FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

26. Capitulo 26 – Revelação!


Fic: Dark Angel - O Inimigo dos Deuses


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capitulo 26 – Revelação!


 


 


Tiago e Lílian haviam paralisado olhando para as duas pessoas que encontravam-se em seus aposentos, a primeira reação do casal foi imediatamente sacarem suas varinhas e apontarem para os dois estranhos, mas a apenas um gesto de descaso do homem que encontrava-se ao lado da mulher as varinhas do casal saíram voando até o canto do quarto.


 


- Não vão precisar dessas coisas. - disse o homem em tom frio e perigoso enquanto estreitava os olhos em direção ao casal.


 


Lílian e Tiago prestaram mais atenção nas duas pessoas que haviam invadido os aposentos da professora de poções e se surpreenderam com a beleza e o poder que exalava do corpo dos dois estranhos.


 


A mulher possuía cabelos da cor do ouro, que brilhavam com a aura prateada que a rodeava, os olhos prateados de um tom nebuloso pareciam que podiam ver além de tudo e de todos, aparentava ter vinte anos, a pele tão alva que emanava um leve brilho, ela estava sorrindo enquanto observava o casal de bruxos a sua frente.


 


Ao lado da loira, um homem de cabelos loiros platinados que lhe chegavam aos ombros, os olhos prateados como o frio do aço, sua pele era tão branca quanto a neve, como se não visse o sol a muito tempo. Também aparentava não ter mais que vinte anos. Uma aura azul arroxeada e praticamente sem vida o circulava, o que causou arrepios na espinha de Lílian e Tiago que souberam que se qualquer um dos dois quisesse matá-los eles não teriam a mínima chance de poder revidar ou mesmo se salvar da morte.


 


- Quem são vocês e o que querem aqui? – perguntou Tiago colocando-se um pouco para frente e cobrindo parcialmente o corpo de Lílian como se quisesse protegê-la de um possível ataque que os estranhos pudessem fazer.


 


- Porque mesmo estamos fazendo isso? – perguntou o homem em tom frio e ríspido voltando os olhos para a mulher.


 


- Porque é necessário. – respondeu a mulher tranquilamente, a voz dela soava meio distante e sonhadora, os olhos nebulosos olhavam para o casal como se pudesse ver a alma de ambos. – E porque eles precisam entender.


 


- Então porque você não dá permissão ao garoto para ele contar a verdade a quem ele queira? – perguntou o homem novamente dessa vez soando levemente exasperado com as decisões que a mulher ao seu lado tomava.


 


- Porque essas são as regras. – respondeu a mulher em tom calmo enquanto encarava o homem ao seu lado com intensidade. – Ele pode revelar o segredo dele a apenas uma pessoa, não posso dar permissão para ele revelar a outros.


 


- Mas mesmo assim vai contar para eles. – grunhiu o homem em tom frio novamente ocultando qualquer sentimento que pudesse estar sentindo.


 


- Ei, será que vocês podem responder minha pergunta? – Tiago interrompeu o estranho diálogo que ele e a esposa estavam presenciando, mas quando o homem e a mulher voltaram os olhos e encararam Tiago diretamente nos olhos ele sentiu-se radiografado e desejou não ter aberto a boca e assim chamado à atenção dos estranhos para si.


 


- Impaciente igual o filho. – retrucou o homem utilizando um tom de voz frio, embora estranhamente divertido.


 


- Conhece nosso filho? – perguntou Lílian falando pela primeira vez desde que entrara em sua sala e encontrara os estranhos.


 


- Ah sim, conhecemos o jovem Potter. – disse a mulher utilizando um tom levemente afetuoso enquanto olhava para a mulher ruiva a sua frente.


 


- Não vamos mais enrolar, Baha. – rosnou o homem em tom frio enquanto observava a mulher ao seu lado.


 


- Baha? – perguntou Lílian levemente chocada, pois lembrava-se claramente de ter visto o nome da deusa em um livro de mitologia antiga enquanto procurava mais informações sobre Azrael nos livros da biblioteca.


 


- Isso mesmo. – concordou a mulher balancando a cabeça enquanto um sorriso divertidso surgia nos labios vermelhos.


 


- Voce não quer dizer Baha, a deusa Baha, certo? – perguntou Lilian sentindo um tremor de medo e excitação, pois a aura de poder e grandiosidade que rodeava os dois estranhos seria muito bem explicada se eles fossem realmente deuses.


 


- Exatamente. Eu sou Baha, Guardia das Eras, Senhora do Tempo! Eu sou aquela que observa o passado, o presente e o futuro. - Disse a mulher em tom firme e forte, o brilho dos olhos prateados parecia aumentar de intensidade. - Eu já vi diferentes futuros e passados, já observei o futuro de cada escolha que os humanos fizeram e vão fazer, vi centenas de mundos ruírem e caírem na escuridão das trevas como o de vocês e outros sendo criados. Eu posso mudar o passado e o futuro dos homens, mas nunca posso mudar o meu.


 


Tiago arregalou os olhos completamente chocado com o que ouvia, era simplesmente impossível que aquilo fosse realmente verdade, mas a seriedade com que a mulher a sua frente havia falado enviava calafrios de medo e pavor pelo corpo do professor, além do mais, apenas aquela aura de poder que envolvia os dois estranhos a sua frente era suficiente para convencer a ele de que a mulher falava a verdade.


 


- Ok, me convenceu. – disse Lílian olhando levemente assustada para a mulher que parecia exalar poder por todos os poros naquele momento, um poder divino e puro que era muito maior do que qualquer outro que a mulher já havia sentido antes.


 


- Espera um pouco ai. – exclamou Tiago olhando da esposa para os dois estranhos tentando entender exatamente o que ele havia acabado de ouvir. – Você quer dizer que é uma deusa? Como os deuses do Olimpo?


 


- Não faço parte dos deuses olímpicos, mas na essência é mais ou menos isso. – comentou Baha em tom vago e divertido olhando o choque e o medo no rosto do professor a sua frente, era quase como se ele esperasse ser morto a qualquer momento.


 


- Certo. – disse Tiago balançando a cabeça e tentando entender exatamente o que estava acontecendo na sala de sua esposa. – Então, se você é uma deusa e está acompanhada desse cara, suponho que ele também seja um deus.


 


- Esse cara ficou ofendido. – o homem disse em tom frio e gelado enquanto sua voz era dura como o aço, seus olhos naquele momento brilharam com tanta intensidade como os olhos da deusa poucos segundos antes. – Eu sou Hades, Deus dos Mortos e Senhor do Submundo! Eu sou o Guardião das Almas dos Mortos.


 


- Tá de sacanagem. – deixou escapar Tiago olhando incrédulo para o homem que ele sem querer havia acabado de ofender, não podia acreditar que aquele a sua frente era realmente o deus dos mortos e principalmente nao conseguia entender porque motivo dois deuses estariam dentro dos aposentos de Lilian.


 


- É verdade Senhor Potter. – a voz de Baha era calma e compreensiva sabendo muito bem o choque que deveria ser para qualquer um se encontrar frente a frente com um deus, imagina então estar na frente de dois deuses, sendo que um deles era considerado o deus da morte.


 


- O que vocês dois querem conosco? – perguntou Lílian rapidamente tentando desviar a atenção que Tiago estava recebendo de Hades.


 


- O assunto que nos traz aqui é extremamente delicado, Senhora Potter. – falou Hades em tom frio olhando de relance para Baha que entendeu o recado, pois ela também havia sentido a presença de mais alguém.


 


- Por favor, me chamem de Lílian. – disse a ruiva esboçando um sorriso para o deus que apenas balançou a cabeça, a ruiva olhou para o marido que ficara contrariado pela maneira como a esposa sorrira ao tal deus. – E podem chamar meu marido de Tiago, não liguem muito para ele, pois ele é um cabeça dura assim mesmo.


 


- Está tudo bem, Lílian. – disse Baha antes que Hades pudesse dizer qualquer coisa, afinal eles não tinham muito tempo no mundo dos mortais. – Como Hades disse, o assunto que nos traz hoje até aqui é bastante delicado e envolve seu filho mais velho.


 


- O que tem o Harry? – perguntou Tiago de maneira defensiva enquanto olhava desconfiado para os dois deuses.


 


- Antes de eu lhes contar o motivo que nos trouxe aqui, gostaria que entendessem que existem diversas realidades coexistindo em um mesmo ambiente e em um mesmo mundo. – disse Baha em tom longínquo e quase sorriu quando viu o casal de bruxos a sua frente piscar os olhos confusamente tentando entender o que ela havia acabado de dizer, então a deusa resolveu facilitar um pouco as coisas e explicar em palavras mais claras e objetivas. – Cada humano possui centenas e milhares de caminhos diferentes para seguir em sua vida, desde o nascimento até sua morte cada humano pode moldar seu destino através de suas escolhas. Uma escolha errada pode resultar em conseqüências graves assim como uma escolha acertada pode trazer frutos e benefícios maravilhosos para a pessoa em questão, existem centenas de possibilidades.


 


- Como assim? – perguntou Tiago em tom confuso olhando para a deusa de maneira intrigada, ao seu lado Lílian parecia ter compreendido o que a deusa havia dito, mas permaneceu em silêncio enquanto a mulher voltava a falar olhando diretamente para seu marido.


 


- Apenas uma realidade é a verdadeira, ou seja, essa em que vocês estão vivendo, mas existem outras realidades alternativas coexistindo lado a lado com essa, mundos diferentes e ao mesmo tempo iguais. – falou Baha em tom firme olhando para Tiago que pareceu entender um pouco sobre o que ela estava falando.


 


- Está dizendo que existem outros mundos como o nosso, só que as coisas são diferentes em cada um deles? – perguntou Tiago falando calmamente tentando entender melhor o que ele próprio estava falando.


 


- Mais ou menos isso. – concordou a deusa esboçando um pequeno sorriso na face pálida. – Um mundo onde não existem comensais da morte e nem Voldemort para aterrorizar a população, outro em que Voldemort é soberano no mundo, um em que seu filho mais velho é um poderoso aliado de Voldemort, uma outra em que vocês morreram quando Harry tinha apenas um ano de idade e assim por diante. Cada escolha gera uma nova realidade alternativa, um novo caminho coexiste com outros lado a lado sem nunca se colidirem uns com os outros.


 


- Ok, entendi. – disse Tiago e olhou de relance para a esposa que apenas balançou a cabeça concordando afirmativamente com o marido que olhou novamente para os dois deuses. – Mas o que isso tem a ver com Harry?


 


- Tudo. – respondeu Hades em tom frio e cortante olhando para Tiago com impaciência, o que causou desconforto no professor.


 


- Como eu disse antes, existe apenas uma realidade verdadeira e real, as outras correm diretamente ao lado dela como se fossem ecos. – disse Baha em tom de voz firme e frio olhando para os dois bruxos a sua frente. – Menos de dois meses atrás essa realidade também era um eco e não a verdadeira realidade do mundo.


 


- O que quer dizer? – perguntou Lílian arregalando os olhos, ela havia entendido o que a deusa havia falado, mas não podia acreditar naquilo.


 


- Quero dizer que eu e Hades modificamos as realidades, transformando a verdadeira em apenas mais um eco e tornando essa em verdadeira. – respondeu Baha calmamente olhando para o casal que tentava entender melhor o que ela dizia.


 


- Porque fizeram isso? – perguntou Tiago olhando estranhamente para os dois deuses que estavam a sua frente.


 


- Porque estávamos cansados de ver mundos serem destruídos por loucos, mas também porque essa realidade em que vocês vivem estava se tornando perigosa demais, o poder de Voldemort se tornou muito superior ao que deveria e em pouco tempo ele romperia as barreiras do tempo, o que poderia causar uma destruição total em todos os mundos. – disse Baha em tom firme de voz, a resposta era tanto para o casal a frente como para as pessoas que estavam ouvindo a conversa. – Voldemort está se tornando poderoso demais, seu nível de magia já está maior do que o poder de um semi-deus e se ele conseguir quebrar as barreiras do tempo, as diversas existências dele se juntarão em uma só e então ele se tornará mais poderoso do que qualquer deus e ninguém jamais poderá impedi-lo de conquistar tudo o que quiser.


 


- Precisávamos agir o quanto antes e impedir que Voldemort se tornasse poderoso demais, mas as regras divinas nos impedem de interferirmos, pelo menos diretamente, nas vidas humanas. – explicou Hades em tom frio e baixo. – Por isso não podemos simplesmente matar Voldemort, então Baha teve a idéia de escolhermos um guerreiro que pudesse fazer frente contra Voldemort, então fizemos uma proposta a ele que ele aceitou, é por isso que essa realidade existe, pois foi para cá que ele foi trazido depois que destruímos a realidade dele.


 


- Azrael. – exclamou Lílian com a voz surpresa olhando para a deusa que apenas sorriu levemente enquanto concordava com a cabeça.


 


- O que tem ele? – perguntou Tiago um pouco curioso para saber a que conclusão sua esposa havia chegado.


 


- Azrael é o guerreiro que eles trouxeram para essa realidade. – disse Lílian olhando para o marido, Tiago olhou para os deuses que apenas confirmaram com a cabeça.


 


- Ainda não entendo o que isso tem a ver com nosso filho. – comentou Tiago balançando a cabeça enquanto olhava para os dois deuses, nesse momento até mesmo Lílian estava curiosa com a resposta dos deuses.


 


- Tem tudo a ver, pois Azrael é na verdade Harry Potter. – Baha respondeu simplesmente fazendo o casal de bruxos arregalar os olhos.


 


- O que você disse? – exclamou Tiago achando que havia entendido errado o que a deusa havia dito, mas apenas pelo olhar complacente que ela enviava a ele o professor soube que não tinha ouvido erroneamente, olhou para a esposa que estava tão ou mais chocada do que ele próprio. – Mas como isso é possível?


 


- Simplesmente é. – respondeu Hades com a voz fria e sem muita paciência para lidar com os humanos a sua frente.


 


- Se o que você disse é verdade, então... – começou Lílian com a voz trêmula enquanto olhava com os olhos cheios de lágrimas para Baha.


 


- Que o filho mais velho de vocês veio de outra existência. – concordou Baha olhando firmemente para o casal que estava atordoado com a informação.


 


- Porque? – perguntou Lílian novamente agora olhando com os olhos escorrendo lágrimas. – Porque ele aceitou vir para cá?


 


- Porque ele não tinha mais nada a perder. – respondeu Hades em tom frio. – Ele havia morrido lutando contra Voldemort, mas antes de morrer ele viu que perdera tudo. Seus amigos estavam todos mortos, tudo o que ele conhecia estava morto, então vindo para essa realidade o que ele ganharia seria lucro visto que ele tinha perdido todos os que ele amava.


 


- E onde nós estávamos? – perguntou Tiago com a voz baixa enquanto abraçava a esposa e a amparava, embora também buscasse conforto nos braços da mulher.


 


- Vocês morreram quando ele tinha pouco mais de um ano de idade, diferentemente dessa realidade vocês estavam em casa do dia das bruxas quando Voldemort atacou a casa de vocês. – respondeu Baha em tom sério olhando para o casal. – Voldemort matou vocês dois, mas como aconteceu aqui ele falhou quando tentou matar Harry.


 


- O que aconteceu com nosso filho depois que nós fomos mortos? – perguntou Lílian não se importando de estar chorando na frente de deuses.


 


- Dumbledore decidiu que o melhor para seu filho era que ele crescesse longe dos bruxos, então o deixou na porta da casa de sua irmã, Petúnia Dursley. – respondeu Baha em tom baixo sabendo que seria necessário revelar aquilo para os pais de Harry, mas tendo uma súbita idéia a deusa apontou a mão para a parede a seu lado e foi como se ela se transformasse em uma tela de televisão que passou a mostrar imagens do que ela estava narrando. – Seu filho foi levado para a Rua dos Alfeneiros por Hagrid onde encontraram-se com Dumbledore e a Professora McGonagall, os três bruxos deixaram o bebê nos degraus da casa onde Petúnia morava com o marido e o filho deixando apenas uma carta explicando o que havia acontecido com vocês.


 


Lílian e Tiago observavam concentrados as imagens que dançavam a frente dos olhos de ambos, a ruiva xingava mentalmente o diretor por ele ter ousado deixar seu filhinho com sua irmã, Tiago também resmungava em tom baixo enquanto olhava para as cenas que se desenrolavam a sua frente não acreditando que Dumbledore realmente fizera aquilo.


 


- Durante os anos que seguiu-se a morte de vocês dois, Harry viveu com Petúnia e Valter Dursley, além de seu primo Duda. Como você sabe Lílian, sua irmã nutre muito rancor e inveja de você, o que causou um ódio descomunal por parte dos Dursley sobre qualquer anormalidade, sua irmã e o marido se encarregaram de transformar a vida de Harry em uma existência miserável durante os primeiros dez anos. – Baha falava em tom longínquo e firme enquanto observava as imagens que se desenrolavam na parede, naquele momento as imagens representavam uma das muitas cenas em que o garoto fora castigado por praticar magia involuntária. – Ele sofreu todos os tipos de abusos físicos e psicológicos, era forçado a dormir no armário debaixo das escadas, tendo de vestir roupas velhas e enormes que haviam pertencido ao primo, era maltratado e alvo de gozações por parte do primo e dos amigos dele, tendo de lidar com a indiferença maldosa que os tios sempre demonstravam contra ele deixando claro que ele sempre fora um estorvo, sem contar que na escola ele apanhava do primo e dos amigos do mesmo.


 


- Os Dursley também decidiram que precisavam apagar qualquer vestígio de magia que Harry pudesse apresentar, não contando a ele a verdade sobre quem e o que ele era além da verdade sobre todas as coisas estranhas que aconteciam com o garoto. – Hades interrompeu quando Baha fez uma leve pausa na narração.


 


- Eles também mentiram para Harry dizendo a ele que vocês dois haviam morrido em um acidente de automóvel e que fora por causa do acidente que ele obtivera a cicatriz em forma de raio em sua testa. – Baha voltou a falar enquanto imagens dos maus tratos apareciam na projeção que a deusa havia feito na parede. – Somente quando Hagrid foi pessoalmente até onde os Dursley estavam é que Harry soube a verdade sobre ele e sobre o que havia acontecido com vocês, depois disso Harry foi para Hogwarts como era de se esperar.


 


Naquele momento apareceu a imagem do momento em que o moreno adentrava a estação em Londres e procurava pela estação correta ficando frustrado quando não conseguiu encontrar, viram o momento em que ele questionou o guarda na estação que apenas riu da cara do moreno enquanto se afastava e foi então que a matriarca dos Weasley apareceu com os filhos.


 


Lílian e Tiago reconheceram os amigos imediatamente assim como os filhos do casal, afinal seria praticamente impossível não se lembrar deles quando cinco deles faziam parte do Império da Luz, os pais de Harry viram o momento em que ele se aproximou e perguntou como ele poderia atravessar a barreira, no momento seguinte a cena alterou e o menino apareceu já dentro do expresso de Hogwarts sentado em uma cabine em frente a Ronald Weasley, logo depois uma garota surgiu a porta e Lílian reconheceu Hermione Granger quando ela tinha onze anos.


 


- Mas a vida de Harry não foi um mar de rosas depois que descobriu a verdade sobre si mesmo. – voltou a falar Baha enquanto a imagem mostrava os alunos do primeiro ano adentrando o salão principal em Hogwarts. – Durante seu primeiro ano em Hogwarts, Harry foi selecionado para a casa Grifinória juntamente com Rony e Hermione que viriam a ser seus melhores amigos nos anos seguintes.


 


Um sorriso curvou os lábios de Tiago quando viu a imagem do filho com onze anos sendo selecionado para a casa dos leões, observou como ele se dirigia para a mesa da Grifinória que o aplaudia e gritava o nome dele.


 


- Harry também acabou entrando para a equipe de quadribol onde passou a jogar como apanhador, sendo o jogador mais jovem do século a pertencer a uma equipe de quadribol em Hogwarts em mais de 100 anos. – Baha falava calmamente enquanto as imagens demonstravam os jogos em que o moreno havia participado. – Em seu primeiro ano em Hogwarts, tornou-se evidente para Harry que Voldemort estava tentando roubar a pedra filosofal que estava sendo guardada no corredor do terceiro andar. Harry e os amigos acabaram achando que era Severus Snape quem estava tentando roubar a pedra para Voldemort, mas descobre que o Professor Quirrel de DCAT estava sendo possuído por Voldemort, que encontrava-se muito fraco e estava dependendo de sangue de unicórnio para sobreviver, Harry precisou lutar contra Voldemort e acabou sobrevivendo novamente mesmo não tendo lutado cara a cara com o bruxo das trevas.


 


Enquanto Baha comentava o que havia acontecido as imagens do pequeno encontro entre Voldemort, Quirrel e Harry aparecia na projeção, assim como os desafios pelos quais Harry e os amigos precisaram passar.


 


- No segundo ano de Harry, Tom Servolo Riddle, que é o nome verdadeiro de Voldemort, utilizou Gina Weasley para tentar voltar a vida através de um antigo diário, mas antes que a verdade aparecesse todos os alunos da escola acharam que Harry era o responsável pelos ataques que vinham acontecendo na escola. – Baha disse enquanto imagens dos alunos petrificados aparecia na projeção, em seguida a imagem de Harry adentrando o banheiro do segundo andar apareceu. – Voldemort usou Gina Weasley para que ela abrisse a Câmara Secreta em Hogwarts, que por sua vez escondia um monstro que passou a atacar os alunos. Harry acabou descobrindo a entrada para a Câmara e entrou na mesma para tentar salvar a menina, uma vez dentro da câmara ele se viu cara a cara com Voldemort um pouco mais jovem que por sua vez controlava o monstro. Harry teve de lutar contra o basilisco e acabou matando-o com uma espada e destruiu o diário logo depois, salvando assim a menina e impedindo o retorno de Voldemort.


 


Tiago deixou escapar uma exclamação ao ver seu filho lutando contra o monstro enorme e assustador, o homem não conseguia imaginar como seu filho tinha lutado contra aquela besta sendo que ele próprio estava tremendo somente por olhar aquela imagem.


 


- Em seu quarto ano Harry foi selecionado para participar de um Torneio Tribruxo onde foi inscrito por um seguidor de Voldemort, ele precisou enfrentar desafios que estavam além da capacidade de um bruxo de quatorze anos, mas acabou se saindo muito bem. Na ultima tarefa, porém ele acaba presenciando a morte de um colega, Cedrico Diggory, além de ser testemunha do retorno de Voldemort a quem teve de encarar frente a frente novamente, conseguindo sobreviver a ele mais uma vez. Harry acabou vencendo o Torneio, mas o Ministério da Magia se negou a acreditar no retorno de Voldemort afirmando veementemente que aquilo era impossível e então passaram a dizer que Harry estava mentindo para esconder o que realmente havia acontecido com Cedrico Diggory na terceira tarefa do torneio, sendo apontado por muitos como o executor do colega. – a voz de Baha era suave enquanto falava, ao seu lado Hades apenas observava a reação dos pais do garoto enquanto olhava de relance as imagens que surgiam na projeção de Baha.


 


Tiago e Lílian mal respiravam enquanto observavam como Harry conseguiu resistir algum tempo aos feitiços de Voldemort, depois soltaram exclamações abafadas quando viram seus próprios ecos saindo da varinha de Voldemort e ajudando o moreno a fugir através da chave de portal que era a taça do torneio.


 


- Depois disso Harry passou a ser difamado pelos jornais recebendo a reputação de ser um farsante e mentiroso, quase todos os alunos de Hogwarts passaram a vê-lo como um louco sendo que muito poucos ficaram realmente ao lado dele. – a voz de Baha continuava calma embora ela tenha olhado de relance para um canto do aposento. – Em seu quinto ano Harry acabou se tornando líder de um grupo de estudantes que passou a ser chamado de AD, que reuniu alguns alunos para terem aulas verdadeiras de DCAT, já que a professora daquele ano que era Dolores Umbridge trabalhava para o Ministro da Magia que estavam tentando impedir os alunos de praticar feitiços de defesa e ataque, pois temiam que Dumbledore estivesse criando um exército entre os alunos para fazer frente ao Ministério da Magia. No final de seu período letivo Harry acaba sendo atraído para o Departamento de Mistérios por Voldemort, onde ele vai acompanhado de alguns amigos, lá eles lutam contra diversos comensais da morte, mas em dado momento Sirius caba sendo jogado para dentro do Véu da Morte, novamente Harry se vê cara a cara com Voldemort que tenta possuir a mente do garoto, mas acaba não conseguindo. Antes de Voldemort poder fugir devido a chegada de Dumbledore, o Ministro da Magia e vários repórteres e aurores chegam a tempo de ver a fuga de Voldemort, então o Ministério é obrigado e admitir o retorno de Voldemort.


 


Tiago não conseguia tirar da mente a imagem de seu melhor amigo despencando para dentro do véu da morte, ele sabia que aquela lembrança iria acompanhá-lo por muito tempo, mas decidiu se concentrar em seu filho.


 


Lílian estava concentrada nas imagens que mostrava o desfecho dos acontecimentos no Ministério da Magia, mas em seguida voltou seus olhos para os dois deuses, pois a projeção que havia na parede simplesmente desapareceu.


 


- Quando iniciou seu sexto ano, Harry finalmente começou a ser preparado para poder enfrentar Voldemort e passou a receber os mais diversos treinamentos, mas no final acabou não adiantando, pois Voldemort atacou brutalmente Hogwarts onde praticamente todos os alunos foram mortos. – disse Baha com a voz soando mais intensa e fria. – Harry fez o possível para poder derrotar Voldemort, mas o bruxo das trevas possuía muitos anos de pratica e treinamento em magia, seu poder era bastante superior ao de Harry, sem contar que ele também já havia perdido a vontade de lutar, pois todas as pessoas que ele realmente amava estavam mortas.


 


- Foi então que nós entramos, logo depois de Voldemort exterminar o castelo de Hogwarts e Harry ter sido morto a alma dele foi para o mundo dos mortos onde eu e Baha o interceptamos e fizemos a proposta a ele. – comentou Hades tomando a palavra, a deusa ao lado nem mesmo se importou com o fato. – Quando ele aceitou, nós destruímos e apagamos a existência dele daquele mundo, desviamos a linha temporal até a data em que Voldemort atacou Godric’s Hollow e fizemos com que vocês não estivessem em casa, então criamos uma nova zona temporal.


 


Lílian e Tiago permaneceram em completo silêncio logo após os deuses terminarem as narrativas, cada um dos dois estava imerso em seus próprios pensamentos tentando fazer com que aquelas informações entrassem em suas mentes.


 


- Porque vocês nos contaram isso? – perguntou Lílian depois de permanecer quase cinco minutos em completo silêncio.


 


- Para que vocês possam compreender melhor o filho de vocês. – Baha respondeu como se aquilo fosse óbvio. – A guerra está prestes a terminar, seja para um lado ou para o outro, mas tudo depende do que Harry pretende fazer.


 


- Como assim? – perguntou Lílian olhando confusa para a deusa, não havia entendido muito bem a afirmação da mesma.


 


- Vocês saberão no momento certo. – disse Baha em tom firme deixando claro que não falaria a respeito daquilo.


 


- Acho que está na nossa hora Baha. – a voz de Hades estava clara e objetiva fazendo a deusa olhá-lo com mais intensidade que o normal.


 


- Acho que deveria se juntar a nós Harry. – a voz de Baha soou calma e decidida ignorando propositalmente o comentário de Hades.


 


Lílian e Tiago quase pularam de surpresa com a afirmação da deusa, mas o casal ficou ainda mais surpreso quando a deusa olhou para o lado esquerdo deles e quando os dois seguiram o olhar da deusa encontraram a figura de Harry saindo das sombras.


 


- Vocês não deveriam ter contado a eles. – disse Harry friamente olhando para os deuses com uma acusação velada nos olhos.


 


- Você também queria que seus pais ficassem sabendo, Harry. – Baha acusou em tom calmo de voz olhando para o moreno.


 


- Sim, mas não poderia ter esperado a guerra acabar para falar disso? – perguntou Harry olhando para a deusa como se ela fosse um inimigo.


 


- O futuro é incerto e você sabe disso, tanto você como Voldemort podem vencer. – declarou Baha não se importando com o olhar frio e levemente selvagem que o moreno tinha, em seguida Baha olhou novamente para o lugar de onde o moreno havia aparecido. – Porque não se junta a nós Senhorita Connor?


 


No momento seguinte Sarah também surgia das sombras e aparecia diante deles com o semblante tão impassível e frio que nem mesmo os deuses puderam dizer nada do que se passava na mente da garota, que postou-se ao lado de Harry.


 


- Eles saberem ou não a verdade não vai mudar o destino dessa guerra. – disse Harry em tom baixo e grave olhando para Baha.


 


- Não, não vai, mas pelo menos agora você não precisa ficar se preocupando com esse detalhe. – disse Baha calmamente. – Eu sei que você estava se sentindo culpado por ter resolvido contar a verdade para Sarah do que para um de seus pais.


 


- Não seria justo contar para um e deixar o outro no escuro. – disse Harry simplesmente sem se virar para os pais.


 


- Por isso eu resolvi poupá-lo desse fardo, Harry. – disse a deusa antes de se aproximar do moreno e inclinar-se beijando delicadamente a bochecha esquerda do garoto. – Agora você pode se concentrar nas batalhas que estão por vir.


 


- Sabe Potter, tenho de admitir que você tem muito bom gosto para escolher uma companheira. – Hades falou enquanto observava Sarah de cima a baixo como se estivesse avaliando-a, em seguida ele aproximou-se e estava para inclinar-se para próximo da morena quando um rosnado ameaçador soou na sala fazendo o deus recuar instintivamente embora em seu rosto uma careta divertida surgisse enquanto ele observava o moreno.


 


- Se tocar nela eu faço picadinho de deus. – a voz de Harry soava agressiva e brutal enquanto se colocava em frente a Sarah encarando Hades de maneira direta e firme sem se preocupar com o óbvio poder que o outro tinha.


 


- Você sabe quem eu sou e mesmo assim me desafia Potter? – a pergunta de Hades era levemente divertida, ele sabia que o garoto tinha um potencial gigantesco para a magia, mas ainda não passava de um pequeno inseto. – Então me diga o que um mero bruxo como você poderia fazer contra um deus como eu? Você já sabe o que é não sabe Potter? Mas ainda falta muito chão para que isso possa acontecer.


 


- Você pode se surpreender Hades, eu jamais vou ser um deus como você, mas não porque não tenho poder suficiente... – a voz de Harry estava sombria e maligna enquanto ele falava e encarava o deus diretamente nos olhos, Hades viu os olhos verdes escurecerem brutalmente enquanto o moreno falava, então um lampejo prateado atravessou a escuridão dos olhos negros. – Você já deveria saber que eu estou mais para um demônio, Hades.


 


Hades ficou extremamente sério ao ver o poder escuro e maligno arranhando a superfície querendo ser libertada, ele sabia que Baha ao seu lado também podia observar e ver o que se passava dentro da alma do moreno a frente deles.


 


- Seu poder está aumentando muito rapidamente Harry, em breve você estará pronto. – disse Baha em tom longínquo e enigmático enquanto se colocava ao lado de Hades, em seguida a deusa curvou-se levemente e sussurrou para o moreno. – Porque você não leva seus pais junto com seus amigos para visitarem as sedes do Panteão, pode ser interessante e uma boa oportunidade deles conhecerem o que você está fazendo pelas pessoas.


 


- Agora nós devemos ir. – Hades disse em tom frio olhando para o moreno com um sorriso levemente contente nos lábios.


 


- Até mais Harry. – disse Baha com um pequeno sorriso nos lábios antes de simplesmente desaparecer no ar.


 


Hades também sumiu do nada reaparecendo ao lado de Baha em um local que não podia ser definido e onde o tempo não corria como no mundo humano.


 


- O que achou? – perguntou Hades logo depois enquanto observava uma espécie de bacia de pedra a sua frente onde um líquido transparente mostrava imagens do local onde ele e a deusa estiveram momentos antes, naquele momento Harry havia se virado para os pais e estava falando algo com eles, o deus captou as palavras e sorriu enviesado.


 


- Ele está quase pronto, será um adversário a altura para Voldemort. – disse Baha em tom calmo também observando a bacia de pedra.


 


- Você viu a reação dele quando o provoquei tentando tocar na namorada dele? – perguntou Hades em tom satisfeito, pois vira o poder bruto e selvagem querendo ser libertado das profundezas da alma do garoto.


 


- Vi. – comentou Baha simplesmente sem desviar seus olhos da bacia de pedra que naquele momento mostrava Harry saindo dos aposentos de poções acompanhado pela namorada e os pais, mas a deusa virou-se para Hades quando ele voltou a falar.


 


- Fico imaginando o que aconteceria caso aquela garota acabasse sendo morta. – disse Hades em tom pensativo olhando de maneira distraída para a bacia, mas o deus captou o olhar da deusa e quando entendeu o que aquele olhar nebuloso estava dizendo seus olhos arregalaram-se de surpresa. – Está de brincadeira Baha.


 


- É uma possibilidade. – comentou a deusa calmamente enquanto seus olhos ficavam distantes e ela via novamente as imagens do que o futuro podia representar.


 


- Pela maneira como você fala é mais do que uma possibilidade. – disse Hades em tom de voz duro enquanto olhava para Baha que apenas anuiu com a cabeça. – Pelos deuses, me diga o que vai acontecer depois?


 


- Eu não sei, não consigo ver mais nada além desse acontecimento. – comentou Baha simplesmente. – Depois que ela perecer o futuro é indefinido, tanto para os humanos quanto para os deuses. E ambos sabemos o que isso quer dizer.


 


- Que por causa da morte dela todo o universo pode ser destruído pelos poderes dele. – disse Hades com um tom pesaroso, pois sabia que não havia possibilidade deles deterem Harry caso ele enlouquecesse. – Se ele não puder se controlar tudo estará perdido, pois os poderes dele tomarão conta de seu corpo e ele vai agir por instinto matando tudo o que se encontrar ao seu redor, ele nem mesmo vai reconhecer os amigos ou inimigos.


 


- Mas ele também pode se controlar. – disse Baha calmamente enquanto voltava os olhos para a bacia de pedra que agora mostrava uma imagem única e parada do moreno de olhos verdes. – Todo o destino do universo nas mãos de um único bruxo.


 


- Um ser que pode ser a salvação, mas que também pode vir a destruir tudo. – comentou Hades em tom irônico, ele sabia que o garoto poderia ser algo assim, mas não em tanta intensidade e magnitude, pois agora tudo dependia dele.


 


 


 


 


 


N/A: ai galera, desculpem o capitulo mais ou menos e sem muita ação, sei que havia dito que nesse já teríamos Harry e os amigos no Panteão, mas vai ficar para a próxima, pois não consegui tempo para escrever mais do que essas cenas essa semana. Estou com dois trabalhos horríveis para terminar, mas prometo que o próximo capitulo de Dark vai compensar esse. Abraços a todos.


 


Agradecimentos especiais:


 


Gy Magno: que bom que está gostando, este capitulo foi mais curto, mas releve. Abraços.


 


Nath Potter Black: que bom que você está gostando da fic, como deu pra perceber este capitulo foi a explicação de quem estava no quarto de Harry, talvez esteja um pouco maçante, mas esse capitulo era necessário. Beijos.


 


xXxXxXxX: não liga fera, fico feliz em saber que você está acompanhando a fic. Abraços.


 


James V Potter: não se preocupe, cara. De vez em quando também da preguiça em mim, espero que tenha gostado do desenrolar. Abraços.


 


BlackHawk: que bom que gostou do capitulo anterior cara. Eu realmente quis passar essa impressão de maldade por parte de Voldemort, mais para mostrar como ele se comportava com os outros, por exemplo a indiferença com que ele tratou a morte da garota, além da brutalidade dos servos dele. Vou falar cara, vou difícil escrever aquela cena, fiquei três semanas preparando aquele capitulo e apenas as primeiras partes não saiam da minha cabeça, mas finalmente consegui, não sem antes pedir uma ajudinha de uma amiga. Realmente o Boot estava precisando apanhar e o Draco cuidou dele. Quanto ao Dumbie, ele bem que ainda vai tentar reagir, mas a vida dele agora está perto do fim. Abraços fera.


 


LeOoO MolinneZ: que bom que você gostou da fic cara, agradeço os elogios mesmo achando que eu não sou tudo isso. Alma Sombria está apenas no começo, mas fico feliz em saber que você também gosta dela. Abraços cara.


 


Marcelo Silva: que bom que gostou da fic cara, os próximos capítulos serão os melhores eu garanto, pelo menos se eu conseguir passar para o papel o que eu tenho em mente. Abraços.


 


 


Próximas atualizações (05/10): Alterando a História e Harry Potter e a Herança das Sombras.


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.