FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Quando o passado baté à porta


Fic: Além do fraternal Novo cap on 05-08-2013 - ATUALIZADA


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

 


O despertador parecia estar gritando dentro do sonho de Hermione. Um sonho bem estranho por sinal: ela estava em um enterro e ao seu lado sua mãe chorava muito, dizendo que sempre amaria a pessoa que estava sendo enterrada. De repente um som alto chamou a atenção de todos, um bip prolongado, seguido de batidas distantes e, do nada, sua mãe começou a lhe dar fortes cutucadas na costela.


_Que isso mãe?


_ACORDA HERMIONE!


Hermione levantou-se assustada e só então percebeu que estava sonhando. Harry agora gargalhava ajoelhado ao lado cama, enquanto a irmã procurava algo bem pesado para jogar na cabeça dele.


_Você tinha que ver! _ ele disse, limpando as lágrimas que escorriam._ Você murmurando: “Para mãe! Ta me machucando”!


Hermione cruzou os braços e ficou observando aquela cena patética: um rapaz de 17 anos quase rolando no chão, rindo de uma besteira.


_Já acabou?_ ela perguntou depois de um tempo.


Harry se pôs de pé e encarou a irmã, tentava segurar o riso.


_Sim... Então... Mamãe pediu para eu vir te acordar.


_Ok. Já acordei. Saia.


Harry caminhou em direção a porta e fez menção de sair, até fechou a mesma. Porém, abriu novamente e gritou: “Ta me machucando!”. Hermione não pensou duas vezes e jogou um bibelô que estava ao lado da sua cama na direção dele, que foi mais rápido e fechou a porta. Ao longe, ela ainda o ouvia rindo e imitando a voz dela e não pôde segurar o sorriso que brotou em seus lábios. Amava aquele idiota, fazer o que?


Minutos depois, ela já estava na cozinha.


_Bom dia! _ deu um beijinho na mãe, que preparava o desjejum com o carinho de sempre.


_Bom dia minha querida, que confusão foi aquela lá em cima?


_Ah, o idiota do seu filho, como sempre. Sabe mãe, às vezes acho que ele foi trocado na maternidade ou algo parecido.


Lilian odiava quando um dos dois dizia que não eram irmãos, mas contornava bem e sorria docemente e sempre dizia a mesma coisa:


_Nunca mais repita isso!


_Repetir o que?


Tiago tinha acabado de entrar na cozinha e deu um beijinho em cada uma.


_Nada meu bem. Está indo para o trabalho?_ Lilian mudou o assunto.


_Sim, você quer carona?


_Claro!


Harry juntou-se aos outros e sentou-se ao lado da irmã, que lhe lançou um olhar de repulsa. Tiago e Lilian perceberam o clima, mas decidiram não se meter, os dois já eram bem grandinhos para resolverem seus problemas sozinhos.


_Então, como pretendem aproveitar as férias?_ Lilian tentou amenizar a situação.


_Bom, eu ainda não sei. Mas tenho certeza que assim que a senhora voltar do serviço terá uma lista das minhas tarefas._ disse Harry.


_E você querida?_ Tiago dirigiu-se à filha.


_Estudando não é pai? Ao contrário de uns eu me preocupo com meu futuro e Oxford me espera!


_Essa é minha garota!


O assunto do café da manhã não teve muitas novidades e pontualmente, como todos os dias, Tiago e Lilian se despediram dos filhos e foram para seus respectivos empregos.


Um silêncio perturbador caiu na cozinha, sendo quebrado às vezes por mordidas nas torradas ou goles de suco.


_Vai ficar com raiva de mim o dia todo?_ Harry quebrou o silêncio.


_Por que se importa?


_Por nada, é só para saber mesmo.


Hermione o observou e disse:


_Então? Vai ou não vai à casa da Sarah hoje?


_Como sabe disso?


Hermione riu e levantou-se, retirando as louças sujas da mesa.


_Responde! Como sabe disso?


Ela não respondeu de imediato. Antes, colocou as louças sujas na pia, guardou a cafeteira, colocou a torradeira no lugar e, por fim, disse:


_Da próxima vez que resolver conversar ao telefone às 2h da madrugada, certifique-se de que todos estejam dormindo e, principalmente, de falar mais baixo. Mas me diga, o que vai ter lá?


_Nada, só uma festinha, nada de importante. Talvez se você não fosse tão “bicho do mato” te convidariam também.


_Como se eu estivesse louca de vontade de ir! Acredite, o nível de QI dos seus amigos é inferior ao de uma lesma.


Ela terminou de lavar os pratos, enxugou as mãos e continuou:


_Mamãe e papai sabem dessa festinha?


_Eu ia contar assim que chegassem, mas pelo visto...


_Pelo visto o que? _ ela o encarou raivosa._ Acha que vou perder meu tempo te dedurando? Sinto te decepcionar, mas minha vida não gira em torno de você e das coisas que você faz, por tanto fique tranqüilo, da minha boca não vai sair nada. Só fique ciente de uma coisa: mamãe não gosta da Sarah Macguire e você sabe muito bem disso.


Harry ia revidar quando viu que o carteiro tinha acabado de deixar as correspondências. Decidiu não esticar aquele assunto e foi até lá receber as correspondências. Enquanto isso o telefone tocou e Hermione atendeu. Do outro lado a voz irritante de Sarah Macguire soou:


_Olá Hermione, o Harry está?


Hermione ia responder que sim, mas se surpreendeu quando o som que saiu dos seus lábios foi um firme: “Não.”


_Ah... Você sabe a que horas ele volta? É um assunto importante que eu...


_Se quiser liga mais tarde, no momento ele não está. Até logo!


E desligou o telefone. Sua respiração estava acelerada, não era acostumada a mentir! Além disso, um sentimento de raiva daquela garota brotou em seu peito. Esse sentimento já tinha sido semeado no dia em que ela pegou os dois aos beijos no quarto dele. Naquele dia, Sarah tinha ido até a casa de Hermione com a desculpa de estudar com sua, até então, amiga. Porém, quando Hermione foi buscar alguns petiscos, a outra foi até o quarto de Harry dizendo que tinha errado o caminho para o banheiro. Harry, que há algum tempo já estava a fim da moça, não pensou duas vezes e a beijou. Hermione, que seguia em direção ao seu quarto, flagra os dois no maior amasso e chama sua mãe. Daquele dia em diante, Harry e Sarah mantêm um relacionamento estranho, nada muito esclarecido. E, claro, a amizade entre as duas, se é que algum dia houve alguma, terminou.


_Quem era?_ Harry tinha acabado de entrar na cozinha com as cartas nas mãos.


_Ninguém, engano. Tem alguma carta para mim.


Ela fez menção de pegar as cartas, mas Harry ergue os braços. Ele era mais alto que ela, era humilhante! Hermione dava pequenos saltos tentando alcançar as mãos dele, mas era irrelevante. Então, ela o atacou em seu ponto fraco: cócegas.


O rapaz tenta se controlar, mas quando percebe já está correndo pela sala, com a irmã em seu encalço insistindo nas cócegas. Até que ele tropeça no tapete e cai no sofá, levando a irmã junto. Hermione cai no peito dele e os dois soltam gargalhadas. Enfim, ela tinha pegado as cartas e se aconchegou no peito dele. Começou a olhar uma por uma.


_Conta, conta, conta, propaganda... Olha só, carta para a mamãe.


_Quem enviou? _ ele pega a carta e lê o nome do remetente._ Petúnia Evans.


Hermione se senta no sofá e o irmão faz o mesmo.


_Tem o mesmo sobrenome da mamãe._ ela diz, lendo os dados do remetente junto com ele._ Olha, vem do Canadá!


_Droga! Fiquei curioso._ ele disse, erguendo a carta, tentando, em vão, ler algo.


_Bom, vamos esperar ela chegar não é?


Ele coloca a carta junto com as outras na mesinha de centro da sala.


_Então... Me atacando com cócegas agora? É assim?_ ele diz, lançando um olhar suspeito para Hermione, que começa a rir.


_Não! Mas é seu ponto fraco, fazer o que?


_Você me paga tah?_ ele responde sorrindo.


O resto do dia foi tranqüilo. Cada um cuidou dos seus afazeres e Hermione adiantava o jantar quando seus pais chegaram. De imediato ela deu a notícia da carta que tinha chegado àquela tarde. Lilian e Tiago trocam olhares apreensivos.


_Eu... Vou ler... Hermione meu amor, você se importa de continuar o jantar, é rápido...?


_Tudo bem.


Os dois pegam a carta e correm para o quarto. Tiago tranca a porta e se senta na cama, enquanto Lilian anda de um lado para o outro, lendo a tal carta.


_O que diz?_ ele pergunta após alguns minutos.


Lilian se senta ao lado dele e responde com lágrimas nos olhos:


_Nos descobriram! Nos descobriram Tiago, querem vir aqui nos visitar! Meu Deus!


Tiago pega a carta e lê:


“Querida irmã,


Que saudades! Minha nossa, mas que dificuldade em encontrar você hein? Como que você se casa, muda para a Europa e não me manda nem uma carta para avisar? Ficamos preocupados, Valter e eu. Espero que não ache ruim, mas tivemos que contratar um detetive particular para encontrar vocês! E esse Tiago? É bonito? E a Hermione, como está? Deve estar moça, sem dúvida, assim como o meu Duduquinho! Enfim, estamos entrando de férias semana que vem e gostaríamos de ir te visitar! Não aceito desculpas, não precisa fazer cerimônia! Semana que vêm estaremos aí, talvez no sábado. Não precisa ir nos buscar no aeroporto, já sabemos o endereço e pegamos um táxi lá mesmo.


Saudades!


Petúnia.”


Tiago deixa a carta cair no chão e passa as mãos no cabelo, um sinal de puro nervosismo.


_O que faremos Tiago?_ Lilian insiste.


_Não sei... Ligue para o Sírius.


Lilian corre para o telefone e liga para o amigo dos dois, Sírius. Desde que chegaram à Europa, Sirius foi como um irmão para eles. Era colega de trabalho do Tiago e vivia indo à casa dos dois para visitar seus “sobrinhos”. Era o único que sabia da verdade.


_Ele disse que vem o mais rápido que puder._ Lilian se senta ao lado do marido novamente.


_MÃE! PAI! O JANTAR ESTÁ NA MESA!_chama Hermione do andar de baixo.


_É VENENO!_ Harry provoca, fazendo Tiago e Lilian rirem por um breve momento.


-*-*-*-*


_________________________________________________________________________________________________


Olá! Nossa, to muito feliz com os comentários, que bom que estão gostando!


*Mah.Potter*: obrigado pelos comentários, mesmo antes de eu postar os capítulos vc já estava dando a maior força, muito obrigado mesmo! Quanto aos dois no colégio, não vejo a hora de postar aqui para vocês, até pq o desenrolar da história será lá, mas vamos com calma rs


Brunacarvalho: eu já tinho começado a ler sua fic e realmente é ótima! obrigado por ter lido a minha e sinta-se a vontade para comentar.


Enfim, obrigado a todos e continuem comentando, é muito importante para mim saber a opinião de vocês.


Beijocas!



 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.