FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. Deixando cair a máscara...


Fic: Te amo Potter... do jeitinho que você é.... NOVO CAPITULO


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Como tinha sido “previsto”, o anúncio do Baile de Máscaras chegava dois dias depois da conversa sobre o */i* plano */i*. O grupinho se encontrava na aula de Transfiguração, quando, no final, McGonagall chamou a atenção dos alunos.
- Caros alunos sextanistas: como sabem, o Carnaval está próximo e, para comemorar a data, organizamos um Baile de Máscaras, como não podia deixar de ser. Vai-se realizar de 6ª feira que vem a uma semana e estarão presentes somente alunos, dos 5º, 6º e 7º anos.
- Só alunos? – perguntou uma garota baixinha e morena, de óculos.
- Sim – respondeu McGonagall, tentando acalmar os vivas e os risos dos alunos – a festa é só para alunos, mas os professores vão estar supervisionando.
- Como? – perguntou um garoto alto e loiro.
- Isso agora… segredo! – disse McGonagall, pondo um dedo sobre os lábios e sorrindo – Avisa-se que será proibido qualquer tipo de magia, pelo que deverão entregar suas varinhas na entrada. E, claro, o tema será “Mundo trouxa: personagens & personalidades”, o que fará com que vocês tenham o */b* prazer */b* de pesquisar, estudando ao mesmo tempo…
Sirius e Eliza olharam para Lilian com um olhar ameaçador, mas ela encolheu os ombros, como que dizendo “eu disse que is tentar, não prometi nada não…”

Pra variar, essa tarde era livre. Todos os alunos que iam no Baile estavam entusiasmadíssimos, pois queriam arranjar uma fantasia original. Isso originou uma corrida à biblioteca, claro. Madame Gringall, a bibliotecária, levava as mãos à cabeça.
- Nossa… - comentou Eliza – isso tá pior que metro na hora de ponta…
Só Lilian riu porque só ela percebera a piada.
Pegaram os livros que queriam e foram as três se sentar na mesa onde estavam Remo e Pedro.
- Oi Remo!
- Ah… oi, Liz! Oi Lily! Oi… Anna… - disse ele, voltando a cabeça rapidamente para o livro, para que ninguém notasse que ele estava corado.
Lilian respondeu e Anna apenas sorriu. Vendo que as amigas a olhavam, sorrindo, como que dizendo “tira essa cara de boba e fala com ele, vai!”, ela corou e se sentou apressadamente, abrindo um livro e se escondendo por detrás dele.
- E aí, garotas? – ouviram atrás delas.
E, para espanto delas, Thiago e Sirius traziam um livro cada um.
- Um livro, cachorrinho? Tou te estranhando… - disse Eliza, voltando sua cabeça para o livro de histórias infantis trouxas que tinha nas mãos, sorrindo trocista.
- É pra você ver como eu sou um garoto culto, minha gatinha… - disse ele no ouvido dela.
- Eu não sou gatinha… e muito menos */i* sua */i* - disse ela irritada, olhando para ele de sobrancelha levantada.
- Ah, Almofadinha, deixa de besteira… porque você não é sincero? Isso são livros de Quadribol…
- Pô, Pontas… quando estiverem pra cortar meu pescoço e eu quiser morrer depressa, mando chamar você… - disse Sirius, meio emburrado.
Todos riram.
- E então? Já escolheram suas fantasias? – perguntou Pedro.
- Não. Estamos pensando… em algo original, portanto, é segredo! – disse Eliza, sorrindo.
Lilian estava olhando Thiago muito sossegado. “Esse idiota ta muito quieto… ainda não me chamou ‘meu lírio’, ‘ruivinha’, ‘anjo ruivo’… hum… coisa boa ele não deve tar tramando…”, pensou ela, olhando ele pelo canto do olho. Mas ele não tava nem aí. Parecia absorvido pelo livro que estava lendo.
- Ta me ouvindo, Lily? – disse Eliza, impaciente.
- Hum…?
- Por Merlin… esqueça… falo depois. Vamos embora?
- Já? – disse Anna, corando de seguida, ao ver Eliza esboçar um sorriso trocista.
- Já, meu anjo?
Lilian olhou para cima. Não, não tinha sido Thiago. Tinha sido Sirius, que sorria como uma criança pequena para Eliza. Estranhando seu próprio comportamento, e dizendo para si mesma que estava precisando de uma terapia de choque, onde já se viu, se preocupar porque o idiota do Potter não importunava mais ela, puxou Eliza e Anna e nem se despediu dos garotos. Se se tivesse virado naquele instante, poderia ter visto um par de olhos castanhos-esverdeados brilhando, com o dono deles sorrindo satisfeito.
- Lil… Lily… Lilian… LILIAN EVANS! – gritou Eliza – Dá pra abrandar o passo? O que se passa com você?
- Nada. Absolutamente nada… - disse ela com uma irritação visível na voz.
- Nada? – perguntou Eliza, com os braços cruzados no peito – E esse nada, por acaso, dá pelo nome de Thiago Potter?
- ACHA? Eu nunca, note bem, */b* nunca */b* deixarei esse garoto me deixar… - parou a meio.
- Te deixar…?? Te deixar o quê? Apaixonada?
- Fala sério, Liz… acha mesmo que eu ia gostar desse… desse… ah, deixa pra lá…
- Eu deixo… mas depois não diga que eu não avisei, ouviu?
- Eu nunca vou dizer isso, porque o que você ta pensando nunca vai acontecer…
Já no dormitório, enquanto Anna tomava banho, Eliza estava na janela aberta do seu quarto, contemplando a lua, e Lilian escrevia no seu diário.
- Lily…
- Hum…?
- Você reparou no livro que o Remo tava lendo?
- Não… porquê?
- O título… é… intrigante…
- Qual era?
- “O Chapéuzinho Vermelho”.
Lilian riu tanto que quase caiu da cama.
- Qual é a piada? – perguntou Eliza, tentando parecer séria, mas rindo também.
- Intrigante? Ah, fala sério… intri… - de repente, Lilian teve um clique – Você acha…?
- Hã hã…
- E acha que ela…?
- Acho…
Nesse instante, Anna saiu do banheiro.
- Anna, você já escolheu sua fantasia?
- Não… porquê? – disse a garota, desconfiada.
- Então senta aí, porque a gente teve uma ideia… digamos que… intrigante… - disse Eliza, com um olhar malicioso.

- Não, não, não e não! Nem pensar que eu vou no baile assim vestido! – dizia Remo, tentando tirar as roupas que Thiago e Sirius tinham posto nele, mas não conseguindo, pois um feitiço tinha sido feito por eles dois, de maneira a ficar com as roupas vestidas por um período de 6 horas.
- Ah, pára de ser chato, Aluado! Todo o mundo vai estar fantasiado, ninguém vai saber que é você! – disse Thiago, ajeitando seu fato.
- Mas eu não quero ir assim!
- Ah, porquê, Aluado?
- Porque… porque… porque não quero e prontos! – disse Remo, se sentando em cima da cama e cruzando os braços no peito, fechando a cara.
- Porque não quero, porque não quero – imitava Sirius, com uma voz esganiçada – Pára de ser criança! Você vai e pronto!
Sem dizer nada, ele foi puxado pelos dois amigos.
- Aliás, - troçava Sirius – você não vai querer ficar trancado nesse dormitório sozinho */i* assim */i* vestido…
- Ora, o que faz você pensar que está melhor que eu?
- Porque eu, meu chapa… eu serei um imã de garotas… - disse Sirius com voz sedutora, ajeitando a gola do seu fato.
Eles riram.
- Veremos…
Thiago se virou para Sirius e disse em voz quase inexistente:
- Você acha que a Lilian vai perceber que sou eu?
- Ta achando que eu não sei o que faço, sr.Pontas?
Thiago cruzou os braços e levantou a sobrancelha.
- Quer a verdade nua e crua ou uma mentirinha agradável ta bom pra você, dom Almofadinha?
- Ah… ta bom… ta bom… te juro que ela nem vai desconfiar quem você é, Pontas. Palavra de Maroto! – disse Sirius, pondo a mão no peito.
- Sendo assim… confio em você…

- Liz, você ta… nem sei dizer…
- Ah, nem comece…
Lilian estava olhando para a amiga. Sua fantasia estava perfeita! Eliza tinha se fantasiado de anjo. Um anjo branco, com vestido de bailarina branco, brilhante, sapatilha de ballet brancas, umas asas que mexiam de verdade e uma auréola que pairava sobre seus cabelos, outrora negros, e agora loiros. E, na sua testa, uma pedra preciosa azul em forma de lágrima. Da Eliza do dia a dia só duas coisas restavam: o sorriso trocista e os olhos, que continuavam no mesmo tom.
- Vocês acham que eu estou bem, meninas?
Era uma Anna confiante que falava. As amigas tinham fantasiado ela de protagonista do livro que Remo lia. Assim como Eliza estava loira, Anna estava morena. O vestidinho preto de gola branca, o manto com capuz vermelho e o cestinho davam a ela um ar de boneca.
- Ai, Anna, deixa de bobagem… você está perfeita!
- Lily, você também está demais…
Lilian tinha optado por um traje menos elaborado. Decidiu ir fantasiada de Dorothy, de ‘O Feiticeiro de Oz’, mas nada foi deixado ao pormenor: vestido azul e branco aos quadrados, chapéu de palhinha, trancinhas e, não podiam faltar, claro, os sapatos vermelhos.
- Vamos logo… mal posso esperar pra ver a fantasia deles! – disse uma Eliza impaciente que, de última hora, mudava a cor das unhas de branco para pérola.








espero k tenham gostado....
desculpem ter sido tao mazinha e ter acabado assim, meio (autora vendo se ta vindo alguem com uma faca na mao e olhar de psicopata....), mas tenho que pensar muito bem como vou fazer esse baile.... coisas muito importantes podem acontecer... nada pode ser deixado ao acaso!!!!!
portanto, ate pra semana!!!!! he he he....
beijux grandix....

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.