FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. O Quarto Ano- Ciúmes


Fic: Tudo Certo- 7 ano- Att no fim de semana


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Ciúmes


Estava super empolgado naquelas férias! Papai havia conseguido ingressos para a final da Copa Mundial de Quadribol! E não era um jogo qualquer, era simplesmente Irlanda X Bulgária! Meu (ex)ídolo Victor Krum! O jogo seria na segunda, então Harry e Hermione chegariam no fim de semana.


Ela chegou no sábado... E na hora que a vi, meu estômago voltou a criar vida... Aquele perfume... Ainda não entendia o que era aquilo, mas crescia cada vez mais, era cada vez mais intenso...


 


Cheguei no sábado na Toca e logo o vi... Desta vez foi diferente, mais intenso... Minhas pernas pareciam gelatina, meu coração parecia querer sair pela boca...


Nos abraçamos e senti de novo aquele cheirinho que seria meu vício pelo resto da vida.... Grama e chocolate...


 


O dia seguinte começou bem cedo. Muito cedo... Tinhamos que pegar uma chave de portal até o  acampamento onde ficaríamos até a noite, hora do jogo.


Nos divertimos muito o resto do dia, principalmente por que ficamos enchendo o Percy, a ansiedade crescendo cada vez mais...


 


Rony parecia criança em manhã de Natal de tão empolgado...


Apesar de não entender nada de quadribol, também estava bem animada...


 


O jogo foi incrível, meu (ex)ídolo Victor Krum havia pego o pomo de ouro, mas a vitória foi da Irlanda!


Mas aquela alegria durou pouco... Comensais da Morte atacavam o acampamento, aterrorizando todos que estavam lá... Bruxos e, principalmente, trouxas... E  novamente víamos a Marca Negra no céu...


 


Também estava assustada... Por meus amigos, por aqueles trouxas, por mim...


Parecia que os tempos de terror estavam de volta...


 


A volta à escola foi cheia de surpresas. Não teríamos a Copa de Quadribol, Alastor Moody seria nosso professor de DCAT e a escola seria sede do Torneio Tribruxo!


Mas a melhor coisa desse começo de semestre aconteceu no primeiro dia de aula... Estávamos indo para o jantar quando o Malfoy chegou me atazanando, provocando... Fiquei muito puto, e já estava quase partindo pra cima dele quando o Prof. Moody chegou... E ele simplesmente transformou Draco Malfoy numa doninha! A fantástica doninha quicante! Incrível!


 


A aula mais esperada por todos era, com certeza, a de DCAT. Todos os alunos estavam impressionados com os métodos de ensino do Prof. Moody.  E a nossa primeira aula foi sobre Maldições Imperdoáveis. A aula foi muito boa, mas ver o sofrimento do Nev diante da demonstração da Maldição Cruciatus foi demais...Fiz o professor parar, ele tava sofrendo vendo aquilo...


Depois da aula, sumi para a biblioteca, uma idéia fixa na cabeça...


Estávamos no Salão Comunal fazendo nosso dever, quando ela entrou com uma caixinha nas mãos.  Era o início do FALE, Fundo de Apoio à Liberação dos Elfos. No começo eu achava isso um saco, mas foi graças a essa “obsessão” dela pelos elfos que, alguns anos mais tarde, pudemos dar início a tudo que temos até hoje...


 


Finalmente chegara o dia da apresentação das delegações estrangeiras. Todos estávamos excitados e curiosos...


Primeiro chegaram os alunos de Beauxbatons... As meninas eram lindas... E todos os rapazes pareciam babar por elas... Inclusive ele... Babando por Fleur Delacour...


Depois vieram os alunos de Durmstrang.... E junto deles estava...


 


Victor Krum (argh....)! Claro que naquele momento ele era meu ídolo, o grande jogador de quadribol... Depois, ele viraria meu rival...


 


A seleção dos campeões estava próxima,  os alunos menores de idade não poderiam participar. Vimos Cedrico Diggory colocar seu nome no Cálice... Fleur Delacour... Victor Krum (que me olhava de um jeito...)... A tentativa dos gêmeos de burlar o encantamento do Dumbledore...


 


Finalmente o dia da seleção. Victor Krum (...), Fleur Delacour e Cedrico Diggory foram escolhidos os campeões das suas escolas.


Então, o Cálice soltou outro nome... Outro campeão... Harry Potter...


Como ele tinha conseguido? Por que ele não me falou nada? Fiquei bastante chateado com o Harry... E aquela história de “Glória Eterna? Eu não quero...”?


 


Era óbvio que não tinha sido o Harry que tinha posto o nome dele no Cálice... Não que ele não fosse um excelente bruxo, mas ele ainda não tinha   conhecimento suficiente para isso... Não para burlar aquele tipo de encantamento..


Eu vi que o Ron ficou muito chateado com o Harry, só não imaginava que eles se afastariam daquele jeito...


Enquanto subíamos para a Torre da Grifinória, eu o olhava de canto de olho... O semblante fechado, resmungando alguma coisa incompreensível... Tentei convencê-lo de que era impossível o Harry ter colocado o nome dele no Cálice, mas ele estava irredutível...


 


“Ron, é claro que o Harry não pôs o nome dele lá! Como ele faria isso?”. Ela tentava a qualquer custo me fazer ver que aquela história estava estranha, mas eu não dava meu braço a torcer.


“Ele deve ter convencido alguém a colocar o nome dele lá!”. Eu retrucava os argumentos dela, nada me convencia do contrário...


Não queria brigar com ela... Já bastava ter me decepcionado com meu melhor amigo, não queria ter que ficar longe dela também... Seria demais pra mim...


 


Mas acabou acontecendo... Ninguém na escola acreditava no Harry, somente eu... Ele precisava de um apoio, de um amigo... Eu fiquei do lado dele... Mas doía ter que me afastar do Ron...


Claro que eu não nos afastamos completamente, mas ele e o Harry não se falavam, eu nunca sabia com quem conversar... Parecia que eles nunca mais iriam se falar... E eu ficava no meio daquele fogo cruzado dos dois, querendo que tudo aquilo acabasse logo...


 


Antes de uma aula de poções, eu vi Harry e Malfoy discutindo. Feitiços voaram para todos os lados... Um, acertou a Mione... Os dentes dela começaram a aumentar de tamanho, deixando-a apavorada... O Ranhoso nem se abalou com o fato do Malfoy-protegido ter jogado o feitiço nela. Só nos deixou, Harry e eu, de detenção por termos discutido com ele... Ela foi pra enfermaria e quando voltou, estava diferente, mais... Bonita...


 


Argh! Eu queria matar aquela Skeeter bisca.... Como assim, “encontrou carinho...  companhia de Hermione Granger...”, parecia que Harry e eu éramos a fim ou do outro! Argh!


 


Não, eles eram como irmãos... Carinho de irmão, é isso que a Skeeter quis dizer...


Tinha que ser isso...


 


Finalmente chegara o dia da primeira tarefa... Eu e Harry treinamos a exaustão o feitiço convocatório... Agora era torcer pra que desse certo... Os campeões foram entrando um a um, derrotando os seus dragões... Chegara a vez do Harry... Fiquei com medo por ele, que não desse certo... Aquele Rabo Córneo era imenso e horrível...


 


Precisava mesmo ser muito louco pra entrar naquele torneio... Não tinha como o Harry ter se inscrito... Aquilo era realmente uma loucura... Eu tinha entendido que ele não tinha se inscrito...E finalmente voltamos às boas...


 


Chegava a ser ridículo... Victor Krum entrava na biblioteca e seu fã-clube vinha atrás, fazendo aquele burburinho infernal... Argh!! O que elas viam naquele búlgaro?


Um dia ele veio sozinho... Se sentou perto de mim, puxou um assunto qualquer, me perguntou se eu tinha par para o baile e se eu gostaria de acompanhá-lo. Como ninguém havia me convidado (por que ele não me convidou?...), acabei aceitando...


 


Como eu ia convidar uma menina para o baile? Chegava a ser apavorante pensar em convidar uma para me acompanhar... Mas também,  que menina, em sã consciência, aceitaria meu convite? Fiz até um papel ridículo de chamar a Fleur para ir comigo... Ah, merda...  


Mas eu tinha uma salvação... Claro... Ela... Apesar de ser uma besta naquela época, era com ela que eu queria ter ido no baile... Mas eu, mais uma vez, vacilei...


 


“Hermione, Neville tem razão,  você é uma garota...”. Como ele demorou pra perceber, não? Fiquei com tanta raiva dele... “Bem observado, Rony!”. E ainda deixei bem claro pra ele que já tinha par pra ir... Besta!


 


Acabei indo ao baile com Padma Patil, com uma roupa ridícula, sem vontade nenhuma...


E ainda tive que ficar vendo ela se divertir com aquele idiota...


 


Estava super nervosa... Ia ao baile com um dos campeões do Torneio, o grande jogador de quadribol...


Escolhi um vestido azul lindo pra usar naquela noite, passei horas na frente do espelho arrumando meu cabelo, me maquiando... A verdade era que eu não estava me arrumando para o Victor, mas para ele, para ele ver o que tinha perdido...


 


Então ela entrou pelo salão, de braços dados com aquele búlgaro... Linda, a garota mais linda daquele baile... Atraindo todos os olhares... E eu senti ganas de partir pra cima do infeliz que estava com ela nos braços... Senti aquela coisinha no meu estômago voltar à vida, inquieta, crescendo assustadoramente... Diferente...


Ela parecia extremamente feliz de estar com ele, dançando com ele...


Merda! Por que eu demorei tanto?


E aquela música que tava tocando? Por que ela dizia tanto sobre a gente? Sobre ela?  “The answer’s there/  Just look in her eyes…/“So, believe/ That magic works/ Don't be afraid/ Of being hurt/ Don't let this magic dies…”


 


Apesar de estar adorando a companhia do Victor, minha mente e meu coração estavam com ele... Àquela altura eu já sabia que aquele sentimento era diferente, forte...


E se ele tivesse me convidado pro baile, como teria sido?


E, mais uma vez, ele estragou tudo... Veio me acusar de estar “confraternizando com o inimigo”, com um adversário do Harry e de Hogwarts...


Merda! Por que ele era tão burro às vezes?


E aquela música? Ela era linda... “So, believe/ That magic works/ Don't be afraid/ Of being hurt/ Don't let this magic dies…”


 


“Da próxima vez que houver um baile, me convide antes que outro garoto faça isso, e não como último recurso! ”


É, foi difícil ouvir a verdade... Mas era a verdade... Como sempre, a culpa foi minha... E, mais uma vez, ela estava chorando por minha culpa...


“So, believe/ That magic works/ Don't be afraid/ Of being hurt/ Don't let this magic dies…”


E a música continuava a tocar na minha cabeça….


 


Chorei muito aquela noite... Por que ele tinha que estragar tudo?


 Pensei que aquele sentimento dentro do meu peito pudesse mudar, mas não... Ele já estava cravado no meu coração...


 


Me senti péssimo aquela noite... Mais uma briga nossa, e tudo por causa daquele baile estúpido... Daquele búlgaro imbecil... Por não ter convidado-a para o baile...


As palavras dela ainda doíam “...me convide antes, e não como último recurso!”...


Droga! Por que eu me sentia tão mal? E por que a música inda ecoava nos meus ouvidos? Me lembrando mais ainda dela...


 


Parecia que havíamos feito um acordo para não falarmos sobre o baile. Não tocamos no assunto e nem discutimos mais. 


Era a véspera da segunda tarefa. Ron, Harry e eu estávamos na biblioteca, quebrando a cabeça para tentar achar alguma coisa que fizesse o Harry respirar durante uma hora debaixo d’água...


Fred e George vieram atrás de nós, dizendo que McGonagall queria nos ver, eu e Ron. Chegamos lá e, além dela, estavam Dumbledore, Cho e Gabrielle, irmã da Fleur.


Dumbledore nos explicou que  iríamos participar da tarefa, seríamos mergulhados num sono encantado, e que despertaríamos assim que voltássemos à superfície.


 


Peraí... Ela só podia estar ali por causa do... Não.... Não por causa daquele idiota... ELA era a coisa mais importante para ele... Não podia ser.... ARGH! Imbecil!


Despertei do sono encantado com Victor do meu lado, e no mesmo instante fiquei apreensiva. Será que Ron já tinha saído? Foi um alívio vê-lo saindo do lago junto com... Gabrielle?


 


Ela já tinha saído, estava sendo cuidada por Madame Pomfrey, junto com ele... Via ele todo cheio de chamego pra cima dela, minha vontade era partir pra cima dele... Mas Harry apareceu pra salvá-lo...


 


Esperávamos as notas dos juízes quando Fleur apareceu pra agradecer o Harry por ter salvo a irmã. Ela se virou pro Ron e... Deu-lhe um beijo! Na bochecha, mas foi um beijo! Ah, Fleuma.... Vontade de esganar a carinha de anjo dela!


 


Mione tinha arranjado uma baita encrenca com Rita Skeeter. Como vingança, ela publicou uma matéria em que a acusava de brincar com os sentimentos do Harry e do Krum... Ela ria, indignada com tudo aquilo. Mas o que ela disse depois, me deixou louco.


Victor Krum havia convidado- a para passar o verão na Bulgária! Como ele era abusado! E ainda veio com uma história de que nunca tinha se sentido assim com nenhuma garota...! Eu queria matar aquele desgraçado! Senti um alívio imenso quando ela me disse que não iria...  


 


Mas aquela reportagem acabou fazendo um estrago danado...  Nos dias seguintes à reportagem, muitas cartas chegaram endereçadas à mim, me dirigindo todo tipo de ofensas e maldições, por eu ter “dilacerado o coração” do Harry. Mas uma foi dolorosamente marcante.... Assim que a abri, pus de bubotúbera escorreu do envelope, formando enormes e doloridas feridas nas minhas mãos... Tive que correr pra Ala Hospitalar, Madame Pomfrey passou um uma poção nelas e as deixou enfaixadas pra que pudesse fazer efeito.


Seguindo um conselho de Hagrid, não abri mais as cartas, mas as vezes berradores chegavam e a escola inteira ficava sabendo do conteúdo... Ainda bem que as cartas foram diminuindo com os dias...


Mas eu ainda tinha que descobrir como a Skeeter ficava sabendo das nossas conversas, ele já tinha ferrado muita gente....   


 


Ficamos treinando um monte de azarações com o Harry antes da terceira tarefa.


Se ele ia se dar bem eu não sabia, mas que íamos detonar nos exames de DCAT... Isso com certeza!


A Mione continuava naquela obsessão pra pegar a Skeeter...


 


Mais uma matéria daquela venenosa da Skeeter saiu no Profeta Diário. Ela detonava o Harry, fazendo-o parecer um louco...


Ah, mas eu ia desmascarar ela...


E o Harry me ajudou nisso, mesmo sem querer... Conversando com eles sobre a matéria e como ela teria conseguido todas aquela informações, ouvido todas aquelas conversas, eu tive uma idéia...


Fui correndo na biblioteca pra pesquisar. E eu estava certa! Rita Skeeter era um animago ilegal! Por isso ela conseguia todas aquelas “informações privilegiadas” que ela publicava na sua coluna... Há, há... Eu tinha pego ela!


 


Mamãe e Gui apareceram na escola pra dar um apoio pro Harry antes da última tarefa. Só os vi na hora do almoço e a noite. A noite que seria um pesadelo pra todos nós...


 


Ficamos ali nas arquibancadas, especulando sobre o que o Harry teria que enfrentar, nem imaginando o perigo que ele corria lá dentro.


Fleur e Victor saíram primeiro. Hogwarts já tinha o campeão tribruxo. Só faltava saber qual dos dois, Harry ou Cedrico.


Pareciam horas, eu já estava aflita... Nenhum sinal... De nenhum dos dois...


De repente reapareceram ali Harry, a taça e Cedrico... Estranho. Imóvel. Morto.


Um desespero enorme tomou de todo mundo. Meus olhos se encheram de lágrimas... Ron me ajudou a levantar, minhas pernas tremiam, precisávamos achar o Harry no meio daquela confusão toda que se formou...


 


Só conseguimos encontrá-lo horas mais tarde, quando ele entrou na Ala Hospitalar, acompanhado do Dumbledore e do Sirius. Pálido, cansado... Na verdade ele parecia exausto.


Dumbledore nos deixou ficar, mas com a condição de não perturbarmos o Harry com perguntas.


Assim que ele dormiu, o diretor nos explicou tudo que houve... A chave de portal, a morte do Cedrico, o ritual e a volta do Voldemort, o duelo, os comensais, o retorno do Harry... A história do Crouch Jr...


 


Eu fiquei arrepiada... Nosso amigo havia passado por uma provação imensa... E naquela hora, mais do que ninguém ele merecia descanso... 


Ficamos ali, esperando ele acordar. Até que a Prof. Minerva entrou, com o ministro nos calcanhares, mais pálida do que eu já tinha visto... Ele havia mandado executar o filho do Crouch com o beijo do dementador...

Aquela gritaria acordou o Harry, que disse um belo insulto pro ministro... “Você anda lendo muito a Rita Skeeter.”. O ministro ficou puto...

Assim que Dumbledore voltou à enfermaria, ficou claro que as coisas tomariam outro rumo, que ele e o ministério estavam em caminhos opostos na guerra iminente contra o mal... Ele saiu distribuindo ordens e convocações, tentando alertar uma parte da comunidade bruxa que Voldemort tinha retornado...


 


Depois que o Harry voltou a dormir, eu e a Mione voltamos à Torre da Grifinória. Ela estava tensa, o semblante carregado... Sentamos perto da lareira.

“Como vai ser agora, Ron? O que vai acontecer?”.

“Não sei, Mione... Só sei que vamos vencer o Cara de Cobra..!”. Não resisti e dei um abraço nela, confortando-a... Era delicioso sentí-la nos meus braços, sentir seu perfume...


 


Era a festa de despedida. Mas não tinha nada de festa, as bandeiras das casas foram substituídas por bandeiras pretas. Muita gente chorava, eu inclusive...
Sentada ali, do lado do meu melhor amigo e do meu amor, sentia medo, medo pelo nosso futuro...

Dumbledore abriu o jogo conosco, disse que Voldemort havia matado o Cedrico, que o mundo bruxo ia entrar em guerra...
Hora das despedidas. Vi Fleur se dirigindo ao Harry e ao Ron, beijando seus rostos... Eu, definitivamente ia matar aquela francesa...

Krum puxou a Mione para um canto... Eles ficaram de cochichos, não pude ouvir o que falavam...

Eu ia trucidar aquele búlgaro...


 


A viagem foi bem mais agradável do que imaginávamos...

A não ser por uma hora que o Malfoy e aquelas duas bestas que seguiam ele entraram na nossa cabine e nos ameaçaram. Harry, Ron e eu nos irritamos e cada um de nós lhes lançou um feitiço... O estrago foi enorme... Eles ficaram desacordados e os deixamos do lado de fora da cabine...

Fred e George se juntaram a nós e jogamos a tarde toda...

Aquela despedida foi estranha... A sensação que nos veríamos muito em breve...


E que a paz no mundo bruxo estava por um fio...


 ....


Quem mandou você passar pelo meu caminho?
Quantas vezes eu vou ter que repetir?

Quantas vezes?

*******************************************

Oi pessoal!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Cara, que chique!! Claudiomir e Gabriel!!!!
Bem vindos, meninos!!!
Bjos

Di, aki está o cap novo!!! Espero que vc goste!!!!!
Bjos

Ladi Fani, bem vinda!!!!
Que bom te ver aki tbém!!!!!
Bjão

Pessoal, espero não decepcioná-los...
Comentem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Bjões e até o próximo!!!
Fê Black

PS: comu da fic no orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=93724835
Participem!!!!!!!!!!!!!!!!!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.