


 


_ eu a vencerei da próxima vez.


 


 


Apertando mais a lamina em seu pescoço a morena falou.


 


 


_ na próxima vez eu o matarei.


 


 


Estas palavras ditas a morenas  rodou sua espada no ar e o golpeou no abdômen fazendo sangue espirrar por todo o lado.


 


 


Com o homem inconsciente ordenou para os subordinados do mesmo.


 


 


_Levem-no, e que nunca mais voltem.


 


 


***************************************************


 


 


 


CONTINUA...







PROXIMO CAP SERÁ BEM LEGAL TERÁ NC DE AGUÉM.....

XERÃO E COMENTEM 

PQ FICO MUITO DESANIMADA SEM COMETÁRIO...


VALEU ANGELITA POR COMENTAR....   

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.